You are on page 1of 11

CURSO ANUAL DE HISTÓRIA DO BRASIL

Prof. Márcio Michiles

REVOLTAS COLONIAIS- MOVIMENTOS NATIVISTAS E bancos da Holanda que os financiavam no passado não mais o
EMANCIPACIONISTAS faziam. Como tinham controle sobre a autoridade local, a Câmara
de Olinda, esses senhores de engenho induziram o governo a
6.1) CONTEXTO aumentar os impostos que os comerciantes tributavam. A maior
parte desses comerciantes estava em Recife e, em protesto, entre
Durante a colonização do Brasil, muitos problemas foram se
os anos de 1710 e 1711, rebelou-se contra Olinda. Esses
apresentando. Tais problemas abrangiam situações como a forma
de concessão de terrenos para colonos e aventureiros que vinham comerciantes eram chamados de mascates, por isso o nome da
revolta.
de Portugal para aqui se estabelecer, a extração de recursos
A Guerra dos Emboabas: Essa guerra ocorreu dois anos antes da
naturais, como o pau-brasil, o apresamento e o tráfico de
indígenas, entre outras coisas. Essas situações acabaram Guerra dos Mascates, porém na Capitania de Minas de Gerais.
Assim como o termo “mascate” era atribuído pejorativamente aos
promovendo as chamadas contradições da colonização. De tais
contradições, as Rebeliões Nativistas acabariam por se tornar comerciantes recifenses pelos senhores de Engenho de
Pernambuco, o termo “emboaba” era usado pelos mineiros, em
emblemáticas.
geral bandeirantes paulistas estabelecidos na Capitania de Minas
A expressão “Rebeliões Nativistas” refere-se às revoltas e
tentativas de revoluções políticas que se desenrolaram em solo Gerais, em referência aos estrangeiros que vinham a essa
Capitania à procura de metais preciosos. A Guerra aconteceu,
brasileiro entre os séculos XVII e XVIII. Essas rebeliões
portanto, entre paulistas e os “emboabas”, tendo solução apenas
aconteceram nesse período especialmente porque o sistema
no ano de 1709.
colonial (começado efetivamente em 1530) já estava consolidado
A Revolta de Vila Rica: Essa revolta, conhecida também
no Brasil e a Corte Portuguesa já conseguia exercer sua
autoridade na maior parte do território que dominava, sobretudo como Revolta Felipe dos Santos, também ocorreu na Capitania de
Minas Gerais, porém não entre mineiros ou prospectores de
naqueles que se tornaram os grandes polos de atividade
metais, mas entre líderes políticos locais e a autoridade real da
econômica: a Capitania de Pernambuco e a Capitania de Minas
Gerais. Coroa Portuguesa. Os motivos da Revolta de Vila Rica (lugar onde
o conflito estourou) eram semelhantes às das outras: a imposição
Contudo, o estabelecimento pela Coroa de regras e de exigências
para os colonos, como a cobrança de impostos sobre o que se de alta carga tributária (impostos) aos nativos pela Coroa. O
conflito se deu no ano de 1720, e o seu nome secundário remete a
produzia, chocava-se com as perspectivas dos próprios nativos,
um dos revoltosos, o tropeiro Felipe dos Santos.
que aqui passaram a fazer suas próprias regras, inclusive, em
alguns momentos, articulando-se com outros povos europeus, A Revolta de Vila Rica, em especial, tornou-se um preâmbulo para
as chamadas Rebeliões Separatistas, como a Inconfidência
como os holandeses e os espanhóis. Esse choque de
Mineira
perspectivas gerou situações extremas, provocando confrontos e
tentativas de instituição de governos paralelos com autonomia
política. 6.2) CRISE COLONIAL
A chamada Aclamação de Amador Bueno, que ocorreu Os monopólios, a severa fiscalização e a alta tributação
na Capitania de São Paulo, por exemplo, consistiu em uma coincidiram com uma situação internacional propicia a
tentativa dos bandeirantes paulistas de elegerem o fazendeiro e independência. O pacto colonial, antes considerado um pacto
também bandeirante, Amador Bueno, governador da referida entre irmãos, ficava nitidamente caracterizado como beneficiador
Capitania à revelia da Coroa. As razões para tanto vinham das apenas da metrópole.
restrições que a Coroa Portuguesa, após o fim da União Ibérica, As primeiras rebeliões não se manifestaram com a ideia de
passou a impor ao tráfico de índios na colônia (uma das atividades conseguir a independência. Eram as rebeliões nativistas que a
mais lucrativas para os bandeirantes) e, sobretudo à princípio contestavam alguns aspectos específicos do pacto
comercialização com os espanhóis por meio das fronteiras na colonial, não a dominação da metrópole como um todo. Além de
região Sul. serem regionais sem uma preocupação nacional.
Outro exemplo foi a Revolta de Beckman, ocorrida em 1684, na Somente um século depois, quando a exploração da colônia se
cidade de São Luís do Maranhão. Essa revolta teve como motivo agravou é que as rebeliões adquiriram caráter de libertação
central as exigências de melhorias nas relações entre Maranhão e nacional. Os objetivos deixaram de ser restritos exigindo-se a
a Coroa Portuguesa, que, segundo os revoltosos, não garantia o extinção do pacto colonial e autonomia política.
devido amparo à região. Os líderes da revolta
eram irmãos (Tomás e Manuel) Beckman e deram nome ao 6.3) REBELIOES NATIVISTAS - REVOLTA DE BECKMAN-
evento. A rebelião durou cerca de um ano e foi debelada por MARANHAO-1684
tropas portuguesas em 1685. No Maranhao a falta de mão-de-obra para as plantações tornou-se
Nas primeiras décadas do século XVIII, alguns confrontos um serio problema, a solução foi a utilização do índio. Entretando
tornaram-se notórios e todos estavam direta ou indiretamente os habitantes do Maranhao defrontaram-se com a resistência dos
associados à administração da Coroa Portuguesa no Brasil. Três jesuítas. Para resolver o problema a coroa portuguesa criou a
deles são notórios e seguem abaixo: Companhia Geral de Comercio do Maranhao que monopolizaria o
A Guerra dos Mascates: Esse conflito ocorreu em meio à situação comercio da região, tendo entre outras obrigações o fornecimento
em que a Capitania de Pernambuco encontrava-se nas décadas de 500 escravos negros por ano durante 20 anos. Deveria
que se seguiram após a expulsão dos holandeses em 1654. A também fornecer aos habitantes gêneros alimentícios importados
situação financeira dos senhores de engenho, cujo centro político e adquirir tudo que fosse produzido na região para exportação.
estava na cidade de Olinda, agravava-se, haja vista que os

