You are on page 1of 74

Proteção de

máquinas e equipamentos
metal-mecânica

Programa de redução de acidentes de trabalho


Proteção
de máquinas e equipamentos
metalmecânica

2007

Federação das Indústrias no Estado do Paraná-FIEP


Rodrigo da Rocha Loures
Presidente

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI-PR


Carlos Sérgio Asinelli (outubro de 2003 a outubro de 2007)
Diretor Regional

João Barreto Lopes


atual Diretor Regional

Diretor de Operações
Luiz Henrique Bucco

Serviço Social da Indústria – SESI


José Antonio Fares
Diretor Executivo

Gerências envolvidas
Gerência de Alianças Estratégicas e Projetos Especiais
Amilcar Badotti Garcia
SENAI

Gerência de Segurança e Saúde no Trabalho


Carmen L. R. Weber de Camargo
SESI

Gerência da Unidade SENAI-CIC


João Veneri
SENAI
Observatório IEL
Marília de Souza

Sindimetal – PR
Roberto Sotomaior Karam
Presidente

Sindimetal Londrina
Valter Luiz Orsi
Presidente

Sindimetal Maringá
Carlos Walter Martins Pedro
Presidente

Sindimetal Cascavel
Elizeu Avelino Zanella
Presidente
Apresentação

Dando continuidade ao esforço realizado pelo Sistema FIEP, através do SESI/SENAI, para a redução de acidentes
no trabalho no Estado do Paraná, temos a satisfação de disponibilizar, para a comunidade Industrial, esta publicação
que trata das mais variadas formas de proteger máquinas e equipamentos no setor metalmecânico.

A publicação traz distintos modelos de proteções, experimentados em empresas do setor metalmecânico, concebidos
e/ou customizados de maneira simples e econômica possibilitando assim que todas as empresas do setor possam
usufruir deste trabalho, se não como solução imediata para sua necessidade, mas também como fonte de inspiração
para desenvolver seus próprios sistemas de proteção.

Este trabalho é fruto de uma parceria realizada entre diversas entidades que preocupadas com o tema acidente
contribuíram direta ou indiretamente para a construção desta publicação. Dentre elas podemos destacar a:
Universidade de Tecnologia de Compiegne – UTC da França, Instituto Nacional de Prevenção aos Acidentes
com Máquinas e Equipamentos – INPAME de São Paulo, Ministério do Trabalho e da Coesão Social da França,
SINDIMETAL - Sindicato da Indústria Metalmecânica do Estado do Paraná, Universidade da Indústria – Unindus, do
importante apoio da Delegacia Regional do Trabalho do Estado do Paraná – DRT/PR e da Secretaria do Trabalho
Emprego e Promoção Social do Estado do Paraná - SETP.

Espera-se que este trabalho, elaborado dentro do Programa SESI/SENAI de Redução de Acidentes no Trabalho
- PRAT possa ser mais um importante instrumento para potencializar as ações das empresas a favor da melhoria
das condições e do ambiente de trabalho.

Carlos Sérgio Asinelli


Diretor Geral do SENAI

José Antônio Fares


Diretor Executivo do SESI
Resumo

O parque industrial brasileiro em sua maioria é composto por máquinas com mais de três décadas de uso, ainda
em plena atividade principalmente dentro de micro e pequenas empresas. É evidente que há três décadas atrás
estas máquinas não saiam da “fábrica” com as proteções necessárias aos riscos, perigos gerados pelo natural
funcionamento dos mecanismos. Máquinas desprotegidas nos seus mecanismos tornam-se fontes eminentes de
graves danos à integridade física do patrimônio humano da empresa.

Existem formas econômicas e eficazes de evitar ou reduzir os riscos decorrentes de uma máquina desprotegida.
Este trabalho visa justamente isto, mostrar diferentes tipos de proteções (mecânicas) que podem ser customizadas
e até fabricadas na própria empresa com baixo custo (excluindo as chamadas proteções “ativas” com princípios
optoelétricos ou optoeletrônicos). A empresa ainda pode constituir grupos de trabalho para “descobrir” o tipo de
proteção mais adequado à sua situação e para tal fim o consultor do PRAT pode ser solicitado para orientar a
concepção e projeto de proteções especiais. A principal característica de uma proteção é que ela deve ser o
resultado de um “diálogo” entre todos os envolvidos com a questão, como operador da máquina, responsável pela
produção, técnico em segurança e outros.

Este trabalho foi elaborado graças às parcerias realizadas entre o sistema FIEP, através das casas SESI e SENAI, e
o Sindimetal-PR, INPAME, Universidade de Tecnologia de Compiegne (França), Ministério do Trabalho e da Coesão
Social da França e à colaboração da Delegacia Regional do Trabalho no Estado do Paraná, Secretaria do Trabalho
do Estado do Paraná e Fundacentro.

