You are on page 1of 208

aA

a e Químic
Físic
11.º a no
ica
Quím

Cristina
Celina
Carlos Silva
Cunha
Miguel
Vieira

Dossiê
do Professor

A cópia ilegal viola os direitos dos autores.


Os prejudicados somos todos nós.
Oo
EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 1 3/30/16 3:09 PM
Ao professor
O projeto Eu e a Química 11 privilegia uma metodologia de ensino centrada nos alunos e na liber‑

EQ11DP © Porto Editora


dade pedagógica do professor.
O conjunto Manual + Caderno de Laboratório constitui, essencialmente, o ponto de partida para a
abordagem dos conteúdos, podendo usar­‑se e/ou adaptar­‑se os recursos pedagógicos que aí se
propõem e, ainda, complementá­‑los com os incluídos nos restantes componentes do projeto:
Caderno de Atividades, À Prova de Exame, Caderno de Laboratório – Guia do Professor, Dossiê do
Professor e e­‑Manual Premium.
Este Dossiê do Professor pretende ser mais um complemento de suporte ao trabalho do docente.
Todos os materiais e recursos didáticos que o compõem vão ao encontro das reais necessidades
dos professores e são disponibilizados em formato editável (no e­‑Manual Premium), permitindo a
personalização dos mesmos por cada docente.

Este dossiê está organizado em três secções:

1. Planificações:
– Articulação curricular vertical (documento que faz a articulação dos pré­‑requisitos essen‑
ciais abordados no 3.° Ciclo do Ensino Básico com os assuntos a lecionar nos 22 módulos de
Química de 11.° ano)
– Planificação a longo prazo (toda a componente de Química – 35 semanas)
– Planificações por domínio (2 documentos)
– Planificações por módulo (22 documentos)

2. Testes:
– Teste Diagnóstico (avaliação dos pré­‑requisitos essenciais à exploração dos conteúdos de
Química de 11.° ano)
– Testes de Avaliação (5 testes por subdomínio, 2 testes globais por domínio e 1 teste global
de Química de 11.° ano)
– Todos os testes são acompanhados das respetivas matrizes, cotações, critérios de correção
e grelhas de classificação

3. Anexos:
– Grelhas de observação de aula, de observação da atividade laboratorial, de registo de
trabalhos de casa, de avaliação de trabalhos escritos, ficha de autoavaliação do aluno
– Atividade Laboratorial do tipo investigativo
– Unidades SI – Decreto-Lei n.° 128/2010 de 3 de dezembro

Assim, os autores deste projeto desejam que a diversidade de materiais apresentados neste
Dossiê de Professor, em articulação com os existentes nos restantes componentes, permita ao
professor promover uma ação pedagógica marcada pela diversidade, abertura e flexibilidade ne‑
cessárias ao acompanhamento das aprendizagens efetivas dos seus alunos, em diferentes con‑
textos escolares e com diferentes perfis.

Bom trabalho e muitos sucessos!


Os autores

ISBN 978-972-0-84472-9

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 2 3/30/16 3:09 PM


Índice

Articulação curricular vertical 6


Planificações Planificação a longo prazo 9
Planificações por domínio 10
Planificações por módulo 17

Teste Diagnóstico 54
Testes
Domínio 1 Equilíbrio químico
Teste de Avaliação 1 65
Teste de Avaliação 2 82
Teste de Avaliação Global 1 98

Domínio 2 Reações em sistemas aquosos


Teste de Avaliação 3 116
Teste de Avaliação 4 129
Teste de Avaliação 5 141
Teste de Avaliação Global 2 155

Teste de Avaliação Global D1.D2 169

Grelha de observação de aula 188


Anexos Grelha de observação da atividade laboratorial 189
Grelha de registo de trabalhos de casa 190
Grelha de avaliação de trabalhos escritos 191
Ficha de autoavaliação do aluno 192
Atividade Laboratorial do tipo investigativo 194
Unidades SI – Decreto-Lei n.° 128/2010 de 3 de dezembro 202

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 3 3/30/16 3:09 PM


EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 4 3/30/16 3:09 PM
Planificações

Articulação curricular
vertical

Planificação a longo
prazo

Planificações por
domínio

Planificações por
módulo

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 5 3/30/16 3:09 PM


Articulação curricular vertical – Pré-requisitos de FQ do Ensino Básico
Domínio 1  Equilíbrio químico

EQ11DP © Porto Editora


Programa e Metas Curriculares Metas Curriculares
de Química de 11.° ano do 3.° Ciclo do Ensino Básico

Módulos Ano Domínio Subdomínio Metas Curriculares

M1 1.1. Reações 7.° Materiais Transformações ■■


Identificar o ponto de fusão, o ponto de ebulição e a
químicas: equações físicas e massa volúmica como propriedades físicas
químicas e relações químicas características de uma substância, constituindo
estequiométricas critérios para avaliar a pureza de um material.
■■
Justificar, a partir de informação selecionada, a
M2 1.2. Reagente relevância da química analítica em áreas relacionadas
limitante, reagente em com a nossa qualidade de vida, como segurança
excesso e grau de alimentar, qualidade ambiental e diagnóstico de doenças.
pureza de uma
amostra 8.° Reações Explicação e ■■
Descrever a composição qualitativa e quantitativa de
químicas representação moléculas a partir de uma fórmula química e associar
M3 1.3. Rendimento de de reações essa fórmula à representação da substância e da
uma reação química químicas respetiva unidade estrutural.
■■
Classificar as substâncias em elementares ou
M4 1.4. Economia compostas a partir dos elementos constituintes, das
atómica e química fórmulas químicas e, quando possível, do nome das
verde substâncias.
■■
Concluir, a partir de representações de modelos de
átomos e moléculas, que nas reações químicas há
Subdomínio 1  Aspetos quantitativos das reações químicas

rearranjos dos átomos dos reagentes que conduzem à


formação de novas substâncias, conservando­‑se o
número total de átomos de cada elemento.
■■
Indicar o contributo de Lavoisier para o estudo das
reações químicas.
■■
Verificar, através de uma atividade laboratorial, o que
acontece à massa total das substâncias envolvidas
numa reação química em sistema fechado.
■■
Concluir que, numa reação química, a massa dos
reagentes diminui e a massa dos produtos aumenta,
conservando­‑se a massa total, associando este
comportamento à lei da conservação da massa (Lei de
Lavoisier).
■■
Representar reações químicas através de equações
químicas, aplicando a lei da conservação da massa.

9.° Classificação Ligação ■■


Indicar que os átomos estabelecem ligações químicas
dos materiais química entre si formando moléculas (com dois ou mais
átomos) ou redes de átomos.
■■
Associar a ligação covalente à partilha de pares de
eletrões entre átomos e distinguir ligações covalentes
simples, duplas e triplas.
■■
Representar as ligações covalentes entre átomos de
elementos químicos não metálicos usando a notação
de Lewis e a regra do octeto.

AL1.1Síntese do ácido 7.° Materiais Separação das ■■


Identificar técnicas de separação aplicáveis a
acetilsalicílico substâncias de misturas heterogéneas: decantação; filtração;
uma mistura peneiração; centrifugação; separação magnética.
■■
Identificar técnicas de separação aplicáveis a misturas
homogéneas: destilação simples; cristalização.
■■
Identificar aplicações de técnicas de separação dos
componentes de uma mistura no tratamento de
resíduos, na indústria e em casa.
■■
Descrever técnicas laboratoriais básicas de
separação, indicando o material necessário:
decantação sólido­‑líquido; decantação líquido­‑líquido;
filtração por gravidade; centrifugação; separação
magnética; cristalização; destilação simples.

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 6 3/30/16 3:09 PM


Articulação curricular vertical – Pré-requisitos de FQ do Ensino Básico

Programa e Metas Curriculares Metas Curriculares


de Química de 11.° ano do 3.° Ciclo do Ensino Básico

Planificações
Módulos Ano Domínio Subdomínio Metas Curriculares

■■
Selecionar o(s) processo(s) de separação mais
adequado(s) para separar os componentes de uma
mistura, tendo em conta a sua constituição e algumas
propriedades físicas dos seus componentes.
■■
Separar os componentes de uma mistura usando as
técnicas laboratoriais básicas de separação, na
sequência correta.

M5 2.1. Reações 7.° Materiais Substâncias e ■■


Associar o termo solução à mistura homogénea
incompletas e misturas (sólida, líquida ou gasosa) de duas ou mais
equilíbrio químico substâncias, em que uma se designa por solvente e
a(s) outra(s) por soluto(s).
M6 2.2. Extensão das ■■
Identificar o solvente e o(s) soluto(s) em soluções
reações químicas aquosas e alcoólicas, a partir de rótulos de
embalagens de produtos (soluções) comerciais.
M7 2.3. Fatores que ■■
Distinguir composições qualitativa e quantitativa de
afetam o equilíbrio uma solução.
químico ■■
Associar a composição quantitativa de uma solução à
proporção dos seus componentes.
■■
Associar uma solução mais concentrada àquela em
Subdomínio 2  Equilíbrio químico e extensão das reações químicas

que a proporção soluto­‑solvente é maior e uma


solução mais diluída àquela em que essa proporção
é menor.
■■
Concluir que adicionar mais solvente a uma solução
significa diluí­‑la.
■■
Definir a concentração, em massa, e usá­‑la para
determinar a composição quantitativa de uma
solução.
■■
Identificar material e equipamento de laboratório
mais comum, regras gerais de segurança e
interpretar sinalização de segurança em
laboratórios.

8.° Reações Velocidade de ■■


Associar a velocidade de uma reação química à
químicas uma reação rapidez com que um reagente é consumido ou um
química produto é formado.
■■
Identificar os fatores que influenciam a velocidade
das reações químicas e dar exemplos do dia a dia ou
laboratoriais em que esses fatores são relevantes.
■■
Identificar a influência que a luz pode ter na
velocidade de certas reações químicas, justificando o
uso de recipientes escuros ou opacos na proteção de
alimentos, medicamentos e reagentes.
■■
Concluir, através de uma atividade experimental,
quais são os efeitos, na velocidade de reações
químicas, da concentração dos reagentes, da
temperatura, do estado de divisão do(s) reagente(s)
sólido(s) e da presença de um catalisador
apropriado.
■■
Associar os antioxidantes e os conservantes a
inibidores utilizados na conservação de alimentos.
■■
Indicar que os catalisadores e os inibidores não são
EQ11DP © Porto Editora

consumidos nas reações químicas, mas podem


perder a sua atividade.
■■
Interpretar a variação da velocidade das reações com
base no controlo dos fatores que a alteram.

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 7 3/30/16 3:09 PM


Articulação curricular vertical – Pré-requisitos de FQ do Ensino Básico
Domínio 2  Reações em sistemas aquosos

EQ11DP © Porto Editora


Programa e Metas Curriculares Metas Curriculares
de Química de 11.° ano do 3.° Ciclo do Ensino Básico

Módulos Ano Domínio Subdomínio Metas Curriculares

M8 1.1. Ácidos e bases 8.° Reações Tipos de ■■


Dar exemplos de soluções aquosas ácidas, básicas e
químicas reações neutras existentes no laboratório e em casa.
M9 1.2. Acidez e químicas ■■
Classificar soluções aquosas em ácidas, básicas
basicidade de soluções (alcalinas) ou neutras, com base no comportamento
de indicadores colorimétricos (ácido­‑base).
M10 1.3. Autoionização
Distinguir soluções ácidas de soluções básicas
Subdomínio 1  Reações ácido­‑base

■■

da água usando a escala de Sorensen.


■■
Determinar o carácter ácido, básico ou neutro de
M111.4. Ácidos e bases
soluções aquosas com indicadores colorimétricos e
em soluções aquosas
medir o respetivo pH com indicador universal e
M12 1.5. Constantes medidor de pH.
de acidez e de basicidade ■■
Ordenar soluções aquosas por ordem crescente ou
e força relativa decrescente de acidez ou de alcalinidade, dado o valor
de ácidos e de bases de pH de cada solução.
■■
Prever se há aumento ou diminuição de pH quando se
M13 1.6. Titulação adiciona uma solução ácida a uma solução básica ou
ácido­‑base vice­‑versa.
■■
Identificar ácidos e bases comuns: HCL, H2SO4, HNO3,
M14 1.7. Acidez e H3PO4, NaOH, KOH, Ca(OH)2, Mg(OH)2.
basicidade em ■■
Classificar as reações que ocorrem, em solução
soluções aquosas de
aquosa, entre um ácido e uma base como reações
sais
ácido­‑base e indicar os produtos dessa reação.
M15 1.8. Aspetos
■■
Representar reações ácido­‑base por equações
ambientais das reações químicas.
ácido­‑base

M16 2.1. Caracterização 8.° Reações Tipos de ■■


Identificar, em reações de combustão no dia a dia e
das reações de químicas reações em laboratório, os reagentes e os produtos da reação,
Reações de oxidação­‑redução

oxidação­‑redução químicas distinguindo combustível e comburente.


■■
Representar reações de combustão, realizadas em
2.2. Força relativa
Subdomínio 2

M17 atividades laboratoriais, por equações químicas.


de oxidantes e ■■
Associar as reações de combustão, a corrosão de
redutores metais e a respiração a um tipo de reações químicas
que se designam por reações de oxidação­‑redução.
■■
Identificar, a partir de informação selecionada,
reações de combustão relacionadas com a emissão de
poluentes para a atmosfera (óxidos de enxofre e
nitrogénio) e referir consequências dessas emissões e
medidas para minimizar os seus efeitos.

M18 3.1. Mineralização 8.° Reações Tipos de ■■


Concluir que certos sais são muito solúveis ao passo
das águas e processo químicas reações que outros são pouco solúveis em água.
de dissolução químicas Classificar como reações de precipitação as reações
Soluções e equilíbrio de solubilidade

■■

em que ocorre a formação de sais pouco solúveis em


M19 3.2. Solubilidade de água (precipitados).
sais em água ■■
Identificar reações de precipitação no laboratório e no
ambiente (formação de estalactites e de
Subdomínio 3

M20 3.3. Equilíbrio


estalagmites).
químico de solubilidade ■■
Representar reações de precipitação, realizadas em
de sais atividades laboratoriais, por equações químicas.
M21 3.4. Alteração da
■■
Associar águas duras a soluções aquosas com elevada
solubilidade de sais concentração em sais de cálcio e de magnésio.
■■
Relacionar, a partir de informação selecionada,
M22 3.5. propriedades da água com a sua dureza, referindo
Desmineralização de consequências do seu uso industrial e doméstico e
águas e processo de identificando processos usados no tratamento de
precipitação águas duras.

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 8 3/30/16 3:09 PM


Planificação a longo prazo
Gestão global de tempos letivos
O Programa de Física e Química A 11.° ano, em vigor a partir do ano letivo 2016-2017, está elaborado atendendo

Planificações
a uma carga letiva mínima semanal de 315 minutos (7 unidades de 45 minutos) e máxima de 350 minutos (7 unida‑
des de 50 minutos). O mesmo documento apresenta uma gestão do tempo letivo organizado em três aulas sema‑
nais (2 * 90 minutos + 1 * 135 minutos por semana ou 2 * 100 minutos + 1 * 150 minutos por semana). Assim, neste
documento o número de aulas refere-se a aulas de 90 (ou 100) minutos e 135 (ou 150) minutos.

O ano letivo apresenta em média 35 semanas, das quais 17,5 semanas serão dedicadas à lecionação de conteú‑
dos programáticos e atividades prático-laboratoriais (53 aulas).

Aulas previstas N.° de aulas

Aula para apresentação 1

Aulas para avaliação diagnóstica, correção e discussão 2

Aulas para avaliação formativa, correção e discussão 3

Aulas para avaliação sumativa, correção e discussão 6

Aulas para autoavaliação 1

Aulas para revisão de conteúdos de 10.° ano 1

 ulas para lecionação de conteúdos programáticos e atividades prático-laboratoriais (resolução e


A
39
correção de exercícios e problemas e exploração das atividades laboratoriais)

TOTAL 53

Distribuição do número de aulas por domínio e subdomínio

Domínio Subdomínio N.° de aulas

SD1 Aspetos quantitativos das reações químicas 7


D1 Equilíbrio químico
SD2 Equilíbrio químico e extensão das reações químicas 8

SD1 Reações ácido-base 10

D2 Reações em sistemas aquosos SD2 Reações de oxidação-redução 5


EQ11DP © Porto Editora

SD3 Soluções e equilíbrio de solubilidade 9

TOTAL 39

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 9 3/30/16 3:09 PM


Planificações por domínio
Domínio 1  Equilíbrio químico

EQ11DP © Porto Editora


N.° de
Objetivo geral Conteúdos Módulo Metas Curriculares
aulas

Compreender as ■■
Reações químicas M1 1.1. Reações ■■
Interpretar o significado das equações
relações quantitativas – equações químicas químicas: químicas em termos de quantidade de
nas reações químicas e – relações equações matéria e relacionar o respetivo acerto
aplicá­‑las na estequiométricas químicas e com a conservação da massa (Lei de 2
determinação da relações Lavoisier).
eficiência dessas ■■
Reagente limitante e estequiométricas ■■
Efetuar cálculos estequiométricos com
reações. em excesso base em equações químicas.
Subdomínio 1  Aspetos quantitativos das reações químicas

■■
Grau de pureza de Identificar reagente limitante e reagente
M2 1.2. Reagente ■■

uma amostra em excesso numa reação química.


limitante,
■■
Rendimento de uma reagente em ■■
Interpretar o grau de pureza de uma
reação química excesso e grau de amostra.
1
pureza de uma ■■
Indicar que os reagentes podem
■■
Economia atómica e amostra apresentar diferentes graus de pureza e
química verde que devem ser escolhidos consoante as
finalidades de uso e custo.
AL1.1 Síntese do ácido
acetilsalicílico M3 1.3. ■■
Distinguir reações completas de
Rendimento de incompletas.
uma reação ■■
Efetuar cálculos estequiométricos
3
química envolvendo reagente limitante/em
excesso, rendimento da reação e grau
de pureza dos reagentes.

M4 1.4. Economia ■■
Associar “economia atómica percentual”
atómica e química à razão entre a massa de átomos de
verde reagentes que são incorporados no
produto desejado e a massa total de
átomos nos reagentes, expressa em
percentagem.
1
■■
Comparar reações químicas do ponto de
vista da química verde tendo em conta
vários fatores, como: economia atómica,
redução dos resíduos, produtos
indesejados, escolha de reagentes e
processos menos poluentes.

Reconhecer a ■■
Reações incompletas M5 2.1. Reações ■■
Interpretar a ocorrência de reações
ocorrência de reações e equilíbrio químico incompletas e químicas incompletas numa base
químicas incompletas e - reações inversas e equilíbrio químico molecular: ocorrência simultânea das
de equilíbrio químico e equilíbrio químico reações direta e inversa.
- equilíbrio químico
Subdomínio 2  Equilíbrio químico e extensão

usar o Princípio de ■■
Associar estado de equilíbrio químico a
Le Châtelier para qualquer estado de um sistema fechado
prever a evolução de ■■
Extensão das reações em que, macroscopicamente, não se
sistemas químicos. químicas registam variações de propriedades
- constante de
das reações químicas

físicas e químicas.
equilíbrio usando ■■
Interpretar gráficos que traduzem a
concentrações variação da concentração (ou da
- quociente da reação quantidade de matéria) em função do 2,5
tempo, para cada um dos componentes
■■
Fatores que alteram o
da mistura reacional, e da evolução
equilíbrio químico
- Princípio de
temporal da velocidade das reações
direta e inversa.
Le Châtelier
- equilíbrio químico e
■■
Associar equilíbrio químico homogéneo
ao estado de equilíbrio que se verifica
otimização de
numa mistura reacional numa só fase.
reações químicas ■■
Identificar equilíbrios homogéneos em
Efeito da
AL1.2 diferentes contextos, por exemplo, a
concentração no reação de síntese do amoníaco.
equilíbrio químico

10

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 10 3/30/16 3:09 PM


Planificações por domínio

N.° de
Objetivo geral Conteúdos Módulo Metas Curriculares
aulas

Planificações
M6 2.2. Extensão ■■
Escrever expressões matemáticas que
das reações traduzam a constante de equilíbrio,
químicas usando concentrações.
■■
Concluir, a partir de valores de
concentrações, que o valor da constante
de equilíbrio é o mesmo para todos os
estados de equilíbrio de um sistema
químico, à mesma temperatura.
■■
Relacionar a extensão de uma reação, a
uma certa temperatura, com o valor da
constante de equilíbrio dessa reação, a
essa temperatura.
■■
Concluir, a partir de valores de
concentrações em equilíbrio, que o valor
da constante de equilíbrio, para uma
reação química, depende da
temperatura.
Relacionar o valor da constante de 3,5
Subdomínio 2  Equilíbrio químico e extensão das reações químicas

■■

equilíbrio da reação direta com o da


constante de equilíbrio da reação
inversa.
■■
Distinguir entre constante de equilíbrio
e quociente da reação em situações de
não equilíbrio.
■■
Prever o sentido dominante da reação
com base na comparação do valor do
quociente da reação, num determinado
instante, com o valor da constante de
equilíbrio da reação química
considerada à temperatura a que
decorre a reação.
■■
Aplicar expressões da constante de
equilíbrio e do quociente da reação na
resolução de questões envolvendo
cálculos.

M7 2.3. Fatores ■■
Indicar os fatores que podem alterar o
que alteram o estado de equilíbrio de uma mistura
equilíbrio químico reacional (pressão, em sistemas
gasosos, temperatura e concentração).
■■
Interpretar o efeito da variação da
concentração de um reagente ou
produto num sistema inicialmente em
equilíbrio, por comparação do quociente
da reação com a constante de equilíbrio,
a temperatura constante.
■■
Identificar o Princípio de Le Châtelier
como uma regra que permite prever a 2
evolução de um sistema químico quando
ocorre variação de um dos fatores que
pode afetar o estado de equilíbrio –
concentração, pressão, volume ou
temperatura.
■■
Aplicar o Princípio de Le Châtelier à
síntese do amoníaco e a outros
EQ11DP © Porto Editora

processos industriais e justificar


aspetos de compromisso relacionados
com temperatura, pressão e uso de
catalisadores.

11

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 11 3/30/16 3:09 PM


Planificações por domínio
Domínio 2  Reações em sistemas aquosos

EQ11DP © Porto Editora


N.° de
Objetivo geral Conteúdos Módulo Metas Curriculares
aulas

Aplicar a teoria ■■
Ácidos e bases M8 1.1. Ácidos e ■■
Identificar marcos históricos
protónica (de Bronsted - evolução histórica bases importantes na interpretação de
e Lowry) para - ácidos e bases fenómenos ácido­‑base, culminando na
reconhecer segundo Brönsted e definição de ácido e base de acordo com 0,5
substâncias que podem Lowry Brönsted e Lowry.
atuar como ácidos ou ■■
Interpretar reações ácido­‑base como
bases e determinar o ■■
Acidez e basicidade de reações de transferência de protões.
pH das suas soluções soluções
aquosas. - escala de Sorensen M9 1.2. Acidez e ■■
Relacionar quantitativamente a
- pH e concentração basicidade de concentração hidrogeniónica de uma 0,5
hidrogeniónica soluções solução e o seu valor de pH.

■■
Autoionização da água M10 1.3. ■■
Caracterizar a autoionização da água
- produto iónico da Autoionização da fazendo referência às espécies químicas
água água envolvidas nesta reação e a sua
- relação entre as extensão.
concentrações de ■■
Relacionar a extensão da reação da
H3O+ e de OH- autoionização da água com o produto
- efeito da iónico da água, identificando­‑o com a
temperatura na constante de equilíbrio para essa
autoionização da reação.
água ■■
Relacionar as concentrações do ião H3O+ 2
e do ião OH− resultantes da
Ácidos e bases em
Subdomínio 1  Reações ácido­‑base

autonomização da água.
■■

soluções aquosas Prever, com base no Princípio de


- ionização de ácidos
■■

Le Châtelier, o efeito da variação da


e de bases em água temperatura na autoionização da água.
- pares conjugados ■■
Relacionar as concentrações dos iões
ácido­‑base H3O+ e OH−, bem como os valores de pH
- espécies químicas e pOH, para soluções ácidas, básicas e
anfotéricas neutras.
■■
Constantes de acidez Explicitar os significados de ionização
M11 1.4. Ácidos e ■■

e de basicidade (de ácidos e algumas bases) e de


bases em
soluções aquosas dissociação de sais (incluindo
■■
Força relativa de
hidróxidos), diferenciando ionização de
ácidos e de bases
dissociação.
■■
Titulação ácido­‑base ■■
Explicar o que é um par conjugado
- neutralização ácido­‑base, dando exemplos de pares
- ponto de conjugados ácido­‑base.
equivalência ■■
Interpretar o significado de espécie
- indicadores ácido­ química anfotérica.
‑base
■■
Acidez e basicidade
em soluções aquosas 1
de sais
■■
Aspetos ambientais
das reações ácido­
‑base:
- acidez da água da
chuva
- poluentes
atmosféricos e
chuva ácida
- redução da emissão
de poluentes
atmosféricos

12

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 12 3/30/16 3:09 PM


Planificações por domínio

N.° de
Objetivo geral Conteúdos Módulo Metas Curriculares
aulas

Planificações
AL2.1 Constante de M12 1.5. ■■
Escrever equações químicas que
acidez Constantes de representam reações de ionização de
acidez e de um ácido, ou de uma base, e as
AL2.2 Titulação ácido­
basicidade e força respetivas expressões das constantes
‑base relativa de ácidos de acidez ou de basicidade.
e de bases ■■
Relacionar os valores das constantes de
acidez de diferentes ácidos (ou as
constantes de basicidade de diferentes
bases) com a extensão das respetivas
ionizações.
■■
Explicar por que razão as soluções de
ácidos fracos têm valores de pH mais
elevados do que os das soluções de
ácidos fortes de igual concentração. 2
■■
Determinar o pH de soluções de ácidos
(ou bases) fortes a partir da respetiva
concentração e vice­‑versa.
■■
Determinar concentrações de equilíbrio
das espécies químicas envolvidas na
ionização de ácidos monopróticos fracos
(ou de bases) a partir do pH, constante
de acidez (ou basicidade) e
estequiometria da reação.
■■
Relacionar as constantes de acidez e de
Subdomínio 1  Reações ácido­‑base

basicidade para um par conjugado


ácido­‑base.

M13 1.6. Titulação ■■


Interpretar o significado de
ácido­‑base neutralização associando­‑o à reação
entre os iões H3O+ e OH− durante uma
reação ácido­‑base.
■■
Associar o ponto de equivalência de
uma titulação à situação em que
nenhum dos reagentes se encontra em 2
excesso.
■■
Associar indicador ácido­‑base a um par
conjugado ácido­‑base em que as formas
ácidas e básicas são responsáveis por
cores diferentes.

M14 1.7. Acidez e ■■


Interpretar o carácter ácido, básico ou
basicidade em neutro de soluções aquosas de sais com
soluções aquosas base nos valores das constantes de 1
de sais acidez ou de basicidade dos iões do sal
em solução.

M15 1.8. Aspetos ■■


Interpretar a acidez da chuva normal
ambientais das com base na dissolução do dióxido de
reações ácido­ carbono presente na atmosfera.
‑base ■■
Interpretar a formação de chuvas ácidas
devido à presença de poluentes na
atmosfera (SOx, NOx), assim como
processos de eliminação destes 1
poluentes, com base nas
correspondentes reações químicas.
Explicar as consequências das chuvas
EQ11DP © Porto Editora

■■

ácidas sobre construções de calcário e


mármore, interpretando as equações
químicas correspondentes.

13

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 13 3/30/16 3:55 PM


Planificações por domínio

EQ11DP © Porto Editora


N.° de
Objetivo geral Conteúdos Módulo Metas Curriculares
aulas

Reconhecer as reações ■■
Caracterização das M16 2.1. ■■
Associar oxidação à cedência de
de oxidação­‑redução reações de oxidação­ Caracterização eletrões e redução ao ganho de eletrões.
como reações de ‑redução das reações de
- conceitos de
■■
Interpretar reações de oxidação­
transferência de oxidação­‑redução ‑redução como reações de transferência
eletrões e interpretar a oxidação e redução
- espécie oxidada e
de eletrões.
ação de ácidos sobre
alguns metais como espécie reduzida ■■
Identificar, numa reação de oxidação­
um processo de - oxidante e redutor ‑redução, as espécies químicas oxidada
oxidação­‑redução. - número de oxidação (redutor) e reduzida (oxidante).
- semirreações de ■■
Identificar estados de oxidação de um
oxidação e de elemento em substâncias elementares,
redução compostas e em espécies iónicas a
Subdomínio 2  Reações de oxidação­‑redução

■■
Força relativa de partir do cálculo do seu número de
oxidantes e redutores oxidação.
- reação ácido­‑metal Usar o conceito de número de oxidação 3
- poder redutor e
■■

na identificação de reações de oxidação­


poder oxidante ‑redução.
- série eletroquímica ■■
Acertar equações químicas de oxidação­
AL2.3 Série ‑redução em casos simples.
eletroquímica ■■
Interpretar uma reação de oxidação­
‑redução como um processo em que
ocorrem simultaneamente uma
oxidação e uma redução, escrevendo as
semiequações correspondentes.
■■
Associar a ocorrência de uma reação
ácido­‑metal à oxidação do metal com
redução simultânea do ião hidrogénio.

M17 2.2. Força ■■


Comparar o poder redutor de alguns
relativa de metais.
oxidantes e ■■
Prever se uma reação de oxidação­
redutores ‑redução ocorre usando uma série 2
eletroquímica adequada.
■■
Interpretar a corrosão dos metais como
um processo de oxidação­‑redução.

14

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 14 3/30/16 3:09 PM


Planificações por domínio

N.° de
Objetivo geral Conteúdos Módulo Metas Curriculares
aulas

Planificações
Compreender a ■■
Mineralização das M18 3.1. ■■
Relacionar a composição química da
dissolução de sais e águas e processo de Mineralização das água do mar com a dissolução de sais e
reconhecer que a dissolução águas e processo do dióxido de carbono da atmosfera.
mineralização das - dissolução de sais e de dissolução ■■
Caracterizar o fenómeno da dissolução
águas se relaciona com gases na água do
como uma mistura espontânea de
processos de mar
- processo de
substâncias que pode ser relacionada
dissolução e equilíbrios
com as interações entre as espécies 0,5
de solubilidade. dissolução e químicas do soluto e do solvente.
interação soluto­
‑solvente ■■
Indicar formas de controlar o tempo de
- fatores que afetam o dissolução de um soluto (estado de
tempo de dissolução divisão e agitação) mantendo a
temperatura e a pressão constantes.
■■
Solubilidade de sais
em água
- solubilidade 3.2. Definir solubilidade em termos de
■■
M19

- efeito da Solubilidade de concentração de solução saturada e de


Subdomínio 3  Soluções e equilíbrio de solubilidade

sais em água massa de soluto dissolvido em 100 g de


temperatura na
solvente.
solubilidade
- solução não ■■
Classificar as soluções de um dado
saturada, saturada e soluto em não saturadas, saturadas e
sobressaturada sobressaturadas, com base na respetiva
solubilidade, a uma determinada
■■
Equilíbrio químico e temperatura. 2,5
solubilidade de sais
- constante do ■■
Interpretar gráficos de solubilidade em
produto de função da temperatura.
solubilidade Identificar o equilíbrio químico que se
- solubilidade e
■■

estabelece entre um sal e uma sua


produto de solução saturada como um equilíbrio
solubilidade químico heterogéneo, designando-o por
equilíbrio de solubilidade.

M20 3.3. Equilíbrio ■■


Escrever equações químicas que
químico e traduzem equilíbrios de solubilidade e
solubilidade de escrever as correspondentes
sais expressões da constante de produto de
solubilidade.
■■
Relacionar a constante de produto de
solubilidade de um sal com a respetiva
EQ11DP © Porto Editora

solubilidade, na ausência de outros 2,5


equilíbrios que afetem essa
solubilidade.
■■
Interpretar a possibilidade de formação
de um precipitado, com base nas
concentrações de iões presentes em
solução e nos valores de produtos de
solubilidade.

15

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 15 3/30/16 3:09 PM


Planificações por domínio

EQ11DP © Porto Editora


N.° de
Objetivo geral Conteúdos Módulo Metas Curriculares
aulas

■■
Alteração da M21 3.4. Alteração ■■
Interpretar, com base no Princípio de
solubilidade dos sais da solubilidade Le Châtelier, o efeito do ião comum na
- efeito do ião comum dos sais solubilidade de sais em água.
- efeito da adição de
Subdomínio 3  Soluções e equilíbrio de solubilidade

■■
Interpretar, com base no Princípio de
soluções ácidas Le Châtelier, a solubilização de alguns
- formação de iões sais por soluções ácidas. 2,5
complexos
■■
Desmineralização de ■■
Interpretar, com base no Princípio de
águas e processo de Le Châtelier, a solubilização de alguns
precipitação sais através da formação de iões
- correção da dureza complexos.
da água
- remoção de M22 3.5. ■■
Associar a dureza total de uma água à
poluentes Desmineralização concentração de catiões cálcio e
de águas e magnésio.
AL2.4 Temperatura e
processo de Interpretar, com base em informação
solubilidade de um ■■

precipitação selecionada, processos para minimizar


soluto sólido em água
a dureza das águas. 1
■■
Interpretar, com base em informação
selecionada, a utilização de reações de
precipitação na remoção de poluentes
de águas.

16

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 16 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

Revisões de 10.° ano: Quantidade de matéria e composição quantitativa

M0
de soluções
Quantidade de matéria e massa molar

Planificações
Volume molar e massa volúmica
Composição quantitativa de soluções
Questões motivadoras
Como caracterizar uma quantidade de matéria?
Como se quantifica e se caracteriza uma substância gasosa?
Como exprimir a composição quantitativa de uma solução?

Conteúdos Metas Curriculares (10.°)


■■
Quantidade de matéria; Número de Avogadro; Número de partículas; ■■
Identificar a quantidade de matéria como uma das
Massa molar. grandezas do Sistema Internacional (SI) de Unidades e
■■
Lei de Avogadro; Volume molar; Relação entre a massa e o volume caracterizar a sua unidade, mole, com referência ao
molar. número de Avogadro de entidades.
■■
Concentração mássica; Concentração molar; Percentagem em ■■
Relacionar o número de entidades numa dada amostra
massa; Percentagem em volume; Partes por milhão; Fração molar. com a quantidade de matéria nela presente, identificando a
constante de Avogadro como constante de
Atividades propostas proporcionalidade.
■■
Calcular massas molares a partir de tabelas de massas
atómicas relativas (médias).
Manual:
■■
Verifique o que aprendeu – págs. 14 e 15 ■■
Relacionar a massa de uma amostra e a quantidade de
À Prova de Exame: matéria com a massa molar.
■■
Questões relativas a estes conteúdos de 10.° ano ■■
Definir volume molar e, a partir da Lei de Avogadro,
concluir que tem o mesmo valor para todos os gases à
Recursos de aula mesma pressão e temperatura.
■■
Relacionar a massa de uma amostra gasosa e a quantidade
Manual – págs. 7 a 15
de matéria com o volume molar, definidas as condições de
e-Manual Premium
pressão e temperatura.
PowerPoint M0
■■
■■
Relacionar a massa volúmica de uma substância gasosa
Caderno de Atividades
com a sua massa molar e volume molar.
À Prova de Exame ■■
Determinar a composição quantitativa de soluções aquosas
e gasosas (como, por exemplo, a atmosfera terrestre), em
concentração, concentração em massa, fração molar,
percentagem em massa e em volume e partes por milhão,
e estabelecer correspondências adequadas.

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos das questões motivadoras que o introduzem, informando que
se irão relembrar os conteúdos estudados no 10.° ano, para melhor compreensão dos novos conteúdos a
explorar na Química de 11.° ano.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M0 em articulação com as informações


contidas no Manual e os recursos do e-Manual.

3. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 14 e 15 do Manual
üü
À Prova de Exame, questões relativas a estes conteúdos de 10.° ano
üü

Observações:
EQ11DP © Porto Editora

EQ11DP – 02 17

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 17 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

EQ11DP © Porto Editora


M1
D1. Equilíbrio químico
SD1. Aspetos quantitativos das reações químicas
1.1. Reações químicas: equações químicas e relações estequiométricas
Questão motivadora
Qual o significado quantitativo de uma equação química?

Conteúdos Metas Curriculares

Reações químicas ■■
Interpretar o significado das equações químicas em termos
equações químicas
■■
de quantidade de matéria e relacionar o respetivo acerto
relações estequiométricas
■■
com a conservação da massa (Lei de Lavoisier).

■■
Efetuar cálculos estequiométricos com base em equações
Atividades propostas químicas.

Manual:
■■
Análise da Síntese de conteúdos – pág. 29
■■
Verifique o que aprendeu - págs. 29 e 30
■■
Aplique o que aprendeu, questões 1 a 4 – pág. 50
Caderno de Atividades:
■■
Exercícios referentes ao módulo M1
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 1 - Química 11

Recursos de aula

Manual – págs. 19 a 30
e-Manual Premium
PowerPoint M1
■■

Simulação: Acerto de equações químicas


■■

Animação: Equações químicas e quantidade de matéria


■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.
Os aspetos quantitativos de algumas reações de síntese química historicamente relevantes podem ser um
contexto para a introdução dos conteúdos abordados neste subdomínio, e neste módulo em particular. Como
exemplo destas reações, temos a síntese da ureia realizada por Wöhler.
O Programa sugere a escrita de equações químicas usando estruturas de Lewis, realçando o carácter
molecular das reações.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M1 em articulação com as informações


contidas no Manual e os recursos do e-Manual.

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

18

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 18 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

4. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 29 e 30 do Manual
üü

Planificações
Aplique o que aprendeu, questões 1 a 4 – pág. 50 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M1
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 1 - Química 11
üü

Observações:
EQ11DP © Porto Editora

19

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 19 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

EQ11DP © Porto Editora


M2
D1. Equilíbrio químico
SD1. Aspetos quantitativos das reações químicas
1.2. Reagente limitante, reagente em excesso e grau de pureza de uma amostra
Questão motivadora
Como realizar cálculos estequiométricos com reagentes que não se encontram em proporções estequiométricas e que apresentam
impurezas?

Conteúdos Metas Curriculares


■■
Reagente limitante e reagente em excesso ■■
Identificar reagente limitante e reagente em excesso numa
■■
Grau de pureza de uma amostra reação química.

Atividades propostas ■■
Interpretar o grau de pureza de uma amostra.

Manual: Indicar que os reagentes podem apresentar diferentes


Análise da Síntese de conteúdos - pág. 36
■■

■■
graus de pureza e que devem ser escolhidos consoante as
■■
Verifique o que aprendeu - págs. 36 e 37 finalidades de uso e custo.
■■
Aplique o que aprendeu, questão 5 – pág. 50
Caderno de Atividades:
■■
Exercícios referentes ao módulo M2
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 1 - Química 11

Recursos de aula

Manual – págs. 31 a 37
e-Manual Premium
PowerPoint M2
■■

Animação: Reagente limitante e reagente em excesso


■■

Exercício orientado: Grau de pureza


■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M2 em articulação com as informações


contidas no Manual e os recursos do e-Manual.

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

4. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 36 e 37 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questão 5 - pág. 50 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M2
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 1 - Química 11
üü

Observações:

20

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 20 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

M3
D1. Equilíbrio químico
SD1. Aspetos quantitativos das reações químicas
1.3. Rendimento de uma reação química

Planificações
Questão motivadora
Será que a quantidade de produto esperado numa reação química é aquela que realmente se obtém?

Conteúdos Metas Curriculares


■■
Rendimento de uma reação química ■■
Distinguir reações completas de incompletas.

■■
Efetuar cálculos estequiométricos envolvendo reagente
Atividades propostas limitante/em excesso, rendimento da reação e grau de
pureza dos reagentes.
Manual:
■■
Análise da Síntese de conteúdos – pág. 40
■■
Verifique o que aprendeu - págs. 40 e 41
■■
Aplique o que aprendeu, questões 6 a 11 – págs. 51 e 52
Caderno de Atividades:
■■
Exercícios referentes ao módulo M3
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 1 - Química 11
Caderno de Laboratório:
■■
AL 1.1 Síntese do ácido acetilsalicílico - págs. 8 a 12
Caderno de Laboratório - Guia do Professor:
■■
Exploração da AL 1.1 - págs. 66 a 69
■■
Questionário Laboratorial 1 - págs. 70 e 71

Recursos de aula

Manual – págs. 38 a 41
e-Manual Premium
PowerPoint M3
■■

Tutorial AL 1.1: Síntese do ácido acetilsalicílico


■■

Simulação: Reagente limitante e reagente em excesso


■■

Animação: Rendimento de uma reação


■■

Tutorial: Cálculos estequiométricos: reagente limitante


■■

e rendimento
Caderno de Atividades
Caderno de Laboratório
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M3 em articulação com as informações


contidas no Manual e os recursos do e-Manual.

