You are on page 1of 8

Após séculos se passarem e muitas histórias forem contadas de

grandes heróis que lutaram suas batalhas, pelos deuses ou por


amor todos ficaram nas lendas,Quiron como sempre foi professor
de todas essas lendas,e conutinuaria sempre o legado dos deuses
na terra treinando sempre novos e astutos semi-deuses,muitos
iam e vinham pois nem todos nascerão para se destacar com um
propósito maior e Todos os deuses tiveram e sempre planejam
grandes campeões para representa-los e com isso em tempos de
precisão eram sempre encontrados mais semideuses,enviados
pelos seus pais para a salvar esse mundo.
Zeus como o rei dos deuses havia tido uma visão que algo ruim
poderia estava muito próximo logo consultou apolo em busca de
suas profecias para ter certeza de sua visão mas mesmo o oraclo
não tinha nenhuma profecia há anos e no momento estava sem
resposta e isso despertou um pouco de medo até no em zeus,e
como não podia interferir diretamente na sua criação e não tinha
mais um representante no acampamento para ele ser fruto de
uma das suas história como o herói,decidiu então escolher na
terra a mortal mais bela e pura digna de gerar o garoto ou
garota que honraria todos os seus passos e decisões,atuaria
como o próprio Zeus diante aquele acampamento seria o seu
futuro o mais forte em corpo e espírito. A mortal se chamava
Jane uma mulher alta loira e de olhos azuis que lembrava os céus
seu próprio domínio,mesmo sendo o criador de todas as almas
Zeus lembrou daquela no dia que fez sentiu algo especial pois era
uma mulher de coração puro como lindo mas em momentos de
raiva era parecida com ele explosiva como uma tempestade,e
isso sempre lhe chamou atenção nesse mesmo dia ele recorreu á
Hefestos. Para criar uma arma especial para seu filho diferente
de todos ele pegou o núcleo de uma das suas estrelas como base
para fazer um martelo derramando antes um pouco da sua graça
e assim falou. Zeus“- Se chamará Mjolnir a arma que
representaria á fúria dos céus feita por mim,só levantarás quem
for digno da minha luz e for puro para lutar em nome de algo
maior pois assim será meu filho, Ela o defenderá mostrando
minha presença paterna canalizando seu poder interno vindo do
coração.” Guardou-lhe a arma e desceu para a terra uma nobre
cidade a qual orava e honrava os deuses digna de receber seu
filho,transformando-se em um homem foi onde sua paixão
sempre se encontrava em um dos 3 templos da cidade pois havia
templos para Zeus,Apolo e Hestia,Foi diretamente para o templo
dedicado a ele e lá estava á mortal,pedindo bênçãos pois ela
carregava muita tristeza em seu coração desde que descobriu
que não poderia gerar filhos isso á atormentava pois tudo oque
ela queria era um herdeiro,então após encontra-lá no templo ela
se deleitou nas suas palavras levando-á para um passeio depois
de um longa tarde de conversas foram ao Rio banhar-se e nesse
Rio ela engravidou dele enquanto Zeus havia comprido sua
missão logo após isso retornou ao Olimpo. Zeus havia curado-á
de seu problema e plantado sua semente como um milagre
divino,depois daquele dia ela nunca mais o viu,mas teve uma
surpresa que empediu que seu coração se partisse,havia
engravidado daquele homem misterioso e belo para sua maior
felicidade pois agora tinha um herdeiro um filho a qual tanto
rezou. Ao nascer dá criança no templo de Zeus pois ela tinha
reconhecido isso uma benção,nesse momento os céus cantaram
com seus trovões e banharam aquela terra,á criança havia
nascido linda igual o pai de cabelos grisalhos e olhos tão azuis
quanto os céus parecidos com o dá sua mãe chamou-lhe de
Arthas Menethil,com o crescimento do garoto ele sempre foi
sábio e respeitoso e bom com tarefas difíceis oque encantava
sua mãe,tinha herdado uma personalidade forte e uma beleza
sobrenatural e alguns dons,ele se interessou por defesa pessoal
e tinha uma grande habilidade nata reflexos rápidos que
surpreendiam a todos ao seu redor.