O “compartilhamento” é a principal característica


para a concepção de uma proteção de máquina.
Sumário

O Trabalho no setor Metalmecânico.............................................................09


Tipos de proteções.......................................................................................09
1- Proteções mecânicas........................................................................................................10
2- Proteções (Dispositivos) Eletromecânicas........................................................................ 11
3- Proteções (Dispositivos)................................................................................................... 11

Algumas das Soluções Encontradas............................................................13


Referências..................................................................................................15
Relações de Propostas................................................................................17
Grupo Prensas......................................................................................................................19
Proteção área de prensagem em prensa de baixa T....................................................................................... 19
Proteção frontal de eixo de biela em Prensa Mecânica.................................................................................. 20
Proteção de Volante, Polia e Correias em Prensa de Chaveta sem Redução................................................ 21
Proteção de abertura de inspeção de eixo de prensa..................................................................................... 22
Proteção da Zona de Prensagem do Carrossel em Prensa Mecânica............................................................ 23
Proteção – Carrossel de condução de embalagens metálicas em Prensa Mecânica..................................... 24
Proteção – duto alimentador do carrossel....................................................................................................... 25
Proteção – Sistema Horizontal de Alimentação para Prensa “Pestanheira”................................................... 26
Proteção Complementar, frontal, Prensa de Colunas de 400 T...................................................................... 27
Proteção Complementar, lateral, Prensa de Colunas de 400 T....................................................................... 28
Proteção Complementar, Posterior, Prensa de Colunas de 400 T.................................................................. 29
Proteção Frontal e Posterior em Prensa Hidráulica de 400T.......................................................................... 30
Mesa de alimentação (Gaveta), para prensas mecânicas.............................................................................. 31
Proteção Sistema de Retenção de Martelo – Prensa Fricção por Fuso I........................................................ 32
Proteção de Carretel de Prensa Fricção por Fuso I........................................................................................ 33
Proteção Posterior Prensa Fricção por Fuso................................................................................................... 34
Proteção da Redução – Prensa Mecânica de 180T........................................................................................ 35
Proteção de Eixo e Biela em Prensa Mecânica (Freio ou Chaveta)................................................................ 36
Proteção Eixo e Biela em Prensa - Alternativa................................................................................................ 37

Grupo Tornos - Furadeiras - Fresadoras...............................................................................38


Proteção – Sistema quebra cavaco para Furadeira Radial............................................................................. 38
Proteção em Furadeira Vertical....................................................................................................................... 39
Proteção para Fresadora CNC........................................................................................................................ 40

Grupo Guilhotina...................................................................................................................41
Proteção do freio em Guilhotina...................................................................................................................... 41
Proteção Superior Frontal de Guilhotina......................................................................................................... 42
Proteção Inferior - Frontal de Guilhotina......................................................................................................... 43
Proteção Posterior de Guilhotinas................................................................................................................... 44

Grupo lixadeira de Banda....................................................................................................45

Proteção de Túnel de Lixadeira de banda....................................................................................................... 45


Proteção para Lixadeira de Banda Contínua................................................................................................... 46

Grupo Serra Circular.............................................................................................................47


Proteção Inferior em Serra Circular de Mesa.................................................................................................. 47
Proteção de Disco de Serra Circular de Mesa, com suporte externo.............................................................. 48

Diversos................................................................................................................................49
Proteção Para Atuadores Pneumáticos e Hidráulicos..................................................................................... 49
Dispositivo de Retenção Mecânica para prensa de chaveta (Calço).............................................................. 50
Sistema Comando Bimanual Ajustável............................................................................................................ 51

Equipamentos Opto-Eletrônicos...................................................................53
Registros Fotográficos..................................................................................61

Créditos............................................................................................................
O Trabalho no setor Metalmecânico
O setor metalmecânico é muito importante para a economia do nosso país. Os trabalhadores deste setor ficam
expostos aos riscos naturais da atividade e podem ser potencializados por algumas variáveis como: condição
da máquina, condição do operador, condição do meio ambiente de trabalho. Neste trabalho abordaremos
a “condição da máquina” no que diz respeito às proteções (como barreiras físicas ou processos mais seguros),
para que interfiram o menos possível na produção e produtividade dos equipamentos. Muitos são os tipos de
máquinas instaladas nas diferentes empresas no nosso Estado, mas este trabalho concentrou-se nas pequenas
e microempresas, onde o parque de máquinas, como prensas, dobradeiras e guilhotinas, têm muito mais de uma
década havendo casos com mais de quatro décadas. Máquinas estas que na época de sua fabricação não dispunham
de complementos de segurança que focassem a integridade física do trabalhador. Assim, o PRAT, através do viés
proteção de máquinas, propôs e colocou em funcionamento uma série de proteções em diversos tipos de máquinas
que deram bons resultados. Proteções estas que foram concebidas a “várias” mãos, pelo operador da máquina,
o responsável da produção da fábrica o técnico de segurança da empresa, os técnicos no PRAT com a importante
participação da própria empresa .

As soluções concretas podem aplicar-se, ou não a sua situação pontual.

Observando três pontos importantes:



• Que tipos de máquinas ocasionam certos tipos de acidentes;

• Algumas regras básicas para operar máquinas;

• Inspiração para dialogar com seus empregados para a busca de soluções compartilhadas na proteção
das máquinas.

