You are on page 1of 131

ENCONTRO NACIONAL

Controle e prevenção
de acidentes de trabalho
relacionados ao gás amônia
Apresentação

• Motivação
• Introdução ao sistema de refrigeração
• Riscos de uso da amônia
• Acidente da Nota técnica 003/2004
• Disposições da NR-36
• Recomendações
15 DE MARÇO DE 2006 – ZERO HORA
Vazamento de amônia intoxica 10 pessoas
O expediente de mais de cem pessoas encarregadas da limpeza de
peixes foi abalado ontem, às 8h, pelo provável rompimento na
solda de uma tubulação responsável por refrigerar câmaras
frigoríficas na indústria de pesca Mara Alimentos, em Rio Grande.
Da tubulação rompida vazou amônia, substância que intoxicou 10
pessoas.

Cinco ambulâncias e duas viaturas do Corpo de Bombeiros foram


utilizadas para remover quem passou mal. À tarde, todos foram
liberados pela Santa Casa de Rio Grande. A empresa foi notificada
pelos bombeiros por não contar com um plano de prevenção de
incêndios e acidentes. A empresa foi notificada por não possuir
plano de prevenção de incêndios e acidentes
Vazamento de amônia intoxica oito pessoas (29/9/2007)
O vento conduziu o produto para dentro de uma empresa

A explosão de um cilindro onde estavam acondicionados 70 quilos


de amônia provocou um vazamento do produto tóxico. O
incidente ocorreu nas dependências da cooperativa de produtos
alimentícios Cosulati, em Capão do Leão, no sul do Estado.

A explosão foi por volta das 14h30min. O cilindro - que estava ao


ar livre - explodiu, sendo arremessado a mais de quatro metros de
altura e cerca de cem metros de distância do ponto em que
estava.

O vento levou a amônia para dentro das salas. Oito empregados


foram intoxicados, apresentando sintomas como irritação nos
olhos e na garganta, mal-estar e dores de estômago. Todos foram
levados ao Pronto Socorro Municipal de Pelotas e medicados.
Vazamento de amônia em frigorífico no Paraná
deixa sete pessoas internadas
G1 - Edição do dia 17/11/2010
O produto químico começou a vazar na casa de máquinas e rapidamente se
espalhou para outras áreas da indústria. Não há previsão de alta para os
funcionários internados.
Sete pessoas continuam internadas - três delas na UTI - por causa do
vazamento de amônia em um frigorífico no interior do Paraná.
Seiscentos funcionários trabalhavam em um frigorífico de Umuarama, no
noroeste do Paraná, quando começou o vazamento de amônia - um gás
tóxico, usado para refrigeração.
Pelo menos cem pessoas passaram mal, 30 delas foram encaminhadas para
hospitais da cidade com sintomas de intoxicação. Cinco foram levadas para
UTIs. (...)
A perícia no frigorífico - para apontar o que causou o vazamento - deve
começar amanhã. “Um cano se rompeu. A gente ainda não sabe o motivo.
Mas assim que for identificado, nós vamos tomar todas as medidas pra que
isso não volte a acontecer", diz João Paulo Santos, gerente de exportação
do frigorífico.
2001 – Correio do Povo
Mais de 100 trabalhadores morrem em incêndio na China

Mais de 100 trabalhadores morrem em incêndio na


China
Revista Proteção
Data: 03/06/2013 / Fonte: EBC
Jilin/China - Pelo menos 119 pessoas morreram na
segunda-feira (3) em um incêndio que atingiu um
abatedouro de aves na província de Jilin, na região
nordeste do país. As primeiras informações eram de que
um curto-circuito estaria na origem do acidente, mas as
causas ainda são desconhecidas. A tevê estatal afirma
que testemunhas disseram ter ouvido uma explosão e
percebido um vazamento de amoníaco.
Trezentas pessoas trabalhavam no local quando o incêndio
começou, nas primeiras horas da manhã. Além do
elevado número de vítimas fatais, 54 pessoas ficaram
feridas. Trabalhadores que conseguiram escapar das
chamas disseram que as portas do abatedouro eram
muito estreitas e estavam trancadas, o que
dificultou a fuga do local. Seis horas depois do início
do incêndio, os bombeiros ainda lutavam para combater
as chamas, com o incêndio já controlado. Segundo a
mídia chinesa, este é o pior incêndio registrado no país
nos últimos doze anos. O Ministério da Agricultura
informou que o abatedouro foi inaugurado em
2009, emprega 3 mil pessoas e produz 67 mil
toneladas de carne por ano para o mercado interno
chinês.
- Voltando ao Paraná...
- Vídeo Santo Inácio
Sistema de refrigeração com Amônia

A AMÔNIA é o fluido de maior efeito


refrigerante, mas com desvantagens: é
tóxica e inflamável sob certas condições.

