You are on page 1of 76

a

ul
eb
c
S
Capa
Estatística I
(para leigos)
Aprenda fácil e rápido!
com exercícios e
resoluções comentadas
P
ro
f
M

Por meio de uma linguagem simples, prática e objetiva, este livro foi
desenvolvido especialmente com o propósito de ensinar estatística para
S
c

pessoas com pouca familiaridade (leigos) com essa matéria, pessoas


com pouca habilidade com operações básicas de matemática, alunos
Ua

que estão tendo dificuldades em aprender estatística em suas aulas de


nd

rotina e, também, para aquelas que aprenderam estatística, mas que


buscam melhorar o desempenho de suas notas.
er
s on
R
eb
ul
a

A versão impressa deste livro pode ser comprada em


www.agbook.com.br ou www.clubedeautores.com.br

Clique aqui para comprar a versão impressa


“Atualmente, todos – estudantes e professores – procuram o Udemy porque é a
plataforma onde todos estão”.
Fonte: Jornal do Brasil

Faça o curso online na Udemy


Estatística I (para leigos):
aprenda fácil e rápido!
Com o Prof. MSc. Uanderson Rébula
"O livro digital Estatística I para leigos possui uma linguagem fácil e ao mesmo tempo dinâmica. O
conteúdo do livro está ordenado de forma a facilitar a aprendizagem dos alunos, mesmo aquelas
pessoas que não tenham noção nenhuma de estatística aprenderão com esse livro. Você pode
estudar sozinho para concursos pois o livro é auto explicativo ou até mesmo em grupos, no meu
caso faço isso com meus alunos. Eu super recomendo esse livro!!! NOTA 1000"
Maria Eunice Souza Madriz
Professora de estatística da rede estadual de ensino da Bahia
Avaliação do livro pelo cliente na amazon.com.br

Saiba
mais
Clique aqui

www.udemy.com
Junte-se a milhões de estudantes na maior plataforma on-line
de cursos curtos e práticos do mundo.

Com mais de 45.000 cursos virtuais disponíveis, o Udemy é uma plataforma global de
ensino on-line onde 15 milhões de alunos estão dominando novas habilidades.

O foco do Udemy são os conhecimentos práticos e úteis para o mercado de trabalho. Há


cursos gratuitos e pagos. São cursos curtos e com valores bem acessíveis.
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

Uma mensagem do Prof. MSc Uanderson Rébula. CLIQUE NO VÍDEO

CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE NO CURSO JÁ

Sumário
Todos os direitos reservados e protegidos ao autor – Lei 9.610, de 19/02/98. Nenhuma parte deste livro poderá ser reproduzida,
vendida, transmitida e gravada, por qualquer meio eletrônico, por fotocópia e outros, sem autorização, por escrito, do autor.
Art. 184, §1º e §2º do Decreto-Lei nº 2.848, de 07 de dezembro de 1940 – Código Penal: [...] quem, com o intuito de lucro direto
ou indireto, distribui, vende, expõe à venda, aluga, introduz no País, adquire, oculta, tem em depósito, original ou cópia de obra
intelectual ou fonograma reproduzido com violação do direito de autor [...] sem a expressa autorização dos titulares dos
direitos ou de quem os represente:
Pena – reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa.

Copidesque: Uanderson Rébula de Oliveira


Editoração: Uanderson Rébula de Oliveira
Arte e Produção: Uanderson Rébula de Oliveira
Capa: Uanderson Rébula de Oliveira

Licenças de comercialização e distribuição

Saraiva - Publique-se
Grupo Saraiva e Siciliano S.A.,
Rua Henrique Schaumann, nº 270, São Paulo/SP.
P

www.saraiva.com.br
ro

Amazon Serviços de Varejo do Brasil Ltda.


f

Av. Juscelino Kubitschek, 2041, Torre E, 18° andar - São Paulo/SP


www.amazon.com.br
M

AgBook Empreendimentos
S

Rua Otto Boehm, 48 Sala 08. América


c

CEP 89201-700 – Joinville/SC.


www.agbook.com.br
Ua

Clube de Autores Publicações S/A


nd

Rua Otto Boehm, 48 Sala 08. América


CEP 89201-700 - Joinville/SC.
er

www.clubedeautores.com.br
s on

Impressão

AlphaGraphics Brasil
R

Rua Guararapes, 1855


eb

CEP 04561-003 - São Paulo/SP


www.alphagraphics.com.br
ul
a

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)

O48c Oliveira, Uanderson Rebula de

Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido! / Uanderson Rebula de Oliveira. 1ª Edição. São
Paulo: Edição do autor – Saraiva Publique-se, 2017.

74 f. : il. Bibliografia: f. 73 ISBN: 978-85-922607-1-2

1. Estatística – estudo e ensino 2. Estatística – problemas e exercícios. I. Título

CDD 519.507
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira
Doutorando em Engenharia. Professor universitário.
“Mais de uma década ensinando Estatística”

Uanderson Rébula de Oliveira é Doutorando em Uanderson possui experiência de 21 anos de trabalho


Engenharia e Mestre em Engenharia de Produção em ambiente industrial (ex-funcionário da Companhia
pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Pós- Siderúrgica Nacional, 1993-2014), onde atuou em
graduado em Controladoria e Finanças pela diversas funções operacionais e técnicas voltadas à
Universidade Federal de Lavras (UFLA) e em Logística administração da produção, logística, sistemas de
Empresarial pela Universidade Estácio de Sá (UNESA). transportes, gestão de estoques, qualidade, segurança
Graduado em Ciências Contábeis. Técnico em do trabalho e meio ambiente. Possui ampla experiência
Metalurgia e em Segurança do Trabalho. Operador no desenvolvimento e instrução de diversos cursos
Industrial. Possui diversos cursos de extensão nas corporativos (teóricos e práticos), na indústria, com
P

áreas de logística, qualidade, meio ambiente e mais de 20.000 treinados em todos os níveis funcionais.
segurança do trabalho. Por meio dos programas de Pós-graduação em
ro

Engenharia (Mestrado e Doutorado), atualmente


f

É professor convidado dos cursos de MBA em Gestão desenvolve pesquisas sobre Logística Reversa de
da Produção pela UNESP, Gestão da Produção e Resíduos Eletroeletrônicos, possuindo diversos artigos
M

Manutenção pela UFF e Pós-graduação em Engenharia publicados nessa área. Além do presente livro,
S

de Segurança do Trabalho pela UniFOA. Professor em Uanderson possui diversas obras disponíveis na livraria
universidades da região Sul Fluminense (RJ), desde Saraiva. Clique aqui para ver todas as obras do autor.
c

2006, atuando nas áreas de Estatística (por mais de Uanderson também possui dezenas de apostilas – dos
Ua

uma década), Logística, Administração da Produção, mais variados temas – disponíveis gratuitamente em
Engenharia Econômica, Qualidade, Segurança do diversas redes sociais acadêmicas ao redor do Brasil.
nd

Trabalho e Meio Ambiente. É orientador de trabalhos


de conclusão de curso e revisor de periódicos. Contato com o autor:
er

Desenvolveu diversos projetos acadêmicos na UNESA uanderson.rebula@yahoo.com.br


(planos de ensino, de aula, materiais didáticos, banco
son

de questões, projeto pedagógico de cursos, etc). Currículo:


Atuou como Gerente de Operações de Pós-graduação http://lattes.cnpq.br/1039175956271626
na UNESA e em grupos de trabalho em projetos de https://br.linkedin.com/in/uandersonrebula
R

pesquisa financiados pelo Governo Federal.


eb
ul
a
CANAL NO

Apresentação

Ao longo de uma década lecionando a Por meio de uma metodologia simplificada, este
disciplina de Estatística em escolas técnicas e livro vai ajudá-lo a entender, calcular e interpretar
universidades, tive a oportunidade de identificar conteúdos básicos de estatística tais como: i)
dificuldades reais relatadas pelos alunos em relação introdução à estatística, tabelas e gráficos; ii)
a aprendizagem dessa área de conhecimento: i) distribuição de frequências (com e sem intervalos de
pouca habilidade com operações básicas de classes), frequências relativas e acumuladas, gráficos
matemática; ii) existência de numerosos de histogramas, polígono de frequências, gráficos de
procedimentos matemáticos, seguidos de frequências acumuladas (ou ogiva); iii) média simples,
interpretação dos resultados; iii) conteúdo média ponderada, média de distribuição de
P

sequencial (dependente), isto é, uma etapa que não frequências (com e sem intervalos de classes), e média
ro

foi bem compreendida compromete o aprendizado a partir de histogramas; iv) mediana simples, mediana
f

da etapa posterior; e iv) conceitos e cálculos de distribuição de frequências (com e sem intervalos
aparentemente similares, gerando confusão nas de classes) e mediana a partir de histogramas; v)
M

resoluções e interpretações dos resultados moda simples, moda bruta, moda de Czuber, moda de
estatísticos. distribuição de frequências (com e sem intervalos de
S

Em razão dessas dificuldades, por meio de classes) e moda a partir de histogramas.


c

uma linguagem simples, prática e objetiva, este livro Ao aprender os conteúdos deste livro, você: i)
Ua

foi desenvolvido com o propósito de ensinar aumentará as chances de resolver exercícios de


estatística: i) para iniciantes ou pessoas com pouca estatística em suas aulas de rotina com mais agilidade
nd

habilidade com operações básicas de matemática; ii) e eficiência; ii) terá noções básicas de elaboração,
alunos com dificuldades em aprender essa disciplina análise e interpretações de resultados estatísticos; iii)
er

em suas aulas de rotina ou que aprenderam poderá utilizar essa poderosa ferramenta para
estatística, mas buscam melhorar o desempenho de melhorar a qualidade de seus trabalhos, sejam
s on

suas notas; e iii) profissionais que desejam conhecer escolares ou profissionais; iv) obterá os recursos
a estatística com o propósito de aplicá-la no necessários para decifrar e tomar importantes
trabalho. decisões com relação aos resultados estatísticos.
R

A linguagem usada neste livro evita termos Este livro é parte integrante da série de cursos
eb

excessivamente técnicos, simplifica conceitos online de Estatística (para leigos): aprenda fácil e
considerados difíceis e desmistifica algumas ideias rápido! – ministrado pelo Prof. MSc. Uanderson Rébula
ul

consideradas como inacessíveis aos estudantes de de Oliveira – disponível nas seguintes plataformas de
a

estatística. A obra possui explicações intuitivas e cursos online: www.udemy.com, www.learncafe.com e


práticas sobre conceitos básicos estatísticos, ideias, www.floqq.com.
técnicas, fórmulas e cálculos; passo a passo conciso
e claro de procedimentos matemáticos que
intuitivamente explicam como lidar com problemas Um grande abraço e bons estudos!
estatísticos; exercícios propostos com aumento Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira
gradativo do nível de dificuldade; resoluções uanderson.rebula@yahoo.com.br
comentadas, passo a passo, de todos os exercícios
propostos.
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Sumário (Os textos estão com links. Clique naquele de interesse)

Capítulo I – Estatísticas, tabelas e gráficos


1.1 O que é Estatística? Para que serve?, 10
1.2 Como estudar Estatística com eficiência?, 10
1.3 Tabelas e Gráficos: O que são? Para que servem?, 11
1.4 Tabelas, 11
1.5 Gráficos, 12
1.5.1 Gráfico em Colunas, 12
1.5.2 Gráfico em Barras, 12
1.5.3 Gráfico em Linhas, 12
P
ro

1.5.4 Gráfico em Setores, 13


f

1.5.5 Gráfico Polar, 13


M

1.5.6 Gráfico Cartograma, 13


S

Exercícios propostos, 14
c

Resolução dos exercícios propostos, 17


Ua
nd

Capítulo II – Distribuição de frequências


er

2.1 O que é Distribuição de frequência? Para que serve?, 21


s

2.2 Distribuição de frequência (sem classes) e tipos de frequências, 21


on

2.2.1 Frequência e histograma, 21


R

2.2.2 Frequência relativa (fr%), 22


eb

2.2.3 Frequência acumulada (fa), 22


ul

2.2.4 Frequência relativa acumulada (fra%), 22


a

2.2.5 Aplicações da distribuição de frequência, 23


Exercícios propostos, 24
Resolução dos exercícios propostos, 27
2.3 Distribuição de frequência (com classes), 30
2.3.1 Conceito e construção, 30
2.3.2 Histograma com classes, 31
2.3.3 Polígono de frequência, 31
2.3.4 Gráfico de frequências acumuladas (ou ogiva), 31
Exercícios propostos, 32
Resolução dos exercícios propostos, 36

Sumário
7
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

Capítulo III – Medidas Resumo - média, mediana e moda

3.1 O que são Medidas Resumo? Para que servem?, 41


3.2 Médias, 42
3.2.1 Média simples, 42
3.2.2 Média ponderada, 42
Exercícios propostos, 43
Resolução dos exercícios propostos, 46
3.2.3 Média de distribuição de frequência (sem classes), 49
3.2.4 Média de histogramas (sem classes), 49
3.2.5 Média de distribuição de frequência (com classes), 49
3.2.6 Média de histogramas (com classes), 50
P

Exercícios propostos, 51
ro

Resolução dos exercícios propostos, 53


f

3.3 Mediana, 55
M

3.3.1 Mediana simples, 55


S
c

3.3.2 Mediana de distribuição de frequência e histograma (sem classes), 55


3.3.3 Mediana de distribuição de frequência e histograma (com classes), 56
Ua

3.3.4 Qual a lógica da equação da mediana com classes?, 56


nd

Exercícios propostos, 57
er

Resolução dos exercícios propostos, 60


s on

3.4 Moda, 63
3.4.1 Moda simples, 63
R

3.4.2 Moda de distribuição de frequência e histograma (sem classes), 63


eb

3.4.3 Moda de distribuição de frequência e histograma (com classes), 63


ul

3.4.4 Qual a lógica da equação da moda com classes?, 64


a

Exercícios propostos, 65
Resolução dos exercícios propostos, 68
3.5 Relação entre média, mediana e moda, 71

Mensagem do autor, 72

Referências Bibliográficas, 73

Sumário
8
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Capítulo 1
ro
f

Estatística,
M
S
c

Tabelas e
Ua
nd
er

Gráficos
s on
R
eb
ul
a

Sumário 9
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

1.1 O que é Estatística? Para que serve?


ENTENDENDO RAPIDAMENTE O mundo está repleto de problemas e frequentemente nos deparamos com diversas
informações a respeito deles nos mais variados veículos de comunicação (jornais, rádios, programas de TV, etc).
São notícias sobre doenças, obesidades, tabagismo, criminalidades, pobreza, acidentes de trânsito, inflação,
desemprego, mortalidade infantil, catástrofes, danos ambientais, aquecimento global, não reaproveitamento de
resíduos, fabricação de produtos defeituosos, prejuízos nas vendas, acidentes do trabalho, etc. Para resolvermos
boa parte deles precisamos reunir dados e compreendê-los, isto é, coletar informações que possam ser contadas,
como peso, temperatura, preço, número de produtos defeituosos etc. É aí que entra a Estatística, pois ela se
encarrega dessa árdua tarefa. A estatística tem por objetivo coletar, organizar, analisar e interpretar as
informações de um problema em estudo para, assim, auxiliar na tomada de decisão. Portanto, a estatística tem
um papel fundamental na geração do conhecimento: por meio de seu uso, governos, empresas, pessoas, escolas,
entidades, instituições e organizações atuam na formulação de soluções dos problemas da sociedade moderna.
Cientificamente, é difícil compreender um problema que envolve dados sem o uso da estatística, pois ela
coloca ordem à desordem, projeta estudos e experimentos; coleta, organiza, resume e analisa dados; interpreta
resultados, esboça conclusões e auxilia na tomada de decisão. Para desenvolver essa tarefa, a estatística se apoia
na matemática e nos seus principais instrumentos: tabelas, gráficos, distribuição de frequência, histogramas,
médias, mediana, moda, decil, quartil, percentil, variância, amplitude total, desvio médio, desvio padrão, escore
padrão, assimetria, curtose, correlação, regressão, números índice, probabilidades, amostragens e distribuições
amostrais, intervalos de confiança, teste de hipóteses, estatística não paramétrica, entre outros. Neste livro
P

vamos abordar apenas os instrumentos sublinhados acima. Os demais serão abordados no livro: Estatística II (para
ro

leigos): aprenda fácil e rápido! Se você tiver interesse em saber um pouco mais sobre estatística, clique nos links
abaixo e veja um vídeo e leia um artigo. Caso não, vá para a próxima seção (isto não afetará a sua aprendizagem).
f
M
S
c
Ua
nd
er

1.2 Como estudar Estatística com eficiência?


s

ESTA É A SEÇÃO MAIS IMPORTANTE DESTE LIVRO Ao longo de uma década


on

ensinando estatística (e aprendendo também) tive a oportunidade de


identificar dificuldades reais relatadas pelos alunos quanto a aprendizagem
R

dessa disciplina: i) pouca habilidade com operações básicas de matemática; ii)


eb

existência de numerosos procedimentos matemáticos, seguidos de


interpretação dos resultados; iii) existência de numerosos conceitos e, para
ul

piorar, sequenciais (dependentes), isto é, uma etapa que não foi bem
a

compreendida compromete o aprendizado da etapa posterior; e iv) conceitos


e cálculos aparentemente similares, gerando confusão nas resoluções e interpretações. De fato, esses relatos
fazem sentido e representam a realidade desses estudantes. Então, como estudar estatística com eficiência para
obter melhores resultados? Basta seguir (fielmente) as orientações abaixo!

