You are on page 1of 84

 Concreto é um material de construção resultante

da mistura de um aglomerante (cimento), com


agregado miúdo (areia), agregado graúdo (brita),
água e eventualmente aditivos em proporções
exatas e pré definidas.
 A pasta formada pelo cimento e água atua
envolvendo os grãos dos agregados, enchendo os
vazios entre eles e unindo esses grãos, formando
uma massa compacta e trabalhável.
 A função dos agregados é dar ao conjunto
condições de resistência aos esforços e ao
desgaste, e também redução no custo e redução
na retratração.
 Após a mistura, obtém-se o concreto fresco,
material que deve oferecer plasticidade e
trabalhabilidade adequada ao emprego que se
destina, permitindo a sua moldagem.
 Ao longo do tempo, o concreto endurece em
virtude de reações químicas entre o cimento e a
água (hidratação do cimento).
 A resistência do concreto aumenta com o tempo,
propriedade esta que o distingue dos demais
materiais de construção.
 O concreto simples possui elevada resistência
aos esforços de compressão, mas sua resistência
a tração é muito baixa.

 A resistência a tração é da ordem de 1/10 da


resistência a compressão.
 Devido a baixa resistência a tração, procurou-se
então, adicionar ao concreto simples outros
materiais para melhorar sua resistência.

 A utilização de barras de aço juntamente com o


concreto, só e possível devido as seguintes
razões:
1) Trabalho conjunto do concreto e do aço é assegurado pela
aderência entre os dois materiais:

 Na região tracionada, onde o concreto possui resistência


praticamente nula, ele sofre fissuração, tendendo a se deformar,
o que graças a aderência, arrasta consigo as barras de aço
forçando-as a trabalhar absorvendo os esforços de tração.

 Nas regiões comprimidas, uma parcela de compressão poderá


ser absorvida pela armadura, no caso do concreto, isoladamente,
não ser capaz de absorver a totalidade dos esforços de
compressão.
2) Os coeficientes de dilatação térmica do aço e do concreto são
praticamente iguais:

 A
 A
3) O concreto exerce dupla proteção contra a oxidação do aço
da armadura garantindo a durabilidade da estrutura:

 Proteção física: através do cobrimento das barras protegendo-as


do meio exterior;

 Proteção química: em ambiente alcalino que se forma durante a


hidratação do concreto, forma-se uma película quimicamente
inibidora de reagentes, em torno da armadura.
 Concreto Armado é um material de construção
resultante da união do concreto simples e de
barras de aço, envolvidas pelo concreto, com
perfeita aderência entre os dois materiais, de tal
maneira que resistam ambos solidariamente aos
esforços a que forem submetidos.
 cimento + água = pasta de cimento