Usada em diversas instalações de grande,


médio e pequeno porte (fabricação de
gelo, armazéns frigoríficos, refrigeração
industrial, pistas de patinação, etc).

A amônia utiliza-se como refrigerante há


mais de 120 anos e, por isso, as suas
propriedades e aplicações são bastante
conhecidas.
Vantagens mais importantes do uso da amônia:
Possui boas propriedades termodinâmicas de transferência de calor e
massa, em particular dentro das condições definidas pelos serviços e
o rendimento das máquinas utilizando amonia é dos melhores.

É quimicamente inerte para os elementos dos circuitos frigoríficos,


com exceção do cobre.

A amônia não se mistura com o óleo lubrificante.

É facilmente detectável em caso de fuga por apresentar um odor


pungente muito característico, desta forma, é muito difícil ter uma
falha de circuito.

Não destrói a camada de ozônio.


A amônia é fabricada para muitos mais usos além da refrigeração, o que
permite a manutenção do seu preço baixo e acessível.
Sistema de refrigeração com Amônia
Reservatório de líquido
Evaporador
Sala de Máquinas - compressores
Condensador
Características da amônia

Aspecto (estado físico, forma e cor): Gás incolor.


Líquido incolor sob alta pressão.
Odor e limite de odor: Picante, extremamente
penetrante, irritante.


Limite de odor: 5 ppm.

É facilmente detectada a partir de pequeníssimas
concentrações (5 ppm) no ar pelo seu cheiro "sui-
generis".

Ponto de fusão/ponto de congelamento: -78 °C.


Ponto de ebulição inicial e faixa de temperatura de
ebulição: -33 °C a 760 mmHg.
Caracterísitcas da amônia


Gás não inflamável. Em grande quantidade e intensa
fonte de energia pode causar ignição e/ou explosão.


Limite inferior/superior de inflamabilidade ou
explosividade:

LIE: 15% - LSE: 28%

Temperatura de auto-ignição: 651°C


Temperatura de decomposição: 780 °C.


Solubilidade(s): Solúvel em água, com liberação de
calor.
Risco de exposição dos trabalhadores

Vazamento de amônia do sistema de refrigeração, por


qualquer de suas partes, tanques, equipamentos e tubulações.
• atividades normais do sistema de refrigeração
• acidentes pequenos, que geralmente envolvem somente os operadores do sistema
• acidentes médios e grandes, que podem envolver os demais trabalhadores da empresa
ou até mesmo a comunidade em geral.
Risco de exposição dos trabalhadores

No recebimento e armazenamento da amônia nos tanques


reservatórios
Os principais riscos ocorrem operações
dessa etapa decorrem de dos
de falhas carga e descarga
equipamentos, de amônia
das tubulações e das
mangueiras utilizadas para realizar a carga dos tanques de armazenamento ou de falha nas operações
necessárias. O carregamento pode ocorrer a partir de caminhões-tanque ou a partir de cilindros.

Durante a operação normal do sistema, especialmente, na sala de


máquinas,
falha em válvulas, tubulações, decorrentes do vazamento
desgaste e corrosão de partes da amônia:
e procedimentos de operação
compressores e demais do sistema, por falta de
inadequados.
equipamentos manutenção preventiva

Nos momentos de manutenção do sistema pode ocorrer o vazamento


de amônia a partir da abertura e drenagem de equipamentos, vasos e
tubulações; do bloqueio de equipamentos e de linhas; e de falhas nos
componentes do sistema.
Purga manual do óleo
• O processo de purga de óleo deve ser adequado
tecnicamente, instalando-se um recipiente específico
para drenagem de óleo – o coletor de óleo – com
vapor quente para retirada da amônia, para cada vaso
de pressão onde for necessária a operação.

- Referência manual Ministério do Meio Ambiente


- RECOMENDAÇÕES SOBRE OPERAÇÃO E
MANUTENÇÃO DE SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃOPOR
AMÔNIA
Purga do Ar do Sistema
• Cuidado, se o equipamento estiver dentro da sala
de máquinas
• Purga – a cada período programada
• Pico de descarga de amônia

• Não deve liberar na atmosfera


• Levar para tanque de inertização

- Norma Técnica NBR 16069:2010


Principais efeitos da exposição

A inalação pode causar dificuldades respiratórias,
broncoespasmo, queimadura da mucosa nasal, faringe e laringe,
dor no peito e edema pulmonar. A ingestão causa náusea, vômitos
e inchação nos lábios, boca e laringe.

A amônia produz, em contato com a pele, dor, eritema e
vesiculação. Em altas concentrações, pode haver necrose dos
tecidos e queimaduras profundas.