3. Realização da atividade laboratorial AL 1.1 Síntese do ácido acetilsalicílico:


AL 1.1 no Caderno do Laboratório - págs. 8 a 12
EQ11DP © Porto Editora

■■

De acordo com as características dos alunos e/ou eventuais constrangimentos associados, nomeadamente as
condições físicas da escola, complementar a exploração da atividade laboratorial explorando o vídeo tutorial da
AL 1.1 presente no e-Manual.

21

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 21 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo
4. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de

EQ11DP © Porto Editora


conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

5. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 40 e 41 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questões 6 a 11 – págs. 51 e 52 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M3
üü
Caderno de Laboratório – Guia do Professor, Questionário Laboratorial 1 - págs. 70 e 71
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 1 - Química 11
üü

Observações:

22

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 22 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

M4
D1. Equilíbrio químico
SD1. Aspetos quantitativos das reações químicas
1.4. Economia atómica e química verde

Planificações
Questão motivadora
Será possível introduzir modificações nas reações químicas que visem economizar energia e/ou átomos e aumentar o rendimento
e a seletividade de um dado processo?

Conteúdos Metas Curriculares


■■
Economia atómica e química verde ■■
Associar “economia atómica percentual” à razão entre a
massa de átomos de reagentes que são incorporados no
produto desejado e a massa total de átomos nos reagentes,
Atividades propostas
expressa em percentagem.
Manual: ■■
Comparar reações químicas do ponto de vista da química
■■
Análise da Síntese de conteúdos – pág. 48
Verifique o que aprendeu - págs. 48 e 49
■■
verde tendo em conta vários fatores como: economia
Aplique o que aprendeu, questões 12 e 13 - págs. 52 e 53
■■
atómica, redução dos resíduos, produtos indesejados,
escolha de reagentes e processos menos poluentes.
Caderno de Atividades:
■■
Exercícios referentes ao módulo M4
■■
Exercícios globalizantes referentes a SD1
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 1 - Química 11

Recursos de aula

Manual – págs. 42 a 49
e-Manual Premium
PowerPoint M4
■■

Animação: Economia atómica e química verde


■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.
De acordo com as orientações do Programa, a economia atómica deve surgir no contexto da “química verde”
para realçar que, no caso das reações químicas, é possível introduzir modificações que visam economizar
energia e/ou átomos e aumentar o rendimento e a seletividade de um dado processo. Estes aspetos podem ser
debatidos com os alunos do ponto de vista da sustentabilidade.
2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M4 em articulação com as informações
contidas no Manual e os recursos do e-Manual.
3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).
4. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 48 e 49 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questões 12 e 13 - págs. 52 e 53 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M4
EQ11DP © Porto Editora

üü
Caderno de Atividades, exercícios globalizantes referentes a SD1
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 1 - Química 11
üü

23

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 23 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

EQ11DP © Porto Editora


M5
D1. Equilíbrio químico
SD2. Equilíbrio químico e extensão das reações químicas
2.1. Reações incompletas e equilíbrio químico
Questão motivadora
Como se caracteriza macroscopicamente e submicroscopicamente uma reação reversível?

Conteúdos Metas Curriculares

Reações incompletas e equilíbrio químico ■■


Interpretar a ocorrência de reações químicas incompletas
reações inversas e equilíbrio químico
■■
numa base molecular: ocorrência simultânea das reações
equilíbrio químico
■■
direta e inversa.

Atividades propostas ■■
Associar estado de equilíbrio químico a qualquer estado de
um sistema fechado em que, macroscopicamente, não se
Manual: registam variações de propriedades físicas e químicas.
■■
Análise da Síntese de conteúdos - pág. 60
■■
Verifique o que aprendeu - págs. 60 e 61 Interpretar gráficos que traduzem a variação da
Aplique o que aprendeu, questão 1 - pág. 82
■■

■■
concentração (ou da quantidade de matéria) em função no
Caderno de Atividades: tempo, para cada um dos componentes da mistura
■■
Exercícios referentes ao módulo M5 reacional, e da evolução temporal da velocidade das
reações direta e inversa.
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 1 - Química 11 ■■
Associar equilíbrio químico homogéneo ao estado de
equilíbrio que se verifica numa mistura reacional numa só
Recursos de aula
fase.
Manual – págs. 55 a 61 ■■
Identificar equilíbrios homogéneos em diferentes
e-Manual Premium
contextos, por exemplo, a reação de síntese do amoníaco.
PowerPoint M5
■■

Animação: Equilíbrio químico


■■

Simulação: Reações reversíveis e equilíbrio químico


■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.
De acordo com as orientações do Programa, os sistemas a estudar neste subdomínio devem ser homogéneos,
gasosos ou aquosos.
2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M5 em articulação com as informações
contidas no Manual e os recursos do e-Manual.
3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).
4. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 60 e 61 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questão 1 - pág. 82 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M5
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 1 - Química 11
üü

Observações:

24

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 24 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

M6
D1. Equilíbrio químico
SD2. Equilíbrio químico e extensão das reações químicas
2.2. Extensão das reações químicas

Planificações
Questão motivadora
Como avaliar a extensão de uma reação química?

Conteúdos Metas Curriculares

Extensão das reações químicas ■■


Escrever expressões matemáticas que traduzam a
constante de equilíbrio usando concentrações
■■
constante de equilíbrio, usando concentrações.
quociente da reação
■■ ■■
Concluir, a partir de valores de concentrações, que o valor
da constante de equilíbrio é o mesmo para todos os estados
Atividades propostas de equilíbrio de um sistema químico, à mesma
temperatura.
Manual: ■■
Relacionar a extensão de uma reação, a uma certa
■■
Análise da Síntese de conteúdos – pág. 68
Verifique o que aprendeu - págs. 68 e 69
■■
temperatura, com o valor da constante de equilíbrio dessa
Aplique o que aprendeu, questões 2 e 3 - págs. 82 e 83
■■
reação, a essa temperatura.
■■
Concluir, a partir de valores de concentrações em
Caderno de Atividades: equilíbrio, que o valor da constante de equilíbrio, para uma
■■
Exercícios referentes ao módulo M6 reação química, depende da temperatura.
À Prova de Exame: ■■
Relacionar o valor da constante de equilíbrio da reação
■■
Questões incluídas do domínio 1 - Química 11 direta com o da constante de equilíbrio da reação inversa.
■■
Distinguir entre constante de equilíbrio e quociente da
Recursos de aula reação em situações de não equilíbrio.
■■
Prever o sentido dominante da reação com base na
Manual – págs. 62 a 69 comparação do valor do quociente da reação, num
e-Manual Premium determinado instante, com o valor da constante de
PowerPoint M6
■■
equilíbrio da reação química considerada a temperatura a
Infografia: Extensão de uma reação química
■■
que decorre a reação.
Tutorial: Quociente de reação
■■
■■
Aplicar expressões da constante de equilíbrio e do
Tutorial: Constante de equilíbrio
■■
quociente da reação na resolução de questões envolvendo
Caderno de Atividades cálculos.
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.
De acordo com as orientações do Programa, no que respeita a aspetos quantitativos do equilíbrio químico,
devem excluir-se casos em que apenas se apresentam dados relativos à composição inicial do sistema.
2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M6 em articulação com as informações
contidas no Manual e nos recursos do e-Manual.
3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).
4. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 68 e 69 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questões 2 e 3 - págs. 82 e 83 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M6
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 1 - Química 11
EQ11DP © Porto Editora

üü

Observações:

25

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 25 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

EQ11DP © Porto Editora


M7
D1. Equilíbrio químico
SD2. Equilíbrio químico e extensão das reações químicas
2.3. Fatores que alteram o equilíbrio químico
Questão motivadora
O que acontece a um sistema em equilíbrio quando se altera um dos fatores de que depende o equilíbrio?

Conteúdos Metas Curriculares

Fatores que alteram o equilíbrio químico ■■


Indicar os fatores que podem alterar o estado de equilíbrio
Princípio de Le Châtelier
■■
de uma mistura reacional (pressão, em sistemas gasosos,
equilíbrio químico e otimização de reações químicas
■■
temperatura e concentração).

Atividades propostas ■■
Interpretar o efeito da variação da concentração de um
reagente ou produto num sistema inicialmente em
Manual: equilíbrio, por comparação do quociente da reação com a
■■
Análise da Síntese de conteúdos - pág. 80 constante de equilíbrio, a temperatura constante.
■■
Verifique o que aprendeu - págs. 80 e 81
■■
Aplique o que aprendeu, questões 4 a 13 - págs. 83 a 87 ■■
Identificar o Princípio de Le Châtelier como uma regra que
Caderno de Atividades: permite prever a evolução de um sistema químico quando
Exercícios referentes ao módulo M7 ocorre variação de um dos fatores que podem afetar o
estado de equilíbrio - concentração, pressão, volume ou
■■

■■
Exercícios globalizantes referentes a SD2
temperatura.
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 1 - Química 11 ■■
Aplicar o Princípio de Le Châtelier à síntese do amoníaco e
Caderno de Laboratório: outros processos industriais e justificar aspetos de
■■
AL 1.2 Efeito da concentração no equilíbrio químico - págs. 13 a 15 compromisso relacionados com temperatura, pressão e
Caderno de Laboratório - Guia do Professor: uso de catalisadores.
■■
Exploração da AL 1.2 - págs. 72 a 75
■■
Questionário Laboratorial 2 - págs. 76 e 77

Recursos de aula

Manual – págs. 70 a 81
e-Manual Premium
PowerPoint M7
■■

Tutorial AL 1.2: Efeito da concentração no equilíbrio químico


■■

Simulação: Efeito da concentração no equilíbrio químico


■■

Simulação: Princípio de Le Châtelier


■■

Animação: Influência da temperatura no equilíbrio químico


■■

Animação: Influência da concentração de reagentes e produtos no


■■

equilíbrio químico
Animação: Influência da pressão no equilíbrio químico
■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.
De acordo com as orientações do Programa, no que respeita a aspetos quantitativos do equilíbrio químico,
devem excluir-se casos em que apenas se apresentam dados relativos à composição inicial do sistema.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M7 em articulação com as informações


contidas no Manual e os recursos do e-Manual.

26

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 26 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

3. Realização da atividade laboratorial AL 1.2 Efeito da concentração no equilíbrio químico:


■■
AL 1.2 no Caderno do Laboratório - págs. 13 a 15
De acordo com as características dos alunos e/ou eventuais constrangimentos associados, nomeadamente as

Planificações
condições físicas da escola, complementar a exploração da atividade laboratorial explorando o vídeo tutorial da
AL 1.2 presente no e-Manual.

4. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

5. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 80 e 81 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questões 4 a 13 - págs. 83 a 87 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M7
üü
Caderno de Atividades, exercícios globalizantes referentes a SD2
üü
Caderno de Laboratório – Guia do Professor, Questionário Laboratorial 2 - págs. 76 e 77
üü
üüProva de Exame, questões incluídas do domínio 1 - Química 11
À

Observações:
EQ11DP © Porto Editora

27

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 27 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

EQ11DP © Porto Editora


M8
D2. Reações em sistemas aquosos
SD1. Reações ácido-base
1.1. Ácidos e bases
Questões motivadoras
O que são ácidos e bases? Como se caracterizam as reações ácido-base?

Conteúdos Metas Curriculares

Ácidos e bases: ■■
Identificar marcos históricos importantes na interpretação
evolução histórica
■■
de fenómenos ácido-base, culminando na definição de
ácidos e bases segundo Brönsted e Lowry
■■
ácido e de base de acordo com Brönsted e Lowry.

Atividades propostas ■■
Interpretar reações ácido-base como reações de
transferência de protões.
Manual:
■■
Análise da Síntese de conteúdos - pág. 96
■■
Verifique o que aprendeu - págs. 96 e 97
■■
Aplique o que aprendeu, questões 1 e 2 - pág. 141
Caderno de Atividades:
■■
Exercícios referentes ao módulo M8
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 2 - Química 11

Recursos de aula

Manual – págs. 91 a 97
e-Manual Premium
PowerPoint M8
■■

Friso: Evolução dos conceitos de ácido e de base


■■

Animação: Teoria protónica de Brönsted e Lowry


■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos das questões motivadoras que o introduzem.
Ao solicitar aos alunos a resposta às questões-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar
eventuais conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos
conhecimentos científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.
De acordo com as orientações do Programa, podem usar-se contextos que ilustrem o contributo da Química na
resolução de problemas ambientais como, por exemplo, nos setores industrial, energético, agrícola e de
transportes, entre outros, envolvendo o tratamento de resíduos e a qualidade do ar e da água.
Deve destacar-se o conceito de ácido e de base segundo Brönsted e Lowry, referindo-se historicamente a teoria
de Arrhenius, mostrando o papel das teorias na construção do conhecimento científico.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M8 em articulação com as informações


contidas no Manual e os recursos do e-Manual.

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

28

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 28 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

4. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 96 e 97 do Manual
üü

Planificações
Aplique o que aprendeu, questões 1 e 2 - pág. 141 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M8
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 2 - Química 11
üü

Observações:
EQ11DP © Porto Editora

29

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 29 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

EQ11DP © Porto Editora


M9
D2. Reações em sistemas aquosos
SD1. Reações ácido-base
1.2. Acidez e basicidade de soluções
Questão motivadora
Como se relacionam quantitativamente a concentração hidrogeniónica de uma solução e o seu valor de pH?

Conteúdos Metas Curriculares

Acidez e basicidade de soluções ■■


Relacionar quantitativamente a concentração
a escala de Sorensen
■■
hidrogeniónica de uma solução e o seu valor de pH.
o pH e concentração hidrogeniónica
■■

Atividades propostas

Manual:
■■
Análise da Síntese de conteúdos - pág. 101
■■
Verifique o que aprendeu - págs. 101 e 102
■■
Aplique o que aprendeu, questão 3 - pág. 141
Caderno de Atividades:
■■
Exercícios referentes ao módulo M9
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 2 - Química 11

Recursos de aula

Manual – págs. 98 a 102


e-Manual Premium
PowerPoint M9
■■

Animação: Escala de pH
■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M9 em articulação com as informações


contidas no Manual e os recursos do e-Manual.

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

4. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 101 e 102 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questão 3 - pág. 141 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M9
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 2 - Química 11
üü

Observações:

30

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 30 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

M10
D2. Reações em sistemas aquosos
SD1. Reações ácido-base
1.3. Autoionização da água

Planificações
Questão motivadora
Como se caracteriza a equação química de autoionização da água?

Conteúdos Metas Curriculares

Autoionização da água ■■
Caracterizar a autoionização da água fazendo referência às
o produto iónico da água
■■
espécies químicas envolvidas nesta reação e a sua
a relação entre as concentrações de H3O+ e de OH−
■■
extensão.
o efeito da temperatura na autoionização da água
■■

■■
Relacionar a extensão da reação da autoionização da água
Atividades propostas com o produto iónico da água, identificando-o com a
constante de equilíbrio para essa reação.
Manual:
■■
Análise da Síntese de conteúdos - pág. 107 Relacionar as concentrações do ião H3O+ e do ião OH−
Verifique o que aprendeu - págs. 107 e 108
■■

■■
resultantes da autoionização da água.
■■
Aplique o que aprendeu, questões 4 e 5 - pág. 142
■■
Prever, com base no Princípio de Le Châtelier, o efeito da
Caderno de Atividades:
variação da temperatura na autoionização da água.
■■
Exercícios referentes ao módulo M10
À Prova de Exame: Relacionar as concentrações dos iões H3O+ e OH−, bem
Questões incluídas do domínio 2 - Química 11
■■

■■
como os valores de pH e pOH, para soluções ácidas,
básicas e neutras.
Recursos de aula

Manual – págs. 103 a 108


e-Manual Premium
PowerPoint M10
■■

Animação: Reação da autoionização da água


■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M10 em articulação com as


informações contidas no Manual e os recursos do e-Manual.

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

4. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 107 e 108 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questões 4 e 5 - pág. 142 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M10
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 2 - Química 11
EQ11DP © Porto Editora

üü

Observações:

31

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 31 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

EQ11DP © Porto Editora


M11
D2. Reações em sistemas aquosos
SD1. Reações ácido-base
1.4. Ácidos e bases em soluções aquosas
Questão motivadora
Como se caracterizam as reações de ionização de ácidos e bases em água?

Conteúdos Metas Curriculares

Ácidos e bases em soluções aquosas ■■


Explicitar os significados de ionização (de ácidos e algumas
ionização de ácidos e de bases em água
■■
bases) e de dissociação de sais (incluindo hidróxidos),
pares conjugados ácido-base
■■
diferenciando ionização de dissociação.
espécies químicas anfotéricas
■■

■■
Explicar o que é um par conjugado ácido-base, dando
Atividades propostas exemplos de pares conjugados ácido-base.

Manual: Interpretar o significado de espécie química anfotérica.


Análise da Síntese de conteúdos - pág. 116
■■

■■

■■
Verifique o que aprendeu - págs. 116 e 117
■■
Aplique o que aprendeu, questões 6 e 7 - págs. 142 e 143
Caderno de Atividades:
■■
Exercícios referentes ao módulo M11
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 2 - Química 11

Recursos de aula

Manual – págs. 109 a 117


e-Manual Premium
PowerPoint M11
■■

Animação: Ionização e dissociação


■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M11 em articulação com as


informações contidas no Manual e os recursos do e-Manual.

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

4. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 116 e 117 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questões 6 e 7 - págs. 142 e 143 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M11
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 2 - Química 11
üü

Observações:

32

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 32 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

M12
D2. Reações em sistemas aquosos
SD1. Reações ácido-base
1.5. Constantes de acidez e de basicidade e força relativa de ácidos e de bases

Planificações
Questão motivadora
Como se relaciona, através das constantes de equilíbrio, a força de um ácido e de uma base?

Conteúdos Metas Curriculares


■■
Constantes de acidez e de basicidade ■■
Escrever equações químicas que representam reações de
■■
Força relativa de ácidos e de bases ionização de um ácido, ou de uma base, e as respetivas
expressões das constantes de acidez ou de basicidade.
Atividades propostas
■■
Relacionar os valores das constantes de acidez de
Manual: diferentes ácidos (ou as constantes de basicidade de
■■
Análise da Síntese de conteúdos - pág. 123 diferentes bases) com a extensão das respetivas ionizações.
■■
Verifique o que aprendeu - págs. 123 e 124
■■
Aplique o que aprendeu, questões 8 e 9 - págs. 143 e 144 ■■
Explicar por que razão as soluções de ácidos fracos têm
Caderno de Atividades: valores de pH mais elevados do que os das soluções de
■■
Exercícios referentes ao módulo M12 ácidos fortes de igual concentração.
À Prova de Exame: Determinar o pH de soluções de ácidos (ou bases) fortes a
Questões incluídas do domínio 2 - Química 11
■■

partir da respetiva concentração e vice-versa.


■■

Caderno de Laboratório:
■■
AL 2.1 Constante de acidez - págs. 16 a 19 ■■
Determinar concentrações de equilíbrio das espécies
Caderno de Laboratório - Guia do Professor:
químicas envolvidas na ionização de ácidos monopróticos
fracos (ou de bases) a partir do pH, constante de acidez (ou
■■
Exploração da AL 2.1 - págs. 78 a 81
Questionário Laboratorial 3 - págs. 82 e 83
■■
basicidade) e estequiometria da reação.

■■
Relacionar as constantes de acidez e de basicidade para
Recursos de aula
um par conjugado ácido-base.
Manual – págs. 118 a 124
e-Manual Premium
PowerPoint M12
■■

Tutorial AL 2.1: Constante de acidez


■■

Simulação: Equilíbrio ácido-base


■■

Tutorial: Força relativa de ácidos e bases


■■

Tutorial: Concentrações de equilíbrio na ionização de ácidos


■■

Tutorial: Constantes de acidez e de basicidade de um par ácido-base


■■

conjugado
Animação: Constantes de acidez e de basicidade
■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.
2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M12 em articulação com as
informações contidas no Manual e os recursos do e-Manual.
EQ11DP © Porto Editora

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

EQ11DP – 03 33

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 33 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo
4. Realização da atividade laboratorial AL 2.1 Constante de acidez:

EQ11DP © Porto Editora


AL 2.1 no Caderno do Laboratório - págs. 16 a 19
■■

De acordo com as características dos alunos e/ou eventuais constrangimentos associados, nomeadamente as
condições físicas da escola, complementar a exploração da atividade laboratorial explorando o vídeo tutorial da
AL 2.1 presente no e-Manual.

5. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 118 e 124 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questões 8 e 9 - págs. 143 e 144 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M12
üü
Caderno de Laboratório – Guia do Professor, Questionário Laboratorial 3 - págs. 82 e 83
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 2 - Química 11
üü

Observações:

34

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 34 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

M13
D2. Reações em sistemas aquosos
SD1. Reações ácido-base
1.6. Titulação ácido-base

Planificações
Questão motivadora
Como se caracteriza uma titulação ácido-base?

Conteúdos Metas Curriculares

Titulação ácido-base ■■
Interpretar o significado de neutralização associando-o
neutralização
■■
à reação entre os iões H3O+ e OH− durante uma reação
ponto de equivalência
■■
ácido-base.
indicadores ácido-base
■■

■■
Associar o ponto de equivalência de uma titulação à
Atividades propostas situação em que nenhum dos reagentes se encontra em
excesso.
Manual:
■■
Análise da Síntese de conteúdos - pág. 129 Associar indicador ácido-base a um par conjugado
Verifique o que aprendeu - págs. 129 e 130
■■

■■
ácido-base em que as formas ácidas e básicas são
■■
Aplique o que aprendeu, questões 10 e 11 - pág. 144 responsáveis por cores diferentes.
Caderno de Atividades:
■■
Exercícios referentes ao módulo M13
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 2 - Química 11
Caderno de Laboratório:
■■
AL 2.2 Titulação ácido-base - págs. 20 a 24
Caderno de Laboratório - Guia do Professor:
■■
Exploração da AL 2.2 - págs. 84 a 88
■■
Questionário Laboratorial 4 - págs. 89 e 90

Recursos de aula

Manual – págs. 125 a 130


e-Manual Premium
PowerPoint M13
■■

Tutorial AL 2.2: Titulação ácido-base


■■

Simulação: Titulação ácido-base


■■

Tutorial: Reação de neutralização


■■

Caderno de Atividades
Caderno de Laboratório
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.
2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M13 em articulação com as
informações contidas no Manual e os recursos do e-Manual.
EQ11DP © Porto Editora

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

35

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 35 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo
4. Realização da atividade laboratorial AL 2.2 Titulação ácido-base:
AL 2.2 no Caderno do Laboratório - págs. 20 a 24
■■

De acordo com as características dos alunos e/ou eventuais constrangimentos associados, nomeadamente as

EQ11DP © Porto Editora


condições físicas da escola, complementar a exploração da atividade laboratorial explorando o vídeo tutorial da
AL 2.2 presente no e-Manual.

5. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 129 e 130 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questões 10 e 11 - pág. 144 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M13
üü
Caderno de Laboratório – Guia do Professor, Questionário Laboratorial 4 - págs. 89 e 90
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 2 - Química 11
üü

Observações:

36

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 36 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

M14
D2. Reações em sistemas aquosos
SD1. Reações ácido-base
1.7. Acidez e basicidade em soluções aquosas de sais

Planificações
Questão motivadora
Como se avalia a acidez e a basicidade de sais em solução aquosa?

Conteúdos Metas Curriculares


■■
Acidez e basicidade em soluções aquosas de sais ■■
Interpretar o carácter ácido, básico ou neutro de soluções
aquosas de sais com base nos valores das constantes de
acidez ou de basicidade dos iões do sal em solução.
Atividades propostas

Manual:
■■
Análise da Síntese de conteúdos - pág. 134
■■
Verifique o que aprendeu - págs. 134 e 135
■■
Aplique o que aprendeu, questão 12 - pág. 145
Caderno de Atividades:
■■
Exercícios referentes ao módulo M14
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 2 - Química 11

Recursos de aula

Manual – págs. 131 a 135


e-Manual Premium
PowerPoint M14
■■

Interatividade: Carácter químico de soluções aquosas de sais


■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M14 em articulação com as


informações contidas no Manual e os recursos do e-Manual.

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

4. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 134 e 135 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questão 12 - pág. 145 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M14
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 2 - Química 11
üü
EQ11DP © Porto Editora

Observações:

37

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 37 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

EQ11DP © Porto Editora


M15
D2. Reações em sistemas aquosos
SD1. Reações ácido-base
1.8. Aspetos ambientais das reações ácido-base
Questões motivadoras
A que se deve e como se forma a chuva ácida?
Como reduzir a acidez da chuva?

Conteúdos Metas Curriculares

Aspetos ambientais das reações ácido-base ■■


Interpretar a acidez da chuva normal com base na
acidez da água da chuva
■■
dissolução do dióxido de carbono presente na atmosfera.
poluentes atmosféricos e chuva ácida
■■

redução da emissão de poluentes atmosféricos ■■


Interpretar a formação de chuvas ácidas devido à presença
de poluentes na atmosfera (SOx, NOx), assim como
■■

Atividades propostas processos de eliminação destes poluentes, com base nas


correspondentes reações químicas.
Manual:
■■
Análise da Síntese de conteúdos - pág. 139 Explicar as consequências das chuvas ácidas sobre
Verifique o que aprendeu - págs. 139 e 140
■■

■■
construções de calcário e mármore, interpretando as
■■
Aplique o que aprendeu, questões 13, 14 e 15 - pág. 145 equações químicas correspondentes.
Caderno de Atividades:
■■
Exercícios referentes ao módulo M15
■■
Exercícios globalizantes referentes a SD1
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 2 - Química 11

Recursos de aula

Manual – págs. 136 a 140


e-Manual Premium
PowerPoint M15
■■

Animação: Chuvas ácidas


■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos das questões motivadoras que o introduzem.
Ao solicitar aos alunos a resposta às questões-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar
eventuais conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos
conhecimentos científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M15 em articulação com as


informações contidas no Manual e os recursos do e-Manual.

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

4. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 139 e 140 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questões 13, 14 e 15 - pág. 145 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M15
üü
Caderno de Atividades, exercícios globalizantes referentes a SD1
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 2 - Química 11
üü

38

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 38 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

M16
D2. Reações em sistemas aquosos
SD2. Reações de oxidação-redução
2.1. Caracterização das reações de oxidação-redução

Planificações
Questões motivadoras
O que são e como se caracterizam as reações de oxidação-redução?
A oxidação e a redução serão fenómenos independentes?

Conteúdos Metas Curriculares

Caracterização das reações de oxidação-redução: ■■


Associar oxidação à cedência de eletrões e redução ao
conceitos de oxidação e redução
■■
ganho de eletrões.
espécie oxidada e espécie reduzida
■■

oxidante e redutor
■■
■■
Interpretar reações de oxidação-redução como reações de
número de oxidação
■■ transferência de eletrões.
semirreações de oxidação e de redução
■■

■■
Identificar, numa reação de oxidação-redução, as espécies
Atividades propostas químicas oxidada (redutor) e reduzida (oxidante).

Manual: ■■
Identificar estados de oxidação de um elemento em
■■
Análise da Síntese de conteúdos - pág. 154 substâncias elementares, compostas e em espécies iónicas
■■
Verifique o que aprendeu - págs. 154 e 155 a partir do cálculo do seu número de oxidação.
■■
Aplique o que aprendeu, questões 1 a 10 - págs. 164 e 165
■■
Usar o conceito de número de oxidação na identificação de
Caderno de Atividades: reações de oxidação-redução.
■■
Exercícios referentes ao módulo M16
À Prova de Exame: ■■
Acertar equações químicas de oxidação-redução em casos
■■
Questões incluídas do domínio 2 - Química 11 simples.

Recursos de aula ■■
Interpretar uma reação de oxidação-redução como um
processo em que ocorrem simultaneamente uma oxidação
Manual – págs. 147 a 155 e uma redução, escrevendo as semiequações
e-Manual Premium correspondentes.
PowerPoint M16
■■

Interatividade: Reações de oxidação-redução


■■ ■■
Associar a ocorrência de uma reação ácido-metal à
Animação: Número de oxidação
■■
oxidação do metal com redução simultânea do ião
Tutorial: Acerto de equações químicas de oxidação-redução
■■
hidrogénio.
Interatividade: Reações de oxidação-redução
■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos das questões motivadoras que o introduzem.
Ao solicitar aos alunos a resposta às questões-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar
eventuais conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos
conhecimentos científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M16 em articulação com as


EQ11DP © Porto Editora

informações contidas no Manual e os recursos do e-Manual.

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

39

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 39 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo
4. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou

EQ11DP © Porto Editora


para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 154 e 155 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questões 1 a 10 - págs. 164 e 165 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M16
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 2 - Química 11
üü

Observações:

40

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 40 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

M17
D2. Reações em sistemas aquosos
SD2. Reações de oxidação-redução
2.2. Força relativa de oxidantes e redutores

Planificações
Questão motivadora
Como se comparam os poderes oxidantes e redutores de uma espécie química?

Conteúdos Metas Curriculares

Força relativa de oxidantes e redutores ■■


Comparar o poder redutor de alguns metais.
reação ácido-metal
■■

poder redutor e poder oxidante


■■
■■
Prever se uma reação de oxidação-redução ocorre usando
série eletroquímica
■■ uma série eletroquímica adequada.

Atividades propostas ■■
Interpretar a corrosão dos metais como um processo de
oxidação-redução.
Manual:
■■
Análise da Síntese de conteúdos - pág. 162
■■
Verifique o que aprendeu - págs. 162 e 163
■■
Aplique o que aprendeu, questões 11 a 14 - págs. 165 a 167
Caderno de Atividades:
■■
Exercícios referentes ao módulo M17
■■
Exercícios globalizantes referentes a SD2
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 2 - Química 11
Caderno de Laboratório:
■■
AL 2.3 Série eletroquímica - págs 25 a 27
Caderno de Laboratório - Guia do Professor:
■■
Exploração da AL 2.3 - págs. 91 a 94
■■
Questionário Laboratorial 5 - págs. 95 e 96

Recursos de aula

Manual – págs. 156 a 163


e-Manual Premium
PowerPoint M17
■■

Tutorial AL 2.3: Série eletroquímica


■■

Simulação: Reações de oxidação-redução


■■

Animação: Reação ácido-metal


■■

Infografia: Série eletroquímica


■■

Exercício orientado: Corrosão de metais


■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M17 em articulação com as


EQ11DP © Porto Editora

informações contidas no Manual e os recursos do e-Manual.

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

41

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 41 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo
4. Realização da atividade laboratorial AL 2.3 Série eletroquímica:

EQ11DP © Porto Editora


AL 2.3 no Caderno do Laboratório - págs. 25 a 27
■■

De acordo com as características dos alunos e/ou eventuais constrangimentos associados, nomeadamente as
condições físicas da escola, complementar a exploração da atividade laboratorial explorando o vídeo tutorial da
AL 2.3 presente no e-Manual.

5. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 162 e 163 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questões 11 a 14 - págs. 165 a 167 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M17
üü
Caderno de Atividades, exercícios globalizantes referentes a SD2
üü
Caderno de Laboratório – Guia do Professor, Questionário Laboratorial 5 - págs. 95 e 96
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 2 - Química 11
üü

Observações:

42

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 42 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

M18
D2. Reações em sistemas aquosos
SD3. Soluções e equilíbrio de solubilidade
3.1. Mineralização das águas e processo de dissolução

Planificações
Questão motivadora
Como se caracteriza e se explica a composição química da água do mar?

Conteúdos Metas Curriculares

Mineralização das águas e processo de dissolução ■■


Relacionar a composição química da água do mar com a
dissolução de sais e gases na água do mar
■■
dissolução de sais e do dióxido de carbono da atmosfera.
processo de dissolução e interação soluto-solvente
■■

fatores que afetam o tempo de dissolução


■■
■■
Caracterizar o fenómeno da dissolução como uma mistura
espontânea de substâncias que pode ser relacionada com
Atividades propostas as interações entre as espécies químicas do soluto e do
solvente.
Manual:
■■
Análise da Síntese de conteúdos - pág. 173 Indicar formas de controlar o tempo de dissolução de um
Verifique o que aprendeu - págs. 173 e 174
■■

■■
soluto (estado de divisão e agitação) mantendo a
■■
Aplique o que aprendeu, questão 1– pág. 206 temperatura e a pressão constantes.
Caderno de Atividades:
■■
Exercícios referentes ao módulo M18
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 2 - Química 11

Recursos de aula

Manual – págs. 169 a 174


e-Manual Premium
PowerPoint M18
■■

Animação: Dissolução de um soluto


■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.
De acordo com as sugestões do programa, as características das águas (naturais ou tratadas), enquanto
soluções aquosas, devem ser o ponto de partida para o desenvolvimento dos conteúdos relacionados com a
solubilidade de sais. Também podem referir-se processos de obtenção de sais a partir de soluções aquosas por
evaporação do solvente, por exemplo, o sal marinho produzido de forma tradicional.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M18 em articulação com as


informações contidas no Manual e recursos do e-Manual.
EQ11DP © Porto Editora

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

43

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 43 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo
4. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou

EQ11DP © Porto Editora


para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 173 e 174 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questão 1– pág. 206 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M18
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 2 - Química 11
üü

Observações:

44

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 44 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

M19
D2. Reações em sistemas aquosos
SD3. Soluções e equilíbrio de solubilidade
3.2. Solubilidade de sais em água

Planificações
Questões motivadoras
O que é a solubilidade de um sal?
Diferentes sais apresentarão iguais solubilidades em água?

Conteúdos Metas Curriculares

Solubilidade de sais em água ■■


Definir solubilidade em termos de concentração de solução
solubilidade
■■
saturada e de massa de soluto dissolvido em 100 g de
efeito da temperatura na solubilidade
■■
solvente.
solução não saturada, saturada e sobressaturada
■■

■■
Classificar as soluções de um dado soluto em não
Atividades propostas saturadas, saturadas e sobressaturadas, com base na
respetiva solubilidade, a uma determinada temperatura.
Manual:
■■
Análise da Síntese de conteúdos - pág. 180 Interpretar gráficos de solubilidade em função da
Verifique o que aprendeu - págs. 180 e 181
■■

■■
temperatura.
■■
Aplique o que aprendeu, questões 2 e 3 - págs. 206 e 207
■■
Identificar o equilíbrio químico que se estabelece entre um
Caderno de Atividades:
sal e uma sua solução saturada como um equilíbrio
■■
Exercícios referentes ao módulo M19
químico heterogéneo, designando-o por equilíbrio de
À Prova de Exame: solubilidade.
■■
Questões incluídas do domínio 2 - Química 11
Caderno de Laboratório:
■■
AL 2.4 Temperatura e solubilidade de um soluto sólido em água -
págs. 28 a 31
Caderno de Laboratório - Guia do Professor:
■■
Exploração da AL 2.4 - págs. 97 a 101
■■
Questionário Laboratorial 6 - págs. 102 e 103

Recursos de aula

Manual – págs. 175 a 181


e-Manual Premium
PowerPoint M19
■■

Tutorial AL 2.4: Efeito da temperatura na solubilidade de um sólido


■■

em água
Simulação: Solubilidade
■■

Animação: Solubilidade
■■

Exercício orientado: Efeito da temperatura na solubilidade


■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos das questões motivadoras que o introduzem.
Ao solicitar aos alunos a resposta às questões-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar
eventuais conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos
conhecimentos científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M19 em articulação com as


EQ11DP © Porto Editora

informações contidas no Manual e os recursos do e-Manual.

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

45

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 45 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo
4. Realização da atividade laboratorial AL 2.4 Temperatura e solubilidade de um soluto sólido em água:

EQ11DP © Porto Editora


AL 2.4 no Caderno do Laboratório - págs. 28 a 31
■■

De acordo com as características dos alunos e/ou eventuais constrangimentos associados, nomeadamente as
condições físicas da escola, complementar a exploração da atividade laboratorial explorando o vídeo tutorial da
AL 2.4 presente no e-Manual.

5. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 173 e 174 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questão 1– pág. 206 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M19
üü
Caderno de Laboratório – Guia do Professor, Questionário Laboratorial 6 - págs. 102 e 103
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 2 - Química 11
üü

Observações:

46

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 46 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

M20
D2. Reações em sistemas aquosos
SD3. Soluções e equilíbrio de solubilidade
3.3. Equilíbrio químico e solubilidade de sais

Planificações
Questão motivadora
Qual a relação entre a solubilidade de um sal e o produto de solubilidade?

Conteúdos Metas Curriculares

Equilíbrio químico e solubilidade de sais ■■


Escrever equações químicas que traduzem equilíbrios de
constante do produto de solubilidade
■■
solubilidade e escrever as correspondentes expressões da
solubilidade e produto de solubilidade
■■
constante de produto de solubilidade.

Atividades propostas ■■
Relacionar a constante de produto de solubilidade de um
sal com a respetiva solubilidade, na ausência de outros
Manual: equilíbrios que afetem essa solubilidade.
■■
Análise da Síntese de conteúdos - pág. 192
■■
Verifique o que aprendeu - págs. 192 e 193 ■■
Interpretar a possibilidade de formação de um precipitado,
■■
Aplique o que aprendeu, questões 4 a 8 – págs. 207 e 208 com base nas concentrações de iões presentes em solução
Caderno de Atividades: e nos valores de produtos de solubilidade.
■■
Exercícios referentes ao módulo M20
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 2 - Química 11

Recursos de aula

Manual – págs. 182 a 193


e-Manual Premium
PowerPoint M20
■■

Animação: Produto de solubilidade


■■

Tutorial: Reações de precipitação


■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.
De acordo com as sugestões do Programa, pode ser referida a utilização de sais de iões tóxicos muito pouco
solúveis tanto em medicina (caso do sulfato de bário) como em engenharia (caso dos pigmentos de chumbo e
crómio), assim como o desenvolvimento de formulações farmacêuticas que aumentem a solubilização de
medicamentos na forma de sais ou de complexos e a relação entre solubilidade e a sua biodisponibilidade.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M20 em articulação com as


informações contidas no Manual e recursos do e-Manual.
EQ11DP © Porto Editora

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

47

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 47 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo
4. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou

EQ11DP © Porto Editora


para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - pág. 192 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questões 4 a 8 - págs. 207 e 208 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M20
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 2 - Química 11
üü

Observações:

48

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 48 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

M21
D2. Reações em sistemas aquosos
SD3. Soluções e equilíbrio de solubilidade
3.4. Alteração da solubilidade dos sais

Planificações
Questão motivadora
Como se explica que a presença de certas espécies químicas em solução altere a solubilidade de alguns sais?

Conteúdos Metas Curriculares

Alteração da solubilidade dos sais: ■■


Interpretar, com base no Princípio de Le Châtelier, o efeito
efeito do ião comum
■■
do ião-comum na solubilidade de sais em água.
efeito da adição de soluções ácidas
■■

formação de iões complexos


■■
■■
Interpretar, com base no Princípio de Le Châtelier, a
solubilização de alguns sais por soluções ácidas.
Atividades propostas
■■
Interpretar, com base no Princípio de Le Châtelier, a
Manual: solubilização de alguns sais através da formação de iões
■■
Análise da Síntese de conteúdos - pág. 197 complexos.
■■
Verifique o que aprendeu - págs. 197 e 198
■■
Aplique o que aprendeu, questões 9 a 14 - págs. 209 a 211
Caderno de Atividades:
■■
Exercícios referentes ao módulo M21
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 2 - Química 11

Recursos de aula

Manual – págs. 194 a 198


e-Manual Premium
PowerPoint M21
■■

Animação: Fatores que afetam a solubilidade


■■

Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos da questão motivadora que o introduz.
Ao solicitar aos alunos a resposta à questão-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar eventuais
conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos conhecimentos
científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M21 em articulação com as


informações contidas no Manual e recursos do e-Manual.

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

4. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
Verifique o que aprendeu - págs. 197 e 198 do Manual
üü
Aplique o que aprendeu, questões 9 a 14 - págs. 209 a 211 do Manual
üü
Caderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M21
üü
À Prova de Exame, questões incluídas do domínio 2 - Química 11
EQ11DP © Porto Editora

üü

Observações:

EQ11DP – 04 49

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 49 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

EQ11DP © Porto Editora


M22
D2. Reações em sistemas aquosos
SD3. Soluções e equilíbrio de solubilidade
3.5. Desmineralização de águas e processo de precipitação
Questões motivadoras
O que é e qual a origem de uma água dura?
Como minimizar os efeitos da dureza e remover poluentes da água?

Conteúdos Metas Curriculares

Desmineralização de águas e processo de precipitação ■■


Associar a dureza total de uma água à concentração de
correção da dureza da água
■■
catiões cálcio e magnésio.
remoção de poluentes
■■

■■
Interpretar, com base em informação selecionada,
Atividades propostas processos para minimizar a dureza das águas.

