You are on page 1of 36

Jorge Storniolo

Henrique Bianchi

Reunião Locomotion 18/03/2013


 Histórico

 Conceito

 Cuidados

 Protocolos

 Prática
 Antiguidade:
• Gregos e egípcios estudavam e observavam as
relações de medidas entre diversas partes de
corpo

 Origem do termo (grego):


• anthropos = homem
• metrikos = justa proporção
 Ciência que estuda e avalia as medidas
de tamanho, massa e proporções do
corpo humano (Marins, 2003)

Importância
 Predição e estimativa dos vários
componentes corporais para qualquer
tipo de população
Enfermos Saudáveis Obesos Atletas
(Vescovi et al., 2001)
Massa Estatura Perímetros

Dobras Cutâneas Diâmetros Ósseos


 Falta de manutenção dos equipamentos

 Despreparo dos profissionais

 Não utilização do protocolo ideal


Técnica
 Peso igualmente distribuído nas duas pernas;
 Roupas leves e descalço;
A calibragem deve ser feita periodicamente,
com pesos conhecidos.
(Heyward & Stolarczyk, 2000)
Técnica
 Posicionamento:
• Peso igualmente distribuído nas duas pernas;
• Braços relaxados ao lado do corpo com as mãos
voltadas para as coxas;
• Calcanhares unidos e tocando a haste vertical de
medida;
• Cabeça na posição neutra e olhos fixos à frente.
(Heyward & Stolarczyk, 2000)
Índice de Massa Corporal
Massa corporal
Altura

OMS

NHANES II
National Healthy and
Nutrition
Examination Survey
Técnica
Dobra Direção Referência Medida
anatômica
Peito Horizontal Mamilos Fita ao redor do tronco na linha dos
mamilos.
Cintura Horizontal Parte mais “estreita” do Fita ao redor do tronco na parte mais
tronco. estreita ao final de um expiração normal.
Abdominal Horizontal Cicatriz umbilical Fita ao redor do tronco na cicatriz umbilical
ao final de um expiração normal.
Braço Perpendicular Acrômio e olécrano Ponto médio entre o acrômio e olécrano.
ao eixo
Quadril (Glúteo) Horizontal Maior perímetro da Fita ao redor do maior perímetro da região
região glútea glútea.
Coxa Perpendicular Linha inguinal e patela Fita ao redor da coxa no ponto médio entre
ao eixo a linha inguinal e a borda superior da patela.
Panturrilha Perpendicular Maior perímetro da perna Fita ao redor do maior perímetro da perna.
ao eixo

(Heyward & Stolarczyk, 2000)


