You are on page 1of 339

Manual de instruções

Amarok

Amarok Manual de instruções

Manual de instruções:
Amarok
Data de fechamento: 02.05.2016
Português Brasil: 06.2016
Significado dos símbolos
Identifica uma referência a um trecho do ATENÇÃO
 texto com informações importantes e ori-
Textos com este símbolo indicam situações peri-
entações de segurança  dentro de um ca-
pítulo. Essa referência deve ser sempre ob- gosas, que podem causar a morte ou ferimentos
servada. graves no caso de inobservância.
Esta seta indica que o trecho do texto con-
 tinua na página seguinte. CUIDADO
Esta seta indica o fim de um trecho do tex- Textos com este símbolo indicam situações peri-
 to. gosas, que podem causar ferimentos leves ou gra-
O símbolo identifica situações nas quais o ves no caso de inobservância.
 veículo deve ser parado o mais rápido pos-
sível. NOTA
® O símbolo identifica uma marca registrada. Textos com este símbolo indicam situações perigo-
A falta desse símbolo não garante que os sas, que podem causar danos ao veículo no caso de
termos possam ser usados livremente. inobservância.
→ Símbolos deste tipo fazem referência a
Textos com este símbolo contêm orientações
→ alertas dentro do mesmo trecho do texto
para a proteção do meio ambiente.
ou da página indicada, para indicar possí-

veis riscos de acidentes e de ferimentos e Textos com este símbolo contêm informações
como eles podem ser evitados. adicionais.
→ Referência cruzada a um possível dano ma-
terial dentro do mesmo trecho do texto ou
da página indicada.

PERIGO
Textos com este símbolo indicam situações extre-
mamente perigosas, que podem causar a morte ou
ferimentos graves no caso de inobservância.

A Volkswagen AG trabalha constantemente no de- formar sobre as variações específicas dos países. Re-
senvolvimento contínuo de todos os tipos e modelos servado o direito a modificações. Não são admissí-
de veículo. Por esse motivo, pedimos a sua compre- veis reivindicações derivadas das indicações, figuras
ensão para o fato de que alterações na forma, nos e descrições deste manual.
equipamentos e na tecnologia dos veículos são pos-
Não são permitidas a impressão, reprodução e tra-
síveis a qualquer tempo. As indicações sobre a
dução, total ou parcial, sem autorização por escrito
abrangência de fornecimento, a aparência, a potên-
da Volkswagen AG.
cia, as dimensões, os pesos, o consumo de combus-
tível, as normas e as funções dos veículos corres- Todos os direitos deste material são expressamente
pondem às informações disponíveis no fechamento reservados à Volkswagen AG, conforme a legislação
da redação deste manual. É possível que alguns de direitos autorais. Reservado o direito a modifica-
equipamentos só estejam disponíveis em um mo- ções.
mento posterior (a Concessionária Volkswagen local Produzido na Alemanha.
pode fornecer as informações) ou sejam oferecidos
somente em determinados mercados. O veículo re- © 2016 Volkswagen AG
tratado na capa está parcialmente equipado com
Papel produzido com celulose embranquecida
equipamentos opcionais a custos adicionais e possi-
sem cloro.
velmente está disponível apenas em alguns países.
Sua Concessionária Volkswagen terá prazer em in-
Muito obrigado por sua confiança
Com este Volkswagen, você está recebendo um veículo com a mais moderna tecnologia e diversos equipa-
mentos de conforto, que você certamente desejará usar em suas viagens diárias.
Antes da primeira utilização, ler e observar as informações contidas neste Manual de instruções para que
você conheça de forma rápida e abrangente o veículo, bem como para poder reconhecer e evitar possíveis
perigos para si e para terceiros.
Caso você tenha mais perguntas sobre o seu veículo ou acredite que a literatura de bordo não esteja comple-
ta, entrar em contato com a sua Concessionária Volkswagen. As Concessionárias Volkswagen sempre estão
abertas a dúvidas, sugestões e críticas.
Nós lhe desejamos muitas alegrias com o seu veículo e uma boa viagem sempre.
Volkswagen AG

PERIGO
Observar as indicações importantes de segurança
relativas ao airbag frontal do passageiro dianteiro
→ Página 81, Informações gerais sobre instala-
ção e utilização de cadeiras de criança. 

Muito obrigado por sua confiança 1


Índice
Sobre este Manual de instruções 4 – Sistema de airbag 73
– Cadeiras de criança 80
Iluminação e visibilidade
Vista geral do veículo
– Iluminação 92
Vistas externas – Proteção solar 100
– Vista frontal 5 – Limpadores e lavadores do para-brisa 100
– Vista lateral 6 – Espelhos retrovisores 105
– Vista traseira 7 Transportar
Interior do veículo – Orientações para condução 108
– Vista geral da porta do condutor 8 – Compartimento de carga 112
– Vista geral do lado do condutor 9 – Bagageiro do teto 114
– Vista geral do console central 11 – Condução com reboque 115
– Vista geral do lado do passageiro Equipamentos práticos
dianteiro 13 – Porta-objetos 125
– Vista geral dos símbolos no revestimento – Porta-copos 128
do teto 13
– Cinzeiro e acendedor de cigarro 129
Instrumento combinado – Tomadas 130
– Luzes de advertência e de controle 14 – Tacógrafo 132
– Instrumentos 16 – Amplificador de voz eletrônico 133
– Sistema de informações Volkswagen 21

Durante a condução
Antes da condução
Dar partida, trocar a marcha, estacionar
Antes de partir – Ligar e desligar o motor 134
– Orientações para condução 27 – Trocar a marcha 139
– Frear, parar e estacionar 146
Abrir e fechar – Conduzir com consciência ecológica 157
– Jogo de chaves do veículo 29 – Direção 158
– Travamento central e sistema de
travamento 31 Sistemas de assistência ao condutor
– Portas 37 – Sistemas de assistência de arranque 159
– Tampa do compartimento de carga 39 – Park Pilot 162
– Cobertura do compartimento de carga de – Câmera de marcha a ré (Rear View) 165
plástico 40 – Sistema regulador de velocidade (GRA) 168
– Cobertura do compartimento de carga de
alumínio 41 Clima
– Capota marítima do compartimento de – Aquecer, ventilar, resfriar 171
carga 43 – Aquecimento de água adicional
– Capota rígida do compartimento de carga 45 (aquecimento estacionário) 178
– Vidros 47
Sentar de forma correta e segura
– Ajustar a posição do banco 50
– Funções do banco 60
– Cintos de segurança 62

2 Índice
No posto de combustível
– Abastecer 185 Dados técnicos
– Combustível 188
Dados técnicos
– Purificação do gás de escape para
veículos a diesel (AdBlue®) 191 – Dados do veículo 311
– Motores a diesel 314
Condução off-road – Capacidades 317
– Antes da primeira condução off-road 195 – Programa de proteção do meio ambiente 318
– Situações de condução off-road 200

Abreviaturas utilizadas 319


Conservação, limpeza,
Índice remissivo 320
manutenção

No compartimento do motor
– Preparações para trabalhos no
compartimento do motor 212
– Óleo do motor 216
– Líquido de arrefecimento do motor 220
– Bateria do veículo 226
Rodas e pneus
– Sistema de controle dos pneus 231
– Fatos sobre as rodas e os pneus 236
Conservação e manutenção do veículo
– Limpar e conservar o veículo 249
– Acessório, reposição de peças, reparos e
modificações 258
– Serviços on-line móveis (Car Net) 264
– Informações ao consumidor 267
– Controle do motor e sistema de
purificação do gás de escape 269

Autoajuda

Orientações práticas
– Perguntas e respostas 272
– Em caso de emergência 273
– Fechamento ou abertura de emergência 276
– Ferramentas de bordo 279
– Calotas 281
– Troca de roda 282
– Fusíveis 290
– Troca de lâmpadas incandescentes 293
– Auxílio à partida 304
– Rebocar 307

Índice 3
Sobre este Manual de instruções
– Este Manual de instruções é válido para todos os Componentes adicionais da literatura de
modelos e versões da Amarok. bordo (opcionais):
– Você encontra um índice remissivo em ordem al- – Suplemento
fabética no final do manual.
– Sistema Infotainment
– Um índice de abreviaturas ao final do manual es-
clarece abreviaturas e denominações técnicas. – Outros anexos 
– Indicações de direção como esquerda, direita, di-
anteiro e traseiro têm como referência, via de re-
gra, a direção de condução do veículo, salvo indi-
cação em contrário.
– As figuras servem como orientação e devem ser
entendidas como representações esquemáticas.
– Este Manual de instruções foi desenvolvido para
veículos com direção à esquerda. No caso de veí-
culos com direção à direita, os comandos estão
ordenados parcialmente de forma diferente da re-
presentada nas figuras ou descrita no texto
→ Página 9.
– Modificações técnicas no veículo surgidas após o
fechamento da redação deste manual encontram-
-se num Suplemento anexo à literatura de bordo.
Todas as versões e os modelos estão descritos sem
que sejam identificados como equipamentos especi-
ais ou variantes de modelo. Desta forma, podem es-
tar descritos equipamentos que o seu veículo não
possua ou que estejam disponíveis apenas em al-
guns mercados. Você obtém a versão do veículo na
documentação de venda. Para mais informações, di-
rigir-se a sua Concessionária Volkswagen.
Todas as indicações deste Manual de instruções são
relativas às informações disponíveis na data de fe-
chamento da redação. Devido ao desenvolvimento
contínuo do veículo, é possível que existam diver-
gências entre o veículo e as indicações deste Manual
de instruções. Nenhuma exigência pode ser reivindi-
cada das indicações, figuras ou descrições diferentes
deste manual.
Ao vender ou emprestar o veículo, certificar-se de
que toda a literatura de bordo se encontre no veícu-
lo.

Componentes fixos da literatura de


bordo:
– Manutenção e garantia
– Manual de instruções

4 Sobre este Manual de instruções


Vistas externas

Vista frontal

Fig. 1 Vista geral da parte frontal do veículo.

Legenda para Fig. 1:


1 Para-brisa com:
– Sensor do comando automático das luzes ............................................................................................. 92
– Limpadores do para-brisa .............................................................................................................................. 100
– Sensor de chuva e de luz na base do espelho ....................................................................................... 100
– Espelho retrovisor interno ............................................................................................................................. 105
– Número de identificação do veículo ......................................................................................................... 311
2 Alavanca de destravamento da tampa do compartimento do motor ............................................. 212
3 Farol dianteiro.......................................................................................................................................................... 92, 293
4 Farol de neblina e farol de conversão............................................................................................................ 92, 293
5 Sensores dianteiros do Park Pilot .................................................................................................................... 162
6 Alojamento da argola de reboque dianteira atrás de uma cobertura .............................................. 307

As posições 3 , 4 e 5 estão disponíveis no


mesmo lugar do lado esquerdo e direito. 

Vistas externas 5
Vista lateral

Fig. 2 Vista geral da lateral esquerda do veículo.

Legenda para → Fig. 2:


1 Espelhos retrovisores externos ........................................................................................................................ 105
– Antena integrada → caderno Sistema Infotainment
2 Maçaneta da porta externa ................................................................................................................................ 37
3 Iluminação adicional no teto do veículo ....................................................................................................... 92, 293
4 Portinhola do tanque ............................................................................................................................................ 185
5 Pontos de apoio do macaco, diant.................................................................................................................. 282
6 Lanterna adicional dos indicadores de direção ......................................................................................... 293

As posições 1 , 2 , 5 e 6 estão disponíveis no


mesmo lugar do lado esquerdo e direito. 

6 Vista geral do veículo


Vista traseira

Fig. 3 Vista geral da parte traseira do veículo.

Legenda para Fig. 3:


1 Lanterna de freio elevada e, se for o caso, iluminação do compartimento de carga ............... 92, 293
2 Vidro traseiro com desembaçador do vidro traseiro ............................................................................... 171
3 Alça para abrir a tampa do compartimento de carga e fechadura da tampa do comparti-
mento de carga ....................................................................................................................................................... 39
4 Lanterna traseira ..................................................................................................................................................... 92, 293
5 Iluminação da placa de licença ......................................................................................................................... 293
6 Assistente de condução em marcha a ré (Rear Assist) ........................................................................... 165
7 Sensores traseiros do Park Pilot ....................................................................................................................... 162
8 Dispositivo de reboque ........................................................................................................................................ 115
9 alojamento da argola de reboque traseira................................................................................................... 307

As posições 4 , 5 e 7 estão disponíveis no


mesmo lugar do lado esquerdo e direito. 

Vistas externas 7
Interior do veículo

Vista geral da porta do condutor

Fig. 4 Vista geral dos comandos na porta do condutor (veículos com direção à esquerda). Em veículos com
direção à direita, a disposição dos elementos é espelhada.

Legenda para Fig. 4:


1 Maçaneta da porta ................................................................................................................................................. 37
2 Botão do travamento central para travamento e destravamento do veículo  –  ............ 31
3 Botão de ajuste dos espelhos retrovisores externos .............................................................................. 105
– Ajuste dos espelhos retrovisores externos   
– Desembaçador dos espelhos retrovisores externos 
4 Botões de comando dos vidros elétricos ..................................................................................................... 47
– Vidros elétricos 
– Botão de segurança dos vidros elétricos traseiros  

8 Vista geral do veículo


Vista geral do lado do condutor

Fig. 5 Vista geral do lado do condutor (veículos com direção à esquerda).

Fig. 6 Vista geral do lado do condutor (veículos com direção à direita). 

Interior do veículo 9
Legenda para Fig. 5 e Fig. 6:
1 Regulador da luminosidade da iluminação de instrumentos e interruptores  e regulador
da regulagem do alcance do farol  ............................................................................................................. 92
2 Alavanca para ........................................................................................................................................................... 92
– Para ligar e desligar o farol alto  – 
– Do sinal de luz x
– dos indicadores de direção 
– da luz de estacionamento 
– com botões de comando do sistema regulador de velocidade
(GRA)  –  –  –  –  .......................................................................................................... 168
3 Comandos do volante multifunções .............................................................................................................. 21
– Botões para operação do menu no instrumento combinado # –  – ∃ ,  , 
– Acessar o menu principal do telefone ou atender uma chamada telefônica 
– Ativação do controle de voz 
– Regulagem do volume do rádio, das mensagens de navegação ou de uma chamada te-
lefônica  – 
– Função mudo do rádio 
– Áudio, navegação  – 
4 Instrumento combinado:
– Instrumentos ....................................................................................................................................................... 16
– Display .................................................................................................................................................................... 16
– Luzes de advertência e de controle .......................................................................................................... 14
5 Alavanca dos limpadores e dos lavadores do para-brisa ....................................................................... 100
– Limpadores do para-brisa  – 
– Temporizador dos limpadores do para-brisa 
– “Movimento único dos limpadores do para-brisa” x
– Limpadores do para-brisa 
– Sistema de limpeza e de lavagem automático do para-brisa 
– Alavanca com botões de comando do sistema de informações Volkswagen  , / . 21
6 Buzina (funciona somente com a ignição ligada).
7 Pedais .......................................................................................................................................................................... 139
8 Cilindro da ignição.................................................................................................................................................. 134
9 Airbag frontal do condutor ................................................................................................................................. 73
10 Alavanca da coluna de direção ajustável ...................................................................................................... 50
11 Interruptor das luzes  ....................................................................................................................................... 92
– Luz desligada ou farol de rodagem diurna --
– Comando automático das luzes --
– Luz de posição e farol baixo , 
– Iluminação de neblina   

10 Vista geral do veículo


Vista geral do console central

Parte superior do console central

Fig. 7 Vista geral da parte superior do console cen-


tral (veículos com direção à esquerda).

Legenda para Fig. 7:


1 Tomada 12 V ............................................................................................................................................................. 130
2 Sistema Infotainment (instalado de fábrica) → caderno Sistema Infotainment
3 Difusores de ar  –  ............................................................................................................................................ 171
4 Luz de controle da desativação do airbag frontal do passageiro dianteiro................................... 73
5 Botão para ligar e desligar as luzes de advertência  .......................................................................... 273
6 Comandos para:
– Sistema de ventilação e aquecimento...................................................................................................... 171
– Climatic .................................................................................................................................................................. 171
– Climatronic ........................................................................................................................................................... 171
7 Botões para:
– Desembaçador do vidro traseiro  (somente em veículos com sistema de ventilação e
aquecimento; em veículos com Climatic ou Climatronic, o botão se encontra nos res-
pectivos painéis de comando) ..................................................................................................................... 171
– Iluminação do compartimento de carga ................................................................................................. 92
– Sistema Start-Stop  ..................................................................................................................................... 159
– Park Pilot  ........................................................................................................................................................ 162 

Interior do veículo 11
Parte inferior do console central

Fig. 8 Vista geral da parte frontal do console central Fig. 9 Vista geral da parte frontal do console central
(veículos com direção à esquerda). (veículos com direção à direita).

Legenda para → Fig. 8 e → Fig. 9:


1 Botões da tração nas quatro rodas selecionável ...................................................................................... 200
2 Indicador de status da tração nas quatro rodas ........................................................................................ 200
3 Botões do aquecimento dos bancos   ..................................................................................................... 171
4 Acendedor de cigarro ou tomada 12 V ......................................................................................................... 129, 130
5 Alavanca para:
– Transmissão manual ........................................................................................................................................ 139
– Transmissão automática ................................................................................................................................ 139
6 Entrada AUX-IN  ou entrada USB 1) → caderno Sistema Infotainment
7 Botão do programa eletrônico de estabilidade (ESC) ou controle de tração (ASR) 2) ............... 146
8 Botão do bloqueio do diferencial 2) ................................................................................................................ 200
9 Botão da função off-road 2) ............................................................................................................................... 200 

1) Dependendo da versão, a entrada AUX-IN ou a entrada USB podem se encontrar no sistema Infotainment.
2) Dependendo da versão, os botões podem estar localizados em diferentes posições ao lado da alavanca de mudanças ou da alavanca
seletora.

12 Vista geral do veículo


Vista geral do lado do passageiro dianteiro

Fig. 10 Vista geral do lado do passageiro dianteiro


(veículos com direção à esquerda). Em veículos com
direção à direita, a disposição dos elementos é espe-
lhada.

Legenda para Fig. 10:


1 Local de instalação do airbag frontal do passageiro dianteiro no painel de instrumentos. .. 73
2 Interruptor acionado pela chave para desligar o airbag frontal do passageiro dianteiro. ...... 73
3 Maçaneta do porta-luvas com fechadura. ................................................................................................... 125 

Vista geral dos símbolos no


revestimento do teto
Não é válido na Rússia

Símbolo Significado

 Botões das lanternas internas


e de leitura → Página 92.
 

Interior do veículo 13
Instrumento combinado Símbolo Significado →
Não é possível dar uma nova parti-
da!
Luzes de advertência e de  Nível de AdBlue® muito baixo
→ Página 191.
controle
Válido apenas para a Argentina, o Brasil, a Rússia e
Taiwan
 Não é possível dar uma nova parti-
da! Falha no Sistema SCR

As luzes de advertência e de controle indicam  → Página 191.

alertas → , avarias → ou funções específicas. Cinto de segurança do condutor


Algumas luzes de advertência e de controle se  não está colocado → Página 62.
acendem ao ligar a ignição e devem se apagar
com o motor em funcionamento ou durante a  Alternador avariado → Página 226.
condução. Pastilhas de freio desgastadas
Conforme a versão do modelo, podem ser mos-  → Página 146.
tradas adicionalmente mensagens de texto no acesa: problema com o ESC
display do instrumento combinado, que forne- → Página 146.
cem informações adicionais ou que solicitam  Piscando: ESC em funcionamento
ações. → Página 146.
Conforme a versão do veículo, é possível que, em Tração nas quatro rodas com nível
vez de uma luz de advertência, seja exibida uma de rodagem intensamente reduzi-
representação simbólica no display do instru-
mento combinado.
 do (4X4 LOW) acionado e bloqueio
do diferencial engatado.
Quando algumas luzes de advertência e de con- OU: ESC desligado → Página 146.
trole se acendem, soam também sinais sonoros. Problema com o ABS
As luzes de controle, que se acendem no inter-
 → Página 146.
ruptor das luzes, estão descritas no capítulo Iluminação de condução não fun-
“Luz” → Página 92.  ciona parcial ou totalmente
→ Página 293.
Símbolo Significado → Lanterna de neblina ligada
Freio de estacionamento puxado  → Página 92.
 → Página 146.
 Não prosseguir!  Catalisador avariado → Página 269.

 Problema com os freios Pré-incandescência do motor a di-


→ Página 146.
 Não prosseguir!
 esel ou unidade de comando do
motor avariada → Página 269.
Nível do líquido de arrefecimento Controle do motor avariado
do motor muito baixo, temperatura  → Página 269.
 do líquido de arrefecimento do Filtro de partículas de diesel com
motor muito alta ou sistema de ar-
refecimento do motor avariado
 acúmulo de fuligem → Página 269.
→ Página 220. aceso: pressão dos pneus muito
baixa → Página 236 (rodas ou
 Não prosseguir! pneus), → Página 231 (sistemas de
 Pressão do óleo do motor muito
baixa → Página 216.
 controle dos pneus).
Piscando: sistema de controle dos
 Não prosseguir! pneus avariado → Página 231.
No mínimo uma porta do veículo
 está aberta ou fechada incorreta-

Nível de água dos lavadores do pa-
ra-brisa muito baixo → Página 100.
mente → Página 37.
Tanque de combustível quase vazio
 → Página 185. 

14 Vista geral do veículo


Símbolo Significado → Símbolo Significado →
Água no combustível em veículos Nível de carga da bateria do telefo-
 com motor a diesel → Página 188. ne móvel. Somente na preparação
Nível de óleo do motor muito baixo  para telefone móvel instalada de
 ou sistema de óleo do motor avari-
ado → Página 216.
fábrica → caderno Sistema Info-
tainment.
Reserva de AdBlue® baixa Temperatura externa abaixo de +4°
 → Página 191.  C (+39° F) → Página 16.
Sistema Start-Stop disponível, des-
 Sistema de SCR avariado ou com-
pletado com AdBlue® inadequado  ligamento automático do motor
ativo → Página 159.
 → Página 191.
O sistema Start-Stop não está dis-
Sistema de airbag e do pré-tensio- ponível.
 nador do cinto de segurança avari-  OU: o sistema Start-Stop ligou o
motor automaticamente
ado → Página 73.
→ Página 159.
Tacógrafo instalado de fábrica ava-
 riado → Página 132. Orientação para informações na li-
Tração nas quatro rodas acionada
 teratura de bordo.
com nível de rodagem intensamen-
4X4LOW ATENÇÃO
te reduzido (4X4 LOW)
→ Página 200. A inobservância das luzes de advertência acesas
Tração nas quatro rodas acionada e das mensagens de texto pode causar a parada
 (4X4 HIGH) → Página 200. do veículo no trânsito, acidentes e ferimentos
graves.
Bloqueio do diferencial engatado
 → Página 200. ● Nunca deixar de observar as luzes de adver-
tência e as mensagens de texto.
Função off-road ligada
 → Página 200. ● Parar o veículo assim que possível e seguro.
Indicadores de direção esquerdos ● Estacionar o veículo a uma distância segura
ou direitos → Página 92. da pista de rodagem de forma que nenhuma
 Luzes de advertência ligadas
das peças do sistema de escape entre em
contato com materiais inflamáveis, como,
→ Página 273.
por exemplo, grama seca, combustível, óleo,
Aceso: pisar no pedal do freio etc.
→ Página 139 (trocar a marcha),
→ Página 146 (frear)!
● Um veículo parado representa um grande ris-
 Piscando: o botão bloqueador na
co de acidente para si mesmo e para os de-
mais usuários da via. Se necessário, ligar as
alavanca seletora não está engata- luzes de advertência e posicionar o triângulo
do → Página 139. de segurança para alertar os demais usuários
Sistema regulador de velocidade da via.
 em funcionamento → Página 168. ● Antes de abrir a tampa do compartimento do
Farol alto ligado ou sinal de luz motor, desligar o motor e aguardar até que
 acionado → Página 92. sua temperatura tenha baixado suficiente-
Reserva de AdBlue® baixa mente.
 → Página 191. ● O compartimento do motor de todo veículo é
Indicador do intervalo de serviço uma área perigosa e pode causar ferimentos
 → Página 19. graves → Página 212. 
O telefone móvel está conectado
através de Bluetooth à preparação
 para telefone móvel instalada de
fábrica → caderno Sistema Info-
tainment.

Instrumento combinado 15
ATENÇÃO Instrumentos
Quando a luz indicadora  isolada ou junta-
mente com uma mensagem de texto acende no
display do instrumento combinado, procurar  Introdução ao tema
imediatamente uma Concessionária Volkswa-
gen e mandar verificar as pastilhas de freio ou
No caso de temperaturas externas muito baixas,
trocar as pastilhas gastas.
o indicador no display do instrumento combinado
pode atuar com um retardo um pouco maior em
NOTA comparação a temperaturas externas mais altas.
A inobservância das luzes de controle que se
acendem e das mensagens de texto pode causar ATENÇÃO
danos ao veículo.  A distração do condutor pode causar acidentes
e ferimentos.
● Nunca operar os botões do instrumento
combinado durante a condução. 

Vista geral dos instrumentos


 Observe no início desse capítulo na página 16.

Fig. 11 Instrumento combinado no painel de instrumentos.

Esclarecimento dos instrumentos → Fig. 11:


1 Tacômetro (rotações por minuto do motor em funcionamento).
O início da área vermelha do tacômetro indica a rotação máxima possível do motor rodado e aque-
cido pelo funcionamento para cada uma das marchas. Antes que a indicação atinja a faixa verme-
lha, trocar para a próxima marcha mais alta, posicionar a alavanca seletora em D ou tirar o pé do
pedal do acelerador → .
2 Indicadores do display → Página 17.
3 Velocímetro (medidor de velocidade).
4 Botão de ajuste do relógio.
– Pressionar o botão  para selecionar as horas ou os minutos.
– Para avançar, pressionar o botão  . Manter o botão pressionado para avanço rápido.
– Pressionar o botão  novamente para encerrar o ajuste do relógio.
5 Indicador de temperatura do líquido de arrefecimento do motor  → Página 220. 

16 Vista geral do veículo


6 Indicador do nível de combustível → Página 185.
7 Botão de retrocesso para a exibição do hodômetro parcial (trip).
– Pressionar o botão  para zerar.

NOTA ● Para evitar danos ao motor, o ponteiro do ta-


cômetro somente pode permanecer por curto
● Se o motor estiver frio, evitar rotações do mo-
tempo na faixa vermelha da escala.
tor elevadas, aceleração total e forte demanda
do motor. Um aumento de marcha no momento ade-
quado ajuda a economizar combustível e a
reduzir ruídos de funcionamento. 

Indicadores do display
 Observe no início desse capítulo na pági- – Indicador do intervalo de serviço
na 16. → Página 19
– Indicador de status do sistema Start-
De acordo com o equipamento do veículo, é pos- -Stop → Página 159
sível que sejam exibidas diferentes informações
– Alerta de velocidade para pneus de inverno
no display do instrumento combinado
→ Fig. 11 2 : – Velocidade secundária (Menu Configurações)
→ Página 21
– Portas e tampa do compartimento do motor
– Indicador da reserva de combustível
abertas
→ Página 185
– Textos de advertência e de informação
– Indicadores de quilometragem Textos de advertência e de informação
– Horário Ao ligar a ignição ou durante a condução, algu-
mas funções do veículo e dos componentes do
– Orientações sobre Infotainment → caderno Sis-
veículo têm seu status verificado. As falhas fun-
tema Infotainment
cionais são indicadas no display do instrumento
– Sistema Infotainment → caderno Sistema Info- combinado por meio de símbolos de advertência
tainment com mensagens de texto → Página 14 e, se for o
– Temperatura externa caso, também são sinalizadas acusticamente. De
– Posições da alavanca seletora → Página 139 acordo com a versão do instrumento combinado,
a representação dos símbolos pode variar. 
– Recomendação de marcha → Página 139
– Exibição dos dados de condução (indicador
multifunções (MFA)) e menus para configura-
ções diversas → Página 21

Instrumento combinado 17
Cor do
Tipo de mensagem Esclarecimento
símbolo
Símbolo piscando ou aceso – em parte, juntamente com alertas so-
Mensagem de ad- noros.
vertência de priori- Vermelho  Não prosseguir! Há perigo → !
dade 1. Verificar a função avariada e eliminar a causa. Se necessário, procurar
auxílio técnico especializado.
Símbolo piscando ou aceso – em parte, juntamente com alertas so-
noros.
Mensagem de ad-
Funções com falha ou falta de fluidos podem causar danos ao veículo
vertência de priori- Amarelo
e a falha do veículo → !
dade 2.
Verificar a função avariada o mais rápido possível. Se necessário, pro-
curar auxílio técnico especializado.
Texto de informa-
– Informações sobre diferentes processos do veículo.
ção.

Indicadores de quilometragem Indicador da velocidade secundária (mph ou


O hodômetro total registra o percurso de roda- km/h)
gem total realizado pelo veículo. Durante a condução, além do indicador no velocí-
metro, é possível visualizar a velocidade em outra
O hodômetro parcial (trip) indica os quilômetros
unidade de medida (mph ou km/h). Para isso, se-
percorridos após a última restauração do hodô-
lecionar no menu Configurações o item do menu Ve-
metro. O último dígito indica 100 metros.
locidade secundária. → Página 21.
Indicador da temperatura externa Veículos sem indicador de menu no instrumento
Quando a temperatura externa estiver abaixo de combinado:
+4 °C (+39 °F), um símbolo de “floco de neve”
– Ligar o motor.
aparecerá adicionalmente no indicador da tem-
peratura externa (alerta de pista escorregadia). – Pressionar o botão  3 vezes. O indicador
Este símbolo começa a piscar e se acende em se- do hodômetro total começa a piscar no display
guida até que a temperatura externa ultrapasse do instrumento combinado.
+6 °C (+43 °F) → . – Pressionar o botão  uma vez. No lugar do
Se o veículo estiver parado ou rodando em velo- indicador do hodômetro total, aparece breve-
mente “mph” ou “km/h”.
cidade de condução muito baixa, a temperatura
indicada poderá ser um pouco mais alta do que a – Assim, o indicador da velocidade secundária
temperatura externa real devido ao calor irradia- estará ativado. A desativação ocorre da mesma
do pelo motor. forma.
A área de medição vai de -40 °C (-40 °F) a +50 °C Em versões de modelos para países nos quais a
(+122 °F). indicação constante da velocidade secundária se-
ja exigida por lei, não é possível desativar a indi-
Posições da alavanca seletora (transmissão cação.
automática)
A posição da alavanca seletora acionada é indica- Indicador de status do sistema Start-Stop
da tanto ao lado da alavanca seletora quanto no No display do instrumento combinado são exibi-
display do instrumento combinado. Na posição das informações sobre o status atual
D S bem como com Tiptronic, a respectiva mar- → Página 159.
cha é indicada no display → Página 139.
ATENÇÃO
Recomendação de marcha
A inobservância das luzes de advertência acesas
Durante a condução pode ser exibida, no display e das mensagens de texto pode causar a parada
do instrumento combinado, uma recomendação do veículo no trânsito, acidentes e ferimentos
para seleção de uma marcha que economize mais graves. 
combustível → Página 139.

18 Vista geral do veículo


● Nunca deixar de observar as luzes de adver- ● Nunca confiar apenas no indicador da tem-
tência e as mensagens de texto. peratura externa!
● Parar o veículo assim que possível e seguro.
● Um veículo parado representa um grande ris- NOTA
co de acidente para si mesmo e para os de- A inobservância das luzes de controle que se
mais usuários da via. Se necessário, ligar as acendem e das mensagens de texto pode causar
luzes de advertência e posicionar o triângulo danos ao veículo.
de segurança para alertar os demais usuários
da via. Devido à existência de diversas versões de
instrumentos combinados, as indicações do
● Estacionar o veículo a uma distância segura display podem variar. Em caso de display sem in-
da pista de rodagem, de forma que nenhuma dicador de textos de advertência ou de informa-
das peças do sistema de escape entre em ção, as avarias são indicadas exclusivamente por
contato com materiais inflamáveis, como, meio de luzes de controle.
por exemplo, grama seca, combustível, óleo,
etc. Se existirem várias mensagens de advertên-
cia, os símbolos aparecerão em sequência
ATENÇÃO por alguns segundos. Esses símbolos serão exibi-
Mesmo com temperaturas externas acima da dos até que a causa seja eliminada.
temperatura de congelamento, pode haver uma Se, ao ligar a ignição, forem exibidas men-
camada de gelo sobre ruas e pontes. sagens de advertência de falhas de funcio-
● É possível que haja uma camada de gelo na namento, é possível que alguns ajustes ou a exi-
pista mesmo se a temperatura externa esti- bição de informações sejam realizadas de modo
ver acima de +4 °C (+39 °F) e o “símbolo de diferente do que o descrito. Nesse caso, o reparo
floco de neve” não aparecer no display. da falha de funcionamento deve ser realizado por
uma Concessionária Volkswagen ou por uma em-
presa especializada. 

Indicador do intervalo de serviço Em veículos com serviço flexível de troca de


óleo, os intervalos são determinados individual-
 Observe no início desse capítulo na pági- mente. O avanço da tecnologia possibilita reduzir
na 16. bastante a necessidade de manutenção periódi-
ca. Com o serviço de troca de óleo flexível, a
O indicador do evento de serviço aparece no dis- Volkswagen emprega uma tecnologia com a qual
play do instrumento combinado → Fig. 11 2 . um serviço de troca de óleo precisa ser executa-
do somente quando o veículo necessitar este ser-
Os prazos do serviço na Volkswagen são diferen- viço. Nesse caso, para a determinação do serviço
ciados conforme o serviço de troca de óleo e ins- de troca de óleo (no máximo 2 anos) são também
peções. O indicador do intervalo de serviço infor- levadas em consideração as condições individuais
ma o próximo prazo de serviço que contempla a de utilização e o estilo pessoal de condução. O
troca do óleo do motor e a próxima inspeção a alerta de serviço é exibido pela primeira vez
vencer. Os prazos do serviço também constam no 20 dias antes do prazo do serviço calculado. O
caderno Manutenção e garantia. percurso de condução remanescente indicado é
Em veículos sem mensagens de texto, o prazo do sempre arredondado para 100 km, e o tempo re-
serviço exibido atualmente pode ser lido no dis- manescente, para dias inteiros. A mensagem de
play do instrumento combinado em cima, à direi- serviço atual só pode ser consultada após 500 km
ta, no indicador do display: do último serviço. Até este ponto, só é possível
visualizar traços no indicador. 
– 1: serviço de troca de óleo.
– 2: inspeção.
Em veículos com serviço fixo de troca de óleo,
são especificados intervalos de serviço fixos.

Instrumento combinado 19
Lembrete de serviço Um prazo de serviço vencido é indicado por um
Quando uma manutenção estiver iminente, apa- sinal de menos antes da indicação de quilôme-
rece um lembrete de manutenção ao ligar a igni- tros ou de dias.
ção.
Reinicializar o serviço de troca de óleo
Em veículos sem mensagens de texto, é exibido
Se o serviço de troca de óleo não tiver sido reali-
no display do instrumento combinado um símbo-
zado em uma Concessionária Volkswagen, ele
lo de chave fixa  com uma indicação em km e o
pode ser restaurado da seguinte forma:
símbolo de um relógio  com a indicação dos di-
as faltantes até a data do prazo do serviço. A qui- Em veículos com mensagens de texto:
lometragem exibida é a quantidade de quilôme- Desligar a ignição.
tros que ainda pode ser percorrida até o prazo de
serviço iminente. Adicionalmente é indicado em No instrumento combinado, pressionar e man-
cima, à direita, no indicador do display, para qual ter o botão  pressionado.
prazo do serviço o lembrete é válido (1 para troca Ligar novamente a ignição.
de óleo, 2 para inspeção). Soltar o botão  .
Se o lembrete de serviço for exibido para ambas Confirmar a consulta de confirmação no instru-
as datas de serviço (exibindo 1 e 2 em cima, à di- mento combinado com o botão  da ala-
reita no display do instrumento combinado), en- vanca dos limpadores do para-brisa ou com o
tão, para veículos sem mensagens de texto vale a botão  do volante multifunções.
quilometragem e a indicação de dias faltantes
para o prazo de serviço iminente. Em veículos sem mensagens de texto:
Desligar a ignição.
Em veículos com mensagens de texto, aparece
troca de óleo ou inspeção em --- km ou --- dias no dis- No instrumento combinado, pressionar e man-
play do instrumento combinado. ter o botão  pressionado.
Ligar novamente a ignição.
Evento de serviço Soltar o botão  e pressionar o botão 
Quando um prazo de serviço estiver para vencer, dentro de aproximadamente 20 segundos.
é emitido um sinal sonoro no momento em que a
ignição é ligada e o símbolo de chave fixa  pis- Não reinicializar o indicador entre os intervalos
ca durante alguns segundos. Em veículos com de serviço. Isso pode gerar indicações incorretas.
mensagens de texto, aparece no display do ins- Se o indicador do intervalo de serviço for restau-
trumento combinado a mensagem Troca de óleo rado manualmente em caso de serviço flexível de
agora! ou Inspeção agora!. troca de óleo válido, o “serviço fixo de troca de
óleo” será ativado. O intervalo de serviço não se-
Acessar mensagem de serviço rá mais informado individualmente → cader-
Com a ignição ligada, motor desligado e veículo no Manutenção e garantia.
parado, é possível acessar a Mensagem de servi-
ço atual: Reinicializar a inspeção
– Pressionar tantas vezes o botão  no ins- Se a inspeção não tiver sido realizada em uma
trumento combinado, até que seja indicado o Concessionária Volkswagen, ela pode ser restau-
símbolo de chave fixa  e, em cima, à direita, rada da seguinte forma:
na indicação do display, o número 1. Os valo- Em veículos com mensagens de texto:
res indicados são válidos para o serviço de tro-
ca de óleo. Desligar a ignição.
– Pressionar novamente o botão  no instru- Ligar as luzes de advertência.
mento combinado. Serão indicados o símbolo No instrumento combinado, pressionar e man-
de chave fixa  e, em cima, à direita, na indi- ter o botão  pressionado.
cação do display, o número 2. Os valores indi- Ligar novamente a ignição.
cados são válidos para a inspeção. Soltar o botão  . 
– OU: selecionar o menu Configurações.
– No submenu Serviço, selecionar o item de menu
Informação.

20 Vista geral do veículo


Em veículos com mensagens de texto: Uma empresa especializada pode programar ou
alterar outras funções conforme a versão do veí-
Confirmar a consulta de confirmação no instru-
culo. Para isso, a Volkswagen recomenda uma
mento combinado com o botão  da ala-
Concessionária Volkswagen.
vanca dos limpadores do para-brisa ou com o
botão  do volante multifunções. Alguns itens de menu só podem ser acessados
Desligar as luzes de advertência. com o veículo desligado.
Enquanto for mostrada uma mensagem de ad-
Em veículos sem mensagens de texto: vertência da prioridade 1 não é possível acessar
Desligar a ignição. nenhum menu. Algumas mensagens de alerta
Ligar as luzes de advertência. podem ser confirmadas e ocultadas com o bo-
No instrumento combinado, pressionar e man- tão  .
ter o botão  pressionado.
ATENÇÃO
Ligar novamente a ignição.
A distração do condutor pode causar acidentes
Soltar o botão  e pressionar o botão 
e ferimentos.
dentro de aproximadamente 20 segundos.
● Nunca acessar os menus no display do ins-
Desligar as luzes de advertência.
trumento combinado durante a condução.
A mensagem de serviço se apaga após al-
Após a partida do motor com a bateria do
guns segundos com o motor em funciona-
veículo totalmente descarregada ou com
mento ou após pressionar o botão  da ala-
uma bateria substituída no veículo, as configura-
vanca dos limpadores do para-brisa ou o botão
 do volante multifunções.
ções do sistema (hora, data, configurações de
conforto pessoais e programações) podem estar
Se, em veículos com serviço flexível de tro- desajustadas ou deletadas. Verificar e corrigir as
ca de óleo, a bateria do veículo ficar desco- configurações depois que a bateria do veículo ti-
nectada por um longo período, não será possível ver sido suficientemente recarregada. 
calcular o prazo para o próximo serviço. As indi-
cações de serviço podem, portanto, indicar cálcu-
los incorretos. Nesse caso, observar os intervalos
de serviço máximos admissíveis → caderno Ma- Vista geral da estrutura do menu
nutenção e garantia. 
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 21.

Indicador multifunções → Página 24


Sistema de informações ■ Temp. viagem
Volkswagen ■ Cons. mom.
■ Cons. médio
 Introdução ao tema ■ Autonomia
■ Distância percorrida
■ Veloc. média
Com a ignição ligada, as diversas funções do dis-
play podem ser acessadas por meio dos menus. ■ Veloc. digital
■ Temp. do óleo
Em veículos com volante multifunções, os botões
da alavanca dos limpadores do para-brisa não ■ Alerta de velocidade
existem. Neste caso, o indicador multifunções é Áudio → caderno Sistema Infotainment
operado exclusivamente pelos botões no volante Navegação → caderno Sistema Infotainment
multifunções.
Telefone → caderno Sistema Infotainment
A abrangência dos menus no display do instru- Status do veículo → Página 23 
mento combinado depende da eletrônica do veí-
culo e do escopo do equipamento do veículo.

Instrumento combinado 21
Ajustes → Página 25 Controlar os menus do instrumento
■ Idioma combinado
■ Dados MFA
– Temp. viagem  Observe no início desse capítulo na pági-
na 21.
– Cons. mom.
– Cons. médio
– Distância percorrida
– Veloc. média
– Veloc. digital
– Temp. do óleo
– Alerta de velocidade
■ Horário
– Horas
– Minutos
– Modo 24h
– Horário de verão
■ Pneus de inverno Fig. 12 Veículos sem volante multifunções: bo-
– Ativo tão A na alavanca dos limpadores do para-brisa pa-
ra confirmar itens de menu e chave B para trocar
– +10 km/h
menus.
– -10 km/h
■ Unidades
– Temperatura
– Consumo/Percurso
– Pressão ar
■ Pressão pneus
– Carga (padrão, carga total)
– Tipo de pneu
■ Ligar / Desligar velocidade secundária
■ Serviço Fig. 13 Veículos com volante multifunções: botões
– Informação para comandar os menus no instrumento combina-
■ Ajuste de fábrica  do.
Acessar o menu principal
– Ligar a ignição.
– Caso uma mensagem ou o pictograma de veí-
culo sejam exibidos, pressionar o botão
→ Fig. 12 A da alavanca dos limpadores do
para-brisa ou o botão  do volante multifun-
ções → Fig. 13. 

22 Vista geral do veículo


– No comando com a alavanca dos limpadores Realizar as configurações do menu
do para-brisa: para listar o menu principal – Utilizando a chave da alavanca dos limpadores
→ Página 23 ou para retornar de outro menu do para-brisa ou os botões de seta do volante
para o menu principal, manter a chave multifunções, realizar as alterações desejadas.
→ Fig. 12 B pressionada. Se necessário, manter pressionado para au-
– No comando com o volante multifunções: o mentar ou diminuir os valores mais rapida-
menu principal não é listado. Para navegar en- mente.
tre os itens do menu principal, pressionar o – Selecionar ou confirmar a seleção com o bo-
botão # ou ∃ repetidamente → Fig. 13. tão → Fig. 12 A na alavanca dos limpadores
do para-brisa ou o botão  no volante multi-
Acessar o submenu funções.
– Pressionar a chave → Fig. 12 B da alavanca
dos limpadores do para-brisa para cima ou pa- Voltar ao menu principal
ra baixo ou pressionar os botões de seta  ou – Por meio do menu: no submenu, selecionar o
 do volante multifunções até que o item de item de menu Voltar para sair do submenu.
menu desejado esteja selecionado.
– No comando com a alavanca dos limpadores
– O item de menu selecionado se encontra entre do para-brisa: manter a chave B pressionada. 
as duas linhas horizontais. Adicionalmente, um
triângulo se encontra à direita: .
– Para acessar o item do submenu, pressionar o
botão A da alavanca dos limpadores do para-
-brisa ou o botão  do volante multifunções
→ Fig. 13.

Menu principal
 Observe no início desse capítulo na página 21.

Menu Função Ver


Informações e possibilidades de regulagem do MFA (indicador
MFA → Página 24
multifunções).
Exibição da emissora no modo rádio.
→ caderno Siste-
Áudio Exibição do título em modo CD.
ma Infotainment
Exibição do título em modo mídia.
Indicadores de informação do sistema de navegação ligado:
Na condução ao destino ativada são exibidas setas de conver-
são e as barras de aproximação. A representação assemelha-se
→ caderno Siste-
Navegação à representação de símbolos no sistema de navegação.
ma Infotainment
Se a condução ao destino não estiver ativa, são exibidas a dire-
ção de condução (função bússola) e o nome da rua na qual se
está circulando.
Informações e configurações possíveis da preparação para tele- → caderno Siste-
Telefone
fone móvel. ma Infotainment
Textos de advertência e de informação atuais.
O item de menu aparece somente havendo textos de alerta ou
Estado do veículo → Página 16
informação. O número de mensagens existentes é exibido no
display. Exemplo: 1/1 ou 2/2.
Diversas possibilidades de configuração, por exemplo, configu-
Configurações ração de horário, alerta de velocidade para pneus de inverno, → Página 25
sistema de controle da pressão dos pneus, idioma e unidades. 

Instrumento combinado 23
Menu MFA (indicador multifunções)
 Observe no início desse capítulo na pági- de viagem total. O número da memória indicada
na 21. está na parte superior à direita no indicador do
display.
O indicador multifunções (MFA) está provido de 2
memórias de funcionamento automático:
1 – Memória de viagem individual e 2 – Memória

Com a ignição ligada e a memória 1 ou 2 exibida, pressionar o botão  da alavanca dos limpado-
res do para-brisa ou o botão  do volante multifunções para alternar entre as duas memórias.
A memória recolhe os valores de condução e consumo desde o momento da
Memória de partida até o desligamento da ignição.
1 condução isola- Em uma interrupção de condução de mais de 2 horas, a memória é apagada au-
da. tomaticamente. Se a condução prosseguir dentro de um período de 2 horas após
a ignição ser desligada, os novos valores serão somados.
A memória grava os valores de rodagem de uma quantidade determinada de vi-
agens isoladas conforme a versão do instrumento combinado, até um total de
Memória de vi-
2 19 horas e 59 minutos ou 99 horas e 59 minutos de condução ou 1.999,9 km ou
agem total.
9.999,9 km de percurso. Se uma destas marcas máximasa) for excedida, a me-
mória é deletada automaticamente e recomeça do 0.
a) Varia conforme a versão do instrumento combinado.

Indicadores possíveis
Menu Função
Temp. viagem Tempo de condução em horas (h) e minutos (min) que transcorreram
após ligar a ignição.
Consumo momentâneo de com- A exibição do consumo momentâneo de combustível durante a condu-
bustível ção é dada em l/100 km, com o motor em funcionamento e com o veí-
culo parado, em litros/h.
Cons. médio O consumo de combustível médio em l/100 km é exibido somente após
100 metros rodados depois de ligar a ignição. Até este ponto são exibi-
dos traços. O valor atual exibido é atualizado a cada 5 segundos.
Autonomia Percurso aproximado em km que ainda pode ser percorrido com o con-
teúdo existente do tanque de combustível, mantendo-se a mesma for-
ma de condução. Para o cálculo é usado, entre outros, o consumo mo-
mentâneo de combustível.
Autonomia residual SCR Percurso aproximado em km que ainda pode ser percorrido com a quan-
ODER: Autonomia residual  tidade de AdBlue® disponível no reservatório, seguindo a mesma forma
de condução.
Distância percorrida Percurso percorrido em km depois de ligar a ignição.
Velocidade média A velocidade média é exibida somente depois de 100 metros rodados
depois de ligar a ignição. Até este ponto são exibidos traços. O valor atu-
al exibido é atualizado a cada 5 segundos.
Veloc. digital Velocidade de condução atual como indicador digital.
Temp. do óleo Temperatura do óleo do motor atual como indicador digital. 

24 Vista geral do veículo


Menu Função
Alerta v em --- km/h Quando a velocidade gravada for excedida (no intervalo entre 30 km/h
(18 mph) e 250 km/h (155 mph)), um alerta sonoro e, se for o caso, visu-
al é exibido.
Dependendo do mercado, este alerta será emitido adicionalmente em
velocidades acima de 120 km/h (75 mph). Este alerta é uma prescrição
legal e não pode ser alterado.

Alternar entre os indicadores botão  do volante multifunções ou esperar


– Veículos sem volante multifunções: pressionar alguns segundos. A velocidade está salva e o
a chave na alavanca dos limpadores do para- alerta ativado.
-brisa. – Para desativar, pressionar o botão  da
– Veículos com volante multifunções: pressionar alavanca dos limpadores do para-brisa ou o
o botão  ou  . botão  no volante multifunções. A velocida-
de salva é deletada.
Salvar a velocidade para alerta de velocidade
Deletar a memória 1 ou 2 manualmente
– Selecionar o indicador Alerta de velocidade em
--- km/h. – Selecionar a memória que deve ser deletada.
– Pressionar o botão  da alavanca dos lim- – Manter o botão  pressionado por aproxima-
padores do para-brisa ou o botão  do volan- damente 2 segundos.
te multifunções para salvar a velocidade atual
e ativar o alerta. Seleção pessoal dos indicadores
No menu Configurações, é possível selecionar quais
– Se necessário, configurar a velocidade deseja-
dos indicadores MFA possíveis devem ser exibi-
da dentro de 5 segundos com a chave da ala-
dos no display do instrumento combinado. Além
vanca dos limpadores do para-brisa ou com os
disso, as unidades de medida exibidas podem ser
botões  ou  no volante multifunções. A se-
guir, pressionar novamente o botão  da
modificadas → Página 25. 
alavanca dos limpadores do para-brisa ou o

Menu Configurações
 Observe no início desse capítulo na página 21.

Menu Função
Idioma Selecionar o idioma para os textos do display e do sistema Infotainment.
Dados MFA Configurações de quais dados MFA devem ser exibidos no display do instrumen-
to combinado → Página 24.
Horário Ajustar as horas e os minutos do relógio do instrumento combinado e do siste-
ma Infotainment. O horário pode ser representado como indicador de 12 ou 24
horas. Se for o caso, um S em cima do display indica que o horário de verão está
ajustado.
Pneus de inverno Ajustar o alerta de velocidade visual e sonoro. Utilizar a função somente se esti-
verem montados pneus de inverno não dimensionados para a velocidade máxi-
ma do veículo.
Unidades Configurar as unidades dos valores de temperatura e de consumo, bem como
pressão do ar.
Pressão pneus Configurações do sistema de controle da pressão dos pneus, como, por exem-
plo, condições de carga e tipo de pneu utilizado no veículo.
Veloc. secund. Ligar ou desligar o indicador da velocidade secundária. 

Instrumento combinado 25
Menu Função
Serviço Consultar mensagens de serviço.
Ajuste fábrica Algumas funções do menu Configurações são restauradas para as configurações de
fábrica. 

26 Vista geral do veículo


 Fixar objetos e todos os volumes de baga-
Antes de partir gem com segurança em porta-objetos, no
compartimento de carga e, se for o caso, no
Orientações para condução teto → Página 108.
 O acionamento dos pedais deve estar desim-
 Introdução ao tema pedido o tempo todo.
 Proteger as crianças no veículo com um sis-
tema de retenção apropriado ao peso e à es-
Dependendo do local de utilização do veículo, tatura da criança → Página 80.
pode ser conveniente instalar um protetor do
cárter. Um protetor do cárter pode reduzir o risco
 Ajustar corretamente os bancos dianteiros,
apoios para cabeça e o espelhos conforme a
de danos na parte inferior do veículo e no cárter,
estatura → Página 50.
ao transitar, por exemplo, sobre o meio-fio, en-
tradas de terrenos ou em ruas não pavimentadas.  Calçar sapatos que proporcionem um bom
A Volkswagen recomenda a Concessionária apoio para o comando dos pedais.
Volkswagen para a instalação.  Fixar bem o tapete na área para os pés do la-
do do condutor de modo que ele não obstrua
ATENÇÃO a área dos pedais.
Conduzir sob influência de álcool, drogas, medi-  Adotar uma posição correta no banco antes e
camentos e entorpecentes pode causar aciden- durante a condução. Isto também é válido
tes graves e ferimentos fatais. para todos os passageiros → Página 50.
● Álcool, drogas, medicamentos e entorpecen-  Regular e colocar o cinto de segurança corre-
tes podem diminuir consideravelmente o tamente antes da condução e não alterar du-
grau de percepção, os tempos de reação e a rante a condução. Isto também é válido para
segurança de condução, podendo causar a todos os passageiros → Página 62.
perda de controle do veículo.   Não transportar uma quantidade de passa-
geiros maior que a quantidade de assentos e
de cintos de segurança disponíveis.
Preparações para condução e  Jamais conduzir se a capacidade de condu-
ção estiver limitada, por exemplo, por medi-
segurança de condução camentos, álcool ou drogas.
 Observe no início desse capítulo na pági-  Não se distrair do trânsito, por exemplo,
na 27. ajustando ou acessando menus, com passa-
geiros ou falando ao telefone.
Lista de controle  Adequar sempre a velocidade e a forma de
Os seguintes pontos devem ser observados antes condução às condições de visibilidade, do cli-
e durante a condução para garantir a segurança ma, da pista e do trânsito.
do próprio condutor, de todos os passageiros e  Respeitar as regras de trânsito e as velocida-
dos demais usuários da via → : des indicadas.
 Verificar o perfeito funcionamento do siste-  Em viagens longas, fazer pausas regulares –
ma de iluminação e dos indicadores de dire- não ultrapassando o limite de 2 horas.
ção.  Proteger animais no veículo com um sistema
 Controlar a pressão dos pneus → Página 236 que seja apropriado ao seu peso e tamanho.
e o nível de combustível → Página 185.
 Providenciar uma visibilidade perfeita através ATENÇÃO
de todos os vidros. Respeitar sempre as regras de trânsito atuais e
 O fornecimento de ar ao motor não pode ser os limites de velocidade e conduzir preventiva-
impedido e o motor não pode ser coberto mente. A avaliação correta das condições de
com tampas ou materiais isolantes → em condução pode fazer a diferença entre chegar
Introdução ao tema na página 214. ao destino da viagem em segurança e um aci-
dente com ferimentos graves. 

Antes de partir 27
Serviços de manutenção regulares no veícu-  O sistema de navegação instalado de fábrica
lo servem não apenas para a conservação funciona com os dados de navegação exis-
do veículo, mas também contribuem para a segu- tentes no país de destino?
rança operacional e do trânsito. Por esse motivo,  São necessários pneus especiais para a roda-
os serviços de manutenção devem ser realizados gem no país de destino?
sempre conforme as especificações do caderno
Manutenção e garantia. Em condições operacio-
NOTA
nais pesadas, pode ser necessário executar al-
guns serviços antes da data prevista para o próxi- A Volkswagen não pode ser responsabilizada por
mo serviço. Condições de severidade são, por danos causados ao veículo em razão de combus-
exemplo, condução frequente em trânsito inten- tível de baixa qualidade, manutenção insuficiente
so, condução frequente com reboque ou condu- ou disponibilidade deficiente de peças originais. 
ção em áreas com alta incidência de poeira. Mais
informações podem ser obtidas em uma Conces-
sionária Volkswagen ou em uma empresa espe-
cializada. 
Travessia de trechos alagados
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 27.
Condução no exterior
Para evitar danos ao veículo na travessia de, por
 Observe no início desse capítulo na pági- exemplo, ruas alagadas, observar o seguinte:
na 27.
– Determinar a profundidade da água antes da
travessia de trechos alagados. A água pode ter
Lista de controle
no máximo 500 mm de profundidade → .
Alguns países adotam normas especiais de segu- – Não conduzir a uma velocidade superior à ve-
rança e prescrições relevantes para emissões de locidade de passo.
gases que podem divergir da condição de monta-
– Nunca parar, dar marcha a ré ou desligar o mo-
gem do veículo. Antes de iniciar uma viagem in-
tor na água.
ternacional, a Volkswagen recomenda que sejam
colhidas informações em uma Concessionária – Veículos no contra fluxo provocam ondas que
Volkswagen sobre as determinações legais e os podem elevar o nível da água para seu veículo,
seguintes itens do país de destino: inviabilizando a travessia do trecho alagado de
forma segura.
 O veículo deve ser preparado tecnicamente
para a viagem internacional, por exemplo, – Na travessia de trechos alagados, desligar
mascarar ou converter o farol? sempre o sistema Start-Stop manualmente.
 As ferramentas, os equipamentos de diag-
nóstico e as peças de reposição necessárias
ATENÇÃO
para serviços de manutenção e de reparos Após travessias por água, lama, lodo, etc., pode
estão disponíveis? ocorrer um retardamento do efeito de frena-
 Existe uma Concessionária Volkswagen no gem produzido por umidade ou congelamento
país de destino? dos discos e pastilhas de freio, aumentando a
distância de frenagem.
 Em motores a gasolina: está disponível gaso-
lina sem chumbo com octanagem suficiente? ● Por meio de manobras de frenagem cuidado-
sas “, frear para que os freios sequem e fi-
 Em motores a diesel: há óleos diesel com quem sem gelo”. Nesse caso, não colocar em
baixo teor de enxofre disponível? risco outros usuários da via nem ignorar de-
 O óleo do motor recomendado terminações legais.
(→ Página 216) e demais fluidos conforme as ● Evitar manobras de frenagem abruptas e sú-
especificações da Volkswagen estão disponí- bitas imediatamente após a travessia de tre-
veis no país de destino? chos alagados. 

28 Antes da condução
NOTA Abrir e fechar
● Na travessia de trechos alagados, algumas pe-
ças do veículo como, por exemplo, motor, Jogo de chaves do veículo
transmissão, chassi ou sistema elétrico, podem
ser danificados seriamente.
● Não conduzir por água salgada, o sal pode cau-
 Introdução ao tema
sar corrosão. Lavar imediatamente com água
limpa todas as peças do veículo que tenham
entrado em contato com a água salgada. PERIGO

Se forem ingeridas baterias com um diâmetro
de 20 mm ou outras baterias de lítio, poderão
ocorrer lesões graves ou até fatais em um curto
espaço de tempo.
● Conservar sempre a chave do veículo assim
como chaveiros com baterias, baterias de re-
posição, baterias botão e outras baterias que
sejam maiores do que 20 mm fora do alcance
de crianças.
● Procurar auxílio médico imediatamente se
houver suspeita de que uma bateria tenha si-
do ingerida.

ATENÇÃO
Uma utilização desatenta ou sem supervisão
das chaves do veículo pode causar acidentes e
ferimentos graves.
● Levar sempre todas as chaves do veículo ao
deixar o veículo. Crianças ou pessoas não au-
torizadas podem trancar as portas, ligar o
motor ou ligar a ignição e, com isso, acionar
equipamentos elétricos, como, por exemplo,
os vidros elétricos.
● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne-
cessidade de ajuda sozinhas no veículo. Em
caso de emergência, elas não estariam em
condições de deixar o veículo sozinhas ou de
cuidarem de si mesmas. Por exemplo, con-
forme a estação do ano, podem ocorrer tem-
peraturas muito altas ou muito baixas dentro
do veículo, que podem ocasionar ferimentos
graves e enfermidades, principalmente em
crianças pequenas, ou ocasionar a morte.
● Nunca retirar a chave do veículo do cilindro
da ignição enquanto o veículo estiver em
movimento. O bloqueio da direção pode se
travar e pode não ser mais possível conduzir
o veículo. 

Abrir e fechar 29
Chave do veículo Caso não seja possível destravar ou travar o veí-
culo com a chave do veículo, ela deverá ser sin-
 Observe e no início desse capítulo na cronizada novamente ou a bateria botão (deno-
página 29. minação usual: bateria) da chave do veículo deve
ser substituída → Página 31.

Chave da capota rígida do compartimento de


carga
A tampa traseira da capota rígida do comparti-
mento de carga montada de fábrica é destravada
com uma chave fornecida separadamente
→ Página 45.

Fig. 14 Chave do veículo. Sincronizar a chave do veículo


Se o botão  for pressionado com frequência fo-
ra da área de alcance, possivelmente o veículo
não poderá mais ser destravado e travado com a
chave do veículo. Nesse caso, a chave do veículo
deve ser sincronizada novamente da seguinte
forma:
– Rebater a haste da chave para fora.
– Pressionar o botão  da chave do veículo. En-
Fig. 15 Chave do veículo com haste fixa. quanto isso, permanecer ao lado do veículo.
– Destrancar o veículo com a haste da chave na
Legenda para Fig. 14: fechadura da porta do condutor.
1 Botão do travamento central: destravar o – Ligar a ignição com a chave do veículo. A sin-
veículo. cronização está concluída.
2 Botão do travamento central: travar o veícu-
lo. Chave de reposição
3 Botão de pressão da haste da chave. Para a aquisição de uma chave do veículo, é ne-
cessário o número do chassi do veículo.
4 Luz de controle.
Várias chaves do veículo podem ser validadas pa-
Luz de controle da chave do veículo ra um veículo.
A luz de controle → Fig. 14 4 pisca na chave do As novas chaves do veículo podem ser obtidas
veículo quando o botão é pressionado. Se ela não em uma Concessionária Volkswagen ou em uma
se acender, é necessário trocar a bateria botão empresa especializada.
(denominação usual: bateria) da chave do veículo Adicionalmente à chave do veículo elétrica, pode
→ Página 31. fazer parte do jogo de chaves uma chave do veí-
culo mecânica. Ela se encontra separadamente
Rebater a haste da chave para fora e para
ou na chave do veículo elétrica.
dentro
Pressionar o botão de pressão 3 . A haste da NOTA
chave destrava e rebate para fora.
Toda chave do veículo contém componentes ele-
Para rebater para dentro, pressionar ao mesmo trônicos. Proteger as chaves contra avarias, umi-
tempo o botão de pressão 3 e a haste da chave dade e vibrações intensas.
de volta até que a haste se encaixe.
Pressionar os botões da chave do veículo
Botões da chave do veículo somente quando a respectiva função for re-
O veículo pode ser destravado e travado à distân- almente necessária. Um acionamento desneces-
cia com a chave do veículo → Página 31. sário do botão pode ocasionar um destravamento 

30 Antes da condução
sem supervisão ou o disparo do alarme do veícu- Substituir a bateria botão (denominação
lo. Isto também é válido quando se pensar que se usual: bateria)
encontra fora da área de ação. – Rebater a haste da chave para fora.
O funcionamento da chave do veículo pode – Remover a cobertura no lado posterior da cha-
ser temporariamente afetado pela sobrepo- ve do veículo com um objeto adequado, por
sição de transmissores que se encontram nas exemplo, uma moeda, → Fig. 16 1 no sentido
proximidades do veículo e trabalham na mesma da seta → .
banda de frequência, por exemplo, um equipa- – Levantar a bateria botão do alojamento da ba-
mento de rádio ou telefone móvel. teria com uma ferramenta adequada 2 .
Obstáculos entre a chave do veículo e o veí- – Inserir a nova bateria botão no alojamento da
culo, condições climáticas ruins assim como bateria no sentido contrário ao da seta 2
bateria botão enfraquecendo progressivamente → .
reduzem o alcance da transmissão. – Pressionar a cobertura na carcaça da chave do
veículo no sentido contrário ao da seta, até
Se os botões da chave do veículo → Fig. 14 que ela se trave 1 .
ou um dos botões do travamento central
→ Página 31 forem acionados repetidas vezes
NOTA
em curto intervalo de tempo, ocorrerá um desli-
gamento temporário do travamento central para ● Uma troca de bateria realizada de forma inade-
proteção contra sobrecarga. Nesse caso, o veícu- quada pode danificar a chave do veículo.
lo fica destravado. Travar o veículo se necessário.  ● Baterias inadequadas podem danificar a chave
do veículo. Substituir baterias descarregadas
somente por baterias novas com a mesma ten-
são, mesmo tamanho e especificação.
Substituir a bateria botão
● Na instalação da bateria, observar a polaridade
correta.
 Observe e no início desse capítulo na
página 29. Descartar as baterias descarregadas de for-
ma ambientalmente correta. 

Travamento central e sistema


de travamento

 Introdução ao tema

Fig. 16 Chave do veículo: substituir a bateria botão. O travamento central somente funciona quando
todas as portas estiverem totalmente fechadas.
Legenda para Fig. 16: Com a porta do condutor aberta, o veículo não
1 Cobertura. pode ser travado com a chave do veículo.
2 Bateria botão. Um veículo destravado e parado por um longo
período pode ocasionar o descarregamento da
A Volkswagen recomenda mandar substituir a bateria do veículo, impossibilitando a partida do
bateria em uma Concessionária Volkswagen ou motor.
em uma empresa especializada.
ATENÇÃO
Uma utilização incorreta do travamento central
pode causar ferimentos graves. 

Abrir e fechar 31
● O travamento central trava todas as portas. ● Em um veículo fechado, de acordo com a es-
Um veículo travado por dentro pode impedir tação do ano, podem ocorrer temperaturas
uma abertura das portas sem supervisão e a muito altas ou muito baixas que podem oca-
entrada de pessoas não autorizadas. Entre- sionar ferimentos graves e enfermidades,
tanto, em caso de emergência ou acidente, principalmente em crianças pequenas, ou
portas travadas dificultam o acesso de socor- ocasionar a morte.
ristas ao interior do veículo para atender as ● Nunca deixar pessoas retidas dentro de um
pessoas. veículo travado. Em caso de emergência, elas
● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne- poderiam não ter condições de deixar o veí-
cessidades especiais sozinhas no veículo. culo sozinhas ou de cuidarem de si mesmas. 
Com o botão do travamento central, todas as
portas podem ser travadas por dentro. Isto
poderá fazer com que elas sejam trancadas
dentro do veículo. Pessoas trancadas podem
ficar expostas a temperaturas muito altas ou
muito baixas.

Luz de controle
 Observe no início desse capítulo na pági- Dependendo do veículo, ele pode dispor de siste-
na 31. ma de alarme antifurto e travamento SAFE
→ Página 34.
Na porta do condutor encontra-se a luz de con-
trole do travamento central → Página 8.

Após o travamento do veículo Significado


Sem sistema de alar- Com sistema de alarme antifur-
me antifurto to e travamento SAFE
A lanterna de LED vermelha pisca por cerca O veículo está trava- O veículo está travado e o tra-
de 2 segundos em intervalos curtos, em se- do. vamento SAFE está ativado.
guida, mais lentamente.
A lanterna de LED vermelha pisca por apro- – O veículo está travado e o tra-
ximadamente 2 segundos e se apaga. Após vamento SAFE está desativado.
aproximadamente 30 segundos a lanterna
pisca novamente.
O LED vermelho pisca por aproximadamente Avaria do sistema de Avaria do sistema de travamen-
2 segundos em intervalos curtos. Em segui- travamento. Procurar to. Procurar uma Concessio-
da o LED vermelho se acende por aproxima- uma Concessionária nária Volkswagen ou uma em-
damente 30 segundos. Volkswagen ou uma presa especializada.
empresa especializa-
da.

NOTA
A inobservância das luzes de controle acesas po-
de levar a danos no veículo. 

32 Antes da condução
Destravar ou travar o veículo por Travar o veículo
fora – Pressionar o botão  → Fig. 17. Manter pres-
sionado para fechamento de conforto.
 Observe no início desse capítulo na pági- – Ao travar o veículo, todos os indicadores de di-
na 31. reção piscam uma vez para confirmação.
– OU: Inserir a chave do veículo → Fig. 18 no ci-
lindro da fechadura da porta do condutor e gi-
rar no sentido horário. Mantê-la na posição gi-
rada para fechamento de conforto.
Se as lanternas dos indicadores de direção não
piscarem para confirmar o travamento do veícu-
lo:
– Pelo menos uma das portas ou a tampa trasei-
ra não está fechada.
– OU: no fechamento de conforto, nem todos os
vidros das portas estão fechados.
Com a porta do condutor aberta, não é possível
travar o veículo com a chave do veículo. Quando
Fig. 17 Botões na chave do veículo e botão para re- o veículo é destravado e nenhuma porta for aber-
bater a haste da chave para fora. ta, o veículo se trava novamente após alguns se-
gundos automaticamente. Esta função impede
um destravamento sem supervisão do veículo por
um longo período.
As portas podem ser destravadas ou travadas
manualmente no caso de falha da chave do veí-
culo ou do travamento central → Página 276.

