You are on page 1of 10

INTRODUÇÃO

O PI (Projeto Interdisciplinar) foi iniciado no IESPES no ano de 2001,


juntamente com os cursos de bacharelado em administração e turismos, Cuja
proposta se baseia na integração dos acadêmicos com a comunidade, visando
conhecer à realidade local e propor sugestões, soluções e desenvolvimento
social.

Consoante à proposta estabelecida pelo PI, nós acadêmicos do curso de


Fisioterapia 2015/Noturno, elaboramos o Projeto de Intervenção em Saúde do
Idoso, que contemplará o Asilo São Vicente de Paula do município de
Santarém/PA, com sede na Avenida Barão do Rio Branco,704.

JUSTIFICATIVA

De grande importância a atuação do Fisioterapeuta como profissional da


área da Saúde em vários ciclos na vida da mulher e principalmente no seu
período gestacional onde ocorrem alterações e mudanças em todo o corpo de
proporções anatômicas, fisiológicas, emocionais.

A valorização do fisioterapeuta de seu trabalho na assistência à


gestante vem a cada dia aumentando, pois além de auxiliar amenizando as
dores da parturiente também diminui o tempo do processo de parto prevenindo
complicações futuras ao bebê.

Dessa forma, é dada a importância deste projeto Interdisciplinar, que


tem como objetivo oferecer serviços de orientação especializados de
fisioterapia para as gestantes acompanhadas no serviço público de saúde
/posto de saúde do bairro do Caranazal de Santarém-Pa. Desenvolvendo
Orientações fisioterapêuticas às mulheres grávidas clientes/pacientes do
referido posto de saúde, contribuindo para uma melhor qualidade de vida
dessas mulheres, ajudando em suas queixas como: lombalgias, dores
articulares, a falta de ar, cansaço, sono, aumento de freqüência urinária,
edemas e alterações emocionais.

Neste trabalho, procura-se passar uma visão geral da fisioterapia


aplicada à fase gestacional, sua história e seus benefícios, de acordo com a
literatura encontrada, esclarecer as pacientes/clientes do Posto do Caranazal
de Santarém-Pa, que quando bem orientadas e acompanhadas por uma
assistência da Fisioterapia só trarão efeitos benéficos para saúde da mãe e do
filho, bem como também o aumento da auto-estima e promoção do bem-estar
emocional e psicológico desta gestante.

REFENCIAL TEÓRICO
O conceito de fisioterapia pré-natal surgiu sob a influência do trabalho da
médica Kathleen Vaughan, que percebeu que as gestantes sedentárias tinham
partos mais difíceis do que as barqueiras e as camponesas, as quais
mantinham uma vida mais ativa durante a gravidez (Vaughan,
1951 apud Gardin & Artal, 1999;).

A valorização do fisioterapeuta de seu trabalho na assistência à


gestante em trabalho de parto cada dia aumenta e vem tornando-se de grande
importância, pois além de auxiliar amenizando as dores da parturiente também
diminui o tempo do processo de parto.( Gardin & Artal, 1999)

Segundo a literatura, Dick-Read (Read, 1947 apudGardin & Artal, 1999)


sugeriu que a ligação do parto ao sofrimento gerava medo entre as gestantes,
principalmente nas primíparas, aumentando a tensão muscular e emocional,
resultando na dor durante o parto. Sugeriu ainda que a dor no parto fosse o
resultado do estado emocional da gestante, desenvolvendo a Teoria do Ciclo
Medo-Tensão-Dor ou Trinômio de Read, a qual defendia que o medo do parto
aumentava a tensão muscular gerando a dor, criando assim um ciclo vicioso.
Foi partindo desse princípio que Read passou a ensinar exercícios
respiratórios, de relaxamento e de fortalecimento das musculaturas abdominal,
dorsal e perineal às gestantes, denominando estas técnicas de Método
Psicoprofilático (MPP).

