Goiânia - ano I - nº 09 - Agosto - 2010

SUMÁRIO SUMMARY
EDITORIAL EDITOR’S LETTER

ODISSEIA DA MEDICINA ANO I NÚMERO 9 AGOSTO - 2010 PUBLISHER KLÉBER OLIVEIRA VELOSO JORNALISTA RESPONSÁVEL SUELI RAUL - DRT-GO/011263JP REDAÇÃO E ORTOGRAFIA NATÉRCIA MARIA MARTINS DA FONSECA DESIGNER GRÁFICO DIONATAN OLIVEIRA EDITOR DE FOTOGRAFIA EDMAR WELLINGTON - MTB 1842

FEEDBACK

ACUPUNTURA ACUPUNCTURE ACUPUNCTURE Tratamento do ronco e apneia obstrutiva do sono pela acupuntura Treatment of snoring and obstructive sleep apnea by acupuncture Traitement des ronflement et syndrome d’apnées obstructives par l’acupuncture ANATOMIA ANATOMY Fibromialgia: evidências de um substrato neurofisiológico Fibromyalgia: Evidence from a neurophysiological substrate

TRADUÇÃO JOÃO FLÁVIO SALES DE SOUZA AGENOR NETO CONSELHO EDITORIAL Dra. ADRYANNA LEONOR MELO CAIADO Dr. ANTÔNIO DA SILVA MENEZES JÚNIOR Dr. CLÁUDIO VITAL DE LIMA FERREIRA Dr. DAVID JENDIROBA Dr. HÉLIO CURADO FRÓES Dr. JOEL DE SANT´ANNA BRAGA FILHO Dr. MARCOS ANTONIO RIBEIRO MORAES PUBLICIDADE, MARKETING E MERCHANDISING DIONATAN OLIVEIRA + 55 62 8564.8242 dionatanoliveiraom@gmail.com RENATO VIEIRA VASCONCELOS + 55 62 8434.6593 renatovvasconcelos@hotmail.com CONTEÚDO, DESENVOLVIMENTO, PROJETO GRÁFICO, PUBLICAÇÃO E IMPRESSÃO AGÊNCIA ODISSEIA COMUNICAÇÃO CNPJ 11.026.604/0001-23 Esta revista é uma publicação da Odisseia Comunicação, agência de publicidade e propaganda, com conteúdo trilíngue, nacional e internacional. A agência é comprometida com a ética, com o desenvolvimento sustentável, com o respeito ao consumidor e com a responsabilidade social. Os pontos de vista aqui expressos refletem a experiência e as opiniões dos autores. Nenhuma parte desta revista poderá ser reproduzida ou transmitida por quaisquer meios empregados sem a autorização prévia, por escrito, da agência e dos autores dos artigos. CORRESPONDÊNCIA: odisseiadamedicina@gmail.com žO conteúdo desta revista pode ser acessado, gratuitamente, por intemedio das seguintes redes sociais: www.facebook.com www.issuu.com www.linkedIn.com

FISIOTERAPIA PHYSIOTHERAPY Fibromialgia e fisioterapia Fibromyalgia and physiotherapy

INFECTOLOGIA INFECTOLOGY H1N1 - o medo maior é da doença ou da vacina? H1N1 - the greatest fear is the disease or the vaccine?

ODONTOLOGIA ODONTOLOGY Avaliação do sorriso em tratamentos ortodônticos Evaluation of the smile in orthodontic treatment

OFTALMOLOGIA OPHTHALMOLOGY Novas drogas vêm revolucionando a oftalmologia New drugs have revolutionized ophthalmology

ORTOTANÁSIA ORTHOTHANASIA O médico, a família e o enfermo em fase terminal de sua doença The doctor, the family and the patient in terminal phase of their illness OTORRINOLARINGOLOGIA OTORHINOLARINGOLOGY Sonolência excessiva pode estar relacionada a distúrbio do sono Excessive sleepiness may be related to sleep disturbance

PSICOLOGIA PSYCHOLOGY Domar o corpo: o grande desafio humano Taming the body: the human challenge

www.ning.com www.orkut.com www.scribd.com www.twitter.com

OM EDITORIAL EDITOR’S LETTER
izem que não há nada melhor que comer e dormir. Para muitas pessoas, entretanto, a hora do sono é sinônimo de pesadelo. Ronco e apneia do sono são problemas cruciais. Nesta 9ª edição, Odisseia da Medicina expõe alternativa eficaz na solução desse e de outros problemas fisiológicos. A acupuntura, segundo Anaflávia de Oliveira Freire, doutora em Psicobiologia pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), tem sido alvo de atenção especial nos últimos tempos como tratamento ou opção terapêutica interessante, utilizada como coadjuvante no tratamento com sucesso desses dois males, o ronco e a apneia do sono. Falando em corpo, muitos penam com problemas físicos, que acabam interferindo no seu estado geral de saúde. Um mal silencioso, a fibromialgia é identificada como uma síndrome crônica ou mal que grita identificado pela expressão “dói tudo!”. Entretanto, novas técnicas têm surgido como eficazes, mas segundo o reumatologista Wagner Weidebach, doutor em Medicina pela Universidade de São Paulo (USP), “a principal arma para o sucesso terapêutico, entretanto, é um bom vínculo de confiança entre médico e paciente”. A importância de se recorrer à ajuda de um fisioterapeuta é indispensável. A fisioterapia

D

auxilia no alívio da dor e da rigidez, restaurando a amplitude do movimento muscular, a sua flexibilidade e recuperação funcional. Garante melhor qualidade de vida ao portador da fibromialgia, como destaca nessa edição a fisioterapeuta Flaviane Siqueira Pereira. Desde a Grécia antiga, o olhar tem sido objeto de intermináveis reflexões de filósofos e artistas. A ideia, lançada por Leonardo da Vinci, de que os olhos são a janela da alma e o espelho do mundo é algo que encanta. Por sua vez, o sorriso se mostra como um dos meios mais efetivos pelo qual as pessoas transmitem as suas emoções. Seria o riso estampado no rosto o enigma da beleza facial? É um ponto importante a ser observado quando se trata de saúde mental e corporal. Partindo dessa premissa, nesta edição, destaca-se a interferência ou tratamento ortodôntico que leva em conta o sorriso, quando é importante observá-lo e preservá-lo. Uma luz no fim do túnel. Será que há uma saída crucial contra o grave problema que é a falta de sangue nos bancos? Cientistas de Copenhague, na Dinamarca, afirmam que sim. Um grupo afirma que a transformação de tipos A, B ou AB, em sangue doador universal é algo possível e patente.

Chave genética, célula com genoma sintético, são as descobertas que têm aguçado a comunidade científica e o vislumbrar da reversão de doenças graves, regeneração sem cicatrizes entre outras intermináveis conquistas. Exemplo disso pode ser constatado através de um aparelho especial de ressonância magnética que fornece imagens inéditas que podem ajudar a ciência no combate a um grande vilão que é a obesidade. Após o avassalador surgimento do vírus H1N1 (Influenza tipo A), ainda perduram incógnitas que envolvem o medo da doença ou da sua vacina. Descobertas e novidades que permeiam as diversas especialidades em saúde, onde o alvo é a mente e o corpo, ganham destaque em mais uma edição que você, leitor, tem à mão. Boa leitura!

or many people, the sleep time is synonymous of nightmare. Snoring and apnea are crucial problems. In this 9th edition, Odisseia da Medicina presents an alternative as effective in solving this and other physiological problems. Acupuncture, according to Ana Flávia de Oliveira Freire, doctor in Psychobiology at the Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), is given special attention in recent times as adjunctive therapy in the treatment of these two illness, with success. Speaking of bodies, many suffer from physical problems that ultimately interfere with your general health. Fibromyalgia, a silent illness, is identified as a chronic syndrome or an illness expressed by the phrase “everything hurts”. However, new techniques have emerged as effective treatment. Added to that, according to Paulo Wagner Weidebach rheumatologist, a doctor of medicine from the University of São Paulo (USP), the main weapon for success is a good therapeutic relationship of trust between doctor and patient. The importance of using a physiotherapist since physiotherapy helps in rheumatology, to relieve pain and stiffness, restore range of motion and flexibility, allowing a better quality of life for patients with fibromyalgia, is featured in this

F

issue by physiotherapist Flaviane Siqueira Pereira. Since ancient Greece, the look has been the subject of reflections of philosophers and artists. The idea, conceived by Leonardo da Vinci, that the eyes are the window to the soul and the mirror of the world is something that delights. In turn, the smile appears as one of the most effective means by which people convey their emotions. The smile on his face would be the enigma of facial beauty and an important point to note when it comes to health of mind and body. From this premise, in this edition we highlight the interference or orthodontic treatment that takes into account the individual smile, when it is important to observe it and preserve it. A light at the end of the tunnel. Is there a way against the serious problem of lack of blood on the donation banks? Scientists in Copenhagen, Denmark, say there is. One group argues that the transformation of types A, B or AB blood into universal donor is something possible and patent. Key gene and cell with synthetic genome are discovered that have sharpened the scientific community, and envision the reversal of serious diseases and regeneration without scarring, among other achievements. An example can be seen through a special unit MRI providing

unpublished images that can help science in combating obesity. Already gone a long time after the devastating emergence of the H1N1 virus (Influenza type A) still linger unknowns involving the fear of the disease and fear of the vaccine. Discoveries and innovations that permeate various specializations in health, where the target is the mind and body, are highlighted in this issue that you, the reader have handing. Happy reading!

OM 4

FEEDBACK OM

OM ANO I Nº 9 - AGOSTO 2010

NEUROLOGY

MULTIPLE SCLEROSIS

MOLÉSTIAS NA PONTA DAS UNHAS
INFECTOLOGY
DISEASES AT THE TIP OF THE NAIL

INFECTOLOGIE

ESCLEROSE MÚLTIPLA

NEUROLOGIE

SCLÉROSE MULTIPLE

MALADIES À L'EXTRÉMITÉ DE L'ONGLE

ACUPUNCTURE
SNORING AND APNEA
ENDOCRINOLOGIA HIPERIDROSE: CURA DEFINITIVA E IRREVERSÍVEL OFTALMOLOGIA VITAMINAS COMBATEM DEGENERAÇÃO DA RETINA ESTÉTICA "SORVETERAPIA"
ENDOCRINOLOGY HIPERIDROSE: DEFINITIVE AND IRREVERSIBLE CURE OFTALMOLOGY VITAMINS FIGHT DEGENERATION OF THE RETINA AESTHETIC "SORVETERAPIA"

RONCO E APNEIA
ODONTOLOGIA SORRISO E ORTODONTIA
ÉTICA ERRO MÉDICO E A LEI ODONTOLOGIA INOVAÇÃO EM IMPLANTODONTIA ESTETICA LIPO A LASER: MENOS DESGASTE
ETHICS MEDICAL ERROR AND THE LAW ODONTOLOGY INNOVATION IN IMPLANTODONTIA AESTHETIC LIPO THE LASER: LITTLE CONSUMING

ACUPUNCTURE
ODONTOLOGY SMILE AND ORTHODONTICS PSYCHOLOGY TAMING THE BODY UROLOGY VACCINE AGAINST PROSTATE CÂNCER

RONFLEMENT ET D'APNÉES

PSICOLOGIA DOMAR O CORPO
ACUPUNTURA - RONCO E APNEIA

UROLOGIA VACINA CONTRA CÂNCER DE PRÓSTATA

Goiânia - ano I - nº 07

Junho - 2010

CORTANDO O CORDÃO UMBILICAL: POLÊMICA DISCUSSÃO SOBRE A CHAMADA “ADOLESCÊNCIA TARDIA”. CUTTING LACE UMBILICAL: CONTROVERSIAL QUARREL ON THE CALL “DELAYED ADOLESCENCE”.
Goiânia - ano I - nº 08 Julho - 2010

INSÔNIA: DORMIR POUCO TORNA O ORGANISMO PRESA FÁCIL DA GRIPE COM BAIXA DA IMUNIDADE. SLEEPLESSNESS: TO SLEEP LITTLE BECOMES THE EASY IMPRISONED ORGANISM OF THE GRIPPE WITH LOW OF THE IMMUNITY.

__________________ A revista está ótima! A qualidade das fotos e a impressão é muito boa. A seleção das matérias e temas são de muito bom gosto! Ana Lúcia Gomes Schoröder. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (DRGO). Goiânia, Goiás, Brasil. __________________ Parabéns! Ontem, pela primeira vez, tive contato com a revista de vocês. Moro em Londres já há quase 9 anos, e nunca tinha me deparado com uma publicação brasileira de tanta qualidade aqui. Portanto, antes de tudo, parabéns pela empreitada, que não é nada fácil! Boa sorte com a empreitada e parabéns mais uma vez! Andrea Palluch. Diretora Executiva da European Medical Writers Association. Londres, Inglaterra, Reino Unido da Grã-Bretanha. __________________ Estou lendo a revista e realmente a qualidade dos artigos me impressiona! Parabéns! Nadim Chater. Médico urologista. Goiânia, Goiás, Brasil. __________________ Parabéns pela publicação. Vi aqui e gostei muito do trabalho, tanto das pautas quanto da parte gráfica. Geraldo Neto. Ascom Sistema Fieg. Goiânia, Goiás, Brasil.

__________________ The magazine is great! The quality of photos and printing is very good. The selection of subjects and themes are very tasteful! Ana Lúcia Gomes Schoröder. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (DRGO). Goiânia, Goiás, Brazil. __________________ Congratulations! Yesterday, for the first time, I dealt with your magazine. I live in London for nearly 9 years and had never encountered a Brazilian publication of so much quality here. So, first of all, congratulations on the contract, that is not easy! Good luck with the venture and congratulations once again! Andrea Palluch. Executive Director of the European Medical Writers Association. London, England, United Kingdom of Great Britain. __________________ I’m reading the magazine and the quality of articles really impresses me! Congratulations! Nadim Chater. Urologist. Goiânia, Goiás, Brazil. __________________ Congratulations on your publication. I saw here and I really enjoyed the work, both of tariffs as part of graphics. Geraldo Neto. Ascom Sistema Fieg. Goiânia, Goiás, Brazil.
ERUTCNUPUCA
AENPA DNA GNIRONS SEÉNPA'D TE TNEMELFNOR

ME OÃÇAMROFSNART :AIGOLOTAMEH AN OSPALOC ARTNOC OÃÇAVONI .LASREVINU RODAOD OPIT O ,O ME BA UO B ,A SEUGNAS ED OIRÓTAROBAL NI DOOLB FO GNISSECORP :YGOLOTAMEH NI ESPALLOC TSNIAGA NOITAVONNI .EPYT RONOD LASREVINU EHT ,O OTNI BA RO B ,A YROTAROBAL

ERUTCNUPUCA

YGOLOTNODO SCITNODOHTRO DNA ELIMS

YGOLORU TSNIAGA ENICCAV RECNÂC ETATSORP

YGOLOHCYSP YDOB EHT GNIMAT

AIENPA E OCNOR

AIGOLOTNODO AITNODOTRO E OSIRROS

AIGOLORU ARTNOC ANICAV ATATSÓRP ED RECNÂC

0102 - otsogA - 90 ºn - I ona - ainâioG

AIGOLOCISP OPROC O RAMOD

MOC EPIRG AD LICÁF ASERP OMSINAGRO O ANROT OCUOP RIMROD :AINÔSNI YSAE EHT SEMOCEB ELTTIL PEELS OT :SSENSSELPEELS .EDADINUMI AD AXIAB .YTINUMMI EHT FO WOL HTIW EPPIRG EHT FO MSINAGRO DENOSIRPMI
SISORELCS ELPITLUM ELPITLUM ESORÉLCS

EIGOLORUEN

YGOLORUEN

SCIHTE WAL EHT DNA RORRE LACIDEM

CITEHTSEA :RESAL EHT OPIL GNIMUSNOC ELTTIL

YGOLOTNODO NI NOITAVONNI AITNODOTNALPMI

ALPITLÚM ESORELCSE

ACITÉ IEL A E OCIDÉM ORRE

ACITETSE :RESAL A OPIL ETSAGSED SONEM

AIGOLOTNODO ME OÃÇAVONI AITNODOTNALPMI

0102 - ohluJ

80 ºn - I ona - ainâioG

ADAMAHC A ERBOS OÃSSUCSID ACIMÊLOP :LACILIBMU OÃDROC O ODNATROC LAISREVORTNOC :LACILIBMU ECAL GNITTUC .”AIDRAT AICNÊCSELODA“ .”ECNECSELODA DEYALED“ LLAC EHT NO LERRAUQ
ÉTIMÉRTXE'L À SEIDALAM ELGNO'L ED

SAHNU SAD ATNOP AN SAITSÉLOM

EIGOLOTCEFNI

YGOLOTCEFNI

AIGOLONIRCODNE AVITINIFED ARUC :ESORDIREPIH LEVÍSREVERRI E

EHT TA SESAESID LIAN EHT FO PIT

AIGOLOMLATFO METABMOC SANIMATIV ANITER AD OÃÇARENEGED

YGOLOMLATFO THGIF SNIMATIV ANITER EHT FO NOITARENEGED

YGOLONIRCODNE DNA EVITINIFED :ESORDIREPIH ERUC ELBISREVERRI

0102 - ohnuJ

ACITÉTSE "AIPARETEVROS"

CITEHTSEA "AIPARETEVROS"

70 ºn - I ona - ainâioG

www.odisseiamedicina.com.br rb.moc.anicidemaiessido.www AIENPA E OCNOR - ARUTNUPUCA 0102 OTSOGA - 9 ºN I ONA MO

Goiânia - ano I - nº 09 - Agosto - 2010

INOVAÇÃO CONTRA COLAPSO NA HEMATOLOGIA: TRANSFORMAÇÃO EM LABORATÓRIO DE SANGUES A, B OU AB EM O, O TIPO DOADOR UNIVERSAL. INNOVATION AGAINST COLLAPSE IN HEMATOLOGY: PROCESSING OF BLOOD IN LABORATORY A, B OR AB INTO O, THE UNIVERSAL DONOR TYPE.

5 OM

OM ACUPUNTURA ACUPUNCTURE ACUPUNCTURE

ANAFLÁVIA DE OLIVEIRA FREIRE

Tratamento do ronco e apneia obstrutiva do sono pela acupuntura
Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) é um distúrbio primário do sono que mais se relaciona às alterações fisiológicas ocorridas durante o sono do que a um distúrbio do ciclo sono-vigília em si. A síndrome é caracterizada por episódios recorrentes de obstrução parcial ou total das vias aéreas superiores durante o sono, que resultam em períodos de apneia, dessaturação de oxi-hemoglobina e despertares frequentes, os quais acarretam consequências clínicas diversas. Dentre essas consequências, a sonolência diurna excessiva desencadeia repercussões importantes na vida dos indivíduos, impingindolhes prejuízos sociais e funcionais que ocorrem em situações como conversar, dirigir, trabalhar etc. (Kandel, 2000) A SAOS apresenta um largo espectro clínico, isto é, em um extremo encontram-se os pacientes portadores de ronco primário isolado, sem outras queixas clínicas, e no outro lado aqueles pacientes com a síndrome clássica: geralmente homens adultos, obesos, com história de ronco e relatos

Treatment of snoring and obstructive sleep apnea by acupuncture
The Syndrome of Obstructive Sleep Apnea (OSAS) is a primary sleep disorder that is more related to physiological changes during sleep than a disorder of sleep-wake cycle itself. This syndrome is characterized by recurrent episodes of partial or total obstruction of the upper airway during sleep, resulting in periods of apnea, desaturation of oxyhemoglobin and frequent awakenings, which cause various clinical consequences. Among these consequences is the excessive daytime sleepiness that triggers a significant impact on the lives of individuals, foisting them functional and social impairments that occur in situations such as talking, driving, working etc. (Kandel, 2000) OSAS has a wide clinical spectrum, meaning that, at one extreme are patients with primary snoring alone, without other clinical signs and on the other, those patients with the classical syndrome: usually adult men, obese, with a history of reports of snoring and sleep apnea, in addition to excessive daytime sleepiness and cardiovascular complications such as arrhythmias and hypertension (Lugaresi et al., 1978).

