You are on page 1of 2

FACULDADE DE DIREITO DA

UNIVERSIDADE DE LISBOA

DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA

Regente: Prof. Doutora Maria Luísa Duarte


Colaboradores: Mestre Cecília Anacoreta Correia; Dr. Tiago Antunes
2.º Ano – Turma B (2012/2013 – 2.º Semestre)
Época de recurso (24 de Julho de 2013)

Tópicos de correcção

I
A. Artigos relevantes: artigo 48.º, n.º 7, UE; artigo 342.º TFUE. Não poderia o
Conselho, mas apenas o Conselho Europeu. Alteração estaria limitada à decisão
de substituir a unanimidade pela maioria qualificada, o que exclui a opção pela
maioria de 2/3 e a aprovação pelo Parlamento Europeu. Referência à razão de ser
da unanimidade na definição do regime linguístico. Referência ao processo
legislativo ordinário e aos processos legislativos especiais (tipologia de
procedimentos de decisão). Referência às regras vigentes de apuramento da
maioria qualificada no seio do Conselho. Referência às condições procedimentais
do artigo 48.º, n.º 7, parágrafos 4.º e 5.º, UE.

B. Artigos relevantes – artigo 20.º, n.º 2, alínea d), TFUE, artigo 24.º, parágrafo
terceiro, TFUE; artigo 228.º, n.º 1, TFUE. O direito de queixa ao Provedor de
Justiça Europeu pode ser exercido por cidadãos da União e cidadãos de países
terceiros, como o Brasil, mas tem por objecto “casos de má administração na
actuação das instituições, órgãos e organismos da União Europeia”. Alternativa:
queixa à Comissão (v. artigo 258.º TFUE) e/ou recurso aos tribunais nacionais,
com a possibilidade de questões prejudiciais (v. artigo 267.º TFUE).
II

Elementos fundamentais da resposta:


 Conceito de cidadania da União
 Génese nos Tratados
 Análise dos artigos 20.º e segs. TFUE; artigos 39.º e segs. CDFUE
 Protecção dos direitos fundamentais – artigo 6.º UE e CDFUE, no seu
conjunto
 Tutela judicial efectiva – artigo 19.º, n.º 1, UE; artigo 47.º CDFUE
 Conceito de tribunais eurocomunitários

Elementos de valorização especial da resposta:


 Referência à relevância normativa da Convenção Europeia dos Direitos do
Homem
 Articulação entre tribunais eurocomunitários e tribunais nacionais (v. artigo
274.º TFUE)
 Acesso restritivo dos particulares aos tribunais eurocomunitários, em especial
artigo 263.º TFUE