You are on page 1of 10

Africa Comics EXPOSIÇÃO • DE 16 A 30 DE MAIO DE 2004 • GALERIA 2 • ENTRADA LIVRE

Al’ Mata
Alain Mata Mamengi nasceu em 1970 em Kinshasa (República Democrática do Congo). Licenciou-se em Pintura na Academia de
Belas Artes de Kinshasa e tirou um curso de Animação Cultural no Instituto Nacional das Artes. Vencedor de vários prémios de
banda desenhada (na República Democrática do Congo e no Gabão) e de caricatura (no Festival Simavi, na Turquia), Al’ Mata
é director artístico e ilustrador de L’Observateur e do seu suplemento ‘Sélection Info’. Os seus trabalhos já foram publicados
noutros periódicos, como na edição única da revista Les stars de la BD. Participou na criação e na publicação do único número
da revista de banda desenhada Mac BD. É presidente da Associação de Desenhadores “Bulles et Plumes” de Kinshasa. Tem
vários trabalhos inéditos ainda em projecto, como uma história intitulada “Le billet de Bakuvangu”, inspirada num filme.
Colabora com Cristophe N’galle Edimo, com quem realizou a aventura “Zambo”. É membro da Associação “L’Afrique Dessinée”.
“Desenho graças ao meu irmão mais velho Albert, que me mostrou os desenhos que fazia quando era criança, e também
graças ao meu outro irmão Freddy, também ele desenhador, mas amador. Gostava que o meu pai e o meu irmão Albert vissem
agora o meu trabalho”. Recebeu, ex-aequo, o Prémio ‘Africa e Mediterraneo’ (secção argumento livre) na edição 2003/2004.
AL MATA/N’GALE EDIMO • LE GALA DE L’ENFANCE MALHEUREUSE • 22,5 x 31,2 cm

Albert Tshitshi
Albert Tshisuaka (o seu nome verdadeiro) nasceu em 1957 na República Democrática do Congo e vive na Bélgica. É desenhador
e cenógrafo. Cinco anos depois de se instalar na Bélgica tornou-se ilustrador de livros escolares, desenhador de uma empresa
têxtil de Kinshasa e pintor. Publicou breves histórias em várias revistas, entre as quais, em 2002, “Le boomerang”, na agenda
mensal de CBAI, “Arrestation immediate” e “Win fir life” na Défis Sud. Trabalha no álbum “Le retour du castor dans Wallonie”
para a Associação “Les Rangers” e participou na realização de um álbum que estará pronto em 2005, da P&T Joker. Participou
em 2003 nas exposições Bulles d’Afrique, no Centro Belga de Banda Desenhada, em Bruxelas, e Africa Comics, Comissão
Europeia, Europaid (Bruxelas) em 2003.
ALBERT TSHITSHI • LA DOUBLE PENALITÉ • 29,8 x 42 cm

