You are on page 1of 8

Escola Politécnica de Minas Gerais

Técnico em Mecatrônica

Atividade Programada

Nomes: ___________________________________________________ ___________________________________________________ 2º Módulo Turma: 222P

no formato de uma agência executiva. em nível primário. atuando como sua Secretaria-Executiva. de treinamento e de outros. instrumentos de medição e produtos pré-medidos. regulamentam e fornecem orientações sobre procedimentos obrigatórios relacionados à medicina e segurança no trabalho no Brasil. visando. de inspeção. de forma a torná-las harmônicas internamente e compatíveis no plano internacional. de serviços e a certificação voluntária de pessoal. à sua aceitação universal e. são de observância obrigatória por todas as empresas. de organismos de certificação. Normalização e Qualidade Industrial (Conmetro). • Prestar suporte técnico e administrativo ao Conselho Nacional de Metrologia. assim como implantar e manter a cadeia de rastreabilidade dos padrões das unidades de medida no País. em nível secundário. • Fortalecer a participação do Brasil nas atividades internacionais relacionadas com Metrologia e Avaliação da Conformidade. no âmbito do Sistema Nacional de Metrologia. além de promover o intercâmbio com entidades e organismos estrangeiros e internacionais. medidas materializadas. Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) é uma autarquia federal brasileira. bem como aos seus comitês de assessoramento. Como anexos da Consolidação das Leis do Trabalho. necessários ao desenvolvimento da infra-estrutura de serviços tecnológicos no Brasil. • Fomentar a utilização da técnica de gestão da qualidade nas empresas brasileiras. Indústria e Comércio Exterior. métodos de medição. de processos. Normas Brasileiras . no que se refere às unidades de medida. • Coordenar. Normas Regulamentadoras As Normas Regulamentadoras. • Verificar a observância das normas técnicas e das normas legais. à sua utilização como suporte ao setor produtivo.ABNT (Henrique) INMETRO O Instituto Nacional de Metrologia. também conhecidas como NRs. destacam-se: • Executar as políticas brasileiras de Metrologia e da Avaliação da Conformidade. a certificação compulsória e voluntária de produtos. de provedores de ensaios de proficiência. com vistas à qualidade de bens e serviços. • Manter e conservar os padrões das unidades de medida. • Planejar e executar as atividades de credenciamento de laboratórios de calibração e de ensaio. vinculada ao Ministério do Desenvolvimento. Dentre as funções e do Inmetro. Normalização e Qualidade Industrial (Sinmetro).

Devido isto a NR-10 abrange: • A segurança em instalações elétricas nos locais de trabalho. NBR-5410 (Henrique) NR-10 A NR-10 e um regulamento que tem como objetivo garantir a segurança e a saúde de todos trabalhadores. Deve ser limitada a certos valores. Tornam-se obrigatórias somente quando essa condição é estabelecida pelo poder público. Os cinco critérios da norma são: • Capacidade de Condução de Corrente A capacidade de condução de corrente de um condutor é a corrente máxima que pode ser por ele conduzida continuamente. a fim de não prejudicar o funcionamento dos equipamentos alimentados. dados normalmente em percentual da tensão nominal da instalação. • Queda de Tensão É a diferença entre as tensões medidas na origem (lado da fonte). e no fim (lado da carga).A ABNT NBR.são de caráter voluntário. e fundamentadas no consenso da sociedade. Área de Aplicabilidade (Henrique) Instalações Elétricas de Baixa Tensão (Henrique) Fonte de Energia (Henrique) Aterramento (Henrique) Simbologias (Henrique) Dimensionamentos de Condutores O dimensionamento técnico de um circuito corresponde à aplicação dos diversos itens da NBR 5410:2004 relativos à escolha da seção de um condutor e do seu respectivo dispositivo de proteção. sem que sua temperatura em regime permanente ultrapasse um valor predeterminado. . tanto os que trabalham diretamente com energia elétrica quanto os que usam dela para seu trabalho. em condições especificadas. • A segurança em serviços de eletricidade. sigla das Normas Brasileiras aprovadas pela ABNT. do circuito.