PARA ESTUDAR ESTATÍSTICA COM EFICIÊNCIA, ADOTE COMO REGRA AS SEGUINTES ORIENTAÇÕES:
1. ESTUDE DE ACORDO COM A SEQUÊNCIA DAS SEÇÕES DESSE LIVRO – seja paciente, avance gradualmente e não
pule as seções! Lembre-se: os conteúdos de estatística são dependentes e, portanto, uma etapa não
compreendida compromete a aprendizagem da etapa posterior;
2. RESOLVA TODOS OS EXERCÍCIOS PROPOSTOS – sem exercícios, sem aprendizagem! Para cada seção há
exercícios propostos. Devido ao aumento gradual do nível de dificuldade, não passe para o próximo
exercício sem que o anterior seja resolvido.
3. CONFIRA OS RESULTADOS NA SEÇÃO “RESOLUÇÃO DOS EXERCÍCIOS PROPOSTOS” – para cada exercício proposto
há resolução comentada. Use-a para conferir, e não copiar! Você absorverá o conteúdo com mais eficiência
se, e somente se, tentar resolver os exercícios. Esta dica é de ouro!
4. FAÇA O CURSO ONLINE DE ESTATÍSTICA I (PARA LEIGOS): APRENDA FÁCIL E RÁPIDO! – você ainda tem a opção de
fazer este curso, pois ele aborda o conteúdo desse livro com aulas interativas e com escritas diretamente na
tela do computador (método preferido pelos alunos nas aulas online).

Sumário
10
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

1.3 Tabelas e Gráficos: O que são? Para que servem?


ENTENDENDO RAPIDAMENTE Um dos objetivos da estatística é o de organizar e resumir os dados, e mostrar as
informações em forma de tabelas e gráficos é a maneira mais simples de se fazer isso. Portanto, as tabelas e
gráficos são um dos instrumentos mais usados para ajudar na análise e interpretação de dados, pois eles permitem
que o leitor tenha uma noção sobre o assunto em estudo e chegue a uma rápida conclusão. Diariamente vemos
tabelas e gráficos nos mais variados veículos de comunicação (tais como jornais, revistas, livros, televisão,
Internet, redes sociais etc.), associadas a assuntos diversos do nossa rotina diária, como resultados de pesquisas
eleitorais, esportes, segurança pública, saúde, trabalho, emprego, renda, economia, cidadania, etc. A importância
das tabelas e dos gráficos está ligada, sobretudo, à facilidade e agilidade na absorção e conhecimento dos dados
por parte do leitor e também às diversas maneiras de ilustrar e resumir as informações apresentadas.
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE – www.ibge.gov.br), por exemplo, dispõe de diversas
publicações resultantes de coleta de dados e estudos realizados por esta instituição. Uma publicação interessante
do IBGE diz respeito aos “Indicadores de Desenvolvimento Sustentável – 2015”. Por meio de tabelas, gráficos e
mapas, essa publicação fornece subsídios para o acompanhamento da sustentabilidade do padrão de
desenvolvimento brasileiro nas dimensões ambiental, social, econômica e institucional, oferecendo um panorama
abrangente de informações necessárias ao conhecimento da realidade do País.
P
ro

1.4 Tabelas
f

Tabela é um quadro que organiza informações por meio de linhas e colunas.


M
S

 Uma tabela é composta por título, cabeçalho, corpo e fonte. Veja abaixo.
c

Produção de café
Título
Ua

Brasil – 1991 – 1995


(indica o assunto da tabela)
Cabeçalho Produção
Anos
nd

(indica o conteúdo das colunas) (Toneladas)


1991 2.535
er

Fonte 1992 2.666


Corpo
(mostra onde as informações foram 1993 2.122
s

(indica as informações
coletados, servindo para dar 1994 3.750
on

contidas na tabela)
credibilidade aos dados) 1995 2.007
Fonte: IBGE
R

Tabelas podem ser compostas por várias linhas e colunas, dependendo da complexidade do problema em
eb

estudo. Em geral, há três tipos de tabelas: histórica, geográfica e específica. Veja abaixo cada uma delas.
ul

TIPOS DE TABELAS
a

Tabela Histórica Tabela Geográfica Tabela Específica


Descreve as informações ao longo Descreve as informações por LOCAIS Descreve as informações por TEMAS
do TEMPO (pode ser anos, meses, (pode ser países, regiões, cidades, ESPECÍFICOS (pode ser qualquer
dias, horas, etc). Veja abaixo. bairros, ruas, etc). Veja abaixo. tema). Veja abaixo.

Acidentes do Trabalho Acidentes do Trabalho Acidentes do Trabalho


São Paulo – 1989 – 1994 São Paulo – 1989 São Paulo – 1989 – por tipo
Anos Quantidade Cidades Quantidade Tipo Quantidade
Longo do Tempo

1989 6.325 Guarulhos 3.325 Queda 1.632


Tema específico

1990 7.265 Cubatão 1.235 Corte 1.002


Locais

1991 5.458 Santos 2.658 Choque 2.458


1992 8.658 Osasco 2.142 Atrito 3.658
1993 9.578 Bauru 1.213 Impacto 3.578
1994 6.254 Campinas 4.102 Queimadura 4.254
Fonte: Instituto Paulista Fonte: MPAS Fonte: Sindicato Paulista

Sumário 11
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

1.5 Gráficos
Gráfico é uma forma de organizar informações por meio de imagens (figuras).

 Uma imagem vale mais do que mil palavras. A importância de um gráfico está ligado à facilidade e rapidez na
interpretação das informações e também à variedade de formas de ilustração dos dados apresentados.
 Igualmente às tabelas, os gráficos devem possuir título, cabeçalho, corpo e fonte. Veja a seguir os mais usados.

1.5.1 Gráfico em Colunas


Municípios criados no Brasil - 1940 - 2014
É a representação dos valores por meio 7000
de retângulos na posição vertical. Utiliza-se 6000 5507 5565 5570
4991
quando desejamos ressaltar a quantidade 5000 3952 3974
de valor em estudo.

Quantidade
4000
2766
3000
1574 1889
2000
O gráfico ao lado, por exemplo, mostra que na 1000
década de 1940 registrou-se 1574 municípios 0
no Brasil; já em 2014 contabilizou-se 5570 1940 1950 1960 1970 1980 1990 2000 2010 2014
municípios. Fonte: IBGE Anos
P
ro

1.5.2 Gráfico em Barras


f

Palavras a serem escritas são extensas.


Tem o mesmo propósito do gráfico em Municípios criados no Brasil - por regiões - 2014
M

colunas, porém os valores são


representados por meio de retângulos na Centro-Oeste
S

467 Total: 5.570


posição horizontal. Utiliza-se quando as
c

Sul 1191
palavras a serem escritas são extensas
Regiões
Ua

para obter um melhor aspecto visual. Sudeste 1668


nd

Nordeste 1794
O gráfico ao lado, por exemplo, mostra que a
er

região Nordeste possui 1794 municípios Norte 450


enquanto que a região Norte possui 450. Note
s

que as palavras “Centro-Oeste”, “Nordeste” e 0 500 1000 1500 2000


on

“Sudeste” são extensas, razão pela qual Fonte: IBGE Quantidade


optou-se em utilizar o gráfico em barras.
R
eb

1.5.3 Gráfico em Linhas


ul

Municípios criados no Brasil - 1940 - 2014


É a representação dos valores por meio
a

de linhas. Utiliza-se quando desejamos 6000


entender o comportamento (variação) dos 5000
valores ao longo do tempo. As flutuações
4000
da linha (para cima ou para baixo)
Quantidade

proporcionam uma rápida visualização da 3000


tendência (aumento, diminuição ou 2000
estabilização) dos valores em estudo.
1000

O gráfico ao lado, por exemplo, revela que o 0


comportamento (variação) da quantidade de 1940 1950 1960 1970 1980 1990 2000 2010 2014
municípios criados no Brasil vem aumentando Fonte: IBGE Anos
desde a década de 1940, mas estabilizou-se a
partir da década de 2000.

Sumário
12
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

1.5.4 Gráfico em Setores

É a representação dos valores por meio de um


círculo, dividindo-os em grupos. Utiliza-se quando Municípios criados no Brasil - por regiões - 2014
desejamos ressaltar a participação de um valor em Centro-Oeste Norte
relação ao total, geralmente na forma de 9% 8%
porcentagem.
O gráfico ao lado, por exemplo, revela que a região
Sul
Nordeste possui a maior porcentagem de municípios
21%
instalados, com 32% de participação no Brasil; já a Nordeste
região Norte possui a menor participação, com 8% do 32%
total.

Como pode ser visto no gráfico ao lado, os Sudeste


dados são divididos em grupos (Norte, Sul etc.), 30%
mostrando a porcentagem de participação de
Fonte: IBGE
cada grupo. Devido a forma circular do gráfico de
setores, as partes que representam cada grupo podem ser facilmente comparadas, pois a soma das porcentagens
de todos os grupos totalizam 100%.
P

1.5.5 Gráfico Polar


ro

Consumo de energia elétrica (em Kw/h) -


É a representação dos valores por meio de um
f

Residência de Uanderson Rébula - 2015


círculo, dividindo-os em períodos cíclicos
janeiro
M

(periódico), por exemplo: janeiro a dezembro. 200


dezembro fevereiro
Utiliza-se quando desejamos ressaltar o 160 150 190
S

180
comportamento (variação) dos valores que
c

novembro 100 março


possuem periodicidade de ocorrência. 130 130
50
Ua

O gráfico ao lado, por exemplo, revela que no mês outubro 100 0 120 abril
janeiro consumiu-se 190 kw/h de energia elétrica.
nd

80 110
Entretanto, o consumo diminuiu gradualmente nos 75 70 90
meses seguintes, e voltou a aumentar a partir de setembro maio
er

novembro.
agosto junho
s

Esse gráfico chama-se “Polar” devido ao uso Fonte: Light julho


on

de um sistema de coordenadas polares, isto é, os


valores partem do “polo” (do centro do gráfico) e com uma escala em volta dele chamada “eixo polar”. Esse
R

gráfico é indicado para representar variações climáticas (como temperatura), demográficas (natalidade, economia,
eb

produção, etc.), pluviométricas (quantidade de chuva em um período), consumo de água, energia elétrica, etc.
Qualquer elemento em estudo por período cíclico.
ul

1.5.6 Gráfico Cartograma


a

Expectativa (esperança) de vida do brasileiro – por regiões – 2012

É a representação dos valores por meio de mapas.


Utiliza-se quando desejamos comparar os valores em
estudo associando-os com seus respectivos locais
(regiões) de ocorrência.

O gráfico ao lado, por exemplo, revela que a população


residente nas regiões Sul e Sudeste (exceto o Rio de
Janeiro) possuem a maior expectativa de vida, variando
entre 74,91 e 77,70 anos de idade (vide a cor mais escura
no mapa e na legenda). Já alguns estados, como
Amazonas, Rondônia, Piauí, Maranhão e Alagoas,
possuem a menor expectativa de vida, variando entre
69,38 e 70,91 anos de idade (vide a cor mais clara no mapa
e na legenda).

Fonte: IBGE

Sumário 13
Tente resolver esses
exercícios. Depois,
Prof. MSc. Uanderson Rébula deasOliveira
confira resoluções
nas págs. 17, 18 e 19.
Exercícios propostos

QUESTÃO 1
O gráfico abaixo apresenta as vendas das filiais de uma empresa de calçados no mês de março de 2011.

Leste Norte
Se as vendas da filial Norte totalizaram R$ 9 milhões, o valor total das vendas
22% 18% de toda a região, ou seja, da empresa, em março de 2011, foi de:

a) 100 milhões
Sul b) 80 milhões
Oeste c) 50 milhões
27%
33% d) 45 milhões
e) 40 milhões

QUESTÃO 2 (ENADE-2006 – Administração – questão 6)


A legislação de trânsito brasileira considera que o condutor de um veículo está dirigindo alcoolizado quando o teor alcoólico de
seu sangue excede 0,6 gramas de álcool por litro de sangue. O gráfico abaixo mostra o processo de absorção e eliminação do
álcool quando um indivíduo bebe, em um curto espaço de tempo, de 1 a 4 latas de cerveja.

Considere as afirmativas a seguir.


P

I. O álcool é absorvido pelo organismo muito mais lentamente


ro

do que é eliminado.

II. Uma pessoa que vá dirigir imediatamente após a ingestão da


f

bebida pode consumir, no máximo, duas latas de cerveja.


M

III. Se uma pessoa toma rapidamente quatro latas de cerveja, o


S

álcool contido na bebida só é completamente eliminado após


se passarem cerca de 7 horas da ingestão.
c
Ua
nd
er

Está (ão) correta (s) a (s) afirmativa (s)


s

a) II, apenas. b) I e II, apenas. c) I e III, apenas. d) II e III, apenas. e) I, II e III.


on

QUESTÃO 3
Dentre os resíduos industriais, destaca-se a emissão de gás carbônico, que causa o efeito estufa. O gráfico mostra como se
R

distribuía a produção desse poluente em 1996.