Amanvi
Bertin Prosper Amanvi nasceu em 1974 na Costa do Marfim. Licenciado em Comunicação pela Academia de Belas Artes, é
professor de Artes Plásticas no Liceu de Jacqueville. Actualmente encontra-se a tirar uma especialização em imagens virtuais
para a comunicação. É membro da Associação “Tâche d’encre” e membro fundador do jornal satírico Gbich! de Abidjan.
Vencedor de vários prémios, entre os quais o Prémio Especial 2002 do concurso ‘Africa e Mediterraneo’. As pranchas que
apresenta fazem parte de “Blolo Bian, l’amant de l’au-delà”, uma banda desenhada publicada em 2002 na Lai momo editada
pela Gbich. Influenciado pela Arte Nova, o estilo de Amanvi inspira-se em artistas da banda desenhada como Hugo Pratt, Tardi
e Ryoichi Ikegami.
AMANVI • MADJALIA • 21 x 29,8 cm
Anton Kannemeyer (Joe Dog)
Anton Kannemeyer nasceu em 1967 na Cidade do Cabo (África do Sul). É um dos mais apreciados autores de banda desenhada
sul-africana (assina também com o nome Joe Dog). É dotado de uma habilidade que vai desde a utilização da ‘ligne claire’ ao
pós-modernismo. Licenciado em Arte pela Universidade de Stellenbosch, é actualmente professor do Departamento de Artes
Gráficas da Universidade de Pretória. Tem dado vários seminários e conferências sobre a ilustração satírica em universidades
africanas e europeias. Publicou – e continua a publicar – os seus trabalhos em revistas como Bitterkomix (1989-1992), New
Contrast (Cidade do Cabo), Sunday Times Magazine (Joanesburgo), Posse (Amesterdão), Formaline (Bélgica), Colors (Itália) e
Komix 2000 (França). Desde 1992 que lhe são dedicadas numerosas exposições, dentro e fora da África do Sul. Recentemente
esteve patente uma exposição dos seus trabalhos na Gaswork Gallery, em Londres. Trabalha como ilustrador freelancer para
várias publicações, entre as quais Die Suid-Afrikaan e De Kat, para as editoras Huiman & Rousseau, Juta, Shuter and Shooter,
e para agências de publicidade.
JOE DOG • NAG VAN DIE WIT SKRIK • 46 x 63 cm; REWERIE • 44,5 x 64 cm; ‘TRUE LOVE (A TRUE STORY)’, IN THE BEST OF BITTERKOMIX
1/2001 • 51 x 67,5 cm

Bob Kanza
Bob Destin Zinga Kanza nasceu em 1977 em Brazzaville (Congo). É membro da Associação “Tâche d’encre”. Caricaturista
congolês, licenciou-se em Medicina. Por causa da Guerra Civil, abandona o Congo e muda-se para a Costa do Marfim em 1977.
Em Abidjan obtém um diploma em informática e em 1999, depois de ganhar um concurso organizado pela Gbich!, inicia a sua
carreira naquela revista, onde cria a popular personagem Sergent deux Togos, um ‘policiazeco’ mal pago que, para arredondar
a féria, se dedica a vigarices.
BOB KANZA • SERGENT DEUTOGO. DEMAIN EST UN JOUR! • 29,2 x 42,2 cm; SERGENT DEUTOGO. VERSEMENT OU RENVERSEMENT •
29,2 X 42,2 CM; SERGENT DEUTOGO. COVER • 29,2 x 42,2 cm

Chrisany
Francis Taptue (Chrisany) nasceu em 1978 em Douala (Camarões). Actualmente estuda Artes Plásticas na Sorbonne e realiza
ilustrações para uma agência de publicidade. Após uma primeira experiência para a revista Mac BD, publicou recentemente,
para o Centro Cultural Francês de Douala, um álbum de 46 páginas – “Tâ Sâ le futur notable” –, e é colaborador regular das
publicações L’oeil du Sahel, Popoli e Le Temps. Realizou imagens publicitárias para a Societé Synergie e ilustrações para as
revistas Mongo e Planète Jeune. Colabora ainda com diversas ONGs e realizou em Paris uma mostra sobre o tema da mutilação
genital das mulheres africanas. Criou, com um estilo que vai do realismo à caricatura, personagens que se tornaram famosas
nos Camarões, como Beleng, Somo, Mella, Magne, Galamo. Recentemente realizou para a Hachette International as ilustrações
de um livro escolar destinado à África francófona. Em 2001 participou no Festival de Banda de Desenhada de Angoulême
(França) e de Sière (Suíça). Dos desenhadores europeus aprecia sobretudo Hugo Pratt e Reiser. É membro da Associação
“L’Afrique Dessinée”.
CHRISANY • ARTICLE 5 ET 9 • 32 x 40,2 cm

