Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DA COVA

Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária

Índice
Introdução .......................................................................................................................5 1 1.1 2 2.1 2.2 3 3.1 3.2 3.3 3.4 3.5 3.6 PROJECTO EDUCATIVO TEIP ..........................................................................6 Estratégia Organizativa..................................................................................6 COMUNIDADE......................................................................................................7 S. Pedro da Cova: a história...........................................................................7 S. Pedro da Cova: sector económico, social e cultural...............................9 Localização.....................................................................................................11 Edifício e equipamentos...............................................................................11 Oferta formativa/educativa .........................................................................16 Corpo Docente...............................................................................................17 Pessoal não docente......................................................................................17 Pais e Encarregados de Educação...............................................................18 Caracterização socioeconómica ..........................................................18 Associação de Pais ................................................................................19

ESCOLA ................................................................................................................11

3.6.1 3.6.2 4 4.1 4.2 4.3

ALUNOS ...............................................................................................................20 Análise da frequência ...................................................................................20 Abandono escolar/Saída Precoce ...............................................................21 Sucesso escolar..............................................................................................25 Resultados do Ensino Básico ..............................................................25 Resultados do Ensino Secundário ......................................................28 Resultados do Ensino Básico ..............................................................30 Resultados do Ensino Secundário ......................................................31

4.3.1 4.3.2 4.4 4.4.1 4.4.2 4.5 4.6 4.7 5 5.1 5.2 6 6.1

Resultados escolares – comparação a nível nacional ..............................30

Articulação curricular...................................................................................32 Indisciplina ....................................................................................................34 Acção Social ...................................................................................................36 Objectivos Gerais ..........................................................................................37 Objectivos Específicos..................................................................................38 Acções .............................................................................................................42 “Falta abandonar a indisciplina e o insucesso” ..............................42 “Ensinar mineiros a pescar”...............................................................46 “Preciso de Espaço!”.............................................................................48

PROBLEMATIZAÇÃO ........................................................................................37

PLANO DE ACÇÃO .............................................................................................40 6.1.1 6.1.2 6.1.3

Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária

6.2

Actividades.....................................................................................................50 Actividade 1. DESPORTO ESCOLAR.................................................50 Actividade 2. DESPORTO PARA TODOS (8 aos 15 anos) ..............51 Actividade 3. DESPORTO PARA TODOS (adultos) ........................51 Actividade 4. DESDOBRAMENTO DE TURMAS............................52 Actividade 5. ASSESSORIAS...............................................................52 Actividade 6. ACÇÃO TUT. /ACOMP.FAM. /MED. ED./ GAA .....53 Actividade 7. APOIO EDUCATIVO ....................................................53 Actividade 8. REFORÇO EDUCATIVO .............................................54 Actividade 9. PLATAFORMAS DE APOIO ON-LINE .....................54 Actividade 11. BIBLIOTECA ESCOLAR.............................................55

6.2.1 6.2.2 6.2.3 6.2.4 6.2.5 6.2.6 6.2.7 6.2.8 6.2.9 6.2.11

6.2.10 Actividade 10. VISITAS DE ESTUDO /AULAS DE CAMPO..........55 6.2.12 Actividade 12. PLANO NACIONAL DE LEITURA...........................56 6.2.13 Actividade 13. PLANO DA MATEMÁTICA .......................................56 6.2.14 Actividade 14. PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE (PES)........57 6.2.15 6.2.17 Actividade 15. PRÁTICAS OFICINAIS...............................................57 Actividade 17. EDUCAR PARA O EMPREENDEDORISMO..........58 6.2.16 Actividade 16. ACTUALIZAÇÃO PROFISSIONAL ..........................58 6.2.18 Actividade 18. ESPAÇO DAS ARTES.................................................59 6.2.19 Actividade 19. ARTES PARA FORA ...................................................59 6.2.20 Actividade 20. ESTUDO ACOMPANHADO POR 2 DOCENTES...60 6.2.21 Actividade 21. ARTICULAÇÃO VERTICAL E HORIZONTAL .......60 6.2.22 Actividade 22. QUALIFICAÇÃO DE PAIS........................................61 6.2.23 Actividade 23. GRUPO CORAL VOX POPULI.................................61 6.2.24 Actividade 24. “TEIP ON-LINE”........................................................62 6.3 6.4 6.5 Parcerias.........................................................................................................63 Articulação dos Projectos Educativos TEIP (ESSPC e AVESPC) ...........63 Plano de Auto-avaliação...............................................................................65

ANEXO 1 – PLANO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS ACTIVIDADES ......................67 ANEXO 2 – “PRECISO DE ESPAÇO!”.......................................................................74 ANEXO 3 – PLANO DE TRABALHO DOS TÉCNICOS ESPECIALIZADOS .......82

por decisão própria ou pressão externa. tendo assim como finalidade: Uma escola Viva e Exigente! -5Escola Secundária de S. cooperação. solidariedade responsabilidade. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . autonomia. Desta forma. • o combate ao abandono escolar e às saídas precoces do sistema educativo. garantindo aos seus alunos o prosseguimento de estudos ou a integração na vida activa e caracteriza-se por um ambiente de humanismo e responsabilidade. • a criação de condições que favoreçam a orientação educativa e transição qualificada da escola para a vida activa Todo o trabalho e acções a desenvolver por esta comunidade escolar deverá fazer vigorar o lema desta instituição. acções que promovam o desenvolvimento integral dos indivíduos que nela actuam ou dela beneficiam. Para que estas dimensões possam ser atingidas. A Escola Secundária de S. cidadania. equidade e democracia.Qualidade do ambiente interno e das relações com a comunidade. há a necessidade de se investir na promoção de certos valores como os do conhecimento. as dimensões presentes na visão organizativa da Escola podem ser enunciadas: . Pedro da Cova é uma instituição pública de Educação e Formação que presta à comunidade um serviço que visa a qualidade. Tendo por base o enunciado no Despacho Normativo n. tendo em conta o sucesso educativo e o exercício pleno da cidadania.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Introdução Cada vez mais as organizações privilegiam na sua missão. inclusão.Diversidade da oferta educativa/formativa. .º 55/2008 que preconiza • a melhoria da qualidade das aprendizagens traduzida no sucesso educativo dos alunos.Qualidade do ensino. .

Esta etapa está a ser desenvolvida agora – no início do ano lectivo 2009/2010 –. junto da Associação de Pais e dos Delegados de Turma. O objectivo desta reunião foi informar sobre o trabalho a desenvolver e recolher sugestões para a construção do Projecto Educativo. DT 3. não nos foi possível divulgálo convenientemente junto dos Pais/ Encarregados de Educação e alunos para que nele participassem. e de acordo com o Programa TEIP 2. Departamento Desenvolvimento de Projectos Desenvolvimento de Projectos Coord.1 PROJECTO EDUCATIVO TEIP Estratégia Organizativa A construção deste Projecto Educativo teve por base o Projecto já existente que foi elaborado para vigorar entre os anos lectivos de 2007 a 2010. a vigência deste projecto será de 2009 a 2011.º período. Presentemente.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 1 1. Rodrigues José Filipe Gonçalves Oliveira Luís Filipe Santos Isabel Maria Marques dos Santos Isaura Maria Neves Lima Maria de Fátima Coutinho Silva Cláudia Vieira Deolinda Araújo 300 520 520 510 620 600 620 530 300 330 ----------- Coordenadora de Acção Coordenadora do Projecto Coordenadora de Acção Coordenadora de Acção Coordenadora de Acção Assessor Assessor Assessora Assessora Assessora Pres. DT Secundário ----------------------------------------------Cargo TEIP Teresa Maria M. R. de Castro Gandra Maria Paula Neves Garrido Ana Maria Nogueira dos Santos Cecília Maria Madureira Ferreira Maria Gabriela O. Novas Oportunidades Coord. o Conselho Executivo procurou um conjunto de professores de entre os que já tivessem desenvolvido um trabalho relevante na procura de soluções para os problemas com que esta escola se confronta e assim constituiu a equipa TEIP (acrescentando-lhe também professores posteriormente alocados). Quando a Escola foi informada que passaria a integrar os TEIP de segunda geração. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .º Ciclo Coord. J. Com. Dado a altura do ano lectivo em que tivemos conhecimento da integração neste programa (final do 3. Equipa de Projecto/ Responsáveis Nome Grupo Cargo ESSPC Directora Coordenadora de Projectos Directora de Turma Directora de Turma Coord. 28 de Maio). Social da Freguesia Consultora externa IPP/ESE Após a formação facultada pela DREN/DGIDC os professores que a frequentaram promoveram uma reunião com todos os docentes e não docentes da escola. -6Escola Secundária de S.

Inicia-se timidamente a sua exploração e. Historicamente é uma freguesia marcada pela exploração mineira. Pedro da Cova corresponde a uma freguesia de alto risco por relação aos números de incidência da tuberculose. a Oeste com a vila de Fânzeres e a cidade de Gondomar e a Este com os concelhos de Valongo e Paredes. Apesar da recente melhoria das acessibilidades à freguesia.12 Km2. mais barato e de melhor qualidade. Pedro da Cova torna-se um centro industrial de grande importância após a descoberta (em 1802) de antracite (carvão). intensifica-se a sua extracção em grande escala. As populações tiveram de procurar e de se integrar num novo mundo laboral completamente diferente do seu. a Sul pelas freguesias de Jovim e Foz do Sousa. o que agravou a situação económica e social existente – já de si muitas vezes miserável. passando por Gondomar -7Escola Secundária de S. Posteriormente. Esta pequena freguesia passa a acolher os “Malteses”: homens. que corresponde a 12% da área total do concelho de Gondomar. com a chegada dos familiares. os patrões das minas decidem construir os Bairros Mineiros (Vila Verde e Passal). Em 1970 as Minas fecham devido à concorrência do carvão estrangeiro. e porque os salários eram muito baixos e as condições de trabalho desumanas.1 S. já nos anos trinta. existente no seu subsolo. Foi uma freguesia marcada por epidemias e casos de tuberculose associadas aos primeiros sinais de silicose (doença típica dos mineiros de carvão). De cariz profundamente agrícola. com cerca de 18 mil habitantes. No entanto. que passam a ter como dormitório a Casa da Malta – actual Museu Mineiro.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 2 COMUNIDADE 2. Pedro da Cova ao Porto. S. Pedro da Cova: a história A freguesia de S. Várias gerações de trabalhadores fizeram desta terra o seu ganha-pão e S. possui uma área de 16. pela construção da IC29 ligando S. as situações de pobreza e exclusão social sempre foram evidentes. Esta freguesia é limitada a Norte por Fânzeres e pelo concelho de Valongo. S. oriundos sobretudo do Norte de Portugal. onde. mais tarde. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . Pedro da Cova começa então a ser conhecida em Portugal como “Terra Mineira”. apesar dos postos de trabalho que ofereceu. Pedro da Cova. é importante referir que na actualidade e não obstante o encerramento das minas.

de uma forma geral. sede do concelho – a freguesia continua a ressentir-se de um certo isolamento. traz problemas de socialização negativa. mesmo quando é culturalmente heterogénea. tráfico de droga. correspondendo a 17 % da população residente na freguesia. Frequentemente assiste-se a intervenções policiais devido à existência de situações de marginalidade: roubo. É uma freguesia marcada por várias problemáticas sociais. excluídos socialmente. gerando abandono escolar precoce e predominância de comportamentos menos disciplinados. violência. De entre esses problemas.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária – S. toxicodependências. fruto de uma rede viária insuficiente (pelo menos no interior da freguesia) e da escassez de equipamentos e infra-estruturas sociais. estes bairros sociais continuaram a marcar negativamente a imagem desta freguesia. em que muitas famílias vivem em contextos de precariedade e exclusão social. -8Escola Secundária de S. Estudos indicam que a concentração de população socialmente homogénea. É a freguesia do concelho de Gondomar com o maior número de fogos de habitação social: 898 dos 3099 do Concelho. etc. Tal como se verifica em outros aglomerados habitacionais construídos com a finalidade de alojar e realojar famílias de parcos recursos económicos. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . • Baixa qualificação académica e profissional – relativamente à actividade económica da população predominam os trabalhos pouco qualificados. mesmo que em regime precário. porque a vertente económica assume prioridade. sobretudo entre os mais novos. entre outras atitudes desviantes. Cosme. salientamos: • Desvalorização da escola – as famílias da freguesia (e em particular dos bairros) não entendem a importância da educação escolar dos filhos. Este território conta com cinco Conjuntos Habitacionais onde residem cerca de 3040 pessoas. vendo a saída da escola como a possibilidade de começarem a trabalhar. A partir da análise da informação recolhida no diagnóstico efectuado pelo Programa Operacional de Respostas Integradas (PORI) nos dois grandes Bairros Sociais – Mineiro e Gandra – é possível sistematizar um conjunto de problemáticas associadas aos diferentes grupos e contextos identificados. Embora alguns destes problemas estejam mais intimamente relacionados com determinados grupos. trespassam e afectam toda a população que constitui este território.

(RSI de Gondomar. • Alta taxa de desemprego – na freguesia de S. Muitos casos permanecem camuflados.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária • Fraca qualificação pessoal e profissional – a informação recolhida relativamente a esta freguesia. Pedro da Cova. o que corresponde a uma taxa de 115. Pedro da Cova era de 9.6% (Censos 2001) sendo aquela em que se verifica maior número de desempregados em comparação ao Concelho de Gondomar (Diagnóstico Social do Concelho de Gondomar). refractários à ideia de que existe um problema o que pode agudizar-se ainda mais no caso das mulheres que consomem a coberto dos olhares públicos. absentismo e abandono escolar precoce são preocupantes neste território. quando a taxa média nacional é de 40. Em 2008 o número de casos de Tuberculose no concelho de Gondomar foi de 65. 31 de Maio 2009) • Alto risco de incidência de tuberculose – a freguesia corresponde a uma zona de alto risco no que diz respeito à incidência de tuberculose (20 novos casos em 2006). • Existência de comportamentos sexuais de risco – visível nomeadamente no elevado índice de gravidezes na adolescência. Pedro da Cova desenvolveu. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . nomeadamente do Rendimento Social de Inserção. 2. • Número elevado de beneficiários de protecção social – os beneficiários abrangidos por medidas de protecção social. atingem os 968. dos quais 13 casos na freguesia de S. social e cultural S. e mais concretamente aos Conjuntos Habitacionais da Gandra e do Mineiro. os sectores secundário e terciário.2 S. é unânime no reconhecimento de que o insucesso. Possui mesmo duas zonas industriais que albergam -9Escola Secundária de S. Pedro da Cova: sector económico. nos últimos anos. os consumidores de haxixe e os alcoólicos. tendo sofrido um aumento relativamente a 2005. Algumas lojas e fábricas de pequena e média dimensão desenvolvem a vida económica pedroense.4 casos por 100 000 habitantes. • Toxicodependências – nem todas as situações de consumo são visíveis em termos de utilização dos equipamentos de saúde. como seja.

Educadores Sociais. ao Centro de Saúde e ao Instituto da Droga e da Toxicodependência (IDT). No entanto. 245 não têm médico de família. A abertura da piscina municipal.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária as maiores indústrias da freguesia. Carece ainda de um posto de polícia e de salas de espectáculos. Destes. neste momento encontram-se dois médicos ausentes o que afecta mais de cerca de 4. com 18. . de modo a que estes adultos (muitos são Encarregados de Educação) comecem a perceber as vantagens da qualificação e incentivem os seus educandos a ter uma atitude mais positiva. Contudo. promovendo o aumento das suas habilitações académicas e reconhecendo as suas competências adquiridas ao longo da vida. Destacam-se nesta área o “Vai Avante” e a “Estrelas de Silveirinhos”. No sector dos serviços S. com o objectivo de qualificar os seus associados. tendo de recorrer a consultas de urgência/recurso quando apresentam problemas de saúde. Assim. encontra-se vocacionada para o desenvolvimento de actividades desportivas: futebol. não existem técnicos especializados suficientes (Assistentes Sociais.077 inscritos. uma biblioteca e outros centros de cultura e de tempos livres. do estádio de futebol e do pavilhão gimnodesportivo colmatou algumas das carências existentes. três Farmácias. A maior parte das associações e colectividades existentes. interventiva e responsável perante a educação/formação. um posto de abastecimento de combustíveis e um quartel de Bombeiros Voluntários.000 utentes. Assim. Caixa de Crédito Agrícola e o Banco Português de Investimento (BPI) deu resposta. dinamizaram-se as transacções financeiras a que a abertura de bancos como Millenium BCP. Apesar de solicitados os dados referentes a este CAT. Na área da Saúde registam-se ainda muitas carências. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . Esta freguesia possui um Centro de Saúde. estes não nos foram fornecidos. cerca de 33. dança e pesca. O Centro Lúdico Municipal abriu as portas para que as crianças e jovens desta freguesia possam ocupar pedagogicamente os seus tempos livres. sobretudo entre os habitantes dos Bairros Sociais. Psicólogos) que possam ajudar em tantas situações de emergência.10 Escola Secundária de S. esta escola tem parcerias firmadas com as Associações “Estrelas de Silveirinhos” e “Vai Avante”. e de ocorrência quase diária. No Centro de Saúde funciona uma extensão do Centro de Atendimento a Toxicodependentes (CAT) de Gondomar que apoia jovens e adultos em recuperação ou em “substituição”. Na área da Cultura e dos Tempos Livres muito têm feito as diversas Associações Recreativas e Culturais que dinamizam actividades de tempo livre para todas as idades e promovem eventos que envolvem muitos dos nossos jovens. Pedro da Cova possui um posto de Correios.