Manual: Interpretar, com base em informação selecionada, a


Análise da Síntese de conteúdos - pág. 204
■■

■■
utilização de reações de precipitação na remoção de
■■
Verifique o que aprendeu - págs. 204 e 205 poluentes de águas.
■■
Aplique o que aprendeu, questões 15 a 18 - págs. 211 e 212
Caderno de Atividades:
■■
Exercícios referentes ao módulo M22
■■
Exercícios globalizantes referentes a SD3
À Prova de Exame:
■■
Questões incluídas do domínio 2 - Química 11

Recursos de aula

Manual – págs. 199 a 205


e-Manual Premium
PowerPoint M22
■■

Animação: Dureza da água


■■

Infografia: Reações de precipitação na remoção de poluentes de


■■

águas
Caderno de Atividades
À Prova de Exame

Sugestões metodológicas:
1. Iniciar o módulo com a apresentação aos alunos das questões motivadoras que o introduzem.
Ao solicitar aos alunos a resposta às questões-problema, proporciona-se uma oportunidade de levantar
eventuais conceções alternativas dos alunos e avaliar os pré-requisitos essenciais à lecionação dos
conhecimentos científicos a estudar, já abordados - ver planificação Articulação curricular vertical.
Assim, a partir do diagnóstico do nível de formulação inicial dos conceitos a estudar, será possível definir/aferir
as estratégias mais adequadas para chegar ao nível de formulação desejado dos mesmos conceitos, indo ao
encontro das metas referidas.

2. Através do diálogo orientado professor(a)-alunos, explorar o PowerPoint M22 em articulação com as


informações contidas no Manual e recursos do e-Manual.

3. Após explorar todos os conteúdos previstos para este módulo, solicitar aos alunos a leitura da Síntese de
conteúdos, que resume os assuntos/conteúdos estudados ao longo do módulo, indo diretamente ao encontro
das metas definidas no Programa (nível de formulação desejável).

4. De acordo com o ritmo de aprendizagem dos alunos, propor, no momento mais oportuno, na sala de aula e/ou
para trabalho de casa, a resolução de:
üüVerifique o que aprendeu - págs. 204 e 205 do Manual
üüAplique o que aprendeu, questões 15 a 18 – págs. 211 e 212 do Manual
üüCaderno de Atividades, exercícios referentes ao módulo M22
üüCaderno de Atividades, exercícios globalizantes referentes a SD3
üüÀ Prova de Exame, questões incluídas do domínio 2 - Química 11

50

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 50 3/30/16 3:09 PM


Planificações por módulo

Observações:

Planificações
EQ11DP © Porto Editora

51

EQ11DP_20153724_P001_051_CImg.indd 51 3/30/16 3:09 PM


EQ11DP_20153724_P052_115_2P_CImg.indd 52 3/30/16 3:13 PM
Testes

Teste Diagnóstico

Domínio 1
Teste de Avaliação 1
Teste de Avaliação 2
Teste de Avaliação Global 1

Domínio 2
Teste de Avaliação 3
Teste de Avaliação 4
Teste de Avaliação 5
Teste de Avaliação Global 2

Teste de Avaliação Global


D1 · D2

EQ11DP_20153724_P052_115_2P_CImg.indd 53 3/30/16 3:13 PM


Matriz do Teste Diagnóstico
Pré-requisitos de 3.º Ciclo e 10.º ano

EQ11DP © Porto Editora


Item Cotação Total

7.º ano Materiais

1.1. 8

Substâncias e misturas 1.2. 8 24

1.3. 8

8.º ano Reações químicas

2.1. 8

2.2. 12
Explicação e representação de reações químicas
2.3. 12

2.4. 12

3.1.1. 8
96
3.1.2. 8

3.2.1. 12
Tipos de reações químicas
3.2.2. 8

5.1. 8

5.2. 8

10.º ano Elementos químicos e sua organização

4.1. 8

4.2. 8
Massa e tamanho dos átomos 40
4.3. 8

4.4. 16

10.º ano Propriedades e transformações da matéria

6.1. 8

6.2. 16
Gases e dispersões 40
6.3.1. 8

6.3.2. 8

54

EQ11DP_20153724_P052_115_2P_CImg.indd 54 3/30/16 3:13 PM


TD Teste Diagnóstico
Escola Data
Nome N.º Turma
Professor Classificação

Para responder aos itens de escolha múltipla, selecione a única opção (A, B, C ou D) que
permite obter uma afirmação correta ou responder corretamente à questão colocada.
Se apresentar mais do que uma opção, a resposta será classificada com zero pontos.
O mesmo acontece se a letra transcrita for ilegível.

Grupo I Cotações

1. Os materiais podem ser classificados em misturas homogéneas, heterogéneas ou coloidais ou em substâncias.


Estas últimas podem ser compostas ou elementares. Por outro lado, as transformações da matéria podem ser
classificadas de físicas ou químicas.
Para cada uma das seguintes questões, selecione a opção que contém os termos que completam corretamente
cada uma das frases.

1.1. Uma solução pode ser uma… 8

(A) … mistura heterogénea. (B) … mistura sólida, líquida ou gasosa.


(C) … mistura coloidal. (D) … substância composta.

Testes
1.2. O dióxido de carbono é uma… 8

(A) … mistura de dois gases. (B) … substância composta.


(C) … substância elementar. (D) … mistura de um gás e de um sólido.

1.3. É um exemplo de uma transformação química… 8

(A) … uma mudança de estado físico.


(B) … a separação da areia da água através de uma decantação seguida de uma filtração.
(C) … o amarelecimento das folhas de uma árvore no outono.
(D) … rasgar uma folha de papel.

Grupo II

2. O metano é um gás incolor e inodoro, proveniente de diversas fontes (digestão dos animais, bactérias, vulcões de
lama, extração de combustíveis minerais como o petróleo, etc.). Uma das maiores fontes de metano são os aterros
sanitários. A libertação de gás que ali ocorre pode servir para a produção de energia (biogás).
A reação de combustão do metano (CH4) pode ser representada por:
CH4(g) + 2 O2(g) → CO2(g) + 2 H2O(g)

2.1. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8


Na equação química que representa a combustão do metano…
(A) … estão representados quatro reagentes.
EQ11DP © Porto Editora

(B) … o metano e o dioxigénio são produtos da reação.


(C) … o dióxido de carbono e a água são reagentes.
(D) … o metano é um dos reagentes e a água é um dos produtos da reação.

55

EQ11DP_20153724_P052_115_2P_CImg.indd 55 3/30/16 3:13 PM


Teste Diagnóstico

2.2. Justifique a seguinte afirmação verdadeira: 12


“Esta equação química obedece à Lei de Lavoisier.”

2.3. Supondo que nesta combustão se fizeram reagir 16 g de metano e se obtiveram 44 g de dióxido de carbono e 12
36 g de vapor de água, qual foi a massa de dioxigénio consumida?

2.4. Escreva a equação química, devidamente acertada, que traduz a reação de combustão de um outro hidrocarbo- 12
neto: o etano.

Grupo III

3. As substâncias, em solução aquosa, podem apresentar um carácter ácido (caracterizando-se por possuírem um

EQ11DP © Porto Editora


sabor azedo, dissolverem o mármore e reagirem com metais, como o zinco, libertando di-hidrogénio), básico
(que se caracterizam por possuírem um sabor amargo e por serem escorregadias ao tato) ou neutro.

3.1. No laboratório, o pH pode ser medido através de um medidor de pH ou, de forma menos rigorosa, através do
uso de substâncias que mudam de cor em contacto com soluções com valores bem definidos de pH -
indicadores ácido-base.
Selecione a opção que contém os termos que completam corretamente as frases seguintes.
3.1.1. Quanto for a concentração de iões H+ de uma solução aquosa, é o seu pH e 8
é a sua acidez.
(A) … maior… maior… maior… (B) … menor… menor… maior…
(C) … maior… menor… maior… (D) … menor… maior… maior…
3.1.2. A tintura de tornesol fica na presença de ácidos e a fenolftaleína fica na pre- 8
sença de soluções básicas.
(A) … vermelha… carmim… (B) … azul… carmim…
(C) … vermelha… incolor… (D) … azul… incolor…

3.2. Uma reação entre uma solução ácida e uma solução básica, também designada por reação de neutralização, dá
origem a um sal e, frequentemente, água.
3.2.1. Escreva a equação química que traduz a reação entre o ácido clorídrico (HCL) e o hidróxido de sódio 12
(NaOH).
3.2.2. Adicionaram-se sucessivos volumes de HCL, contido numa bureta, a um gobelé contendo NaOH. 8
Selecione uma possível sequência de valores de pH registados por um medidor de pH digital.
(A) 2,0; 5,0; 7,0; 10,0 (B) 7,0; 10,0; 5,0; 2,0
(C) 5,0; 2,0; 7,0; 10,0 (D) 10,0; 7,0; 5,0; 2,0

Grupo IV

4. Uma das substâncias que contribuem para o aumento da acidez da água da chuva é o dióxido de enxofre (SO2), que, ao rea-
gir com o dioxigénio atmosférico (O2), se transforma em trióxido de enxofre (SO3). Esta substância, por sua vez, reage com a
água que também compõe o ar atmosférico, formando ácido sulfúrico (H2SO4), originando as designadas “chuvas ácidas”.
Das seguintes opções, selecione a que completa corretamente cada uma das seguintes frases.

4.1. Uma mole de quantidade de matéria pode ser constituída por… 8

(A) … 16,00 g de O2 e 3,01 * 1023 moléculas de SO2.


(B) … 32,00 g de SO2.
(C) … 0,25 mol de moléculas de SO3 e 0,25 mol de moléculas de O2.
(D) … 9,03 * 1023 moléculas de SO2.

56

EQ11DP_20153724_P052_115_2P_CImg.indd 56 3/30/16 3:13 PM


Teste Diagnóstico

4.2. Uma mesma quantidade de matéria de CO2 e O3 possui… 8

(A) … a mesma massa. (B) … o mesmo número de átomos.


(C) … diferente número de moléculas. (D) … o mesmo número de átomos de oxigénio.

4.3. Uma mesma quantidade de matéria de um qualquer gás, nas mesmas condições de pressão e temperatura, 8
apresenta…
(A) … a mesma massa. (B) … o mesmo número de átomos.
(C) … o mesmo volume. (D) … a mesma densidade.

4.4. Determine o número de átomos presentes numa amostra de massa 200 g de H2SO4. 16

Grupo V

5. As substâncias também se podem distinguir em solúveis, pouco solúveis ou insolúveis, num determinado solvente.

5.1. Das seguintes afirmações, selecione a que pode definir corretamente uma reação química de precipitação. 8

(A) Formação de um sólido pouco solúvel a partir de duas soluções aquosas de substâncias diferentes.
(B) Surgimento de cristais de açúcar quando se evapora todo o solvente.
(C) Dissolução completa de um soluto num solvente.
(D) Formação de um sólido muito solúvel a partir de duas soluções aquosas de substâncias diferentes.

5.2. Das seguintes opções, selecione a que contém os termos que completam corretamente a frase. 8
Uma água é considerada dura se possuir…

Testes
(A) … elevada concentração de sais. (B) … elevada concentração de impurezas.
2+
(C) … elevada concentração em iões Ca e Mg . 2+
(D) … elevada concentração em iões Na+ e CL–.

Grupo VI

6. No laboratório de Química encontra-se um frasco de reagente cujo rótulo apresenta a NaOH


seguinte informação. M = 40,0 g/mol
c = 0,50 mol/dm3
6.1. Selecione a opção que contém a expressão que permite calcular a concentração V = 500 mL 8
mássica da solução em causa.
0,5 * 0,500 + 40,0 0,500 * 0,50 0,50 * 40,0 0,50 * 0,500 * 40,0
(A) (B) (C) (D)
0,500 40,0 0,500 0,500
6.2. Supondo que a adição do soluto não provoca variação de volume, calcule a percentagem em massa do hidróxido 16
de sódio nesta solução ( r (H2O) = 1,00 g/cm3).
Apresente todas as etapas de resolução.

6.3. A partir da solução anterior prepararam-se 50 mL de solução diluída, com fator de diluição 5.
6.3.1. De entre as seguintes afirmações, selecione a correta. 8

(A) A concentração da solução diluída é igual à da solução de origem.


(B) A concentração da solução diluída é cinco vezes maior do que a concentração da solução de origem.
(C) A concentração da solução diluída é cinco vezes menor do que a concentração da solução de origem.
(D) A quantidade química de NaOH presente na solução diluída é igual a 0,05 mol.
EQ11DP © Porto Editora

6.3.2. De entre os instrumentos de medição de volumes que podem ser encontrados no laboratório, escolha o que 8
deveria utilizar para medir o volume da solução mais concentrada, necessário para preparar a solução diluída.
(A) Proveta (B) Bureta (C) Pipeta graduada (D) Balão volumétrico

57

EQ11DP_20153724_P052_115_2P_CImg.indd 57 3/30/16 3:13 PM


EQ11DP © Porto Editora
TD Teste Diagnóstico
Escola Data
Nome N.º Turma
Professor Classificação

Para responder aos itens de escolha múltipla, selecione a única opção (A, B, C ou D) que
permite obter uma afirmação correta ou responder corretamente à questão colocada.
Se apresentar mais do que uma opção, a resposta será classificada com zero pontos.
O mesmo acontece se a letra transcrita for ilegível.

Grupo I Cotações

1. Os materiais podem ser classificados em misturas homogéneas, heterogéneas ou coloidais ou em substâncias.


Estas últimas podem ser compostas ou elementares. Por outro lado, as transformações da matéria podem ser
classificadas de físicas ou químicas.
Para cada uma das seguintes questões, selecione a opção que contém os termos que completam corretamente
cada uma das frases.

1.1. Uma solução pode ser uma… 8

(A) … mistura heterogénea. (B) … mistura sólida, líquida ou gasosa.


(C) … mistura coloidal. (D) … substância composta.
(B).

1.2. O dióxido de carbono é uma… 8

(A) … mistura de dois gases.


(B) … substância composta.
(C) … substância elementar.
(D) … mistura de um gás e de um sólido.
(B).

1.3. É um exemplo de uma transformação química… 8

(A) … uma mudança de estado físico.


(B) … a separação da areia da água através de uma decantação seguida de uma filtração.
(C) … o amarelecimento das folhas de uma árvore no outono.
(D) … rasgar uma folha de papel.
(C).

Grupo II

2. O metano é um gás incolor e inodoro, proveniente de diversas fontes (digestão dos animais, bactérias, vulcões de
lama, extração de combustíveis minerais como o petróleo, etc.). Uma das maiores fontes de metano são os aterros
sanitários. A libertação de gás que ali ocorre pode servir para a produção de energia (biogás).
A reação de combustão do metano (CH4) pode ser representada por:
CH4(g) + 2 O2(g) → CO2(g) + 2 H2O(g)

58

EQ11DP_20153724_P052_115_2P_CImg.indd 58 3/30/16 3:13 PM


Teste Diagnóstico

2.1. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8


Na equação química que representa a combustão do metano…
(A) … estão representados quatro reagentes.
(B) … o metano e o dioxigénio são produtos da reação.
(C) … o dióxido de carbono e a água são reagentes.
(D) … o metano é um dos reagentes e a água é um dos produtos da reação.
(D).

2.2. Justifique a seguinte afirmação verdadeira: 12


“Esta equação química obedece à Lei de Lavoisier.”
Tópico A
Lei de Lavoisier – a massa total de produtos que se formam é igual à massa total de reagentes que se
consumiram no decorrer da reação.
Tópico B
Dado que nesta equação química o número total de átomos de cada elemento presentes nos reagentes é igual
ao número de átomos presentes nos produtos de reação, verifica-se que a mesma obedece à Lei de Lavoisier.

2.3. Supondo que nesta combustão se fizeram reagir 16 g de metano e se obtiveram 44 g de dióxido de carbono e 12
36 g de vapor de água, qual foi a massa de dioxigénio consumida?
Etapa A - relação entre a massa de reagentes e de produtos
mreagentes = mprodutos
Etapa B - massa de O2
16 + mO = 44 + 36 ⇔ mO = 64 g

Testes
2 2

2.4. Escreva a equação química, devidamente acertada, que traduz a reação de combustão de um outro hidrocarbo- 12
neto: o etano.
2 C2H6(g) + 7 O2(g) → 4 CO2(g) + 6 H2O (g)

Grupo III

3. As substâncias, em solução aquosa, podem apresentar um carácter ácido (caracterizando-se por possuírem um
sabor azedo, dissolverem o mármore e reagirem com metais, como o zinco, libertando di-hidrogénio), básico
(que se caracterizam por possuírem um sabor amargo e por serem escorregadias ao tato) ou neutro.

3.1. No laboratório, o pH pode ser medido através de um medidor de pH ou, de forma menos rigorosa, através do
uso de substâncias que mudam de cor em contacto com soluções com valores bem definidos de pH -
indicadores ácido-base.
Selecione a opção que contém os termos que completam corretamente as frases seguintes.
3.1.1. Quanto for a concentração de iões H+ de uma solução aquosa, é o seu pH e 8
é a sua acidez.
(A) … maior… maior… maior… (B) … menor… menor… maior…
(C) … maior… menor… maior… (D) … menor… maior… maior…
(C).
3.1.2. A tintura de tornesol fica na presença de ácidos e a fenolftaleína fica na pre- 8
sença de soluções básicas.
(A) … vermelha… carmim… (B) … azul… carmim…
EQ11DP © Porto Editora

(C) … vermelha… incolor… (D) … azul… incolor…


(A).

59

EQ11DP_20153724_P052_115_2P_CImg.indd 59 3/30/16 3:13 PM


Teste Diagnóstico

3.2. Uma reação entre uma solução ácida e uma solução básica, também designada por reação de neutralização, dá
origem a um sal e, frequentemente, água.
3.2.1. Escreva a equação química que traduz a reação entre o ácido clorídrico (HCL) e o hidróxido de sódio 12
(NaOH).
HCL(aq) + NaOH(aq) → H2O(L) + NaCL(aq)
3.2.2. Adicionaram-se sucessivos volumes de HCL, contido numa bureta, a um gobelé contendo NaOH. 8
Selecione uma possível sequência de valores de pH registados por um medidor de pH digital.
(A) 2,0; 5,0; 7,0; 10,0 (B) 7,0; 10,0; 5,0; 2,0
(C) 5,0; 2,0; 7,0; 10,0 (D) 10,0; 7,0; 5,0; 2,0
(D).

Grupo IV

4. Uma das substâncias que contribuem para o aumento da acidez da água da chuva é o dióxido de enxofre (SO2), que, ao rea-

EQ11DP © Porto Editora


gir com o dioxigénio atmosférico (O2), se transforma em trióxido de enxofre (SO3). Esta substância, por sua vez, reage com a
água que também compõe o ar atmosférico, formando ácido sulfúrico (H2SO4), originando as designadas “chuvas ácidas”.
Das seguintes opções, selecione a que completa corretamente cada uma das seguintes frases.

4.1. Uma mole de quantidade de matéria pode ser constituída por… 8

(A) … 16,00 g de O2 e 3,01 * 1023 moléculas de SO2.


(B) … 32,00 g de SO2.
(C) … 0,25 mol de moléculas de SO3 e 0,25 mol de moléculas de O2.
(D) … 9,03 * 1023 moléculas de SO2.
(A).

4.2. Uma mesma quantidade de matéria de CO2 e O3 possui… 8

(A) … a mesma massa. (B) … o mesmo número de átomos.


(C) … diferente número de moléculas. (D) … o mesmo número de átomos de oxigénio.
(B).

4.3. Uma mesma quantidade de matéria de um qualquer gás, nas mesmas condições de pressão e temperatura, 8
apresenta…
(A) … a mesma massa. (B) … o mesmo número de átomos.
(C) … o mesmo volume. (D) … a mesma densidade.
(C).

4.4. Determine o número de átomos presentes numa amostra de massa 200 g de H2SO4. 16
Etapa A - quantidade química de H2SO4
M (H2SO4) = 98,08 g mol- 1

n= = = 2,04 mol
m 200
M 98,08
Etapa B - número de moléculas de H2SO4
N = n * NA = 2,04 * 6,022 * 1023 ⇔
⇔ N = 1,23 * 1024 moléculas
Etapa C - número de átomos

= ⇔
1 molécula 7 átomos
1,23 * 1024 moléculas x
⇔ x = 8,61 * 1024 átomos
60

EQ11DP_20153724_P052_115_2P_CImg.indd 60 3/30/16 3:13 PM


Teste Diagnóstico

Grupo V

5. As substâncias também se podem distinguir em solúveis, pouco solúveis ou insolúveis, num determinado solvente.

5.1. Das seguintes afirmações, selecione a que pode definir corretamente uma reação química de precipitação. 8

(A) Formação de um sólido pouco solúvel a partir de duas soluções aquosas de substâncias diferentes.
(B) Surgimento de cristais de açúcar quando se evapora todo o solvente.
(C) Dissolução completa de um soluto num solvente.
(D) Formação de um sólido muito solúvel a partir de duas soluções aquosas de substâncias diferentes.
(A).

5.2. Das seguintes opções, selecione a que contém os termos que completam corretamente a frase. 8
Uma água é considerada dura se possuir…
(A) … elevada concentração de sais. (B) … elevada concentração de impurezas.
(C) … elevada concentração em iões Ca2+ e Mg2+. (D) … elevada concentração em iões Na+ e CL–.
(C).

Grupo VI

6. No laboratório de Química encontra-se um frasco de reagente cujo rótulo apresenta a NaOH


seguinte informação. M = 40,0 g/mol
c = 0,50 mol/dm3
6.1. Selecione a opção que contém a expressão que permite calcular a concentração V = 500 mL 8

Testes
mássica da solução em causa.
0,5 * 0,500 + 40,0 0,500 * 0,50 0,50 * 40,0 0,50 * 0,500 * 40,0
(A) (B) (C) (D)
0,500 40,0 0,500 0,500
(D).

6.2. Supondo que a adição do soluto não provoca variação de volume, calcule a percentagem em massa do hidróxido 16
de sódio nesta solução ( r (H2O) = 1,00 g/cm3).
Apresente todas as etapas de resolução.
Etapa A - massa de soluto

c= ⇔n=c*V
n
V
n = 0,50 * 0,500 = 2,5 * 10- 1 mol

n= ⇔m=n*M
m
M
m = 2,5 * 10- 1 * 40,0 = 10 g
Etapa B - massa de solução
Vsolução ≈ Vsolvente
rH O = 1,00 g cm- 3
2

mH O
rH O = ⇔ mH O = r H O * V
2

2
V 2 2

mH O = 1,00 * 500 = 500 g


msolução = msoluto + msolvente = 10 + 500 = 510 g
2

Etapa C - percentagem em massa

% m/m = * 100
msoluto
EQ11DP © Porto Editora

msolução

% m/m = * 100 = 2,0%


10
510

61

EQ11DP_20153724_P052_115_2P_CImg.indd 61 3/30/16 3:13 PM


Teste Diagnóstico

6.3. A partir da solução anterior prepararam-se 50 mL de solução diluída, com fator de diluição 5.
6.3.1. De entre as seguintes afirmações, selecione a correta. 8

(A) A concentração da solução diluída é igual à da solução de origem.

EQ11DP © Porto Editora


(B) A concentração da solução diluída é cinco vezes maior do que a concentração da solução de origem.
(C) A concentração da solução diluída é cinco vezes menor do que a concentração da solução de origem.
(D) A quantidade química de NaOH presente na solução diluída é igual a 0,05 mol.
(C).
6.3.2. De entre os instrumentos de medição de volumes que podem ser encontrados no laboratório, escolha o que 8
deveria utilizar para medir o volume da solução mais concentrada, necessário para preparar a solução diluída.
(A) Proveta (B) Bureta (C) Pipeta graduada (D) Balão volumétrico
(C).

62

EQ11DP_20153724_P052_115_2P_CImg.indd 62 3/30/16 3:13 PM


Critérios de correção do Teste Diagnóstico

Grupo I 4.4. .....................................................................................16 pontos


1.1. .......................................................................................8 pontos Etapa A - quantidade química de H2SO4
(B) M (H2SO4) = 98,08 g mol- 1
n= = = 2,04 mol
m 200
1.2. .......................................................................................8 pontos
M 98,08
Etapa B - número de moléculas de H2SO4
(B)

N = n * NA = 2,04 * 6,022 * 1023 ⇔


1.3. .......................................................................................8 pontos

⇔ N = 1,23 * 1024 moléculas


(C)

Etapa C - número de átomos


= ⇔
Grupo II 1 molécula 7 átomos
2.1. .......................................................................................8 pontos 1,23 * 1024 moléculas x
⇔ x = 8,61 * 1024 átomos
(D)
2.2. .....................................................................................12 pontos
Tópico A Grupo V
Lei de Lavoisier - a massa total de produtos que se formam 5.1. .......................................................................................8 pontos
é igual à massa total de reagentes que se consumiram no (A)
decorrer da reação.
5.2. .......................................................................................8 pontos
Tópico B
(C)
Dado que nesta equação química o número total de átomos
de cada elemento presentes nos reagentes é igual ao
número de átomos presentes nos produtos de reação, Grupo VI
verifica-se que a mesma obedece à Lei de Lavoisier. 6.1. .......................................................................................8 pontos
2.3. .....................................................................................12 pontos (D)
Etapa A - relação entre a massa de reagentes e de produtos 6.2. .....................................................................................16 pontos
mreagentes = mprodutos

Testes
Etapa A - massa de soluto
Etapa B - massa de O2
c= ⇔n=c*V
n
16 + mO = 44 + 36 ⇔ mO = 64 g V
n = 0,50 * 0,500 = 2,5 * 10- 1 mol
2 2

2.4. .....................................................................................12 pontos


2 C2H6(g) + 7 O2(g) → 4 CO2(g) + 6 H2O(g) n= ⇔m=n*M
m
M
m = 2,5 * 10- 1 * 40,0 = 10 g
Grupo III Etapa B - massa de solução
3.1.1. ......................................................................................8 pontos Vsolução ≈ Vsolvente
(C) rH O = 1,00 g cm- 3
2

mH O
3.1.2. .....................................................................................8 pontos rH O = ⇔ m H O = rH O * V
2

2
V 2 2

(A)
mH O = 1,00 * 500 = 500 g
3.2.1. ...................................................................................12 pontos
msolução = msoluto + msolvente = 10 + 500 = 510 g
2

HCL(aq) + NaOH(aq) → H2O(L) + NaCL(aq)


Etapa C - percentagem em massa
3.2.2. ....................................................................................8 pontos
% m/m = * 100
msoluto
(D) msolução

% m/m = * 100 = 2,0%


10
510
Grupo IV
6.3.1. .....................................................................................8 pontos
4.1. .......................................................................................8 pontos
(C)
(A)
6.3.2. ....................................................................................8 pontos
4.2. .......................................................................................8 pontos
(C)
(B)
4.3. .......................................................................................8 pontos
EQ11DP © Porto Editora

(C)

63

EQ11DP_20153724_P052_115_2P_CImg.indd 63 3/30/16 3:13 PM


64
Grupo I II III IV V VI
Item 1.1. 1.2. 1.3. 2.1. 2.2. 2.3. 2.4. 3.1.1.3.1.2.3.2.1.3.2.2. 4.1. 4.2. 4.3. 4.4. 5.1. 5.2. 6.1. 6.2. 6.3.1.6.3.2. Total
Cotação 8 8 8 8 12 12 12 8 8 12 8 8 8 8 16 8 8 8 16 8 8 200
N.° Aluno
1
Teste Diagnóstico

EQ11DP_20153724_P052_115_2P_CImg.indd 64
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
Grelha de classificação do Teste Diagnóstico

18
19
20
Turma: 11.°

21
22
23
24
25
26
  Data do teste:

27
28
29
-

30
-

Balanço N.° de alunos Média das notas Nota mais elevada Nota mais baixa N.° de positivas N.° de negativas % de positivas % de negativas
do teste
EQ11DP © Porto Editora

3/30/16 3:13 PM
Matriz do Teste de Avaliação 1
Domínio 1 Equilíbrio químico
Item Cotação Total

SD1. Aspetos quantitativos das reações químicas

2.1. 8

2.2. 8
M1  1.1. Reações químicas: equações químicas e relações estequiométricas
3.1. 8

4.3. 8

2.3. 12

3.2.1. 12

3.3.1. 12
M2   1.2. Reagente limitante e reagente em excesso e grau de pureza
de uma amostra
3.3.2. 8 144

4.1. 8

4.2. 8

Testes
1.4.2. 12
M3  1.3. Rendimento de uma reação química
3.2.2. 8

1.2. 12

M4  1.4. Economia atómica e química verde 1.3. 8

1.4.1. 12

1.1. 8

5.1. 8

AL1.1   Síntese do ácido acetilsalicílico 5.2. 16 56

5.3.1. 8

5.3.2. 16
EQ11DP © Porto Editora

EQ11DP – 05 65

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 65 4/2/16 10:24 AM


EQ11DP © Porto Editora
TD
TA ##
Teste de Avaliação 1
Escola Data
Nome N.º
N.º Turma
Professor Classificação

Para responder aos itens de escolha múltipla, selecione a única opção (A, B, C ou D) que
permite obter uma afirmação correta ou responder corretamente à questão colocada.
Se apresentar mais do que uma opção, a resposta será classificada com zero pontos.
O mesmo acontece se a letra transcrita for ilegível.

Grupo I Cotações

1. A síntese do prop-2-en-1-ol (CH2 =CHCH2OH), cujo nome comum é acroleína, pode ser realizada por dois processos:
Método 1 - No processo tradicional faz-se reagir o 3-cloroprop-1-eno (CH2 =CHCH2CL), composto perigoso para o
ambiente, venenoso e inflamável, com água:
CH2 =CHCH2CL + H2O → CH2 =CHCH2OH + HCL
Método 2 - No processo que melhor respeita os princípios da química verde, o propeno reage com o ácido etanoico
e com o dioxigénio:
Etapa 1: CH2 =CHCH3 + CH3COOH + O2 → CH2 =CHCH2OCOCH3 + H2O
1
2
Etapa 2: CH2 =CHCH2OCOCH3 + H2O → CH2 =CHCH2OH + CH3COOH
M (C3H6O) = 58,08 g/mol;   M (CH3CHCH2) = 42,08 g/mol;   M (CL2) = 70,90 g/mol;   M (C3H5CL) = 76,52 g/mol

1.1. Relativamente ao 3-cloroprop-1-eno, selecione o único pictograma de perigo que não deve surgir no frasco 8
deste reagente.
(A) (B)

(C) (D)

1.2. A produção de 3-cloroprop-1-eno, reagente do primeiro processo apresentado, pode ser realizada, a elevadas 12
temperaturas, de acordo com a seguinte equação química:
CH3CH=CH2(g) + CL2(g) → CLCH2CH=CH2(g) + HCL(g)
Determine a economia atómica percentual desta reação.

1.3. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8


O método 2 é o processo que melhor respeita os princípios da química verde, porque…
(A) … produz uma maior quantidade de resíduos indesejáveis.
(B) … tem um maior número de passos.
(C) … o processo tradicional produz um ácido forte (HCL).
(D) … o processo tradicional utiliza reagentes não nocivos.

66

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 66 4/2/16 10:24 AM


Teste de Avaliação 1

1.4. A reação global do processo que melhor respeita os princípios da química verde inclui as etapas 1 e 2.
1.4.1. Justifique a seguinte afirmação verdadeira: 12

“A reação global do processo que melhor respeita os princípios da química verde tem economia atómica
igual a 100%.”
1.4.2. Determine a massa de prop-2-en-1-ol obtida quando se fazem reagir, pelo método 2, 85,16 g de propeno 12
com excesso de ácido etanoico e de dioxigénio.

Grupo II

2. O fosgénio (COCL2) é um gás utilizado na indústria dos polímeros para produzir, entre outros, poliuretanos e policar-
bonatos. É também utilizado na indústria farmacêutica como espécie intermediária na produção de alguns medica-
mentos. O uso deste composto envolve medidas de segurança elevadas pois é tóxico e corrosivo. Quando inspirado
reage com a água presente nos pulmões produzindo ácido clorídrico e dióxido de carbono de acordo com a seguinte
equação química:
COCL2(g) + H2O(L) → 2 HCL(aq) + CO2(g)
Este gás é de tal forma letal que foi utilizado em ambiente de guerra. A inalação de uma dose de 25 mg por cada kg
de massa corporal provoca a morte de metade dos indivíduos que inspirem esta dose.
M (COCL2) = 98,92 g mol- 1;  M (HCL) = 36,46 g mol- 1
Considere a inalação de 1,00 * 10- 3 mol do gás por um indivíduo com 70 kg de massa corporal.

2.1. Selecione a opção que contém a massa de ácido clorídrico produzido nesta inalação se a reação for completa. 8

(A) 36,5 mg (B) 72,9 mg

Testes
(C) 18,2 mg (D) 54,7 mg

2.2. Selecione a opção que contém o volume de dióxido de carbono, medido nas condições de pressão e temperatura 8
normais, produzido nesta inalação se a reação for completa.
(A) 22,4 cm3 (B) 44,8 cm3
(C) 22,4 cm3 mol- 1 (D) 44,8 cm3 mol- 1

2.3. Comprove, apresentando os cálculos que julgar convenientes, que a dose de fosgénio inalado pelo indivíduo não 12
é suficiente para atingir 25 mg por cada kg de massa corporal.

Grupo III

3. A Lei de Lavoisier ou lei da conservação da massa foi enunciada no século XVIII. No contexto de uma reação química, a
aplicação desta lei determina que o número total de átomos de cada elemento presentes nos reagentes é igual ao
número total de átomos desses elementos presentes nos produtos da reação.
M (C6H12O6) = 180,16 g mol- 1;  M (H2O) = 18,02 g mol- 1;  M (CH4) = 16,04 g mol- 1
Considere os seguintes esquemas químicos:
(I) Na2O(s) + H2O(L) → NaOH(aq)
(II) Cu(s) + AgNO3(aq) → Cu(NO3)2(aq) + Ag(s)
(III) MnO2(s) + HCL(aq) → MnCL2(aq) + CL2(g) + H2O(L)

3.1. Selecione a opção que contém os coeficientes estequiométricos que permitem acertar estes esquemas químicos. 8

(A) (I) 1:1:2;  (II) 1:2:1:2;  (III) 1:4:1:1:2 (B) (I) 2:1:2;  (II) 1:2:1:1;  (III) 1:4:1:1:1
EQ11DP © Porto Editora

(C) (I) 1:2:2;  (II) 1:2:1:2;  (III) 1:4:1:1:2 (D) (I) 2:1:2;  (II) 1:2:1:1;  (III) 1:4:1:2:2

67

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 67 4/2/16 10:24 AM


Teste de Avaliação 1

3.2. Considere a seguinte reação química em que metano e água são colocados a reagir para produzir di-hidrogénio

EQ11DP © Porto Editora


gasoso, fundamental para a síntese de diversos compostos químicos.

CH4(g) + 2 H2O(g) → CO2(g) + 4 H2(g)


Nas condições de pressão e temperatura normais (PTN), na reação de 1,00 m3 de metano (CH4) com 10,0 kg de
água obtiveram-se 100 L de di-hidrogénio.
3.2.1. Comprove que o reagente limitante nesta reação é o metano. 12

3.2.2. Selecione a opção que contém o rendimento da reação de síntese. 8

(A) 57,2% (B) 0,401%


(C) 2,50% (D) 3,57%

3.3. Os seres vivos são exemplos de sistemas complexos em que ocorrem imensas reações químicas. Uma das mais
importantes que ocorre no organismo humano é a que transforma glicose (C6H12O6) em dióxido de carbono e
água, por reação com o dioxigénio do ar.

Oxigénio Glicose
Comburente Combustível

Água
Energia
Dióxido
de carbono Óxidos

C6H12O6(s) + 6 O2(g) → 6 CO2(g) + 6 H2O(g)

3.3.1. Determine, para a reação completa com excesso de dioxigénio, o volume de dióxido de carbono libertado 12
para o ambiente na transformação dos 20 g de glicose, nas condições PTN.
3.3.2. Selecione a opção que contém a quantidade de dioxigénio que reagiu com os 20 g de glicose. 8

(A) 0,66 mol (B) 0,33 mol


(C) 0,11 mol (D) 15 L

Grupo IV

4. A síntese do etanoato de etilo (CH3CO2C2H5) permite obter um solvente, com inúmeras aplicações industriais. Pode
ser utilizado para remover o verniz das unhas ou extrair a cafeína do café. É sintetizado fazendo reagir etanol
(C2H5OH) com ácido acético (CH3CO2H).

C2H5OH(L) + CH3CO2H(L) b CH3CO2C2H5(aq) + H2O(L)


Ácido sulfúrico

r (CH3CO2H) = 1,0492 g mL- 1 r (C2H5OH) = 0,7893 g mL- 1 M (CH3CO2C2H5) = 88,11 g mol- 1

M (CH3CO2H) = 60,05 g mol- 1 M (C2H5OH) = 40,07 g mol- 1 M (H2O) = 18,02 g mol- 1

4.1. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8

Fazendo reagir igual volume de ambos os reagentes, é possível afirmar que…


(A) … a quantidade química dos reagentes não é a mesma.
(B) … ambos os reagentes são limitantes.
(C) … o volume de solução final é igual ao volume de solução inicial.
(D) … toda a massa inicial de reagentes é transformada em produtos da reação.

68

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 68 4/2/16 10:24 AM


Teste de Avaliação 1

4.2. Selecione a expressão que permite determinar o volume de etanol necessário para fazer reagir completamente 8
10 mL de ácido acético.
40,07 * 0,7893 0,7893 * 10 60,05
*
1,0492 * 10 * 60,05
(A) mL (B) mL
40,07 1,0492
1,0492 * 10 * 60,05 1,0492 * 10 40,07
*
40,07 * 0,7893
(C) mL (D) mL
60,05 0,7893

4.3. Selecione a expressão que permite determinar a massa de etanoato de etilo que se forma quando são produzi- 8
das 2,00 mol de água.
2,00 * 88,11 2,00 * 18,02
(C) 2,00 * 88,11 g
2,00
(A) g (B) g (D) g
18,02 88,11 88,11

Grupo V

5. Na síntese do ácido acetilsalicílico é adicionada aos reagentes uma pequena quantidade de ácido sulfúrico (H2SO4)
concentrado. A utilização de ácidos fortes obriga a cuidados especiais no seu manuseamento. Como referência, o
valor-limite de exposição prolongada deste ácido não deve ultrapassar 0,2 mg/m3.

5.1. Identifique a opção que contém medidas de segurança essenciais a implementar no laboratório escolar durante 8
a utilização deste ácido concentrado.
(A) Afastar de fontes de combustão, fontes de calor e explosivos.
(B) Guardar o frasco que contém a solução concentrada no fundo de uma prateleira contendo reagentes sólidos.
(C) Colocar soluções de bases fortes junto desta solução para a poder neutralizar caso seja necessário.

Testes
(D) Usar esta solução apenas na hotte, servindo-se de luvas, bata e óculos de segurança.

5.2. Determine se o valor-limite de exposição é ultrapassado quando 2 gotas da solução ácida concentrada são dei- 16
xadas cair num laboratório escolar cujas dimensões são: comprimento: 10 m, largura: 8,0 m e altura: 3,0 m.
Considere que uma gota contém aproximadamente 0,050 mL de solução e que é totalmente evaporada.
% (m/m) = 98% r (H2SO4) = 1,84 g/mL M (H2SO4) = 98,08 g mol- 1

5.3. Para sintetizar o ácido acetilsalicílico um grupo de alunos dissolveu 2,027 g de ácido salicílico (reagente limi-
tante) em 5 mL de anidrido acético e adicionou 5 gotas de ácido sulfúrico.

O O
O O O
C H2SO4 C
OH C C OH C
+ H 3C O CH3 + H3C OH
OH O
C
O CH3

5.3.1. Selecione a opção que identifica a função do ácido sulfúrico. 8

(A) É o reagente limitante.


(B) Serve de catalisador.
(C) Serve para aquecer a solução pois a sua dissolução em água é exotérmica.
(D) É o reagente em excesso.
5.3.2. Determine o rendimento da síntese efetuada sabendo que se obteve a massa de 2,522 g do conjunto sal e 16
EQ11DP © Porto Editora

papel de filtro, este último de massa 0,401 g.


M (C7H6O3) = 138,12 g mol- 1 M (C4H6O3) = 102,09 g mol- 1 M (C9H8O4) = 180,16 g mol- 1

69

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 69 4/2/16 10:24 AM


EQ11DP © Porto Editora
TD
TA ##
Teste de Avaliação 1
Escola Data
Nome N.º
N.º Turma
Professor Classificação

Para responder aos itens de escolha múltipla, selecione a única opção (A, B, C ou D) que
permite obter uma afirmação correta ou responder corretamente à questão colocada.
Se apresentar mais do que uma opção, a resposta será classificada com zero pontos.
O mesmo acontece se a letra transcrita for ilegível.

Grupo I Cotações

1. A síntese do prop-2-en-1-ol (CH2 =CHCH2OH), cujo nome comum é acroleína, pode ser realizada por dois processos:
Método 1 - No processo tradicional faz-se reagir o 3-cloroprop-1-eno (CH2 =CHCH2CL), composto perigoso para o
ambiente, venenoso e inflamável, com água:
CH2 =CHCH2CL + H2O → CH2 =CHCH2OH + HCL
Método 2 - No processo que melhor respeita os princípios da química verde, o propeno reage com o ácido etanoico
e com o dioxigénio:
Etapa 1: CH2 =CHCH3 + CH3COOH + O2 → CH2 =CHCH2OCOCH3 + H2O
1
2
Etapa 2: CH2 =CHCH2OCOCH3 + H2O → CH2 =CHCH2OH + CH3COOH
M (C3H6O) = 58,08 g/mol;   M (CH3CHCH2) = 42,08 g/mol;   M (CL2) = 70,90 g/mol;   M (C3H5CL) = 76,52 g/mol

1.1. Relativamente ao 3-cloroprop-1-eno, selecione o único pictograma de perigo que não deve surgir no frasco 8
deste reagente.
(A) (B)

(C) (D)

(D).
O enunciado afirma que o 3-cloroprop-1-eno é um composto perigoso para o ambiente (C), venenoso (A) e
inflamável (B). Assim, a resposta correta é a (D).