Christophe N’galle Edimo


Christophe N’galle Edimo nasceu nos Camarões. É geólogo de formação mas consagrou-se na banda desenhada trabalhando
em colaboração com outros artistas como Titi Faustin, Eric Salla, Simon Pierre Mbumbo e com o colombiano Rafaël Espinel.
Publicou recentemente “Une enfance volée” com desenhos de Simon Pierre Mbumbo, e “Grigris d’amour” com desenhos de Titi
Faustin (com o qual ganhou o ‘Grand Prix de la Ville’ durante o Festival Cocobulles realizado em Grand Bassam em 2001). Foi um
dos autores do guião de três episódios do filme animado Kabongo le griot realizado pela Pictoons Studios de Dacar. É fundador
e presidente da Associação “L’Afrique Dessinée”. Recentemente, com a desenhadora Sandrine Martin, ganhou o Prémio FNAC,
sobre o tema “J’ai fait un rêve, celui d’une couleur”, com uma publicação de 8 pranchas destinada às crianças entre os 8 e os
11 anos. A revista italiana Linus publicou uma história sua escrita para a desenhadora Fifi Mukuna. Participou, entre outras, na
Collection Afrique, em Glénat e, em Itália, na exposição Africa Comics 2003. É educador de menores em situações de risco.
AL MATA/N’GALE EDIMO • LE GALA DE L’ENFANCE MALHEUREUSE • 22,5 x 31,2 cm

Conrad Botes
Conrad Botes nasceu em 1969 na Província do Cabo (África do Sul). Obteve o doutoramento em Belas Artes em 1997 na
Universidade de Stellenbosch e é licenciado em Second Phase Illustration na Real Academia de Belas Artes na Haia (Holanda).
Participou no XXVI Festival Anual de Banda Desenhada de Angoulême, em França. Trabalhou como tipógrafo numa litografia e
foi professor de ilustração em várias escolas e universidades sul-africanas. É ilustrador e os seus trabalhos já foram publicados
na Cosmopolitan, Elle, Leadership, De Kat e SL magazine. Colabora com algumas agências de publicidade internacionais e
publica para a Human & Rousseau, Tafelberg (África do Sul). Expôs o seu trabalho (ilustrações, banda desenhada e ainda
pintura, escultura e desenhos) na Holanda, Bélgica, África do Sul, Suíça e França. Publicou os seus trabalhos nas revistas
sul-africanas underground e especializadas como Stet literary magazine, Bitterkomix (da qual é co-fundador com Anton
Kannemeyer), Posse Stip Tijdschrift, Gif: Afrikaner Sekskomix, Tirade, Loslyf; e na Europa, Formaline e Comix 2000. Recebeu
o ‘Paper Magazine Award’ em 1997 e foi também premiado pela sua Pendoring Campaign em 1998 (‘Golden Lourie’, ‘Silver
Lourie’ e ‘Craft Award’).
CONRAD BOTES • COVER OF BITTERKOMIX • 43 x 61 cm; COVER OF I-JUSI N. 15: THE PORN ISSUE • 29,6 x 41,9 cm; THE LAST DAYS OF
FANIE SWART • 43 x 61 cm

Damien Hector Sonon


Damien Hector Sonon nasceu em 1969 em Cotonou, no Benin, onde publicou a sua primeira banda desenhada “Zinsou e
Sagbo”, em 1988. Seguiram-se, em 1991, “Inceste, Sang et Larmes” na revista Le Forum de la Semaine e, em 1992 e 1993, “Papa
Ziboté” (na revista Abito). Entre 1996 e 2000 publica a saga “Les couleurs de la mémoire” na revista Interfaces.
DAMIEN HECTOR SONON • LE KAIMAN EST MORT • 29,8 x 42 cm • 29,8 x 41,8 cm

Daniël du Plessis
Daniël du Plessis é um artista sul-africano. Entre 1996 e 2000 viveu na Califórnia, onde obteve um mestrado em Pintura e
Desenho na Fullerton School, e leccionou Pintura e Desenho na Universidade da Califórnia. Trabalhou nas áreas da edição e
da comunicação. Tornou-se pintor, tendo exposto os seus trabalhos nas principais colecções públicas e privadas. Dedicou-se à
banda desenhada contribuindo para duas antologias de Africa Comics onde foram publicadas as suas histórias “Space Dust”
e “Making Track”. Estas histórias receberam uma Menção Honrosa do júri. Nos seus trabalhos Daniël du Plessis combina
livremente elementos da pintura contemporânea e da cultura popular. Estes elementos são um ponto de partida para a criação
de diversas histórias que são metáforas da fragilidade da nossa vida emotiva e do irrevogável escorrer do tempo.
DANIËL DU PLESSIS • SPACE DUST 1 • 30 x 41 cm