As idéias contidas neste trabalho podem ser adaptadas a muitos tipos de máquinas, iguais ou similares, pense que
estas soluções nasceram com os operadores das máquinas e troque idéias com eles na sua fábrica, lá estão às
soluções, ou o início das soluções, para seus problemas de proteção de máquinas. A equipe SESI/SENAI no PRAT
está à disposição para apoiá-lo neste trabalho.

Tipos de proteções
Elas podem ser:

1 - Proteções Mecânicas

2 - Proteções Eletromecânicas

3 - Proteções Optoeletrônicas
1- Proteções Mecânicas

• Devemos considerar como a primeira medida de proteção no controle dos perigos das máquinas.

• Devemos entender como “proteção mecânica” aquela que impede ou dificulta o acesso de pessoas
e/ou de partes do corpo, ao ponto da zona de perigo da máquina. Podem ser chamadas de carenagem,
cobertura, tela, porta, enclausuramento, etc.

• Uma proteção mecânica, somente será eficaz quando estiver devidamente fechada.

• As proteções mecânicas podem atuar combinadamente com as optoeletrônicas e/ou eletromecânicas


para garantir proteção em qualquer situação (aberta ou fechada).

• Proteção Fixa: proteção mantida em sua posição fechada, permanentemente (por solda, etc.), ou por
elementos de fixação (parafusos, porcas, etc.), tornando sua remoção ou abertura impossível sem o
uso de ferramentas.

• Proteção Móvel: geralmente vinculada à estrutura da máquina ou elemento de fixação adjacente, por
meios mecânicos (ex.: basculantes ou deslizantes) que pode ser aberto sem auxílio de ferramentas.
(Para garantir eficácia deve ser associado ao intertravamento).

• Proteção Ajustável: proteção fixa ou móvel, que é totalmente ajustável ou que incorpora parte (s)
ajustável (is). O ajuste permanece fixo durante uma operação particular.

10 • A proteção mecânica é sempre uma barreira material que fica interposta entre o operador e a zona de
perigo da máquina. Assim a eleição da proteção dependerá da necessidade e freqüência de acesso a
esta zona e devem considerar-se as diversas situações como:

A) Zonas de perigo à qual nunca se deve ter acesso durante a operação da máquina. Acesso apenas para
manutenção, limpeza, reparos, etc. Considerando os perigos gerados por elementos móveis, longe do ponto de
operação, como o disco da serra circular, por baixo da mesa, etc.;

B) Zonas de perigo da máquina nas quais deverá haver acesso no início e no fim de cada ciclo de operação (ex.:
alimentação manual);

C) Zonas perigosas nas quais deve haver acesso continuamente, quando o operador realiza a alimentação
manualmente e por conseqüência fica exposto às partes móveis durante a operação.

ALGUMAS CARACTERÍSTICAS QUE DEVEM SER OBSERVADAS NA PROPOSTA DE PROTEÇÕES

• Ser de fabricação sólida e resistente.

• Não ocasionar perigos suplementares.

• Não devem ser facilmente, burladas ou colocadas fora de funcionamento.

• Estar afastados, convenientemente, da zona perigosa.

• Não limitar, mais do que o necessário, o campo de visão do processo de trabalho.


• Permitir a troca de ferramentas, manutenção, limpeza, limitando o acesso ao ponto da intervenção, se
possível, sem desmontar a proteção.

• Reter/capturar, na medida do possível, as projeções (fragmentos, cavacos, limalhas, etc.), da própria


máquina ou do material trabalhado.

• Para garantir a inacessibilidade às partes perigosas da máquina, as proteções devem ser


adequadamente dimensionadas, para evitar eventual acesso por cima, por baixo, pelas laterais, pelos
fundos ou através dela.

• O dimensionamento das proteções exige uma análise conjunta e integrada da abertura, posição e
distância da zona de perigo.

2 - Proteções (Dispositivos) Eletromecânicas

São dispositivos combinados entre partes mecânicas que são acionados por meio de dispositivos elétricos, como
os dispositivos de intertravamento.

Este tipo de combinações deve ser criteriosamente utilizado uma vez que há necessidade de trabalho conjunto entre
confecção da proteção física e sua adequação elétrica. Por se tratarem de dispositivos amplamente conhecidos, é
11
que não abordaremos neste trabalho.

3 - Proteções (Dispositivos)

Optoeletrônicas

Não abordaremos neste trabalho apenas faremos referência.