1.2. A produção de 3-cloroprop-1-eno, reagente do primeiro processo apresentado, pode ser realizada, a elevadas 12
temperaturas, de acordo com a seguinte equação química:
CH3CH=CH2(g) + CL2(g) → CLCH2CH=CH2(g) + HCL(g)
Determine a economia atómica percentual desta reação.
Etapa A - massa de reagentes e produtos
Na reação:
CH3CH=CH2(g) + CL2(g) → CLCH2CH=CH2(g) + HCL(g) os reagentes são o C3H6 e o CL2:
mreagentes = mC H + mCL ⇔ mreagentes = 42,08 + 70,90 ⇔ mreagentes = 112,98 g
3 6 2

70

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 70 4/2/16 10:24 AM


Teste de Avaliação 1

O produto esperado é apenas o C3H5CL:


mprodutos = mC H CL ⇔ mprodutos = 76,52 g
3 5

Etapa B - cálculo da economia atómica percentual


mtotal de átomos incorporados no produto desejado
e.a. (%) = * 100 ⇔
mtotal de átomos nos reagentes

⇔ e.a. (%) = * 100 ⇔


76,52
112,98
⇔ e.a. (%) = 67,73%

1.3. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8


O método 2 é o processo que melhor respeita os princípios da química verde, porque…
(A) … produz uma maior quantidade de resíduos indesejáveis.
(B) … tem um maior número de passos.
(C) … o processo tradicional produz um ácido forte (HCL).
(D) … o processo tradicional utiliza reagentes não nocivos.
(C).
Os princípios da química verde recomendam o menor número de passos possível, mas sem produção de
substâncias perigosas (o HCL é corrosivo).

1.4. A reação global do processo que melhor respeita os princípios da química verde inclui as etapas 1 e 2.
1.4.1. Justifique a seguinte afirmação verdadeira: 12

“A reação global do processo que melhor respeita os princípios da química verde tem economia atómica

Testes
igual a 100%.”
Tópico A
Para se conhecer a reação global é necessário somar as reações parciais:

aCH2 =CHCH3 + CH3COOH + O2 → CH2 =CHCH2OCOCH3 + H2Ob


1
2
+ (CH2 =CHCH2OCOCH3 + H2O → CH2 =CHCH2OH + CH3COOH)

CH2 =CHCH3 + O2 → CH2 =CHCH2OH


1
2
Tópico B
Dado que, na reação global, não se forma nenhum outro produto da reação para além do esperado, a
reação tem economia atómica percentual igual a 100%.
1.4.2. Determine a massa de prop-2-en-1-ol obtida quando se fazem reagir, pelo método 2, 85,16 g de propeno 12
com excesso de ácido etanoico e de dioxigénio.
Etapa A - quantidade química de propeno

n= ⇔n= ⇔ n = 2,024 mol


m 85,16
M 42,08
Etapa B - Massa de prop-2-en-1-ol
Como a estequiometria da reação é 1:1:

= ⇔ x = 2,024 mol
1 mol 1 mol
2,024 mol x

n= ⇔ 2,024 = ⇔
m m
M 58,08
EQ11DP © Porto Editora

⇔ m = 117,6 g

71

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 71 4/2/16 10:24 AM


Teste de Avaliação 1

Grupo II

2. O fosgénio (COCL2) é um gás utilizado na indústria dos polímeros para produzir, entre outros, poliuretanos e policar-

EQ11DP © Porto Editora


bonatos. É também utilizado na indústria farmacêutica como espécie intermediária na produção de alguns medica-
mentos. O uso deste composto envolve medidas de segurança elevadas pois é tóxico e corrosivo. Quando inspirado
reage com a água presente nos pulmões produzindo ácido clorídrico e dióxido de carbono de acordo com a seguinte
equação química:
COCL2(g) + H2O(L) → 2 HCL(aq) + CO2(g)
Este gás é de tal forma letal que foi utilizado em ambiente de guerra. A inalação de uma dose de 25 mg por cada kg
de massa corporal provoca a morte de metade dos indivíduos que inspirem esta dose.
M (COCL2) = 98,92 g mol- 1;  M (HCL) = 36,46 g mol- 1
Considere a inalação de 1,00 * 10- 3 mol do gás por um indivíduo com 70 kg de massa corporal.

2.1. Selecione a opção que contém a massa de ácido clorídrico produzido nesta inalação se a reação for completa. 8

(A) 36,5 mg (B) 72,9 mg


(C) 18,2 mg (D) 54,7 mg
(B).
Como a estequiometria da reação é de 1:2:

= ⇔ x = 2,00 * 10- 3 mol de HCL


1 mol de COCL2 2 mol de HCL
1,00 * 10- 3 mol de COCL2 x

Então:
n = ⇔ 2,00 * 10- 3 = ⇔ m = 72,92 * 10- 3 g = 72,9 mg
m m
M 36,46

2.2. Selecione a opção que contém o volume de dióxido de carbono, medido nas condições de pressão e temperatura 8
normais, produzido nesta inalação se a reação for completa.
(A) 22,4 cm3 (B) 44,8 cm3
(C) 22,4 cm3 mol- 1 (D) 44,8 cm3 mol- 1
(A).
Como a estequiometria da reação é de 1:1:

= ⇔ x = 1,00 * 10- 3 mol de CO2


1 mol de COCL2 1 mol de CO2
1,00 * 10 mol de COCL2
-3 x

Então:

n= ⇔ 1,00 * 10- 3 = ⇔ V = 2,24 * 10- 2 dm3 = 22,4 cm3


V V
Vm 22,4

2.3. Comprove, apresentando os cálculos que julgar convenientes, que a dose de fosgénio inalado pelo indivíduo não 12
é suficiente para atingir 25 mg por cada kg de massa corporal.
Etapa A - massa do gás

n= ⇔ 1,00 * 10- 3 = ⇔ m = 9,892 * 10- 2 g = 98,92 mg


m m
M 98,92
Etapa B - dose de fosgénio inalado

= ⇔ x = 1,4 mg
98,92 mg x
70 kg 1 kg
Por comparação:

<
1,4 mg 25 mg
1 kg 1 kg
pelo que o limite de exposição não foi ultrapassado.

72

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 72 4/2/16 10:24 AM


Teste de Avaliação 1

Grupo III

3. A Lei de Lavoisier ou lei da conservação da massa foi enunciada no século XVIII. No contexto de uma reação química, a
aplicação desta lei determina que o número total de átomos de cada elemento presentes nos reagentes é igual ao
número total de átomos desses elementos presentes nos produtos da reação.
M (C6H12O6) = 180,16 g mol- 1;  M (H2O) = 18,02 g mol- 1;  M (CH4) = 16,04 g mol- 1
Considere os seguintes esquemas químicos:
(I) Na2O(s) + H2O(L) → NaOH(aq)
(II) Cu(s) + AgNO3(aq) → Cu(NO3)2(aq) + Ag(s)
(III) MnO2(s) + HCL(aq) → MnCL2(aq) + CL2(g) + H2O(L)

3.1. Selecione a opção que contém os coeficientes estequiométricos que permitem acertar estes esquemas químicos. 8

(A) (I) 1:1:2;  (II) 1:2:1:2;  (III) 1:4:1:1:2


(B) (I) 2:1:2;  (II) 1:2:1:1;  (III) 1:4:1:1:1
(C) (I) 1:2:2;  (II) 1:2:1:2;  (III) 1:4:1:1:2
(D) (I) 2:1:2;  (II) 1:2:1:1;  (III) 1:4:1:2:2
(A).
Na2O(s) + H2O(L) → 2 NaOH(aq)
Cu(s) + 2 AgNO3(aq) → Cu(NO3)2(aq) + 2 Ag(s)
MnO2(s) + 4 HCL(aq) → MnCL2(aq) + CL2(g) + 2 H2O(L)

3.2. Considere a seguinte reação química em que metano e água são colocados a reagir para produzir di-hidrogénio

Testes
gasoso, fundamental para a síntese de diversos compostos químicos.
CH4(g) + 2 H2O(g) → CO2(g) + 4 H2(g)
Nas condições de pressão e temperatura normais (PTN), na reação de 1,00 m3 de metano (CH4) com 10,0 kg de
água obtiveram-se 100 L de di-hidrogénio.
3.2.1. Comprove que o reagente limitante nesta reação é o metano. 12

Etapa A - quantidade química dos reagentes


10,0 * 10
nH O = ⇔n= ⇔ n = 555 mol
3
m
2
M 18,02
1,00 * 10
nCH = ⇔n= ⇔ n = 44,6 mol
3
V
4
Vm 22,4
Etapa B - reagente limitante
Por comparação:

de H2O >
555 mol 44,6 mol
de CH4
2 1
Portanto, o metano é o reagente limitante.
3.2.2. Selecione a opção que contém o rendimento da reação de síntese. 8

(A) 57,2% (B) 0,401%


(C) 2,50% (D) 3,57%
(C).
Dado que o metano é o reagente limitante e como a estequiometria da reação é de 1:4:
EQ11DP © Porto Editora

= ⇔ x = 1,78 * 102 mol de H2 (teórico)


1 mol de CH4 4 mol de H2
44,6 mol de CH4 x

73

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 73 4/2/16 10:24 AM


Teste de Avaliação 1

A quantidade obtida foi:


1,00 * 10
nH = ⇔n= ⇔ n = 4,46 mol
2
V

EQ11DP © Porto Editora


2
Vm 22,4
O rendimento foi:

h (%) = * 100 ⇔
quantidade de produto obtido
quantidade de produto previsto

⇔ h (%) = * 100 ⇔ h (%) = 2,50%


4,46
178

3.3. Os seres vivos são exemplos de sistemas complexos em que ocorrem imensas reações químicas. Uma das mais
importantes que ocorre no organismo humano é a que transforma glicose (C6H12O6) em dióxido de carbono e
água, por reação com o dioxigénio do ar.

Oxigénio Glicose
Comburente Combustível

Água
Energia
Dióxido
de carbono Óxidos

C6H12O6(s) + 6 O2(g) → 6 CO2(g) + 6 H2O(g)


3.3.1. Determine, para a reação completa com excesso de dioxigénio, o volume de dióxido de carbono libertado 12
para o ambiente na transformação dos 20 g de glicose, nas condições PTN.
Etapa A - quantidade química de glicose

n= ⇔n= ⇔ n = 0,11 mol


m 20
M 180,16
Etapa B - volume de CO2
Como a estequiometria é de 1:6:

= ⇔ x = 0,66 mol
1 mol 6 mol
0,11 mol x

n= ⇔ 0,66 = ⇔ V = 15 dm3
V V
Vm 22,4
3.3.2. Selecione a opção que contém a quantidade de dioxigénio que reagiu com os 20 g de glicose. 8

(A) 0,66 mol


(B) 0,33 mol
(C) 0,11 mol
(D) 15 L
(A).

n= ⇔n= ⇔ n = 0,11 mol


m 20
M 180,16
Como a estequiometria (também) é de 1:6:

= ⇔ x = 0,66 mol
1 mol 6 mol
0,11 mol x

74

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 74 4/2/16 10:24 AM


Teste de Avaliação 1

Grupo IV

4. A síntese do etanoato de etilo (CH3CO2C2H5) permite obter um solvente, com inúmeras aplicações industriais. Pode
ser utilizado para remover o verniz das unhas ou extrair a cafeína do café. É sintetizado fazendo reagir etanol
(C2H5OH) com ácido acético (CH3CO2H).

C2H5OH(L) + CH3CO2H(L) b CH3CO2C2H5(aq) + H2O(L)


Ácido sulfúrico

r (CH3CO2H) = 1,0492 g mL- 1 r (C2H5OH) = 0,7893 g mL- 1 M (CH3CO2C2H5) = 88,11 g mol- 1


M (CH3CO2H) = 60,05 g mol- 1 M (C2H5OH) = 40,07 g mol- 1 M (H2O) = 18,02 g mol- 1

4.1. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8

Fazendo reagir igual volume de ambos os reagentes, é possível afirmar que…


(A) … a quantidade química dos reagentes não é a mesma.
(B) … ambos os reagentes são limitantes.
(C) … o volume de solução final é igual ao volume de solução inicial.
(D) … toda a massa inicial de reagentes é transformada em produtos da reação.
(A).
Como os reagentes não são gasosos, não se pode afirmar que a quantidade química seja a mesma para o
mesmo volume (como se poderia se fossem gases nas mesma condições de pressão e temperatura).
Consequentemente, apesar de o volume ser o mesmo, não terão a mesma quantidade química e sendo a
estequiometria a mesma (1:1) apenas um dos dois reagentes será limitante. Havendo um reagente limitante, o
outro estará em excesso, pelo que a massa deste reagente não será completamente transformada em massa
de produtos da reação. Por fim, não existem dados suficientes (massa volúmica da solução final) para afirmar
que o volume de solução final é igual ao volume de solução inicial.

Testes
4.2. Selecione a expressão que permite determinar o volume de etanol necessário para fazer reagir completamente 8
10 mL de ácido acético.
40,07 * 0,7893 0,7893 * 10 60,05
*
1,0492 * 10 * 60,05
(A) mL (B) mL
40,07 1,0492
1,0492 * 10 * 60,05 1,0492 * 10 40,07
*
40,07 * 0,7893
(C) mL (D) mL
60,05 0,7893
(B).
Da estequiometria da reação (1:1) verifica-se que netanol = nácido acético.
Como:
n*M retanol * V 0,7893 * 10
r= ⇔r= ⇔n= ⇔n=
m
mol
V V Metanol 40,07
Então:
n*M n * Mácido 0,7893 * 10
r= ⇔r= ⇔V= ⇔V=a b*
m 60,05
mL
V V r ácido 40,07 1,0492

4.3. Selecione a expressão que permite determinar a massa de etanoato de etilo que se forma quando são produzi- 8
das 2,00 mol de água.
2,00 * 88,11 2,00 * 18,02
(C) 2,00 * 88,11 g
2,00
(A) g (B) g (D) g
18,02 88,11 88,11
(C).
Da estequiometria da reação (1:1) verifica-se que nágua = netanoato de etilo.
Como:
EQ11DP © Porto Editora

n= ⇔ 2,00 = ⇔ m = 2,00 * 88,11 g


m m
M 88,11

75

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 75 4/2/16 10:24 AM


Teste de Avaliação 1

Grupo V

5. Na síntese do ácido acetilsalicílico é adicionada aos reagentes uma pequena quantidade de ácido sulfúrico (H2SO4)
concentrado. A utilização de ácidos fortes obriga a cuidados especiais no seu manuseamento. Como referência, o
valor-limite de exposição prolongada deste ácido não deve ultrapassar 0,2 mg/m3.

5.1. Identifique a opção que contém medidas de segurança essenciais a implementar no laboratório escolar durante 8
a utilização deste ácido concentrado.
(A) Afastar de fontes de combustão, fontes de calor e explosivos.
(B) Guardar o frasco que contém a solução concentrada no fundo de uma prateleira contendo reagentes sólidos.

EQ11DP © Porto Editora


(C) Colocar soluções de bases fortes junto desta solução para a poder neutralizar caso seja necessário.
(D) Usar esta solução apenas na hotte, servindo-se de luvas, bata e óculos de segurança.
(D).
Como o ácido é corrosivo e volátil deve ser utilizado na hotte, servindo-se de luvas, bata e óculos de segurança.
Reagentes aquosos não devem ser guardados junto de reagentes sólidos. A neutralização é realizada com
bases mas a neutralização de ácidos fortes com bases fortes é exotérmica, portanto, deve ser evitada. Embora
o ácido não deva estar junto de fontes de calor e explosivos, não é (geralmente) um combustível.

5.2. Determine se o valor-limite de exposição é ultrapassado quando 2 gotas da solução ácida concentrada são dei- 16
xadas cair num laboratório escolar cujas dimensões são: comprimento: 10 m, largura: 8,0 m e altura: 3,0 m.
Considere que uma gota contém aproximadamente 0,050 mL de solução e que é totalmente evaporada.
% (m/m) = 98% r (H2SO4) = 1,84 g/mL M (H2SO4) = 98,08 g mol- 1
Etapa A - massa H2SO4 presente nas 2 gotas

r= ⇔ m = 1,84 * (2 * 0,050) ⇔ m = 0,18 g = 1,8 * 102 mg de solução


m
V

% m/m = * 100 ⇔ msoluto = * msolução ⇔


msoluto % m/m
msolução 100

⇔ msoluto = * 1,8 * 102 = 1,8 * 102 mg


98
100
Etapa B - volume da sala
V = 10 * 8,0 * 3,0 ⇔ V = 240 m3
Etapa C - concentração mássica
1,8 * 102 mg
cm = ⇔ cm = = 0,75 mg m- 3
m
V 240 m3
Como este valor é superior a 0,2 mg m- 3, o valor-limite de exposição foi ultrapassado.

5.3. Para sintetizar o ácido acetilsalicílico um grupo de alunos dissolveu 2,027 g de ácido salicílico (reagente limi-
tante) em 5 mL de anidrido acético e adicionou 5 gotas de ácido sulfúrico.

O O
O O O
C H2SO4 C
OH C C OH C
+ H 3C O CH3 + H3C OH
OH O
C
O CH3

76

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 76 4/2/16 10:24 AM


Teste de Avaliação 1

5.3.1. Selecione a opção que identifica a função do ácido sulfúrico. 8

(A) É o reagente limitante.


(B) Serve de catalisador.
(C) Serve para aquecer a solução pois a sua dissolução em água é exotérmica.
(D) É o reagente em excesso.
(B).
O ácido sulfúrico atua como catalisador da reação, isto é, não atua como reagente.
5.3.2. Determine o rendimento da síntese efetuada sabendo que se obteve a massa de 2,522 g do conjunto sal e 16
papel de filtro, este último de massa 0,401 g.
M (C7H6O3) = 138,12 g mol- 1;    M (C4H6O3) = 102,09 g mol- 1;    M (C9H8O4) = 180,16 g mol- 1
Etapa A - quantidade química do reagente limitante

n= ⇔n= ⇔ n = 1,468 * 10- 2 mol


m 2,027
M 138,12
Etapa B - massa prevista
Como a estequiometria é de 1:1:

n= ⇔ 1,468 * 10- 2 = ⇔ m = 2,645 g


m m
M 180,16
Etapa C - rendimento
2,522 - 0,401
h (%) = * 100 ⇔ h (%) = * 100 ⇔
quantidade de produto obtido
quantidade de produto previsto 2,645
⇔ h (%) = 80,19%

Testes
EQ11DP © Porto Editora

77

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 77 4/2/16 10:24 AM


Critérios de correção do Teste de Avaliação 1

EQ11DP © Porto Editora


Grupo I Etapa B - dose de fosgénio inalado

= ⇔ x = 1,4 mg
1.1. ...................................................................................... 8 pontos 98,92 mg x
(D) 70 kg 1 kg

1.2. .....................................................................................12 pontos Por comparação:


Etapa A - massa de reagentes e produtos <
1,4 mg 25 mg
1 kg 1 kg
mreagentes = mC H + mCL ⇔ mreagentes = 42,08 + 70,90 ⇔
pelo que o limite de exposição não foi ultrapassado.
⇔ mreagentes = 112,98 g
3 6 2

mprodutos = mC H CL ⇔ mprodutos = 76,52 g


3 5

Grupo III
Etapa B - cálculo da economia atómica percentual
mtotal de átomos incorporados no produto desejado 3.1. .......................................................................................8 pontos
e.a.(%) = * 100 ⇔
mtotal de átomos nos reagentes (A)

⇔ e.a.(%) = * 100 ⇔ e.a.(%) = 67,73%


76,52 3.2.1. ...................................................................................12 pontos
Etapa A - quantidade química dos reagentes
112,98
1.3. .......................................................................................8 pontos 10,0 * 103
nH O = ⇔ n = ⇔ n = 555 mol
m
(C) 2
M 18,02
1,00 * 10
nCH = ⇔n= ⇔ n = 44,6 mol
3
V
1.4.1. ....................................................................................12 pontos
Vm4
22,4
Tópico A
Etapa B - reagente limitante
aCH2 =CHCH3 + CH3COOH + O2 → CH2 =CHCH2OCOCH3 + H2Ob
1
2 Por comparação:
+ (CH2 =CHCH2OCOCH3 + H2O → CH2 =CHCH2OH + CH3COOH) de H2O >
555 mol 44,6 mol
de CH4
2 1
CH2 =CHCH3 + O2 → CH2 =CHCH2OH
1
2 Portanto, o metano é o reagente limitante.

Tópico B 3.2.2. ....................................................................................8 pontos

Dado que, na reação global, não se forma nenhum outro (C)


produto da reação para além do esperado, a reação tem 3.3.1. ...................................................................................12 pontos
economia atómica percentual igual a 100%. Etapa A - quantidade química de glicose
n= ⇔n= ⇔ n = 0,11 mol
1.4.2. ...................................................................................12 pontos m 20
Etapa A - quantidade química de propeno M 180,16
Etapa B - volume de CO2
n= ⇔n= ⇔
m 85,16
M 42,08 Como a estequiometria é de 1:6:
⇔ n = 2,024 mol
= ⇔ x = 0,66 mol
1 mol 6 mol
Etapa B - massa de prop-2-en-1-ol 0,11 mol x

n= ⇔ 0,66 = ⇔ V = 15 dm3
V V
Como a estequiometria da reação é 1:1:
Vm 22,4
= ⇔ x = 2,024 mol
1 mol 1 mol
2,024 mol x 3.3.2. ....................................................................................8 pontos

n = ⇔ 2,024 = ⇔
m m (A)
M 58,08
⇔ m = 117,6 g
Grupo IV
4.1. .......................................................................................8 pontos
Grupo II
(A)
2.1. ...................................................................................... 8 pontos
4.2. .......................................................................................8 pontos
(B)
(B)
2.2. .......................................................................................8 pontos
4.3. .......................................................................................8 pontos
(A)
(C)
2.3. .....................................................................................12 pontos
Etapa A - massa do gás
n = ⇔ 1,00 * 10- 3 = ⇔
m m
M 98,92
⇔ m = 9,892 * 10- 2 g = 98,92 mg

78

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 78 4/2/16 10:24 AM


Grupo V 5.3.1. .....................................................................................8 pontos
5.1. .......................................................................................8 pontos (B)
(D) 5.3.2. ..................................................................................16 pontos
5.2. .....................................................................................16 pontos Etapa A - quantidade química do reagente limitante
Etapa A - massa de H2SO4 presente nas 2 gotas n=
m
⇔n=
2,027
⇔ n = 1,468 * 10- 2 mol
M 138,12
r= ⇔ m = 1,84 * (2 * 0,050) ⇔
m
V Etapa B - massa prevista
⇔ m = 0,18 g = 1,8 * 102 mg de solução
Como a estequiometria é de 1:1:
% m/m = * 100 ⇔ msoluto = * msolução ⇔
msoluto % m/m
n = ⇔ 1,468 * 10- 2 = ⇔ m = 2,645 g
m m
msolução 100 M 180,16
⇔ msoluto = * 1,8 * 102 = 1,8 * 102 mg
98
100 Etapa C - rendimento

Etapa B - volume da sala h (%) = * 100 ⇔


quantidade de produto obtido

V = 10 * 8,0 * 3,0 ⇔ V = 240 m 3


quantidade de produto previsto
2,522 - 0,401
Etapa C - concentração mássica ⇔ h (%) = * 100 ⇔ h (%) = 80,19%
2,645
1,8 * 10 mg 2

cm = ⇔ cm = = 0,75 mg m- 3
m
V 240 m3 TOTAL ......................................................................... 200 pontos
Como este valor é superior a 0,2 mg m- 3, o valor-limite de
exposição foi ultrapassado.

Testes
EQ11DP © Porto Editora

79

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 79 4/2/16 10:24 AM


80
Grupo I II III IV V
Item 1.1. 1.2. 1.3. 1.4.1. 1.4.2. 2.1. 2.2. 2.3. 3.1. 3.2.1. 3.2.2. 3.3.1. 3.3.2. 4.1. 4.2. 4.3. 5.1. 5.2. 5.3.1. 5.3.2. Total
Cotação 8 12 8 12 12 8 8 12 8 12 8 12 8 8 8 8 8 16 8 16 200
N.° Aluno
1
Teste de Avaliação 1

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 80
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
Grelha de classificação do Teste de Avaliação 1

19
20
Turma: 11.°

21
22
23
24
25
26
  Data do teste:

27
28
29
-

30
-

Balanço N.° de alunos Média das notas Nota mais elevada Nota mais baixa N.° de positivas N.° de negativas % de positivas % de negativas
do teste
EQ11DP © Porto Editora

4/2/16 10:24 AM
Matriz do Teste de Avaliação 2
Domínio 1 Equilíbrio químico
Item Cotação Total

SD2. Equilíbrio químico e extensão das reações químicas

1.2. 12
M5  2.1. Reações incompletas e equilíbrio químico
1.3.1. 8

1.3.2. 8

1.3.4. 8

3.1. 12
M6   2.2. Extensão das reações químicas
3.3. 12

4.1. 16

4.3. 12 148

1.1. 8

1.3.3. 8

Testes
2.1. 12

M7  2.3. Fatores que alteram o equilíbrio químico 2.2. 8

2.3. 8

3.2. 8

4.2. 8

5.1. 12

5.2. 8

AL1.2   Efeito da concentração no equilíbrio químico 5.3.1. 8 52

5.3.2. 8

5.4. 16
EQ11DP © Porto Editora

EQ11DP – 06 81

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 81 4/2/16 11:06 AM


EQ11DP © Porto Editora
TA Teste de Avaliação 2
Escola Data
Nome N.º Turma
Professor Classificação

Para responder aos itens de escolha múltipla, selecione a única opção (A, B, C ou D) que
permite obter uma afirmação correta ou responder corretamente à questão colocada.
Se apresentar mais do que uma opção, a resposta será classificada com zero pontos.
O mesmo acontece se a letra transcrita for ilegível.

Grupo I Cotações

1. No equilíbrio químico o quociente entre o produto da concentração dos reagentes e o produto da concentração dos
produtos de uma reação química, elevados aos seus respetivos coeficientes estequiométricos, mantém-se cons-
tante ao longo do tempo, embora a reação continue a ocorrer.
Teoricamente, todas as reações químicas ocorrem nos dois sentidos: os reagentes transformam-se em produtos e
os produtos transformam-se em reagentes.
Estas reações são reversíveis.
Contudo, em certas reações, como a de combustão, praticamente 100% dos reagentes são convertidos em produtos,
e não se observa a reação no sentido contrário (ou pelo menos não em escala mensurável); tais reações são
chamadas de irreversíveis. O conceito de equilíbrio químico restringe-se às reações reversíveis.
Adaptado de https://pt.wikipedia.org/wiki/Equil%C3%ADbrio_qu%C3%ADmico (01/02/2016)

1.1. Existem vários fatores que podem afetar o equilíbrio químico e/ou o rendimento de uma reação química. 8

Selecione a opção correta.


(A) A alteração da temperatura apenas influencia o equilíbrio químico mas não altera o valor da constante de
equilíbrio.
(B) Alterações de pressão e temperatura alteram o valor do rendimento da reação e a constante de equilíbrio.
(C) A alteração da concentração de um reagente ou produto da reação não altera o valor do rendimento da rea-
ção nem da constante de equilíbrio químico.
(D) Alterações na temperatura influenciam geralmente o rendimento da reação, alteram o estado de equilíbrio
químico e o valor da constante de equilíbrio químico.

1.2. Comente a seguinte afirmação: 12

“Reações reversíveis nunca podem ter um rendimento de 100%, ao contrário das reações de combustão.”

1.3. O equilíbrio químico em que o tetróxido de dinitrogénio (N2O4) se transforma em dióxido de nitrogénio (NO2) está
apresentado na equação seguinte:
N2O4(g) ⇌ 2 NO2(g)   DH > 0
O tetróxido de dinitrogénio gasoso apresenta-se incolor e o dióxido de nitrogénio vermelho-acastanhado.

82

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 82 4/2/16 11:06 AM


Teste de Avaliação 2

Considere dois equilíbrios químicos alcançados, à mesma temperatura, em duas situações diferentes.
No gráfico A, partindo de uma concentração inicial de 0,0500 mol/L de tetróxido de dinitrogénio e, no gráfico B,
partindo de uma concentração inicial de 0,1000 mol/L de dióxido de nitrogénio.

A Equilíbrio B Equilíbrio
0,10 0,10
Concentração (mol/L)

Concentração (mol/L)
0,09 0,09
0,08 0,08
0,07 0,07
0,06 0,06
0,05 [N2O4] 0,05
[N2O4]
0,04 0,04
0,03 0,03
0,02 0,02
[NO2]
0,01 [NO2] 0,01
0 0
1750 1750
Tempo (ns) Tempo (ns)
   

Fonte: “General Chemistry – principles, patterns and applications”, The Saylor Foundation

Em ambas as situações, a concentração no equilíbrio químico foi:


[NO2 ] e = 0,0156 mol dm- 3 e [N2O4 ] e = 0,0422 mol dm- 3.
1.3.1. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8

É possível concluir que…

Testes
(A) … o equilíbrio químico é atingido mais rapidamente quando no início da reação apenas existe o rea-
gente (N2O4).
(B) … o equilíbrio químico é atingido mais rapidamente quando no início da reação apenas existe o pro-
duto da reação (NO2).
(C) … a constante de equilíbrio é a mesma quer apenas exista inicialmente reagente ou produto da rea-
ção.
(D) … a velocidade da reação no sentido direto aumenta sempre com o decorrer da reação, até que se es-
tabeleça o equilíbrio químico.
1.3.2. Indique a relação que existe (maior, menor ou igual) entre o quociente da reação no início da reação des- 8
crita pelo gráfico A e a constante de equilíbrio.
1.3.3. Selecione a opção que permite obter uma cor vermelho-acastanhada mais intensa. 8

(A) Aumento da pressão do sistema reacional.


(B) Diminuição da concentração do produto da reação (NO2).
(C) Aumento da temperatura.
(D) Diminuição da temperatura.
1.3.4. Selecione a opção que contém a expressão que permite determinar o valor da constante de equilíbrio à 8
temperatura considerada.
(0,0156)
2
0,0156
(A) (B)
0,0422 0,0422
2
0,0422 0,0156
(C) (D) a b
(0,0156) 0,0422
EQ11DP © Porto Editora

83

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 83 4/2/16 11:06 AM


Teste de Avaliação 2

Grupo II

2. A reação de formação do amoníaco é uma das mais importantes da indústria mundial.

EQ11DP © Porto Editora


3 H2(g) + N2(g) ⇌ 2 NH3(g)  com  0 DH 0 = 92 kJ
Os valores da constante de equilíbrio do sistema em equilíbrio, a diferentes temperaturas, para o equilíbrio apresentado
surgem na tabela seguinte.

Temperatura (K) Kc

500 90

600 3

700 0,3

800 0,04

2.1. Justifique, com base nos valores da tabela, que a reação de síntese do amoníaco é exoenergética. 12

2.2. Selecione a opção que contém o gráfico que melhor traduz a variação da concentração em função do tempo de 8
todas as espécies químicas presentes neste equilíbrio reacional, quando a um sistema em equilíbrio químico se
adiciona amoníaco.
(A) (B)
Concentração

Concentração
H2 H2

NH3 NH3

N2 N2

t1 t2 t3 Tempo t1 t2 t3 Tempo

(C) (D)
Concentração

Concentração

H2 H2

NH3 NH3

N2 N2

t1 t2 t3 Tempo t1 t2 t3 Tempo

2.3. A adição de ácido clorídrico ao equilíbrio químico leva à formação de cloreto de amónio de acordo com a se- 8
guinte equação:
NH3(aq) + HCL(aq) ⇌ NH4CL(aq)
Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
A adição de ácido clorídrico ao equilíbrio inicial…
(A) … faz diminuir o rendimento da reação de síntese de amoníaco.
(B) … aumenta o valor da constante de equilíbrio da síntese de amoníaco.
(C) … obriga a reação de síntese a evoluir no sentido direto.
(D) … aumenta a concentração de reagentes na reação de síntese de amoníaco.

84

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 84 4/2/16 11:06 AM


Teste de Avaliação 2

Grupo III

3. O pentacloreto de fósforo (PCL5) é utilizado na química orgânica para substituir grupos hidróxilo de álcoois por
átomos de cloro. Este composto não deve ser exposto a elevadas temperaturas porque se decompõe libertando
“gás cloro” (CL2) extremamente venenoso.
PCL5(g) ⇌ PCL3(g) + CL2(g)  Kc = 0,0420 a 250 °C

3.1. Determine a concentração de tricloreto de fósforo (PCL3) em equilíbrio químico, quando num recipiente fechado 12
de 1,00 L de capacidade se introduzem, inicialmente, 52,0 g de pentacloreto de fósforo e se aquece o recipiente
até uma temperatura de 250 °C.

3.2. Selecione a opção que permite aumentar o rendimento da reação apresentada. 8

(A) Adicionar mais pentacloreto de fósforo à mistura.


(B) Aumentar a pressão dentro do vaso reacional por adição de um gás inerte.
(C) Diminuir a temperatura do vaso reacional.
(D) Diminuir a concentração de dicloro.

3.3. Determine a concentração em equilíbrio químico de pentacloreto de fósforo quando, numa outra experiência, se 12
adiciona inicialmente 1,00 mol de todas as espécies químicas da mistura, nas mesmas condições de tempera-
tura e volume da alínea 3.1..
M (PCL5) = 208,24 g mol- 1

Grupo IV

Testes
4. Considere a reação entre o vapor de água e o monóxido de carbono:
H2O(g) + CO(g) ⇌ H2(g) + CO2(g)
Nesta reação elimina-se um composto altamente tóxico, o monóxido de carbono, e obtém-se hidrogénio molecular,
substância com elevado valor comercial.

4.1. Adicionou-se vapor de água a monóxido de carbono num recipiente fechado a temperatura constante, com 16
concentrações iniciais destes reagentes iguais a 36,0 g/L e 1,00 mol/L, respetivamente. Atingido o equilíbrio
químico, determinou-se o rendimento da reação, obtendo-se o valor de 90%.
Comprove que o valor da constante de equilíbrio para esta reação, à temperatura considerada, é 7,4.
M (H2O) = 18,02 g mol- 1   M (CO) = 28,01 g mol- 1

4.2. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8

Com base no Princípio de Le Châtelier, é possível prever que adicionando a reação vai evoluir no
sentido .
(A) … di-hidrogénio… direto (B) … monóxido de carbono… inverso
(C) … vapor de água… direto (D) … dióxido de carbono… direto

4.3. Ao sistema são adicionados todos os componentes da mistura, à mesma temperatura da alínea 4.1., de forma 12
que as concentrações da mistura neste instante sejam as expressas na tabela seguinte (em mol/L).

[H2O] [CO] [H2 ] [CO2 ]

10 10 2,0 2,0
EQ11DP © Porto Editora

Determine o quociente da reação para este instante e indique, justificando, em que sentido irá evoluir esta rea-
ção até atingir um novo equilíbrio químico.

85

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 85 4/2/16 11:06 AM


Teste de Avaliação 2

Grupo V

5. Para investigar alterações de equilíbrios químicos em sistemas aquosos por variação da concentração de reagentes

EQ11DP © Porto Editora


e produtos, um grupo de alunos resolveu alterar a concentração das espécies químicas envolvidas no seguinte equi-
líbrio químico:
Fe3 + (aq) + SCN- (aq) ⇌ FeSCN2 + (aq)
(Amarelo) (Incolor) (Vermelho)

Para cumprir com este objetivo, os alunos puderam utilizar as soluções aquosas, com iguais concentrações, dos se-
guintes sais:
Nitrato de prata (AgNO3) Tiocianato de sódio (NaSCN)
Cloreto de potássio (KCL) Nitrato de ferro(III) [Fe(NO3)3 ]
Hidróxido de sódio (NaOH)
Começaram por colocar 4 gotas da solução contendo o tiocianoferrato(III), catião ferro(III) e tiocianato em várias
concavidades de uma placa de microescala, devidamente numerada, tendo o cuidado de deixar como teste de
controlo a concavidade 1.

5.1. Explique a necessidade da existência de uma concavidade de controlo. Identifique o conteúdo desta concavidade. 12

5.2. Sabendo que: 8

A adição de nitrato de prata à solução em equilíbrio forma o tiocianato de prata:


AgNO3(aq) + SCN- (aq) ⇌ AgSCN(s) + NO-3(aq)
e a adição de cloreto de potássio à solução em equilíbrio forma o tetracloroferrato(III):
Fe3 + (aq) + 4 KCL(aq) ⇌ FeCL4- (aq) + 4 K+ (aq)
selecione a opção que indica em que sentido irá evoluir o equilíbrio químico a estudar pela adição de nitrato de
prata e cloreto de potássio.
(A) A adição de ambos leva o equilíbrio químico a evoluir no sentido direto.
(B) A adição de ambos leva o equilíbrio químico a evoluir no sentido inverso.
(C) A adição de nitrato de prata leva o equilíbrio químico a evoluir no sentido direto e a adição de cloreto de
potássio leva o equilíbrio químico a evoluir no sentido inverso.
(D) A adição de nitrato de prata leva o equilíbrio químico a evoluir no sentido inverso e a adição de cloreto de
potássio obriga o equilíbrio químico a evoluir no sentido direto.

5.3. Os alunos verificaram que a adição das soluções de nitrato de ferro(III) e tiocianato de sódio tornaram a solução
mais vermelha. A adição de hidróxido de sódio tornou a solução final mais amarela.
5.3.1. Escreva a reação de captura do catião ferro(III) que ocorre na solução contendo o equilíbrio químico por 8
adição de hidróxido de sódio.
5.3.2. Selecione a opção que contém os termos que completam corretamente a frase seguinte. 8

Por mudança da concentração dos reagentes, a cor mais vermelha resulta da evolução do equilíbrio
químico no sentido e a cor mais amarela da evolução do equilíbrio químico no sentido
.
(A) … direto… inverso (B) … direto… direto
(C) … inverso… inverso (D) … inverso… direto

5.4. Depois de refletirem sobre os resultados, os alunos preveem que a adição de um sal contendo 16
tiocianoferrato(III) iria tornar, no novo estado de equilíbrio químico, a cor vermelha da solução ainda mais
intensa do que antes da perturbação.
Elabore um texto onde explique se concorda ou não com esta conclusão, justificando convenientemente. 

86

EQ11DP_20153724_P052_115_CImg.indd 86 4/2/16 4:38 PM


TA Teste de Avaliação 2
Escola Data
Nome N.º Turma
Professor Classificação

Para responder aos itens de escolha múltipla, selecione a única opção (A, B, C ou D) que
permite obter uma afirmação correta ou responder corretamente à questão colocada.
Se apresentar mais do que uma opção, a resposta será classificada com zero pontos.
O mesmo acontece se a letra transcrita for ilegível.

Grupo I Cotações

1. No equilíbrio químico o quociente entre o produto da concentração dos reagentes e o produto da concentração dos
produtos de uma reação química, elevados aos seus respetivos coeficientes estequiométricos, mantém-se cons-
tante ao longo do tempo, embora a reação continue a ocorrer.
Teoricamente, todas as reações químicas ocorrem nos dois sentidos: os reagentes transformam-se em produtos e
os produtos transformam-se em reagentes.
Estas reações são reversíveis.
Contudo, em certas reações, como a de combustão, praticamente 100% dos reagentes são convertidos em produtos,
e não se observa a reação no sentido contrário (ou pelo menos não em escala mensurável); tais reações são
chamadas de irreversíveis. O conceito de equilíbrio químico restringe-se às reações reversíveis.
Adaptado de https://pt.wikipedia.org/wiki/Equil%C3%ADbrio_qu%C3%ADmico (01/02/2016)

Testes
1.1. Existem vários fatores que podem afetar o equilíbrio químico e/ou o rendimento de uma reação química. 8

Selecione a opção correta.


(A) A alteração da temperatura apenas influencia o equilíbrio químico mas não altera o valor da constante de
equilíbrio.
(B) Alterações de pressão e temperatura alteram o valor do rendimento da reação e a constante de equilíbrio.
(C) A alteração da concentração de um reagente ou produto da reação não altera o valor do rendimento da rea-
ção nem da constante de equilíbrio químico.
(D) Alterações na temperatura influenciam geralmente o rendimento da reação, alteram o estado de equilíbrio
químico e o valor da constante de equilíbrio químico.
(D).
Os fatores que afetam o equilíbrio químico e o rendimento da reação são:
– temperatura;
– concentração;
– pressão e volume (para reações com compostos gasosos).
Destes, apenas a temperatura altera o valor da constante de equilíbrio. Excetuam-se nesta generalidade as
reações atérmicas.

