You are on page 1of 29

Captura e Apresentação de

Antígenos aos Linfócitos


Introdução
A resposta Imune Adquirida é iniciada quando os receptores antigênicos dos linfócitos
reconhecem um antígeno.

Os Linfócitos B reconhecem antígenos através dos anticorpos ligados a sua membrana.


◦ Gera resposta contra vários tipos de antígenos de membrana dos micro-organismos e antígenos
solúveis.
◦ Proteína, polissacarídeos, lipídeos e ácidos nucleicos.

Já os Linfócitos T só podem reconhecer fragmentos de antígenos proteicos


◦ E assim só quando são apresentados por uma molécula especializada.
Antígenos reconhecidos
pelos Linfócitos T
Antígenos reconhecidos pelos Linfócitos T
Os Linfócitos T virgens precisam “ver” os antígenos apresentados pelas APCs para iniciar a
Resposta Imune.

Os linfócitos T reconhecem antígenos peptídicos que estão ligados a, e são apresentados pelas
moléculas do
◦ Complexo de Histocompatibilidade Principal
◦ MHC das APCs
Antígenos reconhecidos pelos Linfócitos
T
As moléculas de MHC são codificadas por genes localizados no complexo principal de
histocompatibilidade.

As moléculas clássicas de MHC são altamente polimórficas

◦ Demonstram uma enorme gama de variações estruturais hereditárias, o que permite que cada animal
responda a um grupo diferente de antígenos

◦ Ex: nos bovinos há uma associação entre um determinado tipo de alelo BoLA e a resistência à leucose
bovina, ao carcinoma ocular espinocelular e à tripanossomíase, à responsividade ao vírus da febre
aftosa e à suscetibilidade ao carrapato Boophilus microplus.
Antígenos reconhecidos pelos Linfócitos T
Os Linfócitos T só vão reconhecer peptídeos quando ligados ao MHC.
◦ Restrição pelo MHC.

Por isso o Receptor de Célula T (TCR) tem especificidade dupla:


◦ Reconhece o MHC
◦ Reconhece o antígeno
Restrição ao MHC

• Utilizando duas cepas de camundongos idênticas

• Os dois são inoculados com o vírus

• Linfócitos CD8+ do camundongo cepa A são


colocados em contato com células apresentando
peptídeo viral

• O CTL só se ativa ao reconhecer o MHC da cepa


A
Antígenos reconhecidos pelos Linfócitos T
Antígenos reconhecidos pelos Linfócitos T
A células especializadas em capturar e apresentar antígenos microbianos aos linfócitos T são as
Células apresentadoras de antígenos (APCs).

1. Os linfócitos T virgens são apresentados uma vez ao antígeno e dão início a Resposta
Imunológica ( expansão clonal e diferenciação)

2. As células efetoras (já diferenciadas) precisam reconhecer outra vez os antígenos


apresentados por APCs para ativar as funções efetoras das células T.
Captura dos antígenos
proteicos pelas APCs
A Célula Dendrítica
que capturou um
antígeno vai para
os linfonodos
pelos vasos
linfáticos
Tipos diferentes de APCs
desempenham funções
distintas nas Respostas
Imunológicas
dependentes de células T
(CD4+).
Estrutura e função do MHC
As moléculas do MHC são proteínas presentes na membrana das APCs que apresentam
antígenos para o reconhecimento dos linfócitos T.

O MHC é o “locus” genético, que possui 3 pares de genes


◦ Genes do MHC classe I (altamente polimórfico)
◦ Genes do MHC classe II
◦ Genes do MHC III - codificam proteínas com diversas funções
◦ proteínas do sistema complemento

Esses genes codificam as moléculas de MHC classe I e II que apresentam peptídeos às células T.
Estrutura e função do MHC
O nome dado às moléculas codificadas pelos genes do MHC depende da espécie.

 Humanos: antígenos leucocitários humanos (HLAs);


 Cães: DLA
 Coelhos: RLA;
 Bovinos: BoLA
 Equinos: ELA
Ovinos: Ovar-MHC
Estrutura e função do MHC
As moléculas de MHC classe I e II são proteínas da membrana que tem uma fenda onde se liga
peptídeos.

O MHC classe I se expressam em todas as células nucleadas.

O MHC classe II se expressa principalmente nas APCs profissionais


◦ Células dendríticas, macrófagos e linfócitos B
Local onde se liga ao CD8
Local onde se liga ao CD4
MHC e odores corporais
O vomeronasal nos mamíferos é um órgão olfatório utilizado para detectar informação quanto a
sexo, status e individualidade de outro animal.

As moléculas que carreiam essa informação são pequenos peptídeos voláteis encontrados na
urina, os quais podem se ligar às fendas de ligação ao antígeno das moléculas de MHC de classe
I.

Sob condições controladas, os camundongos (e humanos) preferem se acasalar com indivíduos


de MHC incompatível.
◦ aumento da resistência a doenças
Estrutura e função do MHC
Cada molécula de MHC pode apresentar apenas um peptídeo de cada vez
◦ Possui apenas uma fenda

◦ Mas cada molécula é capaz de apresentar diversos tipos de antígenos.


◦ O MHC tem uma especificidade ampla para ligação de peptídeos

As moléculas do MHC são capazes de apresentar peptídeos, mas não proteínas


◦ Deve ocorrer um Processamento Antigênico
◦ Quebrar as proteínas microbianas em peptídeos
Processamento dos antígenos proteicos
Proteínas extracelulares que são capturadas por APCs são processadas e apresentadas por MHC
classe II.

As proteínas no citosol de células nucleadas (geralmente células infectadas) são processadas e


apresentadas pelo MHC classe I.
Cadeia
invariante
A APC pode fagocitar células infectadas e apresentar também para o linfócito
T CD8 virgem e assim iniciar a ativação.
Significado da apresentação de antígenos
associada ao MHC
Vantagens:
1. As células T só reconhecerão e responderão a antígenos associados a células
◦ MHC é uma proteína de membrana
◦ A ligação e expressão do MHC depende da biossíntese e montagem intracelular

Assim os linfócitos T só reconhecem antígenos de micro-organismos fagocitados ou de células


infectadas que são os patógenos que precisam ser combatidos pela Imunidade celular

2. Ao separar as vias das classe I e II de processamento antigênico, o sistema imunológico é capaz


de responder a micro-organismos intracelulares e extracelulares da melhor forma de combatê-los