Traitement des ronflement et syndrome d’apnées obstructives par l’acupuncture
e Syndrome d ‘Apnées Obstructives du Sommeil (SAOS) est une pertubation primaire du sommeil par rapport aux altérations physiologiques pendant le sommeil a la place d’une pertubation sommeil-éveil. Ce syndrome est caractérisée par épisodes d’obstruction partiale ou totale des voies aérienne superiéures pendant le sommeil, que donnent des résultats en périodes d’apnée, désaturation de oxyhémoglobine et des réveils frequament, lesquels ont des consequences cliniques diverses. Parmis ces consequences, la somnolence excessives déclenche des répercussions importantes dans la vie de chaque individues, en donnant des endommagements sociales et fonctionnels en situations comme dans une conversation, en conduisant, travaillant etc. (Kandel, 2000) Le SAOS apresente un large spectre clinique, c’est-à-dire, par exemple les patients souffrent du ronflement primaire isolés, sans aucune autre plainte cliniques, et de l’autre coté les patients avec le syndrome classique: généralement les hommes adultes, obéses, qui souffre des renflemet et

A

T

L

OM 6

ACUPUNTURA ACUPUNCTURE ACUPUNCTURE OM
de apneias noturnas, além de sonolência diurna excessiva e complicações cardiovasculares, como arritmias e hipertensão arterial (Lugaresi et al., 1978). O ronco constitui a queixa principal da SAOS, porém nem todo roncador apresenta esta patologia. Além do ronco, a sonolência diurna excessiva e o sono não reparador são os sintomas mais proeminentes (Young et al., 1993). A apneia que ocorre durante o sono frequentemente não é percebida pelo indivíduo, não sendo, desta forma, o sintoma que o conduz ao médico, pois na maioria das vezes é um fato percebido apenas pelo(a) parceiro(a). Os dois sintomas que levam o paciente a procurar a assistência médica são o ronco e a sonolência diurna. Até recentemente, não havia publicação no Brasil de estudos de prevalência utilizando metodologia mais rigorosa, como a polissonografia. Em 2010 foi publicado o estudo epidemiológico de São Paulo (Tufik et al., 2010), no qual foram estudadas 1.042 pessoas. Todos os participantes foram submetidos a questionários, coleta de sangue e exame de polissonografia. Seguindo os critérios atuais da AASM (American Association of Sleep Medicine) 2005, os resultados obtidos demonstraram que 32,8% desta população aleatória era portadora de SAOS, de graus variados. As consequências cardiovasculares da SAOS têm sido bem demonstradas na literatura, sendo a Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) um achado comum nestes indivíduos. Na SAOS não tratada, a HAS está em torno de 30% dos casos (Schmid-Nowara et al., 1990). Arritmias cardíacas que ocorrem exclusivamente durante o sono são também muito comuns nestes pacientes. Lugaresi e colaboradores, em 1980, mostraram a associação da apneia e do ronco com o aumento do risco para Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) e Acidente Vascular Encefálico (AVE). d’apnée nocturne, en outre de somnelence diurne excessive et complications cardio-vasculaires, comme par exemple arythmies et l’hypertension artérielle (Kugaresi et al.,1978). Le ronflement est la plainte principale du SAOS, seulement ce n’est pas tous les patients qui souffrent du ronflement qui présente cette pathologie. Au delà du ronflement, la somnolence diurne excessive et le sommeil non réparateur sont les symptômes les plus importants (Young et al.,1993). L’Apnée qui survient principalement pendant le sommeil n’est pas aperçu par l’individu, ce n’est pas la cause que lui emmène chez le médecin, car dans la plupart du temps le fait est aperçu seulement par son accompagnant. Les deux symptômes qu’emmènent le patient à chercher une assistance medicale sont le ronflement et la somnolence diurne. Tout récemment, il n’existait pas publication au Brésil des études de prévalence en utilisant une méthodologie rigoureuse, comme la polysomnographie. En 2010 a était publié l’étude épdemiologique de São Paulo (Tufik et al., 2010) lequel ont été étudiaient 1042 personnes. Tout les participants ont été subiesà des questionnaires, à une colette de sang et examen de polysmnographie. Suivant les critères actuels de l’AAMS (American Association of Sleep Medicine) 2005, les résultats obténus démontrent que 32,8% de cette population atteint de la SAOS, d’échelle variée. Les conséquences cardio-vasculaire du SAOS ont été bien démontrés dans la littérature, dont la Hypertension Artérielle Systémique (HAS) est souvant trouvés chez ces individues. Les SAOS non-traitées, la HAS est en moyenne de 30% des cas (Schmid Nowara et al., 1990). Arythmies cardiqaue qu’attaquent exclusivement pendant le sommeil sont aussi trés fréquement chez ces patients. En 1980 Lugaresi et collaborateurs, montrent l’association d’apnée et du ronflement avec une hausse de risque par l’infarctus aigu du myocarde (IAM) et l’Accident Vasculaire Encéphalique (AVE). Le traitement du SAOS consiste en mesures d’hygiène du sommeil et perte de poids jusqu’à la chirurgie, selon la gravité du problème. Mésures simples comme la retrait

Snoring is the chief complaint of OSAS, but not every snorer has this disease. Besides snoring, excessive daytime sleepiness and non-restorative sleep are most prominent symptoms (Young et al. 1993). Apnea, which occurs during sleep, is often not perceived by the individual, not being this way, the symptom that leads to the doctor, because in most cases is a fact noticed only by the partner. The two symptoms that lead patients to seek medical care are snoring and daytime sleepiness. Until recently there was no publication in Brazil in prevalence studies using more rigorous methodology, such as polysomnography. In 2010 was published the epidemiological study from Sao Paulo (Tufik et al., 2010), in which 1042 people were studied. All participants underwent questionnaires, blood collection and polysomnographic examination. Following the current criteria of the AASM (American Association of Sleep Medicine) from 2005, the results showed that 32.8% of this population was random, with OSAS, in varying degress. The cardiovascular consequences of OSAS have been well demonstrated in the literature, and Arterial Hypertension (HBP) is a common finding in these individuals. In untreated OSAS, hypertension is around 30% of cases (Schmid-Nowara et al., 1990). Cardiac arrhythmias that occur exclusively during sleep are also very common in these patients. Lugaresi and colleagues in 1980 showed the association of apnea and snoring with an increased risk for acute myocardial infarction (AMI) and Stroke (CVA). The treatment of OSAS is provided measures of sleep hygiene and weight loss before surgery, depending on the severity of the case. Simple measures such as alcohol withdrawal (Issa & Sullivan, 1992) and certain drugs such as benzodiazepines, barbiturates and narcotics, and the proper body position while sleeping and weight loss may eliminate apneas and hypopnea in some patients. From January 2002 to August 2004 (Freire et al., 2007), we studied 36 patients with moderate OSAS (15 < apnea and hypopnea index < 30),

7 OM

OM ACUPUNTURA ACUPUNCTURE ACUPUNCTURE
de l’alcool (Issa & Sullivan,1992) et certeines drogues, comme benzodiazépine, barbiturique, narcotique, au-delà de la bonne position du corps pendant le sommeil et la perte du poids peuvent éliminer l’Apnée et l’hypopnée chez certains patients. Pendant le mois de janvier de 2002 à aout de 2004 (Freire et al., 2007), nous avon étudiés 36 patients porteurs du SAOS de gravité considérable (15 < indice d’Apnée et Hypopnée < 30), diagnostiques dans l’ambulatoire d’Apnée du sommeil du Département de Psycobiologie, Discipline des Troubles du Sommeil de L’Universitée Féderale de São Paulo (UNIFESP) - Ecole Paulista de Médecine, d’où 1 des 3 groupes a été subi au traitement avec acupuncture. Dans un groupe d’acupucnture, on observe que 60% des patients ont eu l’indice d’apnée réduit à zéro, ce qui n’est pas le cas dans les autres groupes que donne une diminution de 78% d’indice d’apnée. L’IAH a été réduit en 50,5%, ce qui dépasse la percentage acceptée comme valeur d’amélioration d’un traitement donn (American Academy of Sleep Medecine, 1992). Le chiffre des événements respiratoires ont été réduits en 43%, ainsi comme la duration maximale de ces événements en 38%. En bref, nous avons observé dans cette étude que l’acupuncture a été une hérapeutique éfficace dans le traitement du SAOS, inversant les plaintes subjetives, représentées ci-dessous par questionaire de qualitée de vie et de somnolence diurne excessive, quant à les paramétres objetifs mésurés atravers d’examen de polysomnographie. Ainsi, nous soulignons l’importance de ce travail, qui démontre l’éficacitée de l’acupuncture dans le traitement du SAOS et aussi une option thérapeutique interéssante, qui peut etre utiliser comme aide pour le traitement de cette maladie. D’ailleurs, l’acupuncture est un moyen économiquement accessible. Et aussi une thérapeutique qu’a une comprovation scientifique sufisement sur les bénéfices physiques et mentaux.

O tratamento da SAOS consiste desde medidas de higiene do sono e emagrecimento até a cirurgia, dependendo da gravidade do caso. Medidas simples como a retirada do álcool (Issa & Sullivan, 1992) e de certas drogas, como benzodiazepínicos, barbitúricos e narcóticos, além da adequada posição do corpo ao dormir e a perda de peso, podem eliminar as apneias e hipopneias em alguns pacientes. No período de janeiro de 2002 a agosto de 2004 (Freire et al., 2007), estudamos 36 pacientes portadores de SAOS de grau moderado (15 < índice de apneia e hipopneia < 30), diagnosticados no ambulatório de apneia do sono do Departamento de Psicobiologia, Disciplina de Distúrbios do Sono da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) Escola Paulista de Medicina, onde 1 dos 3 grupos foi submetido ao tratamento com acupuntura. No grupo acupuntura, observamos que 60% dos pacientes tiveram o índice de apneia reduzido a zero, o que não ocorreu nos indivíduos dos outros grupos e correspondeu a uma diminuição de 78% do índice de apneia. O IAH foi reduzido em 50,5%, o que ultrapassa a percentagem aceita como valor de melhora de um dado tratamento (American Academy of Sleep Medicine, 1992). O número de eventos respiratórios foi reduzido em 43%, assim como a duração máxima desses eventos em 38%. Em suma, neste estudo observamos que a acupuntura foi uma terapêutica eficaz no tratamento da SAOS, revertendo tanto as queixas subjetivas, representadas aqui pelos questionários de qualidade de vida e de sonolência diurna excessiva, quanto os parâmetros objetivos mensurados através do exame de polissonografia. Desta forma, enfatizamos a importância deste trabalho, que demonstra a eficácia da acupuntura no tratamento da SAOS e a torna uma opção terapêutica interessante, que pode ser utilizada como coadjuvante no tratamento desta doença. Além do mais, a acupuntura é um procedimento economicamente acessível. É também uma terapêutica que já possui comprovação científica suficiente sobre os seus benefícios tanto físicos quanto mentais.
OM 8

diagnosed in outpatient of sleep apnea Department Psychobiology, Department of Sleep Medicine, Federal University of São Paulo (UNIFESP) - Escola Paulista de Medicina, where one of the three groups was treated with acupuncture. In the acupuncture group, we observed that 60% of patients had their apnea index reduced to zero, which did not occur in individuals of other groups and represented a decrease of 78% the rate of apnea. The AHI was reduced by 50.5%, which exceeds the percentage of improvement value accepted as a given treatment (American Academy of Sleep Medicine, 1992). The number of respiratory events was reduced by 43% and the maximum duration of these events by 38%. In summary, this study found that acupuncture was an effective therapy of OSAS, reversing both the subjective complaints, represented here by the questionnaires of quality of life and excessive daytime sleepiness, as the objective parameters measured through a polysomnography. Thus, we emphasize the importance of this work, which demonstrates the effectiveness of acupuncture in the treatment of OSAS and makes it an interesting therapeutic option, which can be used as an adjunct in the treatment of the disease. In addition, acupuncture is a procedure affordable. It is also a treatment that already has enough scientific evidence about their physical and mental benefits.

ANAFLÁVIA DE OLIVEIRA FREIRE žDoutora em Psicobiologia pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Brasil. Mestre em Medicina Chinesa (Acupuntura) pela UNIFESP. Especialista em Fitoterapia pela UNIFESP. Graduada em Medicina pela Universidade Federal de Goiás (UFGO), Brasil. Escritora. Professora. žDoctor in Psychobiology at the Federal University of São Paulo (UNIFESP), Brazil. Master in Chinese Medicine (Acupuncture), UNIFESP. Specialist in Herbal Medicine, UNIFESP. Graduated in Medicine at Universidade Federal de Goiás (UFGO), Brazil. Writer. Teacher. žDocteur en Psycobologie de l’Universitée Fédérale de São Paulo (UNIFESP), Brésil. Maitre en Médicine Chinoise (Acupuncture) de l’UNIFESP. Spécialite en Fitotérapie de l’UNIFESP. Diplômé en Médecine de la Universitée Fédérale de Goias (UFGO), Brésil. Auter. Enseignante.

OM ANATOMIA ANATOMY

Fibromialgia: evidências de um substrato neurofisiológico Fibromyalgia: evidence from a neurophysiological substrate
WAGNER FELIPE DE SOUZA WEIDEBACH ibromyalgia (FM) is a syndrome characterized by chronic musculoskeletal pain complaints, and the presence of diffuse tender points in certain regions that are anatomically well. Formerly known as fibrositis, fibromyalgia was not considered a well-defined clinical entity until the 70’s, when the first reports were published on sleep disorders, including polysomnographic findings, which gave rise to a deeper investigation etiopathogenic. It is a syndrome commonly seen among women at the ages of 3060 years (there is a ratio of 20 women for every man) where the main feature is a pain amplification. The phrase “everything hurts” is a constant in the history of these patients. The most constant clinical feature of fibromyalgia is, without doubt, the presence of sleep disorders, bruxism, non-restorative sleep, interrupted, superficial. The patients invariably refer to wake up tired. Other frequent findings are the states of depression, anxiety, symptoms consistent with panic attacks, fatigue (especially morning), memory deficits, inattention, constipation or temporo - jaw (TMJ) secondary to bruxism, dry mouth, tension headache or migraine. The diarrhea (symptoms compatible with irritable bowel syndrome), functional disorders of the psychological profile of patients is related to perfectionism, severe self-critical, the obsessive pursuit of detail. In 1990, the Colégio Americano de Reumatologia (ACR) defined as diagnostic criteria the persistence of diffuse pain complaints for longer than three months and pain in at least 11 to 18 points anatomically standardized. It was considered a positive point when painful discomfort at the site, after digital pressure with an intensity of force equivalent to 4 kgf/cm2 using dolorimeter. The diagnosis is well defined by the positivity of 11 out of 18 socalled tender points (9 points of anatomical reference considered bilaterally):

F

fibromialgia (FM) é uma síndrome crônica caracterizada por queixas dolorosas músculo-esqueléticas difusas e pela presença de pontos dolorosos em regiões anatomicamente bem determinadas. Anteriormente denominada fibrosite, a fibromialgia não era considerada uma entidade clinicamente bem definida até a década de 70, quando foram publicados os primeiros relatos sobre os distúrbios do sono, incluindo os achados polissonográficos, que deram margem a um aprofundamento na investigação etiopatogênica. Trata-se de uma síndrome muito frequente entre mulheres de 30 a 60 anos (há uma relação de 20 mulheres para cada homem) em que a principal característica é a amplificação dolorosa. A expressão “dói tudo” é uma constante na anamnese dessas pacientes. A característica clínica mais constante na fibromialgia é, sem dúvida, a presença de distúrbios do sono, bruxismo, sono não-reparador, interrompido, superficial. As pacientes invariavelmente referem que acordam cansadas. Outros achados frequentes são os estados depressivos, ansiedade, sintomas compatíveis com síndrome do pânico, fadiga (em especial pela manhã), déficit de memória, desatenção, obstipação ou diarreia (sintomas compatíveis com síndrome do cólon irritável), distúrbios funcionais da articulação temporo-mandibular (ATM) secundários ao bruxismo, boca seca, cefaleia tensional ou enxaqueca. O perfil psicológico dos pacientes está associado ao perfeccionismo, à autocrítica severa, à busca obsessiva do detalhe.

A

• Insertion of the occipital muscles • Lower cervical spine (C5-C6) • Trapezius muscle • Medial edge of the scapular spine • External upper quadrant of the buttocks • Prominences of the greater trochanters of femur • Second costochondral junction • Lateral epicondyle of the elbow • Medial Knee fat pad (near the tendon of goose foot). The diagnosis of this syndrome is essentially clinical, with no specific laboratory abnormalities. The evidences of inflammatory activity are normal, as well as the imaging tests. Polysomnography may be a useful tool in cases less characteristic, and can detect typical changes in sleep architecture, called alpha intrusion. It should always be excluded, however, associated systemic phenomena, such as hyper or hypothyroidism, diabetes mellitus and other diseases associated with states of fatigue and depression. This research should also aim to rule out the presence of diseases commonly associated with fibromyalgia, such as lupus erythematosus, rheumatoid arthritis and Sjogren’s syndrome.

OM 10

ANATOMIA ANATOMY OM
Absolutely, one should not confuse the FM with polymyalgia rheumatic, inflammatory nature picture similar to that of temporal arthritis, which occurs in patients aged over 60 years and is characterized by muscle pain in the scapular and pelvic girdles, coursing with high rates sedimentation. The functional neurobiology of pain amplification is related to an imbalance between mediators of the CNS. It is known that there is a relative reduction of serotonergic activity (analgesic) as well as an overproduction of substance P (pain mediator). In 1978, it was shown that abnormalities in serotonin metabolism are important in fibromyalgia. We observed a relationship between symptoms and low levels of tryptophan. The cerebrospinal fluid analysis in individuals with fibromyalgia revealed low concentrations of acid 5-hydroxyindole acetic acid (metabolite of tryptophan) as well as increased levels of substance P. Studies of sleep in fibromyalgia patients dating back to 1975 when it was a pattern characterized by alpha wave intrusion during stage 4 non-REM sleeps. This pattern is referred to by patients as a state of wakefulness during sleep, or as a superficial and restless sleep during which arousals occur frequently caused by light stimuli. These changes were associated with fatigue and aches. Deprivation of deep stages of non-REM sleep in normal volunteers may cause morning fatigue manifestation of fibromyalgia. Pharmacological treatment of fibromyalgia is based on the induction of a higher quality sleep, which can be obtained with the use of drugs such as cyclobenzaprine or amitriptyline in low doses. Serotonin reuptake inhibitors such as fluoxetine or sertraline may be associated with therapy with additive effect. Analgesics and muscle relaxants such as carisoprodol may be helpful in controlling symptoms, but the response

Em 1990, o Colégio Americano de Reumatologia (ACR) definiu como critérios diagnósticos a persistência de queixas dolorosas difusas por um período maior do que três meses e a presença de dor em pelo menos 11 de 18 pontos anatomicamente padronizados. Considerou-se positivo um ponto quando era referido desconforto doloroso no local, após digitopressão com intensidade de força equivalente a 4 kgf/cm2 com o uso de dolorímetro. O diagnóstico fica bem definido com a positividade de 11 dos 18 chamados tender points (9 pontos de referência anatômica considerados bilateralmente): • inserção dos músculos occipitais • coluna cervical baixa (C5-C6) • músculo trapézio • borda medial da espinha da escápula • quadrantes externos superiores das nádegas • proeminências dos trocânteres maiores do fêmur • segunda junção costocondral • epicôndilo lateral do cotovelo • coxim adiposo medial do joelho (junto ao tendão da pata de ganso). O diagnóstico dessa síndrome é eminentemente clínico, não havendo alterações laboratoriais específicas. As provas de atividades inflamatórias são normais, bem como os exames de imagem. A polissonografia pode ser um instrumento útil em casos menos característicos, podendo detectar alterações típicas na arquitetura do sono, as chamadas intrusões alfa. Devem ser sempre excluídos, no entanto, fenômenos sistêmicos associados, como hiper ou hipotireoidismo, diabetes mellitus e outras patologias associadas a estados de fadiga e depressão. Esta pesquisa deve também ter como objetivo descartar a presença de doenças comumente associadas à fibromialgia, como lúpus erítematoso sistêmico, artrite reumatóide e síndrome de Sjögren. Não se deve absolutamente confundir a FM com a Polimialgia Reumática, quadro de natureza inflamatória semelhante ao da arterite temporal, que ocorre em pacientes de faixa etária superior a 60 anos e que se caracteriza por dor muscular em cinturas escapular e pélvica, cursando com elevadas taxas de hemossedimentação. O substrato neurológico funcional desta amplificação dolorosa está relacionado a um desequilíbrio entre mediadores do SNC. Sabe-se que há

11 OM

OM ANATOMIA ANATOMY

uma redução relativa da atividade serotonérgica (analgésica), bem como uma hiperprodução de substância P (mediadora da dor). Em 1978 foi demonstrado que anormalidades no metabolismo da serotonina são relevantes na fibromialgia. Observou-se uma relação entre a sintomatologia e baixos níveis séricos de triptofano. A análise do liquor em indivíduos com fibromialgia revela baixas concentrações do ácido 5-hidroxi-indol-acético (metabólito do triptofano), bem como um aumento dos níveis da substância P. Os estudos sobre o sono em indivíduos fibromiálgicos datam de 1975, quando foi observado um padrão caracterizado pela intrusão de ondas alfa durante o estágio 4 do sono não-REM. Este padrão é referido pelos pacientes como um estado de vigília durante o sono, ou como um sono não restaurador e superficial, durante o qual ocorrem despertares frequentes, provocados por estímulos leves. Essas alterações foram associadas à fadiga e dores generalizadas. A privação das fases profundas do sono não-REM em voluntários normais pode acarretar fadiga matinal e manifestações fibromiálgicas. O tratamento farmacológico da fibromialgia tem como base a indução de um sono de melhor qualidade, o que pode ser obtido com o uso de medicações como a ciclobenzaprina ou a amitriptilina em baixas doses. Inibidores da recaptação de serotonina, como a fluoxetina ou a sertralina podem ser associados ao esquema terapêutico com efeito aditivo. Analgésicos e relaxantes musculares como o carisoprodol podem ser úteis no controle dos sintomas, porém a resposta aos antiinflamatórios nãohormonais não costuma ser favorável e seu uso é desaconselhável. Os corticosteróides não fazem parte do arsenal terapêutico utilizado na FM. O tratamento não-farmacológico não deve ser esquecido e tem papel crucial no controle dos sintomas. Exercícios aeróbicos visando um recondicionamento muscular, acupuntura, yoga e outras técnicas de relaxamento são comprovadamente eficazes. O acompanhamento psiquiátrico e eventualmente a psicoterapia podem ser úteis nos casos em que a depressão, a ansiedade ou o pânico forem proeminentes. A principal arma para o sucesso terapêutico, entretanto, é um bom vínculo de confiança entre médico e paciente. O simples esclarecimento sobre a natureza dos distúrbios funcionais, com a conscientização de que os sintomas têm causas orgânicas e substrato neurológico, faz com que a aderência ao tratamento (medicamentoso ou não) seja completa.
OM 12

to nonsteroidal antiinflammatory drugs is generally not favorable and its use is inadvisable. Corticosteroids are not part of the therapeutic arsenal used in FM. The non-pharmacological treatment should not be overlooked and plays a crucial role in controlling symptoms. Aerobic exercises aimed at muscle reconditioning, acupuncture, yoga and other relaxation techniques are proven effective. The psychiatric evaluations and psychotherapy may be useful in cases in which depression, anxiety or panic is prominent. The main weapon for the therapeutic success, however, is a good bond of trust between doctor and patient. The simple explanation about the nature of the functional disorders, with an awareness that the symptoms have organic and neurobiology causes, makes that the adherence to treatment (medical or otherwise) is complete.
WAGNER FELIPE DE SOUZA WEIDEBACH ž Doutor em Medicina pela Universidade de São Paulo (USP), Brasil. Mestre em Medicina pela USP. Residência em Clínica Médica e Reumatologia pela USP. Graduado em Medicina pela USP. Médico do Corpo Clínico dos Hospitais Sírio-Libanês e Hospital Alemão Oswaldo Cruz de São Paulo. žDoctor in medicine by the University of São Paulo (USP), Brazil. Mester in Medicine by USP. Residency in Internal Medicine and Rheumatology by USP. Graduated in Medicine at USP. Physician of the Clinical Staff from the hospitals Sírio-Libanês and Hospital Alemão Oswaldo Cruz in São Paulo.