Tardariz ou Belo Horizonte não têm transporte perto de casa. O fundo documental da BE/CRE é ainda insuficiente. A escola é servida pelos Serviços dos Transportes Colectivos do Porto (STCP) que não são suficientes. zona de leitura formal. no Concelho de Gondomar e iniciou as suas actividades no ano lectivo de 1998/1999. com quatro pisos. tendo de fazer longas caminhadas para se deslocarem à escola. tendo sido inaugurada em 3 de Março de 2000. para a prática desportiva de grupos de pessoas desta freguesia. sob aluguer. Possui Pavilhão gimnodesportivo e ginásio que serve também a restante comunidade educativa quando são solicitados.11 Escola Secundária de S. com espaço exterior ajardinado. em desnível. Assume particular importância a BE/CRE (Biblioteca Escolar / Centro de Recursos Educativos). apesar de . Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . que integra a Rede Nacional de Bibliotecas Escolares desde 2002 e que segue os modelos de gestão documental normalizados. Esta escola surgiu para dar resposta à sobrelotação das escolas Secundárias do Concelho de Gondomar. de formação e divulgação que pretende promover a autonomia dos alunos e facultar condições para a ocupação de tempos livres com qualidade. quer a nível de material não livro. Vila Verde. zona de publicações periódicas (leitura informal). Pedro da Cova fica situada na localidade com o mesmo nome. A BE/CRE é um espaço com a documentação em livre acesso e que está organizada nas seguintes áreas: zona de atendimento. sentida em meados dos anos 90. de corpo único.2 Edifício e equipamentos Esta escola encontra-se instalada num edifício de Tipo T30. quer a nível de obras de referência e monografias.1 Localização A Escola Secundária com 3. zona multimédia e zona dos audiovisuais. servidos por ascensor. pois os alunos que residem em Silveirinhos. já que o terreno em causa servira de depósito de escórias das Minas de Carvão. o local da sua edificação levantou alguma polémica aquando da decisão da sua construção. É sobretudo um local de trabalho. Situada num dos extremos da freguesia. 3.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 3 ESCOLA 3. de estudo. facto que levava a supor que não seria estável.º Ciclo de S.

No entanto. encontram-se disponíveis três postos individuais de leitura com dois leitores de DVD e um vídeo. duas mesas de ténis de mesa. Pedro da Cova por Serafim Gesta. plastificar e encadernar documentos ou trabalhos. sempre que possível. No futuro. a escola Secundária tem aberto as portas da sua BE/CRE a todos os adultos que precisem de consultar obras de referência ou outras. bem como acesso a computadores e à Internet. prevêse que a procura deste serviço aumente. com a divulgação deste serviço por toda a comunidade educativa. não apresenta grandes condições acústicas e de espaço. Esta freguesia não tem Biblioteca Pública. O espólio literário oferecido à Escola Secundária de S. aguarda a atribuição de um espaço onde possa ser utilizado por todos os utentes. para o efeito recorre-se à Sala de Alunos. Todos os computadores possuem ligação à Internet por fibra óptica. As senhas para o almoço têm de ser adquiridas de véspera na Papelaria.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária ter sofrido um incremento nos últimos anos. O número de títulos de publicações periódicas disponível actualmente ainda é insuficiente para as necessidades de informação actualizada dos nossos utilizadores. conhecido por “Mazola”. montando um palco para a ocasião. matraquilhos. A Sala de Alunos é um espaço amplo junto do Bufete equipado com mesas. seis computadores. Na área dos audiovisuais. Para colmatar esta lacuna. a BE/CRE teve um horário alargado desde as 8:30h às 20:30h. imprimir. televisão. A Reprografia é um espaço onde a comunidade escolar pode fotocopiar. A Cantina. já que constitui um importante contributo para o conhecimento da freguesia e do concelho. A escola não possui um local próprio para a realização de festas e espectáculos. A requisição de . o que o tornam num espaço agradável e atractivo. que fornece uma média de 100 refeições diárias. essa improvisação. O equipamento informático – 11 computadores e projector multimédia – é muito recente (Maio 2009). o que poderá contribuir para a formação/qualificação desta população. Neste espaço pode-se também adquirir material escolar variado e pré-comprar os produtos que se encontram à venda no Bufete dos Alunos e Professores. está bem equipada e reúne as condições de segurança e higiene exigidas. durante o ano lectivo 2008/2009. cadeiras. Para tal.12 Escola Secundária de S. A sua exploração está concessionada a uma empresa de restauração. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .

Sempre que possível. Em 2007 todos os quadros foram substituídos por quadros cerâmicos. As salas de Matemática e a sala 10 (apoio às Ciências Físico-Químicas) possuem .Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária computadores portáteis e dos carrinhos multimédia é também efectuada neste local. leitores de vídeo e de DVD e televisores que podem ser facilmente requisitados por todos os professores. Tipo de sala Salas de aulas normais Salas específicas Laboratórios de Biologia e Geologia Laboratório de Electricidade Laboratórios de Física e Química Laboratórios de Informática Salas de Artes e Educação Tecnológica Sala de Matemática Pavilhão gimnodesportivo Sala de Ginástica Sala de aulas de Desporto Sala de pequenos grupos Outros espaços Auditório – capacidade para 95 pessoas Laboratório de fotografia Gabinetes de trabalho Gabinete do Centro Novas Oportunidades Total 15 3 1 3 4 4 1 1 1 1 1 1 1 3 1 Em cada piso existem retroprojectores. cada turma tem uma sala onde se desenrola a maior parte das aulas. a escola está sobrelotada e dificilmente se consegue atribuir uma sala a cada turma. Todavia.13 Escola Secundária de S. As salas específicas de Artes e Educação Tecnológica são insuficientes. As Salas de aula são espaços onde decorrem as actividades lectivas estando equipadas com telas de projecção. para que os alunos preservem melhor esses espaços. projector multimédia e computador. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . já que uma delas foi atribuída aos Cursos Profissionais para a realização de aulas práticas.

O Gabinete 1 tornou-se no espaço dos Cursos Profissionalizantes e local de trabalho dos seus professores e Directores de Curso. esta escola possui três Gabinetes de Trabalho equipados com computador com ligação à Internet. Os Pais e Encarregados de Educação. Aquando da execução dos horários semanais. a sala EV3. debates). Na Sala da Matemática. No entanto. surge como um espaço que pretende acolher a realização de actividades destinadas a grandes grupos (reuniões. Nesta sala. Electricidade e Fotografia) e as Salas de Artes e Educação Tecnológica encontram-se razoavelmente bem equipados. Biologia e Geologia. há a preocupação de colocar as turmas a terem as aulas práticas nesses espaços. que se dirigem a este estabelecimento escolar para se reunirem com o Director de Turma. É um espaço privilegiado para o desenvolvimento de estratégias e actividades motivadoras para o ensino da Matemática. a sala de Informática 1. Este espaço nem sempre está disponível pelo facto de lá decorrerem aulas devido à sobrelotação da escola. são recebidos em sala própria – a Sala dos Directores de Turma.14 Escola Secundária de S. à base de dados relativa aos alunos da sua direcção de turma. Ludomática. existem 14 computadores. com capacidade para 95 pessoas. com ligação à Internet. Os Laboratórios (Física. para poderem responder às necessidades do ensino laboratorial e prático. Ciências Naturais. os Directores de Turma podem aceder. Este espaço conta com projector multimédia. consultando tudo o . Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária quadro interactivo – o mesmo se passa agora com a sala 3. As quatro salas de Informática possuem o número de computadores considerado suficiente para o normal desenrolar de uma aula. sistema sonoro. logo é o lugar ideal para a passagem de filmes e apresentação de trabalhos que recorram à utilização deste equipamento. e devido a problemas de sobrelotação. o Laboratório de Química e o Laboratório de Biologia. projector multimédia e quadro interactivo. Química. Para que seja possível aos professores trabalharem durante o tempo em que não estão a leccionar. através do computador ligado em rede. O Auditório. computador com ligação à Internet. Físico-Química. há actividades lectivas para pequenos grupos nestes espaços. Todas as salas possuem computadores que estão ligados à Internet.

Os Serviços Administrativos encontram-se devidamente equipados. Neste momento. bastante usados pelos alunos. Quando há um pequeno acidente ou uma indisposição física. A Sala dos Professores é um espaço amplo e agradável. apoiados por balneários exteriores. devido à oferta formativa diversificada. A Rádio Escolar é um meio de informação de toda a comunidade escolar e passa música durante os intervalos lectivos. Existem campos específicos para a prática desportiva. com um computador por funcionário e não possuem barreiras arquitectónicas. mesas de trabalho. e outros dados. A Direcção Executiva ocupa um gabinete integralmente equipado. Os Espaços Exteriores apresentam uma área considerável. sobretudo oficinas onde se devem desenrolar as práticas oficinais. estantes e sete computadores com ligação à Internet. quatro computadores. junto aos Serviços Administrativos. . Gabinete Médico e dos computadores portáteis – estando estes. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . uma mesa de trabalho e é também apoiado por uma sala de reuniões. Em cada um dos quatro pisos existem Sanitários masculinos e femininos e para deficientes. televisão e computador ligado à Internet. microondas. que trata de todos os assuntos relativos a cada um. A manutenção das áreas ajardinadas está a cargo de um jardineiro (contratação de serviços). com três secretárias. lutamos com falta de espaços. onde existe um bufete. o acidentado recebe os primeiros socorros no Gabinete Médico por uma Auxiliar da Acção Educativa que esteja disponível naquele momento. Todos os elementos pertencentes a esta comunidade escolar têm um gestor do seu processo. restringidos por código de acesso. O registo de faltas diárias dos alunos poderá ser efectuado nesta sala ou a partir dos computadores da Sala dos Professores.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária que lhes diz respeito. O Pessoal não docente tem uma sala equipada com frigorífico.15 Escola Secundária de S. cacifos. Os restantes espaços possuem alguns bancos de jardim.

para que a escola continue a oferecer Cursos Científico-Humanísticos.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 3. dando assim resposta adequada ao perfil de cada aluno.º ano) Técnico de Informática de Gestão (1. Trabalho e Ambiente (2. Hig. Segur.º ano) Devido às características dos Destinatários e da falta de expectativas no prosseguimento de estudos a nível universitário.º anos) Téc. é essencial captar alunos que pretendam prosseguir estudos a nível superior.º e 3. No entanto. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente e para processos de . Formações Modulares .16 Escola Secundária de S.º ano Profissionalizante.3 Oferta formativa/educativa No ano lectivo de 2009/2010 será esta a oferta formativa e educativa desta escola: • • 3.º ano) Téc. o 10. apresentando primeiramente. em 2002/2003. depois em 2003/2004 os Cursos de Educação e Formação (CEF) e no ano lectivo 2006/2007 os Cursos Profissionais.º ciclo do ensino básico Cursos de Educação e Formação Tipo 2 – Electricistas de Instalações Tipo 2 – Empregado Comercial • Ensino Profissional Animador Sociocultural (3. Porque a escola tem uma função social.º ano) • Cursos Cientifico-Humanísticos Artes Visuais Ciências e Tecnologias Línguas e Humanidades • Cursos Tecnológicos Desporto (11. esta escola começou há vários anos a oferecer cursos para a inserção na vida activa.º ano) Téc.º e 2. de Energias Renováveis ( 1. de Frio e Climatização ( 2.º anos) Técnico de Gestão (3. a partir de 1 de Julho de 2008 abriu o Centro de Novas Oportunidades (CNO) que faz o encaminhamento dos adultos para a frequência dos Cursos de Educação e Formação de Adultos (EFA).

é constituído por 129 professores. o que começa a ser um factor favorável para a apropriação da identidade desta instituição.17 Escola Secundária de S. no ano lectivo de 2009/2010. a Direcção Pedagógica solicita anualmente autorização ao Gabinete de Gestão Financeira o estabelecimento de protocolos com o Centro de Emprego de Gondomar para colocação de pessoas que se encontram com Subsídio de Desemprego para desempenharem funções de Auxiliares de Acção Educativa. uma vez que a escola passou a funcionar à noite para responder às necessidades da formação de adultos. 3. além de promover e elevar as qualificações académicas e profissionais dos adultos deste território. Destes.4 Corpo Docente O corpo docente.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Reconhecimento. Contudo. . Para superar esta carência. Validação e Certificação de Competências (RVCC). em função das dimensões da escola. 3. Esta valência deverá contribuir para a valorização do papel da escola junto das populações locais e sobretudo junto dos Encarregados de Educação.5 Pessoal não docente A escola conta com um total de 30 funcionários. o número de Auxiliares da Acção Educativa está aquém das necessidades. dos quais 22 são Auxiliares da Acção Educativa e 8 são Funcionários Administrativos. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . convém salientar que. um número significativo exerce funções nesta escola há três ou mais anos (como se pode verificar no gráfico seguinte).

demonstra atitudes de grande profissionalismo. dado o aumento da quantidade de alunos que se tem verificado nos últimos anos. 3.1 Caracterização socioeconómica Para a obtenção destes indicadores recorreu-se à análise dos dados dos inquéritos passados à totalidade dos Pais/E.E dos alunos que frequentam a escola (Setembro 2008). mantendo a escola limpa. segura e agradável. apesar do número insuficiente. mantém uma relação de grande proximidade com os alunos. muito se deve à actuação atenta e sistemática de quem se encontra na Portaria. ficámos cientes das situações de carência económica que a precariedade de emprego. CNO. Além disso. Este corpo de pessoal auxiliar. se não existe insegurança no interior da escola e nas proximidades.6 Pais e Encarregados de Educação 3. Os Serviços Administrativos também apresentam um número insuficiente de funcionários. EFA e Formações Modulares – e o consequente aumento da quantidade de professores. Situação Profissional dos E. estabelecendo relações de empatia com toda a comunidade educativa.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Para preservar a segurança interna e prevenir situações de consumo de substâncias ilícitas. Mas.6. e mesmo a elevada taxa de .18 Escola Secundária de S. a escola conta com a presença de um segurança do Ministério da Educação.E 1% 15% Por conta de outrem Desempregados 19% 65% Por conta própria Reformados Analisando o gráfico anterior. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . CEF. bem como devido à implementação de cursos no âmbito do Programa Operacional do Potencial Humano (POPH) – Cursos Profissionais.

19 Escola Secundária de S. A baixa escolarização dos pais poderá assim perpetuar-se nas fracas expectativas e no baixo empenhamento por parte dos alunos quanto à persecução de uma escolaridade bem sucedida. apesar de ainda não conseguir ter o impacto desejado junto dos seus representados.3% Os dados apresentados no gráfico anterior levam-nos a considerar as dificuldades que os pais sentirão no acompanhamento da vida escolar dos nossos alunos. compreendendo também o impacto que essa realidade tem na população estudantil. diminuindo também o interesse na obtenção de níveis de estudo secundários e superiores.2 Associação de Pais A Associação de Pais é um parceiro imprescindível para o desenvolvimento das actividades e projectos da escola.9% 44. já conhecidos empiricamente. estando inscritos 78 Encarregados de Educação. 3. A Direcção promove reuniões trimestrais para a auscultação de opiniões e para informar de decisões tomadas ou a tomar.5% 2º ciclo 3º ciclo Secundário Curso superior 22. que em Março de 2008 foi apresentada a candidatura à Agência Nacional para a Qualificação (ANQ) para a abertura do Centro Novas Oportunidades.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária desemprego (19%). dando já provas de uma colaboração mais assídua e activa em prol de toda a comunidade escolar. A intervenção da Associação de Pais. bem como na promoção das boas práticas junto da comunidade. tem vindo a alterar essa situação recentemente.6. Enquanto entidade representante dos Pais e Encarregados de Educação deve veicular as suas intenções aquando da intervenção nas medidas que se vão tomando a todos os níveis. Foi também com base nestes dados.E 2. . traduzem.3% 1º ciclo 16.0% 10. que se encontra em funcionamento desde 1 de Julho de 2008. Habilitações Literárias dos E. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .

sobretudo no que respeita à taxa de transição nos diferentes anos de escolaridade. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . bem como na redução do abandono escolar. respectivamente). Muitos manifestam vontade de frequentar as escolas secundárias de Gondomar ou Rio Tinto. cursos CientíficoHumanísticos. Totais de alunos inscritos (início do ano lectivo) 900 800 700 600 500 400 300 200 100 0 411 481 563 583 569 629 742 831 789 890 881 890 1998/1999 1999/2000 2000/2001 2001/2002 2002/2003 2003/2004 2004/2005 2005/2006 2006/2007 2007/2008 2008/2009 2009/2010 Nota – O número de alunos inscritos nos anos lectivos 2008/2009 e 2009/2010 não contabiliza os adultos que frequentam os Cursos EFA (108 e 131. que se assiste a um ligeiro aumento anual do número de alunos que a pretendem frequentar.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 4 ALUNOS 4. para frequentarem o 10.º ciclo nas escolas de ensino básico circundantes.º ano. nem sempre optam por esta escola para continuarem os seus estudos secundários. com a intenção de experimentarem outras vivências que só julgam . ano de abertura desta Escola. por razão de sobrelotação das turmas criadas. Os alunos que terminam o 3. Em 2008/2009 não conseguimos responder a todos os alunos que procuraram esta escola.1 Análise da frequência Desde o ano lectivo 1998/1999.º ano da existência desta escola e a integração no Programa TEIP2 deve marcar a alteração de práticas e estratégias para atingir melhores resultados. e que têm expectativas de prossecução de estudos superiores. O ano 2009/2010 será o 12.20 Escola Secundária de S.

Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .º ciclo noutras escolas.º ano Ensino Profissional – 1.º ciclo.º ano 8. Neste sentido.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária possíveis em grandes centros.º Alunos Ensino Básico 7. Ao pretender acolher os alunos que concluem o 3.º ano das escolas EB 2.º ano 11. Pedro da Cova e Jovim. Segundo fonte estatística do Ministério da Educação (de 2001). S. já que contribui para a perpetuação do baixo nível de escolaridade que determina um baixo nível de qualificação profissional. os alunos que frequentam esta escola durante o 3.º Turmas N. evidenciando as suas potencialidades no domínio. atingindo os 2. esta escola terá que proceder a uma divulgação mais intensiva.º ano 12.21 Escola Secundária de S. o abandono escolar entre os 10 e os 15 anos em Portugal foi 2.º Turmas N.7 % e no Concelho de Gondomar foi ligeiramente inferior.º ano Ensino Profissional – 2. adoptou-se o Dia do Novo Aluno para o qual são convidados os alunos do 9.º ano EFA – Secundário CNO – Formações Modulares 63 42 170 Totais 4. tanto das instalações. No entanto. .º ano CEF EFA – Básico 5 4 5 4 5 5 4 2 3 3 4 111 99 71 48 44 40 3 3 40 826 10 65 Ensino Secundário 10.º ano Ensino Profissional – 3.3 de Fânzeres.º Alunos 126 94 119 64 Nocturno N. cativando assim futuros alunos e os respectivos Encarregados de Educação.2 Abandono escolar/Saída Precoce O abandono escolar constitui um dos problemas que enfrenta o país. normalmente só a trocam por outra se o curso que pretendem não existir. como das boas-práticas.º ano 9.3 %. Neste momento (ano lectivo 2009/2010) a distribuição do número de alunos matriculados em cada um dos níveis de ensino e nos vários cursos é a seguinte: Níveis Ano/modalidade Diurno N.

9% 10. Evolução do Abandono Escolar 40.º ano.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Relativamente a S.0% 6.2% 4.9% 6. Esta é portanto a freguesia do Concelho de Gondomar que apresenta o maior índice de população activa com menor escolarização.º ano e nos CEF.8% 8º ano 1.º ano. tendo baixado relativamente ao ano lectivo anterior em todos os outros anos de escolaridade (CEF inclusive) .0% 30.5% 3.0% 20.8% 7. 2009). • no ano lectivo 2007/2008 a taxa de abandono foi mais significativa no 8.3% Pela análise do gráfico anterior.0% 10. no ano lectivo 2006/2007 verifica-se uma diminuição do abandono nos 7.º ano de escolaridade ou equivalente verifica-se que: • no ano lectivo 2004/2005 o abandono foi mais significativo no 9.5% 1.7% 0. • • no ano lectivo 2005/2006 a taxa de abandono foi muito elevada.3% 5. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .2% 0.9% 9º ano 5.2% CEF 4.8% 33. Pedro da Cova pode assinalar-se que conta com cerca de 1000 adultos inscritos no Centro de Emprego (IEFP Maio.0% 3. sendo que estes ainda não concluíram o Ensino Básico.9% 1.º ano e nos Cursos de Educação e Formação (CEF). .0% 2004/2005 2005/2006 2006/2007 2007/2008 2008/2009 7º ano 1.º e 8.0% 0. sobretudo nos 7.º e 8.22 Escola Secundária de S.2% 5. que representa os alunos que não concluíram o 9. Este foi também o primeiro ano dos exames nacionais para o 9.º anos mas a situação inverte-se no 9.º anos.4% 4.4% 4.

3% 10.0% 5.0% 0.º anos voltou a diminuir. sendo globalmente mais elevados.9% 6. Saída Precoce no Ensino Secundário 25. Apesar de estes dados serem relativos a alunos que não estando obrigados por lei a permanecerem na escola (maiores de 15 anos). embora a taxa de abandono tenha aumentado no 9. diminuindo no 12.º ano e nos Cursos Profissionais.0% 20.0% 13.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária • no ano lectivo de 2008/2009 as três turmas de CEF eram muito problemáticas. Regista-se ainda neste ano que. precoce aumentou .0% 14. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .0% 25.1% 6.3% 6. • no ano lectivo 2006/2007 (primeiro ano dos Cursos Profissionais) verifica-se novamente uma elevada saída precoce no 10.º anos. • no ano lectivo 2005/2006 a saída ligeiramente nos 11. por vezes.6% 16.º e 12.8% 4. consequência do número de retenções de que já tinham sido alvo ao longo do seu percurso escolar e.8% 10.0% 2004/2005 2005/2006 2006/2007 2007/2008 2008/2009 10ª ano 20.4% 11º ano 6.6% Tecnológico Profissionais Pela análise do gráfico anterior verifica-se que: • no ano lectivo 2004/2005 a saída precoce foi mais significativa no 10. Podemos concluir que os números são díspares dos verificados a nível nacional e concelhio.4% 11.0% 15.º.5% 6.5% 12º ano 10. apresentando uma fraca de assiduidade o que provocou muitas exclusões de frequência. fruto também de uma assiduidade muito irregular.0% 20. o que preocupa todos que têm responsabilidade em travar este processo.º ano.4% 6. Os alunos que abandonaram prematuramente o sistema escolar neste nível de ensino.º e 8.2% 10. manifestavam uma grande desmotivação.º ano de escolaridade relativamente a 2007/2008 nos 7.23 Escola Secundária de S.0% 10.8% 8. o facto é que a abandonam sem qualquer qualificação escolar ou profissional.

º anos.º ano. já que é sobretudo neste . oferta educativa/formativa diversificada (CEF. CT. mas assistiu-se a uma melhoria nos Cursos Profissionais. CCH).º e 12. Espera-se a presença de um técnico de Orientação Vocacional que consiga mostrar aos alunos que terminam o 9. semanal. • insucesso repetido. Estas taxas reflectem situações muito diversificadas: • • ingresso no mercado de trabalho para ajudar a família.º ano.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária • • no ano lectivo 2007/2008 a saída precoce volta a subir no 12. estas estratégias não têm surtido o efeito desejado. Sala de Estudo). obteve 25% de anulações de matrícula e exclusões de frequência. • fracas expectativas em relação ao prosseguimento de estudos. no ano lectivo de 2008/2009. CP. quando há uma elevada taxa de abandono no 10. o de Desporto. mas quando esse fenómeno não ocorre a taxa de abandono aumenta ao longo do ensino secundário. o único curso tecnológico existente.24 Escola Secundária de S. pelo DT. ingresso em escolas profissionais (calendário diferente das escolas públicas). • Verifica-se portanto que. de modo a prevenir o insucesso e consequente abandono.º ano os diferentes cursos e percursos existentes. A manter-se esta tendência. há uma diminuição nos 11. sessões de informação para alunos e EE sobre avaliação e ofertas educativas/ formativas. Contudo.º ano e nos Cursos Profissionais. prevê-se que no presente ano lectivo (2009/2010) a incidência de abandono no Ensino Secundário será mais acentuada no 12. apoio mais individualizado (DT. A escola tem desenvolvido estratégias no sentido de reverter esta situação: • • • • • orientação educativa. • orientação vocacional deficiente ou inexistente. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . visitas a instituições de ensino superior – participação no “Dia Aberto”. APA.

Pedro da Cova. relativamente aos alunos que chegam a esta escola no 10.3 de Fânzeres e S. No ensino básico. 4.1 Resultados do Ensino Básico . 4. o técnico que vier a fazer a orientação vocacional nesta escola deverá estabelecer um plano de trabalho articulado com as EB 2. Para colmatar esta deficiência.º 55/2008) favoreça a melhoria dos resultados escolares.º ano com percursos já definidos. considerando ainda a mais valia de uma intervenção incisiva e uma presença constante por parte de uma equipa multidisciplinar – junto das famílias mais disfuncionais e dos nossos alunos mais carenciados –. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . tem-se verificado que necessitam frequentemente de reorientação vocacional. Nesta escola as taxas de transição continuam longe daquelas que se poderão considerar aceitáveis.3. apesar de todas as estratégias que se têm implementado.3 Sucesso escolar O sucesso escolar traduz-se nas taxas de transição em cada ano de escolaridade.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária ano de escolaridade que se verifica a maior taxa de abandono ou retenção.25 Escola Secundária de S. espera-se que essa ajuda (prevista no Despacho Normativo n. Tendo em conta que a estrutura pedagógica existente (num trabalho incansável mas solitário) não tem obtido os resultados esperados.

que se traduziu em melhores resultados.º ano tem sido aquele em que se apresentam mais problemas a todos os níveis. o que promove um ambiente propício à aprendizagem e assim os resultados também costumam melhorar. Port 7ºAno 8ºAno 9ºAno 43% 27% 28% Inglês Frances 29% 29% 27% 40% 17% 22% Hist 39% 10% 12% Geog 27% 14% 12% Mat 39% 31% 56% C. obriga a juntar grupos naturais diferentes.º ciclos) não enviarem todos os alunos que constituíam as turmas originais.Nat 34% 12% 9% F.º ciclo) . A partir dessa altura houve um esforço acrescido no trabalho com os alunos precisamente do 9. que se sente sobretudo nos alunos que abandonam as escolas do ensino básico porque. A esta indisciplina não é alheia o desinteresse e a falta de acompanhamento familiar.º e 3.º ano de escolaridade. O facto de as escolas do ensino básico (2. tem originado situações de indisciplina. 8% 2% 0% A. o que. O 7.Q 38% 13% 32% E. já são mais velhos e procuram ambientes escolares em que os restantes alunos sejam de uma faixa etária semelhante à sua (daí a sua opção por uma escola secundária embora ainda não tenham concluído o ensino básico). A partir do 8.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária O ano lectivo 2004/2005 foi o primeiro ano em que foram implementados os exames nacionais do 9.26 Escola Secundária de S.Tec. provocando instabilidade.Fis. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . e tendo sido feito um trabalho inicial de adaptação às regras da nova escola. Taxa de Insucesso no 3º Ciclo 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% L.P 16% 2% 0% h Ano lectivo de 2008/2009 – Taxa de insucesso por disciplina (3. os problemas de indisciplina diminuem drasticamente.º ano. com a acumulação de múltiplas retenções. 15% 9% 0% E.Vis 11% 2% 1% E.º ano de escolaridade.

tendo-se verificado uma taxa média de conclusão de 75%. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . No entanto.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Da análise dos gráficos anteriores.0% 71. em mais de 50% de alunos que beneficiam de apoios por parte do Serviço de Acção Social Escolar (SASE).5% 92. essencialmente no 7. onde também se verifica que um grande número de alunos transitou de ano com uma classificação negativa a Língua Portuguesa e/ou a Matemática.0% 73. Seguidamente apresentam-se gráficos que pretendem ilustrar o desempenho escolar nas disciplinas em que é obrigatória a avaliação externa. já elencados anteriormente.0% 50.º ano de escolaridade. por exemplo. e que está muito longe da realidade das escolas privadas que fazem uma triagem qualitativa dos seus alunos ou outras que se situam em zonas mais favorecidas sem os problemas desta freguesia. não podemos esquecer uma realidade sócio-económica que se traduz. Constata-se também que somente 37 % dos alunos transitaram de ano sem níveis negativos. No 9. destacando-se novamente a Língua Portuguesa e a Matemática como as disciplinas que apresentam maior insucesso.6% 8º ano 71.0% 0. No oitavo ano a taxa de retenção é de 12%.9% 9º ano 76.º ano 74% dos alunos foram admitidos a exame.7% .3% 71.0% 2005/2006 2006/2007 2007/2008 2008/2009 7º ano 53.7% 87.1% 66.27 Escola Secundária de S. A partir dessas taxas de sucesso pode-se inferir que os resultados obtidos ainda estão longe da média nacional. Taxa de Sucesso a Língua Portuguesa (3º Ciclo) 100. sobressai a elevada taxa de retenção.0% 58.1% 59.0% 71.

a partir do final do 1º período lectivo. Estes planos serão implementados.28 Escola Secundária de S. seguidos e avaliados pelo Conselho de Turma respectivo. os resultados dos alunos que frequentam o Ensino Secundário não são os mais desejáveis. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .º ciclo.9 43. . para os alunos que apresentem três ou mais níveis inferiores a 3 é elaborado um Plano de Recuperação e para os alunos que ficaram retidos é elaborado um Plano de Acompanhamento.º de alunos que transitaram 25 41 37 % Sucesso 47.º ano 8.4 64.º de alunos em PA 19 14 9 Nº de alunos que transitaram 9 9 8 % Sucesso N.3 88. Pelos dados que a seguir se apresentam.º ano 9.º de alunos em PR 58 52 59 N. Alunos em Plano de Acompanhamento (PA) / Plano de Recuperação (PR) 2008/2009 Ano de Escolaridade 7.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Com vista a reduzir o insucesso no 3.º ano N.7 4.3.8 62.2 Resultados do Ensino Secundário Como se pode verificar pelos gráficos que a seguir se apresentam.1 78. podemos concluir que as estratégias implementadas ajudam significativamente na superação das dificuldades.

G. G eo . . F ran c. GD A O DD BH E.I.I. Taxa de insucesso do Ensino Secundário 75% 60% 45% 30% 15% 0% FQ A B.A MACS D es.C.P. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente O.F ís. L IT . E.C . T . GD A T.A Física LIT.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Nota: Nos Cursos Tecnológicos não é obrigatória a realização de exames nacionais.P MAT B Des.A A .P BH Fil. Nos anos de escolaridade em que existem exames nacionais para a sua conclusão.Fís. que apresenta níveis inferiores aos verificados a nível nacional. G . A Geo. Port. Po rt. ODD HCA Biol Ing. A Psic A Franc.A 0% 0% 0% A.A MACS PSicB 0% 0% 0% Hist. B io l F il. FQ A B.P. Mat. A M at. O .29 Escola Secundária de S. A Psic A F isica PSicB HCA In g . 10º ano 11º ano 12º ano 19% 14% 6% 25% 3% 0% 22% 0% 0% 0% 0% 0% 50% 25% 18% 30% 6% 0% 8% 0% 0% 11% 12% 0% 4% 18% 0% 14% 4% 0% 11% 0% 0% 0% 6% 5% 5% 0% 0% 74% 6% 0% 36% 0% 0% 11% 25% 0% 0% 0% 0% 26% 0% 0% 30% 0% 0% 26% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ano lectivo de 2008/2009 – Taxa de insucesso por disciplina (Ensino Secundário) . O sucesso não passa só pelas taxas de transição. as taxas de sucesso ficam condicionadas pela prestação externa. daí a taxa de 100% de aproveitamento.A MAT B H ist.

elaborámos os gráficos seguintes: . etc. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .4.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária O sucesso educativo. tanto por professores como pelos funcionários.30 Escola Secundária de S. solidariedade. já que os alunos que frequentam esta escola desenvolvem competências transversais e valores de cidadania. no que concerne ao desenvolvimento integral do cidadão.1 Resultados do Ensino Básico Para podermos comparar o sucesso dos alunos desta escola com o sucesso a nível nacional – nos termos em que se manifesta na transição para o ano de escolaridade seguinte –. 4. em prol da sua educação. que se podem verificar até no reconhecimento demonstrado pelo trabalho desenvolvido.4 Resultados escolares – comparação a nível nacional 4. pode ser considerado elevado.