El Hadji Sidi N’diaye


El Hadji Sidi N’diaye é um autor de banda desenhada senegalense. Alguns dos seus trabalhos foram publicados no Piccolo
Missionario (Nigrizia). Trabalha em projectos de cooperação internacional. Recentemente participou no concurso Africa
Comics 2003-2004. Vive em Itália.
EL HADJI SIDI N’DIAYE • BD SUR LA THEMATIQUE DES DROITS DE L’HOMME • 29,2 x 42,2 cm

Eric Salla
Mangitukwa Eric Salla nasceu em 1974 em Kimpese (República Democrática do Congo). Em 2001 termina a licenciatura em
Filosofia e Crítica de Arte na Universidade Católica de Kinshasa. Desde 1989 que participa em várias exposições, salões e
ateliers de banda desenhada, entre os quais o Salão de Banda Desenhada Africana de Kinshasa, organizado pelo Atelier de
Creation, Recherche et Initiation à l’Art (ACRIA), o XXIII Festival de Angoulême e a Segunda Convenção Africana de Cartoonistas
em Douala. Em 1999 obteve o Prémio de Melhor Caricaturista da Associação dos Profissionais dos Media. Colabora com várias
revistas, entre as quais Bleu Blanc, Lokole, Bulles, Plume e Mwana Mboka. Participou com uma história no álbum colectivo À
l’ombre du baobab. Participou ainda como pintor em algumas mostras. É membro da Associação “L’Afrique Dessinée”.
ERIC SALLA • LES AFRICAINS SONT PARMIS NOUS 1 • 29,5 x 41,6 cm; LES AFRICAINS SONT PARMIS NOUS 6 • 29,5 x 41,7 cm

Gnakan
Kovamé Thierry Gnakan nasceu em 1982 em Abidjan (Costa do Marfim). Em 1999 vence um concurso de banda desenhada
e torna-se colaborador da revista Gbich!. É membro da Associação “Tâche d’encre”. O seu personagem mais famoso é
Gnamankoudji ZeKinan, um marginal/delinquente muito conflituoso. ‘Gnamankoudji’ é o nome que, na Costa do Marfim, se dá
a um molho muito picante, feito à base de gengibre. Desde sempre foi um leitor apaixonado das aventuras de Spirou. Gnakan
diz ter sido influenciado por Franquin e outros desenhadores belgas francófonos.
GNAKAN •GNAMANKOUDJI ZEKINAN • 29,6 x 41,8 cm
Illary
Groby Semplice Illary nasceu em 1974 na Costa do Marfim. Depois de ter trabalhado durante dez anos para jornais locais,
fundou, juntamente com outros artistas a revista Gbich!, onde é chefe caricaturista. É membro da Associação “Tâche d’encre”.
Desenhador e cenógrafo, é autor de Gazou la doubleuse e de Tommy La Poasse, o estudante infeliz e hipocondríaco, duas das
personagens chave do jornal.
ILLARY • TOMMY LAPOASSE • 29,7 x 33,2 cm

Jo Palmer
Jo Palmer Akligo nasceu em 1967 em Lomé (Togo). “... Por motivos de estudo, aqui em África, tolera-se que se diminua a
idade dos rapazes. Por isso, no meu passaporte está escrito ‘nascido em 1973’. Não é verdade, mas em África é assim!”.
Actualmente vive no Benin. Licenciado em Sociologia abandonou a sua carreia de sociólogo para se tornar um desenhador.
Em 1999 começou a publicar os seus desenhos em alguns jornais, como Togo, Forum Hebdo, Atopani Express ou Tribune des
Democrates. Desde 1992 colabora com La Gazzette du Golfe de Cotonou onde, em 1994, publicou La biche, um jornal de banda
desenhada satírica que se tornou bastante popular.
JO PALMER • ON A FUMÉ MALROBO! (2º EPISÓDIO) • 11 x 29,5 cm