BIOLOGIA BIOLOGY OM

Cientistas nos EUA descobrem chave genética para regeneração de membros USA scientists discover genetic switch for limb regeneration
ene p21 blocks the ability of regeneration without scarring. American researchers discovered the gene that blocks a healing and regeneration still found in some creatures such as amphibians, but that was believed lost during the evolutionary process in all other animals. Scientists at the Wistar Institute in Philadelphia showed that a rat that has the gene p21 inactive gain the ability to regenerate lost or damaged tissue. “Just like a salamander that lost a limb, these mice will restore lost or damaged tissue by a healthy tissue with no sign of scarring,” said Ellen Heber-Katz, who led the research. “Although we are only beginning to understand the implications of these findings, perhaps one day we will be able to accelerate regeneration in humans by making the gene p21 temporarily inactive,” added the scientist. Contrary to what normally occurs in mammals, that heal wounds forming scars, the mice used in the study began to cure forming a blastema, a structure associated with rapid cell growth and observed in amphibians. According to the researchers, the absence of the p21 gene causes cells of mice to behave like stem cells, instead of presenting the typical behavior of the adult mammalian cells. The discovery provides strong evidence linking the regeneration process to control cell division. The investigation began over a decade from a random remark. In 1996, mice used in a research on autoimmunity had its ears pierced to create a common identification for a long term. A few weeks later, however, scientists discovered that the holes in the ears had disappeared and there was no mark.

G

ene p21 bloqueia habilidade de regeneração sem cicatrizes. Pesquisadores americanos descobriram o gene que bloqueia um poder de cura e regeneração ainda encontrado em alguns seres, como os anfíbios, mas que se considerava perdido ao longo do processo evolutivo em todos os outros animais. Os cientistas do Wistar Institute, na Filadélfia, demonstraram que ratos que têm o gene p21 inativo ganham a habilidade de regenerar tecido perdido ou danificado. “Assim como uma salamandra que perdeu um membro, estes ratos irão repor tecido perdido ou danificado por um tecido saudável sem nenhum sinal de cicatriz”, afirmou Ellen Heber-katz, cientista que liderou a pesquisa. “Embora estejamos apenas começando a entender as repercussões destas descobertas, talvez, um dia sejamos capazes de acelerar a regeneração em humanos ao tornar inativo temporariamente o gene p21”, completou a cientista. Ao contrário do que ocorre normalmente com os mamíferos, que curam feridas formando cicatrizes, os ratos usados no estudo começaram a cura formando uma blastema, estrutura associada ao rápido crescimento celular e observada nos anfíbios. De acordo com os pesquisadores, a ausência do gene p21 faz com que as células dos ratos se comportem como células-tronco, ao invés de apresentar o comportamento típico das células de mamíferos adultos. A descoberta fornece sólida evidência que liga o processo de regeneração ao controle da divisão celular. A investigação começou há mais de uma década a partir de uma observação feita por acaso. Em 1996, ratos usados em uma pesquisa sobre auto-imunidade tiveram suas orelhas furadas para criar uma identificação comum de longo prazo. Algumas semanas depois, no entanto, os cientistas descobriram que os furos nas orelhas haviam desaparecido e não havia nenhuma marca.

G

Fonte: BBC Brasil.

Source: BBC Brasil. 13 OM

OM BIOLOGIA BIOLOGY

Cientistas americanos criam célula com genoma sintético Scientists creates cell with synthetic genome
Avanço foi considerado um marco para a ciência
ientistas americanos dizem ter desenvolvido a primeira célula controlada por um genoma sintético. Os especialistas do J. Craig Venter Institute, com sede nos Estados de Maryland e Califórnia, dizem esperar que a técnica possa criar bactérias programadas para resolver problemas ambientais e energéticos, entre outros fins. O estudo foi publicado na edição online da revista científica Science. Para alguns especialistas, ele representa o início de uma nova era na biologia sintética e, possivelmente, na biotecnologia. A equipe de pesquisadores, liderada por Craig Venter, já havia conseguido sintetizar quimicamente o genoma de uma bactéria. Eles também haviam feito um transplante de genoma de uma bactéria para outra. Agora, os especialistas juntaram as duas técnicas para criar o que chamaram de “célula sintética”, embora apenas o genoma da célula seja sintético - ou seja, a célula que recebe o genoma é uma célula natural, não sintetizada pelo homem. “Esta é a primeira célula sintética já criada. Nós dizemos que ela é sintética porque foi obtida a partir de um cromossomo sintético, feito com quatro substâncias químicas em um sintetizador químico, seguindo informações de um computador”, disse Venter. A nova técnica pode facilitar produção de vacinas e tratamento de água. “Isto se torna um instrumento poderoso para que possamos tentar determinar o que queremos que a biologia faça. Temos uma ampla gama de aplicações (em mente)”, disse. Os pesquisadores planejam, por exemplo, criar algas que absorvam dióxido de carbono e criem novos hidrocarbonetos. Eles também estão procurando formas de acelerar a fabricação de vacinas. Outros possíveis usos da técnica seriam a criação de novas substâncias químicas, ingredientes para alimentos e métodos para limpeza de água, segundo Venter.

Advancement had been a landmark for science.
U.S. scientists say that they have developed the first cell controlled by a synthetic genome. Experts from J. Craig Venter Institute, based in the states of Maryland and California, say that they hope the technique can create bacteria programmed to solve environmental and energy issues, among other purposes. The study will be published on Thursday in the online edition of the journal Science. Some experts say that it represents the beginning of a new era in synthetic biology and possibly in biotechnology. The team, led by Craig Venter, had managed to chemically synthesize the genome of a bacterium. They had also done a transplant from the genome of one bacterium to another. Now, experts have joined the two techniques to create what they called “synthetic cell”, though only the cell’s genome is synthetic – therefore, the cell that receives the cell genome is natural, not synthesized by man. “This is the first synthetic cell ever created. We say that it is synthetic because it was obtained from a synthetic chromosome, made with four chemicals in a chemical synthesis, following information from a computer”, said Venter. The new technique may facilitate vaccine production and water treatment. “This becomes a powerful tool for us to try to determine what we want biology to do. We have a wide range of applications (in mind)”, he said. The researchers plan, for instance, to create algae that absorb carbon dioxide and create new hydrocarbons. They are also seeking ways to speed up production of vaccines. Other possible uses of the technique would be the creation of new chemicals, food ingredients and methods for cleaning water, according to Venter.

C

Study
In the experiment, the researchers synthesized the genome of the bacterium M. mycoides, adding he DNA sequences as “watermarks” so

OM 14

BIOLOGIA BIOLOGY OM
Estudo
No experimento, os pesquisadores sintetizaram o genoma da bactéria M. mycoides, adicionando a ele sequências de DNA como “marcas d’água” para que a bactéria pudesse ser distinguida das naturais (não sintéticas). Como as máquinas sintetizadoras atuais só são capazes de juntar sequências relativamente curtas de letras de DNA de cada vez, os pesquisadores inseriram as sequências mais curtas em células de fermento. As enzimas de correção de DNA presentes no fermento juntaram as sequências. Depois, as sequências de tamanho médio foram inseridas em bactérias E. coli, antes de serem transferidas de volta para o fermento. Após três rodadas deste processo, os pesquisadores conseguiram produzir um genoma com mais de um milhão de pares de bases de comprimento. Concluída essa fase, os cientistas implantaram o genoma sintético da bactéria M. mycoides em outro tipo de bactéria, a Myoplasma capricolum. O novo genoma assumiu o controle das células receptoras. Embora 14 genes tenham sido apagados ou alterados na bactéria transplantada, as células apresentaram a aparência de bactérias M. Mycoides normais e produziram apenas proteínas M. mycoides, segundo os autores do estudo.

Repercussão
Em entrevista à BBC, o especialista em biologia sintética Paul Freeman, co-diretor do Center for Synthetic Biology do Imperial College (EPSRC), em Londres, disse que o estudo de Venter e sua equipe pode marcar o início de uma nova era na biotecnologia. “Eles demonstraram que o DNA sintético pode assumir o controle e operar as funções da nova célula receptora em termos de replicação e crescimento”, disse Freeman. Freeman lembra que a célula receptora é uma célula natural, não sintética, mas “o que Venter e sua equipe mostraram é que, após o transplante e várias divisões celulares, a célula receptora assumiu algumas das características ou fenótipo do novo genoma nela inserido”. “É um avanço extraordinário, oferecendo uma prova de que, em teoria, é possível que genomas inteiros sejam sintetizados quimicamente, montados e implantados em células receptoras”. “Claro que precisamos ter cautela, já que não temos certeza de que essa abordagem funcionaria em genomas maiores e mais complexos”. “Ainda assim, este avanço representa um marco na nossa capacidade de criar células feitas pelo homem para fins estabelecidos pelo homem”, concluiu Freeman. O estudo de Venter e sua equipe foi financiado pela empresa Synthetic Genomics. Três dos autores e o J. Craig Venter Institute possuem ações da companhia. O instituto fez pedidos de patente para algumas das técnicas descritas no estudo.

the bacteria could be distinguished from natural (not synthetic). As the current synthesizing machines are only able to add relatively short sequences of DNA letters at a time, the researchers inserted the shorter sequences in yeast cells. The DNA repair enzymes present in yeast sequences together. Then, the sequences of medium size were inserted into bacteria E. coli, before being transferred back to the starter. After three rounds of this process, researchers have produced a genome with more than one million base pairs in length. After this phase, the scientists implanted a synthetic genome of the bacterium M. mycoides in another type of bacterium, Mycoplasma capricolum. The new genome took control of the receptor cells. Although 14 genes have been erased or altered bacteria in the transplanted cells, it had the appearance of normal bacteria M. Mycoides and produced only proteins M. mycoides, according the authors of the study.

Repercussion
In a BBC interview, the specialist in synthetic biology Paul Freeman, co-director of the Center for Synthetic Biology at Imperial College (EPSRC) in London, said the study by Venter and his team can mark the beginning of a new era in biotechnology. “They showed that the synthetic DNA can take control and operate the new functions in terms of receptor cell replication and growth”, said Freeman. Freeman notes that the recipient cell is a natural cell, not synthetic, but “what Venter and his team showed is that, after transplantation and several cell divisions, the receptor cell has assumed some of the characteristics or phenotype of the new genome inserted into it”. “It is an extraordinary breakthrough, offering proof that, in theory, it is possible that entire genomes are chemically synthesized, assembled and deployed in receptor cells”. “Obviously we need to exercise caution, since we are not sure that this approach would work in larger and more complex genomes”. “Still, this move represents a milestone in our ability to create man-made cells for purposes established by man”, Freeman concluded. The study by Venter and his team was funded by the company Synthetic Genomics. Three authors and J. Craig Venter Institute have shares. The institute has made patent applications for some of the techniques described in the study.

Fonte: BBC Brasil.

Source: BBC Brazil. 15 OM

conduzidos O Procura é umEstudos de Pesquisas onde são centro Clínicos para pacientes portadores de cancêr, tanto para os que irão iniciar conduzidos Estudos Clínicos que já pacientes para receberam tratamento, como para os portadores de cancêr, tanto para os que capacitação, tratamento. Com investimentos em irão iniciar tratamento, como infra-estruturaque já receberam tecnologia e para os o Procura tem como objetivo ser referência em Pesquisa Clínica tratamento. Procura investimentos Pesquisas no Centro O Com é um centro de em capacitação, onde são Oeste, dispondo também Procura tem como tecnologia e infra-estrutura Clínicos uma unidade de o de para pacientes conduzidos Estudos Pesquisa Básica, que transformará os problemas objetivo ser referência em Pesquisa Clínica no Centro portadores de cancêr, tanto para os que irão iniciar presentes no leito em soluções clínicas. Oeste, tratamento, também de uma já receberam dispondo como para os que unidade de tratamento. que transformará em capacitação, Pesquisa Básica, Com investimentos participa de mais O procura Centro de Pesquisas os problemas tecnologia e infra-estrutura o Procura tem como presentes no estudos previamente clínicas. no exterior e de 40 leito em soluções aprovados objetivo ser referência em Pesquisa Clínica no Centro no Brasil escolhidos por nosso corpo clínico, pelas Oeste, dispondo também de uma unidade de evidências indicativas de que o participa de mais O procura Centro de Pesquisaspaciente poderá vir a Pesquisa Básica, que transformará os problemas ter chance real de benefícios. presentes no leito em soluções clínicas. de 40 estudos previamente aprovados no exterior e

O Procura é um centro de Pesquisas onde são

O Procura é dirigido pelo Dr. Jendiroba, com formaçãoProcura é dirigido pelo Translacional O em Pesquisa Clínica, Básica e Dr. Jendiroba, com no MD Anderson Cancer Center da Universidade do formação em Pesquisa Clínica, Básica e Translacional Texas, onde estudou por 10 anos, e realizou também no MD e Pós-Doutorados. DoutoradoAnderson Cancer Center da Universidade do

formação em Pesquisa Clínica, Básica e Translacional no MD Anderson Cancer Center da Universidade do Texas, onde estudou por 10 anos, e realizou também Doutorado e Pós-Doutorados.

Texas, onde estudou por 10 anos, e realizou também Doutoradoé dirigido pelo Dr. Jendiroba, com O Procura e Pós-Doutorados.

no Brasil escolhidos por nosso corpo clínico, pelas de evidênciasO procura Centroque o paciente poderá mais indicativas de de Pesquisas participa responsável: David Jendiroba CRM/GO 5814 vir a Diretor Técnico de 40 estudos previamente aprovados no exterior e ter chance Brasilde benefícios. nosso corpo clínico, pelas no real escolhidos por

Rua 17, Qd. K 10,chance realSetor Oeste, Goiânia - Goiás - Telefone: + 55 62 3212.1404 - CEP: 74140-050 ter Lt.08, de benefícios.
Diretor Técnico responsável: David Jendiroba CRM/GO 5814
Diretor Técnico responsável: David Jendiroba CRM/GO 5814

evidências indicativas de que o paciente poderá vir a

Rua 17, Qd. K 10, Lt.08, Setor Oeste, Goiânia - Goiás - Telefone: + 55 62 3212.1404 - CEP: 74140-050
Rua 17, Qd. K 10, Lt.08, Setor Oeste, Goiânia - Goiás - Telefone: + 55 62 3212.1404 - CEP: 74140-050

C E N T R O

D E

D A N Ç A

DANÇA DE SALÃO DANÇA DO VENTRE BALLET E JAZZ ADULTO TURMAS ESPECÍFICAS TANGO - FORRÓ - ZOUK E SALSA Aulas - workshops - apresentações - coreografias para noivos e debutantes.
Andrea e Esio “Há 20 anos trabalhando com dança. Especializações no Rio de Janeiro, Argentina e Europa.”.

62 3259.0203/9132.5436 - www.andreapalmerton.com.br RUA C-258, Nº 198 - ST. NOVA SUIÇA - GOIÂNIA - GO

ENDOCRINOLOGIA ENDOCRINOLOGY OM

Aparelho ajuda cientistas a “enxergar” gordura dentro do corpo Device helps scientists to "see” fat inside the body
m estudo realizado na Grã-Bretanha está fornecendo imagens inéditas para que cientistas analisem com mais precisão os efeitos do excesso de gordura no organismo. Graças a um aparelho especial de ressonância magnética, que permite realizar imagens do corpo inteiro de um paciente, o painel interdisciplinar que realiza a pesquisa pode visualizar com clareza o depósito de gordura em torno de órgãos vitais de pessoas acima do peso. “Esse tipo de imagem mostra como a gordura se distribui pelo organismo, o que é fundamental para entender a relação entre a genética e os fatores ambientais na obesidade”, explicou à BBC Jimmy Bell, chefe do grupo de imagem metabólica e molecular do Imperial College, em Londres. “Até agora, a medição da quantidade de gordura no organismo era feita de maneira indireta, através de recursos como a bioimpedância ou o cálculo do Índice de Massa Corpórea (IMC).”.

U

study made in Great Britain is providing new images for scientists to more accurately analyze the effects of excessive fat in the body. Thanks to a special MRI unit, which allows you to make images of the entire body of a patient, the interdisciplinary panel that conducts the research can clearly see the deposit of fat around vital organs of overweight people. “This type of image shows how fat is distributed in the body, which is fundamental to understanding the relationship between genetics and environmental factors in obesity”, said the BBC Jimmy Bell, head of the group of metabolic and molecular imaging at Imperial College in London. “Until now the measurement of body fat was made indirectly, through resources such as bioelectrical impedance or the calculation of Body Mass Index (BMI)”.

A

Problemas de saúde
O estudo, iniciado há dez anos e financiado pelo Medical Research Council britânico, pretende ajudar especialistas em obesidade a desenvolver uma metodologia para ajudar seus pacientes a lutar contra o problema. “Combinando o conhecimento sobre a genética, a distribuição da gordura e o estilo de vida do paciente, o médico poderá sugerir menos mudanças de hábito e medidas mais eficazes para ele perder peso”, disse Bell. O acúmulo de gordura em torno de órgãos como o coração, o fígado e os pulmões, por exemplo, pode levar a problemas cardíacos e respiratórios. Mas o estudo sugere que a gordura instalada em outras partes do corpo, como abdômen, joelhos, pés, pescoço e bacia pode incentivar o surgimento de problemas como câncer, artrite, infertilidade, depressão, dificuldades de locomoção, dores de cabeça e varicose, entre outros. Para Bell, no entanto, o desafio de se usar a ressonância magnética para acompanhar pacientes obesos está no preço do equipamento. “É algo muito caro. Muitos hospitais públicos têm apenas um e uma fila enorme para usá-lo”, disse. “Idealmente, para fazermos o acompanhamento necessário seria preciso pelo menos uma sessão de ressonância por ano”. “De qualquer maneira, a obesidade já é um grande consumidor dos recursos públicos de saúde na Grã-Bretanha e vai continuar sendo para várias seguradoras em todo o mundo”, concluiu.
Fonte: BBC Brasil.

Health issues
The study, initiated ten years ago and financed by the British Medical Research Council, aims to help obesity experts to develop a methodology to help their patients combat the problem. “Combining the knowledge of genetics, fat distribution and lifestyle of the patient, the doctor may suggest fewer changes of habit and more effective measures to lose weight”, said Bell. The accumulation of fat around organs like heart, liver and lungs, for example, can lead to heart and respiratory problems. But the study suggests that fat installed in other parts of the body such as abdomen, knees, feet, neck and pelvis may encourage the emergence of problems such as cancer, arthritis, infertility, depression, mobility problems, headaches and varicose between others. As per Bell, however, the challenge of using MRI to monitor obese patients is at the price of the equipment. “It is very expensive. Many hospitals have only one unit and a long line to use it”, said Bell. “Ideally, to do the necessary monitoring we would need at least, one round per year of resonance”. “Anyway, obesity is a major consumer of public resources for health in Great Britain, and will remain this way for many insures around the world”, concluded.
Source: BBC Brasil. 19 OM

OM FISIOTERAPIA PHYSIOTHERAPY

Fibromialgia e fisioterapia Fibromyalgia and physiotherapy
FLAVIANE SIQUEIRA PEREIRA ibromyalgia is a rheumatic disease characterized by chronic widespread musculoskeletal pain and fatigue. The word fibromyalgia means “pain in muscles, ligaments and tendons” (fibrous parts of the body). Patients with fibromyalgia complain of pain throughout the body. Report that their muscles are strongly sore, and this pain is accompanied by a burning sensation or muscle fatigue. It is more common in women than in men, which may manifest at any age, including children and adolescents. It is very important a good knowledge about this disease in different aspects that are related to the patient. The family support is vital, to cope with the illness in positive ways. Although the severity of symptoms varies in each person, fibromyalgia is a condition similar to post-viral. This and many of the symptoms of fibromyalgia are similar to another disorder called Chronic Fatigue Syndrome.

F

Diagnosis
• Pain on pressure (approximately 4 kg), at least eleven of eighteen tender points located in a specific manner throughout the body. • Pain widespread and chronic, lasting more than three months, ruling out the existence of other pathologies. • Usually, laboratory tests show no change, and only help to exclude other diseases. fibromialgia é uma doença reumática crônica caracterizada por dor musculoesquelética generalizada e fadiga. A palavra fibromialgia significa “dor nos músculos, ligamentos e tendões” (partes fibrosas do corpo). Os pacientes com fibromialgia se queixam de dores em todo o corpo. Relatam que seus músculos estão fortemente doloridos, e esta dor é acompanhada por uma sensação de queimação ou fadiga muscular. É mais frequente em mulheres do que em homens, podendo se manifestar em qualquer idade, inclusive em crianças e adolescentes. É muito importante um bom conhecimento sobre esta patologia nos diferentes âmbitos que têm relação com o doente. É fundamental o apoio familiar para se enfrentar a doença de maneira positiva. Ainda que a severidade dos sintomas varie em cada pessoa, a fibromialgia é parecida com um estado pós-viral. Este aspecto e muitos dos sintomas da fibromialgia são similares com outro transtorno chamado Síndrome da Fadiga Crônica.