5 -0.4 13.1 2.8 8.2 Resultados do Ensino Secundário Comparação da média do exame realizado na escola com a média de exame nacional 1ª FASE – 2009 Prova 702 706 708 715 517 719 623 724 734 635 735 835 639 Disciplina Biologia e Geologia Desenho A Geometria Descritiva A Física e Química A Francês (cont.0 2.5 12. os alunos obtiveram classificações negativas.7 12.1 8.7 10.4.0 1.1 9.2 10. em sete.1 1.9 -0.8 11.7 9. os alunos têm reforço curricular semanal.3 11. houve disciplinas – Desenho A.3 Resultados Δ Nacionais ESSPC Média Nacional 9.5 0.2 11.1 6.0 9. Comparação da média do exame realizado na escola com a média de exame nacional 2ª FASE – 2009 Prova 702 708 715 517 719 623 724 635 835 639 Disciplina Biologia e Geologia Geometria Descritiva A Física e Química A Francês (cont.3 Resultados Nacional Média 8.2 1.8 12. Matemática B.4 11.2 10.7 5.5 4.0 3.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 4. .º Provas 36 8 4 46 12 9 16 12 3 32 7 12 63 ESSPC Exame Média 8.2 11.bienal) Geografia A História A História da Cultura e das Artes Matemática A Matemática Aplicada às Ciências Sociais Português N.7 0.4 7.8 0.º Provas 16 1 23 3 1 5 5 17 2 13 % Provas p/ melhoria 56% 0% 43% 33% 0% 0% 0% 29% 0% 31% ESSPC Exame Média 7.9 6.3 11.2 -0.7 -2. as únicas que a nível nacional ficaram com classificação negativa. Na disciplina de Matemática A.6 0.4 Da análise destes dados verificamos que das 13 disciplinas em que se realizaram exames nacionais. mas os resultados continuam aquém dos desejados.7 4.5 10. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .31 Escola Secundária de S.bienal) Geografia A História A História da Cultura e das Artes Literatura Portuguesa Matemática A Matemática B Matemática Aplicada às Ciências Sociais Português N.7 13.6 11. Geometria Descritiva A e Geografia A – que obtiveram classificações iguais ou superiores às nacionais. O insucesso foi mais visível nas disciplinas de Física e Química A (83%) e de Biologia e Geologia (72%).6 10.8 -1.0 14.7 9.5 .1 14.9 10.3 11.3 11.1 2.3 4.0 11.2 8.5 6. .8 2.1 10.3 11.5 7.8 Δ ESSPC Nacional 1.7 1.4 11. Por oposição.3 9.5 2.4 8.5 3.

a implementação dos Novos Programas de Matemática. se assiste a um esforço para o conseguir. continuaremos a investir no apoio on-line (no domínio das Línguas).º anos) – a articulação com as escolas EB 2. teremos que insistir na necessidade de implicar mais os alunos na melhoria dos seus desempenhos e devemos reflectir para redefinir as estratégias de ensino-aprendizagem.º ano) e a Matemática (no 8. no Moodle. Pedro da Cova). excepto a Geografia A. por diversas e plausíveis razões. No entanto. as articulações entre disciplinas afins. É também de referir a elevada percentagem de alunos que se apresentaram nesta fase a realizar provas para melhoria de classificação – 56% a Biologia e Geologia e 43% a Física e Química A. tal como estão devidamente referenciadas (cf. os passos dados podem observar-se no trabalho dos professores que leccionam o mesmo ano de escolaridade. . Geometria Descritiva A e Matemática Aplicada às Ciências Sociais. Assim. 48). 4.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Na segunda fase realizaram-se exames a 10 disciplinas e os resultados continuaram abaixo da média nacional. ou quando elaboram e partilham materiais didácticos.3 (Fânzeres e S. (por exemplo: física e química e biologia e geologia ou línguas estrangeiras e língua materna.32 Escola Secundária de S. As disciplinas em que o diferencial foi maior foram as de História da Cultura e das Artes. Nesse sentido.5 Articulação curricular A articulação curricular vertical – entre ciclos. como o desdobramento de turmas. Articulação dos Projectos Educativos TEIP . nas disciplinas de Português e Matemática e as assessorias pedagógicas – em Inglês (no 7. no Apoio Educativo. nas diferentes disciplinas – e horizontal – entre as diferentes disciplinas do mesmo ano de escolaridade – é considerada uma estratégia de difícil execução. quando estes planificam em conjunto os conteúdos a leccionar. Como os resultados ainda não são satisfatórios.ESSPC e AVESPC.) nem sempre são efectuadas.º e 9. no Reforço Curricular e procuraremos dinamizar outras acções. mas. p. cada vez mais. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . Em sede de Conselho de Turma promove-se a planificação das actividades de forma a não haver sobreposições ou repetições e promove-se também a articulação de conteúdos – intenções reforçadas no âmbito do Projecto Curricular de Turma. etc.

incentivando o trabalho de equipas. Aferição/adequação de critérios de avaliação. Continuaremos a investir no apoio on-line (no domínio das Línguas). Sensibilizar os elementos do conselho de turma para reforçar as estratégias dos Planos de Recuperação. Orientação Vocacional dos alunos por parte de um técnico especializado (Psicólogo). . Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . no Apoio Educativo. Acompanhamento dos alunos em Plano de Recuperação por parte de um técnico especializado (Psicólogo). entre as quais se destacam as seguintes: • • • • • Criação de equipas pedagógicas. Conselho Pedagógico e Departamentos. Monitorização do sucesso do plano de matemática e reformulação atempada do mesmo (se for o caso). Criação de dinâmicas de aferição de desenvolvimento de competências. Reforço na elaboração de materiais didácticos. promovendo a troca de experiências. tais como: • • • • • • • • • • • • • • Diversificação da oferta educativa. como proposta de resolução ou de atenuação deste problema.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Assim.33 Escola Secundária de S. Maior dinâmica dos departamentos. Articulação e sequencialidade do ensino tanto a nível dos Departamentos como a nível dos Conselhos de Turma. no próximo ano lectivo serão implementadas ou reforçadas algumas acções. no Reforço Curricular e procuraremos dinamizar outras acções. Supervisão pedagógica por parte do Coordenador de Departamento. Uma análise mais reflexiva e alargada dos resultados escolares por parte da Direcção. Maior dinâmica e autonomia dos conselhos de turma. Projecto de apoio ao estudo para os alunos que pretendem prosseguir estudos – sala de estudos e apoio on-line. Maior liderança dos órgãos de gestão intermédia. física e química e inglês). Coordenação científica e pedagógica eficaz por parte dos coordenadores de departamento. matemática. Definição pelos grupos de metas quantificadas nas disciplinas de maior insucesso (português. no Moodle. Maior rentabilização das aulas de estudo acompanhado.

continuaremos a verificar este fenómeno porque: • as escolas EB 2. como para alunos com problemas disciplinares. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . 4. assiste-se a situações de agravamento e deterioração social diariamente. ou as situações de continuada falta de cumprimento dos deveres e obrigações dos alunos. constitui um óbice ao pleno desenvolvimento do processo ensino aprendizagem. Promover uma cultura de auto-avaliação e de reflexão crítica. Monitorização da eficácia das assessorias. na maioria das disciplinas. Utilização de um ensino mais experimental. Os gráficos apresentados de seguida são fruto do levantamento realizado relativamente aos problemas do foro disciplinar quanto às situações ocorridas nos últimos anos.º ano.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária • • • • • • • • • • • Empenhamento de todos os profissionais para atingir as metas estabelecidas. .º ciclo.34 Escola Secundária de S. Premiar o mérito. no sentido de combater problemas disciplinares. Definição de regras de comportamento nos Conselhos de Turma. Acções tutoriais tanto para acompanhar o percurso escolar dos alunos. é evidente a falta de acompanhamento parental/familiar. Valorização do conhecimento científico.3 enviam pequenos grupos de alunos e não as turmas originais completas. • • • • • os alunos são transferidos para esta escola devido ao excesso de lotação nas outras.6 Indisciplina A indisciplina. Valorizar o empenho na sala de aula e menos o de casa. Aulas de apoio aos exames. Elaboração de planos de recuperação viáveis e de aplicação real. com realização de actividades laboratoriais devidamente estruturadas. CEF) é sempre um factor de destabilização. as aulas de 90 minutos. Apesar de todos os esforços implementados. mostram indícios de serem demasiado longas para os alunos do 3. a mudança de escola e ciclo ( 7.

35 Escola Secundária de S. Neste espaço faz-se o registo de ocorrência (registo feito pelo aluno e pelo professor que o recebe) e é dado conhecimento imediato ao Director de Turma e Encarregado de Educação (dependendo da gravidade da situação).º ciclo e dos CEF. duas no 2.º). definiram-se algumas estratégias para a sua superação: Uniformizaram-se critérios de actuação dos professores dentro e fora da sala de aula (documento aprovado em Conselho Pedagógico e posteriormente afixado em todas as salas de aula para conhecimento de todos os alunos e dado também a conhecer aos Encarregados de Educação). . Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .º período. Convocaram-se todos os Encarregados de Educação para várias reuniões com o Director de Turma.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Tipo de Sanções Disciplinares 15 10 5 0 2005/2006 Repreensão registada Suspensão até 3 dias Serviço comunitário 10 3 7 2006/2007 6 2 7 2007/2008 3 2 8 2008/2009 8 14 9 Perante a indisciplina verificada.º e uma no 3. Aplicaram-se medidas correctivas e sancionatórias atempadamente e sempre que a gravidade da situação o exigiu. principalmente em turmas do 3. Criou-se o Gabinete de Apoio ao Aluno (GAA) para acompanhamento dos alunos a quem fosse dada ordem de saída da sala de aula. no total de seis vezes ao longo do ano (três no 1. logo a seguir às avaliações de final de período (antes do Natal e da Páscoa) e após as avaliações intercalares.

Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . . Salientam-se os dados dos alunos do 7. O número de subsidiados vai diminuindo à medida que a escolaridade aumenta. 2009). Os que sentem mais dificuldades económicas abandonam precocemente o sistema de ensino. Percentagem de alunos com Subsídio da Acção Social Escolar (2008/2009) Acção Social Escolar 70 60 50 7º ano 8º ano 9º ano 10º ano 11º ano 20 10 0 Escalão A Escalão B Escalão C Sem Escalão 12º ano % 40 30 Fonte: Gabinete Coordenador do Sistema de Informação do Ministério da Educação MISI (Maio.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 4. confirmam-se essas dificuldades.7 Acção Social Logo na caracterização socio-económica dos Encarregados de Educação verificava-se que grande parte dos nossos alunos deveria lutar com dificuldades económicas. Analisando o gráfico seguinte.36 Escola Secundária de S.º ano – 61% escalão A.

1 Objectivos Gerais 1 Melhorar o sucesso e a integração na escola 2 Qualificar a população adulta do território 3 Responder às necessidades educativas do território . Estes três tipos de problemas situam-nos nos três eixos de incidência do Plano de Acção a traçar. A Comunidade. O insucesso escolar (incluindo o absentismo. verificando-se.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 5 PROBLEMATIZAÇÃO Da análise dos problemas aqui elencados nos capítulos anteriores facilmente se depreende o tipo de carências deste território e. 3. A Escola. 5.37 Escola Secundária de S. 3. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . A desqualificação da população adulta (entre a desinformação e a exclusão). Os Alunos. 2. muitas vezes. A Sobrelotação da Escola. o seu reflexo em alunos pertencentes a famílias disfuncionais com níveis de instrução por vezes inferiores ao antigo ensino básico. consequentemente. De entre os múltiplos problemas que têm vindo a ser diagnosticados identificam-se três mais relevantes e que se relacionam entre si: 1. a transferência de responsabilidades parentais para a escola. o abandono e a indisciplina). ou seja: 1. 2. onde falta o ambiente propício ao estudo assim como o envolvimento dos pais e encarregados de educação no processo educativo destes alunos. Face ao levantamento realizado enumeram-se agora os objectivos gerais dos quais decorrem os objectivos específicos. rendimentos familiares baixos e situações problemáticas de integração social.

Prevenir o absentismo e o abandono escolar.. Desenvolver actividades científicas e culturais. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . 2 • Incentivar os E. Orientar os alunos no seu percurso escolar. Aumentar o acompanhamento das famílias dos alunos carenciados por técnicos especializados. Motivar os alunos para a frequência do ensino técnicoprofissional.E a participar na vida escolar dos seus educandos. Reduzir o insucesso e o abandono precoce.E. Incutir as regras de convivência definidas pela Escola.38 Escola Secundária de S.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 5. Educar para o empreendedorismo. Prevenir os episódios de carácter disciplinar. Promover a inserção no mundo do trabalho com qualificação profissional. Aumentar as qualificações dos pais / E. Qualificar jovens em risco de exclusão social. Promover a integração na vida activa.2 Objectivos Específicos 1 • • • • • • • Promover o sucesso escolar. • • • • • • • . 3 • Dotar a escola de um bloco oficinal para o desenvolvimento das práticas oficinais dos cursos profissionalizantes.

39 Escola Secundária de S. . Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Os recursos humanos e materiais que se apresentam de seguida correspondem aos pedidos mas podem não corresponder aos que foram realmente afectados.

Assim. Constitui-se. um Projecto Educativo como itinerário que possibilita um planeamento desenvolvido e concretizado de uma forma monitorizada e consequente. Essa associação. é um dos indicadores de qualidade desta organização. afigura-se como o garante da mudança para a nova situação que conceptualmente se antecipa (meta). numa tentativa de rentabilizar as diversas valências dos profissionais envolvidos. de comunidade e de participação colaborativa. 2. 3. potenciando as diversas perspectivas e os diversos recursos que assim se conjugam para resolver os problemas com que esta organização se confronta. Alunos / Insucesso–Absentismo–Abandono–Indisciplina. Comunidade/ Desinformação – Desqualificação – Exclusão. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . Tal mobilização depreende-se do aproveitamento da diversidade de formações e experiências. introduz-se a associação dos Eixos/Acções: 1. e cada vez mais. numa exigência contínua de alocar um conjunto de competências directamente relacionados com o desenvolvimento de actividades em diversas áreas. o apoio na avaliação como instrumento de decisão. Escola/ “Preciso de Espaço!”. Para isso a constante interacção com os diferentes parceiros. o recurso a novas metodologias. que rege o Plano de Acção no seu conjunto de procedimentos. . Escola/ Sobrelotação. 3. tomam-se os seguintes Eixos/Problemas de partida: 1. tende a assumir-se também. Actuando nessa lógica de projecto pretende-se operar com base na mobilização do conhecimento para se detectar as acções necessárias de maneira a organizar a mudança das problemáticas diagnosticadas. e em particular o envolvimento dos agentes relevantes. pela mesma ordem. convergindo na partilha de saberes que promovam a planificação mais consentânea com as necessidades da Escola. É também assim que as diferentes acções respondem às necessidades reais da comunidade educativa. numa lógica de projecto – reconhece-se assim que o sentido de um propósito comum. assumindo-se na sua vertente de organização participada. Esta lógica acentua portanto a colaboração multidisciplinar.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6 PLANO DE ACÇÃO A Escola. pertinência e utilidade. Alunos / “Falta abandonar a indisciplina e o insucesso”. desse modo. Então. 2.40 Escola Secundária de S. podem acrescentar a este Projecto Educativo a sua relevância. Comunidade/ “Ensinar mineiros a pescar”.

Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .41 - .Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Eixos PROBLEMAS PROJECTO EDUCATIVO TEIP » ACÇÕES » 1 ACTIVIDADES Alunos INSUCESSO ABSENTISMO ABANDONO INDISCIPLINA 2 8 13 20 4 9 14 21 5 10 16 24 6 11 18 » “Falta abandonar a indisciplina e o insucesso” » 7 12 19 Comunidade DESINFORMAÇÃO DESQUALIFICAÇÃO EXCLUSÃO » “Ensinar mineiros a pescar” » 3 22 14 23 17 24 Escola SOBRELOTAÇÃO » “Preciso de Espaço!” » 7 18 15 PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES Escola Secundária de S.

1 Acções “Falta abandonar a indisciplina e o insucesso” INSUCESSO ABSENTISMO ABANDONO INDISCIPLINA ACÇÃO 1 – “Falta abandonar a indisciplina e o insucesso” Objectivo Geral – Melhorar o sucesso e a integração na escola Fundamentos O Insucesso Escolar é um conceito associado à massificação generalizada do ensino.42 - . Centros de Saúde.1 6. Prevenir os episódios de carácter disciplinar. Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ). Orientar os alunos no seu percurso escolar. Promover a integração na vida activa. Prevenir o absentismo e o abandono escolar.1. Verifica-se também um elevado número de níveis inferiores a três nas disciplinas de Matemática. encarregados de educação/família e comunidade. enriquecendo a sua formação e preparando-os para níveis posteriores de aprendizagem. está associado à indisciplina na escola. Assim. Fundação de Serralves. enfim. feito o diagnóstico. como a desmotivação dos alunos influencia directamente os níveis de abandono e insucesso escolar e este. Esta cultura de participação permitirá estimular a solidariedade e a responsabilidade comunitária – melhorando a qualidade do trabalho realizado por todos – e. o Projecto Educativo visa actividades de participação activa dos alunos. às metodologias implementadas.º ano). por sua vez. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . Biblioteca Municipal. Pedro da Cova e Fânzeres.º ciclo). esforço e empenho. a introdução de novas actividades irá certamente ajudar a esbater essa difícil transição – tanto no ensino básico como no secundário – e terá também em conta que o insucesso escolar está associado ao abandono e ao absentismo.PM e PNL).º ano de escolaridade. apurou-se o seguinte: As taxas de insucesso verificam-se sobretudo no 7. dignificar em sentido amplo a Comunidade Educativa. Portanto. Coordenadora Cecília Ferreira Escola Secundária de S. tornando-se num problema social que reflecte o envolvimento de toda a comunidade educativa. estudaram-se os resultados escolares e. Português e Inglês (no 3. mas também a outros factores. Assim. Parcerias Câmara Municipal de Gondomar (CMG). Objectivos específicos • • • • • • • Promover o sucesso escolar. Agrupamentos de Escolas de S. tendo em conta três eixos – o aluno.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6. permitindo a todos os intervenientes uma participação na melhoria da motivação. não docentes. Direcção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular (DGIDC . atenção. como o desinteresse e desmotivação manifestados face aos conteúdos. às estratégias do professor e ao valor que o aluno confere à Escola. Com as medidas constantes neste Projecto espera-se contribuir para o desenvolvimento de interesses mais variados nos alunos. Incutir as regras de convivência definidas pela Escola. a comunidade e a escola – e procurando neles os factores de insucesso e as suas causas explicativas. Instituições de Ensino Superior. Associações Culturais e Recreativas. Rede de Bibliotecas Escolares (RBE). Verifica-se ainda um elevado número de classificações negativas nos exames do Ensino Secundário – sobretudo em Biologia e Geologia e Física e Química A (11. docentes. Desenvolver actividades científicas e culturais.