 pasta de cimento + agregado miúdo = argamassa

 argamassa + agregado graúdo = concreto comum

 concreto + armadura passiva = concreto armado

 concreto + armadura ativa = concreto protendido


 neste caso a armadura (ou a cordoalha) é preliminarmente submetida a
esforços de tração visando melhorar o desempenho estrutural da peça.
1. Grande Economia quando os agregados são provenientes de
locais próximos a obra, exceto em casos de vãos muito grandes.
2. Não exige mão de obra especializada ou equipamento específico
por possuir fácil emprego e manuseio.
3. Resistência ao desgaste mecânico e a pequenos choques ou
vibrações.
4. Adaptação a qualquer tipo de forma.
5. Baixa manutenção e conservação.
6. Resistência ao fogo.
7. Impermeabilidade.
8. Durabilidade.
1. Grande peso-próprio 2500 kg / m3 (pode ser reduzido com
utilização de agregados leves).
2. Demora de utilização (o prazo pode ser reduzido com a utilização
de aditivos).
3. Reforma e demolições difíceis ou até impossíveis.
4. Baixo grau de proteção térmica.
 Nas construções usuais, as superfícies nas quais
serão aplicados os revestimentos, predominam as
constituídas pelos materiais: concreto, alvenarias de
tijolos, de blocos cerâmicos e de blocos de concreto.
 Estes materiais, em função da variedade de
dimensões dos tijolos e blocos e do rudimento das
técnicas de execução, podem induzir irregularidades
das superfícies: nas paredes, quanto à planaridade, à
verticalidade e horizontalidade do topo e da base; nos
pisos e nos tetos, quanto à planaridade e
horizontalidade. Para que se tenha um acabamento
de boa qualidade técnica e de bom aspecto na
aplicação de revestimentos (principalmente em forma
de placas), as irregularidades precisam ser corrigidas.
 A argamassa tem a função de unir os blocos, vedar o
conjunto, compensar imperfeições, distribuir cargas e
absorver pequenas deformações. Ela deve ainda
apresentar boa trabalhabilidade e capacidade de reter
água sem alterar as suas funções primárias, apresentar
aumento de resistência significativo nas primeiras horas
para resistir aos esforços da própria construção,
adequada aderência para absorver esforços de
cisalhamento e deve ser durável.
 As argamassas compostas com os aglomerantes
cimento e/ou cal, podem por si só constituir o
revestimento, como também são utilizadas para a
correção de eventuais irregularidades,
constituindo a base para a posterior aplicação de
outros revestimentos em forma de placas, como
os cerâmicos e algumas pedras de faces planas,
ou ainda são utilizadas como elemento de ligação
e aderência entre as superfícies sobre as quais
serão aplicados revestimentos com faces
relativamente irregulares, como as pedras brutas.
 As argamassas são aplicadas, desde uma só
camada, ou em camadas sobrepostas, cada qual
com características próprias quanto aos materiais
que a compõem, quanto à granulometria dos
agregados, quanto às proporções entre os
componentes e quanto à técnica de aplicação.
Esta diversidade implica também em variedade de
indicações de utilização, variedade de custos e
variedade de textura do acabamento,
constituindo superfícies desde lisas, levemente
ásperas até as rústicas.
 O revestimento conhecido como reboco ou massa fina é
feito com argamassa preparada, inicialmente com cal
hidratada e areia fina, que juntos devem constituir mistura
bastante homogênea, à qual será acrescida água
suficiente para umedecê-la. Assim, é colocada em
repouso por algum tempo (recomendável entre 10 e 14
dias), com o fim de melhorar a hidratação da cal. Depois
é acrescida de água e cimento para que seja lançada e
estendida com colher de pedreiro sobre a camada de
chapisco ou sobre o emboço. É desempenada com régua
e desempenadeira de madeira e posteriormente alisada
com bloco de espuma de nylon, de consistência macia.
 Constitui acabamento áspero com baixo custo de
execução e por isso tem seu uso bastante disseminado.
Precisa, posteriormente, receber camada de pintura.
 Traço a proporção entre os componentes das
argamassas (neste caso: cimento, cal hidratada e
areia).
 Os traços variam de acordo com a utilização que
vai ser dada à argamassa.
 A tabela a seguir apresenta os traços indicados
para as utilizações mais comuns das argamassas,
onde:
◦ O Cimento e a areia são medidos secos e soltos.
◦ A Cal hidratada é medida em estado pastoso firme.
◦ A Água é a menor quantidade possível para
trabalhabilidade necessária.

Fonte:
TCPO* – Editora Pini
* Tabela de Composições de Preços para Orçamentos
 Para argamassas de uso imediato, os passos
para mistura manual são:
◦ Medir primeiro o agregado miúdo (areia) e esparramar
para formar uma camada de cerca de 12cm de altura;
◦ sobre essa camada de areia colocar os aglomerantes
(cal hidratada e cimento);
◦ mexer até formar uma mistura homogênea,
depois, amontoar a mistura, abrindo um espaço no
meio para adição da água;
◦ adicionar e misturar a água aos poucos, evitando o
excesso.
 Já para mistura mecânica o procedimento é o
seguinte:
◦ Ligar a betoneira (ou similar);
◦ colocar o agregado (areia);
◦ adicionar a metade da água;
◦ colocar os aglomerantes (cal hidratada e cimento);
◦ adicionar o resto da água, evitando sempre colocar em
excesso;
◦ tempo de mistura: de 3 a 5 minutos.
 “Se for possível deixar a argamassa em descanso
(entre 16 e 24 horas), pode-se obter maior
rendimento, melhor liga e redução das
microfissuras, entre outras vantagens. É a
chamada argamassa intermediária, em que se
misturam a cal hidratada e a areia, sem adicionar
o cimento portland. Depois da maturação, coloca-
se o cimento no momento da aplicação.”