VestCursos – Especialista em Preparação para Vestibulares de Alta Concorrência


CURSO ANUAL DE HISTÓRIA DO BRASIL – (Prof. Márcio Michiles)

Os administradores da Companhia não so faltaram com as 6.7) MOVIMENTOS DE LIBERTAÇAO NACIONAL OU


obrigações, mas abusaram de todo tipo de roubos. Os pesos e EMANCIPATORIOS - CONJURAÇAO MINEIRA- 1789
medidas eram falsos, colocavam os gêneros que deveriam Os aluviões de ouro esgotavam-se e os conflitos com a metrópole
abastecer a venda tudo em pouca quantidade e por preços aumentavam. Em 1788, desembarcou no Brasil o Visconde de
superiores aos de mercado, inclusive com os escravos. Barbacena, com a missão de executar a derrama. Era esperada
Os habitantes da região exigiram na revolta a expulsão dos violência por parte das autoridades, os dragões invadiriam
jesuítas e a revogação do monopólio da Companhia, conseguiram domicílios, realizariam saques e encarcerariam e ate torturariam
a revogação da Companhia e a nomeação de um novo os que protestassem. A influencia do iluminismo somado a crise
governador para o estado. Mesmo assim o movimento perdeu da região e a opressão fiscal da metrópole fizeram nascer a
força e dois de seus lideres foram executados e os jesuítas conjura.
retornaram a região. Os rebeldes defendiam o fim do pacto colonial e o
desenvolvimento de manufaturas têxteis e siderúrgicas, além do
6.4) GUERRA DOS EMBOABAS- SÃO PAULO- 1707-1709 estimulo a produção agrícola. No plano politico, alguns almejavam
A descoberta das minas provocou um intenso fluxo migratório para a república, enquanto outros a monarquia constitucional. A maioria
Minas Gerais. Todos os recém-chegados eram chamados de era contra a abolição.
emboabas pelos paulistas que já habitavam a região e que ali O movimento não conseguiu sucesso , isolados da massa popular,
tinham descoberto ouro. denuncias acabaram com o planejamento. O traidor foi Joaquim
A maioria dos emboabas dedicaram-se ao comercio, por causa da Silvério, devedor de enormes quantias aos cofres reais, com a
alta dos preços dos manufaturados e dos gêneros alimentícios. Os delação teve sua dívida perdoada. A derrama foi suspensa e
mineradores acabaram se endividando sendo obrigados a iniciou-se a captura dos envolvidos. A investigação durou 3 anos e
hipotecar suas propriedades, acabou provocando conflitos entre foram 11 condenados a morte, mas a sentença foi alterada pela
estes grupos. rainha D. Maria I foi estabelecido o degredo perpetuo para os
O governo interveio criando a capitania de São Paulo e da Minas inconfidentes e 1 seria o bode expiatório: Tiradentes.
do Ouro.
6.8) CONJURAÇAO DO RIO DE JANEIRO-1794
6.5) GUERRA DOS MASCATES- PERNAMBUCO- 1710 Membros da Sociedade Literaria do Rio de Janeiro foram presos
Quando os holandeses foram expulsos os produtores acusados de proferirem “Os reis são uns tiranos”. Após 2 anos de
pernambucanos perderam o mercado de açúcar para os antilhano, cárcere os implicados foram considerados inocentes e postos em
a elite comercial de Recife, formada por portugueses passou a liberdade e foram obrigados a por fim a sociedade literária.
financiar a produção açucareira, centralizada em Olinda, cobrando CONJURAÇAO BAIANA OU DOS ALFAIATES-1798
elevadas taxas e executando hipotecas. Em 1798, a conspiração se transformava em rebelião contra as