Abertura independente da porta


Fig. 18 Chave do veículo para abertura manual. Quando tiver sido programada uma abertura in-
dependente da porta numa Concessionária Volks-
A chave do veículo somente destrava e trava o wagen, uma pressão única no botão  ou um gi-
veículo quando a bateria botão tiver potência su- ro da chave mecânica do veículo destravará so-
ficiente e se a chave do veículo se encontrar a mente a porta do condutor.
poucos metros ao redor do veículo.
Somente ao pressionar 2 vezes vez o botão  ou
Destravar o veículo ao girar 2 vezes a chave do veículo mecânica to-
– Pressionar o botão  → Fig. 17. Manter pres- das as portas do veículo serão destravadas.
sionado para abertura de conforto.
– Ao destravar o veículo, todos os indicadores de Abertura ou fechamento de conforto
direção piscam 2 vezes para confirmação. Ver Vidros elétricos – Funções → Página 47.
– OU: Inserir a chave do veículo → Fig. 18 no ci- Travamento automático (Auto Lock)
lindro da fechadura da porta do condutor e gi-
rar no sentido anti-horário. Mantê-la na posi- Dependendo do veículo, o veículo pode travar-se
ção girada para abertura de conforto. Nos veí- automaticamente a partir de uma velocidade de
culos sem travamento central, somente a por- aproximadamente 15 km/h (10 mph). Se o veícu-
ta do condutor é destravada. lo estiver travado, a luz de controle  no botão
do travamento central → Fig. 19, irá se acender
em amarelo. 

Abrir e fechar 33
Destravamento automático (Auto Unlock) – A luz de controle  no botão se acende
Se for o caso, o veículo destrava automaticamen- → Fig. 19.
te todas as portas. Para isso, uma das condições – Em veículos com travamento SAFE: o trava-
a seguir precisam ser atendidas: mento SAFE não é ativado → Página 34.
– O veículo está parado e a chave do veículo foi – O sistema de alarme antifurto não é ativado.
retirada. – Não é possível abrir as portas e a portinhola do
– Nos veículos com transmissão automática: a reservatório de combustível por fora.
alavanca seletora está na posição P e a ignição– Portas podem ser destravadas e abertas por
foi desligada. dentro, puxando-se a maçaneta da porta. A luz
– Os airbags foram acionados num acidente de controle  se apaga em todas as portas.
→ Página 276. Se for o caso, pode ser necessário puxar a ma-
çaneta da porta diversas vezes. As portas que
Com o destravamento automático, é possibilita- não foram abertas e a portinhola do tanque
do o acesso dos socorristas ao veículo.  permanecem travadas e não podem ser aber-
tas por fora.
– Uma porta do condutor aberta não é travada
Destravar ou travar o veículo por conjuntamente. Isto impede que o condutor se
dentro tranque para fora.
Se for o caso, o veículo destrava todas as portas e
 Observe no início desse capítulo na pági- a portinhola do reservatório de combustível au-
na 31. tomaticamente → Página 21, se:
– o botão  for pressionado B .
– o veículo parar e a chave do veículo for remo-
vida.
– se uma porta do veículo for aberta.

Veículos sem botão do travamento central


Cada porta do veículo é travada e destravada por
um botão de segurança perto do vidro da porta
da respectiva porta.
– Travar a porta empurrando o botão de segu-
Fig. 19 Na porta do condutor: botão do travamento rança para baixo.
central. – Destravar a porta por dentro, puxando a maça-
neta da porta. Abrir puxando novamente a ma-
Legenda para Fig. 19: çaneta da porta. 
A  : Travar o veículo por dentro.
B  : Destravar o veículo por dentro.
Travamento SAFE
Com os botões do destravamento central
O botão do travamento central funciona tanto  Observe no início desse capítulo na pági-
com a ignição ligada quanto desligada. Todas as na 31.
portas devem estar fechadas.
Dependendo do veículo, ele pode dispor de tra-
Se o veículo tiver sido travado com a chave do
vamento SAFE e sistema de alarme antifurto
veículo, o botão do travamento central ficará de-
→ Página 35.
sativado.
O travamento SAFE desativa a função da maça-
Se o veículo tiver sido travado com o botão do
neta da porta com o veículo travado para dificul-
travamento central, será válido:
tar tentativas de arrombamento do veículo. As
portas não podem mais ser abertas por dentro
→ . 

34 Antes da condução
Travar veículo com travamento SAFE ● Nunca deixar pessoas retidas no veículo
– Pressionar uma vez o botão  da chave do quando este for travado com a chave do veí-
veículo → Página 33. culo. Com o travamento SAFE ativado, as
– Introduzir a chave do veículo mecânica no ci- portas não podem mais ser abertas por den-
lindro da fechadura da porta do condutor e gi- tro!
rar uma vez em sentido horário → Página 33. ● Portas travadas dificultam a entrada de so-
corristas ao interior do veículo para socorrer
Travar veículo sem travamento SAFE
as pessoas em casos de emergência. Em caso
– Pressionar brevemente 2 vezes seguidas o bo- de emergência, pessoas trancadas não con-
tão  da chave do veículo → Página 33. seguiriam destravar as portas para sair do
– Uma vez: Pressionar o botão do travamento veículo. 
central  da porta do condutor → Página 34.
– Girar 2 vezes a chave do veículo mecânica no
cilindro da fechadura da porta do condutor no
sentido horário → Página 33.
Sistema de alarme antifurto
Dependendo da versão, ao desligar a ignição, po-  Observe no início desse capítulo na pági-
de aparecer uma indicação no display do instru- na 31.
mento combinado sobre o travamento SAFE ati-
vado (Travamento SAFE ou SAFELOCK). Dependendo da versão, o veículo pode dispor de
sistema de alarme antifurto e travamento SAFE
Desativar o travamento SAFE → Página 34.
O travamento SAFE pode ser desativado por uma O sistema de alarme antifurto é ativado automa-
das possibilidades a seguir: ticamente ao travar o veículo com a chave do
– Pressionar 2 vezes o botão  da chave do veí- veículo.
culo.
Quando o alarme é disparado?
– Antes de destravar o veículo, pressionar uma
vez o botão  para desligar o monitoramento O sistema de alarme antifurto emite sinais de ad-
do interior do veículo e o alarme antirreboca- vertência sonoros e sinais de advertência visuais
gem → Página 36. por até 5 minutos, se forem executadas as se-
guintes ações não autorizadas no veículo trava-
– Ligar a ignição. do:
Se o travamento SAFE estiver desativado, – Abertura de uma porta destravada manual-
será válido o seguinte: mente com a chave do veículo e sem ligar a ig-
– O veículo pode ser destravado e aberto por nição.
dentro com a maçaneta da porta. – Abertura de uma porta.
– O sistema de alarme antifurto está ativo. – Abertura da tampa do compartimento do mo-
– O monitoramento do interior do veículo e o tor.
alarme antirrebocagem estão desativados. – Ligação da ignição com uma chave do veículo
Pressionando o botão  novamente, o monito- inválida.
ramento do interior e o alarme antirrebocagem – Desconexão da bateria do veículo.
são reativados. – Movimento no veículo, em veículos com moni-
toramento do interior do veículo
ATENÇÃO → Página 36.
Uma utilização desatenta ou sem supervisão do – Reboque do veículo, em veículos com alarme
travamento SAFE pode causar ferimentos gra- antirrebocagem → Página 36.
ves. – Levantamento do veículo, em veículos com
alarme antirrebocagem → Página 36. 

Abrir e fechar 35
– Transporte do veículo em uma balsa ou trem, Monitoramento do interior do
em veículos com alarme antirrebocagem ou
monitoramento do interior do veículo veículo e alarme antirrebocagem
→ Página 36.
 Observe no início desse capítulo na pági-
– Desacoplamento de um reboque incluído no na 31.
sistema de alarme antifurto → Página 115.

Desligar o alarme
– Destravar o veículo com o botão de destrava-
mento da chave do veículo.
– OU ligar a ignição com uma chave do veículo
válida. (pode ocorrer um breve aviso de alar-
me)
O alarme será disparado novamente se após
o disparo do alarme ocorrer uma nova inva-
são na mesma ou em outra área protegida. Por
exemplo, se após a abertura de uma porta, a Fig. 20 Ao lado do banco do condutor: botão para
tampa traseira também for aberta. desligar o monitoramento do interior do veículo e o
alarme antirrebocagem.
O sistema de alarme antifurto  não é ati-
vado com o travamento por dentro com o O monitoramento do interior do veículo disparará
botão do travamento central. o alarme com o veículo travado se reconhecer
Se a porta do condutor for destravada me- movimentos no interior do veículo.
canicamente com a chave do veículo, ape- O alarme antirrebocagem disparará o alarme se
nas a porta do condutor será destravada, e não o reconhecer uma suspensão do veículo.
veículo inteiro. Somente ao ligar a ignição, todas
as portas serão liberadas – mas não destravadas Ligar o monitoramento do interior do veículo
– e o botão do travamento central será ativado. e o alarme antirrebocagem
Se for o caso, fechar os porta-objetos no console
Com a bateria do veículo fraca ou descarre-
do teto → Página 125, pois, do contrário, a fun-
gada, o sistema de alarme antifurto não
ção de monitoramento do interior do veículo não
funciona de maneira correta. 
estará completamente assegurada.
Travar o veículo com a chave do veículo. Com o
sistema de alarme antifurto ligado, também são
ativados o monitoramento do interior do veículo
e o alarme antirrebocagem.

Desligar o monitoramento do interior do


veículo e o alarme antirrebocagem
– Tirar a chave do veículo do cilindro da ignição e
abrir uma porta do veículo.
– Pressionar o botão  → Fig. 20. No botão,
uma luz de controle amarela fica acesa até que
o veículo seja travado.
– Fechar todas as portas.
– Travar o veículo com a chave do veículo.
O monitoramento do interior do veículo e o alar-
me antirrebocagem são desligados até o próximo
travamento do veículo. 

36 Antes da condução
Por exemplo, antes de travar o veículo, desligar o após o fechamento das portas estarão ativados
monitoramento do interior do veículo e o alarme também o monitoramento do interior do veículo
antirrebocagem nas seguintes situações: e o alarme antirrebocagem.
– Se forem mantidos animais ou pessoas no in- Se o monitoramento do interior do veículo e
terior do veículo por um breve período. o alarme antirrebocagem forem desligados,
– Se o veículo precisar ser carregado. o travamento SAFE também será desativado
– Se o veículo for transportado, por exemplo, em
→ Página 34. 
uma balsa.
– Se o veículo precisar ser rebocado com o eixo
suspenso.
– Se o veículo for estacionado em uma garagem
Portas
de dois andares.
– Se o veículo se encontrar num sistema de lava-  Introdução ao tema
gem de veículos automático.
Se o monitoramento do interior do veículo e o
As portas podem ser travadas manualmente ou
alarme antirrebocagem tiverem sido desativados
destravadas parcialmente, por exemplo, em caso
com o botão  → Fig. 20, o monitoramento do
de uma falha da chave do veículo ou do trava-
interior do veículo e o alarme antirrebocagem
mento central.
poderão ser ativados novamente pressionando o
botão  . A luz de controle se apaga.
ATENÇÃO
Riscos de falha do alarme Uma porta fechada incorretamente pode se
Um funcionamento perfeito do monitoramento abrir subitamente durante a condução e causar
do interior do veículo é garantido somente com o ferimentos graves.
veículo totalmente fechado. Observar as deter- ● Parar imediatamente e fechar a porta.
minações legais. Uma falha do alarme pode ocor- ● Ao fechar a porta, atentar para que ela se en-
rer nos seguintes casos: caixe de forma segura e completa. A porta
– Se um ou mais vidros estiverem abertos, total fechada deve estar alinhada com as peças
ou parcialmente. adjacentes da carroceria.
– Quando objetos que se movem facilmente co- ● Abrir ou fechar as portas somente quando
mo, por exemplo, folhas de papel soltas ou en- não houver ninguém em seu raio de abertu-
feites de espelho (odorizadores) estiverem no ra.
veículo.
– Através do alarme de vibração de um telefone ATENÇÃO
móvel que se encontra no veículo. Uma porta mantida aberta pelo dispositivo de
– Se o veículo for transportado, por exemplo, em retenção da porta pode se fechar em condições
uma balsa. de vento forte e em aclives, causando ferimen-
tos.
– Se o veículo tiver de ser estacionado em uma
garagem de duplo andar. ● Segurar as portas sempre pela maçaneta ao
abrir e fechar. 
– Se o veículo for parado em um sistema de la-
vagem de veículos automático.
Se, ao ativar o sistema de alarme antifurto,
ainda houver portas abertas, apenas o siste-
ma de alarme antifurto será ativado. Somente

Abrir e fechar 37
Luz de advertência
 Observe no início desse capítulo na página 37.

Acesa Causa possível / recurso


 Não prosseguir!
 No mínimo uma porta do veículo está aberta ou fechada de maneira incorreta.
Abrir a respectiva porta do veículo e fechá-la novamente.

Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e presentação também é visível com a ignição des-
de controle se acendem rapidamente para verifi- ligada → Página 16. A indicação desaparece den-
cação da função. Elas se apagam após alguns se- tro de instantes após o veículo ter sido travado
gundos. com as portas fechadas. 
Uma representação simbólica  no display do
instrumento combinado indica uma porta do veí-
culo aberta ou não corretamente fechada. A re-

Trava de segurança para crianças


 Observe no início desse capítulo na pági-
na 37.

Fig. 22 Na porta traseira direita: trava de segurança


para crianças A desativada, B ativada.

Posição da ranhura Fig. 21 ou Fig. 22:


A Trava de segurança para crianças desativada.
Fig. 21 Na porta traseira esquerda: trava de segu- B Trava de segurança para crianças ativada.
rança para crianças A desativada, B ativada.
A trava de segurança para crianças (em veículos
com cabine dupla) impede a abertura das portas
traseiras por dentro, para que crianças, por
exemplo, não abram uma porta inadvertidamente
durante a condução.
Com a trava de segurança para crianças ativada, a
porta somente pode ser aberta pelo lado de fora. 

38 Antes da condução
Ativar ou desativar a trava de segurança para Abrir e fechar a tampa do
crianças
compartimento de carga
– Destravar o veículo e abrir a respectiva porta
traseira.  Observe no início desse capítulo na pági-
– Com a haste da chave rebatida para fora, colo- na 39.
car a ranhura na posição desejada.

ATENÇÃO
Com a trava de segurança para crianças ativada,
a respectiva porta não pode ser aberta por den-
tro.
● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne-
cessidades especiais sozinhas no veículo
quando as portas forem travadas. Isto poderá
fazer com que estas pessoas fiquem tranca-
das dentro do veículo. Em caso de emergên-
cia, elas não estariam em condições de dei- Fig. 23 Abrir a tampa do compartimento de carga
xar o veículo sozinhas ou de ajudarem a si por fora.
mesmas. Pessoas trancadas podem ficar ex-
postas a temperaturas muito altas ou muito Abrir e fechar a tampa do compartimento de
baixas. carga
● Em um veículo fechado, de acordo com a es- – Acionar a alça → Fig. 23 e virar a tampa do
tação do ano, podem ocorrer temperaturas compartimento de carga para baixo.
muito altas ou muito baixas que podem oca- – Virar a tampa do compartimento de carga para
sionar ferimentos graves e enfermidades, cima, até que ela se encaixe com segurança na
principalmente em crianças pequenas, ou fechadura.
ocasionar a morte. 
Travar a tampa do compartimento de carga
A tampa do compartimento de carga pode, se for
o caso, ser travada com a chave do veículo.
Tampa do compartimento de A tampa do compartimento de carga travável não
carga está integrada no travamento central e no siste-
ma de alarme antifurto. Ela não será destravada e
travada se o veículo for destravado ou travado
 Introdução ao tema pelo travamento central.
– Introduzir a chave do veículo no cilindro da fe-
chadura.
ATENÇÃO – Posicionar a ranhura da chave na posição hori-
Um destravamento, abertura ou fechamento zontal.
incorreto da tampa do compartimento de carga – A tampa do compartimento de carga está tra-
pode causar acidentes e ferimentos graves. vada.
● Abrir ou fechar os vidros elétricos somente
quando não houver ninguém em sua área de NOTA
funcionamento. A tampa do compartimento de carga pode ser
● Após o fechamento da tampa do comparti- carregada com no máximo 200 kg quando estiver
mento de carga, verificar se ela está fechada totalmente aberta. Se o carregamento máximo
e travada de maneira correta, para que não for excedido, os cabos de sustentação podem
possa se abrir durante a condução.  romper ou a tampa do compartimento de carga
pode ser danificada. 

Abrir e fechar 39
NOTA – Puxar o cabo de sustentação para cima, no
sentido da seta, até o batente e desprender.
Em veículos com cobertura do compartimento de
– Rebater a tampa do compartimento de carga
carga, para evitar danos ao veículo, observar:
lentamente até o batente.
sempre abrir primeiro a cobertura do comparti-
mento de carga e depois a tampa do comparti- Prender os cabos de sustentação
mento de carga. No fechamento, sempre fechar
primeiro a tampa do compartimento de carga e – Conduzir a tampa do compartimento de carga
depois a cobertura do compartimento de carga. para cima até que os cabos de sustentação
possam ser presos.
Não deixar objetos valiosos sobre a tampa – Manter a tampa do compartimento de carga
do compartimento de carga aberta se o veí- nesta posição.
culo não estiver sendo vigiado.  – Prender o cabo de sustentação.
– Puxar o cabo de sustentação ao contrário da
direção da seta → Fig. 24 até o batente. O cabo
Rebater a tampa do de sustentação está completamente preso
compartimento de carga em 180° quando a lingueta de segurança “engata” na
sua posição inicial.
 Observe no início desse capítulo na pági- – Fechar a tampa do compartimento de carga. 
na 39.

Cobertura do compartimento
de carga de plástico

 Introdução ao tema
Na abertura, sempre abrir primeiro a cobertura
do compartimento de carga, depois a tampa do
compartimento de carga. No fechamento, sem-
pre fechar primeiro a tampa do compartimento
de carga e depois a cobertura do compartimento
de carga.
Fig. 24 Desprender os cabos de sustentação da
tampa do compartimento de carga. ATENÇÃO
Dependendo da versão, a tampa do comparti- Um destravamento, abertura ou fechamento
mento de carga pode ser rebatida para baixo em incorreto e sem supervisão da cobertura do
180°. Para isso, é necessário desprender 2 cabos compartimento de carga pode causar acidentes
de sustentação. A Volkswagen recomenda que os e ferimentos graves.
cabos de sustentação sejam desencaixados e en- ● Sempre fechar e travar a cobertura do com-
caixados com ajuda de uma segunda pessoa. partimento de carga antes do início da con-
dução.
Desprender os cabos de sustentação
● Abrir ou fechar a cobertura do compartimen-
– Abrir a tampa do compartimento de carga. to de carga somente quando não houver nin-
– Segurar a tampa do compartimento de carga guém em seu raio de abertura.
de modo que os cabos de sustentação não es- ● Fechar e travar a cobertura do compartimen-
tejam completamente tensionados. to de carga quando o veículo não for utiliza-
– Pressionar a lingueta de segurança do. Assegurar assim que ninguém se encon-
→ Fig. 24 1 para baixo. tre no compartimento de carga. 

40 Antes da condução
● Para travar as fechaduras da cobertura do ga. No fechamento, sempre fechar primeiro a
compartimento de carga, os cantos devem tampa do compartimento de carga e depois a co-
ser pressionados, já que devido ao aperto e à bertura do compartimento de carga.
falta de ventilação forçada, a cobertura do
compartimento de carga não pode ser “fe- ATENÇÃO
chada” com força. Um destravamento, abertura ou fechamento
● Nunca transportar pessoas no compartimen- incorreto e sem supervisão da cobertura do
to de carga e jamais deixar crianças brinca- compartimento de carga pode causar acidentes
rem sem a devida atenção no ou dentro do e ferimentos graves.
veículo, sobretudo se a cobertura do com- ● Atentar para o posicionamento correto das
partimento de carga e/ou a tampa do com- garras de segurança.
partimento de carga estiver aberta. Crianças ● Sempre fechar e travar a cobertura do com-
podem chegar ao compartimento de carga, partimento de carga antes do início da con-
fechar a tampa do compartimento de carga e dução.
a cobertura do compartimento de carga e fi-
carem presas. Em um veículo fechado, de ● Para travar as fechaduras da cobertura do
acordo com a estação do ano, podem ocorrer compartimento de carga, os cantos devem
temperaturas muito altas ou muito baixas ser pressionados, já que devido ao aperto e à
que podem ocasionar ferimentos graves e falta de ventilação forçada, a cobertura do
enfermidades, principalmente em crianças compartimento de carga não pode ser “fe-
pequenas, ou ocasionar a morte. chada” com força.
● Não transportar substâncias inflamáveis, ex- ● Abrir ou fechar a cobertura do compartimen-
plosivas ou em recipientes abertos sob a co- to de carga somente quando não houver nin-
bertura. guém em seu raio de abertura.
● Fechar e travar a cobertura do compartimen-
NOTA to de carga quando o veículo não for utiliza-
do. Nesse momento, assegurar que ninguém
A cobertura do compartimento de carga não po-
se encontre no compartimento de carga.
de ser desinstalada e instalada sem conhecimen-
tos técnicos e ferramentas especiais. ● Nunca transportar pessoas no compartimen-
to de carga e jamais deixar crianças brinca-
● A desinstalação e instalação incorretas da co-
rem sem a devida atenção no ou dentro do
bertura do compartimento de carga podem
veículo, sobretudo se a cobertura do com-
danificar peças do veículo.
partimento de carga e/ou a tampa do com-
partimento de carga estiver aberta. Crianças
NOTA podem chegar ao compartimento de carga,
Durante a condução, uma cobertura fechada in- fechar a tampa do compartimento de carga e
corretamente pode se abrir e ser danificada ou a cobertura do compartimento de carga e fi-
danificar o veículo.  carem presas. Em um veículo fechado, de
acordo com a estação do ano, podem ocorrer
temperaturas muito altas ou muito baixas
que podem ocasionar ferimentos graves e
enfermidades, principalmente em crianças
Cobertura do compartimento pequenas, ou ocasionar a morte.
de carga de alumínio ● Não transportar substâncias inflamáveis, ex-
plosivas ou em recipientes abertos sob a co-
bertura. 
 Introdução ao tema

Com a cobertura do compartimento de carga, o


compartimento se carga se torna um comparti-
mento de guarda fechado. Na abertura, sempre
abrir primeiro a cobertura do compartimento de
carga, depois a tampa do compartimento de car-

Abrir e fechar 41
Cobertura do compartimento de
carga, alumínio - remover ou
instalar
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 41.

Fig. 26 Cobertura do compartimento de carga :


remover a cobertura do compartimento de carga pa-
ra trás e : posicionar a cobertura do compartimen-
to de carga sobre os eixos dos suportes.

Remover a cobertura do compartimento de


carga de alumínio
– Abrir a tampa do compartimento de carga
Fig. 25 Cobertura do compartimento de carga, alu- → Fig. 25.
mínio: : remover o amortecedor a gás e : cober- – Remover o clipe de fixação do pino de admis-
tura do compartimento de carga vertical. são no amortecedor a gás nos dois lados do
veículo 1 .
– Puxar os dois amortecedores a gás na parte in-
ferior do pino de admissão 2 . Com a ajuda
de uma segunda pessoa, manter a cobertura
do compartimento de carga na posição.
– Posicionar a cobertura do compartimento de
carga verticalmente com ajuda de uma segun-
da pessoa → Fig. 25 .
– Posicionar a cobertura do compartimento de
carga cuidadosamente para trás com ajuda de
uma segunda pessoa → Fig. 26 .
– Remover a cobertura do compartimento de
carga cuidadosamente com ajuda de uma se-
gunda pessoa. 

42 Antes da condução
Instalar a cobertura do compartimento de ● Fechar e travar a capota marítima do com-
carga de alumínio partimento de carga, se o veículo não for uti-
– Posicionar a cobertura do compartimento de lizado. Assegurar assim que ninguém se en-
carga verticalmente com ajuda de uma segun- contre no compartimento de carga.
da pessoa. ● Nunca transportar pessoas no compartimen-
– Posicionar a cobertura do compartimento de to de carga e jamais deixar crianças brinca-
carga completamente sobre os eixos dos su- rem sem a devida atenção no ou dentro do
portes → Fig. 26  (lupa). Corrigir o posiciona- veículo, sobretudo se a capota marítima do
mento, se necessário. compartimento de carga e/ou a tampa do
– Posicionar os amortecedores a gás sobre os pi- compartimento de carga estiver aberta. Cri-
nos de admissão nos dois lados do veículo. anças podem chegar ao compartimento de
Com a ajuda de uma segunda pessoa, manter a carga, fechar a tampa do compartimento de
cobertura do compartimento de carga na posi- carga e a capota marítima do compartimento
ção. de carga e assim ficarem presas. Em um veí-
culo fechado, de acordo com a estação do
– Colocar o clipe de fixação sobre o pino de ad-
ano, podem ocorrer temperaturas muito al-
missão para fixar o amortecedor a gás.
tas ou muito baixas que podem ocasionar fe-
– Fechar a tampa do compartimento de carga. rimentos graves e enfermidades, principal-
mente em crianças pequenas, ou ocasionar a
NOTA morte.
● Antes de abaixar a cobertura do compartimen-
to de carga, verificar se ela foi totalmente em- NOTA
purrada sobre os eixos dos suportes de fixação. A capota marítima do compartimento de carga
Corrigir o posicionamento, se necessário. não pode ser removida e instalada sem conheci-
● A desinstalação e instalação incorretas da co- mentos técnicos especializados e ferramenta es-
bertura do compartimento de carga podem pecial.
danificar peças do veículo. ● A desinstalação e instalação incorretas da ca-
● Durante a condução, uma cobertura fechada pota marítima do compartimento de carga po-
incorretamente pode se abrir e ser danificada dem danificar peças do veículo.
ou danificar o veículo. 
A capota marítima do compartimento de
carga deve ser limpa a intervalos regulares.
Para chegar aos locais a serem limpos, é necessá-
rio ferramenta especial. A limpeza somente pode
Capota marítima do ser executada em uma Concessionária Volkswa-
compartimento de carga gen ou em uma empresa especializada.
Se o veículo for utilizado em condições de
muita sujeira, a capota marítima do com-
 Introdução ao tema partimento de carga deve ser limpa e receber
manutenção em intervalos mais curtos. O traba-
lho somente pode ser executado em uma Con-
Com a capota marítima do compartimento de
cessionária Volkswagen ou em uma empresa es-
carga, o compartimento se carga se torna um
pecializada.
compartimento de guarda fechado.
A capota marítima do compartimento de
ATENÇÃO carga protege o compartimento de carga
Um destravamento, abertura ou fechamento contra sujeira e chuva. Uma pequena penetração
incorreto e sem supervisão da capota marítima de água não pode ser excluída. 
do compartimento de carga pode causar aci-
dentes e ferimentos graves.
● Somente abrir ou fechar a capota marítima
do compartimento de carga, caso ninguém
se encontre na área de fechamento.

Abrir e fechar 43
Travar ou destravar ou abrir ou
fechar a capota marítima do
compartimento de carga
 Observe e no início desse capítulo na
página 43.

Fig. 28 Capota marítima do compartimento de car-


ga:  ativar o mecanismo de destravamento e :
desativar.

Legenda para Fig. 27:


1 Cobertura.
2 Manípulo na cobertura.
Fig. 27 Capota marítima do compartimento de car- 3 Seletor rotativo para destravar e travar a co-
ga: : vista geral e : cabo. bertura.
4 Lingueta de travamento.
5 Cinta de tração.

Capota marítima do compartimento de carga


- destravar ou travar
– Abrir a tampa do compartimento de carga
→ Página 39.
– A capota marítima do compartimento de carga
é destravada e travada por meio do seletor ro-
tativo 3  abaixo do manípulo 2 .
– Destravar a capota marítima do compartimen-
to de carga: girar o botão rotativo ao longo do
sentido de direção.
– Travar a capota marítima do compartimento
de carga: girar o botão rotativo transversal ao
sentido de direção. 

44 Antes da condução
Capota marítima do compartimento de carga Capota rígida do
- abrir e fechar
A cobertura da capota marítima do comparti- compartimento de carga
mento de carga pode ser aberta totalmente ou
levada para uma posição intermediária.
 Introdução ao tema
– Abrir completamente: Posicionar o manípulo
2  para cima, até o batente. A cobertura so-
be automaticamente. A cinta de tração 5  Com a capota rígida do compartimento de carga,
permanece no centro. o compartimento se carga se torna um comparti-
– Posição intermediária: Puxar o manípulo 2  mento de guarda fechado. A tampa traseira da
para cima até o batente e puxar a cinta de tra- capota rígida do compartimento de carga pode
ção 5  durante o processo de abertura no ser trancada → .
sentido da seta para a esquerda → Fig. 28 . A
Instalar e remover a capota rígida do
cobertura engata na posição intermediária.
compartimento de carga
OU: deslocar a alça 2  levemente para cima.
A cobertura engata na posição intermediária. A Volkswagen recomenda que a instalação e a re-
moção da capota rígida do compartimento de
– Abrir a partir da posição intermediária: Puxar
carga sejam executadas por uma empresa espe-
a cinta de tração para a direita → Fig. 28 . A
cializada. Para instalar e remover a capota rígida
cobertura sobe automaticamente.
do compartimento de carga, é necessário remo-
– Abrir brevemente e fechar novamente: Se a ver e instalar algumas peças do veículo. Os para-
capota marítima do compartimento de carga fusos de fixação devem ser apertados com um
precisar ser aberta apenas brevemente e fe- torquímetro, e os componentes eletrônicos da
chada de novo em seguida, a lingueta de tra- capota rígida do compartimento de carga devem
vamento → Fig. 27 4  deve ser pressionada ser conectados ao equipamento elétrico do veí-
para a esquerda ao fechar. A capota marítima culo. Isto requer conhecimentos técnicos espe-
do compartimento de carga engata, se for fe- cializados e ferramentas. Para isso, a Volkswagen
chada totalmente. recomenda uma Concessionária Volkswagen.
– Fechar totalmente: Fechar a cobertura total-
mente, puxando na cinta de tração 5 . ATENÇÃO
– Fechar totalmente a partir da posição inter- Um destravamento, abertura ou fechamento
mediária: Fechar a cobertura, puxando na cin- incorreto e sem supervisão da tampa traseira
ta de tração 5 . A cobertura engata na posi- pode causar acidentes e ferimentos graves.
ção intermediária. ● Abrir ou fechar a tampa traseira somente se
não houver ninguém em seu raio de abertu-
NOTA ra.
Se a capota marítima do compartimento de carga ● Nunca feche a tampa traseira com a mão no
somente puder ser travada, destravada, aberta vidro traseiro. O vidro traseiro pode quebrar
ou fechada se for aplicada uma força elevada, is- e provocar lesões.
so pode ocasionar danos ou defeitos. Procurar
● Nunca utilizar os amortecedores a gás para
uma Concessionária Volkswagen ou uma empre-
fixar o volume de bagagem ou para fins de
sa especializada.  contenção. Isto pode causar danos e fazer
com que não seja possível fechar a tampa
traseira.
● Após o fechamento da tampa traseira, verifi-
car se ela está fechada e travada de maneira
correta, para que não possa se abrir durante
a condução. A tampa traseira fechada deve
estar alinhada com as peças adjacentes da
carroceria. 

Abrir e fechar 45
● Manter a tampa traseira sempre fechada du- Destravar e travar a tampa traseira
rante a condução, para que gases tóxicos não
possam penetrar no interior do veículo.  Observe e no início desse capítulo na
● Fechar e travar a tampa traseira e todas as página 45.
portas quando o veículo não for utilizado.
Garantir que ninguém permaneça dentro do
veículo.
● Nunca transportar pessoas no compartimen-
to de carga.

ATENÇÃO
Se o veículo não estiver sendo usado ou se esti-
ver desassistido, travar sempre a tampa traseira Fig. 29 Chave da tampa traseira da capota rígida do
para reduzir o risco de ferimentos graves ou fa- compartimento de carga.
tais.
● Nunca permitir a permanência de pessoas
sobre o compartimento de carga. No caso de
tampa traseira fechada e vidros corrediços
fechados, a insuficiência de oxigênio pode
causar ferimentos graves e doenças ou a
morte.
● Nunca deixar crianças desassistidas dentro
ou próximas ao veículo, sobretudo quando a
tampa traseira estiver aberta. Crianças po-
dem chegar ao compartimento de carga, fe-
char a tampa traseira e ficarem presas. Em
um veículo fechado, de acordo com a esta-
ção do ano, podem ocorrer temperaturas
muito altas ou muito baixas que podem oca- Fig. 30 Abrir a capota rígida do compartimento de
sionar ferimentos graves e enfermidades, carga.
principalmente em crianças pequenas, ou
ocasionar a morte. Destravar e abrir a tampa traseira
A tampa traseira é destravada com a chave for-
NOTA necida → Fig. 29.
A capota rígida do compartimento de carga não – Introduzir a chave no cilindro da fechadura do
pode ser desinstalada e instalada sem conheci- manípulo → Fig. 30 1 .
mentos técnicos e ferramentas especiais. – Girar a chave na direção da seta até que a fen-
● A desinstalação e instalação incorretas da ca- da da chave esteja em posição vertical.
pota rígida do compartimento de carga podem – Girar a manopla 1 no sentido horário até o
danificar peças do veículo. batente e rebater a tampa traseira para cima.
As uniões redutoras da capota rígida do – Abrir a tampa do compartimento de carga
compartimento de carga devem ser contro- → Página 39.
ladas periodicamente por uma Concessionária A tampa traseira está destravada e aberta.
Volkswagen ou por uma empresa especializada;
se necessário, solicitar que sejam reapertadas Fechar e travar a tampa traseira
com o torque prescrito. Primeiramente deve ser fechada sempre a tampa
A capota rígida do compartimento de carga do compartimento de carga → . 
protege o compartimento de carga contra
sujeira e chuva. Uma pequena penetração de
água não pode ser excluída. 

46 Antes da condução
– Fechar a tampa do compartimento de carga pelos botões das portas por um breve perío-
→ Página 39 do, enquanto a porta do condutor ou do pas-
– Rebater a tampa traseira para baixo até que sageiro dianteiro não for aberta.
engate com firmeza na fechadura. ● Ao transportar crianças no banco traseiro,
– Introduzir a chave no cilindro da fechadura do desativar sempre os vidros elétricos traseiros
manípulo 1 . com o botão de segurança, para que eles não
– Girar a chave na direção contrária à seta, até possam ser abertos ou fechados.
que a fenda da chave esteja na horizontal.
NOTA
A tampa traseira está fechada e travada.
Se os vidros estiverem abertos e chover, a chuva
pode encharcar o acabamento interno do veículo
NOTA
e ocasionar danos ao veículo. 
Fechar sempre primeiro a tampa do comparti-
mento de carga e depois a tampa traseira. Caso
contrário, o veículo pode ser danificado.
Abrir e fechar os vidros
Em temperaturas externas inferiores a 0 °C
(+32 °F), as molas do amortecedor a gás  Observe e no início desse capítulo na
nem sempre levantam automaticamente a tampa página 47.
traseira parcialmente aberta. Neste caso, condu-
zir a tampa traseira para cima manualmente. 

Vidros

 Introdução ao tema

Vidros mecânicos
Fig. 31 Na porta do condutor: botões dos vidros elé-
Girar a manivela do vidro na porta do condutor
tricos dianteiros e traseiros.
ou do passageiro dianteiro para abrir ou fechar o
respectivo vidro. Botões da porta do condutor
ATENÇÃO Legenda para Fig. 31:
Uma utilização desatenta ou sem supervisão 1 Botões para os vidros dianteiros.
dos vidros elétricos pode causar ferimentos 2 Botões para os vidros traseiros (em veículos
graves. com cabine dupla).
● Abrir ou fechar os vidros elétricos somente 3 Botão de segurança para os vidros traseiros
se não houver ninguém na área de funciona- (em veículos com cabine dupla).
mento.
● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne- Abrir ou fechar os vidros
cessidades especiais sozinhas no veículo – Abrir: pressionar o botão  .
quando este for travado. Os vidros não po-
– Fechar: puxar o botão  .
dem mais ser abertos em caso de emergên-
cia. – Parar o curso automático: pressionar ou puxar
novamente o botão do respectivo vidro.
● Levar sempre todas as chaves do veículo ao
deixar o veículo. Após desligar a ignição, os – O botão de segurança  3 desativa os bo-
vidros ainda podem ser abertos ou fechados tões dos vidros elétricos das portas traseiras.
Com isso, a luz de controle amarela do botão
se acende. 

Abrir e fechar 47
Após desligar a ignição, os vidros ainda podem – Manter pressionado o botão de destravamento
ser abertos ou fechados pelos botões das portas ou de travamento da chave do veículo.
por um breve período, enquanto a porta do con- – OU: manter a chave do veículo no cilindro da
dutor ou do passageiro dianteiro não for aberta. fechadura da porta do condutor na posição
No caso de chave da ignição removida e porta do abrir ou fechar até que todos os vidros estejam
condutor aberta, todos os vidros de acionamento abertos ou fechados.
elétrico podem ser abertos ou fechados, acionan-
– Para interromper a função, soltar o botão de
do-se e segurando-se o respectivo botão do vi-
destravamento ou de travamento.
dro na porta do condutor. Após alguns segundos,
é iniciada a abertura ou fechamento de conforto – OU: Para interromper a função, girar a chave
→ Página 48. do veículo na direção contrária.

Função automática de fechamento e abertura ATENÇÃO


A função automática de fechamento e abertura Uma utilização desatenta ou sem supervisão
permite uma abertura e fechamento completos dos vidros elétricos pode causar ferimentos
dos vidros. Com isso, não é necessário segurar o graves.
botão correspondente do vidro elétrico. ● Abrir ou fechar os vidros elétricos somente
Função de fechamento automático: puxar o bo- se não houver ninguém na área de funciona-
tão do respectivo vidro para cima até o segundo mento.
estágio. ● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne-
Função de abertura automática: pressionar o bo- cessidades especiais sozinhas no veículo
tão do respectivo vidro brevemente para baixo quando este for travado. Os vidros não po-
até o segundo estágio. dem mais ser abertos em caso de emergên-
cia.
Parar o curso automático: pressionar ou puxar
novamente o botão do respectivo vidro. ● Levar sempre todas as chaves do veículo ao
deixar o veículo. Após desligar a ignição, os
Restabelecer a função automática de vidros ainda podem ser abertos ou fechados
fechamento e abertura pelos botões das portas por um breve perío-
do, enquanto a porta do condutor ou do pas-
Se a bateria do veículo tiver sido desconectada
sageiro dianteiro não for aberta.
ou descarregada, a função automática de fecha-
mento e abertura estará desativada e deverá ser ● Ao transportar crianças no banco traseiro,
restabelecida: desativar sempre os vidros elétricos traseiros
com o botão de segurança, para que eles não
– Ligar a ignição. possam ser abertos ou fechados.
– Fechar todos os vidros e todas as portas.
No caso de uma falha de funcionamento
– Puxar o botão do respectivo vidro para cima e
dos vidros elétricos, a função automática de
manter nesta posição por alguns segundos.
fechamento e abertura, bem como o limitador de
– Soltar o botão e puxar novamente para cima e força, não funcionam corretamente. Procurar
segurar. A função automática de fechamento e uma Concessionária Volkswagen ou uma empre-
abertura está novamente pronta para uso. sa especializada. 
Os vidros elétricos automáticos podem ser resta-
belecidos individualmente ou para vários vidros
simultaneamente.
Limitador de força dos vidros
Abertura e fechamento de conforto elétricos
Com a ignição desligada, os vidros podem ser
abertos e fechados por fora com a chave do veí-  Observe e no início desse capítulo na
página 47.
culo:
O limitador de força dos vidros elétricos pode re-
duzir o perigo de ferimentos por esmagamento
durante o fechamento dos vidros. 

48 Antes da condução
Se a função de fechamento automático (processo O limitador de força também funciona no
de fechamento) de um vidro for afetada por difi- fechamento de conforto dos vidros com a
culdade de movimentação ou por um obstáculo, chave do veículo → Página 48. 
o vidro será aberto imediatamente → .
– Verificar por que o vidro não se fechou.
– Tentar fechar o vidro novamente. Vidros de correr da capota rígida do
– Se dentro de alguns segundos desde a primeira compartimento de carga - abrir e
parada e abertura do vidro, a função de fecha- fechar
mento automático do vidro for impedida nova-
mente por dificuldade de movimentação ou  Observe e no início desse capítulo na
por um obstáculo, a função de fechamento au- página 47.
tomático ficará inoperante por alguns instan-
tes.
– Se o vidro continuar não sendo fechado por di-
ficuldade de movimentação ou por um obstá-
culo, o vidro parará no local correspondente.
Ao acionar novamente o botão dentro de al-
guns segundos, o vidro se fecha sem limitador
de força → .

Fechar o vidro sem limitador de força


– Tentar fechar o vidro novamente dentro de al-
guns segundos segurando o botão. Com isso, o
limitador de força está desativado para uma
área de funcionamento reduzida do curso de
fechamento!
Fig. 32 No painel lateral da capota rígida do com-
– Se o processo de fechamento levar mais do partimento de carga: alça do vidro.
que alguns segundos, o limitador de força está
ativo novamente. O vidro para em caso de difi-
culdade de movimentação ou por um obstácu-
lo e abre novamente de modo automático.
– Se continuar não sendo possível fechar o vidro,
procurar uma Concessionária Volkswagen ou
uma empresa especializada. Para isso, a Volks-
wagen recomenda uma Concessionária Volks-
wagen.

ATENÇÃO
O fechamento dos vidros elétricos sem limita-
dor de força pode causar ferimentos graves.
● Fechar sempre os vidros elétricos com aten-
ção.
● Ninguém deve permanecer na área de fun-
cionamento dos vidros elétricos, principal-
mente se o fechamento for realizado sem li-
mitador de força.
● O limitador de força não evita que os dedos e
outras partes do corpo sejam pressionados
contra o quadro do vidro e, assim, sofram fe- Fig. 33 No painel divisório da capota rígida do com-
partimento de carga: travamento do vidro corrediço. 
rimentos.

Abrir e fechar 49
Abrir ou fechar o vidro corrediço na parede
lateral da capota rígida do compartimento de
Sentar de forma correta e
carga segura
– Comprimir a alça do vidro → Fig. 32 no sentido
da seta. Ajustar a posição do banco
– Manter a maçaneta do vidro comprimida.
– Abrir ou fechar o vidro corrediço.  Introdução ao tema
Abrir o vidro corrediço no painel divisório da Válido apenas para o Brasil
capota rígida do compartimento de carga
– Mover o travamento → Fig. 33  levemente Número de assentos
para cima, no sentido da seta 1 .
O veículo tem um total de 2 ou 5 assentos.
– Empurrar o travamento na direção da seta 2
até o batente. Veículos com 2 assentos (em veículos com cabine
simples): o veículo tem 2 assentos na frente.
– Rebater para fora o travamento na direção da
seta 3 . Veículos com 5 assentos (em veículos com cabine
dupla): o veículo tem 2 assentos na frente e 3 as-
– Abrir o vidro de correr → Fig. 33  no sentido
sentos atrás.
da seta.

Fechar o vidro corrediço no painel divisório da ATENÇÃO


capota rígida do compartimento de carga Uma posição do banco incorreta no veículo po-
– Fechar o vidro de correr → Fig. 33  no senti- de aumentar o risco de ferimentos graves ou
do contrário à seta. fatais em manobras de direção e de frenagem
súbitas, em uma colisão ou acidente e no acio-
– Rebater para baixo o travamento → Fig. 33 
namento do airbag.
no sentido contrário à seta 3 .
● Antes do início da condução, todos os ocu-
– Empurrar o travamento no sentido contrário à
pantes devem adotar uma posição correta
seta 2 até o batente.
nos bancos e conservá-la durante a condu-
– Rebater de volta o travamento no sentido con- ção. Isto também é válido para o uso do cinto
trário à seta 1 . de segurança.
● Nunca transportar mais pessoas do que a
ATENÇÃO
quantidade de assentos com cinto de segu-
O fechamento do vidro corrediço pode causar rança disponíveis no veículo.
ferimentos graves.
● Proteger crianças no veículo sempre com um
● Feche o vidro corrediço sempre com cuidado. sistema de retenção aprovado e adequado
● Não deve haver pessoas na área de funciona- conforme a sua estatura e o seu peso
mento dos vidros corrediços quando estes → Página 80 e → Página 73.
forem fechados.  ● Manter os pés sempre na área para os pés
durante a condução. Nunca colocar os pés
sobre o banco ou sobre o painel de instru-
mentos e nunca mantê-los para fora do veí-
culo. Do contrário, o airbag e o cinto de se-
gurança podem não oferecer a proteção ne-
cessária, aumentando o risco de ferimentos
se houver um acidente. 

50 Antes da condução
ATENÇÃO ● Ajustar a altura, a inclinação e a direção lon-
gitudinal dos bancos dianteiros somente
Antes de qualquer condução, ajustar sempre
quando não houver ninguém na área de ajus-
corretamente o banco, o cinto de segurança e
te dos bancos.
os apoios para cabeça, certificando-se de que
todos os passageiros estejam com os cintos ● A área de ajuste dos bancos dianteiros não
colocados corretamente. deve ser restringida por objetos.
● Empurrar o banco do passageiro dianteiro
para trás o quanto possível. ATENÇÃO
● Ajustar o banco do condutor de forma que Isqueiros no veículo podem ser danificados ou
haja no mínimo 25 cm de espaço entre o tó- podem se acender despercebidamente. Isto po-
rax e o centro do volante. Se este pré-requi- de causar queimaduras graves e danos ao veí-
sito não puder ser atendido em razão de par- culo.
ticularidades físicas, entrar em contato obri- ● Antes de ajustar os bancos, sempre garantir
gatoriamente com uma Concessionária que não haja um isqueiro na área da parte
Volkswagen para, se for o caso, efetuar ins- móvel do banco.
talações especiais. ● Antes de fechar porta-objetos ou gavetas,
● Nunca conduzir com o encosto do banco sempre garantir que não haja um isqueiro na
muito inclinado para trás. Quanto mais o en- área de fechamento.
costo do banco estiver inclinado para trás, ● Nunca guardar isqueiros em porta-objetos,
maior será o risco de ferimentos causados em gavetas ou em outras superfícies do veí-
por uma disposição incorreta do cadarço do culo. Devido às altas temperaturas de super-
cinto de segurança e por uma postura incor- fície, principalmente no verão, os isqueiros
reta. podem se acender.
● Nunca conduzir com o encosto do banco in-
clinado para frente. Um airbag frontal acio- ATENÇÃO
nado pode lançar o encosto do banco para Uma rótula de engate não fixada pode ser lan-
trás e ferir os passageiros dos bancos trasei- çada em uma manobra repentina de direção ou
ros. frenagem bem como em um acidente no interi-
● Adotar e manter a maior distância possível or do veículo e causar lesões.
do volante e do painel de instrumentos. ● Sempre guardar a rótula de engate em lugar
● Sentar sempre em posição ereta com as cos- seguro atrás do encosto do banco traseiro e
tas contra o encosto do banco nos bancos di- engatar com segurança o encosto do banco
anteiros corretamente ajustados. Não posi- traseiro em uma posição vertical durante o
cionar nenhuma parte do corpo diretamente percurso. 
ou muito próxima do local de instalação do
airbag.
● Para os passageiros nos bancos traseiros, o
risco de ferimentos graves será aumentado Perigo de uma posição incorreta do
se eles não estiverem sentados de forma banco
ereta, pois os cintos de segurança não esta-
rão posicionados corretamente.  Observe no início desse capítulo na pági-
na 50.
ATENÇÃO
Se os cintos de segurança não forem usados ou
Um ajuste incorreto dos bancos pode causar
forem colocados de forma incorreta, o risco de
acidentes e ferimentos graves.
ferimentos graves ou fatais será aumentado. Os
● Ajustar os bancos somente com o veículo pa- cintos de segurança somente podem proporcio-
rado, pois, do contrário, os bancos podem se nar seu efeito protetor ideal se a posição do ca-
deslocar inesperadamente durante a condu- darço do cinto estiver correta. Uma posição do
ção, podendo provocar a perda de controle banco incorreta no banco prejudica consideravel-
do veículo. Além disso, será adotada uma mente a proteção oferecida pelos cintos de segu-
postura incorreta durante o ajuste. rança. As consequências podem ser ferimentos 

Sentar de forma correta e segura 51


graves ou até fatais. O risco de ferimentos graves cialmente se os airbags forem acionados e
ou fatais aumenta principalmente quando um atingirem um ocupante que adotou uma
airbag acionado atinge o ocupante que adotou postura incorreta no banco. 
uma postura incorreta no banco. O condutor é
responsável por todos os ocupantes e, principal-
mente, pelas crianças transportadas no veículo.
A listagem a seguir contém exemplos de quais
Posição correta do banco
posturas no banco podem ser perigosas para to-
dos os ocupantes.
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 50.
Sempre que o veículo estiver em movimento:
– Nunca ficar de pé no veículo.
– Nunca ficar de pé sobre os bancos.
– Nunca se ajoelhar sobre os bancos.
– Nunca inclinar o encosto do banco muito para
trás.
– Nunca se apoiar no painel de instrumentos.
– Nunca deitar no banco traseiro.
– Nunca sentar somente na borda dianteira do
banco.
Fig. 34 Posição do banco correta e posição do ca-
– Nunca sentar voltado para o lado. darço do cinto de segurança correta.
– Nunca se inclinar para fora do veículo.
– Nunca manter os pés para fora do veículo. A seguir estão indicadas as posições corretas do
banco para o condutor e para os passageiros.
– Nunca colocar os pés sobre o painel de instru-
mentos. Pessoas que, em razão de suas particularidades
físicas, não conseguem se adequar à posição cor-
– Nunca colocar os pés sobre o estofamento do
reta do devem informar-se em uma empresa es-
banco ou sobre o encosto do banco.
pecializada sobre possíveis instalações especiais.
– Nunca viajar na área para os pés. Somente com a posição correta do banco, ob-
– Nunca sentar no descansa-braço central. tém-se a proteção ideal do cinto de segurança e
– Nunca viajar no assento sem o cinto de segu- dos airbags. Para isso, a Volkswagen recomenda
rança. uma Concessionária Volkswagen.
– Nunca permanecer sobre o compartimento de Para a própria segurança e para reduzir ferimen-
carga. tos em caso de uma manobra de frenagem súbita
ou acidente, a Volkswagen recomenda as seguin-
ATENÇÃO tes posições do banco:
Toda posição incorreta do banco no veículo au-
Válido para todos os ocupantes do veículo:
menta o risco de ferimentos graves ou fatais
em caso de acidentes ou manobras de direção e – Ajustar o apoio para cabeça de modo que a
de frenagem súbitas. borda superior do apoio para cabeça se encon-
tre preferencialmente na mesma linha da parte
● Todos os ocupantes devem adotar sempre superior da cabeça – porém não abaixo da al-
uma posição correta no banco e estar com o tura dos olhos. Posicionar a parte posterior da
cinto de segurança colocado corretamente cabeça o mais perto possível do apoio para ca-
durante a condução. beça → Fig. 34.
● Pela postura incorreta, falta de uso do cinto – Para pessoas de baixa estatura: empurrar o
de segurança ou uma distância muito peque- apoio para cabeça totalmente para baixo, mes-
na em relação ao airbag, os ocupantes se ex- mo se a cabeça permanecer abaixo da borda
põem a perigos de ferimentos fatais, espe- superior do apoio para cabeça.
– Para pessoas altas: empurrar o apoio para ca-
beça para cima até o batente. 

52 Antes da condução
– Manter ambos os pés na área para os pés du- Ajustar mecanicamente o banco
rante a condução.
dianteiro
– Regular e colocar os cintos de segurança cor-
retamente → Página 62.  Observe no início desse capítulo na pági-
na 50.
Para o condutor vale adicionalmente:
– Colocar o encosto do banco em uma posição
ereta, de modo que as costas se apoiem total-
mente nele.
– Ajustar o volante de modo que a distância A
entre ele e o tórax tenha no mínimo 25 cm e
que o condutor possa segurar o volante pela
borda externa com as duas mãos e os braços
ligeiramente flexionados.
– O volante ajustado deve apontar sempre na di-
reção do tórax e não na direção do rosto.
– Ajustar o banco do condutor na direção longi-
tudinal de modo que os pedais possam ser
acionados com as pernas ligeiramente arquea-
das e a distância para o painel de instrumentos Fig. 35 Comandos do banco dianteiro esquerdo.
na área do joelho seja de, no mínimo, 10 cm
B. Os comandos estão dispostos em posição inverti-
– Ajustar a altura do banco do condutor de for- da no banco dianteiro direito.
ma que o ponto superior do volante possa ser A seguir estão descritos todos os comandos pos-
alcançado. síveis. De acordo com a versão do banco a quan-
– Deixar sempre os dois pés na área para os pés tidade dos comandos pode variar.
para manter sempre o controle do veículo.
Regular posição do assento
Para o passageiro dianteiro vale
adicionalmente: Legenda para → Fig. 35:
– Colocar o encosto do banco em uma posição 1 Puxar a alavanca para empurrar o banco di-
ereta, de modo que as costas se apoiem total- anteiro para frente ou para trás. O banco di-
mente nele. anteiro deve travar após se soltar a alavanca!
– Deslocar o banco do passageiro dianteiro para 2 Rebater para frente: puxar a alavanca para
trás tanto quanto possível para que o airbag rebater o encosto do banco para frente.1)
alcance sua proteção total em caso de aciona- Rebater de volta: rebater o encosto do banco
mento.  de volta. O encosto do banco deve ser trava-
do na posição vertical.1)
3 Girar o manípulo para ajustar o encosto do
banco (dependendo da versão).
4 Aliviar a pressão no encosto do banco e girar
o manípulo, para ajustar o encosto do banco.
5 Mover a alavanca várias vezes, se necessário,
para cima ou para baixo, para ajustar a altura
do banco. 

1) Somente na cabine dupla.

Sentar de forma correta e segura 53


Ajustar eletricamente o banco Ajustar o apoio lombar
dianteiro Pressionar o interruptor na respectiva área
→ Fig. 37:
 Observe no início desse capítulo na pági- Ajustar a curvatura do apoio lom-
1 ou 2
na 50. bar.
3 ou 4 Ajustar a altura do apoio lombar.

ATENÇÃO
Uma utilização desatenta ou sem supervisão
dos bancos dianteiros elétricos pode causar fe-
rimentos graves.
● O ajuste elétrico dos bancos dianteiros tam-
bém funciona com ignição desligada. Nunca
deixar crianças ou pessoas com necessidades
especiais no veículo.
● Em caso de emergência, interromper o ajuste
Fig. 36 Interruptor no banco dianteiro esquerdo:
elétrico, pressionando um outro interruptor.
ajustar o banco dianteiro esquerdo na longitudinal, o
assento do banco em altura e inclinação, bem como
o encosto do banco dianteiro. NOTA
Para não danificar os componentes elétricos dos
bancos dianteiros, não se ajoelhar sobre os as-
sentos ou sobrecarregar o assento e o encosto
dos bancos com objetos pontiagudos.

Com a carga da bateria do veículo muito


baixa, é provável que o banco não possa ser
ajustado eletricamente.
Ao ligar o motor, um possível ajuste do as-
sento do banco é interrompido. 

Fig. 37 Interruptor no banco dianteiro esquerdo:


ajustar o apoio lombar.

Os comandos estão dispostos em posição inverti-


da no banco dianteiro direito.
Os comandos mecânicos e elétricos no banco po-
dem estar combinados.

Regular posição do assento


Pressionar o interruptor no sentido da seta
→ Fig. 36:
Deslocar o banco para frente ou para
A
trás.
Ajustar a inclinação do assento do ban-
1 B
co.
Ajustar o banco para cima ou para bai-
C
xo.
Ajustar a inclinação do encosto do ban-
2 D
co.

54 Antes da condução
Ajustar e remover o apoio para Ajuste correto do apoio para cabeça
Ajustar o apoio para cabeça de modo que a sua
cabeça dianteiro (variante 1)
borda superior se encontre preferencialmente na
 Observe no início desse capítulo na pági- mesma linha da parte superior da cabeça, porém
na 50. não abaixo da altura dos olhos. Posicionar sem-
pre a parte posterior da cabeça o mais perto pos-
sível do apoio para cabeça.

Ajuste do apoio para cabeça para pessoas


baixas
Empurrar o apoio para cabeça para baixo até o
batente, mesmo se a cabeça se encontrar abaixo
da borda superior do apoio para cabeça. Nas po-
sições mais baixas, pode haver uma pequena la-
cuna entre o apoio para cabeça e o encosto do
banco.

Ajuste do apoio para cabeça para pessoas


altas
Empurrar o apoio para cabeça para cima até o
Fig. 38 Apoio para cabeça dianteiro: ajustar batente.

Desinstalar o apoio para cabeça


– Empurrar o apoio para cabeça totalmente para
cima → .
– Para desbloquear, empurrar objetos chatos,
por exemplo, cartões de plástico, entre o re-
vestimento do encosto do banco e as capas de
cobertura das barras guia do apoio para cabeça
→ Fig. 39 1 , enquanto uma segunda pessoa
puxa totalmente para baixo apoio para cabeça.

Instalar o apoio para cabeça


– Encaixar o apoio para cabeça nas guias do res-
pectivo encosto do assento.
Fig. 39 Apoio para cabeça dianteiro: remover – Empurrar o apoio para cabeça para baixo com
o botão → Fig. 38 1 pressionado.
Os assentos dianteiros são equipados com apoio
– Ajustar os apoios para cabeça conforme a pos-
para cabeça. Os apoios para cabeça dos bancos
tura correta no banco.
dianteiros foram desenvolvidos somente para os
bancos dianteiros. Por esse motivo, não instalar
ATENÇÃO
os apoios para cabeça em outras posições.
A condução com os apoios para cabeça removi-
Ajustar a altura dos ou ajustados incorretamente aumenta o
– Empurrar o apoio para a cabeça para cima na risco de ferimentos graves ou fatais em caso de
direção da seta ou para baixo com o botão acidentes ou manobras de direção e de frena-
→ Fig. 38 1 pressionado → . gem súbitas.
– O apoio para cabeça deve travar-se com segu- ● Conduzir sempre com os apoios para cabeça
rança em uma posição. corretamente instalados e ajustados se hou-
ver uma pessoa no assento. 

Sentar de forma correta e segura 55


● Cada ocupante deve ajustar o apoio para ca- sento central do banco traseiro. Por esse motivo,
beça corretamente conforme sua estatura, não instalar os apoios para cabeça em outras po-
para reduzir o risco de ferimentos no pesco- sições.
ço em caso de acidente. Ao mesmo tempo, a
borda superior do apoio para cabeça deve se Ajustar a altura
encontrar preferencialmente na mesma linha – Empurrar o apoio para a cabeça para cima na
da parte superior da cabeça – porém não direção da seta ou para baixo com o botão
abaixo da altura dos olhos. Posicionar a parte → Fig. 40 1 pressionado → .
posterior da cabeça o mais perto possível do – O apoio para cabeça deve travar-se com segu-
apoio para cabeça. rança em uma posição.
● Nunca ajustar ou instalar e desinstalar o
apoio para cabeça durante a condução. Ajuste correto do apoio para cabeça
Ajustar o apoio para cabeça de modo que a sua
NOTA borda superior se encontre preferencialmente na
mesma linha da parte superior da cabeça, porém
Na remoção e instalação dos apoios para cabeça,
não abaixo da altura dos olhos. Posicionar a parte
atentar para que eles não batam no revestimento
posterior da cabeça o mais perto possível do
do teto, no encosto do banco dianteiro ou em
apoio para cabeça.
outras peças do veículo. Caso contrário, pode re-
sultar em danos.  Ajuste do apoio para cabeça para pessoas
baixas
Empurrar o apoio para cabeça para baixo até o
Ajustar e remover o apoio para batente, mesmo se a cabeça se encontrar abaixo
da borda superior do apoio para cabeça. Nas po-
cabeça dianteiro (variante 2) sições mais baixas, pode haver uma pequena la-
cuna entre o apoio para cabeça e o encosto do
 Observe no início desse capítulo na pági-
banco.
na 50.
Ajuste do apoio para cabeça para pessoas
altas
Empurrar o apoio para cabeça para cima até o
batente.

Desinstalar o apoio para cabeça


– Empurrar o apoio para cabeça totalmente para
cima → .
– Retirar o apoio para cabeça com o botão 1
pressionado.

Fig. 40 Ajustar o apoio para cabeça. Instalar o apoio para cabeça


– Encaixar o apoio para cabeça nas guias do res-
Os bancos dianteiros e os assentos externos do pectivo encosto do assento.
banco traseiro estão providos de apoios para ca-
– Empurrar o apoio para cabeça para baixo com
beça. Conforme a versão do veículo, o assento
o botão 1 pressionado.
central do banco traseiro pode estar provido de
um apoio para cabeça. Os apoios para cabeça dos – Ajustar os apoios para cabeça conforme a pos-
bancos dianteiros foram desenvolvidos somente tura correta no banco.
para os bancos dianteiros. Os apoios para cabeça
nos assentos laterais dos bancos traseiros foram ATENÇÃO
desenvolvidos somente para os assentos laterais A condução com os apoios para cabeça removi-
dos bancos traseiros. O apoio para cabeça trasei- dos ou ajustados incorretamente aumenta o
ro central foi desenvolvido somente para o as- risco de ferimentos graves ou fatais em caso de
acidentes e manobras de direção e de frena-
gem súbitas. 

56 Antes da condução
● Conduzir sempre com os apoios para cabeça
corretamente instalados e ajustados se hou-
ver uma pessoa no assento.
● Cada ocupante deve ajustar o apoio para ca-
beça corretamente conforme sua estatura,
para reduzir o risco de ferimentos no pesco-
ço em caso de acidente. Ao mesmo tempo, a
borda superior do apoio para cabeça deve se
encontrar preferencialmente na mesma linha
da parte superior da cabeça – porém não
abaixo da altura dos olhos. Posicionar a parte
posterior da cabeça o mais perto possível do
apoio para cabeça.
● Nunca ajustar ou instalar e desinstalar o Fig. 42 Assento traseiro central: ajustar o apoio para
apoio para cabeça durante a condução. cabeça.

NOTA Ajustar a altura


– Empurrar o apoio para cabeça para cima no
Na remoção e instalação dos apoios para cabeça,
sentido da seta ou, com o botão → Fig. 41 1
atentar para que eles não batam no revestimento
ou → Fig. 42 1 pressionado, empurrar para
do teto, no encosto do banco dianteiro ou em
baixo → .
outras peças do veículo. Caso contrário, pode re-
sultar em danos.  – O apoio para cabeça deve travar-se com segu-
rança em uma posição.

Ajuste correto do apoio para cabeça


Ajustar os apoios para cabeça Ajustar o apoio para cabeça de modo que a borda
traseiros superior do apoio para cabeça se encontre prefe-
rencialmente na mesma linha da parte superior
 Observe no início desse capítulo na pági- da cabeça – porém não abaixo da altura dos
na 50. olhos. Posicionar a parte posterior da cabeça o
mais perto possível do apoio para cabeça.

Ajuste do apoio para cabeça para pessoas


baixas
Empurrar o apoio para cabeça para baixo até o
batente, mesmo se a cabeça se encontrar abaixo
da borda superior do apoio para cabeça. Nas po-
sições mais baixas, pode haver uma pequena la-
cuna entre o apoio para cabeça e o encosto do
banco.

Ajuste do apoio para cabeça para pessoas


Fig. 41 Assentos traseiros laterais: ajustar o apoio altas
para cabeça. Empurrar o apoio para cabeça para cima até o
batente.

ATENÇÃO
A condução com os apoios para cabeça removi-
dos ou ajustados incorretamente aumenta o
risco de ferimentos graves ou fatais em caso de
acidentes e manobras de direção e de frena-
gem súbitas. 

Sentar de forma correta e segura 57


● Conduzir sempre com os apoios para cabeça
corretamente instalados e ajustados se hou-
ver uma pessoa no assento.
● Cada ocupante deve ajustar o apoio para ca-
beça corretamente conforme sua estatura,
para reduzir o risco de ferimentos no pesco-
ço em caso de acidente. Ao mesmo tempo, a
borda superior do apoio para cabeça deve se
encontrar preferencialmente na mesma linha
da parte superior da cabeça – porém não
abaixo da altura dos olhos. Posicionar a parte
posterior da cabeça o mais perto possível do
apoio para cabeça.
● Nunca ajustar ou instalar e desinstalar o Fig. 44 Assento traseiro central: remover o apoio
apoio para cabeça durante a condução. para cabeça.

NOTA Os assentos do banco traseiro estão equipados


com apoios para cabeça. Os apoios para cabeça
Na remoção e instalação dos apoios para cabeça, do banco traseiro foram desenvolvidos somente
atentar para que eles não batam no revestimento para o banco traseiro. Por esse motivo, não insta-
do teto, no encosto do banco dianteiro ou em lar os apoios para cabeça em outras posições.
outras peças do veículo. Caso contrário, pode re-
sultar em danos.  Remover apoio para cabeça
– Empurrar o apoio para cabeça totalmente para
cima → .
Remover apoios para cabeça – Retirar o apoio para cabeça com o botão
→ Fig. 43 1 pressionado.
traseiros
Instalar o apoio para cabeça lateral
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 50. – Encaixar o apoio para cabeça nas guias do res-
pectivo encosto do assento.
– Empurrar o apoio para cabeça para baixo com
o botão 1 pressionado.
– Ajustar os apoios para cabeça conforme a pos-
tura correta no banco.

Remover apoio para cabeça central


– Empurrar o apoio para cabeça totalmente para
cima → .
– Pressionar o botão → Fig. 44 1 na guia do
apoio para cabeça.
Fig. 43 Assentos traseiros laterais: remover o apoio – Ao mesmo tempo, pressionar o botão 2 , en-
para cabeça. quanto uma segunda pessoa retira totalmente
o apoio para cabeça.

Instalar o apoio para cabeça central.


– Encaixar o apoio para cabeça nas guias do res-
pectivo encosto do assento.
– Empurrar o apoio para cabeça totalmente para
cima → . 

58 Antes da condução
– Empurrar o apoio para cabeça para baixo com Ajustar a posição do volante
o botão 2 pressionado.
– Ajustar os apoios para cabeça conforme a pos-  Observe no início desse capítulo na pági-
tura correta no banco. na 50.

ATENÇÃO
A condução com os apoios para cabeça removi-
dos ou ajustados incorretamente aumenta o
risco de ferimentos graves ou fatais em caso de
acidentes e manobras de direção e de frena-
gem súbitas.
● Conduzir sempre com os apoios para cabeça
corretamente instalados e ajustados se hou-
ver uma pessoa no assento.
● Cada ocupante deve ajustar o apoio para ca-
beça corretamente conforme sua estatura,
para reduzir o risco de ferimentos no pesco-
ço em caso de acidente. Ao mesmo tempo, a
borda superior do apoio para cabeça deve se Fig. 45 Ajustar a posição do volante mecanicamen-
encontrar preferencialmente na mesma linha te.
da parte superior da cabeça – porém não
abaixo da altura dos olhos. Posicionar a parte Ajustar o volante antes da condução e somente
posterior da cabeça o mais perto possível do com o veículo parado.
apoio para cabeça. – Virar a alavanca → Fig. 45 1 para baixo.
● Nunca ajustar ou instalar e desinstalar o – Ajustar o volante de forma que possa ser segu-
apoio para cabeça durante a condução. rado lateralmente com ambas as mãos e bra-
ços ligeiramente arqueados na borda externa
NOTA (posição das 9h e 3h).
Na remoção e instalação dos apoios para cabeça, – Pressionar a alavanca com firmeza para cima
atentar para que eles não batam no revestimento até que ela esteja alinhada com a coluna de di-
do teto, no encosto do banco dianteiro ou em reção → .
outras peças do veículo. Caso contrário, pode re-
sultar em danos.  ATENÇÃO
O uso incorreto da posição do volante e um
ajuste incorreto do volante podem causar feri-
mentos graves ou fatais.
● Virar a alavanca sempre com firmeza para ci-
ma 1 após o ajuste, para que o volante não
mude de posição involuntariamente durante
a condução.
● Nunca ajustar o volante durante a condução.
Se, durante a condução, for constatado que é
necessário um ajuste, parar de forma segura
e ajustar o volante corretamente.
● O volante ajustado deve apontar sempre na
direção do tórax e não na direção do rosto,
para não restringir a proteção do airbag fron-
tal do condutor em caso de um acidente. 

Sentar de forma correta e segura 59


● Segurar o volante sempre com ambas as Rebater o banco traseiro para
mãos lateralmente na borda externa (posição
frente e de volta
das 9h e 3h) durante a condução, para redu-
zir ferimentos causados por um acionamento
 Observe no início desse capítulo na pági-
do airbag frontal do condutor.
na 60.
● Nunca segurar o volante na posição das 12h
ou de outra maneira, por exemplo, no centro
do volante. No acionamento do airbag fron-
tal do condutor, isto pode ter como conse-
quência ferimentos graves nos braços, nas
mãos e na cabeça. 