A

Symptoms
Pain: Pain that is caused by fibromyalgia is poorly defined. People describe as a deep muscle pain, throbbing, or “like something was caught or burning”. Often, the pain and stiffness are worse in the morning and usually donate more muscles that are used repetitively. Fatigue: can be mild in some patients, however, very severe in others, sometimes it’s like mental fatigue, a feeling of general discouragement, as if you had taken the energy, has no desire whatsoever to do ordinary work. Other times, the person referred to discomfort as if with arms and legs stuck in cement blocks. Sleep disorders: most patients have sleep disorders such as deep sleep interrupted with feeling of having spent all night with nightmares. It may also have sleep apnea, sleep myoclonus (sudden movements of arms and legs) and bruxism (teeth grinding). Irritable bowel syndrome: from 40% to 70% of fibromyalgia patients have bowel with constipation alternating with diarrhea, abdominal pain, flatulence and nausea. Temporomandibular syndrome: severe pain on the face and head, associated with the muscles and ligaments surrounding the joint. Other common symptoms: painful menstruation, chest pain, morning stiffness of joints, cognitive impairment or memory, tingling or stinging in their hands, muscle cramps, irritable bladder, feeling of swelling in the extremities, dizziness, dry eyes and mouth, change in prescription eyeglasses and changes in motor coordination.

Diagnóstico
• Dor à pressão (aproximadamente 4 kg), pelo menos em onze dos dezoitos pontos sensíveis situados de forma específica ao longo do corpo. • Dor generalizada e crônica, com duração superior a 3 meses, descartando a existência de outras patologias. • Habitualmente as análises de laboratório não mostram alterações, sendo que somente ajudam a descartar outras doenças associadas.
OM 20

FISIOTERAPIA PHYSIOTHERAPY OM
Sintomas
Dor: a dor é provocada pela fibromialgia que está mal delimitada. As pessoas descrevem como uma dor muscular profunda, latejamento, ou “como se algo estivesse travado ou queimando”. Frequentemente, a dor e a rigidez pioram pela manhã e, geralmente, os músculos que se usam de forma repetitiva são os mais atingidos. Fadiga:pode ser leve em alguns pacientes, todavia, muito severa em outros; às vezes, é como fadiga mental, com sensação de abatimento geral, como se houvesse lhe tirado a energia; não tem vontade alguma para fazer os trabalhos habituais. Outras vezes, a pessoa se refere ao desconforto como se estivesse com braços e pernas presos em blocos de cimento. Transtornos do sono: a maioria dos pacientes tem transtornos do sono, como sono profundo interrompido e sensação de haver passado a noite com pesadelos. Também podem ter apneia, mioclonias do sono (movimentos bruscos de braços e pernas) e bruxismo (ranger de dentes). Síndrome do intestino irritável: entre 40% a 70% dos pacientes com fibromialgia tem intestino com obstipação alternado com diarreia, dor abdominal, gases e náuseas. Síndrome Temporomandibular: forte dor na face e na cabeça, relacionada aos músculos e ligamentos que envolvem a articulação. Outros sintomas comuns: menstruações dolorosas; dor torácica; rigidez matutina das articulações; alteração cognitiva ou da memória; formigamento ou pontadas nas mãos; câimbras musculares; bexiga irritável; sensação de inchaço nas extremidades, tonturas, secura nos olhos e na boca; mudança na prescrição de óculos e alterações da coordenação motora.

Causes
Fibromyalgia is unclear. However, some known triggers such as infections (viral or bacterial), accident, or other concurrent illness such as rheumatoid arthritis, lupus or hipotireidismo. Trigger factors probably do not cause fibromyalgia, but seem to awaken latent pathophysiological abnormality that was already present in the patient. Some theories in research involving changes in the regulation of neurotransmitters (serotonin), the immune system function, the physiology of sleep or hormonal control. Moreover, are also being used imaging techniques to study brain function and virological tests to determine the role of viral infections in fibromyalgia. Although, it is not known with certainty, it is likely that an abnormal response to factors that produce stress plays an important role in this disease. The cause of fibromyalgia is not a closed chapter in medicine, yet it must be recognized that at present remains a mystery.

Treatment
Treatments are aimed at improving the quality of sleep and reduce pain. How deep sleep is very important for various functions of the human body (such as tissue repair, and probably regulation of neurotransmitters, hormones and immunological substances), it is believed that sleep disturbances so common in individuals with fibromyalgia are an important factor in disease symptoms. So sometimes prescribe low doses of drugs that boost serotonin levels in the body (is a neurotransmitter modulator of sleep, pain and immune response). It is also prescribed painkillers, the most common paracetamol. Most patients, however, requires auxiliary treatments, and infiltration into painful points, psychotherapy, physiotherapy, GPR, gymnastics, local

Causas
A fibromialgia tem causa desconhecida. Todavia, se conhecem alguns fatores desencadeantes, como por exemplo: infecções (virais ou bacterianas), acidente, ou outra doença simultânea, como artrite reumatoide, lupus ou hipotireidismo. Os fatores desencadeantes provavelmente não causam a fibromialgia, mas parecem despertar alguma anomalia fisiopatológica latente que já estava presente no paciente. Algumas teorias em investigação implicam alterações da regulação de neurotransmissores (serotonina), da função do sistema imunitário, da fisiologia do sono ou do controle hormonal. Além do mais, estão também sendo utilizadas técnicas de imagem para o estudo de funções cerebrais e análises virológicas para determinar o papel das infecções viróticas na fibromialgia. Ainda que não se saiba, com certeza, é provável que uma resposta anormal aos fatores que produzem estresse desempenhe um papel importante nesta enfermidade. A causa da fibromialgia não é um capítulo fechado na medicina, pois ainda não foi devidamente esclarecida, mesmo em se tratando de uma referência nosológica que sempre despertou interesse aos estudiosos.

Tratamento
Os tratamentos estão dirigidos a melhorar a qualidade de sono e a reduzir a dor. Como o sono profundo é muito importante para diversas funções do corpo humano (tais como reparação dos tecidos e, provavelmente, regulagem de neurotransmissores, hormônios e substâncias imunológicas), acredita-se que as alterações do sono tão corriqueiras em pessoas com fibromialgia são um fator importante nos sintomas da doença. Por isso, às vezes, se prescrevem doses baixas de medicamentos que potencializam os níveis de serotonina no corpo (é um neurotransmissor modulador do
21 OM

OM FISIOTERAPIA PHYSIOTHERAPY
heat, massage and relaxation therapies, acupuncture, shiatsu, reflexology and other conditions prescribed by the physician assistant.

Prognosis
The long-term monitoring of fibromyalgia has demonstrated that it is a chronic disease, although the symptoms can range in severity over time. The impact that fibromyalgia can have on the usual activities of the patient, including the ability to work, is very variable, depending on each person. Generally recommended that patients continue with their normal routine with the highest possible, and if it works, give continuity to his/ her duties. However, frequently, should reduce the daily activities.

The physiotherapist and fibromyalgia
The patients with fibromyalgia have decreased physical capacity due to pain, creating a vicious circle of inactivity and functional limitations. Physiotherapy has an important role in reducing the impact of symptoms and pain control of the disease on patients’ lives. Through various therapeutic approaches, improves functional capacity and contributes to maintaining their quality of life. The treatment is always offered after completion of thorough evaluation and seeks to preserve the whole. The goal of physical therapy in rheumatology is to relieve pain, relieve stiffness, and restore range of motion and flexibility and functional recovery. The physical therapy resources for such cases are: TENS, spinal traction, massage, laser, vortex, Global Postural Reeducation (GPR), acupuncture, coordination exercises, manual therapy, chiropractic and cryotherapy.

sono, dor e resposta imunológica). Também se prescrevem analgésicos, sendo o mais comum o paracetamol. A maioria dos pacientes, não obstante, necessita de tratamentos auxiliares com infiltração em pontos dolorosos, psicoterapia, fisioterapia, RPG, hidroginástica, calor local, massagens terapêuticas e relaxantes, acupuntura, shiatsu, reflexologia podal e outras prescritas pelo medico assistente.

Prognóstico
O acompanhamento a longo prazo da fibromialgia tem demonstrado que se trata de uma doença crônica, ainda que os sintomas possam oscilar em severidade ao longo do tempo. O impacto que a fibromialgia pode ter sobre as atividades habituais do paciente, incluindo a capacidade de trabalhar, é muito variável, dependendo de cada pessoa. Em geral se recomenda que o paciente continue com sua rotina com a maior normalidade possível e, se trabalha, dê continuidade aos seus afazeres. Todavia, com frequência, devem ser reduzidas as atividades diárias.

O fisioterapeuta e a fibromialgia
Os portadores de fibromialgia apresentam diminuição da capacidade física devido à dor, criando um ciclo vicioso entre a inatividade e as limitações funcionais. A fisioterapia tem um importante papel na diminuição do impacto dos sintomas e controle da dor desta enfermidade na vida dos pacientes. Por meio de várias abordagens terapêuticas, melhora a sua capacidade funcional e contribui para a manutenção de sua qualidade de vida. O tratamento é sempre proposto após realização de avaliação cuidadosa e procura-se preservar a globalidade. O objetivo da fisioterapia na reumatologia é aliviar a dor; aliviar a rigidez; restaurar a amplitude de movimento e a flexibilidade e recuperação funcional. Os recursos fisioterapêuticos utilizados nesses casos são: TENS, tração da coluna, massagem, laser, turbilhão, Reeducação Postural Global (RPG), acupuntura, exercícios de coordenação, terapia manual, quiropraxia e crioterapia.
OM 22

FLAVIANE SIQUEIRA PEREIRA ž Pós-graduada em Fisioterapia Dermato-Funcional pelo Colégio Brasileiro de Estudos Sistêmicos (CBES), em Curitiba-PR, Brasil. Especialista em Fisioterapia Traumato-Ortopédica pela mesma IES. Pós-Graduanda em Acupuntura pela Associação Brasileira de Acupuntura (ABA), em Goiânia, Goiás, Brasil. Pós-graduanda em Reabilitação Linfática e Venosa pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto-SP. Graduada em Fisioterapia pela Universidade de Ribeirão Preto-SP. Membro da Sociedade Brasileira de Reeducação Postural Global (RPG). Membro do corpo clínico da Clínica de Fisioterapia La Posture, Goiânia. žShe is Pos-graduated in Dermatological Physiotherapy by Colégio Brasileiro de Estudos Sistematicos (CBES), Curitiba-PR, Brazil. She is Pos-graduated in Trauma and Orthopaedic Physiotherapy. She is Pos-graduate student in Acupuncture by Associação brasileira de Acupuntura (ABA), in Goiania, Goiás, Brazil. She is Graduated in Rehabilitation Lymphatic and Venous Rehabilitation by Faculdade de Medicina of São José do Rio Preto. She is Graduated in Physiotherapy by the Universidade de Ribeirao Preto-SP. She is Member of the Sociedade Brasielira de Reeducação Postural (Brazilian Society of global postural reeducation - GPR). Member staff of Clínica de Fisioterapia La Posture, Goiânia.

HEMATOLOGIA HEMATOLOGY OM

Glicosidases bacterianas transformam sangues do tipo A, B ou AB em sangue do tipo O, que permite doação Bacterial glycosidase transforms bloods of type A, B or AB to blood type O, which allows universal donation

ientistas de Copenhague, na Dinamarca, anunciaram na revista Nature Biotechnology uma técnica que transforma os tipos sanguíneos A, B e AB, em tipo O, que pode ser doado para qualquer pessoa. O método foi aprovado em laboratório e aguarda testes clínicos para ser liberado para os bancos de sangue. Os processos enzimáticos de conversão descritos prometem alcançar o objetivo de produzir glóbulos vermelhos para doação universal, o que melhoraria os estoques de sangue para doação e a segurança das transfusões sanguíneas. Pesquisadores liderados por Henrik Clausen, da Universidade de Copenhague, na Dinamarca, aniquilaram antígenos A e B que ficam na superfície dos glóbulos vermelhos e caracterizam o sangue como dos tipos A, B ou AB. Sem esses antígenos, que podem causar reação imunológica, o sangue passa a ser classificado como tipo O, que pode ser doado para qualquer pessoa que necessite de receber sangue em uma transfusão. A anulação dos antígenos A e B é feita por meio de enzimas bacterianas. Há mais de 25 anos existe a proposta de remoção enzimática de antígenos do grupo sanguíneo ABO para desenvolver glóbulos vermelhos universais. Embora a viabilidade disto tenha sido demonstrada em ensaios clínicos para o grupo B, o maior obstáculo para transferir essa tecnologia para a prática clínica era a falta de enzima glicosidase eficiente. No estudo publicado na revista Nature Biotechnology são relatadas duas famílias de bactérias com gene capaz de fornecer enzima glicosidase, capaz de remover antígenos A e B para pH neutro de forma eficiente e com baixo consumo de enzimas recombinantes.

C

cientists in Copenhagen, Denmark, announced in the journal Nature Biotechnology a technique that turns the blood types A, B and AB into type O, which can be donated to anyone. The method was adopted in clinical laboratory tests and is waiting to be released to the blood banks. The enzymatic conversion described promises to achieve the goal of producing red blood cells for universal donation, which would improve the blood supply for donation and the safety of blood transfusion. Researchers, led by Henrik Clausen of the University of Copenhagen, Denmark, annihilated antigens A and B from the surface of red blood cells, and characterized it as blood types A, B or AB. Without these antigens, which can cause an immune reaction, blood shall be classified as type O, which can be donated to anyone who needs a blood transfusion. The annulment of the antigens A and B is made by bacterial enzymes. For over 25 years, there is a proposal to remove antigens enzyme from the group of red blood cells ABO. Although the feasibility of this has been demonstrated in clinical trials for group B, the biggest obstacle to transfer this technology to clinical practice was the lack of efficient glycosidase enzymes. In the study published in the journal Nature Biotechnology were reported two families of bacteria, with a gene capable of providing the enzyme glycosidase capable of removing A and B antigens at neutral pH efficiently, and with low consumption of recombinant enzymes.

S

Fonte: Nature Biotechnology.

Source: Nature Biotechnology. 23 OM

OM INFECTOLOGIA INFECTOLOGY

H1N1 – o medo maior é da doença ou da vacina? H1N1 - the greatest fear is the disease or the vaccine?
YECHIEL MOISES CHENCINSKI udo o que é novo e inesperado costuma trazer dúvidas e incertezas. Se estivermos falando sobre doenças, então, a situação se complica. E se, pela maior facilidade e velocidade na obtenção de informações é cada vez mais real que “de médico e de louco todos nós temos um pouco”, muitas vezes as pequenas questões se transformam em enormes mal-entendidos. Dos quadros mais recentes, poderíamos pensar na doença provocada pelo vírus H1N1 (Influenza tipo A) como um dos maiores exemplos deste século. Esse quadro de gripe (que não é resfriado) provocado por um vírus tipo Influenza, modificado por mutações, trouxe o pânico em 2009 a toda a população mundial. A doença, que é muito mais contagiosa do que grave, provocou mudanças de comportamento importantes, como um maior cuidado na higiene (lavagem de mãos), na prevenção de contágio (com procura maior pelos serviços médicos, de forma mais precoce) e até causou a união mundial na busca de uma vacina que protegesse todas as pessoas contra a doença. Infelizmente, essa conscientização, como costuma acontecer, funciona enquanto estamos em crise e diminui sensivelmente assim que o período agudo se vai, retornando, muitas vezes de forma tardia e ineficaz, quando a situação volta a se complicar. O período crítico da gripe A acabou em 2009, após algumas medidas determinadas pelo Ministério da Saúde (suspensão prolongada das aulas, distribuição e prescrição de medicamentos antivirais, entre outras).

T

verything that is new and unexpected usually brings doubts and uncertainties. If we’re talking about diseases then there is where the situation gets complicated. If the information easily and fast obtained is increasingly true that “we all have a little of medical and craziness”, often small issues become huge misunderstandings. Of the more recent frames, one might think of the disease caused by H1N1 viruses (influenza A) as one of the greatest examples of this century. This picture of flu (not cold) caused by an influenza virus type, modified by mutations, brought panic in 2009 to the entire world population. The disease, which is far more contagious than severe, caused significant changes in behavior, such as greater care in hygiene (hand washing), prevention of infection (with increased demand for medical services, so earlier) and even caused world unity in the search for a vaccine that protects all people against the disease. Unfortunately, this awareness, as often happens, it works while we are in crisis, and decreases substantially once the acute period is gone, returning often so late and ineffective, when the situation returns to unravel. The critical period of influenza A ended in 2009 after a few measures determined by the Ministry of Health (prolonged suspension of classes, distribution and prescription of antiviral drugs among others). The next step was the purchase of more than 100 million doses of H1N1 vaccine for use in risk groups, which were determined by observation of the tables of SARS (Severe Acute Respiratory Syndrome) and death related to disease.

E

OM 24

INFECTOLOGIA INFECTOLOGY OM
Are receiving free vaccine against the H1N1 health professionals (who are at the forefront of the fight against influenza A), children 6 months to 2 years of age, pregnant women, indigenous people living in villages, chronically ill and young adults 20-39 years. Despite all the panic created in 2009, although there were established the definition of risk groups for the disease and the vaccination that is free, and standing any disclosure about the situation, the population did not expected very well, causing the schedule change to reach the expected coverage.

What could justify this below expectations results in relation to vaccination?
Despite working only in offices, no direct contact with public health services, I believe that the concerns of my patients (pediatrics and adults, only those in the field of homeopathy) can be expanded and taken as a basis to better understand the situation. Then I will try to clarify the most common questions in relation to the vaccination, both the monovalent H1N1 vaccine (used in public health) as compared to trivalent (which has arrived in Brazil and is being applied in private clinics) against H1N1, a virus of avian influenza type A and type B.

How many flu vaccines we will have this year?
O passo seguinte foi a compra de mais de 100 milhões de doses de vacinas contra o H1N1 para aplicação nos grupos de risco, que foram determinados pela observação dos quadros de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e de morte relacionada à doença. Estão recebendo a vacina gratuita contra o H1N1 os profissionais da saúde (que estão na linha de frente do combate à gripe A), crianças de 6 meses a 2 anos de idade, gestantes, população indígena que mora em aldeias, doentes crônicos e adultos jovens de 20 a 39 anos. Apesar do pânico criado em 2009, e haver a definição dos grupos de risco para a doença e para a vacinação que é gratuita e apesar de toda a divulgação a respeito da situação, a adesão ainda não foi a esperada, fazendo com que o cronograma sofresse alterações para atingir a cobertura vacinal esperada. Currently there are three: - Monovalent - only against H1N1, given in public health; - Seasonal – Only for the 3rd age group (above 60 years old) without H1N1, applied in public service with no charge; - Trivalent - Influenza A - California (H1N1) / Influenza A - Perth (H3N2) and influenza B - Brisbane, applied in private clinics since April, already missing and the search over again and is expected to arrive.

Should we vaccinate for H1N1 and seasonal flu as well?
Every year is indicated in Brazil vaccination against seasonal influenza. She is always trivalent, against the three viruses most frequently in the 2nd half of past year. In 2009, H1N1 appeared with great intensity at that time and, by their nature, created the need for a specific vaccine against it. So this year, protection against H1N1 may be done by two immunizations: a monovalent, specific to H1N1, free of charge in clinics and trivalent, which also has the H1N1, associated with two types of vaccine Influenza types A and B.

O que justificaria esse resultado abaixo do esperado em relação à vacinação?
Apesar de trabalhar apenas em consultório, sem contato direto com serviços públicos de saúde, acredito que os anseios de meus pacientes (pediatria e adultos, esses só na área de homeopatia) possam ser expandidos e tomados como base para compreender melhor a situação. A seguir, tentarei esclarecer as dúvidas mais comuns em relação à vacinação, tanto do H1N1 monovalente (vacina aplicada no serviço público de saúde) quanto em relação à trivalente (que já chegou ao Brasil e está sendo aplicada em clínicas particulares) contra o H1N1, um vírus de gripe influenza tipo A e um do tipo B.

Are these vaccines safe? Have it been tested before?
The vaccination against H1N1 has been done in Europe, and in the United States (more then one hundred million doses), and there were no report of serious adverse events related to its application. Since the safety standards has been obeyed, as they should be in any kind of vaccine (appropriate storage procedure of syringes and needles, handling and training of personnel involved), the incidence of major side effects follows the same line any flu vaccine that has already been applied in Brazil. Still, any adverse event that may occur on a close period to the vaccine, should be reported and notified to the health services for an examination, and to be then established whether or not is related to the vaccination.
25 OM

Quantas vacinas contra gripe nós teremos este ano?
Atualmente são três: - Monovalente – só contra H1N1, dada nos serviços públicos de saúde; - Sazonal – apenas para 3ª idade (acima de 60 anos), sem o H1N1, aplicada nos serviços públicos gratuitamente;

OM INFECTOLOGIA INFECTOLOGY
What are the side effects of the vaccine?
The reported side effects, with mild and of short duration, were local (pain, swelling and redness) and general (fever, headache, tiredness, muscle aches). After the vaccines already implemented (United States and Europe), there was no report of proven association with a type of paralysis known as Guillain-Barre syndrome.

Is there a risk for pregnant women or for the fetus?
To everyone’s surprise, pregnant women appeared as important risk group in the epidemic of 2009. Among women of childbearing age who had SARS by H1N1, 22% were women. In New York, the risk of hospitalization for women who had had H1N1 was seven times higher among pregnant women compared with non pregnant. According to World Health Organization (WHO), irrespective of stage of gestation, the vaccine carries no risks for the pregnant or to the fetus and there is no evidence that increases risk of miscarriage or affect reproduction capacity. A single dose (H1N1 monovalent or trivalent) is sufficient to immunize pregnant women.

What are the contraindications to the vaccine?
There are three situations that indicate the non-vaccination: - Acute febrile diseases. - Confirmed Severe Allergy to egg (difficulty breathing, drop in blood pressure, generalized hives). - Confirmed Severe Allergy, to earlier vaccine against influenza. Furthermore, children younger than 6 months of age should not be vaccinated because there is no proven efficacy to that age. Still, breastfeeding mothers to children this age can be vaccinated. Thus, in addition of protecting themselves against the disease, they are indirectly protecting their children, which can not be vaccinated.

- Trivalente – Influenza A - Califórnia (H1N1) / Influenza A - Perth (H3N2) e Influenza B - Brisbane, aplicada em clínicas particulares desde abril, já em falta pela busca excessiva e com previsão de chegada.