Algumas Normas que devem ser consultadas

Em se tratando de proteções físicas (barreiras), para as máquinas e equipamentos, o seu tipo, seu dimensionamento
e todas suas características devem, preferencialmente, seguir as orientações das normas nacionais e na ausência
destas as proposições devem considerar as normas estrangeiras mais avançadas. Abaixo a relação de normas
nacionais:

Portaria 3214 de 8-06-78,

NM 272:2001 – Segurança de máquinas – Proteções – Requisitos Gerais para o projeto e construção de proteções
fixas e móveis,

NBR NM-ISSO 13852 – Segurança de máquinas – Distâncias de segurança para impedir o acesso a zonas de
perigo pelos membros superiores,
NBR 14153 – Segurança de máquinas – Partes de sistemas de comando relacionados à segurança – Princípios
gerais para projeto,

NBR 5413 – Iluminância de interiores,

NM 273:2001 – Segurança de máquinas – Dispositivos de intertravamento associados a proteções – Princípios para


projeto e seleção,

NBR 13760 – Folgas mínimas para evitar esmagamentos de partes do corpo humano,

NBR 14153 – Segurança de máquinas: Parte do sistema de comando relacionado à segurança, princípios gerais
de projeto,

NBR 14154 – Segurança em máquinas: Prevenção de partida inesperada,

NBR 13759 – Equipamentos de parada de emergência, aspectos funcionais princípios para projetos,

NBR 14152 – Segurança em máquinas – Dispositivos de comando bimanuais - Aspectos funcionais e princípios
para projeto.

12
Algumas das Soluções Encontradas
As próximas páginas apresentam algumas soluções para a proteção de máquinas, principalmente prensas, de
maneira simples e prática. Algumas soluções passam não somente pela simples dotação de uma barreira física,
elas necessitam de ações complementares, para realmente serem eficazes, como a qualificação ou requalificação
do operador, mudança de determinado layout e/ou eventualmente mudança em sistemas de alimentação das
máquinas. O princípio da concepção destas soluções foi a de:

a) Não ter custo elevado se relacionado ao benefício da proteção;

b) Não reduzir, demasiadamente, a produção;

c) Reduzir o risco/perigo de acidentes;

d) Serem de fácil execução.

Na medida da leitura deste material, trate de não se concentrar no fato de que a proteção proposta é exatamente
para sua máquina. A maior parte do exposto neste trabalho é adaptável para vários tipos de máquinas. Também estão
concebidas para estimular sua criatividade a fim de que possa ter suas próprias idéias de soluções, e se preferir entre
em contato com os consultores do PRAT pelo e-mail: bruno.adad@pr.senai.br ou luiz.rocha@pr.senai.br

Obrigado. 13

Equipe PRAT

Empresas que participaram no Piloto do PRAT:


Udo Heuer S/A, FGVTN Brasil Ltda. Karam Estamparia Artística de Metais Ltda. Placas Borges Ltda. Metalgráfica
Trivisan Ltda. Ventrabrás Ltda. Magius Metalúrgica Industrial Ltda.

Parceiros diretos do PRAT


14
Referências

Segurança e Medicina do Trabalho. Editora Atlas, 59ª edição.

NM 272:2001 – Segurança de máquinas – Proteções – Requisitos Gerais para o projeto e construção de proteções
fixas e móveis.

NBR NM-ISSO 13852 – Segurança de máquinas – Distâncias de segurança para impedir o acesso a zonas de
perigo pelos membros superiores.

NBR 14153 – Segurança de máquinas – Partes de sistemas de comando relacionado à segurança – Princípios
gerais para projeto. 15

NBR 5413 – Iluminância de interiores.

NM 273:2001 – Segurança de máquinas – Dispositivos de intertravamento associados a proteções – Princípios para


projeto e seleção.

NBR 13760 – Folgas mínimas para evitar esmagamentos de partes do corpo humano.

NBR 14153 – Segurança de máquinas: Parte do sistema de comando relacionado à segurança, princípios gerais
de projeto.

NBR 14154 – Segurança em máquinas: Prevenção de partida inesperada,

NBR 13759 – Equipamentos de parada de emergência, aspectos funcionais princípios para projetos.

NBR 14152 – Segurança em máquinas – Dispositivos de comando bimanuais - aspectos funcionais e princípios
para projeto.

Dispositif de captage de pousisières pour scie radial – INRS.

Le Tour – dangers Prévention – INRS,

Recueil des protecteurs pour machines a bois conventionnelles, usagées ou en service - INRS.

Repères pour une évaluation efficace des risques professionnels – Direction régionale du travail, de l’emploi et de la
formation professionnelle du Limousin.

ACE-Schmersal – Proteções optoeletrônicas – www.acschmersal.com

Instrutech – Proteções optoeletrônicas – www.instrutech.com.br


16
Relações de propostas 17
18
Grupo Prensas
Proteção área de prensagem em prensa de baixa T

1
3 19

Referências:
1- Placa acrílica ou policarbonato (cantos arredondados); 2
- Abertura para deslocamento do estampo inferior da mesa; 3
- Parafusos de fixação Allen
Proteção frontal de eixo de biela em Prensa Mecânica

20

Referências:
Dois modelos, confeccionada em
ferro, que vão aparafusados no
corpo da máquina.
Pintada na cor amarelo ouro.
Proteção de Volante, Polia e Correias em Prensa de Chaveta sem Redução

4
3

4
2

21

6
2 6

S
6

Referências:
1 - Armação: Chapa: Preta em aço 2mm de espessura
dobrada e unida por solda elétrica.; 2 -Chapa: expandida
1,5mm de espessura com aberturas de 10 x 20mm.
unida por solda com armação.; 3- dobradiças.; 4 -Aba de
fixação por meio de parafuso Allen M6. 5 - Recuo para
ampliar campo de visão
Tipo de Fixação: Parafusos Allen cabeça cilíndrica M6x30.
Pintura na cor Amarelo Ouro
Proteção de abertura de inspeção de eixo de prensa

22

3 3

Referências:
1- Ferro chato2mm, 2- chapa metálica
expandida com abertura de 20x10mm, 3- Furos
para fixação via parafusos Allen.