000€ Escola Secundária de S.º ano (350) Professores Sala de aula 5 x 45’ 50.º ano 1%.400€ 3º ciclo: Reduzir o insucesso: 7.500€ Metas 2009/2011 2.Básico (200) Professores e Professor mediador Técnico de Acompanhament o Psico-Social e Psicólogo Gabinete Gabinete e material de escritório.º ano 22%. Professores Materiais didácticos 25 x 45’ 3. (11h) Professor Mat (11h) Professor Equipamentos / materiais desportivos Material didáctico 2 x (2 x 90’) 38. 7. Software didáctico 46 x 45’ 113.200€ 7. Alunos c/ problemas disciplinares (200) Grupo de alunos .400€ 5.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária INSUCESSO ABSENTISMO ABANDONO INDISCIPLINA ACÇÃO 1 – “Falta abandonar a indisciplina e o insucesso” Recursos Humanos da Escola 1.º ano 4% 9. Alunos (40) 2 Professores 1 Professor (22h) Professor Port. Desporto Escolar Desporto para todos (8 aos 15 anos) Desdobramento de turmas ( LP e MAT – 7º ano) Assesssorias (Inglês) Acção Tutorial/ Mediação Educativa/ Gabinete de Apoio ao Aluno Apoio Educativo Alunos (150) 6 Professores Actividade Destinatários Recursos Materiais da Escola Equipamentos / materiais desportivos a afectar a afectar Equipamentos / materiais desportivos Equipamentos / materiais desportivos Frequência Semanal 6 x (2 x 90’) Custos (Estimativa) 12.º ano 12% 9.º ano (125) Professores 90’ 50.º ano 1% 8. 7.400€ 6. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . Reduzir o abandono: 7.º ano 28% 8. 4.43 - .

Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Actividade Reforço Educativo Plataforma Moodle/Apoio on-line Visitas de Estudo / Aulas de campo Biblioteca Escolar Plano Nacional de Leitura Plano da Matemática Destinatários Grupo de alunos . lápis. PES Comunidade Educativa Professores Gabinete 19 x 45’ 2. fita-cola. 13.º ano 23% 12.44 - .Secundário (100) Professores e alunos do secundário (400) Alunos (890) Comunidade Escolar 3.º ano 11% 11.000€ Reduzir o insucesso: 10. marcadores.º anos (350) Recursos Humanos da Escola a afectar Recursos Materiais da Escola Sala de aula Computadores e ligação à Internet Transporte/entra das/alojamento a afectar Frequência Custos Semanal (Estimativa) 29 x 45’ Metas 2009/2011 8. Professores 9.400€ 5. Professores Professores Professores Professores Professores Animador Sociocultural 12 x 45’ Secundário: Pontual Contínua 14 x 45’ 18 x 45’ Cartolinas. 10. outros materiais escolares e Software didáctico 38. cola. Reduzir o abandono: 10.º ciclo (350) 8.º ano 9% 12. 12. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .500€ Escola Secundária de S.º ano 44%.º e 9.º ano 4%.º ano 23% 11. 11. Livros de leitura Livros científicos DVD’s Livros de leitura recreativa Jogos didácticos Software didáctico Livros de leitura Livros científicos DVD’s Livros de leitura recreativa 14.

45 - . Artes para fora Alunos (400) Professores Sala de Artes 4 x 45’ 7. Material didáctico Contínua 38. etc.º e 8.400€+5.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Actividade Destinatários Recursos Humanos da Escola a afectar Centro de Formação Júlio Resende e Instituições do Ensino Superior Professores 1 Professor Recursos Materiais da Escola a afectar Frequência Semanal Custos (Estimativa) Metas 2009/2011 16. Professores e Alunos (820) Comunidade Educativa Professores a) Equipamento informático Contínua Contínua a) 24. etc.000€ Idem 20. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .º anos (350) Professores 90’ por turma 21. equipamento informático (scanners. Espaço das Artes Alunos Inscritos (200) Sala de Artes Material de desenho. Actualização Profissional Professor e funcionários (140) Pontual 18. Estudo Acompanhado por dois Docentes Articulação Vertical e Horizontal 7.250€ 19. pintura e de outras tecnologias Cavaletes.) e consumíveis (papel.). tinteiros. TEIP ON-LINE a) Recurso ou valor já apresentado numa Acção/Actividade anterior Escola Secundária de S. impressoras.

provocadas pela falta de organização familiar e. a situação pouco se vem a alterar pela falta de um acompanhamento eficaz nos domínios da informação. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . em termos socioeconómicos. Aumentar o acompanhamento das famílias dos alunos carenciados por técnicos especializados. Cursos de Educação e Formação de Adultos. mas que apelem também a um sentido de revalorização pessoal através de uma qualificação académico-profissional acrescida. não só à intervenção directa e empenhada na valorização do papel da escola na formação dos seus educandos. Factores como a privação cultural.E a participar na vida escolar dos seus educandos. numa outra esfera. servindo finalmente de estímulo a uma vivência de intervenção cívica e empreendedora. mediante uma variada oferta curricular (ex. etc.46 - . são razões para a desagregação das famílias o que. as condições de habitação precárias. o que propicia carências de vária ordem. acentua essas mesmas carências. a falta ou a má gestão de recursos económicos a nível do agregado familiar. o que. Validação e Certificação de Competências.1. de alimentação e de higiene (salienta-se a incidência de tuberculose) – que são.E. Nesse âmbito pretende-se desenvolver actividades que apelem. Objectivos • • • • Incentivar os E.. da gestão doméstica dos recursos. muitas vezes.). mas também se caracteriza por trazer a uma participação mais assídua alguns Pais e Encarregados de Educação que normalmente se alheiam das actividades da escola. Empresas da região (estágios e formação em contexto de trabalho) Coordenadora Ana Santos Escola Secundária de S. finalmente. muito desfavorecido. se reflecte nas relações parentais e interpessoais. que nem sempre corresponde às carências económicas do agregado familiar. Educar para o empreendedorismo. consequentemente. Cursos Educação e Formação de Jovens. bem como numa baixa expectativa em relação à escola e ao futuro. Reconhecimento. por carências nas infra-estruturas e equipamentos sociais e culturais.2 “Ensinar mineiros a pescar” DESINFORMAÇÃO DESQUALIFICAÇÃO EXCLUSÃO ACÇÃO 2 – “Ensinar mineiros a pescar” Objectivo Geral – Qualificar a população adulta do território Fundamentos A Escola encontra-se inserida num território educativo que pode ser considerado. Aumentar as qualificações dos pais / E. do encaminhamento das famílias para a construção de projectos pessoais de vida. Parcerias ANJE. nas dificuldades de adaptação à vida académica. somando ainda as problemáticas associadas à marginalidade (principalmente a toxicodependência).Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6. Apesar das políticas estatais de atribuição do rendimento mínimo (relembra-se a alta taxa de desemprego – 19%). Ora todo este contexto resulta na desmotivação dos alunos. em suma. da valorização da educação e do trabalho. contribui para os problemas de insucesso detectados na nossa área de intervenção sócio-escolar. Sendo este o ponto de partida a transformação visada por esta acção centra-se num processo de ampliação dos níveis de certificação e qualificação da população adulta. a falta de informação ou uma desenfreada e indiscriminada aquisição de bens de consumo. nomeadamente na vertente material e humana. Observam-se ainda carências a nível sanitário – problemas de saúde.

Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária

DESINFORMAÇÃO DESQUALIFICAÇÃO EXCLUSÃO
ACÇÃO 2 – “Ensinar mineiros a pescar”
Recursos Humanos Recursos Materiais a afectar
Materiais desportivos a)

Actividade

Destinatários
Docentes Funcionários e EE (60) Comunidade Educativa Alunos (200)

da Escola a afectar da Escola
3. Desporto para todos (adultos) PES Educar para o Empreendedorismo Qualificação de Pais/E.E GRUPO CORAL VOX POPULI TEIP ON-LINE 2 Professores Materiais desportivos Gabinete

Frequência Semanal
2 x 90’

Custos (Estimativa)
2.000€

Metas 2009/2011

14.

Professores Professores Formadores da ANJE Professores CNO Professores, funcionários, EE, alunos a)

19 x 45’

a)

Aumentar em 10% a comparência dos EEs sempre que convocados Aumentar em 10% a frequência de cursos EFA/ RVCC Aumentar em 10% a conclusão dos cursos profissionais

17.

Sala de aula

Recursos

4 x 45’

1.000€

22.

Pais / E.E (400)

Sala de aula Sala de aula, Fotocópias Equipamento informático

Contínua

23.

Comunidade Educativa Comunidade Educativa

90’

100€

24.

Contínua

a)

a) Recurso ou valor já apresentado numa Acção/Actividade anterior

Escola Secundária de S. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente

- 47 -

Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária

6.1.3

“Preciso de Espaço!”

SOBRELOTAÇÃO
ACÇÃO 3 – “Preciso de Espaço!”
Objectivo Geral – Responder às necessidades educativas do território Fundamentos
Este problema, que deriva da falta de espaço para o funcionamento dos cursos profissionais, atinge o normal funcionamento das aulas (devido ao ruído), afecta a organização de actividades de apoio ao currículo e também o desenvolvimento de projectos extracurriculares. Dando resposta a um dos objectivos deste Programa TEIP 2 – “a criação de condições que favoreçam a orientação educativa e transição qualificada da escola para a vida activa” – esta escola tem em funcionamento 8 turmas de Cursos Profissionais e 4 turmas de CEF. Mesmo assim, no presente ano lectivo foi recusado o acesso a alunos que formariam uma 9.ª turma (destes cursos profissionais) por falta de espaço adequado ao desenvolvimento das aulas práticas. Por estes cursos serem eminentemente experimentais, na área das energias renováveis e electricidade, provocam constrangimentos devido ao ruído excessivo resultante dos seus trabalhos, o que afecta as turmas que têm aulas nas proximidades. Para recolher as opiniões/sugestões da população estudantil, relativamente à melhoria das situações problemáticas detectadas, foi elaborado um questionário apresentado aos representantes de todas as turmas – delegados e subdelegados. Assim, num universo de 80 alunos, apurando-se a resposta de 73 (91%), 69 alunos (94%) indicaram a necessidade de se construir mais um bloco (mais salas de aula). Porquê? Porque as oficinas provocam muito barulho! Estas respostas são representativas da necessidade premente da transposição destas aulas para outro local e o espaço que se julga ter melhores condições encontra-se no seguimento do Pavilhão Gimnodesportivo – onde o ruído deixaria de constituir um problema. Contactada a Associação de Pais ficou patente a sua disponibilidade em colaborar na construção de duas salas, com um total de cerca de 35 m2 cada, circunscrevendo-se essa colaboração à Alvenaria Estrutural (18.000 €). Portanto, para a conclusão da obra seria necessária a comparticipação da DGIDC, resumindo-se esta aos acabamentos (revestimento e isolamento) e à montagem de condutas de água e electricidade. A consulta orçamental realizada, quanto à segunda parte da obra, aponta para um orçamento na ordem dos 24.000 €. Sublinha-se que ao transferir estas Práticas Oficinais para o espaço indicado, ficarão livres duas salas no edifício principal que servirão para que a Sala de Estudo funcione a tempo inteiro e para que o Espaço das Artes possa chegar a mais alunos.

Objectivos
• • • • •

Dotar a escola de um bloco oficinal para o desenvolvimento das práticas oficinais dos cursos profissionalizantes; Motivar os alunos para a frequência do ensino técnico-profissional; Promover a inserção no mundo do trabalho com qualificação profissional; Reduzir o insucesso e o abandono precoce; Qualificar jovens em risco de exclusão social.

Parcerias
DREN e DGIDC; empresas locais; Associação de Pais e Encarregados de Educação.

Coordenadora
Teresa Gandra
Escola Secundária de S. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente

- 48 -

Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária

SOBRELOTAÇÃO
ACÇÃO 3 – “Preciso de Espaço!”

Actividade

Destinatários

Recursos Humanos da Escola a afectar

Recursos Materiais da Escola
Materiais didácticos

a afectar
a)

Frequência Semanal

Custos (Estimativa)

Metas 2009/2011
Criar uma Sala de Estudo (abertura contínua) Reduzir as taxas de insucesso e abandono (cf. Acção 1) Criar mais uma turma nos cursos profissionais Aumentar em 10% a frequência dos ateliers de artes

7.

Apoio Educativo

Grupo de alunos (200) Alunos dos Cursos Profissionalizantes (200)

Professores

25 x 45’

a)

15.

Práticas Oficinais

Professores

Equipamentos específicos

Bloco oficinal (duas salas)

120 x 45’

24 000€

18.

Espaço das Artes

Alunos (200)

Professores

a)

Sala de Artes

a)

22 x 45’

a)

a) Recurso ou valor já apresentado numa Acção/Actividade anterior

Escola Secundária de S. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente

- 49 -

Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária

6.2

Actividades

A definição das actividades, que dão corpo ao Plano de Acção aqui traçado, não se pretende substituir ao Plano Anual de Actividades como este é habitualmente concebido. Ao longo do ano, como previsto no PAA, serão realizadas outras actividades que complementam e derivam destas aqui registadas. Pretende-se assim que este Plano seja um auxiliar de acção e não um documento redutor de outras iniciativas aqui não contempladas, pois trata-se, sobretudo, de um guia de actividades, a ser executado com rigor na incidência sobre os problemas detectados, com qualidade organizativa e em momentos chave, servindo ao mesmo tempo de identificação de todo o esforço desta Escola, perspectivando os vários graus de ensino que a constituem e observando as necessidades desta comunidade. Segue-se então a descrição mais pormenorizada das actividades nucleares que pretendemos implementar com o nosso Plano de Acção: 6.2.1 Actividade 1. DESPORTO ESCOLAR
DESCRIÇÃO: Desenvolver actividades desportivas que são o reflexo da dinâmica da actividade Interna: desportos colectivos / individuais e alternativos; dar continuidade aos grupos/equipas de Andebol; de Danças Urbanas; de Voleibol e de Natação 1. Formar um novo grupo/equipa de Natação 2 e um grupo de Tiro com Arco. OBJECTIVOS: Aumentar a taxa de transição; Fomentar o espírito desportivo; Fomentar um clima de boas relações interpessoais, de uma competição leal e fraterna; Diminuir e prevenir os episódios de carácter disciplinar; Incutir as regras de convivência definidas pela Escola; Facilitar a aquisição de competências físicas, técnicas e tácticas, para uma evolução desportiva na formação integral do jovem; • Aumentar a qualidade em termos de prestação desportiva; • Fomentar a diversidade na cultura desportiva de escola. DESTINATÁRIOS: Alunos da escola Secundária de S. Pedro da Cova, Agrup. Vertical de escolas S. Pedro da Cova e de Santa Bárbara
• • • • • •

PARCERIAS: CMG; Agrup. Vertical das escolas de S. Pedro da Cova e de Santa Bárbara CUSTOS: 12.500€ - RECURSOS HUMANOS: Professores - RECURSOS MATERIAIS: Bolas para os desportos supra indicados; dois equipamentos de jogo (2x12 camisola/calção/meias); sinalizadores. RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Luís Santos

- 50 Escola Secundária de S. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente

DESPORTO PARA TODOS (8 aos 15 anos) DESCRIÇÃO: Desenvolver actividades desportivas transversais.ª e 2. técnicas e tácticas.2. Desenvolver actividades moderadas e progressivas (capacidades condicionais e coordenativas). • • • • PARCERIAS: Associações Locais. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .51 Escola Secundária de S. Pedro da Cova e Agrupamento Vertical Santa Bárbara. Agrup./ 2kg. P. Agrupamento Vertical das escolas de S. OBJECTIVOS: • • • • • Promover actividades de sociabilização (em grupo.5 kg. DESPORTO PARA TODOS (adultos) DESCRIÇÃO: Promover actividades físicas recreativas para promoção do bem-estar e recuperação da auto-estima: uma sessão semanal de “HORALONGA” para docentes e funcionários da escola. DESTINATÁRIOS: Para a 1. CMG. • Promover a actividade desportiva concelhia. equipamento para as várias equipas da modalidade de Gira-volei (20 camisolas/ calções/ meias). CUSTOS: 2./ 1kg. braceletes lastradas (20 pares de 0.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6.400€ . • Desenvolver regras gerais de higiene e segurança nas actividades físicas. Proporcionar a todos os alunos do ensino básico da freguesia (dos 8 aos 15 anos). Pedro da Cova./ 1kg. Prevenção de doenças cardiovasculares.RECURSOS HUMANOS: Professor . do 1º ciclo ao 3º ciclo do ensino básico. Facilitar a aquisição de competências físicas. Incutir as regras de convivência definidas pela Escola.ª actividade os destinatários são os Professores.). para uma evolução desportiva na formação integral do jovem. Diminuir e prevenir os episódios de carácter disciplinar. bolas de esponja (10). RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Luís Santos . Promover a escola como um pólo dinamizador da cultura e do desporto.). com carácter lúdico).RECURSOS MATERIAIS: Halteres (vários pesos – 10 pares de 0. outra de “AGITA PAIS” para EE e uma de “AGITA SÉNIOR” para a comunidade sénior.3 Actividade 3. PARCERIAS: Associações Locais de Apoio à terceira Idade. diabetes entre outras.2 Actividade 2. a prática de actividades desportivas de formação e orientação desportiva decisivos para a construção da cultura desportiva que se deseja para todos os nossos jovens. das escolas S.5 kg. CUSTOS: 38. A terceira actividade é dirigida à terceira idade que se encontre a frequentar centros de dia nas associações locais.2. Vert.RECURSOS HUMANOS: Professores (um horário completo) . OBJECTIVOS: Aumentar a taxa de transição. RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Luís Santos 6. DESTINATÁRIOS: Alunos da escola Secundária de S. • Promover hábitos de vida saudável. • Formar mais e melhores praticantes.RECURSOS MATERIAIS: Cama elástica. os Funcionários e os Pais da escola Secundária de S. da Cova e de Stª Bárbara. Promover os benefícios das actividades físicas e compreender a sua contribuição para um estilo de vida activa e saudável. tapete de ginástica (20). Actividades iniciadas: Trampolim Fun e Gira-volei. Pedro da Cova. bandas elásticas (15) e aparelhagem de música.000€ .