O contato com os olhos em baixas concentrações (10 ppm)
resulta em irritação ocular e lacrimejamento. Em concentrações
mais altas, pode haver conjuntivite, erosão na córnea e cegueira
temporária ou permanente.

Reações tardias podem acontecer, como fibrose pulmonar,
catarata e atrofia da retina.

A exposição a concentrações acima de 2500 ppm por
aproximadamente 30 minutos pode ser fatal.
Principais efeitos da exposição

Dois efeitos relevantes para a saúde do


trabalhador

H341 – Suspeito de provocar


defeitos genéticos

H373 – Pode provocar danos ao


sistema respiratório por exposição
repetida ou prolongada

Sistema Globalmente Harmonizado de Classificação e Rotulagem de


Produtos Químicos (GHS), da ONU, nos termos da NR-26.
INFORMAÇÕES TOXICOLÓGICAS

• Resultado positivo em teste de micronúcleo


in vivo. Em amostras de sangue de
Suspeito de trabalhadores expostos à substância,
provocar observou-se aumento na incidência de
defeitos aberrações cromossômicas e troca de
genéticos. cromátides-irmãs nas células sanguíneas
analisadas.
• Provoca dano aos pulmões com irritação, edema e
Exposição hemorragia. Em altas concentrações pode causar
única parada respiratória, arritmia cardíaca e morte por
asfixia.
• A exposição repetida e prolongada
Exposição ao produto pode provocar dano
repetida pulmonar permanente, edema
pulmonar e bronquite com tosse,
falta de ar e catarro.

Conforme FISPQ, de 22/06/2015 (disponível em http://www.br.com.br/wps/portal/portalconteudo/home,


seção Utilidades, Fichas de Segurança, Amônia)
Normas aplicáveis

• Não existe uma norma que regulamente


especificamente a utilização da amônia pela indústria no
seu sistema de refrigeração

• O atual quadro normativo exige que sejam mobilizadas


uma série de normas com sua aplicação conjunta
para prevenir acidentes no sistema de refrigeração por
amônia: é caso das Normas Regulamentadoras NR-09,
NR-13, NR-15, NR-36 e NR-12, além de outras,
quando aplicáveis.
Normas aplicáveis


No MTE, duas iniciativas específicas sobre a
matéria:
 a Nota Técnica n° 03/DSST/SIT, de 18/03/2004, REFRIGERAÇÃO
INDUSTRIAL POR AMÔNIA: Riscos, Segurança e Auditoria Fiscal.
 a NR-36 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM EMPRESAS DE
ABATE E PROCESSAMENTO DE CARNES E DERIVADOS, Portaria MTE
n.º 555, de 18/04/2013.

A nota técnica trouxe grande avanço pois permitiu estabelecer
parâmetros e diretrizes mínimos para a fiscalização dos sistemas de
refrigeração por amônia em todo o território nacional.
 Mas carece de força normativa para vincular as empresas de forma
obrigatória

A NR-36 inova em termos de regulamentação, pois se constitui na
primeira norma a estabelecer regras de cumprimento obrigatório
pelas empresas sobre a matéria, de forma específica.
Normas aplicáveis


Quadro comparativo - mostrar

Possibilidades
 aplicação somente da Nota Técnica n° 03/DSST/SIT
 aplicação conjunta
 aplicação da NR-36 por analogia
 Se envolve Nota Técnica n° 03 – através da Notificação do Auditor-
fiscal do Trabalho (AFT).


A exigência das medidas previstas na Nota Técnica n° 03/DSST/SIT pode e
deve ser realizada pelo AFT a partir de dois instrumentos legais: a
notificação ou a interdição da empresa, nos casos de grave e
iminente risco.


Conforme prevê o DECRETO Nº 4.552/2002, Regulamento da Inspeção do
Trabalho, em seu Art. 18.
Origem da nota técnica 003/2004:
Acidente com Amônia utilizada em
Refrigeração Industrial
11/07/2003
NATAL - RN
O proprietário da
empresa Fernando Cenas de guerra no
Falhas na segurança
Burle está internado principal hospital do
são evidentes
no Hospital São RN
Lucas.