Pintada na cor amarelo ouro.


Proteção da Zona de Prensagem do Carrossel em Prensa Mecânica

4 2 3 4
5

1 23

5
5
1 1

4 4 4
1
5
L
S

Referências:
1- Policarbonato transparente 3mm.; 2-Abertura de entrada das embalagens; 3- Abertura de saída
das embalagens; 4- Abas metálicas de fixação e sustentação do policarbonato; 5- Extrator de
produtos.
Obs. Todos os cantos do policarbonato devem ser arredondados.
Proteção – Carrossel de condução de embalagens metálicas em Prensa Mecânica

24
1 2

3 1

5
4

Referências:
1- Carrossel: em Nylon na cor laranja; 2- Porta embalagem; 3-Furos de fixação do moto redutor;
4-Moto redutor; 5-Eixo e arruela de assentamento.
Obs.
Pintada na cor laranja.
Proteção – duto alimentador do carrossel

4
3 4

1 25

1
5
3

L 2
4 5
3

Referências:
1- Duto de alimentação por gravidade: acrílico transparente 3mm. 2- Suporte do funil em aço.;
3- Mesa; 4- Extrator de produtos.; 5 - Produtos.
Proteção – Sistema Horizontal de Alimentação para Prensa “Pestanheira”

5 13
6 2

1 2 8

2 12 7
3 9 10 11
4
26 2
6 5

1
10

6
2
9 10
7
5
2 2
3
8
L 4 S

Referências:
1- Esteira; 2- Suporte em chapa Preta 2,5mm com cantoneiras de 2” soldada.; 3- Suporte guia do
Cilindro Pneumático: em Aço SAE 1045.; 4- Volante de regulagem.; 5- Pallet de alimentação e retirada de
material: Metalão.; 6- Imã.; 7- Motoredutor de 24 rpm.; 8- Guias Vertical.; 9- Cilindro Pneumático modelo
ADVU.; 10- Estampo ou matriz.; 11- Guias horizontais.; 12- Suporte do Pallet.. 13- Braço excêntrico.
Obs. Este sistema opera no sistema de enclausuramento total (ver proteção do sistema de alimentação
de “Pestanheira”).
Proteção Complementar, frontal, posterior e lateral em Prensa de Colunas de 400 T

2
3

2
3
27

Referências:
1- Chapa em Aço 2mm.; 2- Cantoneira 1” x 1”.; 3- Furos para fixação.
Parafusos allen cabeça cilíndrica M8 x 30. Chapa e cantoneira unidas por Solda Elétrica. Pintura na
cor amarelo Ouro.
Proteção Complementar, lateral, Prensa de Colunas de 400 T

3 1 2 5
4
28

5
5 5

Referências:
1- Chapa Preta em Aço 2mm.; 2- Policarbonato transparente
2mm.; 3- Guarnição em borracha.; 4- Recuo para
intertravamento;
5- Furos de fixação.
Chapa pintada na cor Amarelo ouro; Fixação por parafusos
Allen cabeça cilíndrica M8 x 30.
Proteção Complementar, Posterior, Prensa de Colunas de 400 T

6
1

6
6
4

3 5 5
29

Referências:
1- Chapa em Aço:2mm; 2- Chapa expandida em Aço: com
aberturas de 10 x 20 mm.; 3- Policarbonato transparente
2mm.;
4.-Guarnição em borracha; 5- Abertura para calhas de saída de
cavacos; 6- Furos para fixação.
Chapa pintada na cor Amarelo; Fixação por parafusos Allen
cabeça cilíndrica M8 x 30.
Proteção Frontal e Posterior em Prensa Hidráulica de 400T

6 6

6 1

6
4

30
3 5 5

Referências:
1- Chapa em Aço:2mm.
2- Chapa expandida em Aço: com aberturas de 10 x 20 mm.
3- Policarbonato transparente 2mm.
4- Guarnição em borracha
5- Abertura para calhas de saída de cavacos.
6- furos de fixação.
Chapa pintada na cor Amarelo.
Mesa de alimentação (Gaveta), para prensas mecânicas

5
4
2
6

3
8
7
31

Referências:
1- Base Fixa: Aço SAE 1060; 2- Porta Matriz ou Base Móvel :Aço
SAE 1060; 3- Pino Guia: Aço SAE 1060 temperado e revenido
de 56 58 HRC; 4- Placa dos guias; 5- Porta Matriz superior: Aço
SAE 1060.; 6- Fuso: Aço SAE 1060; 7- Proteção Engrenagem;
8- Moto Redutor: 24V 3Amper CC.; 9- Suporte moto redutor:
Aço SAE 1045; 10- Fim de Curso: Aço Prata.; 11- Canal de
lubrificação.;
12- Guia do porta Matriz: Aço SAE 1045.
Acionamento por botoeiras manuais alimentado por
transformador 127 V para 24 V e retificado CA para CC.
Proteção Sistema de Retenção de Martelo – Prensa Fricção por Fuso I