Devemos nos vacinar para H1N1 e para gripe sazonal também?
Todo ano é indicada no Brasil a vacinação contra a gripe sazonal. Ela é sempre trivalente, contra os 3 vírus mais frequentes do 2º semestre do ano anterior. Em 2009, o H1N1 apareceu com grande intensidade e, pelas suas características, criou-se a necessidade de uma vacinação específica contra ele. Assim, nesse ano, a proteção contra o H1N1 poderá ser feita por meio de duas vacinações: a monovalente, específica contra H1N1, gratuita, nos postos de saúde; e a trivalente, que também conta com a H1N1, associada com outros dois tipos de vacina anti-Influenza tipos A e B.

Anyone who had had influenza need to be vaccinate?
If there is laboratory confirmation of H1N1 disease, there is no need to vaccinate against the specific disease (monovalent). The disease confers permanent immunity, but only against this virus. So, who had already suspected the flu, but do not know what kind it was, must take the trivalent vaccine, especially the protection afforded also against H1N1.

Essas vacinas são seguras? Elas já foram testadas antes?
A vacinação contra o H1N1 já foi feita na Europa e nos Estados Unidos (mais de cem milhões de doses) e não foram relatados efeitos adversos graves relacionados à sua aplicação. Desde que tenham sido obedecidas, como devem ser em qualquer tipo de vacina, as normas de segurança (seringas e agulhas adequadas, procedimento de estocagem, conservação, manuseio e capacitação de pessoal envolvido), a incidência de efeitos colaterais importantes segue a mesma linha de qualquer vacina de gripe já aplicada no Brasil.
OM 26

How long it takes to the vaccine to be active in our body?
According to tests, the vaccine takes 10-15 days to become active, with optimum protection in the range of 14-21 days.

How many doses are needed to be protected against H1N1?
If implemented the monovalent vaccine in the public health system, children between six months and nine years should receive two doses of vaccine with an interval of four weeks. Adults should receive only one dose of the vaccine.

INFECTOLOGIA INFECTOLOGY OM
Mesmo assim, qualquer evento adverso que possa ocorrer próximo à administração da vacina deve ser comunicado e notificado aos serviços de saúde para que se analise e se conclua se houve ou não relação com a vacinação.

Quais os efeitos colaterais da vacina?
Os efeitos colaterais relatados, leves e de curta duração, foram locais (dor, inchaço e vermelhidão) e gerais (febre, dor de cabeça, cansaço, dores musculares). Após a aplicação da vacina (Estados Unidos e Europa), não houve relato comprovado de associação com um tipo de paralisia conhecida como síndrome de Guillain-Barré.

Existe risco para grávidas? E para os fetos?
Para surpresa de todos, as grávidas apareceram como grupo de risco importante na epidemia de 2009. Entre as mulheres em idade fértil que tiveram SRAG pelo H1N1, 22% eram gestantes. Em Nova Iorque, o risco de hospitalização de gestantes que tiveram H1N1 foi 7 vezes maior entre as grávidas em comparação com as não grávidas. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), independente da fase de gestação, a vacina não traz riscos nem para a grávida, nem para o feto e não há evidências de que aumente o risco de abortamento ou afete a capacidade de reprodução. Uma só dose (H1N1 monovalente ou a trivalente) é suficiente para imunizar a gestante.

My son took the public vaccine against H1N1. Does he need to be vaccinated against seasonal flu?
Always remember, the vaccine does not confer cross-protection or who get vaccinated against H1N1 (or have the disease) is not protected against any other type of flu virus. The trivalent vaccine, protects against H1N1, and confers immunity to two other types of viruses: Influenza A – Perth (H3N2) and influenza B – Brisbane. It is worth to quote some special situations: - The child (aged 6 months to 9 years old) took the 1st dose of H1N1 campaign: a second dose may be trivalent (minimum of three weeks interval). - The child (aged 6 months to 9 years old) took the two doses of H1N1 in the campaign: it may take a dose of seasonal vaccine (trivalent). - The child (aged 6 months to 9 years old) took no dose of H1N1 in the campaign: he/she may take two doses of the seasonal vaccine (trivalent).

Quais são as contra-indicações para a vacina?
Há três situações que indicam a não-vacinação: - Doenças febris agudas. - Alergia grave, comprovada, a ovo (dificuldade respiratória, queda de pressão sanguínea, urticária generalizada). - Alergia grave, comprovada, a vacina anterior contra gripe. Além disso, crianças abaixo de 6 meses de idade não devem tomar a vacina por não haver comprovação de eficácia até essa idade. Mesmo assim, mães amamentando crianças até essa idade podem ser vacinadas. Dessa forma, além de se protegerem contra a doença, indiretamente protegem seus filhos, que não podem ser vacinados.

Quem já teve gripe precisa ser vacinado?
Se houver comprovação laboratorial da doença H1N1, não há necessidade de se vacinar especificamente contra essa doença (vacina monovalente). A doença confere imunidade permanente, mas apenas contra esse vírus. Assim, quem já teve suspeita de gripe, mas não sabe de que tipo foi, deve tomar a vacina trivalente, especialmente pela proteção conferida, também, contra o H1N1.

Why there are so many conflicting information about the risks of the vaccine?
This is not a new fact. In Rio de Janeiro in 1904, there was a great revolt when Oswaldo Cruz (sanitary doctor) tried to make enforce federal law which required everyone to be vaccinated against the disease. The reactions were violent, and between November 10 and 16, the capital of Brazil at that time (Rio de Janeiro) suffered depredations in what became known as “Revolt of the vaccine”. Even so, smallpox was eradicated from Brazil in 1973, and consideres the world’s first extinct disease in 1980. This was not an isolated incident. A similar situation occurred in 2008 when they started the vaccination campaign against rubella, and rumors circulated on the Internet denouncing a government maneuver to sterilize people through that mass vaccination. Thanks to the success of this vaccination campaign, Brazil is practically free of Rubella, and Congenital Rubella syndrome (heart defects, cataracts, glaucoma, hearing loss, among other symptoms that can later lead to miscarriage, fetus death).
27 OM

OM

OM 28

INFECTOLOGIA INFECTOLOGY OM
Quanto tempo após tomar a vacina, é necessário para que exista a proteção?
Segundo testes realizados, a vacina demora de 10 a 15 dias para agir, com proteção ideal dentro do intervalo de 14 a 21 dias.

Quantas doses são necessárias para a proteção contra o H1N1?
Se for aplicada a vacina monovalente nos postos, crianças entre seis meses e nove anos devem receber duas doses da vacina, com intervalo de quatro semanas. Os adultos devem receber apenas uma dose da vacina.

Meu filho tomou a vacina pública contra o H1N1. Ele precisa tomar a vacina contra gripe sazonal?
Sempre é importante lembrar que a vacina não confere proteção cruzada, ou seja, quem tomar a vacina contra H1N1 (ou tiver a doença) não está protegido contra nenhum outro tipo de vírus da gripe. A vacina trivalente, além de proteger contra a H1N1, confere imunidade a dois outros tipos de vírus: Influenza A - Perth (H3N2) e Influenza B - Brisbane. Vale a pena citar algumas situações especiais: - A criança (de 6 meses a 9 anos) tomou a 1ª dose de H1N1 da campanha: a segunda dose pode ser a trivalente (intervalo mínimo de 3 semanas). - A criança (de 6 meses a 9 anos) tomou as 2 doses de H1N1 na campanha: pode tomar 1 dose da vacina sazonal (trivalente). - A criança (de 6 meses a 9 anos) não tomou nenhuma dose de H1N1 na campanha: pode tomar as duas doses da vacina sazonal (trivalente).

Por que há tantas informações contraditórias em relação aos riscos da vacina?
Esse não é um fato novo. No Rio de Janeiro, em 1904, houve grande revolta quando Oswaldo Cruz (médico sanitarista) tentou faze valer lei federal que obrigava todos a se vacinarem contra a doença. As reações foram violentas e, entre 10 e 16 de novembro, a capital do país naquela época (Rio de Janeiro) sofreu depredações no episódio que ficou conhecido como “Revolta da Vacina”. Mesmo assim, a varíola foi erradicada do Brasil em 1973 e considerada a primeira doença extinta do mundo em 1980. Esse não foi um fato isolado. Situação semelhante ocorreu quando, em 2008, foi iniciada a campanha de vacinação contra a rubéola, e boatos circularam pela internet denunciando uma manobra governamental para esterilizar as pessoas por intermédio dessa vacinação em massa. Graças ao sucesso dessa campanha de vacinação, hoje o Brasil está praticamente livre da Rubéola e da Síndrome da Rubéola Congênita (malformações cardíacas, catarata, glaucoma, deficiência auditiva, entre outros sintomas mais tardios, podendo levar a abortamento, morte fetal). O quadro de pânico atual foi provocado por vários e-mails e informações inverídicas que circularam relacionando a vacina e seus componentes a quadros de complicações graves. Nesses boatos, citava-se, por exemplo, que o Tamiflu seria o nome da vacina “assassina” (ele é apenas um medicamento utilizado nos quadros da doença), que a vacina já havia sido adquirida no Rio de Janeiro pelo Butantã (que na verdade fica em São Paulo), que haveria mercúrio e esqualeno em grande quantidade, altamente tóxicos e letais (a quantidade de mercúrio que existe na vacina é muito pequena e não prejudica a saúde de ninguém, e o esqualeno não faz mal à saúde). O tempo e a experiência comprovaram o que já se sabia: que essas informações não passavam mesmo de boatos.

The frame work for the current panic was caused by several e-mails, and false information circulated linking the vaccine and its components to boards of major complications. Among these rumors, it was cited, for example that the Tamiflu vaccine would be the name of the “killer” vaccine (it is just a medicine used in the tables of the disease), the vaccine had already been purchased in Rio de Janeiro by Butantã (which truth lies in Sao Paulo), and that had mercury and squalene in large amounts, highly toxic and lethal (the amount of mercury that exists in the vaccine is very small and not affect anyone’s health and squalene does no harm to health). The Time and experience proved what was already known, that this information was nothing more but rumors.
YECHIEL MOISES CHENCINSKI žEspecialista em Pediatria pela Universidade de São Paulo (USP), Brasil. Especialista em Homeopatia pelo Centro de Pesquisas e Aperfeiçoamento em Homeopatia (CEPAH). Graduado em Medicina pela USP. Escritor. Professor. žSpecialist in Pediatrics by Universidade de São Paulo (USP), Brazil. Specialized in Homeopathy by the Centro de Pesquisas e Aperfeiçoamento em Homeopatia (CEPAH). Graduated in Medicine by USP. Writer. Teacher. 29 OM

COLEÇÃO 2011

A gri e fashion

As bolsas KV são bárbaras e versáteis. Podem ser usadas a tiracolo, no ombro ou na mão, exibindo elegância e so sticação, deixando as mulheres mais lindas. Indispensáveis ao look feminino, pois detêm a atenção do momento!

A gri e fashion
Discretos e so sticados, os calçados KV são ícones em qualquer hit das estações. São audazes e surpreendentes. Elevam a alma, a elegância, o glamour e a sensualidade das mulheres!

NEUROLOGIA NEUROLOGY OM

Música pode retardar Alzheimer, segundo estudo Music can slow Alzheimer’s, according to study
rea do cérebro ligada à música também está associada às memórias mais vívidas. Estudos feitos nos Estados Unidos indicam que pacientes com Mal de Alzheimer talvez possam retardar o desenvolvimento da condição por meio de musicoterapia. O pesquisador Petr Janata, da Universidade da Califórnia, monitorou a atividade cerebral de um grupo de voluntários enquanto ouviam música e concluiu que a região do cérebro associada à música também está associada às memórias mais vívidas de uma pessoa. A área do cérebro parece servir de centro que liga música conhecida, memórias e emoções. Seu estudo foi publicado na edição online da revista científica Cerebral Cortex e será incluído na edição impressa da revista, ainda neste ano. Segundo Janata, a revelação pode ajudar a explicar por que música pode despertar reações fortes em pessoas com o Mal de Alzheimer. A região ativada durante o experimento, o córtex pré-frontal (logo atrás da testa), é uma das últimas áreas do cérebro a se atrofiar à medida em que a doença progride. “O que parece acontecer é que uma música conhecida serve de trilha sonora para um filme mental que começa a tocar em nossa cabeça”, disse o especialista. “Ela traz de volta as lembranças de uma pessoa ou um lugar, e você pode de repente ver o rosto daquela pessoa na sua mente”. “Agora podemos ver a associação entre essas duas coisas - música e memória”.

Á

rea of the brain linked to music is also associated with the most vivid memories. Studies in the United States indicate that patients with Alzheimer’s may be able to slow the development of the condition trough music therapy. The researcher Petr Janata from the University of California, monitored the brain activity of a group of volunteers as they listened to music, and concluded that the brain region associated to music is also associated with the most vivid memories of a person. The area of the brain seems to serve as a center linking known music, memories and emotions. Their study was published in the online edition of the journal Cerebral Cortex and will be included in the print edition of the magazine later this year. According Janata, the revelation may help explain why music can arouse strong reactions in people with Alzheimer’s disease. The region activated during the experiment, the prefrontal cortex (just behind the forehead), is one of the last areas of the brain to atrophy to the extent that the disease progresses. “What seems to happen is that a know song serves as the soundtrack to a mental movie that starts playing in our head”, said the expert. “It brings back the memories of a person or place, and you can suddenly see the face of that person in your mind”. “Now we can see the association between these two things - music and memory”.

A

33 OM

OM NEUROLOGIA NEUROLOGY
Estimulante
Trabalhos anteriores de Janata já haviam indicado que música serve como um potente estimulante no resgate da memória. A fim de aprender mais sobre o mecanismo por trás desse fenômeno, ele reuniu 13 voluntários (estudantes da Universidade da Califórnia) para um novo estudo. Enquanto os voluntários ouviam trechos de 30 canções diferentes em fones de ouvido, Janata monitorou a atividade em seus cérebros com um exame de ressonância magnética (fMRI). Para aumentar as chances de que os estudantes associassem ao menos algumas das canções com lembranças do passado, o pesquisador selecionou músicas que foram sucesso no período em que cada voluntário tinha entre 8 e 18 anos de idade. Depois de ouvir cada trecho, os participantes responderam a perguntas sobre a canção, entre elas, se a música era conhecida, se era boa e se estava associada a algum acontecimento, incidente ou lembrança. Logo após o exame de ressonância magnética, os voluntários completaram um questionário sobre o conteúdo e a vividez das lembranças que cada canção familiar havia despertado. Os questionários revelaram que, em média, cada participante reconheceu entre 17 e 30 trechos. Desses, cerca de 13 eram moderadamente ou fortemente associados com uma lembrança autobiográfica. Músicas que estavam associadas a lembranças mais importantes foram as que provocaram as respostas mais emotivas. Mais tarde, comparando os questionários com as imagens registradas pelo exame de ressonância magnética, Janata descobriu que o grau de importância da lembrança era proporcional à quantidade de atividade no córtex pré-frontal do estudante. O experimento confirmou a hipótese de Janata de que esta região do cérebro associa música e memória. Segundo Janata, lembranças de canções importantes do ponto de vista autobiográfico parecem ser poupadas em pessoas com o Mal de Alzheimer. Tendo isso em vista, um dos objetivos do especialista é usar suas pesquisas para desenvolver terapia baseada em música para pessoas que sofrem da condição. “Equipar pacientes com MP3 e listas personalizadas de canções”, especula ele, “pode talvez ser uma estratégia efetiva e econômica para melhorar sua qualidade de vida”.
Fonte: BBC Brasil.

Stimulant
Previous work had already indicated that music serves as a powerful stimulant in the rescue of memory. In order to learn more about the mechanism behind this phenomenon, Janata gathered 13 volunteers (students of the University of California) to do a new study. While the volunteers listened to snippets of 30 songs on headphones, Janata monitored the activity in their brain with a magnetic resonance imaging (MRI), and to increase the chances that students associate at least some of the songs with memories of the past, the researcher selected songs that were successful in the period in which each volunteer was between eight and eighteen years old. After hearing each sentence, participants answered questions about the song, including, if the music was known, if it was good, and if it was associated with some event, incident or memory. Immediately after the MRI examination, the volunteers completed a questionnaire about the content and the vividness of the familiar memories that each song had awakened. The questionnaires revealed that, on average, each participant recognized between 17 and 30 passages. Of these, about 13 were moderately or strongly associated with an autobiographical memory. Songs that were associated with memories most important were those that caused the most emotional responses. Later, comparing the questionnaires with the images recorded by magnetic resonance imaging, Janata found that the degree of importance of remembering was proportional to the amount of activity in the prefrontal cortex of the student. The experiment confirmed the Janata’s hypothesis that this brain region associates music and memory. According to Janata, memories of key songs from the standpoint of autobiographical seem to be spared in people with Alzheimer’s disease. With that in mind, one aim of the expert is to use his research to develop music-based therapy for people suffering from the condition. “Equipping patients with MP3 players and custom lists of songs”, he speculates, “may perhaps be an effective and economical strategy to improve their quality of life”.
Source: BBC Brazil.

OM 34

NUTRIÇÃO NUTRITION OM

Aveia é saudável Oatmeal is healthy
ma revisão científica das pesquisas mais atuais mostra que a ligação entre ingerir aveia e redução dos níveis de colesterol é mais forte do que se acreditava inicialmente em 1997, quando o FDA aprovou evocar os efeitos benéficos nos rótulos das embalagens. Dr. James W. Anderson, professor de medicina e nutrição clínica na University of Kentucky College of Medicine e co-autor do estudo, apresenta uma análise atual para determinar se estudos mais recentes são consistentes com as conclusões do FDA. Seu relato constata que estudos realizados nos últimos 15 anos mostram, sem exceção: • nível de colesterol total é reduzido com o consumo de aveia; • lipoproteína de baixa densidade (LDL, o colesterol ruim) é reduzido sem efeitos adversos sobre o colesterol lipoproteína de alta densidade (HDL, o colesterol bom), ou concentrações de triglicérides. Grãos integrais como aveia estão entre os melhores alimentos que podem ser ingeridos para melhorar os níveis de colesterol, além de outras opções de estilo de vida, disse Anderson. A dieta, como uma dentre outras opções de estilo de vida, deveria ser a primeira opção de tratamento para a maioria dos pacientes com risco de colesterol moderado, em função do custo, segurança e intolerância em relação aos medicamentos para baixar o colesterol. Dados mais recentes indicam que grãos integrais de aveia, como parte de um programa de gerenciamento de estilo de vida, pode conferir benefícios que vão além de reduzir colesterol total e LDL, disse Anderson. Estudos recentes sugerem que ingerir aveia pode: • reduzir o risco de pressão arterial alta, diabetes tipo 2 e ganho de peso; • reduzir colesterol LDL durante perda de peso; • prover mudanças favoráveis nas características físicas das partículas; • fornecer compostos únicos que podem levar à redução do enrijecimento prematuro das artérias.

U

Fonte: American Journal of Lifestyle Medicin.

scientific review of more current research shows that the link between eating oatmeal and cholesterol reduction is stronger than was believed initially in 1997 when the FDA approved evoke beneficial effects on the labels of packages. Dr. James W. Anderson, professor of medicine and clinical nutrition at the University of Kentucky College of Medicine and co-author of the study, presents a current analysis to determine if newer studies are consistent with the conclusions of the FDA. His report notes that studies in the last 15 years show, without exception: • Total cholesterol level is reduced with the consumption of oats; • Low density lipoprotein (LDL, bad cholesterol) is reduced without adverse effects on high density lipoprotein cholesterol (HDL, the good cholesterol) or triglyceride concentrations. Whole grains such as oatmeal are among the best foods that can be taken to improve cholesterol levels, and other lifestyle choices, said Anderson. Other choices of lifestyle, such as diet, should be the first choice of treatment for most patients with moderate cholesterol risk as a function of cost, safety, and intolerance to drugs to lower cholesterol. More recent data indicate that whole grain oats, as part of a management program of lifestyle, may confer benefits beyond reducing total cholesteral and LDL, said Anderson. Recent studies suggest that eating oatmeal may: • Reduce the risk of high blood pressure, type 2 diabetes and weight gain; • Reduce LDL cholesterol during weight loss; • Provide favorable changes in the physical characteristics of particles; • Provide unique compounds that may lead to reduced premature hardening of the arteries.

A

Source: American Journal of Lifestyle Medicine. 35 OM

OM ODONTOLOGIA ODONTOLOGY

Avaliação do sorriso em tratamentos ortodônticos Evaluation of the smile in orthodontic treatment
CRISTIANE SIQUEIRA PEREIRA ne goal of modern orthodontic therapy is to improve facial aesthetics. The smile is one of the most effective means by which people convey their emotions. Generally orthodontic patients evaluate the outcome in terms of smile enhancement and overall facial appearance. Although orthodontic treatment is based primarily on occlusal relationships, greater attention is now on the enhancement of the dentofacial features like smile. So it seems profitable to outline a common denominator for an aesthetically pleasing smile, which is often a primary reason for seeking orthodontic care. The self-perception of facial appearance of a person is of maximum importance. Much has been heard that “nothing has so marked influence on the direction of man’s mind as his own appearance, and their appearance is not as much as his conviction to be attractive or not”. The facial deformity can be a social disability, because it impacts not only the person affected but also contributes to shaping the opinions of others. Although these views may change with the development of interpersonal relationships, the first impression of a person on the other may greatly affect their self-esteem and quality of life. People are compared to those that are unrealistic portrayed by the media to represent cultural ideals of beauty, and their own appearances are tailored. This can result in body image dissatisfaction, possibly leading to alteration of self recognition, causing eating disorders and distorted body image. Education can help reduce the intolerance of society to what is considered an abnormal facial appearance and help transform the public perception of people with facial deformities. If treatment can significantly improve quality of life of patients, it is up to him to take the final decision, meaning, if the treatment is the most correct path. The specific ratios of soft and hard tissue are related to the aesthetics of the smile in various types and degrees of malocclusion. The lip shape, style of smile, the smile index, exposure incisor-gum, the golden ratio, the arch of the smile and the width of the buccal corridor all have been associated with the aesthetics of the smile on past studies and present. Clinically, the analysis of the smile has been treated

O

m dos objetivos da terapia ortodôntica moderna é melhorar a estética facial. O sorriso é um dos meios mais efetivos pelo qual as pessoas transmitem as suas emoções. Geralmente os pacientes ortodônticos avaliam o resultado em termos de sorriso e realce global da sua aparência facial. Embora o tratamento ortodôntico seja baseado primeiramente nas relações oclusais, a maior atenção agora está no realce das características dentofaciais como o sorriso. Assim parece lucrativo esboçar um denominador comum de um sorriso esteticamente agradável, que é frequentemente uma razão primária pela procura do cuidado ortodôntico. A autopercepção da aparência facial de uma pessoa é de máxima importância. Muito tem se ouvido dizer que “nada tem influência tão marcada na direção da mente do homem como a sua própria aparência, e sua própria aparência não é tanta quanto a sua convicção de ser atraente ou não”. A deformidade facial pode ser uma desabilidade social, porque ela impacta não apenas a pessoa afetada, mas também contribui para formar a opinião dos outros. Embora essas opiniões possam mudar com o desenvolvimento das relações interpessoais, a primeira impressão de uma pessoa sobre os outros pode afetar bastante sua auto-estima e qualidade de vida. As pessoas se comparam àquelas que são irrealmente retratadas pela mídia para representar ideais de beleza, e se suas próprias aparências estão sob medida. Isso pode resultar numa insatisfação da imagem corporal, possivelmente levando a alteração do auto-reconhecimento, gerando distúrbios alimentares e imagem corporal deformada.