• Seção Mínima Em função da tensão do circuito e da queda de tensão determina-se a seção nominal dos circuitos. mas existem valores mínimos definidos pela NBR 5410/2004. Sistemas de Proteção Exigidos . • Curto Circuito A suportabilidade a correntes de curto circuito dos condutores. podendo modificar sua seção. entretanto. • Sobrecarga A sobrecarga não é exatamente um critério de dimensionamento dos condutores. Ir : corrente máxima de interrupção (ruptura) do dispositivo de proteção. intervêm na determinação de sua seção. Os valores são fornecidos pelos fabricantes de fios. Os condutores devem ser protegidos por dispositivos de proteção com as seguintes características: Ik ≤ Ir Onde: Ik : corrente de curto-circuito presumida. determina o tipo de dispositivo de proteção dos mesmos.

No entanto. Essas ligas apresentam baixo ponto de fusão. ou seja. quando existir algum problema na instalação. os fusíveis do tipo rolha ou cartucho não são mais permitidos. de 60 a 200 ºC. sobre corrente etc. vai existir uma grande variação no campo eletro-magnético do condutor e a chave também vai ser acionada. Devem ser substituídos de preferência por disjuntores. O disjuntor tem um dispositivo interno automático e. vidro entre outros. bismuto e mercúrio.Os dispositivos de proteção têm como principal objetivo proteger os condutores dos circuitos e os aparelhos elétricos contra algum acidente elétrico do tipo: curto circuito. O fusível possui sempre um isolante que o envolve. interrompe a corrente. Fusíveis Os fusíveis são constituídos geralmente por ligas de materiais como chumbo. basicamente. logo que o problema que gerou a sobrecarga ou o curto-circuito for resolvido. Servem também para proteção dos equipamentos elétricos contra as sobre tensões. ele desarma a chave abrindo assim o circuito. uma vez que o mesmo se funde. o arco elétrico que surge durante sua fusão poderá danificar equipamentos vizinhos. A maioria dos invólucros também permite a inspeção visual do estado do elemento fusível. isso indica que está existindo uma sobrecarga no sistema e a chave é acionada. por fusíveis e disjuntores. papelão. estanho. O elemento isolante também deve suportar a pressão resultante do arco e a elevação da temperatura do elemento fusível. Constituem-se. portanto. Entretanto o disjuntor não se rompe como o fusível. Esse baixo ponto de fusão é justificado pelo princípio de funcionamento do fusível. se a temperatura do condutor passar do limite aceitável. Os principais tipos de fusíveis são: Rolha Cartucho Faca Diazed NH Em instalações residenciais. Para as residências. o que não acontece com os fusíveis que precisam ser trocados. Os invólucros normalmente utilizados são de cerâmica. pois se ele ficar exposto. Se houver um curto-circuito na instalação. cádmio. por questão de segurança. Disjuntore Os disjuntores são dispositivos parecidos com um interruptor comum que permite a interrupção da passagem de corrente. Esse dispositivo é termo-magnético. o disjuntor poderá ser religado. existem dois tipos básicos de disjuntores disponíveis no mercado: • Americano .

essas características devem ser tomadas medidas compensatórias. devem ser levados em consideração os efeitos danosos ou indesejados que o componente possa apresentar. Determinação dos Componentes Os componentes da instalação elétrica devem ser conforme as normas técnicas aplicáveis e possuir características compatíveis com as condições elétricas. Na seleção dos componentes. que: . Tipos de Instalação de Condutores Toda instalação elétrica requer uma cuidadosa execução por pessoas qualificadas. em serviço normal (incluindo operações de manobra). entre outros objetivos. As correntes iniciais ou de energização. operacionais e ambientais a que forem submetidos. sobre outros componentes ou na rede de alimentação. de forma a assegurar.• Europeu Além dos disjuntores. As harmônicas. Entre as características e os fenômenos que podem gerar perturbações ou comprometer o desempenho da instalação podem ser citados: • • • • O fator de potência. a NBR-5410 exige a utilização de dispositivo de proteção à corrente diferencial .residual mais conhecido como dispositivo DR. Se o componente escolhido não reunir. tem por finalidade proteger as pessoas contra choques elétricos e defeitos em equipamentos e instalações elétricas que ocasionam fuga de corrente. O dispositivo de proteção a corrente diferencial residual DR. O desequilíbrio de fases. capazes de fazer com que ele atenda as exigências da aplicação.