2 7 2 7

3
3 4

4
5
9 5
9

6
6 8
8

1 7
1
7

F L

4 5

32

2
7

Referências:
1- Mancal Inferior: em aço SAE 1045.; 2- Mancal superior: em
aço SAE 1045; 3- Eixo: em aço SAE 1045; 4- Apoio do Martelo:
em aço SAE 1045; 5- Empunhadura: em aço SAE 1045; 6- Bucha
de Regulagem: em aço SAE 1045; 7- Parafusos M8 x 50.; 8-
Parafusos M6 x 30.
9- Mola de Retorno.
Obs. A mola de retorno atua de maneira a manter o sistema
sempre na posição de manutenção de repouso do martelo. Este
dispositivo foi desenvolvido pela empresa Udo Heuer S/A.
Proteção de Carretel de Prensa Fricção por Fuso I

2
4 4 1

3 1
4
4
2 1 4
33

3
2

L S

Referências:
1- Estrutura Metálica em Metalão 2” com 2mm de
espessura.; 2- Chapa expandida 2mm com abertura
de 10 x 20mm; 3- Eixo.; 4.-Carretel.
Obs.: Painéis posterior e frontal basculantes. A
chapa expandida é soldada eletricamente à estrutura
metálica
Proteção Posterior Prensa Fricção por Fuso

4
2

34
4 3
2

1
2
1
S

Referências:
1- Armação: Cantoneira de 3mm de espessura, com abas de ½ Pol.; 2- Chapa: Expandida de 1,5mm. de
espessura com aberturas de 10 x 20mm.; 3- Aba para fixação no corpo da máquina.; 4- Dobradiças.
Obs:
Chapa expandida soldada na armação eletricamente e pintura acrílica em amarelo ouro.
Todos os cantos arredondados.
Tipo de Fixação: Parafuso Allen cabeça cilíndrica, M5 x 20.
Proteção da Redução – Prensa Mecânica de 180T

6 6

7 7

7
8

6 9

1
2

6 4
7 7
10
6
8
6 4 6

9 7 11
35
3 5

7
6
5 6 10
8
3 7
6
9

Referências:
1- Proteção do eixo de transmissão; 2- Abertura para o eixo de
transmissão; 3- Segmentos lateral esquerdo da carenagem; 4-
Segmento superior da carenagem; 5- Segmento lateral direito da
carenagem; 6- Abas de união entre os 3 segmentos; 7- Suportes
de fixação ao Corpo da máquina; 8- Proteção da Flange traseira;
9- Janela de inspeção; 10- Janela para lubrificação da Flange;
11- Furos de fixação no corpo da máquina.
Material utilizado: chapa preta 3mm com estrutura interna de ferro
chato de 1” x 5mm de espessura. Segmentos unidos por parafusos
M6 x 30. fixação no corpo da maquina por parafusos M12x60
Pintada na cor amarelo ouro.
Proteção de Eixo e Biela em Prensa Mecânica (Freio ou Chaveta)

36
2
3 2
1

3
4
4
1

S
5

Referências:
1- Armação: Chapa: Preta em aço 2mm de espessura dobrada
e unida por solda elétrica.; 2- Chapa: expandida 1,5mm de
espessura com aberturas de 10 x 20mm.unida por solda
com armação.; 3-dobradiças.; 4- Aba de fixação por meio de
parafuso Allen M6. 5- Recuo para ampliar campo de visão
Tipo de Fixação: Parafusos Allen cabeça cilíndrica M6x30.
Pintura na cor Amarelo Ouro.
Proteção Eixo e Biela em Prensa - Alternativa

3
2
2

F
5
5 2 2 5

1
4 1

2 4
37

S
3

Referências:
1. Chapa: Preferencialmente Expandida 1,5 mm.com aberturas de 10
x 20 mm.
2. Colunas: Metalão1 ½”.
3. Trava: Ferro Chato de 1” x 3/16”.
4. Estrutura: Cantoneira com 3 mm de espessura com aba de ½”.
5. Dobradiças.
Tipo de fixação: Parafusos sextavado 6mm.
Grupo Tornos - Furadeiras - Fresadoras

Proteção – Sistema quebra cavaco para Furadeira Radial

38

1 1

Referências:
1- A ponta das brocas são dotadas de duas
fendas opostas que permitem a quebra do
cavaco, evitando as longas tiras de cavacos.
Obs. Estas fendas devem ser realizadas por
empresa especializada.
Proteção em Furadeira Vertical

3 6

4 1

53

6F
3 3

7
6 39
1
4

2
5

S
2
5

Referências:
1- Policarbonato: Fixo Transparente; 2- Policarbonato:
Móvel Transparente; 3- Dobradiça com travamento
superior; 4- Colarinho inferior; 5- Roldanas em Nylon;
6- Colarinho para ajuste superior.