U

OM 36

ODONTOLOGIA ODONTOLOGY OM
A educação pode ajudar a diminuir a intolerância da sociedade àquilo que é considerada uma aparência facial anormal e contribuirá transformando a percepção pública dos portadores de deformidades faciais. Se o tratamento pode melhorar significativamente a qualidade de vida do paciente, cabe a ele tomar a última decisão, isto é, se o tratamento é o caminho mais correto. As relações específicas do tecido mole e duro se relacionam à estética do sorriso em vários tipos e graus de má oclusão. A forma labial, o estilo do sorriso, o índice do sorriso, a exposição incisivo-gengival, a proporção áurea, o arco do sorriso e a largura do corredor bucal todos têm sido associados com a estética do sorriso em estudos passados e presentes. Clinicamente, a análise do sorriso tem sido tratada como uma entidade separada das análises cefalométricas e de modelo de estudo no diagnóstico ortodôntico e plano de tratamento. 1. Os efeitos do lábio superior na percepção estética do sorriso em oclusão normal e sem extração, mulheres tratadas ortodonticamente: a estética do sorriso é influenciada por características como quantidade de exposição incisal e sorriso gengival. Um sorriso demonstrando o mínimo de gengiva tem sido julgado mais estético do que um sorriso com amostra excessiva de gengiva. 2. O Enigma da Beleza Facial: Estética, Proporção, Deformidade e Controvérsia: o estudo da face e da sua capacidade de alterar suas formas tem fascinado a humanidade por centenas de anos. A habilidade clínica de alterar a forma dentofacial, seja por meio da ortodontia, da modificação do crescimento facial ou de cirurgia ortognatia, requer um entendimento da beleza facial, incluindo a avaliação da estética facial, proporções e simetrias. Os ortodontistas têm um interesse especial na beleza facial, embora, em todo o momento, tem aumentado a importância relativa da estética. 3. Proporções faciais: a avaliação da beleza facial é essencialmente subjetiva. As proporções faciais podem ser empreendidas objetivamente. Alguns defendiam que rostos humanos desproporcionais não eram estéticos, ao passo que características proporcionais se nem sempre bonitas, eram aceitáveis. Então, um objetivo apropriado para o exame clínico de ortodontistas é encontrar as proporções faciais. as a separate analysis of cephalometric and study model in orthodontic diagnosis and treatment plan. 1. The effects of upper lip on smile esthetics perception in normal occlusion and non extraction orthodontically treated women: the aesthetics of the smile is influenced by characteristics such as amount of exposure incisal and gingival smile. A smile showing minimal gum has been judged more esthetic than a smile sample with excessive gum. 2. The Enigma of Facial Beauty: Aesthetics, Proportion, deformity and Controversy: the study of face and its ability to change its forms has fascinated mankind for hundreds of years. The clinical ability to alter dentofacial form, whether through orthodontics, facial growth modification or orthognathic surgery requires an understanding of facial beauty, including the assessment of facial esthetics, proportions and symmetry. Orthodontists have a special interest in facial beauty, though, at all times, has increased the relative importance of aesthetics. 3. Facial proportions: the assessment of facial beauty is essentially subjective and facial proportions can be taken objectively. Some argued that disproportionate human faces were not aesthetic, while the features are not always proportional beautiful, were acceptable. Then, an appropriate goal for the clinical examination of orthodontists is to find the facial proportions.

Sort of smiles
There are two basic types of smile, the social smile and the smile of appreciation. Each type involves a presentation of different anatomical elements of exposure. The social smile, used as a greeting, is voluntary and spontaneous facial expression is static. Shown are the lips, partly due to contraction of the levator muscle moderate lips, teeth and sometimes the gum support. The smile of appreciation, sparked by laughter or great pleasure, is involuntary. It results in a maximum contraction of the upper and lower lip muscles, respectively. This causes total expansion of the lips with maximum exposure of the anterior teeth and gingival sample.

Classificação do sorriso
Existem dois tipos básicos de sorriso: o sorriso social e o sorriso de apreciação. Cada tipo envolve uma apresentação anatômica diferente dos elementos da zona de exposição. O sorriso social, usado como um cumprimento, é voluntário, espontâneo e a expressão facial é estática. São mostrados os lábios, em parte devido à contração muscular moderada dos músculos elevadores labiais, os dentes e, às vezes, o suporte gengival. O sorriso de apreciação, suscitado por gargalhadas ou grande prazer, é involuntário. Ele resulta de uma contração máxima dos músculos labiais superior e inferior, respectivamente. Isto causa expansão total dos lábios, com máxima exposição dos dentes anteriores e amostra gengival.

Social smile

Smile of appreciation

Types of styles of smiles
There are three styles: the smile cusp (A), the smile complex (B) and the smile of Mona Lisa (C). An individual smile style depends on the direction of elevation and depression of the lips and the predominant muscle group involved. The smile or cusp commissure is characterized by the action of all the elevators of the upper lip, opening the smile like a shutter to expose the teeth and social support. The smile complex is characterized by the simultaneous action of the lip elevators and depressors of the lower lip, raising the upper lip like a window shade and lowering the lower lip as a window. The smile of Mona Lisa is characterized by the action of the zygomatic major muscles, drawing the outer commissures outward and upward, following a gradual elevation of the upper lip. Patients with smiles complexes tend to show more teeth and gums than patients with Mona Lisa smiles.
37 OM

Sorriso social

Sorriso de apreciação

OM ODONTOLOGIA ODONTOLOGY
Tipos de estilos de sorriso
Existem 3 estilos: o sorriso cúspide (A), o sorriso complexo (B) e o sorriso de Mona Lisa (C). Um estilo de sorriso individual depende da direção da elevação e depressão dos lábios e o grupo de músculos predominante envolvido. O sorriso cúspide ou comissura é caracterizado pela ação de todos os elevadores do lábio superior, abrindo o sorriso como uma persiana para expor os dentes e o suporte social. O sorriso complexo é caracterizado pela ação simultânea dos elevadores do lábio superior e depressores do lábio inferior, elevando o lábio superior como uma persiana e abaixando o lábio inferior como uma janela. O sorriso de Mona Lisa é caracterizado pela ação dos músculos maiores zigomáticos, desenhando as comissuras externas para fora e para cima, seguindo uma elevação gradual do lábio superior. Pacientes com sorrisos complexos tendem a mostrar mais dentes e gengivas do que pacientes com sorrisos de Mona Lisa.

Morphological changes in orthodontic treatment
The smile of facial movements is a clear manifestation of the facial structures. One of the most important opportunities of orthodontic treatment is to improve the aesthetics and harmony morphology and function of oral and maxillofacial region. For this reason, we have studied the statistical evaluation of morphological changes in soft tissues of the lips and perioral region after orthodontic treatment. Recently, the relationship between many factors such as occlusion, function and aesthetics are emerging. What kind of harmony occurs when each piece of fabric, soft and hard, change is one of the interesting topics in orthodontics. The appearance of the smile is of substantial clinical importance and a key criterion by which patients judge the success of their own treatment. This occurs because the smile is an integral part of diagnosis and planning and the key point in the goals of treatment in orthodontic care. The main effort of contemporary dentistry, evidence-based paradigm is to create a course of treatment outside of aesthetic values anecdotal, scientific and subjective that differ completely between patient and orthodontist. In concluding that the aesthetics of the smile is individual, as contradictory are the aesthetic desires of the patient and the orthodontist, it becomes necessary, therefore, individualized approach to both planned and in the way of evolving treatment. People with ideal occlusions without having undergone orthodontic treatment have more attractive smile. The higher the gummy smile, the smile is less attractive.
CRISTIANE SIQUEIRA PEREIRA ž Pós-graduada em Odontologia. Especialista em Ortodontia pela Faculdade de Odontologia São Leopoldo Mandid (SLM), Brasília, Brasil. Graduada em Odontologia pela Universidade de Alfenas (UNIFENAS). Cirurgiã e clínico geral. žPost-graduate degree in dentistry. Specialist in Orthodontics, by the Faculty of Dentistry São Leopoldo Mandid (SLM), Brasília, Brazil. Graduated in Dentistry by the University of Alfenas (UNIFENAS). Surgeon and general phisician.

Mudanças morfológicas no tratamento ortodôntico
O sorriso de movimentos faciais é a manifestação clara das estruturas faciais. Uma das oportunidades mais importantes do tratamento ortodôntico é melhorar a estética e harmonia morfológica, bem como a função da região bucal e maxilofacial. Por esta razão, nós temos estudado a avaliação estatística das mudanças morfológicas nos lábios e tecidos moles da região perioral depois do tratamento ortodôntico. Recentemente, a relação entre muitos fatores como: oclusão, função e estética estão emergindo. Que tipo de harmonia ocorre quando cada parte dos tecidos, moles e duros, muda é um dos tópicos interessantes em ortodontia. A aparência do sorriso é de importância clínica substancial e um critério chave pelo qual os pacientes julgam o sucesso do seu próprio tratamento. Isto ocorre porque o sorriso é uma parte integral do diagnóstico e planejamento e o ponto chave nos objetivos do tratamento no cuidado ortodôntico. O principal esforço da odontologia contemporânea, baseado em evidências, é criar um paradigma de tratamento claro fora dos valores estéticos anedóticos, científicos e subjetivos que, diferem completamente entre o paciente e o ortodontista. Ao concluir que a estética do sorriso é individual, pois contraditórios são os desejos estéticos do paciente e do ortodontista, torna-se necessário, portanto, fazer uma abordagem individualizada tanto no planejado como na forma de evoluir o tratamento. As pessoas com oclusões ideais que não se submeteram ao tratamento ortodôntico têm sorriso mais atrativo. Quanto maior o sorriso gengival, menos atraente é o sorriso.

OM 38

OM OFTALMOLOGIA OPHTHALMOLOGY

Novas drogas vêm revolucionando a oftalmologia New drugs have revolutionized ophthalmology
FRANCISCO MAX DAMICO he ophthalmology has seen many innovations in treating the main cause of irreversible blindness in people over 55 years: the age-related macular degeneration (AMD). The revolutionary era of pharmacological treatment of AMD began in December of 2004, when the Food and Drug Administration (FDA) approved the use of pegaptanib (Macugen®) for treatment of exidative form of the disease. Pegaptanib is an anti-angiogenic drug that acts on sub retinal neo vessels that characterize this form of AMD, which are responsible for the typical loss of central vision that occurs in the disease. AMD causes the deterioration of the macula, the central region of the retina responsible for sharp vision. There are two forms of AMD: exudative (or neovascular) and atrophic. The exudative form is characterizd by the growth of neo vessels under the retina causing exudation, bleeding and fibrosis. Although only about 10% of patients with AMD have the exudative form of the disease, it is responsible for 90% of cases of blindness. An estimated 14% of Brazilians over 55 years are suffering from AMD, and apparently about 60 000 new cases of exudative form will appear each year in the country. Age is the main risk factor for the onset of AMD, but there are others, such as hypertension, smoking and family history. Unbalanced nutrition also contributes to the increased risk of exudative form. It is very important the intake of meat (both red and white), green leaves and fruits, especially those with red peel. There is no effective way to prevent AMD. However, annul risk factors, such as controlling blood pressure, quitting smoking and have a varied diet reduces the risk of disease progression. The simplest way for an early diagnosis of visual distortion caused by the growth of new vessels under the macula, is the domestic use of the Amsler grid. Until the mid-90s, the treatment of exudative form of AMD was made, as indicated by photocoagulation of sub retinal neo vessels with laser heat, which caused irreversible damage to the layers of the retina also not affected by the disease. It was discovered then the photodynamic therapy (PDT), which promotes the activation of a photosensitive molecule (verteporfin), previously injected into the systemic circulation, with non-thermal laser. Verteporfin molecules accumulate in the sub retinal neo vessels and its activation triggers the release of free radicals that cause the neo vessels thrombosis, making it a more selective. Photodynamic therapy decreases the risk of vision loss, and can get partially restore the vision already lost in some patients. However, this treatment is effective only in selected cases of neovascular membranes, which greatly limits its use.

T

oftalmologia vem presenciando muitas novidades no tratamento da principal causa de cegueira irreversível na população com mais de 55 anos: a degeneração macular relacionada à idade (DMRI). Em dezembro de 2004, iniciou-se a revolucionária era do tratamento farmacológico da DMRI quando a Food and Drug Administration (FDA) aprovou a utilização do pegaptanibe (Macugen®) para o tratamento da forma exsudativa da doença. O pegaptanibe é uma droga anti-angiogênica que atua nos neovasos subretinianos que caracterizam essa forma da DMRI, e que são os responsáveis pela típica perda da visão central que ocorre na doença. A DMRI provoca a deterioração da mácula, a região central da retina responsável pela nitidez da visão. Existem duas formas de DMRI: exsudativa (ou neovascular) e atrófica. A forma exsudativa caracteriza-se pelo crescimento de neovasos sob a retina que provocam exsudação, sangramento e fibrose. Embora apenas cerca de 10% dos pacientes com DMRI apresentem a forma exsudativa da doença, ela é responsável por 90% dos casos de cegueira. Estima-se que 14% dos brasileiros com mais de 55 anos sejam portadores de DMRI, e que surjam cerca de 60 mil novos casos da forma exsudativa a cada ano no país. A idade é o principal fator de risco para o aparecimento da DMRI, mas existem outros, como hipertensão arterial, tabagismo e história familiar. Alimentação desbalanceada também contribui para o aumento do risco da forma exsudativa. É muito importante a ingestão de carnes (tanto branca quanto vermelha), folhas verdes e frutas, principalmente aquelas com casca vermelha. Não existe forma eficaz de prevenir a DMRI. No entanto, anular fatores de risco, como controlar a pressão arterial, parar de fumar e ter uma alimentação variada, reduz o risco da progressão da doença. A forma mais simples de diagnosticar precocemente a distorção visual causada pelo crescimento de neovasos sob a mácula é o uso doméstico da tela de Amsler. Até meados da década de 90, o tratamento da forma exsudativa da DMRI era feito, quando indicado, por meio da fotocoagulação dos neova-

A

OM 40

OFTALMOLOGIA OPHTHALMOLOGY OM
sos subretinianos com laser térmico, o que causava danos irreversíveis também às camadas da retina não acometidas pela doença. Foi quando surgiu a terapia fotodinâmica (PDT), na qual se promove a ativação de uma molécula fotossensível (verteporfina), injetada previamente na circulação sistêmica, com laser não-térmico. As moléculas de verteporfina se acumulam nos neovasos subretinianos e sua ativação provoca a liberação de radicais livres que causam trombose desses neovasos, tornando-a um tratamento mais seletivo. A terapia fotodinâmica diminui o risco de perda visual, além de conseguir recuperar parcialmente a visão já perdida em alguns pacientes. No entanto, esse tratamento só é eficaz em casos selecionados de membranas neovasculares, o que limita bastante o seu uso. Com a identificação da importância do fator de crescimento do endotélio vascular (VEGF) na formação dos neovasos subretinianos, iniciou-se o desenvolvimento de anticorpos monoclonais que bloqueiam a ação do VEGF, inibindo a angiogênese. No entanto, a angiogênese também é um processo fisiológico no qual o VEGF desempenha um papel fundamental. Portanto, o tratamento da DMRI vem sendo baseado na injeção intra-ocular dessas drogas para que exerçam seu efeito apenas localmente. As drogas anti-VEGF abriram um novo horizonte no tratamento da DMRI. O primeiro medicamento dessa categoria comprovadamente eficaz foi o Macugen®. Os estudos clínicos mostram que o Macugen®, assim como a terapia fotodinâmica, reduz significativamente o risco de perda visual e melhora a visão em cerca de 10% dos pacientes. Mas, diferentemente da terapia fotodinâmica, o Macugen® é eficaz no tratamento de qualquer tipo de membrana neovascular (seja a área de exsudação bem definida ou não) e até de lesões extensas, ampliando significativamente o número de pacientes que podem ser tratados. Embora consista de injeções intra-oculares, o procedimento é indolor, a aderência dos pacientes ao tratamento é muito alta e as complicações são mínimas. O Macugen® é o tratamento de primeira escolha para a forma exsudativa da DMRI nos EUA e no Brasil. O Hospital Sírio-Libanês foi um dos primeiros do Brasil a disponibilizá-lo a seus pacientes. Simultaneamente, outras drogas similares vêm sendo estudadas, também com resultados muito animadores. O ranibizumabe (Lucentis®) é outro anticorpo inibidor do VEGF e sobre ele resultados preliminares dos estudos clínicos têm sido muito favoráveis. Outra droga promissora é o bevacizumabe (Avastin®), um anti-VEGF aprovado pelo FDA para o tratamento sistêmico do câncer de cólon, mas que vem sendo utilizado na forma de injeções intra-oculares, fora dos padrões para os quais a medicação foi desenvolvida. Os resultados do tratamento de pequenas séries de casos da forma exsudativa da DMRI com Avastin® parecem muito bons, mas não existem estudos clínicos controlados que demonstrem sua segurança quando injetado dentro do olho. Em poucos anos houve uma verdadeira revolução no tratamento da forma exsudativa da DMRI: saímos de uma realidade na qual a evolução natural da doença, por pior que fosse, era a melhor opção “terapêutica”, e chegamos a um ponto em que conseguimos até recuperar a visão perdida em alguns pacientes, algo impensável há pouco tempo. E já existem evidências de que esses mesmos medicamentos são eficazes também no tratamento de outras doenças que acometem a retina, como a retinopatia diabética, o que aumentará consideravelmente suas indicações e os tornará armas preciosas no tratamento das principais causas de cegueira legal irreversível em indivíduos com mais de 55 anos. With the identification of the importance of endothelial growth factor (VEGF) in the formation of sub retinal neo vessels, began the development of monoclonal antibodies that block the action of VEGF and inhibits angiogenesis. However, angiogenesis is also a physiological process in which VEGF plays a key role. Therefore, the treatment of AMD has been based on the intraocular injection of these drugs to exert their effect only locally. The anti-VEGF drugs have opened a new horizon in treating AMD. The first drug proven effective in that category was Macugen®. Clinical studies showed that Macugen®, as well as photodynamic therapy, significantly reduces the risk of vision loss, and improves vision in about 10% of patients. But unlike photodynamic therapy, Macugen® is effective in treating any type of neovascular membrane (either the area of exudation as well defined or not) and even extensive lesions, significantly expanding the number of patients that can be treated. Although consisting of intraocular injections, the procedure is painless, patients’ adherence to treatment is very high, and complications are minimal. The Macugen® is the first choice of treatment for the exudative form of AMD in the US and Brazil. The Syrian-Lebanese Hospital was among the first in Brazil to make it available to its patients. Simultaneously, other similar drugs have been studied, also with very encouraging results. The ranibizumab (Lucentis®) is another inhibitor of VEGF antibody, and preliminary results of clinical studies have been very favorable, and should be approved in the U.S. between 2006 and 2007. Another promising drug is bevacizumabe (Avastin®), an anti-VEGF approved by the FDA for systemic treatment of colon cancer, but it has been used in the form of intraocular injections, out of standards for which the medication was developed. The results of treatment of small series of cases of exudative form of AMD with Avastin® look very good, but there are no controlled clinical trials demonstrating its safety when injected into the eye. In a few years there has been a revolution in the treatment of exudative form of AMD: we move from a reality in which the natural progression of the disease, how bad it was, it was the best “therapeutic” option and we reached a point where we can even recover lost vision in some patients, something unthinkable not long ago. And there is already evidence that these same drugs are also effective in treating other diseases of the retina such as diabetic retinopathy, which will considerably increase our statements and make them valuable in the treatment arms of the major causes of irreversible blindness in individuals over 55 years old.
FRANCISCO MAX DAMICO žPós-doutor em Neurociência e Comportamento pela USP. Pós-doutor em Cirurgia Oftalmológica pela Harvard Medical School, Boston, USA. Doutor em Oftalmologia pela USP. Especialista em Retina pela Harvard Medical School, Boston, USA. Especialista em Uveítes pela Faculdade de Medicina da USP. Residência em Oftalmologia pelo Hospital das Clínicas da FMUSP. Graduado em Medicina pela USP. Membro do corpo clínico do Hospital Sírio Libanês, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, do Hospital Israelita Albert Einstein e do Fleury Hospital-Dia. žPost doctor in Neuroscience and Behavior by USP. Post doctor in Ophthalmology and Surgery by Harvard Medical School, Boston, USA. PhD in Ophthalmology by USP. Specialist in Retina Studies by Harvard Medical School, Boston, USA. Specialist in Uveitis, by the Medical School at USP. He worked as a Resindece Doctor in Ophthalmology at Hospital das Clinicas, FMUSP. Graduate in Medical Studies by USP. Member of the medical staff of the Syrian-Lebanese Hospital, the German Hospital Oswaldo Cruz, Hospital Israelita Albert Einstein and the Fleury Hospital-Dia. 41 OM

ONCOLOGIA ONCOLOGY OM

O primeiro fitoterápico totalmente brasileiro para o tratamento de câncer de mama está em fase avançada de pesquisa The first totally brazilian herbal medicine for the treatment of breast cancer is in advanced research
primeiro fitoterápico brasileiro desenvolvido para o tratamento do câncer inicia uma nova fase de pesquisa clínica. Os estudos visam a atender a todos os pré-requisitos para o registro e a aprovação final do medicamento pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Os estudos clínicos serão realizados com pacientes do sexo feminino, com diagnóstico de câncer de mama metastático, ou seja, que já tenham a doença espalhada para outra parte do corpo. Nesta fase, o tratamento substitui as terapias convencionais, como a quimioterapia, pelo novo medicamento fitoterápico batizado de AM 10. No programa, cada paciente receberá um comprimido 3 vezes ao dia, o que permitirá verificar a atividade terapêutica da droga, avaliar a possibilidade de controle da doença, o perfil de toxicidade e a ocorrência de efeitos colaterais. “Isolamos uma parte das substâncias do Aveloz (planta medicinal) e concluímos a fase pré-clínica com os testes em células e animais. Com os resultados positivos, vamos agora ministrar o princípio ativo para pacientes e verificar a eficácia do medicamento”, explica o coordenador da pesquisa, Dr. Luiz Pianowski. “Descobrimos que o AM 10 tem uma ação citotóxica, ou seja, que mata as células, e outra apoptótica – que incentiva o suicídio delas. Mas observamos também uma ação seletiva da substância, focada

O

The first Brazilian herbal medicine developed for the treatment of cancer begins a new phase of clinical research. The studies aim to meet all the prerequisites for registration and final approval of the drug by ANVISA (National Agency for Sanitary Vigilance). The clinical studies will be carried out with female patients diagnosed with metastatic breast cancer, meaning, who already have the disease spread to another part of the body. At this stage, the treatment will replace conventional therapies such as chemotherapy, with the new herbal medicine named AM 10. In the program, each patient will receive one tablet three times a day, which will verify the therapeutic activity of the drug, assessing the possibility of controlling the disease, the toxicity profile and the occurrence of side effects. “We’ve isolated some of the substances from the Aveloz (medicinal plant) and confirmed the pre-clinical tests with cells and animals. With the positive results, we will now deliver the active ingredient to patients, and do determine the efficacy of the product”, explains the lead author, Dr. Luiz Pianowski. “We found that AM 10 has a cytotoxic action, in other words, that kills the cells, and other apoptosis - which encourages them to commit suicide. But we also observed a selective action of the substance, focused on modified cells (cancerous), or it kills more cancer cells than live cells”, he adds.