1.2. Comente a seguinte afirmação: 12

“Reações reversíveis nunca podem ter um rendimento de 100%, ao contrário das reações de combustão.”
Tópico A
EQ11DP © Porto Editora

Nas reações reversíveis, logo que uma certa quantidade de produto(s) é formada, passa a verificar-se a
formação de reagente(s).
Nas reações de combustão esta reversibilidade praticamente não existe.

87

EQ11DP_20153724_P052_115_CImg.indd 87 4/2/16 4:15 PM


Teste de Avaliação 2

Tópico B
Na reação reversível, como a quantidade de todo(s) o(s) reagente(s) nunca é nula, a transformação de reagentes
em produtos também nunca é total. Assim, o rendimento (calculado a partir do reagente limitante) não pode

EQ11DP © Porto Editora


ser 100% e a afirmação é verdadeira.
Nas reações de combustão, como a reversibilidade praticamente não existe, o rendimento pode ser de 100%.

1.3. O equilíbrio químico em que o tetróxido de dinitrogénio (N2O4) se transforma em dióxido de nitrogénio (NO2) está
apresentado na equação seguinte:
N2O4(g) ⇌ 2 NO2(g)   DH > 0
O tetróxido de dinitrogénio gasoso apresenta-se incolor e o dióxido de nitrogénio vermelho-acastanhado.
Considere dois equilíbrios químicos alcançados, à mesma temperatura, em duas situações diferentes.
No gráfico A, partindo de uma concentração inicial de 0,0500 mol/L de tetróxido de dinitrogénio e, no gráfico B,
partindo de uma concentração inicial de 0,1000 mol/L de dióxido de nitrogénio.

A Equilíbrio B Equilíbrio
0,10 0,10

Concentração (mol/L)
Concentração (mol/L)

0,09 0,09
0,08 0,08
0,07 0,07
0,06 0,06
0,05 0,05
[N2O4] [N2O4]
0,04 0,04
0,03 0,03
0,02 0,02
[NO2]
0,01 [NO2] 0,01
0 0
1750 1750
Tempo (ns)
Tempo (ns)   
Fonte: “General Chemistry – principles, patterns and applications”, The Saylor Foundation

Em ambas as situações, a concentração no equilíbrio químico foi:


[NO2 ] e = 0,0156 mol dm- 3 e [N2O4 ] e = 0,0422 mol dm- 3.
1.3.1. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8

É possível concluir que…


(A) … o equilíbrio químico é atingido mais rapidamente quando no início da reação apenas existe o rea-
gente (N2O4).
(B) … o equilíbrio químico é atingido mais rapidamente quando no início da reação apenas existe o pro-
duto da reação (NO2).
(C) … a constante de equilíbrio é a mesma quer apenas exista inicialmente reagente ou produto da reação.
(D) … a velocidade da reação no sentido direto aumenta sempre com o decorrer da reação, até que se es-
tabeleça o equilíbrio químico.
(C).
O valor da constante de equilíbrio para uma qualquer reação é sempre o mesmo, apenas varia se for
alterada a temperatura.
Relativamente à velocidade da reação, esta apenas é alterada por uso de um catalisador, ou por
alteração da temperatura, do estado de divisão dos reagentes, agitação, fatores que não estão em estudo
nesta questão.
1.3.2. Indique a relação que existe (maior, menor ou igual) entre o quociente da reação no início da reação des- 8
crita pelo gráfico A e a constante de equilíbrio.
No início não existem produtos da reação, pelo que Qc < Kc.

88

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 88 4/2/16 11:06 AM


Teste de Avaliação 2

1.3.3. Selecione a opção que permite obter uma cor vermelho-acastanhada mais intensa. 8

(A) Aumento da pressão do sistema reacional.


(B) Diminuição da concentração do produto da reação (NO2).
(C) Aumento da temperatura.
(D) Diminuição da temperatura.
(C).
Para obter a cor vermelho-acastanhada é necessário que a reação evolua no sentido direto. Para tal, é
necessário que a concentração do reagente aumente, que a temperatura aumente (favorecendo o sentido
endotérmico) ou que a pressão diminua.
1.3.4. Selecione a opção que contém a expressão que permite determinar o valor da constante de equilíbrio à 8
temperatura considerada.
(0,0156)
2
0,0156
(A) (B)
0,0422 0,0422
2
0,0422 0,0156
(C) (D) a b
(0,0156) 0,0422
2

(B).
[NO2 ] e (0,0156)2
2

Kc = ⇔ Kc =
[N2O4 ] e 0,0422

Grupo II

Testes
2. A reação de formação do amoníaco é uma das mais importantes da indústria mundial.
3 H2(g) + N2(g) ⇌ 2 NH3(g)  com  0 DH 0 = 92 kJ
Os valores da constante de equilíbrio do sistema em equilíbrio, a diferentes temperaturas, para o equilíbrio apresentado
surgem na tabela seguinte.

Temperatura (K) Kc

500 90

600 3

700 0,3

800 0,04

2.1. Justifique, com base nos valores da tabela, que a reação de síntese do amoníaco é exoenergética. 12

Tópico A
Da análise da tabela verifica-se que o aumento da temperatura provoca a diminuição do valor da constante de
equilíbrio químico. A diminuição do valor da constante significa que a reação evoluiu no sentido inverso.
Tópico B
De acordo com o Princípio de Le Châtelier, um aumento de temperatura favorece o sentido endoenergético que,
neste caso, é o inverso. Conclui-se, assim, que a reação é exoenergética no sentido direto.
EQ11DP © Porto Editora

89

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 89 4/2/16 11:06 AM


Teste de Avaliação 2

2.2. Selecione a opção que contém o gráfico que melhor traduz a variação da concentração em função do tempo de 8
todas as espécies químicas presentes neste equilíbrio reacional, quando a um sistema em equilíbrio químico se

EQ11DP © Porto Editora


adiciona amoníaco.
(A) Concentração (B)

Concentração
H2 H2

NH3 NH3

N2 N2

t1 t2 t3 Tempo t1 t2 t3 Tempo

(C) (D)
Concentração

Concentração
H2 H2

NH3 NH3

N2 N2

t1 t2 t3 Tempo t1 t2 t3 Tempo

(A).
A adição de amoníaco faz aumentar, no instante t2, a sua concentração, o que exclui o gráfico D. Depois, a
reação evolui no sentido inverso, diminuindo a concentração de amoníaco e aumentando a concentração de
di-hidrogénio e dinitrogénio.

2.3. A adição de ácido clorídrico ao equilíbrio químico leva à formação de cloreto de amónio de acordo com a se- 8
guinte equação:
NH3(aq) + HCL(aq) ⇌ NH4CL(aq)
Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.
A adição de ácido clorídrico ao equilíbrio inicial…
(A) … faz diminuir o rendimento da reação de síntese de amoníaco.
(B) … aumenta o valor da constante de equilíbrio da síntese de amoníaco.
(C) … obriga a reação de síntese a evoluir no sentido direto.
(D) … aumenta a concentração de reagentes na reação de síntese de amoníaco.
(C).
A adição de um reagente ao equilíbrio químico favorece sempre o sentido direto da reação.

Grupo III

3. O pentacloreto de fósforo (PCL5) é utilizado na química orgânica para substituir grupos hidróxilo de álcoois por
átomos de cloro. Este composto não deve ser exposto a elevadas temperaturas porque se decompõe libertando
“gás cloro” (CL2) extremamente venenoso.
PCL5(g) ⇌ PCL3(g) + CL2(g)  Kc = 0,0420 a 250 °C

90

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 90 4/2/16 11:06 AM


Teste de Avaliação 2

3.1. Determine a concentração de tricloreto de fósforo (PCL3) em equilíbrio químico, quando num recipiente fechado 12
de 1,00 L de capacidade se introduzem, inicialmente, 52,0 g de pentacloreto de fósforo e se aquece o recipiente
até uma temperatura de 250 °C.
Etapa A – concentração de PCL5

n= ⇔n= ⇔ n = 0,250 mol


m 52,0
M 208,24

c= ⇔c= ⇔ c = 0,250 mol L- 1


n 0,250
V 1,00
Etapa B – concentração de PCL3
[PCL3 ] e * [CL2 ] e x*x
Kc = ⇔ 0,0420 = ⇔ x = 0,0835 mol L- 1 = [PCL3 ] e
[PCL5 ] e (0,250 - x)

3.2. Selecione a opção que permite aumentar o rendimento da reação apresentada. 8

(A) Adicionar mais pentacloreto de fósforo à mistura.


(B) Aumentar a pressão dentro do vaso reacional por adição de um gás inerte.
(C) Diminuir a temperatura do vaso reacional.
(D) Diminuir a concentração de dicloro.
(D).
Para aumentar o rendimento da reação é necessário que a reação evolua no sentido direto. Para tal é
necessário que a temperatura aumente (favorecendo o sentido endotérmico), que a pressão diminua ou que a
concentração de um dos produtos da reação diminua.

3.3. Determine a concentração em equilíbrio químico de pentacloreto de fósforo quando, numa outra experiência, se 12

Testes
adiciona inicialmente 1,00 mol de todas as espécies químicas da mistura, nas mesmas condições de tempera-
tura e volume da alínea 3.1..
M (PCL5) = 208,24 g mol- 1
Etapa A – identificação da evolução do sentido da reação
A concentração inicial de todas as espécies é a mesma:

c= ⇔ c= ⇔ c = 1,00 mol L- 1
n 1,00
V 1,00
[PCL3 ] * [CL2 ] 1,00 * 1,00
Qc = ⇔ Qc = ⇔ Qc = 1,00
[PCL5 ] 1,00
Como Qc > Kc, a reação evolui no sentido inverso.
Etapa B – concentração de PCL5
[PCL3 ] e * [CL2 ] e (1,00 - x) * (1,00 - x)
Kc = ⇔ 0,0420 = ⇔
[PCL5 ] e (1,00 + x)

⇔ x = 0,730 mol L- 1 = [PCL3 ] e

Grupo IV

4. Considere a reação entre o vapor de água e o monóxido de carbono:


H2O(g) + CO(g) ⇌ H2(g) + CO2(g)
Nesta reação elimina-se um composto altamente tóxico, o monóxido de carbono, e obtém-se hidrogénio molecular,
substância com elevado valor comercial.
EQ11DP © Porto Editora

4.1. Adicionou-se vapor de água a monóxido de carbono num recipiente fechado a temperatura constante, com 16
concentrações iniciais destes reagentes iguais a 36,0 g/L e 1,00 mol/L, respetivamente. Atingido o equilíbrio
químico, determinou-se o rendimento da reação, obtendo-se o valor de 90%.

91

EQ11DP_20153724_P052_115_CImg.indd 91 4/2/16 4:15 PM


Teste de Avaliação 2

Comprove que o valor da constante de equilíbrio para esta reação, à temperatura considerada, é 7,4.
M (H2O) = 18,02 g mol- 1   M (CO) = 28,01 g mol- 1

EQ11DP © Porto Editora


Etapa A – identificação do reagente limitante
Considerando o volume de 1,00 L:
36,0

cágua = ⇔ c = ⇔ c = 2,00 mol L- 1


n 18,02
V 1,00
Como a estequiometria da reação é 1:1 e o volume é 1,00 L, a quantidade química é numericamente igual ao
valor da concentração:

>
2,00 1,00
1 1
pelo que o monóxido de carbono é o reagente limitante.
Etapa B – determinação das concentrações em equilíbrio químico
nproduto obtido cproduto obtido * V cproduto obtido
h (%) = * 100 ⇔ h (%) = * 100 ⇔ 0,90 = ⇔ cproduto obtido = 0,90 mol L- 1
nproduto esperado cproduto esperado* V 1,00
[H2 ] e = [CO2 ] e = 0,90 mol L- 1
[CO] e = 1,00 - 0,90 = 0,10 mol L- 1
[H2O] e = 2,00 - 0,90 = 1,10 mol L- 1
Etapa C – determinação do valor da constante de equilíbrio
[H2 ] e * [CO2 ] e 0,90 * 0,90
Kc = ⇔ Kc = = 7,4
[H2O] e * [CO] e 1,10 * 0,10

4.2. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8

Com base no Princípio de Le Châtelier, é possível prever que adicionando a reação vai evoluir no
sentido .
(A) … di-hidrogénio… direto (B) … monóxido de carbono… inverso
(C) … vapor de água… direto (D) … dióxido de carbono… direto
(C).
Adicionando um dos reagentes, a reação irá evoluir no sentido direto; adicionando um dos produtos da reação,
esta evoluirá no sentido inverso.

4.3. Ao sistema são adicionados todos os componentes da mistura, à mesma temperatura da alínea 4.1., de forma 12
que as concentrações da mistura neste instante sejam as expressas na tabela seguinte (em mol/L).

[H2O] [CO] [H2 ] [CO2 ]

10 10 2,0 2,0

Determine o quociente da reação para este instante e indique, justificando, em que sentido irá evoluir esta rea-
ção até atingir um novo equilíbrio químico.
Etapa A – determinação do quociente da reação
[H2 ] * [CO2 ] 2,0 * 2,0
Qc = ⇔ Qc = ⇔ Qc = 0,040
[H2O] * [CO] 10 * 10
Etapa B – sentido da evolução
Como Qc < Kc, a reação irá evoluir no sentido direto, até que Qc = Kc.

92

EQ11DP_20153724_P052_115_CImg.indd 92 4/2/16 4:15 PM


Teste de Avaliação 2

Grupo V

5. Para investigar alterações de equilíbrios químicos em sistemas aquosos por variação da concentração de reagentes
e produtos, um grupo de alunos resolveu alterar a concentração das espécies químicas envolvidas no seguinte equi-
líbrio químico:
Fe3 + (aq) + SCN- (aq) ⇌ FeSCN2 + (aq)
(Amarelo) (Incolor) (Vermelho)

Para cumprir com este objetivo, os alunos puderam utilizar as soluções aquosas, com iguais concentrações, dos se-
guintes sais:
Nitrato de prata (AgNO3) Tiocianato de sódio (NaSCN)
Cloreto de potássio (KCL) Nitrato de ferro(III) [Fe(NO3)3 ]
Hidróxido de sódio (NaOH)
Começaram por colocar 4 gotas da solução contendo o tiocianoferrato(III), catião ferro(III) e tiocianato em várias
concavidades de uma placa de microescala, devidamente numerada, tendo o cuidado de deixar como teste de
controlo a concavidade 1.

5.1. Explique a necessidade da existência de uma concavidade de controlo. Identifique o conteúdo desta concavidade. 12

Tópico A
A concavidade de controlo serve para comparar a cor obtida em cada um dos restantes ensaios com a cor de
referência e, assim, poder concluir se a reação evoluiu no sentido direto ou no sentido inverso.
Tópico B
A esta concavidade apenas foi adicionado o equilíbrio químico inicial que contém o catião ferro(III), o tiocianato
e o tiocianoferrato(III).

5.2. Sabendo que:

Testes
8

A adição de nitrato de prata à solução em equilíbrio forma o tiocianato de prata:


AgNO3(aq) + SCN- (aq) ⇌ AgSCN(s) + NO-3(aq)
e a adição de cloreto de potássio à solução em equilíbrio forma o tetracloroferrato(III):
Fe3 + (aq) + 4 KCL(aq) ⇌ FeCL4- (aq) + 4 K+ (aq)
selecione a opção que indica em que sentido irá evoluir o equilíbrio químico a estudar pela adição de nitrato de
prata e cloreto de potássio.
(A) A adição de ambos leva o equilíbrio químico a evoluir no sentido direto.
(B) A adição de ambos leva o equilíbrio químico a evoluir no sentido inverso.
(C) A adição de nitrato de prata leva o equilíbrio químico a evoluir no sentido direto e a adição de cloreto de
potássio leva o equilíbrio químico a evoluir no sentido inverso.
(D) A adição de nitrato de prata leva o equilíbrio químico a evoluir no sentido inverso e a adição de cloreto de
potássio obriga o equilíbrio químico a evoluir no sentido direto.
(B).
A adição de agentes sequestrantes (catião prata e cloreto) diminui a concentração dos reagentes. De acordo
com o Princípio de Le Châtelier, sempre que se introduz uma alteração ao equilíbrio químico, este evolui no
sentido de contrariar essa perturbação. Neste caso, a perturbação foi a diminuição da concentração do(s)
reagente(s) – Qc > Kc – e o sentido é o inverso – até que Qc = Kc.

5.3. Os alunos verificaram que a adição das soluções de nitrato de ferro(III) e tiocianato de sódio tornaram a solução
mais vermelha. A adição de hidróxido de sódio tornou a solução final mais amarela.
5.3.1. Escreva a reação de captura do catião ferro(III) que ocorre na solução contendo o equilíbrio químico por
EQ11DP © Porto Editora

8
adição de hidróxido de sódio.
Fe3 + (aq) + 3 NaOH(aq) ⇌ Fe(OH)3(aq) + 3 Na+(aq)

93

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 93 4/2/16 11:06 AM


Teste de Avaliação 2

5.3.2. Selecione a opção que contém os termos que completam corretamente a frase seguinte. 8

Por mudança da concentração dos reagentes, a cor mais vermelha resulta da evolução do equilíbrio

EQ11DP © Porto Editora


químico no sentido e a cor mais amarela da evolução do equilíbrio químico no sentido
.
(A) … direto… inverso (B) … direto… direto
(C) … inverso… inverso (D) … inverso… direto
(A).
A cor vermelha resulta de um aumento da concentração do catião tiocianoferrato(III) e a cor amarela de
um aumento da concentração do catião ferro(III). Assim, a evolução no sentido direto aumenta a cor
vermelha e, no sentido inverso, a cor amarela.

5.4. Depois de refletirem sobre os resultados, os alunos preveem que a adição de um sal contendo 16
tiocianoferrato(III) iria tornar, no novo estado de equilíbrio químico, a cor vermelha da solução ainda mais
intensa do que antes da perturbação.
Elabore um texto onde explique se concorda ou não com esta conclusão, justificando convenientemente.
Tópico A
A adição de um sal contendo tiocianoferrato(III) irá aumentar a concentração desta espécie química. Assim, no
instante em que a espécie é adicionada, a cor da solução será vermelha, mais intensa.
Tópico B
Após a alteração ao equilíbrio químico, a adição de um produto da reação fez com que Qc > Kc, pelo que a reação
irá evoluir no sentido inverso, diminuindo a intensidade da cor vermelha.
Tópico C
A concentração do produto da reação no novo equilíbrio químico será, contudo, sempre superior à
concentração desta espécie no equilíbrio químico inicial, bem como a intensidade da cor vermelha.
A conclusão dos alunos está, por isso, correta.

94

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 94 4/2/16 11:06 AM


Critérios de correção do Teste de Avaliação 2

Grupo I Etapa B - concentração de PCL3


[PCL3 ] e * [CL2 ] e x * x
1.1. ...................................................................................... 8 pontos Kc = ⇔ 0,0420 = ⇔
[PCL5 ] e (0,250 - x)
(D)
⇔ x = 0,0835 mol L- 1 = [PCL3 ] e
1.2. .................................................................................... 12 pontos
Tópico A 3.2. ...................................................................................... 8 pontos

Nas reações reversíveis, logo que uma certa quantidade de (D)


produto(s) é formada, passa a verificar-se a formação de 3.3. .................................................................................... 12 pontos
reagente(s). Etapa A – identificação da evolução do sentido da reação
Nas reações de combustão, esta reversibilidade A concentração inicial de todas as espécies é a mesma:
praticamente não existe.
c= ⇔ c= ⇔ c = 1,00 mol L- 1
n 1,00
Tópico B V 1,00
[PCL3 ] * [CL2 ] 1,00 * 1,00
Na reação reversível, como a quantidade de todo(s) o(s) Qc = ⇔ Qc = ⇔ Qc = 1,00
reagente(s) nunca é nula, a transformação de reagentes em [PCL5 ] 1,00
produtos também nunca é total. Assim, o rendimento Como Qc > Kc, a reação evolui no sentido inverso.
(calculado a partir do reagente limitante) não pode ser 100%. Etapa B - concentração de PCL5
A afirmação é verdadeira. [PCL3 ] e * [CL2 ] e (1,00 - x) * (1,00 - x)
Kc = ⇔ 0,0420 = ⇔
Nas reações de combustão, como a reversibilidade [PCL5 ] e (1,00 + x)
praticamente não existe, o rendimento pode ser de 100%. ⇔ x = 0,730 mol L- 1 = [PCL3 ] e
1.3.1. ..................................................................................... 8 pontos
(C)
Grupo IV
1.3.2. .................................................................................... 8 pontos
4.1. .................................................................................... 16 pontos
No início não existem produtos da reação, pelo que Qc < Kc.
Etapa A – identificação do reagente limitante
1.3.3. .................................................................................... 8 pontos Considerando o V = 1,00 L:
(C) 36,0

Testes
cágua = ⇔ c = ⇔ c = 2,00 mol L- 1
n 18,02
1.3.4. .................................................................................... 8 pontos
V 1,00
(B)
Como a estequiometria da reação é 1:1 e o volume é 1,00 L,
a quantidade química é numericamente igual ao valor da
Grupo II concentração:
>
2,00 1,00
2.1. .................................................................................... 12 pontos 1 1
Tópico A pelo que o monóxido de carbono é o reagente limitante.
Da análise da tabela verifica-se que o aumento da Etapa B - determinação das concentrações em equilíbrio
temperatura provoca a diminuição do valor da constante de químico
nproduto obtido cproduto obtido * V
h (%) = * 100 ⇔ h (%) = * 100
equilíbrio químico. A diminuição do valor da constante
significa que a reação evoluiu no sentido inverso. nproduto esperado cproduto esperado * V
cproduto obtido
Tópico B ⇔ 0,90 = ⇔ cproduto obtido = 0,90 mol L- 1
1,00
[H2 ] e = [CO2 ] e = 0,90 mol L- 1
De acordo com o Princípio de Le Châtelier, um aumento de
temperatura favorece o sentido endoenergético que, neste
caso, é o inverso. Conclui-se, assim, que a reação é [CO] e = 1,00 - 0,90 = 0,10 mol L- 1
exoenergética no sentido direto. [H2O] e = 2,00 - 0,90 = 1,10 mol L- 1
2.2. ...................................................................................... 8 pontos Etapa C - determinação do valor da constante de equilíbrio
[H2 ] e * [CO2 ] e 0,90 * 0,90
Kc = ⇔ Kc = = 7,4
(A)
2.3. ..................................................................................... 8 pontos [H2O] e * [CO] e 1,10 * 0,10

(C) 4.2. ...................................................................................... 8 pontos


(C)
4.3. ................................................................................... 12 pontos
Grupo III
Etapa A – determinação do quociente da reação
[H2 ] * [CO2 ] 2,0 * 2,0
3.1. .................................................................................... 12 pontos
Qc = ⇔ Qc = ⇔ Qc = 0,040
Etapa A – concentração de PCL5 [H2O] * [CO] 10 * 10
EQ11DP © Porto Editora

n= ⇔n= ⇔ n = 0,250 mol


m 52,0
M 208,24 Etapa B - sentido da evolução
Como Qc < Kc, a reação irá evoluir no sentido direto, até que
c= ⇔c= ⇔ c = 0,250 mol L- 1
n 0,250
V 1,00 Qc = Kc.

95

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 95 4/2/16 11:06 AM


EQ11DP © Porto Editora
Grupo V 5.4. .................................................................................... 16 pontos
5.1. .................................................................................... 12 pontos Tópico A
Tópico A A adição de um sal contendo tiocianoferrato(III) irá aumentar
a concentração desta espécie química. Assim, no instante
A concavidade de controlo serve para comparar a cor obtida
em que a espécie é adicionada, a cor da solução será
em cada um dos restantes ensaios com a cor de referência
vermelha, mais intensa.
e, assim, se poder concluir se a reação evoluiu no sentido
direto ou no sentido inverso. Tópico B
Tópico B Após a alteração ao equilíbrio químico, a adição de um
produto da reação fez com que Qc > Kc, pelo que a reação irá
A esta concavidade apenas foi adicionado o equilíbrio
evoluir no sentido inverso, diminuindo a intensidade da cor
químico inicial que contém o catião ferro(III), o tiocianato e o
vermelha.
tiocianoferrato(III).
5.2. ...................................................................................... 8 pontos Tópico C
(B) A concentração do produto da reação no novo equilíbrio
químico será, contudo, sempre superior à concentração
5.3.1. .................................................................................... 8 pontos desta espécie no equilíbrio químico inicial, bem como a
Fe3+ (aq) + 3 NaOH(aq) ⇌ Fe(OH)3(aq) + 3 Na+ (aq) intensidade da cor vermelha. A conclusão dos alunos está,
5.3.2. ................................................................................... 8 pontos por isso, correta.

(A)
TOTAL ......................................................................... 200 pontos

96

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 96 4/2/16 11:06 AM


EQ11DP © Porto Editora

Grupo I II III IV V
Item 1.1. 1.2. 1.3.1. 1.3.2. 1.3.3. 1.3.4. 2.1. 2.2. 2.3. 3.1. 3.2. 3.3. 4.1. 4.2. 4.3. 5.1. 5.2. 5.3.1. 5.3.2. 5.4. Total

EQ11DP – 07
Cotação 8 12 8 8 8 8 12 8 8 12 8 12 16 8 12 12 8 8 8 16 200
N.° Aluno
1
2

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 97
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
Grelha de classificação do Teste de Avaliação 2

19
20
Turma: 11.°

21
22
23
24
25
26
  Data do teste:

27
28
29
-

30
-

Balanço N.° de alunos Média das notas Nota mais elevada Nota mais baixa N.° de positivas N.° de negativas % de positivas % de negativas
do teste

97
Teste de Avaliação 2

Testes

4/2/16 12:04 PM
Matriz do Teste de Avaliação Global 1
Domínio 1 Equilíbrio químico

EQ11DP © Porto Editora


Item Cotação Total

SD1. Aspetos quantitativos das reações químicas

1.1.1. 8

M1  1.1. Reações químicas: equações químicas e relações estequiométricas

1.1.2. 12
M2   1.2. Reagente limitante e reagente em excesso e grau de pureza
de uma amostra

76
1.2. 12

M3  1.3. Rendimento de uma reação química 2.1. 12

3.3. 16

2.2. 8

M4  1.4. Economia atómica e química verde 2.3. 8

SD2. Equilíbrio químico e extensão das reações químicas

1.3. 8

M5  2.1. Reações incompletas e equilíbrio químico

3.1. 8

3.2. 8
M6   2.2. Extensão das reações químicas 72
3.4. 16

4.1. 12

4.2.3. 12

M7  2.3. Fatores que alteram o equilíbrio químico 4.2.4. 8

5.1. 12

5.2. 8
AL1.1   Síntese do ácido acetilsalicílico
5.3. 8

5.4. 8 52

4.2.1. 8

AL1.2   Efeito da concentração no equilíbrio químico 4.2.2. 8

98

EQ11DP_20153724_P052_115_CImg.indd 98 4/2/16 4:15 PM


TG
TD ## de Avaliação Global 1
Teste
Escola Data
Nome N.º
N.º Turma
Professor Classificação

Para responder aos itens de escolha múltipla, selecione a única opção (A, B, C ou D) que
permite obter uma afirmação correta ou responder corretamente à questão colocada.
Se apresentar mais do que uma opção, a resposta será classificada com zero pontos.
O mesmo acontece se a letra transcrita for ilegível.

Grupo I Cotações

1. Na produção industrial do vinho, uma das principais etapas do processo de vinificação é a fermentação alcoólica.
Neste processo, participam agentes microbiológicos e, por isso, o local da fermentação deve ter boas condições de
higiene. Uma das operações a realizar para controlar o processo de produção de um vinho de qualidade envolve a
determinação do teor de açúcar no mosto em fermentação.
Do ponto de vista químico, a fermentação anaeróbia da glicose é um processo de transformação do açúcar do sumo
de uva em álcool etílico, na ausência de dioxigénio. Esta fermentação pode ser representada pela seguinte equação
química:
C6H12O6(aq) → 2 C2H5OH(aq) + 2 CO2(g)
O local da fermentação deve ser arejado para facilitar a libertação do dióxido de carbono formado no processo.
A fermentação pode ter um rendimento próximo dos 100% (reação completa) ou inferior a 100% (reação incompleta).

Testes
M (C6H12O6) = 180,16 g mol- 1;  M (CO2) = 44,01 g mol- 1;  M (C2H5OH) = 46,08 g mol- 1;  r (C2H5OH) = 0,789 g mL- 1 

1.1. A fermentação completa de 15,7 g de glicose (C6H12O6), existente em 100 mL de uma mistura, resultou na formação
de 8,01 g de etanol (C2H5OH).

1.1.1. Selecione a opção que contém o volume de dióxido de carbono (CO2), medido nas condições de pressão e 8
temperatura normais, que se formou nesta reação.
(A) 7,80 dm3 (B) 3,90 dm3
(C) 15,6 dm3 (D) 22,4 dm3

1.1.2. Define-se teor alcoólico de uma bebida como o volume medido de álcool etílico, em dm3, contido em 12
100 dm3 da bebida.
Determine o teor de álcool etílico resultante deste processo de fermentação.

1.2. A fermentação incompleta de glicose, com um rendimento igual a 80,0%, existente em 100 mL de uma mistura, 12
também resultou na formação de 8,01 g de etanol (C2H5OH).
Determine a massa de glicose existente na mistura antes do início da fermentação.

1.3. Das seguintes afirmações selecione a correta. 8

(A) A reação ocorre em sistema fechado.


EQ11DP © Porto Editora

(B) A adição de etanol aumenta o rendimento da reação.


(C) A mistura reacional é homogénea.
(D) A mistura reacional é heterogénea.

99

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 99 4/2/16 12:04 PM


Teste de Avaliação Global 1

Grupo II

2. A novocaína foi inventada em 1905 para substituir, como analgésico local

EQ11DP © Porto Editora


injetável, a cocaína que, para além do efeito analgésico, provocava também
uma sensação de euforia e dependência. Atualmente, pode ainda ser utili-
zada por dentistas e em pequenas cirurgias. No laboratório, o principal
componente ativo deste medicamento, a procaína, pode ser preparada, em
meio ácido, pela reação química entre o ácido aminobenzoico (C7H7NO2) e o
2-dietilaminoetanol (C6H15NO).

H H H H
C C O C C O
H2SO4
H2N C C C OH + HOCH2CH2N(C2H5)2 H 2N C C C O CH2CH2N(C2H5)2 + H2O
C C C C
H H H H

C7H7NO2(aq) + C13H20N2O2(aq) + H2O (L)


H2SO4
C6H15NO(aq) b

M (C7H7NO2) = 137,14 g mol- 1;  M (C6H15NO) = 117,20 g mol- 1;  M (C13H20N2O2) = 236,31 g mol- 1

2.1. Determine o rendimento da síntese da novocaína sabendo que foram adicionados 5,00 g de cada um dos rea- 12
gentes, tendo sido obtidos 3,32 * 10- 2 mol do produto desejado.

2.2. Selecione a expressão que permite determinar a economia atómica percentual deste processo de síntese. 8

M (C13H20N2O2) M (C13H20N2O2) + M (H2O)


* 100 * 100
M (C7H7NO2) + M (C6H15NO) M (C7H7NO2) + M (C6H15NO)
(A) (B)

M (C7H7NO2) + M (C6H15NO) M (C7H7NO2) + M (C6H15NO)


* 100 * 100
M (C13H20N2O2) M (C13H20N2O2) + M (H2O)
(C) (D)

2.3. Um dos substitutos atuais da novocaína é a lidocaína ou xilocaína. Este novo composto é um anestésico menos 8
suscetível de provocar reações alérgicas. Pode ser sintetizado a partir do 2,6-dimetilnitrobenzeno, de acordo
com o seguinte esquema químico simplificado:

CH3 CH3 CH3 CH3


1) SnC’2/HC’ H H
NO2 CH3COOH NH2 C’CH COC’ N (CH3CH2)2NH N
2
C’ N CH3
2) KOH CH3COOH O O
CH3 CH3 CH3 CH3 CH3

Neste processo de síntese são libertadas substâncias como o cloreto de hidrogénio (HCL), água (H2O), etanoato
(CH3COO-) e hidrogenossulfato (HSO-4).

Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.


Da análise do esquema é possível concluir que a síntese deste novo medicamento…
(A) … obedece ao princípio da síntese segura, pois envolve substâncias com pouca ou nenhuma toxicidade para
o ser humano.
(B) … garante a eliminação da produção de resíduos.
(C) … não evita a formação de derivados.
(D) … utiliza reagentes e processos menos poluentes do que a síntese da novocaína.

100

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 100 4/2/16 12:04 PM


Teste de Avaliação Global 1

Grupo III

3. Considere as reações que ocorrem na atmosfera, representadas pelas seguintes equações químicas:
Reação 1: N2(g) + O2(g) ⇌ 2 NO(g)  DH = 181 kJ
Reação 2: 2 SO2(g) + O2(g) ⇌ 2 SO3(g)  DH = - 198 kJ
Reação 3: 2 NOCL(g) ⇌ 2 NO(g) + CL2(g)  Kc = 1,6 * 10- 5
Reação 4: 2 NO(g) ⇌ N2(g) + O2(g)  Kc = 1 * 1031

3.1. De acordo com os dados apresentados, selecione a opção correta. 8

(A) A reação 1 é mais extensa do que a reação 2.


(B) A reação 4 é mais rápida do que a reação 3.
(C) Colocadas iguais concentrações iniciais de todas as espécies químicas presentes na reação 4 num recipiente
fechado, atingido o equilíbrio químico, as espécies químicas mais concentradas são o dinitrogénio e o dioxigénio.
(D) Colocadas iguais concentrações iniciais de todas as espécies químicas presentes na reação 3 num recipiente
fechado, atingido o equilíbrio químico, a espécie química menos concentrada é o cloreto de nitrosilo.

3.2. Determine o valor de Kc associado ao equilíbrio químico representado pela seguinte equação química: 8

N2(g) + O2(g) ⇌ 2 NO(g)

3.3. Determine a energia libertada quando dióxido de enxofre, SO2, em excesso, reage com 10,0 g de ar, contendo 16
dioxigénio com um grau de pureza igual a 23% em massa, em condições que garantem um rendimento de 70,0%
(reação 2).
M (O2) = 32,00 g mol- 1

Testes
3.4. Num recipiente fechado, com 1,00 L de volume, ocorrem as reações 3 e 4 a temperatura constante. 16
As concentrações de todas as espécies químicas presentes são constantes. As concentrações de cloreto de
nitrosilo (NOCL) e dicloro (CL2) têm valor igual a 0,100 mol/L.
Determine a concentração de N2 e O2 na mistura em equilíbrio expressa em fração molar.

Grupo IV

4. Com o objetivo de estudar o efeito da alteração da concentração de produtos e reagentes num equilíbrio químico,
um grupo de alunos realizou uma atividade laboratorial realizando seis ensaios. Para tal introduziram, em recipien-
tes fechados e de volume fixo, iguais quantidades de di-hidrogénio (H2) e diiodo (I2). Após algum tempo foi atingido o
equilíbrio químico com o iodeto de hidrogénio (HI) em todos os ensaios.
H2(g) + I2(g) ⇌ 2 HI(g)
(Incolor) (Violeta) (Incolor)

O conteúdo do primeiro ensaio serviu de controlo.


Ao segundo, terceiro, quarto e quinto ensaios, os alunos destinaram testes diferentes.
Por fim, num sexto ensaio, adicionaram quantidades diferentes de reagentes e produto da reação.

4.1. O quadro seguinte refere a composição do sistema à temperatura de 425 °C. 12

[H2 ] / mol dm- 3 [ I2 ] / mol dm- 3 [HI ] / mol dm- 3

Início 0,469 0,469 0,0000

-y -y + 2y
EQ11DP © Porto Editora

Equilíbrio químico x x 0,0738

Determine o valor da constante de equilíbrio para esta reação, à temperatura considerada.

101

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 101 4/2/16 12:04 PM


Teste de Avaliação Global 1

4.2. A única espécie química que apresenta cor visível é o diiodo (violeta), pelo que os alunos puderam visualizar
alterações no estado de equilíbrio químico pela alteração de cor, de acordo com o seguinte exemplo.

EQ11DP © Porto Editora


I2 HI I2 HI
H2 I2
H2 H2

Incolor Violeta-escuro        

4.2.1. Mantendo a temperatura constante, no segundo ensaio, ao estado de equilíbrio, os alunos adicionaram 8
di-hidrogénio e observaram a alteração de cor; ao terceiro ensaio, no estado de equilíbrio, os alunos
adicionaram diiodo. Esperaram até que não se verificasse alteração de cor. Compararam a cor final
de cada mistura com a amostra de controlo.
Das seguintes afirmações selecione a opção correta.
(A) A cor da mistura, no segundo ensaio, ficou violeta mais claro; no terceiro ficou violeta mais escuro.
(B) A cor da mistura, no segundo ensaio, ficou violeta mais escuro; no terceiro ficou violeta mais claro.
(C) No segundo ensaio o valor da constante de equilíbrio aumentou; no terceiro diminuiu.
(D) No segundo ensaio o valor da constante de equilíbrio diminuiu; no terceiro aumentou.
4.2.2. De modo a estudar o efeito da temperatura no equilíbrio químico, os alunos realizaram o quarto ensaio a 8
uma temperatura inferior às dos anteriores. Verificaram que a cor do sistema no novo equilíbrio químico
ficou mais violeta.
Classifique a reação química de endo ou exotérmica.
4.2.3. No quinto ensaio, mantendo a temperatura constante, os alunos adicionaram hélio, um gás inerte, provo- 12
cando um aumento da pressão do sistema reacional, e esperaram até que se atingisse um novo
estado de equilíbrio químico.
Escreva um pequeno texto comparando a cor da mistura neste novo equilíbrio químico com o controlo.
Justifique, convenientemente, a sua resposta.
4.2.4. No sexto ensaio, mantendo a temperatura constante, os alunos adicionaram um dos componentes da mistura 8
e esperaram que fosse atingido um novo estado de equilíbrio químico, de acordo com o gráfico seguinte:
Concentração

t0 t1 t2 Tempo

Das seguintes afirmações selecione a opção correta.


(A) A substância adicionada ao equilíbrio químico foi o iodeto de hidrogénio.
(B) No instante t1 é atingido o novo estado de equilíbrio químico.
(C) No intervalo de tempo entre t1 e t2, Qc > Kc.
(D) No intervalo de tempo entre t1 e t2, a reação evolui no sentido direto.

102

EQ11DP_20153724_P052_115_CImg.indd 102 4/2/16 4:15 PM


Teste de Avaliação Global 1

Grupo V

5. Aspirina é o nome comercial do ácido acetilsalicílico, um composto orgânico com propriedades analgésicas e antipi-
réticas. Pode ser sintetizado no laboratório misturando ácido salicílico com anidrido acético, na presença de um
ácido forte (ácido sulfúrico ou fosfórico), com elevação da temperatura num banho-maria.

O O
O O O
C H2SO4 C
OH C C OH C
+ H 3C O CH3 + H3C OH
OH O
C
O CH3

Suponha que se misturaram 2,00 g de ácido salicílico com excesso de anidrido acético em meio ácido e com aqueci-
mento.

5.1. Determine a massa de ácido acetilsalicílico que se espera obter nesta reação de síntese. 12

M (C7H6O3) = 138,12 g mol- 1   M (C9H8O4) = 180,14 g mol- 1

5.2. Das seguintes afirmações selecione a opção correta. 8

(A) O ácido forte funciona como catalisador da reação aumentando o rendimento químico da síntese.
(B) O ácido forte funciona como catalisador da reação aumentando o valor da constante de equilíbrio.
(C) A presença do ácido forte aumenta a velocidade da reação em ambos os sentidos.
(D) A presença do ácido forte aumenta a velocidade da reação apenas no sentido direto.

Testes
5.3. No final do procedimento pode ser adicionado um pequeno volume de água ao sal formado para decompor 8
qualquer excesso de anidrido acético. Se houver excesso de anidrido, a água provocará a formação de vapores
de ácido acético, reconhecido pelo seu odor característico. Todo o procedimento deve, portanto, ser realizado na
hotte.
Explique, sucintamente, por que razão não é necessário um procedimento semelhante para identificar a pre-
sença de ácido salicílico em excesso no final da síntese.

5.4. Na determinação do ponto de fusão do ácido acetilsalicílico obteve-se o gráfico seguinte: 8


Temperatura

Fusão

Tempo

Selecione a opção que justifica o facto de o valor da temperatura de fusão não ser constante.
(A) O ácido acetilsalicílico é uma molécula composta e moléculas compostas têm pontos de fusão e ebulição
variáveis.
(B) O ácido acetilsalicílico obtido é uma substância pura.
(C) O grau de pureza do ácido acetilsalicílico obtido é 100%.
(D) O ácido acetilsalicílico obtido tem ainda impurezas.
EQ11DP © Porto Editora

103

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 103 4/2/16 12:04 PM


EQ11DP © Porto Editora
TG Teste de Avaliação Global 1
Escola Data
Nome N.º Turma
Professor Classificação

Para responder aos itens de escolha múltipla, selecione a única opção (A, B, C ou D) que
permite obter uma afirmação correta ou responder corretamente à questão colocada.
Se apresentar mais do que uma opção, a resposta será classificada com zero pontos.
O mesmo acontece se a letra transcrita for ilegível.