 Atuação do Fisioterapeuta na Saúde da Mulher

A atuação da fisioterapia na saúde da mulher permite intervir sobre


vários aspectos da função e do movimento humano, que sofrem mudanças e
alterações durante as fases de vida da mulher, desde a adolescência até a fase
adulta, passando inclusive sobre o período gestacional. (Gardin & Artal, 1999)

De grande importância a ação do Fisioterapeuta como profissional da


Saúde em vários ciclos na vida da mulher e principalmente no seu período
gestacional onde ocorrem alterações e mudanças em todo o corpo de
proporções anatômicas, fisiológicas, emocionais.
A gestação é um período muito especial na vida de uma mulher, pois
seu corpo passa por uma série de modificações ao longo dos meses sendo
necessária adaptação as novas condições físicas. A principal causa das
diversas modificações no corpo da mulher é o alto nível de progesterona, que
deve ser mantido para dar condições fisiológicas para o desenvolvimento do
feto e preparar o corpo feminino criando condições físicas adequadas para o
parto. (Baracho, 2001)

À medida que o bebê se desenvolve, ele cresce e aumenta de peso,


além disso, há uma alteração hormonal importante, que em associação com o
crescimento das mamas é capaz de causar uma série de modificações
posturais, dentre elas: hiperextensão de joelhos, aumento das curvaturas da
coluna lombar, dorsal e cervical, acompanhada de uma projeção dos ombros.
Todas essas alterações durante o período da gestação são uma forma de
compensação do corpo por esse novo centro gravitacional. (Baracho, 2001)

Dessa forma, o fisioterapeuta se apresenta como um profissional da


área da saúde capaz de contribuir para uma melhor qualidade de vida da
mulher, ajudando em suas queixas como: lombalgias, dores articulares, a falta
de ar, cansaço, sono, aumento de freqüência urinária, edemas e alterações
emocionais. Desta forma, os maiores benefícios da fisioterapia para a gestante
são: manter a força muscular, melhorar ou manter a capacidade
cardiovascular, a flexibilidade e a postura. (OCANHAS, 2003)

 Pré- Parto E Pós-Parto E Suas Condutas Terapêuticas

Difiore j. 2000, comenta que o exercício da fisioterapia no pré-parto tem


como objetivo a orientação quanto a posturas adotadas nas atividades de vida
diária evitando desta forma processos álgicos, e também direciona a adoção de
uma postura adequada durante o processo da amamentação e cuidados com o
bebê, que deverá ser aprendido neste período. Gestantes consideradas de
riscos (diabetes gestacional e hipertensão), também podem se submeter à
fisioterapia pré-parto sob supervisão criteriosa de um Obstetra.

No período pós-parto, Kisner C, Colby, 1998, afirma que, fisioterapia


atua proporcionando o bem-estar da puérpera. O período pós parto é chamado
de puerpério, compreende mudanças como, por exemplo; a hipotonia e
distensão do assoalho pélvico pela ação hormonal e sobrecarga do bebê,
assim é comum o aparecimento de Infecções urinárias (IU), Diástase Reto
Abdominal (DMRA), Tromboses venosas por alterações na circulação
sanguínea, constipação intestinal pela diminuição do peristaltismo. No que
concerne a avaliação dos fisioterapeutas cabe a eles elaborar a melhor
terapêutica para o determinado diagnóstico. Os principais objetivos da
fisioterapia em gestantes é prevenir contra as disfunções músculo-
esqueléticas e uroginecológicas, melhorando a qualidade de vida delas.

O exercício pré-natal, como já mencionado anteriormente, o objetivo


principal de melhorar a qualidade de vida da gestante, através da aplicação de
um programa de exercícios, das orientações sobre a realização das atividades
cotidianas, as quais necessitam ser adaptadas às circunstâncias da gestação,
e de um apoio psicológico. Nesse sentido, o programa de exercícios elaborado
pelo fisioterapeuta especialista nessa área, deve ser específico, exclusivo e
individualizado para cada gestante em particular, sendo composto por
exercícios de intensidades variadas, visando melhorar a flexibilidade, a força e
o condicionamento físico para a progressão do ciclo gravídico-puerperal; sem,
no entanto, levar a gestante à exaustão ou fadiga.( POLDEN, M.;
MANTLE,1997)

Ao ser encaminhada para um acompanhamento fisioterápico pelo


obstetra, a gestante deve passa por uma avaliação completa e pormenorizada,
composta por uma entrevista ou anamnese e um exame físico, realizados pelo
fisioterapeuta, antes do início das sessões. Na anamnese serão coletadas as
informações pessoais sobre a gestante e sua família, os dados da gestação
atual, sintomas relacionados à gravidez e seus ajustes além da aferição dos
sinais vitais. No exame postural, o fisioterapeuta poderá observar a gestante
em várias posturas, durante a realização de alguns movimentos e também ao
caminhar, detectando assim as principais dificuldades da gestante para então
elaborar uma conduta fisioterápica de maneira a aliviá-las (Polden & Mantle,
1997).