Se a produção dos países ricos era de 3,2 bilhões de toneladas,
eb

Países em
crescimento a produção dos países pobres, em bilhões de toneladas, deve
Países pobres ser estimada em cerca de
ul

15%
35% a) 3,1
a

b) 2,2
c) 1,4
Países ricos d) 1,1
50% e) 1,05

QUESTÃO 4 (ENEM – 2012 – caderno rosa – questão 144)


O dono de uma farmácia resolveu colocar à vista do público o gráfico mostrado a seguir, que apresenta a evolução do total de
vendas (em Reais) de certo medicamento ao longo do ano de 2011.
De acordo com o gráfico, os meses em que
ocorreram, respectivamente, a maior e a menor
venda absolutas em 2011 foram
a) março e abril.
b) março e agosto.
c) agosto e setembro.
d) junho e setembro.
e) junho e agosto.

Sumário
14
14
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

Sumário 15
15
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

Exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

Sumário
16
16
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Resolução dos exercícios propostos

QUESTÃO 1
O gráfico abaixo apresenta as vendas das filiais de uma empresa de calçados no mês de março de 2011.

Leste Norte
Se as vendas da filial Norte totalizaram R$ 9 milhões, o valor total das
22% 18% vendas de toda a região, ou seja, da empresa, em março de 2011, foi de:
a) 100 milhões Use a regra de três simples:
b) 80 milhões R$ 9 milhões ----- 18%
Oeste Sul
27%
c) 50 milhões R$ x milhões ------ 100%
33%
d) 45 milhões
e) 40 milhões 18x = 9 * 100
x = R$ 50 milhões  letra c)

QUESTÃO 2 (ENADE-2006 – Administração – questão 6)


A legislação de trânsito brasileira considera que o condutor de um veículo está dirigindo alcoolizado quando o teor alcoólico de
seu sangue excede 0,6 gramas de álcool por litro de sangue. O gráfico abaixo mostra o processo de absorção e eliminação do
álcool quando um indivíduo bebe, em um curto espaço de tempo, de 1 a 4 latas de cerveja.
Considere as afirmativas a seguir.
eixo y

I. O álcool é absorvido pelo organismo muito mais lentamente


P

do que é eliminado. Errado! Note que o álcool é absorvido


rapidamente pelo sangue (ver eixo y) e demora horas para
ro

ser eliminado (ver eixo x).


II. Uma pessoa que vá dirigir imediatamente após a ingestão da
f

bebida pode consumir, no máximo, duas latas de cerveja.


M

Certo! Se ele consumir 2 latas de cerveja absorverá menos de


0,5 (g/litro) de álcool no sangue, e o limite é 0,6 (g/litro).
S

III. Se uma pessoa toma rapidamente quatro latas de cerveja, o


c

álcool contido na bebida só é completamente eliminado após


eixo x se passarem cerca de 7 horas da ingestão. Certo! Até 7 horas
Ua

ainda há álcool no sangue. Só após esse período que o álcool


é completamente eliminado.
nd

Está (ão) correta (s) a (s) afirmativa (s) Resposta: letra d)


er

(a) II, apenas. (b) I e II, apenas. (c) I e III, apenas. (d) II e III, apenas. (e) I, II e III.
s on

QUESTÃO 3
Dentre os resíduos industriais, destaca-se a emissão de gás carbônico, que causa o efeito estufa. O gráfico mostra como se
distribuía a produção desse poluente em 1996.
R

Se a produção dos países ricos era de 3,2 bilhões de toneladas,


eb

Países em
crescimento a produção dos países pobres, em bilhões de toneladas, deve
Países pobres 15% ser estimada em cerca de
ul

35%
a

a) 3,1 Use a regra de três simples:


b) 2,2
Países ricos c) 1,4 3,2 bilhões -------- 50%
50% d) 1,1 x bilhões ---------- 35%
e) 1,05
x = 2,2  letra b)

QUESTÃO 4 (ENEM – 2012 – caderno rosa – questão 144)


O dono de uma farmácia resolveu colocar à vista do público o gráfico mostrado a seguir, que apresenta a evolução do total de
vendas (em Reais) de certo medicamento ao longo do ano de 2011.
De acordo com o gráfico, os meses em que
Maior venda ocorreram, respectivamente, a maior e a
menor venda absolutas em 2011 foram
a) março e abril.
b) março e agosto.
Menor venda c) agosto e setembro.
d) junho e setembro.
e) junho e agosto. (resposta correta)

Sumário 17
17
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira
Resolução dos exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

Sumário
18
18
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Resolução dos exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

Sumário 19
19
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

Capítulo 2
P
ro
f

Distribuição
M
S
c

de
Ua
nd
er

frequência
s on
R
eb
ul
a

Sumário
20
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

2.1 O que é Distribuição de frequência? Para que serve?

A Distribuição de Frequência é um tipo de tabela elaborada a partir da contagem de dados.

 Na distribuição de frequência listamos todos os dados coletados e contamos a quantidade de vezes que eles aparecem
(incluindo as repetições) e, então, distribuímos esses dados em uma tabela. Por esse motivo, essa tabela denomina-se
“Distribuição de Frequência”.
 O termo “frequência” indica o número de vezes que um dado aparece numa observação estatística.

RESUMO DA MATÉRIA
Há duas formas de organizar os dados em uma distribuição de frequência:
 Distribuição de frequência sem classes – usa-se quando há poucos dados (até 25). Há simples contagem de dados;
 Distribuição de frequência com classes – usa-se quando há muitos dados (mais que 25) e com valores dispersos
(variados). Nesse caso, agrupa-se os dados em intervalos de classes e, em seguida, conta-se esses dados.

Com o propósito de organizar mais ainda uma distribuição de frequência há os tipos de frequências e os
gráficos de distribuição de frequência:
 Tipos de frequências – são as frequências relativas (frequência expressa em porcentagem) e acumuladas;
 Gráficos de distribuição de frequências – são gráficos para distribuições de frequências cujos nomes são: histogramas,
P

polígonos de frequências e gráficos de frequências acumuladas (ou ogiva).


ro
f

2.2 Distribuição de frequência (sem classes) e tipos de frequências


M

2.2.1 Frequência e histograma


S
c

EXEMPLO. Um professor organizou os resultados obtidos em uma prova com 25 alunos da seguinte forma:
Ua

Notas dos 25 alunos Comentários às notas dos 25 alunos


nd

4,0 5,0 7,0 9,0 9,0 A partir das notas dos alunos coletadas, o professor pode fazer uma tabulação
4,0 5,0 7,0 9,0 9,0 dos dados para analisar o desempenho da turma, ou seja, organizá-los de modo
er

4,0 5,0 7,0 9,0 9,0 que a consulta a eles seja simplificada e resumida. Então, ele pode elaborar uma
4,0 6,0 8,0 9,0 9,0 Distribuição de frequência dessas notas por meio da sua contagem, ou seja,
s

4,0 6,0 8,0 9,0 9,0 observando o número de vezes que cada nota aparece. Veja abaixo.
on

Distribuição de frequência
R

frequência (f) Comentários à Distribuição de frequência


eb

Nota A tabela ao lado é denominada “Distribuição de frequência”, e o número de vezes


(nº de alunos)
4,0 5 que cada nota aparece chama-se “frequência”, representado por f. Exemplos:
ul

5,0 3  A frequência da nota 4,0 é 5, isto é, 5 alunos obtiveram a nota 4,0.


a

6,0 2  A frequência da nota 5,0 é 3, isto é, 3 alunos obtiveram a nota 5,0.


7,0 3
O símbolo  “sigma” significa “somatório”. Portanto, f=25 significa a soma de
8,0 2 5+3+2+3+2+10. Podemos representar a Distribuição de frequências por meio de
9,0 10 um gráfico, chamado “Histograma”. Veja abaixo.
f=25

Histograma Comentários ao Histograma


Desempenho dos alunos na prova Um histograma é um gráfico de colunas juntas, isto é, não há espaços entre as
12 colunas. Em um histograma, os dados são ordenados do menor valor para o maior
10
10 (no exemplo: 4,0 – 5,0 – 6,0 – 7,0 – 8,0 – 9,0) para facilitar a análise dos dados.
Frequência f

8 O eixo horizontal (→) sempre representará o objeto da pesquisa, no caso, as


6 5 notas dos alunos; e o eixo vertical (↑) sempre representará as frequências (ou
4 3 3 seja, as contagens, quantidades).
2 2
2 O histograma sem classes ao lado indica que:
0  A frequência da nota 4,0 é 5, isto é, 5 alunos obtiveram a nota 4,0.
4,0 5,0 6,0 7,0 8,0 9,0  A frequência da nota 5,0 é 3, isto é, 3 alunos obtiveram a nota 5,0.
Notas

A seguir estudaremos os tipos de frequências e as suas aplicações.

Sumário 21
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

2.2.2 Frequência relativa (fr%)

É a frequência (f) expressa na forma de porcentagem (%).

 Utiliza-se para demonstrar a participação de um valor em relação ao total. Para calcular, basta dividir a frequência (f) pelo
somatório das frequências (f) e, após isso, multiplicar por 100. Veja abaixo.

5
Frequência relativa
/25 x 100 = 20% (faça o mesmo procedimento para as demais notas)
frequência (f) f
Nota fr (%) A frequência relativa fr (%) é obtida por /f x 100, veja:
(nº de alunos)
5
4,0 5 20%  A fr (%) da nota 4,0 é /25 x 100 = 20% Interpretação:
5,0 3 12% 3
 A fr (%) da nota 5,0 é /25 x 100 = 12% 20% dos alunos
6,0 2 8% 2 obtiveram nota 4,0
 A fr (%) da nota 6,0 é /25 x 100 = 8%
7,0 3 12%  A fr (%) da nota 7,0 é
3
/25 x 100 = 12%
8,0 2 8%  A fr (%) da nota 8,0 é
2
/25 x 100 = 8%
9,0 10 40% 10
 A fr (%) da nota 9,0 é /25 x 100 = 40%
f=25 100%

2.2.3 Frequência acumulada (fa)


P
ro

É a soma das frequências (f) até o valor a ser analisado.


f

 Utiliza-se para demonstrar a participação acumulada dos dados. Veja abaixo.


M

Frequência acumulada 5 + 3 = 8 (faça o mesmo procedimento para as demais notas)


S

frequência (f) A frequência acumulada (fa) é obtida por f + fposterior, veja:


Nota fr (%) fa
c

(nº de alunos) llllll


Interpretação:
4,0 5 20% 5  A fa da nota 4,0 é 5 (sempre repete a primeira)
8 alunos
Ua

5,0 3+ 12% 8  A fa das notas 4,0 e 5,0 é 5+3=8 obtiveram até


6,0 2 8% 10  A fa das notas 4,0, 5,0 e 6,0 é 5+3+2=10 a nota 5,0
nd

7,0 3 12% 13  A fa das notas 4,0, 5,0, 6,0 e 7,0 é 5+3+2+3=13


8,0 2 8% 15  A fa das notas 4,0, 5,0, 6,0, 7,0 e 8,0 é 5+3+2+3+2=15
er

9,0 10 40% 25  A fa das notas 4,0, 5,0, 6,0, 7,0, 8,0 e 9,0 é 5+3+2+3+2+10=25
f=25 100%
s on

2.2.4 Frequência relativa acumulada (fra%)


R

É a soma das frequências relativas (fr%) até o valor a ser analisado.


eb

 Utiliza-se para demonstrar a participação acumulada dos dados. Veja abaixo.


ul

Interpretação:
a

20% + 12% = 32% (faça o mesmo 32% dos alunos


Frequência relativa acumulada procedimento para as demais notas)
obtiveram até
frequência (f) a nota 5,0
Nota fr (%) fa fra (%) A fra% é obtida por fr(%) + fr(%)posterior:
(nº de alunos)
4,0 5 20% 5 20%  A fra(%) da nota 4,0 é 20% (sempre repete a primeira)
5,0 3 12% + 8 32%  A fra(%) da nota 4,0 e 5,0 é 20%+12% = 32%
6,0 2 8% 10 40%  A fra(%) da nota 4,0, 5,0 e 6,0 é 20%+12%+8% = 40%
7,0 3 12% 13 52%  A fra(%) da nota 4,0, 5,0, 6,0 e 7,0 é 20%+12%+8%+12% = 52%
8,0 2 8% 15 60%  A fra(%) da nota 4,0, 5,0,... e 8,0 é 20%+12%+8%+12%+8% = 60%
9,0 10 40% 25 100%  A fra(%) da nota 4,0, 5,0, ... e 9,0 é 20%+12%+...+40%=100%
f=25 100%

Na seção seguinte você vai ver alguns exemplos de aplicações da distribuição de frequência.

Sumário 22
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

2.2.5 Aplicações da distribuição de frequência

A organização dos dados por meio de uma distribuição de frequência permite responder a diversas questões
com agilidade e facilidade. Além disso, é possível elaborar uma variedade de gráficos. Veja exemplos abaixo.

frequência f 1. Quantos alunos obtiveram a nota 7,0?


Nota fr (%) fa fra (%)
(nº de alunos) R.: Veja na coluna f que 3 alunos obtiveram a nota 7,0.
4,0 5 20% 5 20% 2. Quantos alunos obtiveram nota até 7,0?
5,0 3 12% 8 32% R.: Veja na coluna fa que 13 alunos obtiveram até a nota 7,0.
6,0 2 8% 10 40% 3. Qual a porcentagem de alunos com nota 7,0?
7,0 3 12% 13 52% R.: Veja na coluna fr(%) que 12% dos alunos obtiveram a nota 7,0.
8,0 2 8% 15 60% 4. Qual a porcentagem de alunos com nota até 7,0?
9,0 10 40% 25 100% R.: Veja na coluna fra (%) que 52% dos alunos obtiveram até a nota 7,0.
f=25 100%

Histograma (f) Gráfico de Setores fr (%) Histograma (f) com frequências


acumuladas (fa)
Desempenho dos alunos na prova
P

Desempenho dos alunos na prova


12 30
ro

10 25
10 Nota 25

Frequências
Frequências

8 4,0; 20
f

Nota 15
6 5 9,0; 20% 15 13
Nota 8 10 10
M

3 40%
4 3 10
2 2 5,0; 12% 5 5 3
3
S

2 5 2 2
Nota
c

0 0
Nota 6,0; 8%
4,0 5,0 6,0 7,0 8,0 9,0 Nota 4,0 5,0 6,0 7,0 8,0 9,0
7,0; 12%
Notas dos alunos
Ua

Notas dos alunos 8,0; 8%


Um histograma com as frequências (f) e um
nd

Um histograma com simples demonstração Um gráfico de setores com gráfico em linhas representando as
das notas dos alunos e as suas respectivas demonstração das notas dos frequências acumuladas (fa). Assim, temos
frequências f.
er

alunos na forma de duas informações em um único gráfico. Por


porcentagens fr (%). exemplo: 2 alunos tiraram 8,0; e 15 alunos
tiraram até 8,0.
s on
R
eb
ul
a

Agora, você vai resolver os exercícios


propostos nas páginas 24, 25 e 26.
Depois, você vai conferir (e somente
conferir) os resultados na seção
“Resolução dos exercícios propostos”,
disponível nas páginas 27, 28 e 29.

Quer ter um bom rendimento em seus


estudos? Então lembre-se: tente
resolver os exercícios e NÃO COPIE os
resultados! Só se aprende tentando!
Não desista! Esforça-te! Você é capaz!

23
Sumário
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira
Exercícios propostos

QUESTÃO 1
Uma loja de produtos de informática realizou uma pesquisa com seus clientes adolescentes para saber a idade da maioria
deles. Para tanto, selecionou 25 clientes e listou as idades deles conforme abaixo.

Idades dos clientes (em anos) Com base nos dados coletados, pede-se:

12 13 14 15 14 a) Construa a tabela de distribuição de frequência f, fr(%), fa e fra(%).