Técnica
1. Todas as medidas do lado direito do corpo;
2. Localizar e marcar o local da medição;
3. “pinçar” a dobra com o polegar e o indicador;
4. “pinçamento” de aproximadamente 8cm de amplitude e
1-2cm ACIMA ou ABAIXO do local marcado;
5. Posicionar o plicômetro NO LOCAL marcado e
suavemente soltar as hastes;
6. Manter a dobra pressionada durante a medida;
7. Considerar a medida após 3 segundos.
8. Afastar as hastes.
(Heyward & Stolarczyk, 2000)
Técnica
1. Todas as medidas do lado direito do corpo;
2. Localizar e marcar o local da medição;
3. “pinçar” a dobra com o polegar e o indicador;
4. “pinçamento” de aproximadamente 8cm de amplitude e
1-2cm ACIMA ou ABAIXO do local marcado;
5. Posicionar o plicômetro NO LOCAL marcado e
suavemente soltar as hastes;
6. Manter a dobra pressionada durante a medida;
7. Considerar a medida após 3 segundos.
8. Afastar as hastes.
(Heyward & Stolarczyk, 2000)
Técnica
1. Todas as medidas do lado direito do corpo;
2. Localizar e marcar o local da medição;
3. “pinçar” a dobra com o polegar e o indicador;
4. “pinçamento” de aproximadamente 8cm de amplitude e
1-2cm ACIMA ou ABAIXO do local marcado;
5. Posicionar o plicômetro NO LOCAL marcado e
suavemente soltar as hastes;
6. Manter a dobra pressionada durante a medida;
7. Considerar a medida após 3 segundos.
8. Afastar as hastes.
(Heyward & Stolarczyk, 2000)
Técnica
1. Todas as medidas do lado direito do corpo;
2. Localizar e marcar o local da medição;
3. “pinçar” a dobra com o polegar e o indicador;
4. “pinçamento” de aproximadamente 8cm de amplitude e
1-2cm ACIMA ou ABAIXO do local marcado;
5. Posicionar o plicômetro NO LOCAL marcado e
suavemente soltar as hastes;
6. Manter a dobra pressionada durante a medida;
7. Considerar a medida após 3 segundos.
8. Afastar as hastes.
(Heyward & Stolarczyk, 2000)
Técnica
1. Todas as medidas do lado direito do corpo;
2. Localizar e marcar o local da medição;
3. “pinçar” a dobra com o polegar e o indicador;
4. “pinçamento” de aproximadamente 8cm de amplitude e
1-2cm ACIMA ou ABAIXO do local marcado;
5. Posicionar o plicômetro NO LOCAL marcado e
suavemente soltar as hastes;
6. Manter a dobra pressionada durante a medida;
7. Considerar a medida após 3 segundos.
8. Afastar as hastes.
(Heyward & Stolarczyk, 2000)
Técnica
1. Todas as medidas do lado direito do corpo;
2. Localizar e marcar o local da medição;
3. “pinçar” a dobra com o polegar e o indicador;
4. “pinçamento” de aproximadamente 8cm de amplitude e
1-2cm ACIMA ou ABAIXO do local marcado;
5. Posicionar o plicômetro NO LOCAL marcado e
suavemente soltar as hastes;
6. Manter a dobra pressionada durante a medida;
7. Considerar a medida após 3 segundos.
8. Afastar as hastes.
(Heyward & Stolarczyk, 2000)
Técnica
1. Todas as medidas do lado direito do corpo;
2. Localizar e marcar o local da medição;
3. “pinçar” a dobra com o polegar e o indicador;
4. “pinçamento” de aproximadamente 8cm de amplitude e
1-2cm ACIMA ou ABAIXO do local marcado;
5. Posicionar o plicômetro NO LOCAL marcado e
suavemente soltar as hastes;
6. Manter a dobra pressionada durante a medida;
7. Considerar a medida após 3 segundos.
8. Afastar as hastes.
(Heyward & Stolarczyk, 2000)
Técnica
1. Todas as medidas do lado direito do corpo;
2. Localizar e marcar o local da medição;
3. “pinçar” a dobra com o polegar e o indicador;
4. “pinçamento” de aproximadamente 8cm de amplitude e
1-2cm ACIMA ou ABAIXO do local marcado;
5. Posicionar o plicômetro NO LOCAL marcado e
suavemente soltar as hastes;
6. Manter a dobra pressionada durante a medida;
7. Considerar a medida após 3 segundos;
8. Afastar as hastes.
(Heyward & Stolarczyk, 2000)
Técnica
1. Todas as medidas do lado direito do corpo;
2. Localizar e marcar o local da medição;
3. “pinçar” a dobra com o polegar e o indicador;
4. “pinçamento” de aproximadamente 8cm de amplitude e
1-2cm ACIMA ou ABAIXO do local marcado;
5. Posicionar o plicômetro NO LOCAL marcado e
suavemente soltar as hastes;
6. Manter a dobra pressionada durante a medida;
7. Considerar a medida após 3 segundos;
8. Afastar as hastes.
(Heyward & Stolarczyk, 2000)
Medidas
 Realizadas no lado direito;

 No mínimo duas medidas de cada local;


• medidas diferentes (10%): mais uma medida e então
utiliza-se o mais baixo entre os dois mais próximos.

 Realizadas em circuito;
 Pele seca e sem loções;
 Não medir após a realização de exercícios;
 Leitura do aparelho.