Joe Daly
Joseph Daly nasceu em 1979 em Londres. Os seus pais são sul-africanos. Hoje vive na Cidade do Cabo. Licenciou-se no
Westerford High School, na Cidade do Cabo e, logo no primeiro ano, era já desenhador do jornal da escola. Especializou-se
mais tarde em desenho animado no City Varsity Media College, onde recebeu várias distinções como o Prémio para a Melhor
Animação, em 1998, e o Prémio para a Melhor Personagem Original.
Entre 2000 e 2002 trabalhou na concepção da história “The Red Monkey”, até agora inédita. Colaborou depois com a editora
Maskew Miller Longman em livros de língua africana e colabora regularmente com a revista sul-africana Student Life. Entre os
cartoonistas que mais o inspiraram estão Hergé e o seu TinTin, Gary Larson e Davide Mazzucchelli. Ganhou o Prémio Especial
(secção argumento livre) da edição de 2003/2004 do concurso ‘Africa e Mediterraneo’.
JOE DALY • THE RED MONKEY • 21 x 29,7 cm

Joshua Okoromodeke
Joshua Okoromodeke nasceu em 1977 na Nigéria, onde desenvolveu os estudos das Artes Gráficas e se especializou em banda
desenhada e encenação. Trabalhou para a revista do Centro Cultural Francês de Lagos. Mais tarde, como ilustrador, desenvolveu
trabalhos para vários jornais importantes. Desde Setembro de 2001 que trabalha para a Emerald Stone Productions, produzindo
livros de banda desenhada africana.
JOSHUA OKOROMODEKE • IMMIGRATION TRAVAIL • 23 x 46 cm

Kan Souffle
Abel Kouamé N’guessan nasceu em 1977 em Toumodi (na Costa do Marfim). Licenciado pela Academia de Belas Artes, na
vertente de Comunicação, colabora desde 1999 na revista Gbich!. É membro da Associação “Tâche d’encre”. Da sua paixão
pelos super-heróis da banda desenhada norte-americana e pela manga japonesa nasceu a personagem Gbassman, que extrai
os seus super-poderes de forças esotéricas presentes em máscaras, poções mágicas, etc... (‘gbass’ é um nome que na Costa do
Marfim se dá a um feitiço). “Utilizo o lápis e o pincel para acentuar o carácter místico das minhas histórias”.
KAN SOUFFLE • LA DORLOTEUSE • 19,6 x 41,2 cm

Kangol
Kassi Ngdubeyou Olivier é um desenhador dos Camarões.
KANGOL • A QUI LA FAUTE? • 27,8 x 39,7 cm

Karlos Guédé Gou


Liadé Guedé Carlos Digbeu nasceu em 1966 na Costa do Marfim. Desde 1990 colabora como desenhador em diversos jornais
diários. É um dos caricaturistas mais populares da Costa do Marfim e é membro da Associação “Tâche d’encre”. É membro
fundador do jornal Gbich!, para o qual criou a personagem Jo Bleck, sedutor implacável.
KARLOS GUÉDÉ GOU • JO´BLEK • 27,1 x 35,5 cm
Kbenjamin
Kbenjamin nasceu em 1967 em Bouaké (Costa do Marfim). É professor de Artes Plásticas e ilustrador. Trabalhou como
ilustrador em livros religiosos (Centre de Media Baptiste), livros de animação (Inades) e em livros para crianças. Autor da banda
desenhada John Koutoukou, Edições CEDA.
KBENJAMIN • LES AVENTURES DE JOHN KOUTOUKOU • 29,5 x 42 cm

Kola Fayemi
Kola Fayemi nasceu em 1957 na Nigéria. Licenciou-se na escola de arte do YABA College of Technology, Lagos (Nigéria). É o
criador da série “Terror Muda”, banda desenhada do Vanguard Daily Newspaper e o autor de várias ilustrações publicitárias
(Union Bank Stallion Magazine, Nigerian National petroleum Corporation-Napetcor magazine, Afribank magazine). É autor do
livro How you can combat HIV/AIDS.
KOLA FAYEMI • MONSTER IN KAKI • 27 x 42 cm

Ly.Bek
Ly.Bek é um artista do Gabão, autor de banda desenhada, que colabora com a revista BD Boom.
LY.BEK • DA EXPLOSE LA CAPOTE • 29,2 x 42,2 cm