13 12 15 16 16 b) Construa um histograma da distribuição de frequência.
14 13 13 12 13 c) Qual a idade mais frequente? ____________________
13 14 14 13 14 d) Quantos clientes têm idade até 14 anos? ____________
12 14 15 14 12 e) Qual a porcentagem de clientes com 13 anos de idade? ____________

Construa a distribuição de frequência aqui Desenhe o histograma aqui


Idade dos f fr (%) fa fra (%)
clientes
12
P

13
ro

14
f

15
M

16
S
c
Ua

QUESTÃO 2
nd

Considere a distribuição de frequência abaixo referente aos diferentes preços (R$) de um produto em lojas pesquisadas em
Resende no ano de 2001. Construa uma tabela de frequências fr(%), fa e fra(%).
er

Informe:
Preços f fr (%) fa fra (%)
s

R$50 10% a) O número total de lojas pesquisadas________________________


on

R$51 5 7 b) O número de lojas com preço até R$52______________________


R

R$52 6 c) A porcentagem de lojas com preço de $53___________________


eb

R$53 6 d) O número de lojas com preço menor que R$52_______________


ul
a

R$54 1 e) A porcentagem de lojas com preço maior que R$53____________

- 100% - - f) O número de lojas com preço entre R$52 e R$53______________

g) A porcentagem de lojas com preço entre R$52 e R$54 _________

QUESTÃO 3

a) Qual a frequência de saída da face 3?___________________________

b) Qual a porcentagem de saída da face 6?________________________

c) Qual a frequência de saída acumulada até a face 4?_______________


Um dado foi lançado 50 vezes obtendo os
seguintes resultados:
d) Qual a frequência de saída da face 5?___________________________

Face do dado 1 2 3 4 5 6 e) Qual porcentagem de saída acumulada até a face 2?______________


f 8 7 12 10 8 5
f) Qual porcentagem de saída inferiores a face 4?__________________

Sumário 24
24
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

25
Sumário 25
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira
Exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

Sumário 26
26
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Resolução dos exercícios propostos

QUESTÃO 1
Uma loja de produtos de informática realizou uma pesquisa com seus clientes adolescentes para saber a idade da maioria
deles. Para tanto, selecionou 25 clientes e listou as idades deles conforme abaixo.

Idades dos clientes (em anos) Com base nos dados coletados, pede-se:

12 13 14 15 14 a) Construa a tabela de distribuição de frequência f, fr(%), fa e fra(%).


13 12 15 16 16 b) Construa um histograma da distribuição de frequência.
14 13 13 12 13 c) Qual a idade mais frequente? _____________ 14 anos
13 14 14 13 14 d) Quantos clientes têm idade até 14 anos? ____________2o clientes
12 14 15 14 12 e) Qual a porcentagem de clientes com 13 anos de idade? ____________ 28%

Construa a distribuição de frequência aqui Desenhe o histograma aqui


Idade dos f fr(%) fa fra(%)
clientes
12 5 20% 5 20% 10
8
28% 12 48%
P

13 7 8 7
Frequência
ro

14 8 32% 20 80% 6 5
f

12% 23 92% 4 3
15 3
2
M

8% 25 100% 2
16 2
S

0
c

- f= 25 100% - - 12 13 14 15 16
Idade dos clientes
Ua

QUESTÃO 2
nd

Considere a distribuição de frequência abaixo referente aos diferentes preços (R$) de um produto em lojas pesquisadas em
Resende no ano de 2001. Construa uma tabela de frequências fr(%), fa e fra(%).
er

Informe:
Preços f fr(%) fa fra(%)
s

R$50 2 10% 2 10% a) O número total de lojas pesquisadas________ 20


on

R$51 5 25% 7 35% b) O número de lojas com preço até R$52_______ 13


R

R$52 6 30% 13 65% c) A porcentagem de lojas com preço de $53______30%


eb

R$53 6 30% 19 95% d) O número de lojas com preço menor que R$52______7
ul
a

R$54 1 5% 20 100% e) A porcentagem de lojas com preço maior que R$53_____5%

- 20 100% - - f) O número de lojas com preço entre R$52 e R$53_____12 (6+6)

g) A porcentagem de lojas com preço entre R$52 e R$54 ___65%

QUESTÃO 3

a) Qual a frequência de saída da face 3?_______12

5
b) Qual a porcentagem de saída da face 6?______10% ( /50 x 100)

Um dado foi lançado 50 vezes obtendo os c) Qual a frequência de saída acumulada até a face 4?____37 (8+7+12+10)
seguintes resultados:
d) Qual a frequência de saída da face 5?______8
Face do dado 1 2 3 4 5 6 8+7
f 8 7 12 10 8 5 e) Qual porcentagem de saída acumulada até a face 2?___30% ( /50 x 100)
8+7+12
f) Qual porcentagem de saída inferiores a face 4?_____54% ( /50 x 100)

27
Sumário 27
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

Resolução dos exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

Sumário 28
28
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Resolução dos exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

29
Sumário 29
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

2.3 Distribuição de frequência (com classes)

2.3.1 Conceito e construção

Usa-se quando há muitos dados (mais que 25) e com valores dispersos (variados). Agrupa-se os dados em
intervalos de classes e, em seguida, conta-se esses dados.
 Para esse caso, uma representação melhor seria por meio do agrupamento dos valores com a construção de intervalos de
classes. Se elaborássemos uma distribuição de frequência sem classes, a tabela ficaria muito extensa. Veja abaixo.

EXEMPLO. Um radar instalado na rodovia X registrou as velocidades (Km/h) de 40 veículos, indicadas abaixo:

Velocidades de 40 veículos (Km/h) Distribuição de frequência (com classes)


70 90 100 110 123 Limite i Velocidade (Km/h) f Limite
71 93 102 115 123 superior de
inferior de 1 70  80 4
classe
73 95 103 115 123 classe 2 80  90 4
76 97 105 115 123
Classes i 3 90  100 8
80 97 105 117 124
4 100  110 8
81 97 109 117 124
83 99 109 121 128
5 110  120 6
6 120  130 10
P

86 99 109 121 128


f=40
ro

Se elaborássemos uma distribuição


de frequências sem classes, a tabela Veja na tabela acima que agrupamos as frequências em classes, reduzindo o seu
f

ficaria muito extensa (veja abaixo). tamanho. Com isso, na 1ª classe (i) sabe-se que 4 veículos tiveram alguma velocidade
(km/h) no intervalo 70  80, e assim por diante para as demais classes i.
M

Velocidades Como construir uma distribuição de frequência com classes?


f
S

(Km/h)
1. Determine a quantidade de classes (i) extraindo a raiz da quantidade de dados.
70 1
c

71 1 São 40 veículos. Logo, √ = 6,3 arredondando i = 6 classes.


Ua

73 1 2. Calcule a amplitude de classe (h), que é o tamanho da classe, sendo:


76 1
nd

80 1 maior valor – menor valor = 128 – 70 = 9,6 arredondando: h = 10


quantidade de classes (i) 6
81 1
er

83 1 Nota: o maior valor “128” e o menor valor “70” são obtidos a partir da lista
86 1 dos registros das velocidades dos 40 veículos.
s

90 1 3. Montar as classes a partir do menor valor “70”, somando com a amplitude de classe
on

93 1 h = 10 até que se chegue na 6ª classe, assim:


95 1
i Velocidade (Km/h)
R

97 3
1 70 +10 80
99 2
eb

2... 80 +10 90
100 1 ...6 120 +10 130
102 1
ul

103 1 4. Agora, basta contar as velocidades dos veículos e montar a distribuição de


a

105 2 frequência, observando o intervalo , como explicado abaixo:


109 3 Tipo de intervalo Representação Valor incluído na contagem
Aberto 70  80 71, 72, 73, 74, 75, 76, 77, 78, 79
110 1
Fechado à esquerda 70  80 70, 71, 72, 73, 74, 75, 76, 77, 78, 79
115 3
Fechado 70  80 70, 71, 72, 73, 74, 75, 76, 77, 78, 79, 80
117 2 Fechado à direita 70  80 71, 72, 73, 74, 75, 76, 77, 78, 79, 80
121 2
123 4 No intervalo 70  80 a velocidade “80” não será incluído na contagem dessa classe,
124 2 pois o intervalo é fechado à esquerda. O valor “80” será incluído na contagem do
intervalo 80  90. Repita esse procedimento para todas as classes. No Brasil usa-se o
128 2
intervalo  por determinação da Resolução 866/66 do IBGE.
f=40
Conceitos importantes (muito usados)
Para reduzimos o tamanho da tabela,
Limites de classe – São os valores extremos de cada intervalo de classe. No exemplo
agrupamos as frequências em
70  80, temos que o limite inferior é 70 e o limite superior é 80.
intervalos de classes.
(veja detalhes ao lado) Amplitude total da distribuição (AT) – É a diferença entre o limite superior da última
classe e o limite inferior da primeira classe. No exemplo 130 – 70 = 60.
Amplitude amostral (AA) – É a diferença entre o valor máximo e o valor mínimo da
amostra. No exemplo 128 – 70 = 58.

Sumário 30
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

2.3.2 Histograma com classes

Além da distribuição de frequências f, é possível elaborar um histograma, a frequência relativa fr(%), frequência
acumulada fa e frequência relativa acumulada fra(%). Veja abaixo.

Distribuição de frequência com classes f, fr(%), fa e fra (%) 12 Histograma


Registros das velocidades dos veículos 10

Quantidade de veículos
i Velocidade (Km/h) f fr(%) fa fra(%) 10
1 70  80 4 10% 4 10% 8 8
8
2 80  90 4 10% 8 20%
6
3 90  100 8 20% 16 40% 6
4 100  110 8 20% 24 60% 4 4
4
5 110  120 6 15% 30 75%
6 120  130 10 25% 40 100% 2
f=40 100% 0
70 80 90 100 110 120 130
Velocidade (Km/h)

Também é possível elaborar outros gráficos de distribuição de frequências com classes, como o polígono de
frequência e o gráfico de frequências acumuladas (ou ogiva). Veja a seguir.
P

2.3.3 Polígono de frequência


ro

É um gráfico em linhas (elaborado em um histograma) que representa os pontos médios de classes Xi.
f

 A linha é desenvolvida a partir dos pontos médios de classe (Xi). O polígono de frequência serve para demonstrar (visualizar) o
M

formato de um histograma. Veja abaixo como desenvolvê-lo.


S

1. Calcule o ponto médio de cada classe (Xi), que é o ponto que divide o intervalo de classe em duas partes iguais. Por
c

exemplo, o ponto médio da 1ª classe (i) é = 75 Km/h;


2. Construa o histograma e marque o ponto médio de classe no “topo” de cada coluna;
Ua

3. Em seguida faça no histograma um gráfico em linhas sequencialmente aos pontos médios, como mostrado abaixo.
Ponto médio Registros das velocidades dos veículos
nd

de classe (Xi) 12
Quantidade de veículos

i Velocidade (Km/h) f Xi
er

10 Polígono de
1 70  80 4 75 frequência
8
80  90
s

2 4 85
on

3 90  100 8 95 6
4 100  110 8 105 4
5 110  120 6 115
R

2
6 120  130 10 125
eb

f=40 0
70 75 80 85 90 95 100 105 110 115 120 125 130
ul

Velocidade (Km/h)
a

2.3.4 Gráfico de frequências acumuladas (ou ogiva)

É um gráfico em linhas (elaborado em um histograma) que representa as frequências acumuladas (fa).


 Serve para demonstrar duas informações juntas: o histograma de frequências f com as frequências acumuladas fa. Para
construí-la, elabore o histograma e, em seguida, um gráfico em linhas com as frequências acumuladas fa.

i Velocidade (Km/h) f fa Registros das velocidades dos veículos 40


40
1 70  80 4 4
35
Quantidade de veículos

2 80  90 4 8 Gráfico de frequências 30
30 acumuladas (ou ogiva)
3 90  100 8 16 24
25
4 100  110 8 24
5 110  120 6 30 20 16
15
6 120  130 10 40
8 10
10 8 8
f=40 4 4
6
5 4
Assim, responde-se duas perguntas rapidamente. Por exemplo,
quantos veículos têm velocidade no intervalo 100  110? R=8 veículos. 0
Quantos veículos têm velocidades inferiores a 110 km/h? R= 24 veículos. 70 80 90 100 110 120 130
Velocidade (Km/h)

31
Sumário
Tente resolver esses
exercícios. Depois,
confiradeasOliveira
Prof. MSc. Uanderson Rébula resoluções
nas págs. 36 à 39.
Exercícios propostos

QUESTÃO 1 (Crespo, 2009 - adaptado)


Em uma turma com 40 alunos coletou-se as suas estaturas (em cm). Os resultados são mostrados abaixo.

166 160 161 150 162 160 165 167 164 160 a) Construa as classes com intervalo 
162 161 168 163 156 173 160 155 164 168 b) Construa a tabela – f, fr (%), fa, fra (%) e o ponto médio Xi.
155 152 163 160 155 155 169 151 170 164 c) Elabore o histograma e o polígono de frequência.
154 161 156 172 153 157 156 158 158 161 d) Elabore o gráfico de frequências acumuladas (ou ogiva)

Distribuição de frequência das estaturas de 40 alunos


Cálculo da quantidade de classes (i) e i Estaturas (cm) f fr(%) fa fra(%) Xi
do tamanho do intervalo de classe (h)
P
ro
f

f= 100% - -
M

Faça aqui o Histograma e o Polígono de frequência Faça aqui a Ogiva


S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

Responda as perguntas abaixo

a) Qual a quantidade de classes (i)?_______________ h) Há quantos alunos entre o intervalo 150cm e 158cm? ________

b) Qual o valor da amplitude de classe (h)?__________ i) Qual a frequência da quinta classe?_________________________

c) Qual o valor da amplitude total (AT)? ___________ j) Qual a frequência acumulada da quinta classe?_______________

d) Qual o valor da amplitude amostral (AA)? _______ k) Qual a frequência relativa da segunda classe?________________

e) Qual o limite superior da quinta classe?__________ l) Qual a frequência relativa acumulada da quarta classe?________

f) Qual o limite inferior da terceira classe?__________ m) Quantos alunos têm estatura menor que 166cm?____________

g) Qual o ponto médio da quarta classe?___________ n) Quantos alunos têm estatura de 158cm ou mais?_____________

Sumário 32
32
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

33
Sumário 33
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

Exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

Sumário 34
34
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Exercícios propostos

QUESTÃO 7 (ENEM – 2015 – caderno azul – questão 138)


Atualmente existem diversas locadoras de veículos, permitindo
uma concorrência saudável para o mercado, fazendo com que os
preços se tornem acessíveis. Nas locadoras P e Q, o valor da diária
de seus carros depende da distância percorrida, conforme o gráfico
ao lado.

O valor pago na locadora Q é menor ou igual àquele pago na


locadora P para distâncias, em quilômetros, presentes em qual(is)
intervalo(s)?

a) De 20 a 100.
b) De 80 a 130.
c) De 100 a 160.
d) De 40 a 80 e de 130 a 160.
e) De 0 a 20 e de 100 a 160.

QUESTÃO 8 (adaptado de Iezzi; Hazzan; Degenszajn, 2004)


O gráfico abaixo mostra a distribuição dos 400 espectadores de teatro, segundo as faixas de idades, na cidade do Rio de
Janeiro. Admitindo que a classe de menor frequência tenha seus valores na faixa de idade de 50 a 59 anos, determine o
P

número de espectadores da classe que possui a maior frequência.


ro

Faixa de idade dos espectadores do teatro


50 anos
f

40 a 49 ou mais
anos 4%
M

7%
S

10 a 19
anos
c

30 a 39
anos 32%
18%
Ua

20 a 29
nd

anos
39%
er
s on
R
eb
ul
a

35
Sumário 35
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

Resolução dos exercícios propostos

QUESTÃO 1 (Crespo, 2009 – adaptado)


Em uma turma com 40 alunos coletou-se as suas estaturas (em cm). Os resultados são mostrados abaixo.

166 160 161 150 162 160 165 167 164 160 a) Construa as classes com intervalo 
162 161 168 163 156 173 160 155 164 168 b) Construa a tabela – f, fr (%), fa, fra (%) e o ponto médio Xi.
155 152 163 160 155 155 169 151 170 164 c) Elabore o histograma e o polígono de frequência.
154 161 156 172 153 157 156 158 158 161 d) Elabore o gráfico de frequências acumuladas (ou ogiva)

Distribuição de frequência das estaturas de 40 alunos


Cálculo da quantidade de classes (i) e i Estaturas (cm) f fr(%) fa fra(%) Xi
do tamanho do intervalo de classe (h)
1 150  154 4 10% 4 10% 152
Cálculo da quantidade classes (i)
i=√ n = 40 = √ = 6,32 ~ 6 classes 2 154  158 9 22,5% 13 32,5% 156

Cálculo tamanho intervalo classe (h) 3 158  162 11 27,5% 24 60% 160
h = maior valor – menor valor
i 4 162  166 8 20% 32 80% 164
P

h = 173 – 150 = 3,83 ~ 4


6 5 166  170 5 12,5% 37 92,5% 168
ro

Logo, são 6 classes (i) com tamanho de


6 170  174 3 7,5% 40 100% 172
f

intervalo (h) igual a 4.


f=40 100% - -
M
S

Faça aqui o Histograma e o Polígono de frequência Faça aqui a Ogiva


c

37 40
40
Ua

11 35 32
12
nd

9 30
Número de alunos

10
Número de alunos

24
er

8 25
8
20
s

6 5
on

13
4 15
11
4 3 9
10
8
R

2 4 4 5
5
eb

3
0 0
ul

150 154 158 162 166 170 174 150 154 158 162 166 170 174
Estaturas (cm)
a

Estaturas (cm)

Responda as perguntas abaixo

a) Qual a quantidade de classes (i)?___________6 h) Há quantos alunos entre o intervalo 150cm e 158cm?___ 13

b) Qual o valor da amplitude de classe (h)?_______4 i) Qual a frequência da quinta classe?________5

c) Qual o valor da amplitude total (AT)? 174 – 150 = 24 j) Qual a frequência acumulada da quinta classe?________37

d) Qual o valor da amplitude amostral (AA)? 173 – 150 = 23 k) Qual a frequência relativa da segunda classe?________22,5%

e) Qual o limite superior da quinta classe?________170 l) Qual a frequência relativa acumulada da quarta classe?_80%

f) Qual o limite inferior da terceira classe?________158 m) Quantos alunos têm estatura menor que 166cm?_____32

g) Qual o ponto médio da quarta classe?_________164 n) Quantos alunos têm estatura de 158cm ou mais?______27

Sumário 36
36
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Resolução dos exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

37
Sumário 37
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira
Resolução dos exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

Sumário 38
38
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Resolução dos exercícios propostos

QUESTÃO 7 (ENEM – 2015 – caderno azul – questão 138)


Atualmente existem diversas locadoras de veículos, permitindo
uma concorrência saudável para o mercado, fazendo com que os
preços se tornem acessíveis. Nas locadoras P e Q, o valor da diária
de seus carros depende da distância percorrida, conforme o gráfico
ao lado.

O valor pago na locadora Q é menor ou igual àquele pago na


locadora P para distâncias, em quilômetros, presentes em qual(is)
intervalo(s)?
O valor pago na locadora Q e
a) De 20 a 100. menor que o pago na locadora P
b) De 80 a 130. quando o gráfico de Q ficar abaixo
c) De 100 a 160. de P e igual na interseção. Assim,
d) De 40 a 80 e de 130 a 160. temos de 0 a 20 e de 100 a 160.
e) De 0 a 20 e de 100 a 160. Resposta e)

QUESTÃO 8 (adaptado de Iezzi; Hazzan; Degenszajn, 2004)


O gráfico abaixo mostra a distribuição dos 400 espectadores de teatro, segundo as faixas de idades, na cidade do Rio de
Janeiro. Admitindo que a classe de menor frequência tenha seus valores na faixa de idade de 50 a 59 anos, determine o número
P

de espectadores da classe que possui a maior frequência. Resp. = 156


ro

Faixa de idade dos espectadores do teatro


50 anos
f

40 a 49 ou mais
anos 4% São 400 espectadores e os dados em uma distribuição
M

7%
de frequência já estão ordenados: a 1ª classe é 10 a 19; a
2ª classe é 20 a 29 e assim por diante. Note que a 2ª
S

10 a 19
anos classe possui a maior porcentagem, no valor de 39%.
c

30 a 39
anos 32% Logo, essa porcentagem corresponde a maior
18% frequência.
Ua

20 a 29 Portanto:
nd

anos 400 -----100%


39%
x -----39%
er

x= 156
s on
R
eb
ul
a

39
Sumário 39
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

Capítulo 3
ro
f

Medidas
M
S
c
Ua

Resumo
nd
er

(média, mediana e moda)


s on
R
eb
ul
a

Sumário 40
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

3.1 O que são Medidas Resumo? Para que servem?

O que dizer se um professor deseja saber sobre o desempenho de seus 110 alunos por meio das notas obtidas
em uma prova? Ele poderia utilizar como resposta a construção de uma tabela de Distribuição de frequência das
notas e um histograma para representar graficamente esses dados. No entanto, o professor poderia estar
interessado em uma resposta rápida e menos trabalhosa, que resuma a informação que se tem, e não uma
Distribuição de frequência das notas coletadas. Então, ele pode utilizar as medidas resumo.

CONCEITO DE MEDIDAS RESUMO: Para obter uma rápida informação contida em um conjunto de dados, a
estatística utiliza medidas que resumem, por meio de um só número, características desses dados. Elas são
chamadas “Medidas Resumo”.
 Há diferentes tipos de medidas resumo tais como medidas de posição ou tendência central (média, mediana, moda), medidas
de ordenamento ou separatrizes (quartil, decil, percentil), medidas de dispersão ou variação (amplitude total, amplitude
interquartil, desvio médio absoluto, variância, desvio padrão, escore padrão, coeficiente de variação), medidas de forma
(assimetria e curtose) entre outras.
 Cada uma dessas medidas fornece uma interpretação independente sobre o conjunto de dados em análise, porém elas se
complementam. Ou seja, para uma melhor interpretação de um conjunto de dados analisa-se por meio de várias medidas
resumo.
 Veja no exemplo abaixo a aplicação de algumas medidas resumo.
P

EXEMPLO. Um professor aplicou uma prova de estatística para uma turma com 110 alunos, coletou as notas e
ro

os resultados são mostrados abaixo.


f

Notas de estatística de 110 alunos da escola A


M

5.6 8.3 4.5 8.7 3.9 9 5.5 7.9 9.5 10 9.2


S

9.6 6.6 5.3 3 9.5 3.9 9 5.6 7 5.9 4.5


c

7 8.9 2 8.7 9 3 8 6.7 4.2 6.5 5.3


6.5 4.6 9.5 5.3 3.9 9 3 8.8 9 8.9 8.4
Ua

7.1 6.5 3.9 4.9 9.4 5.3 9.5 2 5.3 7.5 3.3
nd

9.2 9.8 9.5 5.9 5.5 5 7 8.3 5.6 9 9.5


6.1 5.6 4.9 6.5 9 9.6 7.5 7 9 4.5 8
er

4.2 8.9 9.6 9.8 8 6.5 7.9 2 5 5.3 3.9


s

7.3 8 9 5.6 1 9.8 4 9.5 3.6 5 9.8


on

8.6 4.2 9.6 8.9 5.9 4.2 6 5.3 8 2.8 9


R

Observe que as notas estão desordenadas, o que dificulta analisar o desempenho da turma. Dessa forma, o professor
tentará obter informações que sejam fáceis de compreender e que revelem (de forma rápida e resumida) sobre o
eb

desempenho da turma. Para tanto, ele calculou algumas medidas resumo como a média, mediana, moda, 1º quartil, 3º
quartil, desvio padrão e coeficiente de variação. Os resultados e as suas interpretações são mostrados abaixo.
ul
a

Medida Resumo Valor Interpretação


Média 6,5 Valor que representa o ponto de equilíbrio das notas (como uma gangorra).
Valor que separa um conjunto de dados em duas partes iguais. No caso, a nota 7,0 está
Mediana 7,0
no meio do conjunto, isto é, 50% dos alunos (55 alunos) tiraram abaixo de 7,0.
Moda 9,0 Valor que representa a nota que mais apareceu (repetiu).
Valor que representa a variação nas notas em torno da média. Portanto, a maioria das
Desvio padrão 2,3
notas está variando entre ±2,3 em torno da média 6,5 , isto é: entre 4,2 e 8,8.
Representa o desvio padrão na forma de porcentagem. Portanto, as notas variam 34%
Coeficiente de variação 34%
em torno da média.
Valor que separa um conjunto de dados em quatro partes iguais. Portanto, 25% dos
1º Quartil 5,0
alunos (28 alunos) tiraram abaixo de 5,0 (ou 75% tiraram acima de 5,0).
Valor que separa um conjunto de dados em quatro partes iguais. Portanto, 75% dos
3º Quartil 9,0
alunos (83 alunos) tiraram abaixo de 9,0 (ou 25% tiraram acima de 9,0).

Por meio das medidas resumo mostradas acima é possível entender um pouco sobre o desempenho da turma.
Por exemplo, a mediana revela que metade da turma (55 alunos) tirou abaixo (ou acima) de 7,0. Neste livro vamos
estudar algumas medidas resumo: média, mediana e moda. As demais serão estudadas no livro: Estatística II (para
leigos): aprenda fácil e rápido!

41
Sumário
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

3.2 Médias

3.2.1 Média simples

É uma medida que representa o ponto de equilíbrio de um conjunto de dados (como uma gangorra).

 A média representa um valor “comum” ou “típico” em um conjunto de dados.

̅  é a média (lê-se “x barra”)


A média simples
̅  é a soma de todos os valores em um conjunto
é dada por:
n  é a quantidade de dados

EXEMPLO. Supondo que uma escola adote como critério de aprovação a média 6,0. Considerando que João
obteve as notas 3,5; 6,0; 9,5; e 9,0 durante o ano letivo, informe se ele foi aprovado
Resolução: Podemos representar a média graficamente:
média das notas de João
̅=? 9,5
10,0 9,0
̅ = 3,5; 6,0; 9,5; e 9,0 média
7,0
n = 4 (pois são 4 notas) 8,0 de João
6,0
6,0
P

Logo:
Notas
3,5
ro

4,0
̅ 2,0
f

0,0
1º Bim 2º Bim Média 3º Bim 4º Bim
M

significa “somatório”
Bimestres
S
c

3.2.2 Média ponderada


Ua

Similar à média simples, porém, atribui-se a cada valor um peso que retrate a sua importância.
nd


er

A inclusão do “peso” fará com que alguns valores influenciem mais fortemente a média do que outros.
 O termo “ponderado” é sinônimo de peso, importância, relevância. Sugere, então, a atribuição de um peso a um valor.
s on

̅  é a média ponderada
A média ponderada
̅  é a soma dos valores “Xi” multiplicado pelos seus pesos “p”
é dada por:
 é a soma dos pesos “p”
R
eb

EXEMPLO. Uma quitanda possuía 45 Kg de pera para vender em uma tarde. Começou vendendo por R$ 2,50/Kg
e, com o passar do tempo, reduziu o preço para não haver sobras. A tabela abaixo mostra a quantidade de
ul

peras vendidas em cada período com os seus respectivos preços cobrados. Naquela tarde, por quantos R$ foi
a

vendido, em média, o Kg da pera nessa quitanda?

Período Preço/Kg Quantidade de Kg Nesse caso, usamos a média ponderada, onde os preços serão os
Da tarde cobrado de peras vendidas valores “xi” e as quantidades vendidas serão os “pesos” (dica: os
Das 13h às 14h R$2,50 30 “pesos” sempre serão as “quantidades”). Assim, temos:
Das 14h às 15h R$2,00 10
̅ ?
Das 15h às 17h R$1,50 5
̅  R$2,50; R$2,00; R$ 1,50
 30;10;5
Resolução: a média simples não resolve esse
problema, pois ela calcula apenas os preços das Logo:
peras sem atribuir (considerar, associar) as
respectivas quantidades vendidas. ̅

Portanto, o kg da pera foi vendido, em média, por R$ 2,27.

Agora, resolva os exercícios propostos nas páginas seguintes: 43, 44 e 45. Depois verifique as resoluções nas
páginas 46, 47 e 48.

Sumário 42
Tente resolver esses
exercícios. Depois,
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido! confira as resoluções
nas págs. 46, 47, 48
Exercícios propostos

EXERCÍCIOS DE MÉDIA SIMPLES


QUESTÃO 1
Calcule a média salarial dos empregados de uma empresa: R$850; R$900; R$1050; R$1200; R$1000; R$1300; R$1.600.

QUESTÃO 2
A tabela abaixo representa os nascimentos no Brasil no período compreendido entre 2003 e 2007. Qual é o número médio
de nascimentos nesse período?
Ano Nascimentos
2003 3.532.051
2004 3.462.941
P

2005 3.383.991
2006 3.294.234
ro

2007 3.201.327
Fonte: IBGE
f
M

QUESTÃO 3
S

A média de um conjunto formado por 10 números é igual a 8. Acrescentando-se a esse conjunto o número 52, qual será a nova
c

média?
Ua
nd
er
s on

QUESTÃO 4
R

A média de um conjunto formado por 80 números é igual a 40,5. Acrescentando-se a esse conjunto o número 243, qual será
eb

a nova média?
ul
a

QUESTÃO 5
A média de um conjunto formado por 55 números é igual a 28. Acrescentando-se a esse conjunto os números 12 e 8, qual será a
nova média?

43
Sumário
43
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

Exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

Sumário 44
44
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Exercícios propostos

EXERCÍCIOS DE MÉDIA PONDERADA

QUESTÃO 10
Uma quitanda possuía 95 Kg de laranja para vender em uma tarde. Começou vendendo por R$ 3,50/Kg e, com o passar do
tempo, reduziu o preço para não haver sobras. A tabela abaixo informa a quantidade de laranjas vendidas em cada período e os
diferentes preços cobrados. Naquela tarde, por quantos R$ foi vendido, em média, o Kg da laranja?

Período da Preço/Kg Quantidade de Kg


tarde cobrado laranjas vendidas
Das 13h às 14h R$3,50 30
Das 14h às 15h R$3,00 45
Das 15h às 17h R$2,00 20

QUESTÃO 11
Os custos de produção e as quantidades produzidas por três filiais A, B e C de uma empresa constam na tabela abaixo.
Encontre o custo médio de produção para a empresa em seu conjunto:
P
ro

Custo de Quantidade
Filial
produção R$ produzida
f

A 1,20 500
B 1,60 200
M

C 1,40 900
S
c
Ua

QUESTÃO 12
nd

Uma loja vende cinco produtos básicos: A, B, C e D. O lucro por unidade comercializada desses produtos vale respectivamente
R$200; R$300; $500; e R$600. A loja vendeu em um determinado mês 20; 30; 20; e 10 unidades de produtos,
er

respectivamente. Qual foi o lucro médio por unidade comercializada por essa loja?
s on
R
eb
ul

QUESTÃO 13
a

Um ônibus de excursão partiu com 40 turistas a bordo, dos quais 8 reservaram a viagem com antecedência e pagaram, cada
um, R$ 300. Os 32 turistas restantes pagaram, cada um, R$ 340 pela viagem. Qual foi o preço médio que o turista pagou
nessa excursão?

QUESTÃO 14
Uma revendedora de veículos comprou 3 carros no RJ por R$ 14.900 cada, 8 carros em SP por R$17.750 cada, e 2 carros em MG
por R$ 23.400 cada. Qual foi o preço médio dos carros?

45
Sumário
45
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira
Resolução dos exercícios propostos

EXERCÍCIOS DE MÉDIA SIMPLES

̅
P
ro
f
M
S

̅
c
Ua
nd

̅ ̅ ̅
er
s on

̅
R

̅
eb
ul
a

̅ ̅ ̅

̅
̅

̅ ̅ ̅

Sumário 46
46
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!
Resolução dos exercícios propostos

̅
P
ro
f

̅
M
S
c
Ua

̅
nd
er
s

̅ ̅
on
R
eb
ul
a

̅ ̅

47
Sumário 47
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira
Resolução dos exercícios propostos

EXERCÍCIOS DE MÉDIA PONDERADA

̅
̅ ̅
P
ro
f
M

̅
S

̅ ̅
c
Ua
nd
er

̅
s

̅ ̅
on
R
eb
ul

̅
a

̅ ̅

̅
̅ ̅

Sumário 48
48
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

3.2.3 Média de distribuição de frequência (sem classes)

É similar à média ponderada, porém os “pesos” passam a ser representados pelas “frequências f”.

 O cálculo da média de uma distribuição de frequência usa o mesmo princípio da média ponderada, alterando-se apenas a
simbologia “p” para “f”.

A média de ̅  é a média de distribuição de frequência


distribuição de ̅  é a soma dos valores “xi” multiplicado pelas suas “frequências f”
frequência é :  é a soma das “frequências f”

EXEMPLO. Um professor listou os resultados obtidos em uma prova com 25 alunos e elaborou a distribuição
de frequência sem classes abaixo. Qual foi a nota média da turma?
Desempenho dos alunos
Nota Resolução: siga os passos abaixo.
f Xi f
(Xi)
4,0 5 = 20 1. multiplicar cada nota “Xi” pela sua frequência “f”;
5,0 3 = 15 2. somar as frequências ”f”;
60 2 = 12 3. somar o resultado das multiplicações (Xi f);
7,0 3 = 21 4. aplicar a equação abaixo:
P

8,0 2 = 16
(a nota média da turma foi 6,9)
ro

9,0 10 = 90 ̅
f=25  (Xi f)= 174
f

Ou, se preferir, você pode calcular a média diretamente pela equação (é a mesma coisa):
M

̅ ?
S

̅  4,0; 5,0;... ̅
c

 5;3;...
Ua

3.2.4 Média de histogramas (sem classes)


nd

A média de histograma sem classes é similar à média de distribuição de frequência sem classes.
er

 Na Seção 2.2.1 vimos que o histograma é gerado a partir de distribuição de frequência. Portanto, o cálculo da média é similar e
usa a mesma equação, alterando-se apenas a forma de análise dos dados.
s on

EXEMPLO. Um professor organizou os resultados obtidos em uma prova com 25 alunos, fez as contagens das
notas e construiu o histograma sem classes mostrado abaixo. Qual foi a nota média da turma?
R

O histograma sem classes ao lado foi gerado a partir da distribuição de


eb

Desempenho dos alunos


12
frequência do exemplo anterior. Veja que as notas 4,0; 5,0;... são os valores
∑f = 25 (5+3+2+...) + 10 “Xi” e as quantidades de alunos 5;3;2;... são as frequências “f”. Portanto:
ul

10
“f”
Frequência

Calcule direto pela equação:


a

8 ↓
5 + 1. multiplicar cada nota “Xi” pela sua frequência “f”;
6
2. somar as frequências “f”;
4 3 + + 3 +
2 2 3. faça os passos 1 e 2 diretamente na equação, assim:
2 𝑥
0
“Xi”  4,0 5,0 6,0 7,0 8,0 9,0 ̅
Notas

3.2.5 Média de distribuição de frequência (com classes)

É similar à média de distribuição de frequência sem classes, porém calcula-se o ponto médio de classe (Xi).

 Por que calcula-se o ponto médio de classe (Xi)? Em uma distribuição de frequência com classes não sabemos os valores
exatos que caem em determinada classe. Por exemplo, na 1ª classe (i) da tabela a seguir, sabe-se que 4 veículos passaram na
rodovia em alguma velocidade (km/h) do intervalo 70  80, mas não sabemos as velocidades exatas. Então, para tornar
possível o cálculo, consideramos (chutamos) que, em cada classe, todos os valores sejam iguais ao ponto médio de classe (Xi).
Por exemplo, considere as velocidades do intervalo 70  80 com uma frequência de 4. Admitimos que todos os 4 veículos
passaram a exatamente 75 km/h (o ponto médio de classe Xi – obtido por 70+80/2). Com o valor de 75 repetido 4 vezes, temos
um total de 75 x 4 = 300 e podemos, então, somar as multiplicações obtidas de cada classe para encontrar o total de todos os
valores, os quais, então, dividimos pelo somatório das frequências. Veja um exemplo:

49
Sumário
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

EXEMPLO. Um radar instalado na rodovia X registrou as velocidades (km/h) de 40 veículos, indicadas na


distribuição de frequências com classes abaixo. Qual foi a velocidade média desses veículos?

Velocidades Ponto médio Resolução:


(i) f Xi f
(km/h) de classe (Xi) 1. calcular o ponto médio de cada classe (70+80/2 = 75);...
1 70  80 4 75 = 300 2. multiplicar cada velocidade “Xi” pela sua frequência “f”;
2 80  90 4 85 = 340 3. somar as frequências “f”;
3 90  100 8 95 = 760 4. somar o resultado das multiplicações (Xi f);
4 100  110 8 105 = 840 5. aplicar a equação abaixo:
5 110  120 6 115 = 690
6 120  130 10 125 = 1250 ̅
f=40  (Xi f)= 4180

Ou, se preferir, calcule a média diretamente pela equação (com os pontos médios de classe Xi já calculados):

̅ ?
̅̅̅  75; 85;... ̅
 4; 4; 8;...

É importante salientar que a média de uma distribuição de frequência com classes resulta em uma
P

aproximação da média porque se baseia nos pontos médios de classe (Xi), e não na lista exata dos valores.
ro

3.2.6 Média de histogramas (com classes)


f

A média de histograma com classes é similar à média de distribuição de frequência com classes.
M

 Na Seção 2.3.2 vimos que o histograma é gerado a partir de distribuição de frequência. Portanto, o cálculo da média é similar
S

e usa a mesma equação, alterando-se apenas a forma de análise dos dados.


c

EXEMPLO. Um radar instalado na rodovia X registrou as velocidades (km/h) de 40 veículos, indicadas na


Ua

distribuição de frequências com classes abaixo. Qual foi a velocidade média desses veículos?
nd

Histograma com classes O histograma ao lado foi gerado a partir da distribuição de


12 Registros de um radar frequência do exemplo anterior. As velocidades 75; 85; 95; ... são
er

∑f = 40 (4+4+8+...) + 10
10 os pontos médios de classes (Xi) e as quantidades de veículos 4; 4;
número de veículos

+ 8 + 8 + 8; ... são as frequências “f”. Portanto:


s

8 “f”
on

6 Calcule diretamente pela equação:


6

4 4
1. multiplicar cada ponto médio de classe Xi pela sua frequência
+
4 “f” (75 x 4; 85 x 4; 95 x 8; ...);
R

2. somar as frequências “f” (4+4+8;...;+10);


eb

2 𝑥 3. faça os passos 1 e 2 diretamente na equação, assim:


0
ul

Xi  70 75 80 85 90 95 100 105 110 115 120 125 130


̅
a

Velocidade (Km/h)

Agora, você vai resolver os


exercícios propostos nas páginas
51 e 52. Depois, você vai
conferir (e somente conferir) os
resultados na seção “Resolução
dos exercícios propostos”,
disponível nas páginas 53 e 54.

Quer ter um bom rendimento


em seus estudos? Então lembre-
se: tente resolver os exercícios e
NÃO COPIE os resultados! Só se
aprende tentando!
Não desista! Esforça-te! Você é

Sumário 50
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Exercícios propostos

EXERCÍCIOS DE MÉDIA DE DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIAS E HISTOGRAMAS (COM E SEM CLASSES)

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

51
Sumário 51
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

Exercícios propostos

QUESTÃO 5 (adaptado de Iezzi; Hazzan; Degenszajn, 2004).


O gráfico abaixo mostra a distribuição dos espectadores de teatro, segundo as faixas de idades, na cidade do Rio de Janeiro.
Admitindo que a classe de menor frequência tenha seus valores na faixa de idade de 50 a 59 anos, determine a idade média
dos espectadores.
Faixa de idade dos espectadores do teatro
50 anos
40 a 49 ou mais
anos 4%
7%

10 a 19
30 a 39 anos
anos 32%
18%

20 a 29
anos
39%
P

QUESTÃO 6
ro

Considere a tabela abaixo, referente a um conjunto de 40 peças que foram coletadas para análise no laboratório de qualidade.
Calcule o tamanho médio dessas peças.
f

Tamanho das Porcentagem


peças (mm) acumulada
M

156 32,5%
S

162 45%
c

168 65%
Ua

174 90%
nd

180 100%
er
s

QUESTÃO 7 (adaptado de Iezzi; Hazzan; Degenszajn, 2004)


on

Um radar instalado em rodovia presidente Dutra na qual o limite de velocidade é 90km/h, registrou em uma semana multas por
excesso de velocidade, mostradas na tabela abaixo. Se o valor das multas varia de acordo com a faixa de velocidade
ultrapassada, começando por R$180,00 e aumentando sempre 20% em relação ao valor da multa da classe anterior, determine
R

ovalor médio das multas aplicadas.


eb

i Velocidade (Km/h) f
ul

91  100
a

1 34
2 100  109 41
3 109  118 35
4 118  127 22
5 127  136 18

Sumário 52
52
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!
Resolução dos exercícios propostos

EXERCÍCIOS DE MÉDIA DE DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIAS E HISTOGRAMAS (COM E SEM CLASSES)

̅ ̅

̅ ̅
P
ro
f

̅
M

̅
S
c

̅
Ua
nd
er
s on
R
eb

̅
̅
ul
a

̅
̅

53
Sumário 53
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira
Resolução dos exercícios propostos

̅
̅

̅
P
ro
f
M

̅
S

̅
c
Ua

̅
nd
er
s on
R
eb
ul
a

̅
̅

Sumário 54
54
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

3.3 Mediana
É o valor que está no meio quando os dados estão ordenados (do menor valor para o maior valor).

 Por exemplo, no conjunto 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 o número 4 é a mediana pois está no meio do conjunto ordenado.
Note que a mediana divide um conjunto ordenado em duas partes iguais,
0% 50% 100% deixando metade (ou 50%) dos dados abaixo ou acima dela.

3.3.1 Mediana simples

Ache a posição mediana por meio da regra do “ímpar” e “par” e, em seguida, ordene os dados.

Regra do “ímpar” Regra do “par”


Quando há quantidade ímpar de dados em um conjunto Quando há quantidade par de dados em um conjunto sempre
sempre teremos um valor no meio. Logo, seu cálculo é: teremos dois valores no meio. Logo, seu cálculo é:

A posição As duas posições


= quantidade de dados
mediana é mediana são

EXEMPLO. Sejam as notas dos alunos: 5,0; 4,2; 9,5; 7,2; EXEMPLO. Sejam as notas dos alunos: 5,0; 4,2; 9,5; 7,2; 5,5;
5,5; 8,3; 4,7; 2,7; 6,5. Qual é a nota mediana? 8,3; 4,7; 2,7; 6,5; 10,0. Qual é a nota mediana?
P
ro

São nove alunos. São dez alunos.


Logo, n=9 Logo, n=10
f

A nota mediana está na 5ª posição. Ordenando as notas A nota mediana está na 5ª e 6ª posição. Ordenando as
M

(do menor valor para o maior), temos: notas (do menor valor para o maior), temos:
S

2,7 4,2 4,7 5,0 5,5 6,5 7,2 8,3 9,5 2,7 4,2 4,7 5,0 5,5 6,5 7,2 8,3 9,5 10,0
Posições  Posições 
c

1ª 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª 7ª 8ª 9ª 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª 7ª 8ª 9ª 10ª
Ua

Md = 5,5 A mediana é a média dos


dois valores do meio:
nd

Interpretação: a nota mediana é 5,5. Logo, metade (ou Interpretação: a nota mediana é 6,0. Logo, metade (ou
50%) dos alunos tiraram nota abaixo ou acima de 5,5. 50%) dos alunos tiraram nota abaixo ou acima de 6,0.
er

3.3.2 Mediana de distribuição de frequência e histograma (sem classes)


s on

Similar à mediana simples, ache a posição mediana por meio da regra do “ímpar” e “par”. Os dados já estão
ordenados.
R

 Na distribuição de frequência sem classes os dados já estão ordenados, bastando identificar a posição mediana pelo mesmo
eb

método da mediana simples (regra do “ímpar” e “par”).


ul

EXEMPLO. Um professor listou os resultados obtidos em uma prova com 25 alunos e elaborou a distribuição
a

de frequência sem classes abaixo. Qual foi a nota mediana da turma?


Desempenho dos alunos
Frequência f Posições São 25 notas.
Nota fa
(nº de alunos) das notas Logo, n=25  Ímpar
4,0 4 4 1ª a 4ª
As notas na tabela já estão ordenadas (4,0, 5,0, 6,0...) e, quando se introduz a
5,0 3 7 5ª a 7ª
coluna fa (frequências acumuladas), estamos identificando as Posições das
60 2 9 8ª a 9ª notas. Por exemplo, veja na tabela que a nota 4,0 está na 1ª, 2ª, 3ª e 4ª posição
7,0 3 12 10ª a 12ª (1ª a 4ª); a nota 5,0 está na 5ª, 6ª e 7ª posição (5ª a 7ª); e assim por diante.
Md = 8,0 2 14 13ª a 14ª Então, a nota mediana está na 13ª posição e será a nota 8,0. Logo, Md = 8,0.
9,0 11 25 15ª a 25ª
f=25 12
Desempenho dos alunos
11
(4 + 3 + 2 + 3 + 2)
Interpretação: a nota mediana é 8,0. Logo, metade (ou 50%) dos 10
frequência f

alunos tiraram nota abaixo ou acima de 8,0. 13ª


8
6
4
Mediana de histograma (sem classes) 4 3
2 3
2
Use o mesmo método acima para identificar a posição mediana em um 2
histograma sem classes: são 25 notas, logo ímpar  P = 25+1/2 = 13ª. 0
Acumulando as frequências fa até a 13ª posição, identificamos que a nota 4,0 5,0 6,0 7,0 8,0 9,0
mediana é igual a 8,0. Veja o esquema gráfico ao lado. Nota

55
Sumário
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

3.3.3 Mediana de distribuição de frequência e histograma (com classes)

Ache a posição mediana por meio da regra “ ⁄ ”. Depois, ache a classe mediana e use uma equação. Os dados
já estão ordenados.
 Na distribuição de frequência com classes os dados já estão ordenados. Então identifica-se a posição mediana e a classe
mediana para depois encontrar o valor mediano (aproximado) por meio de uma equação.

EXEMPLO. Um radar instalado na rodovia X registrou as velocidades (km/h) de 40 veículos, indicadas na


distribuição de frequências com classes abaixo. Qual foi a velocidade mediana desses veículos?

Velocidades Posição das Para achar a posição mediana usa-se SEMPRE


(i) f fa
(km/h) velocidades ⁄ para ímpar ou par. São 40 veículos, n=40
1 70  80 4 4 1ª a 4ª
As classes já estão ordenadas (70  80; 80  90;...) e, quando se introduz a
2 80  90 4 8 5ª a 8ª
coluna fa (frequências acumuladas) estamos identificando as posições das
3 90  100 8 16 9ª a 16ª 20ª velocidades. Por exemplo, as velocidades do intervalo 70  80 estão na 1ª, 2ª,
4 100  110 8 24 17ª a 24ª 3ª e 4ª posição (1ª a 4ª), e assim por diante. A velocidade mediana está na 20ª
5 110  120 6 30 25ª a 30ª posição (4ª classe) e será algum valor da classe mediana 100  110. A partir
6 120  130 10 40 31ª a 40ª dessa classe usa-se a equação abaixo para encontrar a velocidade mediana:
f=40
[ ] Resolvendo a equação, temos:
P

classe mediana ( )
ro

A velocidade mediana está na [ ]


20ª posição e será algum valor ( )
Linf = limite inferior da classe mediana
f

da 4ª classe, isto é, da classe


n = quantidade de dados
mediana 100  110.
faant = frequência acum. da classe anterior
Md = 100 + 5  105 km/h,
M

h = amplitude do intervalo de classe


f = frequência da classe mediana aproximadamente.
S

Interpretação: a velocidade mediana é aproximadamente 105 km/h. Logo,


c

metade (50%) dos veículos tiveram velocidades abaixo ou acima de 105 km/h.
Ua

Mediana de histograma (com classes)


nd

(4+4+8+8) = 20ª posição


Usa-se o mesmo raciocínio da tabela acima para identificar a 12
er

posição mediana em um histograma com classes: são 40 veículos, 10


10
logo P = 40/2 = 20ª. Acumule as frequências fa até que se chegue faant = 16ª f
8 8
8 (4+4+8)
s frequência

na 20ª posição, que está na classe 100  110. Essa é a classe


6
on

mediana. Veja no histograma ao lado como se identifica os dados 6


para inseri-los na equação. 4 4
4 ← h→
R

[ ]𝑥 2 10
( ) km
eb

Linf
0
70 80 90 100 110 120 130
classe
ul

Velocidade (Km/h) mediana


a

3.3.4 Qual a lógica da equação da mediana com classes?

Visualização de texto exclusiva para alunos matriculados no curso online "Estatística I (para leigos):
aprenda fácil e rápido!"

Sumário 56
Tente resolver esses
exercícios. Depois, veja
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido! as resoluções nas
págs. 60, 61 e 62
Exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

57
Sumário 57
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

Exercícios propostos

QUESTÃO 6 (ENEM – 2012 – caderno rosa – questão 171)


O gráfico abaixo apresenta o comportamento de emprego formal surgido, segundo o Caged, no período de janeiro de 2010 a
outubro de 2010.
BRASIL – Comportamento do emprego formal - janeiro a outubro de 2010. Com base no gráfico, o valor da parte inteira
da mediana dos empregos formais surgidos
no período é
a) 212 952.
b) 229 913.
c) 240 621.
d) 255 496.
e) 298 041.

QUESTÃO 7 (adaptado de Iezzi; Hazzan; Degenszajn, 2004).


Os valores ordenados abaixo se referem ao número de solicitações mensais de reservas a um hotel. Sabendo que a mediana
desses valores é 73 e que a média é 75, quais os valores de x e y?
mês jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez
nº solicitações de reserva 48 52 58 63 68 x 76 82 y 96 98 102
P
ro
f
M
S
c

QUESTÃO 8
Analise o histograma abaixo. Qual o número de salários mínimo mediano que as famílias de Resende (RJ)
Ua

recebem, mensalmente?
nd

Renda mensal de famílias de Resende (RJ)


50
er
número de famílias

40 36
32
s

30 24
on

19
20 12
10 5
R

0
eb

2 4 6 8 10 12 14
número de salários mínimos
ul

QUESTÃO 9
a

A tabela ao lado mostra o número de viagens realizadas em Número de viagens em 2015 0 1 2 3 4


2015 pelos gerentes de uma empresa. Número de gerentes 12 20 24 16 8
a. Qual é o número mediano de viagens realizadas pelos gerentes em 2015?
b.Qual será a nova mediana se adicionarmos 18 gerentes de outra filial, cada um com exatamente 1 viagem?

QUESTÃO 10 (ENEM – 2013 – caderno amarelo – questão 150)


Foi realizado um levantamento nos 200 hotéis de uma cidade, no qual foram anotados os valores,
em reais, das diárias para um quarto padrão de casal e a quantidade de hotéis para cada valor da
diária. Os valores das diárias foram: A = R$ 200; B = R$ 300; C = R$ 400 e D = R$ 600. No gráfico ao
lado, as áreas representam as quantidades de hotéis pesquisados, em porcentagem, para cada
valor da diária. O valor mediano da diária, em reais, para o quarto padrão de casal nessa cidade, é

a) 400 b) 300 c) 350 d) 345 e) 375

Sumário 58
58
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

59
Sumário 59
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira
Resolução dos exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

Sumário 60
60
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Resolução dos exercícios propostos

QUESTÃO 6 (ENEM – 2012 – caderno rosa – questão 171)


O gráfico abaixo apresenta o comportamento de emprego formal surgido, segundo o Caged, no período de janeiro de 2010 a
outubro de 2010.
BRASIL – Comportamento do emprego formal - janeiro a outubro de 2010. Com base no gráfico, o valor da parte
inteira da mediana dos empregos formais
surgidos no período é
a) 212 952.
b) 229 913. resposta
c) 240 621.
d) 255 496.
e) 298 041.
Quantidade de dados n = 10, par  P1= n/2 e P2 = sucede P1 P1=10/2= 5ª posição e P2=6ª posição. Ordenando os valores: 181.419 | 181.796
| 204.804 | 209.425 | 212.952 | 246.875 | 266.415 | 298.041 |299.415 | 305.068. Fazendo a média de 212.952+246.875/2 = 229.913,5, letra b).

QUESTÃO 7 (adaptado de Iezzi; Hazzan; Degenszajn, 2004).


Os valores ordenados abaixo se referem ao número de solicitações mensais de reservas a um hotel. Sabendo que a mediana
desses valores é 73 e que a média é 75, quais os valores de x e y? Resp. x = 70 e y = 87
mês jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez
P

nº solicitações de reserva 48 52 58 63 68 x 76 82 y 96 98 102


ro

Quantidade de dados n = 12, par  P1= n/2 e P2 = sucede P1 P1=12/2= 6ª posição e P2=7ª posição. Sabendo que a mediana é 73 e calculando a
média de x e 76 (ou seja, os dois valores que estão no meio), temos:
f

Md = x + 76  73 = x + 76  x = 70
M

2 2
Sabendo que a média é 75, temos  ̅ = ∑x/n  ∑x = 48+52+58+63+68+70+76+82 + y + 96+98+102 = 813  75 = 813 + y  y = 87
S

12
c

QUESTÃO 8
Analise o histograma abaixo. Qual o número de salários mínimo mediano que as famílias de Resende (RJ) recebem,
Ua

mensalmente? Resp = 5,75


nd

Renda mensal de famílias de Resende (RJ) Histograma com classes.


.
50 (36+32) = 64ª f = 128 → use sempre 𝒏 𝟐 para ímpar ou par. Logo, 𝟏𝟐𝟖 𝟐 = 64ª
er
número de famílias

40 36 A mediana está na 64ª posição. Acumulando as frequências fa até a 64ª,


32 f
a 2ª classe 4  6 será a classe mediana . Logo:
s

30 faant 24
on

= 36ª 19
20 12 128
− 36 𝑥 2
10 ←h→ Md = 4 + 2
5 32
R

2
0 Md = 4 + 1,75 = 5,75 salários mínimo
eb

2 4 6 8 10 12 14
Linf
número de salários mínimos
ul

QUESTÃO 9
a

A tabela ao lado mostra o número de viagens realizadas em Número de viagens em 2015 0 1 2 3 4


2015 pelos gerentes de uma empresa. Número de gerentes 12 20 24 16 8
a. Qual é o número mediano de viagens realizadas pelos gerentes em 2015? Resp = 2
b. Qual será a nova mediana se adicionarmos 18 gerentes de outra filial, cada um com exatamente 1 viagem? Resp = 1

a) Trata-se de md de distribuição de frequência sem classe. Logo: f = 12+20+24+16+8 = 80 → par. Então: P1 = n/2 e P2 = sucede P1
P1= 80/2 = 40ª e P2 = 41ª. Acumulando as frequências até 40ª e 41ª, temos: 12+20+24  Md = 2

b) Neste caso, o número de gerentes com “1 “ viagem passa de f = 20 para f=20+18 = 38. Logo: f = 12+38+24+16+8 = 98 → par.
Então: P1 = n/2 e P2 = sucede P1  P1 = 98/2 = 49ª e P2 = 50ª  Acumulando as frequências até 49ª e 50ª, temos: 12+38  Md = 1

QUESTÃO 10 (ENEM – 2013 – caderno amarelo – questão 150)


Foi realizado um levantamento nos 200 hotéis de uma cidade, no qual foram anotados os valores, Total de hotéis é igual a 200. Logo:
200 x
em reais, das diárias para um quarto padrão de casal e a quantidade de hotéis para cada valor da
200 x
diária. Os valores das diárias foram: A = R$ 200; B = R$ 300; C = R$ 400 e D = R$ 600. No gráfico ao = 50
lado, as áreas representam as quantidades de hotéis pesquisados, em porcentagem, para cada = 80
valor da diária. O valor mediano da diária, em reais, para o quarto padrão de casal nessa cidade, é 200 x
Tipo de hotel f fa
a) 400 b) 300 c) 350 d) 345 e) 375 A – R$200 50 50 = 20
200 x
Obtenha a quantidade de hotéis por tipo (veja cálculo no gráfico). Depois, monte uma tabela B – R$ 300 50 100
e acumule as frequências. A mediana está na 100ª e 101ª posição (use a regra par, pois C – R$ 400 80 180
= 50
quant. hotel = 200), e será a média de R$300 e R$400. Logo mediana é R$ 350. D – R$ 600 20 200
61
Sumário 61
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira
Resolução dos exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

Sumário 62
62
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

3.4 Moda
É o valor que mais se repete em um conjunto de dados.

3.4.1 Moda simples

Basta identificar o valor que mais se repete em um conjunto de dados (não é necessário cálculo). Exemplo:

No conjunto {1, 3, 5, 5, 5, 6, 6, 7} a moda = 5, pois é o número que mais se repete;


No conjunto {1, 3, 5, 5, 6, 6, 7, 8} a moda = 5 e 6, pois são os números que mais se repetem. Esse conjunto é bimodal;
No conjunto {1, 3, 5, 5, 6, 6, 7, 7} a moda = 5, 6 e 7 pois são os números que mais se repetem. Esse conjunto é polimodal;
No conjunto {1, 3, 2, 5, 8, 7, 9, 0} não há moda pois nenhum número se repete. Esse conjunto é amodal.

3.4.2 Moda de distribuição de frequência e histograma (sem classes)

Basta identificar o valor com maior frequência em um conjunto de dados (não é necessário cálculo):

 Para encontrar a moda em uma distribuição de frequência e histograma sem classes não é necessário nenhum tipo de cálculo.
Basta identificar o dado que possui a maior frequência.
P

EXEMPLO. Um professor listou os resultados obtidos em uma prova com 25 alunos e elaborou a distribuição
ro

de frequência e um histograma sem classes abaixo. Qual foi a nota modal da turma?
Desempenho dos alunos Desempenho dos alunos
f

Frequência f Não é necessário cálculos. A nota 12


Nota maior 10
(nº de alunos) modal = 9,0 pois é a nota que 10 frequência
M

frequência
4,0 5 possui a maior frequência 8
(apareceu 10 vezes, sendo a nota
S

6 5
5,0 3 que mais se repete no conjunto de 4 3
c

3
60 2 dados). 2 2
2
7,0 3
Ua

0
8,0 2 maior 4,0 5,0 6,0 7,0 8,0 9,0
moda = 9,0 10 frequência
nd

Nota
er

3.4.3 Moda de distribuição de frequência e histograma (com classes)


s on

Identifique a classe com maior frequência (classe modal) e calcule a moda por meio da “Moda de Czuber”.

 Na distribuição de frequência com classes identifica-se a classe modal para depois encontrar o valor modal aproximado por
R

meio da equação da Moda de Czuber, criada pelo matemático Emanuel Czuber.


eb

EXEMPLO. Um radar instalado na rodovia X registrou as velocidades (km/h) de 40 veículos, indicadas na


ul

distribuição de frequências com classes abaixo. Qual foi a velocidade modal desses veículos?
a

(i) Velocidades (km/h) f A velocidade modal está na classe modal 120  130, pois é a classe com maior frequência. A
1 70  80 4 partir dessa classe, basta usar a equação da moda de Czuber para encontrar a moda:
2 80  90 4 Resolvendo a equação, temos:
( )
3 90  100 8
4 100  110 8 Linf = limite inferior da classe modal ( )
(10 - 6)
5 110  120 6 D1 D1 = f classe modal – f classe anterior
6 120  130 10 D2 = f classe modal – f classe posterior Mo = 120 + (2,85)  122,85 km/h,
D2 h = amplitude intervalo de classe aproximadamente.
classe maior 0 (10 - 0)
frequência Obs.: f = frequência Obs.: Como não há classe posterior f = 0
modal
D1 D2
12 (10 – 6) (10 – 0)
Moda de histograma (com classes) 10
10
Usa-se o mesmo raciocínio da tabela acima para identificar a 8 8
frequência

moda: a classe modal é a que possui maior frequência, logo é 8


6
120  130. A partir da classe modal use a equação da “moda de 6
4 4
Czuber” para encontrar a velocidade modal. Veja no histograma 4 ←h→
ao lado como se identifica os dados para inseri-los na equação.
2 10
Linf 0
( 𝑥 ) 𝑘𝑚 0
70 80 90 100 110 120 130
Velocidade (Km/h) classe modal

63
Sumário
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

3.4.4 Qual a lógica da equação da moda com classes?

Visualização de texto exclusiva para alunos matriculados no curso "Estatística I (para leigos): aprenda fácil e
rápido!"

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

Agora, você vai resolver os exercícios


propostos nas páginas 65, 66 e 67.
Depois, você vai conferir (e somente
conferir) os resultados na seção
“Resolução dos exercícios propostos”,
disponível nas páginas 68, 69 e 70.

Quer ter um bom rendimento em seus


estudos? Então lembre-se: tente
resolver os exercícios e NÃO COPIE os
resultados! Só se aprende tentando!
Não desista! Esforça-te! Você é capaz!

Sumário 64
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Exercícios propostos

QUESTÃO 1
Determine o salário modal dos empregados da empresa X: $1300, $850, $1050, $45.000, $1200, $1000, $1300, $900.

QUESTÃO 2
O gráfico em linhas abaixo fornece os valores das ações da empresa XPN, no período das 10 às 17 horas, num dia em que elas
oscilaram acentuadamente em curtos intervalos de tempo.
O valor modal (em Reais) das ações no período das 10 às 17 horas foi
a) R$ 100
b) R$ 150
c) R$ 200
d) R$ 380
e) R$ 460

Tempo (em horas)


QUESTÃO 3
P

Determine a idade modal dos alunos da universidade X: 52, 19, 45, 22, 50, 25, 52, 23, 19, 25.
ro
f

QUESTÃO 4
M

O gráfico abaixo apresenta as vendas das filiais de uma empresa de calçados no mês de março de 2011.
S

Se o valor total das vendas de todas as regiões totalizaram R$ 50 milhões, o valor


c

Leste Norte
22% modal absoluto das vendas, em março de 2011, foi de:
18%
Ua

a) 15 milhões
b) 18 milhões
nd

c) 50 milhões
Oeste Sul
30% 30% d) 60 milhões
er

e) 150 milhões
s on

QUESTÃO 5
Determine a moda a partir das distribuições de frequência abaixo.
R

a) Pesos de 26 peças. b) Pesos de 31 peças.


eb

i Pesos (Kg) f Pesos (Kg) f


ul

1 40  44 2 40 3
44  48
a

2 5 45 5
3 48  52 9 47 10
4 52  56 6 50 8
5 56  60 4 53 5
f=26 f=31

QUESTÃO 6
O histograma abaixo apresenta os registros das velocidades dos veículos que transitaram na rodovia presidente Dutra, em um
sábado, entre 21h e 23h15min. Qual a velocidade modal desses veículos?
Registros de um radar na rodovia Dutra
8
Número de veículos

6 5

4 3 3
2 2
2

0
70 80 90 100 110
Velocidades (km/h)

65
Sumário 65
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira
Exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

Sumário 66
66
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Exercícios propostos

a)
P b)
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

67
Sumário 67
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira
Resolução dos exercícios propostos

QUESTÃO 1
Determine o salário modal dos empregados da empresa X: $1300, $850, $1050, $45.000, $1200, $1000, $1300, $900.
Moda = 1300, pois é o valor que mais se repete (repetiu duas vezes). Simples identificação.

QUESTÃO 2
O gráfico em linhas abaixo fornece os valores das ações da empresa XPN, no período das 10 às 17 horas, num dia em que elas
oscilaram acentuadamente em curtos intervalos de tempo.
O valor modal (em Reais) das ações no período das 10 às 17 horas foi
a) R$ 100
b) R$ 150
c) R$ 200, pois é o valor que mais se repetiu, às 12h e 17H.
d) R$ 380
e) R$ 460

Tempo (em horas)


P

QUESTÃO 3
ro

Determine a idade modal dos alunos da universidade X: 52, 19, 45, 22, 50, 25, 52, 23, 19, 25.
f

Moda = 19 e 52 (bimodal), pois são os valores que mais se repetem (repetiram duas vezes). Simples identificação.
M

QUESTÃO 4
O gráfico abaixo apresenta as vendas das filiais de uma empresa de calçados no mês de março de 2011.
S
c

Leste Se o valor total das vendas de todas as regiões totalizaram R$ 50 milhões, o valor
Norte
22% modal absoluto das vendas, em março de 2011, foi de:
Ua

18%
a) 15 milhões (resposta) A moda é 30%, pois repetiu duas vezes
b) 18 milhões (regiões Oeste e Sul). Logo:
nd

c) 50 milhões R$ 50 milhões ----- 100%


Oeste Sul
er

30% 30% d) 60 milhões R$ x milhões ------ 30%


e) 150 milhões 100x = 50 * 30
s

x = R$ 15 milhões – letra a)
on

QUESTÃO 5
Determine a moda a partir das distribuições de frequência abaixo.
R
eb

a) Pesos de 26 peças. Resp.: 50,28 kg b) Pesos de 31 peças. Resp.: 47 kg


i Pesos (Kg) f Pesos (Kg) f Distribuição de
Classe modal é a de maior frequência, logo é a 3ª
ul

frequência sem
1 40  44 2 classe (48  52). 40 3
a

classes. Não é
2 44  48 5 45 5 necessário
3 48  52 9 𝐶𝑧𝑢𝑏𝑒𝑟 𝑖𝑛𝑓 ( 𝑥 ) 47 10 cálculo. Basta
4 52  56 6 50 8 identificar o peso
5 56  60 4 h = 4, pois é a 53 5 de maior
( 𝑥 ) frequência, que é
f=26
𝐶𝑧𝑢𝑏𝑒𝑟 amplitude da f=31
classe modal igual a 47 kg
= 48 + 2,28  50,28kg
QUESTÃO 6
O histograma abaixo apresenta os registros das velocidades dos veículos que transitaram na rodovia presidente Dutra, em um
sábado, entre 21h e 23h15min. Qual a velocidade modal desses veículos? Resp. = 90 km/h
Registros de um radar na rodovia Dutra
8
Número de veículos

Distribuição de frequência sem classes. Não é necessário cálculo. Basta


6 5
identificar a velocidade de maior frequência.
4 3 Então, Mo = 90 km/h (aparece 5 vezes).
3
2 2
2

0
70 80 90 100 110
Velocidades (km/h)

Sumário 68
68
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Resolução dos exercícios propostos

P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

69
Sumário 69
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira
Resolução dos exercícios propostos

f)
g)

i)
j)
P
ro
f
M
S
c
Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

Sumário 70
70
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

3.5 Relação entre média, mediana e moda


Para finalizar o livro, vamos discutir brevemente uma característica comum entre a média, a mediana e a moda.
Pelo formato do histograma, sempre existirá uma relação empírica entre a média, mediana e a moda. Por meio
dessa relação pode-se identificar os valores (aproximados) dessas medidas, sem necessidade de cálculos.

Quando a Média, Mediana e Moda se coincidem, chamamos a distribuição dos dados de Simétrica ou Normal.

média = mediana = moda Simétrica ou normal ou forma de sino


Quando a distribuição tem a forma de sino (veja linha tracejada no
Média, Mediana, Moda gráfico), a quantidade de dados vai aumentando, atinge um pico, e
depois diminui. Se dividíssemos esse gráfico em duas partes, a partir do
Registros de um radar na rodovia Dutra
8 centro, os dois lados seriam iguais. O cálculo abaixo confirma que numa
7
distribuição normal a média, mediana e moda sempre se coincidem.
Número de veículos

6 Além disso, os valores dessas medidas sempre estarão no meio.


4 4
4 3 3 Média = (70 x 3) + (80 x 4) + (90 x 7) + (100 x 4) + (110 x 3) = 90 Km/h
3+4+7+4+3
2
Mediana = 90 Km/h
0
P

70 80 90 100 110 Moda = 90 Km/h


Velocidades (km/h)
ro

Quando a Média, Mediana e Moda não se coincidem, chamamos a distribuição dos dados de assimétrica.
f
M

média < mediana ≤ moda Assimétrica à esquerda*


Quando a distribuição tem a forma assimétrica à esquerda (veja linha
S

Mediana e Moda tracejada no gráfico), a quantidade de dados vai aumentando aos


c

poucos, atinge um pico e diminui repentinamente. Neste tipo de


Registros de um radar na rodovia Dutra distribuição, a média sempre será menor que a mediana e a moda. Os
Ua

10 9 valores dessas medidas serão aproximadamente conforme ilustra o


Média
Número de veículos

8 gráfico ao lado. O cálculo abaixo confirma a afirmativa:


nd

6
6 Média = (70 x 1) + (80 x 3) + (90 x 6) + (100 x 9) + (110 x 2) = 94 Km/h
er

4 3 1+3+6+9+2
2
s

2 1
Mediana = 100 Km/h
on

0
70 80 90 100 110 Moda = 100 Km/h
Velocidades (km/h)
R

*Assimétrica à esquerda indica que o gráfico é desigual (os dois lados não
eb

são iguais), tendo poucos dados no lado esquerdo.


ul
a

média > mediana ≥ moda Assimétrica à direita*


Quando a distribuição tem a forma assimétrica à direita (veja linha
Mediana e Moda tracejada no gráfico), a quantidade de dados tem um aumento
repentino e depois vai diminuindo. Neste tipo de distribuição, a média
Registros de um radar na rodovia Dutra sempre será maior que a mediana e a moda. Os valores dessas medidas
10 9 Média serão aproximadamente conforme ilustra o gráfico ao lado. O cálculo
Número de veículos

8 abaixo confirma a afirmativa:


6
6 Média = (70 x 2) + (80 x 9) + (90 x 6) + (100 x 3) + (110 x 1) = 86Km/h
4 3 2+9+6+3+1
2
2 1 Mediana = 80 Km/h
0
70 80 90 100 110 Moda = 80 Km/h
Velocidades (km/h)
*Assimétrica à direita indica que o gráfico é desigual (os dois lados não
são iguais), tendo poucos dados no lado direito.

71
Sumário
Prof. MSc. Uanderson Rébula de Oliveira

Mensagem do autor

AGRADEÇO a oportunidade de apresentar um conteúdo que possa agregar algum valor para a sua vida.

Como complemento a este livro, o curso online de Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido! está disponível
na plataforma Udemy (www.udemy.com), reconhecida como a maior plataforma de aprendizagem online do
mundo. A previsão é julho/2017.

Te encontro, também, no livro Estatística II (para leigos): aprenda fácil e rápido! Nele, daremos sequência ao
estudo de estatística e veremos medidas de ordenamento ou separatrizes (decil, quartil e percentil); medidas de
variação ou dispersão (amplitude total, variância, desvio padrão e coeficiente de variação); e medidas de forma
(assimetria e curtose). Mas aguarde, pois esse livro ainda está em elaboração, com previsão de conclusão em
setembro/2017. Ele será disponibilizado na livraria Saraiva.

Dúvidas, envie email para uanderson.rebula@yahoo.com.br

Um grande abraço!
P

Prof. MSc. Uanderson Rébula


ro
f
M
S
c

CLIQUE AQUI: CANAL NO


Ua
nd
er
s on
R
eb
ul
a

Sumário 72
Estatística I (para leigos): aprenda fácil e rápido!

Referências Bibliográficas

ANDERSON, David R.; SWEENEY, Dennis J.; WILLIANS, Thomas A. Estatística aplicada à administração e economia.
2 ed. São Paulo: Cengage Learning, 2009. 597 p.
BRUNI, Adriano Leal. Estatística para concursos. São Paulo: Atlas, 2008. 197 p.
BUSSAB, Wilton de Oliveira; MORETTIN, Pedro Alberto. Estatística básica. 8 ed. São Paulo, Saraiva, 2013. 548 p.
CARVALHO, Sérgio; CAMPOS, Weber. Estatística Básica Simplificada. Rio de Janeiro: Campus, 2008. 608 p.
COSTA, Sérgio Francisco. Introdução ilustrada à estatística. 4 ed. São Paulo: Harbra, 2005. 399 p.
COSTA NETO, Pedro Luiz. Estatística. 3 ed. São Paulo: Blucher, 2002. 266 p.
CRESPO, Antônio Arnot. Estatística fácil. 19 ed. São Paulo: Saraiva, 2009. 218 p.
FARIAS, Alfredo Alves et al. Introdução à estatística. 2 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2003, 320 p.
FREUND, John E. Estatística aplicada: economia, administração e contabilidade. 11 ed. Porto Alegre: Bookman,
2006. 536 p.
GIOVANNI, José Ruy; BONJORNO, José Roberto; GIOVANNI JR., José Rui. Matemática fundamental: uma nova
abordagem – volume único. São Paulo: FTD, 2002. 712 p.
HELP! Sistema de consulta interativa. Matemática. Rio de Janeiro: O globo, 1997. 319 p.
P

IEZZI, Gelson; HAZZAN, Samuel; DEGENSZAJN, David. Fundamentos da matemática elementar: Matemática
ro

financeira, comercial e estatística descritiva. Volume 11. 1 ed. São Paulo: Atual editora, 2004. 230p.
f

LAPPONI, Juan Carlos. Estatística usando o Excel. 4 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005. 476 p.
LARSON, Ron; FARBER, Betsy. Estatística aplicada. 4 ed. São Paulo: Pearson, 2010. 637 p.
M

LEVINE, David M. et al. Estatística: teoria e aplicações. 5 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2008. 752 p.
S

LOPES, Paulo Afonso. Probabilidade e estatística: conceitos, modelos e aplicações em Excel. Ernesto Reichmann,
c

1999. 174 p.
Ua

MANDIN, Daniel. Estatística descomplicada. 9 ed. Brasília: Vestcon, 2002. 227 p.


MONTGOMERY, Douglas C.; RUNGER, George C. Estatística aplicada e probabilidade para engenheiros. 2 ed. Rio
nd

de Janeiro: LTC, 2003. 465 p.


er

NEWBOLD, Paul. Statistics for business and economics. 8th ed. United States of America: Pearson, 2012. 792 p.
RUMSEY, Deborah. Estatística para leigos. Rio de Janeiro: Alta books, 2009. 350 p.
s on

SILVA, Ermes Medeiros et al. Estatística: para os cursos de Economia, Administração e Ciências Contábeis - volume
1. 2 ed. São Paulo: Atlas, 1996. 189 p.
SMOLE, Kátia Stocco; DINIZ, Maria Ignez. Matemática–ensino médio. 5 ed. São Paulo: Saraiva, 2005. 558 p.
R
eb

SPIEGEL, Murray R. Estatística: resumo da teoria, 875 problemas resolvidos, 619 problemas propostos. São Paulo:
McGraw-Hill do Brasil, 1977. 580 p.
ul

TRIOLA, Mario F. Introdução à estatística. 10 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2008. 696 p.
a

URBANO, João. Estatística: uma nova abordagem. Rio de Janeiro: Ciência moderna, 2010. 530 p.
VASCONCELLOS, Maria José Couto; SCORDAMAGLIO, Maria Terezinha; CÂNDIDO, Suzana Laino. Coleção
Matemática. 1ª e 3ª série do ensino médio. São Paulo: Editora do Brasil, 2004. 232 p.
WERKEMA, Maria Cristina Catarino. As ferramentas da qualidade no gerenciamento dos processos. Belo
Horizonte: EDG, 1995. 128 p.
WHEELAN, Charles. Estatística: o que é? para que serve? Como funciona? Rio de Janeiro: Zahar, 2016.

73
Sumário
LIVROS PUBLICADOS POR
Uanderson Rébula de Oliveira
QUERO Esses ebooks estão disponíveis na livraria Saraiva por
COMPRAR preços bem acessíveis.

OS LIVROS Além disso, você pode imprimir, desenhar,


esquematizar ou usar qualquer leitor pdf,
pois a maioria deles encontra-se
desbloqueado.

Prof. Uanderson Rébula. Doutorando em


Ver amostras Engenharia. Professor universitário. Vivência
de 21 anos em ambiente industrial.
dos livros
uanderson.rebula@yahoo.com.br
http://lattes.cnpq.br/1039175956271626
https://br.linkedin.com/in/uandersonrebula