Tipo de fixação: Colarinho superior fixado ao corpo da


máquina por meio de aprisionamento via parafuso e
porca. Policarbonato Fixo, unido por parafuso e porca
ao colarinho inferior.
Proteção para Fresadora CNC

1
3

5
5

2
2

4
6 6

3 5 5
1
40

5 1
3 3

L
S

Referências:
1- Policarbonato: Transparente 6mm.; 2- Colunas:
Em aço Carbono SAE 1040; 3- Alumínio estruturante
do policarbonato; 4- Puxador: Suporte em Nylon
com tubo de alumínio; 5 - Amortecedor: Mola gás
190N; 6- Corrediças telescópica com alcance de
600mm
Tipo de fixação: Parafusos Allen cabeça escareada
4mm x 10.
Grupo Guilhotina

Proteção do freio em Guilhotina

2 2
41
F

1 2

2
L S

Referências:
1- Chapa preta 2 mm; 2.- Abas de fixação.
Chapas unidas por solda oxiacetilênica e pintadas na cor amarelam
ouro. Fixação por parafusos Allen cabeça cilíndrica M5 x 20.
Proteção Superior Frontal de Guilhotina

1
2 2

2 2

42
F
1

Referências:
1- Chapa preta 2 mm.; 2-Furos de fixação; 3- Abas de
aproximação; 4-Afastador de mãos.
Chapa única dobrada e pintada na cor amarela. Fixação
por parafusos Allen cabeça cilíndrica M5 x 20.
Proteção Inferior - Frontal de Guilhotina

1
43
2
2
3
2
2
2
1

Referências:
1- Chapa preta 2 mm; 2- Furos de fixação; 3- Recorte
( desvio) para encaixe.
Chapa única pintada na cor amarela. Fixação por
parafusos Allen cabeça cilíndrica M5 x 20.
Proteção Posterior de Guilhotina

2 2
3

44 4 1

Referências:

1.- Chapa preta 2 mm.; 2.- Furos de fixação dos suportes


internos; 3.- Abertura para encaixe na máquina ( desvio);
4.- Suporte de Fixação: Ferro chato 5 x 25mm

Fixação por parafusos Allen Cabeça cilíndrica M6 x 20.


Proteção pintada na cor amarelo ouro.
Grupo lixadeira de Banda

Proteção de Túnel de Lixadeira de banda

45

Referências:
1- Chapa preta 2 mm; 2- Chapa expandida 2mm unidas por solda; 3- Parafusos M6 x 1”.
Pintada na cor amarelo ouro.
Proteção para Lixadeira de Banda Contínua

5
2

46 F

3 1

2 4
3 1 3 3 4
2 1

L S

Referências:
1- Estrutura em Cantoneira 1”x 3mm de espessura no corpo principal; 2 - Chapa expandida 2mm
com abertura de 10 x 20 mm.; 3- Dobradiças; 4-Estrutura em Cantoneira 1” x 3mm de espessura no
complemento da extremidade, 5 - Aba de proteção.
Proteção afixada por meio de parafusos tipo Allen. Dobradiças permitem abertura (basculante) para
manutenção. Ainda com proteção basculante da extremidade da máquina para facilitar trabalhos que
necessitem dessa extremidade
Grupo Serra Circular

Proteção Inferior em Serra Circular de Mesa

6 4 5 4 47
8 6 5 4

3 3
3
7 1 3
1
7
3 3
3 3

2
2

F L

Referências:
1 - Estrutura da Mesa.; 2 -Chapa expandida 2mm com abertura de 10 x 20 mm.; 3 -Parafusos Allen M5 x
20; 4 -Guias.; 5 - Tampo Deslizante.; 6 - Disco de Serra.; 7 - Motor.; 8 -Tampo fixo.
Painéis de proteção afixados por meio de parafusos tipo allen à estrutura metálica da mesa, na cor
amarelo ouro, com abertura posterior facilitada para remoção de caixa de resíduos.
Proteção de Disco de Serra Circular de Mesa, com suporte externo

1
2

2 2

3 3

6
48
10
6
9

9 1
3
7

10 5

8 4
4
2

S L

Referências:
1 - Corpo da coifa em Chapa Preta 2mm.; 2 - Policarbonato 3mm, transparente.; 3 - Aba lateral em
policarbonato transparente.; 4 - Roda frontal.; 5 - Abas do suporte.; 6 - Suporte: Ferro chato 2” x 3mm.
Que deve ser afixado na parede posterior à serra; 7 - Parafusos de fixação do policarbonato.; 8 - Roda
Posterior, 9 - Eixo do suporte basculante, 10 - Conexão para aspiração.
O comprimento do suporte varia conforme a situação da mesa. Este suporte é afixado diretamente, por
meio metálico, à coifa livrando eventuais fatores físicos que possam impedir
Diversos