 Exercícios Físicos x Gestação


Nas décadas de 40, 50 e 60, muitos manuais e livros foram publicados,
contendo informações e orientações para as “futuras mães” sobre a realização
de atividade física; todos concordavam que o exercício trazia inúmeros
benefícios para a progressão do ciclo gravídico-puerperal. Um exemplo se
encontra no livro Exercise before childbirth, 1951, no qual a Dra. Kathleen
Vaughan condena o sedentarismo, expondo as dificuldades que poderiam
surgir, durante o parto, nas mulheres que mantinham uma vida sedentária. A
partir da década de 60, em Londres, os exercícios pré-natais tornaram-se parte
obrigatória do programa de assistência à gestante, e nas décadas de 70 e 80,
cresceu bastante o número de mulheres que se exercitavam de alguma
maneira e/ou continuavam trabalhando, devido ao medo que tais mulheres
tinham de prejudicar a si mesmas ou ao feto, caso não mantivessem um estilo
de vida mais ativo durante a gestação

Para Gardin & Artal (1999) o perído gravídico não pode ser visto como
um estado de reclusão ou de descanso absoluto, todavia seria irresponsável
divulgar a idéia de que o exercício é uma necessidade absoluta e que a falta do
mesmo traria danos à mãe ou ao feto. Os autores ainda afirmam que uma das
obrigações de qualquer profissional da área de saúde seria a garantia para as
gestantes de que limitar as atividades durante a gravidez, não traga nenhum
prejuízo para a mãe ou feto.

Adaptação de exercícios para gestantes tem crescido bastante como um


todo em áreas da Fisioterapia, um bom exemplo disso são exercícios de pilates
e funcionais é evidente que a qualidade e quantidade devem ser avaliadas
amplamente por uma equipe multidisciplinar para não prejudicar mãe e filho. Se
a gestante vivenciar qualquer sensação desconfortável durante ou após os
exercícios, deve parar imediatamente a atividade e informar ao fisioterapeuta
responsável pelas sessões bem como ao seu médico. Os sinais e sintomas de
alerta incluem, entre outras condições a critério médico: taquicardia, tonturas,
cefaléia, contrações uterinas, sangramentos vaginais, vazamento de líquido
amniótico, náuseas, falta de ar, dor lombar e/ou pélvica, diminuição dos
movimentos fetais, edema súbito de tornozelos, punhos ou face, e ganho
ponderal insuficiente ou perda de peso. (ARTAL, R., SHERMAN,1999)
 Trabalho Interdisciplinar do Fisioterapeuta na Equipe
Multidisciplinar

O trabalho interdisciplinar é imprescindível em qualquer área da saúde e,


nesse sentido, o papel do fisioterapeuta obstetra torna-se fundamental dentro
das equipes multidisciplinares de assistência pré-natal, trabalhando na
perspectiva da fisioterapia comunitária, na qual a abordagem é muito mais
integral, em que não apenas se trata e cura, mas também se observa e orienta
e passando a ter uma atuação também na promoção de saúde. A fisioterapia
aplicada à obstetrícia se encaixa nesse tipo de abordagem, pois trabalha a
qualidade de vida das mulheres em atividades pré e pós-natais, com condutas
específicas de suporte às gestantes e as puérperas (Revista FisioBrasil, 2003;
Revista O Coffito, 2003).

O trabalho interativo dos profissionais de saúde visa a troca de saberes


específicos de forma a desenvolver uma ação de qualidade, que redunde num
atendimento que faça jus à condição do cliente e do profissional enquanto
cidadãos (Programa Integrar Humanizar, 2005)

OBJETIVO GERAL

Orientar as mulheres grávidas quanto à importância dos cuidados


fisioterapêuticos no período da gestação e no período do Pós- parto.