Grupo I Cotações

1. Na produção industrial do vinho, uma das principais etapas do processo de vinificação é a fermentação alcoólica.
Neste processo, participam agentes microbiológicos e, por isso, o local da fermentação deve ter boas condições de
higiene. Uma das operações a realizar para controlar o processo de produção de um vinho de qualidade envolve a
determinação do teor de açúcar no mosto em fermentação.
Do ponto de vista químico, a fermentação anaeróbia da glicose é um processo de transformação do açúcar do sumo
de uva em álcool etílico, na ausência de dioxigénio. Esta fermentação pode ser representada pela seguinte equação
química:
C6H12O6(aq) → 2 C2H5OH(aq) + 2 CO2(g)

O local da fermentação deve ser arejado para facilitar a libertação do dióxido de carbono formado no processo.
A fermentação pode ter um rendimento próximo dos 100% (reação completa) ou inferior a 100% (reação incompleta).

M (C6H12O6) = 180,16 g mol- 1;  M (CO2) = 44,01 g mol- 1;  M (C2H5OH) = 46,08 g mol- 1;  r (C2H5OH) = 0,789 g mL- 1

1.1. A fermentação completa de 15,7 g de glicose (C6H12O6), existente em 100 mL de uma mistura, resultou na formação
de 8,01 g de etanol (C2H5OH).

1.1.1. Selecione a opção que contém o volume de dióxido de carbono (CO2), medido nas condições de pressão e 8
temperatura normais, que se formou nesta reação.
(A) 7,80 dm3 (B) 3,90 dm3
(C) 15,6 dm3 (D) 22,4 dm3
(B).

nobtido = ⇔ n= ⇔ n = 0,0871 mol de glicose


m 15,7
M 180,16
Da estequiometria da reação:

= ⇔
1 mol de C6H12O6 2 mol de CO2
0,0871 mol de C6H12O6 x

⇔ x = 0,174 mol de CO2


Por fim:
V = n * Vm ⇔ V = 0,174 * 22,4 ⇔ V = 3,90 dm3

104

EQ11DP_20153724_P052_115_CImg.indd 104 4/2/16 4:15 PM


Teste de Avaliação Global 1

1.1.2. Define-se teor alcoólico de uma bebida como o volume medido de álcool etílico, em dm3, contido em 12
100 dm3 da bebida.
Determine o teor de álcool etílico resultante deste processo de fermentação.
Etapa A – determinação do volume de álcool

r= ⇔ 0,789 = ⇔ V = 10,2 mL de álcool


m 8,01
V V
Etapa B – teor alcoólico

= ⇔ x = 10,2 L de álcool
10,2 mL de álcool x
100 mL de solução 100 L de solução

Teor alcólico =
10,2 L
100 L

1.2. A fermentação incompleta de glicose, com um rendimento igual a 80,0%, existente em 100 mL de uma mistura, 12
também resultou na formação de 8,01 g de etanol (C2H5OH).
Determine a massa de glicose existente na mistura antes do início da fermentação.
Etapa A – quantidade química de etanol prevista

nproduto obtido = ⇔n= ⇔ n = 0,174 mol


m 8,01
M 46,08
nproduto obtido
h (%) = * 100 ⇔ 80,0 = * 100 ⇔
0,174
nproduto previsto nproduto previsto

⇔ nproduto previsto = 0,218 mol de etanol


Etapa B - massa de glicose a utilizar

Testes
Como a estequiometria da reação é 1:2:

=
1 mol de C6H12O6 2 mol de C2H5OH
x 0,218 mol de C2H5OH

⇔x= = 0,109 mol de C6H12O6


0,218
2

n= ⇔ 0,109 = ⇔ m = 19,6 g
m m
M 180,16

1.3. Das seguintes afirmações selecione a correta. 8

(A) A reação ocorre em sistema fechado.


(B) A adição de etanol aumenta o rendimento da reação.
(C) A mistura reacional é homogénea.
(D) A mistura reacional é heterogénea.
(D).
Uma mistura reacional heterogénea contém reagentes/produtos da reação em fases diferentes
(simultaneamente em estado líquido/sólido, por exemplo). Neste caso, o dióxido de carbono libertado é gasoso
e as restantes substâncias aquosas.
Assim, a mistura reacional também tem duas fases (aquosa e gasosa), pelo que se trata de uma mistura
heterogénea.
EQ11DP © Porto Editora

105

EQ11DP_20153724_P052_115_CImg.indd 105 4/2/16 4:15 PM


Teste de Avaliação Global 1

Grupo II

2. A novocaína foi inventada em 1905 para substituir, como analgésico local

EQ11DP © Porto Editora


injetável, a cocaína que, para além do efeito analgésico, provocava também
uma sensação de euforia e dependência. Atualmente, pode ainda ser utili-
zada por dentistas e em pequenas cirurgias. No laboratório, o principal
componente ativo deste medicamento, a procaína, pode ser preparada, em
meio ácido, pela reação química entre o ácido aminobenzoico (C7H7NO2) e o
2-dietilaminoetanol (C6H15NO).

H H H H
C C O C C O
H2SO4
H2N C C C OH + HOCH2CH2N(C2H5)2 H 2N C C C O CH2CH2N(C2H5)2 + H2O
C C C C
H H H H

C7H7NO2(aq) + C13H20N2O2(aq) + H2O (L)


H2SO4
C6H15NO(aq) b

M (C7H7NO2) = 137,14 g mol- 1;  M (C6H15NO) = 117,20 g mol- 1;  M (C13H20N2O2) = 236,31 g mol- 1

2.1. Determine o rendimento da síntese da novocaína sabendo que foram adicionados 5,00 g de cada um dos rea- 12
gentes, tendo sido obtidos 3,32 * 10- 2 mol do produto desejado.
Etapa A – identificação do reagente limitante

n(C H NO ) = ⇔n= ⇔ n = 3,64 * 10- 2 mol


m 5,00
7 7 2
M 137,14

= ⇔n= ⇔ n = 4,27 * 10- 2 mol


m 5,00
n(C H NO)
6 15
M 117,20
Como a estequiometria da reação é 1:1,
3,64 * 10- 2 4,27 * 10- 2
<
1 1
pelo que o ácido aminobenzoico é o reagente limitante.
Tópico B – rendimento da reação
Como a estequiometria da reação é 1:1:
nprevisto = 3,64 * 10- 2 mol
nproduto obtido
h (%) = * 100 ⇔
nproduto previsto
3,32 * 10- 2
⇔ h (%) = * 100 ⇔ h (%) = 91,2%
3,64 * 10- 2

2.2. Selecione a expressão que permite determinar a economia atómica percentual deste processo de síntese. 8

M (C13H20N2O2) M (C13H20N2O2) + M (H2O)


* 100 * 100
M (C7H7NO2) + M (C6H15NO) M (C7H7NO2) + M (C6H15NO)
(A) (B)

M (C7H7NO2) + M (C6H15NO) M (C7H7NO2) + M (C6H15NO)


* 100 * 100
M (C13H20N2O2) M (C13H20N2O2) + M (H2O)
(C) (D)

(A).
mtotal de átomos incorporados no produto desejado
e.a. (%) = * 100 ⇔
mtotal de átomos nos reagentes

M (C13H20N2O2)
⇔ e.a. (%) = * 100
M (C7H7NO2) + M (C6H15NO)

106

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 106 4/2/16 12:04 PM


Teste de Avaliação Global 1

2.3. Um dos substitutos atuais da novocaína é a lidocaína ou xilocaína. Este novo composto é um anestésico menos 8
suscetível de provocar reações alérgicas. Pode ser sintetizado a partir do 2,6-dimetilnitrobenzeno, de acordo
com o seguinte esquema químico simplificado:

CH3 CH3 CH3 CH3


1) SnC’2/HC’ H H
NO2 CH3COOH NH2 C’CH COC’ N (CH3CH2)2NH N
2
C’ N CH3
2) KOH CH3COOH O O
CH3 CH3 CH3 CH3 CH3

Neste processo de síntese são libertadas substâncias como o cloreto de hidrogénio (HCL), água (H2O), etanoato
(CH3COO-) e hidrogenossulfato (HSO-4).

Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte.


Da análise do esquema é possível concluir que a síntese deste novo medicamento…
(A) … obedece ao princípio da síntese segura, pois envolve substâncias com pouca ou nenhuma toxicidade para
o ser humano.
(B) … garante a eliminação da produção de resíduos.
(C) … não evita a formação de derivados.
(D) … utiliza reagentes e processos menos poluentes do que a síntese da novocaína.
(C).
O ácido clorídrico e o hidróxido de sódio são, respetivamente, um ácido e uma base muito fortes. O cloreto de
estanho(II) é nocivo por inalação e pode provocar queimaduras na pele e lesões oculares graves, pelo que esta

Testes
síntese envolve risco para a saúde e segurança humanas e não elimina a produção de resíduos ou a formação
de derivados.

Grupo III

3. Considere as reações que ocorrem na atmosfera, representadas pelas seguintes equações químicas:
Reação 1: N2(g) + O2(g) ⇌ 2 NO(g)  DH = 181 kJ
Reação 2: 2 SO2(g) + O2(g) ⇌ 2 SO3(g)  DH = - 198 kJ
Reação 3: 2 NOCL(g) ⇌ 2 NO(g) + CL2(g)  Kc = 1,6 * 10- 5
Reação 4: 2 NO(g) ⇌ N2(g) + O2(g)  Kc = 1 * 1031

3.1. De acordo com os dados apresentados, selecione a opção correta. 8

(A) A reação 1 é mais extensa do que a reação 2.


(B) A reação 4 é mais rápida do que a reação 3.
(C) Colocadas iguais concentrações iniciais de todas as espécies químicas presentes na reação 4 num recipiente
fechado, atingido o equilíbrio químico, as espécies químicas mais concentradas são o dinitrogénio e o dioxigénio.
(D) Colocadas iguais concentrações iniciais de todas as espécies químicas presentes na reação 3 num recipiente
fechado, atingido o equilíbrio químico, a espécie química menos concentrada é o cloreto de nitrosilo.
(C).
A variação da entalpia da reação não permite concluir sobre a extensão ou rapidez da reação. Os valores de Kc
das reações 3 e 4 permitem concluir que a reação 3 é mais extensa no sentido inverso e a reação 4 é mais
EQ11DP © Porto Editora

extensa no sentido direto.

107

EQ11DP_20153724_P052_115_CImg.indd 107 4/2/16 4:15 PM


Teste de Avaliação Global 1

3.2. Determine o valor de Kc associado ao equilíbrio químico representado pela seguinte equação química: 8

N2(g) + O2(g) ⇌ 2 NO(g)

EQ11DP © Porto Editora


K'c = ⇔ K'c = ⇔
1 1
Kc 1 * 1031
⇔ K'c = 1 * 10- 31

3.3. Determine a energia libertada quando dióxido de enxofre, SO2, em excesso, reage com 10,0 g de ar, contendo 16
dioxigénio com um grau de pureza igual a 23% em massa, em condições que garantem um rendimento de 70,0%
(reação 2).
M (O2) = 32,00 g mol- 1
Etapa A – quantidade química de O2
mO mO
% (m/m) = * 100 ⇔ 23 = * 100 ⇔ mO = 2,3 g
2 2

mar 10 2

n= ⇔n= ⇔ n = 0,072 mol de O2


m 2,3
M 32,00
Etapa B - quantidade de O2 que reagiu
0,072 * 70
= ⇔x= ⇔ x = 0,050 mol de O2 que reagiu
0,072 mol de O2 100%
x 70% 100
Etapa C - energia libertada

= ⇔ x = 9,9 kJ
1 mol 198 kJ
0,050 mol x

3.4. Num recipiente fechado, com 1,00 L de volume, ocorrem as reações 3 e 4 a temperatura constante. 16
As concentrações de todas as espécies químicas presentes são constantes. As concentrações de cloreto de
nitrosilo (NOCL) e dicloro (CL2) têm valor igual a 0,100 mol/L.
Determine a concentração de N2 e O2 na mistura em equilíbrio expressa em fração molar.
Etapa A – concentração de NO
[NO] e * [CL2 ] e [NO] e * 0,100
2 2

Kc = ⇔ 1,6 * 10-5
= ⇔ [NO] e = 1,3 * 10- 3 mol dm- 3
[NOCL] e
2 2
0,100
Etapa B – concentração de O2 e N2
[N2 ] e * [O2 ] e
Kc = ⇔ 1 * 1031 = ⇔ x = 4,1 * 1012 mol dm- 3 ⇒ [O2 ] e = [N2 ] e = 4,1 * 1012 mol dm- 3
x2
[NO] e (1,3 * 10- 3)
2 2

Etapa C – fração molar e O2 e N2


Como a concentração de O2 e N2 é cerca de 1013 vezes superior à dos outros componentes da mistura, estes
últimos podem ser desprezados na determinação da fração molar.
Como a concentração é a mesma para O2 e N2, a fração molar é igual a 0,50 para O2 e N2.

Grupo IV

4. Com o objetivo de estudar o efeito da alteração da concentração de produtos e reagentes num equilíbrio químico,
um grupo de alunos realizou uma atividade laboratorial realizando seis ensaios. Para tal introduziram, em recipien-
tes fechados e de volume fixo, iguais quantidades de di-hidrogénio (H2) e diiodo (I2). Após algum tempo foi atingido o
equilíbrio químico com o iodeto de hidrogénio (HI) em todos os ensaios.
H2(g) + I2(g) ⇌ 2 HI(g)
(Incolor) (Violeta) (Incolor)

O conteúdo do primeiro ensaio serviu de controlo.


Ao segundo, terceiro, quarto e quinto ensaios, os alunos destinaram testes diferentes.
Por fim, num sexto ensaio, adicionaram quantidades diferentes de reagentes e produto da reação.

108

EQ11DP_20153724_P052_115_CImg.indd 108 4/2/16 4:15 PM


Teste de Avaliação Global 1

4.1. O quadro seguinte refere a composição do sistema à temperatura de 425 °C. 12

[H2 ] / mol dm- 3 [ I2 ] / mol dm- 3 [HI ] / mol dm- 3

Início 0,469 0,469 0,0000

-y -y + 2y

Equilíbrio químico x x 0,0738

Determine o valor da constante de equilíbrio para esta reação, à temperatura considerada.


Etapa A - composição no estado de equilíbrio
Sendo 2y a quantidade de HI formada até se atingir o equilíbrio químico, então, é possível determinar a
composição do sistema no estado de equilíbrio.
2y = 0,0738 ⇔ y = 0,0369 mol dm- 3
Então:
x = 0,469 - 0,0369 = 0,432 mol dm- 3
Etapa B – valor da constante de equilíbrio
[HI ] e
2

Kc = ⇔ Kc = ⇔ Kc = 2,92 * 10- 2
0,07382
[H2 ] e * [ I2 ] e 0,4322

4.2. A única espécie química que apresenta cor visível é o diiodo (violeta), pelo que os alunos puderam visualizar
alterações no estado de equilíbrio químico pela alteração de cor, de acordo com o seguinte exemplo.

Testes
I2 HI I2 HI
H2 I2
H2 H2

Incolor Violeta-escuro        

4.2.1. Mantendo a temperatura constante, no segundo ensaio, ao estado de equilíbrio, os alunos adicionaram 8
di-hidrogénio e observaram a alteração de cor; ao terceiro ensaio, no estado de equilíbrio, os alunos
adicionaram diiodo. Esperaram até que não se verificasse alteração de cor. Compararam a cor final
de cada mistura com a amostra de controlo.
Das seguintes afirmações selecione a opção correta.
(A) A cor da mistura, no segundo ensaio, ficou violeta mais claro; no terceiro ficou violeta mais escuro.
(B) A cor da mistura, no segundo ensaio, ficou violeta mais escuro; no terceiro ficou violeta mais claro.
(C) No segundo ensaio o valor da constante de equilíbrio aumentou; no terceiro diminuiu.
(D) No segundo ensaio o valor da constante de equilíbrio diminuiu; no terceiro aumentou.
(A).
H2(g) + I2(g) ⇌ 2 HI(g)
(Incolor) (Violeta) (Incolor)

Mantendo a temperatura constante, no segundo ensaio, ao estado de equilíbrio, os alunos adicionaram


di-hidrogénio (Qc < Kc); a reação evoluiu no sentido direto até que Qc = Kc, tendo ficado violeta mais claro
(consumo de diiodo e diminuição da sua concentração).
Ao terceiro ensaio, no estado de equilíbrio, os alunos adicionaram diiodo (Qc < Kc); a reação evoluiu no
EQ11DP © Porto Editora

sentido direto até que Qc = Kc, mas a concentração de diiodo não diminuiu até ao valor que tinha no
equilíbrio químico inicial, pelo que, globalmente, a mistura ficou violeta mais escuro.

109

EQ11DP_20153724_P052_115_CImg.indd 109 4/2/16 4:15 PM


Teste de Avaliação Global 1

4.2.2. De modo a estudar o efeito da temperatura no equilíbrio químico, os alunos realizaram o quarto ensaio a 8
uma temperatura inferior às dos anteriores. Verificaram que a cor do sistema no novo equilíbrio químico

EQ11DP © Porto Editora


ficou mais violeta.
Classifique a reação química de endo ou exotérmica.
Endotérmico.
Por arrefecimento, a reação evoluiu no sentido inverso (ficou mais violeta; ficou com maior concentração
de diiodo).
O aumento de temperatura favorece sempre o sentido endoenergético.
4.2.3. No quinto ensaio, mantendo a temperatura constante, os alunos adicionaram hélio, um gás inerte, provo- 12
cando um aumento da pressão do sistema reacional, e esperaram até que se atingisse um novo
estado de equilíbrio químico.
Escreva um pequeno texto comparando a cor da mistura neste novo equilíbrio químico com o controlo.
Justifique, convenientemente, a sua resposta.
Tópico A
Ao adicionar um gás inerte, os alunos aumentaram a pressão do sistema, mantendo a temperatura
constante. De acordo com o Princípio de Le Châtelier, a reação terá de evoluir no sentido de contrariar
esta perturbação, ou seja, no sentido na menor quantidade química total de componentes gasosos.
Tópico B
Como, na reação apresentada, a quantidade química total de produtos e reagentes é a mesma, o sistema
não irá evoluir favoravelmente em nenhum dos sentidos, pelo que a concentração da espécie corada não
varia.
Conclui-se que a cor permanecerá igual à cor da amostra utilizada como controlo.
4.2.4. No sexto ensaio, mantendo a temperatura constante, os alunos adicionaram um dos componentes da mistura 8
e esperaram que fosse atingido um novo estado de equilíbrio químico, de acordo com o gráfico seguinte:
Concentração

t0 t1 t2 Tempo

Das seguintes afirmações selecione a opção correta.


(A) A substância adicionada ao equilíbrio químico foi o iodeto de hidrogénio.
(B) No instante t1 é atingido o novo estado de equilíbrio químico.
(C) No intervalo de tempo entre t1 e t2, Qc > Kc.
(D) No intervalo de tempo entre t1 e t2, a reação evolui no sentido direto.
(D).
No instante t1 é adicionada uma substância (A) que obriga à diminuição da concentração de duas
substâncias (A e C) e ao aumento da terceira (B). Para contrariar a perturbação introduzida, o sistema só
poderia ter evoluído num de dois sentidos (direto/inverso). Como existem dois reagentes e apenas um
produto da reação, a reação evoluiu no sentido direto (Qc < Kc), até que Qc = Kc.

110

EQ11DP_20153724_P052_115_CImg.indd 110 4/2/16 4:15 PM


Teste de Avaliação Global 1

Grupo V

5. Aspirina é o nome comercial do ácido acetilsalicílico, um composto orgânico com propriedades analgésicas e antipi-
réticas. Pode ser sintetizado no laboratório misturando ácido salicílico com anidrido acético, na presença de um
ácido forte (ácido sulfúrico ou fosfórico), com elevação da temperatura num banho-maria.

O O
O O O
C H2SO4 C
OH C C OH C
+ H 3C O CH3 + H3C OH
OH O
C
O CH3

Suponha que se misturaram 2,00 g de ácido salicílico com excesso de anidrido acético em meio ácido e com aqueci-
mento.

5.1. Determine a massa de ácido acetilsalicílico que se espera obter nesta reação de síntese. 12

M (C7H6O3) = 138,12 g mol    M (C9H8O4) = 180,14 g mol


-1 -1

Etapa A – quantidade química de ácido acetilsalicílico

n= ⇔n= ⇔ n = 1,45 * 10- 2 mol


m 2,00
M 138,12
Como a estequiometria da reação é 1:1:

= ⇔
1 mol de C7H6O3 1 mol de C9H8O4
1,45 * 10 mol de C7H6O3
-2 x

Testes
⇔ x = 1,45 * 10- 2 mol de C9H8O4

nácido acetilsalicílico = 1,45 * 10- 2 mol

Etapa B – determinação da massa prevista

n= ⇔ 1,45 * 10- 2 = ⇔ m = 2,61 g


m m
M 180,14

5.2. Das seguintes afirmações selecione a opção correta. 8

(A) O ácido forte funciona como catalisador da reação aumentando o rendimento químico da síntese.
(B) O ácido forte funciona como catalisador da reação aumentando o valor da constante de equilíbrio.
(C) A presença do ácido forte aumenta a velocidade da reação em ambos os sentidos.
(D) A presença do ácido forte aumenta a velocidade da reação apenas no sentido direto.
(C).
O ácido sulfúrico é o catalisador da reação. Um catalisador, por definição, é uma substância que aumenta a
velocidade da reação em ambos os sentidos.

5.3. No final do procedimento pode ser adicionado um pequeno volume de água ao sal formado para decompor 8
qualquer excesso de anidrido acético. Se houver excesso de anidrido, a água provocará a formação de vapores
de ácido acético, reconhecido pelo seu odor característico. Todo o procedimento deve, portanto, ser realizado na
hotte.
Explique, sucintamente, por que razão não é necessário um procedimento semelhante para identificar a pre-
sença de ácido salicílico em excesso no final da síntese.
EQ11DP © Porto Editora

O ácido salicílico é o reagente limitante nesta atividade laboratorial, a reação é (aproximadamente) irreversível,
pelo que não é previsível a sua existência no final da reação.

111

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 111 4/2/16 12:04 PM


Teste de Avaliação Global 1

5.4. Na determinação do ponto de fusão do ácido acetilsalicílico obteve-se o gráfico seguinte: 8

EQ11DP © Porto Editora


Temperatura
Fusão

Tempo

Selecione a opção que justifica o facto de o valor da temperatura de fusão não ser constante.
(A) O ácido acetilsalicílico é uma molécula composta e moléculas compostas têm pontos de fusão e ebulição
variáveis.
(B) O ácido acetilsalicílico obtido é uma substância pura.
(C) O grau de pureza do ácido acetilsalicílico obtido é 100%.
(D) O ácido acetilsalicílico obtido tem ainda impurezas.
(D).
Uma substância pura tem pontos de fusão e de ebulição constantes no intervalo de tempo que dura a mudança
de estado físico. Neste caso, a temperatura de fusão não é constante, pelo que a substância não é pura.

112

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 112 4/2/16 12:04 PM


Critérios de correção do Teste de Avaliação Global 1

Grupo I Grupo III


1.1.1. ..................................................................................... 8 pontos 3.1. .......................................................................................8 pontos
(B) (C)
1.1.2. ................................................................................... 12 pontos 3.2. .......................................................................................8 pontos
K'c = ⇔ K'c = ⇔ K'c = 1 * 10- 31
Etapa A – determinação do volume de álcool 1 1
Kc 1 * 1031
r = ⇔ 0,789 = ⇔ V = 10,2 mL
m 8,01
V V 3.3. .....................................................................................16 pontos
Etapa B – teor alcoólico Etapa A – quantidade química de O2
mO mO
= ⇔ x = 10,2 L % (m/m) = * 100 ⇔ 23 = * 100 ⇔ mO = 2,3 g
10,2 mL x 2 2

100 mL 100 L mar 10 2

n= ⇔n= ⇔ n = 0,072 mol de O2


2,3
Teor alcoólico =
10,2 L m
100 L M 32,00
1.2. .....................................................................................12 pontos Etapa B – quantidade de O2 que reagiu

= ⇔
Etapa A – quantidade química de etanol prevista 0,072 mol de O2 100%
x 70%
nproduto obtido = ⇔n= ⇔ n = 0,174 mol
m 8,01
M 46,08 ⇔ x = 0,050 mol de O2 que reagiu
nproduto obtido
h (%) = * 100 ⇔ 80,0 = * 100 ⇔
0,174
nproduto previsto nproduto previsto Etapa C – energia libertada
⇔ nproduto previsto = 0,218 mol 1 mol
=
198 kJ
⇔ x = 9,9 kJ
0,050 mol x
Etapa B – massa de glicose a utilizar
3.4. .....................................................................................16 pontos
Como a estequiometria da reação é 1:2:
Etapa A – concentração de NO
=
1 mol de C6H12O6 2 mol de C2H5OH
[NO] e * [CL2 ] e [NO] e * 0,100
2 2
x 0,250 mol de C2H5OH Kc = ⇔ 1,6 * 10- 5 = ⇔
[NOCL] e
2
0,1002
⇔x= = 0,109 mol de C6H12O6
0,218
2 ⇔ [NO] e = 1,3 * 10- 3 mol dm- 3

Testes
n = ⇔ 0,109 = ⇔ m = 19,6 g
m m
Etapa B – concentração de O2 e N2
M 180,16
[N2 ] e * [O2 ] e
Kc = ⇔ 1 * 1031 = ⇔
x2
1.3. .......................................................................................8 pontos
[NO] (1,3 * 10- 3)
2 2
e
(D)
⇔ x = 4,1 * 1012 mol dm- 3

Grupo II [O2 ] e = [N2 ] e = 4,1 * 1012 mol dm- 3

2.1. .....................................................................................12 pontos Etapa C – fração molar de O2 e N2


Etapa A – identificação do reagente limitante Como a concentração de O2 e N2 é cerca de 1013 vezes
superior à dos outros componentes da mistura, estes
n(C H NO ) = ⇔ n = ⇔ n = 3,64 * 10- 2 mol
m 5,00
7 7
M 2
46,08 últimos podem ser desprezados na determinação da fração
molar.
= ⇔n= ⇔ n = 4,27 * 10- 2 mol
m 5,00
n(C H NO) Como a concentração é a mesma para O2 e N2, a fração
6 15
M 117,20
molar é igual a 0,50 para O2 e N2.
Como a estequiometria da reação é 1:1:
3,64 * 10- 2 4,27 * 10- 2
<
1 1 Grupo IV
pelo que o ácido aminobenzoico é o reagente limitante. 4.1. .................................................................................... 12 pontos
Etapa B – rendimento da reação Etapa A – composição no estado de equilíbrio
Como a estequiometria da reação é 1:1: Sendo 2y a quantidade de HI formada até se atingir o
nprevisto = 3,64 * 10- 2 mol equilíbrio químico, então é possível determinar a

3,32 * 10- 2
composição do sistema no estado de equilíbrio.
nproduto obtido
h (%) = * 100 ⇔ h (%) = * 100 ⇔ 2y = 0,0738 ⇔ y = 0,0369 mol dm- 3
nproduto previsto 3,64 * 10- 2
⇔ h (%) = 91,2% Então:
x = 0,469 - 0,0369 = 0,432 mol dm- 3
2.2. .......................................................................................8 pontos
Etapa B – valor da constante de equilíbrio
EQ11DP © Porto Editora

(A)
[HI] e
2

Kc = ⇔ Kc = ⇔ Kc = 2,92 * 10- 2
2.3. .......................................................................................8 pontos 0,07382
[H2 ] e * [I2 ] e 0,4322
(C)

EQ11DP – 08 113

EQ11DP_20153724_P052_115_CImg.indd 113 4/2/16 4:15 PM


EQ11DP © Porto Editora
4.2.1. .....................................................................................8 pontos Grupo V
(A) 5.1. .....................................................................................12 pontos
4.2.2. ....................................................................................8 pontos Etapa A – quantidade química de ácido acetilsalicílico
n= ⇔n= ⇔ n = 1,45 * 10- 2 mol
Endotérmico m 2,00
4.2.3. ................................................................................. 12 pontos M 138,12

Tópico A Como a estequiometria da reação é 1:1:

= ⇔
1 mol de C7H6O3 1 mol de C9H8O4
Ao adicionar um gás inerte, os alunos aumentaram a
pressão do sistema, mantendo a temperatura constante. 1,45 * 10- 2 mol de C9H8O4 x
De acordo com o Princípio de Le Châtelier, a reação terá de ⇔ x = 1,45 * 10- 2 mol de C9H8O4
nácido acetilsalicílico = 1,45 * 10- 2 mol
evoluir no sentido de contrariar esta perturbação, ou seja,
no sentido da menor quantidade química total de
componentes gasosos. Etapa B – determinação da massa prevista
n = ⇔ 1,45 * 10- 2 = ⇔ m = 2,61 g
m m
Tópico B
M 180,14
Como, na reação apresentada, a quantidade química total de
5.2. ...................................................................................... 8 pontos
produtos e reagentes é a mesma, o sistema não irá evoluir
favoravelmente em nenhum dos sentidos, pelo que a (C)
concentração da espécie corada não varia. 5.3. ...................................................................................... 8 pontos
Conclui-se que a cor permanecerá igual à cor da amostra O ácido salicílico é o reagente limitante nesta atividade
utilizada como controlo. laboratorial, a reação é (aproximadamente) irreversível, pelo
4.2.4. ....................................................................................8 pontos que não é previsível a sua existência no final da reação.
(D) 5.4. ...................................................................................... 8 pontos
(D)

TOTAL ......................................................................... 200 pontos

114

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 114 4/2/16 12:26 PM


EQ11DP © Porto Editora

Grupo I II III IV V
Item 1.1.1. 1.1.2. 1.2. 1.3. 2.1. 2.2. 2.3. 3.1. 3.2. 3.3. 3.4. 4.1. 4.2.1. 4.2.2. 4.2.3. 4.2.4. 5.1. 5.2. 5.3. 5.4. Total
Cotação 8 12 12 8 12 8 8 8 8 16 16 12 8 8 12 8 12 8 8 8 200
N.° Aluno
1
2
3

EQ11DP_20153724_P052_115_4P_CImg.indd 115
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
Turma: 11.°

21
22
Grelha de classificação do Teste de Avaliação Global 1

23
24
25
26
  Data do teste:

27
28
29
-

30
-

Balanço N.° de alunos Média das notas Nota mais elevada Nota mais baixa N.° de positivas N.° de negativas % de positivas % de negativas
do teste

115
Teste de Avaliação Global 1

Testes

4/2/16 12:26 PM
Matriz do Teste de Avaliação 3
Domínio 2 Reações em sistemas aquosos

EQ11DP © Porto Editora


Item Cotação Total

SD1. Reações ácido-base

1.1. 8
M8  1.1. Ácidos e bases 16
1.2. 8

2.1. 8
M9   1.2. Acidez e basicidade de soluções 16
2.3. 8

2.2. 12

2.4. 8

M10  1.3. Autoionização da água 2.5. 8 44

3.1. 8

3.2. 8

3.3. 12
M11  1.4. Ácidos e bases em soluções aquosas 20
4.1. 8

4.2. 8

4.3. 16
M12   1.5. Constantes de acidez e de basicidade
44
e força relativa de ácidos e de bases
4.4. 8

4.5. 12

M13   1.6. Titulação ácido­‑base

5.1. 8

M14  1.7. Acidez e basicidade em soluções aquosas de sais 5.2. 12 32

5.3. 12

M15  1.8. Aspetos ambientais das reações ácido­‑base

AL2.1   Constante de acidez

6.1. 8

AL2.2   Titulação ácido-base 6.2. 8 28

6.3. 12

116

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 116 4/2/16 12:31 PM


TA Teste de Avaliação 3
Escola Data
Nome N.º Turma
Professor Classificação

Para responder aos itens de escolha múltipla, selecione a única opção (A, B, C ou D) que
permite obter uma afirmação correta ou responder corretamente à questão colocada.
Se apresentar mais do que uma opção, a resposta será classificada com zero pontos.
O mesmo acontece se a letra transcrita for ilegível.

Grupo I Cotações

1. Considere o seguinte texto.


Há muito tempo que os químicos se preocupam em perceber a razão pela qual algumas substâncias, em solução
aquosa, possuem a propriedade de, por exemplo, apresentarem um sabor azedo, dissolverem o mármore, reagirem
com metais, como o zinco, libertando di-hidrogénio, e ainda possuírem a propriedade de tornar vermelha a cor de
determinados pigmentos vegetais azuis. Por outro lado, existe outro conjunto de materiais que, em solução aquosa,
possuem um sabor amargo, são escorregadios ao tato e são capazes de devolver a cor azul a pigmentos vegetais
previamente avermelhados por adição de um ácido. São exemplo destes materiais as cinzas e os sabões.
Arrhenius, em 1887, apresentou uma explicação teórica para a definição de ácido e de base, mas foi Brönsted e
Lowry, em 1923, que proposeram uma definição de ácido e de base mais abrangente.

1.1. Selecione a opção que contém os termos que completam corretamente a frase seguinte. 8

Testes
Segundo a teoria de Arrhenius, é toda a substância que, sendo constituída por átomos de
hidrogénio, em solução aquosa ioniza-se originando .
(A) … ácido… iões H+ (B) … base… iões H+
(C) … ácido… iões OH- (D) … base… iões OH-

1.2. Das seguintes afirmações, relativas ao amoníaco, NH3, e ao hidróxido de sódio, NaOH, selecione a verdadeira. 8

(A) NH3 é uma base segundo a teoria de Arrhenius.


(B) NH3 e NaOH são bases segundo Arrhenius e segundo a teoria de Brönsted-Lowry.
(C) NH3 e NaOH apenas são bases segundo a teoria de Brönsted-Lowry.
(D) NH3 apenas é uma base segundo a teoria de Brönsted-Lowry.

Grupo II

2. O valor do pH de uma solução aquosa depende da concentração em iões hidrónio, H3O+.


Considere 500 mL de uma solução aquosa de um detergente amoniacal, cujo valor de pH é 11,3, à temperatura de
25 °C (Kw = 1,0 * 10- 14, a 25 °C).
EQ11DP © Porto Editora

117

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 117 4/2/16 12:31 PM


Teste de Avaliação 3

2.1. Selecione a opção que contém a expressão que permite determinar o valor da concentração em iões hidrónio. 8

(A) [H3O+ ] e = 11,3 mol dm- 3 (B) [H3O+ ] e = 1011,3 mol dm- 3
(C) [H3O+ ] e = 10- 11,3 mol dm- 3 (D) [H3O+ ] e = - log (11,3) mol dm- 3

2.2. Determine o valor da concentração em iões hidróxido, OH-, à temperatura considerada. 12

Apresente o resultado com um número correto de algarismos significativos.

2.3. Um outro detergente aplicado na lavagem de loiça apresenta um valor de pH igual a 7,00, à temperatura de 25 °C. 8

Das seguintes afirmações, selecione a correta.


(A) O detergente da loiça possui maior acidez do que o detergente amoniacal.

EQ11DP © Porto Editora


(B) O detergente da loiça possui maior alcalinidade do que o detergente amoniacal.
(C) Os dois detergentes possuem carácter químico semelhante.
(D) O detergente da loiça é um ácido e o detergente amoniacal é uma base.

2.4. Considere a mistura de iguais volumes de duas soluções de ambos os detergentes sem que exista qualquer 8
reação entre eles.
Selecione a opção que contém os termos que completam corretamente a frase.
O valor do pH da mistura assume um valor…
(A) … maior do que 11,3.
(B) … menor do que 7,00.
(C) … compreendido entre 7,00 e 11,3.
(D) … impossível de prever.

2.5. Selecione a opção que completa corretamente a frase. 8

Atendendo a que a autoprotólise da água líquida é um processo endotérmico, o valor do pH da água, a 100 °C, é…
(A) … igual 7,0. (B) … maior que 7,0.
(C) … menor que 7,0. (D) … imprevisível.

Grupo III

3. A autoionização da água, também designada de autoprotólise, é um processo endotérmico.


Considere os valores da constante de autoprotólise da água, referentes a três temperaturas distintas.
Kw = 7,0 * 10 - 15 ;  Kw = 1,0 * 10 - 14 ;  Kw = 3,0 * 10 - 14
1 2 3

3.1. Escreva a expressão que permite calcular o valor da constante de autoprotólise da água. 8

3.2. Selecione a opção que contém, por ordem sequencial, os valores da temperatura correspondentes aos valores 8
de Kw apresentados.
(A) 20 °C - 40 °C - 25 °C
(B) 25 °C - 40 °C – 20 °C
(C) 40 °C - 20 °C - 25 °C
(D) 20 °C - 25 °C - 40 °C

3.3. Calcule o valor do pH da água à temperatura a que Kw = 3,0 * 10- 14. 12

118

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 118 4/2/16 12:31 PM


Teste de Avaliação 3

Grupo IV

4. O ácido acético, CH3COOH, é um ácido fraco que se pode encontrar no vinagre.


Considere uma solução deste ácido, de concentração 0,100 mol dm- 3 (Ka (CH3COOH) = 1,8 * 10- 5, a 25 °C).

4.1. Escreva a equação química que traduz a ionização do ácido acético. 8

4.2. Selecione a opção que contém a expressão que permite calcular o valor da constante de acidez. 8

[CH3COO ] e + [H3O ] e
- +
[CH3COO ] e * [H3O ] e
- +
(A) Ka = (B) Ka =
[CH3COOH] e [CH3COOH] e

[CH3COOH] e [CH3COO- ] e
(C) Ka = (D) Ka =
[CH3COO ] e * [H3O ] e
- +
[CH3COOH] e * [H3O+ ] e

Testes
4.3. Determine o grau de ionização do ácido acético, à temperatura de 25 °C. 16

4.4. Selecione a opção que indica os pares conjugados ácido-base. 8

(A) CH3COO-(aq)/CH3COOH(aq) e H3O+(aq)/H2O(L)


(B) CH3COO-(aq)/CH3COOH(aq) e H2O(L)/H3O+(aq)
(C) CH3COOH(aq)/CH3COO-(aq) e H3O+(aq)/H2O(L)
(D) CH3COOH(aq)/CH3COO-(aq) e H2O(L)/H3O+(aq)

4.5. Calcule o valor da constante de ionização do ião acetato, CH3COO-, à temperatura considerada. 12

Grupo V

5. O ácido clorídrico, HCL, é obtido pela queima de dicloro e di-hidrogénio, que depois de absorvido em água, origina
uma solução fortemente ácida, cuja constante de equilíbrio, a 25 °C, tem o valor de 1,3 * 106.

HC’
EQ11DP © Porto Editora

c = 0,061 mol dm- 3

119

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 119 4/2/16 12:31 PM


Teste de Avaliação 3

5.1. Selecione a opção que contém os termos que completam corretamente a frase seguinte. 8

O facto de o ácido clorídrico possuir um elevado valor de Ka significa que…

EQ11DP © Porto Editora


(A) … se trata de um ácido fraco.
(B) … a reação de ionização é muito rápida.
(C) … é elevada a extensão da reação inversa.
(D) … a reação direta é muito mais extensa do que a reação inversa.

5.2. Determine o valor do pH de uma solução de HCL de concentração 0,061 mol dm- 3. 12

5.3. Considere uma solução de ácido fórmico, HCOOH, de igual volume e concentração da solução de ácido clorídrico. 12

Sabendo que, no estado de equilíbrio, a concentração de HCOOH é de 5,78 * 10 - 2 - 3


mol dm , determine o valor
do pH no equilíbrio químico.

Grupo VI

6. Com o objetivo de determinar a concentração de uma solução aquosa de hidróxido de sódio, NaOH, de volume
50,0 mL, um grupo de alunos realizou uma titulação ácido-base, utilizando, como titulante, a solução aquosa de
ácido clorídrico, HCL, de concentração 0,100 mol dm- 3. Até atingir o ponto de equivalência, verificaram ter-se
consumido 10,0 mL de titulante.
Para a realização da atividade, os alunos procederam à preparação do esquema de montagem, conforme mostra a
figura.

10

11

6.1. Selecione a opção que identifica o tipo de titulação. 8

(A) Titulação ácido forte-base forte.


(B) Titulação ácido forte-base fraca.
(C) Titulação base forte-ácido forte.
(D) Titulação ácido fraco-base forte.

6.2. Apresente o resultado da medida do volume de titulante no ponto de equivalência. 8

6.3. Determine o valor da concentração da solução de hidróxido de sódio obtida experimentalmente pelos alunos. 12

120

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 120 4/2/16 12:31 PM


TA Teste de Avaliação 3
Escola Data
Nome N.º Turma
Professor Classificação

Para responder aos itens de escolha múltipla, selecione a única opção (A, B, C ou D) que
permite obter uma afirmação correta ou responder corretamente à questão colocada.
Se apresentar mais do que uma opção, a resposta será classificada com zero pontos.
O mesmo acontece se a letra transcrita for ilegível.