Proteção Para Atuadores Pneumáticos e Hidráulicos

3 2
10

4 3
2
4

9
1 8
6
7

5 9 8
6 5 49
5
7
1

F
5 5
5
10 10 10
S

5 5 5 5

Referências:
1- Mesa; 2- Atuador Pneumático.;3- Proteção
externa: Policarbonato transparente 2 mm.; 4-
Proteção Interna: Policarbonato transparente
2 mm.; 5- Guia dos Rolamentos: Nylon.; 6-
Rolamentos.; 7-Cremalheira Inferior: Alumínio.;
8- Cremalheira Superior: Alumínio; 9- Pinhão:
Bronze; 10-Haste do pinhão: Alumínio.
Dispositivo de Retenção Mecânica para prensa de chaveta (Calço)

4 5

50 3

Referências:
1-Sapata: aço SAE 1040; 2 - Tubo externo: em aço sem costura ; 3 - Tubo interno: em aço sem costura; 4-
Bucha Roscada: aço SAE 1040; 5 -Parafuso de ajuste fino com sextavado: aço SAE 1040 oxidado a 400°
C.; 6 -Pino Trava: aço SAE 1040 oxidado a 400° C.; 7 - Alça: fixada por solda elétrica.; 8 - Empunhadura:
emborrachado.
União da sapata com tubo externo por prensagem e solda elétrica. União da Bucha roscada com Tubo
Interno por prensagem.
Carga total 15 T. Pintura acrílica na cor Amarela Ouro, somente no Tubo Externo.
Sistema Comando Bimanual Ajustável

5 5
9 7 9

8 6

2
1

F
5
4 51
6

7
5 5
3

2
1

4 6

S S

Referências:
Comando bimanual ajustável à altura do operador. Ajuste em 3 sentidos: Altura Vertical, Posição plano
horizontal e Rotação do comando. Conta com barra de apoio (descanso) do operador.
52
Equipamentos Opto-Eletrônicos 53
54
Bimanual e Chaves de Segurança

55

Referências:
Bimanual, destinado ao acionamento da máquina utilizando as duas mãos, de maneira a garantir que
o operador durante esta operação tenha as mãos afastadas da máquina, neste modelo o acionamento
(síncrone) é por aproximação.
Chaves de Segurança: As proteções móveis devem ser equipadas com chaves de segurança. Os trincos
das portas dos equipamentos de proteção funcionam em paralelo com as chaves de proteção. Na abertura
deliberada do equipamento de segurança, o contato Normalmente Fechado da chave de segurança é
aberto e o movimento perigoso da máquina é interrompido.
Botoeiras

Referências:
Diversos tipos, destinados ao acionamento ou parada das máquinas, algu7ns podem ainda apresentar
sinal luminoso.

56

Chave/Cabo de emergência

Referências:
Destinado a em caso de emergência facilitar o desligamento da máquina, normalmente ele é colocado em
toda a extensão da máquina que assim o admita.
Chaves Comutadoras

Referências:
Chaves de utilização geral para fechamento/abertura de circuitos.

Cortina de Luz, Barreira de Segurança e Scanner de área


57

Referências:
1.- Cortina de Luz, utilizada como barreira invisível, principalmente em prensas que permitam esta
condição, não é útil em prensas mecânicas de chaveta.
2.- Barreira de Segurança, para monitorar áreas de trabalho,
3.- Scanner de área, com a finalidade de controlar acessos em áreas abertas. E que necessitem monitoração
de presença;
Pedal de acionamento

Referências:
Pedal para acionamento de máquina, com proteções lateral, superior e posterior de três estágios.

58
Proteções Eletrônicas – Sensores Óticos

Referências:
Sensores destinados a detectar a presença de elementos durante o processo de trabalho e informar
sobre esta situação para correção ou estabilização.
Válvulas de Segurança

Referências:
Válvulas de alto desempenho e segurança para freio e embreagem pneumáticas de prensas mecânicas. São
consideradas de categoria 4.

59
60
Registro Fotográfico 61

Máquinas Protegidas
62
Proteções

63
Proteções

64
Proteções

65
Proteções

66
Proteções

67
Proteções

68
Proteções

69
Proteções

70
créditos

Elaboração técnica
Luiz Orlando Silva Rocha – Técnico Mecatrônica
André Tecchio de Macedo – Técnico Mecânica
Bruno C. Bilbao Adad- Engenheiro de Segurança do Trabalho

Equipe PRAT
Roberto Sgrott da Silva
Julio Cezar Doneda
Gercindo Souza
Maria do Rocio Buckzek 71
Erasmo H. de Mello Pereira
Luciano Nadolny
Sandra Regina Moreno
Heloisa Kavinski

Diretor de Operações e Coordenação de Tecnologias e Mídias Educacionais


Luiz Henrique Bucco

Equipe Técnica de elaboração
Coordenação – Tânia Regina Rover Virmond
Revisão – José Carlos Klocker Vasconcellos Filho
Projeto Gráfico – Ana Célia Souza França
Priscila Bavaresco
Tratamento de imagens – Ana Célia Souza França
Priscila Bavaresco
Editoração – Ana Célia Souza França
72