Funções do banco

 Introdução ao tema
Fig. 46 Banco traseiro: alça para destravar o encosto
ATENÇÃO do banco.
A utilização inadequada das funções do banco
pode causar ferimentos graves. Atrás do encosto do banco podem estar as ferra-
mentas de bordo e o macaco.
● Antes do início da condução, adotar uma
postura correta no banco e não modificá-la Rebater o encosto do banco para frente
durante a condução. Isto também é válido – Empurrar o apoio para cabeça totalmente para
para todos os passageiros. baixo → Página 50.
● Manter mãos, dedos ou outras partes do cor- – Puxar as alças → Fig. 46 em ambos os lados do
po longe das áreas de funcionamento e de encosto do banco na direção da seta e, ao
ajuste dos bancos.  mesmo tempo, rebater o encosto para frente.
– O encosto está destravado quando uma marca
vermelha nas alças ficar visível.
– Se o encosto do banco traseiro estiver rebatido
para frente, pessoas ou crianças não poderão
ser transportadas nesses assentos.
Para facilitar o destravamento, podem ser utiliza-
dos os cabos do assento → Fig. 48. Para isso, pu-
xar o laço → Fig. 46 e, a seguir, prender o cabo no
laço. Ao destravar o segundo laço, cuidar para
que o banco traseiro não rebata para frente.

Rebater o encosto do banco de volta


– Atentar para que o cinto de segurança não es-
teja preso.
– Rebater encosto do banco traseiro para trás e
pressionar com firmeza no travamento até que
encaixe de forma audível → . 

60 Antes da condução
– A marca vermelha nas alças não pode mais ser Rebater a superfície do banco
visível.
traseiro para cima ou para baixo
– O encosto do banco traseiro deve estar trava-
do de maneira segura.  Observe no início desse capítulo na pági-
na 60.
ATENÇÃO
Rebater os encostos do banco traseiro para
frente ou de volta de maneira descontrolada ou
descuidada pode causar ferimentos graves.
● Somente rebater o encosto do banco traseiro
para frente e para trás com o veículo parado.
● Não prensar ou danificar o cinto de seguran-
ça ao rebater o encosto do banco traseiro de
volta.
● Manter as mãos, os dedos e os pés ou demais
partes do corpo sempre distantes da área de
funcionamento ao rebater o encosto do ban-
co traseiro para frente e de volta.
● Todos os encostos do banco traseiro devem
estar encaixados de maneira segura na posi- Fig. 47 Banco traseiro: cabo da superfície de banco.
ção vertical para garantir a proteção dos cin-
tos de segurança nos assentos do banco tra-
seiro. Se um assento estiver ocupado e o res-
pectivo encosto do banco não estiver encai-
xado com segurança, o ocupante, juntamen-
te com o encosto do banco, será jogado para
frente no caso de manobras de direção e de
frenagem súbitas, bem como em acidentes.
● Uma marcação vermelha na alça sinaliza um
encosto do banco traseiro não engatado. Ve-
rificar sempre se a marca vermelha não está
visível quando o encosto do banco traseiro
estiver na posição ereta.
● Ao rebater o encosto do banco traseiro para
frente, atentar sempre para que nenhuma Fig. 48 Banco traseiro: fixar a superfície do banco
pessoa ou animal esteja na área do encosto nos apoios para cabeça.
do banco traseiro.
As duas superfícies do banco traseiro podem ser
● Quando o encosto do banco traseiro está re- rebatidas para cima separadamente. Em cada su-
batido para frente ou não encaixado firme- perfície do banco existe um cabo.
mente, nunca devem ser transportadas pes-
soas, crianças ou objetos nesses assentos. Rebater a superfície do banco para cima
– Desencaixar o cabo → Fig. 47 1 da fixação da
NOTA superfície do banco.
● Antes de rebater o encosto do banco traseiro – Rebater a superfície do banco para cima.
para frente, ajustar os bancos dianteiros de – Se necessário, deslocar o apoio da cabeça para
modo que o apoio para cabeça ou o estofa- cima → Página 50 e encaixar o cabo
mento do encosto do banco traseiro não en- → Fig. 48 1 na haste interna do apoio para
coste nos bancos dianteiros. cabeça 2 . 
● Não colocar objetos do encosto do banco re-
batido para frente. O cinto de segurança pode-
ria ser danificado. 

Sentar de forma correta e segura 61


Rebater a superfície do banco para baixo Cinto de segurança ou cinto de segurança
– Desenganchar a cinta de fixação da barra do subabdominal no assento central no banco
apoio para cabeça. traseiro
– Rebater a superfície do banco para baixo. Dependendo do modelo, em veículos com cabine
dupla, o assento central do banco traseiro pode
– Colocar a cinta de fixação na admissão superi-
ser equipado com um cinto de segurança subab-
or e enganchá-la no suporte.
dominal ou um cinto de segurança de três pon-
– Se necessário, deslocar o apoio para cabeça tos.
para baixo → Página 50.
Verificar qual cinto está instalado no assento
ATENÇÃO central do banco traseiro e realizar a colocação e
a remoção conforme as descrições a seguir:
Rebater a superfície do banco traseiro para ci-
ma ou para baixo de maneira descontrolada ou – Cinto de segurança de três pontos está instala-
descuidada pode causar ferimentos graves. do no assento central do banco traseiro:
Página 68, Colocar ou tirar cinto de seguran-
● Somente rebater a superfície do banco tra-
ça do assento central do banco traseiro.
seiro para cima e para baixo com o veículo
parado. – Cinto de segurança subabdominal está instala-
do no assento central do banco traseiro:
● Manter as mãos, os dedos e os pés ou demais
Página 69, Colocar ou tirar o cinto de segu-
partes do corpo sempre longe da área de
rança subabdominal do assento central do
funcionamento ao rebater a superfície do
banco traseiro.
banco traseiro para cima e para baixo.
● Se a superfície do banco traseiro estiver re- ATENÇÃO
batido para cima ou não estiver encaixado de
maneira segura, pessoas ou crianças não po- Cintos de segurança não colocados ou coloca-
derão ser transportadas nesses assentos. dos incorretamente aumentam o risco de feri-

mentos graves ou fatais. A proteção ideal dos
cintos de segurança é obtida apenas se os cin-
tos de segurança forem colocados e utilizados
corretamente.
Cintos de segurança ● Cintos de segurança são o meio mais eficien-
te para reduzir o risco de ferimentos graves e
fatais em caso de acidente. Para proteção do
 Introdução ao tema condutor e de todos os ocupantes do veículo,
os cintos de segurança devem estar sempre
bem colocados quando o veículo estiver em
Verificar regularmente o estado de todos os cin-
movimento.
tos de segurança. Em caso de avarias no tecido
do cinto de segurança, ligações do cinto de segu- ● Antes de cada condução, todos os ocupantes
rança, enrolador automático do cinto de seguran- do veículo devem adotar sempre a posição
ça ou fecho do cinto de segurança, o respectivo correta do banco, colocar corretamente o
cinto deve ser substituído imediatamente por respectivo cinto de segurança e mantê-lo co-
uma empresa especializada → . A empresa es- locado corretamente durante a condução. Is-
pecializada deve utilizar peças de reposição cor- to é válido para todos os passageiros tam-
retas, compatíveis com o veículo, com a versão e bém no tráfego urbano.
com o ano-modelo. Para isso, a Volkswagen re- ● Proteger as crianças no veículo durante a
comenda uma Concessionária Volkswagen. condução com um sistema de retenção para
crianças correspondente ao peso e à estatura
da criança, bem como com os cintos de se-
gurança corretamente colocados
→ Página 80.
● Partir somente quando todos os passageiros
estiverem com o cinto de segurança coloca-
do corretamente. 

62 Antes da condução
● Encaixar a lingueta do cinto de segurança so- ● Nunca danificar o cinto de segurança pren-
mente no respectivo fecho do cinto de segu- sando-o na porta ou no mecanismo do ban-
rança do banco e fixar firmemente. O uso de co.
um fecho do cinto de segurança não perten- ● Se o tecido do cinto de segurança ou outras
cente ao respectivo banco reduz a proteção e peças do cinto de segurança estiverem dani-
pode causar ferimentos graves. ficados, os cintos de segurança poderão se
● Jamais deixar objetos estranhos ou líquidos romper em um acidente ou em uma manobra
penetrarem nos engates dos fechos dos cin- de frenagem brusca.
tos de segurança. Isto pode limitar a funcio- ● Mandar substituir imediatamente os cintos
nalidade dos fechos dos cintos de segurança de segurança danificados por cintos de segu-
e dos cintos de segurança. rança novos liberados pela Volkswagen para
● Nunca tirar o cinto de segurança durante a o veículo. Cintos de segurança que sofreram
condução. esforço durante um acidente e por isso fo-
● Colocar sempre um cinto de segurança em ram distendidos devem ser substituídos. Re-
apenas uma pessoa. comenda-se uma Concessionária Volkswa-
gen. A substituição poderá ser necessária,
● Nunca transportar crianças ou bebês no colo
mesmo quando não houver dano evidente.
e colocar o mesmo cinto de segurança.
Além disso, as ancoragens dos cintos de se-
● Não conduzir com roupas soltas, por exem- gurança devem ser verificadas.
plo, um casaco sobre um paletó, pois isto
● Nunca tentar reparar, modificar ou desmon-
restringe o assentamento correto e a funcio-
tar os cintos de segurança por conta própria.
nalidade do cinto de segurança.
Quaisquer reparos no cinto de segurança, no
enrolador automático e em peças de fecho
ATENÇÃO somente podem ser realizados por uma Con-
Cintos de segurança danificados representam cessionária Volkswagen. 
um grande perigo e podem causar ferimentos
graves ou fatais.

Luz de advertência
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 62.

Fig. 49 Luz de advertência do instrumento combina-


do.

Acesa Causa possível Solução


Cinto de segurança do condutor não está
 colocado.
Colocar os cintos de segurança. 

Sentar de forma correta e segura 63


O veículo pode estar equipado com uma luz de A luz de advertência do cinto de segurança  so-
advertência do cinto de segurança. mente se apagará quando o condutor tiver colo-
cado o cinto de segurança com a ignição ligada.
Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e
de controle se acendem rapidamente para verifi-
cação da função. Elas se apagam após alguns se- ATENÇÃO
gundos. Cintos de segurança não colocados ou coloca-
dos incorretamente aumentam o risco de feri-
Se os cintos de segurança não estiverem coloca-
mentos graves ou fatais. A proteção ideal dos
dos antes do início da condução e a uma veloci-
cintos de segurança é obtida apenas quando os
dade superior a, aproximadamente, 25 km/h
cintos são utilizados corretamente. 
(15 mph) ou se os cintos de segurança forem re-
tirados durante a condução, um sinal sonoro res-
soa durante alguns segundos. Adicionalmente, a
luz de advertência do cinto de segurança pisca .

Acidentes frontais e as leis da física veículo como nos seus ocupantes, uma energia
de movimento, a assim denominada “energia ci-
 Observe no início desse capítulo na pági- nética”.
na 62. Quanto maior a velocidade e o peso do veículo,
mais energia deve ser dissipada em caso de aci-
dente.
A velocidade do veículo, entretanto, é o fator
mais significativo. Quando, por exemplo, a velo-
cidade dobra de aproximadamente 25 km/h (15
mph) para aproximadamente 50 km/h (31 mph),
a energia cinética é quadruplicada!
A intensidade da “energia cinética” depende em
grande parte da velocidade do veículo, do peso
do veículo e dos ocupantes do veículo. Com velo-
cidade e peso crescentes, mais energia precisa
Fig. 50 Um veículo com os ocupantes do veículo ser dissipada em caso de um acidente.
sem cintos de segurança está em rota de colisão
com um muro. Os ocupantes do veículo que não colocaram seus
cintos de segurança não estão, portanto, “pre-
sos” ao seu veículo. Consequentemente, essas
pessoas continuarão a se movimentar com a
mesma velocidade do veículo antes do impacto,
até que algo as detenha! Uma vez que, no pre-
sente exemplo, os ocupantes do veículo não es-
tão usando o cinto de segurança, a energia ciné-
tica total dos ocupantes do veículo, no caso de
uma colisão, somente é dissipada pelo impacto
contra o muro → Fig. 51.
Se houver um acidente a uma velocidade de
aproximadamente 30 km/h (19 mph) até aproxi-
Fig. 51 Um veículo com os ocupantes do veículo
madamente 50 km/h (31 mph), formam-se forças
sem cinto de segurança colide com o muro.
atuantes no corpo que podem facilmente ser su-
O princípio físico de uma colisão frontal pode ser periores a uma tonelada (1.000 kg). As forças
explicado com facilidade. Assim que o veículo en- atuantes sobre o corpo aumentam ainda mais em
tra em movimento → Fig. 50, é criada, tanto no velocidades maiores. 

64 Antes da condução
Este exemplo não se aplica somente a colisões para frente e batem de forma descontrolada em
frontais, mas sim a todos os tipos de acidentes e partes do interior do veículo, como, por exemplo,
colisões.  volante, painel de instrumentos ou para-brisa
→ Fig. 52.
O sistema de airbag não substitui o cinto de se-
O que acontece com os ocupantes gurança. O acionamento dos airbags proporciona
somente uma proteção complementar. Os air-
do veículo sem cinto de segurança bags não são acionados em todos os tipos de aci-
dente. Mesmo quando o veículo estiver equipado
 Observe no início desse capítulo na pági-
com um sistema de airbag, todos os ocupantes
na 62.
do veículo devem estar com o cinto de segurança
corretamente colocado durante toda a condução,
inclusive o condutor. Com isso, o perigo de feri-
mentos graves ou fatais em caso de acidentes é
reduzido - independentemente da existência ou
não de um airbag para o assento.
Um airbag é acionado somente uma vez. Para ob-
ter a melhor proteção possível, os cintos de se-
gurança devem estar sempre colocados correta-
mente para garantir a proteção mesmo sem o
acionamento do airbag. Ocupantes do veículo
sem cinto de segurança podem ser jogados para
fora do veículo e, assim, sofrer ferimentos ainda
mais graves ou fatais.

Fig. 52 O condutor sem cinto de segurança é lança-


Em veículos com cabine dupla: também é impor-
do para frente. tante que os ocupantes do veículo dos bancos
traseiros coloquem os cintos de segurança corre-
tamente, uma vez que são jogados de forma des-
controlada pelo interior do veículo em caso de
um acidente. Um passageiro no banco traseiro
sem cinto de segurança colocado é um perigo
tanto para si como para o condutor e demais
pessoas no veículo → Fig. 53. 

Fig. 53 O passageiro sem cinto de segurança no


banco traseiro é lançado para frente sobre o condu-
tor com cinto de segurança.

Muitas pessoas acreditam ser possível apoiar o


próprio corpo com as mãos em um acidente leve.
Isto não é possível!
Mesmo em velocidades mínimas de impacto, o
corpo sofre a ação de forças que não podem mais
ser amortecidas com os braços e as mãos. Em ca-
so de um acidente frontal, os ocupantes do veí-
culo sem cinto de segurança são arremessados

Sentar de forma correta e segura 65


Os cintos de segurança protegem Estatísticas de acidentes comprovaram que o uso
correto dos cintos de segurança diminui conside-
 Observe no início desse capítulo na pági- ravelmente o risco de ferimentos e aumenta a
na 62. chance de sobrevivência em um acidente grave.
Além disso, os cintos de segurança corretamente
colocados aumentam a proteção ideal dos air-
bags acionados em caso de acidente. Por esse
motivo, o uso do cinto de segurança é prescrito
por lei na maioria dos países.
Apesar de o veículo estar equipado com airbags,
os cintos de segurança devem ser colocados. Os
airbags frontais, por exemplo, são ativados so-
mente em alguns acidentes frontais. Os airbags
frontais não são ativados em colisões frontais le-
ves, colisões laterais leves, colisões traseiras, ca-
potamentos e em acidentes nos quais o valor de
acionamento do airbag definido na unidade de
comando não foi excedido.

Fig. 54 Condutor protegido pelo cinto de segurança Por esse motivo, colocar sempre os cintos de se-
colocado corretamente em uma manobra de frena- gurança e observar se todos os passageiros estão
gem súbita. com o cinto de segurança colocado corretamente
antes do início da condução! 
Os cintos de segurança colocados corretamente
podem fazer uma grande diferença. Cintos de se-
gurança colocados corretamente mantêm os
ocupantes do veículo na posição correta no ban- Manuseio dos cintos de segurança
co e reduzem bastante a ação da energia cinética
em caso de acidente. Os cintos de segurança  Observe no início desse capítulo na pági-
também ajudam a impedir movimentos descon- na 62.
trolados que podem resultar em ferimentos gra-
ves. Adicionalmente, cintos de segurança corre- Lista de controle
tamente colocados reduzem o perigo de ser lan- Manuseio do cinto de segurança → :
çado para fora do veículo → Fig. 54.  Verificar regularmente o estado de todos os
Ocupantes do veículo com cintos de segurança cintos de segurança.
colocados corretamente se beneficiam ampla-  Manter os cintos de segurança limpos.
mente do fato de que a energia cinética é absor-
 Manter objetos estranhos e líquidos sempre
vida pelos cintos de segurança. A estrutura da
afastados do cadarço do cinto de segurança,
parte dianteira do veículo e outras características
da lingueta do cinto de segurança e do enga-
de segurança passiva do veículo, como, por
te do fecho do cinto de segurança.
exemplo, o sistema de airbag, também assegu-
ram a redução da ação da energia cinética. Assim,  Não prensar nem danificar o cinto de segu-
a energia resultante diminui, reduzindo o risco de rança e a lingueta do cinto de segurança (por
ferimentos. exemplo, ao fechar a porta).

Os exemplos descrevem colisões frontais. Natu-


 Nunca desinstalar, alterar ou reparar o cinto
de segurança e os elementos de fixação do
ralmente, os cintos de segurança colocados de
cinto de segurança.
maneira correta também reduzem bastante o ris-
co de ferimentos em todos os demais tipos de  Colocar sempre o cinto de segurança de for-
acidente. Por esse motivo, os cintos de segurança ma correta antes de qualquer condução e
devem ser colocados antes de cada condução, mantê-lo colocado durante a condução. 
mesmo quando a intenção for só “dar uma volta
no quarteirão”. Verificar se todos os passageiros
estão com os cintos de segurança colocados cor-
retamente.

66 Antes da condução
Cinto de segurança torcido Colocar ou tirar o cinto de
Se um cinto de segurança não puder ser retirado
segurança
com facilidade da guia, é possível que o cinto de
segurança esteja torcido no interior do revesti-  Observe no início desse capítulo na pági-
mento lateral em razão de um retorno muito rá- na 62.
pido do cinto:
– Puxar o cinto de segurança totalmente para
fora pela lingueta do cinto de segurança, len-
tamente e com cuidado.
– Eliminar a torção do cinto de segurança e con-
duzi-lo lentamente de volta, com a mão.
Mesmo se a torção do cinto de segurança não
puder ser eliminada, colocar o cinto de seguran-
ça. Nesse caso, a torção não deve se localizar em
uma área do cinto de segurança que esteja apoia-
da diretamente no corpo! Procurar imediatamen-
te uma Concessionária Volkswagen para eliminar Fig. 55 Introduzir a lingueta do cinto de segurança
a torção. no fecho do cinto de segurança.

Cinto de segurança travável


O cinto de segurança travável destina-se à fixa-
ção de um sistema de retenção para crianças. A
retenção bloqueia o cinto de segurança perma-
nentemente e fixa o sistema de retenção para
crianças ao banco → Página 80.
Para verificar se o veículo está equipado com um
cinto de segurança travável, puxar o cadarço do
cinto de segurança totalmente para fora e permi-
tir que ele seja enrolado novamente pelo enrola-
dor automático do cinto de segurança. Caso seja Fig. 56 Soltar a lingueta do fecho do cinto de segu-
audível um ruído “de clique”ao enrolar, o enrola- rança.
dor automático do cinto de segurança está provi-
do de uma proteção para crianças. Cintos de segurança colocados corretamente
mantêm os ocupantes do veículo numa posição
ATENÇÃO que permite a proteção máxima em manobras de
frenagem ou acidentes → .
O manuseio incorreto do cinto de segurança
aumenta o risco de ferimentos graves ou fatais. Todos os assentos nos bancos dianteiros e assen-
tos laterais do banco traseiro estão equipados
● Verificar regularmente os cintos de seguran-
com um cinto de segurança de três pontos.
ça e as peças integrantes quanto ao seu per-
feito estado. Se o cadarço do cinto de segurança for retirado
● Manter os cintos de segurança sempre lim- completamente e se no enrolamento do cinto de
pos. segurança ocorrer um ruído de “clique”, o cinto
de segurança possui retenção. A retenção do cin-
● Não permitir que o cadarço do cinto de segu-
to de segurança somente pode ser usada para a
rança seja prensado, danificado ou que entre
fixação de determinados sistemas de retenção
em atrito com superfícies afiadas.
para crianças → Página 80, Cadeiras de criança.
● Manter o fecho do cinto de segurança e o en- Uma retenção ativada precisa ser desativada
gate do fecho do cinto de segurança da lin- quando um ocupante do veículo colocar o cinto
gueta do cinto de segurança sempre livres de de segurança. 
corpos estranhos e de líquidos. 

Sentar de forma correta e segura 67


Colocar o cinto de segurança Colocar ou tirar cinto de segurança
Colocar o cinto de segurança antes de qualquer
do assento central do banco
condução.
traseiro
– Ajustar sempre os bancos dianteiros e o apoio
para cabeça de forma correta → Página 50.  Observe no início desse capítulo na pági-
– Em veículos com cabine dupla: travar o encos- na 62.
to do banco traseiro na posição vertical → .
– Puxar o cadarço do cinto de segurança pela
lingueta do cinto de segurança de maneira uni-
forme sobre o tórax e sobre a região pélvica.
Ao mesmo tempo cuidar para não torcer o ca-
darço do cinto de segurança → .
– Introduzir a lingueta do cinto de segurança fir-
memente no fecho do cinto de segurança per-
tencente ao assento → Fig. 55.
– Realizar um teste de tração no cinto de segu-
rança para verificar o encaixe seguro da lin-
gueta do cinto de segurança no fecho. Fig. 57 Introduzir a lingueta do cinto de segurança
no fecho do cinto de segurança.
Tirar o cinto de segurança
Tirar o cinto de segurança apenas com o veículo
parado → .
– Pressionar o botão vermelho no fecho do cinto
de segurança → Fig. 56. A lingueta do cinto de
segurança salta para fora.
– Conduzir o cinto manualmente de volta para
que o cadarço do cinto de segurança enrole
mais facilmente, o cinto de segurança não se
retorça e o revestimento não seja danificado.
Fig. 58 Soltar a lingueta do cinto de segurança do
ATENÇÃO fecho do cinto de segurança.
Uma posição incorreta do cadarço do cinto de
segurança pode causar ferimentos graves ou Cintos de segurança colocados corretamente
fatais em caso de acidente. mantêm os ocupantes do veículo numa posição
● A ação protetora ideal dos cintos de seguran- que permite a proteção máxima em manobras de
ça somente é atingida se o encosto do banco frenagem ou acidentes → .
estiver em uma posição vertical e o cinto de O assento central do banco traseiro pode estar
segurança estiver colocado corretamente de equipado com um cinto de segurança de três
acordo com a estatura do corpo. pontos.
● A retirada do cinto de segurança durante a Quando for audível um ruído de “clique” ao enro-
condução pode ocasionar ferimentos graves lar e desenrolar o cinto de segurança, trata-se de
ou fatais em caso de acidentes ou manobras um cinto de segurança travável. A retenção do
de frenagem!  cinto de segurança somente pode ser usada para
a fixação de um sistema de retenção para crian-
ças → Página 80.

Colocar o cinto de segurança


Colocar o cinto de segurança antes de qualquer
condução. 

68 Antes da condução
– Encaixar o encosto do banco traseiro na posi- Colocar ou tirar o cinto de
ção vertical → .
segurança subabdominal do
– Puxar o cadarço do cinto de segurança pela
lingueta do cinto de segurança de maneira uni- assento central do banco traseiro
forme sobre o tórax e sobre a região pélvica.
Ao mesmo tempo cuidar para não torcer o ca-  Observe no início desse capítulo na pági-
na 62.
darço do cinto de segurança → .
– Introduzir a lingueta do cinto de segurança fir-
memente no fecho do cinto de segurança per-
tencente ao assento → Fig. 57.
– Realizar um teste de tração no cinto de segu-
rança para verificar o encaixe seguro da lin-
gueta do cinto de segurança no fecho.

Tirar o cinto de segurança


Tirar o cinto de segurança apenas com o veículo
parado → .
– Pressionar o botão vermelho no fecho do cinto Fig. 59 Introduzir a lingueta do fecho do cinto de
de segurança → Fig. 58. A lingueta do cinto de segurança subabdominal no fecho do cinto de segu-
segurança salta para fora. rança.
– Conduzir o cinto manualmente de volta para
que o cadarço do cinto de segurança enrole
mais facilmente, o cinto de segurança não se
retorça e o revestimento não seja danificado.

ATENÇÃO
Uma posição incorreta do cadarço do cinto de
segurança pode causar ferimentos graves ou
fatais em caso de acidente.
● A ação protetora ideal dos cintos de seguran-
ça somente é atingida se o encosto do banco
estiver em uma posição vertical e o cinto de Fig. 60 Soltar a lingueta do cinto de segurança su-
segurança estiver colocado corretamente de babdominal do fecho do cinto de segurança
acordo com a estatura do corpo.
Cintos de segurança colocados corretamente
● A retirada do cinto de segurança durante a mantêm os ocupantes do veículo numa posição
condução pode ocasionar ferimentos graves que permite a proteção máxima em manobras de
ou fatais em caso de acidentes ou manobras frenagem ou acidentes → .
de frenagem! 
O assento central do banco traseiro pode estar
equipado com um cinto de segurança subabdo-
minal.
Cadeiras de criança não podem ser fixadas com o
cinto de segurança subabdominal → Página 80.

Colocar o cinto de segurança subabdominal


Colocar o cinto de segurança subabdominal antes
de qualquer condução. 

Sentar de forma correta e segura 69


– Encaixar o encosto do banco traseiro na posi- Posição do cadarço do cinto de
ção vertical → .
segurança
– Puxar o cadarço do cinto de segurança pela
lingueta do cinto de segurança de maneira uni-  Observe no início desse capítulo na pági-
forme sobre a região pélvica. Ao mesmo tem- na 62.
po cuidar para não torcer o cadarço do cinto
de segurança → .
– Introduzir a lingueta do cinto de segurança fir-
memente no fecho do cinto de segurança per-
tencente ao assento → Fig. 59.
– Realizar um teste de tração no cinto de segu-
rança subabdominal para verificar se a lingueta
do fecho está firmemente encaixada no fecho.

Tirar o cinto de segurança subabdominal


Tirar o cinto de segurança subabdominal somen-
te com o veículo parado → .
Fig. 61 Posição correta do cadarço do cinto de se-
– Pressionar o botão vermelho no fecho do cinto gurança e ajuste correto do apoio para cabeça.
de segurança → Fig. 60. A lingueta do cinto de
segurança salta para fora.
– Conduzir o cinto de volta com a mão para que
o cadarço do cinto de segurança se enrole
mais facilmente e o cinto de segurança subab-
dominal não seja torcido.
– Encaixar o cinto de segurança subabdominal
não utilizado na lingueta do cinto de seguran-
ça.

ATENÇÃO
Uma posição incorreta do cadarço do cinto de
segurança pode causar ferimentos graves ou
fatais em caso de acidente.
Fig. 62 Posição correta do cadarço do cinto de se-
● A retirada do cinto de segurança subabdomi- gurança em mulheres grávidas.
nal durante a condução pode causar ferimen-
tos graves ou fatais no caso de acidentes ou Somente se a posição do cadarço do cinto de se-
manobras de frenagem!  gurança estiver correta, os cintos de segurança
colocados podem oferecer a proteção ideal num
acidente e reduzir o risco de ferimentos graves
ou fatais. Além disso, a posição correta do cadar-
ço do cinto de segurança mantém os ocupantes
do veículo numa posição, em que o airbag ativa-
do pode oferecer a proteção máxima. Por esse
motivo, usar sempre o cinto de segurança e ob-
servar a posição correta do cadarço do cinto de
segurança.
Uma posição incorreta no banco pode causar fe-
rimentos graves ou fatais → Página 50. 

70 Antes da condução
Posição correta do cadarço do cinto de ça deve estar plano e firme sobre a região
segurança pélvica. Se necessário, esticar um pouco o
– A faixa superior do cinto de segurança deve cadarço do cinto de segurança.
passar sempre sobre o meio do ombro e nunca ● A faixa inferior do cinto de segurança deve
sobre o pescoço, sobre o braço, sob o braço ou passar o mais baixo possível pela região pél-
por trás das costas. vica em mulheres grávidas e estar encostada
– A faixa inferior do cinto de segurança deve de maneira plana em volta da barriga “arre-
passar sempre pela região pélvica e nunca so- dondada”.
bre o abdômen. ● Não retorcer o cadarço do cinto de seguran-
– Deixar o cinto de segurança sempre plano e ça quando colocado.
firme sobre o corpo. Se necessário, esticar um ● Nunca manter o cinto de segurança afastado
pouco o cadarço do cinto de segurança. do corpo, afastando-o com a mão.
Nas gestantes, o cinto de segurança deve passar ● Não conduzir o cadarço do cinto de seguran-
de maneira uniforme sobre o tórax e, tanto quan- ça sobre objetos sólidos ou frágeis, por
to possível, em posição plana abaixo da região exemplo, óculos, canetas ou chaves.
pélvica, para que não haja pressão abdominal - ● Nunca alterar a posição do cadarço do cinto
isto deve ser seguido durante todo o período da de segurança por meio de grampos, olhais de
gravidez → Fig. 62. retenção ou similares.
Regular a posição do cadarço do cinto de Pessoas que não conseguem atingir o posi-
segurança conforme a estatura cionamento ideal do cadarço do cinto de
A posição do cadarço do cinto de segurança pode segurança devido às suas condições físicas, de-
ser regulada com os seguintes acessórios: vem pedir informações a uma Concessionária
Volkswagen ou uma empresa especializada sobre
– Regulagem de altura do cinto de segurança possíveis dispositivos especiais para conseguir a
para os bancos dianteiros. ação protetora ideal dos cintos de segurança e
– Bancos dianteiros com altura ajustável. dos airbags. Para isso, a Volkswagen recomenda
uma Concessionária Volkswagen. 
ATENÇÃO
Uma posição incorreta do cadarço do cinto de
segurança pode causar ferimentos graves em
caso de acidente ou em manobras de frenagem
Regulagem de altura do cinto de
ou de direção súbitas. segurança
● A proteção ideal dos cintos de segurança só
 Observe no início desse capítulo na pági-
pode ser atingida se o encosto do banco esti-
na 62.
ver em uma posição vertical e o cinto de se-
gurança estiver colocado corretamente.
● O próprio cinto de segurança ou um cinto de
segurança solto pode causar ferimentos gra-
ves se o cinto de segurança se deslocar de
partes duras do corpo na direção de partes
mais sensíveis, por exemplo, a barriga.
● A faixa superior do cinto de segurança deve
passar pelo meio do ombro e nunca sob o
braço ou sobre o pescoço.
● O cinto de segurança deve estar plano e fir-
me sobre a parte superior do corpo.
Fig. 63 Ao lado dos bancos dianteiros: regulagem de
● A faixa inferior do cinto de segurança deve altura do cinto de segurança. 
passar sempre pela frente da região pélvica e
nunca sobre o abdômen. O cinto de seguran-

Sentar de forma correta e segura 71


Com o auxílio da regulagem de altura do cinto de dendo da versão do veículo, o cinto de segurança
segurança para os bancos dianteiros, é possível do ocupante do veículo no banco do passageiro
regular a posição dos cintos de segurança na área dianteiro também pode estar equipado com um
do ombro conforme a estatura para que o cinto pré-tensionador do cinto de segurança.
possa ser colocado corretamente:
Em acidentes frontais, laterais e traseiras mais
– Deslocar o mecanismo de regulagem da altura graves, os pré-tensionadores do cinto de segu-
do cinto → Fig. 63 em sentido contrário à e se- rança são acionados por sensores e tensionam os
gurar. cintos de segurança na direção contrária à extra-
– Deslocar o mecanismo de regulagem da altura ção. Um cinto de segurança solto é tensionado e,
do cinto para cima ou para baixo até que o cin- deste modo, pode reduzir o movimento para
to de segurança esteja regulado sobre o meio frente dos ocupantes do veículo ou o movimento
do ombro. dos ocupantes do veículo na direção do impacto.
O pré-tensionador do cinto de segurança traba-
– Soltar o dispositivo regulador. lha junto com o sistema de airbag. Em leves coli-
– Verificar se o dispositivo regulador foi encaixa- sões frontais, laterais e traseiras assim como em
do, puxando o cinto de segurança algumas ve- acidentes nos quais não há a atuação de forças
zes. consideráveis pela frente, os pré-tensionadores
dos cintos de segurança não são ativados.
ATENÇÃO
Um pó fino poderá ser gerado no acionamento.
Nunca regular a altura do cinto de segurança Isto é totalmente normal e não representa risco
durante a condução.  de incêndio no veículo.

No sucateamento do veículo ou de peças


individuais do sistema, devem ser observa-
Enrolador automático do cinto de das todas as prescrições de segurança. Empresas
segurança, pré-tensionador do especializadas conhecem estas prescrições
→ Página 72. 
cinto de segurança
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 62. Serviço e descarte dos pré-
-tensionadores dos cintos de
Os cintos de segurança do veículo são parte do
conceito de segurança do veículo → Página 76 segurança
e são compostos pelas importantes funções a se-
guir:  Observe no início desse capítulo na pági-
na 62.
Enrolador automático do cinto de segurança
Cada cinto de segurança está equipado com um Em trabalhos no pré-tensionador do cinto de se-
enrolador automático do cinto de segurança na gurança, bem como na desinstalação e instalação
faixa superior do cinto de segurança. Puxando-se de outras peças do veículo durante reparos, o
lentamente o cinto de segurança ou em condu- cinto de segurança pode ser danificado imper-
ção normal, é garantida a total liberdade de mo- ceptivelmente. Como consequência, no caso de
vimentos na faixa superior do cinto de segurança. um acidente, os pré-tensionadores dos cintos de
Porém, na retirada brusca do cinto de segurança, segurança podem não funcionar corretamente ou
frenagens súbitas, condução por montanhas, cur- falhar totalmente.
vas e aceleração, o enrolador automático do cin- Para que a eficácia dos pré-tensionadores dos
to de segurança bloqueia o cinto de segurança. cintos de segurança não seja prejudicada e as pe-
ças desmontadas não causem ferimentos ou con-
Pré-tensionador do cinto de segurança taminem o ambiente, as prescrições devem ser
Em veículos com airbags dianteiros, o cinto de observadas. Empresas especializadas conhecem
segurança do ocupante do veículo que se encon- estas prescrições. 
tra no banco do condutor está equipado com um
pré-tensionador do cinto de segurança. Depen-

72 Antes da condução
ATENÇÃO ● O sistema de airbag proporciona proteção
máxima se o cinto de segurança estiver colo-
O manuseio incorreto e até mesmo reparos
cado corretamente, reduzindo o risco de feri-
próprios realizados nos cintos de segurança,
mentos → Página 62, Cintos de segurança.
enroladores do cinto de segurança automáticos
e pré-tensionadores dos cintos de segurança ● Antes de cada condução, todos os ocupantes
aumentam o risco de ferimentos graves ou fa- do veículo devem adotar sempre a posição
tais. O pré-tensionador do cinto de segurança correta do banco, colocar corretamente o
poderia não ser acionado, apesar de necessário respectivo cinto de segurança e mantê-lo co-
ou ser acionado inesperadamente. locado corretamente durante a condução. Is-
to é válido para todos os passageiros tam-
● Reparos, ajustes bem como a desinstalação e
bém no tráfego urbano.
instalação de peças nos pré-tensionadores
dos cintos de segurança ou nos cintos de se-
gurança só podem ser realizados por uma ATENÇÃO
Concessionária Volkswagen → Página 258. Se houver objetos entre os ocupantes do veícu-
● Os pré-tensionadores dos cintos de seguran- lo e a área de expansão dos airbags, o risco de
ça e os enroladores dos cintos de segurança ferimentos será maior se o airbag for acionado.
automáticos não devem ser reparados e, sim, Desse modo, a área de expansão dos airbags se
substituídos. altera ou os objetos são arremessados contra
os ocupantes.
Os módulos dos airbags e dos pré-tensiona- ● Nunca segurar objetos nas mãos ou carregá-
dores dos cintos de segurança podem con- -los no colo durante a condução.
ter perclorato. Observar as determinações legais
● Nunca transportar objetos sobre o banco do
no descarte.  passageiro dianteiro. Os objetos podem atin-
gir a área de expansão dos airbags durante
manobras súbitas de frenagem ou de direção
e ser arremessados de forma perigosa pelo
Sistema de airbag interior do veículo se o airbag for acionado.
● Entre os ocupantes do veículo dos bancos di-
anteiros e as áreas de expansão dos airbags
 Introdução ao tema não devem se encontrar outras pessoas, ani-
mais ou objetos. Atentar para que isso tam-
bém seja cumprido por crianças e passagei-
Tipos de sistema de airbag frontal do
ros.
passageiro dianteiro
Dependendo do país e da versão do veículo, po- ATENÇÃO
derão estar instalados no veículo diferentes sis-
temas de airbag frontal do passageiro dianteiro A função de proteção do sistema de airbag é
→ Página 74. suficiente para apenas um acionamento dos
airbags. Se os airbags tiverem sido acionados,
Se o veículo estiver equipado com um sistema de será necessário substituir o sistema.
airbag frontal do passageiro dianteiro, é neces-
● Os airbags acionados e as respectivas peças
sário verificar obrigatoriamente qual sistema de
do sistema devem ser substituídos imediata-
airbag frontal do passageiro dianteiro é adequa-
mente por peças novas liberadas pela Volks-
do para o respectivo veículo!
wagen para este veículo.
ATENÇÃO ● Reparos e modificações no veículo devem
ser realizados somente por uma Concessio-
Nunca confiar somente no sistema de airbag
nária Volkswagen ou por uma empresa espe-
para se proteger.
cializada. As Concessionárias Volkswagen
● Mesmo quando um airbag é acionado, ele possuem as ferramentas necessárias, apare-
tem somente uma função de proteção adici- lhos de diagnóstico, informações de reparo e
onal. pessoal qualificado. 

Sentar de forma correta e segura 73


● Nunca instalar no veículo peças de airbag ● Enxaguar os olhos com água se houver con-
desmontadas de veículos antigos ou originá- tato com o pó.
rias de reciclagem.
● Nunca alterar quaisquer componentes do sis- ATENÇÃO
tema de airbag. Detergentes com solventes tornam a superfície
do módulo do airbag porosa. No caso de um
ATENÇÃO acidente com acionamento do airbag, as peças
Pode formar-se um pó fino e vapor de água de plástico que se soltam podem causar feri-
quando os airbags são acionados. Isto é normal mentos graves.
e não representa risco de incêndio no veículo. ● Nunca tratar o painel de instrumentos e a su-
● O pó fino pode irritar a pele e a mucosa dos perfície do módulo do airbag com detergen-
olhos bem como ocasionar dificuldades res- tes contendo solvente.
piratórias, especialmente em pessoas que
sofrem ou sofreram de asma ou outras limi- ATENÇÃO
tações na condição respiratória. Para reduzir Se houver alguma avaria no sistema de airbag,
os problemas respiratórios, descer do veículo é possível que ele não seja acionado de modo
ou abrir os vidros ou as portas para respirar perfeito, não seja acionado ou seja acionado
ar fresco. inesperadamente, podendo causar ferimentos
● No contato com o pó, lavar as mãos e o rosto graves ou fatais.
com sabonete suave e água antes da próxima ● Na limpeza do piso do compartimento inter-
refeição. no, evitar o uso excessivo de água, por exem-
● Não deixar o pó entrar em contato com os plo, jato de água, lavador de alta pressão ou
olhos ou com ferimentos não cicatrizados. jato de vapor. 

Tipos de sistema de airbag frontal do passageiro dianteiro


 Observe no início desse capítulo na página 73.

Existem 2 sistemas de airbag frontal do passageiro dianteiro da Volkswagen:


A B
Características do airbag frontal do passageiro di- Características do airbag dianteiro do passageiro
anteiro que só pode ser desativado por uma Con- dianteiro que pode ser desligado manualmente
cessionária Volkswagen. com o interruptor acionado pela chave
→ Página 78.
Designação: sistema de airbag. Designação: sistema de airbag com desativação
do airbag frontal do passageiro dianteiro.
– Luz de controle  no instrumento combinado. – Luz de controle  no instrumento combinado.
– Airbag frontal do passageiro dianteiro no painel – Luz de controle no painel de instrumentos PAS-
de instrumentos. SENGER AIR BAG (AIRBAG DO PASSAGEIRO)  .
- Interruptor acionado pela chave no painel de
instrumentos no lado do passageiro dianteiro.
– Airbag frontal do passageiro dianteiro no painel
de instrumentos. 

74 Antes da condução
Luzes de controle
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 73.

Fig. 64 Luz de controle no painel de instrumentos


para o airbag frontal do passageiro dianteiro desati-
vado.

Acesa Local Causa possível Solução


Sistema de airbag e do pré- Procurar uma Concessionária Volks-
Instrumento combi-
 nado
-tensionador do cinto de se-
gurança avariado.
wagen e mandar verificar o sistema
imediatamente.
Procurar uma Concessionária Volks-
Sistema de airbag avariado. wagen e mandar verificar o sistema
Painel de instru-
  mentos
imediatamente.
Airbag frontal do passageiro Verificar se o airbag deve permane-
dianteiro desativado. cer desativado.

Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e ● O sistema de airbag deve ser verificado ime-
de controle se acendem rapidamente para verifi- diatamente por uma Concessionária Volks-
cação da função. Elas se apagam após alguns se- wagen.
gundos.
● Nunca montar uma cadeira de criança no
Se, com o airbag frontal do passageiro dianteiro banco do passageiro dianteiro ou remover a
desativado, a luz de controle PASSENGER cadeira de criança existente! Apesar de avari-
AIR BAG   não se acender permanentemente ado, o airbag frontal do passageiro dianteiro
ou se acender juntamente com a luz de contro- poderia se ativar no caso de um acidente.
le  no instrumento combinado, pode haver uma
falha no sistema de airbag → . NOTA
Observar sempre as luzes de controle acesas e
ATENÇÃO suas descrições e indicações para evitar danos ao
Se houver alguma avaria no sistema de airbag, veículo. 
é possível que ele não seja acionado de modo
perfeito, não seja acionado ou seja acionado
inesperadamente, podendo causar ferimentos
graves ou fatais.

Sentar de forma correta e segura 75


Descrição e função dos airbags entre outros, a constituição do objeto (rígido ou
macio) com o qual o veículo se choca, o ângulo
 Observe no início desse capítulo na pági- do impacto e a velocidade do veículo.
na 73. Os airbags servem somente como complemento
aos cintos de segurança automáticos de três
O airbag pode proteger os ocupantes do veículo pontos em algumas situações de acidente se o
em um acidente, amortecendo o movimento dos retardamento do veículo for suficiente para acio-
ocupantes do veículo na direção do impacto em nar os airbags. Os airbags são acionados somente
colisões frontais e laterais. uma vez e sob determinadas condições. Os cintos
Todo airbag acionado é inflado por um gerador de segurança estão sempre disponíveis para pro-
de gás. Devido a isso, as respectivas coberturas porcionar proteção em situações nas quais os air-
do airbag se rompem e os airbags se inflam com bags não são acionados ou quando já tiverem si-
grande força em milésimos de segundo em suas do acionados. Por exemplo, quando o veículo co-
áreas de expansão. Quando o ocupante do veícu- lide com outro veículo ou quando ele é atingido
lo, usando o cinto de segurança, cai sobre o air- por outro veículo após a primeira colisão.
bag inflado, o gás contido escapa para aparar e O sistema de airbag é parte do conceito global de
segurar o ocupante do veículo. Desse modo, é segurança passiva do veículo. A melhor proteção
possível reduzir o risco de ferimentos graves e possível do sistema de airbag só pode ser obtida
fatais. O risco de outros ferimentos como incha- pela ação conjunta com os cintos de segurança
ços, contusões e esfolamentos da pele não pode corretamente colocados e uma posição correta
ser excluído pelo airbag ativado. Na expansão do do banco  → Página 50.
airbag ativado, também pode se formar calor de
atrito. Componentes do conceito de segurança do
veículo
Os airbags não oferecem proteção para os braços
e para as partes inferiores do corpo. O conjunto dos seguintes equipamentos de segu-
rança do veículo constitui o conceito de seguran-
Os fatores mais importantes que desencadeiam o ça do veículo para reduzir o risco de ferimentos
acionamento do airbag são o tipo do acidente, o graves e fatais. Dependendo da versão, é possível
ângulo do impacto, a velocidade do veículo e a que algumas versões não estejam instaladas no
característica do objeto com o qual o veículo co- veículo ou até mesmo não estejam disponíveis
lide. Portanto, os airbags não são ativados em to- em alguns mercados.
dos os danos visíveis no veículo.
– Cintos de segurança otimizados em todos os
A ativação do sistema de airbag depende da rela- assentos.
ção de desaceleração do veículo produzida pelo
impacto, que é registrada por uma unidade de – Pré-tensionador do cinto de segurança para o
controle eletrônica. Se o valor da relação de de- condutor e, se for o caso, para o passageiro di-
saceleramento estiver abaixo do valor referencial anteiro.
programado na unidade de controle, os airbags – Regulagem de altura do cinto de segurança
não serão acionados apesar de um possível dano para os bancos dianteiros.
sério causado por um acidente. O dano no veícu- – Se for o caso, luz de advertência do cinto de
lo, os custos de reparo ou até a ausência de da- segurança.
nos ao veículo em um acidente, não são necessa- – Se for o caso, airbag frontal para o condutor e,
riamente um sinal de que o acionamento do air- se for o caso, para o passageiro dianteiro.
bag tenha sido necessário. Uma vez que as diver-
sas situações de uma colisão podem variar inten- – Se for o caso, airbags para cabeça e laterais
samente, é impossível definir uma faixa de velo- combinados para o condutor e o passageiro di-
cidade do veículo e valores referenciais. Assim anteiro.
sendo, não é possível cobrir todas as formas ima- – Luz de controle do airbag .
gináveis de impacto e de ângulos de impacto que – Luz de controle do   PASSENGER AIR BAG
ocasionariam a ativação dos airbags. Os fatores (AIRBAG DO PASSAGEIRO).
importantes para o acionamento dos airbags são,
– Unidades de controle e sensores.
– Apoios para cabeça otimizados para impactos
traseiros e com altura regulável. 

76 Antes da condução
– Coluna de direção ajustável.
– Se for o caso, pontos de ancoragem para ca-
deiras de criança nos assentos traseiros late-
rais.
– Se for o caso, pontos de fixação para o cinto de
fixação superior para cadeiras de criança.

Situações nas quais o airbag combinado para a


cabeça e laterais não é acionado:
– Se a ignição estiver desligada em uma colisão.
– Se em colisões na parte dianteira do veículo, a
desaceleração medida pelas unidades de con-
trole for muito pequena.
Fig. 66 Local de instalação e área de expansão do
– Em colisões laterais leves.
airbag frontal do passageiro dianteiro.
– Em colisões traseiras.
– Em um capotamento. O veículo está equipado com um airbag frontal
do condutor. O veículo pode estar equipado adi-
– Se a velocidade do impacto for menor do que o
cionalmente com um airbag frontal do passagei-
valor de referência necessário na unidade de
ro dianteiro.
controle. 
Em complementação aos cintos de segurança, o
sistema de airbag dianteiro proporciona uma
proteção adicional para a área da cabeça e do tó-
Airbags frontais rax do condutor e do passageiro dianteiro em co-
lisões frontais em acidentes de maior gravidade.
 Observe no início desse capítulo na pági- É necessário manter sempre a maior distância
na 73. possível do airbag dianteiro → Página 50. Desse
modo, os airbags dianteiros podem se inflar to-
talmente se forem ativados e proporcionar deste
modo sua máxima proteção.
O airbag frontal do condutor se encontra no vo-
lante → Fig. 65 e o airbag frontal do passageiro
dianteiro no painel de instrumentos → Fig. 66. Os
locais de instalação dos airbags estão identifica-
dos pela inscrição “AIRBAG”.
As áreas emolduradas em vermelho são cobertas
pelos airbags dianteiros ativados (área de expan-
são). Por esse motivo, nunca podem ser coloca-
dos ou fixados objetos nessas áreas → . As pe-
ças agregadas montadas de fábrica não são co-
bertas pelo acionamento do airbag frontal do
Fig. 65 Local de instalação e área de expansão do
condutor e do passageiro dianteiro.
airbag frontal do condutor.
Na inflação dos airbags frontais do condutor e do
passageiro dianteiro, as coberturas dos airbags
são rebatidas para fora do volante → Fig. 65 e do
painel de instrumentos → Fig. 66. As coberturas
dos airbags permanecem ligadas ao volante e ao
painel de instrumentos. 

Sentar de forma correta e segura 77


PERIGO Desligar e ligar o airbag frontal do
A expansão de um airbag acionado se realiza passageiro dianteiro manualmente
em frações de segundos e com velocidade mui- com o interruptor acionado pela
to alta.
chave
● Deixar as áreas de expansão dos airbags di-
anteiros sempre livres.  Observe no início desse capítulo na pági-
● Nunca fixar objetos nas tampas, bem como na 73.
na área de expansão dos módulos dos air-
bags, como, por exemplo, porta-copos ou su-
portes de telefone.
● Entre os ocupantes do veículo dos bancos di-
anteiros e as áreas de expansão dos airbags,
não devem se encontrar outras pessoas, ani-
mais ou objetos. Atentar para que isso tam-
bém seja cumprido por crianças e passagei-
ros.
● Não fixar objetos, como, por exemplo, apare-
lhos de navegação móveis, no para-brisa aci-
ma do airbag frontal do passageiro dianteiro.
● Não colar, revestir ou processar de outra for-
ma a placa de estofamento do volante e a
superfície espumada do módulo do airbag Fig. 67 Na parte frontal no lado do passageiro dian-
frontal do passageiro dianteiro no painel de teiro: interruptor acionado pela chave para desativar
instrumentos. e ativar o airbag frontal do passageiro dianteiro.

Na fixação de uma cadeira de criança voltada pa-


ATENÇÃO ra trás no banco do passageiro dianteiro, o air-
Os airbags frontais se inflam diante do volante bag frontal do passageiro dianteiro deve ser de-
→ Fig. 65 e do painel de instrumentos sativado!
→ Fig. 66.
● Segurar o volante durante a condução sem- Desativar o airbag frontal do passageiro
pre com as duas mãos lateralmente na borda dianteiro
externa: posição das 9h e 3h. – Desligar a ignição.
● Ajustar o banco do condutor de forma que – Abrir a porta do passageiro dianteiro.
haja no mínimo 25 cm de espaço entre o tó- – Girar o interruptor acionado pela chave com a
rax e o centro do volante. Se este pré-requi- chave do veículo para a posição OFF → Fig. 67.
sito não puder ser atendido em razão de par-
– A luz de controle PASSENGER AIR BAG (AIR-
ticularidades físicas, entrar obrigatoriamente
BAG DO PASSAGEIRO)   no painel de ins-
em contato com uma Concessionária Volks-
trumentos se acende de modo permanente
wagen.
com a ignição ligada → Página 75.
● Ajustar o banco do passageiro dianteiro de
– Fechar a porta do passageiro dianteiro.
modo que exista a maior distância possível
entre o passageiro dianteiro e o painel de Ativar o airbag frontal do passageiro dianteiro
instrumentos.  – Desligar a ignição.
– Abrir a porta do passageiro dianteiro.
– Girar o interruptor acionado pela chave com a
chave do veículo para a posição ON → Fig. 67.
– Verificar se, com a ignição ligada, a luz de con-
trole PASSENGER AIR BAG   no painel de
instrumentos não está acesa → Página 75.
– Fechar a porta do passageiro dianteiro. 

78 Antes da condução
Característica de reconhecimento para o Airbags para cabeça e laterais
airbag frontal do passageiro dianteiro
desativado combinados
Se um airbag frontal do passageiro dianteiro esti-  Observe no início desse capítulo na pági-
ver desativado, isto somente será indicado pela na 73.
luz de controle PASSENGER AIR BAG   acesa
de modo permanente no console central ( 
acesa de modo permanente em amarelo)
→ Página 75, Luzes de controle.
Se a luz de controle   no console central não
se acender de modo permanente ou se acender
juntamente com a luz de controle  do instru-
mento combinado, então, por motivos de segu-
rança, não deverá ser montado nenhum sistema
de retenção para crianças sobre o banco do pas-
sageiro dianteiro. O airbag frontal do passageiro
dianteiro poderia ser ativado em um acidente.

ATENÇÃO
O airbag frontal do passageiro dianteiro só po- Fig. 68 Área de expansão do airbag para cabeça e
de ser desativado em casos especiais. laterais combinado no lado esquerdo do veículo.
● Ativar e desativar o airbag frontal do passa-
geiro dianteiro somente com a ignição desli-
gada para evitar danos ao sistema de airbag.
● A responsabilidade pela posição correta do
interruptor acionado pela chave é do condu-
tor.
● Desativar o airbag frontal do passageiro di-
anteiro somente quando, em casos especiais,
houver uma cadeira de criança fixada no
banco do passageiro dianteiro.
● Ativar novamente o airbag frontal do passa-
geiro dianteiro assim que a cadeira de crian-
ça não estiver mais sendo usada no banco do
passageiro dianteiro. 
Fig. 69 Na lateral no banco dianteiro: local de insta-
lação do airbag para cabeça e laterais combinado.

O veículo pode estar equipado com um airbag


para cabeça e laterais combinado.
Os airbags para cabeça e laterais combinados se
encontram nos estofamentos externos do encos-
to do banco do condutor e do banco do passagei-
ro dianteiro → Fig. 68. Os locais de instalação es-
tão identificados pela inscrição “AIRBAG”.
Em uma colisão lateral, serão acionados os air-
bags para cabeça e laterais combinados que se
encontram no lado do acidente, reduzindo, deste
modo, o perigo de ferimentos em ocupantes do
veículo no lado do corpo voltado para o acidente. 

Sentar de forma correta e segura 79


ATENÇÃO Cadeiras de criança
A expansão de um airbag acionado se realiza
em frações de segundos e com velocidade mui-
to alta.  Introdução ao tema
Não é válido em Taiwan
● Deixar sempre livres as áreas de expansão
dos airbags para cabeça e laterais combina-
dos. As cadeiras de criança reduzem o risco de lesão
● Entre os ocupantes do veículo nos bancos di- em um acidente. Transportar crianças sempre
anteiros e as áreas de expansão dos airbags, nas cadeiras de criança!
não devem se encontrar outras pessoas, ani- Observar:
mais ou objetos.
● Pendurar somente trajes leves no gancho pa- – As cadeiras de criança são divididas em grupos
ra roupas do veículo. Não deixar objetos pe- de acordo com o tamanho, a idade e o peso da
sados ou com cantos cortantes nos bolsos. criança.
● Não montar acessórios nas portas. – A fixação das cadeiras de criança no veículo
pode ser realizada com diferentes sistemas de
● Aplicar somente revestimentos de banco ou fixação.
de proteção que estejam expressamente li-
berados para o uso no veículo. Caso contrá- Por motivos de segurança, as cadeiras de criança
rio, os airbags para cabeça e laterais combi- sempre devem ser montadas nos bancos trasei-
nados não podem se expandir quando forem ros. Observar as prescrições específicas do país
acionados. que sejam diferentes.
● Virar o para-sol para os vidros laterais so- A Volkswagen recomenda utilizar cadeiras de cri-
mente quando nenhum objeto estiver fixado ança do programa de acessórios da Volkswagen.
no para-sol, como, por exemplo, canetas ou Essas cadeiras de criança foram projetadas e ve-
comandos de abertura de portão de gara- rificadas para o uso em veículos Volkswagen.
gem.
ATENÇÃO
ATENÇÃO Crianças desprotegidas ou não protegidas cor-
O manuseio incorreto do banco do condutor e retamente podem sofrer ferimentos graves ou
do passageiro dianteiro pode impedir o funcio- fatais durante a condução.
namento correto dos airbags para cabeça e la- ● Crianças de até 12 anos de idade ou com me-
terais combinados e causar ferimentos graves. nos de 150 cm de altura não devem ser
● Nunca desinstalar os bancos dianteiros do transportadas durante a condução sem ca-
veículo ou modificar peças deles. deiras de criança adequadas. Observar as
● Se forem aplicadas forças excessivamente al- prescrições específicas do país que sejam di-
tas sobre as abas dos encostos dos bancos, ferentes.
os airbags para cabeça e laterais combinados ● Proteger crianças no veículo sempre com um
poderão não ser acionados corretamente, sistema de retenção aprovado e adequado
não serem acionados ou serem acionados conforme a sua estatura e o seu peso.
inesperadamente. ● Colocar sempre o cinto de segurança da ma-
● Danos em revestimentos originais dos ban- neira correta em crianças e fazer com que
cos ou das costuras na área dos módulos dos elas assumam uma posição sentada correta.
airbags combinados para a cabeça e laterais ● Colocar o cinto em somente uma criança por
devem ser eliminados imediatamente por vez em uma cadeira de criança.
uma Concessionária Volkswagen.  ● Colocar o encosto do banco na posição verti-
cal quando uma cadeira de criança for utili-
zada nesse assento.
● Não permitir que crianças coloquem a cabeça
ou demais partes do corpo na área de expan-
são do airbag lateral. 

80 Antes da condução
● Para a proteção máxima da cadeira de crian- ● Ler e observar o manual de instruções do fa-
ça, é muito importante o sentido correto do bricante da cadeira de criança.
cinto de segurança. Observar as indicações ● Após um acidente, substituir a cadeira de cri-
do fabricante da cadeira de criança sobre a ança submetida a esforços, uma vez que po-
posição do cadarço do cinto de segurança. dem ter ocorrido danos imperceptíveis.
Cintos de segurança colocados incorreta-
mente podem causar ferimentos mesmo em ATENÇÃO
pequenos acidentes.
Em uma manobra de frenagem ou de direção
● Nunca transportar crianças ou bebês no colo.
brusca, bem como em acidentes, uma cadeira
● Nunca deixar crianças sozinhas na cadeira de de criança solta e desocupada pode ser lançada
criança. pelo interior do veículo e causar ferimentos.
● Nunca permitir que crianças sejam transpor- ● Fixar uma cadeira de criança não utilizada
tadas no veículo sem proteção, que elas se sempre de maneira segura durante a condu-
levantem, fiquem ajoelhadas nos bancos ou ção ou acomodá-la de maneira segura no
que elas assumam uma posição sentada in- compartimento de bagagem.
correta durante a condução. Em caso de aci-
dente, as crianças podem ferir outras pes- Prescrições e determinações legais têm
soas gravemente ou correr risco de vida. prioridade sobre as descrições neste Manual
● Se utilizar uma cadeira de criança com uma de instruções. 
base ou suporte de apoio, assegurar sempre
que a base ou o suporte de apoio esteja ins-
talado corretamente e de maneira segura.

Informações gerais sobre instalação e utilização de cadeiras de criança


Válido apenas para o Brasil

 Observe no início desse capítulo na pági- Lista de controle


na 80. Transporte de crianças no veículo→ :
Prescrições e determinações legais têm priorida-  Observação das respectivas determinações
de sobre as descrições deste Manual de instru- legais específicas do país.
ções. O uso de cadeiras de criança e opções de fi-  A Volkswagen recomenda que crianças me-
xação são regulamentados através de normas e nores de 12 anos de idade ou que tenham
prescrições → Página 82. Assim, por exemplo, o menos de 1,50 m de altura sejam sempre
uso de cadeiras de criança em determinados ban- transportadas no banco traseiro.
cos é proibido em alguns países.  Transportar crianças no banco do passageiro
As leis da física que agem sobre o veículo no caso dianteiro somente em casos excepcionais
de uma colisão ou de outro tipo de acidente va- → Página 84.
lem também para os → capítulo cintos de segu-  Proteger a criança no veículo sempre com
rança de crianças. Diferente de adultos e adoles- um sistema de retenção adequado para a sua
centes, os músculos e os ossos das crianças ainda idade. O sistema de retenção deve ser ade-
não estão totalmente desenvolvidos. Por este quado para a idade, o peso e a constituição
motivo, em caso de acidente, as crianças estão física da criança.
sujeitas a um risco maior de ferimentos mais gra-  Transportar sempre apenas uma criança por
ves do que os adultos. cadeira de criança.
Como o corpo das crianças ainda não está total-  Observar o manual de instruções do fabri-
mente desenvolvido, devem ser usados sistemas cante da cadeira de criança e levá-lo sempre
de retenção para crianças adequados especial- no veículo. 
mente para o tamanho, o peso e a constituição
física da criança.

Sentar de forma correta e segura 81


Lista de controle (continuação) Normas específicas do país para o transporte
 Ao fixar a cadeira de criança com o cinto de de crianças no veículo
segurança, colocar sempre o cinto de acordo As cadeiras de criança devem possuir o selo do
com as instruções do fabricante da cadeira INMETRO1), como indicação de que elas atendem
de criança. totalmente os requisitos da norma da ABNT NBR
14400 (CONTRAN 277/2008, alterada pela reso-
 Atentar para o sentido correto do cadarço do
lução nº 100/2010)2). Mais informações podem
cinto de segurança no corpo da criança e pa-
ser obtidas em uma Concessionária Volkswagen.
ra a posição sentada correta de acordo com o
manual de instruções do fabricante da cadei-
ra de criança.

Divisão de grupos das cadeiras de criança de acordo com a Resolução nº 277 do CONTRAN
Tipo de sistema de retenção Forma de instalação Idade
voltado para trás,
Berço portátil ou bebê-conforto Até 1 ano
de acordo com→ Fig. 71 D
voltado para frente De 1 ano até 4 anos
Assento tipo conversível
de acordo com→ Fig. 71 E
voltado para frente,
Assento de elevação De 4 anos até 7,5 anos
de acordo com→ Fig. 71 F

Cinto de segurança do veículo  De 7,5 anos até 10 anos

Além da idade, para escolha da cadeira de criança ● Seguir sempre os pontos da lista de controle
adequada, devem ser considerados também ou- e observar as medidas de segurança neles
tros fatores, como o peso, o tamanho e a consti- contidas.
tuição física geral da criança, porque é possível
que a estatura da criança não corresponda à mé- ATENÇÃO
dia geral de sua faixa etária. Em caso de dúvidas,
consulte uma Concessionária Volkswagen. No caso de um acidente, o banco traseiro com
uma cadeira de criança corretamente fixada é o
ATENÇÃO local mais seguro para crianças.
● Uma cadeira de criança adequada que foi
A observação da lista de controle é de suma im-
instalada corretamente e que é utilizada nos
portância para a segurança do condutor, dos
bancos traseiros proporciona a maior prote-
passageiros e de outros condutores, porque as-
ção possível a crianças de até 12 anos na
sim possíveis acidentes e ferimentos podem ser
maior parte das situações de acidente. 
evitados.

1) INMETRO: Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia.


2) ABNT-Norma NBR 14400 (CONTRAN): ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas / NBR - norma brasileira / CONTRAN - Conse-
lho Nacional de Trânsito.

82 Antes da condução
Diversos sistemas de fixação
Válido apenas para o Brasil

 Observe no início desse capítulo na página 80.

Fig. 70 No banco traseiro: as figuras A e B mostram como o sistema de retenção para crianças é fixado nos
olhais de suporte inferiores e com o cinto de fixação superior. A figura C mostra como o sistema de retenção
para crianças é fixado com o cinto de segurança do veículo e com o cinto de fixação superior.

Fig. 71 As figuras D , E e F mostram como o sistema de retenção para crianças é fixado somente com o
cinto de segurança do veículo.

As cadeiras de criança sempre devem ser fixadas car o cinto de fixação Top Tether sempre aperta-
corretamente e de forma segura de acordo com do de forma que a cadeira de criança se ajuste
as instruções de instalação do fabricante da ca- com força e firmeza ao respectivo assento.
deira de criança.
Sistemas de fixação específicos de cada país
A cadeira de criança instalada deve ser fixada
corretamente com os cintos de segurança do veí- Variantes de fixação → Fig. 70:
culo ou com ISOFIX e não pode se mover lateral- A Olhais de retenção ISOFIX e cinto de fixação
mente ou para cima ou para baixo. superior, tipo “Top Tether”.
As cadeiras de criança desenvolvidas para fixação B Presilha universal LATCH e cinto de fixação
com um cinto de fixação Top Tether também de- superior, tipo “Top Tether”.
vem ser fixadas com o Top Tether no veículo C Cinto de segurança automático de três pon-
→ Página 91. Fixar o cinto de fixação somente
tos e cinto de fixação superior, tipo “Top Tet-
nos olhais de retenção previstos para isso. Colo-
her”. 

Sentar de forma correta e segura 83


O sistema engloba a fixação do sistema de re- Os sistemas se prendem à fixação do sistema de
tenção para crianças com um cinto de fixação retenção para crianças no banco traseiro com um
superior (Top Tether) e os pontos de ancoragem cinto de segurança do veículo. 
inferiores no banco.

Tipos de cadeira de criança → Fig. 71:


D Berço portátil ou bebê-conforto.
E Assento tipo conversível.
F Assento de elevação.

Uso da cadeira de criança no banco mentada pela Deliberação nº 100 de 02/09/2010,


em complemento à Resolução nº 277 do CON-
do passageiro dianteiro TRAN
Válido apenas para o Brasil
O airbag frontal do passageiro dianteiro ativado
 Observe no início desse capítulo na pági- representa um grande perigo para uma criança
na 80. caso ela seja transportada em uma cadeira de cri-
ança no sentido contrário ao da direção.
Se uma criança se sentar em uma cadeira de cri-
ança voltada para o sentido contrário da direção
no banco do passageiro dianteiro, ela pode ser
atingida por um impacto tão forte que pode oca-
sionar ferimentos que representem risco de vida
→ . Por esta razão, uma cadeira de criança do
grupo 0 ou 0+ voltada para o sentido contrário ao
da direção nunca deve ser utilizada com o airbag
frontal do passageiro dianteiro ativado.
Uma cadeira de criança voltada para o sentido
Fig. 72 No para-sol do lado do passageiro dianteiro: contrário ao da direção no banco do passageiro
etiqueta adesiva do airbag. dianteiro somente pode ser utilizada quando es-
tiver garantido que o airbag frontal do passageiro
dianteiro está desativado. Isto pode ser notado
pelo acendimento da luz de controle amarela
PASSENGER AIR BAG (AIRBAG DO PASSAGEIRO)
no painel de instrumentos   → capítulo Siste-
ma de airbag. Se o airbag frontal do passageiro
dianteiro não puder ser desativado e permanecer
ativado, o transporte de crianças no banco do
passageiro dianteiro não é permitido → .

Etiqueta adesiva do airbag


No para-sol do passageiro dianteiro → Fig. 72 ou
na coluna B do lado do passageiro dianteiro
→ Fig. 73 há etiquetas adesivas com informações
importantes sobre o airbag frontal do passageiro
Fig. 73 Na coluna B do lado do passageiro dianteiro: dianteiro. Dependendo do país em que o veículo
etiqueta adesiva do airbag.
é vendido, o conteúdo ou o local (lado do condu-
O transporte de crianças no banco do passageiro tor ou lado do passageiro dianteiro) da etiqueta
dianteiro não é permitido em todos os países. No pode variar. Antes da instalação de uma cadeira
Brasil, a permissão para o uso de um sistema de de criança voltada para trás, é imprescindível ob-
retenção para crianças no banco do passageiro servar os alertas → . 
dianteiro em situações excepcionais é regula-

84 Antes da condução
Estão previstas exceções para o transporte de ● Seguir as instruções de instalação do fabri-
crianças no banco do passageiro dianteiro cante da cadeira de criança e observar os
– Se o veículo estiver equipado somente com um alertas.
banco do passageiro dianteiro, ● Deslocar o banco do passageiro dianteiro na
– se o número de crianças com menos de 10 longitudinal totalmente para trás e regulá-lo
anos ultrapassar a capacidade de assentos do totalmente para cima, de maneira a obter a
banco traseiro. Neste caso, o transporte da cri- maior distância possível do airbag frontal.
ança maior no banco do passageiro dianteiro é ● Posicionar o encosto do banco na vertical.
permitido se o cinto de segurança do veículo
● Proteger crianças sempre com um sistema
ou um sistema de retenção adequado para a
de retenção adequado e liberado para a res-
idade da criança for utilizado.
pectiva idade. 
Se uma criança for transportada no banco do
passageiro dianteiro, é imprescindível
observar que:
Uso de cadeiras de criança no banco
– o airbag frontal do passageiro dianteiro esteja
desativado se a cadeira de criança estiver vol-
traseiro (somente em veículos com
tada para o sentido contrário ao da direção  cabine dupla)
→ capítulo Sistema de airbag. Válido apenas para o Brasil
– O encosto do banco do passageiro dianteiro
está posicionado na vertical.
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 80.
– O banco do passageiro dianteiro deve estar
deslocado totalmente para trás. Em primeiro lugar, determinar o tipo de fixação
– O banco do passageiro dianteiro deve estar re- do sistema de retenção para criança. Ver
gulado totalmente para cima no caso de ban- → Página 83.
cos com altura ajustável.
Na fixação de uma cadeira de criança no banco
– A cadeira de criança utilizada deve ser adequa- traseiro, o banco dianteiro deve ser regulado de
da para a idade, o peso e o tamanho da crian- modo que a criança tenha espaço suficiente. Em
ça. seguida, a posição do banco dianteiro deve ser
ajustada de acordo com o tamanho da cadeira de
PERIGO criança e com a estatura da criança. Ao mesmo
Nunca colocar uma criança em uma cadeira de tempo deve-se atentar para a posição correta do
criança voltada para trás no banco do passagei- banco do passageiro dianteiro  → capítulo Sen-
ro dianteiro quando o airbag frontal do passa- tar de forma correta e segura.
geiro dianteiro estiver ativado. A criança pode Mover o apoio para cabeça ou, se necessário, re-
ser morta pelo acionamento do airbag frontal, movê-lo, caso ele dificulte a instalação da cadeira
pois a cadeira de criança é atingida com toda a de criança. Conservar de forma segura no veículo
força e lançada contra o encosto do banco. o apoio para cabeça removido → capítulo Sentar
de forma correta e segura.
PERIGO
Em casos excepcionais em que uma criança é ATENÇÃO
transportada no banco do passageiro dianteiro Uma criança na cadeira de criança no banco
com as costas voltadas para o sentido de dire- traseiro pode ser ferida mortalmente ao brincar
ção, atentar para o seguinte: com cintos de segurança traváveis.
● Desativar sempre o airbag frontal do passa- ● Proteger sempre os cintos de segurança tra-
geiro dianteiro e mantê-lo desativado. váveis não utilizados no banco traseiro. 
● A cadeira de criança deve ser liberada pelo
fabricante da cadeira de criança para o uso
em bancos do passageiro dianteiro com air-
bag frontal ou com airbags para cabeça e la-
terais combinados.