Apesar da superioridade econômica, os comerciantes portugueses autoridades metropolitanas. As pessoas de Salvador encontraram
de Recife não tinham autoridade politica porque a Camara nas paredes e muros “animais-vos povo bahiense, que está por
Municipal ficava em Olinda. Em 1710 , os recifenses conseguiram chegar o tempo feliz da nossa liberdade, o tempo em que seremos
a carta regia de emancipação politica e administrativa, construindo todos irmãos, o tempo em que seremos todos iguais.”
na cidade o pelourinho o símbolo de autonomia. Como articuladores do movimento destacavam-se Joao de Deus
Os olindeses não aceitaram a perda do controle administrativo de ,Manuel Faustino ambos mulatos e alfaiates, tiveram papel de
Recife e invadiram a cidade e derrubaram o pelourinho. Os organização os soldados Luis Gonzaga e Lucas Dantas também
mascates revidaram o ataque. A coroa resolveu intervir e deu a mulatos e o tenente Aguilar Pantoja chefiava militarmente o
autonomia de Recife. movimento.
Os revolucionários preocupavam-se com os problemas
6.6) REVOLTA DE VILA RICA OU FILIPE DOS SANTOS- MINAS específicos das camadas populares, protestavam contra os
GERAIS- 1720 impostos, defendiam a abolição e propunham aumento do soldo.
Mesmo rígida a fiscalização portuguesa não conseguiu controlar o Pregavam pontos coincidentes com as doutrinas sociais francesas
contrabando de ouro e diamantes. Usava-se de toda artimanha, e a representação popular soberana além da liberdade comercial.
engolir as pepitas, esconder nos pés e unhas, narinas, cabelos e O projeto igualitário beneficiaria mulatos pobres e soldados mas
até a própria Igreja nos santinhos de pau oco. aos senhores. Depois de publicados e distribuídos boletins
A Intendencia das Minas, órgão encarregado pela administração revolucionários, os conjurados mandaram uma carta ao
da região criou as casas de fundição, por onde o ouro deveria ser governador pedindo adesão ao movimento, este não aderiu e
fundido, transformado em barra , selado e depois cobrado o quinto organizou investigações e o soldado Luis Gonzaga foi preso. Na
real. Circular com ouro em pó era crime. intenção de liberta-lo Joao de Deus recrutou pessoas de ultima
Além de pagar a fundição os exploradores tinham de fazer longas hora e acabou levando 3 espiões. Nos últimos preparativos para
caminhadas perdendo tempo, fora o tempo perdido com o tentativa de libertação da prisão foram cercados e os
despacho de requerimentos, e o ouro precisava ser purificado e conspiradores se dispersaram.
neste processo perdia-se peso. Os cárceres ficaram abarrotados de rebeldes. A violência da
Um grupo de rebeldes liderado pelo minerador Filipe dos Santos repressão expressou a popularidade do movimento. A coroa
saiu as ruas para se manifestar. O governo foi violentamente passou a conceder prêmios em dinheiro, privilégios e cargos
repressor, os lideres foram presos e Filipe foi enforcado e importantes aos denunciantes dos chamados crimes de lesa-
esquartejado sem julgamento. majestade.
Concluindo, a conjuração baiana mostrou um caráter democrático,
igualitário e popular pelo fim da dominação metropolitana e não

VestCursos – Especialista em Preparação para Vestibulares de Alta Concorrência


2
CURSO ANUAL DE HISTÓRIA DO BRASIL – (Prof. Márcio Michiles)

um simples projeto de independência sem alterar a estrutura


escravista tradicional.