Na fuga, os
Nuvem de amônia funcionários, cerca
Desespero na busca
causa ferimentos em de 200, arrombaram
de familiares
funcionários portas e quebraram
janelas.
DADOS DA EMPRESA

170
FUNCIONÁRIOS

CIPA-Não
atuante ( 8 125 MULHERES
membros )

SESMT- Fictício Beneficiamento


( 1 técnico) de camarão
DADOS DA EMPRESA

PCMSO - Manutenção
PPRA - Existente,
Existente, porém Plano de Preventiva de
mas não abrangia
não considerava Emergência - Máquinas e
todos os riscos
a presença de Inexistente Equipamentos-
em questão
riscos químicos Inexistente
Vazamento de AMÔNIA anidra em instalação de
refrigeração
TIPO DO ACIDENTE
Quantidade de AMÔNIA vazada = 40 kg
Quantidade existente na tanque = 500 kg
A ocorrência de um vazamento de AMÔNIA em uma
empresa de beneficiamento de camarão com 170
empregados, em 11.07.2003, analisado pela
Delegacia Regional do Trabalho no Rio Grande do
Norte, desencadeou algumas ações locais e nacionais
do Ministério do Trabalho

Utilizando o conceito de “aprender lições


com os acidentes”, trazemos aqui um breve
relato do ocorrido.
A empresa é constituída de três setores principais:
salão de beneficiamento de camarão, sala de
máquinas, situada no piso superior, acima do
setor anteriormente citado, e administração,
também no piso superior.
O salão de produção possui duas portas. A porta
para o trânsito obrigatório de empregados é
estreita e dotada de lava-pés, comunicando-se
com um pátio coberto, por onde entram os
caminhões.

Deste pátio, há duas saídas para o exterior: o


portão principal, ao lado do qual há uma porta
estreita para entrada dos empregados, e a saída
dos fundos, mantida trancada com cadeado.

A segunda porta do salão de beneficiamento é


utilizada para o carregamento de caminhões com
o produto pronto e é também mantida trancada.
O sistema de refrigeração estava ligado, em
funcionamento rotineiro, quando houve o
rompimento brusco da tampa de um dos
compressores, ocasionando a liberação da AMÔNIA
sob pressão, que se encontrava no sistema de
refrigeração.

Após vazamento de cerca de 40 kg. de AMÔNIA,


ocorreu a intervenção por parte do operador do
sistema, com fechamento da válvula principal.

Houve, portanto, a contenção da AMÔNIA no interior


do cilindro de armazenamento principal.
A AMÔNIA foi liberada sob forma aerossolizada,
comportando-se como um gás denso e descendo da
casa de máquinas para o piso inferior, por meio de
uma ampla abertura existente para ventilação, vindo
a formar uma nuvem que ocupou o pátio de
caminhões, situando-se entre as saídas do salão de
beneficiamento e o portão principal.

O gás invadiu todos os espaços do estabelecimento,


especialmente o salão de produção, atingindo os
trabalhadores, que se encontravam em suas
atividades rotineiras.
Os trabalhadores, em pânico, buscaram
opções de fuga. Os primeiros passaram
pela porta dotada de lava-pés, que
acrescentou ao risco já existente o risco
de acidentes por queda. Ademais, ao saírem,
depararam-se com a nuvem de AMÔNIA, que
impedia sua saída pelo portão principal.
Outros optaram por arrombar a outra
porta do salão, mantida trancada a chave,
deparando-se, da mesma maneira, com a
nuvem de AMÔNIA, que inclusive impedia a
visualização do desnível existente - cerca de 80 cm. -
no local, provocando queda em altura.
As portas abertas permitiram a entrada da
AMÔNIA para dentro do salão, agravando a
situação da maioria dos trabalhadores, que
ainda se encontrava no local.

Diante da situação encontrada, os empregados,


já em desespero, procuraram a saída dos
fundos, encontrando-a igualmente fechada,
desta feita a cadeado.
Os empregados passaram, então, com as próprias
mãos, a quebrar tijolos de vidro para entrada de luz
existentes no alto das paredes dos fundos da
empresa e telhas de amianto, na tentativa de sair
pelo teto. A saída por essas vias anômalas causou
outras lesões corporais em vários empregados, além
das provocadas pela AMÔNIA.

Um dos primeiros trabalhadores que escapou pelo teto,


descendo por um poste de iluminação, pôde retornar
à entrada principal da empresa, para auxiliar na
desobstrução das demais saídas.
Como conseqüência da exposição prolongada à
AMÔNIA, assim como dos demais riscos,
houve dois óbitos e 127 vítimas, 18 delas
afastadas por mais de 15 dias, 67 com
afastamento inferior ou igual a 15 dias e 42
sem afastamento do trabalho.

O acidente foi provocado diretamente pelo


rompimento da tampa do cabeçote do
compressor que apresentava alto grau de
corrosão interna.
NH3 - EFEITOS SOBRE A SAÚDE

PELE – Dor e eritema. Em altas


concentrações causa severas
queimaduras.

A remoção das roupas contaminadas e a


imediata lavagem da parte afetada
reduz o risco de lesão dérmica.
NH3 - EFEITOS SOBRE A SAÚDE

OCULAR - Baixa concentração de AMÔNIA


(10 ppm) já produz irritação ocular e
lacrimejamento, em altas concentrações
pode ocasionar edema conjuntival intenso
e erosão da córnea com perda de visão
unilateral ou bilateral.