T

43 OM

OM ONCOLOGIA ONCOLOGY
em células modificadas (cancerígenas), ou seja, ela mata mais células tumorais do que células vivas”, complementa. Esta ação seletiva representa um grande benefício para o tratamento de pacientes com câncer e uma vantagem do fitomedicamento em relação às terapias tradicionais. Em quimioterapias, as substâncias administradas matam as células cancerígenas mas também as sadias. Os institutos parceiros já estão convocando os pacientes interessados em participar da pesquisa clínica. O tratamento gratuito e com duração aproximada de seis meses será realizado nos seguintes institutos: Faculdade de Medicina do ABC, Hospital Albert Einstein, Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho, Hospital Sírio Libanês e Centro Paulista de Oncologia. A pesquisa é coordenada pela Pianowski & Pianowski, empresa de Pesquisa e Desenvolvimento Farmacêutico, pela PHC - Pharma Consulting, consultoria especializada em indústria farmacêutica e pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa do Hospital Albert Einstein.

O primeiro medicamento oncológico nacional
O Aveloz (Euphorbia tirucalli, nome científico) é uma planta de origem africana encontrado no Brasil nas regiões Norte, Nordeste, Sul e Sudeste. A sabedoria popular passou a utilizar as propriedades medicinais do Aveloz no tratamento de doenças. A partir de 2006, o laboratório Amazônia Fitomedicamentos, em parceria com os institutos referenciados, passou a desenvolver os estudos com o Aveloz, isolando o suco (látex) retirado da planta e controlando sua toxicidade. A substância foi sintetizada no Brasil a partir da planta e ganhou o nome de AM 10. Na fase pré-clínica, foi confirmada a existência de propriedades eficazes no combate de tumores cancerosos em células e animais. O Dr. Pianowski explica que, na primeira fase, o trabalho teve o objetivo de identificar e comprovar o nível de toxicidade da substância e como ela realmente age no organismo humano. A pesquisa também revelou que o Aveloz tem uma capacidade anti-inflamatória e analgésica que está diretamente relacionada à inibição do crescimento das células tumorais. A conclusão dos estudos sobre a ação do princípio ativo em células tumorais no organismo humano dependerá ainda de uma terceira fase, em que o medicamento terá que comprovar sua eficácia em um grande número de pacientes. A partir de então, o estudo apontará para a descoberta de uma nova opção terapêutica para o tratamento do câncer e uma grande esperança no combate à doença. “Se a eficácia do AM10 for comprovada nos próximos estudos, ele poderá se transformar no primeiro medicamento oncológico nacional, desenvolvido a partir de uma erva amazônica, levando qualidade de vida para pacientes que sofrem com a doença”, finaliza Pianowski.
Fonte: CRF-RJ

This selective action is a major benefit for the treatment of patients with cancer, and an advantage of phytomedication (herbal medicine) in relation to traditional therapies. In chemotherapy, the substances administered kill cancer cells but also healthy cells. The partnered institutes are already calling the patients that are interested in participating in the clinical research. The free treatment and lasting about six months will be held in the following institutes: Faculdade de Medicina do ABC, Hospital Albert Einstein, Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho, Hospital Sírio Libanês e Centro Paulista de Oncologia. The research is coordinated by Pianowski & Pianowski, Pharmaceutical Research and Development Company, by PHC - Pharma Consulting; a consulting firm specializing in the pharmaceutical industry and the Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa do Hospital Albert Einstein.

The first national oncology drug
The Aveloz (Euphorbia Tirucalli, scientific name) is an African origin plant, found in Brazil in the North, Northeast South and Southeast areas. The popular wisdom has always used the medicinal properties of Aveloz in the treatment of diseases. Since 2006, the Amazon Phytomedicine Laboratory, in partnership with referenced institutes, began developing its studies with Aveloz, isolating the juice (latex) removed from the plant and control its toxicity. The substance was synthesized in Brazil from the plant and was baptized as AM 10. In pre-clinical phase, we confirmed the existence of effective properties in fighting cancerous tumors in cells and animals. Dr. Pianowski explains that in the first phase, the work aimed to identify and verify the level of toxicity of the substance, and how it really works in humans. The survey also revealed that the Aveloz has an antiinflammatory and analgesic capacity that is directly related to inhibition of tumor cell growth. The conclusion of the studies on the action of the active principal of tumor cells in the human body, also depends on a third phase in which the drug has to prove its effectiveness in a large number of patients. Thereafter, the study points to the discovery of a new therapeutic option for the treatment of cancer, and a great hope in combating the disease. “If the effectiveness of AM10 is established in future studies, it could become the first national oncology drug, developed from an Amazonian herb, bringing quality of life to patients suffering with the disease”, concludes Pianowski.
Source: CRF-RJ

OM 44

ORTOTANÁSIA ORTHOTHANASIA OM

O médico, a família e o enfermo em fase terminal de sua doença The doctor, the family and the patient in terminal phase of their illness
EVALDO A. D’ASSUMPÇÃO uando alguém adoece gravemente, sua família se torna a parte mais fragilizada em todo o processo. A razão disso é que, além dos problemas emocionais e financeiros que ocorrerão, cada um se sentirá entre três fogos: a vontade de ajudar, geralmente sem saber como; o questionamento interior que se estabelece, independentemente da vontade individual: “e se fosse eu, o enfermo?”; e um sentimento de culpa: “o que foi que eu fiz para isso estar acontecendo?”. Ou ainda: “o que deixei de fazer para que tal acontecesse?”. Por outro lado, o médico também vivencia diversos problemas emocionais, ainda que os disfarce sob a máscara da frieza profissional, prejudicando a sua saúde física e psicológica. Não existem fórmulas mágicas para resolver esses problemas. Contudo, existem algumas pistas, que iremos expor. Inicialmente, é fundamental que todos se descubram extremamente importantes para uma possível recuperação do enfermo. Mas saibam também que podem precisar de ajuda profissional para suportar aquele evento e saber como agir. Diante de uma doença grave e até possivelmente incurável, não existem emoções e sentimentos adequados ou inadequados, seja para os familiares, seja para a equipe médica. São, tão somente, emoções e sentimentos. Não existem registros reguladores de suas qualidades ou intensidade. Entretanto, é fundamental que se descubram meios para a

Q

When someone becomes very ill, his/her family becomes the most fragile in the entire process. The reason is that, beyond the emotional and financial problems that will occur, each one will be between three fires: the willingness to help, often without knowing how, the inner questioning that is established regardless of the individual will, “what if I am the one sick?”, and the feeling of guilt: “What have I done for this to be happening?”. Or, “what did I do to let that happen?”. Moreover, the doctor also experienced several emotional problems, although the outfit in the guise of professional cool, hampering their physical and psychological health. There are no magical formulas to resolve these problems. However, there are some clues that we will expose. Initially it is essential that everyone find themselves as extremely important to a possible recovery of the patient. But know too, that they may need professional help to support that event and to learn how to act. Faced with a serious illness and even possibly incurable, there are emotions and feelings appropriate or inappropriate, whether for family, either to the medical staff. They are, alone, emotions and feelings. There are no records of their qualities or regulatory intensity. However, it is essential to discover appropriate ways to express these emotions and feelings without hurting themselves or hurting others. It is also crucial not to keep grudges or grievances by acts or words of any person. After all,

T

45 OM

OM ORTOTANÁSIA ORTHOTHANASIA
expressão adequada dessas emoções e sentimentos, sem se ferir, nem ferir os demais. Também é fundamental que não se conservem mágoas ou rancores por atos ou palavras de qualquer pessoa. Afinal, nós também poderemos, sem o perceber, estar ferindo os outros com nossas reações. O caminho ideal é tentar assimilar tais situações sem arquivar ressentimentos, mesmo que haja uma insatisfação momentânea, o que também é bastante natural. Recalcar emoções e sentimentos, engolindo os “sapos” que eles representam, não é sinal de coragem ou boa educação. Trata-se apenas de um controle artificial e extremamente danoso à saúde pessoal e à saúde de nossos relacionamentos. Toda emoção engolida representará uma cobrança futura, que irá deteriorar ainda mais a situação. Afirmamos: “Emoção sem expressão vira depressão. Mas emoção mal expressa, vira confusão”. Portanto, devemos expressá-las sempre, mas sabendo como fazê-lo para não causar problemas. Querendo ajudar, muitas vezes sufocamos a expressão dos sentimentos alheios, com expressões totalmente inadequadas: “Não chore!”, “Seja forte!” ou “Fique calmo!” E nada é pior para um relacionamento do que alguém se sentir tolhido no direito de ser ele mesmo, de ter e expressar livremente as suas emoções. Por isso, quando se cuida de uma pessoa que sofre, deve-se perguntar a ela o que deseja, sem querer ou tentar lhe impor aquilo que julgamos ser o melhor para ela. Afinal, o que achamos ser o melhor pode ser, para o outro, o pior que lhe possa acontecer! Para evitar erros é prudente, além de se perguntar o que ele quer, verbalizar o que se entendeu, confirmando o que foi expresso. Se formos solicitados a fazer algo inadequado ou impossível, podemos dizer: “Quero lhe ajudar, mas isso não é possível. Não haverá outra coisa que eu possa fazer por você?” Essa resposta conserva a comunicação em aberto e dá ao outro uma oportunidade para reavaliar a sua solicitação.

we may also, without realizing it, hurt others with our reactions. The ideal way, is to try to assimilate these situations without feeling any grievances, even if there is a momentary dissatisfaction, which is also quite natural. Repress emotions and feelings, swallowing the “frogs” which they represent, not a sign of courage or good education. This is just an artificial control and extremely damaging to personal health and the health of our relationships. Every emotion engulfed represents a future recovery, which will further deteriorate the situation. We say: “Emotion without expression becomes depression. But hardly express emotion, it becomes confusion”. So we should always express them, but knowing how to do it to not cause problems. Desperate to help, we often stifle the expression of the feelings of others, in terms wholly inadequate: “Do not cry!”, “Be strong!” or “Stay calm!”. And nothing is worse for a relationship than someone feeling numb right to be him/herself, to have express their emotions freely. Therefore, when caring for a person’s suffering, we should ask him/her “what you want”, without wanting or trying to impose we think it is best for them. After all, what we think is the best may be, to another, the worst that can happen to them! It is prudent to avoid mistakes, and ask what he/she wants, verbalizing what was understood, confirming what was expressed. If we are asked to do something inappropriate or impossible, we can say: “I want to help you, but it is not possible. Would there be something else I can do for you?” This response keeps communication open and gives the other an opportunity to reassess your request. Another error to be detected - and corrected - is to find out if we talk more than listen and especially if concluding sentences of the others before it ends, the impatience to hear them until the end. Or pretending to be listening, just waiting for the opportunity to challenge what has been said by others. Doctors are more prone to these behaviors. Perhaps this is a great opportunity to work out the difficult art of silence. Staying in a respectful silence before the other, ready to listen to it when you want to talk, is sure to be the best help to be given. Especially if, when silence is associated with a gentle touch, give a hand, an affectionate embrace. Another important point is the need for self-evaluation, seeking to discover in that situation, if not trying to play the role of “savior”. Feelings of guilt will often turn us into disastrous “saviors” who almost always try to turn the other one invalid, even if he/ she is able to do everything by him/ herself. Such behavior is very harmful because it may lead the patient to discover that the disease brings a number of advantages not previously owned. Including the attention they now receive, and which did not enjoy in times of health. So why respond to the disease and find the cure? To lose those “advantages”, which we call “secondary gain”?

OM 46

ORTOTANÁSIA ORTHOTHANASIA OM
Outro erro a ser detectado – e corrigido – é descobrir se falamos mais do que escutamos e, especialmente, concluindo as frases do outro antes que ele as termine, pela impaciência de ouvi-las até o final. Ou ainda ficar fingindo que se escuta, apenas aguardando a oportunidade para contestar tudo aquilo que foi dito pelo outro. Médicos são os mais propensos a esses comportamentos. Talvez essa seja uma ótima oportunidade para se exercitar a difícil arte do silêncio. Ficar em respeitoso silêncio diante do outro, pronto a escutá-lo quando quiser falar, com certeza será a melhor ajuda a ser dada. Especialmente se, ao silêncio, for associado um toque gentil, um dar as mãos, um abraçar afetuoso. Outro ponto importante é a necessidade de auto-avaliação, buscando descobrir, naquela situação, se não está tentando exercer o papel de “salvador”. Sentimentos de culpa, frequentemente, nos transformam em desastrosos “salvadores”, que quase sempre tentam transformar o outro num inválido, mesmo que ele esteja apto a fazer tudo por si só. Tal comportamento é bastante prejudicial, pois pode levar o enfermo a descobrir, naquela doença, uma série de vantagens que antes não possuía. Inclusive a da atenção que passa a receber e da qual não desfrutava nos tempos de saúde. Então, por que reagir à doença e procurar a cura? Para perder aquelas “vantagens”, a que chamamos de “ganhos secundários”? Quase sempre o “salvador” é um “destruidor” de pessoas. Ele pode parecer carinhoso, competente, afetuoso. Mas, na realidade ele contribui para a incapacitação do enfermo, física e psicologicamente. Dois conceitos da bioética afirmam a necessidade de que todos os atos médicos devem objetivar a beneficência e a não-maleficência do enfermo. A eles se juntam os princípios de justiça e autonomia do enfermo. Ora, se já não existe uma vida plena, mas apenas vida vegetativa, não se deve permitir que a família permaneça enganada por esperanças fantasiosas. Nem que o paciente, já incapaz definitivamente de tomar uma decisão – portanto, sem autonomia – seja injustamente preservado numa situação da qual não irá obter nenhum benefício. Obviamente que a equipe médica deverá ter muita maturidade, sabedoria e discernimento para não se deixar levar por interesses outros, muitas vezes financeiros, prolongando ou reduzindo um tempo razoável para se tentar a recuperação de um enfermo grave. Mas, em perfeita sintonia com os familiares, o desligar de aparelhos poderá ser um ato de justiça e respeito ao paciente, jamais uma eutanásia, que é uma forma de assassinato. Por outro lado, é importante que a família – quase sempre alguns de seus membros – tome consciência de que, não admitir a partida de um enfermo sem possibilidade real de recuperação, muitas vezes é um ato egoísta, que, sob o disfarce do amor, revela um terrível apego. Prefere aquela pessoa agonizante, sofrendo e recebendo toda uma parafernália tecnológica – porém, ao alcance dos seus olhos e de suas mãos – do que deixá-la partir, libertando-a da dor e do sofrimento. Nessas condições a equipe médica deverá ter a consciência de que não são deuses e de que existe um limite para a sua ciência. A morte não é necessariamente um fracasso, mas uma consequência inevitável do fato de se estar vivo. “Viver é muito perigoso”, dizia Guimarães Rosa em Grande Sertão Veredas. Nessa área não há regras precisas, nem se pode generalizar conceitos. Contudo, a reflexão ética e, sobretudo, compartilhada entre profissionais e familiares, permanentemente permeada pela compaixão, com certeza indicará sempre o melhor caminho a ser seguido. Almost always the “savior” is a “destructive” of people. It may seem loving, responsible, and affectionate. But in reality it contributes to the disability of the patient, physically and psychologically. Two concepts of bioethics affirm the necessity that all actions should target medical beneficence and non harm to the patient. To these are added the principles of justice and autonomy of the patient. Now if there is not a full life, but only vegetative life, we must not allow the family to remain fooled by unrealistic hopes. Even if the patient, permanently unable to make a decision - so no autonomy - is unfairly preserved in a situation that will not get any benefit. Obviously, the medical staff should have a lot of maturity, wisdom, and discernment to not get carried away by other interests, often financial, extending or reducing a reasonable time to attempt the recovery of a seriously ill. But in tune with family members, disconnect devices may be an act of justice and respect for the patient, never a euthanasia, which is a form of murder. Moreover, it is important that family - almost always some of its members - be aware that not allowing the departure of a patient with no real chance of recovery is often a selfish act, which under the guise of love reveals a terrible addiction. Prefers one person dying in pain and receiving technological paraphernalia - but the scope of your eyes and your hands – than to let him/her go, releasing the pain and suffering. Under these conditions the medical staff should be aware that there are not gods and that there is a limit to their science. Death is not necessarily a failure, but an inevitable consequence of the fact of being alive. “Living is very dangerous” said Guimarães Rosa em Grande Sertão Veredas. In this area, there are no precise rules, nor can generalize concepts. However, ethical reflection and shared mainly between work and family, constantly permeated by compassion, certainly indicate always the best way forward.
EVALDO A. D’ASSUMPÇÃO žEspecialista em Cirurgia Plástica pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Brasil. Graduado em Medicina pela UFMG. Tanatólogo, Biotanatólogo e Bioeticista. Introdutor da Tanatologia e Biotanatologia, atividades médico-psicológicas em Minas Gerais e um dos seus pioneiros no Brasil. Fundador e primeiro Presidente da Sociedade de Tanatologia de Minas Gerais, Brasil. Membro-Senior da Association for Death Education and Counseling, USA. Membro da Academia Mineira de Medicina, da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores, do Instituto Mineiro de História da Medicina e da Academia Campo-belense de Letras. Conferencista nacional e internacional sobre Bioética, Tanatologia e Biotanatologia. Escritor. žSpecializes in Plastic Surgery, Federal University of Minas Gerais (UFMG), Brazil. Graduated in Medicine from UFMG. Thanatology, Biotanatólogo and Bioethics. Introducer of Thanatology and Biotanatologia, medical and psychological activities in Minas Gerais and one of its pioneers in Brazil. Founder and first President of the Society of Thanatology of Minas Gerais, Brazil. Senior member of the Association for Death Education and Counseling, USA. State Mining Academy of Medicine, the Brazilian Society of Medical Writers, the Institute of Mining History of Medicine and the Academy of Arts Field-Belens. National and international lecturer on bioethics, and Thanatology Biotanatologia. Writer. 47 OM

OM OTORRINOLARINGOLOGIA OTORHINOLARINGOLOGY

Especialista alerta: sonolência excessiva pode estar relacionada a distúrbio do sono Expert warns: excessive sleepiness may be related to sleep disturbance
FLÁVIO ALÓE oenças como narcolepsia e sonolência residual da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) afetam milhares de brasileiros. Muito se fala sobre o quanto a falta de sono prejudica a qualidade de vida, mas o oposto, o excesso de sono, também faz muito mal à saúde. A sonolência excessiva diurna pode ser consequência de uma noite mal dormida, mas pode estar também relacionada a algum distúrbio de sono não identificado pela pessoa. Entre esses distúrbios estão a narcolepsia, a sonolência residual de apneia e a deficiência de atenção de trabalhadores em turnos. São males que afetam milhares de brasileiros e, muitas vezes, são confundidos com preguiça ou desinteresse pelas atividades cotidianas, gerando preconceito e discriminação. “Por isso, ao perceber alterações seguidas no sono é importante que o paciente procure um médico para diagnosticar corretamente as razões da sonolência e iniciar um tratamento adequado ao seu caso”, afirma Flávio Alóe, médico do Centro Interdepartamental para os Estudos do Sono do Hospital das Clínicas. A narcolepsia é um distúrbio neurológico sério, que provoca crises incontroláveis de sono durante o dia, com forte tendência a cochilos em situações inapropriadas, mesmo que o paciente tenha dormido bem à noite. “Estas crises de sono podem prejudicar a atenção, a concentração e o humor, além de trazer consequências individuais, sociais e econômicas graves”, esclarece o especialista. Os primeiros sintomas surgem entre os 15 e 35 anos de idade e, se não tratados, persistem por toda a vida.