Grupo I Cotações

1. Considere o seguinte texto.


Há muito tempo que os químicos se preocupam em perceber a razão pela qual algumas substâncias, em solução
aquosa, possuem a propriedade de, por exemplo, apresentarem um sabor azedo, dissolverem o mármore, reagirem
com metais, como o zinco, libertando di-hidrogénio, e ainda possuírem a propriedade de tornar vermelha a cor de
determinados pigmentos vegetais azuis. Por outro lado, existe outro conjunto de materiais que, em solução aquosa,
possuem um sabor amargo, são escorregadios ao tato e são capazes de devolver a cor azul a pigmentos vegetais
previamente avermelhados por adição de um ácido. São exemplo destes materiais as cinzas e os sabões.
Arrhenius, em 1887, apresentou uma explicação teórica para a definição de ácido e de base, mas foi Brönsted e
Lowry, em 1923, que proposeram uma definição de ácido e de base mais abrangente.

1.1. Selecione a opção que contém os termos que completam corretamente a frase seguinte. 8

Testes
Segundo a teoria de Arrhenius, é toda a substância que, sendo constituída por átomos de
hidrogénio, em solução aquosa ioniza-se originando .
(A) … ácido… iões H+
(B) … base… iões H+
(C) … ácido… iões OH-
(D) … base… iões OH-
(A).
Segundo a teoria de Arrhenius, ácido é toda substância que, sendo constituída por átomos de hidrogénio, em
solução aquosa ioniza-se originando iões H+.

1.2. Das seguintes afirmações, relativas ao amoníaco, NH3, e ao hidróxido de sódio, NaOH, selecione a verdadeira. 8

(A) NH3 é uma base segundo a teoria de Arrhenius.


(B) NH3 e NaOH são bases segundo Arrhenius e segundo a teoria de Brönsted-Lowry.
(C) NH3 e NaOH apenas são bases segundo a teoria de Brönsted-Lowry.
(D) NH3 apenas é uma base segundo a teoria de Brönsted-Lowry.
(D).
O amoníaco é uma base segundo a teoria de Brönsted Lowry pois é capaz de captar um protão, H+, cedido por
um ácido.
EQ11DP © Porto Editora

121

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 121 4/2/16 12:31 PM


Teste de Avaliação 3

Grupo II

2. O valor do pH de uma solução aquosa depende da concentração em iões hidrónio, H3O+.

EQ11DP © Porto Editora


Considere 500 mL de uma solução aquosa de um detergente amoniacal, cujo valor de pH é 11,3, à temperatura de
25 °C (Kw = 1,0 * 10- 14, a 25 °C).

2.1. Selecione a opção que contém a expressão que permite determinar o valor da concentração em iões hidrónio. 8

(A) [H3O+ ] e = 11,3 mol dm- 3


(B) [H3O+ ] e = 1011,3 mol dm- 3
(C) [H3O+ ] e = 10- 11,3 mol dm- 3
(D) [H3O+ ] e = - log (11,3) mol dm- 3
(C).
pH = - log [H3O+ ] e ⇒ [H3O+ ] e = 10- pH
[H3O+ ] e = 10- 11,3 mol dm - 3

2.2. Determine o valor da concentração em iões hidróxido, OH-, à temperatura considerada. 12

Apresente o resultado com um número correto de algarismos significativos.


pH = 11,3 ⇒ [H3O+ ] e = 10- 11,3 mol dm- 3
Kw = [H3O+ ] e * [OH- ] e ⇔
⇔ 1,0 * 10- 14 = 10- 11,3 * [OH- ] e ⇔
1,0 * 10- 14
⇔ [OH- ] e = = 2,0 * 10- 3 mol dm- 3
10- 11,3

2.3. Um outro detergente aplicado na lavagem de loiça apresenta um valor de pH igual a 7,00, à temperatura de 25 °C. 8

Das seguintes afirmações, selecione a correta.


(A) O detergente da loiça possui maior acidez do que o detergente amoniacal.
(B) O detergente da loiça possui maior alcalinidade do que o detergente amoniacal.
(C) Os dois detergentes possuem carácter químico semelhante.
(D) O detergente da loiça é um ácido e o detergente amoniacal é uma base.
(A).
O detergente amoniacal possui um pH = 11,3. Uma solução é tanto mais ácida quanto mais baixo for o valor do
pH da solução. Assim, o detergente da loiça possui maior acidez que o detergente amoniacal.

122

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 122 4/2/16 12:31 PM


Teste de Avaliação 3

2.4. Considere a mistura de iguais volumes de duas soluções de ambos os detergentes sem que exista qualquer 8
reação entre eles.
Selecione a opção que contém os termos que completam corretamente a frase.
O valor do pH da mistura assume um valor…
(A) … maior do que 11,3. (B) … menor do que 7,00.
(C) … compreendido entre 7,00 e 11,3. (D) … impossível de prever.
(C).
À temperatura considerada, a solução do detergente da loiça é neutra e a solução do detergente amoniacal, é
alcalina. O carácter químico da solução que resulta dos dois volumes das duas soluções resulta do efeito da
quantidade de iões OH– em excesso que existe na solução do detergente amoniacal. Em consequência da
mistura das duas soluções, o volume aumenta, pelo que a concentração de iões OH– diminui.
Assim, o valor do pH da mistura assume um valor compreendido entre 7,00 e 11,3.

2.5. Selecione a opção que completa corretamente a frase. 8

Atendendo a que a autoprotólise da água líquida é um processo endotérmico, o valor do pH da água, a 100 °C, é…
(A) … igual 7,0. (B) … maior que 7,0.
(C) … menor que 7,0. (D) … imprevisível.
(C).
Sendo a autoprotólise da água um processo endotérmico, para temperaturas mais elevadas, o valor da
concentração de H3O+ aumenta, pelo que o valor do pH da água diminui.
Assim, o valor do pH da água a 100 °C é menor que 7,0.

Testes
Grupo III

3. A autoionização da água, também designada de autoprotólise, é um processo endotérmico.


Considere os valores da constante de autoprotólise da água, referentes a três temperaturas distintas.
Kw = 7,0 * 10 - 15 ;  Kw = 1,0 * 10 - 14 ;  Kw = 3,0 * 10 - 14
1 2 3

3.1. Escreva a expressão que permite calcular o valor da constante de autoprotólise da água. 8

Kw = [H3O ] e * [OH ] e
+ -

3.2. Selecione a opção que contém, por ordem sequencial, os valores da temperatura correspondentes aos valores 8
de Kw apresentados.
(A) 20 °C - 40 °C - 25 °C (B) 25 °C - 40 °C – 20 °C
(C) 40 °C - 20 °C - 25 °C (D) 20 °C - 25 °C - 40 °C
(D).
Atendendo a que a autoprotólise da água é um processo endotérmico, um aumento da temperatura favorece a
reação da autoprotólise da água. Assim, com o aumento da temperatura verifica-se um aumento do valor da
constante de autoprotólise.

3.3. Calcule o valor do pH da água à temperatura a que Kw = 3,0 * 10- 14. 12


Kw = [H3O ] e * [OH ] e
+ -

Kw = 3,0 * 10- 14
mas para a água pura [H3O+ ] e = [OH- ] e
Kw = [H3O+ ] e * [OH- ] e = [H3O+ ] e
EQ11DP © Porto Editora

3,0 * 10- 14 = [H3O+ ] e ⇔ [H3O+ ] e = "3,0 * 10- 14 = 1,7 * 10- 7 mol dm- 3
2

pH = - log [H3O+ ] e = - log (1,7 * 10- 7) = 6,8

123

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 123 4/2/16 12:31 PM


Teste de Avaliação 3

Grupo IV

4. O ácido acético, CH3COOH, é um ácido fraco que se pode encontrar no vinagre.

EQ11DP © Porto Editora


Considere uma solução deste ácido, de concentração 0,100 mol dm- 3 (Ka (CH3COOH) = 1,8 * 10- 5, a 25 °C).

4.1. Escreva a equação química que traduz a ionização do ácido acético. 8


CH3COOH(aq) + H2O(L) ⇌ CH3COO-(aq) + H3O+(aq)

4.2. Selecione a opção que contém a expressão que permite calcular o valor da constante de acidez. 8

[CH3COO ] e + [H3O ] e
- +
[CH3COO ] e * [H3O ] e
- +
(A) Ka = (B) Ka =
[CH3COOH] e [CH3COOH] e

[CH3COOH] e [CH3COO- ] e
(C) Ka = (D) Ka =
[CH3COO- ] e * [H3O+ ] e [CH3COOH] e * [H3O+ ] e
(B).

4.3. Determine o grau de ionização do ácido acético, à temperatura de 25 °C. 16

CH3COOH(aq) + H2O(L) ⇌ CH3COO-(aq) + H3O+(aq)


-3
cinício/mol dm 0,100 – –
cequil./mol dm- 3 0,100 - x x x
[CH3COO- ] e * [H3O+ ] e
Ka = = ⇔
x2
[CH3COOH] e 0,100 - x

⇔ 1,8 * 10- 5 = ⇔
x2
0,100 - x
⇔ 1,8 * 10- 5 * (0,100 - x) = x 2 ⇔
⇔ x = 1,3 * 10- 3 mol dm- 3
[CH3COO- ] e = [H3O+ ] e = 1,3 * 10- 3 mol dm- 3
[CH3COOH] e = 0,100 - 1,3 * 10- 3 = 9,87 * 10- 2 mol dm- 3
O grau de ionização pode ser calculado a partir de:
cionizado * V
a (%) = * 100 ⇔ a (%) = * 100 ⇔
nionizado
ninicial cinicial * V
1,3 * 10- 3 * V
⇔ a (%) = * 100 = 1,3%
0,100 * V

4.4. Selecione a opção que indica os pares conjugados ácido-base. 8

(A) CH3COO (aq)/CH3COOH(aq) e H3O (aq)/H2O(L)


- +
(B) CH3COO (aq)/CH3COOH(aq) e H2O(L)/H3O (aq)
- +

(C) CH3COOH(aq)/CH3COO-(aq) e H3O+(aq)/H2O(L) (D) CH3COOH(aq)/CH3COO-(aq) e H2O(L)/H3O+(aq)


(C).

124

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 124 4/2/16 12:31 PM


Teste de Avaliação 3

4.5. Calcule o valor da constante de ionização do ião acetato, CH3COO-, à temperatura considerada. 12

Ka * Kb = Kw ⇔ Kb =
Kw
Ka
1,0 * 10- 14
Substituindo, vem: Kb = = 5,6 * 10- 10
1,8 * 10- 5

Grupo V

5. O ácido clorídrico, HCL, é obtido pela queima de dicloro e di-hidrogénio, que depois de absorvido em água, origina
uma solução fortemente ácida, cuja constante de equilíbrio, a 25 °C, tem o valor de 1,3 * 106.

HC’

c = 0,061 mol dm- 3

5.1. Selecione a opção que contém os termos que completam corretamente a frase seguinte. 8

O facto de o ácido clorídrico possuir um elevado valor de Ka significa que…


(A) … se trata de um ácido fraco.

Testes
(B) … a reação de ionização é muito rápida.
(C) … é elevada a extensão da reação inversa.
(D) … a reação direta é muito mais extensa do que a reação inversa.
(D).
Quanto maior for o valor da constante de acidez, maior será a concentração dos produtos da reação, o que
corresponde a uma elevada extensão da reação direta.

5.2. Determine o valor do pH de uma solução de HCL de concentração 0,061 mol dm- 3. 12

Ka elevado significa que a ionização de HCL é elevada.


[H3O+ ] e ≈ [HCL] i = 0,061 mol dm- 3
Assim, o valor do pH pode ser calculado a partir da expressão:
pH = - log [H3O+ ] e ⇔
⇔ pH = - log (0,061) = 1,2

5.3. Considere uma solução de ácido fórmico, HCOOH, de igual volume e concentração da solução de ácido clorídrico. 12

Sabendo que, no estado de equilíbrio, a concentração de HCOOH é de 5,78 * 10- 2 mol dm- 3, determine o valor
do pH no equilíbrio químico.
O valor [H3O + ] no equilíbrio pode ser calculada a partir de:
HCOOH(aq) + H2O(L) ⇌ HCOO-(aq) + H3O+(aq)
-3
cinício/mol dm 6,1 * 10- 2 – –
cequil./mol dm- 3 6,1 * 10- 2 - x x x
6,1 * 10- 2 - x = 5,78 * 10- 2 ⇔
⇔ x = 6,1 * 10- 2 - 5,78 * 10- 2 = 3,2 * 10- 3 mol dm- 3
EQ11DP © Porto Editora

O valor do pH pode ser calculado a partir de:


pH = - log [H3O+ ] e = - log (3,2 * 10- 3) = 2,5

125

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 125 4/2/16 12:31 PM


Teste de Avaliação 3

Grupo VI

6. Com o objetivo de determinar a concentração de uma solução aquosa de hidróxido de sódio, NaOH, de volume

EQ11DP © Porto Editora


50,0 mL, um grupo de alunos realizou uma titulação ácido-base, utilizando, como titulante, a solução aquosa de
ácido clorídrico, HCL, de concentração 0,100 mol dm- 3. Até atingir o ponto de equivalência, verificaram ter-se
consumido 10,0 mL de titulante.
Para a realização da atividade, os alunos procederam à preparação do esquema de montagem, conforme mostra a
figura.

10

11

6.1. Selecione a opção que identifica o tipo de titulação. 8

(A) Titulação ácido forte-base forte.


(B) Titulação ácido forte-base fraca.
(C) Titulação base forte-ácido forte.
(D) Titulação ácido fraco-base forte.
(C).
O titulado é uma base forte e o titulante é um ácido forte, assim a titulação em causa é uma titulação base
forte-ácido forte.

6.2. Apresente o resultado da medida do volume de titulante no ponto de equivalência. 8

V = (10,0 ± 0,1) mL

6.3. Determine o valor da concentração da solução de hidróxido de sódio obtida experimentalmente pelos alunos. 12

Partindo da equação química que traduz a reação de titulação,


NaOH(aq) + HCL(aq) → NaCL(aq) + H2O(L)
e dada a estequiometria, no ponto de equivalência:
nNaOH = nHCL
A quantidade de NaOH neutralizada é:
nNaOH = nHCL = [HCL] * V = 0,100 * 10,0 * 10- 3 = 1,00 * 10- 3 mol
A concentração da solução titulada será:
nNaOH 1,00 * 10- 3
[NaOH] = = = 2,00 * 10- 2 mol dm- 3
V 50,0 * 10 -3

126

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 126 4/2/16 12:31 PM


Critérios de correção do Teste de Avaliação 3

Grupo I Etapa B – valor de x


1,8 * 10- 5 = ⇔ 1,8 * 10- 5 * (0,100 - x) = x 2 ⇔
1.1. .......................................................................................8 pontos x2
(A) 0,100 - x
⇔ x = 1,3 * 10 - 3 mol dm - 3
1.2. .......................................................................................8 pontos
(D) [CH3COO- ] e = [H3O+ ] e = 1,3 * 10- 3 mol dm- 3
Etapa B – grau de ionização
1,3 * 10- 3 * V
a (%) = * 100 ⇔ a (%) = * 100 = 1,3%
Grupo II nionizado
2.1. .......................................................................................8 pontos
ninicial 0,100 * V
(C) 4.4. .......................................................................................8 pontos
2.2. .....................................................................................12 pontos (C)
Etapa A – valor de [H3O+ ] 4.5. .....................................................................................12 pontos
pH = 11,3 ⇒ [H3O ] e = 10 + - 11,3
mol dm -3 Etapa A – relação Ka e Kb
Ka * Kb = Kw ⇔ Kb =
Kw
Etapa B – valor de [OH- ]
Ka
Kw = [H3O+ ] e * [OH- ] e ⇔ 1,0 * 10- 14 = 10- 11,3 * [OH- ] e ⇔
Etapa B – valor de Kb
1,0 * 10- 14 Kw 1,0 * 10- 14
⇔ [OH ] e = -
= 2,0 * 10 mol dm
-3 -3
Kb = = = 5,6 * 10- 10
10- 11,3 Ka 1,8 * 10- 5
2.3. .......................................................................................8 pontos
(A) Grupo V
2.4. .......................................................................................8 pontos 5.1. .......................................................................................8 pontos
(C) (D)
2.5. .......................................................................................8 pontos 5.2. .....................................................................................12 pontos
(C) Etapa A – relação entre [H3O+ ] e [HCL]
Ka elevado → a ionização de HCL é elevada
[H3O+ ] e ≈ [HCL] i = 0,061 mol dm- 3
Grupo III

Testes
3.1. .......................................................................................8 pontos
Kw = [H3O+ ] e * [OH- ] e
Etapa B – valor de pH
pH = - log [H3O+ ] e ⇔ pH = - log (0,061) = 1,2
3.2. .......................................................................................8 pontos
(D) 5.3. .....................................................................................12 pontos
Etapa A – valor [H3O+ ] no equilíbrio
3.3. .....................................................................................12 pontos
Etapa A – valor da [H3O+ ] HCOOH(aq) + H2O(L) ⇌ HCOO-(aq) + H3O+(aq)
cinício/mol dm 6,1 * 10- 2
-3
Kw = [H3O+ ] e * [OH- ] e
– –
cequil./mol dm- 3 6,1 * 10- 2 - x
Kw = 3,0 * 10- 14
x x
x = 6,1 * 10- 2 - 5,78 * 10- 2 = 3,2 * 10- 3 mol dm- 3
mas para a água pura [H3O+ ] e = [OH- ] e
Kw = [H3O+ ] e * [OH- ] e = [H3O+ ] e Etapa B – valor de pH
2

pH = - log [H3O+ ] e = - log (3,2 * 10- 3) = 2,5


3,0 * 10- 14 = [H3O+ ] e ⇔
2

⇔ [H3O ] e = "3,0 * 10- 14 = 1,7 * 10- 7 mol dm - 3


+
Grupo VI
Etapa B – valor do pH
pH = - log [H3O+ ] e = - log (1,7 * 10- 7) = 6,8
6.1. .......................................................................................8 pontos
(C)
6.2. .......................................................................................8 pontos
V = (10,0 ± 0,1) mL
Grupo IV
4.1. .......................................................................................8 pontos
CH3COOH(aq) + H2O(L) ⇌ CH3COO-(aq) + H3O+(aq)
6.3. .....................................................................................12 pontos
Etapa A – quantidade de NaOH neutralizado
NaOH(aq) + HCL(aq) → NaCL(aq) + H2O(L)
4.2. .......................................................................................8 pontos

Da estequiometria, nNaOH = nHCL.


(B)
4.3. .....................................................................................16 pontos
Etapa A – escrita da constante de equilíbrio Etapa B – concentração de NaOH

CH3COOH(aq) + H2O(L) ⇌ CH3COO-(aq) + H3O+(aq)


No ponto de equivalência:
-3 nNaOH = nHCL = [HCL] * V = 0,100 * 10,0 * 10- 3 = 1,00 * 10- 3 mol
cinício/mol dm 0,100 – –
cequil./mol dm- 3 0,100 - x nNaOH 1,00 * 10- 3
[NaOH] = = = 2,00 * 10- 2 mol dm- 3
EQ11DP © Porto Editora

x x
[CH3COO- ] e * [H3O+ ] e V 50,0 * 10- 3
Ka = =
x2
[CH3COOH] e 0,100 - x
TOTAL ......................................................................... 200 pontos

127

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 127 4/2/16 12:31 PM


Grupo I II III IV V VI

128
Item 1.1. 1.2. 2.1. 2.2. 2.3. 2.4. 2.5. 3.1. 3.2. 3.3. 4.1. 4.2. 4.3. 4.4. 4.5. 5.1. 5.2. 5.3. 6.1. 6.2. 6.3. Total
Cotação 8 8 8 12 8 8 8 8 8 12 8 8 16 8 12 8 12 12 8 8 12 200
N.° Aluno
1
2
Teste de Avaliação 3

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 128
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
Grelha de classificação do Teste de Avaliação 3

19
20
Turma: 11.°

21
22
23
24
25
26
  Data do teste:

27
28
29
-

30
-

Balanço N.° de alunos Média das notas Nota mais elevada Nota mais baixa N.° de positivas N.° de negativas % de positivas % de negativas
do teste
EQ11DP © Porto Editora

4/2/16 12:31 PM
Matriz do Teste de Avaliação 4
Domínio 2 Reações em sistemas aquosos
Item Cotação Total

SD2. Reações de oxidação-redução

1.1. 8

1.2. 12

1.3. 8

1.4. 12

2.1. 12

M16  2.1. Caracterização das reações de oxidação-redução 2.2. 12 108

2.3. 8

3.1. 8

3.2. 12

3.3. 8

Testes
3.4. 8

4.1. 8

4.2. 8
M17   2.2. Força relativa de oxidantes e redutores 40
4.3. 12

4.4. 12

5.1. 8

5.2. 16

AL2.3   Série eletroquímica 5.3. 12 52

5.4. 8

5.5. 8
EQ11DP © Porto Editora

EQ11DP – 09 129

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 129 4/2/16 12:45 PM


EQ11DP © Porto Editora
TA Teste de Avaliação 4
Escola Data
Nome N.º Turma
Professor Classificação

Para responder aos itens de escolha múltipla, selecione a única opção (A, B, C ou D) que
permite obter uma afirmação correta ou responder corretamente à questão colocada.
Se apresentar mais do que uma opção, a resposta será classificada com zero pontos.
O mesmo acontece se a letra transcrita for ilegível.

Grupo I Cotações

1. Considere o seguinte texto.


As reações de oxidação-redução, também conhecidas por reações redox, são reações que ocorrem por transferên-
cia de eletrões. Para que exista uma reação redox, no sistema deve haver uma espécie que ceda eletrões e outra
que os aceite.
Por essa razão, ao mergulhar uma placa de zinco numa solução que contenha iões cobre(II), verifica-se um atenuar
da cor azul da solução e, simultaneamente, um depósito acobreado na placa de zinco, como mostra a figura seguinte.

Placa
de zinco

Solução
de iões Cu2+
      

1.1. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8

A oxidação é um processo que consiste de eletrões. A espécie que sofre oxidação designa-se por
.
(A) … no ganho… oxidante
(B) … no ganho… redutor
(C) … na cedência… oxidante
(D) … na cedência… redutor

1.2. Escreva a equação química que representa a reação química observada na figura e identifique a espécie que 12
sofre redução e a espécie que sofre oxidação.

1.3. Das seguintes afirmações, selecione a verdadeira. 8

(A) O número de oxidação do zinco diminui.


(B) O número de oxidação do cobre aumenta.
(C) O número de oxidação do zinco aumenta.
(D) O número de oxidação do cobre não sofre alteração.

1.4. A que se deve o atenuar da cor azul da solução? Escreva a semiequação química que traduz essa alteração. 12

130

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 130 4/2/16 12:45 PM


Teste de Avaliação 4

Grupo II

2. Os pigmentos à base de óxido de ferro são utilizados pelo ser humano desde a Pré-História, quando pintavam os
seus desenhos nas paredes das cavernas.
Este pigmento é tratado a altas temperaturas, de acordo com a reação química traduzida pela seguinte equação
química:
Fe2O3(s) + 3 CO(s) → 2 Fe(s) + 3 CO2(g)

2.1. Indique os números de oxidação de todos os elementos intervenientes na reação química. 12

2.2. Determine a variação dos números de oxidação do carbono e do ferro e indique a espécie que sofre redução. 12

2.3. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8

Dado que o monóxido de carbono, CO, contém o elemento que sofre , é a substância que se
, sendo, por isso, o .
(A) … redução… oxida… agente redutor
(B) … redução… reduz… agente oxidante
(C) … oxidação… oxida… agente redutor
(D) … oxidação… reduz… agente oxidante

Grupo III

3. Quando se mergulha uma moeda de cobre numa solução de nitrato de prata, AgNO3, verifica-se, ao fim de um dado
tempo, a deposição de uma camada metálica sobre a moeda.

Testes
3.1. Identifique o constituinte da camada metálica que se deposita sobre a moeda de cobre. 8

3.2. Escreva as semiequações de oxidação e de redução associadas à reação descrita. 12

3.3. Das seguintes equações, selecione aquela que traduz a reação de oxidação-redução apresentada. 8

(A) Cu(s) + Ag+(aq) → Cu2+(aq) + Ag(s)


(B) Cu(s) + 2 Ag+(aq) → Cu2+(aq) + 2 Ag(s)
(C) Cu2+(aq) + Ag(s) → Cu(s) + Ag+(s)
(D) Cu2+(aq) + 2 Ag(s) → Cu(s) + 2 Ag+(aq)

3.4. Identifique os pares conjugados de oxidação-redução. 8


EQ11DP © Porto Editora

131

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 131 4/2/16 12:45 PM


Teste de Avaliação 4

Grupo IV

4. Colocaram-se pequenos pedaços de zinco metálico, Zn, numa solução aquosa de sulfato de cobre(II), CuSO4, e numa

EQ11DP © Porto Editora


solução aquosa de nitrato de magnésio, Mg(NO3)2, de igual concentração.
Passado algum tempo, registaram-se as seguintes observações.

Solução que contém Mg2 + Solução que contém Cu2 +

Não houve reação Formou-se um depósito acastanhado sobre o


zinco, apresentando este metal um aspeto
bastante corroído.
A solução inicial era azul e, no final, ficou
praticamente incolor.

4.1. Das seguintes afirmações, selecione a correta. 8

(A) O zinco metálico na presença do catião cobre(II) sofre uma redução.


(B) O catião cobre(II) reduz o zinco metálico.
(C) O catião cobre(II) é capaz de oxidar o zinco metálico.
(D) O catião cobre(II) é oxidado na presença de zinco metálico.

4.2. Selecione a semiequação química que traduz a redução ocorrida. 8

(A) Zn(s) → Zn (aq) + 2 e


2+ -

(B) Cu(s) → Cu2+(aq) + 2 e-


(C) Zn2+(aq) + 2 e- → Zn(s)
(D) Cu2+(aq) + 2 e- → Cu(s)

4.3. Compare o poder redutor do zinco com o do cobre. 12

4.4. Justifique a não ocorrência de reação química do Zn na presença do catião magnésio. 12

Grupo V

5. Com o objetivo de organizar uma série eletroquímica a partir da reação entre metais e soluções aquosas de sais
contendo catiões de outros metais, um grupo de alunos utilizou pequenos pedaços de cobre, ferro, chumbo e zinco e
soluções de catiões dos mesmos metais, numa placa de microescala.
Seguiram o seguinte procedimento:
Etapa 1 - Colocar, em cada concavidade da fila vertical, uma amostra de cada metal.
Etapa 2 - Usando pipetas de Pasteur, colocar em cada concavidade da fila horizontal a mesma quantidade de
solução aquosa contendo catião cobre(II). Repetir o procedimento para as filas seguintes, com cada uma das
restantes soluções.
Etapa 3 - Registar numa tabela a ocorrência, ou não, de reação, passados cerca de 30 minutos.

132

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 132 4/2/16 12:45 PM


Teste de Avaliação 4

No quadro seguinte, registam-se algumas observações no final da atividade.

Cu Fe Pb Zn

Cu2+ 1 3 5

Não
Fe2+ 4 Ocorre reação
ocorre reação

Não
Pb2+ Ocorre reação Ocorre reação
ocorre reação

Não Não
Zn2+ 2
ocorre reação ocorre reação

5.1. Selecione a opção que completa corretamente a frase. 8

Não se verifica ocorrência de reação de oxidação-redução no(s) ensaio(s)…


(A) … 1, 2 e 3.
(B) … 3 e 5.
(C) … 1 e 4.
(D) … 2 e 4.

5.2. Escreva a equação química que traduz a reação de oxidação-redução do zinco numa solução de nitrato de 16

Testes
chumbo(II).
Comece por escrever as semiequações de oxidação e de redução.

5.3. Compare o poder redutor do ferro com o do chumbo. 12

Fundamente a resposta com base nos resultados do quadro.

5.4. Selecione a opção que dispõe os metais por ordem crescente de poder redutor. 8

(A) Cu - Zn - Pb
(B) Pb - Cu - Zn
(C) Cu - Pb - Zn
(D) Zn - Cu - Pb

5.5. Selecione a opção que dispõe os catiões metálicos por ordem crescente de poder oxidante. 8

(A) Zn2+ - Fe2+ - Pb2+ - Cu2+


(B) Fe2+ - Pb2+ - Cu2+ - Zn2+
(C) Pb2+ - Cu2+ - Zn2+ - Fe2+
(D) Cu2+ - Zn2+ - Fe2+ - Pb2+
EQ11DP © Porto Editora

133

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 133 4/2/16 12:45 PM


EQ11DP © Porto Editora
TA Teste de Avaliação 4
Escola Data
Nome N.º Turma
Professor Classificação

Para responder aos itens de escolha múltipla, selecione a única opção (A, B, C ou D) que
permite obter uma afirmação correta ou responder corretamente à questão colocada.
Se apresentar mais do que uma opção, a resposta será classificada com zero pontos.
O mesmo acontece se a letra transcrita for ilegível.

Grupo I Cotações

1. Considere o seguinte texto.


As reações de oxidação-redução, também conhecidas por reações redox, são reações que ocorrem por transferên-
cia de eletrões. Para que exista uma reação redox, no sistema deve haver uma espécie que ceda eletrões e outra
que os aceite.
Por essa razão, ao mergulhar uma placa de zinco numa solução que contenha iões cobre(II), verifica-se um atenuar
da cor azul da solução e, simultaneamente, um depósito acobreado na placa de zinco, como mostra a figura seguinte.

Placa
de zinco

Solução
de iões Cu2+
      

1.1. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8

A oxidação é um processo que consiste de eletrões. A espécie que sofre oxidação designa-se por
.
(A) … no ganho… oxidante
(B) … no ganho… redutor
(C) … na cedência… oxidante
(D) … na cedência… redutor
(D).
A oxidação é um processo que consiste na cedência de eletrões. A espécie que sofre oxidação designa-se por
redutor.

1.2. Escreva a equação química que representa a reação química observada na figura e identifique a espécie que 12
sofre redução e a espécie que sofre oxidação.
O zinco metálico, Zn, oxida-se e o catião cobre(II), Cu2+(aq), é reduzido a cobre sólido.
Zn(s) + Cu2+(aq) → Zn2+(aq) + Cu(s)

134

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 134 4/2/16 12:45 PM


Teste de Avaliação 4

1.3. Das seguintes afirmações, selecione a verdadeira. 8

(A) O número de oxidação do zinco diminui.


(B) O número de oxidação do cobre aumenta.
(C) O número de oxidação do zinco aumenta.
(D) O número de oxidação do cobre não sofre alteração.
(C).
O número de oxidação do zinco aumenta: Dn.o = + 2 - 0 = + 2.

1.4. A que se deve o atenuar da cor azul da solução? Escreva a semiequação química que traduz essa alteração. 12

O atenuar da cor da solução deve-se à diminuição da concentração do catião Cu2+.


A semiequação química que traduz o processo descrito é:
Cu2+(aq) + 2 e- → Cu(s)

Grupo II

2. Os pigmentos à base de óxido de ferro são utilizados pelo ser humano desde a Pré-História, quando pintavam os
seus desenhos nas paredes das cavernas.
Este pigmento é tratado a altas temperaturas, de acordo com a reação química traduzida pela seguinte equação
química:
Fe2O3(s) + 3 CO(s) → 2 Fe(s) + 3 CO2(g)

2.1. Indique os números de oxidação de todos os elementos intervenientes na reação química. 12

Fe2O3(s) + 3 CO(s) → 2 Fe(s) + 3 CO2(g)

Testes
(+ 3) (- 2) (+ 2) (- 2) (0) (+ 4) (- 2)

2.2. Determine a variação dos números de oxidação do carbono e do ferro e indique a espécie que sofre redução. 12

A variação dos números de oxidação dos elementos envolvidos é:


Dn.o. (Fe) = 0 - (+ 3) = - 3
Dn.o. (C) = 4 - (+ 2) = + 2
Como o número de oxidação do ferro diminui, o ferro sofre redução e dado que o número de oxidação do
carbono aumenta, o carbono sofre oxidação. Assim, Fe2O3 é a espécie que sofre redução, pois possui o
elemento que sofre redução - o Fe.

2.3. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8

Dado que o monóxido de carbono, CO, contém o elemento que sofre , é a substância que se
, sendo, por isso, o .
(A) … redução… oxida… agente redutor
(B) … redução… reduz… agente oxidante
(C) … oxidação… oxida… agente redutor
(D) … oxidação… reduz… agente oxidante
(C).
Dado que o monóxido de carbono, CO, contém o elemento que sofre oxidação, é a substância que se oxida,
sendo, por isso, designado espécie redutora (ou agente redutor).
EQ11DP © Porto Editora

135

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 135 4/2/16 12:45 PM


Teste de Avaliação 4

Grupo III

3. Quando se mergulha uma moeda de cobre numa solução de nitrato de prata, AgNO3, verifica-se, ao fim de um dado

EQ11DP © Porto Editora


tempo, a deposição de uma camada metálica sobre a moeda.

3.1. Identifique o constituinte da camada metálica que se deposita sobre a moeda de cobre. 8
Prata metálica.

3.2. Escreva as semiequações de oxidação e de redução associadas à reação descrita. 12


Cu(s) → Cu (aq) + 2 e
2+ -

Ag+(aq) + 1 e- → Ag(s)

3.3. Das seguintes equações, selecione aquela que traduz a reação de oxidação-redução apresentada. 8

(A) Cu(s) + Ag (aq) → Cu (aq) + Ag(s)


+ 2+
(B) Cu(s) + 2 Ag (aq) → Cu (aq) + 2 Ag(s)
+ 2+

(C) Cu2+(aq) + Ag(s) → Cu(s) + Ag+(s) (D) Cu2+(aq) + 2 Ag(s) → Cu(s) + 2 Ag+(aq)
(B).
Cu(s) + 2 Ag+(aq) → Cu2+(aq) + 2 Ag(s)

3.4. Identifique os pares conjugados de oxidação-redução. 8


Cu2+(aq)/Cu(s) e Ag+(aq)/Ag(s)

Grupo IV

4. Colocaram-se pequenos pedaços de zinco metálico, Zn, numa solução aquosa de sulfato de cobre(II), CuSO4, e numa
solução aquosa de nitrato de magnésio, Mg(NO3)2, de igual concentração.
Passado algum tempo, registaram-se as seguintes observações.

Solução que contém Mg2 + Solução que contém Cu2 +

Não houve reação Formou-se um depósito acastanhado sobre o


zinco, apresentando este metal um aspeto
bastante corroído.
A solução inicial era azul e, no final, ficou
praticamente incolor.

4.1. Das seguintes afirmações, selecione a correta. 8

(A) O zinco metálico na presença do catião cobre(II) sofre uma redução.


(B) O catião cobre(II) reduz o zinco metálico.
(C) O catião cobre(II) é capaz de oxidar o zinco metálico.
(D) O catião cobre(II) é oxidado na presença de zinco metálico.
(C).
O catião cobre(II) é capaz de oxidar o zinco metálico, uma vez que na presença deste sofre redução.

136

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 136 4/2/16 12:45 PM


Teste de Avaliação 4

4.2. Selecione a semiequação química que traduz a redução ocorrida. 8

(A) Zn(s) → Zn2+(aq) + 2 e- (B) Cu(s) → Cu2+(aq) + 2 e-


(C) Zn2+(aq) + 2 e- → Zn(s) (D) Cu2+(aq) + 2 e- → Cu(s)
(D).
Cu2+(aq) + 2 e- → Cu(s)

4.3. Compare o poder redutor do zinco com o do cobre. 12

O zinco metálico, na presença do catião cobre(II), Cu2+, é oxidado a Zn2+ e o catião cobre(II) é reduzido a Cu(s).
Como a reação observada corresponde à redução do catião cobre(II), conclui-se que o poder redutor do zinco é
maior do que o poder redutor do cobre.

4.4. Justifique a não ocorrência de reação química do Zn na presença do catião magnésio. 12

O zinco metálico, na presença do catião magnésio, Mg2+, não é capaz de sofrer oxidação, pelo que o catião Mg2+
não pode ser reduzido pelo zinco.
A não ocorrência de reação permite concluir que o poder redutor do zinco é menor que o poder redutor do
magnésio.

Grupo V

5. Com o objetivo de organizar uma série eletroquímica a partir da reação entre metais e soluções aquosas de sais
contendo catiões de outros metais, um grupo de alunos utilizou pequenos pedaços de cobre, ferro, chumbo e zinco e
soluções de catiões dos mesmos metais, numa placa de microescala.
Seguiram o seguinte procedimento:

Testes
Etapa 1 - Colocar, em cada concavidade da fila vertical, uma amostra de cada metal.
Etapa 2 - Usando pipetas de Pasteur, colocar em cada concavidade da fila horizontal a mesma quantidade de
solução aquosa contendo catião cobre(II). Repetir o procedimento para as filas seguintes, com cada uma das
restantes soluções.
Etapa 3 - Registar numa tabela a ocorrência, ou não, de reação, passados cerca de 30 minutos.
No quadro seguinte, registam-se algumas observações no final da atividade.

Cu Fe Pb Zn

Cu2+ 1 3 5

Não
Fe2+ 4 Ocorre reação
ocorre reação

Não
Pb2+ Ocorre reação Ocorre reação
ocorre reação

Não Não
Zn2+ 2
ocorre reação ocorre reação

5.1. Selecione a opção que completa corretamente a frase. 8


Não se verifica ocorrência de reação de oxidação-redução no(s) ensaio(s)…
(A) … 1, 2 e 3. (B) … 3 e 5. (C) … 1 e 4. (D) … 2 e 4.
EQ11DP © Porto Editora

(D).
No ensaio 3 verifica-se ocorrência de reação, pois o chumbo, na presença do catião Cu2+, é oxidado; no ensaio 5
também ocorre reação, pelo facto de o catião cobre(II), Cu2+, oxidar o zinco.

137

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 137 4/2/16 12:45 PM


Teste de Avaliação 4

5.2. Escreva a equação química que traduz a reação de oxidação-redução do zinco numa solução de nitrato de 16
chumbo(II).

EQ11DP © Porto Editora


Comece por escrever as semiequações de oxidação e de redução.
O zinco metálico, quando mergulhado numa solução de nitrato de chumbo(II), sofre oxidação, enquanto que o
catião chumbo(II), Pb2+, é reduzido.
– Semiequação de oxidação
Zn(s) → Zn2+(aq) + 2 e-
– Semiequação de redução
Pb2+(aq) + 2 e- → Pb(s)
– Equação química global
Zn(s) + Pb2+(aq) → Pb(s) + Zn2+(aq)

5.3. Compare o poder redutor do ferro com o do chumbo. 12

Fundamente a resposta com base nos resultados do quadro.


Da análise do quadro, quando se mergulha a amostra de ferro metálico numa solução contendo catiões
chumbo(II), Pb2+, verifica-se a ocorrência de reação, ou seja, o ferro sofre oxidação e o catião chumbo(II) é
reduzido.
Dado que o ferro é capaz de reduzir o catião chumbo(II), conclui-se que o poder redutor do ferro é maior que o
do chumbo.

5.4. Selecione a opção que dispõe os metais por ordem crescente de poder redutor. 8

(A) Cu - Zn - Pb
(B) Pb - Cu - Zn
(C) Cu - Pb - Zn
(D) Zn - Cu - Pb
(C).
O chumbo sofre oxidação na presença do catião cobre(II), por isso, o poder redutor do chumbo é maior que o
poder redutor do cobre.
O zinco sofre oxidação na presença do catião chumbo(II), por isso, o poder redutor do zinco é maior que o poder
redutor do chumbo.
Por ordem crescente de poder redutor pode escrever-se:
Cu < Pb < Zn

5.5. Selecione a opção que dispõe os catiões metálicos por ordem crescente de poder oxidante. 8

(A) Zn2+ - Fe2+ - Pb2+ - Cu2+


(B) Fe2+ - Pb2+ - Cu2+ - Zn2+
(C) Pb2+ - Cu2+ - Zn2+ - Fe2+
(D) Cu2+ - Zn2+ - Fe2+ - Pb2+
(A).
O catião ferro(II) na presença do zinco metálico é capaz de lhe provocar oxidação, por isso possui maior poder
oxidante que o catião zinco.
O catião chumbo(II) é capaz de provocar oxidação do ferro metálico, o que permite concluir que o poder
oxidante do catião chumbo(II) é maior que o poder oxidante do catião ferro(II).
O catião cobre(II) oxida o chumbo metálico, permitindo concluir que o poder oxidante do catião cobre(II) é maior
que o poder oxidante do catião chumbo(II).
Por ordem crescente de poder oxidante pode escrever-se:
Zn2+ < Fe2+ < Pb2+ < Cu2+

138

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 138 4/2/16 12:45 PM


Critérios de correção do Teste de Avaliação 4

Grupo I 4.3. .....................................................................................12 pontos


1.1. .......................................................................................8 pontos Tópico A – identificação da reação de cada espécie
(D) O zinco metálico, na presença do catião cobre(II), Cu2+, é
oxidado a Zn2+ e o catião cobre(II) é reduzido a Cu(s).
1.2. .....................................................................................12 pontos
Etapa A – identificação da reação de oxidação e de redução Tópico B – comparação do poder redutor
O zinco metálico, Zn, oxida-se e o catião cobre(II), Cu2+(aq), é Como a reação observada corresponde à redução do catião
reduzido a cobre sólido. cobre(II), conclui-se que o poder redutor do zinco é maior do
que o poder redutor do cobre.
Etapa B – equação química da reação
Zn(s) + Cu2+(aq) → Zn2+(aq) + Cu(s)
4.4. .....................................................................................12 pontos
Tópico A – identificação da reação de cada espécie
1.3. .......................................................................................8 pontos
O zinco metálico, na presença do catião magnésio, Mg2+, não
sofre oxidação (o zinco não é capaz de reduzir o catião Mg2+).
(C)
1.4. .....................................................................................12 pontos
Tópico B – comparação do poder redutor
Etapa A – causa da alteração da cor
A não ocorrência de reação permite concluir que o poder
Diminuição da concentração do catião Cu2+. redutor do zinco é menor que o poder redutor do magnésio.
Etapa B – equação química
Cu2+(aq) + 2 e- → Cu(s)
Grupo V
5.1. .......................................................................................8 pontos
Grupo II
(D)
2.1. .....................................................................................12 pontos
5.2. .....................................................................................16 pontos
Fe2O3(s) + 3 CO(s) → 2 Fe(s) + 3 CO2(g)
(+ 3) (- 2) (+ 2) (- 2) (0) (+ 4) (- 2)
Etapa A – semiequação de oxidação
O zinco metálico quando mergulhado numa solução de
2.2. .....................................................................................12 pontos
nitrato de chumbo(II) sofre oxidação, enquanto que o catião
Etapa A – variação dos números de oxidação chumbo(II), Pb2+, sofre redução.