Sempre foi bastante carismático e logo fez amigos,Em um dia
bastante tempestuoso ele e uns amigos saíram para caçar pois
tinham esse costume para se divertir tinham prazer na ação e
mesmo não sendo um tempo bom para todos o arthas se sentia
melhor nesse temperamento e decidiu que todos iram com
ele,com um grande tempo de caça atrás de algum animal para
depois degustarem pegaram um javali bem grande e quando
voltavam para suas casas,o jovem Arthas feliz com seus amigos
combinando já como iram assa-lo,sentiu que algo os perseguia
sobrevoando em um voô forte dava-lhe um pouco de medo no
inicio mas como estava na floresta de inicio ignorou,mas depois
escutou um gargalhada que parecia ser de uma mulher só que
horrível e diabólica,e quando conseguiu avistar á criatura viu 4
monstruosas bestas em forma de mulher com asas vermelhas
que havia pareciam os perserguindo a um bom
tempo,aproveitando a densa florestas tentaram despistar os
monstros mas elas eram rápidas e acompanharam
facilmente,arthas e os garotos correndo quando um dos seus
amigos tropeçou arthas lhe estendeu-lhe a mão e ajudou a
correr de volta,nesse momento então elas partiram para atacar e
feriram gravemente o que arthas levantou com uma de suas
penas afiadas cravadas em suas costas,e o sangue banhando o
chão e os outros estavam correndo junto com o Arthas,já
enfurecido quando uma tentou pegar seu amigo mas conseguiu
apenas ferir-lo com sua pena,ele desferiu um soco em um dos
monstros quando tentou novamente pegar o outro garoto,
atordoando-a ela bateu em uma árvore e por lá ficou,nesse
momento as outras dispararam mais penas como facas que
feriram mais ainda os outros,ele sem ter forças para salva-los
estava em choque pois não conseguiria dar seu ombro para
todos 4 amigos para conseguir ajudar a correr dessas
criaturas,nesse mesmo se manteram firmes tentando correr com
as forças que lhe restavam caiu do céus um martelo esmagando
uma das outras criaturas que voô para sua frente tentando dar
outras rajada de penas,arthas parou em choque vendo aquilo
como única salvação pois não conseguiriam correr para sempre
com aqueles ferimentos tentou pegar o martelo,nesse momento
os céus ecoaram o som de um trovão que atordoou todas as
criaturas que haviam pegado altitude e as luzes acenderam para
o filho reconhecido de Zeus seu corpo emanando eletricidade
dos pés aos olhos levantando o martelo raios caíram e foram
disparados contra as criaturas que viraram cinzas na hora
sobrando apenas a maior delas que fugiu,assustado com tudo
isso ouviu uma voz.
“- Não temas meu filho os céus conspiram a sua vontade,e esse
martelo será sua ligação a mim.”
Muito preocupado com seus amigos feridos e agradecido pela a
força concedida para salva-los,correu cheio de fé para a cidade
com seus amigos para um templo do deus Apolo em busca de
cura e salvação para seus amigos que já pareciam ter
falecido,mas ele tinha fé e isso não abalaria sua vontade pela
salvação logo foi socorrido pelos monges e seus amigos levados
para serem curados,nesse momento um dos monges perguntou.
Monge “– Oque aconteceu com eles meu jovem?”com um pouco
de medo respondeu oque sabia,Arthas“-Caro senhor não sei
tínhamos apenas saído para caçar como sempre,e quando
voltavamos criaturas estranhas nos atacaram a qual nunca tinha
visto antes.” O monge assustado deixou a conversa e foi ajudar
no tratamento dos garotos,o jovem Arthas esperou muito para
saber se ficariam bem o monge então retornou com uma cara
triste e disse.
Monge “- Desculpe mas não conseguimos salvar todos,um dos
seus amigos não resistiu os ferimentos.” Quando fui ver era meu
melhor amigo com um sentimento de felicidade pelos outros mas
de tristeza e ódio por conta de seu amigo que morreu tentando
fugir com ele engoliu às lágrimas que pareciam ácidas naquele
momento,foi para casa olhando novamente para o martelo viu
nele o símbolo que tinha em um dos templos da cidade e
percebeu que o mesmo de um templo a qual sua mãe
frequentava que era uma águia,ao chegar em casa foi tomar um
banho deixando o martelo no quarto logo após foi comer pois
estava exausto e quando sua mãe chegou do trabalho pois é uma
das maiores comerciantes da cidade,quando ela chegou e se
assentou para beber e descansar do árduo dia de trabalho eu á
perguntei sobre o símbolo,ela então respondeu filho esse
simboliza uma das formas do Deus dos céus Zeus,surpreendido
pois poderia ser filho do tal homem após sua mãe terminar
alguns a fazeres em casa peguei o tal martelo e mostrei a ela,e
ela sem entender começamos a conversar.
Ela sem entender direito pensou e falou,Jane“-Filho decidiu se
tornar um gladiador?” então respondi.