Sentar de forma correta e segura 85


Fixação da cadeira de criança com o cinto de segurança do veículo
Válido apenas para o Brasil

 Observe no início desse capítulo na pági-


na 80.

Cadeiras de criança com a denominação "univer-


sal" podem ser fixadas com o cinto de segurança
aos assentos indicados na tabela com um "u". Do
contrário, eles são indicados com um x.

Assentos laterais do
Banco do passageiro di- banco traseiro (somen- Assento central do ban-
Classes de peso
anteiro te em veículos com ca- co traseiro
bine dupla)
u
montada no sentido u
Grupo 0
contrário ao da direção - montada no sentido x
até 10 kg
ver observações na contrário ao da direção
→ Página 84
u
montada no sentido u
Grupo 0+
contrário ao da direção - montada no sentido x
até 13 kg
ver observações na contrário ao da direção
→ Página 84
u u
Grupo 1
montada no sentido de montada no sentido de x
9 até 18 kg
direção direção
u u
Grupo 2
montada no sentido de montada no sentido de x
15 até 25 kg
direção direção
u u
Grupo 3
montada no sentido de montada no sentido de x
22 até 36 kg
direção direção
u: universal; x: assento não adequado para a instalação de uma cadeira de criança deste grupo.

Assentos do banco traseiro (so-


Classes de peso Banco do passageiro dianteiro mente em veículos com cabine
dupla)
u
u
Grupo 0 montada no sentido contrário ao
montada no sentido contrário ao
até 10 kg da direção - ver observações na
da direção
→ Página 84
u
u
Grupo 0+ montada no sentido contrário ao
montada no sentido contrário ao
até 13 kg da direção - ver observações na
da direção
→ Página 84
Grupo 1 u u
9 até 18 kg montada no sentido de direção montada no sentido de direção 

86 Antes da condução
Assentos do banco traseiro (so-
Classes de peso Banco do passageiro dianteiro mente em veículos com cabine
dupla)
Grupo 2 u u
15 até 25 kg montada no sentido de direção montada no sentido de direção
Grupo 3 u u
22 até 36 kg montada no sentido de direção montada no sentido de direção
u: universal; x: assento não adequado para a instalação de uma cadeira de criança deste grupo.

Fixação da cadeira de criança com o cinto de Remoção da cadeira de criança


segurança do veículo Só solte o cinto de segurança com o veículo para-
– Ler e observar as instruções do fabricante da do → .
cadeira de criança.
– Pressionar o botão vermelho no fecho do cinto
– Na montagem da cadeira de criança no banco de segurança. A lingueta do cinto de segurança
do passageiro dianteiro, deslocar o banco do deve saltar para fora.
passageiro dianteiro totalmente para trás e re-
– Retorne o cinto de segurança com a mão. Des-
gulá-lo totalmente para cima. Posicionar o en-
sa forma, o cadarço do cinto de segurança é
costo do banco da vertical → capítulo Sentar
enrolado com mais facilidade, o cinto de segu-
de forma correta e segura.
rança não se torce e o revestimento não é da-
– Posicionar a cadeira de criança sobre o banco e nificado.
passar o cinto de segurança de acordo com as
– Retire a cadeira de criança para fora do veículo
instruções do fabricante da cadeira de criança.
de acordo com as instruções do fabricante.
– Deslocar o apoio para cabeça ou, se necessá-
rio, removê-lo, caso ele dificulte a instalação ATENÇÃO
da cadeira de criança. Conservar de forma se-
gura no veículo o apoio para cabeça removido A liberação do cinto de segurança durante a
condução pode ocasionar ferimentos graves ou
→ capítulo Sentar de forma correta e segura.
fatais em caso de acidentes ou manobras súbi-
– Atentar para que o cinto de segurança não es- tas de frenagem e de direção.
teja torcido em nenhum ponto.
● Só retire o cinto de segurança com o veículo
– Colocar a lingueta do cinto de segurança no parado.
respectivo fecho do cinto de segurança até
que a lingueta do cinto de segurança trave de
ATENÇÃO
modo audível (clique).
Uma criança na cadeira de criança no banco
– Em veículos com cinto de segurança travável
traseiro pode ser ferida mortalmente ao brincar
(lado do passageiro dianteiro ou assentos ex-
com cintos de segurança traváveis.
ternos do banco traseiro): puxar o cadarço do
cinto de segurança totalmente para fora e dei- ● Proteger sempre os cintos de segurança tra-
xar que ele seja enrolado pelo enrolador auto- váveis não utilizados no banco traseiro. 
mático do cinto de segurança. Ao enrolar é
possível ouvir um ruído de “raspagem”.
– O cadarço do cinto de segurança deve estar
apoiado firme e completamente na cadeira de
criança ou na criança.
– Realizar um teste de tração no cinto de segu-
rança – agora não deve mais ser possível reti-
rar o cadarço do cinto de segurança inferior.

Sentar de forma correta e segura 87


Fixar a cadeira de criança com os perpendicularmente ao lado da inscrição ISO-
FIX. A cadeira de criança deve engatar de mo-
pontos de ancoragem inferiores do seguro e audível.
(ISOFIX) (somente em veículos com – Realizar um teste de tração nos dois lados da
cabine dupla) cadeira de criança.

 Observe no início desse capítulo na pági- Cadeira de criança com cintos de fixação
na 80. reguláveis
– Na instalação ou desinstalação, observar as
instruções do fabricante da cadeira de criança
→ .
– Posicionar a cadeira de criança sobre a superfí-
cie do banco e prender os ganchos dos cintos
de fixação nos olhais de fixação → Fig. 74.
– Puxar os cintos de fixação com força e de for-
ma regular no respectivo mecanismo de ajuste.
A cadeira de criança deve estar bem encostada
no banco do veículo.
– Realizar um teste de tração nos dois lados da
cadeira de criança.

ATENÇÃO
Fig. 74 Identificação dos pontos de ancoragem infe-
riores da cadeira de criança no banco do veículo. Os pontos de ancoragem inferiores para cadei-
ras de criança não são olhais de amarração. Fi-
2 olhais de retenção, os assim denominados pon- xar somente cadeiras de criança nos pontos de
tos de ancoragem, podem estar localizados em ancoragem inferiores. 
cada assento lateral do banco traseiro. Os olhais
de retenção estão fixos na estrutura do banco.

Cadeiras de criança com fixação rígida


– Na instalação ou desinstalação, observar as
instruções do fabricante da cadeira de criança
→ .
– Colocar a cadeira de criança nos olhais de re-
tenção no sentido das setas → Fig. 74. As aber-
turas de introdução encontram-se

88 Antes da condução
Fixação de cadeiras de criança nos pontos de ancoragem (ISOFIX e LATCH -
somente em veículos com cabine dupla)
 Observe no início desse capítulo na pági- 2 olhais de retenção para cada cadeira, os cha-
na 80. mados pontos de ancoragem, encontram-se en-
tre o encosto e o banco nos assentos laterais do
banco traseiro → Fig. 75.

Vista geral para fixação com ISOFIX


De acordo com as determinação sobre as classes
de tamanho A até G na norma europeia ECE-
-R 161) e na NBR 6091, existem várias possibili-
dades de fixação de cadeiras de criança com o
sistema ISOFIX nos pontos de ancoragem inferio-
res nos respectivos assentos do veículo, que se-
rão apresentadas na tabela a seguir.

Fig. 75 No banco do veículo: identificação dos pon-


tos de ancoragem inferiores para cadeiras de crian-
ça.

Grupo (classe de peso) em cadeiras de criança com ISOFIX


Grupo 0: até
10 kg Grupo 3:
Grupo 0: Grupo 2:
Grupo 1: 9 até 18 kg 22 a
até 10 kg Grupo 0+: até 15 a 35 kg
36 kg
13 kg
Voltado para trás Voltado para frente
Direção de instalação
(Contrário ao sentido de direção) (no sentido de direção)
Classe de tamanho E C D E C Da) Aa) B B1a) - -
Instalação no banco
do passageiro dian-
teiro
ou Assento sem pontos de ancoragem, sem fixação com ISOFIX/LATCH
Instalação no assen-
to central do banco
traseiro
Instalação nos as-
sentos externos do IL-SU IL-SU IL-SU IUF/IL-SU IL-SU IL-SU
banco traseiro
Sistema de retenção
Cadeiras de criança com aprovação i-Size não são adequadas para este veículo.
i-Size
a) Na instalação das classes de assentos A, B1 e D, o apoio para cabeça deve ser colocado na posição superior.

X: assento inadequado para a fixação de uma ca- IL-SU: assento adequado para a instalação de
deira de criança ISOFIX desse grupo. uma cadeira de criança ISOFIX com aprovação
“semi-universal”. Atentar para a lista de veículos
do fabricante da cadeira de criança. 

1) Regulamento ECE: Economic Commission for Europe (Comissão Econômica para Regulamentação na Europa).

Sentar de forma correta e segura 89


IUF: assento adequado para a instalação de uma – Posicionar a cadeira de criança sobre a superfí-
cadeira de criança ISOFIX com aprovação “uni- cie do banco e prender os ganchos dos cintos
versal” e fixação com o cinto de fixação Top Tet- de fixação nos olhais de fixação → Fig. 75, des-
her. de que os cintos de fixação tenham sido forne-
cidos juntamente com a cadeira de criança.
Cadeiras de criança com fixação rígida
– Puxar os cintos de fixação de forma firme e re-
(ISOFIX)
gular no respectivo mecanismo de ajuste. A
– Na instalação ou desinstalação, observar as cadeira de criança deve estar bem encostada
instruções do fabricante da cadeira de criança no banco do veículo.
→ .
– Fazer um teste de tração nos dois lados da ca-
– Ler e atentar para as orientações → Página 84, deira de criança para assegurar que ambas as
Uso da cadeira de criança no banco do passa- travas estão travadas.
geiro dianteiro.
– Colocar a cadeira de criança nos olhais de re- ATENÇÃO
tenção no sentido das setas → Fig. 75. As aber- Os pontos de ancoragem inferiores para cadei-
turas de introdução encontram-se perpendicu- ras de criança não são olhais de amarração. Nos
larmente ao lado da inscrição ISOFIX. A cadeira pontos de ancoragem inferiores, fixar somente
de criança deve engatar de modo seguro e au- cadeiras de criança desenvolvidas para este
dível (clique). uso.
– Se necessário, deslocar o apoio para cabeça ● Para a fixação com cintos ajustáveis (LATCH)
para que ele não dificulte a instalação da ca- somente os cintos fornecidos juntamente
deira de criança → capítulo Sentar de modo com a cadeira de criança podem ser utiliza-
correto e seguro. dos. Cintos adaptados ou reproduzidos não
– Fazer um teste de tração nos dois lados da ca- podem ser utilizados para a fixação da cadei-
deira de criança para assegurar que ambas as ra de criança. 
travas estão travadas.
Montar o apoio para cabeça novamente após a
desinstalação da cadeira de criança → capítu-
lo Sentar de forma correta e segura.

Cadeira de criança com cinto de fixação


ajustável (LATCH)
– Na instalação ou desinstalação, observar as
instruções do fabricante da cadeira de criança
→ .
– Ler e atentar para as orientações → Página 84,
Uso da cadeira de criança no banco do passa-
geiro dianteiro.

90 Antes da condução
Fixação com o cinto de fixação – Rebater o encosto do banco de volta e pressio-
nar o encosto na trava com firmeza.
superior (Top Tether - somente em
– Colocar o cinto apertado, de forma que a ca-
veículos com cabine dupla) deira de criança se ajuste à parte superior do
Válido apenas para o Brasil encosto do banco.

 Observe no início desse capítulo na pági- ATENÇÃO


na 80.
Cadeiras de criança com pontos de ancoragem
inferiores e cintos de fixação superiores devem
ser instaladas conforme as respectivas indica-
ções dos fabricantes. Do contrário, podem
ocorrer ferimentos graves.
● Fixar sempre somente um cinto de fixação
de uma cadeira de criança em um olhal de fi-
xação.
● Utilizar sempre somente os olhais de fixação
previstos para o cinto de fixação.
● Nunca fixar o cinto de fixação em um olhal
de amarração.
● Para a fixação superior (Top Tether), somente
o cinto fornecido juntamente com a cadeira
Fig. 76 Cinto de fixação superior preso na parte de de criança (desde que disponível) pode ser
trás do encosto do banco traseiro. utilizado. Cintos adaptados ou reproduzidos
não podem ser utilizados para esta finalida-
– Na instalação ou desinstalação, observar as de. 
instruções do fabricante da cadeira de criança
→ .
– Ler e atentar para as orientações→ Página 81.
– Colocar a cadeira de criança na posição de ins-
talação desejada.
– Destravar o encosto do banco e rebater o en-
costo um pouco para frente → capítulo Sentar
de forma correta e segura.
– Deslocar para cima o apoio para cabeça encon-
trado atrás da cadeira de criança.
– Fixar a cadeira de criança com o cinto de segu-
rança do veículo nos pontos de ancoragem
ISOFIX inferiores → Página 89. A cadeira de cri-
ança deve engatar de modo seguro e audível
(clique).
– Deslocar para cima o apoio para cabeça encon-
trado atrás da cadeira de criança.
– Considerando que o cinto de fixação tenha si-
do fornecido juntamente com a cadeira de cri-
ança, passe-o (de acordo com o modelo da ca-
deira de criança) embaixo ou nas duas laterais
do apoio para cabeça para o lado de trás do
encosto do banco.
– Prender o cinto de fixação superior no respec-
tivo olhal de fixação → Fig. 76.

Sentar de forma correta e segura 91


Iluminação e visibilidade ● Ligar o farol baixo sempre na escuridão, ne-
blina ou com má visibilidade.
Iluminação
ATENÇÃO
Um farol com regulagem muito alta e a utiliza-
 Introdução ao tema ção inadequada do farol alto podem distrair e
impedir a visão dos demais usuários da via. Isso
pode causar acidentes e ferimentos graves.
Observar as determinações legais específicas de
cada país para a utilização da iluminação do veí- ● Atentar para que o farol esteja regulado cor-
culo. retamente.
● Nunca usar o farol alto ou o sinal de luz
O condutor é sempre o responsável pela regula-
quando a visão dos demais usuários da via
gem correta do farol e da luz de condução.
puder ser ofuscada. 
ATENÇÃO
Poderão ocorrer acidentes e ferimentos graves
se a rua não estiver suficientemente iluminada
e o veículo for visto somente com dificuldade
ou não for visto pelos demais usuários da via.

Luzes de controle
 Observe no início desse capítulo na página 92.

Luzes de controle no instrumento combinado


acende/
Causa possível Solução
pisca
Substituir a respectiva lâmpada incandes-
cente → Página 293.
Iluminação de condução não funciona parci- Se todas as lâmpadas incandescentes esti-
 al ou totalmente. verem em ordem, procurar uma Concessio-
nária Volkswagen ou uma empresa especia-
lizada.

 Lanterna de neblina ligada.


→ Página 95
 Farol de neblina ligado.

Indicadores de direção esquerdos ou direi-


tos.
Se necessário, verificar a iluminação do veí-
 A luz de controle pisca duas vezes mais rápi-
do quando um indicador de direção do veí-
culo e do reboque.
culo ou do reboque estiver queimado.

 Farol alto ligado ou sinal de luz acionado. → Página 93

Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e


de controle se acendem rapidamente para verifi-
cação da função. Elas se apagam após alguns se-
gundos. 

92 Antes da condução
Luzes de controle no interruptor das luzes
Acesa Causa possível
Comando automático das luzes e, se for o caso, farol de rodagem diurna ligado
 → Página 94.

 Farol de neblina ligado → Página 95.

 Luz de posição ligada → Página 94.

ATENÇÃO ● Um veículo parado representa um grande ris-


co de acidente para si mesmo e para os de-
A inobservância das luzes de advertência acesas
mais usuários da via. Se necessário, ligar as
e das mensagens de texto pode causar a parada
luzes de advertência e posicionar o triângulo
do veículo no trânsito, acidentes e ferimentos
de segurança para alertar os demais usuários
graves.
da via.
● Nunca deixar de observar as luzes de adver-
tência e as mensagens de texto. NOTA
● Parar o veículo assim que possível e seguro. A inobservância das luzes de controle que se
● Estacionar o veículo a uma distância segura acendem e das mensagens de texto pode causar
da pista de rodagem de forma que nenhuma danos ao veículo. 
das peças do sistema de escape entre em
contato com materiais inflamáveis, como,
por exemplo, grama seca, combustível, óleo
etc.

Alavanca dos indicadores de Mover a alavanca dos indicadores de direção e do


direção e do farol alto farol alto para a posição desejada:
A Ligar os indicadores de direção à direita → .
 Observe no início desse capítulo na pági- OU: Ligar a luz de estacionamento à direita.
na 92. Para isso, com a ignição desligada e a partir
da posição central, colocar a alavanca em po-
sição → Página 95.
Colocar a alavanca na posição de base para
desligar o indicador de direção ou a luz de
estacionamento.
B Ligar os indicadores de direção à esquerda
→ .
OU: Ligar a luz de estacionamento à esquer-
da. Para isso, com a ignição desligada e a
partir da posição central, colocar a alavanca
em posição → Página 95.
C Ligar o farol alto → . Com o farol alto liga-
do, a luz de controle  se acende no instru-
Fig. 77 Alavanca dos indicadores de direção e do fa- mento combinado.
rol alto. D Acionar o sinal de luz ou desligar o farol alto.
O sinal de luz permanece aceso enquanto a
alavanca estiver puxada. A luz de controle 
está acesa. 

Iluminação e visibilidade 93
Sinais intermitentes de conforto Ligar e desligar as luzes
Para ligar os sinais intermitentes de conforto,
deslocar a alavanca dos indicadores de direção e  Observe no início desse capítulo na pági-
do farol alto para cima ou para baixo somente até na 92.
o ponto de pressão e soltá-la. O pisca pisca 3 ve-
zes.
Para finalizar os sinais intermitentes de conforto
antes do tempo, movimentar a alavanca imedia-
tamente até o ponto de pressão, no sentido con-
trário, e soltar.
Esta função pode ser desativada em uma Conces-
sionária Volkswagen.

ATENÇÃO
A utilização inadequada ou a não utilização dos
indicadores de direção, bem como esquecer de
desligá-los, pode confundir os demais usuários
da via. Isso pode causar acidentes e ferimentos
graves. Fig. 78 Ao lado do volante: interruptor de luzes
(uma variante).
● Mudança de faixa, manobras de ultrapassa-
gem e de desvio sempre devem ser indicadas Observar as determinações legais específicas de
em tempo hábil por meio dos indicadores de cada país para a utilização da iluminação do veí-
direção. culo.
● Desligar os indicadores de direção após a Em veículos com dispositivo de reboque instala-
conclusão da mudança de faixa, da manobra do de fábrica ou instalado posteriormente de fá-
de ultrapassagem ou de desvio. brica: num reboque de conexão elétrica com lan-
terna de neblina, a lanterna de neblina do veículo
ATENÇÃO desliga-se automaticamente.
Uma utilização incorreta do farol alto pode cau-
sar acidentes e ferimentos graves, uma vez que Girar o interruptor das luzes para a posição de-
o farol alto pode desviar e ofuscar os demais sejada → Fig. 78:
usuários da via. Ignição desligada: lanterna de nebli-
na, farol baixo e luz lateral desliga-
A lanterna dos indicadores de direção fun-
ciona somente com a ignição ligada. As lu-
 dos.
Ignição desligada: luz desligada, farol
zes de advertência funcionam mesmo com a igni- de rodagem diurna ligado.
ção desligada → Página 273. Ignição desligada: iluminação de ori-
Se um indicador de direção falhar no veículo entação pode estar ligada.
ou no reboque, a luz de controle piscará  Ignição ligada: controle automático
das luzes e, se for o caso, farol de ro-
aproximadamente duas vezes mais rápido.
dagem diurna ligados.
Se o sinal sonoro não ressoar com o indica- Ignição desligada: luz lateral ligada.
dor de direção ligado, procurar uma Con-
cessionária Volkswagen ou uma empresa espe-  Ignição ligada: luz lateral e farol de
rodagem diurna ligados.
cializada. 
Ignição desligada: farol baixo desli-
gado – enquanto a chave do veículo
 estiver introduzida no cilindro de ig-
nição, a luz lateral continua acesa.
Ignição ligada: farol baixo ligado. 

94 Antes da condução
Farol e lanterna de neblina placa de licença e os botões no console central e
As luzes de controle  ou  mostram adicional- os botões no painel de instrumentos. Com a igni-
mente no interruptor das luzes ou no instrumen- ção ligada, também se acende o farol de roda-
to combinado quando o farol e a lanterna de ne- gem diurna.
blina estão ligados. Quando o nível de carga da bateria estiver muito
– Ligar o farol de neblina : puxar o interruptor baixo, a luz de posição se desliga automatica-
de luzes para fora da posição  ou  até o mente → . Isso impede que a bateria do veículo
primeiro engate. se descarregue ainda mais e não permita que o
motor do veículo seja ligado → Página 226.
– Ligar a lanterna de neblina : puxar totalmen-
te o interruptor de luzes para fora da posi- Luz de estacionamento permanente em
ção  ou . ambos os lados
– Para desligar o farol e a lanterna de neblina, Com a luz de estacionamento permanente ligada
pressionar o interruptor das luzes ou girar para em ambos os lados, somente as luzes de posição
a posição . em ambos os faróis e a área da lanterna traseira
se acendem.
Alertas sonoros para luzes não desligadas
Ligar a luz de estacionamento permanente em
Se a chave do veículo estiver fora do cilindro da
ambos os lados:
ignição e a porta do condutor aberta, soam aler-
tas sonoros nas condições a seguir relacionadas. – Girar o interruptor das luzes para a posição .
Isso é um lembrete para, se for o caso, desligar a – Desligar a ignição.
luz. – Travar o veículo por fora.
– Com a luz de estacionamento ligada
→ Página 93. Farol de rodagem diurna
– Interruptor das luzes na posição  ou . Para o farol de rodagem diurna, existem lâmpa-
das separadas no farol dianteiro.
ATENÇÃO Com o farol de rodagem diurna ligado, acendem-
A luz de posição e o farol de rodagem diurna -se somente as luzes separadas → .
não são intensos o suficiente para iluminar a O farol de rodagem diurna se acende cada vez
rua suficientemente e serem vistos pelos de- que a ignição for ligada, caso o interruptor das
mais usuários da via. luzes se encontre na posição ,  ou  e o
● Ligar o farol baixo sempre na escuridão, ne- freio de mão estiver desativado.
blina ou com má visibilidade.  O farol de rodagem diurna não pode ser ligado ou
desligado manualmente.

Comando automático das luzes 


Luz e visibilidade – funções
O comando automático das luzes é simplesmente
um auxílio e não pode reconhecer suficientemen-
 Observe no início desse capítulo na pági-
te todas as situações de condução.
na 92.
Se o interruptor das luzes estiver na posição ,
Luz de estacionamento a iluminação do veículo, bem como a iluminação
Com a luz de estacionamento ligada (indicadores dos instrumentos e dos interruptores será ligada
de direção à direita ou à esquerda), o farol com a e desligada automaticamente nas seguintes si-
luz de posição e a lanterna traseira se acendem tuações → :
no respectivo lado do veículo. A luz de estaciona- Ligação automática do farol baixo:
mento se acende somente com a ignição desliga-
da. – O sensor de chuva e de luz reconhece a escuri-
dão, por exemplo, na condução em túneis.
Luz de posição – O sensor de luz e de chuva identifica a chuva e
Quando o interruptor da luzes estiver na posição liga os limpadores do para-brisa.
, os dois faróis se acendem com a luz de posi-
Desligamento automático do farol baixo: 
ção, partes da lanterna traseira, a iluminação da

Iluminação e visibilidade 95
– Quando o sensor de chuva e de luz identifica de posição ou a luz de estacionamento se desliga
luminosidade suficiente. automaticamente com um determinado nível de
– Se os limpadores do para-brisa não limparem carga da bateria do veículo.
por alguns minutos. ● Parar o veículo sempre de forma segura e sufi-
cientemente iluminado.
Farol de conversão
● Se for necessária a iluminação do veículo du-
Na conversão lenta ou em curvas muito estreitas, rante várias horas, ligar, se possível, a luz de
a margem interna da curva é iluminada pelo farol estacionamento da direita ou da esquerda.
de neblina. O farol de conversão funciona apenas
em velocidades inferiores a 40 km/h (25 mph). ● Se não for possível dar partida no motor, re-
correr ao auxílio à partida e mandar examinar a
Ao engatar a marcha a ré, o farol de conversão bateria do veículo por uma Concessionária
pode se acender nos dois lados do veículo para Volkswagen ou por uma empresa especializa-
iluminar melhor a área ao redor do veículo duran- da.
te a manobra.
O farol alto somente pode ser ligado com o
Iluminação adicional no teto do veículo farol baixo ligado.
Conforme a versão, pode haver uma iluminação
Em caso de condições atmosféricas frias ou
adicional no teto do veículo montada de fábrica.
úmidas, o farol, bem como a lanterna tra-
As lanternas se ligam ou se desligam em vez das
seira e os indicadores de direção, podem emba-
lâmpadas do farol alto no farol dianteiro, se o fa-
çar-se temporariamente por dentro. Essa ocor-
rol alto for ligado ou desligado pela alavanca dos
rência é normal e não tem influência sobre a vida
indicadores de direção e do farol alto
→ Página 93.
útil do sistema de iluminação do veículo. 

ATENÇÃO
Poderão ocorrer acidentes se a rua não estiver Mascarar ou converter o farol
suficientemente iluminada e o veículo for visto
somente com dificuldade ou não for visto pelos  Observe no início desse capítulo na pági-
demais usuários da via. na 92.
● O comando automático das luzes () liga o
farol baixo somente com alterações da lumi- Em conduções em países com sentido de roda-
nosidade e não com neblina, por exemplo. gem contrário ao do país de origem, o farol baixo
assimétrico pode ofuscar os veículos que rodam
● Nunca conduzir com o farol de rodagem di- em sentido contrário. Por esse motivo, se for o
urna quando a rua não for iluminada sufi- caso, mascarar o farol em viagens internacionais.
cientemente em razão de condições climáti-
cas e de iluminação. O farol de rodagem di- A colagem de películas em determinadas áreas
urna não é claro o suficiente para iluminar a dos vidros do farol ou a mudança de posição do
rua satisfatoriamente e ser visto pelos de- farol devem ser realizados por uma empresa es-
mais usuários da via. pecializada. Outras informações podem ser obti-
das em uma empresa especializada. Para isso, a
● As lanternas traseiras não são ligadas junto
Volkswagen recomenda uma Concessionária
com o farol de rodagem diurna. Um veículo
Volkswagen.
sem as lanternas traseiras ligadas pode não
ser visto pelos demais usuários da via na es- O uso de películas sobre o farol somente é
curidão, na chuva ou em más condições de admissível se forem utilizadas por pouco
visibilidade. tempo. Dirigir-se a uma empresa especializada
para uma conversão permanente. Para isso, a
NOTA Volkswagen recomenda uma Concessionária
Se for utilizada a luz de posição ou a luz de esta- Volkswagen. 
cionamento, a bateria do veículo se descarrega.
Para possibilitar uma nova partida do motor, a luz

96 Antes da condução
Função “Coming Home” e Regulagem de alcance do farol,
“Leaving Home” (iluminação de iluminação dos instrumentos e dos
orientação) interruptores
 Observe no início desse capítulo na pági-  Observe no início desse capítulo na pági-
na 92. na 92.

As funções “Coming home” e “Leaving home”


iluminam-se durante a entrada e saída do ambi-
ente imediato do veículo em caso de escuridão.
A função “Coming Home” é ligada manualmente.
A função “Leaving Home”, por sua vez, controla
automaticamente um sensor de luz e de chuva.

Ligar a função “Coming home”


Fig. 79 Ao lado do volante: regulador da iluminação
– Desligar a ignição. dos instrumentos e interruptores 1 assim como re-
– Acionar o sinal de luz por aproximadamente gulagem de alcance do farol 2 .
um segundo → Página 93.
Ao lado do volante pode haver reguladores para a
A iluminação “Coming home” é ligada ao abrir a iluminação dos instrumentos e interruptores e/ou
porta do condutor. O tempo da iluminação tem- regulagem de alcance do farol.
porizada inicia com o fechamento da última por-
ta do veículo. 1 Iluminação dos instrumentos e dos
interruptores
Desligar a função “Coming home”
Com a luz ligada, a luminosidade dos instrumen-
– Automaticamente, após decurso do tempo da tos e dos interruptores pode ser regulada sem
iluminação temporizada configurada. escalonamento girando-se o regula-
– OU: automaticamente, se uma porta do veícu- dor → Fig. 79 1 . Em veículos sem o regulador
lo ainda estiver aberta cerca de 30 segundos 1 a iluminação dos instrumentos e dos interrup-
após ligar. tores está acesa constantemente.
– OU: girar o interruptor das luzes para a posi- Se o interruptor de luz estiver na posição  ou ,
ção . a iluminação do instrumento combinado desliga
– OU: ligar a ignição. na escuridão e, por exemplo, na passagem por
túneis. Isso deverá lembrar o condutor de ligar
Ligar a função “Leaving home” manualmente o farol baixo, para que assim tam-
– Destravar o veículo, se o interruptor das luzes bém as lanternas traseiras do veículo sejam liga-
estiver na posição  e o sensor de luz e de das → Página 95.
chuva reconhecer escuridão.
2 Regulagem de alcance do farol
Desligar a função “Leaving home” A regulagem de alcance do farol 2 adéqua os
– Automaticamente, após decurso do tempo da feixes de luz do farol sem escalonamento à con-
iluminação temporizada. dição de carga do veículo, de acordo com o valor
regulado. Com isso, o condutor tem as melhores
– OU: travar o veículo.
condições possíveis de visibilidade e o contraflu-
– OU: girar o interruptor das luzes para a posi- xo não é ofuscado → .
ção .
O farol somente pode ser regulado com o farol
– OU: ligar a ignição.
baixo ligado. 
Com a função “Coming Home” ligada, quan-
do a porta do condutor é aberta, nenhum
alerta sonoro soa para indicar que a luz ainda es-
tá ligada. 

Iluminação e visibilidade 97
Para regular, girar o regulador 2 : ATENÇÃO
Valor de Condições de cargaa) do veículo A presença de objetos pesados no veículo pode
ajuste fazer com que o farol ofusque a visibilidade e
Bancos dianteiros ocupados e com- distraia os demais usuários da via. Isso pode

partimento de carga vazio. causar acidentes e ferimentos graves.
Todos os assentos ocupados e com- ● Ajustar o feixe de luz sempre às condições de
1
partimento de carga vazio. carga do veículo de modo que os demais
Todos os assentos ocupados e com- usuários da via não sejam ofuscados. 
partimento de carga totalmente car-
2
regado. Condução com reboque com
carga de apoio reduzida.
Somente o banco do condutor ocu-
pado e compartimento de carga to-
3
talmente carregado. Condução com
reboque com carga de apoio máxima.
a) Em caso de cargas do veículo divergentes, também são possí-
veis posições intermediárias do regulador.

Lanternas internas e de leitura


 Observe no início desse capítulo na pági-
na 92.

Fig. 80 No console central: botão da iluminação do


compartimento de carga. 

98 Antes da condução
Fig. 81 Interruptor da iluminação da capota rígida do compartimento de carga: : acima da tampa traseira e
: no lado esquerdo do veículo, perto da tampa traseira.

Botão Função

 Desligar as lanternas internas.

 Ligar as lanternas internas.

Ligar o interruptor de contato da porta (posição intermediária).


As lanternas internas se acendem automaticamente ao destravar o veículo, ao abrir uma
 porta ou ao retirar a chave do veículo do cilindro da ignição.
A luz se apaga alguns segundos após o fechamento de todas as portas, ao travar o veícu-
lo ou ao ligar a ignição.

 Ligar ou desligar a lanterna de leitura.



Iluminação do porta-luvas Iluminação da capota rígida do
A iluminação do porta-luvas (dependendo da ver- compartimento de carga (em veículos com
são do veículo), no console central dianteiro, ilu- capota rígida do compartimento de carga)
mina de cima o porta-objetos no console central A iluminação da capota rígida do compartimento
quando a luz de posição ou o farol baixo estiver de carga não pode ser ligada quando o interrup-
ligado. tor → Fig. 81 1  estiver na posição central.
Ligar a iluminação da capota rígida do comparti-
Iluminação do compartimento de carga (em
veículos sem capota rígida do compartimento mento de carga:
de carga) – Deslocar o interruptor 1  para a esquerda
A iluminação do compartimento de carga é ligada ou para a direita.
com a ignição desligada, pressionando-se o bo- – Pressionar o botão   no lado esquerdo do
tão → Fig. 80. veículo nas proximidades da tampa traseira.
Com a iluminação do compartimento de carga li- – OU: pressionar o botão → Fig. 80.
gada, o compartimento de carga é iluminado.
Desligar a iluminação da capota rígida do com-
A iluminação do compartimento de carga se des- partimento de carga:
liga:
– Pressionar o botão  .
– Por pressão no botão → Fig. 80. – OU: pressionar o botão → Fig. 80. 
– OU: automaticamente após 15 minutos.
– OU: ao ligar a ignição.

Iluminação e visibilidade 99
– OU: pressionar o interruptor 1 na posição Se a tensão de bateria for muito baixa, não
central. será possível ligar a iluminação do compar-
– OU: automaticamente após 15 minutos. timento de carga ou a iluminação da capota rígi-
da do compartimento de carga ou ela se desliga. 
A lanterna de leitura se apaga ao travar o
veículo ou alguns minutos depois que a
chave do veículo for retirada do cilindro da igni-
ção. Isto impede que a bateria do veículo se des-
carregue.

Proteção solar Espelho de cortesia


No para-sol rebatido para baixo encontra-se um
espelho de cortesia atrás de uma cobertura.
 Introdução ao tema Para abrir, empurrar a cobertura no sentido da
seta 2 . 

ATENÇÃO
Para-sóis rebatidos para baixo podem reduzir a
visibilidade. Limpadores e lavadores do
● Reconduzir sempre os para-sóis de volta aos
suportes quando eles não forem mais neces-
para-brisa
sários. 
 Introdução ao tema
Para-sóis
ATENÇÃO
 Observe no início desse capítulo na pági- A água dos lavadores do para-brisa sem anti-
na 100. congelante suficiente pode congelar sobre o
para-brisa e limitar a visibilidade frontal.
● Utilizar os lavadores do para-brisa somente
com anticongelante suficiente em tempera-
turas de inverno.
● Nunca utilizar os lavadores do para-brisa em
temperaturas de inverno enquanto o para-
-brisa não tiver sido aquecido com o sistema
de ventilação. Caso contrário, o aditivo anti-
congelante pode congelar sobre o para-brisa
e reduzir a visibilidade.

Fig. 82 No revestimento do teto: para-sol. ATENÇÃO


Palhetas dos limpadores do para-brisa gastas
Possibilidades de ajuste dos para-sóis para o
ou sujas reduzem a visibilidade e aumentam o
condutor e para o passageiro dianteiro:
risco de acidentes e de ferimentos graves.
– Rebater na direção do para-brisa.
● Substituir as palhetas dos limpadores do pa-
– Retirar do suporte e girar na direção das portas ra-brisa sempre que estiverem danificadas
→ Fig. 82 1 . ou gastas e não limparem mais o para-brisa
de forma satisfatória. 

100 Antes da condução


NOTA do o veículo é parado com tempo frio, a posição
de serviço dos limpadores do para-brisa pode ser
No caso de geada, verificar, antes de ligar os lim-
útil → Página 103. 
padores do para-brisa, se as palhetas dos limpa-
dores do para-brisa não estão congeladas! Quan-

Luz de controle
 Observe e no início desse capítulo na página 100.

Acesa Causa possível Solução


Completar o reservatório de água dos lavado-
Nível de água dos lavadores do para-brisa
 muito baixo.
res do para-brisa assim que possível
→ Página 105.

Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e NOTA


de controle se acendem rapidamente para verifi-
cação da função. Elas se apagam após alguns se- A inobservância das luzes de controle que se
gundos. acendem e das mensagens de texto pode causar
danos ao veículo. 

Alavanca dos limpadores do para-brisa


 Observe e no início desse capítulo na
página 100.

Fig. 83 Comandar os limpadores do para-brisa.

Mover a alavanca dos limpadores do para-brisa para a posição desejada → :

0
 Limpadores do para-brisa desligados.

Temporizador dos limpadores do para-brisa.


Com o interruptor → Fig. 83 A , regular os intervalos (veículos sem sensor de chuva e
1
 de luz) ou a sensibilidade do sensor de chuva e de luz (veículos com sensor de chuva e
luz).
2
 Limpeza lenta. 

Iluminação e visibilidade 101


Mover a alavanca dos limpadores do para-brisa para a posição desejada → :

3
 Limpeza rápida.

Movimento único dos limpadores do para-brisa – limpeza curta. Manter a alavanca dos
4  limpadores do para-brisa pressionada para baixo por um tempo mais longo para limpar
mais rapidamente.
Sistema de limpeza e de lavagem automático para limpar o para-brisa com a alavanca
5
 dos limpadores do para-brisa puxada.

NOTA ● Soltar as palhetas dos limpadores do para-bri-


sa congeladas cuidadosamente do para-brisa.
Se a ignição for desligada com os limpadores do
Para isso, a Volkswagen recomenda um spray
para-brisa ligados, os limpadores do para-brisa
anticongelante.
continuarão a limpar a partir do mesmo estágio
de limpeza quando a ignição for ligada novamen-
te. Geada, neve e outros obstáculos sobre o vidro NOTA
podem ocasionar danos aos limpadores do para- Não ligar os limpadores do para-brisa com o vi-
-brisa e ao motor dos limpadores do para-brisa. dro seco. A limpeza a seco com as palhetas dos
● Antes de iniciar a condução, se necessário, re- limpadores do para-brisa passando sobre o vidro
tirar a neve e o gelo dos limpadores do para- pode danificar o vidro.
-brisa e dos vidros. Os limpadores do para-brisa funcionam so-
mente com a ignição ligada e a tampa do
compartimento do motor fechada. 

Funções dos limpadores do para-brisa


 Observe e no início desse capítulo na página 100.

Comportamento dos limpadores do para-brisa em diversas situações:


O estágio do limpador de para-brisa ligado alterna tempora-
Com o veículo parado:
riamente para o estágio imediatamente anterior.
O Climatronic alterna durante aproximadamente 30 segundos
Com o sistema de limpeza e de lava-
para o modo de recirculação de ar para evitar odores da água
gem automático em funcionamento:
dos lavadores do para-brisa no interior do veículo.
Os intervalos dependem da velocidade do veículo. Quanto
Na limpeza com intervalos:
maior a velocidade, mais curto é o intervalo.

Posição elevada dos lavadores A partir de +4 °C (+39 °F), durante a limpeza em


Durante a limpeza em intervalos e em tempera- intervalos, os braços dos limpadores do para-bri-
turas abaixo de +4 °C (+39 °F), os braços dos lim- sa são mantidos totalmente em sua posição infe-
padores do para-brisa não ficam totalmente em rior.
sua posição mais baixa, permanecendo em uma
posição ligeiramente mais alta até o próximo ci- Bicos dos lavadores do para-brisa aquecíveis
clo de limpeza para maior conforto. O aquecimento descongela apenas os bicos dos
lavadores do para-brisa congelados, mas não as
Ao sair da limpeza em intervalos, é realizado um
mangueiras que conduzem a água. A potência de
ciclo de limpeza e os limpadores do para-brisa
aquecimento dos bicos dos lavadores do para-
são colocados em sua posição inferior.
-brisa aquecíveis é regulada automaticamente de
acordo com a temperatura ambiente quando a
ignição é ligada. 

102 Antes da condução


Caso haja um obstáculo no para-brisa, os queando os limpadores do para-brisa, os limpa-
limpadores do para-brisa tentarão remover dores do para-brisa pararão. Remover o obstácu-
esse obstáculo. Se o obstáculo continuar blo- lo e ligar os limpadores do para-brisa novamente. 

Posição de serviço dos limpadores Posicionar os braços dos limpadores do para-bri-


sa novamente sobre o para-brisa antes do início
do para-brisa da condução! Pressionar a alavanca dos limpado-
res do para-brisa brevemente para baixo, com a
 Observe e no início desse capítulo na ignição ligada, para retornar os braços dos limpa-
página 100. dores do para-brisa à posição inicial.

NOTA
● Para evitar danos à tampa do compartimento
do motor e aos braços dos limpadores do para-
-brisa, suspender os braços dos limpadores do
para-brisa somente na posição de serviço.
● Antes do início da condução, posicionar sem-
pre os braços dos limpadores do para-brisa so-
bre o para-brisa. 

Sensor de chuva e fotossensor


Fig. 84 No para-brisa: limpadores do para-brisa na  Observe e no início desse capítulo na
posição de serviço. página 100.

Na posição de serviço, os braços dos limpadores


do para-brisa podem ser erguidos do para-brisa
→ Fig. 84. Para colocar os limpadores do para-
-brisa na posição de serviço, proceder conforme
segue:
– Estacionar o veículo.
– A tampa do compartimento do motor precisa
estar fechada → Página 212.
– Ligar e desligar a ignição.
– Pressionar a alavanca dos limpadores do para-
-brisa brevemente para baixo dentro de 10 se- Fig. 85 Alavanca dos limpadores do para-brisa: re-
gundos após desligar a ignição → Fig. 83 4 . gular a sensibilidade do sensor de chuva e fotossen-
sor A . 
– Os limpadores do para-brisa se movimentam
para a posição de serviço.

Suspender as palhetas dos limpadores do


para-brisa
– Antes de suspender os braços dos limpadores
do para-brisa, colocá-los na posição de serviço
→ .
– Para suspender um braço dos limpadores do
para-brisa, segurá-lo somente pela área de fi-
xação da palheta dos limpadores do para-brisa.

Iluminação e visibilidade 103


– Palhetas dos limpadores do para-brisa danifi-
cadas: uma película de água ou listras de lim-
peza ocasionadas por danificações nas palhe-
tas dos limpadores do para-brisa podem pro-
longar a duração da ligação, reduzir os interva-
los de limpeza ou produzir uma limpeza contí-
nua rápida.
– Insetos: a presença de insetos no para-brisa
pode ocasionar o acionamento da limpeza.
– Estrias de sal: no inverno, estrias de sal no vi-
Fig. 86 Superfície sensitiva do sensor de chuva e de dro podem provocar uma relimpeza extrema-
luz. mente longa no vidro quase seco.
– Sujeira: pó seco, cera, revestimentos do vidro
O sensor de chuva e fotossensor ativado controla (efeito lótus), resíduos de detergentes (sistema
automaticamente os intervalos dos limpadores de lavagem de veículos automático) podem
do para-brisa de acordo com a intensidade da tornar o sensor de luz e de chuva menos sensí-
precipitação e da sensibilidade ajustada → . A vel ou, posteriormente, mais lento ou até mes-
sensibilidade do sensor de chuva e fotossensor mo sem reação.
pode ser regulada manualmente com o interrup-
– Fissura no para-brisa: um impacto de uma pe-
tor → Fig. 85 A . Limpeza manual → Página 101.
dra aciona um ciclo de limpeza com o sensor
de luz e de chuva ligado. Depois disso, o sensor
Pressionar a alavanca na posição desejada
de luz e de chuva reconhece a diminuição da
→ Fig. 85:
superfície sensível e adequa-se a ela. De acor-
0 Sensor de luz e de chuva desativado. do com a dimensão do impacto da pedra, o
1 Sensor de luz e de chuva ativo – limpeza au- comportamento do acionamento do sensor
tomática, se necessária. pode alterar-se.
A Regular a sensibilidade do sensor de luz e de
chuva: ATENÇÃO
– Regular o interruptor para a direita – alta O sensor de luz e de chuva não pode reconhe-
sensibilidade. cer suficientemente qualquer chuva e ativar os
– Regular o interruptor para a esquerda – limpadores do para-brisa.
baixa sensibilidade. ● Se necessário, ligar os limpadores do para-
-brisa manualmente e em tempo hábil se a
Após desligar e religar a ignição, o sensor de luz e água sobre o para-brisa estiver limitando a
de chuva permanece ativado e volta a funcionar visibilidade.
se a alavanca dos limpadores dos vidros estiver
na posição 1 e a velocidade for superior a Limpar regularmente a superfície sensível
16 km/h (10 mph). do sensor de chuva e de luz → Fig. 86 (seta)
e verificar danos nas palhetas dos limpadores do
Comportamento de acionamento alterado do para-brisa.
sensor de luz e de chuva
As possíveis causas de avarias e interpretações Para a remoção de ceras e de resíduos de
errôneas na área da superfície sensível → Fig. 86 polimento, recomenda-se o uso de um lim-
(seta) do sensor de chuva e de luz são, entre ou- pa-vidros contendo álcool. 
tras:

104 Antes da condução


Verificar e reabastecer o nível de Informações sobre a capacidade do reservatório
de água dos lavadores do para-brisa são encon-
água dos lavadores do para-brisa tradas no capítulo → Página 317, Capacidades.
 Observe e no início desse capítulo na ATENÇÃO
página 100.
Nunca misturar anticongelante ou aditivos se-
melhantes inadequados à água dos lavadores
do para-brisa. Isso poderá produzir a formação
de uma película oleosa sobre o vidro que res-
tringirá consideravelmente a visibilidade.
● Utilizar água limpa e límpida (não utilizar
água destilada) com um produto de limpeza
de vidros recomendado pela Volkswagen.
● Se for o caso, misturar aditivos anticongelan-
tes adequados à água dos lavadores do para-
-brisa.

NOTA
● Nunca misturar os produtos de limpeza reco-
Fig. 87 No compartimento do motor: tampa do re- mendados pela Volkswagen com outros pro-
servatório de água dos lavadores do para-brisa. dutos de limpeza. Isso poderá ocasionar uma
floculação dos componentes e, consequente-
Verificar regularmente o nível de água dos lava- mente, um entupimento dos bicos dos lavado-
dores dos vidros e, se necessário, reabastecer. res do para-brisa.
No bocal do reservatório de água dos lavadores ● Ao reabastecer, não confundir os fluidos em
do para-brisa encontra-se uma peneira. A peneira nenhuma hipótese! Caso contrário, podem
retém as partículas de sujeira maiores ao abaste- ocorrer deficiências de funcionamento graves
cer, de modo que estas não cheguem aos bicos ou um dano do motor! 
do jato. Remover a peneira somente para limpar.
Se a peneira estiver danificada ou se não tiver
uma peneira instalada, tais partículas de sujeira
podem entrar no sistema ao reabastecer e oca-
sionar o entupimento dos bicos do jato. Espelhos retrovisores
– Abrir a tampa do compartimento do motor 
→ Página 212.  Introdução ao tema
– O reservatório de água dos lavadores do para-
-brisa pode ser reconhecido pelo símbolo  na
tampa → Fig. 87. Para a segurança de condução, é importante que
o condutor ajuste corretamente os espelhos re-
– Verificar se ainda há água suficiente no reser- trovisores externos e o interno antes do início da
vatório dos lavadores do para-brisa. condução → .
– Para reabastecer, misturar água limpa (não uti-
Através dos espelhos retrovisores externos e do
lizar água destilada) com um produto de lim-
espelho retrovisor interno, o condutor pode ob-
peza de vidros recomendado pela Volkswagen
servar o trânsito que o segue e ajustar o compor-
→ . Observar as prescrições para mistura na
tamento de condução próprio em relação ao
embalagem.
trânsito que o segue. Pelo olhar através dos es-
– Em caso de temperaturas externas baixas, pelhos retrovisores externos e do espelho retro-
acrescentar um aditivo anticongelante para visor interno, não pode ser visto todo o campo de
que a água não se congele → . condução lateral e traseiro. Estas áreas não visí-
– Fechar a tampa do compartimento do motor veis são denominadas de ângulo cego. No ângulo
→ Página 212. cego, pode-se encontrar os demais usuários da
via e objetos. 

Iluminação e visibilidade 105


ATENÇÃO superfícies plásticas. Remover o fluido o mais rá-
pido possível, por exemplo, com uma esponja
O ajuste dos espelhos retrovisores externos e
úmida. 
do espelho retrovisor interno durante a condu-
ção pode distrair o condutor. Isso pode causar
acidentes e ferimentos graves.
● Ajustar os espelhos retrovisores externos e o Espelho retrovisor interno
espelho retrovisor interno somente com o
veículo parado.  Observe e no início desse capítulo na
● Ao estacionar, mudar de faixa e em mano- página 106.
bras de ultrapassagem e de desvio, observar
sempre a área ao redor do veículo, já que os
demais usuários da via e objetos também po-
dem se encontrar no ângulo cego.
● Atentar sempre para que os espelhos retrovi-
sores estejam ajustados corretamente e que
a visibilidade traseira não seja limitada devi-
do ao gelo, à neve, ao embaçamento ou por
outros objetos.

ATENÇÃO
Os espelhos retrovisores antiofuscantes auto- Fig. 88 Espelho retrovisor interno com antiofuscan-
máticos contêm um fluido eletrolítico que pode te manual.
vazar caso o vidro do espelho seja quebrado.
● O fluido eletrolítico vazado pode irritar a pe-
le, os olhos e os órgãos do sistema respirató-
rio, sobretudo em pessoas com asma ou en-
fermidades semelhantes. Garantir a entrada
imediata de ar fresco suficiente e sair do veí-
culo ou, caso isso não seja possível, abrir to-
dos os vidros e portas.
● Se o fluido eletrolítico entrar em contato
com os olhos ou com a pele, lavar imediata-
mente com água em abundância no mínimo
durante 15 minutos e procurar um médico.
● Em caso de contato do fluido eletrolítico
com calçados e roupas, lavar imediatamente
com água em abundância durante 15 minu-
tos, no mínimo. Limpar cuidadosamente os
calçados e as roupas antes de reutilizá-los.
● Em caso de ingestão do fluido eletrolítico,
enxaguar imediatamente a boca com água
em abundância por pelo menos 15 minutos.
Não induzir o vômito caso isso não tenha si-
do prescrito por um médico. Procurar ajuda
médica imediatamente.
Fig. 89 Espelho retrovisor interno com antiofuscan-
NOTA te automático.
Em espelhos retrovisores antiofuscantes auto-
máticos, o fluido eletrolítico pode vazar pelo vi- O condutor deve sempre ajustar o espelho retro-
dro de um espelho quebrado. Este fluido ataca as visor interno de modo a assegurar suficiente visi-
bilidade traseira através do vidro traseiro. 

106 Antes da condução


Por exemplo, um vidro traseiro congelado, cober- Espelhos retrovisores externos
to de neve ou sujo pode limitar ou impedir a vi-
são traseira.  Observe e no início desse capítulo na
página 106.
Espelho retrovisor interno com antiofuscante
manual
– Posição de base: a alavanca na borda inferior
do espelho retrovisor aponta para o para-brisa.
– Para evitar o ofuscamento, puxar a alavanca
para trás → Fig. 89.

Espelho retrovisor interno com antiofuscante


automático
Com a ignição ligada, o espelho retrovisor interno
ofusca automaticamente, dependendo do cre-
púsculo com uma incidência de luz por trás.

Legenda para Fig. 89:


1 Sensor para reconhecer a incidência de luz
Fig. 90 Na porta do condutor: botão giratório dos
por trás.
espelhos retrovisores externos.
2 Sensor para reconhecer a incidência de luz
pela frente. Dependendo da versão, a ignição deve ser ligada
antes de ajustar os espelhos retrovisores exter-
Quando a incidência de luz sobre os sensores é nos.
comprometida ou interrompida, por exemplo, por
uma cortina de proteção solar, o espelho retrovi- Depois de desligar a ignição, os espelhos retrovi-
sor interno com antiofuscante automático não sores externos de rebatimento elétrico ainda po-
funciona ou não funciona sem falhas. dem ser rebatidos para dentro ou para fora por
um curto período através do botão giratório.
O escurecimento automático é desativado quan-
do for engatada a marcha a ré. Girar o botão rotativo para a posição desejada:
Não colocar aparelhos de navegação móveis no Rebater os espelhos retrovisores exter-
para-brisa ou próximo ao espelho retrovisor in-  nos para dentro eletricamente → .
terno com antiofuscante automático → . Ligar o desembaçador dos espelhos re-
 trovisores externos.
ATENÇÃO Ajustar o espelho retrovisor externo es-
O display iluminado de um aparelho de navega- querdo, movendo o botão giratório para
ção móvel pode comprometer o funcionamento  frente, para trás, para a direita ou para a
do espelho retrovisor interno com antiofuscan- esquerda.
te automático, causando acidentes e ferimen- Posição zero. O desembaçador dos es-
tos graves. pelhos retrovisores externos está desli-
● Falhas de funcionamento do antiofuscante  gado, não é possível ajustar os espelhos
automático podem impedir que o espelho re- retrovisores externos.
trovisor interno possa ser utilizado para de- Ajustar o espelho retrovisor externo di-
terminar exatamente a distância do veículo reito para frente, para trás, para a direi-
que segue atrás ou a distância de outros ob-  ta ou para a esquerda, movendo o botão
jetos.  giratório.

ATENÇÃO
Um rebatimento descuidado dos espelhos re-
trovisores externos para dentro e para fora po-
de provocar ferimentos. 

Iluminação e visibilidade 107


● Rebater os espelhos retrovisores externos Transportar
para dentro e para fora somente quando não
houver ninguém na área de funcionamento. Orientações para condução
● Atentar sempre para que nenhum dedo seja
preso entre o espelho retrovisor externo e a
base do espelho quando os espelhos retrovi-  Introdução ao tema
sores externos forem movidos.

ATENÇÃO Fixar o volume de bagagem no compartimento


de bagagem, sobre o bagageiro de teto, no com-
A avaliação imprecisa da distância dos veículos partimento de carga ou no reboque sempre com
vindos de trás pode causar acidentes e ferimen- segurança. Usar sempre olhais de amarração e fi-
tos graves. tas de amarração adequadas para fixar objetos
● As superfícies abauladas dos espelhos retro- pesados. Nunca sobrecarregar o veículo. Tanto o
visores (convexas ou asféricas) aumentam o carregamento quanto a distribuição da carga no
campo de visão e fazem os objetos parece- veículo têm influência sobre o comportamento
rem menores e mais distantes. de direção e sobre o efeito de frenagem → .
● O uso de espelhos retrovisores de superfícies
abauladas para avaliar a distância de veículos Manuseio de fitas de amarração e cintas
vindos de trás ao mudar de faixa de rodagem tensoras
é impreciso e pode causar acidentes e feri- – Atentar para o manual de instruções das fitas
mentos graves. de amarração e cintas tensoras utilizadas.
● Sempre que possível, usar o espelho retrovi- – Observar as informações sobre as resistências
sor interno para determinar com mais exati- máximas.
dão a distância dos veículos vindos de trás ou – O comprimento das fitas de amarração e cintas
a distância de outros objetos. tensoras deve ser adequado para o uso.
● Assegurar que haja visibilidade suficiente pa-
ra trás. Fitas de amarração e cintas tensoras
danificadas
NOTA Nunca utilizar fitas de amarração e cintas tenso-
ras com:
● Num sistema de lavagem de veículos automá-
tico, rebater sempre os espelhos retrovisores – Fios rompidos e cortados no sentido vertical
externos para dentro. ou longitudinal do tecido, que comprometam
● Não rebater os espelhos retrovisores externos mais de 10% do tecido
elétricos para dentro ou para fora de maneira – Costuras danificadas.
mecânica com as mãos, pois isso pode danifi- – Deformações ocasionadas pelo calor decorren-
car o acionamento elétrico. te da fricção e da radiação solar.
Manter o desembaçador dos espelhos retro- – Fissuras, especialmente fissuras transversais
visores externos ligado somente durante o ou fendas.
tempo necessário. Caso contrário, haverá um – Quebras ou sinais com suspeita de corrosão.
consumo desnecessário de combustível. – Danos nos elementos de fixação e junção.
O desembaçador dos espelhos retrovisores
aquece inicialmente com potência máxima ATENÇÃO
e, após aproximadamente 2 minutos, de acordo Objetos soltos ou fixados incorretamente po-
com a temperatura ambiente. dem causar ferimentos graves em manobras de
direção e de frenagem súbitas ou em acidentes.
Se houver uma avaria, os espelhos retrovi- Isso vale especialmente nos casos em que obje-
sores externos elétricos poderão ser ajusta- tos são atingidos pelo airbag acionado, sendo
dos manualmente por meio de pressão na borda arremessados pelo interior do veículo. Para di-
da superfície do espelho.  minuir o risco de ferimentos, observar o se-
guinte: 

108 Antes da condução


● Guardar todos os objetos no veículo de ma- ● Evitar manobras de direção e de frenagem
neira segura. súbitas.
● Fixar objetos sempre com fitas de amarração ● Frear antes do usual.
ou com cintas tensoras para que os objetos
não possam alcançar a área de expansão do ATENÇÃO
airbag para cabeça, dos airbags para cabeça
Fitas de amarração ou cintas tensoras inade-
e laterais combinados ou do airbag frontal
quadas ou danificadas podem se romper em
durante uma manobra de direção e de frena-
uma manobra de frenagem ou em caso de aci-
gem súbita.
dente. Se isso acontecer, os objetos podem ser
● Guardar os objetos no interior do veículo de lançados pelo interior do veículo, causando fe-
maneira que eles não possam se deslocar até rimentos graves ou fatais.
a área de expansão dos airbags durante a
● Utilizar sempre fitas de amarração ou cintas
condução.
tensoras adequadas e em boas condições de
● Manter os porta-objetos sempre fechados uso.
durante a condução.
● Fixar fitas de amarração e cintas tensoras de
● Objetos guardados nunca devem levar os maneira segura nos olhais de amarração.
ocupantes a assumir uma posição incorreta
● Nunca sobrecarregar fitas de amarração e
no banco.
cintas tensoras além da resistência máxima.
● Se objetos guardados bloquearem um assen-
to do banco, ele nunca deverá ser ocupado e ATENÇÃO
utilizado por uma pessoa.
Fitas de amarração ou cintas tensoras tensio-
nadas de forma incorreta podem se soltar em
ATENÇÃO
uma manobra de frenagem ou em um acidente.
No transporte de objetos pesados, as caracte- Se isso acontecer, os objetos podem ser lança-
rísticas de rodagem do veículo se alteram e a dos pelo interior do veículo, causando ferimen-
distância de frenagem aumenta. Um carrega- tos graves ou fatais.
mento pesado que não esteja acomodado ou fi-
● Nunca tensionar fitas de amarração ou cintas
xado corretamente pode ocasionar a perda do
tensoras entre os olhais de amarração da pa-
controle sobre o veículo e ferimentos graves.
rede lateral e os olhais de amarração do as-
● Ao transportar objetos pesados, as caracte- soalho do veículo.
rísticas de condução do veículo são alteradas
● Nunca tensionar fitas de amarração ou cintas
devido ao deslocamento do centro de gravi-
tensoras entre as paredes laterais opostas.
dade.
● Atentar para a etiqueta indicativa nos reves-
● Distribuir a carga sempre de maneira unifor-
timentos laterais.
me e o mais fundo possível no veículo.
● Acomodar objetos pesados de maneira segu- ATENÇÃO
ra o mais fundo possível no compartimento
de bagagem, antes do eixo traseiro. O manuseio incorreto de olhais de amarração
pode ocasionar ferimentos graves ou fatais.
ATENÇÃO ● Utilizar sempre fitas de amarração ou cintas
tensoras adequadas e em boas condições de
O comportamento de direção, bem como o
uso.
efeito de frenagem, alteram-se bastante duran-
te o transporte de objetos pesados e de grande ● Fixar fitas de amarração e cintas tensoras de
volume. maneira segura nos olhais de amarração.
● Adequar a velocidade e a forma de condução ● Objetos soltos no veículo podem deslizar su-
às condições de visibilidade, do clima, da pis- bitamente e alterar o comportamento de di-
ta e do trânsito. reção do veículo.
● Acelerar de forma especialmente cautelosa e ● Nunca exceder a carga máxima de tração dos
cuidadosa. olhais de amarração ao fixar objetos.
● Fixar também objetos pequenos e leves. 

Transportar 109
● Nunca fixar uma cadeira de criança nos Styling Bar
olhais de amarração. O Styling Bar não é adequado para segurar a car-
● Nunca utilizar fitas elásticas ou redes. ga → .
● Distribuir a tensão nos olhais de amarração Sports Bar
de forma uniforme.
O Sports Bar não é adequado para segurar a car-
● Atentar para que o volume de bagagem pro- ga → .
tegido mantenha sua forma e posição. Utili-
zar embalagens estáveis e base antiderra- ATENÇÃO
pante.
O Styling Bar ou o Sports Bar não são adequa-
Cintas tensoras e sistemas de proteção de dos para proteger ou fixar volumes de baga-
carga adequadas podem ser obtidas em gem. O volume de bagagem transportado pode
uma Concessionária Volkswagen. Para isso, a ser lançado e causar acidentes, bem como le-
Volkswagen recomenda uma empresa especiali- sões graves.
zada.  ● Nunca fixar objetos no Styling Bar.
● Nunca fixar objetos no Sports Bar.

Guardar volume de bagagem NOTA


Se o volume de bagagem transportado for fixado
 Observe no início desse capítulo na pági- com cintas tensoras no Styling Bar ou no Sports
na 108. Bar, este pode ser danificado. Fixar com seguran-
ça o volume de bagagem transportado exclusiva-
Guardar todos os volumes de bagagem de mente nos olhais de amarração.
maneira segura no veículo
– O assoalho do veículo ou o compartimento de As uniões redutoras da capota rígida do
carga devem estar livres de óleo e de pó, secos compartimento de carga devem ser contro-
e varridos para evitar o deslocamento da car- ladas periodicamente por uma Concessionária
ga. Volkswagen ou por uma empresa especializada;
se necessário, solicitar que sejam reapertadas
– Observar as cargas admissíveis sobre os eixos
com o torque prescrito.
e o peso bruto admissível do veículo.
– Distribuir as cargas no veículo, no teto, no Observar as informações para o carrega-
compartimento de carga e no reboque da ma- mento de um reboque → Página 115 e de
neira mais uniforme possível. um bagageiro do teto → Página 114. 
– Objetos pesados devem ser acomodados dire-
tamente no assoalho e acima ou à frente do ei-
xo traseiro.
– Evitar cargas pesadas em pontos localizados
sobre o assoalho do veículo.
– Distribuir as cargas no veículo e no reboque da
maneira mais uniforme possível.
– Fixar os objetos no compartimento de carga
utilizando cintas tensoras adequadas nos
olhais de amarração → Página 112.
– Ajustar o alcance do farol → Página 92.
– Adequar a pressão dos pneus conforme a car-
ga. Observar o adesivo referente à pressão dos
pneus no quadro da porta dianteira esquerda
→ Página 236.

110 Antes da condução


Trilhos para amarração com olhais – Deslizar o olhal de amarração com uma leve
pressão para dentro do trilho para amarração.
de amarração
– Atentar para que o olhal de amarração esteja
 Observe no início desse capítulo na pági- travado com firmeza. As laterais do olhal de
na 108. amarração devem estar em uma posição hori-
zontal → Fig. 91.

Remover o olhal de amarração do trilho para


amarração
– Segurar o olhal de amarração lateralmente e
elevar levemente as laterais.
– Deslizar o olhal de amarração até um dos enta-
lhes redondos do trilho para amarração, para
que ele possa ser removido.

Fixar o volume de bagagem nos trilhos para


amarração
Fig. 91 Representação esquemática: trilho para – Passar o cinto de retenção em torno do volu-
amarração com olhais de amarração. me de bagagem → Fig. 92 para que ele fique
seguro contra deslocamentos.

ATENÇÃO
O manuseio incorreto dos trilhos para amarra-
ção nas paredes laterais pode ocasionar feri-
mentos graves ou fatais.
● O peso do volume de bagagem fixado na pa-
rede lateral não pode ultrapassar 150 kg.
● Utilizar somente cintos de retenção com uma
resistência máxima de 150 daN1) (150 kg).
Fig. 92 Representação esquemática: fixar o volume ● Nunca utilizar cintos com catraca para fixar o
de bagagem. volume de bagagem nas paredes laterais.
● Fixar o volume de bagagem nos trilhos para
Dependendo da versão podem ser encontrados amarração somente com os olhais de amar-
trilhos de amarração nas paredes laterais ou no ração correspondentes. Somente estes olhais
assoalho do compartimento de carga. de amarração podem ser fixados com segu-
Na abrangência de fornecimento estão contidos rança aos trilhos para amarração.
olhais de amarração (Fittings) para cintos de re- ● Fixar os olhais de amarração nos trilhos para
tenção. Cintos com catraca não podem ser utili- amarração o mais próximo possível do volu-
zados para fixação de volume de bagagem nas me de bagagem.
paredes laterais. ● Nunca fixar cinto de retenção entre as pare-
des laterais. Entre os trilhos para amarração
Instalar olhal de amarração no trilho para
da direita e da esquerda podem ser fixadas
amarração
somente barras trava carga. Atentar para o
– Segurar o olhal de amarração lateralmente. manual de instruções do fabricante das bar-
– Introduzir o olhal de amarração em um dos en- ras trava carga.
talhes redondos do trilho para amarração e ● Nunca utilizar trilhos para amarração com
elevar levemente as laterais do olhal de amar- olhais de amarração para a amarração trans-
ração. versal de volume de bagagem. Atentar para a
etiqueta indicativa nas paredes laterais. 

1) 1 daN (decanewton) corresponde a 10 Newton

Transportar 111
NOTA Conduzir com o veículo carregado
Antes de mover os olhais de amarração, remover
as cintas tensoras dos olhais de amarração. Do  Observe no início desse capítulo na pági-
contrário, os olhais de amarração podem ser da- na 108.
nificados. 
Para garantir boas características de condução de
um veículo carregado, observar o seguinte:
– Guardar todos os objetos de forma segura
Conduzir com a tampa do → Página 110.
compartimento de carga aberta – Acelerar de forma especialmente cautelosa e
cuidadosa.
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 108. – Evitar manobras de direção e de frenagem sú-
bitas.
A condução com a tampa do compartimento de – Frear antes do usual.
carga aberta representa um grande perigo. Fixar – Se for o caso, observar as informações sobre a
de maneira correta todos os objetos e a tampa condução com reboque → Página 115.
aberta do compartimento de carga.
– Se for o caso, observar as informações sobre o
Durante a condução com a tampa do comparti- bagageiro do teto → Página 114.
mento de carga aberta, devem ser observadas as
respectivas determinações legais. ATENÇÃO
Se a carga deslizar, a estabilidade e a segurança
ATENÇÃO de condução do veículo poderão ser bastante
A condução com a tampa do compartimento de reduzidas, causando acidentes e ferimentos
carga destravada ou aberta pode causar feri- graves.
mentos graves. ● Proteger a carga de maneira correta para que
● Conduzir sempre com a tampa do comparti- ela não deslize.
mento de carga fechada. ● Em caso de objetos pesados, utilizar fitas de
● Guardar todos os objetos no compartimento amarração ou cintas tensoras adequadas.
de carga de maneira segura. Objetos soltos ● Travar o encosto do banco traseiro de manei-
podem cair do compartimento de carga e fe- ra segura na posição vertical. 
rir usuários da via que estão vindo atrás.
● Conduzir sempre de maneira cautelosa e de-
fensiva.
● Garantir que os objetos que sobressaem do Compartimento de carga
compartimento de carga estejam visíveis pa-
ra os demais usuários da via. Observar as de-
terminações legais.  Introdução ao tema
● Se houver objetos que sobressaiam do com-
partimento de carga, nunca utilizar a tampa
do compartimento de carga “prensar” ou “fi- Guardar objetos pesados sempre na parte da
xar” estes objetos. frente do compartimento de carga, não no com-
partimento de passageiros.
NOTA
ATENÇÃO
O comprimento do veículo se altera quando a
tampa do compartimento de carga está aberta.  Se o veículo não estiver sendo usado ou se esti-
ver desassistido, travar sempre as portas para
reduzir o risco de ferimentos graves ou fatais. 

112 Antes da condução


● Nunca deixar crianças sem supervisão, princi- Olhais de amarração
palmente com a tampa do compartimento de
carga aberta. Crianças poderiam entrar no  Observe no início desse capítulo na pági-
compartimento de carga e fechar a tampa na 112.
traseira. Em situações como essas, uma cri-
ança não consegue sair do compartimento
de carga sozinha. Isso pode causar ferimen-
tos graves ou fatais.
● Nunca permitir que crianças brinquem den-
tro do veículo ou junto a ele.
● Nunca transportar pessoas no compartimen-
to de carga.

ATENÇÃO
Objetos soltos ou fixados incorretamente po-
dem causar ferimentos graves em manobras de
direção e de frenagem súbitas ou em acidentes.
Para diminuir o risco de ferimentos, observar o
seguinte: Fig. 93 Compartimento de carga: olhais de amarra-
● Guardar todos os objetos no veículo de ma- ção.
neira segura. Guardar a bagagem e objetos
No compartimento de carga encontram-se diver-
pesados sempre no compartimento de carga.
sos olhais de amarração para a fixação de objetos
● Fixar a carga sempre com fitas de amarração → Fig. 93 (setas).
ou cintas tensoras adequadas.
A carga máxima dos olhais de amarração é de
400 daN1).
ATENÇÃO
No transporte de objetos pesados, as caracte- ATENÇÃO
rísticas de condução do veículo se alteram e a
Fitas de amarração ou cintas tensoras inade-
distância de frenagem aumenta. Cargas pesa-
quadas ou danificadas podem se romper em
das não guardadas e não fixadas de maneira
uma manobra de frenagem ou em caso de aci-
correta podem ocasionar a perda do controle
dente. Nesse caso, os objetos podem ser lança-
do veículo pelo condutor, causando ferimentos
dos pelo interior e causar ferimentos graves ou
graves.
fatais.
● Ao transportar objetos pesados, as caracte-
● Utilizar sempre fitas de amarração ou cintas
rísticas de condução do veículo são alteradas
tensoras adequadas e em boas condições de
devido ao deslocamento do centro de gravi-
uso.
dade.
● Fixar fitas de amarração e cintas tensoras de
● Distribuir o carregamento sempre de manei-
maneira segura nos olhais de amarração.
ra uniforme e tão fundo quanto possível no
veículo. ● Objetos soltos no compartimento de carga
podem deslizar subitamente e alterar o com-
● Guardar os objetos pesados no comparti-
portamento de direção do veículo.
mento de carga de maneira segura sempre o
máximo possível na frente ou acima do eixo ● Fixar também objetos pequenos e leves.
traseiro.  ● Nunca exceder a carga máxima de tração dos
olhais de amarração ao fixar objetos.

Dependendo da versão, os olhais de amar-


ração podem ser rebatidos para dentro
quando não utilizados. 

1) 1 daN (decanewton) corresponde a 10 Newton

Transportar 113
Bagageiro do teto O consumo de combustível do veículo au-
menta quando o veículo está com um baga-
geiro do teto montado devido ao aumento da re-
 Introdução ao tema sistência do ar. 

Quando o bagageiro do teto deve ser


desinstalado?
Fixar os suportes de base e o
– Quando ele não for mais necessário. bagageiro do teto
– Quando o veículo passar por um sistema de la-  Observe e no início desse capítulo na
vagem de veículos. página 114.
– Quando a altura do veículo exceder a altura
necessária para passagem, por exemplo, em O veículo possui pontos de aparafusamento no
uma garagem. lado direito e esquerdo do teto nos quais são
montados os suportes de base. De acordo com a
Iluminação adicional no teto do veículo versão, os pontos de aparafusamento são visíveis
Em veículos com iluminação adicional no teto do ou então ocultos por uma cobertura do canal do
veículo montada de fábrica, não pode ser monta- teto. Girar o travamento da cobertura do canal do
do um bagageiro de teto. teto com a chave do veículo em 90° no sentido
horário e, a seguir, remover a cobertura cuidado-
ATENÇÃO samente do canal do teto. A Volkswagen reco-
Ao transportar objetos pesados ou grandes no menda utilizar somente suportes de base ou ba-
bagageiro do teto, as características de condu- gageiros do teto liberados pela Volkswagen.
ção do veículo se alteram em razão do desloca- Os suportes de base são a base para um sistema
mento do centro de gravidade e do aumento da completo de bagageiro do teto. Por motivos de
superfície exposta ao vento. segurança, para o transporte de bagagem, bici-
● Fixar sempre a carga de maneira correta com cletas, pranchas de surfe, esquis e barcos, são
fitas de amarração ou cintas tensoras ade- necessários os respectivos suportes adicionais
quadas e em boas condições de uso. próprios. Acessório adequado pode ser obtido em
● Cargas grandes, pesadas, longas ou planas uma Concessionária Volkswagen.
atuam de forma negativa sobre a aerodinâ-
mica do veículo, sobre o centro de gravidade ATENÇÃO
e sobre o comportamento de direção. A fixação incorreta do suportes de base e do
● Evitar manobras de direção e de frenagem bagageiro do teto, bem como sua utilização in-
abruptas e súbitas. correta, podem ter como consequência que to-
do o sistema se solte do teto, causando aciden-
● Adequar sempre a velocidade e a forma de tes e ferimentos.
condução às condições de visibilidade, do cli-
ma, da pista e do trânsito. ● Observar sempre as instruções de instalação
do fabricante.
NOTA ● Usar os suportes de base e o bagageiro do
teto somente quando estiverem fixados de
● Remover o bagageiro do teto antes de subme-
maneira correta e em boas condições de uso.
ter o veículo a um sistema de lavagem.
● Fixar os suportes de base somente nos pon-
● A altura do veículo se altera pela instalação de
tos previstos para isso.
um sistema de bagageiro e pelo volume de ba-
gagem fixado no mesmo. Comparar a altura do ● Montar os suportes de base e o bagageiro de
veículo com as alturas disponíveis em passa- teto de maneira correta.
gens, por exemplo, em viadutos e portões de ● Verificar os pontos aparafusados e as fixa-
garagem. ções antes do início da condução e, se neces-
sário, reapertá-los após uma condução curta.
Em viagens mais longas, verificar as uniões
redutoras e as fixações a cada pausa. 

114 Antes da condução


● Montar os bagageiros especiais para bicicle- ATENÇÃO
tas, esquis, pranchas de surfe, etc., sempre
Se a carga máxima admissível sobre o teto indi-
de maneira correta.
cada for excedida, poderão ocorrer acidentes
● Não realizar modificações ou reparos nos su- graves e danos significativos ao veículo.
portes de base e no bagageiro do teto.
● Nunca exceder a carga máxima admissível
Observar a instrução de montagem forneci- sobre o teto, as cargas máximas admissíveis
das do sistema de bagageiro do teto mon- sobre os eixos e o peso bruto admissível do
tado e mantê-las sempre no veículo.  veículo.
● Não exceder a capacidade de carga do baga-
geiro do teto, mesmo se a carga máxima so-
bre o teto não tiver sido aproveitada.
Carregar o bagageiro do teto
● Fixar os objetos pesados o mais à frente pos-
 Observe e no início desse capítulo na sível e distribuir todo o volume de bagagem
página 114. de maneira uniforme.

O volume de bagagem somente pode ser fixado ATENÇÃO


com segurança se o sistema do bagageiro do teto Volume de bagagem solto ou fixado de maneira
estiver montado de maneira correta → . incorreta pode cair do bagageiro do teto e cau-
sar acidentes e ferimentos.
Carga máxima admissível sobre o teto
● Utilizar sempre fitas de amarração ou cintas
A carga máxima admissível sobre o teto é de tensoras adequadas e em boas condições de
100 kg (veículos com cabine dupla) ou 50 kg (veí- uso.
culos com cabine simples). A carga sobre o teto é
● Fixar o volume de bagagem de maneira cor-
composta pelo peso do bagageiro do teto e do
reta. 
volume de bagagem a ser transportado sobre o
teto → .
Informar-se sempre sobre o peso do bagageiro
do teto e da carga a ser transportada e, se neces-
sário, pesá-la. Nunca exceder a carga máxima ad- Condução com reboque
missível sobre o teto.
Na utilização de bagageiro do teto com menor  Introdução ao tema
capacidade de carga, não pode ser aproveitada a
Válido apenas para o Brasil
carga máxima admissível sobre o teto. Nesse ca-
so, o bagageiro do teto somente pode ser carre-
gado até o limite de peso indicado na instrução Observar as prescrições específicas do país para a
de montagem. condução com reboque e para a utilização de um
dispositivo de reboque.
Distribuir o volume de bagagem
Via de regra, o veículo foi desenvolvido para o
Distribuir o volume de bagagem de maneira uni-
transporte de pessoas, mas pode ser utilizado pa-
forme e proteger corretamente → .
ra puxar um reboque se for equipado com um
Controlar as fixações equipamento técnico adequado. Esta carga de
reboque adicional influencia a durabilidade, o
Depois que os suportes de base e o bagageiro do
consumo de combustível e a performance do veí-
teto tiverem sido fixados, as uniões redutoras e
culo e, sob determinadas condições, pode dimi-
as fixações devem ser verificadas após um curto
nuir os intervalos de serviço.
período de condução e, subsequentemente, em
intervalos regulares. A condução com um reboque representa não
apenas uma carga maior para o veículo, mas
também exige uma maior concentração do con-
dutor. 

Transportar 115
Em temperaturas de inverno, montar os pneus de ATENÇÃO
inverno no veículo e no reboque.
O transporte de passageiros em um reboque
Carga de apoio coloca vidas em risco e pode ser ilegal.
A carga de apoio máxima admissível da barra de
reboque sobre a rótula de engate do dispositivo ATENÇÃO
de reboque não pode exceder 140 kg e 4 % da O uso inadequado do dispositivo de reboque
carga de reboque máxima admissível. A carga de pode causar ferimentos e acidentes.
reboque máxima admissível pode ser consultada ● Usar o dispositivo de reboque apenas se ele
nos documentos do veículo oficiais. estiver fixado de maneira correta e sem da-
As indicações da carga de reboque na plaqueta nos.
de identificação do dispositivo de reboque são ● Não realizar nenhuma modificação ou reparo
valores de referência do dispositivo. Os valores no dispositivo de reboque.
relativos ao veículo, que frequentemente estão
● Para reduzir o risco de ferimentos em coli-
abaixo desses valores, estão relacionados nos
sões traseiras e, para pedestres e ciclistas ao
documentos do veículo. Prevalecem as indica-
estacionar o veículo, retirar sempre a rótula
ções nos documentos de licenciamento do veícu-
de engate removível quando o reboque não
lo.
estiver sendo utilizado.
Visando a segurança de condução, a Volkswagen ● Nunca montar um acoplamento de reboque
recomenda sempre aproveitar a carga de apoio “com distribuição de peso” ou com “com-
máxima admissível. Uma carga de apoio muito pensação de carga” como dispositivo de re-
baixa limita o comportamento de direção do con- boque. O veículo não foi desenvolvido para
junto. estes tipos de dispositivo de reboque. O dis-
A carga de apoio existente aumenta o peso sobre positivo de reboque pode falhar e o reboque
o eixo traseiro e reduz o carregamento admissível pode se soltar do veículo.
no veículo.
ATENÇÃO
Veículos com sistema Start-Stop
A condução com um reboque e o transporte de
Se houver um dispositivo de reboque instalado objetos pesados ou com superfícies grandes
de fábrica ou um dispositivo de reboque instala- pode alterar as características de condução e
do posteriormente pela Volkswagen, o sistema causar acidentes.
Start-Stop será desligado automaticamente as-
● Fixar sempre a carga de maneira correta com
sim que um reboque for acoplado. Se o reboque
fitas de amarração ou cintas tensoras ade-
não for reconhecido e em dispositivos de rebo-
quadas e em boas condições de uso.
que que não foram instalados posteriormente
pela Volkswagen, então, antes da condução com ● Adequar a velocidade e a forma de condução
reboque, o sistema Start-Stop deve ser desativa- às condições de visibilidade, do clima, da pis-
do manualmente por meio do botão Start-Stop ta e do trânsito.
no painel de instrumentos  , devendo permane- ● Reboques com um centro de gravidade alto
cer desativado durante toda a condução com re- podem tombar mais facilmente do que rebo-
boque → . ques com o centro de gravidade mais baixo.
● Evitar manobras de direção e de frenagem
Tacógrafo
abruptas e súbitas.
Em veículos utilizados para o transporte comerci-
● Atenção especial durante as ultrapassagens.
al de bens, cujo peso bruto admissível, incluindo
o reboque, ultrapasse 3.500 kg, o uso de um ta- ● Reduzir imediatamente a velocidade ao per-
cógrafo está prescrito por lei. Nesse caso é irrele- ceber o mais leve movimento pendular do
vante se é utilizado o veículo de tração ou o re- reboque.
boque ou ambos para o transporte comercial de ● Com um reboque, não conduzir com veloci-
bens. dade superior a 80 km/h (50 mph) (em casos
excepcionais também 100 km/h (60 mph)). 

116 Antes da condução


Em carga de reboque acima de 3.300 kg, ● Desligar sempre manualmente o sistema
nunca conduzir com velocidade superior a Start-Stop quando for engatado um reboque
80 km/h (50 mph). Isto também é válido para num dispositivo de reboque não instalado de
países em que a velocidade máxima permiti- fábrica ou não instalado posteriormente pela
da seja mais elevada. Observar as velocida- Volkswagen.
des máximas específicas de cada país; em al-
guns casos, para veículos com reboque, as Nos primeiros 1.000 km de um motor novo,
velocidades podem estar abaixo de velocida- não conduzir com um reboque
des para veículos sem reboque. A carga de → Página 258.
reboque máxima admissível pode ser consul- A Volkswagen recomenda retirar a rótula de
tada nos documentos do veículo oficiais. engate antes de viagens sem reboque. No
● Nunca tentar “estabilizar” por meio de acele- caso de um impacto traseiro, os danos causados
rações um conjunto que estiver oscilando. podem ser maiores em veículos com a rótula
● Observe sempre a carga de reboque máxima montada do que em veículos sem a rótula mon-
admissível. tada.
Em algumas versões do modelo, o dispositi-
ATENÇÃO vo de reboque é necessário para rebocar
Com dispositivo de reboque não instalado de veículos. Por esta razão, a rótula de engate reti-
fábrica ou não instalado posteriormente pela rada do dispositivo de reboque deve ser sempre
Volkswagen, na condução com reboque, o sis- levada no veículo. 
tema Start-Stop sempre deve ser desligado
manualmente. Caso contrário, pode haver uma
avaria do sistema de freio, podendo causar aci-
dentes e ferimentos graves.

Premissas técnicas
 Observe no início desse capítulo na pági- Dispositivo de reboque montado no para-
na 116. -choque
Não realizar nenhuma alteração no sistema de
Se o veículo tiver sido equipado de fábrica com escape e no sistema de freio. Verificar periodica-
um dispositivo de reboque, todos os aspectos mente se o dispositivo de reboque está assenta-
técnicos e legais necessários para a condução do firmemente.
com reboque já foram considerados.
Como solução para instalação posterior, utilizar Sistema de arrefecimento do motor
somente um dispositivo de reboque liberado para A condução com um reboque exige mais do mo-
o peso bruto admissível do reboque que será pu- tor e do sistema de arrefecimento. O sistema de
xado. O dispositivo de reboque deve ser adequa- arrefecimento deve conter líquido de arrefeci-
do para o veículo e para o reboque, e deve estar mento suficiente e estar projetado para a carga
fixado com segurança no veículo. Utilizar somen- adicional da condução com reboque.
te um dispositivo de reboque liberado pela Volks-
wagen para o veículo. Verificar e observar sem- Freio do reboque
pre as indicações do fabricante do dispositivo de Se o reboque possuir um sistema de freio pró-
reboque. Nunca instalar um “distribuidor de pe- prio, devem ser observadas as determinações vá-
so” ou um “compensador de carga” como dispo- lidas. O sistema de freio do reboque nunca deve
sitivo de reboque. ser integrado ao sistema de freio do veículo.

Cabo de ruptura
Sempre utilizar um cabo de ruptura entre o veí-
culo e o reboque → Página 119. 

Transportar 117
Lanternas traseiras do reboque Espelhos retrovisores externos
Luzes traseiras no reboque devem corresponder Se a área de tráfego atrás do reboque não puder
às prescrições legais. ser vista com os espelhos retrovisores externos
de série do veículo de tração, serão necessários
Nunca conectar as lanternas traseiras do reboque
diretamente ao sistema elétrico do veículo. Se espelhos retrovisores externos complementares
houver alguma dúvida sobre a ligação correta do conforme as determinações específicas de cada
país. Os espelhos retrovisores externos devem
reboque ao sistema elétrico, consultar uma em-
presa especializada. Para isso, a Volkswagen re- ser ajustados antes da condução e proporcionar
comenda uma Concessionária Volkswagen. um campo de visão traseiro satisfatório.

Potência máxima do reboque


Consumidores Europa, Ásia, África, América do Sul Austrália
e América Central
Lanternas de freio no total 84 W 108 W
Indicador de direção de cada lado 42 W 54 W
Luzes de posição no total 100 W 100 W
Lanternas traseiras no total 42 W 54 W
Luz de neblina 42 W 54 W
Nunca exceder os valores indicados!

ATENÇÃO ● Nunca conectar o sistema elétrico do reboque


diretamente com as conexões elétricas das
Um dispositivo de reboque inadequado ou
lanternas traseiras ou outras fontes de corren-
montado incorretamente pode ocasionar a sol-
te. Utilizar somente conexões adequadas para
tura do reboque e provocar ferimentos graves.
a alimentação de corrente do reboque.
NOTA Em razão da maior demanda do veículo com
● Se as lanternas traseiras do reboque não forem condução com reboque frequente, a Volks-
conectadas de maneira correta, os componen- wagen recomenda que as manutenções sejam
tes eletrônicos do veículo poderão ser danifi- efetuadas também entre os intervalos de inspe-
cados. ção.
● Se o reboque consumir corrente em excesso, Em alguns países, é necessário levar um ex-
os componentes eletrônicos do veículo pode- tintor de incêndio adicional quando o peso
rão ser danificados. total do reboque for maior do que 2.500 kg.
Observar as prescrições especiais para a
condução com um reboque nos respectivos
países. 

118 Antes da condução


Montar a rótula de engate ● Sempre fixar a rótula de engate removida
com segurança no porta-objetos previsto.
removível
Válido apenas para o Brasil
NOTA
 Observe no início desse capítulo na pági- ● O alojamento deve estar limpo e sem danos no
na 116. veículo. Caso contrário, a rótula de engate pos-
sivelmente poderia não engatar com seguran-
ça.
● Não direcionar o lavador de alta pressão ou o
jato de vapor diretamente para o alojamento
da rótula de engate. Isso pode fazer com que a
graxa necessária para a lubrificação seja remo-
vida do alojamento. 

Retirar a rótula de engate


Válido apenas para o Brasil

 Observe no início desse capítulo na pági-


na 116.
Fig. 94 Sob o para-choque traseiro: montar a rótula
de engate.
– Desacoplar o reboque.
A rótula de engate removível, o pino de trava- – Extrair o pino de bloqueio do pino de trava-
mento e o pino de bloqueio se encontram nas mento.
ferramentas de bordo → Página 279. – Puxar o pino de travamento → Fig. 94 2 do
– Se for o caso, retirar a tampa de proteção do batente.
alojamento. – Remover a cabeça esférica 1 do alojamento.
– Verificar se o alojamento da rótula de engate – Guardar com segurança a rótula de engate, pi-
está limpo e sem danos → . Se necessário, no de travamento e pino de bloqueio
limpar. → Página 279.
– Empurrar a rótula de engate → Fig. 94 1 até o
batente no alojamento. ATENÇÃO
– Empurrar o pino de travamento 2 no aloja- A rótula de engate removível é pesada. Ao reti-
mento e travar com o pino de bloqueio → . rar, a rótula de engate pode cair e ocasionar
contusões.
ATENÇÃO ● Destravar a rótula de engate apenas com o
A montagem incorreta da rótula de engate po- reboque desacoplado. 
de causar ferimentos e acidentes.
● Utilizar a rótula de engate apenas quando ela
estiver corretamente colocada. Engatar e conectar o reboque
● Não usar o dispositivo de reboque se o me- Válido apenas para o Brasil
nor diâmetro da rótula for inferior a 49 mm.
● Se a rótula de engate não puder ser ajustada,  Observe no início desse capítulo na pági-
verificar o dispositivo de reboque em uma na 116.
Concessionária Volkswagen ou em uma em-
presa especializada. Tomada do reboque
● Se a rótula de engate não for engatada cor- A conexão elétrica entre o veículo de tração e o
retamente, nunca utilizar o dispositivo de re- reboque é realizada por meio de uma tomada do
boque. reboque de 7 polos. Em veículos com dispositivo 

Transportar 119
de reboque montado de fábrica, a tomada do ATENÇÃO
reboque de 7 polos é instalada posteriormente
pelo importador ao fornecer o veículo. Condutores elétricos inadequados ou incorreta-
mente conectados podem energizar o reboque,
Cabo de ruptura causar falhas de funcionamento nos compo-
Fixar o cabo de ruptura do reboque sempre de nentes eletrônicos do veículo e causar ferimen-
modo correto no veículo de tração. Nesse caso, tos graves.
deixar o cabo de ruptura um pouco frouxo para ● Quaisquer trabalhos no sistema elétrico so-
possibilitar a condução em curvas. Entretanto, mente podem ser realizados por uma Con-
durante a condução o cabo de ruptura não deve cessionária Volkswagen ou por uma empresa
se arrastar pelo solo. especializada.
● Nunca conectar o sistema elétrico do rebo-
Lanternas traseiras do reboque que diretamente com as conexões elétricas
Atentar para que as lanternas traseiras do rebo- das lanternas traseiras ou outras fontes de
que funcionem corretamente e que correspon- corrente.
dam às determinações legais. Atentar para que a
potência máxima do reboque não seja excedida NOTA
→ Página 118.
Um reboque estacionado sobre a roda de apoio
Um reboque está ligado ao sistema de alarme ou sobre os suportes do reboque não deve per-
antifurto: manecer acoplado ao veículo. Por exemplo, o veí-
culo se ergue e se abaixa devido a alterações da
– Se o veículo estiver equipado de fábrica com
carga ou avaria de pneus. Nesse caso, forças de
um sistema de alarme antifurto e com um dis-
grande intensidade atuam sobre o dispositivo de
positivo de reboque.
reboque e sobre o reboque, podendo ocasionar
– Se o reboque estiver conectado eletricamente danos ao veículo e ao reboque.
ao veículo de tração por meio da tomada do
reboque. Em caso de avarias do sistema elétrico do
– Se o sistema elétrico do veículo e do reboque veículo ou do reboque, bem como avarias
estiver funcionando perfeitamente sem avarias com o sistema de alarme antifurto, os sistemas
e sem danos. devem ser verificados por uma Concessionária
Volkswagen ou por uma empresa especializada.
– Se o veículo estiver travado com a chave do
veículo e o sistema de alarme antifurto estiver Se houver uma conexão elétrica através da
ativo. tomada do reboque com o motor desligado
Com o veículo travado, o alarme dispara assim e acessório ligado no reboque, a bateria do veícu-
que a conexão elétrica com o reboque é inter- lo irá se descarregar. 
rompida.
Desligar sempre o sistema de alarme antifurto
antes de engatar ou desengatar um reboque. Ca- Carregar o reboque
so contrário, o sensor de inclinação pode disparar
o alarme involuntariamente.  Observe no início desse capítulo na pági-
na 116.
Reboque com lanternas traseiras de LED
Reboques com lanternas traseiras com LED não Carga de reboque e carga de apoio
podem ser conectados ao sistema de alarme an- A carga de reboque é a carga que o veículo é ca-
tifurto por razões técnicas. paz puxar → → Página 311. A carga de apoio é
Com o veículo travado, o alarme não dispara as- a carga que exerce pressão verticalmente sobre a
sim que a conexão elétrica com o reboque com rótula de engate do dispositivo de reboque.
lanternas traseiras de LED for interrompida. As indicações da carga de reboque e da carga de
apoio na plaqueta de identificação do dispositivo
de reboque são meramente valores de referência
do dispositivo. Os valores relativos ao veículo,
que frequentemente estão abaixo desses valores, 

120 Antes da condução


estão relacionados nos documentos do veículo. ATENÇÃO
Prevalecem as indicações nos documentos de li-
cenciamento do veículo. Se a carga deslizar, a estabilidade e a segurança
de condução do conjunto poderão ser bastante
Visando a segurança de condução, a Volkswagen reduzidas, causando acidentes e ferimentos
recomenda sempre aproveitar a carga de apoio graves.
máxima admissível. Uma carga de apoio muito
● Carregar o reboque sempre de maneira cor-
baixa limita o comportamento de direção do con-
reta.
junto.
● Fixar sempre a carga com fitas de amarração
A carga de apoio existente aumenta o peso sobre ou cintas tensoras adequadas e em boas
o eixo traseiro e reduz o carregamento admissível condições de uso. 
no veículo.

Capacidade máxima de tração


O peso do conjunto trator-reboque é composto Conduzir com um reboque
pelos pesos reais do veículo de tração carregado
e do reboque carregado → Página 311..  Observe no início desse capítulo na pági-
na 116.
Carregar o reboque
O conjunto deve estar balanceado. Para isso, Regulagem do farol
aproveitar a carga de apoio máxima admissível e Com o reboque acoplado, a parte dianteira do
não carregar o reboque com a carga apenas na veículo pode se erguer e o farol baixo aceso pode
parte de trás ou apenas na parte da frente: ofuscar os demais usuários da via. Abaixar os fei-
– Distribuir o carregamento no reboque de modo xes de luz de acordo com a regulagem de alcance
que objetos pesados se encontrem o mais pró- do farol. Se não estiver disponível uma regula-
ximo possível do eixo ou acima dele. gem de alcance do farol, o farol deve ser regula-
do por uma Concessionária Volkswagen ou por
– Fixar a carga de maneira correta no reboque.
uma empresa especializada.
Pressão dos pneus
Particularidades da condução com um
A pressão dos pneus para as rodas do reboque reboque
deve orientar-se pela recomendação do fabrican-
– Em um reboque com freio inercial, frear sua-
te do reboque.
vemente no início, depois continuamente. Des-
Encher as rodas do veículo de tração com a pres- se modo, são evitados solavancos de frenagem
são máxima dos pneus na condução com reboque pelo bloqueio das rodas do reboque.
→ Página 236. – A distância de frenagem aumenta devido à ca-
pacidade máxima de tração.
ATENÇÃO
– Antes de trechos de declive, selecionar uma
Se a carga máxima admissível sobre o eixo e a posição de marcha menor ou marcha inferior
carga de apoio, bem como a capacidade máxi- para utilizar o motor adicionalmente como
ma ou total de tração do veículo e do reboque freio. Caso contrário, o sistema de freio pode
forem excedidas, isso pode ter como conse- se superaquecer e, eventualmente, falhar.
quência acidentes e ferimentos graves.
– O centro de gravidade do veículo e, conse-
● Nunca exceder os valores indicados. quentemente, as características de condução
● Com a carga atual, nunca exceder a carga se alteraram pela carga de reboque e pelo au-
máxima admissível sobre o eixo dianteiro e o mento do peso bruto do conjunto.
eixo traseiro. Nunca exceder o peso bruto – Com o veículo de tração vazio e o reboque car-
máximo admissível com o peso dianteiro ou regado, a distribuição de peso é bastante des-
traseiro do veículo. favorável. Com essa combinação, conduzir de
forma lenta e especialmente cuidadosa. 

Transportar 121
Arranque com um reboque em subidas ● Para veículos com reboque, observar que as
Dependendo da inclinação e do peso bruto do velocidades máximas podem estar abaixo
conjunto, um conjunto estacionado pode rodar daquelas para veículos sem reboque. 
levemente para trás ao ser dado o arranque.
Em subidas, se tiver um reboque engatado, ar-
rancar da seguinte forma: Controle de estabilidade do
– Pisar no pedal do freio e mantê-lo pressiona- conjunto
do.
– Puxar bem o freio de estacionamento.  Observe no início desse capítulo na pági-
na 116.
– Com transmissão manual: pisar totalmente no
pedal da embreagem.
O controle de estabilidade do conjunto é uma ex-
– Engatar a 1ª marcha ou a posição de marcha D tensão do programa eletrônico de estabilização
→ Página 139, Trocar a marcha. (ESC) e auxilia a reduzir a“vibração” do reboque.
– Destravar o freio de estacionamento e soltar Em alguns países, o controle de estabilidade do
cuidadosamente o botão bloqueador que está conjunto pode estar desativado.
pressionado, ao mesmo tempo, acelerar com
Um controle de estabilidade do conjunto ligado
calma e, em caso de transmissão manual, sol-
pode ser reconhecido pela luz de controle do ESC
tar o pedal da embreagem até que perceber
 no instrumento combinado que, depois de ligar
que o veículo está se movendo para frente. Se
a ignição, permanece acesa por aproximadamen-
necessário, seguir as orientações do sistema
te 2 segundos a mais do que a luz de controle do
de assistência em subidas → Página 159, Sis-
ABS.
temas de assistência de arranque.
– Soltar o freio de estacionamento somente Premissas para o controle de estabilidade do
quando o motor tiver força de propulsão sufi- conjunto
ciente para o arranque. – O dispositivo de reboque foi instalado de fábri-
– Arrancar lentamente. ca ou um dispositivo de reboque compatível
foi instalado posteriormente.
ATENÇÃO – O ESC está ativo. A luz de controle  ou  não
Puxar um reboque incorretamente pode causar está acesa no instrumento combinado.
a perda de controle do veículo e ferimentos – O reboque está conectado eletricamente ao
graves. veículo de tração por meio da tomada do rebo-
● A condução com um reboque e o transporte que.
de objetos pesados ou de grandes superfícies – A velocidade é maior do que aproximadamente
podem alterar as características de condução 55 km/h (34 mph).
e aumentar a distância de frenagem.
● Conduzir sempre de maneira cautelosa e de- ATENÇÃO
fensiva. Frear antes do usual. A segurança aumentada oferecida pelo controle
● Adequar a velocidade e a forma de condução de estabilidade do conjunto não deve induzir o
às condições de visibilidade, do clima, da pis- condutor a colocar a segurança em risco.
ta e do trânsito. Reduzir a velocidade, espe- ● Adequar a velocidade e a forma de condução
cialmente em declives. às condições de visibilidade, do clima, da pis-
● Acelerar de forma especialmente cautelosa e ta e do trânsito.
cuidadosa. Evitar manobras de direção e de ● Acelerar com cuidado em pista escorregadia.
frenagem abruptas e súbitas.
● Quando um sistema estiver em funciona-
● Atenção especial durante as ultrapassagens. mento, tirar o pé do pedal do acelerador. 
Reduzir imediatamente a velocidade ao per-
ceber o mais leve movimento pendular do
reboque.
● Nunca tentar “estabilizar” por meio de acele-
rações um conjunto que estiver oscilando.

122 Antes da condução


ATENÇÃO Instalar o dispositivo de reboque
É possível que o controle de estabilidade do posteriormente
conjunto não reconheça todas as situações de
condução.  Observe no início desse capítulo na pági-
● Reboques leves em movimento pendular não na 116.
são detectados em todos os casos pelo con-
trole de estabilidade do conjunto e por isso
não são estabilizados correspondentemente.
● Em pistas escorregadias e com baixa aderên-
cia, um reboque pode cambalear apesar do
controle de estabilidade do conjunto.
● Reboques com o centro de gravidade alto
podem tombar antes que ocorra o movimen-
to pendular.
● Quando não houver um reboque acoplado e,
ao mesmo tempo, houver um conector na
tomada do reboque, por exemplo, de um su-
porte de bicicletas com iluminação, poderão
ocorrer procedimentos súbitos automáticos
de frenagem em situações extremas de con-
dução. 

Fig. 95 Veículos sem para-choque: pontos de fixa-


ção para instalação posterior de um dispositivo de
reboque. 

Transportar 123
Por exemplo, podem ser necessárias medidas de
conversão no sistema de arrefecimento ou a ins-
talação de chapas de blindagem térmica. Além
disso, as superfícies das transversais do dispositi-
vo de reboque, assim como as áreas das longari-
nas nas quais as transversais são montadas, de-
vem estar livres de sujeira, graxa e cera. Para is-
so, a Volkswagen recomenda uma Concessionária
Volkswagen.

ATENÇÃO
Condutores elétricos inadequados ou ligados
incorretamente podem causar falhas de funcio-
namento de todos os componentes eletrônicos
do veículo e acidentes e ferimentos graves.
● Nunca conectar o sistema elétrico do rebo-
que diretamente com as conexões elétricas
das lanternas traseiras ou com outra fonte
inadequada de corrente. Utilizar somente co-
nectores adequados para a conexão do rebo-
que.
● A instalação posterior de um dispositivo de
reboque no veículo deve ser realizada por
uma Concessionária Volkswagen ou por uma
empresa especializada.

ATENÇÃO
Um dispositivo de reboque inadequado ou in-
corretamente instalado pode fazer com que o
reboque se solte do veículo de tração. Isso po-
de causar acidentes graves e ferimentos fatais.
Utilizar somente dispositivos de reboque libera-
Fig. 96 Veículos com para-choque: pontos de fixa-
dos pela Volkswagen para o respectivo modelo
ção para a instalação posterior de um dispositivo de
de veículo. 
reboque.

A instalação posterior de um dispositivo de rebo-


que deve ser feita conforme as indicações do fa-
bricante do dispositivo de reboque. O dispositivo
de reboque deve ser fixado nos pontos indicados
→ Fig. 95 A (veículos sem para-choque), e
→ Fig. 96 A (veículos com para-choque).
A Volkswagen recomenda que a instalação pos-
terior de um dispositivo de reboque seja realiza-
do por uma empresa especializada. É necessário
desinstalar e instalar peças do veículo, por exem-
plo, o para-choque traseiro. Além disso, os para-
fusos de fixação do dispositivo de reboque de-
vem ser apertados com um torquímetro, e uma
tomada do reboque assim como componentes
eletrônicos devem ser conectados ao equipa-
mento elétrico do veículo. Isto requer conheci-
mentos técnicos especializados e ferramentas.

124 Antes da condução


Equipamentos práticos ● Antes de ajustar os bancos, sempre garantir
que não haja um isqueiro na área da parte
Porta-objetos móvel do banco.
● Antes de fechar porta-objetos ou gavetas,
sempre garantir que não haja um isqueiro na
 Introdução ao tema área de fechamento.
● Nunca guardar isqueiros em porta-objetos,
em gavetas ou em outras superfícies do veí-
Os porta-objetos devem ser utilizados somente
culo. Devido às altas temperaturas de super-
para guardar objetos leves ou pequenos.
fície, principalmente no verão, os isqueiros
No porta-objetos no console central, pode estar podem se acender.
disponível a entrada USB e a entrada AUX-IN.
NOTA
ATENÇÃO
● Não guardar objetos sensíveis ao calor, ali-
Objetos soltos podem ser arremessados pelo mentos ou medicamentos no interior do veícu-
interior do veículo em manobras de direção ou lo. O calor e o frio podem danificá-los ou tor-
de frenagem súbitas. Isto pode causar ferimen- ná-los impróprios para uso ou consumo.
tos graves e também a perda de controle do
● Objetos de materiais transparentes deixados
veículo.
no veículo, como, por exemplo, óculos, lentes
● Não colocar animais e objetos duros, pesados ou ventosas transparentes nos vidros, podem
ou afiados em compartimentos abertos no focalizar os raios do sol e, assim, causar danos
veículo, sobre o painel de instrumentos, em ao veículo. 
peças de vestuário ou bolsas no interior do
veículo.
● Manter os porta-objetos sempre fechados
durante a condução. Porta-objetos no descansa-braço
central dianteiro
ATENÇÃO
 Observe e no início desse capítulo na
Objetos na área para os pés do condutor podem
página 125.
impedir o livre acionamento dos pedais. Isto
pode ocasionar a perda de controle do veículo e
aumentar o risco de ferimentos graves.
● Atentar para que todos os pedais possam ser
acionados sem impedimentos.
● Fixar o tapete para os pés sempre com segu-
rança.
● Nunca colocar tapetes para os pés ou outros
revestimentos de assoalho sobre o tapete
instalado para os pés.
● Atentar para que nenhum objeto alcance a
área para os pés do condutor durante a con-
dução.
● Com o veículo estacionado, remover os obje-
tos que se encontram na área para os pés. Fig. 97 Porta-objetos no descansa-braço central di-
anteiro.
ATENÇÃO
O porta-objetos pode estar equipado com um
Isqueiros no veículo podem ser danificados ou descansa-braço central.
podem se acender despercebidamente. Isto po-
de causar queimaduras graves e danos ao veí- Para abrir, erguer o descansa-braço central total-
culo. mente para cima → Fig. 97. 

Equipamentos práticos 125


Para fechar, conduzir o descansa-braço central ATENÇÃO
para baixo.
Um porta-luvas aberto pode aumentar o risco
ATENÇÃO de ferimentos graves em caso de um acidente
ou manobras de frenagem ou de direção súbi-
O descansa-braço central pode restringir a li- tas.
berdade de movimentos dos braços do condu-
tor e, assim, causar acidentes e ferimentos gra- ● Manter o porta-objetos sempre fechado du-
ves. rante a condução.
● Manter sempre o porta-objetos do descansa-
NOTA
-braço central fechado durante a condução.
Em algumas versões do veículo existem, devido à
ATENÇÃO montagem, aberturas no porta-luvas, através das
quais podem cair pequenos objetos para trás do
O transporte de uma pessoa ou de uma criança revestimento. Isto pode causar ruídos estranhos
no descansa-braço central pode ocasionar aci- e danos ao veículo. Por este motivo, não guardar
dentes e ferimentos graves ou fatais. objetos pequenos no porta-luvas.
● Nunca transportar uma pessoa ou uma crian-
ça sobre o descansa-braço central.  NOTA
Não encher o porta-objetos em demasia. 

Porta-luvas
 Observe e no início desse capítulo na Porta-objetos no console do teto
página 125. (porta-óculos)
 Observe e no início desse capítulo na
página 125.

O porta-objetos no console do teto pode ser uti-


lizado para guardar óculos ou outros objetos.
Para abrir, pressionar e soltar o botão.
Para fechar, pressionar a tampa para cima até
que ela encaixe.
Para garantir o funcionamento do monitoramen-
to do interior do veículo, o porta-objetos deve
estar fechado ao travar o veículo → Página 31. 

Fig. 98 Porta-luvas.

Abrir e fechar o porta-luvas


Se for o caso, destravar o porta-objetos com a
chave do veículo. O porta-objetos estará travado
se a haste da chave estiver na vertical.
Para abrir, puxar a maçaneta → Fig. 98.
Para fechar, pressionar a tampa completamente
para cima.

126 Antes da condução


Porta-objetos debaixo dos bancos Variante 2: abrir ou fechar a gaveta sem
acionamento por botão
dianteiros
– Para abrir, levantar a gaveta no sentido da seta
→ Fig. 100 1 e abrir no sentido da seta 2 .
 Observe e no início desse capítulo na
página 125. – Para fechar, empurrar a gaveta no sentido
contrário ao da seta 2 sob o banco dianteiro
até o batente.

Extintor de incêndio
Sob o banco do passageiro dianteiro, no lugar de
um porta-objetos, pode haver um extintor de in-
cêndios → Página 273.

ATENÇÃO
Um porta-objetos aberto pode impedir a opera-
ção dos pedais. Isso pode causar acidentes e fe-
rimentos graves.
● Manter o porta-objetos sempre fechado du-
rante a condução. Caso contrário, o porta-
Fig. 99 Porta-objetos abaixo dos bancos dianteiros: -objetos e os objetos que caírem podem al-
porta-objeto com tampa (variante 1). cançar a área para os pés do condutor e in-
terferir nos pedais.

NOTA
Os porta-objetos estão previstos para a acomo-
dação de objetos pequenos até um peso de
1,5 kg. 

Outros porta-objetos
 Observe e no início desse capítulo na
página 125.

Fig. 100 Porta-objetos abaixo dos bancos diantei-


Outros porta-objetos possíveis:
ros: gaveta sem acionamento por botões (variante – No centro do painel de instrumentos na parte
2). superior.
– Se for o caso, na parte superior do painel de
Embaixo de cada banco dianteiro pode haver instrumentos, no lado do passageiro dianteiro.
porta-objetos. Um kit de primeiros socorros pode
ser guardado nos porta-objetos. – Se for o caso, sob o o sistema Infotainment.
– No console central dianteiro.
Variante 1: abrir ou fechar o porta-objetos – No revestimento das portas dianteiras e trasei-
com tampa ras.
– Para abrir a tampa, rebater o fecho para dentro – Gancho para roupas nas alças de segurança
e abrir no sentido da seta → Fig. 99. traseiras no teto e, se for o caso, na coluna B.
– Para fechar a tampa, erguer levemente o fecho
e fechar no sentido contrário à seta. ATENÇÃO
Roupas penduradas podem reduzir a visibilida-
de do condutor e, assim, causar acidentes e fe-
rimentos graves. 

Equipamentos práticos 127


● Pendurar as roupas no gancho para roupas NOTA
sempre de forma a não reduzir a visibilidade
Não manter bebidas abertas nos porta-copos du-
do condutor.
rante a condução. Bebidas derramadas, por
● Usar o gancho para roupas no veículo so- exemplo, durante frenagens, podem causar da-
mente para pendurar roupas leves. Nunca nos ao veículo e ao sistema elétrico.
deixar objetos pesados, rígidos ou com can-
tos vivos nos bolsos.  NOTA
Objetos de materiais transparentes deixados no
veículo, como, por exemplo, óculos, lentes ou
ventosas transparentes nos vidros, podem focali-
Porta-copos zar os raios do sol e, assim, causar danos ao veí-
culo. 

 Introdução ao tema
Porta-copos no console central
Porta-garrafas dianteiro
Na porta do condutor, encontra-se um porta-gar-
rafas para garrafas de conteúdo máximo de 1,5 l.  Observe e no início desse capítulo na
página 128.
ATENÇÃO
A utilização incorreta dos porta-copos pode
causar ferimentos.
● Nunca colocar bebidas quentes em um por-
ta-copos. Durante a condução, em uma ma-
nobra de frenagem súbita ou em um aciden-
te, bebidas quentes em um porta-copos po-
dem ser derramadas e causar queimaduras.
● Certificar-se de que garrafas de bebida ou
outros objetos não alcancem a área para os
pés do condutor durante a condução, inter-
ferindo deste modo no acionamento dos pe- Fig. 101 No console central dianteiro: porta-copos
dais. com cinzeiro.
● Nunca colocar copos pesados, mantimentos
2 porta-copos → Fig. 101 se encontram no con-
ou outros objetos pesados nos porta-copos.
Se houver um acidente, esses objetos pesa-
sole central dianteiro. 
dos podem ser arremessados pelo interior do
veículo e causar ferimentos graves.

ATENÇÃO
Garrafas de bebida fechadas no interior do veí-
culo podem explodir por ação do calor e estou-
rar por ação do frio.
● Nunca deixar garrafas de bebida fechadas no
interior de um veículo intensamente aqueci-
do ou intensamente refrigerado.

128 Antes da condução


Porta-copos na frente do banco Cinzeiro
traseiro
 Observe no início desse capítulo na pági-
 Observe e no início desse capítulo na na 129.
página 128.

Fig. 103 Cinzeiro móvel.


Fig. 102 Na frente do banco traseiro: porta-copos
rebatível.

em veículos com cabine dupla: pode estar insta-


lado um porta-copos rebatível → Fig. 102 na
frente do banco traseiro.
Para utilizar o porta-copos, rebater para frente a
parte superior 1 . Depois da utilização, rebater
de volta a parte superior 1 do porta-copos.

NOTA
Quando o porta-copos não está sendo usado, re-
batê-lo sempre de volta. Um porta-copos rebati-
do para frente poderia ser danificado. 
Fig. 104 No console central dianteiro: cinzeiro 1 .

Para utilizar, colocar o cinzeiro móvel num dos


porta-copos no console central dianteiro ou no
Cinzeiro e acendedor de console central traseiro → Página 128.
cigarro Abrir ou fechar o cinzeiro
Para abrir, levantar a tampa do cinzeiro
→ Fig. 103 no sentido da seta.
 Introdução ao tema
Para fechar, empurrar a tampa do cinzeiro para
frente na direção contrária da seta.
ATENÇÃO
Esvaziar o cinzeiro
A utilização inadequada do cinzeiro e do acen-
– Retirar para cima o cinzeiro do porta-copos.
dedor de cigarro pode causar incêndios, quei-
maduras e outros ferimentos graves. – Abrir o cinzeiro e esvaziar a cinza resfriada com
um recipiente de recolha adequado.
● Nunca colocar no cinzeiro papel ou outros
objetos que possam causar um incêndio.  – Após esvaziar o cinzeiro, introduzir o encaixe
por cima no porta-copos. 

Equipamentos práticos 129


Acendedor de cigarro Tomadas
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 129.  Introdução ao tema

Acessório elétrico pode ser ligado nas tomadas


do veículo.
Os aparelhos conectados devem estar em perfei-
tas condições e não podem apresentar defeitos.

ATENÇÃO
A utilização inadequada de tomadas e de aces-
sório elétrico pode causar incêndios e ferimen-
tos graves.
● Nunca deixar crianças sem supervisão dentro
do veículo. Com a ignição ligada, tomadas e
aparelhos conectados a elas podem ser utili-
Fig. 105 No console central: acendedor de cigarro zados.
veículo com volante à esquerda). ● Se o aparelho elétrico conectado esquentar
demais, desligar o aparelho imediatamente e
– Pressionar o botão do acendedor de cigarro
tirar o conector da tomada.
para dentro com a ignição ligada → Fig. 105.
– Esperar até que o botão do acendedor de ci- NOTA
garro salte para fora.
● Para evitar danos ao sistema elétrico, nunca
– Retirar o acendedor de cigarro e acender o ci-
conectar na tomada 12 V acessórios que for-
garro na espiral incandescente → .
neçam corrente para carregar a bateria do veí-
– Encaixar o acendedor de cigarro de volta no culo, como, por exemplo, painéis solares ou
suporte. carregadores de bateria.
● Utilizar somente acessório que tenha sido veri-
ATENÇÃO ficado conforme as diretrizes vigentes com re-
A utilização incorreta do acendedor de cigarro lação à compatibilidade eletromagnética.
pode causar incêndios, queimaduras e outros ● Antes de ligar e desligar a ignição, bem como
ferimentos graves. antes de ligar o motor, os consumidores co-
● Utilizar o acendedor de cigarro adequada- nectados às tomadas 12 V devem ser desliga-
mente somente para acender cigarros. dos para evitar danos por variações de corren-
● Nunca deixar crianças sem supervisão dentro te. Se o sistema Start-Stop desligar automati-
do veículo. O acendedor de cigarro pode ser camente o motor e o ligar novamente, os con-
utilizado com a ignição ligada. sumidores conectados não precisam ser desli-
gados.
O acendedor de cigarro também pode ser ● Nunca conectar consumidores elétricos a uma
utilizado como tomada 12 V → Página 130.  tomada 12 V que consumam mais do que a po-
tência indicada. Ao exceder a potência máxi-
ma, o sistema elétrico do veículo pode ser da-
nificado.

Não deixar o motor em funcionamento com


o veículo parado.
Com o motor parado e acessórios ligados, a
bateria do veículo se descarrega. 

130 Antes da condução


Aparelhos não blindados podem causar ava-
rias no sistema Infotainment e nos compo-
nentes eletrônicos do veículo. 

Tomadas 12 V no veículo
 Observe e no início desse capítulo na
página 130.

Fig. 107 Tomada 12 V: no console central traseiro


3 e no compartimento de carga 4 .

Potência máxima
Tomada Potência máxima
12 V 120 W
A potência máxima de cada tomada não deve ser
excedida. A potência máxima dos aparelhos pode
ser encontrada em suas plaquetas de identifica-
ção.
Fig. 106 Tomada 12 V: no console central dianteiro
1 e no porta-objetos no painel de instrumentos 2 . Quando dois ou mais equipamentos estiverem
conectados ao mesmo tempo, a potência máxima
de todos os equipamentos elétricos conectados
nunca deve exceder 190 W → .

Tomada 12 V
Nas tomadas de 12 V do veículo podem ser liga-
dos acessórios elétricos.
Com o motor desligado e um equipamento elétri-
co ligado, a bateria do veículo se descarrega. Por
esse motivo, utilizar um consumidor elétrico na
tomada somente com o motor em funcionamen-
to.
Antes de ligar ou desligar a ignição, bem como
antes de ligar o motor, desligar os aparelhos co-
nectados para evitar danos por variações de ten-
são. 

Equipamentos práticos 131


Tomadas 12 V podem ser encontradas nos se- Tacógrafo
guintes locais do veículo → Fig. 106 e → Fig. 107:
1 No console central dianteiro
 Introdução ao tema
2 No porta-objetos no painel de instrumentos
3 No console central traseiro
4 Eventualmente na parede lateral esquerda da As funções e a operação do tacógrafo instalado
área de carga de fábrica estão descritas no manual de instru-
ções separado que acompanha o veículo.
NOTA Quando o veículo tiver de ser equipado posterior-
mente com um tacógrafo, este deve correspon-
● Observar os manuais de instruções dos apare-
der às respectivas determinações legais válidas.
lhos conectados!
● Nunca exceder a potência máxima, já que des- Observar as determinações legais sobre ta-
ta forma todo o sistema elétrico do veículo po- cógrafos válidas nos respectivos países. In-
derá ser danificado. formações detalhadas sobre isto podem ser obti-
● Tomada 12 V: das junto às autoridades locais.
– Utilizar somente acessório que tenha sido A manipulação do tacógrafo ou do seu con-
verificado conforme as diretrizes vigentes trole de sinais assim como a utilização inde-
com relação à compatibilidade eletromag- vida dos discos de tacógrafo podem ser rastrea-
nética. das pela polícia. 
– Nunca aplicar corrente na tomada 12 V.

Aparelhos não blindados podem causar ava-


rias no sistema Infotainment e nos compo-
nentes eletrônicos do veículo. 

Luzes de advertência e de controle

Acesa Causa possível Solução


Observar o manual de instruções adicional do
tacógrafo.
 Tacógrafo instalado de fábrica avariado.
Se necessário, procurar uma Concessionária
Volkswagen ou uma empresa especializada.

Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e ● Se necessário, parar o veículo com seguran-
de controle se acendem rapidamente para verifi- ça.
cação da função. Elas se apagam após alguns se-
● Executar as ações necessárias.
gundos.

ATENÇÃO NOTA
Observar sempre as luzes de controle acesas e
A inobservância das luzes indicadoras que se
suas descrições e indicações para evitar danos ao
acendem e das mensagens de texto pode cau-
veículo. 
sar acidentes e ferimentos.
● Observar sempre as luzes de advertência que
se acendem e as mensagens de texto.

132 Antes da condução


Orientações sobre o tacógrafo Amplificador de voz eletrônico
Local de instalação
O tacógrafo instalado de fábrica se encontra no  Introdução ao tema
porta-objetos, no descansa-braço central dian-
teiro.
O amplificador de voz eletrônico possibilita uma
Horário boa compreensão por todos os ocupantes do veí-
culo, inclusive durante altas velocidades. Durante
Para o ajuste da hora, observar o manual de ins-
a condução, o condutor pode conversar com os
truções adicional do tacógrafo.
ocupantes do habitáculo, sem precisar se virar ou
No caso de tacógrafos com entrada para cartões falar alto.
(tacógrafo digital), a hora indicada deve corres-
Os sinais de voz gravados pelo condutor por meio
ponder ao horário do respectivo país. Os horários
de um microfone no revestimento do teto são
nos impressos de controle são sempre indicados
amplificados, adicionados à reprodução contínua
em horário UTC.
do rádio ou da mídia e emitidos através dos alto-
Bateria -falantes traseiros do sistema Infotainment. Ruí-
dos de condução não são transmitidos. 
O tacógrafo digital tem uma bateria para impedir
uma perda de dados. A bateria pode cobrir um
período de tempo de aproximadamente um ano
sem abastecimento externo de energia. Este é o Operar o amplificador de voz
caso, por exemplo, quando o tacógrafo digital é
eletrônico
desinstalado ou armazenado ou quando perma-
nece no veículo com a bateria com defeito ou
descarregada.

Obrigação de uso
A obrigação de uso é válida basicamente para:
– veículos utilizados para o transporte comercial
de bens, cujo peso bruto admissível, incluindo
o reboque, excede 3.500 kg. Nesse caso é irre-
levante se é utilizado o veículo de tração ou o
reboque ou ambos para o transporte comercial
de bens.
– Veículos que, conforme seu tipo de construção
e versão, sejam adequados e previstos para o
transporte de mais do que 9 pessoas, incluindo Fig. 108 Exibição do display no console central: su-
o condutor. perfície de função para acessar o amplificador de voz
eletrônico.
Verificação do tacógrafo
O tacógrafo deve ser verificado pelo fabricante Ligar e desligar
do tacógrafo ou por uma empresa especializada – Girar o regulador de volume no sistema Info-
autorizada pelo fabricante, por exemplo, nas se- tainment ligado → caderno Sistema Infotain-
guintes situações, de modo isolado ou em con- ment.
junto, quando: – Na parte superior do display, tocar na superfí-
– O tacógrafo tiver sido reparado; cie de função com o símbolo do amplificador
– Erros indicados não podem ser corrigidos por de voz eletrônico → Fig. 108 1 , para acessar
conta própria; diretamente o menu Regulagem de volume.

– Após uma troca de pneus; – Para desligar, selecionar o item do menu Ampli-
ficador de voz eletrônico e regular o volume no re-
– No máximo a cada dois anos.  gulador corrediço bem para a esquerda. 

Equipamentos práticos 133


– Para ligar, regular o regulador corrediço da po-
sição bem à esquerda para a direita, para o vo-
Dar partida, trocar a
lume desejado. marcha, estacionar
– A regulagem selecionada fica mantida também
depois de desligar e religar a ignição. Ligar e desligar o motor
Regular o volume
– Girar o regulador de volume no sistema Info-  Introdução ao tema
tainment ligado → caderno Sistema Infotain-
ment.
Indicador do imobilizador
– Na parte superior do display, tocar na superfí-
Se a chave do veículo não for a correta ou se
cie de função com o símbolo do amplificador
houver uma avaria no sistema, pode aparecer 
de voz eletrônico → Fig. 108 1 , para acessar
ou Imobilizador ativo! no display do instrumento
diretamente o menu Regulagem de volume.
combinado. O motor não pode ser ligado.
– Selecionar o item do menu Amplificador de voz ele-
trônico e regular o volume de voz desejado no Empurrar
regulador corrediço. Por motivos técnicos, o veículo nunca deve ser
– A regulagem selecionada fica mantida também empurrado. Em vez disso, utilizar o auxílio à par-
depois de desligar e religar a ignição.  tida.

ATENÇÃO
Um desligamento do motor durante a condu-
ção torna a parada do veículo mais difícil. Como
consequência, isso pode causar tanto a perda
de controle do veículo, quanto acidentes e feri-
mentos graves.
● Os sistemas de assistência à frenagem e à
condução, o sistema de airbag, os pré-ten-
sionadores dos cintos de segurança, bem co-
mo outros equipamentos de segurança do
veículo, são ativados somente com o motor
em funcionamento.
● Desligar o motor somente com o veículo pa-
rado.

ATENÇÃO
O risco de ferimentos graves pode ser reduzido
com o motor em funcionamento ou durante a
partida do motor.
● Nunca ligar o motor ou deixá-lo funcionando
em locais fechados ou sem ventilação. Os
gases de escape do motor contêm, entre ou-
tros, monóxido de carbono, um gás tóxico
inodoro e incolor. O monóxido de carbono
pode ocasionar desmaios e morte.
● Nunca dar partida no motor ou deixar funcio-
nando, se óleo, combustível ou outro com-
bustível levemente inflamável estiver sob o
veículo ou em sua proximidade ou vazar do
veículo, por exemplo, devido a um dano. 

134 Durante a condução


● Nunca deixar o veículo sem a devida atenção ● Nunca utilizar proteção adicional na parte in-
com o motor em funcionamento, especial- ferior do veículo ou produtos anticorrosivos
mente com marcha engatada ou posição da para o tubo do escapamento, catalisadores,
marcha engatada. O veículo poderia se mo- placas de blindagem térmica ou filtro de par-
ver subitamente ou um evento incomum tículas de diesel.
ocorrer, podendo causar danos, queimaduras
e graves lesões. ATENÇÃO
● Nunca utilizar um acelerador de partida. Um O veículo com o motor em funcionamento se
acelerador de partida pode explodir e causar movimenta imediatamente assim que uma
um súbito aumento da rotação do motor. marcha é engatada e o freio de estacionamento
é liberado. Como consequência, isso pode cau-
ATENÇÃO sar tanto a perda de controle do veículo, quan-
As peças do sistema de escape esquentam mui- to acidentes e ferimentos graves.
to. Por isso podem causar incêndios e ferimen- ● Puxar o freio de estacionamento sempre de
tos graves. modo bem firme quando o veículo é parado
● Nunca estacionar o veículo de forma que pe- ou estacionado.
ças do sistema de escape entrem em contato ● Levar sempre todas as chaves do veículo ao
com materiais inflamáveis embaixo do veícu- deixar o veículo. Caso contrário, o motor po-
lo, como, por exemplo, vegetação rasteira, de ser ligado e causar ferimentos graves.
folhas, grama seca, combustível derramado ● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne-
etc. cessidades especiais sozinhas no veículo.
Elas podem soltar o freio de estacionamento,
acionar a alavanca seletora ou a alavanca de
troca de marcha, colocando o veículo em
movimento. Isso pode causar acidentes e fe-
rimentos graves.
● Na troca de condutor, chamar a atenção do
novo condutor sobre a partida e o desliga-
mento seguros do motor, incluindo os pedais
do freio e da embreagem. 

Cilindro da ignição
 Observe no início desse capítulo na página 134.

Fig. 109 Posições da chave do veículo no cilindro da ignição.

Se não houver uma chave do veículo no cilindro


da ignição, o bloqueio da direção pode estar ati-
vado. 

Dar partida, trocar a marcha, estacionar 135


Posições da chave do veículo → Fig. 109 ● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne-
cessidade de ajuda sozinhas no veículo. Em
0 Ignição desligada. A chave do veículo pode
caso de emergência, elas não estariam em
ser retirada.
condições de deixar o veículo sozinhas ou de
1 Ignição ligada. O bloqueio da direção pode cuidarem de si mesmas. Por exemplo, con-
ser destravado. forme a estação do ano, podem ocorrer tem-
2 Ligar o motor. Quando o motor pegar, soltar peraturas muito altas ou muito baixas dentro
a chave da ignição. Ao soltar, a chave do veí- do veículo, que podem ocasionar ferimentos
culo retorna à posição 1 . graves e enfermidades, principalmente em
crianças pequenas, ou ocasionar a morte.
Chave do veículo não autorizada ● Nunca retirar a chave do veículo do cilindro
Se tiver sido introduzida uma chave do veículo da ignição enquanto o veículo estiver em
não autorizada no cilindro da ignição, ela pode movimento. O bloqueio da direção pode se
ser retirada da seguinte forma: travar e pode não ser mais possível conduzir
o veículo.
– Transmissão automática: pressionar e soltar o
botão bloqueador da alavanca seletora. A cha- ● A haste da chave do veículo deve estar total-
ve do veículo pode ser retirada. mente virada para fora e fixada.
– Transmissão manual: retirar a chave do veículo ● Fixar somente objetos leves de até 100 g na
do cilindro da ignição. chave do veículo.

Quando a chave do veículo permanece no


ATENÇÃO cilindro da ignição por um longo período
Uma utilização desatenta ou sem supervisão com o motor desligado, a bateria do veículo se
das chaves do veículo pode causar acidentes e descarrega.
ferimentos graves.
Em veículos com transmissão automática a
● Levar sempre todas as chaves do veículo ao
chave do veículo somente pode ser retirada
deixar o veículo. O motor pode ser ligado e
do cilindro da ignição se a alavanca seletora esti-
equipamentos elétricos, como os vidros elé-
ver na posição P . Se necessário, pressionar o bo-
tricos, podem ser comandados, o que pode
tão bloqueador na alavanca seletora e soltá-lo
ocasionar ferimentos graves.
novamente. 

Ligar o motor
 Observe no início desse capítulo na pági- marcha engatada, uma vez que a propulsão au-
na 134. menta após ligar o motor, mesmo que o freio de
estacionamento esteja puxado.
Ligar o motor com segurança Para evitar uma partida indesejada, devem ser re-
Após a partida do motor pela chave de ignição, o alizadas as seguintes ações para dar a partida ao
veículo se movimenta imediatamente assim que veículo em todos os casos e na sequência indica-
for engatada uma marcha e o freio de estaciona- da. 
mento for liberado → . Para isso, não é neces-
sário nenhum pedal acionado.
O veículo pode entrar em movimento se a tração
nas quatro rodas com nível de rodagem intensa-
mente reduzido (4x4 LOW) estiver ativada e a

136 Durante a condução


Executar as ações somente na sequência indicada.
Passo Veículos com transmissão manual. Veículos com transmissão automática.
1. Pisar no pedal do freio e mantê-lo pressionado até que o passo 5 tenha sido efeituado.
Colocar alavanca de troca de marcha na posi- Colocar a alavanca seletora na posição P ou
2.
ção neutra. N.
Pisar totalmente no pedal da embreagem e
2a.
segurar até o motor começar a funcionar.
Adicionalmente em motor a diesel: para pré-incandescência, girar a chave do veículo no ci-
3. lindro da ignição para a posição → Fig. 109 1 . A luz de controle  se acende no instrumen-
to combinado.
4. Girar a chave do veículo no cilindro da ignição para a posição → Fig. 109 2 – não acelerar.
5. Quando o motor começar a funcionar, soltar a chave do veículo no cilindro da ignição.
Se o motor não começar a funcionar, interromper o procedimento de partida e repeti-lo após
6.
aproximadamente um minuto.
7. Soltar o freio de estacionamento quando tiver de ser dada partida → Página 146.

ATENÇÃO ● Na troca de condutor, chamar a atenção do


novo condutor sobre a partida e o desliga-
Nunca sair do veículo com o motor em funcio-
mento seguros do motor, incluindo os pedais
namento, especialmente não com marcha en-
do freio e da embreagem.
gatada ou posição da marcha engatada. O veí-
culo poderia se mover subitamente ou um
evento incomum ocorrer, podendo causar da- NOTA
nos, queimaduras ou lesões graves. ● O motor de partida ou o motor podem ser da-
nificados quando se tentar dar partida no mo-
ATENÇÃO tor durante a condução, ou quando o motor é
acionado novamente logo após ser desligado.
Um acelerador de partida pode explodir ou cau-
sar um súbito aumento da rotação do motor. ● Se o motor estiver frio, evitar rotações do mo-
tor elevadas, aceleração total e forte demanda
● Nunca utilizar um acelerador de partida.
do motor.
ATENÇÃO ● Não empurrar ou puxar o veículo para dar par-
tida. O combustível não queimado pode danifi-
O veículo com o motor em funcionamento se car o catalisador.
movimenta imediatamente assim que uma
marcha é engatada e o freio de estacionamento Não deixar o motor se aquecer com o veícu-
é liberado. Como consequência, isso pode cau- lo parado, mas sim arrancar imediatamente
sar tanto a perda de controle do veículo, quan- quando houver boa visibilidade através dos vi-
to acidentes e ferimentos graves. dros. Desta forma, o motor atinge sua tempera-
● Puxar o freio de estacionamento sempre de tura de serviço mais rapidamente e a emissão de
modo bem firme quando o veículo é parado substâncias tóxicas é menor.
ou estacionado. Ao dar a partida no motor, os consumidores
● Levar sempre todas as chaves do veículo ao elétricos maiores são desligados tempora-
deixar o veículo. Caso contrário, o motor po- riamente.
de ser ligado e causar ferimentos graves.
Após ligar um motor frio, podem ocorrer ru-
● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne-
ídos de funcionamento mais fortes por um
cessidades especiais sozinhas no veículo.
curto período. Isto é normal e não deve causar
Elas podem soltar o freio de estacionamento,
preocupação. 
acionar a alavanca seletora ou a alavanca de
troca de marcha, colocando o veículo em
movimento. Isso pode causar acidentes e fe-
rimentos graves.

Dar partida, trocar a marcha, estacionar 137


Em caso de temperaturas externas abaixo
de +5 °C (+41 °F), em veículos com motor a
diesel, pode ocorrer uma ligeira formação de fu-
maça sob o veículo quando o aquecedor auxiliar
de combustível estiver ligado. 

Desligar o motor
 Observe no início desse capítulo na pági- dos os casos e na sequência indicada → . Pisar
na 134. no pedal do freio e manter assim até que o mo-
tor esteja desligado. O freio de estacionamento
Desligar o motor com segurança deve ser puxado de modo firme.
Para evitar uma partida indesejada na próxima
partida do motor, devem ser realizadas as se-
guintes ações para estacionar o veículo, em to-

Passo Executar as ações somente na sequência indicada.


1. Parar o veículo completamente → .
2. Pisar no pedal de freio e segurar até que o passo 4 tenha sido efetuado.
3. Com transmissão automática, colocar a alavanca seletora na posição P .
4. Puxar bem o freio de estacionamento → Página 146.
5. Girar a chave do veículo no cilindro da ignição para a posição → Fig. 109 0 .
6. Em transmissão manual, engatar a 1ª marcha ou a marcha a ré.

ATENÇÃO ● Se a chave do veículo for retirada do cilindro


da ignição, o bloqueio da direção poderá se
Nunca desligar o motor enquanto o veículo es-
engatar e poderá não ser mais possível ma-
tiver em movimento. Isso pode causar a perda
nobrar o veículo.
de controle do veículo e acidentes e ferimentos
graves.
NOTA
● Os airbags e os pré-tensionadores dos cintos
de segurança não funcionam se a ignição es- Se o veículo for conduzido com grande demanda
tiver desligada. do motor, ele poderá se superaquecer após a pa-
rada. Para evitar danos ao motor, deixá-lo funcio-
● O servofreio não funciona com o motor des- nando na posição neutra por aproximadamente 2
ligado. É necessário aplicar mais força sobre minutos, antes de desligá-lo.
o pedal do freio para parar.
● A direção assistida não funciona com o mo- Em veículos com transmissão automática, a
tor desligado ou se a direção assistida estiver chave do veículo pode ser retirada do cilin-
danificada. É necessário aplicar mais força dro da ignição somente se a alavanca seletora es-
para manobrar o veículo. tiver na posição P.
Após desligar o motor, a ventoinha do ra-
diador no compartimento do motor poderá
continuar funcionando durante alguns minutos,
mesmo com a ignição desligada ou com a chave
do veículo fora da ignição. O ventilador do radia-
dor se desliga automaticamente. 

138 Durante a condução


Imobilizador eletrônico ATENÇÃO
Uma aceleração rápida pode ocasionar a perda
 Observe no início desse capítulo na pági- de tração e derrapagens, principalmente em es-
na 134. tradas escorregadias. Isto pode ocasionar a per-
da de controle do veículo, acidentes e ferimen-
O imobilizador ajuda a impedir que o motor seja tos graves.
ligado com uma chave do veículo não autorizada
● Usar o kick-down ou a aceleração rápida so-
e que, desta forma, o veículo possa se movimen-
mente quando as condições de visibilidade,
tar.
do clima, da pista e do trânsito permitirem.
A chave do veículo possui um chip. Com a ajuda
deste chip, o imobilizador é desativado automati- ATENÇÃO
camente quando a chave da veículo é introduzida
no cilindro da ignição. Nunca deixar os freios “deslizarem” com fre-
quência e por muito tempo ou acionar o pedal
O imobilizador eletrônico é ativado automatica- do freio com frequência e por muito tempo.
mente assim que a chave da ignição é retirada do Frenagens constantes causam superaqueci-
cilindro da ignição. mento dos freios. Isto pode diminuir significati-
Por esse motivo, só é possível ligar o motor com vamente o desempenho de frenagem, aumen-
uma chave original Volkswagen codificada de tar a distância de frenagem e, sob certas cir-
modo correspondente. Chaves de veículo codifi- cunstâncias, ocasionar a falha total do sistema
cadas podem ser obtidas em uma Concessionária de freio.
Volkswagen → Página 29.
NOTA
Caso tenha sido utilizada uma chave do veículo
não autorizada, as indicações SAFE ou Imobilizador ● Nunca deixar os freios “entrarem em atrito”
ativo! aparecem no display do instrumento combi- por meio de uma pressão leve no pedal se não
nado. Nesse caso, o veículo não pode ser ligado. for realmente necessário frear. Isto aumenta o
desgaste.
O funcionamento perfeito do veículo só é
● Antes de percorrer um trecho mais longo com
garantido com chaves originais Volkswagen. 
declives acentuados, diminuir a velocidade,
mudar para uma marcha mais baixa ou selecio-
nar uma posição de marcha mais baixa. Assim,
é possível aproveitar o efeito de frenagem do
Trocar a marcha motor por completo e o freio é aliviado. Caso
contrário, o freio pode se superaquecer e, pos-
sivelmente, falhar. Usar os freios somente se
 Introdução ao tema necessário para diminuir a velocidade ou para
parar. 

Com a marcha a ré engatada e a ignição


ligada, ocorre o seguinte:
– A lanterna de marcha a ré se acende.
– Durante a marcha a ré, o Climatronic alterna
automaticamente para o modo de recirculação
de ar.
– Se for o caso, o Park Pilot, a exibição do display
do Park Pilot e a câmera do assistente de con-
dução em marcha a ré se ligam.

Dar partida, trocar a marcha, estacionar 139


Luzes de advertência e de controle
 Observe e no início desse capítulo na página 139.

Acesa Causa possível Solução


Para engatar uma posição de marcha, pisar no
 Pedal do freio não pressionado.
pedal do freio.

Piscando Causa possível Solução


O botão bloqueador da alavanca seletora
Encaixar o bloqueio da alavanca seletora
 não está encaixado. O arranque é impedi-
do.
→ Página 143.

Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e ● Parar o veículo assim que possível e seguro.
de controle se acendem rapidamente para verifi-
● Se o veículo parar ou se precisar ser desliga-
cação da função. Elas se apagam após alguns se-
do para reparos, parar sempre o veículo com
gundos.
uma distância segura em relação à rua, ligar
as luzes de advertência, desligar o motor e
ATENÇÃO adotar outras medidas de proteção para ad-
A inobservância das luzes de advertência acesas vertir o tráfego que segue atrás.
e das mensagens de texto pode causar a parada
do veículo no trânsito, acidentes e ferimentos NOTA
graves.
A inobservância das luzes de controle que se
● Nunca deixar de observar as luzes de adver- acendem e das mensagens de texto pode causar
tência e as mensagens de texto. danos ao veículo. 

Pedais
 Observe e no início desse capítulo na
página 139.

Fig. 111 Pedais em veículos com transmissão auto-


mática: 1 Pedal do acelerador, 2 Pedal do freio.

O comando e a liberdade de movimento do con-


junto de pedais nunca devem ser prejudicados
por objetos ou tapetes para os pés.
Fig. 110 Pedais em veículos com transmissão ma-
nual: 1 pedal do acelerador, 2 pedal do freio, 3 Utilizar somente tapetes que deixem a área dos
pedal da embreagem. pedais livre e que estejam fixados com segurança
na área para os pés, evitando que deslizem.
Se ocorrer uma falha num circuito do freio, será
necessário pisar no pedal do freio mais profunda-
mente que o normal para parar o veículo. 

140 Durante a condução


ATENÇÃO As posições de cada uma das marchas estão re-
presentadas na alavanca de troca de marcha
Objetos na área para os pés do condutor podem → Fig. 112.
impedir o livre acionamento dos pedais. Isto
pode ocasionar a perda de controle do veículo e – Pisar totalmente no pedal da embreagem e
aumentar o risco de ferimentos graves. mantê-lo pressionado.
● Atentar para que todos os pedais possam ser – Colocar a alavanca de troca de marcha na posi-
acionados sem impedimentos. ção desejada → .
● Fixar os tapetes sempre com segurança na – Soltar o pedal da embreagem para engatar a
área para os pés. marcha.
● Nunca colocar tapetes para os pés ou outros Em alguns países é necessário pisar totalmente
revestimentos de assoalho sobre o tapete no pedal da embreagem para ligar o motor.
instalado para os pés.
● Atentar para que nenhum objeto possa al- Engatar a marcha a ré
cançar a área para os pés do condutor duran- – Engatar a marcha a ré somente com o veículo
te a condução. parado.
● Com o veículo estacionado, remover os obje- – Pisar totalmente no pedal da embreagem e
tos que se encontram na área para os pés. mantê-lo pressionado → .
– Colocar a alavanca de troca de marcha na posi-
NOTA ção neutra e pressioná-la para baixo.
O acionamento dos pedais deve estar desimpedi- – Empurrar a alavanca de troca de marcha total-
do o tempo todo. Por exemplo, em caso de falha mente para a esquerda e depois para frente
de um circuito do freio, será necessária uma dis- até a posição da marcha a ré R .
tância de frenagem maior para parar o veículo. – Soltar o pedal da embreagem para engatar a
Nesse caso, pisar no pedal do freio mais fundo e marcha.
forte que o usual. 
Reduzir a marcha
A redução de marcha durante a condução deve
ser efetuada sempre em etapas, ou seja, para a
Transmissão manual: engatar a próxima marcha inferior e com a rotação do mo-
marcha tor não muito alta → . Se a velocidade ou a ro-
tação do motor forem muito altas, pular uma ou
 Observe e no início desse capítulo na mais marchas ao reduzir a marcha pode ocasio-
página 139. nar danos à embreagem e à transmissão, mesmo
com o pé na embreagem → .

ATENÇÃO
O veículo com o motor em funcionamento se
movimenta imediatamente assim que uma
marcha é engatada e o pedal da embreagem é
liberado. Isso também vale quando o freio de
estacionamento estiver puxado.
● Nunca engatar a marcha a ré enquanto o veí-
culo estiver em movimento.

ATENÇÃO
Se a redução de marcha para marchas muito
baixas for realizada de modo incorreto, as con-
Fig. 112 Esquema de troca de marchas da transmis-
sequências podem ser a perda de controle do
são manual de 6 velocidades.
veículo, acidentes e ferimentos graves. 

Dar partida, trocar a marcha, estacionar 141


NOTA ● Durante a condução, não deixar a mão descan-
sar sobre a alavanca de troca de marcha. A
Se em velocidades ou em rotações do motor al-
pressão da mão é transferida para os garfos de
tas a alavanca de troca de marcha for engatada
engate da transmissão.
em uma marcha muito baixa, podem ocorrer da-
nos significativos à embreagem e à transmissão. ● Cuidar para que o veículo esteja totalmente
Isto também é válido se o pedal da embreagem parado antes de engatar a marcha a ré.
permanecer acionado e não houver engate. ● Durante a troca de marcha, pisar sempre no
pedal da embreagem até o fundo.
NOTA ● Em subidas, não segurar o veículo com a em-
Para evitar danos e um desgaste precoce, obser- breagem “patinando” com o motor em funcio-
var o seguinte: namento. 

Transmissão automática: engatar a marcha


 Observe e no início desse capítulo na A alavanca seletora é equipada com um bloqueio
página 139. da alavanca seletora. Ao trocar uma posição de
alavanca seletora saindo da posição P para uma
posição de marcha, pisar no pedal de freio e
pressionar o botão bloqueador da manopla da
alavanca seletora na direção da seta → Fig. 113.
Com a ignição ligada, o display do instrumento
combinado exibe a posição atual da alavanca se-
letora.

Fig. 113 Veículos com direção à esquerda: alavanca


seletora da transmissão automática com botão blo-
queador (seta).

Posição da
alavanca Denominação Significado →
seletora
As rodas de tração estão bloqueadas mecanicamente.
Bloqueio de estacio- Engatar somente com o veículo parado. Para tirar a alavanca se-
 namento letora da posição, pisar no pedal do freio e, adicionalmente, ligar
a ignição.
A marcha a ré está engatada.
 Marcha a ré
Engatar somente com o veículo parado.
A transmissão está na posição neutra. Não há transmissão de
 Neutro força para as rodas e o efeito de frenagem do motor não está
disponível. 

142 Durante a condução


Posição da
alavanca Denominação Significado →
seletora
Todas as marchas à frente são aumentadas e reduzidas automa-
Posição permanente
ticamente. O momento da troca de marcha depende da carga do
 para condução para
frente (modo normal)
motor, do estilo de condução individual e da velocidade da con-
dução.
Todas as marchas são aumentadas automaticamente mais tarde
Posição permanente e reduzidas mais cedo do que com a alavanca seletora na posição
para condução para D para aproveitar completamente as reservas de potência do
 frente (programa de motor. O momento da troca de marcha depende da carga do
troca especial) motor, do estilo de condução individual e da velocidade da con-
dução.

Bloqueio da alavanca seletora ATENÇÃO


O bloqueio da alavanca seletora impede que, na
O engate da alavanca seletora numa posição in-
posição P ou N, uma posição de marcha possa ser
correta pode ocasionar a perda de controle do
engatada sem supervisão, colocando por isso o
veículo, acidentes e ferimentos graves.
veículo involuntariamente em movimento.
● Nunca acelerar ao engatar uma posição de
Para liberar o bloqueio da alavanca seletora com marcha.
a ignição ligada, pisar no pedal do freio e mantê-
-lo pressionado. Ao mesmo tempo, pressionar o ● Com o motor em funcionamento e a posição
botão bloqueador da alavanca seletora. de marcha engatada, o veículo se movimen-
tará assim que o pedal do freio for liberado.
Na troca de marchas rápida passando pela posi-
● Nunca acionar a marcha a ré ou o bloqueio
ção N, por exemplo de R para D, a alavanca sele-
de estacionamento durante a condução.
tora não é bloqueada. Deste modo, é possível
“balançar” o veículo atolado para fora do atolei-
ro. Se, com o pedal do freio não acionado, a ala-
ATENÇÃO
vanca permanecer por mais de aproximadamente Movimentos sem supervisão do veículo podem
um segundo e, a uma velocidade inferior a apro- causar ferimentos graves.
ximadamente 5 km/h (3 mph), na posição N, o ● Como condutor, nunca deixar o banco do
bloqueio da alavanca seletora será acionado. condutor com o motor em funcionamento e
Em casos raros, em veículos com transmissão au- uma posição de marcha engatada. Se for ne-
tomática, pode ocorrer que o bloqueio da alavan- cessário sair do veículo com o motor em fun-
ca seletora não engate. Nesse caso, o aciona- cionamento, acionar sempre o freio de esta-
mento será desativado para impedir um arranque cionamento e colocar a alavanca seletora na
sem supervisão. A luz de controle verde  está posição P.
piscando. Para engatar o bloqueio da alavanca ● Com o motor em funcionamento e a posição
seletora, proceder da seguinte forma: de marcha D, S ou R engatada, é necessário
manter o veículo parado usando o freio. Mes-
Colocar a alavanca seletora na posição P ou N e,
mo rotação de marcha lenta, a transmissão
então, selecionar uma posição de marcha.
de força não é totalmente interrompida e o
Mudar os programas para condução para veículo se “arrasta”.
frente ● Nunca mudar para a posição de marcha R ou
– Selecionar o programa de troca especial: com P se o veículo estiver em movimento.
o modo normal ativado, mudar a alavanca se- ● Nunca sair do veículo com a posição de mar-
letora saindo da posição D, dando toques para cha em N. O veículo descerá um declive, in-
trás e então soltá-la. dependente de o motor estar em funciona-
– Selecionar o modo normal: com o programa de mento ou não. 
troca especial ativado, mudar a alavanca sele-
tora saindo da posição D, dando toques para
trás e então soltá-la.

Dar partida, trocar a marcha, estacionar 143


NOTA Caso, durante a condução, a posição N seja
selecionada acidentalmente, tirar o pé do
Se, com o veículo parado, o freio de estaciona- pedal do acelerador. Aguardar a rotação de mar-
mento não estiver acionado e o pedal do freio for cha lenta do motor na posição neutra antes de
liberado com a alavanca seletora na posição P, o engatar uma posição de marcha novamente. 
veículo pode se mover alguns centímetros para
frente ou para trás.

Trocar a marcha com o Tiptronic Comandar o Tiptronic com a alavanca seletora


– Pressionar a alavanca seletora na posição D
 Observe e no início desse capítulo na para a direita do curso seletor do Tiptronic
página 139. → em Transmissão automática: engatar a
marcha na página 143.
– Mover a alavanca seletora para frente + ou
para trás – para aumentar ou diminuir a mar-
cha → Fig. 114.

Comandar o Tiptronic com os seletores


basculantes
Nas posição da alavanca seletora D/S ou no curso
seletor do Tiptronic, acionar os seletores bascu-
lantes no volante → Fig. 115 (setas).
– Puxar o seletor basculante direito +  na dire-
ção do volante para aumentar a marcha.
– Puxar o seletor basculante esquerdo + OFF na
direção do volante para reduzir a marcha.
Fig. 114 Alavanca seletora na posição Tiptronic (veí-
– Para desativar o Tiptronic, puxar o seletor bas-
culos com direção à esquerda).
culante direito +  na direção do volante por
aproximadamente um segundo.
O Tiptronic é desativado automaticamente se os
seletores basculantes não forem acionados du-
rante algum tempo ou se a alavanca seletora não
estiver no curso seletor do Tiptronic.

NOTA
● Ao acelerar, um pouco antes de atingir a rota-
ção máxima admissível do motor, a transmis-
são muda automaticamente para a marcha
Fig. 115 Volante com seletores basculantes do Tip- imediatamente superior.
tronic. ● Na redução manual da marcha, a transmissão
muda a marcha somente se não for mais pos-
Na transmissão automática no modo Tiptronic, as sível uma rotação mais alta do motor. 
marchas podem ser aumentadas ou diminuídas
manualmente. Ao mudar para o modo Tiptronic,
a marcha atual engatada é mantida. Isto vale até
que o sistema não execute uma troca de marcha
automática devido à situação de condução atual.

144 Durante a condução


Condução com transmissão ● Nunca colocar os demais usuários da via em
risco com a aceleração do veículo e o estilo
automática
de condução.
 Observe e no início desse capítulo na
página 139. NOTA
● Ao parar em subidas com uma posição de mar-
As marchas à frente são aumentadas ou reduzi- cha engatada, não impedir a movimentação do
das automaticamente. veículo por meio do pedal do acelerador. Isto
pode superaquecer a transmissão automática e
Condução em declives danificá-la.
Quanto maior o declive, mais reduzida deve ser a ● Nunca deixar o veículo rodar na posição de
marcha selecionada. Marchas mais reduzidas ele- marcha N, especialmente com o motor desli-
vam o efeito de frenagem do motor. Nunca des- gado. A transmissão automática não será lubri-
cer montanhas ou colinas com o veículo na posi- ficada e, por isso, poderá ser danificada. 
ção neutra N.
– Reduzir a velocidade.
– Pressionar a alavanca seletora da posição D à Falha de funcionamento da
direita na direção do curso seletor do Tiptronic
transmissão automática
→ Página 144.
– Reduzir a marcha com um breve toque para  Observe e no início desse capítulo na
trás na alavanca seletora. página 139.

Kick-down Programa de emergência


A função kick-down permite uma aceleração má- Se todos os indicadores das posições da alavanca
xima com a alavanca seletora na posição D, S ou seletora estiverem ressaltados com um fundo
na posição Tiptronic. claro no display do instrumento combinado, exis-
Ao pisar totalmente no pedal do acelerador, a te uma avaria do sistema. A transmissão automá-
transmissão automática engata uma marcha in- tica funciona em um programa de emergência.
ferior, independente da velocidade da rotação do No programa de emergência, o veículo ainda po-
motor. Deste modo é aproveitada a aceleração de rodar, porém com velocidade reduzida e não
total do veículo → . em todas as marchas.
Com o modo kick-down, o aumento automático Em todos os casos, a transmissão automática de-
para a próxima marcha mais alta ocorre somente verá ser verificada imediatamente por uma Con-
quando é atingida a rotação máxima prescrita do cessionária Volkswagen ou por uma empresa es-
motor. pecializada.

ATENÇÃO Superaquecimento da transmissão


automática
Uma aceleração rápida pode ocasionar a perda
de tração e derrapagens, principalmente em es- A transmissão automática pode aquecer muito,
tradas escorregadias. Isto pode ocasionar a per- por exemplo, pelo arranque frequente, “arraste”
da de controle do veículo, acidentes e ferimen- por longo tempo ou no trânsito intenso. Parar e
tos graves. deixar a transmissão esfriar → em Condução
com transmissão automática na página 145.
● Adequar sempre a forma de condução ao flu-
xo do trânsito. O veículo não se move para frente nem para
● Utilizar o kick-down ou a aceleração rápida trás apesar do nível de marcha engatado
somente se as condições de visibilidade, do Se o veículo não se mover na direção desejada, a
clima, da pista e do trânsito permitirem e os posição de marcha pode não estar corretamente
demais usuários da via não correrem risco engatada pelo sistema. Então, pisar no pedal do
causado pela aceleração do veículo e a forma freio e engatar novamente a posição de marcha. 
de condução.

Dar partida, trocar a marcha, estacionar 145


Se o veículo continuar não se movendo na dire- Informações para “limpeza” do filtro de
ção desejada, há uma avaria do sistema. Procurar partículas de diesel
auxílio técnico especializado e mandar verificar o O controle do sistema de escape reconhece um
sistema. filtro de partículas de diesel entupido e auxilia na
autolimpeza do filtro de partículas de diesel, re-
NOTA comendando a marcha mais indicada. Isso pode
● Na primeira vez que for exibido o superaqueci- exigir, excepcionalmente, uma condução com a
mento da transmissão, é necessário parar o rotação do motor mais elevada → Página 269.
veículo com segurança ou conduzir com velo-
cidade acima de 20 km/h (12 mph). CUIDADO
● Se a mensagem de texto e o alerta sonoro se A recomendação de marcha é um meio mera-
repetirem a cada 10 segundos, o veículo deve- mente auxiliar e não pode substituir a atenção
rá ser parado imediatamente com segurança e do condutor.
o motor deverá ser desligado. Deixar a trans- ● A responsabilidade pela escolha da marcha
missão esfriar. certa na respectiva situação de condução é
● Para evitar danos à transmissão, prosseguir so- do condutor, por exemplo, em ultrapassa-
mente quando o alerta sonoro não soar mais. gens, em condução por montanhas ou na
Enquanto a transmissão estiver superaquecida, condução com reboque.
os processos de partida ou a condução em ve-
locidade de passo devem ser evitados. Uma marcha ideal selecionada ajuda a eco-

nomizar combustível.
Em veículos com transmissão manual, a exi-
bição da recomendação de marcha se apaga
Recomendação de marcha quando o pedal da embreagem é acionado e, em
veículos com transmissão automática, ao sair da
 Observe e no início desse capítulo na
página 139.
posição Tiptronic. 

Conforme a versão do veículo, durante a condu-


ção pode ser exibida no display do instrumento
combinado uma recomendação para seleção de Frear, parar e estacionar
uma marcha que economize mais combustível.

Indicação Significado  Introdução ao tema


 Marcha ideal selecionada.

Recomendação para aumentar a Os sistemas de assistência à frenagem são o sis-


 marcha. tema antibloqueio do freio (ABS), o assistente de
frenagem (BAS), o bloqueio eletrônico do dife-
Recomendação para reduzir a
 marcha.
rencial (EDS), o controle de tração (ASR) e o pro-
grama de estabilidade eletrônico (ESC).
Em veículos com transmissão manual é apresen-
tado em forma de número a marcha recomenda- ATENÇÃO
da e, por uma seta, uma recomendação para au- A condução com pastilhas de freio gastas ou
mentar ou reduzir para a marcha indicada. um sistema de freio avariado pode causar aci-
Se em veículos com transmissão automática a dentes e ferimentos graves.
alavanca seletora se encontrar na posição Tiptro-
nic, é apresentado em forma de número a mar- ATENÇÃO
cha atual e, por uma seta, uma recomendação Estacionar de modo incorreto pode causar feri-
para aumentar ou reduzir para a marcha indicada mentos graves. 
→ Página 145.

146 Durante a condução


● Nunca retirar a chave do veículo do cilindro condições de deixar o veículo sozinhas ou de
da ignição enquanto o veículo estiver em cuidarem de si mesmas. Por exemplo, con-
movimento. O bloqueio da direção pode se forme a estação do ano, podem ocorrer tem-
travar e pode não ser mais possível conduzir peraturas muito altas ou muito baixas dentro
ou controlar o veículo. do veículo, que podem ocasionar ferimentos
● Nunca estacionar o veículo de forma que pe- graves e enfermidades, principalmente em
ças do sistema de escape entrem em contato crianças pequenas, ou ocasionar a morte.
com materiais inflamáveis embaixo do veícu-
lo, como, por exemplo, vegetação rasteira, NOTA
folhas, grama seca, combustível derramado ● Para evitar movimentações indesejadas do veí-
etc. culo ao estacionar o veículo, primeiramente
● Puxar o freio de estacionamento sempre de puxar o freio de estacionamento e, a seguir,
modo bem firme quando o veículo é parado retirar o pé do pedal do freio.
ou estacionado. ● Conduzir com cuidado em estacionamentos
● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne- com meio-fio saliente ou delimitadores rígi-
cessidades especiais sozinhas no veículo. dos. Estes objetos altos que sobressaem do
Elas podem soltar o freio de estacionamento, chão podem danificar o para-choque e outras
acionar a alavanca seletora ou a alavanca de peças do veículo ao estacionar ou ao sair da
troca de marcha, colocando o veículo em vaga de estacionamento. Para evitar danos,
movimento. Isso pode causar acidentes e fe- parar antes que as rodas toquem nos delimita-
rimentos graves. dores ou nos meios-fios.
● Levar sempre todas as chaves do veículo ao ● Conduzir cautelosamente em baixadas e entra-
deixar o veículo. O motor pode ser ligado e das de terrenos, rampas, meios-fios e outros
equipamentos elétricos, como os vidros elé- objetos. Peças do veículo instaladas na parte
tricos, podem ser operados e ocasionar feri- inferior, como para-choque, spoiler e peças do
mentos graves. chassi, do motor ou do sistema de escape po-
● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne- dem ser danificadas durante a travessia. 
cessidade de ajuda sozinhas no veículo. Em
caso de emergência, elas não estariam em

Luzes de advertência e de controle


 Observe e no início desse capítulo na página 146.

Acesa Causa possível → Solução

 Freio de estacionamento puxado. → Página 149

 Não prosseguir!
 Sistema de freio avariado. Procurar auxílio técnico especializado
→ Página 151.
ASR/ESC desligado pelo sistema. Desligar e ligar a ignição.
Procurar uma Concessionária Volkswagen ou
ASR/ESC avariado.
uma empresa especializada.
Junto com a luz de controle da tração nas Desligar a tração nas quatro rodas (quando de-
 quatro rodas : ASR desativado. sejado).
Juntamente com a luz de controle do Procurar uma Concessionária Volkswagen. O
ABS : o ABS não funciona. veículo pode ser freado sem ABS.
A bateria do veículo foi reconectada. → Página 226 

Dar partida, trocar a marcha, estacionar 147


Acesa Causa possível → Solução
Juntamente com a luz de controle do
ABS  com tração nas quatro rodas
Desligar o bloqueio do diferencial do eixo tra-
4X4 LOW acionada e bloqueio do diferen-
seiro (quando desejado).
cial do eixo traseiro engatado: ABS e ASR/
ESC desligados.
Tração nas quatro rodas com nível de ro-
dagem intensamente reduzido (4X4 LOW) Desligar o bloqueio do diferencial do eixo tra-
acionado e bloqueio do diferencial engata- seiro (quando desejado).
 do.
ASR/ESC desligado por pressão do botão
Ligar ASR/ESC (quando desejado).
.

Juntamente com a luz de controle do


ESC : ABS avariado. Procurar uma Concessionária Volkswagen. O
Juntamente com luz de advertência : veículo pode ser freado sem ABS.
ABS não funciona.
 Juntamente com a luz de controle ASR/
ESC  com tração nas quatro rodas
Desligar o bloqueio do diferencial do eixo tra-
4X4 LOW acionada e bloqueio do diferen-
seiro (quando desejado).
cial do eixo traseiro engatado: ABS e ASR/
ESC desligados.
Para engatar uma posição de marcha, pisar no
 Pedal do freio não pressionado.
pedal do freio.

Piscando Causa possível → Solução


 Não prosseguir!
 Nível do fluido de freio muito baixo. Verificar o nível do fluido de freio
→ Página 156.
Tirar o pé do pedal do acelerador. Adequar a
 ESC ou ASR em funcionamento.
forma de condução às condições da pista.

Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e ● Se a luz de advertência do sistema de freio


de controle se acendem rapidamente para verifi-  não se apagar ou se acender durante a
cação da função. Elas se apagam após alguns se- condução, o nível do fluido de freio no reser-
gundos. vatório está muito baixo ou o sistema de
freio está avariado. Parar imediatamente e
ATENÇÃO procurar auxílio técnico especializado
A inobservância das luzes de advertência acesas → Página 155.
e das mensagens de texto pode causar a parada ● Se a luz de advertência do sistema de freio
do veículo no trânsito, acidentes e ferimentos  se acender juntamente com a luz de con-
graves. trole do ABS , o funcionamento do ABS po-
● Nunca deixar de observar as luzes de adver- derá estar falhando. Por este motivo, é possí-
tência e as mensagens de texto. vel que as rodas traseiras travem de forma
● Parar o veículo assim que possível e seguro. relativamente rápida em uma frenagem. Ro-
das traseiras produzindo travamentos podem
ocasionar a perda de controle do veículo! Se
ATENÇÃO possível, reduzir a velocidade e conduzir cui-
A condução com freios em mau estado pode dadosamente em velocidade mínima até
causar acidentes e ferimentos graves. uma Concessionária Volkswagen mais próxi-
ma para verificar o sistema de freio. Durante
o trajeto, evitar manobras de direção e de
frenagem súbitas. 

148 Durante a condução


● Se a luz de controle do ABS  não se apagar to, procurar imediatamente uma Concessio-
ou se acender durante a condução, o ABS nária Volkswagen e mandar verificar as pas-
não está funcionando corretamente. O veícu- tilhas de freio ou trocar as pastilhas gastas.
lo somente pode ser parado com os freios
normais (sem ABS). A proteção proporciona- NOTA
da pelo ABS não está disponível nesse caso.
A inobservância das luzes de controle que se
Procurar uma Concessionária Volkswagen o
acendem e das mensagens de texto pode causar
mais rápido possível.
danos ao veículo. 
● Se, no display do instrumento combinado, a
luz de advertência  se acender de modo
isolado ou junto com uma mensagem de tex-

Freio de estacionamento ● Nunca utilizar o freio de estacionamento pa-


ra frear o veículo, exceto em caso de emer-
 Observe e no início desse capítulo na gência. A distância de frenagem é considera-
página 146. velmente maior, pois somente as rodas tra-
seiras são freadas. Utilizar sempre o pedal do
freio.
● Nunca conduzir com o freio de estaciona-
mento levemente puxado. Isso pode supera-
quecer o freio e influenciar negativamente o
sistema de freio Além disso, causa o desgas-
te precoce das pastilhas de freio traseiras.
● Nunca acelerar com posição de marcha ou
marcha engatada a partir do compartimento
do motor com o motor em funcionamento. O
veículo pode entrar em movimento mesmo
com o freio de estacionamento puxado.
Fig. 116 Entre os bancos dianteiros: freio de esta-
cionamento.
NOTA
Puxar o freio de estacionamento Para evitar movimentações indesejadas do veícu-
Puxar a alavanca do freio de estacionamento vi- lo ao estacionar o veículo, primeiramente puxar o
gorosamente para cima. Com a ignição ligada, o freio de estacionamento e, a seguir, retirar o pé
acionamento do freio de estacionamento é indi- do pedal do freio.
cado pela luz de controle no  instrumento
combinado → Página 147. Ao conduzir com o freio de estacionamento
puxado a uma velocidade superior a 6 km/h
Soltar o freio de estacionamento (4mph), é emitido um sinal de advertência. 
– Puxar a alavanca do freio de estacionamento
um pouco para cima e pressionar o botão blo-
queador → Fig. 116 (seta). Estacionar
– Mover a alavanca do freio de estacionamento
para baixo. A luz de controle  no instrumen-  Observe e no início desse capítulo na
to combinado se apaga. Se a luz de controle página 146.
não se apagar, significa que o freio de estacio-
namento não está completamente solto. Observar as determinações legais para parar e
estacionar um veículo.
ATENÇÃO
O uso incorreto do freio de estacionamento po- Parar o veículo
de causar acidentes e ferimentos graves. Executar as ações somente na sequência indica-
da. 

Dar partida, trocar a marcha, estacionar 149


– Parar o veículo sobre um piso adequado → . ● Conduzir com cuidado em estacionamentos
– Pisar no pedal do freio e manter assim até o com meio-fio saliente ou delimitadores rígi-
motor estar desligado. dos. Estes objetos altos que sobressaem do
– Puxar bem o freio de estacionamento. O freio chão podem danificar o para-choque e outras
de estacionamento está bem puxado quando o peças do veículo ao estacionar ou ao sair da
descansa braço central se ergue levemente vaga de estacionamento. Para evitar danos,
→ Página 149. parar antes que as rodas toquem nos delimita-
dores ou nos meios-fios.
– Com transmissão automática, colocar a ala-
vanca seletora na posição P. ● Conduzir cautelosamente em baixadas e entra-
das de terrenos, rampas, meios-fios e outros
– Desligar o motor e tirar o pé do pedal do freio. objetos. Peças do veículo instaladas na parte
– Retirar a chave do veículo do cilindro da igni- inferior, como para-choque, spoiler e peças do
ção. chassi, do motor ou do sistema de escape po-
– Se necessário, girar um pouco o volante para dem ser danificadas durante a travessia. 
engatar o bloqueio da direção → Página 158.
– Com transmissão manual no plano ou subida,
engatar a 1ª marcha ou, em declives, a marcha Informações sobre os freios
a ré e soltar o pedal da embreagem.
– Cuidar para que todos os ocupantes desembar-  Observe e no início desse capítulo na
quem, principalmente as crianças. página 146.
– Levar todas as chaves do veículo ao deixar o
veículo. Pastilhas de freio novas ainda não possuem o
– Travar o veículo. efeito de frenagem total durante os primeiros
200 km até 300 km e precisam ser “amaciadas”
Adicionalmente em subidas e declives → . Entretanto, a força de frenagem um pouco
Antes de desligar o motor, girar o volante de mo- reduzida pode ser compensada com uma pressão
mais forte sobre o pedal do freio. No período de
do que o veículo estacionado se desloque com as
rodas dianteiras contra o meio-fio caso entre em amaciamento, a distância de frenagem é maior
em frenagens totais ou frenagens de emergência
movimento.
se comparado a pastilhas de freio amaciadas. Du-
– Em descidas, esterçar as rodas dianteiras de rante o amaciamento devem ser evitadas frena-
forma que apontem na direção do meio-fio. gens totais e situações que resultem em altas so-
– Em subidas, esterçar as rodas dianteiras de licitações dos freios. Por exemplo, ao conduzir
modo que apontem para o centro da rua. muito próximo dos demais veículos.
O desgaste das pastilhas de freio depende muito
ATENÇÃO das condições de utilização e da forma de condu-
As peças do sistema de escape esquentam mui- ção. Em caso de tráfego urbano e trechos curtos
to. Por isso podem causar incêndios e ferimen- frequentes, bem como na forma de condução es-
tos graves. portiva, a Volkswagen recomenda que a espessu-
● Nunca estacionar o veículo de forma que pe- ra das pastilhas de freio seja verificada por uma
ças do sistema de escape entrem em contato Concessionária Volkswagen com mais frequência
com materiais inflamáveis embaixo do veícu- do que a indicada no caderno Manutenção e ga-
lo, como, por exemplo, vegetação rasteira, rantia.
folhas, grama seca, combustível derramado. Na condução com freios molhados, como, por
exemplo, após travessias de trechos alagados ou
NOTA sob chuva intensa ou após uma lavagem do veí-
● Para evitar movimentações indesejadas do veí- culo, o efeito de frenagem pode ocorrer com re-
culo ao estacionar o veículo, primeiramente tardo devido a discos de freio úmidos ou conge-
puxar o freio de estacionamento e, a seguir, lados no inverno. Os freios devem ser “secos por
retirar o pé do pedal do freio. frenagem” o mais rápido possível por meio de 

150 Durante a condução


frenagens cuidadosas a uma velocidade mais al- ● Para reduzir o risco de acidentes, ferimentos
ta. Nesse caso, cuidar para que veículos que es- graves e a perda de controle do veículo, con-
tão vindo atrás e demais usuários da via não se- duzir de forma especialmente cuidadosa com
jam colocados em perigo → . pastilhas de freio novas.
Uma camada de sal sobre os discos de freio e so- ● Durante o período de amaciamento das pas-
bre as pastilhas de freio retarda o efeito de fre- tilhas de freio novas, nunca se aproximar de-
nagem e aumenta a distância de frenagem. Se mais de outros veículos ou gerar situações de
não tiverem ocorrido frenagens em ruas conten- condução que resultem em uma demanda
do camadas de sal por um período prolongado, elevada do freio.
será necessário raspar a camada de sal por meio
de frenagens cautelosas → . ATENÇÃO
Corrosão nos discos de freio e sujeira nas pasti- Freios superaquecidos reduzem o efeito de fre-
lhas de freio são favorecidas por períodos longos nagem e aumentam muito a distância de frena-
de parada, baixa performance e baixa demanda. gem.
No caso de pouca demanda das pastilhas de freio ● Na condução em declives ocorre uma grande
assim como na existência de corrosão, a Volks- solicitação dos freios, que se aquecem muito
wagen recomenda limpar os discos de freio e as rápido.
pastilhas de freio por meio de diversas frenagens
● Antes de percorrer um trecho mais longo
intensas a partir de velocidades mais altas. Nesse
com declives acentuados, diminuir a veloci-
caso, cuidar para que veículos que estão vindo
dade, mudar para uma marcha mais baixa ou
atrás e demais usuários da via não sejam coloca-
selecionar uma posição de marcha mais bai-
dos em perigo → .
xa. Assim, é possível aproveitar o efeito de
Avaria do sistema de freio frenagem do motor por completo e o freio é
aliviado.
Se for necessário frear e o veículo não frear mais
como usualmente (aumento súbito da distância ● Spoilers dianteiros que não sejam de série ou
de frenagem), é possível que um circuito do freio que estejam avariados podem prejudicar a
esteja falhando. Isto é indicado pela luz de adver- alimentação de ar dos freios e ocasionar o
tência  e, se for o caso, por uma mensagem de superaquecimento dos freios.
texto. Procurar imediatamente uma Concessio-
nária Volkswagen para eliminar o dano. Durante ATENÇÃO
o trajeto, conduzir em baixa velocidade e se pre- Freios molhados e freios cobertos de gelo ou
parar para distâncias maiores de frenagem e para de sal demoram mais para frear e aumentam a
uma pressão maior no pedal. distância de frenagem.
Servofreio ● Experimentar o freio com testes cautelosos.
O servofreio funciona somente com o motor em ● Secar sempre os freios por meio de algumas
funcionamento e amplifica a força de pedal que o frenagens cuidadosas e mantê-los livres de
condutor exerce sobre o pedal do freio. gelo e de sal se as condições de visibilidade,
do clima, da pista e do trânsito o permitirem.
Se o servofreio não funcionar ou se o veículo for
rebocado, o pedal do freio deverá ser pisado com ATENÇÃO
mais força, pois a distância de frenagem aumen-
tará em razão da falta da assistência à força de A condução sem servofreio pode aumentar
frenagem → . consideravelmente a distância de frenagem e,
assim, causar acidentes e ferimentos graves.
ATENÇÃO ● Nunca deixar o veículo rodar com o motor
● Novas pastilhas de freio não possuem desde desligado.
o início o efeito de frenagem ideal e preci- ● Se o servofreio não funcionar ou se o veículo
sam ser “amaciadas”. Nesse caso, o efeito de for rebocado, o pedal do freio deverá ser pi-
frenagem reduzido pode ser aumentado apli- sado com mais força, pois a distância de fre-
cando-se mais pressão sobre o pedal do nagem aumentará em razão da falta da assis-
freio. tência à força de frenagem. 

Dar partida, trocar a marcha, estacionar 151


NOTA Por meio do acionamento do botão off-road 
→ Fig. 142 no console central ou engatando a
● Nunca deixar os freios “entrarem em atrito” tração nas quatro rodas com nível de rodagem
por meio de uma pressão leve no pedal se não intensamente reduzido (4X4 LOW) → Página 159,
for realmente necessário frear. A pressão a função ASR será adequada para uso em off-
constante sobre o pedal do freio produz um -road. Nesse caso, em velocidades abaixo de
superaquecimento dos freios. Isto pode dimi- 70 km/h, o ASR interfere um pouco mais tarde.
nuir significativamente o desempenho de fre-
nagem, aumentar a distância de frenagem e, Programa eletrônico de estabilidade (ESC)
sob certas circunstâncias, ocasionar a falha to- O ESC auxilia a reduzir o risco de uma derrapa-
tal do sistema de freio. gem e a melhorar a estabilidade de rodagem pela
● Antes de percorrer um trecho mais longo com frenagem de rodas individuais em determinadas
declives acentuados, diminuir a velocidade, situações de condução. Situações limite da dinâ-
mudar para uma marcha mais baixa ou selecio- mica de condução como, por exemplo, o sobres-
nar uma posição de marcha mais baixa. Assim, terço e o subesterço do veículo ou a derrapagem
é possível aproveitar o efeito de frenagem do das rodas de tração são reconhecidas pelo ESC.
motor por completo e o freio é aliviado. Caso Intervenções de frenagem dirigidas ou uma redu-
contrário, o freio pode se superaquecer e, pos- ção do torque do motor ajudam o sistema a esta-
sivelmente, falhar. Usar os freios somente se bilizar o veículo.
necessário para diminuir a velocidade ou para
O ESC tem limites. É importante saber que o ESC
parar.
não pode anular as leis da física. O ESC não pode-
Quando as pastilhas de freio dianteiras fo- rá auxiliar em todas as situações com as quais o
rem verificadas, simultaneamente também condutor é confrontado. Por exemplo, o ESC nem
devem ser verificadas as pastilhas de freio trasei- sempre poderá ajudar quando ocorrer uma mu-
ras. A espessura de todas as pastilhas de freio de- dança repentina do estado da pista de rodagem.
ve ser verificada visualmente e com regularidade, Se um trecho de uma rua seca de repente ficar
inspecionando-se as pastilhas de freio pelas coberto de água, lama ou neve, o ESC não poderá
aberturas dos aros ou pela parte inferior do veí- prestar a mesma assistência como num trecho
culo. Se necessário, desmontar as rodas para po- seco. Se o veículo “aquaplanar” (rodar sobre uma
der realizar uma verificação completa. Para isso, película de água em vez de sobre a camada de
a Volkswagen recomenda uma Concessionária asfalto), o ESC não terá condições de auxiliar o
Volkswagen.  condutor na condução do veículo, pois o contato
com a camada de asfalto estará interrompido e o
veículo não poderá mais ser freado e conduzido.
Numa condução em curva rápida, principalmente
Sistemas de assistência à frenagem em trechos com muitas curvas, o ESC nem sem-
pre poderá lidar com situações de condução difí-
 Observe e no início desse capítulo na ceis com a mesma eficácia como numa velocida-
página 146. de mais baixa. Na condução com reboque, o ESC
não tem condições de apoiar o condutor a recu-
Os sistemas de assistência à frenagem ESC, ABS, perar o controle sobre seu veículo, ao contrário
ABS off-road, BAS, ASR e EDS funcionam somen- de situações, em que não está sendo puxado ne-
te com o motor em funcionamento e contribuem nhum reboque.
bastante com a segurança de condução ativa.
Adequar sempre a velocidade e a forma de con-
Controle de tração (ASR) dução às condições climáticas, de visibilidade, da
pista e do trânsito. O ESC não pode contrariar as
O ASR diminui a força de propulsão do motor no
leis da física, melhorar a transmissão de força
caso de patinação de rodas e ajusta a força à
disponível ou manter o veículo na pista, quando a
condição do acionamento e às condições da pista
saída da pista de rodagem tiver ocorrido por falta
de rodagem. O ASR facilita o arranque, a acelera-
de atenção do condutor. Ao invés disso, o ESC
ção e a subida de aclives, mesmo sob condições
melhora a possibilidade de recuperar o controle
adversas da pista de rodagem.
sobre o veículo e ajuda, em situações de condu-
ção extremas na rua, que o veículo prossiga na
direção desejada, aproveitando os movimentos 

152 Durante a condução


de direção realizados pelo condutor. Ao conduzir – Pisar com força no pedal do freio e mantê-lo
a uma velocidade que tire o veículo da pista an- pressionado. Não tirar o pé do pedal do freio
tes que o ESC possa fornecer alguma assistência, nem diminuir a força sobre o pedal do freio!
o ESC não poderá fornecer nenhuma assistência. – Não “bombear” com o pedal do freio ou dimi-
nuir a pressão sobre o pedal do freio!
Estão integrados no ESC os sistemas ABS, ABS
off-road, BAS, ASR, EDS e as funções de assistên- – Conduzir o veículo enquanto o pedal do freio é
cia estabilização do conjunto, sistema de assis- pisado com força.
tência em subidas e sistema de assistência em – Ao soltar o pedal do freio ou ao reduzir a força
descidas. Se, em algumas situações de condução, sobre o pedal do freio, o ABS se desliga.
não for atingida propulsão suficiente, o ESC e os
O funcionamento do ABS pode ser percebido por
sistemas a ele ligados podem ser ligados ou des-
um movimento pulsante do pedal do freio e por
ligados em parte manualmente em algumas ver-
ruídos. Não se pode esperar que o ABS reduza a
sões do modelo, pressionado o botão 
distância de frenagem em todas as circunstânci-
→ Página 155. Atentar para que o ESC seja ligado
as. A distância de frenagem pode até aumentar
sempre novamente quando a propulsão estiver
sobre cascalho ou neve recente e sobre uma su-
novamente disponível.
perfície congelada e escorregadia.
Freio multifunções
Sistema antibloqueio do freio para operação
No caso de um acidente, o freio multifunções po- off-road (ABS off-road)
de auxiliar o condutor a reduzir o risco de derra-
O ABS off-road melhora o retardamento do freio
pagem e o risco de outras colisões durante o aci-
do veículo em solos soltos. Com o ABS off-road
dente por meio de uma frenagem iniciada auto-
acionado, a luz de controle se acende no instru-
maticamente.
mento combinado . O ABS off-road faz parte da
O freio multifunções funciona somente em coli- função off-road → Página 200.
sões dianteiras, laterais e traseiras se a unidade
Ligar o ABS off-road
de controle do airbag determinar um nível de
ação correspondente durante o acidente e o aci- – Pressionar o botão  → Fig. 142 no console
dente acontecer com uma velocidade de condu- central.
ção maior que 10 km/h (6 mph). – OU: ligar a tração nas quatro rodas com nível
A frenagem do veículo ocorre automaticamente de rodagem intensamente reduzido (4X4 LOW)
por meio do ESC, desde que o sistema hidráulico → Fig. 140.
de freio, o ESC e o sistema elétrico não sejam da- Desligar o ABS off-road manualmente
nificados e permanecem funcionais.
– Pressionar o botão  → Fig. 142 no console
As seguintes atividades sobrepõem num acidente
central.
a frenagem automática:
Desligar o ABS off-road automaticamente
– Se o condutor pisar no acelerador. Ainda não
ocorre nenhuma frenagem automática. – O ABS ou ESC reconhece uma situação crítica
– Se a pressão do freio produzida por pisar no de condução.
pedal do freio for mais do que a pressão do
Assistente de frenagem (BAS)
freio induzida pelo sistema. O veículo é freado
manualmente. O assistente de frenagem pode auxiliar a reduzir
o trajeto até a parada. O assistente de frenagem
Sistema antibloqueio do freio (ABS) amplificará a força de frenagem se o condutor pi-
O ABS pode impedir um travamento das rodas sar no pedal do freio rapidamente em situações
em frenagens até pouco antes da parada do veí- de frenagem de emergência. Como consequên-
culo e apoia o condutor a conduzir e a manter o cia, a pressão total do freio é produzida rapida-
controle do veículo. Isto significa que o veículo mente, a força de frenagem é amplificada e a dis-
tende menos a derrapar, mesmo numa frenagem tância de frenagem é reduzida. Deste modo, o
total: ABS é ativado com mais rapidez e eficiência. 

Dar partida, trocar a marcha, estacionar 153


Não diminuir a pressão sobre o pedal do freio! Ao ● Ao acelerar sobre uma pista escorregadia,
soltar o pedal do freio ou ao reduzir a força sobre por exemplo, sobre gelo ou neve, acelerar
o pedal do freio, o assistente de frenagem desli- cautelosamente. Mesmo com os sistemas de
ga o servofreio automaticamente. assistência à frenagem, as rodas poderão pa-
tinar. Isto pode ocasionar a perda de controle
Bloqueio eletrônico do diferencial (EDS) do veículo.
O EDS freia uma roda que está patinando e trans-
mite a força de propulsão para as demais rodas ATENÇÃO
de tração. Para que o disco de freio da roda frea-
A eficiência do ESC pode ser bastante reduzida
da não superaqueça, o EDS se desliga automati-
quando outros componentes e sistemas que
camente se houver uma demanda elevada inco-
envolvam a dinâmica do veículo não tiverem
mum. Assim que o freio estiver frio, o EDS é reli-
passado por uma manutenção correta ou não
gado automaticamente.
estiverem funcionando. Isto se refere também,
No caso de tração nas quatro rodas com nível de mas não somente a, aos freios, pneus e outros
rodagem intensamente reduzido (4X4 LOW) sistemas mencionados anteriormente.
→ Página 159, o EDS será ajustado para uso em
● Lembrar sempre que conversões e alterações
off-road.
no veículo podem influenciar o funciona-
mento do ABS, BAS e ESC.
ATENÇÃO
● Alterações no molejo do veículo ou a utiliza-
Dirigir em alta velocidade sobre pistas congela- ção de combinações de rodas - pneus não li-
das, escorregadias ou molhadas pode ocasionar beradas podem influenciar as funções do
a perda de controle do veículo e ferimentos ABS, BAS e ESC e reduzir sua eficiência.
graves no condutor e nos passageiros.
● A eficiência do ESC também é definida pelo
● Adequar a velocidade e a forma de condução pneu adequado → Página 236.
às condições de visibilidade, do clima, da pis-
ta e do trânsito. A maior segurança oferecida O ESC pode funcionar sem avaria somente
pelos sistemas de assistência à frenagem se as 4 rodas tiverem os mesmos pneus. Di-
ABS, BAS, EDS, ASR e ESC não deve incenti- ferentes diâmetros de rolamento entre os pneus
var a colocar a segurança em risco. podem causar uma redução inesperada da potên-
● A tecnologia inteligente dos sistemas de as- cia do motor.
sistência à frenagem não pode superar os li-
Em caso de uma avaria do ABS, o ESC, o
mites físicos e condicionados ao sistema.
ASR e o EDS também não funcionam.
Pistas escorregadias e molhadas continuam
muito perigosas, mesmo com o ESC e os ou- Em procedimentos de regulagem dos siste-
tros sistemas. mas descritos podem ocorrer ruídos de fun-
● Dirigir em alta velocidade sobre pistas mo- cionamento. 
lhadas pode ocasionar a perda do contato
das rodas com a pista e a “aquaplanagem”.
Um veículo não pode ser freado, conduzido
nem controlado se tiver perdido o contato
com a pista.
● Os sistemas de assistência à frenagem não
poderão impedir um acidente se, por exem-
plo, o veículo estiver a uma distância muito
curta em relação a outro veículo ou em velo-
cidade muito alta para a respectiva situação
de condução.
● Apesar de os sistemas de assistência de fre-
nagem serem muito eficientes e auxiliarem a
controlar o veículo em situações difíceis,
lembrar sempre que a estabilidade da condu-
ção depende da aderência dos pneus.

154 Durante a condução


Ligar e desligar o ESC Fluido de freio
 Observe e no início desse capítulo na  Observe e no início desse capítulo na
página 146. página 146.

Fig. 117 No console central: botão para desligar e li-


gar ESC manualmente.

O ESC deve estar sempre ligado. Somente nas si- Fig. 118 No compartimento do motor: tampa do re-
tuações a seguir, o ESC pode ser desligado, pres- servatório do fluido de freio.
sionando-se o botão  → Fig. 117 com o motor
em funcionamento: Com o passar do tempo, o fluido de freio absorve
a umidade do ar ambiente. Um teor muito alto de
– Ao conduzir sobre neve profunda ou sobre um água no fluido de freio causa danos ao sistema
piso solto. de freio. A água diminui consideravelmente o
– Ao “balançar” o veículo atolado. ponto de ebulição do fluido de freio. Se o teor de
– Quando não for mais atingido um avanço sa- água for muito alto e a demanda do freio for ele-
tisfatório. vada, bem como na frenagem total, poderão se
formar bolhas de vapor no sistema de freio. As
Em seguida, ligar o ESC novamente, pressionan- bolhas de vapor reduzem o efeito de frenagem,
do o botão. aumentam consideravelmente a distância de fre-
Com o ESC desligado, as intervenções no motor e nagem e podem ocasionar a falha total do siste-
o ASR são desligados, a estabilização do conjunto ma de freio. A própria segurança e a segurança
e as intervenções estabilizadoras dos freios per- dos demais usuários da via dependem de um sis-
manecem ativas. tema de freio funcionando sempre de modo cor-
reto → .
Adequar o ESC para uso em off-road
Por meio do acionamento do botão off-road  Especificação do fluido de freio
→ Fig. 142 no console central ou engatando a A Volkswagen desenvolveu um fluido de freio es-
tração nas quatro rodas com nível de rodagem pecial, otimizado para o sistema de freio do res-
intensamente reduzido (4X4 LOW) → Página 159, pectivo veículo. Para um funcionamento ideal do
a função ESC será adequada para uso em off- sistema de freio, a Volkswagen recomenda ex-
-road. pressamente a utilização do fluido de freio da
norma VW 501 14.
– Em velocidades abaixo de 50 km/h, o ESC res-
ponde um pouco mais tarde quando o veículo Antes da utilização de um fluido de freio, verificar
realiza uma submanobra. se a informação da especificação do fluido de
freio na embalagem corresponde às exigências
– Em velocidades abaixo de 70 km/h, o ESC in-
do veículo.
terfere um pouco mais tarde quando o veículo
sobresterça. O fluido de freio que corresponde à norma VW
501 14 pode ser obtido em uma Concessionária
Observar se o ESC é ligado novamente se houver
Volkswagen. 
propulsão suficiente. 

Dar partida, trocar a marcha, estacionar 155


Se não estiver disponível um fluido de freio desse ● Mandar verificar regularmente o sistema de
tipo e, por esse motivo, tiver de ser utilizado ou- freio e o nível do fluido de freio!
tro fluido de freio de boa qualidade, pode ser uti-
● Solicitar a troca regular do fluido de freio.
lizado um fluido de freio que atenda aos requisi-
tos da DIN ISO 4925 CLASS 4 ou da norma ameri- ● Um freio submetido a altos esforços devido a
cana FMVSS 116 DOT 4. um fluido de freio velho pode causar a for-
mação de bolhas de vapor. As bolhas de va-
Nem todos os fluidos de freio que atendem aos por reduzem o efeito de frenagem, aumen-
requisitos da DIN ISO 4925 CLASS 4 ou da norma tam consideravelmente a distância de frena-
americana FMVSS 116 DOT 4 possuem a mesma gem e podem ocasionar a falha total do sis-
composição química. Alguns destes fluidos de tema de freio.
freio podem conter componentes químicos que,
● Cuidar para que seja utilizado o fluido de
com o passar do tempo, podem avariar ou danifi-
freio correto. Utilizar somente fluido de freio
car as peças instaladas no sistema de freio do
que atenda expressamente à norma VW
veículo.
501 14.
Por isso, para um funcionamento duradouro e ● Qualquer outro fluido de freio ou um fluido
correto do sistema de freio, a Volkswagen reco- de freio que não seja de alta qualidade pode
menda a utilização de um fluido de freio que cor- prejudicar o funcionamento dos freios e re-
responda expressamente à norma VW 501 14. duzir o efeito de frenagem.
Um fluido de freio segundo a norma VW 501 14 ● Se não estiver disponível um fluido de freio
atende aos requisitos da DIN ISO 4925 CLASS 4 de acordo com a norma VW 501 14, utilizar
ou da norma americana FMVSS 116 DOT 4. só em casos excepcionais um fluido de freio
de alta qualidade conforme a DIN ISO 4925
Nível do fluido de freio CLASS 4 ou a norma americana
O nível do fluido de freio deve estar sempre entre FMVSS 116 DOT 4.
as marcações MÍN e MÁX ou acima da marcação
● O fluido de freio reabastecido deve ser novo.
MÍN do reservatório do fluido de freio → .
O nível do fluido de freio não poderá ser verifica- ATENÇÃO
do com precisão em todos os modelos, pois as
O fluido de freio é tóxico.
peças do motor impedem que se veja o nível do
fluido de freio no reservatório do fluido de freio. ● Para reduzir o perigo de intoxicação, nunca
Se o nível do fluido de freio não puder ser verifi- utilizar garrafas de bebida ou outros reci-
cado com precisão, procurar auxílio técnico espe- pientes para guardar o fluido de freio. Esses
cializado. recipientes podem induzir pessoas a beber os
líquidos, mesmo se o recipiente estiver iden-
Durante a condução, o nível do fluido de freio di- tificado.
minui levemente, pois as pastilhas de freio se
● Guardar o fluido de freio sempre nos reci-
gastam e o freio se reajusta automaticamente.
pientes originais fechados e fora do alcance
Troca do fluido de freio de crianças.
O fluido de freio deve ser substituído por uma
empresa especializada. Para isso, a Volkswagen NOTA
recomenda uma Concessionária Volkswagen. O fluido de freio, derramado ou vazado danifica a
Permitir o reabastecimento somente com fluido pintura do veículo, as peças de plástico e os
de freio novo que apresente a especificação re- pneus. Limpar imediatamente o fluido de freio
querida. derramado ou vazado sobre a pintura do veículo
ou sobre outras peças do veículo.
ATENÇÃO
O fluido de freio pode poluir o meio ambi-
Uma falha do freio ou um efeito de frenagem ente. Coletar e descartar corretamente os
reduzido podem ser causados por um nível do fluidos vazados. 
fluido de freio muito baixo ou por um fluido de
freio muito velho ou inadequado.

156 Durante a condução


Conduzir com consciência Sistema regulador de velocidade → Página 168.
Permitir que o veículo rode com a marcha enga-
ecológica tada para poder utilizar o efeito de frenagem do
motor, por exemplo, ao aproximar-se de um se-
máforo.
 Introdução ao tema
Ligar com economia de energia
Aumentar a marcha antecipadamente com uma
Com a forma correta de condução, reduz- rotação de motor de 2000 rpm economiza ener-
-se o consumo de combustível, os danos gia. Não estender as marchas e evitar altas velo-
ambientais e o desgaste do motor, freios cidades.
e pneus. Abaixo estão algumas dicas para Transmissão manual: imediatamente após o ar-
ajudar a aliviar o meio ambiente e seu ranque, mudar da 1ª para a 2ª marcha. Alternar
bolso. rapidamente em marchas mais elevadas.
Transmissão automática: acelerar lentamente e
evitar um kick-down.
ATENÇÃO
Recomendação de marcha → Página 139.
Adequar a velocidade e a distância de seguran-
ça em relação a veículos à frente sempre às Evitar aceleração máxima
condições de visibilidade, do clima, da pista e
Nunca explorar completamente a velocidade má-
do trânsito.  xima do veículo. Em caso de velocidades excessi-
vamente altas, resistência do ar aumenta, e com
isso, a força necessária para mover o veículo, por
Forma de condução econômica exemplo, a 130 km/h em condução na estrada.

 Observe no início desse capítulo na pági- Reduzir a marcha lenta


na 157. Partir imediatamente e com velocidade baixa. Em
caso de um tempo de parada mais longo, por
exemplo, em congestionamento ou passagem de
nível, desligar o motor em vez de passar para a
marcha lenta.
Sistema Start-Stop → Página 159.

Abastecer de forma comedida


Um tanque cheio até a borda aumenta o peso do
veículo. Um tanque cheio pela metade ou três-
-quartos é suficiente, especialmente para percur-
sos no tráfego urbano.

Evitar trajetos curtos


Um motor frio tem um consumo muito elevado.
A temperatura de funcionamento ideal é alcança-
Fig. 119 Consumo de combustível em l/100 km em
2 temperaturas ambiente diferentes. do depois de alguns quilômetros. Em caso de
temperatura ambiente muito baixa, por exemplo,
Conduzir preventivamente no inverno, o consumo é acima da média
→ Fig. 119. Planejar economicamente os trajetos
O consumo de combustível eleva-se com uma
forma de condução irregular. Se o tráfego for ob- e combinar trechos curtos. 
servado com atenção, é possível evitar acelera-
ção e frenagem frequentes. Manter uma distân-
cia suficiente do veículo adiante ajuda a conduzir
de forma preventiva.

Dar partida, trocar a marcha, estacionar 157


Realizar regularmente trabalhos de Informar-se sobre mais maneiras de como
manutenção proteger o meio ambiente. Think Blue. é a
A manutenção regular, por exemplo, do controle marca mundial da Volkswagen para sustentabili-
do motor ou do filtro de ar é uma premissa pra a dade e compatibilidade ambiental.
condução econômica e aumenta o tempo de vida Sua Concessionária Volkswagen oferece
do veículo. mais informações sobre a manutenção cor-
reta e peças de reposição que são particularmen-
Observar a pressão dos pneus
te eficientes energeticamente, por exemplo, no-
Uma pressão muito baixa dos pneus não só pro- vos pneus. 
move o desgaste, mas também aumenta a resis-
tência à rodagem do pneu e, portanto, o consu-
mo. Utilizar pneu com resistência à rodagem oti-
mizada
Adequar a pressão dos pneus à carga. Observar
Direção
as indicações na etiqueta com as pressões dos
pneus → Página 236.
 Introdução ao tema
Sistema de controle da pressão dos pneus
→ Página 231.
ATENÇÃO
Utilizar óleo de motor de funcionamento
suave Se a servoassistência da direção não estiver
funcionando, o volante só poderá ser girado
Óleos de motor totalmente sintéticos e de baixa
com dificuldade e a manobra do veículo será di-
viscosidade diminuem a resistência de fricção no
ficultada.
motor e se espalham melhor e mais rapidamente,
especialmente na partida a frio do motor. ● A servoassistência da direção funciona so-
mente com o motor em funcionamento.
Remover lastro desnecessário ● Nunca deixar o veículo rodar com o motor
Se, antes da condução, o compartimento de ba- desligado.
gagem for arrumado, por exemplo, retirando car- ● Nunca retirar a chave do veículo do cilindro
gas desnecessárias ou caixas de ferramentas, o da ignição enquanto o veículo estiver em
consumo pode ser reduzido. movimento. O bloqueio da direção pode en-
Para manter a resistência ao ar do veículo o mais gatar e pode não ser mais possível manobrar
baixo possível, remover anexos e acoplamentos, o veículo. 
como grades de teto, suporte de bicicletas ou su-
porte de escadas, após a utilização.

Economizar eletricidade Informações sobre a direção


O gerador, que é impulsionado pelo motor, gera
 Observe no início desse capítulo na pági-
eletricidade para os consumidores de conforto,
na 158.
como ar-condicionado, aquecedor de vidro ou
ventilação. Economizar eletricidade é fácil, por
Para dificultar o furto do veículo, a direção deve
exemplo:
ser sempre travada ao deixar o veículo.
– Em caso de altas temperaturas exteriores, ven-
tilar o veículo antes de entrar e conduzir um Travar o volante
trecho curto com os vidros abertos. Somente Estacionar o veículo e girar o volante um pouco,
então ligar o ar-condicionado. com a chave do veículo retirada, até que o pino
– Desligar consumidores de conforto quando sua da trava da direção engate de modo audível. 
finalidade tiver sido cumprida.

158 Durante a condução


Destravar volante
Girar um pouco o volante para aliviar o bloqueio
Sistemas de assistência ao
da direção. Manter o volante nessa posição e gi- condutor
rar a chave do veículo a partir da posição
→ Fig. 109 0 no sentido horário. Sistemas de assistência de
Direção assistida arranque
A direção assistida eletrônica ajusta automatica-
mente a servoassistência da direção em depen-  Introdução ao tema
dência da velocidade de condução, do momento
de direção no volante e da respectiva situação de
condução. Em baixa velocidade de condução e ao
estacionar, a servoassistência da direção é maior
ATENÇÃO
e, em velocidade de condução mais alta, a ser- A tecnologia inteligente do sistema de assis-
voassistência da direção é reduzida. A direção as- tência de arranque não pode superar os limites
sistida funciona somente com o motor em fun- físicos e condicionados ao sistema. O maior
cionamento. conforto oferecido pelos sistemas de assistên-
cia de arranque não deve incentivar a colocar a
Quando a direção assistida está reduzida ou dani-
segurança em risco.
ficada, é necessário aplicar bem mais força que o
usual para manobrar. ● Movimentos sem supervisão do veículo po-
dem causar ferimentos graves.
NOTA ● Os sistemas de assistência de arranque não
A direção não pode ser completamente girada podem substituir a atenção do condutor.
por mais de 15 segundos com o motor em fun- ● Adequar sempre a velocidade e a forma de
cionamento, caso contrário a direção assistida condução às condições de visibilidade, do cli-
pode ser danificada.  ma, da pista e do trânsito.
● Um sistema de assistência de arranque não
consegue manter um veículo no aclive ou
frear suficientemente em trechos de declive
(por exemplo, em pisos escorregadios ou
congelados) em todas as condições. 

Luzes de controle
 Observe no início desse capítulo na página 159.

Acesa Causa possível Solução


Sistema Start-Stop disponível, motor des- Para ligar o motor novamente, tirar o pé do
 ligado automaticamente. freio → Página 160.
Não é possível desligar ou ligar automati-
Verificar se todos as premissas técnicas estão
camente o motor pelo sistema Start-Stop.
 OU: o motor é reiniciado automaticamen-
atendidas. Se necessário, atender as premis-
sas técnicas em falta → Página 160.
te.

 Partida do motor. –

Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e


de controle se acendem rapidamente para verifi-
cação da função. Elas se apagam após alguns se-
gundos. 

Sistemas de assistência ao condutor 159


ATENÇÃO ● Parar o veículo assim que possível e seguro.
A inobservância das luzes de advertência acesas
e das mensagens de texto pode causar a parada NOTA
do veículo no trânsito, acidentes e ferimentos A inobservância das luzes de controle que se
graves. acendem e das mensagens de texto pode causar
● Nunca deixar de observar as luzes de adver- danos ao veículo. 
tência e as mensagens de texto.

Sistema Start-Stop Condições importantes para o desligamento


automático do motor
 Observe no início desse capítulo na pági- – O condutor colocou o cinto de segurança.
na 159. – A porta do condutor está fechada.
– A tampa do compartimento do motor está fe-
chada.
– O dispositivo de reboque instalado de fábrica
ou instalado posteriormente na fábrica não es-
tá conectado eletricamente com um reboque.
– A temperatura mínima do motor foi atingida e
as condições internas do motor permitem o
desligamento.
– O veículo foi movimentado desde o último
desligamento do motor.
Fig. 120 No console central: botão do sistema Start- – A temperatura regulada no interior não se des-
-Stop. via muito da temperatura ambiente exterior.
– Em veículos com Climatronic: o regulador da
O sistema Start-Stop desliga o motor automati- temperatura está regulado para aproximada-
camente em fases de parada do veículo. Se ne- mente +22 °C (+72 °F).
cessário, o motor dá partida novamente de modo
– A função de desembaçamento do ar-condicio-
automático.
nado não está ligada.
A função é ativada automaticamente toda vez – Não foi selecionado manualmente nenhum ní-
que a ignição é ligada. No display do instrumento vel de ventilação alto.
combinado são indicadas informações sobre o
– A carga da bateria do veículo é suficiente.
status atual.
– A temperatura da bateria do veículo não está
Na travessia de trechos alagados, desligar sem- muito baixa nem muito alta.
pre o sistema Start-Stop manualmente.
– O veículo não se encontra em uma subida ou
Veículo com transmissão manual num declive muito acentuados.
– Com o veículo parado, desengatar a marcha e – A direção não está muito esterçada.
soltar o pedal da embreagem. O motor é desli- – A marcha a ré não está engatada.
gado. – O bloqueio do diferencial não está engatado.
– Para ligar o motor novamente, pisar na em- – A função off-road não está ativada.
breagem.
Condições para uma nova partida automática
Veículo com transmissão automática
O motor pode ligar automaticamente sob as se-
– Com o veículo parado, pisar no pedal do freio e guintes condições: 
manter pressionado. O motor é desligado.
– Para ligar o motor novamente, tirar o pé do
pedal do freio ou, com a alavanca seletora na
posição P, pisar no pedal do acelerador.

160 Durante a condução


– Se o interior do veículo se aquecer ou se esfriar ATENÇÃO
muito.
Se o motor estiver desligado, o servofreio e a
– Se o veículo rodar ou for necessária uma assis-
direção não funcionam.
tência de frenagem.
● Nunca deixar o veículo rodar com o motor
– Se a tensão na bateria do veículo tiver se redu-
desligado.
zido.
● Ao trabalhar no compartimento do motor, o
– Se o bloqueio do diferencial for engatado.
sistema Start-Stop precisa estar desligado.
– Se a função off-road for ativada.
NOTA
Condições que exigem a partida manual com
chave Se o sistema de Start-Stop for utilizado por um
período de tempo muito longo quando as tempe-
A partida do motor deve ser feita manualmente
raturas externas forem muito elevadas, a bateria
com a chave do veículo sob as seguintes condi-
ções: do veículo pode ser danificada.

– Se o condutor soltar o cinto de segurança. Em alguns casos pode ser necessário ligar
novamente o motor manualmente com a
– Se a porta do condutor for aberta.
chave do veículo. Observar a mensagem corres-
– Se a tampa do compartimento do motor for pondente no display do instrumento combinado.
aberta.
Em velocidades baixas, pode ser dada uma
Ligar e desligar o sistema Start-Stop nova partida em um motor “afogado”, pi-
manualmente sando-se imediatamente no pedal da embrea-
– Pressionar o botão  no console central gem. 
→ Fig. 120.
– Com o sistema Start-Stop desativado, a luz de
controle se acende no botão.
Se o veículo se encontrar na operação Start-Stop
no desligamento manual, o motor dará partida
imediatamente.

Sistema de assistência em subidas


 Observe no início desse capítulo na pági-
na 159.

Em veículos com ESC, o sistema de assistência


em subidas auxilia o arranque em subidas, segu-
rando o veículo ativamente.

O sistema de assistência em subidas é ativado automaticamente sob as seguintes premissas


Os itens 1 e 2 devem ser satisfeitos simultaneamente:
1. Segurar o veículo parado com o pedal do freio em uma subida de aproximadamente 5%.
2. O motor funciona “de maneira regular”.
Ao soltar o freio, o veículo é segurado por aproximadamente 2 segundos. Ao arrancar, o
freio é liberado lentamente. Caso o arranque não ocorra em 2 segundos, o freio se solta e
o veículo roda para trás. 

Sistemas de assistência ao condutor 161


O sistema de assistência em subidas é desativado imediatamente:
1. Assim que uma das condições mencionadas abaixo Página 161, O sistema de assistência
em subidas é ativado automaticamente sob as seguintes premissas não for mais atendida.
2. Se o motor for desligado ou morrer. 

Park Pilot ● Fontes de som externas podem influenciar


os sinais dos sensores de ultrassom. Assim,
sob determinadas circunstâncias, pessoas ou
 Introdução ao tema objetos podem não ser reconhecidos.