 Fonte: Guia das Argamassas nas Construções, da Associação


Brasileira dos Produtores de Cal – ABPC.
 Não se recomenda que as argamassas base para
pinturas do tipo epóxi contenham cal, que retarda
a cura e diminui sua resistência, podendo a
argamassa ser desagregada pelas tensões
provocadas pelo processo de polimerização das
resinas epóxi. Recomenda-se que se consultem
os fabricantes das tintas epóxi, para definição dos
traços recomendados para as argamassas base
para as pinturas deste tipo.
 Existem diferentes tipos de aditivos químicos que
podem ser utilizados nas argamassas, entre eles:
impermeabilizantes, adesivos, aceleradores de
pega, retardadores de pega, plastificantes,
controladores de fissuração, etc. Recomenda-se
que se consulte o fabricante dos aditivos para
definição dos traços das argamassas a serem
aditivadas e a especificação e proporção do
aditivo a ser utilizado.
 Filito  Mineral originado de rocha e metamórfica
com granulação fina.
 Sua composição mineralógica é constituída por 40
a 50% de caulinita, 25 a 30% de sericita e 10 a
25% de quartzo.
 Pode-se dizer que ele é um intermediário entre a
ardósia e mica-xisto.
 Na construção civil o filito é utilizado como
aglutinante e plastificante, para melhorar a
trabalhabilidade da argamassa no estado fresco.
 O filito é uma matéria-prima natural, sem controle
de qualidade, norma técnica ou padrão de
fabricação.
 Assim, é impossível garantir uma mistura
homogênea pois cada lote desse produto possui
características muito diferentes de um outro.
 Se numa obra, eventualmente ocorrer um erro na
mistura da água + cal + cimento + areia e essa
argamassa ficar empobrecida (aglomerante
insuficiente), ela não vai aderir à parede,
denunciando imediatamente o problema ao
pedreiro que será obrigado a corrigir o problema.
 Se o mesmo erro ocorrer na mistura com filito, a
argamassa empobrecida vai aderir à parede
devido ao alto poder aglutinante desse material no
estado fresco. E quando a argamassa secar, vai
esfarelar.
 Além disso, O filito tem rendimento bem inferior
ao da cal. Um saco de 20 kg de cal hidratada
chega, em alguns casos, a apresentar rendimento
superior ao de 2 sacos de filito, o que derruba a
tese da economia em substituir a cal.
 Para se fazer real economia na argamassa, o
ideal é garantir uma alvenaria de boa qualidade,
perfeitamente aprumada e nivelada, evitando o
desperdício.
 É comum em obras corrigir problemas de
alinhamento da alvenaria “tirando na massa”.
 Como consequência, o consumo de cimento, cal e
areia supera em muito as previsões do orçamento
inicial da obra.
Esse material tem a mesma constituição do concreto armado sem
o agregado graúdo, porém são utilizadas telas soldadas como
armação.

Os elementos de argamassa armada são caracterizados pela


pequena espessura - da ordem de 20 mm em média, o que lhe
permite possuir baixo peso unitário, tornando-se adequado as
construções leves.

Possui fácil modelagem, apresenta ausência de fissuras


macroscópicas quando sob impacto, possui razoável resistência
mecânica.
Emprego:
 Escadarias drenantes (escada cuja parte inferior passa a rede
de esgoto) sendo, por isso, utilizadas em caminhos de acessos
a habitações localizadas nas encostas.
 Muros de arrimo.
 Cobertura de grandes e pequenos vãos.
 Piso e cobertura de passarelas.
 Sistema construtivo para escola pavimento único.
 Revestimento de canais.
 Silos agrícolas.
 O Graute é um concreto fino, constituído de
cimento, água e agregados graúdo com baixo
módulo de finura para proporcionar elevada
fluidez e preencher os vazios dos blocos.
 O Graute Ajuda a aumentar a resistência da
parede contra os esforços de compressão. A
resistência deve ser duas vezes maior que a
resistência do bloco estrutural e deve seguir à
norma NBR 10837.
 A estabilidade da alvenaria estrutural é obtida através
do aço envolvido pelo graute, que combate os esforços
de tombamento (flexão) na alvenaria.
O grauteamento deve ser feito lembrando que a
ferragem deve ser colocada antes, tanto horizontal
quanto verticalmente.
É um concreto obtido com um aditivo superfluidificante e com a adição de
sílica ativa.

O CAD é um concreto com propriedades superiores as do concreto


tradicional, sobretudo quanto a durabilidade e a resistência.

Ele é mais resistente, menos poroso, mais impermeável, mais resistente a


ambientes agressivos, apresentando maior proteção para as armaduras e
possui maior durabilidade.

Enquanto as resistências características (fck) dos concretos tradicionais


normalmente não ultrapassam 30MPa, com o CAD é possível se atingir
resistências superiores a 100MPa.
mas
mas
É utilizado em pavimentações urbanas, como sub-base de
pavimentos e barragens de grande porte.
Característica: Concreto de consistência seca, aplicado por
espalhamento manual ou mecânico (espalhador,
motoniveladora ou pá carregadeira) e compactado com
rolo vibratório liso, equipamentos usuais de pavimentação.
É também chamado de concreto pobre rolado ou brita
graduada tratada com cimento, devido a maioria das vezes
ter baixo consumo de cimento.
Utilização: Sub-base de pavimentos asfálticos
(flexíveis) ou rígidos (concreto); barragens; etc.
Nota: O concreto rolado poderá ser utilizado como
pavimento definitivo, no entanto o consumo de cimento
será maior.