Arthas “- Não mãe,depois da caça que eu e meus amigos sempre
fazemos fomos atacados,por criaturas estranhas e quando
estávamos quase sem esperança esse martelo desceu dos céus
como a última esperança,e logo após isso ouvi a voz de um
homem chamando-me de filho e tive poder para salvar quase
todos meus amigos enquanto raios caíram nas criaturas.”,minha
mãe assustada falou.
Jane “- Filho você está doido porque está inventando isso?.”, eu
permaneci com uma feição no rosto fechada e ela perguntou.
Arthas“- Não estou inventando,olhe isso é o mesmo símbolo do
templo que frequenta quando tocou-lhe lembrou do homem e viu
todas as cenas que seu filho falou se passarem diante de seus
olhos.”
Arthas“-Estou feliz mãe por filho dele,ele me salvou mas meu
amigo foi morto por aquelas criaturas que estavam atrás de mim
por minha culpa,mas uma escapou e ela pagará.”
Jane“-Pelo amor de zeus,eu não acredito fui abençoada e
escolhida pelo próprio zeus para te-lô que honra, filho não se
culpe seu pai deve ter um próposito para tudo.”
Depois disso fui dormir terminando a conversa com minha mãe
estava muito cansado,enquanto isso um dos monges a qual eu
tinha contado a história que eu havia passado foi a minha casa
ter uma conversa com minha mãe,chegando lá minha mãe
surpresa atendeu-o e convidou para entrar ele perguntou sobre
mim ela falou que eu estava dormindo ele em ar de alívio falou.
Monge “- Dona seu filho precisa deixar a cidade e seguir para um
acampamento onde dizem ter crianças igual a ele,pois se essa
criança ficar ele atrairá mais criaturas para nossa cidade.”
Jane “- Senhor você não tem o direito de chegar em minha casa
para dizer que tenho que expulsar meu filho de casa e dá
cidade,oque ele vai pensar que tipo de mãe serei?”
Monge “- Não trata-se de expulsa-lo mas envia-lo para um
proposito maior a qual ele nasceu,e também para salvar nosso
povo ele não pode defender todos nós,se você não fizer nada eu
farei.”
E com isso ele foi embora,minha mãe desesperada sem saber
oque fazer olhava-me entre a porta do meu quarto enquanto
dormia,enquanto isso eu caí em um sono profundo e vi muitas
coisas e dentre elas um homem velho de cabelos brancos e olhos
azuis me via em lugar nos céus cheio de casas.
No dia seguinte quando acordei me deparei com minha mãe
comendo sua refeição com uma cara muito triste,então me
sentei em uma das cadeiras e perguntei.
Arthas “- Oque há contigo mãe hoje?”
Jane “- Fui avisada que infelizmente iremos nos separar.”
Arthas “- Oque,porque mãe?,Para onde vai?.”
Jane “- Não sou eu quem vai partir meu filho,será você um dos
monges acredita que você sendo filho do grande Zeus precisa ir
para um acampamento onde trilhara seu destino.”
Arthas “- Mas eu não quero mãe,meu destino é ficar aqui com
você ajuda-lá.”
Jane “- Filho eu também quero muito isso,mas se não for feito
aquele homem fará acontecer aquelas criaturas continuaram a
te procurar isso resultará em mortes,como ele disse no momento
você não pode defender todos nós.”
Arthas “- Mãe...,Eu entendo se for assim que queria farei por
você,eu sonhei com muitas coisas que antes nunca havia visto e
acho que uma delas foi esse acampamento.”
Jane “- Então é verdade mesmo,não fique triste prometo que nos
veremos pode vir aqui pois sempre será sua casa, a propósito seu
pai cuidará de você seu martelo tentei guarda-lo mas é muito
pesado então deixei no lugar,mas arrumei muitas coisas para
quando você partir creio que o monge não nós dará mais que
dois dias.”
Arthas “- Meu pai me falou sobre ele ou pelomenos eu ouvi sobre
ele,que só quem for digno terá força para levanta-lo.”
Eu após terminar minha refeição peguei minha coisas e o martelo
me despedi com lágrimas nos olhos da minha mãe e amigos e
seguir para onde me foi dito pelo monge a qual me deu um
mapa,mas com um ódio avassalador guardado dá criatura que
matou meu amigo,mas estava certo que se fosse pra lá me
descobrisse mais e os perigos poderia voltar um dia para casa, e
vingar meu amigo a qual morreu para aquele monstro,então
segui fazendo algumas paradas para descansar e comer peguei
uma das capas dos monges brancas com uma águia nas costas e
continuei para meu destino,em busca do propósito a qual me
aguardava seja do meu pai ou outro.

Related Interests