(Heyward & Stolarczyk, 2000)


Dezenas

Unidades
Tríceps (Jackson e Pollock, 1978; Jackson et al., 1980)

 ponto médio entre o acrômio e o rádio proximal


 medido lateralmente
 dobra é vertical e paralela ao eixo axial do braço
 medida é tomada na superfície mais posterior do braço
 sobre o músculo tríceps
 braço deve estar relaxado, assim como o ombro.
Tríceps (Jackson e Pollock, 1978; Jackson et al., 1980)

 ponto médio na face anterior do braço


 medido lateralmente
 coincide com o ponto da dobra do tríceps na face posterior do braço
 entre o processo acromial da escápula e o processo do olécrano da ulna
 braço deve estar relaxado, assim como o ombro.
Subescapular (Jackson e Pollock, 1978; Jackson et al., 1980)

 2 cm abaixo e a direita do monto inferior da escápula.


Peitoral (Jackson e Pollock, 1978; Jackson et al., 1980)

 Metade entre mamilo e axila;

2/3 entre axila e mamilo


Axilar média (Jackson e Pollock, 1978; Jackson et al., 1980)

 dobra vertical marcada ao nível do processo xifóide;


 sobre a linha médica axilar;
 avaliado apoia o braço nos ombros do avaliador (nunca acima
de 90º).
Suprailíaca (Jackson e Pollock, 1978; Jackson et al., 1980)

 linha axilar média imediatamente acima do ponto iliocristal;


 braço direito deve estar fletido com a mão repousando sobre o ombro
esquerdo;
 dobra é ligeiramente oblíqua anteriormente abaixo, obedecendo a linha de
acumulo de gordura.
Abdominal (Jackson e Pollock, 1978; Jackson et al., 1980)

 dobra vertical localizada lateralmente a 5cm de distância do


centro da cicatriz umbilical;
Coxa (Jackson e Pollock, 1978; Jackson et al., 1980)

 ponto médio entre a prega inguinal e o ponto médio do bordo


superior da patela;
 pé apoiado e joelho a 90°;
 avaliador de frente para a lateral direita da coxa.
Panturrilha (Jackson e Pollock, 1978; Jackson et al., 1980)

 pé apoiado, o joelho fletido a 90º e com a panturrilha relaxada;


 a dobra é vertical, medial e na linha da maior circunferência da
perna.
(Jackson e Pollock, 1978; Jackson et al., 1980)
(Jackson e Pollock, 1978; Jackson et al., 1980)

Distância entre as bordas súpero-laterais dos


acrômios direito e esquerdo.

Bi-acromial

Altura da sexta costela, sobre a linha axilar


média.

Torácico transverso
(Jackson e Pollock, 1978; Jackson et al., 1980)

Ponta do paquímetro sobre o esterno, na altura


da quarta articulação esterno-costal. A outra
ponta sobre o processo espinhoso da vértebra
localizada no mesmo plano.

Torácio ântero-posterior

Braços cruzados a frente. Pernas afastadas


aproximadamente 5 cm. Aparelho colocado no
ponto de maior distância entre as cristas.

Bi-ileocristal
(Jackson e Pollock, 1978; Jackson et al., 1980)

Distância entre as projeções mais laterais dos


trocânteres maiores.

Bi-trocanteriano

Ombro e cotovelo com 90º de flexão. Bordas


externas dos epicôndilos medial e lateral do
úmero direito.

Bi-epicôndilo umeral
(Jackson e Pollock, 1978; Jackson et al., 1980)

Cotovelo com flexão de 90º e mão relaxada.


Distância entre as apófises estilóides do rádio e
da ulna.

Bi-estilóide Avaliado sentado, com articulação do joelho em


90º e os pés sem tocar no solo. Distância entre
as bordas externas dos côndilos medial e lateral
do fêmur.

Avaliado em pé, com afastamento


lateral dos pés e peso distribuído
igualmente. Maior distância entre
maléolo medial e lateral.
Bi-côndilo femural

Bi-maleolar
www.ufrgs.br/locomotion