ASSESSORIAS DESCRIÇÃO: Aulas em co-docência à disciplina de Inglês no 7. Motivar os alunos com mais dificuldades.2. pelos professores das respectivas disciplinas.400€ . salas de aula RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Herlânder Santos 6. Aumentar a interactividade professor/aluno. OBJECTIVOS: • • • • • • Aumentar a taxa de sucesso nas disciplinas de Inglês e Matemática Criar uma maior interacção entre o professor titular da turma e o seu assessor (troca de materiais. Facilitar a relação professor-aluno a um nível mais personalizado (dois professores na sala de aula).º ano (Inglês) e do 8.º ano (Matemática) PARCERIAS: CUSTOS: 50. Criar e aplicar actividades que reforcem/incentivem o gosto por estas disciplinas.º e 9. Actividade em articulação com o plano da matemática OBJECTIVOS: • • • • • Promover o sucesso escolar.RECURSOS MATERIAIS: Materiais didácticos produzidos RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Fátima Silva . Facilitar o esclarecimento de dúvidas de forma personalizada. preparação das aulas e reflexão sobre o desenvolvimento das mesmas).400€ .5 Actividade 5. Motivar os alunos com mais dificuldades. DESTINATÁRIOS: Alunos de 7. Criar e aplicar actividades que reforcem/incentivem o gosto por estas disciplinas. DESTINATÁRIOS: Alunos de 7. Constituição de subgrupos na turma por níveis de competência. DESDOBRAMENTO DE TURMAS DESCRIÇÃO: Desdobramento das turmas de 7.º ano PARCERIAS: CUSTOS: 50.º (90’): criação de subgrupos turma por competências.4 Actividade 4.RECURSOS HUMANOS: Professor de Português (10h) e professor de Matemática (10h) .º ano de escolaridade (45’) e a Matemática no 8.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6.º ano nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática num bloco semanal de 90 minutos. criação de materiais de apoio para o desenvolvimento das aulas.º e 9. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . Desenvolver um trabalho em que as actividades estão mais centradas nos alunos e assim estes poderão ser mais apoiados.52 Escola Secundária de S.RECURSOS HUMANOS: professores de Inglês (10h) e Matemática (18h) . Elaboração de recursos didácticos extra para Língua Portuguesa e Matemática.RECURSOS MATERIAIS: material didáctico de Português e Matemática.2.

DESTINATÁRIOS: Alunos com problemas disciplinares e de índole social e familiares PARCERIAS: CMG.200€ . criação de grupos de recuperação. Técnico Superior de Aconselhamento Psicossocial (1). Diminuir / Prevenir o absentismo e o abandono escolar. Psicólogo (1).53 Escola Secundária de S. OBJECTIVOS: • • • • • Promover o sucesso escolar.2. Centro de Saúde. Incentivar os EE a participar mais na vida escolar dos seus educandos. Animador Sociocultural (1) . OBJECTIVOS: • • • • • Promover o sucesso escolar Apoiar alunos do 3.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6. Desenvolver técnicas de organização e métodos de estudo. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .RECURSOS HUMANOS: Professores. Incutir as regras de convivência definidas pela Escola. criação de materiais de apoio às diferentes disciplinas.7 Actividade 7.2.RECURSOS HUMANOS: professores e psicólogo. Colaborar com os docentes titulares das diversas disciplinas. DESTINATÁRIOS: Alunos com dificuldades de aprendizagem ou sem apoio familiar para a realização dos trabalhos de casa PARCERIAS: CUSTOS: 3. promoção da resolução de conflitos através do diálogo (em articulação com o Director de Turma). orientação vocacional. Anexo 3 – PLANO DE TRABALHO DOS TÉCNICOS ESPECIALIZADOS). Diminuir e prevenir os episódios de carácter disciplinar. APOIO EDUCATIVO DESCRIÇÃO: Criação de um centro de estudos direccionado para o ensino básico. RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Rosa Leal . CPCJ. acompanhamento de famílias por técnicos especializados.RECURSOS MATERIAIS: gabinete e material de escritório. articulação com a CPCJ de Gondomar quando os problemas saem do foro escolar devido à sua dimensão ou gravidade (Cf.RECURSOS MATERIAIS: materiais didácticos de todas as disciplinas e software educativo. . criação da figura do professor tutor.6 Actividade 6. RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Rosa Leal 6.000 € . ACÇÃO TUTORIAL /ACOMPANHAMENTO FAMILIAR /MEDIAÇÃO EDUCATIVA/ GABINETE DE APOIO AO ALUNO DESCRIÇÃO: Criação de um Gabinete de apoio psico-social ao aluno.º ciclo com problemas de aprendizagem ou com competências não adquiridas. CUSTOS: 113. Colmatar precocemente dificuldades diagnosticadas.

54 Escola Secundária de S. diversificação de estratégias de estudo: promoção do uso de Plataformas de apoio on-line: Moodle e outras. criação de recursos didácticos para disponibilizar aos alunos.).RECURSOS MATERIAIS: materiais didácticos criados pelos professores e software educativo. etc.2. entrega de trabalhos através plataforma Moodle. RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Rosa Leal 6. PLATAFORMAS DE APOIO ON-LINE DESCRIÇÃO: Formação/apoio à distância. esclarecimento de dúvidas. Diminuir a discrepância entre os resultados da avaliação externa e interna. Criação de materiais de apoio às várias disciplinas do ensino secundário.9 Actividade 9. OBJECTIVOS: • • • • • Promover o sucesso escolar Apoiar alunos que pretendam desenvolver as suas competências nas diferentes áreas de estudo. DESTINATÁRIOS: Alunos do ensino secundário PARCERIAS: CUSTOS: 0€ . DESTINATÁRIOS: Alunos do ensino secundário PARCERIAS: CUSTOS: 0€ . Grupos YAHOO. Acompanhar alunos nas diferentes áreas de estudo com proposta de trabalho. REFORÇO EDUCATIVO DESCRIÇÃO: Centro de estudos e desenvolvimento de competências para os alunos do ensino secundário.RECURSOS MATERIAIS: Computadores e Internet RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Mateus Santos .8 Actividade 8.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6. Moodle. Aumentar e incrementar actividades científicas e culturais. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .RECURSOS HUMANOS: professores de várias disciplinas . Criar uma rede de partilha de saberes. Combater a info-exclusão. OBJECTIVOS: • • • • • Promover o uso de Plataformas de apoio on-line (ex. Promover o sucesso escolar.2. Desenvolver técnicas de organização e métodos de estudo.RECURSOS HUMANOS: Professores .

Biblioteca Municipal de Gondomar. Instituições do ensino superior e Fundação de Serralves. Fomentar o sucesso escolar DESTINATÁRIOS: Todos os alunos PARCERIAS: CMG.RECURSOS HUMANOS: Professor bibliotecário. BIBLIOTECA ESCOLAR DESCRIÇÃO: Desenvolvimento de actividades de promoção das literacias da informação e de várias modalidades da leitura e da escrita. Desenvolver o espírito crítico. planificação da visita. OBJECTIVOS: • • • • • • • Aumentar e incrementar actividades científicas e culturais. desenvolvimento de actividades culturais e científicas.RECURSOS MATERIAIS: Livros e material não-livro RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Teresa Queirós . VISITAS DE ESTUDO /AULAS DE CAMPO DESCRIÇÃO: Realização de visitas de estudo e/ou aulas de campo: selecção de locais a visitar que facilitem vivências diversificadas de aprendizagem. Desenvolver as literacias. Aumentar o sucesso na disciplina de Português.2. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .11 Actividade 11. avaliação da actividade. conduzindo-as para uma aprendizagem científico-cultural in loco. Favorecer a frequência deste espaço pela comunidade educativa (único na freguesia) DESTINATÁRIOS: Comunidade educativa PARCERIAS: CMG. Desenvolver a literacia da leitura. Dinamizar práticas lúdicas motivadoras da aprendizagem e do conhecimento. assistentes operacionais e animador sócio cultural (1) .Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6. OBJECTIVOS: • • • • Promover maior proximidade entre professor-aluno. RBE. Aumentar a taxa de transição.RECURSOS HUMANOS: Professores . abertura à comunidade local em horário pós-laboral. Aumentar as vivências dos alunos.10 Actividade 10. CUSTOS: 38. elaboração do relatório da visita realizada.55 Escola Secundária de S. preparação dos alunos para as visitas.400€ (Animador Sociocultural) . Professores. realização de exposições temáticas. criação de recursos didácticos.2. CUSTOS: 0€ .RECURSOS MATERIAIS: Transporte RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Cecília Ferreira 6.

PLANO NACIONAL DE LEITURA DESCRIÇÃO: Promover a literacia da leitura através das seguintes estratégias: realização de concursos de leitura. PLANO DA MATEMÁTICA DESCRIÇÃO: Realizar um trabalho colaborativo entre todos os professores envolvido no PM. Aumentar a taxa de transição.12 Actividade 12. Utilização de jogos lúdico-didácticos para desenvolvimento de competências. dinamização de sessões de leitura.RECURSOS MATERIAIS: Livros de leitura recreativa RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Manuela Moreira 6.RECURSOS MATERIAIS: Jogos didácticos e software didáctico. OBJECTIVOS: • • • • • • • Enfatizar o desenvolvimento do gosto pela leitura. Realização de actividades diversificadas relacionadas com os conteúdos programáticos. e em especial.RECURSOS HUMANOS: Professores .º e 9. Trabalhar sistematicamente a compreensão dos conceitos. Dinamização da Sala da Matemática e Ludomática com a utilização de jogos e recursos Matemáticos. Promover a literacia da leitura.º ciclo PARCERIAS: DGIDC CUSTOS: 5. em simultâneo com os conteúdos. Criar nos alunos métodos e hábitos de trabalho. RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Maria José Pinto . entre professores que leccionam o mesmo ano de escolaridade.000€ . Diversificar as estratégias educativas.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6. Promover o desenvolvimento do espírito crítico. Diminuir a discrepância entre os resultados da avaliação externa e interna. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .º ciclo PARCERIAS: DGIDC CUSTOS: 0€ . Desenvolver as capacidades transversais. OBJECTIVOS: • • • • • • • Desenvolver actividades diversificadas relacionadas com os conteúdos programáticos. Assessorias pedagógicas (8.2.56 Escola Secundária de S. DESTINATÁRIOS: Alunos do 3. Desenvolver o interesse pelo estudo da disciplina e a capacidade de apreciar a Matemática.13 Actividade 13. Aumentar as actividades científicas e culturais. realização de exposições temáticas.º).RECURSOS HUMANOS: Professores . estabelecendo conexões entre eles. Utilizar jogos lúdico-didácticos para desenvolvimento de competências. Levar os alunos a adquirirem destreza nos procedimentos elementares. DESTINATÁRIOS: Alunos de 3.2. criação de um suplemento do Jornal Escolar.

Junta de Freguesia. participação em projectos e outros. Reduzir o insucesso e o abandono precoce. Assinalar efemérides: dia Mundial da saúde. lápis. DESTINATÁRIOS: Comunidade educativa PARCERIAS: CMG. 000€ (IVA incluído) . Qualificar jovens em risco de exclusão social.500€ . Centros de saúde. Instituições de Ensino Superior. cola. Motivar os alunos para a frequência do ensino técnico-profissional.2. desenvolvimento de actividades práticas no âmbito dos cursos profissionais CEF´s.RECURSOS HUMANOS: Professores e formadores . Clínica de Gondomar.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6. Identificar os comportamentos de risco para a saúde.RECURSOS MATERIAIS: Bloco oficinal (construção) RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Directora da escola .2. PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE (PES) DESCRIÇÃO: Desenvolvimento de um conjunto de actividades no âmbito da prevenção e promoção de hábitos saudáveis: realização de rastreios. Promover a realização de palestras e debates. outros materiais escolares e software didáctico. DGIDC CUSTOS: 2.57 Escola Secundária de S. Promover a inserção no mundo do trabalho com qualificação profissional. RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Elisabete Oliveira 6. comemorações temáticas. promoção de palestras e debates. Promover estilos de vida saudáveis (ao nível da higiene. OBJECTIVOS: • • • • • Dotar a escola de um bloco oficinal para o desenvolvimento das práticas oficinais dos cursos profissionalizantes. marcadores. DESTINATÁRIOS: Alunos dos cursos profissionais e CEF´s PARCERIAS: CMG e DREN CUSTOS: 24. pedido de orçamentos. dia mundial contra a SIDA e outros. fita-cola. OBJECTIVOS: • • • • • Informar todos os elementos da comunidade educativa.15 Actividade 15. de forma a diminui-los ou eliminá-los. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . APF. alimentação e sexualidade). PRÁTICAS OFICINAIS DESCRIÇÃO: Construção de um bloco oficinal: planificação do bloco oficinal a construir.RECURSOS HUMANOS: Professores .RECURSOS MATERIAIS: cartolinas.14 Actividade 14. construção do bloco.

Visitas de estudo a feiras de empreendedorismo e a centros tecnológicos (TECMAIA.17 Actividade 17. DESTINATÁRIOS: Docentes e não docentes PARCERIAS: Centro de formação Júlio Resende. Promover a frequência de acções de formação.RECURSOS MATERIAIS: RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Directora da escola 6.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6.16 Actividade 16. Conhecer as necessidades de formação técnica do pessoal auxiliar. DESTINATÁRIOS: PARCERIAS: ANJE. Workshops “Inovar.RECURSOS HUMANOS: Formadores do Centro Júlio Resende e de instituições do ensino Superior . Ensinar a construir um plano de negócios. Avaliar o impacto das acções.E. alunos dos CEF´s. ACTUALIZAÇÃO PROFISSIONAL DESCRIÇÃO: Frequência de acções de formação de carácter pedagógico e científico. Conhecer as fontes de financiamento. Alunos dos cursos profissionais.RECURSOS MATERIAIS: Logística (transportes.000€ .RECURSOS HUMANOS: Professor e Técnico de Aconselhamento Psicossocial . Dinamização de palestras sobre criação de microempresas e micro-crédito. OBJECTIVOS: • • • • Conhecer as necessidades de formação pedagógica e cientifica dos docentes. Frequência de seminários / colóquios. EDUCAR PARA O EMPREENDEDORISMO DESCRIÇÃO: Formação “Aprender a empreender”.58 Escola Secundária de S. Associação Aprender a Empreender e CGD. Utilizar ferramentas úteis para o empreendedorismo. Divulgar concursos relativos ao empreendedorismo. desenvolver e explorar”. seminários (docentes e pessoal auxiliar). Frequência de acções de formação de carácter técnico (prioridade na área das TIC e das Ciências Experimentais). colóquios. OBJECTIVOS: • • • • • Estimular a criatividade. materiais consumíveis) RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Ana Santos . TECMINHO).2. Instituições do ensino superior CUSTOS: 0€ . alunos dos EFA e E.2. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . CUSTOS: 1.

escultura. réguas. etc. etc. Dinamizar práticas lúdicas. infografia. realização de exposições.59 Escola Secundária de S. PARCERIAS: Fundação de Serralves e Júlio Resende CUSTOS: 43.19 Actividade 19. Fomentar a aproximação à arte.). tinteiros. impressoras. Investir na diversificação de situações de aprendizagem e na resposta às necessidades e expectativas dos alunos. PARCERIAS: Apecv. papel cenário. cola. Desenvolver a auto-estima Aumentar e incrementar actividades científicas e culturais. (5.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6. RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Paula Marinho .RECURSOS HUMANOS: Professor (38.18 Actividade 18.). etc.2. Júlio Resende. Incutir as regras de convivência definidas pela Escola. Incentivar e apoiar a participação da escola em projectos de índole científico-cultural. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . ESPAÇO DAS ARTES DESCRIÇÃO: Abertura de um espaço dedicado ao desenvolvimento de práticas interactivas com diferentes técnicas artísticas. consumíveis (papel. OBJECTIVOS: • • • • • • Promover a ligação da escola com o meio. material informático (scanners.RECURSOS MATERIAIS: Cavaletes.2. fotografia.RECURSOS MATERIAIS: Material de desenho e pintura (papel. Orientar os alunos no seu percurso escolar. Serralves CUSTOS: 7. tintas. através de exposições temporárias e/ou permanentes.RECURSOS HUMANOS: Professores . DESTINATÁRIOS: Comunidade escolar. OBJECTIVOS: • • • • • • • Fomentar o espírito crítico e a criatividade.400€) . realização de trabalhos alusivos a várias épocas festivas (como implicação no contexto escolar). serigrafia. pincéis. esquadros) e material para se experimentar outras tecnologias (gravura. Incrementar a consciência de uma identidade cultural. Diminuir / Prevenir o absentismo e o abandono escolar. ARTES PARA FORA DESCRIÇÃO: Desenvolvimento de todo o tipo de actividades do âmbito artístico que surgem no contexto da sala de aula e se traduzem numa aplicação exterior (mesmo à própria escola): participação em concursos. lápis. telas. Desenvolver iniciativas para a diminuição do insucesso e do abandono.). lápis de cor.250€) RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Paula Marinho 6. cartolinas. motivadoras da aprendizagem e do conhecimento.610€ . assegurando a criação de "obras de arte" para a humanização/embelezamento dos espaços escolares.000€ . sala de artes. vídeo. Fundação Arpad Szenes – Vieira da Silva. etc. DESTINATÁRIOS: Comunidade escolar.