6.9) INSURREIÇAO PERNAMBUCANA DE 1817


Em 1808, com a chegada da família Real no Brasil, os custos para
a colônia cresceram, para cobrir os impostos foram aumentados e
com eles as tensões coloniais. Ciente do movimento o governador
ordenou a prisão dos conspiradores, o major Jose de Barros
resistiu e matou o oficial português encarregado de prendê-lo, foi o
estopim da rebelião.
Os rebeldes dominaram Recife e constituíram um governo
revolucionário com representantes de várias classes. Os presos
políticos foram libertados, criou-se uma bandeira republicana
pernambucana, extinguiram-se os títulos de nobreza e aumentou-
se o soldo dos soldados. Foram enviados emissários para o Norte
e Nordeste.
O impacto da repressão oficial começou a desintegrar o
movimento. As tropas oficiais atacaram a republica pernambucana
por terra e por mar, cercando Recife. Os que não morreram em
combate foram presos, ocorrendo execuções sumarias na maioria
dos casos.

VestCursos – Especialista em Preparação para Vestibulares de Alta Concorrência


3
CURSO ANUAL DE HISTÓRIA DO BRASIL – (Prof. Márcio Michiles)

EXERCÍCIOS DE APRENDIZAGEM
Anotações
Questão 01
"A confrontação entre a loja e o engenho tendeu principalmente a assumir a forma de uma contenda
municipal, de escopo jurídico-institucional, entre um Recife florescente que aspirava à emancipação
e uma Olinda decadente que procurava mantê-lo numa sujeição irrealista. Essa ingênua fachada
municipalista não podia, contudo, resistir ao embate dos interesses em choque. Logo revelou-se o
que realmente era, o jogo de cena a esconder uma luta pelo poder entre o credor urbano e o
devedor rural."

(Evaldo Cabral de Mello."A fronda dos mazombos", São Paulo, Cia. das Letras, 1995, p. 123).

O autor refere-se:

a) ao episódio conhecido como a Aclamação de Amador Bueno.


b) à chamada Guerra dos Mascates.
c) aos acontecimentos que precederam a invasão holandesa de Pernambuco.
d) às consequências da criação, por Pombal, da Companhia Geral de Comércio de Pernambuco.
e) às guerras de Independência em Pernambuco.

Questão 02
A Guerra dos Emboabas, a dos Mascates e a Revolta de Vila Rica, verificadas nas primeiras décadas
do século XVIII, podem ser caracterizadas como:
a) movimentos isolados em defesa de idéias liberais, nas diversas capitanias, com a intenção de se
criarem governos republicanos.
b) movimentos de defesa das terras brasileiras, que resultaram num sentimento nacionalista, visando à
independência política.
c) manifestações de rebeldia localizadas, que contestavam aspectos da política econômica de
dominação do governo português.
d) manifestações das camadas populares das regiões envolvidas, contra as elites locais, negando a
autoridade do governo metropolitano.

Questão 03
Sobre as rebeliões ocorridas no Brasil, durante o período colonial, é correto afirmar:

( ) A Revolta de Beckmann (1684), no Maranhão, pode ser considerada a primeira rebelião de cunho
social no país, pois, com o apoio dos jesuítas, uniu brancos, escravos negros e índios contra os
desmandos da Coroa Lusitana.
( ) A Guerra dos Emboabas (1707-1709), em Minas Gerais, é considerada precursora dos ideais da
Inconfidência Mineira, pois sua liderança tentava unir mineradores paulistas e portugueses na luta
contra a expoliação da riqueza aurífera pela Metrópole.
( ) A Guerra dos Mascates (1710-1712), ocorrida em Pernambuco, não pode ser entendida como
uma revolta contra o jugo colonial, pois ela foi motivada, principalmente, por causa da disputa pelo
controle econômico e político local entre comerciantes do Recife e senhores de engenho de Olinda.
( ) A Inconfidência Mineira (1789) teve maior conotação colonial do que social, porque foi movimento
de reação dos colonos contra as pressões exercidas pela Metrópole, e porque o objetivo principal de
sua liderança era obter a separação política do Brasil de Portugal.
( ) A Conjuração Baiana (1798) teve maior conotação social do que colonial, porque sua liderança
não propunha a separação política, além de defender a Monarquia Portuguesa.

Questão 04
A coalizão de magnatas comprometidos com a revolução mineira não era monolítica, tendo na
multiplicidade de motivações e de elementos envolvidos uma debilidade potencial. Os magnatas
esperavam alcançar seus objetivos sob cobertura de um levante popular.

(Kenneth Maxwell - A devassa da devassa).

Assinale a interpretação correta sobre o texto referente à Inconfidência Mineira.

VestCursos – Especialista em Preparação para Vestibulares de Alta Concorrência


4
CURSO ANUAL DE HISTÓRIA DO BRASIL – (Prof. Márcio Michiles)

a) A Inconfidência Mineira era um movimento de elite, com propostas sociais indefinidas e que
pretendia usar a derrama como pretexto para o levante popular.
b) O movimento mineiro tinha sólido apoio popular e eclodiria com a adesão dos dragões: a polícia
Anotações
local.
c) Os envolvidos não tinham motivos pessoais para aderir à revolta, articulada em todo o país
através de seus líderes.
d) A conspiração entrou na fase da luta armada, sendo derrotada por tropas metropolitanas.
e) A segurança perfeita e o sigilo do movimento impediram que delatores denunciassem a revolta ao
governo.

Questão 05
"Rebelião que expressou as contradições do Antigo Sistema Colonial. Teve influência maçônica
iluminista, revelou objetivos emancipacionista e republicano. O movimento se diferenciou dos demais
pelo caráter social, a igualdade racial declarada nos boletins, e pela participação de elementos
provenientes das camadas populares da população (soldados, artesãos, ourives, alfaiates,
domésticas, negros escravos e forros)".

O texto refere-se à:
a) Balaiada.
b) Conjuração Baiana.
c) Revolta Farroupilha.
d) Confederação do Equador.
e) Guerra dos Mascates.

Questão 06
A chamada Guerra dos Mascates, ocorrida em Pernambuco em 1710, deveu-se:

a) ao surgimento de um sentimento nativista brasileiro, em oposição aos colonizadores portugueses.


b) ao orgulho ferido dos habitantes da vila de Olinda, menosprezados pelos portugueses.
c) ao choque entre comerciantes portugueses do Recife e a aristocracia rural de Olinda pelo controle
da mão-de-obra escrava.
d) ao choque entre comerciantes portugueses do Recife e a aristocracia rural de Olinda cujas relações
comerciais eram, respectivamente, de credores e devedores.
e) a uma disputa interna entre grupos de comerciantes, que eram chamados depreciativamente de
mascates.

Questão 07
"Cada um soldado é cidadão mormente os homens pardos e pretos que vivem escornados, e
abandonados, todos serão iguais, não haverá diferença, só haverá liberdade, igualdade e
fraternidade."

(Manifesto dirigido ao "Poderoso e Magnífico Povo Bahiense Republicano", em 1798. Cit. por NEVES,
Joana e NADAI, Elza. HISTÓRIA DO BRASIL. DA COLÔNIA À REPÚBLICA. 13 ed. São Paulo:
Saraiva, 1990. p. 119.)

Assinale a opção que melhor expressa as diferenças entre a Conjuração Baiana e a Inconfidência
Mineira:

a) os mineiros eram mais radicais do que os baianos com relação à escravidão, pois defendiam não só
liberdade dos negros mas sua participação no governo.
b) enquanto em Minas os revoltosos evitavam tocar em questões delicadas como a escravidão, na
Bahia a influência da Revolução Francesa era mais marcante.
c) a revolta na Bahia foi liderada e apoiada por setores instruídos da população, o que ditou seu tom
mais moderado, mas em Minas a população pobre foi às ruas e expulsou as lideranças conciliadoras.
d) a influência da Independência dos EUA foi mais intensa na revolta baiana, enquanto que, em Minas,
a presença dos ideais franceses foi mais forte.

VestCursos – Especialista em Preparação para Vestibulares de Alta Concorrência


5
CURSO ANUAL DE HISTÓRIA DO BRASIL – (Prof. Márcio Michiles)

Questão 08
Durante as últimas décadas do século XVIII, a colônia portuguesa na América foi palco de
movimentos como a Inconfidência Mineira (1789), a Conjuração do Rio de Janeiro (1794) e a
Anotações
Conjuração Baiana (1798). A respeito desses movimentos pode-se afirmar que:

a) demonstravam a intenção das classes proprietárias, adeptas das idéias liberais de seguirem o
exemplo da Revolução Americana (1776) e proclamarem a independência, construindo uma
sociedade democrática em que todos os homens seriam livres e iguais.
b) expressavam a crise do Antigo Sistema Colonial através da tomada de consciência, por parte de
diferentes setores da sociedade colonial, de que a exploração exercida pela Metrópole era contrária
aos seus interesses e responsável pelo empobrecimento da Colônia.
c) denunciavam a total adesão dos colonos às pressões da burguesia industrial britânica a favor da
independência e da abolição do tráfico negreiro para se constituir, no Brasil, um mercado de
consumo para os manufaturados.
d) representavam uma forma de resistência dos colonos às tentativas de recolonização
empreendidas, depois da Revolução do Porto, pelas Cortes de Lisboa, liberais em Portugal, que
queriam reaver o monopólio do comércio com o Brasil.
e) tinham cunho separatista e uma ideologia marcadamente nacionalista, visando à libertação da
Colônia da Metrópole e à formação de um Império no Brasil através da união das várias regiões até
então desunidas.

VestCursos – Especialista em Preparação para Vestibulares de Alta Concorrência


6
CURSO ANUAL DE HISTÓRIA DO BRASIL – (Prof. Márcio Michiles)

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO Questão 04


As "revoluções libertárias" de Pernambuco, no século XIX, tinham
Questão 01 um caráter separatista. A Revolução de 1817, entretanto, destacou-
O ideário da Revolução Francesa, que entre outras coisas defendia se por receber apoio de muitos padres católicos e da maçonaria.
o governo representativo, a liberdade de expressão, a liberdade de Sobre esta Revolução, podemos afirmar que:
produção e de comércio, influenciou no Brasil a Inconfidência
Mineira e a Conjuração Baiana, porque: a) o governo revolucionário recebeu uma grande influência do
Sinédrio, importante sociedade secreta de Portugal;
a) cedia às pressões de intelectuais estrangeiros que queriam b) o principal objetivo do movimento era liquidar o comércio a
divulgar suas obras no Brasil. retalho dominado pelos portugueses;
b) servia aos interesses de comerciantes holandeses aqui c) o seu líder maior - Frei Caneca - desejava a separação do
estabelecidos que desejavam influir no governo colonial. Império e a formação de uma confederação;
c) satisfazia aos brasileiros e aos portugueses, que desta forma d) o governo provisório era representado pelos proprietários rurais,
conseguiram conciliar suas diferenças econômicas e políticas. pelo comércio, clero, magistratura e forças armadas.
d) foi adotado por proprietários, comerciantes, profissionais liberais,
padres, pequenos lavradores, libertos e escravos, como justificativa Questão 05
para sua oposição ao absolutismo e ao sistema colonial. Sobre as influências filosóficas e ideológicas da Inconfidência
Mineira (1789), é correto afirmar que:
Questão 02
As contradições, amplas e profundas, do processo histórico das a) os ideais napoleônicos de ampla extensão da educação básica
Minas Gerais, acabaram gerando relações que podem ser foi a principal meta de governo dos insurretos
entendidas através dos antagonismos: colonizador/colonizado; b) o Congresso de Viena foi a principal fonte de inspiração para os
dominador/dominado; confidente/inconfidente; opressão inconfidentes brasileiros, que viam os governos da Europa central
fiscal/reação libertadora. Nesse contexto, a Coroa Portuguesa, em como as formas mais desenvolvidas de organização política
seu próprio benefício, desenvolveu uma ação 'educativa' c) as campanhas de libertação das colônias latino-americanas e o
compreendendo: nacionalismo foram as principais matrizes ideológicas da
Inconfidência
a) o estabelecimento de condições adequadas ao controle d) a independência dos EUA e o pensamento liberal e anti-
democrático da máquina administrativa. absolutista muito influenciaram os ideais dos inconfidentes
b) a realização de programas intensivos de prevenção dos súditos brasileiros
contra os abusos das autoridades.
c) o indulto por dívida fiscal e o estímulo à traição e à delação entre Questão 06
os súditos. "Rebelião que expressou as contradições do Antigo Sistema
d) o arquivamento do inquérito e queima dos autos contra os Colonial. Teve influência maçônica iluminista, revelou objetivos
inconfidentes. emancipacionista e republicano. O movimento se diferenciou dos
demais pelo caráter social, a igualdade racial declarada nos
Questão 03 boletins, e pela participação de elementos provenientes das
O movimento político organizado na Bahia em 1789 incluía em seu camadas populares da população (soldados, artesãos, ourives,
bojo e na sua liderança mulatos e negros livres ou libertos, ligados alfaiates, domésticas, negros escravos e forros)".
às profissões urbanas, como artesãos ou soldados, bem como
alguns escravos. O texto refere-se à
"Os conspiradores defendiam a proclamação da a) Balaiada.
República, o fim da escravidão, o livre comércio especialmente com b) Conjuração Baiana.
a França, o aumento do salário dos militares, a punição de padres c) Revolta Farroupilha.
contrários à liberdade. O movimento não chegou a se concretizar, a d) Confederação do Equador.
não ser pelo lançamento de alguns panfletos e várias articulações.
Após uma tentativa de se obter o apoio do governador da Bahia, Questão 07
começaram as prisões e delações. Quatro dos principais acusados A chamada Guerra dos Mascates, ocorrida em Pernambuco em
foram enforcados e esquartejados. Outros receberam penas de 1710, deveu-se:
prisão ou banimento."
a) ao surgimento de um sentimento nativista brasileiro, em
O texto anterior refere-se à: oposição aos colonizadores portugueses.
a) Conjuração dos Alfaiates. b) ao orgulho ferido dos habitantes da vila de Olinda,
b) Balaiada. menosprezados pelos portugueses.
c) Revolução Praieira. c) ao choque entre comerciantes portugueses do Recife e a
d) Sabinada. aristocracia rural de Olinda pelo controle da mão-de-obra escrava.
d) ao choque entre comerciantes portugueses do Recife e a
aristocracia rural de Olinda cujas relações comerciais eram,
respectivamente, de credores e devedores.

VestCursos – Especialista em Preparação para Vestibulares de Alta Concorrência


7
CURSO ANUAL DE HISTÓRIA DO BRASIL – (Prof. Márcio Michiles)

Questão 08 d) representavam uma forma de resistência dos colonos às


No período colonial surgiram várias rebeliões e movimentos tentativas de recolonização empreendidas, depois da Revolução do
libertação que questionaram a dominação portuguesa sobre o Porto, pelas Cortes de Lisboa, liberais em Portugal, que queriam
Brasil. A respeito dessas rebeliões, podemos afirmar que: reaver o monopólio do comércio com o Brasil.

I - Todos os Movimentos de contestação visavam à separação Questão 11


definitiva do Brasil de Portugal. 4) "Cada um soldado é cidadão mormente os homens pardos e
II - Até a 1° metade do século XVIII, os movimentos contestatórios pretos que vivem escornados, e abandonados, todos serão iguais,
exigiam mudanças, mas não o rompimento do estatuto colonial. não haverá diferença, só haverá liberdade, igualdade e
III - Desde o final do século XVIII, os movimentos de libertação fraternidade."
sofreram a influência do Iluminismo e defendiam o fim do pacto (Manifesto dirigido ao "Poderoso e Magnífico
colonial. Povo Bahiense Republicano", em 1798. Cit. por NEVES, Joana e
VI - A luta pela abolição da escravatura era uma das propostas NADAI, Elza. HISTÓRIA DO BRASIL. DA COLÔNIA À
presentes em basicamente todas as rebeliões. REPÚBLICA. 13 ed. São Paulo: Saraiva, 1990. p. 119.)
V - Uma das razões de vários movimentos contestatórios era o
abuso tributário da Coroa Portuguesa em relação aos colonos: Assinale a opção que melhor expressa as diferenças entre a
Conjuração Baiana e a Inconfidência Mineira:
Estão corretas as afirmativas: a) os mineiros eram mais radicais do que os baianos com relação à
a) somente I, II e III. escravidão, pois defendiam não só liberdade dos negros mas sua
b) somente I, III e V. participação no governo
c) somente II, III e IV. b) enquanto em Minas os revoltosos evitavam tocar em questões
d) somente II, III e V. delicadas como a escravidão, na Bahia a influência da Revolução
Francesa era mais marcante
Questão 09 c) a revolta na Bahia foi liderada e apoiada por setores instruídos
A respeito da Revolução de 1817, que empolgou vários estados do da população, o que ditou seu tom mais moderado, mas em Minas
nordeste do Brasil, podemos afirmar corretamente que: a população pobre foi às ruas e expulsou as lideranças
conciliadoras
a) criticava a política absolutista de D. João VI e cogitava da d) a influência da Independência dos EUA foi mais intensa na
República como forma de governo, mas não conseguiu estabelecer revolta baiana, enquanto que, em Minas, a presença dos ideais
um consenso sobre a abolição da escravidão franceses foi mais forte
b) pregava uma mudança total na situação do Brasil, com a
instalação de uma República federativa, o fim da escravidão e a Questão 12
divisão das terras entre os colonos A crise do Antigo Sistema Colonial (final do século XVIII) pode ser
c) não pretendia a independência de Portugal, mas apenas uma caracterizada através de um conjunto de fatos abaixo relacionados,
maior representação dos brasileiros nas Cortes portuguesas com EXCEÇÃO de um. Assinale-o.
d) apesar do radicalismo dos líderes revoltosos, o movimento não
chegou a incorporar as classes médias e os intelectuais a) As pressões da França industrializada, a cobiça norte-americana
sobre os mercados latinos-americanos e o avanço do liberalismo
Questão 10 nos países ibéricos;
Durante as últimas décadas do século XVIII, a colônia portuguesa b) A Revolução Industrial Inglesa, a crítica liberal às práticas
na América foi palco de movimentos como a Inconfidência Mineira mercantilistas e a invasão napoleônica na Península Ibérica;
(1789), a Conjuração do Rio de Janeiro (1794) e a Conjuração c) O descontentamento dos colonos com a política econômica e
Baiana (1798). A respeito desses movimentos pode-se afirmar que: fiscal metropolitana e a difusão da idéia de "revolução" entre as
elites coloniais;
a) demonstravam a intenção das classes proprietárias, adeptas das d) As tentativas de redefinir o Sistema, de modo a atender as
idéias liberais de seguirem o exemplo da Revolução Americana críticas dos colonos, mas sem abrir mão do "exclusivo".
(1776) e proclamarem a independência, construindo uma
sociedade democrática em que todos os homens seriam livres e Questão 13
iguais. "Atrás de portas fechadas,
b) expressavam a crise do Antigo Sistema Colonial através da à luz de velas acesas,
tomada de consciência, por parte de diferentes setores da entre sigilo e espionagem
sociedade colonial, de que a exploração exercida pela Metrópole acontece a Inconfidência."
era contrária aos seus interesses e responsável pelo (Cecília Meireles.
empobrecimento da Colônia. ROMANCEIRO DA INCONFIDÊNCIA)
c) denunciavam a total adesão dos colonos às pressões da Explique:
burguesia industrial britânica a favor da independência e da a) Por que a Inconfidência, acima evocada, não obteve êxito.
abolição do tráfico negreiro para se constituir, no Brasil, um b) Por que, não obstante seu fracasso, tornou-se o movimento
mercado de consumo para os manufaturados. emancipacionista mais conhecido da história brasileira?

VestCursos – Especialista em Preparação para Vestibulares de Alta Concorrência


8
CURSO ANUAL DE HISTÓRIA DO BRASIL – (Prof. Márcio Michiles)

Questão 14
A execução de Tiradentes teve um sentido bem mais amplo que o
de um enforcamento. Tratava-se de uma punição exemplar:
esquartejar, exibir o corpo nos locais onde os "crimes" foram
praticados, salgar terrenos e demolir casas faziam parte do esforço
de apagar a memória do "criminoso" e reavivar a memória da
punição de seus crimes. Por estas práticas, afirmava-se o poder do
soberano e incutia-se temor em seus súditos.

(Adaptado da série REGISTROS, nº 15, DPH,


1992)

a) Por que as reivindicações dos participantes da Conjuração


Mineira foram consideradas "crimes", em 1789?
b) O que quer dizer castigo exemplar?

Questão 15
"O poderoso e magnífico povo baiense republicano (...),
considerando os repetidos latrocínios que se faz com os títulos e
imposturas, tributos e direitos que são cobrados por ordem da
Rainha de Lisboa e, no que respeita à inutilidade da escravidão do
mesmo povo, tão sagrado e digno de ser livre, com respeito à
liberdade e igualdade, ordena, manda e quer que, futuramente, seja
feita nesta cidade o seu termo a sua revolução exterminando para
sempre o péssimo jugo reinável na Europa,...".

(Manifesto de 12 de agosto de 1798, onde os envolvidos


na Conjuração Baiana ou Revolução dos Alfaiates expunham suas
posições).

Apoiando-se no texto anterior, identifique as idéias inspiradoras da


conjura e caracterize o tipo de insatisfação social que ela
expressava contra o sistema colonial vigente.

VestCursos – Especialista em Preparação para Vestibulares de Alta Concorrência


9
CURSO ANUAL DE HISTÓRIA DO BRASIL – (Prof. Márcio Michiles)

RESOLUÇÕES DAS QUESTÕES DE CASA

Questão 01:
Resolução:

Resposta: Alternativa D

Questão 02:
Resolução:

Resposta: Alternativa C

Questão 03:
Resolução:

Resposta: Alternativa A

Questão 04:
Resolução: .

Resposta: Alternativa D

Questão 05:
Resolução:

Resposta: Alternativa D

Questão 06:
Resolução:

Resposta: Alternativa B

Questão 07:
Resolução:

Resposta: Alternativa D

Questão 08:
Resolução:

Resposta: Alternativa D

Questão 09:
Resolução:

Resposta: Alternativa B

Questão 10:
Resolução:

Resposta: Alternativa B

Questão 11:
Resolução:

Resposta: Alternativa A

Questão 12:
Resolução:

VestCursos – Especialista em Preparação para Vestibulares de Alta Concorrência


10
CURSO ANUAL DE HISTÓRIA DO BRASIL – (Prof. Márcio Michiles)

Resposta: Alternativa B

Questão 13:
Resolução: a) Pois eram insurgentes à coroa portuguesa.
b) Fazer de exemplo para se evitar outros movimentos iguais.

Resposta: Alternativa

Questão 14:
Resolução: a) Os personagens envolvidos na conspiração foram denunciados e presos antes do início do movimento.
b) Trata-se do primeiro movimento emancipacionista para o Brasil inteiro. Os anteriores tiveram caráter regional.

Resposta: Alternativa

Questão 15:
Resolução: O movimento teve influências da Revolução Francesa, especialmente da fase Republicana, período do terror controlado pelos
Jacobinos. O movimento no Brasil teve nitidamente um caráter anti-lusitano e emancipacionista.

Resposta: Alternativa

VestCursos – Especialista em Preparação para Vestibulares de Alta Concorrência


11