O uso de lavagem imediata pode reduzir


lesões oculares.
NH3 - EFEITOS SOBRE A SAÚDE

RESPIRATÓRIAS

Imediatas: Irritação do nariz e da


garganta, tosse, broncoespasmo,
larigoespasmo e edema pulmonar.

Tardios: Hipereatividade brônquica,


Infecção pulmonar e fibrose pulmonar.
NORMA REGULAMENTADORA nº 36 – NR-36

• Medidas de proteção coletiva

• Medidas para situações de emergência


Medidas de prevenção coletivas da NR-36

36.9.3.2 As medidas de prevenção coletivas a serem


adotadas quando da utilização de amônia devem
envolver, no mínimo:
a) manutenção das concentrações ambientais aos
níveis mais baixos possíveis e sempre abaixo do
nível de ação (NR-09), por meio de ventilação
adequada;
Concentrações ambientais aos níveis mais baixos possíveis

Limite de Tolerância:

NR 15, anexo 11: 20 ppm, 14 mg/m3

Nível de Ação: 10 ppm (50% LT – NR 09)


NR 15, anexo 11: Grave e iminente Risco: 30 ppm
(1,5 x LT)


IPVS: 300 ppm (Nota Técnica 003/2004 e OSHA)

imediatamente perigoso à vida e à saúde


Exposição de Curta Duração (STEL 15 min): 35
ppm (ACGIH)
Ventilação adequada:

• sistema de ventilação adequado para cada


ambiente e situação de risco, a ser definido,
conforme prévia análise de risco

• Dentro dos ambientes de trabalho nos pontos


críticos com risco de vazamento:
• ventilação local exaustora,
• em sistema em separado do sistema normal de
ventilação de conforto.
• não deve ser utilizada a ventilação geral diluidora
• Na sala de máquinas o sistema de ventilação deve
atender duas situações:
• o funcionamento em condições normais da sala de
máquinas
ventilação geral diluidora (manter a concentração abaixo
do nível de ação (10 ppm).
• a ocorrência de situações de emergência
ventilação exaustora de emergência (acionada pelo painel
de controle quando detectados níveis de amônia acima de 30
ppm (Grave e Iminente Risco à saúde e à segurança - NR-15,
Anexo 11).
• trabalhadores  sala de máquinas
• Deve ser automaticamente acionado o sistema de
ventilação geral diluidora.
• Se inexistente, o sistema ventilação exaustora de
emergência deve operar continuamente.

• O sistema de ventilação
• implantado a partir de projeto técnico, através de
Profissional Habilitado (PH)
• dimensionado de acordo com as normas técnicas, em
especial a Norma Técnica ABNT NBR 16069:2010 -
Segurança em sistemas frigoríficos.
Norma Técnica ABNT NBR 16069:2010 - exemplo
8.11 Exigências gerais para sala de máquinas de refrigeração

8.11.5 A ventilação mecânica de emergência exigida para dissipar o fluido frigorífico


acumulado proveniente de vazamento ou rompimento do sistema deve ser capaz de
remover o ar da sala de máquinas com vazão não menor que a seguinte quantidade:
 
Q = 70 x G0,5
 onde:
Q é a vazão de ar, expressa em litros por segundo (L/s)
G é a massa total de fluido frigorífico, expressa em quilogramas (kg), existente no
maior sistema (todo o inventário daquele sistema).
 
Em condições normais, o sistema de ventilação da sala de máquinas de
refrigeração deve ainda:
 
a) ser acionado, quando a sala estiver ocupada, de forma a fornecer pelo menos 2,6
L/s.m2 (litros por segundo por metro quadrado) de área da sala de máquinas ou 9,5
L/s por pessoa; e
 
b) ser acionado a uma taxa de recirculação exigida para não exceder aumento de
temperatura de 10 ºC acima da temperatura de entrada de ar ou a máxima
temperatura de 50 ºC.
Medidas de prevenção coletivas da NR-36

b) implantação de mecanismos para a detecção


precoce de vazamentos nos pontos críticos,
acoplados a sistema de alarme;
• sistema de detecção precoce de vazamento de amônia
• detectores interligados a sistema de alarme e,
ambos, devem ser controlados pelo Painel de
Controle do sistema de refrigeração, nos termos do
item “36.9.3.2.1” da NR-36.
• São considerados pontos críticos os pontos de
vazamento previstos na tabela 2 do item “5 Pontos de
vazamentos” da Norma Técnica ABNT NBR 16186:2013.
• Não apenas sala de máquinas, mas também dentro
dos ambientes de trabalho ou que, em caso de
vazamento, possam originar disseminação da amônia
nos ambientes de trabalho.
NBR 16186:2013 - 5 Pontos de vazamentos
NBR 16186:2013 - 5 Pontos de vazamentos
Exemplo acidente
Exemplo acidente


