You are on page 1of 12

Lista 1 – Regulação Gênica

1) Estudando uma condição genética comum de um doença, você verifica que o alelo referente
a doença difere do alelo do tipo selvagem (não afetado) por uma substituição de um único par
de bases ou pb. Essa substituição elimina o local de atuação da enzima de restrição ​NheI​, que
está presente no alelo do tipo selvagem. (OBS: O alelo mutante não é cortado pela NheI.) Uma
árvore genealógica de uma família exibindo a doença é mostrada abaixo:

Você isola o DNA de quatro indivíduos na árvore genealógica. Utilizando técnicas de


PCR, você amplifica uma porção de 1000 bp dos seus DNAs, os quais incluem o local afetado
pela mutação. Você prepara os produtos do PCR com NheI e analisa os fragmentos resultantes
do DNA (cortado ) em um gel:

a) Com base nesses dados, esse gene se localiza em um autossomo ou no cromossomo X?


Justifique brevemente seu raciocínio.
b) Com base nesses dados, o fenótipo mutante é dominante ou recessivo para o tipo
selvagem? Porque?
c) Se os indivíduos 3 e 4 têm uma filha, qual é a probabilidade de que ela seja afetada?
Justifique seu raciocínio.

2) Considere a região cromossômica hipotética a seguir contendo dois genes, ​fadA ​e ​fadB​,
necessários para a quebra do ácido oléico em uma bactéria.

P = Promotor
O = Operador
A proteína FadX, a qual é continuamente produzida, se liga ao operador na presença
de ácido oléico. Pergunta-se:
a) A proteína FadX é um repressor ou ativador dos genes ​fadA ​e ​fadB​? Justifique brevemente
seu raciocínio.
b) Para cada um dos mutantes a no quadro (m1 a m4), estime o nível de proteína FadA na
presença de ácido oléico. Faça um círculo em “Baixo” ou “Alto”.

P = Promotor
O = Operador

3) Determine se cada uma das afirmações a seguir é verdadeira ou falsa. Se a afirmação for
falsa, corrija-a ou forneça uma breve explicação.

i) Processamento alternativo do transcrito primário de RNA é utilizado pelos procariotos para


gerar diversos produtos proteicos a partir de um mesmo gene.
ii) Intensificadores podem se ligar às sequencias de DNA muito distantes do gene para
aumentar a taxa de transcrição do gene.
iii) Nos procariotos, os repressores se ligam a operadores, impedindo a RNA polimerase de dar
início à tradução.

4) Sobre os operon de procarionte, porque o mecanismo do triptofano é dito negativo e da


lactose é dito positivo?

5) O modelo do operon, formulado por Jacob e Monod, serve para explicar a regulação gênica
das enzimas que degradam a lactose em ​E. coli​. Explique o que ocorre se houvesse:
a) A presença de triptofano no meio celular;
b) Uma mutação do tipo substituição de base silenciosa do gene operador (O);
c) Uma mutação do tipo deleção de base nos genes estruturais (Z, Y, A);
d) Presença de glicose no meio celular;
e) Uma mutação de sentido errado no primeiro gene estrutura.

6) Considerando os operons ​lac e ​trp como modelos de indução e repressão, respectivamente,


descreva:
a) A condição mais frequente de cada um destes operons;
b) As alterações ocorridas quando moléculas efetoras estão presentes.

7) Os operons, que regulam eficientemente a expressão de conjuntos de genes estruturais


relacionados entre si são comuns em bactérias, mas ausentes em eucariotos, isto implica que
estes não controlam a expressão de seus genes? Justifique.
8) Uma mutação é uma alteração na sequência de nucleotídeos de um gene, um promotor ou
um operador. Explique os efeitos de cada uma das mutações abaixo no ​operon lac da
Escherichia coli​:
a) Mutação no operador, impedindo a ligação do repressor;
b) Mutação em lac i (gene regulador), impedindo a sua mutação;
c) Mutação no promotor impedindo o acoplamento da RNA polimerase;
d) Mutação em lac i, inibindo o acoplamento do repressor à lactose;
e) Mutação sem sentido em lac y;
f) Mutação de localização desconhecida, que impede a degradação de mRNA lac.

9) Diferencie repressores e indutores.