e • As partes externas de componentes sujeitas a atingir temperaturas capazes de lesionar pessoas fiquem dispostas ou abrigadas de modo a garantir que as pessoas não corram risco de contatos acidentais com essas partes. A análise de riscos deve: identificar a existência do risco. e os condutores em particular. a minimização ou o controle dos riscos elétrico. • Emprego de tensão de segurança. Segurança na Execução da Instalação Elétrica O responsável pela execução do serviço em instalações elétricas (construção. Na impossibilidade de desenergização elétrica devem ser utilizadas outras medidas de proteção coletiva. • Sinalização. manutenção). Podem se ressaltar dois tipos principais de medidas de controle do risco elétrico: As Medidas de Proteção Coletiva As medidas de proteção coletiva compreendem prioritariamente a desenergização elétrica e na sua impossibilidade o emprego de tensão de segurança. para adotar medidas preventivas adequadas ao controle do risco elétrico e dos outros riscos adicionais. de forma a garantir sua segurança e saúde e a de outras pessoas que possam ser afetadas por suas ações ou omissões no trabalho. operação. • Os componentes sejam instalados preservando-se as condições de resfriamento previstas. O uso desta ferramenta tem com objetivo principal conduzir de forma sistematizada e criteriosa a seleção das medidas de controle necessárias e suficientes para a eliminação. montagem. conforme condições estabelecidas nas normas regulamentadoras e nas normas técnicas. como: • Isolação das partes vivas. • Obstáculos. As Medidas de Proteção Individual . • Bloqueio do religamento automático. • Barreiras. têm o dever de avaliar os riscos do seu trabalho. • Os componentes da instalação. o contato seja seguro e confiável. • Os componentes da instalação suscetíveis de produzir temperaturas elevadas ou arcos elétricos fiquem dispostos ou abrigados de modo a eliminar o risco de ignição de materiais inflamáveis.• As características dos componentes da instalação não sejam comprometidas durante sua montagem. fiquem adequadamente identificados. • Sistema de secionamento automático de alimentação. dimensionar o grau de exposição do trabalhador a este risco e conduzir a seleção das medidas de controle. • Nas conexões.

5. . Projeto Do Sistema 1. Esta somatória eve ser menor ou igual à 40% da área do eletroduto. cozinhas. • Pontos situados em locais contendo banheira ou chuveiro. embora instaladas em áreas internas possam alimentar equipamentos de uso em áreas externas. que se complementam. Identificar a que circuitos pertencem. através de simbologia própria. • Locar o quadro de distribuição (local de fácil acesso e o mais próximo do medidor). Dimensionamento de Eletrodutos Os eletrodutos são imensionados em função da soma das áreas totais dos condutores que passam nele. ou seja. • Recomenda-se instalar 6 ou 7 condutores por eletroduto. • Ligar os interruptores e tomadas ao ponto de luz de cada ambiente. garagens e. Representar os fios que passam dentro de cada eletroduto. devem ser adotados equipamentos de proteção individual específicos e adequados às atividades desenvolvidas Na aplicação das medidas de controle do risco elétrico deve se considerar que existe entre elas uma hierarquia e em grande parte dos casos uma única medida não é suficiente. áreas de serviço. a todo local interno molhado em uso normal ou sujeito a lavagens. copas.Nos trabalhos em instalações elétricas. • Tomadas de corrente em áreas externas. 2. 4. Determinar o número de circuitos elétricos e o tipo de proteção (DTM ou IDR) A NBR 5410 exige a utilização de proteção diferencial residual (disjuntor ou interruptor) de alta sensibilidade em circuitos terminais que sirvam a: • Tomadas de corrente em cozinhas. • Tomadas de corrente que. quando as medidas de proteção coletiva forem tecnicamente inviáveis ou insuficientes para controlar os riscos. 3. Fazer o traçado geométrico da tubulação. para facilitar a enfiação e a retirada deles. lavanderias. no geral. para assegurar a segurança e saúde do trabalhador. deve ser adotado um conjunto de medidas.