Objetivos Específicos

- Prevenir complicações nas gestantes no período do pré- parto e pós-parto;

- Melhorar a qualidade de vida das gestantes durante o período do pré-natal;

- Orientar as mães quanto a importância da amamentação;

- Destacar o papel do fisioterapeuta na humanização do parto;

- Promover a capacitação da equipe multiprofissional, ressaltando a


importância das orientações e cuidados da fisioterapia durante período
gestacional.
METODOLOGIA

Foi realizado um trabalho de revisão de literatura, relacionado à


importância da atuação do fisioterapeuta no período gestacional. Para o
levantamento bibliográfico foram utilizadas artigos científicos pesquisados
publicados na Scielo a partir do ano 2003, além de livros textos relacionados ao
assunto.

Diante disso, após a seleção e leitura dos textos foi elaborada uma palestra
de Educação em Saúde, na qual, abordará os cuidados com o corpo
(alterações fisiológicas); orientações das atividades de vida diária ; importância
do aleitamento e preparação das mamas; cuidados com o bebê ; exercícios
simples de respiração e de relaxamento; exercícios específicos para o
fortalecimento da musculatura perineal , orientações sobre a importância do
condicionamento físico nas mulheres grávidas, transtornos Posturais ,
Respiratórios e circulatórios, dores dorsais e lombares. Conscientizando a
importância da fisioterapia durante a gravidez.

Será realizado exercícios, sempre respeitando os limites fisiológicos de


cada uma das gestantes. Enfocando-se a importância de cada um dos
exercícios e as indicações e contra indicações dos mesmos, Será exposto
bannes sobre a palestra mencionada e será realizada planfetagem com
orientações resumidas da importância da fisioterapia durante a gestação.

Ao fim do projeto, será realizado uma avaliação quantitativa e qualitativa


de resultados.

Bibliografia
Anjos, Gabriela Câmara Medeiros dos, Fisioterapia Aplicada À Fase
Gestacional, Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação em
Fisioterapia - UFPE - 2003/2.

ARTAL, R., ARTAL, M. Aspectos Emocionais do Exercício na Gravidez. In:


ARTAL, R., WISWELL, R.A., DRINKWATER, B.L. O Exercício na Gravidez.
2ed. São Paulo: Manole, 1999, p.287-292.

ARTAL, R., SHERMAN, C., DiNUBILE, N.A.(Ed.). Exercise during


Pregnancy: Safe and Beneficial for Most. Phys Sportmed, [Sl], v.27, n.8,
p.61-70, ago.1999

CIRNE ,STELLA DE LIMA , Humanizar Para Saude Gestacional; Papel Do


Fisioterapeuta, Monografia de Conclusão de Curso apresentada ao Curso de
Fisioterapia da Universidade Veiga de Almeida,RJ,2009,

DIFIORE J. O guia completo para uma boa forma física pós–natal. São
Paulo: Manole; 2000.

GARDIN, S.K., ARTAL, R. Perspectivas Históricas. In: ARTAL, R., WISWELL,


R.A., DRINKWATER, B.L. O Exercício na Gravidez. 2ed. São Paulo: Manole,
1999, p.1-7.

OCANHAS, M.C.B. O Papel da Fisioterapia. Revista Gravidez & Gestação.


São Paulo: Ed. Minuano, n.1, ago.2003.

O’CONNOR, L.J.; STEPHENSON, R.G. Fisioterapia aplicada à Ginecologia


e Obstetrícia. 2ed. São Paulo: Manole, 2004, p.153-227.

OCANHAS, M.C.B. O Papel da Fisioterapia. Revista Gravidez & Gestação.


São Paulo: Ed. Minuano, n.1, ago.2003.

O’CONNOR, L.J.; STEPHENSON, R.G. Fisioterapia aplicada à Ginecologia


e Obstetrícia. 2ed. São Paulo: Manole, 2004, p.153-227.

POLDEN, M.; MANTLE, J. Fisioterapia em Ginecologia e Obstetrícia. 2ed.


São Paulo: Santos, 1997.

READ, G.D. An outline of conduct of physiological labor. Am J Obstet


Gynecol, [Sl], v.54, p.720, 1947. Revista FisioBrasil, 2003; Revista O Coffito,
2003
ROCHA, M.F.; SOUZA, E.L.B.L. Atuação do fisioterapeuta no pré-natal. In:
SOUZA, E.L.B.L. Fisioterapia aplicada à Obstetrícia e Aspectos de
Neonatologia: Uma visão multidisciplinar. 2ed. rev. e amp. Belo Horizonte:
Helth, 1999, p.89-104.