You are on page 1of 9

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

Faculdade de Engenharia Química


EQ-415 Termodinâmica
Trabalho
(25/06/2018)

Nomes​: ​RA:
Gabriel Cavalca Coutinho 171946
Antônio Nercessian de Abreu 166653
Victor Alves Bezerra 187830
Ítalo Engers Marques 155826
Kaan Oliveira 156071
1. Introdução

Este  relatório  tem  o  objetivo  de  calcular  o  perfil  de  temperatura,  densidade, 
pressão  e  quantidade  de  matéria  no  interior  de  um  vaso  de  pressão  de  10  metros 
cúbicos,  inicialmente  a  1  bar  e  300  K  por uma corrente de entrada que tem uma vazão 
de 10 mol·s-1 de metano a 300 K e 250 bar até o momento em que a pressão do vaso se 
iguala a da corrente de entrada. 
 
 
Para  a  determinação  das  propriedades  termodinâmicas  do  processo  utilizamos 
como base a Equação de Estado e Soave-Redlich-Kwong​[1]​ e as equações residuais.  
Equação de estado utilizada para cálculos: Soave-Redlich Kwong​1 
RT a
P= v−b - v(v+b) (1) 

A equação de estado também pode ser escrita em função do fator de 


compressibilidade  
 
(Z): Z​3 ​- Z​2​ + Z(A- B- B​2​) - AB = 0 (2) 
onde: 
R2 T C2
a = 0,42747 PC
 
RT C
b = 0,08664 PC
 
1/2
α1/2 = 1 + k (1 − T R )  
aP
A= 2 2  
R T
bP
B= RT
 
k = 0.48508 + 1.55171ω − 0.15613ω 2  
 
2. Dados Iniciais 
Para  efetuar  os  estudos  do  processo,  partiu-se  de  alguns  dados  iniciais 
fornecidos pelo enunciado do projeto e de alguns dados padrões para o metano.  
 
Propriedades de referência do Metano: 
  
ω = 0,011420 (fator acêntrico) 
Tc = 190,6K (Temperatura Crítica) 
Pc = 4,61 MPa (Pressão Crítica) 
 
Referência adotada:  
Temperatura e Pressão da corrente de entrada (T=300 K e P=250 bar) 
Sendo: 
2 3 2
C p(kJ/mol K) = A + B * T + C * T + D * T + E/T ,com: 
A = − 0, 703029; B = 108, 4773; C = − 42, 52157; D = 5, 862788; E = 0, 678565  
entrando T a 10​3​K. 
 
Temperatura da corrente = 300 K 
Pressão da corrente = 250 bar 
Temperatura inicial do vaso= 300 K 
Pressão inicial do vaso = 1 bar 
Hipóteses adotadas: 
-Processo adiabático 
 
3. Procedimento 
 
Inicialmente, no código, foram declaradas, de maneira global, as principais constantes 
utilizadas. 

R = 8, 314 P a.m3
M ol.K   
g
M M = 16, 04 mol  

 
3.1  Cálculo do perfil de quantidade de matéria e de densidade 
3.1.1 Cálculo do número de mols inicial 
Resolvendo a equação (1), a partir dos valores iniciais T = 300K e p = 250 bar (entrada), 
encontramos Z= 0,998342 
Sendo V=10m​3​, podemos encontrar o valor de no por 
(P V /RT )/Z = (P V /RT )/(pv/RT ) = V /v = no   
Que é o número de mols que está no tanque no momento inicial. 
 
3.1.2 Perfil de quantidade de matérira 
Para o perfil de quantidade de matéria, calculamos primeiro o n​0​ (inicial) e depois 
adicionamos 10 mol.s​-1 ​para cada tempo t . 
Após passado um período de tempo (passo), teremos o novo número de mols por: 
nn = nn−1 + passo × f luxo   
Com o número de mols obtemos o volume molar: 
V
v= n
 
 
3.1.3 Perfil de densidade 
Para o perfil de densidade usamos: 
densidade = M/v;  
sendo: M=Massa molar; 
v= volume molar 
 
 

3.2  Cálculo do perfil de Temperatura e de Pressão 


3.2.1 Balanços 
Volume de controle: Tanque   
dn
Balanço de massa: dt = n1 = n    
dU dU
Balanço de energia: dt = nhe + Q + Ẇ dt
= nhe  
 
Consideramos como adiabático e as paredes do tanque incompressíveis. 
dU
dt
= nhe  
Como he = ∫ C pdT e, levando em consideração as propriedades de referência adotadas, 

temos que he = 0  
 
dU
Desse modo, dt
= 0 , ou seja, ΔU = 0 ⇒ U f = U i  
U = nu ⇒ ni ui = nf uf  
R
Sendo que u = uR + uGI , uR = h − pv R , e pv R = pv − pv GI (3) 
R
Podemos calcular h através da equação para cálculo da entalpia residual na equação 
de Soave-Redlich Kwong​2​: 
(eq) H R = RT (Z − 1) + R(1 + k) BA T
ln ( Z+B
Z

√α

 
R
Obs: h também é variável com o tempo, pois depende de Z (que varia a cada instante 
de tempo) 
Podemos reescrever a equação (3), da seguinte maneira:  
 

u = hR − pv + ∫ C pdT   (4) 

∫ C pdT = AT + B * T 2 /2 + C * T 3 /3 + D * T 4 /4 − E/T + F − H  

F = -76,84376 
H = -74,87310 
Substituindo o valor de hr encontrado, obtemos u . 
3.2.2 Método iterativo 
Estimamos então duas Temperaturas para o nosso sistema. Tchute e 
Tchute*1,01. Com esses valores calculamos a energia interna específica em função da 
Temperatura e de volume específico. Através do método da secante encontramos uma 
terceira Temperatura, tal que a função f (x) = nu(T chute , pchute ) − n0 u0 fosse 

minimizada, com |erro| < 10−4 J  


Através de iterações numéricas realizadas pelo método da Secante, chutamos 
uma temperatura T que nos retornará uma pressão p através da equação (1). Como 
ni ui = nf uf para cada tempo, sabendo ni ui (tempo zero), utilizamos um laço para zerar a 

função nu(T chute , pchute ) − n0 u0 = 0 .  

Através dos valores resultantes das iterações, obtemos os perfis de temperatura e 


pressão. 
 

4. Análise dos Resultados 


Os resultados que obtivemos ao final das iterações foram coerentes com o 
esperado. No começo do processo é observada uma queda na temperatura do tanque, 
devido a expansão do gás.  
A temperatura chega a valores próximos de 180K, próximo a 410 segundos, 
antes de voltar a subir até terminar o processo em valores próximos a 340K. 
A pressão sobe desde o início até chegar a 250 bar, dando fim ao processo. 
O tempo total do processo foi de aproximadamente 9150 segundos. 

Tempo [s] No de mols [mol] Densidade [g/m^3] Temperatura [K] Pressão [bar]

0 401,57 644,12 300 1

1 411.57 660.16 296.66 1.01

10 501.57 804.52 272.27 1.13

100 1401.57 2248.12 201.84 2.32

409,5 4496,57 7212,50 183,67 6,49

2000 20401,57 32724,12 212,20 29,69

3000 30401.57 48764.12 233,68 47,29

4000 40401,57 64804,12 254,20 68,23

5000 50401,57 80844,12 273,37 93,09

9150 91904,57 147414,93 339,14 250,00


 
Figura 1: Gráfico do número de mols [10 .mol] por Tempo [min] 
5

 
 
 
 

Figura 2: Gráfico da Densidade[kg.m-3] por Tempo [mi 


Figura 3: Gráfico da Temperatura [K] por Tempo [min] 
 
 
 
 
 
Figura 4: Gráfico da Pressão [bar] por Tempo [min] 

Referências:

[1] Trabalho - EQ415. Disponível em: 


<​http://www.ggte.unicamp.br/eam/pluginfile.php/474769/mod_resource/content/1/t
rabalho.pdf​ >. Acesso em 25 de junho de 2018. 
 
[2] Soave, G., Equilibrium constants from a modified Redlich-Kwong equation of state, 
Chem. Eng. Sci., 27, 1197-1203, 1972. 
 
[3] Methane. National Institute of Standarts and Technology. Disponível em: 
<​https://webbook.nist.gov/cgi/cbook.cgi?Name=methane&Units=SI​>. Acesso em 25 
de junho 2018.  
 
[4] Thermodynamic Properties from Cubic Equations of State, Patrick Chung-Nin Mak 
B.A.Sc, The University of British Columbia, 1985. Disponível em: 
<​https://open.library.ubc.ca/media/download/pdf/831/1.0058883/2​> ​. Acesso em 25 
de junho 2018.