You are on page 1of 14

CULTURA, CIDADE

E CIDADANIA

José Aristides da Silva


Gamito
INTRODUÇÃO

A inter-relação entre cultura, cidade e


cidadania é bastante estreita. A cidade
representa um passo importante na
aquisição da cultura: O homem adquire um
assentamento permanente. E nele combina
regras e compartilha valores. Esse conjunto
de princípios orientadores da cidade são a
cidadania, a ética e a política.
CULTURA

Segundo Edward Tylor “cultura é todo


o complexo que inclui
conhecimentos, crenças, arte, moral,
leis, costumes ou qualquer outra
capacidade ou hábitos adquiridos
pelo homem como membro de uma
sociedade” (LARAIA, 1996, p.25).
A cultura diferencia o homo sapiens dos
demais animais. Enquanto as outras
espécies são guiadas pelos seus instintos
e dependentes exclusivamente da
natureza imediata, o homem trabalha a
natureza e constrói a cultura. A cultura,
segundo o antropólogo estadunidense
Leslie White, surgiu “quando o cérebro do
homem foi capaz de gerar símbolos”
(LARAIA, 1996, p. 56). Esta é um modo de
adaptação inteligente ao meio.
CARACTERÍSTICAS

A cultura é aprendida, somos sujeitos e


receptores ao mesmo tempo;
Ela é dinâmica, se transforma com o
tempo e varia de lugar para lugar;
A cultura oferece às novas gerações a
“lente” para ver o mundo;
Cultura e natureza estão interligadas a
ponto de uma interferência mútua;
CIDADE

Há aproximadamente 12 mil anos surgiram


as primeiras vilas no período neolítico graças
ao domínio da agricultura e à domesticação
de animais para a pecuária.
Na Grécia antiga, a cidade se desenvolve
culturalmente chegando às noções de πολισ
(Εσταδο) ε ◊ πολιτικη (αρτε δε σε ϖιϖερ να
χιδαδε), βασε παρα ο χονχειτο δε χιδαδανια.
A partir do século XVIII, a Revolução
Industrial contribui para uma mudança
drástica nas cidades. O Brasil participou desse
processo a partir do século seguinte com o
desenvolvimento da cidade de São Paulo. A
partir da década de 40 começou um
progressivo êxodo rural.
A cidade ganhou uma dimensão estética: A
beleza da iluminação, as possibilidades de se
viver a liberdade, o entretenimento, o contato
com a diversidade.
CULTURA E DIREITOS

No século XX, gradativamente foi


surgindo uma consciência expressa em
lei da necessidade de conservar e
respeitar o patrimônio cultural.

Em 1972, a Unesco aprovou a


Convenção sobre a Proteção do
Patrimônio Mundial, Cultural e
Natural.
Outro documento importante que reforça
essa consciência da proteção à cultura é
a Recomendação sobre a
Salvaguarda da Cultura Tradicional e
Popular, de 1989.
Esses documentos defendem a
conservação, registro e difusão da cultura
tanto a conhecida como “erudita” e
quanto a “popular”. E garantem que
todos têm direito ao acesso aos bens
culturais, de produzir e defender seus
valores. É papel do Estado garantir esses
direitos.
CULTURA E CIDADANIA
O direito à cultura pressupõe o gozo dos direitos
civis, que têm a ver com a manifestação livre do
pensamento, com o direito de ir e vir, e, portanto,
de acesso livre aos diferentes territórios da cidade.
Esse, por sua vez, pressupõe o direito à vida digna
e à inclusão na cidade. Já o direito à participação
política se beneficia e se completa com o direito à
educação e à informação (ANDRADE, 2009, p.2).
CONCEIÇÃO DE IPANEMA
Patrimônio cultural:
1850-2010: 160 anos de história e
tradições que não podem ser esquecidas;
a história local precisar ser registrada,
divulgada.
Tradições como folia de reis, congada,
contos regionais, linguajar, pessoas
notáveis.
Cidade de sobrenomes estranhos: O
papel da imigração, os valores que
acabarão esquecidos.
Necessidade de um projeto:
Secretaria de Educação e Cultura
Inventário do patrimônio cultural
Centro Municipal de Cultura Popular
Registro, conservação e difusão
Oficinas de artes, cursos
profissionalizantes Inclusão de jovens
de 12 a 21 Música, teatro, artesanato,
políticas de geração de renda
Retorno social em emprego, diminuição
da criminalidade e cidadania.
Ao relacionar cultura, cidade e cidadania aparecem-
nos muitos valores e desafios. A tarefa fundamental
da sociedade moderna é transforma as cidades em
oportunidade de crescimento solidário e não palco
para a criminalidade. A associação entre cultura e
cidadania tem auxiliado muitas comunidades
brasileiras a combaterem a marginalidade e a
garantirem a efetivação dos direitos humanos. A
cidade surge para somar benefícios e não gerar uma
guerra sem “tropas” definidas
A cidadania é a
manifestação mais
cuidadosa e engajada da
cultura. Quem ama sua
cidade, investe na
cultura.