Aferir a aquisição de competências nos vários anos. Elaboração de materiais didácticos extra em diferentes áreas de conhecimento em função das necessidades da turma. DESTINATÁRIOS: Alunos do 3.5 . 4. ESTUDO ACOMPANHADO POR DOIS DOCENTES DESCRIÇÃO: Estudo acompanhado orientado por dois docentes de áreas curriculares diferentes. ARTICULAÇÃO VERTICAL E HORIZONTAL DESCRIÇÃO: Articulação de conteúdos e metodologias nas diferentes disciplinas e nos vários anos de escolaridade (Cf. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .21 Actividade 21.RECURSOS HUMANOS: Professores .RECURSOS MATERIAIS: RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Coordenadores de Departamento . Cooperar com os outros em tarefas e projectos comuns.º e 8. Recurso à Internet.60 Escola Secundária de S. Usar correctamente a língua portuguesa para comunicar de forma adequada e para estruturar o pensamento. Definir as metodologias a adoptar.Articulação Curricular) OBJECTIVOS: • • • • • Articular os conteúdos entre ciclos na mesma área disciplinar. Adoptar metodologias personalizadas de trabalho e de aprendizagem adequadas aos objectivos visados.RECURSOS MATERIAIS: materiais didácticos RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Isabel Santos 6. DESTINATÁRIOS: Professores e alunos PARCERIAS: CUSTOS: 0€ .º anos PARCERIAS: CUSTOS: 0€ . Adoptar estratégias adequadas à resolução de problemas e à tomada de decisões.2. OBJECTIVOS: • • • • • • Desenvolver competências de técnicas e de organização do estudo.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6.20 Actividade 20. responsável e criativa. Promover a realização de actividades de forma autónoma.º ciclo do 7.RECURSOS HUMANOS: Professores . Articular os conteúdos e actividades das diferentes disciplinas nos conselhos de turma aquando da elaboração do Projecto Curricular de Turma. Aferir/adequar os critérios de avaliação. Formação de grupos de alunos na turma com competências idênticas.2.

Associações recreativas. OBJECTIVOS: • • • • • • Fomentar o gosto pela música.22 Actividade 22. Sessões de informação e sensibilização. Participar na qualificação da população. DESTINATÁRIOS: Comunidade educativa PARCERIAS: Junta de Freguesia. RVCC e Formação Modular). expressão.RECURSOS HUMANOS: professores .Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6. QUALIFICAÇÃO DE PAIS DESCRIÇÃO: Orientação para diferentes tipos de formação (ex.2. Fernando Lopes Graça. Pais e EE e comunidade em geral DESTINATÁRIOS: PARCERIAS: A. estabelecer-se simultaneamente como uma referência fundamental da região. Sensibilizar para a necessidade de formação. OBJECTIVOS: • • • Divulgar aos pais os diferentes tipos de formação existentes.61 Escola Secundária de S. Garantir a ligação da escola com a comunidade. Desenvolver o canto coral de qualidade.RECURSOS HUMANOS: Professor (Director Artístico) . etc. CNO. articulação.) de maneira a contribuir para a conservação da identidade cultural e. Aumentar e incrementar iniciativas culturais e recreativas. Desenvolver a técnica vocal (respiração. CUSTOS: 100€ . cantares regionais. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . Promover a cultura da região e do país. GRUPO CORAL VOX POPULI DESCRIÇÃO: O “GRUPO CORAL VOX POPULI” pretende constituir-se como a expressão genuína de uma tradição profundamente enraizada na “voz do povo” (ex. dicção. ao sustentar este património vivo. etc.RECURSOS MATERIAIS: Reprodução do reportório (policópia) RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Guilhermino Monteiro . da freguesia CUSTOS: 0€ .R.S. etc.C.23 Actividade 23. Zeca Afonso.RECURSOS MATERIAIS: RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: Alice Rolo 6.2. EFA. interpretação.).

RECURSOS MATERIAIS: Computador e Internet RESPONSÁVEL DA ACTIVIDADE: José Oliveira . Incentivar o envolvimento de cada um dos membros da Comunidade Educativa. Aumentar e incrementar a participação em actividades científicas e culturais. Divulgar as iniciativas realizadas no âmbito do PE TEIP. Incentivar os EE a participar mais na vida escolar dos seus educandos.RECURSOS HUMANOS: Professor (recurso já apresentado numa Actividade anterior) . OBJECTIVOS: • • • • • • • • • Expor (de modo atractivo e eficiente) todas as Acções implementadas no âmbito do PE TEIP num sítio da Internet criado exclusivamente para esse efeito. DESTINATÁRIOS: Comunidade educativa PARCERIAS: CUSTOS: 0€ .24 Actividade 24. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .62 Escola Secundária de S. Dinamizar o sítio da Internet da Escola.2. “TEIP ON-LINE” DESCRIÇÃO: Criação (organização e actualização) de um sítio da Internet (com ligação ao sítio da Escola) para a divulgação de conteúdos informativos como forma de dinamizar e valorizar a participação de toda a comunidade escolar nas iniciativas propostas pelo Projecto Educativo TEIP. Divulgar as ofertas formativas da escola. Orientar os alunos no seu percurso escolar.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6. Fomentar a proximidade do Projecto Educativo TEIP (via Internet).

colaboração no PAA da ESSPC Desenvolvimento do Programa de Respostas Integradas – Reinserção Acções de sensibilização na ESSPC sobre Empreendedorismo (para alunos e E. Politécnico e Universitário (CESPU) Instituto Superior de Engenharia do Porto Hospital de S. Pedro da Cova Agrupamento de Escolas de Fânzeres Biblioteca Municipal Rede Nacional de Bibliotecas Fundação de Serralves Direcção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular (DGIDC) Direcção Regional de Educação do Norte (DREN) Áreas de colaboração Cedência de transporte para visitas de estudo Sinalização de crianças e jovens.4 Articulação dos Projectos Educativos TEIP (ESSPC e AVESPC) Os quadros seguintes pretendem exemplificar as acções propostas pelas duas instituições: Escola Secundária de S. em diferentes áreas: Instituição Câmara Municipal de Gondomar (CMG) Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) Junta de Freguesia de S. sessões de informação sobre o papel da CPCJ Divulgação das actividades da ESSPC. . Pedro da Cova (ESSPC) tem estabelecido algumas parcerias que se têm revelado imprescindíveis. Pedro da Cova Associação Cultural Social e Bem Fazer Vai Avante Associação Cultural Social Estrelas de Silveirinhos Associação Nacional de Jovens Empresários Caixa Geral de Depósitos Associação Aprender a Empreender Centro de Saúde de S.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6. Pedro da Cova e Agrupamento Vertical de Escolas de S. João Hospital de St. a Escola Secundária de S. Pedro da Cova Centro de Saúde de Rio Tinto Comissão Social de Freguesia Clínica de Gondomar Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar Cooperativa de Ensino Superior.63 Escola Secundária de S.) Acções de informação sobre temas relacionados com a Saúde. Pedro da Cova. definição da rede de oferta formativa Acções de informação sobre temas relacionados com a Saúde (nutrição) Acções de informação sobre temas relacionados com a Saúde (rastreios de saúde oral) Estágios para a área da Informática Estágios para a área da Higiene e Segurança no Trabalho e Ambiente Estágios para os alunos dos cursos profissionalizantes Desenvolvimento de projectos Consultadoria e dotação orçamental 6. rastreios diversos Disponibilização de dados para conhecimento do meio. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .E.º António Instituto Português de Oncologia Empresas da região Agrupamento de Escolas de S.3 Parcerias Para desempenhar mais cabalmente a sua função de educar e de formar cidadãos conscientes dos seus deveres sociais e individuais.

Explicar o fenómeno “Bulling” .Formação Modular .Criar horários compatíveis para o Coordenador e Adjunto do projecto TEIP .Desporto Escolar .Falta de espaço: .“Alegria de viver” (Orquestra juvenil) .Concentração de famílias problemáticas em bairros sociais . entre outras coisas.Falta de pessoal técnico especializado -Falta de técnicos operacionais para acompanhamento de alunos .Elevada taxa de toxicodependência OBJECTIVOS GERAIS .Ampliação de espaços cobertos: . Para a organização de actividade de apoio ao currículo.Falta de retaguarda familiar que se reflecte.Maior acompanhamento dos alunos em espaço escolar OBJECTIVOS ESPECÍFICOS .Prevenir conflitos .Existência de muitas famílias dependentes de RSI . Dotar a Escola de um bloco para actividades extra-curriculares .Dificuldade em gerir horários compatíveis com articulação em equipa TEIP .Estimular a cidadania mais activa . .Aumentar o sucesso .Dificuldade no trabalho de equipa .Melhorar e actualizar metodologias relativas ao processo de ensino .Promover a redução do deficit de analfabetismo .Coordenar e articular o Projecto TEIP .Diminuir o abandono. Dotar a Escola de um bloco oficinal .Diminuir a indisciplina . na ausência de acompanhamento dos seus educandos .Incentivar os EE na participação da vida escolar ACÇÕES .Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Tronco Comum entre a Escola Secundária e o Agrupamento Vertical ALUNOS GESTÃO/ORGANIZAÇÃO PROBLEMATIZAÇÃO -Insucesso escolar -Comportamento inadequado e contexto escolar -Desmotivação e desinteresse -Falta de técnicos operacionais para acompanhamento de alun COMUNIDADE . .Melhorar os níveis de empregabilidade e inclusão social . a saída precoce e o absentismo .Elevado índice de desemprego .Promover o desenvolvimento cultural e desportivo da comunidade .Qualificar adultos .Formação em prevenção da violência escolar – bullyng . Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .64 Escola Secundária de S.Alfabetização de adultos .Aumentar o acompanhamento das famílias carenciadas por técnicos especializados .CNO .EFA . Para desenvolver projectos extracurriculares . Para o funcionamento dos cursos profissionais (insuficiência de salas especificas).

deverá assegurar primeiramente a articulação entre as acções e os objectivos definidos. que articula e integra os vários sectores (sector pedagógico. de formas diversas. podendo ser retomado.65 - . nas questões que se mostrarem necessárias. melhorado. Dessa forma irá assegurar-se também a avaliação dos impactos a nível dos destinatários e participantes da comunidade escolar e do restante território educativo (essa aferição poderá ser realizada através dos instrumentos que verifiquem a prossecução dos objectivos previamente traçados. que será alvo de uma sistemática divulgação (através de apresentações multimédia na escola e a toda a comunidade através do “TEIP ON-LINE” – sítio da Internet para a difusão de todas as iniciativas).). etc. o passo contínuo dá-se no sentido de verter novamente esse rastreio crítico (repercussões do meio) para o processo de avaliação interna. nomeadamente através da avaliação do desempenho dos técnicos envolvidos e da avaliação contínua e processual (essa aferição poderá ser realizada através da análise dos vários registos documentais). sector administrativo. avaliando se as metas estão ou não a ser alcançadas e as razões subjacentes). No decurso do desenvolvimento deste projecto proceder-se-á também a uma actualização e tratamento dos dados recolhidos. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . sem perder uma visão de conjunto. próprio da dinâmica da avaliação. quantitativas e qualitativas para garantir o êxito do mesmo. acrescido. os serviços gerais. Em sequência será também premente assegurar a eficiência na gestão dos recursos humanos. o relacionamento com a comunidade. sendo também deste modo alvo de uma avaliação exterior. Escola Secundária de S. tendo assim funções de mobilização da eficácia do projecto a par do incremento da sua vertente humanista. materiais e financeiros. o plano de auto-avaliação deste Projecto deve ocorrer durante e paralelamente à sua execução. à aferição do desenvolvimento das actividades realizadas e da análise documental. Se assim for.5 Plano de Auto-avaliação O acompanhamento da execução deste projecto. Portanto.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária 6.

Inquéritos de opinião. Equipa de autoavaliação e consultora externa TEIP Logo após a realização da actividade. Registo de presenças. Identificar os processos e Final de cada Período.). projecto / acções previstas. pessoal auxiliar e professores) Directora. Coordenadores de Acção. metas. Grelhas de observação. Índice de comparência dos EEs após Avaliar os resultados do investimento em causa convocatória. Registo do número de ocorrências disciplinares. Analisar o incremento das qualificações dos Pais / questionários e EE. Avaliar a prestação dos alunos nos exames nacionais. Identificar os processos e modalidades de autoavaliação do projecto. A Escola e a Comunidade Escolar (de acordo com cada acção/ actividade: alunos. Escola 3 Escola Secundária de S. Monitorização do processo interno de acção educativa. Relatórios das actividades. Resultados escolares vs. escolar. Intervenientes Avaliado Avaliador Periodicidade Metas Analisar as oscilações da taxa de transição. alunos. nas diferentes Avaliar a participação dos EE na vida escolar dos actividades. Professores responsáveis. relatórios. Trabalhos produzidos. Índices de absentismo e Avaliar a integração na vida activa.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária PLANO DE AUTO-AVALIAÇÃO Eixos Acção Objectivos Indicadores Instrumentos de avaliação Documentos vários (actas. Resultados do Espaço das Artes. entrevistas. (um bloco para o desenvolvimento das práticas oficinais dos cursos profissionalizantes) em três vertentes: • • • Resultados das práticas oficinais. Alunos 1 Comunidade 2 Analisar os níveis de absentismo e do abandono Período. Observação directa. etc. Avaliação do final de Organizar uma equipa de auto-avaliação do projecto. abandono. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . Balanço final do Projecto Educativo TEIP 2. Resultados da Sala de Apoio. Pautas de frequência. Testes de avaliação de conhecimentos. Aferir os resultados da prevenção de episódios de Índice de participantes indisciplina. questionários e entrevistas. Grelhas de avaliação.66 - . Analisar os níveis de rendimento nas áreas curriculares mais problemáticas. Dados dos inquéritos. Números de adesão da Estudar o incremento de actividades científicas e Comunidade culturais. Aferir a capacidade de empreendedorismo. dos trabalhos dos Avaliar o envolvimento dos Pais e EE na escola. PCT. Criação dos instrumentos que reúnam a informação necessária aos indicadores de medida. Aferir os resultados da Orientação Vocacional. seus educandos. famílias. modalidades de acompanhamento do Final do Ano Lectivo. PAA. Educativa. Avaliar o acompanhamento das famílias Resultado/ qualidade carenciadas.

67 - . Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária ANEXO 1 – PLANO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS ACTIVIDADES Escola Secundária de S.

Desporto para todos (8 aos 15) . .Motivar os alunos com mais dificuldades. . .Fomentar a diversidade na cultura desportiva de escola/ concelho.Acção Tutorial/ Mediação Educativa/ Gabinete de Apoio ao Aluno Resultados da avaliação de final de Período.Facilitar o esclarecimento de dúvidas de forma personalizada.º ano C. Trimestral 5-Assessorias à disciplina de Inglês (7º ano) Resultados da avaliação do final de Período na disciplina de Inglês Relatório de actividade. . Relatórios das actividades.T.Aumentar o número de interacções professor /aluno .Promover o sucesso escolar.Desdobramento de turmas de 7º ano (Port e Mat) INSUCESSO ABSENTISMO ABANDONO INDISCIPLINA Resultados da avaliação do final de Período nas disciplinas de Português e Matemática Relatório de actividade. Grelhas de avaliação.Diminuir e prevenir os episódios de carácter disciplinar. Alunos. Índice de comparência dos EEs após convocatória.Aumentar a qualidade em termos de prestação desportiva. Registo de acompanhamento. Alunos e Famílias Psicólogo e Professor Tutor Trimestral Escola Secundária de S.º ano C.T. Professores responsáveis Trimestral 4. . Alunos do 7.68 - . .Incentivar os EE a participar mais na vida escolar dos seus educandos. Alunos do 7. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . Inquérito de opinião.Criar e aplicar actividades que reforcem/incentivem o gosto por estas disciplinas.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária PROBLEMAS ACTIVIDADES OBJECTIVOS ESPECÍFICOS INDICADORES INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO INTERVENIENTES DE AVALIAÇÃO Avaliado Avaliador PERIODICIDADE 1. Registo do número de alunos que frequentaram o gabinete. Índice de ocorrências. Grelha de avaliação.Promover um ensino mais individualizado . . Índice de participantes Registo de presenças. . Trimestral 6.Incutir as regras de convivência definidas pela Escola.Diminuir / Prevenir o absentismo e o abandono escolar.Desporto escolar/ 2. Grelhas de avaliação. preenchida pelo professor. .

Promover o sucesso escolar. . Alunos do ensino Secundário C. Grupos YAHOO. Inquérito de opinião. Comunidade Educativa Coordenador da BE/CRE Trimestral Escola Secundária de S.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária PROBLEMAS ACTIVIDADES OBJECTIVOS ESPECÍFICOS INDICADORES INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO INTERVENIENTES DE AVALIAÇÃO Avaliado Avaliador PERIODICIDADE 7.Apoiar alunos que pretendam desenvolver as suas competências nas diferentes áreas de estudo. etc. Relatório de actividade.T.Aumentar as vivências dos alunos. Inquérito de opinião. Índice de satisfação Índice de participantes Relatório de actividades Alunos Professores Coordenador de Projectos Após a visita 11. . Alunos 3. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . . Alunos do secundário Professor Trimestral 10.Criar uma rede de partilha de saberes.Promover o sucesso escolar. Registo de presenças. Registo de presenças. Índice de participantes Registo de participantes.Apoio educativo . Índice de participantes.Visitas de estudo /Aulas de campo .Biblioteca escolar Índice de satisfação Índice de participantes Relatório de actividades.). Inquérito de opinião. .69 - . .Reforço educativo Resultados da avaliação do final de Período.Combater a info-exclusão. Trimestral 8. -Desenvolver a literacia da leitura.º ciclo C. Moodle. Trimestral INSUCESSO ABSENTISMO ABANDONO INDISCIPLINA 9. .T.Aumentar e incrementar actividades científicas e culturais. -Dinamizar práticas lúdicas motivadoras da aprendizagem e do conhecimento. Índice de participantes.Promover o uso de Plataformas de apoio on-line (ex. Resultados da avaliação do final de Período.Plataforma Moodle apoio on-line . conduzindo-as para uma aprendizagem científicocultural in loco.º ciclo com problemas de aprendizagem ou com competências não adquiridas.Apoiar alunos do 3. Inquérito de opinião.