10) O ​operon trp é responsável pela produção de enzimas que participam da reação
metabólica de síntese de triptofano e é constituído por 5 genes estruturais, um operador que
responde à um complexo repressor/co-repressor, e um promotor. O seu gene regulador
situa-se em um outro ponto do ​DNA​. Na ausência de triptofano ocorre síntese enzimática?
Porquê?

11) Em Escherichia coli o ​operon da lactose compreende 3 genes estruturais: galk, galt e gale,
cujos produtos estão envolvidos no metabolismo do açúcar galactose. Galr codifica um
repressor e a galactose é um indutor do sistema. Descreva a sequência de processos:
a) Na ausência da galactose;
b) Na presença da galactose.

Gabarito
1)
a) Autossomo, pois o indivíduo 6, um homem, tem dois alelos.
b) O fenótipo mutante é recessivo, pois os indivíduos 5 e 6 têm uma cópia do alelo mutante ​m
e são fenotipicamente normais.
c) 1/4. Como os indivíduos 3 e 4 já têm um filho afetado, eles devem ser ambos heterozigotos.

2)
i) A proteína FadX é um ativador, pois FadA e FadB necessitam ser sintetizadas na presença de
ácido oléico.
ii) m1: Se FadX não pode se ligar ao operador, a transcrição de fadA será baixa.
m2: Sem um ativador funcional da FadX, a transcrição de fadA será baixa.
m3: A RNA polimerase não pode se ligar e transcrever o gene daFadA, levando a um nível baixo
de FadA.
m4: Se FadX estiver sempre ligada, ela levará a expressão constitutiva de fadA, conduzindo a
um alto nível de FadA.

3)
i) Falso: procariotos --> eucariotos
ii) Falso: Intensificadores de expressão --> Fatores de transcrição. Os intensificadores são
seqüências
de DNA.
iii) Falso: Tradução --> Transcrição

4) Porque o operon só estará ativado na presença de lactose ou desativado na presença de


triptofano. A lactose é indutora enquanto o triptofano é um repressor.
5)
a) No operon Lac seria indiferente;
b) Haverá leitura dos genes Z, Y, A e degradação da lactose pois tanto o códon mutante como o
original codificam o mesmo aminoácido não alterando a leitura.
c) A lactose não será degradada pois haverá mutação de sentido errado não sendo formadas as
enzimas Z, Y, A.
d) O operon Lac não será ativado e não haverá produção das enzimas Z,Y, A.
e) A lactose não será degradada.

6)
a) Lac - O operon permanece inativado porque a proteína repressora, sintetizada pelo gene
regulador, se liga ao sítio operador, inibindo o promotor. Isto impede o acoplamento da RNA
polimerase, e deste modo, não há transcrição nem tradução.

Trp - O repressor sintetizado pelo gene regulador é inativo, não sendo capaz de se ligar ao sítio
operador do operon. Logo a RNA polimerase acopla-se ao promotor, ocorrendo transcrição e
tradução.

b) Lac - É induzido pela lactose que, quando presente, estabelece um complexo com o
repressor, inativando-o. Este perde a capacidade de se ligar ao operador, liberando assim o
promotor, o que faz com que haja transcrição e subsequente síntese enzimática.

Trp - O triptofano age como co-repressor que se liga ao repressor ativando-o. O complexo
repressor/co-repressor ocupa o sítio operador, inibindo o promotor, que não aceita a ligação
da RNA polimerase. Não há tradução nem transcrição.

7) Os operons são sistemas de regulação que respondem a estímulos diretos do meio externo.
Sendo eficientemente tamponados contra a maioria das influências externas os eucariotos não
necessitam de mecanismos de resposta direta mas, por outro lado, uma vez que comportam
reações metabólicas muito mais complexas, também necessitam de sistemas de regulação
gênica muito mais elaborados, o que é assegurado pelos chamados “circuitos pré programados
de expressão gênica”. Nestes, que comportam vários escalões de genes, a ativação sempre
ocorre em cadeia, e a regulação processa-se tanto a nível de transcrição como de
processamento de hnRNA.

8)
a) O operon expressa-se continuamente;
b) Idem;
c) O operon nunca se expressa;
d) Idem;
e) Ocorre síntese da beta-galactosidase, mas a cadeia da beta-galactosídeo permease é
sintetizada apenas até o ponto da mutação e não há síntese de beta- galactosídeo
transacetilase;
f) Acumulo de mRNA na célula, sempre degradando lactose.

9) Repressor - é uma proteína sintetizada pelos genes reguladores e é específica para cada
operon. A sua função é ligar-se ao sítio operador inibindo a expressão do operon.
Indutor - é uma molécula efetora que atua nos sistemas de indução e, uma vez presente,
forma um complexo com o repressor, impedindo a sua ligação ao operador, deprimindo assim
o operon.
10) Sim porque se tratando de um operon reprimível, a sua expressão é contínua a menos que
esteja presente o co-repressor específico que, neste caso, é o triptofano.

11)
a) Galr sintetiza o repressor que se liga ao operador, isto provoca a inibição do promotor, que
não aceita a ligação da RNA polimerase e, portanto, não há expressão do operon pois não
haverá transcrição nem tradução.
b) Como indutor, a galactose liga-se ao repressor sintetizado por galr, impedindo sua ligação
ao operador. Logo haverá o acoplamento da RNA polimerase e a consequente transcrição e
tradução do operon.

Lista 2 – Engenharia Genética

1) As enzimas de restrição
a) Quebram ligações fosfodiester somente em posições opostas na fita dupla de DNA
b) Atuam especificamente sobre seqüências de bases com repetições em tandem.
c) Reconhecem sítios palindrômicos e retiram bases das duas fitas do DNA.
d) Ligam-se a sítios com espaçamento regular ao longo do DNA.
e) Clivam as duas fitas de DNA dentro de sítios palindrômicos.

2) Os sítios de restrição
a) são mais frequentes em DNA viral.
b) são muito raros em DNA eucarioto.
c) ocorrem com uma frequência proporcional ao seu tamanho (em pb).
d) são tanto mais raros quanto maiores (em pb), em qualquer DNA.
e) podem conter trechos compostos pela repetição de uma única base.

3) Para gerar com a enzima de restrição A fragmentos de DNA com tamanho maior do que os
gerados com uma enzima B, como se deve proceder? Por que?
a) A enzima A deve agir à temperatura mais baixa que a enzima B, porque assim vai
reconhecer sítios de restrição com baixa estringência e, consequentemente, com maior
frequência, e portanto cortar o DNA em fragmentos maiores
b) A enzima B deve reconhecer sítios compostos de menor número de bases, porque desta
forma os fragmentos gerados serão menores.
c) A temperatura na qual a enzima A atua deverá ser necessariamente maior do que a que B
atua, independente do tamanho do sítio de restrição, porque a alta temperatura favorece a
atividade enzimática e fará com que a enzima A corte com maior frequência e gere fragmentos
menores.
d) Não é possível produzir fragmentos de restrição de tamanhos médios distintos, porque os
sítios para qualquer enzima de restrição ocorrem ao acaso.
e) O sítio de restrição da enzima A deve ser maior do que o da enzima B, porque a
probabilidade dele ocorrer no DNA alvo será menor do que o da enzima B, o que implica que a
enzima A cortará menos frequentemente que a enzima B.

4) As enzimas de restrição cortam o DNA em sítios específicos, criando:


a) Sempre extremidades coesivas, com bases despareadas que tendem a formar ligações
covalentes com outros fragmentos de DNA cortados com a mesma enzima.
b) Extremidades cegas ou coesivas, que tendem a parear através de pontes de hidrogênio com
extremidades complementares geradas com as mesmas enzimas.
c) Sempre extremidades coesivas, com bases despareadas que tendem a formar ligações
covalentes com outros fragmentos de DNA cortados com a mesma enzima.
d) Extremidades cegas ou coesivas, tendendo as últimas a parear através de pontes de
hidrogênio com extremidades complementares geradas com as mesmas enzimas.
e) Sempre extremidades cegas, que se unem a outras do mesmo tipo pela ação da ligase.

Use a figura abaixo sobre a construção do cDNA para clonagem unidirecional, nas questões 5 e
6.

5) Sobre o passo 2 da figura 1 podemos afirmar :


a) O primer poli-T anela com a extremidade 5’ do mRNA.
b) A DNA polimerase I copia o mRNA e faz a primeira fita (cDNA).
c) O tamanho do cDNA dependerá do momento em que a transcriptase reversa encerrar seu
trabalho
d) A extremidade 3’ do cDNA recém-sintetizado deverá necessariamente conter o códon ATG
de iniciação da síntese proteica do eucarioto.
e) Haverá sempre ao menos um trecho da ORF original do mRNA eucarioto copiado em DNA.

6) Sobre o passo 5 da figura 1 podemos afirmar:


a) As sequências repetidas nas extremidades da fita dupla de DNA representam as regiões
teloméricas do cromossoma
b) As sequências repetidas nas extremidades da fita dupla de DNA são adaptadores para uma
enzima de restrição, adicionados após a síntese da segunda fita e colados ao DNA pela ligase.
c) As sequências repetidas nas extremidades da fita dupla de DNA representam adaptadores
para uma enzima de restrição, sintetizados in vitro pela telomerase.
d) As sequências repetidas nas extremidades da fita dupla de DNA servirão para a clonagem
bidirecional do cDNA
e) As sequências repetidas nas extremidades da fita dupla de DNA permanecem no DNA
plasmidial depois da clonagem.

2) A introdução de genes entre espécies não relacionadas(generos, famílias e reinos


diferentes), só foi possível a partir de:
a) Década 80
b) Década 90
c) Década 70
d) Década 60

3) O que é um OGM

a) É um ser vivo cuja estrutura genética foi alterada pela inserção de genes de outro
organismo, de modo a atribuir ao receptor características não programadas pela natureza.

b) É um ser vivo cuja estrutura genética foi alterada pela inserção de genes ​do mesmo
organismo, de modo a atribuir ao receptor características não programadas pela natureza.

c) É um ser vivo cuja estrutura genética foi alterada pela inserção de RNA ​de outro organismo,
de modo a atribuir ao receptor características não programadas pela natureza.

d) É um ser vivo cuja estrutura fenotípica foi alterada pela inserção de genes ​de outro
organismo, de modo a atribuir ao receptor características não programadas pela natureza.

4) O isolamento de um gene de interesse para formação de transgênico inicia-se:

a) construção da sonda radiotiva


b) produção de anti-corpo para a proteína desejada
c) eletroforese
d) hibridização in situ

5) Dentre os métodos de transferência do DNA recombinante qual abaixo apresenta maior


probabilidade de sucesso

a) Transferência pelo sitema ​Agrobacterium ​- plasmidio Ti


b) Transferencia por microinjeção
c) Transferencia por Eletroporação de protoplasto
d) Transferencia por Biobalistica

Lista 3 – Ciclo Celular

1) A droga ​vincristina é um quimioterápico utilizado em pacientes para o tratamento de


câncer. Sabendo que esta droga impede a formação de microtúbulos, em qual fase do ciclo
celular esta droga poderia atuar? Justifique. Por que esta droga pode ser utilizada no combate
ao câncer?

2) Síndromes do câncer familiar tais como o Retinoblastoma e a Neurofibromatose são


herdadas como doenças genéticas. Indivíduos que possuem uma mutação que provoca a
inativação em um alelo dos genes mencionados acima têm uma probabilidade maior de
desenvolver o câncer. (Esses indivíduos são heterozigóticos em relação ao gene mutante ​Rb ​ou
NF-1​, respectivamente.) A maioria das células nesses indivíduos é normal, mas os tumores se
originam de células individuais em determinados tecidos. No caso dos heterozigotos ​Rb​, os
tumores se desenvolvem na retina. Os heterozigotos ​NF-1 ​desenvolvem tumores periféricos de
bainha de nervo e neurofibromas.
a) A que classe (tipo) de gene causador de câncer pertencem ​Rb ​e ​NF-1​?
b) Na maioria dos casos, os indivíduos heterozigóticos não nascem com tumores, mas
desenvolvem o câncer muitos anos depois ou mesmo no fim da vida. Que evento específico
provoca a formação dos tumores?
c) Muitos vírus que causam a formação de tumores provocam a tumorogênese produzindo
proteínas virais que anulam as proteínas celulares normais. Que classe de proteína relacionada
ao câncer seria provavelmente afetada?
3) Sabemos que o ciclo celular pode ser dividido em duas etapas distintas: a interfase e a
divisão celular. Sobre a interfase, marque a alternativa correta.
a. Ela pode ser dividida em três etapas G1, G2 e G3.
b. Podemos definir essa etapa como um período entre duas divisões celulares.
c. Em G1 ocorre a duplicação do DNA.
d. A fase G3 caracteriza-se por uma elevada síntese de DNA.

4) Sabemos que a duplicação dos cromossomos ocorre ainda na interfase. Marque a


alternativa que indica corretamente em qual fase ocorrerá a duplicação do DNA
cromossômico.
a. G0.
b. G1.
c. G2.
d. S.
e. S2.

5) Sabemos que cada tipo de célula possui um período específico para a realização do ciclo
celular. Entretanto, durante um ciclo, sabe-se que o maior período é o da:
a. Apoptose.
b. Interfase
c. Meiose
d. Mitose

6) Como reconhecimento de seus trabalhos pioneiros relacionados ao ciclo celular, Leland H.


Hartwell, Tim Hunt e Paul Nurse receberam o Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia em 2001.
Com relação ao ciclo celular em eucariotos, assinale a alternativa CORRETA.
a. A célula em G1 perde as suas atividades metabólicas.
b. A síntese de DNA e RNA é mais intensa durante a fase G2.
c. A fase S caracteriza-se principalmente por intensa atividade nucleolar.
d. Em células totalmente diferenciadas o ciclo é suspenso em S.
e. A célula em G1 possui metade da quantidade de DNA comparada a G2.

7) Um bioquímico mediu a quantidade de DNA em células cultivadas em laboratório e verificou


que a quantidade de DNA na célula duplicou:
a. entre as fases G1 e G2 do ciclo celular.
b. entre a prófase e anáfase da mitose.
c. durante a metáfase do ciclo celular.
d. entre a prófase I e a prófase II da meiose.
e. entre a anáfase e a telófase da mitose.

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 8 e 9 QUESTÕES.

O ciclo celular é interrompido entre as fases G1/S e G2/mitose, e proteínas especiais


controlam a evolução do ciclo celular das novas células. Entre S/G2‚ algumas proteínas
checam possíveis falhas e erros na linha de produção, decidem se o ciclo celular avança ou é
paralisado iniciando um processo de destruição do material genético, conhecido como
APOPTOSE, ou morte celular espontânea. Portanto, a inativação de qualquer um dos
componentes ou operadores do sistema de checagem ou de apoptose poderia provocar a
proliferação contínua das células e possível desenvolvimento de tumores cancerosos.
Um exemplo observável das consequências de apoptoses é o descamar da pele após
sua exposição prolongada a radiação solar intensa.

8) O esquema abaixo ilustra o texto anterior, representando o ciclo celular de células


somáticas de mamíferos. Assinale a alternativa incorreta.

a) A apoptose pode ser um mecanismo de defesa do organismo.


b) Lesões do DNA podem ativar a apoptose celular.
c) Lesões no DNA podem suprimir a apoptose.
d) Qualquer mutação que não seja corrigida pela apoptose produzirá câncer.
9) O esquema abaixo ilustra o texto anterior, representando o ciclo celular de células
somáticas de mamíferos. Assinale a afirmativa correta.

a) O metabolismo nuclear pode ser intenso tanto em S quanto em G1.


b) Ao final de S, a célula tem o dobro de cromossomos do que tinha em G1.
c) G2 é a fase do ciclo na qual ocorre intensa síntese proteica.
d) S é uma fase do ciclo na qual o material genético, por estar se replicando, encontra-se mais
sujeito a sofrer alterações por radiação.

10) Certos fármacos, como a colchicina, ligam-se às moléculas de tubulina e impedem que elas
se associem para formar microtúbulos. Quando células em divisão são tratadas com essas
substâncias, a mitose é interrompida na metáfase. Células contendo dois pares de
cromossomos homólogos foram tratadas com colchicina, durante um ciclo celular. Após o
tratamento, essas células ficaram com:
a) quatro cromossomos.
b) dois cromossomos.
c) seis cromossomos.
d) dez cromossomos.
e) oito cromossomos.
11) Para fazer o estudo de um cariótipo, qual a fase da mitose que seria mais adequada usar,
tendo em vista a necessidade de se obter a maior nitidez dos cromossomos, em função do seu
maior grau de espiralização?
a) Prófase.
b) Pró-Metáfase.
c) Anáfase.
d) Telófase.
e) Metáfase.
12) Células eucarióticas diplóides em interfase foram colocadas para se dividir em um tubo de
ensaio contendo meio de cultura, no qual os nucleotídeos estavam marcados radiativamente.
Essas células completaram todo um ciclo mitótico, ou seja, cada uma delas originou duas
células filhas. As células filhas foram transferidas para um novo meio de cultura, no qual os
nucleotídeos não apresentavam marcação radiativa, porém o meio de cultura continha
colchicina, que interrompe as divisões celulares na fase de metáfase. Desconsiderando
eventuais trocas entre segmentos de cromátides de um mesmo cromossomo ou
decromossomos homólogos, a marcação radiativa nessas células poderia ser encontrada:

a) em apenas uma das cromátides de apenas um cromossomo de cada par de homólogos.


b) em apenas uma das cromátides de ambos cromossomos de cada par de homólogos.
c) em ambas as cromátides de apenas um cromossomo de cada par de homólogos.
d) em ambas as cromátides de ambos cromossomos de cada par de homólogos.
e) em ambas as cromátides de ambos cromossomos de cada par de homólogos, porém em
apenas 50% das células em metáfase.

13) UMA CÉLULA QUE MUDOU DE TIME


O biólogo Jerry Borges relata um surpreendente resultado obtido por cientistas da
Universidade de Guelph, no Canadá: eles mostraram que gametas femininos podem ser
formados a partir de células da pele. Publicado na Nature Cell Biology, o estudo desafia um
pilar da biologia do desenvolvimento. (Fonte: Ciência Hoje online, 21 de abril de 2006.)

Sobre esse assunto, assinale a afirmativa INCORRETA.


a) A técnica descrita poderia ser útil para a produção de gametas em mulheres que não
possuem ovários.
b) Os gametas femininos originados de células da pele de um mesmo indivíduo devem
apresentar um mesmo patrimônio genético.
c) O sucesso do processo descrito dependeu da indução de meiose em uma célula somática.
d) Em condições normais, as crianças do sexo feminino apresentam, em seus ovários, ovócitos
no início da primeira divisão meiótica.
14) As infecções hospitalares são frequentemente causadas por bactérias que passaram por
um processo de seleção e se mostram, com isso, muito resistentes a antibióticos. A situação é
agravada pelo fato de as bactérias apresentarem um crescimento populacional bastante
rápido.

a) Como a resistência a antibióticos se origina em bactérias de uma colônia que é sensível a


eles?
Considerando-se que a colônia é sensível a antibióticos, a resistência se origina por
mutações espontâneas.

b) Explique de que maneira as características reprodutivas das bactérias contribuem para seu
rápido crescimento populacional.
O crescimento populacional bacteriano é possibilitado pela multiplicação assexuada
desses seres por divisão binária (por meio da ocorrência de mitose), processo extremamente
simples e rápido, que depende apenas da duplicação do material genético e da bipartição
celular.

15) ​A corrida contra o câncer. Se um dia você ouvir que foi encontrada a cura do câncer, não
leve a sério. O que chamamos de câncer é, na verdade, um conjunto de mais de cem doenças
que, em comum, têm apenas a célula maligna. Assinale a afirmativa INCORRETA.
a) A resposta terapêutica pode depender de características próprias de cada tipo de tumor e
próprias do paciente.
b) As células cancerosas diferem das células normais das quais elas se originam,
principalmente por perder o controle sobre a divisão celular.
c) Nos tumores benignos, as células não sofreram mutações sendo, portanto, idênticas ao
tecido do qual se originaram.
d) As células tumorais malignas normalmente diferem das células do tecido de origem e alguns
tumores podem ser causados por vírus.

16) ​O Controle do Ciclo Celular e a Origem do Câncer

Como sabemos, a interfase é um período de intensa atividade metabólica e de maior


duração do ciclo celular. Células nervosas e musculares, que não se dividem por mitose,
mantêm-se permanentemente na interfase, estacionadas no período chamado G0. Nas células
que se dividem ativamente, a interfase é seguida da mitose, culminando na citocinese. Sabe-se
que a passagem de uma fase para outra é controlada por ​fatores de regulação ​- de modo geral
proteicos – que atuam nos chamados pontos de checagem do ciclo celular. Dentre essas
proteínas, se destacam as ​ciclinas​, que controlam a passagem da fase G1 para a fase S e da G2
para a mitose.
Se em algumas dessas fases houver alguma anomalia, por exemplo, algum dano no
DNA, o ciclo é interrompido até que o defeito seja reparado e o ciclo celular possa continuar.
Caso contrário, a célula é conduzida à ​apoptose​ (morte celular programada).
Outro ponto de checagem é o da mitose, promovendo a distribuição correta dos
cromossomos pelas células-filhas. Perceba que o ciclo celular é perfeitamente regulado, está
sob controle de diversos genes e o resultado é a produção e diferenciação das células
componentes dos diferentes tecidos do organismo. Os pontos de checagem correspondem,
assim, a mecanismos que impedem a formação de células anômalas.
A origem das células cancerosas está associada a anomalias na regulação do ciclo
celular e à perda de controle da mitose.​
Alterações do funcionamento de genes controladores do ciclo celular, em decorrência
de mutações, são relacionados ao surgimento de um câncer. Duas classes de genes, os
proto-onco-genes e os genes supressores de tumor são os mais diretamente relacionados à
regulação do ciclo celular. Os proto-oncogenes são responsáveis pela produção de proteínas
que atuam na estimulação do ciclo celular, enquanto os genes supressores de tumor são
responsáveis pela produção de proteínas que atuam inibindo o ciclo celular.

Dizendo de outro modo:

Os ​proto-oncogenes,​ quando ativos, estimulam a ocorrência de divisão celular e os


genes supressores de tumor, quando ativos, inibem a ocorrência de divisão celular. O
equilíbrio na atuação desses dois grupos de genes resulta no perfeito funcionamento do ciclo
celular.
Mutações nos proto-oncogenes os transformam em oncogenes (genes causadores de
câncer). As que afetam os genes supressores de tumor perturbam o sistema inibidor e o ciclo
celular fica desregulado, promovendo a ocorrência desordenada de divisões celulares e o
surgimento de células cancerosas, que possuem as seguintes características:
- são indiferenciadas​, não contribuindo para a formação natural dos tecidos,

- seus núcleos são volumosos​ e com um número anormal de cromossomos;


- empilham-se sobre as outras​ em várias camadas, originando um aglomerado de
células que forma um tumor. Se ficar restrito ao local de origem e for encapsulado, diz-se que
o tumor é benigno, podendo ser removido;

- nos tumores malignos, ​ocorre a metástase​, ou seja, as células cancerosas abandonam


o local de origem, espalham-se por via sanguínea ou linfática, e invadem outros órgãos. Esse
processo é acompanhado por uma angiogênese, que é a formação de inúmeros vasos
sanguíneos responsáveis pela nutrição das células cancerosas.

Outra ocorrência envolvendo alterações do ciclo celular é relativa aos​ telômeros​, que
são segmentos de moléculas de DNA com repetições de bases que atuam como “capas
protetoras” da extremidade dos cromossomos. Em células humanas normais, a cada ciclo
celular os telômeros são progressivamente encurtados, as extremidades dos cromossomos
ficam cada vez mais curtas, até atingir um limite mínimo de tamanho incompatível com a vida
da célula, paralisando-se as divisões celulares e sinalizando o fim da vida da célula.
Em células cancerosas esse limite é transposto graças a atividade de uma enzima, a
telomerase​, que atua na reposição constante dos telômeros, mantendo-os sempre com o
tamanho original, permitindo assim, que as células se dividam continuamente e se tornem
praticamente “imortais”

Pergunta-se:
O controle do ciclo celular quando não eficaz pode gerar risco para uma divisão celular
correta. Quais os principais fatores que podem induzir essa perda do controle da divisão?
Correlacione com o surgimento do câncer, que é uma divisão exagerada da célula.

Podem acontecer alterações no funcionamento dos genes controladores do


ciclo nuclear, em decorrência a mutações relacionadas ao surgimento de um câncer.
Os proto-oncogenes quando estão ativos estimulam a ocorrência da divisão celular já
os genes supressores do tumor quando estão ativos agem ao contrário inibindo a
ocorrência da divisão celular, contribuindo assim para o equilíbrio dos dois genes e o
perfeito funcionamento do ciclo celular, já quando isso não ocorre acontece a
transformação dos proto-oncogenes em oncogenes que são os causadores do câncer,
afetando assim os genes supressores promovendo a ocorrência desordenada da
divisão celular e o surgimento das células cancerosas.