D

iseases such as Narcolepsy and residual sleepiness from the Syndrome Obstructive Sleep Apnea (SOSA) affect thousands of Brazilians. We talk a lot about how lack of sleep affect the quality of life, but the opposite, excessive sleep, is also very bad for our health. Excessive daytime somnolence may be the result of a sleepless night, but may also be related to some disturbance of sleep not identified by the person. Among these disorders are narcolepsies, the residual sleepiness from apnea and disability care for shift workers. Are evils that affect thousands of Brazilians, and are often mistaken for laziness or disinterest in everyday activities, generating prejudice and discrimination. “Therefore, realizing followed changes in sleep is important that the patient see a doctor to properly diagnose the reasons for sleepiness, and initiate appropriate treatment for it”, says Flavio Aloe, doctor form the Centro Interdepartamental para os Estudos do Sono do Hospital das Clínicas. Narcolepsy is a serious neurological disorder that causes uncontrollable attacks of daytime sleep, with a strong tendency to nap in inappropriate situations, even if the patient has slept well at night. “These attacks of sleep can disrupt attention, concentration and mood, in addition to bringing severe individual, social and economic consequences”, explains the expert. The first symptoms appear between 15 and 35 years of age and, if untreated, persist for a lifetime. The diagnosis of narcolepsy is very complex, because patients may exhibit other symptoms such as cataplexy, which is characterized by sudden,

D

OM 50

OTORRINOLARINGOLOGIA OTORHINOLARINGOLOGY OM
and reversible loss of voluntary muscles, triggered by an emotional stimulus, or the memory of an emotional situation, sleep paralysis, brief episode in which the individual can not make any voluntary movement; hypnagogic hallucinations, which consist of visions while the person is awake. The treatment of narcoleptic is chronic and seeks to ensure alertness needed to keep their activities within the normal range, with prescription drugs such as Modafinil, launched in the domestic market by Libbs Pharmaceutical. This active principle operates in the central nervous system (CNS), without interfering with nighttime sleep, with the primary benefit to be safer than their predecessors so it does not cause the side effects of stimulant class of amphetamine and caffeine (in coffee making) as irritability, gastric irritation, increased blood pressure, tachycardia or mood change, among others. The same active principle also proves to be effective in the treatment of residual sleepiness Syndrome Obstructive Sleep Apnea (OSA), which even after being subjected to treatment with Continuous Positive Airway Pressure - CPAP device that eliminates the upper airway obstruction by means of positive pressure and improves blood oxygenation during sleep.

O diagnóstico da narcolepsia é complexo, pois os pacientes podem apresentar outros sintomas como cataplexia, que se caracteriza pela perda reversível e súbita da musculatura voluntária, desencadeada por um estímulo emocional ou pela memória de uma situação emocional; paralisia do sono, episódio breve no qual a perssoa não consegue fazer nenhum movimento voluntário; alucinações hipnagógicas, que consistem em visões enquanto a pessoa está acordada. O tratamento dos narcolépticos é crônico e visa assegurar o estado de vigília necessário para manter suas atividades dentro da normalidade, com a prescrição de medicamentos como a modafinila, lançada no mercado nacional pela Libbs Farmacêutica. Este princípio ativo atua no Sistema Nervoso Central (SNC), sem interferir no sono noturno, tendo como principal benefício ser mais seguro que os antecessores por não causar os efeitos colaterais de estimulantes da classe das anfetaminas e da cafeína (tomada no café), como irritabilidade, irritação gástrica, aumento da pressão arterial sistêmica, alteração de humor ou taquicardia, entre outros. O mesmo princípio ativo também se mostra eficiente nos tratamentos de sonolência residual da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), mesmo após serem os pacientes submetidos ao tratamento com o Continuous Positive Airway Pressure - CPAP, aparelho que elimina a obstrução da via aérea superior por meio de pressão positiva e melhora a oxigenação do sangue durante o sono. No caso da apneia, o sono residual também compromete a capacidade de concentração e memória, aumentando a irritabilidade. Mas há um agravante: com o tempo, somam-se a estes fatores o estresse e os riscos de doenças cardiorespiratórias, como hipertensão arterial, angina, infarto, derrame, diabetes, obesidade, AVC e obstruções vasculares periféricas. Além disso, a modafinila é indicada para combater os distúrbios do sono que afligem trabalhadores em turnos, como a sonolência excessiva que acomete, principalmente, os profissionais que atuam à noite, colocando em risco a segurança do indivíduo, além de trazer prejuízos sociofamiliares para o surgimento de enfermidades cardiovasculares, gastrointestinais e infertilidade a longo prazo.

In the case of apnea, sleep residual also compromises the ability of concentration and memory, increasing irritability. But there is worse, with time, these factors add up to stress and risk of cardio-respiratory diseases such as hypertension, angina, heart attack, stroke, diabetes, obesity, and peripheral vascular obstructions. In addition, Modafinil is indicated to combat sleep disorders that afflict shift workers, such as excessive sleepiness that affects mainly the professionals who work at night, endangering the safety of the individual, bringing losses and contributing to the social-familial emergence of cardiovascular diseases, gastrointestinal and long-term infertility.
FLÁVIO ALOÉ žMédico Neurologista e Neurofisiologista Clínico pela Sociedade Brasileira de Neurofisiologia Clínica e Médico Certificado em Medicina do Sono pela Sociedade Brasileira de Sono. Médico Assistente do Centro Interdepartamental para os Estudos do Sono do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Brasil. žNeurologist and Clinical Neurophysiology by the Sociedade Brasileira de Neurofisiologia Clínica. Medical Certificate in Sleep Medicine by the Sociedade Brasileira do Sono. Physician Assistant at the Interdepartmental Center for Sleep Studies, Institute of Psychiatry, Hospital das Clinicas, at the Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Brazil.

51 OM

PSICOLOGIA PSYCHOLOGY OM

Domar o corpo: o grande desafio humano Taming the body: the human challenge
CLAUDIO VITAL DE LIMA FERREIRA

medida que vai crescendo, o ser humano se defronta com muitos desafios. Todo o processo de crescimento é um desafio e essa transformação somente é possível pela dor. A dor é reveladora de nossa verdadeira identidade e condição finita. Além disso, a tão temida dor é condição para o crescimento. Não que sempre as pessoas cresçam quando há sofrimento, uma vez que nem todos conseguem entender a mensagem aí revelada, mas sem esse processo doído que explicita nossa verdade, não há possibilidade de crescimento. Desde o parto até a morte, em todos os nossos passos estão sempre envolvidos o sofrimento e a dor. O que impede que se possa crescer por meio da dor, presente em nossas vidas a todo o momento, é a crença na perfeição e na falsa certeza da possibilidade de plenitude e completude. A dor é bem-vinda porque denuncia nossa fragilidade e nos lembra a todo o momento nossa condição e necessidade de mudanças. A melhor atitude diante da dor é a reflexão do seu significado quando ela está presente. Se sentirmos dor porque estamos doentes, devemos ser gratos à sua existência, pois somente a dor denuncia a necessidade de mudanças, quer para que a doença seja sanada, quer para que entendamos a origem da doença. Ao invés de apenas sair correndo à procura de remédio ou médico quando estamos doentes, antes devemos entender a mensagem reveladora que nos é ofertada pela dor. Sem o exercício dessa sabedoria, mais vezes seremos visitados pela doença e a dor, até que ou entendamos a mensagem ou acabemos morrendo. A morte é a revelação concreta da nossa condição finita e incompleta. Nela, revela-se toda a verdade da natureza humana. A morte nos traz a plenitude da revelação da natureza humana e a exposição da igualdade. Não existe morto rico ou morto pobre. Todos os cadáveres são iguais. Lembra-te “que és pó e em pó te hás de tornar”. A necessidade de preservação nos impulsiona à busca constante do prazer e à fuga da dor, levando-nos à ilusão de que o prazer nos preserva e a dor nos mata. Quanto mais permitimos a nosso corpo a descarga dos

À

s grows, the human being is faced with many challenges. The whole process of growth is challenging and that transformation is possible only through the pain. The pain is indicative of our true identity and finite condition. Moreover, the dreaded pain is a condition for growth. People do not always grow when there is suffering, since not everyone can understand the message therein revealed, but without making explicit the process hurt or truth, there is no possibility for growth. From birth to death, in all our steps are always involved suffering and pain. What prevents that possibility of grow through pain, present in our lives all the time, is the belief in perfection and the false certainty of the possibility of wholeness and completeness. The pain is welcome because it exposes our fragility and reminds us at every moment our condition and need for change. The best attitude to pain is a reflection of its meaning when it is present. If we feel pain because we are sick, we should be grateful to their existence, because only the pain denounces the need for change, both for the disease to be cured, or to understand the origin of the disease. Rather than just rush out looking for medicine or doctor when we are sick before we get the message telling us what is offered through the pain. Without the exercise of wisdom, the more times we will be visited by sickness and pain, until he or she understands the message or just dye. Death is the real revelation of our incomplete and finite condition. It is revealed the whole truth of human nature. Death brings us to the fullness of revelation of human nature and exposure of equality. There is no poor dead or rich dead. All corpses are equal. Remember “you are dust and to dust you shall return”. The need of conservation boost us in the search for constant pleasure and escape of pain, therefore it takes us to the illusion that pleasure preserver us, and pain kill us. The more we allow our body to discharge the desires in pursuit of pleasure, the more we are overwhelmed by feelings of emptiness and starvation and the risk of death increases. On the other hand, the more we learn to deal with the pain and frustration, we have

A

53 OM

OM PSICOLOGIA PSYCHOLOGY
more chances to develop ourselves and add value to our personal growth. That is perhaps, the greatest human challenge; since growth essentially goes through pain. Our body is lazy, irresponsible, and has real aversion to responsibilities, sacrifice pain, frustration, and everything that does not take pleasure in a constant quest for absolute convenience. We have not reached that point, because the educational process frustrated us and taught us, even against our will, to expose ourselves to some amount of sacrifice such as to get up in the morning, going to school to study or go to work and so many other human activities. When talking about the pain we just imagine a headache or a bruise or a disease. Of course these situations may be present, but the concept of pain goes far beyond these situations. Although the origin of pain may be in the body, your perception is mental. Moreover, the way we operate in the world and interpret reality is a constant source of pain and frustration. Of course, frustration is a form of pain in the same way that negative feelings such as sadness, depression, stress, anguish, anxiety, and many others. Our body does not deal well with pain, and all the feelings that generate it. However, the long refusal for doing what we should do, the lies that our body has imposed on our minds that we had no control and strength to face them, is largely responsible for more pain and suffering. Mastering the body itself is the most difficult task of human being. The tendency is to see the difficulties out of ourselves and embarked on false belief imposed by our mind that when the world changes, we will have a better life because our lives will change. Stop lying to yourself! If you want the world to change, change yourself first, because the way the world sees is an expression of your inner world, therefore, when you grow up, respecting all that is beside yourself, whether people or nature. When your capacity to love makes you better person when you become a really good person, you must dress the glasses of God, and then you will be able to see the world as a perfect work of God. But until then, hands to work!
CLAUDIO VITAL DE LIMA FERREIRA ž Pós-doutor em Programas de Atendimento Comunitário pela Universidade do Porto, Portugal. Pósdoutor em Intervenção Terapêutica pela Universidade de Barcelona, Espanha. Doutor em Saúde Mental pela UNICAMP, Brasil. Mestre em Psicologia Clínica pela PUC de Campinas, Brasil. Graduado em Psicologia pela Faculdade de Humanidades Pedro II, FAHUPE, Brasil. Psicanalista. Professor Associado II da UFU. Avaliador ad hoc do INEP. Professor Associado do Instituto de Psicologia da UFU. Autor de vários artigos científicos. Membro do Conselho Editorial das revistas Psique-Ciência, Odisseia da Medicina e Vida e da International Journal of Integrative and Eclectic Psychotherapy. žPost doctor in Programs in Community Service by the University of Porto, Portugal. Post doctor in fellowship Therapeutic Intervention, University of Barcelona, Spain. PhD of Mental Health, UNICAMP, Brazil. Master in Clinical Psychology from PUC Campinas, Brazil. Graduated in Psychology at the Faculty of Humanities II Peter, FAHUPE, Brazil. Psychoanalyst. Associate Professor II of the UFU. Ad Hoc Reviewer INEP. Associate Professor of Psychology Institute of the UFU. Author of numerous scientific articles. Member of Editorial Board of the journals Science and Psyche-Life, Odisseia da Medicina, and International Journal of Integrative and Eclectic Psychotherapy.

desejos em busca do prazer, mais somos invadidos pela sensação de vazio e inanição, e os riscos de morte aumentam. Por outro lado, quanto mais aprendemos a lidar com a dor e a frustração, mais temos chances de nos desenvolver e acrescentar valores ao nosso crescimento pessoal. Aí talvez esteja o grande desafio humano, uma vez que o crescimento passa obrigatoriamente pela dor. Nosso corpo é preguiçoso, vadio, irresponsável e tem verdadeira aversão à responsabilidade, ao sacrifício, à dor, à frustração e a tudo aquilo que não produz prazer, numa busca constante da comodidade absoluta. Não chegamos a esse ponto porque o processo educacional nos frustrou e nos ensinou, ainda que contra nossa vontade, a nos expor a alguma quantidade de sacrifícios tais com levantar de manhã, ir à escola estudar ou sair para trabalhar e tantas outras atividades humanas. Quando nos referimos à dor, logo imaginamos uma dor de cabeça ou um machucado ou mesmo uma doença. Claro que nessas situações a dor pode estar presente, mas o conceito de dor vai muito além dessas situações. Ainda que a origem da dor possa estar no corpo, sua percepção é mental. Além disso, a forma como nos inserimos no mundo e interpretamos a realidade é fonte constante de dor e frustração. Claro, a frustração é uma forma de dor, da mesma forma que os sentimentos negativos como tristeza, depressão, estresse, angústia, ansiedade e tantos outros. Nosso corpo não lida bem com a dor e todos os sentimentos e sensações que a geram. No entanto, a recusa durante tanto tempo em fazermos o que devíamos fazer, pelas mentiras que nosso corpo impôs à nossa mente sobre as quais não tivemos controle e força suficientes para enfrentá-las, é a grande responsável por mais dor e sofrimento. Dominar o próprio corpo é a tarefa mais difícil do ser humano.Tendemos a ver as dificuldades fora de nós mesmos e embarcamos na crença mentirosa imposta pela nossa mente de que, quando o mundo mudar, teremos uma vida melhor porque nossa vida vai mudar. Pare de mentir para si mesmo! Se quiser que o mundo mude, mude você primeiro, pois a maneira como vê o mundo é a expressão do seu interior. Quando você crescer, respeitará tudo o que estiver fora de si, quer pessoas, quer a natureza. Quando sua capacidade de amar o tornar melhor, quando se tornar realmente uma pessoa boa, terá colocado os óculos de Deus e aí, sim, conseguirá enxergar o mundo como uma obra perfeita de Deus. Mas até lá, mãos à obra!
OM 54

OM PSIQUIATRIA PSYCHIATRY

Pesquisa ajuda a mapear origens genéticas da esquizofrenia Research helps to map genetic origins of schizophrenia
chizophrenia is a psychiatric illness that is currently in vogue. Nature magazine carried an article reporting the discovery of the genetic origins of this problem. Schizophrenia affects 0.5% to 1% of the population and has always been a family spreading pattern. This pattern motivated scientists to find a genetic alteration behind this disease. The survey coordinated by specialists at Stanford University in California, discovered that there was not only one gene responsible for the disease. The researchers showed that several changes in regions of chromosome number 6 should be associated with the occurrence of psychiatric problem. The genetic study was done on samples of previous genetic studies, and from an International Consortium of schizophrenia, and genetic databases. In the same issue of the journal are published two other articles on the relationship between changes in the genome and psychiatric diseases. Corroborating the findings of the Californian research, a review involving 30.000 people observed a significant relationship between alterations of chromosome 6 and schizophrenia. Researchers believe that genetic changes account for at least a third of the causes of disease. An interesting finding of this study was the finding that psychiatric patients with bipolar disorder share the same patterns of genetic alterations. This finding may mean that the two diseases may also be linked in some way.

S

esquizofrenia é uma doença psiquiátrica que atualmente está em voga. A revista Nature trouxe um artigo que relata a descoberta das origens genéticas desse problema. A esquizofrenia atinge de 0,5% a 1% da população e sempre apresentou um padrão de disseminação familiar. Esse padrão motivava os cientistas a buscar uma alteração genética por trás dessa doença. A pesquisa coordenada por especialistas da Universidade Stanford, na Califórnia, descobriu que não existia somente um gene responsável pela doença. Os pesquisadores mostraram que várias alterações em regiões do cromossomo de número 6 devem estar associadas à ocorrência do problema psiquiátrico. O material genético estudado foi conseguido em amostras de estudos genéticos anteriores e de um Consórcio Internacional de Esquizofrenia, além de bases de dados genéticos. Na mesma edição da revista estão publicados outros dois artigos sobre a relação entre alterações no genoma e doenças psiquiátricas. Reforçando os achados da pesquisa californiana, uma revisão envolvendo 30 mil pessoas observou uma relação significativa entre alterações do cromossomo 6 e a esquizofrenia. Os pesquisadores acreditam que as alterações genéticas respondem, por, pelo menos, um terço das causas da doença. Um achado interessante do estudo foi a descoberta de que pacientes psiquiátricos com distúrbio bipolar compartilham os mesmos padrões de alterações genéticas. Essa descoberta pode significar que as duas doenças podem ter ligações de alguma forma.

A

Source: Portal G1 – Rio de Janeiro.

Fonte: Portal G1 – Rio de Janeiro.
OM 56

UROLOGIA UROLOGY OM

EUA aprovam primeira vacina contra câncer de próstata USA approves first vaccine against prostate cancer
he first treatment for prostate cancer using the immune system to fight the disease, received today, approval from the USA government, providing an important alternative to more intensive treatments such as chemotherapy. The vaccine Provenge, from Dendreon Corp. prepares the immune system to fight tumors. The remedy is called “vaccine”, although treat the disease rather than prevent it. Doctors have been trying to develop this type of therapy for decades and Provenge is the first to get approval from the agency that regulates food and drugs in the country, the FDA. “The great news is that it is the first treatment of immunotherapy to get approval, and I think that within five to ten years immunotherapy will be a big part of cancer treatment”, said Dr. Phil Kantoff, an oncologist at the Cancer Institute Dana -Farber, who helped conduct the studies for Provenge. Experimental vaccines to treat other types of cancer - including melanoma skin cancer and neuroblastoma, which affects children - are already in the last stage of development. Currently, doctors treat cancer with surgical removal of tumors, with chemotherapy or radiation. The Provenge offers a fourth option, by making its own defense mechanism of the body to act against the disease. The drug will be used to treat prostate cancer that has spread to other parts of the body that is not responding to hormonal therapy. Medical experts hailed the approval as a milestone, but stressed that the remedy will be an addition to current practices, not a replacement. “This is just one step in a new way to treat patients”, said Dr. Simon Hall, chief of urology at the Mt Sinai Hospital. “We must make them understand that this is not the cure, which is very variable”. Studies showed that the company’s administration of Provenge adds four months of life to men with advanced prostate cancer. This may seem little but is more than three months conquered by Taxotere, the only approved chemotherapy for men in this situation. Doctors hope that the benefit is even greater if the drug is administered when the disease is less advanced.

T

primeiro tratamento contra o câncer de próstata que usa o sistema imunológico para combater a doença recebeu hoje aprovação do governo norte-americano, oferecendo uma importante alternativa para tratamentos mais intensivos como a quimioterapia. A vacina Provenge, da Dendreon Corporation, prepara o sistema imunológico para lutar contra os tumores. O remédio é chamado de “vacina”, embora trate a doença em vez de preveni-la. Os médicos vêm tentando desenvolver esse tipo de terapia há décadas, e a Provenge é a primeira a conseguir a aprovação da agência que regula alimentos e remédios no país, o FDA. “A grande notícia é que é o primeiro tratamento de imunoterapia a conseguir aprovação, e eu acho que dentro de cinco a dez anos imunoterapias serão uma grande parte do tratamento contra o câncer”, disse o doutor Phil Kantoff, oncologista do Instituto do Câncer Dana-Farber, que ajudou a realizar os estudos para a Provenge. Vacinas experimentais para tratar outros tipos de câncer - incluindo o câncer de pele melanoma e o neuroblastoma, que atinge crianças - já estão no último estágio de desenvolvimento. Atualmente, os médicos tratam câncer com a remoção cirúrgica dos tumores, com quimioterapia ou com radiação. A Provenge oferece uma quarta opção, ao fazer com que o próprio mecanismo de defesa do corpo aja contra a doença. A droga será usada para tratar câncer de próstata que se espalhou por outras partes do corpo e que não responde à terapia hormonal. Especialistas médicos saudaram a aprovação como um marco importante, mas destacaram que o remédio será um acréscimo às práticas atuais, não uma substituição. “Este é apenas um passo num novo caminho para tratar os pacientes”, afirmou o doutor Simon Hall, chefe de urologia do Hospital Mt. Sinai. “Temos de fazê-los entender que esta não é a cura, que é muito variável”. Estudos da empresa mostraram que a administração da Provenge acrescenta quatro meses de vida a homens com estágio avançado de câncer de próstata. Isso pode parecer pouco, mas é mais do que os três meses conquistados pelo Taxotere, o único quimioterápico aprovado para homens nesta situação. Os médicos esperam que o benefício seja ainda maior se o medicamento for ministrado quando a doença estiver menos avançada.

O

Source: AE-AP.

Fonte: AE-AP. 57 OM

Av. 01 c/ rua 13 s/n, QD. 10 Lt. 19-E Galpão 01 Pólo Empresarial Goiás, Ap. de Goiânia-GO

Comercial Show Room de Fábrica / Telefax: 62 3265.5222 Contato: Genilson 62 8416.2343

OM

59 OM

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful