You are on page 1of 17

Resumos

CRISE E REVOLUÇÃO NO SÉCULO XIV

1. Descreve os factores da crise do século XIV: as fomes, as guerras e a peste.
- Fomes devido aos maus anos agrícolas, causados pelas chuvas
abundantes, sobretudo em 1315 e 1316;
- guerras frequentes entre países europeus, destacando-se a Guerra dos 100
anos, provocando destruições, mortes e aumento das despesas com a guerra;
- epidemias, agravadas pelos sucessivos anos de fome, sobretudo a Peste
Negra, que terá provocado a morte de cerca de 1/3 da população europeia.

2. Explica a chegada da Peste Negra à Europa:
Chegada à Europa através de navios italianos que tinham estado no Mar
Negro.

3. Analisa as consequências económicas da crise:
Diminuição da produção, aumento dos preços e dos impostos/rendas

4. Explica as revoltas populares ocorridas neste período.
- Trabalhadores exigem aumento dos salários devido ao aumento dos preços
e dos impostos;
- exigência não é satisfeita pelo que camponeses e artesãos se vão revoltar.

5. Descreve os sinais da crise em Portugal.
- Maus anos agrícolas devido às intempéries que causaram fome;
- a chegada da Peste Negra em 1348 provocou elevada mortalidade;
- aumento dos preços e dos impostos;
- três guerras com Castela.

6. Refere as medidas tomadas em Portugal para resolver a crise económica.
Lei das Sesmarias, de D. Fernando:
- donos das terras obrigados a cultivá-las, senão as terras seriam entregues a
quem as cultivasse;
- os camponeses que tinham abandonado os campos e ido para as cidades
eram obrigados a voltar a ser camponeses;
- os salários e as rendas são tabelados;
- a mendicidade era proibida.

7. Explica a crise política vivida em Portugal entre 1383-85.
- Morte de D. Fernando e Tratado de Salvaterra de Magos prevê casamento
de D. Beatriz com D. João de Castela;
- divisão do país em dois partidos: apoio da grande nobreza e do alto clero à
regência de D. Leonor Teles; apoio da burguesia, do povo, da pequena nobreza
e baixo clero ao Mestre de Avis como Regedor do Reino após assassinato do
Conde Andeiro.

8. Menciona a forma como ficou resolvida essa crise.
- Mestre de Avis aclamado rei de Portugal nas Cortes de Coimbra;

João I como recompensa pelo apoio prestado.rei: resolver os problemas económicos do país e obter prestígio internacional .as rotas comerciais foram desviadas.burguesia: novos mercados para comercializar . . perto das zonas a descobrir ou conquistar . Aljubarrota e Valverde. a bússola.tinha campos cerealíferos em seu redor 5 Descreve os resultados obtidos com a conquista de Ceuta (p. .pela sua posição estratégia.situação geográfica: Portugal situa-se no extremo sudoeste da Europa. 32).espírito de cruzada .curiosidade geográfica pelo desconhecido 2 Explica os factores da prioridade portuguesa (p.clero: expandir a fé cristã . .necessidade de ouro e cereais . O EXPANSIONISMO EUROPEU 1 Descreve os condicionalismos da expansão europeia (p. . cargos e títulos .nobreza: obter terras. 30).meios técnicos: Portugal possuía conhecimentos náuticos e longa experiência marítima.vitórias do exército português nas Batalhas de Trancoso. o quadrante e a balestilha) 3 Descreve os interesses dos vários grupos sociais na expansão (p. . pelo que Ceuta deixou de ser um centro de comércio .vitória militar . .procura de rotas que atingissem os centros produtores de especiarias e outros artigos de luxo .era o centro comercial de confluência da rota das especiarias (Oriente) e da rota do ouro (África) .era um centro de pirataria moura .povo: novas oportunidades para melhorar de vida 4 Explica a escolha da cidade de Ceuta (p. permitia dominar a navegação pelo Estreito de Gibraltar . que receberam títulos nobres das mãos de D.Políticas: nova dinastia.34).Sociais: a antiga classe dirigente (grande nobreza) foi afastada do poder e substituida pela pequena nobreza e pela burguesia.A paz com Castela foi assinada em 1411. . . orientando-se pela posição dos astros e pela utilização de instrumentos náuticos como o astrolábio. impedindo o . 32). 9. . Refere as transformações políticas e sociais ocorridas com a vitória do Mestre de Avis. permitindo-lhe pôr em prática a navegação astronómica (navegação em alto mar.a cidade passou a estar em permanente estado de guerra.34).

realizando a navegação astronómica (navegação em alto mar. 14 Indica os territórios explorados por Fernão Gomes (p.36).acesso aos campos cerealíferos . João II (p. João II vai interessar-se pela exploração da costa ocidental africana com o objetivo de encontrar o caminho marítimo para a Índia. 10 Descreve aquilo que permitiu a passagem do Cabo Bojador (p.34).36). Fernão Gomes ficou com o monopólio da exploração da Costa Ocidental Africana por um período de 6 anos mas. sim. Arzila e Alcácer Ceguer. Afonso V (p. na conquista de praças marroquinas. Afonso V não estava interessado na exploração da Costa Ocidental Africana mas.Madeira: açucar e plantas tintureiras . à frente da qual estava um capitão-donatário com o dever de colonizar e explorar economicamente o território. . Afonso V conquistou as cidades de Tânger.o estado teve enormes despesas na defesa da cidade 6 Refere o papel do Infante D. arrendou a exploração desse território a um particular. 15.38).Descreve a política expansionista de D. Os arquipélagos atlânticos foram colonizados através do sistema de capitanias. D. em contrapartida.36). teve de pagar uma quantia anual aoEstado e descobrir 100 léguas de costa por ano. Fernão Gomes descobriu o território africano entre a Serra Leoa e o Cabo de Santa Catarina. podia lançar impostos e exercer a justiça.Açores: cereais e criação de gado 9 Explica as barreiras que dificultavam a passagem do Cabo Bojador (p.36). Explica a assinatura do Tratado de Alcáçovas-Toledo (p. orientando-se pelos astros) e à bolina (navegação contra o vento). O infante foi o grande impulsionador e dinamizador do movimento das Descobertas pois foi ele que enviou os navegadores para descobrirem o mundo desconhecido. Fernão Gomes.34). Por isso.38). Henrique na expansão (p. 12 Indica as principais conquistas ocorridas neste período (p. 11 Descreve a política expansionista adoptada por D. D. 7 Descreve a forma de colonização dos arquipélagos atlânticos (p. Gil Eanes foi o primeiro a passar o cabo Bojador porque se afastou da costa. 13 Diz em que consistiu ocontrato realizado com Fernão Gomes(p.36). 16. Até 1434 o Cabo Bojador foi intransponível devido aos seus baixios e às fortes correntes e marés. D.34).36). . O capitão-donatário tinha o monopólio de certos produtos. 8 Refere as principais produções dessas ilhas (p.

passando a ser o intermediário entre o Oriente e a Europa. Quando chegava a Lisboa. segundo esse tratado. onde o rei D. 20. 7. Quando chegava a Lisboa. as especiarias eram depositadas na Casa da Índia. Cabo da Boa Esperança. Distingue as políticas dos primeiros vice-reis da Índia.38). Francisco de Almeida vai pretender o domínio dos mares. atacando a presença dos muçulmanos no Índico. João II insiste nas 370 léguas e é assim que é assinado o Tratado de Tordesilhas. O comércio da rota do Cabo era monopólio da coroa. descobre as Antilhas. 19 Descreve o comércio das especiarias.(p. Em 1492. no mapa. Manuel tinha criado uma feitoria. Ceilão e Malaca. partiam para Antuérpia. (p. Goa. Justifica a assinatura de um novo trato em 1494 entre Portugal e Castela (p. Daqui. com o estabelecimento da rota do Cabo. O Papa intervém e propõe o estabelecimento de um meridiano a 300 léguas a ocidente de Cabo Verde. iniciando-se um conflito diplomático entre os 2 países. ao serviço dos reis espanhóis. Portugal e Castela tinham assinado o Tratado de Alcáçovas que estabelecia uma linha horizontal que dividia as áreas de exploração de cada país de forma a regular a posse dos arquipélagos atlânticos. Portugal pode aceder diretamente ao comércio das especiarias. 40) O comércio da rota do Cabo era monopólio da coroa. A descoberta do caminho marítimo para a Índia permite demonstrar que é possível navegar do Atlântico para o Índico. 19. O Tratado de Tordesilhas estabelece um meridiano a 370 léguas a ocidente de Cabo Verde. Explica o papel desempenhado pela Casa da Índia e pela Feitoria em Antuérpia no comércio colonial português. 8. Localiza. para vender as especiarias aos grandes mercadores europeus.38). onde o rei D. Manuel tinha criado uma feitoria. Afonso de Albuquerque vai conquistar praças de comércio importantes para o comércio das especiarias. pertencia a Portugal. 40) D. partiam para Antuérpia. Explica a importância da viagem de Vasco da Gama em 1498. (p. ficando Portugal com o direito a explorar todas as regiões a oriente dessa linha. Calecute. João II reivindica a posse das Antilhas. Colombo. Daqui. Caracteriza os povos que viviam no continente americano em 1492. que. 17. as especiarias eram depositadas na Casa da Índia. Descreve as disposições desse tratado (p. D. D. 18. Diu. Por outro lado.Em 1479. 42) O continente americano era habitado por povos de nível civilizacional diferente: . 21. para vender as especiarias aos grandes mercadores europeus.

(p. Ávidos de ouro e prata. Identifica e localiza no espaço as civilizações ameríndias. 44) Depois da descoberta do brasil por Pedro Álvares Cabral. conhecimentos de astronomia e matemática . perú. a falta de recursos dos capitães-donatários e a grande extensão do território levaram D. Individualismo e Antropocentrismo.civilizações evoluídas: Maias. Em resultado das viagens de exploração. 12. João III a criar o cargo de Governador-Geral.povos tribais recoletores.foi um movimento cultural dos séculos XV e XVI que se caracterizou pela inspiração na cultura greco-romana e pela valorização do Homem e das suas capacidades. Incas. 44) De início. arroz. milho. chocolate. 13. Define Renascimento. Astecas – cidades monumentais. No entanto. com a introdução de engenhos e de mão de obra escrava africana. que os classicistas pretendem imitar. alterando os seus hábitos alimentares. cada uma entregue a um capitão-donatário para proceder à exploração do território.valorização da Antiguidade Clássica (grega e romana) como padrão por excelência do sentido estético. (p. Depois da descoberta das minas de prata. ananás. Descreve as consequências da expansão portuguesa e espanhola. uma forma de governo mais centralizada.. 58) Renascimento . (p. 42) 10. etc) . . pilharam os tesouros e praticaram massacres. batata. 11. A violência e as doenças introduzidas pelos espanhóis levaram à morte de grande parte da população ameríndia e à destruição das suas civilizações. Classicismo. alguns com agricultura rudimentar 9. Descreve a exploração económica do Brasil. os primeiros contactos estabelecidos com os índios brasileiros foram pacíficos. (p. (p. Refere os dois sistemas de colonização adoptados no Brasil. Descreve os primeiros contactos estabelecidos entre os portugueses e os índios no Brasil. as rotas comerciais alargaram-se a outros continentes (África. tabaco. Humanismo. Relaciona a forma como os espanhóis procederam à conquista dos povos ameríndios com a destruição das civilizações ameríndias. o Brasil foi dividido em 15 capitanias. 44) O comércio do pau-brasil aumentou e o açucar. Classicismo . tornou-se na grande riqueza do Brasil. obrigaram os índios a trabalhos forçados. (p. O RENASCIMENTO 1. palácios e pirâmides. Ásia e América) e os europeus tomaram contacto com novos produtos (café. 14. 42) A ação dos espanhóis sobre os povos ameríndios foi brutal e cruel.

Antropocentrismo .Anatomia: Vesálio( dissecação dos corpos) . o saber livresco. 58) O Homem renascentista procurou desenvolver de forma harmoniosa o corpo e o espírito. foram alcançados alguns progressos em algumas áreas do conhecimento. Humanismo – movimento cultural que consiste no estudo das línguas.os inúmeros vestígios da civilização romana permitiu um interesse pelo seu passado. Miguel de Cervantes. 3 Explica o aparecimento do Renascimento em Itália. Shahespeare) ou obras críticas sobre a sociedade da época (Maquiavel. 5 Descreve o movimento humanista. o aparecimento do Renascimento. Através da observção e da experiência. (p. O maior exemplo desse novo homem foi Leonardo da Vinci (artista. (p.(p.é uma concepção que considera que a humanidade deve permanecer no centro do entendimento dos humanos. (p. engenheiro e arquiteto). 4 Descreve o novo Homem Renascentista. Individualismo – crença nas capacidades do homem. 9 Dá exemplos de cientistas e de teorias importantes na época. 6 Diz em que consiste o experiencialismo. 8 Relaciona a defesa do experiencialismo com a existência de avanços científicos no século XVI. 60-61) Os Descobrimentos demonstraram que os conhecimentos dos Antigos (como Ptolomeu) estavam errados e que a verdadeira fonte do conhecimento era a oberservação e a experiência e. no interesse pela valorização do Homem e das suas capacidades e na crítica à sociedade do seu tempo 2 Localiza. . (p. Consiste na ideia de que “o homem está no centro das atenções”. através do apoio a artistas (mecenato).a rivalidade entre as cidades italianas provocou o desejo de embelezá-as. 58) O Renascimento surgiu em Itália porque: . (p. 60-61) . no espaço e no tempo. desde que tivesse vontade. não. (p. dos textos e dos autores clássicos. talento e capacidade de acção individual. 58) Os humanistas inspiraram-se nos antigos escritores gregos e romanos e produziram obras literárias (Camões. procurando interessar-se por todas as coisas e desenvolver um espírito crítico. Erasmo de Roterdão e Thomas More). 60-61) O experiencialismo consiste no princípio de que a fonte do conhecimento é a observação e a experência 7 Relaciona os descobrimentos portugueses com o experiencialismo do século XVI. 58) O Renascimento surgiu em Itália no século XV.

cúpulas e frontões triangulares) . … . (p. (p. 62) . (p. que transmitia sentimentos. 62+72) Nos edifícios predominava a horizontalidade e o equilíbrio e simetria das formas (ponto de fuga). escudo real. 62+73) O homem era representado com naturalismo e realismo. nós. conchas. … . criticando a teoria geocêntrica) 10 Relaciona a invenção da imprensa com a divulgação das ideias renascentistas. 11 Localiza. colunas com capitéis clássicos. 64) O Manuelino é um estílo artístico típicamente português que surgiu nos finais do século XV.nacionalistas: cruz de Cristo. troncos. pintura a óleo e sfumato) . Manuel. algas..Matemática: Pedro Nunes (Nónio) . permitindo que um maior número de pessoas os comprassem e contactassem com as novas ideias renascentistas. Havia também uma composição geométrica das figuras. no reinado de D. o aparecimento da arte renascentista. folhas de loureiro.arquitetura: inspiração nos elementos da arte greco-romana (arcos de volta inteira. O TEMPO DAS REFORMAS RELIGIOSAS . no tempo e no espaço. (p.Geografia: Duarte Pacheco Pereira (descrição dos contactos com outros povos e culturas no Esmeraldo de Situ Orbis) . (p. 12 Refere as fontes de inspiração da arte renascentista (reutilização das formas clássicas). inclusivamente na expressão do rosto. 60-61) A imprensa fez com que fossem produzidos mais livros e com um preço mais barato. Pertence ao Gótico Final mas distingue-se pelos elementos decorativos relacionados com a monarquia e os descobrimentos: ..marítimos: cordas.novas técnicas (tela.Ciências da Natureza: Garcia da Orta (pesquisas sobre plantas medicinais) . 16 Interpreta o Manuelino como um estilo decorativo ligado aos Descobrimentos. 62) Itália. 15 Identifica as principais características da arquitectura renascentista.escultura: estátuas equestres à maneira romana.Astronomia: Copérnico (teoria heliocêntrica.aplicação da perspectiva (ilusão da profundidade) 14 Analisa o novo modelo de representação do homem na escultura renascentista. (p. esfera armilar.naturalistas: cachos de uvas. 13 Explica o carácter inovador da pintura renascentista. 62+73) . (p. no século XV.

. 7 Refere as decisões tomadas no Concílio de Trento. a visitar as dioceses. .Há bispos e pastores (padres) Lê-se a Bíblia e cantam-se hinos no templo . bispos e padres Assiste-se à missa na Igreja Bíblia apenas em latim Igreja Protestante: . o calvinismo e o anglicanismo. 70) O Concílio de Trento disciplinou e moralizou os costumes do clero e reafirmou todos os dogmas católicos. . criticando a atribuição do perdão dos pecados mediante o pagamento de uma quantia em dinheiro: • para Lutero. (p. 70) A Reforma Católica .movimento de renovação interna através do Concílio de Trento. . 66) Os membros do clero eram acusados de: .Bíblia traduzida em cada língua nacional 6 Distingue Reforma Católica de Contra-Reforma. não prestando apoio espiritual aos fiéis. surgiram três religiões protestantes: o luteranismo. também. (p. (p.movimento de combate ao aparecimento do Protestantismo. interessavam-se mais com os prazeres carnais do que com os assuntos da fé. alguns aspectos que as distinguem: por exemplo. Os aspectos que distinguiam as religiões protestantes do Catolicismo eram: Igreja Católica : .Há 7 sacramentos. o Calvinismo e o Anglicanismo. 68) No século XVI.1 Descreve as críticas feitas à Igreja Católica. no Luteranismo. . a Teoria da Predestinação no Calvinismo e o rei como chefe supremo da Igreja no Anglicanismo. (p.os membros do Clero rodeavam-se de luxo.Há cardeais. 5 Indica os aspectos que distinguem a religião católica das religiões protestantes. actuando mais como príncipes do que como homens de fé. • Lutero disse que a Igreja era suficientemente rica para construir a Basílica de S. o perdão pela fé. 66) Martinho Lutero afixa as “95 Teses contra as Indulgências”. (p. o celibato.muitos dos cargos eclesiásticos eram comprados por membros da nobreza.Há 2 sacramentos.A Contra-Reforma . . . 3 Refere os aspectos que distinguem cada uma das religiões protestantes: o Luteranismo. 2 Justifica a afixação das “95 Teses contra as Indulgências” por Lutero. Todas criticavam os dogmas e a actuação da Igreja Católica mas têm.Não acredita na Virgem nem nos santos Recusa da autoridade do Papa. . Obrigou os membros do clero a hábitos mais contidos na comida e no vestuário.Salvação pela fé.Salvação pela fé e pelas boas obras O Papa é o chefe da Igreja. Deus concede o perdão apenas se a pessoa estiver verdadeiramente arrependida. sem qualquer preparação eclesiástica. sem ter necessidade de recorrer aos fiéis. Pedro.

nomeadamente no Oriente e na América do Sul. das finanças. • Distância e duração das viagens. inconveniente: era mulher). • Não seriam retirados territórios a Portugal. Os acontecimentos que levaram à União Ibérica foram: . Duquesa de Bragança (apoiado pela nobreza tradicional.Tentativa de D. . • Despesas muito elevadas.Três pretendentes ao trono entre os primos de D. bruxas. da justiça. . que acusava. alto clero e grande burguesia (comércio nos territórios espanhóis). Filipe II acaba. feiticeiros. Espanha possuía um poderoso Império. no entanto. O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL 1 Explica a crise do Império Português a partir de meados do século XVI. As razões da crise do Império Português em meados do século XVI eram: • Dispersão dos territórios (África. Prior do Crato (apoiado pelo povo. António. Ásia e América). militares e eclesiásticos seriam para portugueses. torturava e condenava à morte todos os culpados de heresia (protestantes. . o cardeal D. por ser declarado rei de Portugal.a derrota na Batalha de Alcácer Quibir e a morte do rei. por isso. • Corrupção. a Inquisição era um Tribunal eclesiástico. Em 1581. nas Cortes de Tomar. sobretudo na América Central e do Sul. 2 Demonstra o apogeu do Império Espanhol. o Império Espanhol atingiu a sua máxima extensão. Filipe II tinha. Filipe II (inconveniente: era rei de Espanha). oriundas do ouro e da prata das Américas. foi uma solução temporária: rei já tinha idade. Sebastião restaurar o prestígio de Portugal no Norte de África. sem descendentes. (p. apresentando uma série de promessas: • Manutenção da Independência Nacional.Sucessão do seu tio-avô.8 Descreve o papel da Inquisição e da Companhia de Jesus no combate ao Protestantismo. 3 Descreve os acontecimentos que levaram à União Ibérica. a vantagem de ser rei de um país com grandes riquezas. Catarina. …). No tempo de Filipe II. D. • Os cargos da administração. Sebastião: D. reunindo o apoio da alta nobreza (terras e cargos). . estava doente e não tinha descendentes. prendia. No século XVI. inconveniente: era filho ilegítimo) e D. • Ataques de piratas e de corsários • Os naufrágios devido ao sobrecarregamento. de onde vinham para Sevilha grandes quantidades de ouro e de prata. • O cargo de vice-rei/governador seria para um português. 70 A Companhia de Jesus tinha uma missão evangelizadora. • Manter-se-ia o uso da moeda e da língua portuguesa. Henrique. judeus. o Índex era uma lista de livros proibidos pela Igreja Católica.

afirmando que qualquer país tinha o direito a navegar pelos mares e de fazer comércio com qualquer povo/zona do mundo. devido à posse de uma série de territórios. transportando produtos de todo o lado por toda a Europa. foi aclamado Rei de Portugal. a Holanda vai afirmar-se como a grande potência imperial. Portugal e Espanha. Os objectivos desta lei eram arruinar a frota holandesa e desenvolver a construção naval e a marinha mercante inglesas. Na primeira metade do século XVII. 5 Justifica a importância do Acto de Navegação para a economia inglesa. Vai. cresceu o descontentamento entre os vários grupos sociais portugueses.4 Demonstra a importância da Holanda na economia europeia na primeira metade do século XVII. caracterizado pelo absolutismo. tornar-se. no tempo e no espaço. o rei aumento os impostos. 9 Descreve a forma como se processou a Restauração da Independência. 7 Descreve as consequências da crise do Império Espanhol para Portugal/Explica o descontentamento da população portuguesa face ao domínio espanhol Com a crise do Império espanhol. na América. Por isso. nomeando a Duquesa de Mântua (espanhola) para vice-rainha d Portugal. D. os Holandeses tiveram que defender a teoria do Mare Liberum (mar livre). Para que isto acontecesse. Contestaram. Duque de Bragança. 2 Localiza. uma lei que determinava que o transporte de mercadorias de outros países e das colónias inglesas para Inglaterra só poderia ser feito por navios ingleses ou pelos navios de origem dos produtos.Diz em que consiste a expressão “Antigo Regime”. Antigo Regime é o período da história da Europa entre os séculos XV e XVIII. o absolutismo. recrutou tropas portuguesas para as guerras de Espanha e retirou autonomia a Portugal. em 1 de Dezembro de 1640. como França. a grande intermediária. o Tratado de Tordesilhas. desde o povo até à alta nobreza. A cidade de Amesterdão vai tornar- se na principal cidade comercial da Europa. com o título de D. Através de um golpe palaciano. O Absolutismo existiu em vários países europeus. João. ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO NUMA SOCIEDADE DE ORDENS 1. Os objectivos foram amplamente cumpridos. 6 Explica o desenvolvimento do capitalismo comercial a partir do século XVI. em África e na Ásia. por isso. que dividiu o “mundo” entre Portugal e Espanha. por isso. permitindo à Inglaterra tornar-se na principal potência comercial e colonial a partir de meados do século XVII. pela sociedade de ordens e pela expansão do comércio colonial. João IV. Em 1651. organizado por um grupo de nobres. a Inglaterra publica o Acto de Navegação. a partir do século XVI até aos finais do século XVIII/inícios do século .

As características do absolutismo são: . podia controlá-los e domesticá-los: estes ficavam dependentes dos pequenos favores prestados ao rei e. João V como um rei absoluto. contratação de técnicos estrangeiros . A adopção do Mercantilismo pelo Conde da Ericeira deveu-se à crise do nosso .D. afirmando-se como o Rei-Sol português. Deixou de convocar as Cortes e construiu o Palácio de Mafra. 9 Descreve os objectivos e as medidas defendidas pelo mercantilismo. atribuição de subsídios. Manuel I – Ordenações Afonsinas e Ordenações Manuelinas . senão. rodeando-se de luxo e riqueza e controlando os nobres portugueses.XIX.concentração de todos os poderes nas mãos do rei . o que quer dizer que todos. Rodeando-se dos nobres mais importantes do país. voltariam para a coroa) . provinha de Deus e. Duarte: Lei Mental (os bens doados pela coroa só podiam ser transmitidos ao filho mais velho.não convocação das Cortes . sem excepção. vai utilizar a riqueza para afirmar o seu poder político. 6 Refere as etapas de implantação do absolutismo em Portugal. As etapas da implantação do absolutismo em Portugal foram: . portanto. ou seja. 3 Descreve as características do absolutismo.aparecimento de um corpo de funcionários que aplicavam as decisões reais 4 Explica a teoria divina do poder real. 5 Descreve a Corte como instrumento de poder.desenvolvimento das manufacturas: criação de manufacturas. Quem desobedecesse ao rei. Os objectivos do mercantilismo eram obter uma balança comercial positiva (mais exportações e menos importações) de forma a promover a entrada de riqueza no país. portanto.D. cometia um verdadeiro sacrilégio e seria julgado. faziam tudo para agradá-lo. 8 Define mercantilismo. As medidas tomadas para atingir esse fim eram: . O poder real era considerado de origem divina. Manuel I – reforma dos forais 7 Identifica D. D. aproveitando as remessas de ouro brasileiro. Mercantilismo foi a política económica adoptada por vários Estados europeus no século XVII com o objectivo de aumentar a riqueza dos países. João V. Os reis absolutos utilizavam a corte como instrumento de poder real. teriam de obedecer ao rei.D.protecção da produção nacional através da publicação das pragmáticas e do aumento das taxas alfandegárias aplicadas aos produtos importados. 10 Explica a adopção do Mercantilismo pelo Conde da Ericeira. Afonso V e D. só a ele tinha de prestar contas.fomento do comércio através da criação de companhias comerciais .

Durante o reinado de D. decidiu que já não precisava de investir na sua produção nacional. As diversas ordens sociais estavam organizadas segundo o nascimento. até ao camponês empobrecido e ao mendigo. 2 Explica a assinatura do Tratado de Methuen. As vantagens do Tratado de Methuen foram: aumentou a produção vinícola. implicando diversas formas de vestuário e de tratamento na sociedade. 4 Refere as vantagens e desvantagens da assinatura desse tratado para a economia portuguesa. O Clero e a nobreza eram grupos privilegiados. podendo importar livremente os produtos à Inglaterra. a cada um. 13 Diferencia as três ordens sociais. Segundo esse acordo comercial. ou não. a nobreza e o Terceiro Estado (burguesia e povo) – distinguindo-se pelos privilégios atribuídos. porque Portugal. 11 Define Sociedade de Ordens. Possuíam grandes extensões de terra. O Terceiro Estado era muito heterogéneo. Portugal e a Inglaterra assinaram o Tratado de Methuen. João V. O ANTIGO REGIME PORTUGUÊS NO SÉCULO XVIII 1 Descreve a importância do afluxo do ouro brasileiro para a economia portuguesa. Tinham justiça própria e estavam isentos do pagamento de impostos. devido ao afluxo de ouro brasileiro. um reinado caracterizado pela riqueza. Portugal aceitava importar os têxteis ingleses. devido ao aumento das exportações para Inglaterra. o qual mandou construir. homem de negócios. 3 Indica os termos desse tratado. sem qualquer tipo de limitação e a Inglaterra aceitava a importação de vinhos portugueses pagando taxas alfandegárias reduzidas. a função e o estatuto jurídico.comércio colonial face à diminuição das exportações para os outros países europeus. e afirmar-se como rei absoluto. sobretudo na região do Douro. chegaram a Portugal grandes quantidades de ouro vindo do Brasil. Sociedade de Ordens é uma sociedade estratificada em três ordens ou grupos sociais – o clero. portanto. A todos eles era comum o facto de pagarem impostos e não terem qualquer privilégio. permitindo ao rei rodear-se de luxo no Palácio de Mafra. . Em 1703. recebendo as rendas dos camponeses. 12 Descreve os aspectos que determinavam a posição social de cada um. O reinado foi. abarcando situações económicas distintas: desde o grande burguês enriquecido.

o Marquês de Pombal vai disciplinar a nobreza e o clero com a condenação à morte dos Távora e da expulsão dos Jesuítas. Alguns progressos científicos: . à qual atribuía certos privilégios económicos (ex: companhias monopolistas) e títulos nobres.Física – Newton – lei da gravidade . permitindo aos “antigos judeus” a sua ascensão social e económica. C. 6 Descreve a forma como o Marquês de Pombal vai implantar o Despotismo Esclarecido. que consiste em várias etapas: observação do fenómeno.Astronomia – Galileu – comprova a teoria heliocêntrica . de Grão-Pará e Maranhão. vai apoiar-se na burguesia. formulação de hipótese. … . Para a sua governação. Por isso. 2 Refere alguns progressos científicos ocorridos no século XVII. concessão de subsídios e privilégios (ex: isenção de impostos) e contratação de técnicos estrangeiros. Numa segunda etapa. O Marquês de Pombal implantou o Despotismo Esclarecido. portanto. etc). Também aboliu a distinção entre cristãos-velhos e cristãos-novos. A Revolução Científica consistiu num conjunto de progressos científicos em vários campos do conhecimento devido à aplicação do método científico de Descartes. A REVOLUÇÃO CIENTÍFICA E O ILUMINISMO 1 Diz em que consistiu a Revolução Científica. aumentou. barómetro. experimentação e formulação de tese/lei. luneta astronómica. termómetro. última etapa do absolutismo régio: tipo de regime político em que o rei é a autoridade suprema porque era considerado como a única pessoa com capacidades especiais para tomar as medidas adequadas para o progresso da Nação. podiam desenvolver-se). o Marquês de Pombal teve como objectivo desenvolver as manufacturas através da criação ou renovação de manufacturas. crise das manufacturas portuguesas devido à concorrência dos produtos ingleses. Essas companhias comerciais eram compostas por capitais privados de burgueses. 5 Descreve a política de fomento económico do Marquês de Pombal Numa primeira etapa. a dependência económica face à Inglaterra. mais baratos e de melhor qualidade.circulação sanguínea 3 Dá exemplos de novos instrumentos utilizados no século XVII. o Marquês de Pombal teve como objectivo desenvolver o comércio português através da criação de companhias comerciais monopolistas ( Companhia das Vinhas do Alto Douro. Alguns instrumentos: microscópio.Medicina – Harvey .As desvantagens foram: aumentou o défice da balança comercial porque as importações de têxteis ingleses aumentaram mais do que a exportação de vinhos portugueses. mas recebiam do Estado o monopólio de produção e de comercialização de determinado produto em determinada região (não sofrendo de concorrência.

A Companhia de Jesus dominava o ensino em Portugal.a educação é essencial para a obtenção do conhecimento .defendem a divisão tripartida do poder para evitar abusos: o poder executivo para o rei. . 5 Descreve as ideias defendidas pelos iluministas.horror ao vazio e decoração exuberante. . o maremoto e incêndios que lhe seguiram. O Barroco Caracteriza o Barroco nas suas várias vertentes: arquitectura. o legislativo para as assembleias e o judicial para os tribunais. os livros e a maçonaria. . Descreve as reformas pombalinas do ensino. Os meios de difusão das ideias iluministas eram: os clubes. 6 Refere os meios de difusão das ideias iluministas. conduziu à morte de cerca de 7 mil pessoas e à destruição da maior parte dos edifícios da cidade de Lisboa. transmitindo sempre uma emoção dramática O urbanismo pombalino 1. Portugal: resistência à inovação e as reformas pombalinas do ensino 1.A existência da Inquisição e do Índex impedia qualquer pessoa de ler ou divulgar as novas ideias. os salões. 2. movimento dinâmico do corpo na pintura e escultura) .crença no valor da razão como fonte do conhecimento . com o perigo de serem julgadas de heresia.todos os homens nascem livres e iguais pelo que fazem críticas à sociedade estratificada da época . Justifica o atraso da cultura portuguesa. deste modo. O terramoto de 1755. nomeadamente pela utilização da talha dourada .Criação do Real Colégio dos Nobres para a preparação dos filhos da nobreza -Reforma da Universidade de Coimbra. os cafés. a transmissão das novas ideias que circulavam na Europa .gosto pelo movimento (curvas e contra-curvas na arquitectura. As ideias iluministas eram: . com a aplicação de um ensino de tipo experimental.teatralismo e exagero nas expressões. escultura e pintura: O Barroco caracteriza-se por: . as academias. caso o fizessem. os jornais.Expulsão dos jesuítas de Portugal e consequente laicização do ensino .4 O que foi o Iluminismo? O Iluminismo foi um movimento intelectual surgido na Europa no século XVIII que se caracterizou pela crença na razão humana.todos os homens têm direito a serem felizes . transmitindo apenas as ideias defendidas pela Igreja Católica impedindo.o conhecimento é indispensável para o progresso das sociedades . Descreve os acontecimentos ocorridos a 1 de Novembro de 1755.

a partir de 1670: .evolução da medicina (aparecimento da vacina) Estes factores permitiram a diminuição da mortalidade o que.alargamento da área de cultivo: arroteamentos das florestas. permitiu o aumento da população.aumento de matérias-primas necessárias à indústria 3 Descreve as razões que explicam a Revolução Demográfica. Alguns dos progressos técnicos foram: . nos finais do século XVII. Descreve o modo como Lisboa foi reconstruída A reconstrução da “baixa” pombalina vai obedecer às seguintes ideias: . batata e arroz . Descreve as consequências da Revolução Agrícola. beterraba.planta geométrica. Transformações registadas na agricultura em Inglaterra.edifícios simples e funcionais.melhoria da alimentação (consumo de mais carne e leite) . demográfica e industrial 1. Os sectores de arranque da Revolução Industrial foram o sector têxtil e metalúrgico 6 Descreve alguns progressos técnicos registados na época.2. As causas que originaram a Revolução Demográfica foram: . sendo um incentivo ao aumento da produção agrícola e industrial e do comércio . fertilização dos campos e afolhamento quadrienal (vantagens: maior área cultivada e aumento da criação de gado pela substituição do pousio pelo trevo) 2.aumento do número de consumidores. a par de uma natalidade elevada.desenvolvimento da criação de gado: cruzamento e selecção de raças .introdução de novas culturas: milho.melhoria da alimentação .aumento da produção agrícola . introdução de máquinas agrícolas.ruas largas . Descreve as transformações ocorridas na agricultura inglesa. construídos em sistema de gaiola para reduzir os efeitos de futuros terramotos A Revolução Agrícola.novas técnicas agrícolas: selecção de sementes.melhoria das condições de higiene (uso mais frequente do sabão e de vestuário em algodão) . As consequências da Revolução Agrícola foram: .o aumento da população permitiu a existência de mais mão-de-obra para as indústrias 5 Menciona os sectores de arranque da Revolução Industrial. com ruas paralelas e perpendiculares . drenagem dos pântanos e o movimento dos enclosures ( vedação dos campos e inclusão dos baldios nas propriedades agrícolas de nobres e burgueses) . 4 Refere as consequências da Revolução Demográfica: O aumento da população permitiu: .

1773 . as colónias reunem- se no Congresso de Filadélfia e declaram a independência . Justifica o crescente descontentamento dos colonos americanos relativamente ao domínio inglês.1775-1783 .. estavam unidas pela origem comum (80% de origem britânica). A Revolução Liberal Americana 1. As 13 colónias eram independentes umas das outras e dedicavam-se a diferentes actividades económicas. No entanto.numerosa mão-de-obra . Os acontecimentos que conduziram à independência dos EUA foram: .6) . Estas fábricas estarão nas mãos de grandes burgueses. O artesão e a oficina são substituídos pelo operário e a fábrica.Boston Tea Party .indústria metalúrgica – sistema de pudlagem (aço) e altos fornos 7 Justifica a importância da invenção da máquina a vapor. local onde haverá uma grande concentração de máquinas.4 de Julho de 1776 .os colonos disfarçam-se de índios e atiram para a água o carregamento de chá dos navios da Companhia das íIndias Ocidentais . 3.guerra pela independência 1785 .aumento dos impostos para fazer face às despesas com a Guerra dos 7 anos.Tratado de Versalhes .o direito de comerciar com o exterior pertencia à metrópole . operadas pelos trabalhadores. tear mecânico . Passa-se de um regime de manufactura para o de maquinofactura: a produtividade aumenta. conduzindo à diminuição dos preços. Relata os acontecimentos que conduziram à declaração de independência dos EUA.após a reacção militar dos ingleses.inovações técnicas (2. permitindo pôr outras máquinas em movimento 8 Justifica o arranque da Revolução Industrial em Inglaterra. a religião (maioritariamente protestante) e a defesa dos ideais liberais. 2.vias de comunicação favoráveis (rios e canais) . algodão) . a língua. Os factores que permitiram o arranque da Revolução Industrial em Inglaterra foram: . Identifica os aspectos que uniam os colonos americanos. Explica porque foi a independência dos EUA uma revolução liberal.abundância de matérias-primas (lã.existência de capitais para investir 9 Descreve as consequências da Revolução Industrial sobre o regime de produção.indústria têxtil – water-frame. A máquina a vapor produzia energia. mule-jenny. carvão. Na Declaração da Independência e na COnstituição Americana estão presentes os seguintes princípios liberais: .a Inglaterra reconhece a independência dos EUA 4. Os colonos estavam descontentes pelos seguintes motivos: .

defesa da divisão tripartida dos poderes: o poder legislativo para o Congresso (constituído pelo Senado e pela Câmara dos Representantes). e o poder judicial para os tribunais . à felicidade. etc . das finanças e da defesa. à igualdade. o poder executivo para o Presidente. .criação de um Estado Federal: cada estado tem autonomia em determinadas áreas da administração mas um governo central encarrega-se das relações externas.defesa de direitos inalienáveis dos homens: direito à liberdade.defesa da soberania popular ( a ideia de que o poder é dado aos governantes pelo povo) . à vida..