NOTA
O Park Pilot auxilia o condutor a entrar na Diferentes fatores podem influenciar as funções
do Park Pilot ou ocasionar danos ao veículo assim
vaga de estacionamento e a manobrar.
como nos arredores do veículo.
● Objetos como, por exemplo, barras de rebo-
O Park Pilot determina, com o auxílio de sensores que, hastes finas, cercas, postes, árvores e
de ultrassom, a distância do para-choque diantei- tampas do compartimento de bagagem aber-
ro ou traseiro em relação a um obstáculo tas ou se abrindo eventualmente não são reco-
→ Página 5, Vistas externas. nhecidos pelos sensores de ultrassom e podem
ocasionar danos ao veículo.
ATENÇÃO ● Se o Park Pilot tiver reconhecido e comunicado
A tecnologia inteligente do Park Pilot não pode um obstáculo, com a aproximação do veículo,
ir além dos limites impostos pela física e fun- obstáculos particularmente baixos ou altos não
ciona somente dentro dos limites do sistema. O serão detectados. Neste caso, estes obstáculos
maior conforto oferecido pelo Park Pilot não não serão comunicados.
deve incentivar a colocar a segurança em risco. ● Se o alerta do Park Pilot for ignorado, poderão
O Park Pilot não pode substituir a atenção do ocorrer danos consideráveis ao veículo.
condutor.
● Os sensores de ultrassom podem ser desregu-
● Movimentos sem supervisão do veículo po- lados ou danificados por impactos, por exem-
dem causar ferimentos graves. plo, ao entrar na vaga de estacionamento.
● Adequar sempre a velocidade e a forma de ● Em alguns casos, sujeira ou gelo sobre os sen-
condução às condições de visibilidade, do cli- sores de ultrassom podem ser registrados co-
ma, da pista e do trânsito. mo obstáculo. Manter os sensores de ultras-
● Os sensores de ultrassom possuem ângulos som limpos, sem neve e sem gelo e não cobri-
cegos nos quais pessoas e objetos não po- -los com etiquetas adesivas ou outros objetos.
dem ser detectados. ● Uma nova pintura dos sensores de ultrassom
● Observar sempre a área ao redor do veículo, pode comprometer a função do Park Pilot.
já que crianças pequenas, animais e objetos ● Na limpeza dos sensores de ultrassom com um
não são reconhecidos pelos sensores de ul- lavador de alta pressão ou com um jato de va-
trassom em todos os casos. por, jatear os sensores diretamente apenas por
● Certas superfícies de objetos e roupas não um curto período e manter sempre uma dis-
podem ser refletidos pelos sinais dos senso- tância maior que 10 cm.
res de ultrassom. Esses objetos e as pessoas ● Fontes de ruído podem gerar mensagens de
que estiverem usando roupas desse tipo não erro do Park Pilot, por exemplo, asfalto áspero,
podem ser reconhecidos pelo sistema ou so- paralelepípedos, bobinas de indução, máquinas
mente de modo deficiente. de construção e ruído de outros veículos. 

162 Durante a condução


● Peças agregadas montadas posteriormente no A Volkswagen recomenda praticar o manu-
veículo, como, por exemplo, suportes de bici- seio do Park Pilot em um local ou num esta-
cletas ou da placa de licença, podem limitar o cionamento com pouco tráfego para familiarizar-
funcionamento do Park Pilot. -se com o sistema e com as funções. 

Comandar o Park Pilot


 Observe e no início desse capítulo na O Park Pilot determina, com o auxílio de sensores
página 162. de ultrassom, a distância do para-choque diantei-
ro ou traseiro em relação a um obstáculo.

Fig. 121 No console central: botões para ligar e des-


ligar o Park Pilot (dependendo da versão).

Ligar e desligar o Park Pilot


Função Manejo com a ignição ligada
Ligar e desligar o Park Pi- Pressionar o botão  . A lâmpada de controle no botão  → Fig. 121
lot manualmente: está acesa enquanto a função estiver ativa.
Ligar o Park Pilot automa-
Engatar a marcha a ré ou comutar para a posição da alavanca seletora R.
ticamente:
Desligar o Park Pilot auto- Acelerar o veículo para frente com velocidade superior a aproximadamen-
maticamente: te 10 – 15 km/h (6 – 9 mph).
Silenciar momentanea-
Tocar na superfície de função  .
mente o Park Pilot:
Comutar para a exibição Engatar a marcha a ré ou comutar para a posição da alavanca seletora R.
da imagem da câmera do
assistente de condução OU: tocar na superfície de função  .
em marcha a réa):
a) Depende da versão.

Particularidades do Park Pilot – Assim que o veículo se afasta do obstáculo, o


– Em alguns casos, o Park Pilot registra água e alerta intermitente se desliga automaticamen-
gelo nos sensores de ultrassom como obstácu- te. Em caso de uma nova aproximação, o alerta
lo. intermitente é ligado automaticamente.
– Se a distância permanecer igual, o volume do – Veículos com transmissão automática não
alerta sonoro diminuirá após alguns segundos. emitem sinais sonoros se a alavanca seletora
Se o alerta contínuo soar, o volume permane- estiver na posição P. 
cerá igual.

Sistemas de assistência ao condutor 163


– Os sensores de ultrassom traseiros do Park Pi- NOTA
lot não serão ligados se o dispositivo de rebo-
que instalado de fábrica estiver conectado ele- A inobservância das mensagens de texto exibidas
tricamente ao reboque. pode levar a danos no veículo. 
– Uma Concessionária Volkswagen pode regular
o volume dos sinais sonoros.

Sinais sonoros e exibições do Se o veículo continuar a se aproximar do obstá-


culo com um alerta contínuo, o sistema não po-
display do Park Pilot derá mais calcular a distância. A partir de uma
distância de menos de 30 cm, é emitido um som
 Observe e no início desse capítulo na contínuo. Não prosseguir!
página 162.
Dependendo do equipamento, as áreas analisa-
das são indicadas em vários segmentos em um
gráfico. Quanto mais o veículo se aproxima de
um obstáculo, mais o segmento se aproxima do
veículo representado. A área de colisão é alcan-
çada assim que o penúltimo segmento for exibi-
do. Não prosseguir!
Em caso de veículos com dispositivo de reboque
instalado de fábrica, a área da distância é um
pouco maior atrás do veículo para o alerta sonoro
contínuo → Página 115.
Fig. 122 Indicador do display no console central: in- Silenciar o Park Pilot
dicação do Park Pilot.
Por meio do toque na superfície de função  do
Legenda para a representação esquemática display (somente no display colorido), os alertas
Fig. 122: sonoros do controle de distância de estaciona-
mento podem ser silenciados. Para reativar os si-
A Área examinada atrás do veículo. nais sonoros, a superfície de função deve ser to-
a) Área examinada à frente do veícu- cada novamente.
B
lo.
Assim que o Park Pilot for desligado e for ligado
Segmento vermelho para um ob-
 stáculo próximo.
novamente, o modo silencioso será desativado.
Alertas de falha não podem ser desligados.
Segmento amarelo para um obstá-
 culo.
Se a exibição do Park Pilot tiver sido desligada
manualmente e o Park Pilot permanecer ativo, o
a) Depende do modelo modo silencioso igualmente será desligado.
As áreas à frente e atrás do veículo rastreadas
Em caso de condução com reboque
pelos sensores ultrassom são representadas no
display do sistema Infotainment instalado na fá- Em caso de veículos com dispositivo de reboque
brica. Possíveis obstáculos são exibidos tomando instalado de fábrica e um reboque conectado ele-
o veículo como ponto de referência → . tricamente, dependendo da versão, é exibido, na
tela do sistema Infotainment instalado de fábri-
Sinais sonoros e exibição do display ca, um gráfico correspondente. Os valores de dis-
Se o veículo se aproxima de um obstáculo na área tância atrás do veículo não são exibidos nesse ca-
dos sensores de ultrassom, soam sinais sonoros. so. Em um reboque conectado eletricamente,
Quando de distância suficiente em relação a um não são emitidos sinais ópticos nem acústicos.
obstáculo, é emitido um intervalo de som. Quan-
to menor a distância, mais curtos são os interva- ATENÇÃO
los entre os alertas. Quando o obstáculo estiver Não se deixar distrair dos acontecimentos do
muito próximo, soará um alerta contínuo. trânsito pelas imagens exibidas no display. 

164 Durante a condução


Pode levar alguns segundos até que os si- tente de condução em marcha a ré pode causar
nais sonoros ou visuais sejam reproduzidos.  acidentes e ferimentos graves. O sistema não
pode substituir a atenção do condutor.
● Adequar sempre a velocidade e a forma de
condução às condições de visibilidade, do cli-
Câmera de marcha a ré (Rear ma, da pista e do trânsito.
View) ● Ter em vista sempre o sentido de estaciona-
mento e as áreas relevantes ao redor do veí-
culo. A parte dianteira do veículo gira mais
 Introdução ao tema para fora do que a parte traseira.
● Não se deixar distrair dos acontecimentos do
trânsito pelas imagens exibidas no display.
● Observar sempre a área ao redor do veículo,
A câmera de marcha a ré mostra a vista
pois crianças pequenas, animais e objetos
traseira para auxiliar o condutor ao esta-
não são reconhecidos em todos os casos pela
cionar ou guiar com a marcha a ré.
câmera de marcha a ré.
● É possível que a câmera de marcha a ré não
As funções e representações da câmera de mar- possa representar todas as áreas com nitidez.
cha a ré podem divergir em veículos com ou sem
Park Pilot. NOTA
A câmera de marcha a ré está montada acima do ● A câmera de marcha a ré exibe apenas ima-
suporte da placa de licença traseira → Página 5. gens bidimensionais no display. Devido à au-
sência de profundidade, os objetos salientes
ATENÇÃO ou reentrâncias na pista são difíceis de serem
O uso das câmeras de marcha a ré para avaliar a identificados ou nem são identificados.
distância de obstáculos (pessoas, veículos, etc.) ● Objetos como, por exemplo, barras finas, cer-
é impreciso e pode causar acidentes e ferimen- cas, postes e árvores não são reconhecidos pe-
tos graves. la câmera de marcha a ré em determinadas
● A lente da câmera amplia e deforma o campo condições e podem ocasionar danos ao veícu-
de visão e faz com que objetos no display lo.
apareçam alterados ou imprecisos. ● As linhas e as caixas de auxílio são exibidas pe-
● Determinados objetos podem, devido à reso- lo sistema para o ambiente do veículo inde-
lução do display e em condições insuficientes pendentemente se ocorrer um reconhecimen-
de luz, não ser exibidos ou ser exibidos de to automático de objetos. O condutor é res-
forma insuficiente, por exemplo, postes finos ponsável por avaliar se o veículo cabe na vaga
ou grades. de estacionamento. 
● A câmera de marcha a ré possui ângulos ce-
gos onde pessoas e objetos não podem ser
reconhecidos. Orientações de funcionamento
● Manter a lente da câmera limpa, sem neve e
sem gelo e descoberta.  Observe e no início desse capítulo na
página 165.
ATENÇÃO
Premissas para entrar na vaga de
A tecnologia inteligente da câmera de marcha a
estacionamento e manobrar com a câmera de
ré não pode ir além dos limites impostos pela marcha a ré
física e funciona somente dentro dos limites do
sistema. O maior conforto oferecido pelo assis-  Uma imagem confiável e clara, por exemplo,
tente de condução em marcha a ré não deve in- condições de visibilidade boas e uma lente
centivar a colocar a segurança em risco. A utili- limpa.
zação desatenta ou sem supervisão do assis-  O espaço atrás do veículo precisa ser reco-
nhecido de forma clara e completa. 

Sistemas de assistência ao condutor 165


Premissas para entrar na vaga de – Tocar na superfície de função  .
estacionamento e manobrar com a câmera de – Realizar as configurações desejadas no menu.
marcha a ré (continuação)
 O condutor precisa estar familiarizado com o Particularidades
sistema. se a posição ou o ângulo de instalação da câmera
 O veículo não pode estar danificado. O siste- de marcha a ré for alterado, o sistema deve ser
ma precisa ser verificado por uma Concessio- verificado por uma Concessionária Volkswagen
nária Volkswagen se a posição ou o ângulo ou por uma empresa especializada, por exemplo,
de instalação da câmera de marcha a ré for após um impacto traseiro.
alterada, por exemplo, depois de um impacto A câmera de marcha a ré oculta todas as guias e
traseiro. superfícies de orientação quando o dispositivo de
reboque instalado de fábrica → Página 115 esti-
Configurações da câmera de marcha a ré ver conectado eletricamente com o reboque.
Algumas configurações, como claridade, contras-
te e cor podem ser realizadas tocando nas res- A Volkswagen recomenda praticar mano-
pectivas superfícies de funções - ou + , ou desli- bras e entradas em vagas de estacionamen-
zando o respectivo regulador corrediço. to com o assistente de condução em marcha a ré
em boas condições climáticas e de visibilidade,
– Parar o veículo em local seguro. em um local sem trânsito ou em um estaciona-
– Ligar a ignição e, se necessário, o sistema Info- mento para se familiarizar com o sistema, com as
tainment. linhas de orientação e suas funções. 
– Engatar a marcha a ré ou comutar para a posi-
ção da alavanca seletora R.

Comandar a câmera de marcha a ré


 Observe e no início desse capítulo na Legenda para → Fig. 123:
página 165. Dependendo da versão: desligar ou ligar o
 som do Park Pilot.
Dependendo da versão: exibir o indicador
 do Park Pilot.
Dependendo da versão: ocultar o indicador
 do Park Pilot.
Conforme a versão: exibir o Park Pilot.

 Sair da representação atual.
 Regular a exibição: brilho, contraste, cor.
Fig. 123 Exibição do display do sistema Infotain-
ment: câmera de marcha a ré ligada.

Ligar e desligar a câmera de marcha a ré


Manejo com a ignição ligada
Função
Veículos sem Park Pilot Veículos com Park Pilot
Engatar a marcha a ré ou comutar para a posição da alavanca seletora R.
Ligar a exibição O indicador da câmera de marcha a ré é exibido no display do sistema Infotainment.
automatica- Adicionalmente, pode ser exibida uma
mente: vista em miniatura do Park Pilot na mar-
gem esquerda do sistema Infotainment. 

166 Durante a condução


Manejo com a ignição ligada
Função
Veículos sem Park Pilot Veículos com Park Pilot
Desligar a ignição.
OU: conduzir para frente com uma velocidade superior a aproximadamente 10 km/h
Desligar o indi-
(6 mph) e por mais de aproximadamente 10 segundos.
cador automa-
ticamente: OU: aproximadamente 10 segundos de-
OU: assim que retirar da marcha a ré ou
pois de retirar da marcha a ré ou da posi-
da posição da alavanca seletora R .
ção da alavanca seletora R .
Pressionar um dos botões do Infotainment ou tocar na superfície de função  no
Ocultar a ima- display.
gem da câmera OU: tocar na superfície de função  .
de marcha a ré: É exibido o modo de tela inteira do Park
Pilot.
Exibir nova- Retirar a marcha a ré ou trocar para outra posição da alavanca seletora e engatar a
mente a ima- marcha a ré novamente ou trocar para a posição da alavanca seletora R.
gem da câmera
de marcha a ré: OU: tocar na superfície de função  .

Entrar na vaga de estacionamento Legenda para Fig. 124:


com a câmera de marcha a ré 1 Pista.
2 Vaga de estacionamento selecionada.
 Observe e no início desse capítulo na
página 165. 3 Linhas de limitação lateral da vaga de esta-
cionamento selecionada.
4 Limitação traseira da vaga de estacionamen-
to, por exemplo, meio-fio.

Linha vermelha Serve de distância de segurança.


A guia vermelha horizontal termina a apro-
ximadamente 0,6 m atrás do veículo na
pista.
Linhas verdes prolongamento do veículo para
trás. A área verde representada termina
aproximadamente a 2 m atrás do veículo
na pista.

Entrar na vaga de estacionamento com a


câmera de marcha a ré
– As premissas para entrar na vaga de estacio-
namento com a câmera de marcha a ré preci-
sam ser cumpridas → Página 165.
– Posicionar o veículo na frente da vaga de esta-
Fig. 124 Exibição do display do sistema Infotain- cionamento 2 → Fig. 124 .
ment: entrar na vaga de estacionamento com a câ- – Engatar a marcha a ré ou comutar para a posi-
mera de marcha a ré.  Procurar vaga de estaciona- ção da alavanca seletora R.
mento,  dar o comando para a vaga de estaciona-
mento selecionada,  manobrar. – Conduzir para trás devagar e manobrar de mo-
do que as guias verdes laterais conduzam para
a vaga de estacionamento selecionada 2 . 

Sistemas de assistência ao condutor 167


– Alinhar o veículo na vaga de estacionamento ● Nunca utilizar o GRA em tráfego intenso, em
escolhida, de modo que as guias verdes late- distâncias muito pequenas em relação a ou-
rais coincidam com as linhas de limitação late- tros veículos, em trechos íngremes cheios de
ral 3 . curvas e escorregadios como, por exemplo,
– Parar o veículo o mais tardar ao atingir a guia neve, gelo, umidade ou cascalho e em ruas
vermelha horizontal de limitação traseira, por alagadas.
exemplo, meio-fio 4 .  ● Nunca utilizar o GRA na condução off-road
ou em ruas não pavimentadas.
● Adequar a velocidade e a distância de segu-
Limpar a lente da câmera rança em relação a veículos à frente sempre
às condições de visibilidade, do clima, da pis-
 Observe e no início desse capítulo na ta e do trânsito.
página 165. ● Para evitar a regulagem de velocidade sem
supervisão, desligar o GRA sempre após a
Limpar a lente da câmera utilização.
Manter a lente da câmera limpa, sem neve e sem ● É perigoso retomar a velocidade salva se a
gelo: velocidade for muito alta para as condições
momentâneas da rua, do trânsito ou climáti-
– Ligar a ignição.
cas.
– Umedecer a lente da câmera com um produto
● Ao conduzir em declives, o GRA pode não
de limpeza de vidro comum à base de álcool e
manter a velocidade do veículo constante. A
limpar com um pano seco.
velocidade pode aumentar devido ao peso
– Nunca utilizar produtos de conservação com próprio do veículo. Reduzir a marcha ou frear
efeito abrasivo para limpar a lente da câmera. o veículo com o freio. 
– Remover a neve com uma vassourinha.
– Remover o gelo com um spray anticongelante. 
Luz de controle
 Observe no início desse capítulo na pági-
Sistema regulador de na 168.
velocidade (GRA)
Acesa Causa possível
O sistema regulador de velocidade
 Introdução ao tema  regula a velocidade.
Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e
O sistema regulador de velocidade (GRA) auxilia de controle se acendem rapidamente para verifi-
para que, na condução para frente, a partir de cação da função. Elas se apagam após alguns se-
aproximadamente 20 km/h (12 mph) uma veloci- gundos.
dade individual salva possa ser mantida.
ATENÇÃO
O GRA retarda somente por desaceleração, não
por intervenção ativa de frenagem → . A inobservância das luzes de advertência acesas
e das mensagens de texto pode causar a parada
ATENÇÃO do veículo no trânsito, acidentes e ferimentos
graves.
Se não for possível conduzir com segurança,
mantendo uma distância suficiente e a uma ve- ● Nunca deixar de observar as luzes de adver-
locidade constante, a utilização do sistema re- tência e as mensagens de texto.
gulador de velocidade poderá causar acidentes ● Parar o veículo assim que possível e seguro. 
e ferimentos graves.

168 Durante a condução


NOTA
A inobservância das luzes de controle que se
acendem e das mensagens de texto pode causar
danos ao veículo. 

Comandar o sistema regulador de velocidade


 Observe no início desse capítulo na pági-
na 168.

Fig. 125 À esquerda na coluna de direção: botões e


interruptor do GRA.

Posição dos interruptores,


Função operação dos interrupto- Ação
res → Fig. 125
O sistema é ligado. Após ligar, não está salva
Colocar o interruptor 2
Ligar o GRA. nenhuma velocidade e ainda não é feita ne-
na posição .
nhuma regulagem.
Pressionar o botão 3
Ativar o GRA. A velocidade atual é salva e regulada.
.
Colocar o interruptor 2
Desligar a regulagem do na posição . A regulagem é desligada temporariamente. A
GRA temporariamente. OU: pisar no pedal do velocidade permanece salva.
freio ou da embreagem.
Retomar a regulagem do Pressionar o botão 1
A velocidade salva é retomada e regulada.
GRA. .
Pressionar o botão 1
 brevemente para au-
mentar a velocidade gra-
Aumentar a velocidade dualmente em 1 km/h O veículo acelera de forma ativa até atingir a
salva (durante a regula- (1 mph) e armazená-la. nova velocidade salva.
gem do GRA).
Manter o botão pressiona-
do 1  por um longo
momento para aumentar 

Sistemas de assistência ao condutor 169


Posição dos interruptores,
Função operação dos interrupto- Ação
res → Fig. 125
a velocidade continua-
mente até que o botão
seja solto, armazenando a
velocidade.
Pressionar o botão 3
 brevemente para re-
duzir a velocidade gradua-
lmente em 1 km/h
Reduzir a velocidade sal- (1 mph) e salvá-la. A velocidade é reduzida sem intervenção do
va (durante a regulagem freio pela retirada da aceleração até atingir a
do GRA). Manter pressionado o bo- nova velocidade salva.
tão 3  demorada-
mente para reduzir conti-
nuamente a velocidade
até soltar o botão e salvar.
Interruptor 2 na posição O sistema é desligado. A velocidade salva é de-
Desligar o GRA.
. letada.

Condução em descidas com o GRA – Se for acionado o pedal do freio ou da embrea-


Se o GRA não puder manter a velocidade do veí- gem.
culo constante na descida, frear o veículo com o – Quando, na transmissão manual, for realizada
freio e, se necessário, reduzir a marcha. a troca de marcha.
– Se o airbag for acionado.
Desligamento automático
– Se a alavanca seletora for retirada da posição
A regulagem do GRA é desligada automatica-
de marcha D. 
mente ou interrompida temporariamente:
– Se o sistema constatar uma falha que poderia
limitar a função do GRA.
– Ao conduzir mais rapidamente do que a veloci-
dade salva, acelerando por um período prolon-
gado.

170 Durante a condução


Clima ● Assegurar sempre que o sistema de aqueci-
mento e ar fresco ou o ar-condicionado e o
Aquecer, ventilar, resfriar desembaçador do vidro traseiro estejam sen-
do utilizados corretamente para ter boas
condições de visibilidade para o exterior.
 Introdução ao tema ● Nunca utilizar o modo de recirculação de ar
por muito tempo. Se o sistema de refrigera-
ção estiver desligado, os vidros podem em-
Os seguintes equipamentos podem estar instala- baçar-se muito rapidamente no modo de re-
dos em seu veículo: circulação de ar e limitar muito as condições
– Sistema de ventilação e aquecimento ou de visibilidade.
– Climatic ou ● Desligar sempre o modo de recirculação de
ar se ele não for necessário.
– Climatronic.
O sistema de ventilação e aquecimento aquece e ATENÇÃO
ventila o interior do veículo. O sistema de venti- O ar viciado pode ocasionar cansaço rápido e
lação e aquecimento não resfria. falta de concentração do condutor, podendo
O Climatic ou Climatronic refrigera e desumidifi- causar colisões, acidentes e ferimentos graves.
ca o ar. Trabalha com o máximo de eficiência se ● Nunca deixar o ventilador desligado por mui-
os vidros e o teto de vidro estiverem fechados. to tempo nem nunca deixar o modo de recir-
No caso de acúmulo de calor no interior do veícu- culação de ar ligado por muito tempo, uma
lo, a ventilação pode acelerar o processo de refri- vez que o ar fresco não atinge o interior do
geração. veículo.
Exibição das informações do Climatronic
NOTA
Dependendo da versão, são exibidas brevemente
● Se houver suspeita de que o ar-condicionado
informações sobre o Climatronic na tela do siste-
possa ter sido danificado, desligar o ar-condi-
ma Infotainment instalado de fábrica.
cionado. Desse modo, podem ser evitados da-
As unidades dos indicadores de temperatura po- nos consequentes. Mandar verificar o ar-con-
dem ser exibidas no sistema de navegação insta- dicionado em uma Concessionária Volkswagen
lado de fábrica e configuradas conforme a versão ou em uma empresa especializada.
do veículo no menu Configurações do instrumento
● Reparos no ar-condicionado exigem conheci-
combinado.
mentos especializados e ferramentas especi-
ais. Para isso, a Volkswagen recomenda uma
ATENÇÃO Concessionária Volkswagen.
Más condições de visibilidade em todos os vi-
dros aumentam o risco de colisões e acidentes Se o sistema de refrigeração estiver desliga-
que podem causar ferimentos graves. do, o ar externo aspirado não será desumi-
dificado. Para evitar o embaçamento dos vidros,
● Para ter boas condições de visibilidade para o
exterior, assegurar sempre que todos os vi- a Volkswagen recomenda deixar o sistema de re-
dros estejam sem gelo, neve e embaçamen- frigeração (compressor) ligado. Para isso, pres-
sionar o botão  . A luz de controle deve se
to.
acender no botão.
● A potência de aquecimento máxima possível
e o descongelamento rápido dos vidros po- Em alta umidade do ar externo e altas tem-
dem ser atingidos somente quando o motor peraturas externas, pode gotejar água con-
tiver atingido sua temperatura de serviço. densada do evaporador do sistema de refrigera-
Partir somente se houver boas condições de ção, formando uma poça sob o veículo. Isto é
visibilidade. normal e não é sinal de vazamento! 

Clima 171
Para não limitar a potência de aquecimento O ar que sai dos difusores de ar e corre por
ou de refrigeração e para impedir o emba- todo o interior do veículo escapa para fora
çamento dos vidros, a entrada de ar na frente do do veículo pelas fendas de ar sob o vidro traseiro.
para-brisa deve estar isenta de gelo, neve ou fo- As fendas de ar não devem ser cobertas com pe-
lhas. ças de roupa ou outros objetos. 

Comandos do sistema de ventilação e aquecimento


 Observe e no início desse capítulo na página 171.

Fig. 126 No painel de instrumentos: comandos do sistema de ventilação e aquecimento.

Botão, regulador Informações complementares. Sistema de ventilação e aquecimento → Fig. 126.


Temperatura 1
Regulável sem etapas.
 ... 
Ventilador 2 Ventilador e sistema de ventilação e aquecimento desligados, nível 0.
 ...   Nível 4: nível mais alto de ventilação.
3  Modo de recirculação de ar → Página 176.
4 Distribuição de
Regulável sem etapas.
ar
Distribuição de ar para o para-brisa. Nessa posição, o modo de recirculação de ar
 é desligado automaticamente ou não é nem ligado.
A distribuição de ar para a parte superior do corpo é realizada pelos difusores de
 ar do painel de instrumentos.

 Distribuição de ar para a área para os pés.

 Distribuição de ar para o para-brisa e para a área para os pés.

Desligar Girar o interruptor do ventilador para o nível 0.

Desembaçador do vidro traseiro – Com o motor em funcionamento, pressionar o


Em veículos com equipamento de aquecimento botão  para ligar o desembaçador do vidro
pode haver um botão para o desembaçador do traseiro.
vidro traseiro no painel de instrumentos  . A luz – Após aproximadamente 10 minutos, o desem-
de controle no botão se acende se a função esti- baçador do vidro traseiro se desliga automati-
ver ativa. camente. Para um desligamento antecipado,
pressionar o botão  novamente. 

172 Durante a condução


Orientações de funcionamento do Aquecer
A potência de aquecimento máxima possível e
sistema de ventilação e
um descongelamento rápido dos vidros podem
aquecimento ser atingidos somente quando o motor tiver atin-
gido sua temperatura de serviço.
 Observe e no início desse capítulo na
página 171. Ajustes recomendados
– Desligar o modo de recirculação de ar
Para não limitar a potência de aquecimento e im- → Página 176.
pedir o embaçamento dos vidros, a entrada de ar
na parte dianteira do para-brisa deve estar isenta – Regular o ventilador no nível 1 ou 2.
de gelo, neve ou folhas. – Ajustar a temperatura na potência de aqueci-
mento desejada.
Temperatura – Abrir todos os difusores de ar no painel de ins-
A temperatura desejada para o interior não deve trumentos → Página 175.
menor do que o ar externo existente, pois o equi- – Girar o regulador de distribuição de ar para a
pamento de aquecimento não consegue resfriar e posição desejada. 
desumidificar o ar.

Comandos do Climatic e do Climatronic


 Observe e no início desse capítulo na página 171.

Fig. 127 No painel de instrumentos: comandos do Climatic.

Fig. 128 No painel de instrumentos: comandos do Climatronic. 

Clima 173
Para ligar ou desligar uma função, pressionar o Ventilador
botão correspondente. Uma luz de controle no Com o regulador central, ajustar a intensidade do
botão se acende se a função estiver ativa. Para ventilador.
desligar a função, pressionar o botão mais uma
vez. Climatronic: na regulagem automática, não ocor-
re nenhuma exibição dos níveis de ventilação no
Desligar regulador.
Os equipamentos são desligados conforme a se-
Distribuição de ar
guir:
Com os botões  ,  ou  ou com o regulador
– Com o botão  (veículo sem aquecimento es- direito → Fig. 127 3 , é regulada a distribuição de
tacionário). ar:
– OU: ao girar o regulador central para o nível 
→ Fig. 127 2 até o batente para a esquerda : a distribuição de ar para a parte superior do
→ Fig. 128 2 . corpo é realizada pelos difusores de ar no painel
de instrumentos.
 ou – modo de refrigeração
Com o botão  ou  o modo de refrigeração : distribuição de ar para a área para os pés.
do Climatic ou Climatronic pode ser ligado e des-
ligado. : distribuição de ar para a parte superior do
corpo e para a área para os pés.
 – Modo automático
Com o botão  é possível ligar e desligar o
modo automático do Climatronic.
: distribuição de ar para o para-brisa e para a
área para os pés.
O modo automático providencia temperaturas
constantes no interior do veículo. A temperatura : distribuição de ar para o para-brisa.
do ar, o volume do ar e a distribuição de ar são
regulados automaticamente. Se você alterar a  – Desembaçar os vidros
ventilação manualmente, o modo automático se- Com o regulador direito  3 ou com o bo-
rá desativado. tão  → Fig. 128, pode ser desembaçado o
para-brisa o mais rápido possível e deixá-lo sem
 – Potência de refrigeração máxima orvalho (função de desembaçamento):
Ao girar o regulador esquerdo para a posição
Climatic: com a função de desembaçamento, o
 ou pressionar o botão  , a potência de
modo de recirculação de ar é desligado e o com-
refrigeração máxima é ligada. O modo de recircu-
pressor do ar-condicionado do sistema de refri-
lação de ar é ligado automaticamente.
geração é ligado para desumidificar o ar. Com a
No Climatronic, a distribuição de ar é ajustada na função de desembaçamento ligada, o modo de
posição . recirculação de ar não pode ser ligado e o com-
pressor do ar-condicionado não pode ser desliga-
 /  – Temperatura do 1).
Sistema de ventilação e aquecimento ou Clima-
Climatronic: em temperaturas acima de +3 °C
tic: com o regulador esquerdo → Fig. 127 1 , re-
(+38 °F), o ar é seco e o ventilador é ajustado em
gular a temperatura.
um nível alto de ventilação.
Climatronic: com os reguladores exter-
nos → Fig. 128 1 , ajustar as temperaturas para o  – Modo de recirculação de ar
lado do condutor e do passageiro dianteiro. Os Com o botão  é possível ligar e desligar o mo-
displays acima dos reguladores externos indicam do de recirculação de ar → Página 176.
as temperaturas ajustadas.
 – Assumir as regulagens de temperatura
Com o botão  , sincronizar as regulagens de
temperatura. 

1) Conforme o país, o compressor do ar-condicionado pode ser desligado.

174 Durante a condução


Quando a luz de controle estiver acesa no botão  – Desembaçador do vidro traseiro
 , as regulagens de temperatura do banco do Com o botão  , é possível ligar e desligar o de-
condutor também são aplicadas a todos os as- sembaçador do vidro traseiro com o motor liga-
sentos. do. O desembaçador do vidro traseiro desliga-se
no máximo após 10 minutos.
 – Aquecimento residual
No Climatronic, é possível ligar e desligar a fun- ATENÇÃO
ção de aquecimento residual com o botão  .
O ar viciado pode ocasionar cansaço rápido e
Com o motor quente e a ignição desligada, o falta de concentração do condutor, podendo
aquecimento residual é utilizado para manter o causar colisões, acidentes e ferimentos graves.
interior do veículo quente. A função é desligada ● Nunca deixar o ventilador desligado por mui-
depois de 30 minutos ou em caso de baixo nível to tempo nem nunca deixar o modo de recir-
de carga da bateria do veículo. culação de ar ligado por muito tempo, uma
vez que o ar fresco não atinge o interior do
 – Botão de aquecimento imediato do
veículo. 
aquecimento estacionário
Com o botão  é possível ligar e desligar a fun-
ção de aquecimento imediato do aquecimento
estacionário → Página 178.

Difusores de ar
 Observe e no início desse capítulo na página 171.

Fig. 129 No painel de instrumentos: difusores de ar.

Difusores de ar Outras aberturas de saída de ar não reguláveis se


Para que uma potência de aquecimento, uma re- encontram na área para os pés, assim como no
frigeração e uma entrada de ar suficientes sejam lado superior do painel de instrumentos.
atingidas no interior do veículo, os difusores de
ar → Fig. 129 1 devem permanecer abertos. NOTA
Não colocar alimentos, medicamentos ou outros
Legenda para → Fig. 129: objetos sensíveis ao calor na frente dos difusores
1 Difusores de ar reguláveis: por meio da alça de ar. Alimentos, medicamentos ou outros obje-
da grade de ventilação, ajustar a direção da tos sensíveis ao calor ou frio podem ser danifica-
corrente de ar. Para fechar os difusores de ar, dos ou inutilizados pelo fluxo de saída de ar.
deslocar a alça da grade de ventilação até o
centro do veículo. NOTA
2 Difusores de ar não reguláveis. Não introduzir objetos nas fendas dos difusores
de ar. Isso pode danificar os difusores de ar. 

Clima 175
Modo de recirculação de ar
 Observe e no início desse capítulo na página 171.

Informações básicas
Há diferentes tipos de modo de recirculação de ar:

 Operação manual de recirculação de ar (sistema de ventilação e aquecimento).

 Modo de recirculação de ar manual (Climatic).

No modo de recirculação de ar, o ar externo é im- ● Nunca deixar o modo de recirculação de ar li-
pedido de atingir o interior do veículo. gado por muito tempo, uma vez que o ar
Em temperaturas externas muito altas ou muito fresco não atinge o interior do veículo.
baixas, selecionar o modo de recirculação de ar ● Se o sistema de refrigeração estiver desliga-
manual por curto tempo para resfriar ou aquecer do, os vidros podem embaçar-se muito rapi-
mais rápido o interior do veículo. damente no modo de recirculação de ar e li-
Por motivos de segurança, o modo de recircula- mitar muito as condições de visibilidade.
ção de ar se desliga quando o botão  for pres- ● Desligar sempre o modo de recirculação de
sionado ou o regulador de distribuição de ar for ar se ele não for necessário.
girado para  → .
NOTA
Ligar e desligar o modo de recirculação de ar
Em veículos com ar-condicionado, não fumar
manual no Climatic  ou o sistema de
quando o modo de recirculação de ar estiver liga-
ventilação e aquecimento 
do. A fumaça succionada pode se depositar no
Ligar: pressionar o botão  ou o botão  até a evaporador do sistema de refrigeração, bem co-
luz de controle esquerda no botão se acender. mo no filtro de poeira e pólen com carvão ativa-
Desligar: pressionar o botão  ou botão  até do, e ocasionar odores incômodos e duradouros.
que nenhuma luz de controle permaneça acesa
no botão. Climatronic: com a marcha a ré engatada
ou enquanto o sistema de limpeza e de la-
ATENÇÃO vagem automático estiver em funcionamento, o
modo de recirculação de ar pode ser ligado por
O ar viciado pode ocasionar cansaço rápido e um período curto para evitar a penetração de
falta de concentração do condutor, podendo odores indesejados no interior do veículo. 
causar colisões, acidentes e ferimentos graves.

Aquecimento do banco – Ligar: pressionar o botão  ou  na parte in-


ferior do console central. O aquecimento dos
 Observe e no início desse capítulo na bancos é ligado com a máxima potência de
página 171. aquecimento. Todas as luzes de controle se
acendem.
As superfícies dos bancos dianteiros podem ser – Regular: pressionar repetidamente o botão 
aquecidas eletricamente com a ignição ligada. ou  até que o nível desejado esteja regulado.
Em algumas versões de banco, o encosto do ban- – Desligar: pressionar o botão  ou  até que
co também é aquecido. não esteja mais acesa nenhuma luz de controle
no botão. 

176 Durante a condução


Quando o aquecimento dos bancos não deve ● Líquidos, objetos pontiagudos e materiais iso-
ser ligado? lantes como, por exemplo, uma capa protetora
Diante de uma das seguintes condições, não ligar ou uma cadeira de criança colocados sobre o
o aquecimento do banco: banco, podem danificar o aquecimento do
banco.
– ESC não está ocupado.
● Em caso de formação de odores: o aquecimen-
– O banco está coberto com uma capa protetora.
to do banco deve ser desligado imediatamente
– Há uma cadeira de criança instalada sobre o e verificado por uma Concessionária Volkswa-
banco. gen.
– A superfície do banco está úmida ou molhada.
Deixar o aquecimento do banco ligado so-
– A temperatura no interior do veículo ou a tem- mente enquanto for necessário. Caso con-
peratura externa é superior a +25° C (77° F). trário, haverá um consumo desnecessário de
combustível.
ATENÇÃO
Pessoas que não tenham nenhuma percepção No caso de tensão de bateria muito baixa,
ou que tenham percepção reduzida de dores ou não é possível ligar o aquecimento dos ban-
de temperatura em razão do consumo de medi- cos ou ele desliga. 
camentos, de paralisias ou por conta de doen-
ças crônicas (por exemplo, diabetes) podem so-
frer queimaduras nas costas, nas nádegas e nas Dicas e orientações de
pernas com a utilização do aquecimento do
banco. Essas queimaduras podem demandar funcionamento
um longo período de cura ou não ser curadas
totalmente. Consultar um médico para se infor-  Observe e no início desse capítulo na
mar sobre o próprio estado de saúde. página 171.
● Pessoas com percepção reduzida de dores ou As seguintes dicas e orientações de funciona-
de temperatura nunca devem usar o aqueci- mento fornecerão auxílio no comando correto.
mento dos bancos.
Por que o sistema de refrigeração se desliga
ATENÇÃO automaticamente ou não pode ser ligado?
Um estofamento molhado pode causar falha no – O motor não está em funcionamento.
funcionamento do aquecimento do banco e au- – O ventilador está desligado.
mentar o risco de queimaduras.
– O fusível do ar-condicionado está queimado.
● Atentar para que a superfície do banco esteja
– A temperatura ambiente está abaixo de apro-
seca antes de usar o aquecimento do banco.
ximadamente +3 °C (+38 °F).
● Não se sentar com roupa úmida ou molhada
– O compressor do ar-condicionado foi desliga-
no banco.
do temporariamente devido à temperatura
● Não colocar peças de roupa e objetos úmidos muito elevada do líquido de arrefecimento do
ou molhados sobre o banco. motor.
● Não derramar líquidos sobre o banco. – Há alguma outra falha no veículo. Mandar veri-
ficar o ar-condicionado em uma Concessio-
NOTA nária Volkswagen ou em uma empresa espe-
● Para não danificar os elementos de aqueci- cializada. 
mento dos bancos, não se ajoelhar sobre os
bancos nem sobrecarregar a superfície dos
bancos e os encostos dos bancos em pontos
isolados.

Clima 177
Regulagem para obter condições de Se o veículo for conduzido frequentemente em
visibilidade ideais local com ar externo muito poluído, se necessá-
– Manter a entrada de ar diante do para-brisa li- rio, o filtro deverá ser substituído entre os inter-
vre de gelo, neve ou folhas, para melhorar a valos de manutenção.
potência de aquecimento ou refrigeração e
evitar o embaçamento dos vidros. Água sob o veículo
Se a umidade do ar externo e a temperatura am-
– Manter a fenda de ar da área traseira do com-
biente estiverem altas, pode pingar água conden-
partimento de bagagem livre, para que o ar
sada no evaporador do sistema de refrigeração e
possa circular da frente para trás, pelo veículo.
formar uma poça d'água sob o veículo. Isto é nor-
– A maior potência de aquecimento e o mais rá- mal e não um sinal de vazamento!
pido descongelamento dos vidros só podem
ser atingidos se o líquido de arrefecimento já O ar-condicionado sempre necessita de al-
tiver atingido sua temperatura de serviço. guns minutos até que a temperatura regu-
lada no interior seja alcançada.
Regulagens recomendadas do sistema de
ventilação e aquecimento e do Climatic O para-brisa pode embaçar-se depois da
partida do motor por conta da umidade re-
– Desligar o modo de recirculação de ar.
sidual no ar-condicionado. 
– Colocar o ventilador no nível  ou .
– Colocar o regulador de temperatura na posição
intermediária.
– Abrir todos os difusores de ar do painel de ins- Aquecimento de água
trumentos e direcioná-los.
– Girar o regulador da distribuição de ar para a
adicional (aquecimento
posição desejada. estacionário)
– Climatic: pressionar o botão  no painel de
comando, para ligar o sistema de refrigeração.
Na operação de refrigeração, retira-se a umi-  Introdução ao tema
dade do ar.

Configurações recomendadas no Climatronic O aquecimento de água adicional (aquecimento


estacionário) é alimentado pelo combustível do
– Pressionar o botão  no painel de comando.
tanque de combustível e pode ser utilizado du-
– Ajustar a temperatura em +22 °C (+72 °F). rante a condução bem como com o veículo para-
– Abrir os difusores de ar do painel de instru- do. A alimentação de corrente é realizada pela
mentos e direcioná-los. bateria do veículo.
O aquecimento de água adicional (aquecimento
Sistemas de filtros
estacionário) aquece o circuito de água quente. O
Dependendo da versão, diferentes sistemas de calor é conduzido ao interior do veículo por meio
filtro podem estar instalados: do ventilador do ar-condicionado ou do equipa-
– Filtro de poeira e pólen: veículos com sistema mento de aquecimento. Pode ser selecionado en-
de ventilação e aquecimento, Climatic e Clima- tre aquecimento e ventilação.
tronic.
Sistema de escape do aquecimento
– Air Care Climatronic: veículos com Climatronic estacionário
e filtro antialergênico.
Os gases do escapamento do aquecimento esta-
O filtro de poeira e pólen com carvão ativado re- cionário ligado saem por um tubo do escapamen-
duz a penetração de poluentes contidos no ar ex- to na parte inferior do veículo. O tubo do escapa-
terno para o interior do veículo. O filtro anti-alér- mento não deve ficar bloqueado por neve, lama
gico do Climatronic Air Care pode reduzir a pene- ou outros materiais. 
tração de poluentes e até mesmo alérgenos.
Os filtros precisam ser trocados regularmente
para não limitar a eficiência do ar-condicionado.

178 Durante a condução


ATENÇÃO ● Desligar o veículo de forma que nenhuma
peça do sistema de escape entre em contato
Os gases de escape do aquecimento de água
com materiais facilmente inflamáveis por
adicional (aquecimento estacionário) contêm,
baixo do veículo, como, por exemplo, grama
entre outros, monóxido de carbono, que é um
seca.
gás tóxico inodoro e incolor. O monóxido de
carbono pode ocasionar desmaios e morte.
NOTA
● Nunca ligar ou deixar o aquecimento de água
adicional (aquecimento estacionário) funcio- Não colocar alimentos, medicamentos ou outros
nando em espaços fechados ou sem ventila- objetos sensíveis ao calor na frente dos difusores
ção. de ar. Alimentos, medicamentos ou outros obje-
tos sensíveis ao calor ou frio podem ser danifica-
● Nunca programar o aquecimento de água dos ou inutilizados pelo fluxo de saída de ar.
adicional (aquecimento estacionário) de mo-
do que ele ligue e funcione em lugares fe- Após a partida do motor com a bateria do
chados ou sem ventilação. veículo totalmente descarregada ou com
uma bateria substituída no veículo, as configura-
ATENÇÃO ções do sistema (hora, data, configurações de
As peças do sistema de escape do aquecimento conforto pessoais e programações) podem estar
de água adicional (aquecimento estacionário) desajustadas ou deletadas. Verificar e corrigir as
se aquecem muito. Isso pode causar incêndios. configurações depois que a bateria do veículo ti-
ver sido suficientemente recarregada. 

Comandos
 Observe e no início desse capítulo na página 179.

Fig. 130 No revestimento do teto: comandos do aquecimento de água adicional (aquecimento estacionário).

Todos os botões têm uma função atribuída fixa


(gravação) e além disso uma função condicionada
ao menu (símbolo no display ao lado do botão). 

Clima 179
→ Fig. 130 Função
1 Ligar e desligar o aquecimento de água adicional (aquecimento estacionário).
 Botão de função dependendo do menu:  Configuração dentro do menu.
Display para diversas exibições.
2 1-3 : exibição dos tempos de partida programados.
Display : aquecer.
: ventilar.
3 Ajustar e exibir o tempo de partida.
 Botão de função dependendo do menu:  Finalizar menu.
 Ativar a trava de segurança para crianças.
4
Abrir menu → Página 183.

Botão de função dependendo do menu: OK Confirmar configurações.
5 Intercambiar entre aquecer e ventilar.
 Botão de função dependendo do menu:  Configuração dentro do menu. 

Ligar ou desligar o aquecimento – Automaticamente com o acendimento da luz


de controle  (indicador do nível de combustí-
estacionário vel) → Página 185.
 Observe e no início desse capítulo na – Automaticamente, se a carga da bateria do
página 179. veículo estiver muito baixa → Página 226.
O aquecimento estacionário funciona por um
Ligar o aquecimento estacionário curto período após seu desligamento para utilizar
O aquecimento estacionário se liga dos seguintes o combustível restante no aquecimento estacio-
modos: nário. Além disso, para permitir que os gases do
escapamento se dissipem.
– Manualmente com o botão de aquecimento
imediato  no painel de comando Ajustar a duração de operação (com a ignição
→ Página 171. desligada)
– Manualmente, com o controle remoto O ajuste de fábrica para a duração de operação é
→ Página 181. de 30 minutos. A duração de operação pode ser
– Automaticamente, com um horário de partida regulada entre 10 e 120 minutos.
programado e ativado → Página 183.
– Somente em aquecimento de água adicional:
Caso a bateria do veículo esteja com pouca carga pressionar o botão  para regular o modo
ou o tanque de combustível esteja vazio, o aque- de funcionamento.
cimento estacionário não poderá ser ligado. – Pressionar o botão  .
Desligar o aquecimento estacionário – Pressionar o botão  para ajustar a duração
de operação.
O aquecimento estacionário desliga-se dos se-
guintes modos: – Apertar o botão de função  ou  até que a
duração de operação desejada seja exibida.
– Manualmente com o botão de aquecimento
– Pressionar novamente o botão  para confir-
imediato  no painel de comando
mar a duração de operação.
→ Página 171.
– Manualmente, com o controle remoto O aquecimento de água adicional está ligado. A
→ Página 181. contagem da duração de operação é decrescente.
Pressionar o botão  para desligar o aqueci-
– Manualmente, tocando na superfície de função
mento adicional antecipadamente, se for o caso.
do sistema Infotainment → Página 183.
– Automaticamente, ao atingir o horário de par- É possível ouvir ruídos de funcionamento
tida programado ou após o término do tempo com o aquecimento estacionário ligado. 
de funcionamento programado → Página 183.

180 Durante a condução


Se o aquecimento estacionário operar várias
vezes por um longo período, a bateria do
veículo vai se descarregar. Para recarregar a ba-
teria do veículo, conduzir o veículo de forma re-
gular e por tempo suficiente. Como regra básica
vale: tempo de operação anterior é igual ao tem-
po de viagem necessário.
Com baixo nível de abastecimento (um pou-
co acima do volume de reserva), estacionar
em ladeiras ou declives pode ocasionar limita-
ções de funcionamento do aquecimento estacio-
nário.
Em temperaturas abaixo de +5 °C (+41 °F),
Fig. 132 Aquecimento estacionário: cobertura da
o aquecimento estacionário pode se ligar bateria do controle remoto.
automaticamente ao dar a partida no motor. O
aquecimento estacionário se desliga automatica- Ligar e desligar o aquecimento estacionário
mente depois de um tempo. – Ligar: pressionar o botão  → Fig. 131. Se a
No caso de alta umidade do ar externo e luz de controle ficar acesa por aproximada-
baixa temperatura ambiente, a água con- mente 2 segundos na cor verde, o aquecimen-
densada pode ser evaporada pelo sistema de to estacionário estará ligado.
ventilação e aquecimento através do aquecimen- – Desligar: pressionar o botão  . Se a luz de
to estacionário. Neste caso, pode sair vapor controle ficar acesa por aproximadamente 2
d'água por debaixo do veículo. Entretanto, não se segundos na cor vermelha, o aquecimento es-
trata de um dano do veículo.  tacionário estará desligado.

Luz de controle do controle remoto


A luz de controle 2 fornece diferentes informa-
Controle remoto ções ao usuário, após pressionar o botão.
 Observe e no início desse capítulo na Se a luz de controle verde se acender rapidamen-
página 179. te por aproximadamente 5 segundos irregular-
mente, isto indica que o aquecimento estacioná-
rio está bloqueado. O tanque de combustível está
quase vazio, a tensão da bateria do veículo está
muito baixa ou há uma avaria. Abasteça, conduza
o veículo por um trajeto longo o suficiente para
carregar a bateria do veículo ou dirija-se a uma
empresa especializada.
Se a luz de controle vermelha ou verde piscar
lentamente por aproximadamente 4 segundos
regularmente, o sinal não foi recebido. Diminuir a
distância até o veículo.
Se a bateria botão (em linguagem popular: bate-
ria) do controle remoto estiver fraca, a luz de
controle se acenderá por aproximadamente 2 se-
Fig. 131 Aquecimento estacionário: controle remo- gundo na cor laranja e, em seguida, se acenderá
to. (sinal de ligar ou desligar recebido) ou piscará (si-
nal de ligar ou desligar não recebido) na cor ver-
melha ou verde. A bateria botão deve ser substi-
tuída, porque o alcance pode ser reduzido. 

Clima 181
Alcance – Empurrar a cobertura da pilha levemente na
O alcance do controle remoto é de algumas cen- direção da seta.
tenas de metros com a bateria botão cheia. Ob- – Remover a cobertura da pilha.
stáculos entre o controle remoto e o veículo, – Retirar a bateria botão.
condições climáticas ruins e uma bateria botão
– Inserir uma nova bateria botão do mesmo mo-
fraca reduzem bastante o alcance do controle re-
do. Observar a polaridade correta.
moto.
– Inserir a cobertura da pilha na carcaça do con-
A distância entre o controle remoto e o veículo
trole remoto.
deve ser de, no mínimo, 2 metros.
– Empurrar a cobertura da pilha na direção con-
Você obtém um alcance ideal, se mantiver o con- trária a da seta, até encaixar.
trole remoto com a antena 1 verticalmente para
cima. Não cobrir a antena. PERIGO
Regulagens do controle remoto Se forem ingeridas baterias com um diâmetro
de 20 mm ou outras baterias botão, poderão
O aquecimento adicional é ativado e desativado
ocorrer lesões graves ou até fatais em um curto
por meio do controle remoto. A duração de ope-
espaço de tempo.
ração e o modo de operação (aquecimento de
água adicional) podem ser programados pelo me- ● Conservar sempre o controle remoto, bem
nu Horário de início. como chaveiros com baterias, baterias de re-
posição, baterias botão e outras baterias
– Pressionar o botão  por um tempo. maiores do que 20 mm fora do alcance de
– Pressionar o botão de função  ou  até que crianças.
seja indicado “OP. REMOTA”. ● Procurar auxílio médico imediatamente se
– Pressionar o botão  para confirmar. houver suspeita de que uma bateria tenha si-
– Apertar o botão de função  ou  até que a do ingerida.
duração de operação desejada seja indicada.
– Pressionar o botão  novamente para confir- NOTA
mar o modo de operação. É exibido o menu de ● Existem componentes eletrônicos no controle
duração de operação. remoto. Por isso, proteger o controle remoto
– Apertar o botão de função  ou  até que a de umidade, vibrações intensas e radiação so-
duração de operação desejada seja exibida. lar direta.
– Pressionar o botão  para confirmar a dura- ● Baterias inadequadas podem danificar o con-
ção de operação. Em seguida, é exibido um re- trole remoto. Substituir uma bateria descarre-
sumo dos ajustes. gada somente por uma bateria nova com a
mesma tensão, tamanho e especificação.
Substituir a bateria botão do controle remoto ● Na instalação da bateria, observar a polaridade
Se a luz de controle no controle remoto piscar ra- correta.
pidamente na cor laranja por aproximadamente 6
segundos ou não se acender quando o botão for Descartar as baterias descarregadas de for-
pressionado, é necessário substituir a bateria bo- ma ambientalmente correta.
tão do controle remoto. A bateria do controle remoto pode conter
A Volkswagen recomenda substituir a bateria bo- perclorato. Observar as determinações le-
tão em uma Concessionária Volkswagen. Se pos- gais no descarte. 
sível, utilizar baterias de marca para obter uma
vida útil ideal.
– Inserir um objeto apropriado, por exemplo,
uma chave de fenda, na direção da seta
→ Fig. 132 no entalhe lateral.
– Alavancar a cobertura da pilha para cima com
o objeto.

182 Durante a condução


Programar o aquecimento de água rio. O aquecimento de água adicional (aqueci-
mento estacionário) se inicia, então, nesse ho-
adicional (aquecimento rário programado.
estacionário) – Pressionar o botão  para confirmar o dia de
semana selecionado. O menu de horas é exibi-
 Observe e no início desse capítulo na
do.
página 179.
– Para as horas e, em seguida, para os minutos
Ajustar a data assim como para a duração de operação, pro-
ceder da mesma maneira.
Ajustar a data antes da primeira operação e de-
pois de desconectar e reconectar a bateria do – Pressionar o botão  para confirmar os ajus-
veículo. tes. Em seguida, é exibido um resumo dos
ajustes.
– Pressionar o botão  até que a data seja exi-
– O horário de início, para o qual foram feitas al-
bida.
terações, está ativado.
– Pressionar novamente o botão  . O dia está
piscando. Para ativar outros horários de início, pressionar o
botão  por um tempo, selecionar a memória
– Apertar o botão de função  ou  até que o
com o botão de função  ou  e proceder como
dia desejado seja exibido.
descrito anteriormente.
– Pressionar o botão  para confirmar o dia. O
mês está piscando. Desativar o horário de início
– Proceder igualmente com o mês e, em segui- Se tiverem sido feitas alterações em um horário
da, com o ano. de início, então esse horário também estará sem-
pre ativado. Para desativar o horário de início,
Horário proceder da seguinte forma:
O horário é ajustado automaticamente de acordo
– Pressionar o botão  até que seja exibido o
com o instrumento combinado.
horário de início no display do teto.
Ajustar o horário de início – Pressionar o botão  até piscar LIGADO no dis-
Podem ser programados 3 horários de início dife- play do teto.
rentes, dos quais somente um pode ser ativado – Pressionar o botão de função  ou  tantas
por vez. vezes, até que seja exibido DESLIGADO.
Não esperar mais do que 10 segundos para exe- – Pressionar o botão  para confirmar.
cutar os próximos passos, pois do contrário o O horário de início está desativado e não é mais
procedimento pode ser interrompido. exibido no display do teto.
– Pressionar o botão  até que seja exibido
DESL no display do teto. ATENÇÃO
– Pressionar o botão  para confirmar. Os gases de escape do aquecimento de água
adicional (aquecimento estacionário) contêm,
– Pressionar o botão de função  ou  tantas
entre outros, monóxido de carbono, que é um
vezes, até que seja exibido LIG.
gás tóxico inodoro e incolor. O monóxido de
– Pressionar o botão  para confirmar. carbono pode ocasionar desmaios e morte.
– Pressionar o botão  até que o modo de ope- ● Nunca programar o aquecimento de água
ração seja exibido. adicional (aquecimento estacionário) de mo-
– Apertar repetidas vezes o botão de função  do que ele ligue e funcione em lugares fe-
ou  até que seja exibido o modo de operação chados ou sem ventilação. 
a ser ajustado.
– Pressionar o botão  para confirmar.
– Apertar o botão de função  ou  até que se-
ja exibido o dia da semana desejado. Quando
não for exibido nenhum dia da semana, ne-
nhum dia está programado, somente um horá-

Clima 183
Ativar e desativar a trava de Orientações de funcionamento
segurança para crianças
 Observe e no início desse capítulo na
 Observe e no início desse capítulo na página 179.
página 179.
O sistema de escape do aquecimento de água
adicional (aquecimento estacionário), localizado
embaixo do veículo, não pode estar bloqueado ou
entupido com neve, lama ou outros objetos. Os
gases de escape devem ter condições de sair li-
vremente. Os gases de escape que se formam
quando o aquecimento de água adicional (aque-
cimento estacionário) está ligado saem por um
tubo do escapamento na parte inferior do veícu-
Fig. 133 No display do teto: símbolo de trava de se- lo.
gurança para crianças ativada.
É possível ouvir ruídos de funcionamento
Quando a trava de segurança para crianças está quando o aquecimento de água adicional
ativada e a ignição desligada, a ativação manual (aquecimento estacionário) está ligado.
do aquecimento de água adicional (aquecimento
No caso de alta umidade do ar externo e
estacionário) não é possível.
baixas temperaturas ambientes, a água
O desligamento manual do aquecimento de água condensada do sistema de escape pode ser eva-
adicional (aquecimento estacionário) continua porada pelo aquecimento de água adicional
sendo possível. (aquecimento estacionário) em funcionamento.
Neste caso, pode sair vapor d'água por debaixo
Ativar a trava de segurança para crianças do veículo. Entretanto, não se trata de um dano
– Pressionar o botão  por um tempo. do veículo. 
– Pressionar o botão de função  ou  até que
seja exibido PROT. PARA CRIANÇAS.
– Pressionar o botão  .
– Pressionar repetidamente o botão de função
 até que seja exibido LIGADO para ligar a trava
de segurança para crianças. No display é exibi-
do o símbolo → Fig. 133.
– Pressionar o botão  para confirmar.

Desativar a trava de segurança para crianças


– Ligar a ignição.
– Pressionar o botão  por um tempo.
– Pressionar o botão de função  ou  até que
seja exibido PROT. PARA CRIANÇAS.
– Pressionar o botão  .
– Pressionar o botão de função  ou  até que
seja exibido DESLIGADO para desativar a trava de
segurança para crianças.
– Pressionar o botão  para confirmar.
– O símbolo → Fig. 133 no display se apaga. 

184 Durante a condução


No posto de combustível ATENÇÃO
Por motivos de segurança, a Volkswagen reco-
Abastecer menda não carregar um recipiente de reserva
no veículo. Pode vazar combustível do recipien-
te e inflamar, especialmente em um acidente.
 Introdução ao tema Isso pode causar explosões, incêndios e feri-
mentos.
A portinhola do tanque se encontra no lado es- ● Em casos excepcionais, se for necessário
querdo traseiro do veículo → Página 5. transportar combustível em um recipiente de
reserva, vale o seguinte:
ATENÇÃO – Ao encher o recipiente para reserva, nunca
colocá-lo dentro ou sobre o veículo, por
O abastecimento inadequado e o uso inadequa-
exemplo, sobre o compartimento de carga
do do combustível podem causar explosões, in-
ou a tampa do compartimento de carga.
cêndios, queimaduras graves e ferimentos.
Poderá formar-se uma carga eletrostática
● Garantir sempre o fechamento correto da durante o enchimento e inflamar os vapo-
tampa do tanque para evitar a evaporação e res do combustível.
o vazamento de combustível.
– Colocar o recipiente de reserva sempre so-
● Por motivos de segurança, desligar o aqueci- bre o chão.
mento estacionário, o motor e a ignição ao – Introduzir o bico da bomba o máximo pos-
abastecer. sível no gargalo do recipiente de reserva.
● Se, ao abastecer, o motor não estiver desli- – Em caso de recipientes de reserva metáli-
gado ou se o bico da bomba não estiver cos, manter o bico da bomba sempre em
completamente encaixado no bocal de abas- contato com o recipiente para evitar uma
tecimento do tanque de combustível, o com- carga estática.
bustível pode espirrar para fora e transbor- – Observar as determinações legais ao utili-
dar. Isso pode causar incêndios, explosões, zar, acomodar e transportar um recipiente
queimaduras graves e outros ferimentos. de reserva.
● Ao abastecer, desligar sempre o telefone – Certificar-se de que o recipiente para re-
móvel, rádios portáteis e outros equipamen- serva corresponde ao padrão de normas
tos de rádio. Radiações eletromagnéticas po- técnicas, por exemplo, ANSI ou ASTM
dem gerar faíscas e, assim, causar um incên- F852-86.
dio.
● Nunca entrar no veículo durante o abasteci- NOTA
mento. Se for necessário entrar no veículo
Somente abastecer o veículo com combustíveis
em casos excepcionais, fechar a porta e tocar
indicados na etiqueta adesiva na parte interna da
uma superfície metálica antes de segurar no-
portinhola do tanque.
vamente o bico da bomba. Isto impede a ge-
ração de descargas eletrostáticas causadoras ● Se o veículo tiver sido abastecido de modo in-
de faíscas. Ao abastecer, faíscas podem inici- correto, não dar partida no motor em nenhu-
ar um incêndio. ma hipótese. Procurar auxílio técnico especiali-
zado. Combustíveis não liberados podem oca-
● Nunca abastecer ou encher um recipiente
sionar danos graves ao motor e ao sistema de
para reserva perto de chamas expostas, faís-
combustível.
cas ou objetos em brasa, por exemplo, cigar-
ros. ● Remover imediatamente o combustível derra-
mado de todas as peças do veículo para evitar
● Observar as indicações de segurança do pos-
danos no veículo.
to de combustível.
Combustíveis podem poluir o meio ambien-
te. Coletar e descartar corretamente os flui-
dos vazados. 

No posto de combustível 185


Não é possível um destravamento emer- ● Um nível de combustível muito baixo pode
gencial da portinhola do tanque. Se neces- ocasionar uma alimentação de combustível
sário, procurar auxílio técnico especializado.  do motor irregular, especialmente em tre-
chos de subida ou descida.
● A direção e todos os sistemas de assistência
Luzes de advertência e de controle ao condutor e de frenagem não funcionarão
se o motor “engasgar” ou morrer por falta ou
e indicador do nível de combustível abastecimento irregular de combustível.
Válido apenas para a Argentina, o Brasil e a Rússia
● Abastecer sempre quando o tanque de com-
 Observe e no início desse capítulo na bustível estiver em somente 1/4 cheio para
página 185. evitar uma parada por falta de combustível.

ATENÇÃO
A inobservância das luzes de advertência acesas
e das mensagens de texto pode causar a parada
do veículo no trânsito, acidentes e ferimentos
graves.
● Nunca ignorar as luzes de advertência acesas
e as mensagens de texto.
● Parar o veículo assim que possível e seguro.

NOTA
Fig. 134 No instrumento combinado: indicador do A inobservância das luzes de controle acesas e
nível de combustível para gasolina e óleo diesel.
das mensagens de texto pode causar danos ao
Indicador de nível do combustível veículo.
● Nunca ignorar as luzes de advertência acesas e
Acesa Causa possível / recurso →
as mensagens de texto.
Tanque de combustível quase vazio.
Quantidade de reserva, marca verme- A pequena seta ao lado do símbolo da bom-
lha → Fig. 134 (seta), será consumido ba de combustível no indicador do nível de
 → Página 317. combustível indica de que lado do veículo está a
Abastecer assim que possível portinhola do tanque. 
→ Página 187.
Água no combustível em veículos
com motor a diesel.
 Desligar o motor e procurar auxílio
técnico especializado.
Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e
de controle se acendem rapidamente para verifi-
cação da função. Elas se apagam após alguns se-
gundos.
Quando a luz de controle  se acende, o aqueci-
mento estacionário e o aquecedor a combustível
se desligam automaticamente.

ATENÇÃO
A condução com um nível de combustível mui-
to baixo pode causar a parada do veículo no
trânsito, acidentes e ferimentos graves.

186 Durante a condução


Abastecer combustível – O tanque de combustível está cheio quando a
coluna de abastecimento automática desliga
 Observe e no início desse capítulo na pela primeira vez, como especificado → .
página 185. – Após o desligamento, não prosseguir abaste-
cendo! Caso contrário, o espaço de dilatação
no tanque de combustível enche, e o combus-
tível poderá transbordar → .

Fechar a tampa do tanque


– Rosquear a tampa do tanque no bocal de abas-
tecimento no sentido horário até que se trave.
– Veículos sem travamento central: travar a
tampa do tanque com a chave do veículo.
– Fechar a portinhola do tanque. A portinhola do
tanque deve fechar de modo alinhado com a
carroceria.

ATENÇÃO
Fig. 135 Portinhola do tanque aberta com a tampa Parar de abastecer quando o bico da bomba
do tanque. desligar pela primeira vez. O tanque de com-
bustível poderia ser abastecido em excesso. O
Antes de abastecer, sempre desligar o aqueci- combustível pode respingar para fora e trans-
mento estacionário, o motor, a ignição e o telefo- bordar. Isso pode causar incêndios, explosões e
ne móvel e mantê-los desligados durante o abas- ferimentos graves.
tecimento.
Informações sobre os níveis de enchimento en- NOTA
contram-se no capítulo Dados técnicos Remover imediatamente o combustível derrama-
→ Página 317. do de todas as peças do veículo para evitar danos
no veículo. 
Abrir a tampa do tanque
A portinhola do tanque está na parte dianteira do
veículo.
– Veículos com travamento central: destravar as
portas → Página 31.
– Na parte traseira da portinhola do tanque,
pressionar e rebater a portinhola do tanque
para fora.
– Veículos sem travamento central: destravar a
tampa do tanque com a chave do veícu-
lo→ Página 29.
– Girar a tampa do tanque no sentido anti-horá-
rio e encaixá-la na abertura prevista na porti-
nhola do tanque → Fig. 135.

Abastecer
O tipo de combustível correto para o veículo está
indicado na etiqueta adesiva na parte interna da
portinhola do tanque → Fig. 135.

No posto de combustível 187


Controles ao abastecer A Volkswagen recomenda abastecer com com-
bustível com baixo teor de enxofre ou sem enxo-
 Observe e no início desse capítulo na fre para garantir um baixo consumo de combustí-
página 185. vel e evitar danos ao motor.
Se, durante a condução, o motor funcionar de
Lista de controle forma irregular ou ocorrerem solavancos, isto po-
Por esse motivo, os trabalhos no motor e no derá ser atribuído a um combustível de qualidade
compartimento do motor somente podem ser re- ruim ou baixa, por exemplo, água no combustí-
alizados por conta própria quando se estiver fa- vel.
miliarizado com a atividade e com as ações pre- Ao surgirem esses sinais, reduzir imediatamente
ventivas de segurança de validade geral e os con- a velocidade e procurar a Concessionária Volks-
sumíveis e líquidos de serviço corretos, bem co- wagen ou empresa especializada mais próxima
mo as ferramentas adequadas estiverem à dispo- conduzindo somente com rotação média e com
sição → Página 212, Preparações para trabalhos baixa demanda do motor. Se estes sinais surgi-
no compartimento do motor! Caso contrário, to- rem imediatamente após o abastecimento, o mo-
dos os trabalhos devem ser executados por uma tor deve ser desligado imediatamente e deve-se
Concessionária Volkswagen ou por uma empresa procurar auxílio técnico especializado, também
especializada. Atentar para a verificação regular para evitar danos secundários.
dos seguintes pontos, preferencialmente ao
abastecer: ATENÇÃO
 Nível da água dos lavadores do para-brisa O manuseio inadequado de combustível pode
→ Página 100 causar explosões, incêndios, queimaduras gra-
 Nível do óleo do motor → Página 216 ves e outros ferimentos.
 Nível do líquido de arrefecimento do motor ● O combustível é altamente explosivo e facil-
→ Página 220 mente inflamável.
 Nível do fluido de freio → Página 146 ● Nunca encher um recipiente com combustí-
 Pressão dos pneus → Página 236 vel perto de chamas expostas, faíscas ou ob-
jetos em brasa, por exemplo, cigarros.
 Iluminação do veículo → Página 92, necessá-
ria para a segurança do trânsito: ● Manter fogo exposto, peças quentes e faís-
cas longe do combustível.
– Indicadores de direção
● Ao manusear combustível, desligar telefones
– Luz de posição, farol baixo e farol alto
móveis e aparelhos de transmissão. Radia-
– Lanterna traseira ções eletromagnéticas podem gerar faíscas
– Lanternas de freio e, assim, causar um incêndio.
– Lanterna de neblina ● Evitar descargas eletrostáticas e radiações
– Iluminação da placa de licença  eletromagnéticas próximas a combustíveis.
● Nunca derramar combustível no veículo ou
no compartimento de bagagem.
● Observar as indicações de segurança e as
Combustível prescrições locais válidas para o uso de com-
bustíveis. 

 Introdução ao tema

O tipo de combustível a ser abastecido orienta-se


pela motorização do veículo. Na parte interna da
portinhola do tanque há uma etiqueta adesiva de
fábrica com as indicações do tipo de combustível
necessário para o veículo.