Estação de
válvulas que
se rompeu e
originou o
vazamento
de amônia
Exemplo acidente


Estação de
válvulas
nas
mesmas
condições
da que se
rompeu, em
funcioname
nto
Sistema de detecção precoce de vazamento de amônia

• PRINCÍPIO: o vazamento de amônia deve ser


detectado antes que ocorra risco de intoxicação de
trabalhadores.
• Características dos DETECTORES
• quantidade estabelecida conforme a prévia análise
de risco e possíveis cenários de emergência
• posicionados diretamente nas fontes de vazamento
prováveis ou em locais no ambiente considerando a
rota de disseminação da amônia
• Em altura definida no estudo de formação,
densidade e rota de disseminação de nuvem de
amônia, que deve compor a análise de risco.
Manual do sistema de detecção de amônia
• Características dos DETECTORES
• Resistência às condições ambientais -
suportarlavagem, condensação e temperaturas
negativas.
• Impossibilidade de desativação - o sistema de
detecção de amônia só possa ser desabilitado pelo
pessoal de manutenção.
Calibração dos DETECTORES:

10 ppm – Limite de ação (NR-09)

Ações do
Medidas de Recomenda-
painel de
controle prevenção se
Acionar sinal visual Todas as medidas de
no painel de precaução e prevenção
previstas no PPRA A instalação de
controle e/ou no sensores na altura
sistema de controle. devem ser aplicadas.
Entre elas, o da zona respiratória
Pode ser acionado
isolamento da área dos trabalhadores
alarme na sala de
controle, para
onde ocorre o (entre 1,50 a 1,75
vazamento e m, para atendimento
advertência dos acionamento
operadores do da maioria da
imediato dos população).
sistema de procedimentos de
refrigeração. manutenção.
Calibração dos DETECTORES:

30 ppm – Grave e Iminente Risco


à saúde e à segurança (NR-15)

Ações do painel Medidas de


de controle prevenção
acionar avisos sonoros e Todas as medidas de precaução e
luminosos no local do vazamento prevenção previstas no Plano de
e na sala de controle e acionar o Resposta a Emergências, incluindo a
sistema de ventilação exaustora evacuação imediata do local de
de emergência. vazamento.
Calibração dos DETECTORES:

300 ppm - Atmosfera imediatamente perigosa à vida e à


saúde – IPVS, conforme Nota Técnica n° 03/DSST/SIT

Ações do painel de
Medidas de prevenção
controle
- acionar avisos sonoros e
Todas as medidas de precaução e
luminosos de evacuação da
prevenção previstas no Plano de
planta industrial
Resposta a Emergências, incluindo
- acionar o sistema de ventilação a evacuação imediata da
exaustora de emergência e indústria.
- acionar operações para
contenção do vazamento, tais
como abertura/fechamento de
válvulas solenoides, o * Recomenda-se a instalação de
acionamento/desligamento de sensores de detecção, pelo menos,
máquinas e equipamentos do próximos ao teto e ao piso.
sistema, dentre outras medidas
previstas.
DETECTORES adicionais na sala de máquinas:
 RECOMENDÁVEL
• sensor específico calibrado a 28.000 ppm
• Painel de Controle acione o desligamento total da
alimentação elétrica da sala de máquinas
• atinja 3/4 de 25% do LII (Limite inferior de inflamabilidade)
da amônia (37.500 ppm), nos termos da Norma Técnica EN
378:2008.

• Aplicar no local dos reservatórios de amônia, de


acordo com a análise de risco e cenários de
emergência.
Medidas de prevenção coletivas da NR-36

36.9.3.2
c) instalação de painel de controle do sistema de
refrigeração;

• integrar as medidas previstas nos itens “a” e “b”


anteriores.
• centralizar em um único ponto todas as informações
de acompanhamento e de controle do sistema.
• pode ser via sistema (software), desde que atenda as
funcionalidades previstas na NR-36.
• registrar as medições dos sensores e realizar a
integração com as demais funções, especialmente
“36.9.3.2.1” da NR-36
36.9.3.2.1 Em caso de vazamento de amônia, o
painel de controle do sistema de refrigeração
deve:
a) acionar automaticamente o sistema de alarme;
b) acionar o sistema de controle e eliminação da
amônia.
Controle → Interrupção de envio da amônia e/ou recolhimento da amônia
na tubulação
Eliminação → Ventilação exaustora de emergência

 independente de ação humana.