Testes
Dn.o. (Fe) = 0 - (+ 3) = - 3
Zn(s) → Zn2+(aq) + 2 e-
Dn.o. (C) = 4 - (+ 2) = + 2
Etapa B – semiequação de redução
Etapa B – identificação da espécie que sofre redução
Pb2+(aq) + 2 e- → Pb(s)
Fe2O3 é a espécie que sofre redução, pois possui o elemento
que sofre redução - o Fe. Etapa C – equação química global
2.3. .......................................................................................8 pontos Zn(s) + Pb2+(aq) → Pb(s) + Zn2+(aq)
(C) 5.3. .....................................................................................12 pontos
Tópico A – identificação da reação de cada espécie
Grupo III Da análise do quadro, verifica-se que quando se mergulha
uma amostra de ferro metálico numa solução contendo
3.1. .......................................................................................8 pontos catiões chumbo(II), Pb2+, ocorre reação, ou seja, o ferro sofre
Prata metálica. oxidação e o catião chumbo(II) é reduzido.
3.2. .....................................................................................12 pontos Tópico B – comparação do poder redutor
Cu(s) → Cu2+(aq) + 2 e- Dado que o ferro é capaz de reduzir o catião chumbo(II),
Ag+(aq) + 1 e- → Ag(s) conclui-se que o poder redutor do ferro é maior que o do
chumbo.
3.3. .......................................................................................8 pontos
(B) 5.4. .......................................................................................8 pontos
(C)
3.4. .......................................................................................8 pontos
Cu (aq)/Cu(s)
2+ 5.5. .......................................................................................8 pontos
Ag+(aq)/Ag(s) (A)

TOTAL ......................................................................... 200 pontos


Grupo IV
4.1. .......................................................................................8 pontos
EQ11DP © Porto Editora

(C)
4.2. .......................................................................................8 pontos
(D)

139

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 139 4/2/16 12:45 PM


Grupo I II III IV V

140
Item 1.1. 1.2. 1.3. 1.4. 2.1. 2.2. 2.3. 3.1. 3.2. 3.3. 3.4. 4.1. 4.2. 4.3. 4.4. 5.1. 5.2. 5.3. 5.4. 5.5. Total
Cotação 8 12 8 12 12 12 8 8 12 8 8 8 8 12 12 8 16 12 8 8 200
N.° Aluno
1
2
Teste de Avaliação 4

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 140
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
Grelha de classificação do Teste de Avaliação 4

19
20
Turma: 11.°

21
22
23
24
25
26
  Data do teste:

27
28
29
-

30
-

Balanço N.° de alunos Média das notas Nota mais elevada Nota mais baixa N.° de positivas N.° de negativas % de positivas % de negativas
do teste
EQ11DP © Porto Editora

4/2/16 12:45 PM
Matriz do Teste de Avaliação 5
Domínio 2 Reações em sistemas aquosos
Item Cotação Total

SD3. Soluções e equilíbrio de solubilidade

1.1. 12

M18  3.1. Mineralização das águas e processo de dissolução 1.2. 8 28

1.3. 8

2.1. 12

2.2. 12
M19   3.2. Solubilidade de sais em água 48
2.3. 8

2.4. 16

3.1. 8

3.2. 12

M20  3.3. Equilíbrio químico e solubilidade de sais 3.3. 8 56

Testes
3.4. 16

3.5. 12

4.1. 8

M21  3.4. Alteração da solubilidade dos sais 4.2. 8 28

4.3. 12

M22  3.5. Desmineralização de águas e processo de precipitação

5.1. 8

5.2. 12
AL2.4   Temperatura e solubilidade de um soluto sólido em água 40
5.3.1. 8
EQ11DP © Porto Editora

5.3.2. 12

141

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 141 4/2/16 12:45 PM


EQ11DP © Porto Editora
TA Teste de Avaliação 5
Escola Data
Nome N.º Turma
Professor Classificação

Para responder aos itens de escolha múltipla, selecione a única opção (A, B, C ou D) que
permite obter uma afirmação correta ou responder corretamente à questão colocada.
Se apresentar mais do que uma opção, a resposta será classificada com zero pontos.
O mesmo acontece se a letra transcrita for ilegível.

Grupo I Cotações

1. Considere o seguinte texto.


Os oceanos têm um papel importante no equilíbrio do dióxido de carbono na atmosfera terrestre devido à
capacidade que este composto tem de reagir com os iões presentes na água. Na água do mar, o dióxido de carbono
desempenha um papel fundamental no controlo do seu pH.
O esquema da figura pretende ilustrar algumas das etapas descritas.

Atmosfera
CO2(g)

2-
H3O+ + CO3 H3O+ + HCO3- H2CO3 CO2(aq) + H2O

Oceano HCO3- HCO3-


H+
2-
Ca + CO
2+
3 H +
Ca + CO32-
2+
Preci

ção

ta o
lu
pi

Sedimento
ção Diss
CaCO3

1.1. A percentagem, em volume, de dióxido de carbono na atmosfera é apenas cerca de 0,04%. Na água dos oceanos, 12
o CO2 está presente numa concentração máxima de 107 ppmm.
Determine a percentagem em massa (% m/m) de CO2 dissolvido nas águas dos oceanos.
Comece por deduzir a relação entre a percentagem em massa e as partes por milhão em massa.

1.2. Selecione a opção que contém a equação química que representa a absorção do dióxido de carbono pela água do 8
oceano e que justifica o seu papel regulador do pH da água.
(A) CO2(g) + H2O(L) ⇌ HCO3(aq) (B) CO2(g) + H2O(L) ⇌ H3CO3(aq)
(C) CO2(g) + H2O(L) ⇌ HCO (aq)
-
3 (D) CO2(g) + H2O(L) ⇌ H2CO3(aq)

1.3. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8

As ligações que se estabelecem entre as moléculas de água e as moléculas de CO2 são ligações…
(A) … dipolo instantâneo-dipolo induzido.
(B) … dipolo-dipolo induzido.
(C) … por pontes de hidrogénio.
(D) … covalentes.

142

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 142 4/2/16 12:45 PM


Teste de Avaliação 5

Grupo II

2. Adicionando gradualmente um composto sólido a um determinado solvente, a temperatura e pressão constantes e


sob agitação contínua, verifica-se que a partir de um dado momento o soluto não se dissolve mais.

I II III

Num volume de 250 mL de água destilada foi possível dissolver uma massa máxima de 50,0 g de sulfato de cobre(II),
CuSO4, à temperatura de 20 °C, sem ocorrer formação de precipitado.

2.1. Indique, justificando, qual das situações I, II ou III pode corresponder ao momento em que se conclui a prepara- 12
ção da solução.

2.2. Determine a solubilidade de CuSO4 à temperatura de 20 °C, expressa em g/100 g de H2O. 12

2.3. Selecione a opção que contém a expressão numérica que corresponde ao valor da concentração de CuSO4, 8
expressa em mol dm- 3, à temperatura considerada (M (CuSO4) = 159,61 g mol- 1).
50 159,61
(A) (B)
159,61 50
200 159,61
(C) (D)
159,61 200

Testes
2.4. Suponha que foram dissolvidos 150 g de sulfato de cobre(II), num balão de 500 mL de água, a 20 °C. 16

Classifique a solução de insaturada ou saturada e determine a massa de CuSO4 que existe em excesso ou que
ainda é possível dissolver.

Grupo III

3. A mistura de duas soluções aquosas, de nitrato de prata, AgNO3, e cloreto de sódio, NaCL, conduz à formação de um
precipitado de cloreto de prata, AgCL, sal muito pouco solúvel, cujo equilíbrio pode ser traduzido pela seguinte
equação química:
AgCL(s) ⇌ Ag+(aq) + CL-(aq)
Ks (AgCL) = 1,8 * 10- 10, a 25 °C   e   M (AgCL) = 143,32 g mol–1

3.1. Selecione a opção que contém a expressão da constante de produto de solubilidade, Ks, para o equilíbrio descrito. 8

[Ag+ ] e * [CL- ] e [AgCL] e


(A) Ks = (B) Ks =
[AgCL] e [Ag+ ] e * [CL- ]
e

(C) Ks = [Ag+ ] e * [CL- ] e (D) Ks = [Ag+ ] e + [CL- ] e

3.2. Comprove, apresentando os cálculos necessários, que o valor da solubilidade do cloreto de prata, expresso 12
em g/dm3, à temperatura considerada, é 1,9 * 10- 3 g dm- 3.

3.3. Selecione a opção que representa a massa de AgCL que é possível dissolver em 250 mL de água destilada. 8

"Ks * 143,32 250 * 10 * 143,32


-3
(A) m = g (B) m = g
250 * 10 -3
EQ11DP © Porto Editora

"Ks
"Ks * 250 * 10- 3
(C) m = g (D) m = "Ks * 250 * 10- 3 * 143,32 g
143,32

143

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 143 4/2/16 12:45 PM


Teste de Avaliação 5

3.4. Determine a massa de AgNO3 que é possível dissolver em 500 mL de uma solução cuja concentração em anião 16
cloreto, CL-, seja igual a 1,0 * 10- 5 mol dm- 3.

3.5. Classifique a solução que resulta da mistura de 100 mg de NaCL com 1,0 dm3 de uma solução aquosa, cuja 12
concentração em catião prata é igual a 1,3 * 10- 5 mol dm- 3.
Justifique a resposta, estabelecendo a comparação entre os valores de Qs e Ks.

EQ11DP © Porto Editora


Grupo IV

4. Na preparação de 500,0 mL de uma solução saturada de hidróxido de magnésio, Mg(OH)2, verifica-se a deposição de
sólido por dissolver, a partir do momento em que é adicionada uma dada quantidade de soluto.
M (Mg(OH)2) = 58,32 g mol- 1   e   Ks (Mg(OH)2) = 1,5 * 10- 11

4.1. Escreva a equação de dissociação do hidróxido de magnésio. 8

4.2. Selecione a opção que contém a expressão numérica que permite obter o valor da solubilidade, expressa 8
em mol dm- 3, do hidróxido de magnésio.

(A) "1,5 * 10- 11 (B) "1,5 * 10- 11


3

3 1,5 * 10- 11 1,5 * 10- 11


(C) (D)
Ç 4 Ç 4

4.3. Suponha que à solução saturada com depósito de hidróxido de magnésio são adicionadas umas gotas de ácido 12
clorídrico concentrado, como mostra a figura.

HC’

??

Solução saturada
com depósito
Mg(OH)2

O que será de esperar que aconteça à quantidade de sólido não dissolvido? Justifique, com base no Princípio de
Le Châtelier.

144

EQ11DP_20153724_P116_154_3P_CImg.indd 144 4/2/16 12:45 PM


Teste de Avaliação 5

Grupo V

5. Com o objetivo de estudar o efeito da temperatura na solubilidade de um soluto sólido em água, um grupo de alu-
nos realizou uma atividade laboratorial, cumprindo o seguinte procedimento:
1)  Colocar 3,35 g de AL2(SO4)3, em 10,0 mL de água, num tubo de ensaio.
2) Mergulhar o tubo de ensaio em banho-maria e registar o valor da temperatura à qual se verifica a dissolução
total.
3)  Repetir os passos 1 e 2 com massas sucessivamente maiores.
4)  Calcular o valor da solubilidade do AL2(SO4)3 a cada temperatura.
5)  Construir uma curva de solubilidade com os valores dos ensaios realizados.
Simultaneamente, os alunos construíram uma tabela onde registaram, para cada ensaio, o valor da temperatura a
que se verificou a solubilização do sal.

Ensaio Massa de AL2(SO4)3 / g Volume / mL Temperatura / °C

1 3,35 10,0 10

2 4,04 10,0 30

3 5,22 10,0 50

4 6,62 10,0 70

5.1. Indique de que forma varia a solubilidade do sulfato de alumínio, AL2(SO4)3, com o aumento da temperatura. 8

5.2. Complete a tabela seguinte, calculando a solubilidade de AL2(SO4)3 para as temperaturas de 10 °C e 70 °C. 12

Testes
Ensaio 1 2 3 4

Temperatura (°C) 10 30 50 70

Solubilidade
(g/100 g de água)
(A) 40,4 52,2 (B)

rH O = 1,00 g/mL
2

5.3. Considere que a quantidade de soluto utilizada no ensaio 4 era dissolvida num volume de 20,0 mL de água desti-
lada.
5.3.1. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8

À temperatura de 70 °C, a solução preparada classifica-se de…


(A) … insaturada.
(B) … saturada sem soluto sólido por dissolver.
(C) … saturada com soluto sólido por dissolver.
(D) … diluída.
5.3.2. A solução referida em 5.3. foi arrefecida até uma temperatura de 10 °C. 12

Comprove que ainda é possível dissolver mais soluto e determine a massa que ainda é possível dissolver.
EQ11DP © Porto Editora

EQ11DP – 10 145

EQ11DP_20153724_P116_154_4P_CImg.indd 145 4/2/16 2:11 PM


EQ11DP © Porto Editora
TA Teste de Avaliação 5
Escola Data
Nome N.º Turma
Professor Classificação

Para responder aos itens de escolha múltipla, selecione a única opção (A, B, C ou D) que
permite obter uma afirmação correta ou responder corretamente à questão colocada.
Se apresentar mais do que uma opção, a resposta será classificada com zero pontos.
O mesmo acontece se a letra transcrita for ilegível.

Grupo I Cotações

1. Considere o seguinte texto.


Os oceanos têm um papel importante no equilíbrio do dióxido de carbono na atmosfera terrestre devido à
capacidade que este composto tem de reagir com os iões presentes na água. Na água do mar, o dióxido de carbono
desempenha um papel fundamental no controlo do seu pH.
O esquema da figura pretende ilustrar algumas das etapas descritas.

Atmosfera
CO2(g)

2-
H3O+ + CO3 H3O+ + HCO3- H2CO3 CO2(aq) + H2O

Oceano HCO3- HCO3-


H+
2-
Ca + CO
2+
3 H +
Ca + CO32-
2+
Preci

ção

ta o
lu
pi

Sedimento
ção Diss
CaCO3

1.1. A percentagem, em volume, de dióxido de carbono na atmosfera é apenas cerca de 0,04%. Na água dos oceanos, 12
o CO2 está presente numa concentração máxima de 107 ppmm.
Determine a percentagem em massa (% m/m) de CO2 dissolvido nas águas dos oceanos.
Comece por deduzir a relação entre a percentagem em massa e as partes por milhão em massa.
Estabelecendo a relação entre ppmm e % (m/m) vem:

ppmm = * 106
msoluto
msolução

% (m/m) = * 100 = * 102


msoluto msoluto
msolução msolução

ppmm = a * 102b * 104 ⇔


msoluto
msolução

ppmm = % (m/m) * 104 ⇔

⇔ % (m/m) =
ppmm
104
ppmm = 107 ppm

% (m/m) = = = 1,07 * 10- 2%


ppmm 107
104 104
146

EQ11DP_20153724_P116_154_4P_CImg.indd 146 4/2/16 2:11 PM


Teste de Avaliação 5

1.2. Selecione a opção que contém a equação química que representa a absorção do dióxido de carbono pela água do 8
oceano e que justifica o seu papel regulador do pH da água.
(A) CO2(g) + H2O(L) ⇌ HCO3(aq) (B) CO2(g) + H2O(L) ⇌ H3CO3(aq)
(C) CO2(g) + H2O(L) ⇌ HCO (aq)
-
3 (D) CO2(g) + H2O(L) ⇌ H2CO3(aq)
(D).
CO2(g) + H2O(L) ⇌ H2CO3(aq)

1.3. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8

As ligações que se estabelecem entre as moléculas de água e as moléculas de CO2 são ligações…
(A) … dipolo instantâneo-dipolo induzido.
(B) … dipolo-dipolo induzido.
(C) … por pontes de hidrogénio.
(D) … covalentes.
(B).
As ligações que se estabelecem entre as moléculas de água e as moléculas de CO2 são ligações dipolo-dipolo
induzido.

Grupo II

2. Adicionando gradualmente um composto sólido a um determinado solvente, a temperatura e pressão constantes e


sob agitação contínua, verifica-se que a partir de um dado momento o soluto não se dissolve mais.

Testes
I II III

Num volume de 250 mL de água destilada foi possível dissolver uma massa máxima de 50,0 g de sulfato de cobre(II),
CuSO4, à temperatura de 20 °C, sem ocorrer formação de precipitado.

2.1. Indique, justificando, qual das situações I, II ou III pode corresponder ao momento em que se conclui a prepara- 12
ção da solução.
Situação II.
Atendo a que deixa de ser possível dissolver mais soluto no volume de água considerada, a solução preparada
diz-se de saturada, não existindo sólido por dissolver. Macroscopicamente, constata-se que a solução
apresenta a mesma cor que a solução saturada com depósito, ilustrada na situação III.

2.2. Determine a solubilidade de CuSO4 à temperatura de 20 °C, expressa em g/100 g de H2O. 12


A solubilidade traduz a massa de soluto que é possível dissolver, no máximo, em 100 g de água destilada.
Conhecendo a massa de soluto que é possível dissolver em 250 mL de água, é possível calcular a massa de
soluto que é possível dissolver em 100 mL de água, de modo a obter uma solução saturada.
rH O = 1,00 g/mL ⇒ 250 mL ⇔ 250 g   cr = ⇔ m = r * V ⇔ m = 1,00 * 250 = 250 gd
m
2
V
= ⇔
50,0 g 250 g
x 100 g
EQ11DP © Porto Editora

50,0 * 100
⇔x= = 20,0 g
250
s = 20,0 g/100 g de H2O

147

EQ11DP_20153724_P116_154_4P_CImg.indd 147 4/2/16 2:11 PM


Teste de Avaliação 5

2.3. Selecione a opção que contém a expressão numérica que corresponde ao valor da concentração de CuSO4, 8
expressa em mol dm- 3, à temperatura considerada (M (CuSO4) = 159,61 g mol- 1).

EQ11DP © Porto Editora


50 159,61
(A) (B)
159,61 50
200 159,61
(C) (D)
159,61 200
(C).
20,0 * 1000
= ⇔ x= = 200 g
20,0 g 100 g
x 1000 g 100
200
c= = =
n 159,61 200
V 1 159,61

2.4. Suponha que foram dissolvidos 150 g de sulfato de cobre(II), num balão de 500 mL de água, a 20 °C. 16

Classifique a solução de insaturada ou saturada e determine a massa de CuSO4 que existe em excesso ou que
ainda é possível dissolver.
A massa se soluto que é possível dissolver nos 500 mL pode ser calculada a partir de:

rH O = 1,00 g/mL ⇒ 500 mL ⇔ 500 g   cr = ⇔ m = r * V ⇔ m = 1,00 * 500 = 500 gd


m
2
V
50,0 * 500
= ⇔ x= = 100 g de CuSO4
50,0 g 250 g
x 500 g 250
É possível dissolver 100 g de CuSO4 em 500 mL e de água.
Dado que foram utilizados 150 g de soluto e apenas é possível dissolver 100 g, conclui-se que ficaram por
dissolver 50 g de CuSO4.
Assim, a solução encontra-se saturada e existe soluto por dissolver.

Grupo III

3. A mistura de duas soluções aquosas, de nitrato de prata, AgNO3, e cloreto de sódio, NaCL, conduz à formação de um
precipitado de cloreto de prata, AgCL, sal muito pouco solúvel, cujo equilíbrio pode ser traduzido pela seguinte
equação química:
AgCL(s) ⇌ Ag+(aq) + CL-(aq)
Ks (AgCL) = 1,8 * 10- 10, a 25 °C   e   M (AgCL) = 143,32 g mol–1

3.1. Selecione a opção que contém a expressão da constante de produto de solubilidade, Ks, para o equilíbrio descrito. 8

[Ag ] e * [CL ] e
+ -
[AgCL] e
(A) Ks = (B) Ks =
[AgCL] e [Ag+ ] e * [CL- ]
e

(C) Ks = [Ag+ ] e * [CL- ] e (D) Ks = [Ag+ ] e + [CL- ] e


(C).
Ks = [Ag+ ] e * [CL- ] e

3.2. Comprove, apresentando os cálculos necessários, que o valor da solubilidade do cloreto de prata, expresso 12
em g/dm3, à temperatura considerada, é 1,9 * 10- 3 g dm- 3.
Ks = [Ag+ ] e * [CL- ] e = s * s = s2 ⇔ Ks = s2 ⇔ s = "Ks ⇔
⇔ s = "1,8 * 10- 10 ⇔ s = 1,3 * 10- 5 mol dm- 3
Para 1,0 dm3 de solução:
n= ⇔ 1,3 * 10- 5 = ⇔ m = 1,9 * 10- 3 g
m m
M 143,32
s = 1,9 * 10- 3 g/dm3

148

EQ11DP_20153724_P116_154_4P_CImg.indd 148 4/2/16 2:11 PM


Teste de Avaliação 5

3.3. Selecione a opção que representa a massa de AgCL que é possível dissolver em 250 mL de água destilada. 8

"Ks * 143,32 250 * 10- 3 * 143,32


(A) m = g (B) m = g
250 * 10 -3
"Ks
"Ks * 250 * 10- 3
(C) m = g (D) m = "Ks * 250 * 10- 3 * 143,32 g
143,32
(D).

n= ⇔ m=n*M=s*V*M ⇔
m
M
⇔ m = "Ks * V * M ⇔
⇔ m = "Ks * 250 * 10- 3 * 143,32 g

3.4. Determine a massa de AgNO3 que é possível dissolver em 500 mL de uma solução cuja concentração em anião 16
cloreto, CL-, seja igual a 1,0 * 10- 5 mol dm- 3.
Ks = [Ag+ ] e * [CL- ] e ⇔
⇔ 1,8 * 10- 10 = [Ag+ ] e * 1,0 * 10- 5 ⇔
1,8 * 10- 10
⇔ [Ag+ ] e = = 1,8 * 10- 5 mol dm- 3
1,0 * 10- 5
A quantidade quantidade química de AgNO3 a utilizar pode determinar-se a partir de:
[AgNO3 ] = [Ag+ ] e = 1,8 * 10- 5 mol dm- 3
n (AgNO3) = [Ag+ ] e * V
n (AgNO3) = 1,8 * 10- 5 * 0,500 = 9,0 * 10- 6 mol

Testes
A massa de AgNO3 que é possível dissolver é obtida por:
M (AgNO3) = 169,87 g mol- 1

n= ⇔ m=n*M⇔
m
M
⇔ m = 9,0 * 10- 6 * 169,87 = 1,5 * 10- 3 g ⇔
⇔ m = 1,5 mg

3.5. Classifique a solução que resulta da mistura de 100 mg de NaCL com 1,0 dm3 de uma solução aquosa, cuja 12
concentração em catião prata é igual a 1,3 * 10- 5 mol dm- 3.
Justifique a resposta, estabelecendo a comparação entre os valores de Qs e Ks.
A concentração do anião cloreto pode determinar-se por:
M (NaCL) = 58,44 g mol- 1
m = 100 mg = 100 * 10- 3 g
m 100 * 10- 3
n= = = 1,71 * 10- 3 mol
M 58,44
n 1,71 * 10
-3
[CL- ] = = = 1,71 * 10- 3 mol dm- 3
V 1,000
Comparando Qs com Ks, vem:
Qs = [Ag+ ] * [CL- ] ⇔
⇔ Qs = 1,3 * 10- 5 * 1,71 * 10- 3 = 2,2 * 10- 8
EQ11DP © Porto Editora

Como Qs > Ks , a solução encontra-se saturada com depósito de AgCL por dissolver.

149

EQ11DP_20153724_P116_154_4P_CImg.indd 149 4/2/16 2:11 PM


Teste de Avaliação 5

Grupo IV

4. Na preparação de 500,0 mL de uma solução saturada de hidróxido de magnésio, Mg(OH)2, verifica-se a deposição de

EQ11DP © Porto Editora


sólido por dissolver, a partir do momento em que é adicionada uma dada quantidade de soluto.
M (Mg(OH)2) = 58,32 g mol- 1   e   Ks (Mg(OH)2) = 1,5 * 10- 11

4.1. Escreva a equação de dissociação do hidróxido de magnésio. 8

Mg(OH)2(s) ⇌ Mg2+(aq) + 2 OH-(aq)

4.2. Selecione a opção que contém a expressão numérica que permite obter o valor da solubilidade, expressa 8
em mol dm- 3, do hidróxido de magnésio.

(A) "1,5 * 10- 11 (B) "1,5 * 10- 11


3

3 1,5 * 10- 11 1,5 * 10- 11


(C) (D)
Ç 4 Ç 4
(C).
3 1,5 * 10
- 11
Ks = [Mg2+ ] e * [OH- ] e = s * (2 s) ⇔ s = ⇔s=
Ks
mol dm- 3
2 2 3

Å4 Ç 4

4.3. Suponha que à solução saturada com depósito de hidróxido de magnésio são adicionadas umas gotas de ácido 12
clorídrico concentrado, como mostra a figura.

HC’

??

Solução saturada
com depósito de
Mg(OH)2

O que será de esperar que aconteça à quantidade de sólido não dissolvido? Justifique, com base no Princípio de
Le Châtelier.
A adição de ácido clorídrico concentrado faz aumentar a concentração de H+ e, em consequência, a
concentração de OH- irá diminuir:
HCL(aq) → H+(aq) + CL-(aq)
OH-(aq) + H+(aq) ⇌ H2O(L)
De acordo com o Princípio de Le Châtelier, a reação Mg(OH)2(s) ⇌ Mg2+(aq) + 2 OH-(aq) irá evoluir no sentido
direto, sentido que corresponde à solubilização do hidróxido de magnésio.
Assim, a quantidade de sólido não dissolvido irá diminuir.

150

EQ11DP_20153724_P116_154_4P_CImg.indd 150 4/2/16 2:11 PM


Teste de Avaliação 5

Grupo V

5. Com o objetivo de estudar o efeito da temperatura na solubilidade de um soluto sólido em água, um grupo de alu-
nos realizou uma atividade laboratorial, cumprindo o seguinte procedimento:
1)  Colocar 3,35 g de AL2(SO4)3, em 10,0 mL de água, num tubo de ensaio.
2) Mergulhar o tubo de ensaio em banho-maria e registar o valor da temperatura à qual se verifica a dissolução total.
3)  Repetir os passos 1 e 2 com massas sucessivamente maiores.
4)  Calcular o valor da solubilidade do AL2(SO4)3 a cada temperatura.
5)  Construir uma curva de solubilidade com os valores dos ensaios realizados.
Simultaneamente, os alunos construíram uma tabela onde registaram, para cada ensaio, o valor da temperatura a
que se verificou a solubilização do sal.

Ensaio Massa de AL2(SO4)3 / g Volume / mL Temperatura / °C

1 3,35 10,0 10

2 4,04 10,0 30

3 5,22 10,0 50
4 6,62 10,0 70

5.1. Indique de que forma varia a solubilidade do sulfato de alumínio, AL2(SO4)3, com o aumento da temperatura. 8
Aumenta com o aumento da temperatura.

5.2. Complete a tabela seguinte, calculando a solubilidade de AL2(SO4)3 para as temperaturas de 10 °C e 70 °C. 12

Ensaio 1 2 3 4

Testes
Temperatura (°C) 10 30 50 70

= ⇔
6,62 g 10,0 mL
= ⇔
3,35 g 10,0 mL
Solubilidade x 100 mL x 100 mL
(g/100 g de água) ⇔ x = 33,5 g
40,4 52,2
⇔ x = 66,2 g
s = 33,5 g/100 g de água s = 66,2 g/100 g de água

rH O = 1,00 g/mL
2

rH O = 1,00 g/mL ⇒ r = ⇔ 1,00 = ⇔ m = 100 g de H2O


m m
2
V 100
5.3. Considere que a quantidade de soluto utilizada no ensaio 4 era dissolvida num volume de 20,0 mL de água destilada.
5.3.1. Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 8
À temperatura de 70 °C, a solução preparada classifica-se de…
(A) … insaturada. (B) … saturada sem soluto sólido por dissolver.
(C) … saturada com soluto sólido por dissolver. (D) … diluída.
(A).
À temperatura de 70 ºC, a solução preparada classifica-se de insaturada, pois foi dissolvida uma
quantidade inferior àquela que é possível dissolver.
5.3.2. A solução referida em 5.3. foi arrefecida até uma temperatura de 10 °C. 12
Comprove que ainda é possível dissolver mais soluto e determine a massa que ainda é possível dissolver.
A massa de soluto que é possível dissolver a 10 °C pode ser calculada a partir da proporção:

= ⇔ x = 6,70 g
10,0 mL 3,35 g
EQ11DP © Porto Editora

20,0 mL x
A massa de soluto que ainda é possível dissolver é obtida pela diferença entre a massa determinada para
a solução saturada e a massa de soluto dissolvida nesse volume.
m = 6,70 - 6,62 = 0,08 g

151

EQ11DP_20153724_P116_154_4P_CImg.indd 151 4/2/16 2:11 PM


Critérios de correção do Teste de Avaliação 5

EQ11DP © Porto Editora


Grupo I 2.4. .....................................................................................16 pontos
1.1. .....................................................................................12 pontos Etapa A – massa de soluto que é possível dissolver nos
Etapa A – relação entre ppmm e % (m/m) 500 mL
rH O = 1 g/mL ⇒ r = ⇔ m = 1,00 * 500 = 500 g
m
ppmm = * 106
msoluto 2
V
msolução
= ⇔
50,0 g 250 g
% (m/m) = * 100 = * 102
msoluto msoluto x 500 g
msolução msolução
50,0 * 500
ppmm = a
msoluto
* 102b * 104 ⇔ ⇔x= = 100 g de CuSO4
msolução 250

⇔ ppmm = % (m/m) * 104 ⇔


É possível dissolver 100 g de CuSO4 em 500 mL de água

⇔ % (m/m) =
ppmm Etapa B – comparação da massa utilizada e que é possível
104 dissolver
Etapa B – % (m/m) Dado que foram utilizados 150 g de soluto e apenas é
ppmm = 107 ppm
possível dissolver 100 g, conclui-se que ficam por dissolver
50 g de CuSO4.
% (m/m) = = 4 = 1,07 * 10- 2%
ppmm 107
104 10 Etapa C – conclusão
1.2. .......................................................................................8 pontos A solução encontra-se saturada e existe soluto por dissolver.
(D)
1.3. .......................................................................................8 pontos Grupo III
(B) 3.1. .......................................................................................8 pontos
(C)
Grupo II 3.2. .....................................................................................12 pontos
2.1. .....................................................................................12 pontos Etapa A – valor da solubilidade
Etapa A – identificação da situação Ks = [Ag+ ] e * [CL- ] e = s * s = s2 ⇔
Situação II. ⇔ Ks = s2 ⇔ s = "Ks ⇔

Etapa B – justificação ⇔ s = "1,8 * 10- 10 ⇔

Atendendo a que deixa de ser possível dissolver mais soluto ⇔ s = 1,3 * 10- 5 mol dm- 3
no volume de água considerada, a solução preparada diz-se Etapa B – concentração mássica
n*M
cm = ⇔ cm = ⇔ cm = c * M ⇔
saturada, não existindo sólido por dissolver. m
Macroscopicamente, constata-se que a solução apresenta a V V
mesma cor que a solução saturada com depósito, ilustrada ⇔ cm = 1,3 * 10- 5 * 143,32 ⇔ cm = 1,9 * 10- 3 g dm- 3
na situação III.
3.3. .......................................................................................8 pontos
2.2. .....................................................................................12 pontos
(D)
Etapa A – massa de água
3.4. .....................................................................................16 pontos
A solubilidade traduz a massa de soluto que é possível
Etapa A – concentração de Ag+
dissolver, no máximo, em 100 g de água destilada.
Ks = [Ag+ ] e * [CL- ] e ⇔
r = ⇔ m = 1,00 * 250 = 250 g
m
V ⇔ 1,8 * 10- 10 = [Ag+ ] e * 1,0 * 10- 5 ⇔
1,8 * 10- 10
Etapa B – valor da solubilidade ⇔ [Ag+ ] e = = 1,8 * 10- 5 mol dm- 3
Conhecendo a massa de soluto que é possível dissolver em 1,0 * 10- 5
250 mL de água, é possível calcular a massa de soluto que é Etapa B – quantidade química de AgNO3
possível dissolver em 100 mL de água, de modo a obter uma [AgNO3 ] = [Ag+ ] e = 1,8 * 10- 5 mol dm- 3
n (AgNO3) = [Ag+ ] e * V
solução saturada.
rH O = 1 g/mL ⇒ r = ⇔ m = 1,00 * 250 = 250 g
m
2
V n (AgNO3) = 1,8 * 10- 5 * 0,500 = 9,0 * 10- 6 mol

= ⇔
50,0 g 250 g Etapa C – massa de AgNO3 que é possível dissolver
M (AgNO3) = 169,87 g mol- 1
x 100 g
50,0 * 100
⇔x= = 20 ⇔ n= ⇔m=n*M⇔
m
250 M
s = 20,0 g/100 g de H2O ⇔ m = 9,0 * 10- 6 * 169,87 = 1,5 * 10- 3 g = 1,5 mg
2.3. .......................................................................................8 pontos
(C)

152

EQ11DP_20153724_P116_154_4P_CImg.indd 152 4/2/16 2:11 PM


3.5. .....................................................................................12 pontos Grupo V
Etapa A – concentração do anião cloreto 5.1. .......................................................................................8 pontos
M(NaCL) = 58,44 g mol- 1 Aumenta com o aumento da temperatura.
m = 100 mg = 100 * 10- 3 g 5.2. .....................................................................................12 pontos
m 100 * 10- 3
n= = = 1,71 * 10- 3 mol Etapa A – massa de solução
M 58,44
n 1,71 * 10 rH O = ⇔ m = rH O * V ⇔ m = 1,00 * 100 ⇔ m = 100 g
-3 m
[CL- ] = = = 1,71 * 10- 3 mol dm- 3 2
V 2

V 1,000
Etapa B – preenchimento do quadro
Etapa B – comparação de Qs com Ks
Qs = [Ag+ ] * [CL- ] ⇔ Ensaio 1 4
⇔ Qs = 1,3 * 10 * 1,71 * 10 = 2,2 * 10
-5 -3 -8

= =
3,35 g 10,0 mL 6,62 g 10,0 mL
Como Qs > Ks , a solução está saturada e há formação de x 100 mL x 100 mL
x = 33,5 g x = 66,2 g
precipitado. Solubilidade
(g/100 g de água)
s = 33,5 g/100 g s = 66,2 g/100 g
de água de água
Grupo IV
4.1. .......................................................................................8 pontos 5.3.1. .....................................................................................8 pontos
Mg(OH)2(s) ⇌ Mg2+(aq) + 2 OH-(aq) (A)
4.2. .......................................................................................8 pontos 5.3.2. ..................................................................................12 pontos
(C) Etapa A – massa de soluto que é possível dissolver a 10 °C
= ⇔
4.3. .....................................................................................12 pontos 10,0 mL 3,35 g
20,0 mL x
Tópico A – reação do catião H+ do ácido com OH- do hidróxido
⇔ x = 6,70 g
A adição de ácido clorídrico concentrado faz aumentar a
concentração de H+ e, em consequência, a concentração de Etapa B – massa de soluto que ainda é possível dissolver
OH- irá diminuir: m = 6,70 - 6,62 = 0,08 g

Testes
HCL(aq) → H+(aq) + CL-(aq)
OH-(aq) + H+(aq) → H2O(L) TOTAL ......................................................................... 200 pontos
Tópico B – conclusão
De acordo com o Princípio de Le Châtelier, o sistema irá
evoluir no sentido direto, sentido que corresponde à
solubilização do hidróxido de magnésio, com base na
equação Mg(OH)2(s) ⇌ Mg2+(aq) + 2 OH-(aq).
Assim, a quantidade de sólido não dissolvido irá diminuir.
EQ11DP © Porto Editora

153

EQ11DP_20153724_P116_154_4P_CImg.indd 153 4/2/16 2:11 PM


Grupo I II III IV V

154
Item 1.1. 1.2. 1.3. 2.1. 2.2. 2.3. 2.4. 3.1. 3.2. 3.3. 3.4. 3.5. 4.1. 4.2. 4.3. 5.1. 5.2. 5.3.1. 5.3.2. Total
Cotação 12 8 8 12 12 8 16 8 12 8 16 12 8 8 12 8 12 8 12 200
N.° Aluno
1
2
Teste de Avaliação 5

EQ11DP_20153724_P116_154_4P_CImg.indd 154
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
Grelha de classificação do Teste de Avaliação 5

19
20
Turma: 11.°

21
22
23
24
25
26
  Data do teste:

27
28
29
-

30
-

Balanço N.° de alunos Média das notas Nota mais elevada Nota mais baixa N.° de positivas N.° de negativas % de positivas % de negativas
do teste
EQ11DP © Porto Editora

4/2/16 2:11 PM
Matriz do Teste de Avaliação Global 2
Domínio 2 Reações em sistemas aquosos
Item Cotação Total

SD1. Reações ácido-base

M8  1.1. Ácidos e bases 1.1. 8

M9   1.2. Acidez e basicidade de soluções 1.2. 8

M10  1.3. Autoionização da água


1.3. 8

1.4. 16
M11  1.4. Ácidos e bases em soluções aquosas

1.5. 12 92
M12   1.5. Constantes de acidez e de basicidade
e força relativa de ácidos e de bases
2.1. 8

M13   1.6. Titulação ácido­‑base


2.2.1. 12

M14  1.7. Acidez e basicidade em soluções aquosas de sais 2.2.2. 8

M15  1.8. Aspetos ambientais das reações ácido­‑base 2.2.3. 12

SD2. Reações de oxidação redução

Testes
3.1. 8

3.2. 8
M16  2.1. Caracterização das reações de oxidação-redução

3.3. 8 40
M17   2.2. Força relativa de oxidantes e redutores
3.4. 8

3.5. 8

SD3. Soluções e equilíbrio de solubilidade

M18  3.1. Mineralização das águas e processo de dissolução 4.1. 8

M19   3.2. Solubilidade de sais em água


4.2. 12
M20  3.3. Equilíbrio químico e solubilidade de sais 40
4.3. 8
M21  3.4. Alteração da solubilidade dos sais

M22  3.5. Desmineralização de águas e processo de precipitação 4.4. 12

5.1. 8
EQ11DP © Porto Editora

AL2.1   Constante de acidez 5.2. 8 28

5.3. 12

155

EQ11DP_20153724_P155_185_4P_CImg.indd 155 4/2/16 2:12 PM


EQ11DP © Porto Editora
TG Teste de Avaliação Global 2
Escola Data
Nome N.º Turma
Professor Classificação

Para responder aos itens de escolha múltipla, selecione a única opção (A, B, C ou D) que
permite obter uma afirmação correta ou responder corretamente à questão colocada.
Se apresentar mais do que uma opção, a resposta será classificada com zero pontos.
O mesmo acontece se a letra transcrita for ilegível.

Grupo I Cotações

1. Considere o seguinte texto.


O pH de uma solução é uma medida da sua acidez. À temperatura de 25 °C, uma solução aquosa com um valor de
pH inferior a 7 é ácida, enquanto que acima de 7 é básica. Geralmente pensa-se que a água é neutra, o que significa
que o seu pH será equivalente a 7, não sendo nem ácida nem básica. Contudo, tal só é verdade para a água pura e
apenas a uma determinada temperatura, pois variações de temperatura alteram o seu valor de pH.
No quadro seguinte apresentam-se valores do pH da água pura, a diferentes temperaturas.

T/ °C 0 10 20 25 30 40 50 100

pH 7,5 7,3 7,1 7,0 6,9 6,8 6,6 6,1

1.1. Escreva a equação que traduz a autoprotólise da água. 8

1.2. Selecione a opção que contém a expressão que permite calcular a constante de autoprotólise da água. 8