188 Durante a condução


Óleo diesel -20° C (-4° F), torna-se operacionalmente seguro
até mesmo em temperaturas de cerca de 24° C
Válido apenas para o Brasil
(-11° F).
 Observe no início desse capítulo na pági- Porém, se o combustível tiver se tornado tão
na 188. denso em temperaturas abaixo de -24° C (-11° F)
que o motor não ligue mais, colocar o veículo pa-
Óleo diesel ra aquecer durante algum tempo em uma gara-
Abastecer sempre com óleo diesel com baixo te- gem aquecida ou oficina.
or de enxofre ou sem enxofre para evitar danos
no motor e no filtro de partículas de diesel. NOTA
O óleo diesel deve corresponder ao diesel A S10 Abastecer sempre com diesel S10 de alta quali-
ou B S10 da norma ANP nº 69/2014. A Volkswa- dade e que atenda a especificação determinada
gen recomenda o abastecimento com diesel S10 pela ANP (Agência Nacional do Petróleo).
com teor de enxofre de 10 mg/kg, no máximo. Se ● Abastecer somente com combustível com a
não houver diesel S10 disponível, pode ser abas- octanagem suficiente em conformidade com a
tecido diesel de cor vermelha A S500 ou B S500. norma mencionada. Caso contrário, podem
ocorrer graves avarias de funcionamento.
O óleo diesel deve corresponder às determina-
ções de controle da poluição atmosférica, de mo- ● Uma mistura de biodiesel pelo fabricante de
do a promover a melhoria da qualidade ambiental diesel é permitida de acordo com a Resolução
e o bem-estar da população (Resolução 69218 da 42/2009 da ANP e não danifica o motor ou o
Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Bio- sistema de combustível.
combustíveis - ANP). Uma lista dos postos de ● Uma mistura de biodiesel pelo fabricante de
combustível que oferecem diesel S10 com baixa diesel é permitida de acordo com a Resolução
emissão de poluentes pode ser encontrada na in- 42/2009 da ANP. Isso não ocasiona danos ao
ternet na página da web da ANP motor ou ao sistema de combustível.
(www.anp.gov.br). ● O motor a diesel foi desenvolvido exclusiva-
Não é permitido misturar ao óleo diesel aditivos mente para a utilização com óleo diesel. Por
de combustível ou produtos semelhantes. esse motivo, não utilizar gasolina, óleo com-
bustível ou outros combustíveis inapropriados.
Diesel de inverno As substâncias que compõem esses tipos de
Na utilização de “diesel de verão” podem ocorrer combustível podem danificar significativamen-
avarias de funcionamento em temperaturas abai- te o sistema de combustível e o motor.
xo de 0 °C (+32 °F), pois o combustível pode ficar ● Nas temperaturas externas frias, não misturar
mais denso pela segregação de parafina. Por esse gasolina ao óleo diesel porque isso pode cau-
motivo, existe na Alemanha, por exemplo, o “die- sar danos significativos ao sistema de injeção
sel de inverno”, que é operacionalmente seguro do motor.
mesmo abaixo de -20 °C (-4 °F) → . ● Na utilização de óleo diesel com maior teor de
Em países com outras condições climáticas, na enxofre, a vida útil do filtro de partículas de di-
maioria das vezes são oferecidos óleos diesel que esel pode se reduzir consideravelmente.
apresentam outro comportamento em relação à ● Remover o combustível derramado no veículo
temperatura. O Concessionário Volkswagen Utili- com água e sabão todo, para evitar danos no
tários e os postos de gasolina dos respectivos pa- veículo.
íses fornecem informações sobre os óleos diesel
comuns no país. Um funcionamento do motor com ruídos
mais altos com o motor a diesel frio é nor-
Pré-aquecimento do filtro mal em temperaturas de inverno. Os gases de es-
Os veículos a diesel estão equipados com um sis- cape podem apresentar uma coloração levemen-
tema de pré-aquecimento do filtro. Com isso, o te azulada durante a partida e o aquecimento. A
sistema de combustível abastecido com diesel de quantidade de gases de escape depende da tem-
inverno, que é resistente a temperaturas de até peratura externa. 

No posto de combustível 189


Envelhecimento do óleo diesel na Uma lista dos postos de combustível que
oferecem diesel S10 pode ser encontrada
inatividade do veículo na internet na página da web da ANP
Válido apenas para o Brasil (www.anp.gov.br). 
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 188.
Filtro de óleo diesel - desidratar
Em comparação a outros tipos de combustível, Válido apenas para a Argentina, o Brasil e a Rússia
principalmente se houver biodiesel misturado, o
óleo diesel apresenta uma maior higroscopicida-  Observe no início desse capítulo na pági-
de (capacidade de absorção de água) e degrada- na 188.
ção biológica por microorganismos, bem como
uma menor resistência à oxidação. Água e sujeira
favorecem a atividade microbiana e aceleram o
envelhecimento do óleo diesel→ .
Para evitar a condensação de água do ar no inte-
rior do tanque de combustível e danos ao sistema
de combustível do veículo, a Volkswagen reco-
menda o seguinte:
– Parada o veículo a partir de 2 semanas: abas-
tecer o tanque de combustível até o nível má-
ximo e dar partida ao veículo no mínimo uma
vez por semana durante 5 minutos.
– Parada do veículo a partir de 45 dias: substituir
o óleo diesel no tanque de combustível e o fil-
Fig. 136 Parte inferior do veículo na longarina do la-
tro de combustível antes que o motor seja li-
do esquerdo do veículo: bujão de drenagem.
gado novamente. O óleo diesel no tanque de
combustível pode estar envelhecido. O bujão de drenagem está localizado no lado es-
A Volkswagen recomenda que a substituição do querdo do veículo, na parte inferior do veículo,
óleo diesel no tanque de combustível e do filtro atrás da longarina. Como alternativa, o bujão de
de combustível sejam executados por uma em- drenagem pode estar localizado na parte inferior
presa especializada. do veículo, atrás da longarina, no lado direito do
veículo.
NOTA Se for abastecido óleo diesel de qualidade insa-
Se o óleo diesel contiver água ou estiver envelhe- tisfatória, pode entrar água no sistema de com-
cido e for dada partida no motor, podem ocorrer bustível, acumulando-se no filtro de diesel. Água
danos graves no sistema de combustível acumulada demais causa danos no motor. Obser-
var o indicador no instrumento combinado
● Se houver deposição de água no filtro de com-
→ Página 186.
bustível, este sempre deverá ser secado.
● Abastecer sempre com diesel S10 de alta qua- A Volkswagen recomenda que a drenagem do fil-
lidade e que atenda a especificação determi- tro de combustível seja realizada por uma Con-
nada pela ANP (Agência Nacional do Petróleo). cessionária Volkswagen ou por uma empresa es-
pecializada.
A água e o óleo diesel nunca podem ser
Lista de controle
descartados em jardins, matas, no sistema
de esgoto, nas ruas ou estradas e em rios ou  Parar o veículo em uma superfície plana e
água corrente. Para evitar a poluição do meio bloquear contra deslocamento.
ambiente, o descarte deve ser feito por uma em-  Acionar o freio de estacionamento.
presa especializada.  Desligar a ignição. 

190 Durante a condução


Lista de controle (continuação) ● O contato frequente com o óleo diesel pode
 Colocar um reservatório adequado, estável e causar lesões na pele. Em caso de contato
que possa ser fechado com um diâmetro de com o óleo diesel, lavar a pele cuidadosa-
no mínimo 8 cm, com altura suficiente e uma mente com água e sabão.
capacidade de pelo menos 500 ml abaixo do
bujão de drenagem. NOTA
 Retirar a capa de proteção. Soltar o bujão de Atentar se o óleo diesel não entrou em contato
drenagem cerca de 1,5 volta. Utilizar a chave com outros componentes ou com o meio ambi-
de caixa no punho da chave de fenda que es- ente. Se for o caso, limpar imediatamente.
tá nas ferramentas de bordo→ Página 279.
Observar as prescrições de descarte de
 Dar a partida no motor e deixar o motor fun- acordo com as normas válidas! Se for o ca-
cionando por cerca de 10 segundos. A água
so, descartar a mistura diesel e água no próximo
no filtro de combustível sai automaticamen-
posto de combustível ou em uma empresa espe-
te por causa da pressão do sistema.
cializada.
 Desligar novamente o motor e apertar o bu-
jão de drenagem manualmente. A Volkswagen recomenda atentar para a
qualidade suficiente do combustível ao
 Dar a partida no motor e verificar o sistema
quanto a vazamentos (inspeção visual). Colo-
abastecer. 
car novamente a capa de proteção. A partida
do motor pode atrasar em alguns segundos
uma vez, por causa da ventilação automática
do sistema. Purificação do gás de escape
 Se a luz de controle continuar acesa, repetir o para veículos a diesel
processo. Se necessário, deixar uma Conces-
sionária Volkswagen ou uma empresa espe- (AdBlue®)
cializada verificar a causa.

ATENÇÃO  Introdução ao tema


Um manuseio inadequado do óleo diesel pode
causar queimaduras e ferimentos graves. Para reduzir a emissão de poluentes, nos motores
● Drenar o filtro de combustível em um local a diesel, podem ser usados os chamados catalisa-
que não tenha materiais inflamáveis. dores SCR (SCR = redução catalítica seletiva).
Com o auxílio da solução de ureia especial Ad-
● A alta pressão da mistura diesel e água pode
Blue®, o catalisador SCR converte o óxido nítrico
causar lesões no procedimento de drenagem.
em nitrogênio e água.
Nunca deixar a mão ou outras partes no cor-
po no jato de drenagem. O AdBlue® se encontra separado em um tanque
● Usar sempre óculos de proteção durante o do veículo e é abastecido por meio do bocal de
manuseio da mistura diesel e água. abastecimento de AdBlue® atrás da tampa do
tanque.
● Em caso de contato dos olhos com a mistura
diesel e água, lavar imediatamente com O volume de reabastecimento mínimo e máximo
água. Se necessário, solicitar ajuda médica. de AdBlue® é mostrado no display do instrumen-
● O óleo diesel é tóxico e deve ser conservado to combinado.
fora do alcance de crianças. O tanque de AdBlue® não pode ficar vazio. A par-
● Nunca utilizar latas de alimentos, garrafas ou tir de uma autonomia residual de aproximada-
outros recipientes vazios para armazenar o lí- mente 2.400 km, aparece uma solicitação no ins-
quido drenado, pois assim há risco de que trumento combinado, informando a necessidade
outras pessoas possam ingerir a mistura die- de reabastecer AdBlue® → Página 193. Se a soli-
sel e água armazenada. citação para reabastecer for ignorada, não será
mais possível ligar o motor → . Sem que haja
solicitação, não é necessário um reabastecimen-
to. 

No posto de combustível 191


O consumo de AdBlue® depende da forma de ● Em caso de ingestão do AdBlue®, enxaguar a
condução individual, da temperatura de serviço boca imediatamente com bastante água por
do sistema e da temperatura ambiente. 15 minutos. Não induzir o vômito caso isso
AdBlue® é uma marca registrada da Associação não tenha sido prescrito por um médico. Pro-
da Indústria Automobilística (VDA) e também é curar ajuda médica imediatamente.
conhecido como AUS32 ou DEF (Diesel Exhaust
Fluid). NOTA
O AdBlue® agride superfícies como, por exemplo,
ATENÇÃO peças do veículo esmaltadas, plásticos, roupas e
Nunca deixar o reservatório de AdBlue® esvazi- tapetes.
ar. ● Limpar AdBlue® derramado o mais rápido pos-
● Com uma autonomia restante de 0 km, não é sível com um pano úmido e água em abundân-
mais possível a partida do motor. cia.
● AdBlue® está determinado por lei para o fun- ● Remover AdBlue® cristalizado com água e uma
cionamento deste veículo. esponja. 

ATENÇÃO
O armazenamento incorreto de AdBlue® pode Luzes de advertência e de controle
causar uma intoxicação.
● AdBlue® não deve ser guardado em recipien-  Observe , e no início desse capítulo
tes vazios de alimentos ou de bebidas. Pode na página 192.
ocorrer que, devido a isso, alguém chegue a
beber o líquido desses recipientes. Acesa Causa possível / recurso →
● Armazenar o AdBlue® exclusivamente nos Não é possível dar uma nova partida!
frascos originais. AdBlue® - nível muito baixo.
● Guardar o AdBlue® sempre fora do alcance
de crianças.
 Estacionar o veículo em um local pla-
no adequado. Abastecer na capacida-
de mínima de AdBlue® → Página 193.
CUIDADO Não é possível dar uma nova partida!
O AdBlue® é um líquido corrosivo que causa ir-  Falha no Sistema SCR.
ritações e que, em contato com a pele, com os Não desligar o motor e procurar uma
olhos e com os órgãos respiratórios pode cau-  empresa especializada imediatamen-
sar lesões. te. O sistema deve ser verificado.
● Ao utilizar AdBlue®, sempre observar as ins- Reserva de AdBlue® baixa.
truções de uso do recipiente. Com o uso de
acordo com as instruções, não é esperado
 Reabastecer o AdBlue® dentro da qui-
lometragem indicada → Página 193.
que um usuário entre em contato com Ad-
Sistema de SCR avariado ou completa-
Blue®.  do com AdBlue® inadequado.
● Caso o AdBlue® entre em contato com os
Procurar imediatamente uma Conces-
olhos, enxaguar imediatamente com água
em abundância por 15 minutos e procurar
 sionária Volkswagen ou uma empresa
especializada. O sistema deve ser veri-
um médico.
ficado.
● Caso o AdBlue® entre em contato com a pele,
Reserva de AdBlue® baixa.
lavar imediatamente com água em abundân-
Reabastecer o AdBlue® dentro da au-
cia por 15 minutos e, se houver irritação da
pele, procurar um médico.
 tonomia residual indicada
→ Página 193. 

192 Durante a condução


Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e
de controle se acendem rapidamente para verifi-
cação da função. Elas se apagam após alguns se-
gundos.

ATENÇÃO
A inobservância das luzes de advertência acesas
e das mensagens de texto pode causar a parada
do veículo no trânsito, acidentes e ferimentos
graves.
● Nunca ignorar as luzes de advertência acesas
e as mensagens de texto.
● Parar o veículo assim que possível e seguro.

NOTA
A inobservância das luzes de controle acesas e
das mensagens de texto pode causar danos ao
veículo.  Fig. 138 Representação esquemática: abastecimen-
to com AdBlue.

1 Tampa do bocal de abastecimento do reser-


Reabastecer com AdBlue® vatório.
2 Garrafa de reabastecimento.
 Observe , e no início desse capítulo
na página 192. 3 Bomba de AdBlue®.

Preparar reabastecimento
Estacionar o veículo em uma superfície plana, por
exemplo, não em um aclive ou em um meio-fio.
Se o veículo estiver em posição inclinada, o indi-
cador de nível poderá não reconhecer e indicar
corretamente o volume abastecido.
Acessar a mensagem no display do instrumento
combinado para que seja indicado o volume de
reabastecimento mínimo e máximo.
Fig. 137 Representação esquemática: tampa presa
do bocal de abastecimento do tanque. Quando for exibida uma mensagem do nível do
AdBlue® no display do instrumento combinado,
reabastecer com a capacidade mínima de rea-
bastecimento. Um reabastecimento em menor
quantidade não é suficiente.
Desligar a ignição e deixar desligada durante o
abastecimento do tanque. Se a ignição não esti-
ver desligada durante um processo de abasteci-
mento, pode ser que a solicitação continue a ser
exibida no display do instrumento combinado.
Utilizar somente AdBlue® correspondente à nor-
ma ISO 22241-1 → .
Não abastecer o veículo ao mesmo tempo com
combustível e AdBlue®. 

No posto de combustível 193


Abrir o bocal de abastecimento do Reabastecer AdBlue® com o reservatório
reservatório portátil de reabastecimento
– Abrir tampa do tanque. – Remover a tampa do reservatório portátil de
– Girar a tampa do tanque no sentido anti-horá- reabastecimento.
rio e encaixá-la na abertura prevista na porti- – Utilizar o ejetor integrado.
nhola do tanque → Fig. 137. – Um tanque de AdBlue® completamente cheio é
reconhecido quando o AdBlue® estiver com-
Reabastecer AdBlue® com a bomba de
pletar até a altura do bocal de abastecimento.
combustível
Não encher excessivamente o tanque de Ad-
O procedimento de abastecimento com uma Blue® → .
bomba de AdBlue® é realizado como o abasteci-
mento do tanque de combustível com combustí- Fechar o bocal de abastecimento do
vel → . reservatório
– Introduzir a bomba de AdBlue® no bocal de – Girar a tampa do bocal de abastecimento do
abastecimento do tanque de AdBlue® até o ba- reservatório no sentido horário até que ela se
tente e prender o bocal. O manípulo da bomba encaixe.
de combustível deve apontar para baixo para – Fechar a portinhola do tanque.
que a bomba de combustível desligue automa-
ticamente. Preparar para continuar a condução
– O reservatório de AdBlue® está cheio assim – Após completar, ligar somente a ignição.
que a bomba de combustível se desliga pela – Manter a ignição por, no mínimo, 30 segundos
primeira vez, desde que ela seja manuseada ligada para que o reabastecimento seja reco-
corretamente. Não continuar abastecendo pa- nhecido pelo sistema.
ra não encher excessivamente o reservatório – Ligar o motor somente após decorridos 30 se-
de AdBlue® → . gundos.
Reabastecer AdBlue® com o frasco de
reabastecimento
NOTA
– Retirar a tampa do frasco de reabastecimento. Utilizar somente AdBlue® correspondente à nor-
ma ISO 22241-1. Utilizar somente embalagens
– Colocar o frasco de reabastecimento com o
originais.
bocal para baixo sobre o bocal de abasteci-
mento do reservatório e girar manualmente no ● Nunca misturar água, combustível ou aditivos
sentido horário. ao AdBlue®. Danos causados por essa mistura
estão excluídos da cobertura em garantia.
– Pressionar o frasco de reabastecimento em di-
reção ao bocal de abastecimento do reservató- ● Nunca adicionar AdBlue® no tanque de diesel.
rio e mantê-lo pressionado. Caso contrário, podem ocorrer danos no mo-
tor. Em erro de abastecimento, não dar a parti-
– Aguardar até que o conteúdo do frasco de rea-
da no motor em hipótese alguma.
bastecimento se esvazie no tanque de Ad-
Blue®. Não pressionar ou danificar o frasco de ● Não levar o frasco de reabastecimento cons-
reabastecimento! tantemente no veículo. Com oscilações de
temperatura ou danos, o AdBlue® pode vazar
– O tanque de AdBlue® está completo quando
do frasco e danificar o interior do veículo.
não sair mais AdBlue® do frasco de reabasteci-
mento. ● Observar as orientações e as informações do
fabricante e a data de validade.
– Girar o frasco de reabastecimento para fora no
sentido horário e remover cuidadosamente.
NOTA
O excesso de abastecimento de AdBlue® pode
ocasionar derramamento de AdBlue® e danos no
sistema do tanque.
● Parar de abastecer quando a bomba de com-
bustível desligar pela primeira vez. 

194 Durante a condução


● Nunca encher com mais que a capacidade má- Condução off-road
xima indicada no display do instrumento com-
binado. Antes da primeira condução
NOTA off-road
Em temperaturas externas abaixo de -11 °C
(+12 °F), pode haver limitações durante o abaste-  Introdução ao tema
cimento.
● Se o AdBlue® estiver congelado e a luz de aviso
estiver acesa, pode ocorrer que não seja possí- Veículos com tração nas quatro rodas também
vel abastecer. Estacionar o veículo em um local podem ser conduzidos em estradas não asfalta-
mais aquecido e aguardar até o AdBlue® adqui- das, além das estradas normais. É muito impor-
rir consistência líquida. tante ler o conteúdo deste capítulo antes da con-
● Se for o caso, o abastecimento deve ser execu- dução off-road.
tado por uma empresa especializada. O veículo não está projetado para viagens com
“caráter de expedição”.
NOTA Lista de controle
No abastecimento com uma bomba de AdBlue®,
Antes da primeira condução, devem ser executa-
pode ocorrer a formação de odores.
dos os seguintes passos para poder comandar e
Eliminar o fardo de reabastecimento de Ad- conduzir o veículo em estradas não asfaltadas:
Blue® de modo ecologicamente correto.  Observar as indicações básicas de segurança
 → Página 195.
Frascos de reabastecimento de AdBlue®
adequados podem ser adquiridos em uma  Familiarizar-se com o comando do veículo.
Concessionária Volkswagen.   Verificar a posição do banco, se necessário,
ajustar → Página 50 e colocar os cintos de se-
gurança → Página 62.
 Verificar a distância do volante, se necessá-
rio, ajustar → Página 158.
 Usar sempre calçado firme e confortável, que
proporcione aos pés um bom apoio para o
comando dos pedais.
 Situações de condução off-road
→ Página 195. 

Indicações de segurança para


condução off-road
 Observe e na página 195.

ATENÇÃO
A tecnologia inteligente do veículo não pode ir
além dos limites impostos pela física e funciona
somente dentro dos limites do sistema. Sob
condições adversas do solo, poderá ocorrer ins-
tabilidade por bloqueio de rodas, apesar do
ABS, por exemplo, uma frenagem total em pista 

Condução off-road 195


de cascalho solto. Uma estabilização do veículo ● Se houver um acidente com capotamento,
pelo ESC ligado somente é possível de forma uma pessoa sem o cinto de segurança colo-
limitada nessas condições. cado pode ser morta mais facilmente do que
uma pessoa com cinto de segurança.
ATENÇÃO ● O veículo tem um centro de gravidade mais
A condução off-road pode ser perigosa e causar alto e um risco maior de capotar durante a
acidentes, ferimentos graves, danos ao veículo condução do que um carro de passeio “nor-
e a quebra do veículo longe de qualquer socor- mal” que não é adequado para condução off-
ro. -road.
● Nunca escolher uma rota perigosa ou assu- ● Nunca conduzir em velocidade muito alta,
mir um risco que coloque em perigo o veícu- principalmente em curvas nem realizar ma-
lo e os ocupantes do veículo. Quando não for nobras de condução extremas.
possível prosseguir ou em caso de dúvida ● Adequar a velocidade e o estilo de condução
quanto à segurança da rota, retornar e esco- sempre às condições do terreno predomi-
lher outro caminho. nantes.
● Mesmo quando parecer fácil conduzir off- ● Bagagem e outros objetos que são transpor-
-road, poderá ser difícil e perigoso e poderá tados sobre o teto do veículo aumentam a
causar situações críticas para o condutor e os altura do centro de gravidade e o perigo de
ocupantes. O melhor é explorar o terreno a capotamento.
pé antes.
● Conduzir off-road de maneira especialmente ATENÇÃO
atenta e preventiva. Conduzir muito rápido ● Evitar sempre a condução em diagonal em
ou efetuar uma manobra falha podem oca- ladeiras → Página 208.
sionar ferimentos graves e danos ao veículo.
● Se o veículo parar com uma inclinação lateral
● Nunca conduzir mais velozmente do que for numa ladeira, nunca desembarcar do veículo
adequado para o terreno à frente, as condi- pelas portas que estão voltadas para a desci-
ções da estrada, o trânsito e o tempo. da da ladeira. O centro de gravidade do veí-
● Nunca passar por barrancos, rampas ou la- culo combinado com o seu carregamento
deiras com velocidade muito alta. Isto pode- (ocupantes do veículo e carga) pode se des-
rá ocasionar o levantamento do veículo, de locar e ocasionar o tombamento do veículo
forma que não possa mais ser manobrado e o que pode então rolar ladeira abaixo. Desem-
controle sobre o veículo é perdido. barcar do veículo sempre calmamente pelas
● Caso o veículo seja erguido, alinhar sempre portas voltadas ladeira acima → Página 208.
as rodas dianteiras em linha reta para frente.
Se as rodas estiverem esterçadas ao contatar ATENÇÃO
o solo, o veículo poderá capotar. O sistema regulador de velocidade foi desen-
● Mesmo partes do terreno que parecem ino- volvido para o uso em ruas. O GRA é totalmente
fensivas podem ser perigosas. Buracos, de- inadequado e pode ser perigoso se utilizado em
pressões, fossos, abismos, obstáculos, bai- terrenos.
xios e subsolos movediços e pantanosos fre- ● Para reduzir o risco de controle do veículo e
quentemente não podem ser identificados ferimentos graves, nunca utilizar o sistema
como tais e podem estar encobertos parcial- regulador de velocidade em off-road.
mente por água, grama ou galhos. Explorar o
terreno a pé, caso necessário. ATENÇÃO
O sistema de monitoramento periférico (Front
ATENÇÃO
Assist) foi desenvolvido para o uso em ruas. Ele
Os veículos multiuso esportivos estão sujeitos a é completamente inadequado e pode até haver
um risco de capotamento mais elevado do que perigo se ele for utilizado em terreno.
veículos de rua convencionais → Página 197.
● Para reduzir o risco de controle do veículo e
ferimentos graves, nunca utilizar o sistema
de monitoramento periférico em terreno. 

196 Durante a condução


ATENÇÃO Esclarecimento de alguns termos
Conduzir off-road com um nível de combustível técnicos
muito baixo pode causar paradas do veículo,
acidentes e ferimentos graves.  Observe e na página 195.
● Um nível de combustível muito baixo pode
ocasionar uma alimentação de combustível
do motor irregular, especialmente em tre-
chos de subida ou descida.
● A direção e todos os sistemas de assistência
ao condutor e de frenagem não funcionarão
se o motor “engasgar” ou morrer por falta ou
abastecimento irregular de combustível.
● Abastecer sempre quando o tanque de com-
bustível estiver em somente 1/4 cheio para
evitar uma parada por falta de combustível.

NOTA
Se os vidros e o teto de vidro estiverem abertos e
chover, a chuva poderá encharcar o acabamento
interno do veículo e ocasionar danos ao veículo.
Em conduções off-road, os vidros e o teto de vi-
dro devem ser mantidos sempre fechados. 

Fig. 139 Representação da rampa máxima , ângu-


lo de inclinação  e ângulo da rampa . 

Condução off-road 197


Centro de gravidade O centro de gravidade de Antes da condução off-road
um veículo influencia o comportamento do
capotamento. O veículo tem uma altura li-  Observe e na página 195.
vre do solo maior para conduções off-road
e, assim, um centro de gravidade mais alto Lista de controle
do que veículos de rua “normais”. Assim,
em razão do centro de gravidade mais alto, Observar os seguintes pontos antes do início da
existe um risco maior de que o veículo pos- condução em terreno para a própria segurança e
sa capotar durante a condução. Observar a segurança dos passageiros:
sempre deste fato durante a condução e  Informar-se corretamente antes de explorar
atentar para as dicas de segurança e aler- a natureza e o terreno com o veículo.
tas deste Manual de instruções.  Não planejar etapas diárias muito longas. Le-
Altura livre do solo Distância entre a rua pavi- var em consideração o consumo de combus-
mentada e o ponto mais baixo da parte in- tível em conduções off-road.
ferior do veículo.  Abastecer completamente. Em off-road, o
Rampa máxima A inclinação (rampa) ultrapassa- consumo de combustível é consideravelmen-
da num percurso de 100 m é indicada em te mais alto do que nas ruas.
porcentagem ou em graus → Fig. 139 .
 Verificar se os pneus são suficientes para a
Indicação do ponto, até o qual o veículo
condução off-road planejada. Recomendação
pode subir uma inclinação com força pró-
para terreno difícil: mandar equipar o veículo
pria. Isto depende, entre outras coisas, do
com pneus especiais para off-road.
pavimento da rodovia e da potência do
motor.  Verificar a pressão dos pneus em todos os
Ângulo de inclinação lateral Indicação do ângulo pneus e, se necessário, corrigir, inclusive da
até o qual o veículo pode ser conduzido roda de emergência – desde que disponível.
obliquamente ou transversalmente à linha  Verificar o nível do óleo do motor, se neces-
de inclinação de uma encosta, sem que o sário, reabastecer. O motor será abastecido
mesmo tombe lateralmente (condicionado com óleo do motor também em posições in-
pelo centro de gravidade) → Fig. 139 . clinadas somente se o nível de óleo for sufi-
Ângulo de rampa Indicação do ângulo com o ciente.
qual o veículo consegue transpor uma ram-  Reabastecer o reservatório de água dos lava-
pa em baixa velocidade sem que o veículo dores do para-brisa com água e limpa-vidros.
encoste no solo com a parte inferior  Montar a argola de reboque na parte diantei-
→ Fig. 139 . ra ou traseira. Caso o veículo esteja atolado,
Ângulos de ataque e de saída Transição de uma a montagem da argola de reboque nem sem-
superfície horizontal para uma inclinação pre é possível.
ou de uma inclinação para uma superfície  Verificar as ferramentas de bordo e comple-
plana. Indicação do ângulo, no qual o veí- mentar conforme as necessidades individuais
culo irá encostar na rampa com a parte in- → Página 199.
ferior do veículo.
 Guardar o carregamento sempre de maneira
Linha de inclinação A faixa de rodagem vertical
uniforme e o mais fundo possível no veículo.
na descida da ladeira → Página 208.
Fixar todos os objetos soltos com segurança.
Torção Capacidade de torção do veículo em uma
passagem unilateral sobre um obstáculo. Antes da primeira condução off-road
lBloqueio do diferencial Desligado: equilibra as A Volkswagen recomenda, antes da condução
diferenças de rotação das rodas. Ligado: off-road, participar de um “treinamento de off-
une as rodas de um eixo ou o eixo dianteiro -road para condutores”. Especialmente se tiver
e traseiro firmemente entre si de forma nenhuma ou somente pouca experiência em con-
que não haja mais diferenças de rotações.  dução off-road. Mesmo condutores experientes
off-road podem tirar proveito de um “treinamen-
to de off-road para condutores”. 

198 Durante a condução


Em um bom treinamento de condução é ensina- – Dar preferência sempre para solos planos e fir-
do como se manobra o veículo em muitas situa- mes. Em terrenos existem predominantemen-
ções de terrenos diferentes e como é possível te solos macios, nos quais os pneus afundam.
conduzir com segurança por terrenos difíceis. A Isso diminui a altura livre do solo e a profundi-
condução off-road exige habilidades e modos de dade do vau.
comportamento diferentes dos exigidos se com- – Mesmo em baixas velocidades, manter sempre
parado com a condução na rua. A segurança do uma distância de segurança suficiente em rela-
condutor e dos ocupantes depende do condutor, ção a outros veículos. Se o primeiro veículo
que é conhecedor, hábil e cuidadoso.  atolar repentinamente, o veículo seguinte ain-
da conseguirá parar a tempo, sem que também
atole.
Regras gerais e orientações para
NOTA
condução
● Assegurar sempre que a altura livre do solo
 Observe e na página 195. sob o veículo seja suficiente. Se o veículo en-
costar no solo, podem resultar danos graves na
Regras de conduta durante a condução off- parte inferior do veículo. O dano pode ocasio-
-road nar a parada do veículo e impossibilitar que a
condução seja prosseguida.
Um condutor responsável protege a natureza
também ao conduzir off-road. A condução sobre ● Não deixar a embreagem arrastar durante a
vegetação rasteira ou campos de pastagem pode condução off-road ou deixar o pé sobre o pe-
destruir habitats de animais e plantas. dal da embreagem. Em terrenos ondulados, o
acoplamento pode engatar inadvertidamente,
– Permanecer sempre sobre as trilhas e os cami- podendo causar a perda de controle sobre o
nhos indicados. veículo. Além disso, é perdida a conexão de
– Não provocar ruídos e poeira desnecessários. força entre o motor e a transmissão. Adicional-
– Deixar a natureza como a encontrou. mente, a condução com a embreagem pati-
nando produz o desgaste rápido das pastilhas
– Evitar habitats selvagens sensíveis. da embreagem. 
– Dar a preferência a condutores que estão con-
duzindo ladeira acima ou ultrapassando.

Orientações para condução Itens úteis off-road


Para a condução off-road, valem regras especiais:
 Observe e na página 195.
– Não conduzir off-road sozinho. Pelo menos 2
veículos off-road devem ser conduzidos juntos A lista de controle cita apenas alguns objetos da
na condução em terreno. Situações inespera- versão, que podem ser muito úteis em conduções
das sempre podem ocorrer. Por isso, é espe- em terreno. Se houver um manual de instruções
cialmente útil um equipamento com o qual ou de montagem dos equipamentos adicionais
possa ser chamada ajuda em caso de emer- citados, levá-los e observá-los em conduções
gência. off-road.
– Parar antes de passagens críticas e fazer um
Lista de controle
reconhecimento do percurso a pé.
– Passar lentamente por elevações para o veícu- Objetos úteis para a condução off-road:
lo não perder o contato com o solo, pois isso  Água, bússola, mapas e lanterna com bateri-
poderia danificá-lo e torná-lo difícil de mano- as de reserva.
brar.  Guincho, barra de reboque ou cabo de rebo-
– Conduzir lentamente nas partes difíceis do que de alta resistência à ruptura.
percurso. No solo escorregadio, engatar mar-  Telefone móvel, pá, cobertores e botas de
chas mais altas e manter o veículo sempre em borracha. 
movimento.

Condução off-road 199


Lista de controle (continuação) zes gerais que visam auxiliar a conduzir de modo
 Compressor de ar elétrico para conexão nas seguro em terrenos. Antes de conduzir em terre-
tomadas 12 V do veículo para encher as ro- no desconhecido, é importante saber como se
das. constitui o terreno que se encontra à frente. As-
sim, podem ser avaliados previamente possíveis
 Uma prancha de madeira de aproximada- perigos.
mente 4 cm de espessura e aproximadamen-
te 1 m de comprimento ou armação de alu- Caso necessário, utilizar somente sistemas de as-
mínio similar para dar auxílio à partida para sistência de arranque em terrenos.
um veículo atolado ou para usar como supor-
te para o macaco. ATENÇÃO
 Correntes para neve, pneus de reserva adi- Mesmo partes do terreno que parecem inofen-
cionais e kit de reparo dos pneus, bem como sivas podem ser muito perigosas. Buracos, de-
macaco e chave de roda.  pressões, fossos, abismos, obstáculos, baixios e
subsolos movediços e pantanosos frequente-
mente não podem ser identificados como tais e
podem estar encobertos parcialmente por
água, grama ou galhos. A condução através de
Situações de condução off- tais partes de terreno pode ocasionar aciden-
-road tes, ferimentos graves e a quebra do veículo.
● Antes de conduzir por partes desconhecidas
de terreno, estudar cuidadosamente a rota a
 Introdução ao tema pé.
● Jamais escolher rotas inseguras ou assumir
um risco que possa colocar você e os outros
Os exemplos mencionados neste capítulo devem
passageiros em perigo. Em caso de dúvida
ser entendidos como ajuda para a condução off-
sobre a segurança da rota, retornar e esco-
-road segura. Não é possível prever se estes auxí-
lher um outro percurso.
lios são válidos para todas as situações que ocor-
rerem. ● Adequar sempre a velocidade e a forma de
condução à carga, às condições de visibilida-
A multiplicidade de tipos de terreno com seus di- de, do terreno, do clima, da pista e do tráfe-
versos riscos e perigos tornam impossível entrar go. 
em detalhes sobre todas as situações de condu-
ção possíveis. Os exemplos são somente diretri-

Luzes de advertência e de controle


 Observe e na página 195 e no início desse capítulo na página 200.

Luz de controle no instrumento combinado


Acesa Causa possível / recurso

 Tração nas quatro rodas (4X4 HIGH) acionada.

Tração nas quatro rodas com nível de rodagem intensamente reduzido (4X4 LOW)
4X4 LOW
acionada.

 Bloqueio do diferencial engatado.

 Função off-road ligada. 

200 Durante a condução


Luz de controle no instrumento combinado
Piscando Causa possível
A tração nas quatro rodas (4X4 HIGH ou 4X4 LOW) é acionada ou desativada mo-
 ou mentaneamente. Esperar até que a luz de controle se acenda de modo perma-
4X4 LOW nente (tração nas quatro rodas ativada) ou que a luz de controle se apague (tra-
ção nas quatro rodas desativada).
Piscando permanentemente: falha na tração nas quatro rodas (4X4 HIGH). Procu-
 rar auxílio técnico especializado.
Piscando permanentemente: falha na tração nas quatro rodas com nível de roda-
4X4 LOW
gem intensamente reduzido (4X4 LOW). Procurar auxílio técnico especializado.
O bloqueio do diferencial está acionado ou desacionado momentaneamente. Es-
perar até que a luz de controle esteja acesa de modo permanente (bloqueio do
diferencial do eixo traseiro acionado) ou que a luz de controle se apague (blo-
 queio do diferencial do eixo traseiro não acionado) → Página 203..
Piscando permanentemente: falha no bloqueio do diferencial do eixo traseiro.
Procurar auxílio técnico especializado.
Sistema de assistência em descidas em funcionamento (somente em veículos
 com ESC até aproximadamente 30 km/h (18 mph)) → Página 204.

Luz de controle no console central


Acesa Causa possível / recurso

 Tração nas quatro rodas (4X4 HIGH) acionada.

Tração nas quatro rodas com nível de rodagem intensamente reduzido (4X4 LOW)
4X4 LOW
acionada.

Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e NOTA


de controle se acendem rapidamente para verifi-
cação da função. Elas se apagam após alguns se- A inobservância das luzes de controle acesas e
gundos. das mensagens de texto pode causar danos ao
veículo. 

Trocar a marcha corretamente Informações básicas


– Se a marcha ou a posição de marcha for corre-
 Observe e na página 195 e no início tamente selecionada, normalmente o veículo
desse capítulo na página 200. precisa ser freado menos com o freio em des-
cidas, pois a ação de freio do motor é suficien-
A escolha da marcha correta orienta-se pelo ter- te na maioria dos casos.
reno. – Acelerar somente na medida do necessário.
Antes de conduzir em uma parte difícil do trecho, Uma aceleração muito intensa pode fazer as
pode ser proveitoso parar e pensar sobre qual rodas patinarem, ocasionando, desse modo, a
marcha deve ser escolhida ou engatada. Após al- perda do controle do veículo. 
gumas conduções off-road, adquire-se experiên-
cia sobre qual marcha é mais adequada para de-
terminados trechos do terreno.

Condução off-road 201


Transmissão manual Tração nas quatro rodas
– Em terrenos difíceis jamais pisar na embrea-
gem ou trocar a marcha. Devido à maior ade-  Observe e na página 195 e no início
rência de todos os pneus, o veículo pode parar, desse capítulo na página 200.
por exemplo, na lama, em areia profunda ou
numa subida. A partida saindo do estado para-
do sob estas condições pode ser difícil ou até
impossível.
– No caso de descida acentuada ou em uma su-
bida longa, engatar a 1ª ou a 2ª marcha e utili-
zar o sistema de assistência em subidas ou o
sistema de assistência em descidas em veícu-
los com ESC. Limitar a utilização do bloqueio
do diferencial do eixo traseiro somente ao ar-
ranque e não engatar em trechos off-road.
– No caso de terrenos macios conduzir com ve-
locidade adequada e na marcha mais alta pos-
sível, utilizando o sistema de assistência em
subidas ou, em veículos com ESC, o sistema de Fig. 140 No console central: botões para ligar e des-
assistência em descidas. Limitar a utilização do ligar a tração nas quatro rodas.
bloqueio do diferencial do eixo traseiro de pre-
ferência ao arranque e não engatar em trechos Tração nas quatro rodas permanente
com descidas. Em veículos com tração nas quatro rodas perma-
nente, a distribuição da força de propulsão se re-
Transmissão automática
aliza permanentemente nas 4 rodas. A tração nas
– Utilizar a posição da alavanca seletora D em quatro rodas não pode ser ligada nem desligada.
percursos de terreno normais planos.
– No caso de lama, areia, água ou trechos de ter- Tração nas quatro rodas acionável
reno ondulado, conduzir com o Tiptronic Em veículos com tração nas quatro rodas selecio-
→ Página 139. nável, na condição inicial o acionamento traseiro
– Em declives acentuados ou em subidas longas, sempre está ativo. A tração nas quatro rodas é
conduzir com o Tiptronic na marcha 1 acionada manualmente em 2 etapas pelos botões
→ Página 139. Engatar o bloqueio do diferenci- no console central → Fig. 140.
al e utilizar o sistema de assistência em subi- A tração nas quatro rodas com nível de rodagem
das → Página 159. intensamente reduzido (4X4 LOW) somente pode
– Em solos macios ou escorregadios conduzir ser acionada com a tração nas quatro rodas (4X4
com a velocidade adequada e na posição de HIGH) ativada.
marcha mais alta possível para isso do Tiptro- Na tração nas quatro rodas com nível de roda-
nic.  gem intensamente reduzido (4X4 LOW), é possí-
vel acionar o bloqueio do diferencial do eixo tra-
seiro → Página 203.
Utilizar a tração traseira em ruas secas com solo
firme. Com a tração traseira acionada, acende-se
o símbolo → Fig. 140 1 no console central. Se,
em ruas secas com solo firme, no lugar da tração
traseira, for acionada a tração nas quatro rodas
(símbolo → Fig. 140 2 aceso) ou a tração nas
quatro rodas com nível de rodagem intensamen-
te reduzido (símbolo → Fig. 140 3 aceso),o con-
sumo aumentará e os pneus se desgastarão mais
rapidamente → . 

202 Durante a condução


Ligar e desligar a tração nas quatro rodas (4X4 Com o nível de rodagem 4x4 LOW acionado, o
HIGH) ESC e EDS se comportam de forma diferente do
– Pressionar o botão  uma vez.  pisca por al- que na condução na rua:
guns segundos no instrumento combinado. A – Em velocidades abaixo de 50 km/h, o ESC res-
tração nas quatro rodas (4X4 HIGH) estará ati- ponde um pouco mais tarde quando o veículo
vada se no instrumento combinado e no con- realiza uma submanobra.
sole central  → Fig. 140 2 estiver acesa de – Em velocidades abaixo de 70 km/h, o ESC in-
modo permanente. terfere um pouco mais tarde quando o veículo
– Pressionar novamente o botão  até a res- sobresterça.
pectiva luz de controle () se apagar. Se ne-
Na maioria das situações, essas funções não pre-
nhuma luz de controle estiver acesa, a tração
cisam ser desligadas pelo botão ESC.
nas quatro rodas está desativada.
Ligar e desligar a tração nas quatro rodas com NOTA
nível de rodagem intensamente reduzido (4X4
O acionamento e o funcionamento da tração nas
LOW)
quatro rodas em ruas secas pavimentadas pode
– Parar o veículo para acionar. danificar a unidade motriz e, se for o caso, outros
– Pressionar novamente o botão  com o motor componentes, produzindo um desgaste maior
em funcionamento e a tração nas quatro rodas dos pneus e aumentando o consumo de combus-
acionada (4X4 HIGH). 4X4 LOW pisca durante tível.
alguns segundos no instrumento combinado. A
tração nas quatro rodas com nível de rodagem Com a tração nas quatro rodas acionada, o
intensamente reduzido (4X4 LOW) estará ati- ASR está desligado.
vada se no instrumento combinado e no con- A tração nas quatro rodas (4X4 HIGH) pode
sole central 4X4 LOW → Fig. 140 3 estiver ser acionada em qualquer velocidade. 
acesa de modo permanente.
– Parar o veículo para desativar.
– Pressionar o botão  com o motor em funcio-
Bloqueio do diferencial do eixo
namento, até a respectiva luz de controle
(4X4 LOW) se apagar. A tração nas quatro ro- traseiro
das (4X4 HIGH) estará ativada se no instru-
mento combinado e no console central  esti-  Observe e na página 195 e no início
ver acesa de modo permanente. desse capítulo na página 200.

Situações nas quais o bloqueio do diferencial do


eixo traseiro não deve estar engatado
– Se a roda sobressalente se diferenciar dos
pneus do veículo → Página 236.

Tração nas quatro rodas com nível de


rodagem intensamente reduzido (4X4 LOW)
4x4 LOW é um nível de rodagem intensamente
reduzido para propulsão máxima.
A marcha pode ser engatada nas seguintes situa-
ções:
– Em terreno normal com reboque.
– Em terreno irregular.
Fig. 141 No console central: botão do bloqueio do
– Ao rodar numa subida com rampa máxima de
diferencial do eixo traseiro. 
até 45 graus.
O nível de rodagem 4x4 LOW não deve ser utili-
zado em condições de inverno na pista.

Condução off-road 203


ATENÇÃO
O eixo diferencial iguala as diferenças de
rotação entre as rodas. O bloqueio do di- Nunca engatar o bloqueio do diferencial ao
ferencial melhora a condução ao conduzir conduzir por ruas calçadas ou se o veículo for
off-road com terrenos acidentados ou rebocado.
conduzir em aclives. ● As condições para manobrar o veículo estão
muito limitadas quando o bloqueio do dife-
rencial do eixo traseiro está engatado. Isto
Em terrenos, o bloqueio do diferencial do eixo pode causar a perda do controle do veículo e
traseiro engatado melhora a propulsão sobre so- ferimentos graves.
los adversos, especialmente na partida em subi- ● Restringir a operação do bloqueio do dife-
das. rencial do eixo traseiro ao arranque, pois to-
Em veículos com tração nas quatro rodas acioná- dos os sistemas de assistência à frenagem,
vel, o bloqueio do diferencial do eixo traseiro so- inclusive as funções off-road, estão desliga-
mente pode ser engatado quando estiver aciona- dos.
do o nível de rodagem intensamente reduzido
(4X4 LOW). No instrumento combinado, as luzes NOTA
de controle  e  se acendem. Visto que, com o
O engate do bloqueio do diferencial do eixo tra-
engate do bloqueio do diferencial do eixo trasei-
seiro durante o reboque pode danificar o conjun-
ro, todos os sistemas de assistência à frenagem
to motriz.
são desativados, o bloqueio do diferencial do eixo
traseiro somente deve ser engatado na partida Com o bloqueio do diferencial do eixo tra-
em terrenos adversos ou em pistas de rodagem seiro colocado, os pneus “atritam” sobre o
que cedam facilmente como, por exemplo, na revestimento do assoalho ao rodar por uma cur-
areia → . va. Isto também pode ser percebido por ruídos. O
O bloqueio do diferencial do eixo traseiro pode “atrito” dos pneus ocasiona um desgaste maior
ser engatado manualmente. Na maioria das si- dos pneus, especialmente sobre uma base firme. 
tuações de condução, entretanto, isto não é ne-
cessário, pois o sistema inteligente de freio pro-
porciona automaticamente uma boa tração e
Função off-road
consegue manter as funções off-road ativas.

Engatar manualmente o bloqueio do


 Observe e na página 195 e no início
desse capítulo na página 200.
diferencial do eixo traseiro
Com o motor em funcionamento, tração nas qua-
tro rodas engatada com nível de rodagem inten-
samente reduzido (4X4 LOW) e a uma velocidade
abaixo de 30 km/h (18 mph), pressionar botão 
→ Fig. 141 → .

Situações nas quais o bloqueio do diferencial


do eixo traseiro não deve estar engatado
– Na condução em ruas pavimentadas → .
– Quando o veículo é rebocado.
– Na verificação dos freios no dinamômetro
– Na condução em trechos com descidas íngre-
mes.
– Se a roda sobressalente se diferenciar dos Fig. 142 No console central: botão para ligar e desli-
pneus do veículo → Página 236. gar a função off-road manualmente.

Utilizar a função off-road somente em estradas


não pavimentadas e não em estradas sob as con-
dições de inverno → ! 

204 Durante a condução


Com o botão off-road  são acionadas as se- – A uma velocidade abaixo de 30 km/h (18 mph).
guintes funções off-road – E: em declives superiores a 10 % (na marcha a
– ABS off-road → Página 146. ré, 8 %).
– Sistema de assistência em descidas (para veí- – E: quando não for acelerado e, mesmo assim, o
culos com ESC). veículo se acelerar.
– Programa de mudanças adequado para condu- Desligar o sistema de assistência em descidas:
ção off-road (veículos com transmissão auto-
O sistema de assistência em descidas é desligado
mática).
– Quando o declive está terminando (menor do
A sincronização entre o ASR e ESC é ajustada de
que 5 %).
acordo com a condição do acionamento, com a
função off-road ligada. – OU: ao conduzir em velocidade superior a 30
km/h (18 mph).
– Em velocidades abaixo de 50 km/h, o ESC res-
– OU: quando o botão  é pressionado.
ponde um pouco mais tarde quando o veículo
realiza uma submanobra.
ATENÇÃO
– Em velocidades abaixo de 70 km/h, o ESC in-
terfere um pouco mais tarde quando o veículo Estar sempre pronto para frear. Se não for as-
sobresterça. sim, a consequência podem ser acidentes e fe-
rimentos.
– Em velocidades abaixo de 70 km/h, o ASR in-
terfere um pouco mais tarde. ● O sistema de assistência em descidas é me-
ramente um meio auxiliar e não pode frear o
Sistema de assistência em descidas veículo suficientemente em trechos com
descidas em todas as situações.
O sistema de assistência em descidas auxilia o
condutor por meio da frenagem ativa do veículo ● O veículo pode acelerar apesar do sistema de
em descidas íngremes → . assistência em descidas.
O pressuposto é que o solo apresente aderência O sistema de assistência em descidas tam-
suficiente. No terreno, ativar o quanto possível a bém funciona em descidas em marcha a ré
tração nas quatro rodas com nível de rodagem com a marcha a ré engatada.
intensamente reduzido (4X4 LOW) → Página 202,
engatar uma marcha baixa e, de preferência, dis- As funções off-road não são suportadas e
pensar a utilização do bloqueio do diferencial. Na não podem ser ativadas em conduções com
condução em descidas com gelo na pista ou em reboque. 
descidas com solo oleoso, por exemplo, o siste-
ma de assistência em descidas não consegue
cumprir sua função.
Conduzir sobre galhos e pedras
Ligar o sistema de assistência em descidas
 Observe e na página 195 e no início
Com o sistema de assistência em descidas ligado, desse capítulo na página 200.
a velocidade pode ser variada, desde que não seja
ultrapassada a velocidade de 30 km/h (18 mph). Situações padrão
– O sistema de assistência em descidas é ligado – Ligar a marcha 4X4 LOW ou pressionar o botão
manualmente, pressionando-se o botão  off-road → Página 202 → Página 204.
→ Fig. 142 no console central. – Conduzir no máximo com velocidade de passo
– OU: o sistema de assistência em descidas é li- sobre passagens pedregosas.
gado automaticamente se a tração nas quatro
rodas estiver selecionada no nível de rodagem NOTA
intensamente reduzido (4X4 LOW) ● Jamais transpassar no centro nem de um só la-
→ Página 202.
do objetos muito grandes com o veículo, por
A intervenção do sistema de assistência em des- exemplo, pedaços de rocha ou tocos de madei-
cidas ocorre ra. Objetos mais altos do que a altura livre do 

Condução off-road 205


solo danificam os componentes do veículo ao – Entrar lentamente no rio na direção da corren-
transpassar e podem ocasionar a quebra do te. Nesse caso, nunca exceder o ângulo de ata-
veículo. que e de inclinação.
● Da mesma forma, objetos menores do que a – Conduzir com velocidade constante até a mar-
altura livre do solo existente podem entrar em gem oposta.
contato com a parte inferior do veículo e oca- Essa forma de condução pode ser útil para evitar
sionar danos ou falha no veículo. Isso é válido danos ao motor pela infiltração de água. Além
principalmente quando, na frente ou atrás do disso, um bolsão de ar pode formar-se diante do
objeto, houver uma depressão ou um solo mo- motor que fornece o oxigênio necessário ao mo-
vediço. Válido também em casos nos quais tor.
conduza-se em velocidade muito alta sobre o
objeto e o veículo fica suspenso. Ao entrar na água ou ao atravessar a água em al-
ta velocidade com o veículo, forma-se uma ma-
O vazamento do óleo do motor ou do fluido rola na frente do veículo. Essa marola pode pene-
de freio pode poluir o meio ambiente. Os trar na abertura de entrada de ar do motor e da-
fluidos derramados devem ser removidos e des- nificá-lo seriamente.
cartados de forma tecnicamente e ambiental-
mente correta.  Conduzir por águas de torrentes
A travessia de águas de torrentes é muito perigo-
sa → .
Travessia de águas O veículo pode ser arrastado pelas águas. Mesmo
veículos com maior altura livre do solo podem fi-
 Observe e na página 195 e no início car presos se o solo sob os pneus for arrastado
desse capítulo na página 200. pela água. Água corrente se acumula na lateral
do veículo, tornando-se assim mais funda. A in-
Fatores importantes para decidir se é possível tensidade, a velocidade da corrente e a profundi-
atravessar o trecho com água: dade da água podem ser imprevisíveis e perigo-
– Profundidade da água. sas.

– Velocidade da corrente de água. Quando houver insegurança quanto à velocidade


da corrente de água, procurar um ponto mais ra-
– Constituição do terreno e das margens.
so no qual a água possa ser atravessada com se-
– Forma da margem. gurança. Se não for possível encontrar um local
– Obstáculos na água. adequado, retornar.

Antes de uma passagem por água Após uma travessia por água
Parar, sair do veículo e examinar a situação → : – Verificar o óleo do motor → Página 216. Se fo-
rem visíveis gotas de água na vareta de medi-
– Medir a profundidade da água até o outro lado.
ção do óleo do motor ou se o nível do óleo do
Nesse caso, observar a firmeza do solo, baixios
motor tiver aumentado, não dar partida no
e obstáculos na água → .
motor. O óleo do motor deve ser trocado ime-
– Verificar se é possível a entrada e a saída da diatamente. Dependendo da quantidade de
água. água existente no óleo do motor, a partida ou
– Verificar os ângulos de ataque e de saída e a o funcionamento do motor podem causar da-
consistência do solo na margem. nos consideráveis ao motor ou a falha do mes-
– Ligar a marcha 4X4 LOW ou pressionar o botão mo.
off-road → Página 202 → Página 204. – Secar os freios com manobras de frenagem
cuidadosas.
Condução em águas paradas ou com corrente – Desligar a marcha 4X4 LOW → Página 202 ou
lenta pressionar o botão off-road → Página 204. 
O veículo pode passar por águas paradas se o so-
lo for consistente o bastante → . Observar a
profundidade máxima de vadeação
→ Página 311.

206 Durante a condução


ATENÇÃO ● Sob condições climáticas extremas, os peri-
gos ocultos sob a neve podem ocasionar um
Água corrente pode desenvolver forças enor-
acidente, sérios ferimentos ou atolamentos.
mes e arrastar o veículo consigo. Isso pode oca-
sionar situações muito perigosas que podem ● Adaptar sempre a velocidade e o modo de
causar acidentes e ferimentos graves ou fatais. conduzir à carga, às condições de visão, do
terreno e climáticas. 
● Jamais permanecer parado na água.
● A água no compartimento do motor pode
ocasionar a falha do veículo na água.
● Solo movediço, obstáculos sob a água e bai- Condução em terreno íngreme
xios podem causar acidentes e falha do veí-
culo nas águas. Isso pode ocasionar situa-  Observe e na página 195 e no início
ções críticas. desse capítulo na página 200.

NOTA Condução em subidas ou declives


Antes de conduzir por uma subida ou um declive,
Na travessia de trechos alagados, peças do veícu-
parar, sair do veículo e examinar a situação:
lo, como, por exemplo, motor, transmissão, chas-
si ou sistema elétrico, podem ser danificados se- – Caminhar pelo trecho e verificar o solo quanto
riamente. à sua consistência firme, obstáculos ou outros
● Somente atravessar água num local com solo perigos ocultos → .
firme, que sejam mais rasas do que a profundi- – Verificar como o trecho continua depois da su-
dade do vau máxima admissível. bida.
● Jamais conduzir sobre superfícies com sal, tre- – Se a rota for muito íngreme, muito ondulada
chos com sal ou através de água salgada, pois ou o solo for muito solto, não transitar no tra-
o sal pode causar corrosão. Lavar imediata- jeto e selecionar uma outra rota.
mente com água limpa todas as peças do veí- – Ligar a marcha 4X4 LOW ou pressionar o botão
culo que tenham entrado em contato com a off-road  . Ao arrancar em subidas difíceis, se
água salgada.  for o caso, engatar o bloqueio do diferencial do
eixo traseiro. Em seguida, desligar o bloqueio
do diferencial do eixo traseiro novamente.
Condução em terreno com neve – Conduzir de modo constante e em baixa velo-
cidade em linha reta ao subir uma subida ou
 Observe e na página 195 e no início descer num declive.
desse capítulo na página 200. – Acelerar somente o necessário para superar a
subida. Muita aceleração para girar as rodas
Montar correntes para neve somente nas rodas pode ocasionar a perda do controle do veículo.
traseiras antes de conduzir em terrenos com ne- Pouca aceleração pode aumentar a probabili-
ve. dade de afogar o motor.
Mesmo partes do terreno que parecem inofensi- – Nunca parar ou virar numa ladeira.
vas podem ser perigosas. Isso vale especialmente – Evitar o afogamento do motor.
para trechos em que não são visíveis quaisquer – Não trocar de marcha ou engatar durante a fa-
sulcos ou outras faixas de rodagem. se de subida.
ATENÇÃO Quando não for mais possível prosseguir em
A condução em terreno com neve é muito peri- uma subida
gosa. – Jamais fazer um retorno em uma subida.
● Tanto pontos esburacados rasos como pro- – Se o motor tiver afogado, pisar no freio e dar a
fundos, depressões, valas, precipícios, cama- partida novamente no motor. 
das de gelo sobre águas ou outros obstácu-
los são frequentemente total ou parcialmen-
te cobertos pela neve.

Condução off-road 207


– Engatar a marcha a ré e retornar lentamente ● Se o motor não der partida, acionar o pedal
em linha reta em marcha a ré. do freio com pressão constante e deixar o
– Manter a velocidade constante com o freio até veículo rodar para trás na própria trilha. Si-
que seja atingido um local seguro. multaneamente manter uma velocidade bai-
xa e constante.
Condução ladeira abaixo ● Nunca deixar o veículo descer a ladeira de ré
Jamais ultrapassar o ângulo de inclinação lateral em ponto morto. Pode-se perder o controle
do veículo! Se for necessário transpor uma ladei- do veículo. 
ra de forma oblíqua e o veículo correr o risco de
tombar, conduzir imediatamente para a linha de
inclinação.
Ao descer ladeiras, o risco de capotamento é
Condução em diagonal na ladeira
maior. Concentrar-se na condução do veículo
 Observe e na página 195 e no início
principalmente ladeira abaixo.
desse capítulo na página 200.
Em trechos de declive acentuados, utilizar o sis-
tema de assistência em descidas → Página 204.
– Conduzir em primeira marcha ao descer uma
ladeira íngreme.
– Utilizar o freio cuidadosamente, para não per-
der o controle.
– Se for possível e não for perigoso, conduzir ao
longo da linha de inclinação (declive máximo).
– Abrir mão de usar o bloqueio do diferencial do
eixo traseiro.
– Não embrear e não engatar a marcha lenta.

ATENÇÃO
Jamais tentar transitar uma rampa ou declive Fig. 143 Dirigir na linha de inclinação
se eles forem muito acentuados para o veículo.
O veículo poderia escorregar, tombar ou capo-
tar.
● A rampa máxima ou ângulo de ataque / ân-
gulo de saída não deve ser maior do que o
valor permitido para o veículo.
● Percorrer as subidas e os declives sempre so-
mente na linha de inclinação.
● Jamais retornar ou dar a volta em uma ladei-
ra ou em um declive. O veículo pode tombar
ou escorregar.
● Se o motor apagar, ou não continuar funcio-
nando por qualquer motivo: parar e acionar o
pedal do freio. Dar a partida novamente no
Fig. 144 Em posições inclinadas, desembarcar do la-
motor. Engatar a marcha a ré, soltar o pedal do do veículo voltado para cima da ladeira.
do freio e aproveitar o efeito do frenagem do
motor para retornar cuidadosamente por um A condução em diagonal na ladeira é uma das po-
percurso reto na linha de inclinação. Simulta- sições mais perigosas ao conduzir off-road → .
neamente manter uma velocidade baixa e
constante. Pode parecer inofensivo, porém nunca subesti-
mar as dificuldades e os perigos ao conduzir em
diagonal na ladeira! Um veículo em uma posição
lateral à ladeira pode escorregar sem controle, 

208 Durante a condução


tombar ou capotar. Isto pode causar ferimentos ● Jamais entrar com as rodas do lado do veícu-
graves ou fatais em todos os ocupantes do veícu- lo que se encontra mais baixo em concavida-
lo. des do solo ou em valas. As rodas do lado
Antes da condução verificar sempre se realmente que se encontra mais alto nunca devem ro-
não existe outra rota mais segura. dar sobre elevações como pedras, troncos de
árvores ou outros obstáculos.
Se tiver de ser conduzido em diagonal, o solo de-
ve ser o mais possível firme e plano. Em solos es- ● Antes de conduzir em diagonal na ladeira, as-
corregadios ou movediços, o veículo pode escor- segurar que possa ser dirigido na linha de in-
regar na lateral e tombar. Assegurar-se sempre clinação. Se isso não for possível, escolher
de que a inclinação não venha a ser muito grande um outro percurso. Se o veículo ameaçar
devido a irregularidades no solo. Se for esse o ca- tombar, manobrar imediatamente na linha
so, o veículo pode tombar e capotar. de inclinação e acelerar levemente
→ Fig. 143.
Se o veículo se encontrar numa posição inclinada
● Se o veículo parar com uma grande inclina-
acentuada, as rodas do lado que se encontra mais
ção lateral numa ladeira, devem ser evitados
baixo jamais devem entrar em concavidades do
movimentos abruptos e incontrolados no
solo ou em valas. As rodas do lado que se encon-
veículo. O veículo pode, neste momento,
tra mais alto nunca devem passar sobre eleva-
perder o apoio, escorregar lateralmente, ca-
ções como pedras, troncos de árvores ou outros
potar e rolar ladeira abaixo.
obstáculos.
● Se o veículo parar com uma grande inclina-
Se o veículo ameaçar tombar, manobrar imedia- ção lateral na ladeira, uma pessoa jamais de-
tamente para a “direção da queda” e acelerar le- ve desembarcar do veículo pelas portas que
vemente → Fig. 143. Se não for possível conduzir estão voltadas ladeira abaixo. Isso pode oca-
na linha de inclinação, conduzir ladeira acima e sionar um deslocamento lateral do centro de
acelerar levemente. gravidade total. O veículo pode tombar ou
O centro de gravidade do veículo deve se encon- capotar e rolar ladeira abaixo. Para evitar is-
trar no ponto mais baixo possível. O peso de to- so, abandonar o veículo somente pelo lado,
dos os ocupantes do veículo deve ser distribuído cuidadosamente, que indica ladeira acima
de maneira uniforme. As pessoas maiores ou → Fig. 144.
mais pesadas devem sentar no lado do veículo ● Ao descer, assegurar-se de que a porta aber-
que se encontra mais alto. A bagagem no teto ta ladeira acima não feche devido ao próprio
deve ser retirada e os objetos pesados devem ser peso ou devido a desatenção e possa ocasio-
fixados, pois um deslizamento súbito dos objetos nar ferimentos. 
pode causar o tombamento do veículo → .

ATENÇÃO
Jamais tentar conduzir em diagonal numa la- Atravessar valas
deira. Especialmente se a ladeira for muito
acentuada para o veículo. O veículo poderia es-
 Observe e na página 195 e no início
desse capítulo na página 200.
corregar, tombar e capotar. Para evitar o risco
de acidentes e ferimentos graves, atentar para
o seguinte: – Antes da travessia, ligar a marcha 4X4 LOW ou
pressionar o botão off-road  .
● Jamais subestimar as dificuldades e os peri-
gos ao conduzir em diagonal na ladeira. Ja- – Verificar se o ângulo de ataque e de inclinação
mais escolher rotas inseguras ou assumir um é pequeno suficiente para atravessar a vala
risco que pudesse colocar você e os outros com o veículo.
passageiros em perigo. Em caso de dúvida – Atravessar a vala em ângulo agudo, se possível
sobre a segurança da rota, retornar e esco- → .
lher um outro percurso. – O ângulo de inclinação não deve aumentar
● Na condução em diagonal na ladeira, o veícu- muito durante a travessia. 
lo pode perder o apoio, deslizar lateralmente,
tombar ou capotar e rolar ladeira abaixo.

Condução off-road 209


ATENÇÃO A condução com pressão reduzida dos pneus po-
de ocasionar a perda de controle do veículo e au-
Jamais atravessar valas se o ângulo de rampa e mentar o risco de ferimentos graves e fatais.
de inclinação for muito acentuado para o veícu-
lo e as valas forem muito profundas. O veículo Conduzir na lama
poderia tombar, escorregar ou capotar. Não modificar a velocidade nem a direção. Na la-
ma, os pneus podem perder o seu poder de ade-
NOTA são. Se o veículo escorregar, conduzir para a dire-
Se for conduzido na direção da vala em ângulo ção correspondente para recuperar o controle so-
reto, as rodas dianteiras caem dentro da vala. O bre o veículo.
veículo pode ficar preso com a parte inferior do
chassi, parar e sofrer danos. Assim, sair de uma ATENÇÃO
vala raramente é possível, mesmo com tração A condução na lama, areia e lodo pode ser peri-
nas quatro rodas e bloqueio do diferencial do ei- gosa. O veículo pode escorregar descontrolada-
xo traseiro engatado.  mente, aumentando o perigo de ferimentos.
Conduzir sempre cuidadosamente se tiver de
conduzir na areia, lama e lodo.
Conduzir na areia e na lama ● Jamais selecionar rotas inseguras ou assumir
um risco que possa colocar você e os outros
 Observe e na página 195 e no início passageiros em perigo. No caso de dúvida
desse capítulo na página 200. quanto à segurança da rota, retornar e esco-
lher outro caminho.
Conduzir sempre com a mesma velocidade atra-
vés de areia ou lama, não executar nenhum câm- ATENÇÃO
bio de marcha manual e não parar. Uma pressão dos pneus incorreta pode causar
– Ligar o ESC. A luz de controle  ou  não deve um acidente grave ou fatal.
se acender no instrumento combina- ● Uma pressão dos pneus incorreta ocasiona
do→ Página 146. um desgaste maior dos pneus e piora o com-
– Manter o veículo continuamente em movimen- portamento de direção do veículo.
to. ● Uma pressão incorreta dos pneus pode gerar
– Ligar a marcha 4X4 LOW ou pressionar o botão superaquecimento e danos repentinos aos
off-road  → Página 159. pneus, inclusive estouro dos pneus e soltura
da banda de rodagem, podendo causar a per-
– Antes do arranque, engatar o bloqueio do dife- da de controle do veículo. 
rencial do eixo traseiro, em seguida desligar o
bloqueio do diferencial do eixo traseiro.
– Selecionar uma posição de marcha adequada e
permanecer nesta posição de marcha até che- Veículo atolado
gar em solo firme → Página 201.
 Observe e na página 195 e no início
Se as rodas não podem mais agarrar, girar o vo- desse capítulo na página 200.
lante rapidamente de um lado para outro. Com
isso pode ser atingida rapidamente uma melhor Para desatolar o veículo, é necessário muito trei-
adesão dos pneus das rodas dianteiras para estas namento e tato.
condições do solo.
Se houver falha ao embalar para fora, o veículo
Conduzir na areia pode afundar mais ainda e só será possível sair
Em nenhuma hipótese reduzir a pressão dos com ajuda de terceiros. 
pneus para conduzir na areia → . Se ainda as-
sim a pressão dos pneus tiver sido reduzida para
conduzir na areia, a pressão correta dos pneus
deve ser sempre restaurada antes de prosseguir.

210 Durante a condução


Se não for possível prosseguir Após uma condução off-road
– Desenterrar cuidadosamente todas as rodas e
assegurar-se de que nenhuma outra parte do  Observe e na página 195 e no início
veículo esteja enterrada na areia. desse capítulo na página 200.
– Engatar a marcha a ré.
Lista de controle
– Acelerar cuidadosamente e retornar sobre a
própria faixa de rodagem.  Limpar as lanternas dos indicadores de dire-
ção, o sistema de iluminação, a placa de li-
Se isso não ajudar, colocar vegetação rasteira, es-
cença e todos os vidros.
teiras ou um pano de saco diretamente na frente
dos pneus para atingir uma melhor adesão ao so-  Caso necessário, desmontar a argola de re-
lo e, com isso, uma melhor propulsão → . boque e as correntes para neve.
 Controlar os pneus, amortecedores e eixos
Embalar o veículo para fora quanto a danos e remover sujeira grosseira,
Jamais deixar os pneus patinarem por longo tem- pedras e corpos estranhos do perfil dos
po, pois assim o veículo somente irá afundar ain- pneus.
da mais profundamente → .  Inspecionar a parte inferior do assoalho do
– Desligar o ESC → Página 146. veículo e remover todos os objetos que esti-
verem presos no sistema de freio, nas rodas,
– Engatar o nível de rodagem LOW 4x4
no chassi, no sistema de escape e no motor,
→ Página 159.
como, por exemplo, ramos, folhas ou peda-
– Engatar o bloqueio do diferencial do eixo tra- ços de madeira → . Se forem identificados
seiro. danos ou vazamentos, procurar uma Conces-
– Colocar o volante em posição reta. sionária Volkswagen, uma empresa especiali-
– Retornar até que os pneus comecem a patinar. zada ou auxílio técnico especializado.
– Engatar imediatamente a primeira marcha e  Verificar o sistema de frei