• ações programadas de acordo com análise de risco e
os possíveis cenários de emergência (36.9.3.2, “b”)
d) instalação de chuveiros de segurança e lava-
olhos;
e) manutenção de saídas de emergência
desobstruídas e adequadamente sinalizadas;
• Sala de máquinas - no mínimo duas saídas amplas
dispostas em direções distintas (item 13.5.2.2, “a” da
NR-13).
• As portas da sala de máquinas (itens 8.11.2, 8.12,
“b” e “d” e 8.11.7 da NBR 16069:2010):
• Abertura para o ar exterior;
• Ausência de aberturas para o interior do edifício – em
casos de vazamento
• Caso a porta se comunique com o edifício, acesso
direto a um vestíbulo equipado com fechamento
automático e estanque e portas aprovadas do tipo
corta-fogo.
f) manutenção de sistemas apropriados de
prevenção e combate a incêndios, em perfeito
estado de funcionamento;
• NR-23 - legislação estadual e as normas técnicas
aplicáveis.
• Questão fundamental
• a amônia é inflamável em condições específicas
(faixa de inflamabilidade situa-se entre 15% a 28%)
• mistura com outros gases e substâncias pode reduzir
os limites de inflamabilidade considerados
• decomposição a 780°C gera outros produtos tóxicos,
além do hidrogênio, gás altamente inflamável.
• Meios de extinção de incêndio com amônia:
Apropriados:
Compatível com pó químico seco ou dióxido de carbono
(CO ) 2 .

Não recomendados:
Jatos d’água de forma direta, pois podem ocasionar
congelamento.

Conforme FISPQ, de 22/06/2015 (disponível em


http://www.br.com.br/wps/portal/portalconteudo/home, seção Utilidades,
Fichas de Segurança, Amônia)
g) instalação de chuveiros ou sprinklers acima dos
grandes vasos de amônia, para mantê-los
resfriados em caso de fogo, de acordo com a
análise de risco;
• NÃO DEVEM SER USADOS - No caso de vazamento de
amônia líquida
• a reação da amônia com água libera calor
• poderá levar à explosão ou ao incêndio
• especialmente na presença de outros gases ou substâncias.
• UTILIZAÇÃO RESTRITA somente a casos de incêndio
provenientes de outra área da indústria
• manter os tanques reservatórios resfriados
evitar a elevação de temperatura e sua absorção pelo fogo
situação que poderia levar a uma explosão.
• ACIONAMENTO MANUAL
• vinculado às situações descritas na análise de risco
h) manutenção das instalações elétricas à prova de
explosão, próximas aos tanques;
• PREVENÇÃO/PRECAUÇÃO
• local de maior concentração de quantidade de
amônia
• evitar a geração da faísca elétrica, caso ocorra um
grande vazamento - vídeo
• SALA DE MÁQUINAS
• Para que não seja classificada como área explosiva
(conforme Zona 2, Grupo IIA da Norma Técnica
ABNT NBR IEC 60079-10):
• projeto de ventilação adequado implantado e
• sistema de detecção precoce de vazamento
• nos termos expostos nas letras “a” e “b” do item 36.9.3.2
i) sinalização e identificação dos componentes,
inclusive as tubulações;
• NR-26 sobre sinalização de segurança, além das normas
técnicas oficiais aplicáveis.
• NR-13 para vasos de pressão e tubulações,.
• seção “13.6. Tubulações”
• regulamentou a inspeção periódica das tubulações e
previu importantes medidas de segurança para sua
operação.
j) permanência apenas das pessoas autorizadas
para realizar atividades de inspeção, manutenção
ou operação de equipamentos na sala de
máquinas.
• vasos de pressão de categorias I ou II
• Operadores - Treinamento de Segurança na
Operação de Unidades de Processo – NR-13.
• controle de acesso à sala de maquinas, via supervisão
ou SESMT, se existente.
• Estabelecer procedimentos
• Autorização para trabalhos não rotineiros - vídeo
36.9.3.3 O empregador deve elaborar Plano de Resposta
a Emergências que contemple ações específicas a
serem adotadas na ocorrência de vazamentos de
amônia.
• cenários montados a partir da análise de riscos
• emergência - toda situação crítica que represente
perigo à vida, ao meio ambiente e ao patrimônio e
que requer ações imediatas
• articulação com as demais normas regulamentadoras
e normas técnicas aplicáveis
36.9.3.3.1 O Plano de Resposta a Emergências deve conter,
no mínimo:
a) nome e função do responsável técnico pela
elaboração e revisão do plano;
b) nome e função do responsável pelo gerenciamento e
execução do plano;
c) designação dos integrantes da equipe de emergência,
responsáveis pela execução de cada ação;

 responsabilidades atribuídas nominalmente


d) estabelecimento dos possíveis cenários de
emergências, com base na análise de riscos;
• Deve incluir o tipo de vazamento, origem da fonte provável,
propagação e amplitude.
• estudo a respeito da formação, densidade e rotas de
disseminação possíveis da nuvem tóxica
e) descrição das medidas necessárias para resposta a
cada cenário contemplado;
• medidas para responder a cada situação analisada, antes,
durante e depois de sua ocorrência
• Objetivo
• elaborar/revisar o Plano de Resposta a Emergências
• implantar/adequar o sistema de detecção precoce de
vazamento de amônia e
• as demais medidas de proteção coletivas.
f) descrição dos procedimentos de resposta à
emergência, incluindo medidas de evacuação das
áreas, remoção das fontes de ignição, quando
necessário, formas de redução da concentração
de amônia e procedimentos de contenção de
vazamento;
g) descrição das medidas de proteção coletiva e
individual;
h) indicação dos EPI adequados ao risco;
“remoção das fontes de ignição, quando necessário”

• instalação de dispositivo de parada de emergência


contra grandes acidentes (NBR 16069:2010, item 8.12,
“i”)
• “controle remoto dos equipamentos mecânicos na
sala de máquinas, localizado no lado de fora e junto
à porta de saída da sala de máquinas, com a única
finalidade de desligar todos os equipamentos de uma
só vez, em caso de emergência”.
• o sistema de ventilação deve estar ligado a um
“circuito elétrico separado e a chave de controle deve
estar do lado de fora, junto á porta de saída da sala
de máquinas”.
• Funções atendidas ou integradas ao Painel de
Controle nos termos da NR-36
i) registro dos exercícios simulados realizados com
periodicidade mínima anual envolvendo todos os
empregados da área.
• Em situações críticas, agir corretamente e agir
rapidamente pode reduzir enormemente o dano
• todos os cenários previstos no PRE
• para determinado cenário pode ser realizado apenas
com setores e pessoal específicos (operadores e
manutenção, por exemplo)
• A simulação deve incluir
• evacuação da indústria
• uso de rotas de fuga
• pontos de encontro e
• demais procedimentos previstos no PRE.
36.9.3.4 Sempre que ocorrer acidente que implique
vazamento de amônia nos ambientes de trabalho, deve
ser efetuada a medição da concentração do produto
no ambiente para que seja autorizado o retorno
dos trabalhadores às suas atividades.
• 36.9.3.4.1 Deve ser realizada avaliação das causas
e consequências do acidente, com registro das
ocorrências, postos e locais afetados,
identificação dos trabalhadores expostos,
resultados das avaliações clínicas e medidas de
prevenção a serem adotadas.
• Objetivo: aprendizado e prevenção - vídeo
• Não visa procurar culpados
• Relatório com detalhes do acidente
• análise do acidente
• coordenada pela CIPA
• com a colaboração do SESMT
• e a participação dos níveis gerenciais e dos
trabalhadores
Resumidamente

A PREVENÇÃO DE ACIDENTES com amônia requer o


bom funcionamento de 3 sistemas:

• Sistema de refrigeração
• Adequadamente projetado
• Manutenção preventiva e preditiva de máquinas,
equipamentos e tubulações

• Sistema de SST (proteção coletiva)


• Conforme previsto na NR-36

• Sistemas de emergência
• NR-36 e NR-23, legislação local (estadual e municipal)
• Recomendações:
• priorizar a informação e qualificação dos
trabalhadores
• Envolvimento dos trabalhadores, SESMT, CIPA, níveis
gerenciais e de representante do sindicato (item
36.11.2 da NR-36).
• a análise aprofundada dos acidentes do sistema de
refrigeração por amônia, mesmo pequenos
vazamentos e quase acidentes (incidentes), com a
implementação de suas recomendações.
• Empresas: cronograma de investimentos para
garantir
• Programa de Manutenção
• Atualização tecnológica
• Trabalhadores
• Exercer o direito de recusa
• Art. 19 da Convenção 155 da OIT
f) o trabalhador informará imediatamente o seu
superior hierárquico direto sobre qualquer
situação de trabalho que, a seu ver e por
motivos razoáveis, envolva um perigo
iminente e grave para sua vida ou sua
saúde. Enquanto o empregador não tiver
tomado medidas corretivas, se forem
necessárias, não poderá exigir dos
trabalhadores a sua volta a uma situação
de trabalho onde exista, em caráter
contínuo, um perigo grave ou iminente
para sua vida ou sua saúde.
• NR-09, item 9.6.3
• Sindicato dos trabalhadores
• Papel fundamental na prevenção em SST
• Dialogar com empresa
• Denúncia ao MTE e MPT
Muito obrigado!

Contatos:

Mauro Müller
Auditor-Fiscal do Trabalho
Mauro.muller@mte.gov.br
Mauro.mmuller@gmail.com
54-9924-2565

- Referências bibliográficas em arquivo específico.

Related Interests