Marisa Cloete
Marisa Cloete nasceu e vive em Stellenbosh (África do Sul). Licenciou-se recentemente em desenho gráfico e ilustração na
Faculdade de Belas Artes da Universidade de Stellenbosh. Em 2002 ganhou ex-aequo o Prémio ‘Africa e Mediterraneo’ para a
Melhor Banda Desenhada de um desenhador africano na secção dos direitos humanos.
MARISA CLOETE • GEBUZA: TO DIG A BIG HOLE • 38,5 x 51 cm

Mark Kannemeyer
Mark Kannemeyer nasceu em 1965 na Cidade do Cabo. Licenciado em Belas Artes na Witwatersrand Technikon de Joanesburgo,
tendo aperfeiçoado os seus estudos mais tarde na Alemanha, na Escola Superior das Artes em Berlim. Trabalhou como docente
no departamento de Belas Artes da Universidade de Stellenbosch e, actualmente, é investigador na Witwatersrand Technikon
de Joanesburgo. Trabalha como ilustrador freelancer em numerosos estudos de design e editoras. Publicou os seus trabalhos
de banda desenhada em várias revistas, como In-Jusi, Bitterkomix e Insig.
MARK KANNEMEYER (LORCAR WHITE) • JOE SMOKES IN DUSK • 31 x 42 cm

Martin Emosiwe
Martin Emosiwe nasceu em 1982 na Nigéria. É desenhador e pintor. O seu trabalho inspira-se em Jim Lee.
MARTIN EMOSIWE • IKEMBA (2) • 34 x 49 cm

Mendozza Y Caramba
Aka Maxime Gnoan Kacou nasceu em 1964 em Dabou (Costa do Marfim). Jornalista, caricaturista e autor de banda desenhada,
licenciou-se em 1989 na Academia de Belas Artes, vertente de Comunicação. De 1991 a 1999 foi professor de Artes Plásticas
num liceu. Foi membro fundador do jornal Gbich!, onde publica artigos, bandas desenhadas, caricaturas e provérbios ilustrados.
É membro da Associação “Tâche d’encre”. Nas suas bandas desenhadas trabalha essencialmente com lápis, nomeadamente a
preto e branco e cinzento. Recebeu uma Menção Honrosa na edição de 2002 do concurso ‘Africa e Mediterraneo’ com a história
que apresenta nesta exposição.
MENDOZZA Y CARAMBA • AAAAA! • 21 x 29,7 cm

Mfumu’Eto
Mfumu’Eto nasceu nos anos 50 em Kinshasa (República Democrática do Congo). Pintor formado na Academia de Kinshasa,
é autor de álbuns em língua lingala que ele próprio edita com meios artesanais. Mfumu’Eto foi um dos primeiros autores
de banda desenhada do Congo. Publicou em 1990 “Nguma ameli muasi” para a Union Chrétienne de Kinshasa, e ganhou
notoriedade com uma série de álbuns sobre Mobutu, representado no Inferno, cujos títulos revelam como o tirano impunha o
seu regime e a sua crueldade: Satan Aboyi Mobutu! (Satanás recusa Mobutu!), Mobutu alingi asala Satan coup d’Etat? (Satanás
tenta um golpe de estado contra Mobutu?), Mobutu a ceinter mwasi na 2e monde (Mobutu engravida uma mulher no além).
Actualmente trabalha cada vez mais na área da Pintura.
MFUMU’ETO • BEBE MISTERIEUS • 30 x 40 cm
Nicolene Low
Nicolene Low nasceu na África do Sul. Autora de banda desenhada, participou no concurso Africa Comics de 2003-2004 com
a Universidade de Stellenbosch (Cidade do Cabo), onde ainda se encontra a terminar a sua formação.
NICOLENE LOW • MEMORY • 29,2 x 42,1 cm

Pahe Dipoula
Pahe Dipoula é um artista do Gabão, autor de banda desenhada, que colabora com a revista BD Boom.
PAHE DIPOULA • DA EXPLOSE LA CAPOTE • 29,2 x 42,2 cm

Pat Masioni
Patrice Masioni nasceu em 1961 em Mikuzi (República Democrática do Congo). Estudou Pintura na Academia de Belas Artes
de Kinshasa. Autor polivalente, também trabalha na área da publicidade. Colabora, desde 1985, com a editora Saint-Paul
(actualmente Médiaspaul) em Kinshasa, para a qual publicou, entre 1987 e 1993, 8 álbuns com temas religiosos; ilustrou livros
didácticos, romances dos escritores Zamenga Batukezanga e Djungu Simba e fez bandas desenhadas para crianças, como
“Maxou”, para uma revista francesa. Encontra-se a realizar “Le fugitif”, um thriller passado em Kinshasa, e publica ilustrações
satíricas no jornal Le Palmarès. Participou em diversos salões internacionais de banda desenhada. É membro do Atelier de
Création, Recherche et Initiation à l’Art (ACRIA) e director artístico da segunda e terceira edições do Salão Africano de Banda
Desenhada e da Literatura para Adolescentes, em Kinshasa. Ganhou o Primeiro Prémio ex-aequo da edição de 2002 do
concurso ‘Africa e Mediterraneo’ com a história que apresenta nesta exposição.
PAT MASIONI • O MON PAYS • 29,5 x 42 cm

Pat Mombili
Patrick Mombili Umba nasceu em 1972 em Kinshasa (República Democrática do Congo). Desenhador autodidacta, licenciou-
-se na Academia de Belas Artes de Kinshasa, na vertente de Publicidade. É membro fundador da “Bulles et Plumes”, uma
associação que agrupa desenhadores e jornalistas, e que publica a revista homónima bimestral. Colaborou com revistas como
a Lisese, uma revista de 28 páginas (número único em 1996), Africanissimo e Bleu-Blanc. É ainda caricaturista nos jornais
Le Palmarès e Seringue. É membro do Atelier de Creation, Recherche et Initiation à l’Art (ACRIA) e da Associação “L’Afrique
Dessinée”, com sede em Paris. Durante a sua carreira participou em 2 álbuns colectivos de autores africanos: “Un dîner à
Kinshasa” e “À l’ombre du baobab”. A partir de 1997, expôs os seus trabalhos no Centre Wallonie-Bruxelles em Kinshasa, no II
e III Salões de Banda Desenhada Africana também em Kinshasa e em festivais de banda desenhada em França, na Bélgica e no
Gabão. Actualmente trabalha na série “Zebola”, apresentada na revista Africanissimo. Recebeu o Primeiro Prémio ex-aequo
da edição de 2003/2004 do concurso ‘Africa e Mediterraneo’ (secção argumento livre) com a história que apresenta nesta
exposição.
PAT MOMBILI • DÉFENSE DE RENTRER À MINUIT • 30 x 42 cm

Patinon
Patinon é um artista do Gabão, autor de banda desenhada, que colabora com a revista BD Boom.
PATINON • DA EXPLOSE LA CAPOTE • 29,2 x 42,2 cm

Romão José Segunda


Romão José Segunda nasceu em 1963 em Luanda (Angola). Especializou-se em cartografia no seu país, tendo mais tarde
enveredado pelos estudos artísticos na área do desenho e da pintura, em Lisboa. Como desenhador colaborou com vários
jornais angolanos.
ROMÃO JOSÉ SEGUNDA • O TELEGRAMA • 29,2 x 42,2 cm

T. T. Fons
Alphonse Mendy nasceu em 1957 em Dacar (Senegal). Depois de se licenciar em Direito ganhou, em 1982, um concurso como
caricaturista para um diário senegalense, já encerrado, Le Politicien, tendo depois realizado um estágio no semanário francês
satírico Le canard enchaîné. Em 1987 fundou, com outro artista, o primeiro periódico satírico senegalense, Le cafard libéré. Foi
neste periódico, ‘irreverente e independente’, que nasceu o popularíssimo Goorgoorlou, personagem exemplar de uma nova
raça de homens: a dos senegalenses submetidos ao ‘Plano de Ajustamento Estrutual’. Desde 1991 que T. T. Fons publicou 8
álbuns de grande sucesso com as aventuras de Goorgoorlou, e um didáctico, em matéria de saúde pública. Goorgoorlou, a sua
mulher Diek, o filho Modou e a expressão ‘Goorgoorlou rek!’ tornaram-se de tal forma familiares do grande público senegalense
que foram apresentados na televisão daquele país em Outubro de 2001. “Na escola sempre evitei desenhar! Sempre me fizeram
crer que, em África, não era possível viver do desenho... Que isso é falso, percebi-o tarde demais.”
T. T. FONS • DA GOORGOORLOU • 21,4 x 27 cm

Timpous
Timposga Kaboré é um desenhador do Burkina-Faso. Colabora com jornais locais (Le pays, Sidwaya, L’Indépendant,
l‘Ouragan).
TIMPOUS • L’HISTOIRE DU JOURNALISTE NORBERT ZONGO • 21 x 29,7 cm

Titi Faustin
Titi Faustin nasceu em 1971 na Costa do Marfim. Ilustrador, caricaturista e desenhador, frequentou, de 1987 a 1990, o Centro
de Pintura Artística de Abengourou. Em 1992 desenvolveu actividades de formação em comunicação na agência publicitária
Océan, o que o levou depois a colaborar com várias agências de comunicação em Abidjan. Titi Faustin colabora com diversos
jornais, como Liberté, Téré Ivoire-Foot, Kabako, La Gazette (porta-voz da União Internacional dos Jornalistas e da Gravura em
língua francesa, da qual é membro) e Alizés, em França. A partir de 1990 participa com sucesso em alguns concursos de banda
desenhada e de caricaturas, como ‘Trade Center’, ‘Pnucid Afrique’, ‘Grapholie’ e ‘Prix Calao’, entre outros, e foi convidado da
27° edição do Festival de Angoulême, em 2000. Contribuiu para a realização de importantes campanhas publicitárias entre
1994 e 1997. Em 1998, durante o campeonato do mundo de futebol, expôs o seu trabalho no stand da equipa dos Camarões, em
Paris. Recebeu o Primeiro Prémio na edição de 2003/2004 do concurso ‘Africa e Mediterraneo’ com a história que apresenta
nesta exposição.
TITI FAUSTIN • LE FLIC DE GNASVILLE • 29,6 x 42 cm

Toric Michael (Richard Tokko)


Toric Micheal (pseudónimo de Richard Tokko) nasceu em 1972 em Douala (Camarões). Cartoonista autodidata desde os 10
anos, pintor, designer profissional e desenhador; participou em várias mostras colectivas de banda desenhada e trabalhou
como desenhador nos jornais Ce Soir e Expansion Magazine. Desde 1985 que participa com sucesso em vários concursos de
banda desenhada: em 1990 ganhou o concurso de banda desenhada ‘Guinness Cameroon’, em 1992 o concurso de banda
desenhada ‘Calao’ e, durante cinco anos consecutivos (1996-2000), o concurso ‘Fgomaric’ de pintura.
TORIC MICHAEL • SUR LE FIL DU RASOIR • 21 x 29,7 cm

Zed’l
Zohoré Lassane nasceu em Abidjan (Costa do Marfim). Depois de uma breve passagem pelo Instituto Nacional de Belas Artes
inicia a sua carreira como desenhador trabalhando durante 15 anos numa rubrica muito popular impressa no jornal diário Les
sourires du jour. É membro da Associação “Tâche d’encre”. Em 1993 assume o cargo de director artístico da filial da Mc Cann
Worlwide em Abidjan, uma agência internacional de publicidade, até 1999, data da criação da revista satírica Gbich!, da qual se
torna director editorial. Cria para esta revista o personagem Cauphy Gambo, paródia do homem de negócios que está sempre
a reflectir “No pitié in Bizness” (nos negócios não há piedade), mas que na realidade não tem nem um negócio, para além de
alguns tostões que consegue extorquir a incautos. Uma sondagem revelou que esta era a personagem de que o público mais
gostava naquela revista.
ZED’L • CAUPHY GOMBO • 28,3 x 27,3 cm