Fomentar a aproximação à arte. Inquérito de opinião.T.º Ciclo Professores Coordenador do PNL Final do ano lectivo 13-PM Resultados da avaliação do final de Período Alunos 3.º ciclo C. Relatório de actividade.Espaço das artes . Alunos Coordenador do PES Ao longo do ano.PES Índice de participantes nas diferentes actividades Registo de participantes. alimentação e sexualidade).Desenvolver o interesse pelo estudo da disciplina e a capacidade de apreciar a Matemática.Promover a literacia da leitura. Relatório de actividade. Relatório de actividade. Grelhas de avaliação. Trimestral 14.70 - . Trabalhos produzidos. Avaliação dos destinatários. Observação directa. Índice de participantes Registo de participantes Inquérito de opinião Relatório de actividade Registo de participantes. 3. .Promover o desenvolvimento do espírito crítico. Comunidade Educativa Professor responsável Trimestral Escola Secundária de S. colóquios.Promover estilos de vida saudáveis (ao nível da higiene.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária PROBLEMAS ACTIVIDADES OBJECTIVOS ESPECÍFICOS INDICADORES INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO INTERVENIENTES DE AVALIAÇÃO PERIODICIDADE Avaliado Avaliador 12-PNL . Professores e Pessoal Auxiliar Professor promotor da acção Final de cada acção 18.Actualização profissional de docentes e não docentes . Inquérito de opinião. .Aumentar e incrementar actividades científicas e culturais. Números da adesão da Comunidade Educativa Índice de participantes nas diferentes actividades Quantidade de Trabalhos produzidos Qualidade dos trabalhos Registo de participantes.Desenvolver a auto-estima. . após cada actividade INSUCESSO ABSENTISMO ABANDONO INDISCIPLINA 16. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . .Promover a frequência de acções de formação. Inquéritos de opinião. . .Fomentar o espírito crítico e a criatividade. Índice de participantes Número de Certificações obtidas Registo de participantes. seminários (docentes e pessoal auxiliar).

etc. motivadoras da aprendizagem e do conhecimento. Documentos vários (actas.Dinamizar práticas lúdicas. . . Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .Articular os conteúdos entre ciclos na mesma área disciplinar.Artes para fora Adesão da Comunidade Educativa Índice de participantes nas diferentes actividades Quantidade de Trabalhos produzidos Qualidade dos trabalhos Relatório de actividade. .Dinamizar o sítio da Internet da Escola. Grelhas de avaliação. PAA. questionários e entrevistas. Índice de participantes nas diferentes actividades. .Expor (de modo atractivo e eficiente) todas as Acções implementadas no âmbito do PE TEIP num sítio da Internet criado para esse efeito. .Incentivar o envolvimento de cada um dos membros da Comunidade Educativa. . Alunos de 7. . Observação directa. Grelhas de avaliação.TEIP-on-line Número de visitantes do Site. PCT.Definir as metodologias a adoptar. Professor responsável Directora Trimestral Escola Secundária de S. Inquéritos de opinião. .Incrementar a consciência de uma identidade cultural.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária PROBLEMAS ACTIVIDADES OBJECTIVOS ESPECÍFICOS .Articulação Vertical e Horizontal Resultados da avaliação de final de período Relatório de actividade.º e 8. INDICADORES INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO INTERVENIENTES DE AVALIAÇÃO Avaliado Avaliador PERIODICIDADE 19. . Trabalho produzido.Promover a ligação da escola com o meio. relatórios. .º anos Professores Trimestral Índice de participação e envolvimento Projecto Curricular de turma Actas de reuniões de departamento Professores Coordenadores de departamento Trimestral 24.Adoptar metodologias personalizadas de trabalho e de aprendizagem adequadas aos objectivos visados.71 - . Relatório da actividade. .Investir na diversificação de situações de aprendizagem e na resposta às necessidades e expectativas dos alunos.).Aferir a aquisição de competências nos vários anos.Desenvolver competências de técnicas e de organização do estudo. Observação directa. Trabalhos produzidos. Alunos Professor responsável Trimestral 20 – Estudo Acompanhado por dois docentes INSUCESSO ABSENTISMO ABANDONO INDISCIPLINA 21.

Participantes Professor responsável Trimestral 24.Desenvolver a técnica vocal.E.Desporto para todos (adultos) Índice de participantes Relatórios das actividades. INDICADORES INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO INTERVENIENTES DE AVALIAÇÃO Avaliado Avaliador PERIODICIDADE 3. Inquéritos de opinião.Expor (de modo atractivo e eficiente) todas as Acções implementadas no âmbito do PE TEIP num sítio da Internet criado para esse efeito. Índice de E. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . Relatório da actividade. PAA. . . Inquérito de opinião. Inquérito de opinião. Registo de inscrições de E. Professor responsável Trimestral DESINFORMAÇÃO DESQUALIFICAÇÃO EXCLUSÃO 22.Incentivar o envolvimento de cada um dos membros da Comunidade Educativa. . . . Documentos vários (actas. .). Professor responsável Directora Trimestral Escola Secundária de S. Observação directa. .E Coordenador do CNO Trimestral 23 – GRUPO CORAL VOX POPULI Relatório das actividades.E. EE.TEIP-on-line Número de visitantes do Site.Promover estilos de vida saudáveis (ao nível da higiene.E Professor Trimestral 14. Trabalho produzido.Ensinar a construir um plano de negócios. .Promover a escola como um pólo dinamizador da cultura e do desporto.Qualificação de Pais/E.Sensibilizar para a necessidade de formação. Adesão da Comunidade Educativa (número de participantes e de espectadores). .Promover a cultura da região e do país. Inquérito de opinião. Índice de participantes nas diferentes actividades. .Fomentar o gosto pela música. E. .Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária PROBLEMAS ACTIVIDADES OBJECTIVOS ESPECÍFICOS . Inquérito de opinião. Relatório de actividades.Dinamizar o sítio da Internet da Escola. . questionários e entrevistas.72 - . após cada actividade 17.Educar para o Empreendedorismo Índice de participantes Cursos Profissionais e CEF.Promover os benefícios de um estilo de vida activa e saudável.Desenvolver o canto coral de qualidade. alimentação e sexualidade)./pais no CNO Pais / E.PES Índice de participantes nas diferentes actividades Alunos Coordenador do PES Ao longo do ano. etc.Utilizar ferramentas úteis para o empreendedorismo.E. .Participar na qualificação da população. Relatório de actividade. relatórios. PCT. inscritos no CNO Número de apresentações públicas. Registo de participantes.

. Taxa de ocupação da sala. Índice de participantes nas diferentes actividades.Aumentar e incrementar actividades científicas e culturais.73 - . Alunos 3. Registo de presenças.T.Promover a inserção no mundo do trabalho com qualificação profissional. Comunidade Educativa Professor responsável Trimestral Escola Secundária de S. Qualidade dos trabalhos.Desenvolver a auto-estima. Registo de participantes. . . INDICADORES INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO INTERVENIENTES DE AVALIAÇÃO Avaliado Avaliador PERIODICIDADE 7.Fomentar o espírito crítico e a criatividade.Reduzir o insucesso e o abandono precoce. Trimestral 15. Trabalhos produzidos.Práticas oficinais SOBRELOTAÇÃO Número de inscrições. .Espaço das artes Números da adesão da Comunidade Educativa. .Dotar a escola de um bloco oficinal para o desenvolvimento das práticas oficinais dos cursos profissionalizantes.Fomentar a aproximação à arte. Horário de ocupação da sala Comunidade Educativa Directora Trimestral 18. Relatório de actividade. Grelhas de avaliação.Apoiar alunos do 3.Qualificar jovens em risco de exclusão social. Quantidade de Trabalhos produzidos. . . Inquéritos de opinião.º ciclo C.º ciclo com problemas de aprendizagem ou com competências não adquiridas.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária PROBLEMAS ACTIVIDADES OBJECTIVOS ESPECÍFICOS .Promover o sucesso escolar. . Inquérito de opinião.Apoio educativo Resultados da avaliação do final de Período. .Motivar os alunos para a frequência do ensino técnicoprofissional. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . . Observação directa. Índices de assiduidade. Índice de participantes.

Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária ANEXO 2 – “PRECISO DE ESPAÇO!” Escola Secundária de S.74 - .

Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Escola Secundária de S. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .75 - .

Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .76 - .Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Escola Secundária de S.

por 2 anos.800. Confronto de alternativas • Reabilitação dos balneários exteriores (sem orçamento) – resolveria um problema criando outro. A frequência de utilização de ferramentas ruidosas perturba as aulas do ensino regular. Problemas • • • Maior necessidade de ocupação de salas. • Construção de um novo bloco (19.77 - . Situação (presente) • • Mudança do tipo de população estudantil.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária “Preciso de Espaço!” Situação (passado) • • Dar resposta às necessidades educativas específicas da Comunidade. • A oscilação de matriculas (de ano para ano) no que respeita a alunos que frequentam o ensino profissional e/ou regular provoca problemas na gestão do espaço escolar. ensino regular) – o uso específico das instalações implica mais espaço por aluno. • Instalação de um prefabricado (14. Mudança das necessidades de ocupação/utilização do edifício e do equipamento escolar. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .072.88€ + IVA) – resolve todos os problemas permanentemente. Maior exigência/desgaste de equipamentos.00€ c/ IVA) – resolveria o problema do ruído. Criação de Cursos Profissionais. Escola Secundária de S.00€ + IVA) – contornava o problema. • Insonorização das salas (36. Maior taxa de ocupação do espaço escolar (ensino profissional vs.998. • Dois monoblocos climatizados (84.00€ + IVA) – resolveria o problema de forma precária e provisória.000. mas não resolve o problema do espaço. • • Aulas práticas que implicam muito ruído (inerente à utilização das ferramentas). mas não o resolve.

88€ (+ IVA) Escola Secundária de S.00€ (+ IVA) • Recorrer ao Programa TEIP 2 (que apenas comparticiparia melhoramentos na edificação já existente) para.537.00€) Betão armado – Estrutura (6.00€) Total = 14. • Alterar essa zona recôndita que. Meios • Recorrer à Comunidade (a quem se presta este serviço educativo) para a angariação de fundos que possibilitassem a construção desse novo bloco.78 - .00€) Cantarias (970.00€) Pinturas (2. ao estar afastada da supervisão adequada e por ter um recorte irregular.929.890.50€) Movimento de terras e demolições (140.505. a partir da estrutura anterior. financiar os acabamentos restantes – orçamento 2: Revestimentos e Impermeabilizações (7.00€) Carpintarias (560.50€) Alvenarias (2. Salienta-se que apenas se trata da construção da “caixa” do edifício sem quaisquer acabamentos (Alvenaria Estrutural) – orçamento 1: Montagem de estaleiro (4.00€) Serralharias (1.36€) Total = 19.345.458.440.760.998. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .40€) Electricidade (3. possibilita que os alunos se sirvam dela para ocultarem todo o tipo de comportamentos (alguns de risco).163.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária Acção • Construir um novo bloco (com duas salas) para o Ensino Profissional – devidamente afastado do edifício nuclear.12€) Coberturas (4.

Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária  Fig.79 Escola Secundária de S. . Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . 1 – Fotografia digital da reentrância do Pavilhão Gimnodesportivo onde se pretende construir o Bloco Oficinal.

80 Escola Secundária de S. . 2 – Fotografia digital (manipulada por um programa informático). Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária  Fig. representando o Bloco Oficinal que se pretende construir.

Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária  .81 Escola Secundária de S. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .

cuja pormenorização e operacionalização será tornada possível. Tratam-se.82 Escola Secundária de S. alínea g). II. Pedro da Cova nunca pôde assegurar cabalmente o direito que assistia aos seus alunos de beneficiarem de “apoios específicos. considerar os grandes objectivos da estrutura de apoio educativo que se pretende constituir: 1. É nesta dupla vertente que deve ser entendida a aposta na intervenção de técnicos especializados e podemos. quer a própria humanização desse mesmo espaço.º. traduzida no sucesso escolar. para o técnico na área sociocultural (Animador Sociocultural). as sucessivas solicitações que foi remetendo às entidades competentes poderão obter agora o devido provimento. para os responsáveis pela Acção Tutorial (Professores Tutores). ao abrigo do programa TEIP 2. então. 2.º 3/2008. pela equipa a constituir: . No entanto. art. III.º 2). n. posteriormente. Melhorar o ambiente educativo e a qualidade das aprendizagens dos alunos. Neste sentido. através dos serviços de psicologia e orientação ou de outros serviços especializados de apoio educativo” (Lei n. art. mas também 2) como instituição promotora de desenvolvimento comunitário. colaborando na “identificação e prevenção de situações problemáticas de alunos e na elaboração de planos de acompanhamento para estes. para o técnico de serviços de psicologia e orientação (Psicólogo). deste modo.º 3/2008. entre outros. necessários às suas necessidades escolares ou às suas aprendizagens. A Escola poderá assim cumprir mais este dever ao ser aqui considerada na sua dupla função: 1) como centro de promoção do sucesso educativo – no apoio e formação integral do aluno –. para o Gabinete de Apoio ao Aluno (Professores responsáveis). atribuindo à escola um papel de veículo de promoção cívica. Intensificar as relações Escola–Família–Meio. Traça-se então um plano prévio de trabalho. 13. de compromissos relacionados com a actividade que se programa para o responsável desta equipa multidisciplinar (a Directora). 8. abordaremos os compromissos que possam sustentar acções excepcionais que propiciem quer uma integração adequada dos alunos no espaço escolar.º.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária  ANEXO 3 – PLANO DE TRABALHO DOS TÉCNICOS ESPECIALIZADOS Desde a sua fundação que a Escola Secundária de S. para o mediador social e de acompanhamento familiar (Técnico Superior de Aconselhamento Psicossocial). envolvendo a comunidade educativa” (Lei n. para o Projecto Educar para a Saúde (o seu coordenador) e. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . Cap. Cap.

“Hiperactividade” entre outras.83 Escola Secundária de S. cultural. contemplando assim os habitantes desta freguesia. Professores (quer sejam pertencentes à Escola ou externos) na organização de Acções de Formação para professores sobre temáticas relevantes para o combate ao insucesso escolar: “Problemas de comportamento”.No âmbito da Articulação/Parcerias: Com entidades e Serviços internos e/ou externos à Escola. • Sérgio Tavares. No desenvolvimento dos diversos planos.Formação de Consultadoria: Colaboração com Formadores. social. Responsáveis Professor Responsável (Teresa Gandra) Psicólogo Técnico Superior de Aconselhamento Psicossocial Animador Sociocultural Projecto Educar para a Saúde (Elisabete Oliveira) Gabinete de Apoio ao Aluno (Rosa Leal) Professores Tutores: • Gabriela Alarcão.No âmbito do Decreto-lei 3/2008 (Ensino Especial): Na sinalização. para a promoção de hábitos de leitura. com vista a melhorar a qualidade de vida do aluno e a sua inserção e interacção social. Segurança Social. . Encaminhamento. na caracterização. Na promoção e avaliação de actividades de carácter educativo. . Serviços de Saúde. Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Gondomar. • Júlia Landolt. Intervenções (prevenção. na definição de estratégias de intervenção junto de crianças e jovens com necessidades educativas especiais. . promoção. Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente . Tribunal de Menores. entre outras). “Dislexia”. com os Departamentos e os Grupos disciplinares.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária  PLANO DE TRABALHO DOS TÉCNICOS ESPECIALIZADOS Compromissos estratégicos . recuperação). “Competências sociais”. . Nos necessários encaminhamento para percursos alternativos de formação e para cursos de educação e formação. pertinentes para o sucesso escolar de determinados alunos (Núcleo de apoios educativos. No âmbito da animação da Biblioteca Escolar em período pós-laboral. desportivo. • Luís Filipe Santos. . lúdico e recreativo. .No âmbito da Animação Sociocultural: Na implementação de projectos de intervenção sócio-comunitária. Colaboração com os Directores de Turma.No âmbito da Orientação Escolar e Profissional: Com a ajuda prestada no processo de tomada de decisão conducente à melhor integração escolar e profissional possíveis.No âmbito do Despacho 50/2005: Na realização de avaliações especializadas. . “Gestão de conflitos”.De maneira geral: Avaliações psicopedagógicas. • José Alberto Silva. Câmara Municipal de Gondomar (CMG). Diagnósticos. Associações Recreativas. Instituições de Solidariedade Social.

84 Escola Secundária de S.Projecto Educativo do Território Educativo de Intervenção Prioritária  Dezembro de 2009 . Pedro da Cova – Por uma Escola Viva e Exigente .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful