You are on page 1of 96

UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA
CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA CIVIL

DENISE CRISTINA DA ROCHA MOURA

WILLIAM CONCOURD

ORÇAMENTO

ANÁLISE DA APLICAÇÃO DA ENGENHARIA DE CUSTOS:
UM ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA EM BELÉM-PA

BELÉM
2011

DENISE CRISTINA DA ROCHA MOURA

WILLIAM CONCOURD

.

ORÇAMENTO

ANÁLISE DA APLICAÇÃO DA ENGENHARIA DE CUSTOS ATRAVÉS DA
COMPARAÇÃO ENTRE OS MÉTODOS PARAMÉTRICO E ANALÍTICO

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado
à Coordenação do curso de Engenharia Civil
do Centro de Ciências Exatas e Tecnologia
da Universidade da Amazônia como requisito
para a obtenção do título de Bacharel em
Engenharia Civil.
Orientador: Prof.ª Dr.ª Andréia Condurú.

BELÉM
2011

DENISE CRISTINA DA ROCHA MOURA

WILLIAM CONCOURD

.

ORÇAMENTO

ANÁLISE DA APLICAÇÃO DA ENGENHARIA DE CUSTOS ATRAVÉS DA
COMPARAÇÃO ENTRE OS MÉTODOS PARAMÉTRICO E ANALÍTICO

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado
à Coordenação do curso de Engenharia Civil
do Centro de Ciências Exatas e Tecnologia
da Universidade da Amazônia como requisito
para a obtenção do título de Bacharel em
Engenharia Civil.

BANCA EXAMINADORA

________________________________________
ANDRÉIA CONDURÚ. Prof.ª Dr.ª (Engenharia Civil – Universidade da Amazônia –
UNAMA) (ORIENTADORA)

________________________________________
PAULO MÁRCIO DA SILVA ARANHA. Prof. Mestre. (Engenharia Civil –
Universidade da Amazônia – UNAMA)

________________________________________
GUSTAVO DUARTE CARDOSO. Prof. Mestre (UEPA)

Apresentado em: 07/12/2011.

Conceito: ______________________

BELÉM
2011

A seu filho unigênito (Jesus) por ter dado Sua vida pela humanidade e por ser o amigo de toda hora. como também na essencial contribuição nos meus estudos. criador do universo e pai eterno. As minhas amigas Juliana Barata. Denise Cristina da Rocha Moura . Aos meus Pais. Ao meu marido Igor que me incentiva e apoia nesta jornada da vida acadêmica. Ao meu querido filho Heitor que me dá forças para cumprir com meus objetivos. por proporcionar vida em abundância. Danielle Fernandes e Fabíola Campos por contribuírem com bons momentos de distração e entretenimento. pela boa criação e educação empreendida. Raimundo Moura e Dilena Rocha.Dedico a Deus.

William Concourd . A todos os meus filhos em especial ao Felipe ”in memória”. A minha esposa Nayara por ter me incentivado todos os dias e ter compreendido minha ausência nas horas de meu estudo.Dedico em primeiro lugar a Deus nosso Pai Celestial por ter me dado tanta força em cumprir mais uma etapa de minha vida.

Aos meus amigos e colegas de classe que sempre me respeitaram sem discriminação por ser o vovô entre eles.ª Andréia Condurú por ter contribuído sobremaneira na elaboração deste trabalho científico. AGRADECIMENTOS A Deus pelo dom da vida e por me conceder a oportunidade de realizar um sonho o de Engenheira. Ao meu querido marido Igor Pereira.ª Dr. A minha esposa Nayara pelo incentivo no dia a dia. Ao meu amigo William pela co-participação monográfica de conclusão de curso. pelo companheirismo e ajuda no trabalho. E a minha amiga Denise sempre companheira de equipe inclusive nesta participação monográfica de conclusão de curso. A Prof. . Aos meus colegas de classe pela boa convivência e pelos momentos divertidos em sala de aula nestes anos (Denise).

24 TABELA 2: Modelo da tabela CUB – Projeto. aplicado pela empresa. . 44 TABELA 15: Resumo dos cálculos do orçamento paramétrico. 27 TABELA 6: Exemplo de alguns elementos de natureza diversa. 34 TABELA 8: Encargos Sociais e Trabalhistas . 33 TABELA 7: Classificação dos materiais. 38 TABELA 11: Encargos complementares e total dos encargos sociais . LISTA DE TABELAS TABELA 1: Modelo da tabela CUB – Projeto-Padrão Residencial. TABELA 4: Coeficientes para determinação da Área equivalente. 48 TABELA 17: Salário base dos trabalhadores (h/h).Horistas. TABELA 12: Memória de cálculo de jornada de trabalho – Horista. 48 TABELA 18: Resumo dos cálculos do orçamento analítico.Padrão GALPÃO 24 INDUSTRIAL e RESIDÊNCIA POPULAR. TABELA 20: Comparação entre os percentuais dos orçamentos 51 paramétrico e analítico. 36 TABELA 9: Encargos complementares e total dos encargos sociais . 26 TABELA 5: Modelo de planilha de custo Analítico. 49 TABELA 19: Tabela comparativa entre o orçamento paramétrico e o 50 analítico.Padrão COMERCIAIS. 38 Mensalistas. 39 TABELA 13: Memória de cálculo de ano trabalhado – Mensalista.Mensalista. 24 TABELA 3: Modelo da tabela CUB – Projeto. 40 TABELA 14: Distribuição dos pavimentos por ambiente. TABELA 10: Encargos Sociais e Trabalhistas . 37 Horistas. 47 TABELA 16: Salário base dos trabalhadores (h/h).

método da correlação simples. 35 . Figura 2: Etapas de elaboração de um orçamento segundo o autor 20 LIMMER. Figura 3: Etapas de elaboração de um orçamento segundo o autor 21 GIAMMUSSO. LISTA DE FIGURAS Figura 1: Etapas de elaboração de um orçamento segundo o autor 19 LIMMER. Figura 4: Exemplo de planilha de levantamento quantitativo. método da correlação múltipla.

LISTA DE GRÁFICOS GRÁFICO 1: Comparativo do Total Geral entre os dois orçamentos 50 GRÁFICO 2: Variação entre os serviços nos dois orçamentos 52 .

Custo Indireto CF . INCC – Índice Nacional de Custo da Construção Civil INCRA – Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária INSS .Programa de Integração Social QGBT – Quadro Geral de Baixa Tensão SEBRAE .Serviço Social da Indústria.Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social CPMF . TCPO – Tabela de Composições de Preços para Orçamentos .Custo Financeiro COFINS .Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial.Serviço Social da Indústria da Construção e do Mobiliário SESI .Bonificação e Despesas Indiretas CUB – Custo Unitário Básico CD .Instituto Nacional do Seguro Social PIS .Fundo de Garantia sobre Tempo de Serviço ISS – Imposto Sobre Serviço.Contribuição Provisória sobre Movimentação Finaceira FGTS . LISTA DE ABREVIATURAS AC .Serviço de Apoio à Pequena e Média Empresa SECONCI .Custo Direto CI . SENAI .Administração Central BDI .

Engenharia de Custo. which is. analyzing the development of analytical budget. Analyzing one of the most important stages to the beginning of a enterprise. ABSTRACT The present monograph aims to perform an analysis of cost control through the use of two methods of budgeting. Com base em informações de custo por metro quadrado (R$/m²) operado pela empresa estimou-se o provável lucro da mesma nesta edificação. costumeiramente as empresas pré. . o paramétrico e o analítico.definem um coeficiente de custo ao projeto. checking if there was any discrepancy in values obtained in both budget methods. Buscou-se diagnosticar os métodos teóricos. por meio da utilização de dois métodos orçamentários. RESUMO A presente monografia tem por objetivo fazer uma análise de controle de custos. Analisando uma das fases mais importantes para o início de um empreendimento. PALAVRAS CHAVES: Orçamento. it was estimated its on that on that building. para a partir de então. posto que. Orçamento Paramétrico. Parametric Budget. E posteriormente. Then. so from then compare them by analyzing their potential in a case study in budget. Budget Analytical. the parametric and analytical. We tried to diagnose the theoretical methods. a saber. Cost Engineering. KEY-WORDS: Budget. analisando a elaboração do orçamento analítico verificando se houve alguma discrepância de valores obtidos nos dois métodos orçamentários. compara-los analisando suas potencialidades em um estudo de caso orçamentário. considering the companies usually pre-set a coefficient of cost to the project. Orçamento Analítico. Based on cost information per square meter (R$/m²) operated by company. which is the stage of cost estimate and preparation of economic feasibility study. que é a fase de estimativa de custos e preparação do estudo de viabilidade econômica.

SUMÁRIO INTRODUÇÃO 13 1.1 Composição dos Custos 29 2.1.4.4.4.4 Analítico 26 2.1 CUB – Custo unitário básico 22 2.3.1 Memória de Cálculo 39 2.3.1 TEMA EM ESTUDO 13 1.3.3.4.5 Cálculo do BDI para o Orçamento 41 3 METODOLOGIA DA PESQUISA 43 .4.1.1 Segundo Limmer 19 2.3.4.4 ELABORAÇÃO DO ORÇAMENTO 28 2.3.3 Custos Indiretos 30 2.3.3 OBJETIVOS 14 Geral 14 Específicos 15 2 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 16 2.2 Levantamentos dos Quantitativos 32 2.4.3 MÉTODO DE ORÇAMENTAÇÃO 18 2.1.4.2 Área equivalente 25 2.4.2 JUSTIFICATIVA 14 1.1 ENGENHARIA DE CUSTO 16 2.2 Segundo Giammusso 20 2.1 Composição dos Custos Unitários 29 2.3 Encargos Sociais 35 2.4.3.3.2 ORÇAMENTO 17 2.4 Imprevistos e Contingências 32 2.3 Paramétrico 22 2.1.4 Custo do Homem Hora 40 2.2 Custos Diretos 30 2.

4 ESTUDO DE CASO 44 4.1DESCRIÇÃO DO EMPREENDIMENTO 44 4.3 DESCRIÇÃO DO ORÇAMENTO ANALÍTICO 47 4.2 DESCRIÇÃO DO ORÇAMENTO PARAMÉTRICO 46 4.4 ANÁLISE DOS RESULTADOS 49 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS 54 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 56 ANEXO I – Orçamento paramétrico ANEXO II – Orçamento analítico ANEXO III – Cronograma físico-financeiro .

É por estas razões que as construtoras atualmente buscam cada vez mais utilizar um orçamento detalhado como ferramenta de auxílio na gestão e controle de seus empreendimentos. quantificar serviços e estabelecer parâmetros mínimos e máximos para os custos do projeto. pois por meio dele se pode antecipar os custos necessários para construir uma edificação. faz com que o gestor busque otimizar todo esse processo de estimar custos do empreendimento. que é o orçamento. possibilita verificar a viabilidade ou não de um projeto. e consequentemente ao final deste processo. e desta forma não se consegue alcançar alguns dos seus objetivos. alcançar o principal objetivo das construtoras que é o lucro. 13 CAPÍTULO 1 – INTRODUÇÃO 1. que é de estabelecer metas orçamentárias.1 TEMA EM ESTUDO Tratar deste assunto implicou em observar a forma como as construtoras realizam está etapa importante da execução de um empreendimento. controla os materiais e preços de produtos a serem utilizados.financeiro da obra. Um orçamento bem detalhado traz algumas vantagens para o construtor. e em função do orçamento se consegue fazer o controle físico. . fornece informações importantes de auxílio ao gestor na fase de tomada de decisão. permite ao engenheiro prever e dimensionar as equipes que executarão um determinado serviço e desta maneira calcular a produtividade da mesma. quantificar materiais. E sem sombra de dúvidas. Essa fase se mal elaborada ou realizada de maneira incompleta pode trazer prejuízo para quem utilizar este orçamento. diminuindo sobremaneira os problemas e frustrações advindos da execução de uma obra. serve como elo entre serviços e custos.

2 JUSTIFICATIVA Tendo em vista a importância dos procedimentos de preparação e escolha de um método orçamentário. e confrontar os orçamentos paramétrico e o analítico. um bom orçamento é imprescindível para o sucesso de um projeto. em alguns casos. 1. Sendo assim. . o presente trabalho pretende analisar a forma com que a WC Construções e Incorporações Ltda. 14 1. e/ou originar a diminuição nas margens de lucro. e quão escasso é o tempo no mundo globalizado. e comparar os métodos orçamentários paramétrico e analítico da obra Concourd One desta construtora. algumas empresas utilizam como base para os seus cálculos dados de padrões construtivos próprios para compor seus orçamentos e em suas análises de viabilidade econômica. pois este método de orçamento pode fornecer dados confiáveis. sem deixar de observar as transformações do mercado. eficiente e confiável. estimar com garantia o valor de um empreendimento e. em tempo hábil para o construtor. o orçamento analítico ou detalhado tornou-se ferramenta fundamental para quantificar e medir serviços. Um orçamento analítico ou detalhado muda completamente a ótica do empreendedor. Visando minimizar as disparidades com custos previstos. Desta forma. e/ou até a perda da competitividade no campo imobiliário. compatíveis com o mercado. este orçamento pode mostrar valores fora da realidade de mercado. onde há necessidade rápida. pois se utiliza cálculos e estimativas seguras. elabora os orçamentos de suas obras. pois trás consigo vários fatores que elevam sua segurança e confiabilidade. pode ser utilizado como instrumento de cobrança de serviços não executados ou mal feitos. verificar a viabilidade econômica de um projeto e custos finais de um empreendimento. Partindo do princípio de que um mal orçamento pode ser desfavorável no desempenho executivo de um projeto/obra levando a resultados desfavoráveis e até desastrosos a uma empresa.3 OBJETIVOS Geral Analisar a metodologia orçamentária empregada pela WC Construções e Incorporações Ltda.

Elaborar um estudo de caso – orçamentário. . Comparar os tipos de orçamentos – paramétrico e analítico. 15 Específicos Identificar métodos teóricos orçamentários.

abordar-se-á as definições de Engenharia de Custos. de acordo com um plano de execução previamente estabelecido. 15). 2010. apropriação e controle dos recursos monetários necessários à realização dos serviços que constituem uma obra ou projeto. A Engenharia de custos aborda ainda as: Análise da viabilidade econômico-financeira – que “significa o balanço entre os custos e as receitas mensais e fornece uma previsão da situação financeira da obra ao longo dos meses”.” (DIAS. p. 2009). 2. (MATTOS. 2006 p. por esse fator. “A engenharia de custo é considerada o ramo da engenharia que estuda os métodos de projeção. 32) . (AACE – American Association of Cost Enginnering apud CARDOSO. Orçamentos e as principais características de um orçamento. Engenharia de custos caracteriza-se por preceitos e técnicas científicas para solucionar o problema de estimar. notou-se a necessidade de se aprofundar os estudos nesta área. Inicialmente. regular os custos e lucratividade em um campo da engenharia. orçamentos e características essenciais para a composição deste projeto.1 ENGENHARIA DE CUSTO O conhecimento sobre engenharia de custos e orçamento na construção civil compõe uma parte muito importante da engenharia. 16 CAPÍTULO 2 – REVISÃO BIBLIOGRÁFICA CONCEITOS BÁSICOS Neste capítulo serão apresentados referenciais teóricos sobre custos.

(2003 p. como também estudos de mercado e de localização.. 1991 apud SANTOS p. (FORMOSO. útil para futuras estimativas”. Ou pode ser “o processo de tomada de decisão que envolve o estabelecimento de metas e dos procedimentos necessários para atingi-las. . 2008 p. “O orçamento discriminado é mais preciso. que inclui o orçamento e a programação da obra”. e gerando uma história para a empresa. o orçamento foi . estudos de impactos ambientais e sociais. 2) o orçamento pode ser definido da seguinte forma: como unidades físicas e valores monetários expressos em quantidades. mas exige uma quantidade bem maior de informações. econômica e financeira. “Se há interesse em obter uma estimativa rápida ou baseada apenas na concepção inicial da obra ou em um anteprojeto. 17 Estudo de pré-investimento – tem como finalidade “fundamentar políticas de investimento e gestão e/ou determinar a visibilidade de projetos individuais. 2008 p.e continua sendo – uma previsão de custo que dispõe de múltiplas interpretações de especialistas da área. rural e regional e outras atividades de planejamento. 9). sendo efetivo quando seguido de um controle”. onde se incluem: planos diretores e setoriais de desenvolvimento urbano. 62) 2. entretanto observando que a probabilidade de certeza seja o mais próximo de 100%. 2008 p. 9). (GONZÁLEZ. (TISAKA. Para os autores Avila. 2006 p. estudos institucionais e atividades assemelhadas”. 143) Planejamento das construções – “consiste na organização para a execução. Para as demais. por essa razão. viabilidade técnica. pode se aplicar estimativas baseadas em percentuais médios de obras anteriores” (GANZALEZ. 2). o tipo mais indicado é o paramétrico” (GANZALEZ. (MATTOS. Controle de custos – permite “identificar possíveis fontes de erro na composição do orçamento original. Às vezes. mas sempre com o foco de que não se pode afirmar ou determinar a exatidão do custo. 2006 p.2 ORÇAMENTO Definir orçamento é algo bastante difícil e tem sido alvo de várias discussões entre especialistas no assunto. 6). é interessante realizar a estimativa de forma cuidadosa ao menos nas partes que já foram definidas. et al. durante o desenvolvimento do projeto.

198). 1995 apud DOMINGUES. 2. dar-se-á ênfase aos métodos Paramétrico e Analítico. às taxas de juros do mercado. o capital de giro da mesma. 1998. 1986 apud DOMINGUES. p. 1990 apud DOMINGUES. é que pode se quantificar diferentes unidades referenciais. de acordo com um plano de execução previamente estabelecido. controle e valores. O conceito de orçamento pode ser considerado como a relação entre coordenação. para determinar a tomada de decisão em uma organização (HORNGREN.3 MÉTODOS DE ORÇAMENTAÇÃO Neste trabalho. 2009. Já Limmer entende orçamento como: “A determinação dos gastos necessários para a realização de um projeto. apud Cardoso. 58). 18 Para Martins. . como serviços ou materiais. p. O orçamento define-se como o detalhamento dos custos de um. 2002 p. mas para obter um bom entendimento sobre o assunto. 2002 p. Faz se necessário ressaltar que a elaboração de um orçamento envolve o conhecimento e estimativa de uma série de custos e fatores que podem não estar vinculados diretamente com a obra. 2002). Estes métodos dão uma rápida estimativa de custos ao orçamentista. faz-se necessário apresentar preliminarmente outros métodos de forma sucinta. (CARDOSO. 86). 15). Orçamento pode ser visto como a discriminação de todos os serviços e materiais necessários convertidos em quantidades e valores financeiros. 2009 p. para valores monetários na composição de um orçamento e este caracteriza-se como objeto principal que compõe um gerenciamento da construção de um empreendimento (GALVÃO. principalmente à evolução do mercado imobiliário da região. 1997. que servem de subsídio técnico à sua elaboração”. “Os orçamentos podem variar em função da sua pretensa finalidade e do nível de evolução ou detalhamento disponível dos projetos. pois dizem respeito à administração da empresa. 15. Algo que se observou dentre os estudos realizados para executar este trabalho. gastos esses traduzidos em termos quantitativos” (LIMMER. para executar uma obra (LOSSO. até à falta de profissional especializado e.

90). de modo que o seu custo total. p. Figura 1: Etapas de elaboração de um orçamento segundo LIMMER. Basta associar o custo a uma obra ou serviço já executado anteriormente – necessariamente semelhante -. criando assim um fator de correlação entre eles. Onde será determinada uma variável α. conforme a Figura 1. método da correlação simples - extraído e adaptado de Domingos.3. que pode ser considerada como uma variável livre ou de característica. A primeira é a da correlação simples: “produtos semelhantes e de um mesmo tipo. conforme Figura 2. .60 a 0. porém com dimensões diferentes. que deverá variar entre 0.1 Segundo Limmer Existem duas maneiras de elaborar este modelo que é um pouco mais complexo na execução das suas etapas de composição do orçamento. M.95” (LIMMER. Então neste processo faz se a somatória de todos os custos baseados na correlação simples. 90). 19 2. 1997. mas somente em cima dos serviços. seja a soma do custo de cada uma das partes em que estiver sido desdobrado” (LIMMER. tem cada um custo proporcional a sua dimensão característica. A A segunda é a da correlação múltipla: “o projeto é decomposto em partes. 1997. p.

2. mão de obra não especializada. 20 Figura 2: Etapas de elaboração de um orçamento segundo LIMMER. (DOMINGUES. extraí-se o insumo. 2002 p. que se trata de deficiência nos projetos. p. (DOMINGUES. A Neste modelo de orçamento existe alguns fatores que levam o orçamentista a se decidir por ele. . M. método da correlação múltipla - extraído e adaptado de Domingos. execução de várias atividades e sucessivas alterações de preços de insumo.3. e das especificações. através destas análises de projeto se definem a quantidade dos serviços e natureza dos serviços. 65). 63).2 Segundo Giammusso Este modelo já é mais elaborado que o anterior. 2002. especificações e normas (Figura 3). pois é baseado em três condicionais que são o projeto.

A Os insumos "especificados" possibilitam a sua quantificação. 2002 p. Ao agrupamento destes custos indiretos. 234). (DOMINGUES. (DOMINGUES. O BDI juntamente com os Custos Diretos tornam-se os responsáveis pela determinação do Preço Final. despesas administrativas centrais. denominou BDI1. bem como a sua cotação e a determinação dos encargos neles incidentes. 63).pelo custo direto da obra (MATTOS. .Dá-se a designação de Benefícios (ou Bonificação) e Despesas Indiretas (BDI) ao quociente da divisão do custo indireto . os encargos financeiros e o custo de comercialização determinam o Custo Indireto. 21 Figura 3: Etapas de elaboração de um orçamento segundo o autor GIAMMUSSO . 2006. 2002 p. O custo direto origina-se a partir da somatória dos diversos custos de serviços. que associado à sua quantificação. As despesas administrativas locais. resultará no custo do serviço. obtém-se o preço unitário do serviço. Desta associação. p.acrescido do lucro . 1 BDI . M. 63).extraído e adaptado de Domingos. acrescidos do lucro.

2007 apud BERWANGER. pois muitas suposições são estabelecidas na sua formulação. 13). tendo suas quantidades determinadas e associadas ao custo unitário de execução. “É uma estimativa de custo inicial. Esse método não prevê qualquer tipo de contingência. comprovada tecnicamente através da evolução normativa que o acompanha. . em geral.3 Paramétrico Desde o início de um empreendimento temos necessidade de estabelecer estimativas de custo mesmo sem ter os projetos arquitetônico. 15) 2. 22 2. O método de estimativa paramétrica encontra grande utilidade porque consiste em cálculos de um ou mais algoritmos matemáticos que relacionam dados técnicos. 218). . através da Lei Federal 4. 2009. por meio das técnicas de análise de risco. estrutural e instalações. Sua precisão é de aproximadamente 15%. 1986. (SINDUSCON. 2002).1 CUB – Custo unitário básico Foi criado em dezembro 1964.591. p.3.3. reflexo da sua seriedade. o CUB/m² foi.3. apud DOMINGUES.MG. Resulta da decomposição da obra nos seus diversos serviços. (HEINECK. é estimada com base na concepção básica da obra em função de coeficientes por área construída” (GONZALEZ. a partir do qual o mercado imobiliário nacional passou a contar com um importante instrumento para as suas atividades. conquistando o caráter de indicador de custo setorial. 2002). (CARDOSO. 2008 p. dependendo da precisão e da qualidade das informações extraídas do projeto e das constantes utilizadas. 2007 p. cabe ao engenheiro orçamentista fazê-lo a parte como complemento. Criado inicialmente para servir como parâmetro na determinação dos custos dos imóveis. ao longo dos anos. e parâmetros de obra e depende muito da experiência profissional. (FORMOSO et al. 1995 apud DOMINGUES. Esse tipo de orçamento paramétrico baseia-se essencialmente na determinação de constantes de consumo de materiais e mão-de-obra por unidade de serviço.

16). do INCC – Índice Nacional da Construção Civil. instalações. número de pavimentos e padrão de acabamento” (MATTOS. por m². 35). fundações. a Norma Brasileira que estabelece a metodologia de cálculo do CUB/m² é a ABNT NBR 12721:2006. 2006 p. piscina. (Sinduscon. ou seja. de cada um dos padrões de imóvel estabelecidos” (MATTOS. 23 “O CUB é o resultado da mediana de cada insumo representativo coletado junto às construtoras. 2007 p. multiplicada pelo peso que lhe é atribuído de acordo com o padrão calculado” (MATTOS. por exemplo: infraestrutura. que caracteriza-se como a media dos CUB’s de todos Estados participativos da Construção Civil. os indicadores da Fundação Getúlio Vargas e os custos médios publicados pela editora PINI (GONZALEZ. o comumente utilizado é o CUB2. Os coeficientes de cada tipo de obra podem ser verificados e extraídos da NBR 12721/2006 e do coeficiente de ajuste de preço. tirantes. etc. Atualmente. Deve-se ficar atento que o CUB/m² é somente uma estimativa parcial do custo da obra e não global. 2 “Custo Unitário Básico da Construção Civil (CUB) representa o custo da construção. (BERWANGER. 10). p. taxas e emolumentos cartoriais. instalação e regulamentação dos condomínios. 35). 35). remuneração do construtor e do incorporador. quadra de esporte. rebaixamento do lençol freático. tendo como base o CUB/m² BRASIL. de acordo com a norma NBR 12. 2006 p. 2008. que é publicado mensalmente pela FGV – Fundação Getulio Vargas. - como. serão apresentados os modelos de tabela CUB – Custo Unitário Básico de construção -. projetos em geral. ou outro índice que pode ser utilizado é o SINAPI (Caixa). portanto. este é o arcabouço técnico do CUB/m². pois não estão inclusos diversos tipos de serviços. elevadores. equipamentos.721/2006. 17) Caso os projetos não estejam completos o custo total da obra poderá ser estimado através da área ou volume construído relacionado com um índice padronizado para cada tipo de construção.MG. 2008 p. 2006 p. jardim. A seguir. obras e serviços complementares como urbanização. . “os custos estão divididos de acordo com a unidade autônoma (tipo de construção e número de quartos).

42 CSL-8 876.085.04 CSL-8 955. 17).304. 2011. TABELA 2: Modelo da tabela CUB – Projeto-Padrão COMERCIAIS CAL (Comercial Andares Livres) e CSL (Comercial Salas e Lojas).14 R-1 1.129.273. inclusive acordo coletivo dos sindicatos (BERWANGER. direitos sociais e obrigações. ao qual deve-se. PADRÃO NORMAL PADRÃO ALTO CAL-8 1.98 R-16 846.06 PP-4 982.92 Fonte: SINDUCON-PA.39 PP-4 846.1 CSL-16 1.77 CSL-16 1. A NBR 12721/06 fornece apenas as quantidades de insumo.012. TABELA 3: Modelo da tabela CUB – Projeto-Padrão GALPÃO INDUSTRIAL (GI) e RESIDÊNCIA POPULAR (RP1Q) RP1Q 882. 2011.09 R-16 1.87 Fonte: SINDUCON-PA.35 R-8 874.070.8 R-1 1. 2008 p. . por metro quadrado de construção.037.28 PIS 594.86 Fonte: SINDUCON-PA.169.15 CAL-8 1. esses dados são derivados das relações completas de materiais e mão-de-obra.23 GI 513. PADRÃO BAIXO PADRÃO NORMAL PADRÃO ALTO R-1 885. O valor da mão-de-obra é o percentual relativo aos encargos sociais e benefícios. 24 TABELA 1: Modelo da tabela CUB – Projeto-Padrão Residencial.26 R-8 1. e cabe ao Sindicato da Construção Civil a coleta de preço junto às construtoras e fornecedores de materiais onde se faz necessária uma análise estatística dos dados para relacionar com o preço do insumo contido na lista da norma. 2011. incluir todos os encargos trabalhistas e previdenciários.17 R-8 810.

A área equivalente é encontrada por meio da multiplicação das áreas reais construídas. Área real do pavimento. podendo ser adotado diretamente ou por similaridade. que são coeficientes utilizados para calcular partes da edificação cujo custo de execução são diferentes daquele padrão usado como base de cálculo. 7).3. A NBR 12721/06. conforme o caso. Pode ser. Área descoberta. Área real privativa da unidade autônoma. p. 3).2 Área equivalente Para calcular o custo unitário básico. utilizada quando este custo é diferente do custo unitário básico da construção adotado como referência. 25 2. 2008 p. Área real de uso comum. Abaixo segue a Tabela 4 com os coeficientes contidos na referida norma (BERWANGER. 2008 p. que será utilizado no orçamento paramétrico do estudo de caso. 2008 apud BERWANGER. . 19) A norma cria critérios de caracterização sobre área em um edifício que são de importante classificação: (NBR 12721:2005. Área equivalente. e para melhor entendimento deste procedimento será mostrado o conceito de área equivalente. maior ou menor que a área real correspondente. p. Vale ressaltar que a NBR 12721/06 determina procedimentos a serem adotados para o cálculo de determinação das áreas anteriormente citadas. “Área virtual cujo custo de construção é equivalente ao custo da respectiva área real. os avaliadores deverão saber calcular a área equivalente de construção.” (NBR 12721:2005. pelos seus coeficientes de homogeneização (ROCHA.3. sugere valores para alguns desses coeficientes que podem ser aplicados em diversos tipos de áreas na edificação. 19). Área coberta.

3.00 Área privativa salas com acabamento 1.75 Área privativa (unidade autônoma padrão) 1. 2006 p. levando em consideração quanto de mão-de-obra. etc. (MATTOS.75 Piscinas.50 a 0. material e equipamento é gasto em sua execução. 7.50 Barrilete 0.60 Varandas 0.00 Área de serviço – residência unifamiliar padrão baixo (aberta) 0.05 a 0.75 a 0. 0.10 Área de projeção do terreno sem benfeitoria 0.75 Caixa d’água 0.50 a 0. “O orçamento analítico constitui a maneira mais detalhada e precisa de se prever o custo da obra.4 Analítico O seguinte autor MATTOS.00 Terraços ou áreas descobertas sobre lajes 0.75 Fonte: NBR 12721/2005.00 Área privativa salas sem acabamento 0. 42).60 Estacionamento sobre terreno 0. 2006 conceitua orçamento analítico como sendo uma composição de custos unitários para cada serviço da obra.75 a 1. quintais.50 a 0. COEFICIENTES MÉDIOS PARA DETERMINAR A ÁREA EQUIVALENTE DE CONSTRUÇÃO Garagem (subsolo) 0. O mesmo é efetuado a partir de composições de custos e cuidadosa pesquisa de preços dos insumos. Procura se chegar a um valor bem próximo do custo "real"”.50 a 0.30 a 0. 2003 trata orçamento analítico como a demonstração do preço unitário de cada serviço a cumprir bem como o preço total a .40 a 0. Já o outro autor AVILA.90 Área de loja sem acabamento 0.75 Casa de máquinas 0. 26 TABELA 4: Coeficientes para determinação da Área equivalente. 2.50 a 0. p.

2003 recomenda evidenciar o valor do BDI nos orçamentos. 2003 p. Preço total do empreendimento com BDI. E indica que este orçamento deve ser apresentado em planilhas e esta planilha pode ser composta dos seguintes elementos: 1. 7. 6. Unidades de serviços. abaixo um exemplo de planilha. SERVIÇOS PRELIMINARES 2. Igualmente.00 130. quando se trata de serviço expresso por verba. “O subtotal representa a multiplicação das quantidades pelos preços unitários respectivos.4 – Tapume de chapa de madeira M2 29.13 1.3 – Instalação provisória de agua Vb 1. (AVILA. 8. O preço total ou o custo total é a soma de todas as parcelas correspondente aos valores dos subtotais ou dos subitens para cada serviço”. não se deve esquecer que no valor do BDI estão incluídos os custos de administração da obra e empresa. Preço do item ou subtotal de cada item.92 . 27 ser cobrado do cliente.78 169. Quantidades.19 1. 5. 2. de cada subitem. o valor do BDI bem como o valor dos serviços já prestados pode ser cobrado segundo especificado no código civil. o valor da verba correspondente. 3. PREÇO PREÇO ITEM UN QTDE UNITÁRIO TOTAL 1.09 1.78 1.2 – Ligação provisória de Energia Vb 1. 43) AVILA. despesas financeiras e de risco. bem com o lucro estimado.00 447. impostos e taxas a serem recolhidos pela empresa.00 169.09 447.562. Preço parcial ou subtotal para cada subitem.69 578. 4. TABELA 5: Modelo de planilha de custo Analítico.913. ou.40 19.1 – Abrigo provisório M2 12. Discriminação de todos os itens e subitens dos serviços. Preço total do empreendimento sem o BDI isto é o custo direto. Preços unitários de serviços. pois caso haja a quebra de contrato por parte do cliente.26 1.

O orçamento de um projeto baseia-se na previsão de ocorrência de atividades futuras logicamente encadeadas e que consomem recursos. INFRA – ESTRUTURA 1.4 – Escavação manual de valas M3 3.50 68. geralmente expressos em termos de unidades monetária padrão sendo. homens-horas reais de trabalho (LIMMER.6 – Raspagem e limpeza do terreno 2.5 – Locação de obra M2 48.56 112.2 – Armadura CA 50B Kg 225.3 – Preparo de concreto estrutural M3 4.40 1.60 3.78 588. Nada.01 226. 43. SERVIÇOS COMPLEMENTARES 543.33 9.1 – Forma de tabua de pinho M2 42.92 261.4 ELABORAÇÃO DO ORÇAMENTO Um orçamento pode ser expresso em diferentes unidades referenciais.60 308.67 Execução de lastro de concreto não estrutural M2 26.11 61.yy Fonte: Avila.03 Execução e regularização de base para revestimentos de pisos M2 26.07 1.137. 1997 p.09 128.594.86 2.97 14. Orçar não é um mero exercício de futurologia ou jogo de adivinhação.46 Preparo de concreto não estrutural M3 2. ou seja. 1997 p.81 13. como por exemplo. acarretam custos que são. 86).72 13. utilização de .68 2. 2. sendo a de maior utilização a unidade monetária. 86).30 -------------------------------------------- 13.74 2.2 – Limpeza geral TOTAL GERAL 4.33 1.00 1. 28 1.14 2.00 0. porém impede que se expresse um orçamento em unidades não monetárias a serem gastas na materialização do empreendimento. com critérios técnicos bem estabelecidos.54 40.94 94.09 M2 200. 2003 p.02 TOTAL COM BDI (x%) y. pois basicamente uma previsão de ocorrências monetárias ao longo do prazo de execução do projeto (LIMMER. Um trabalho bem executado.yyy.

pode gerar orçamentos precisos. . Há ainda custos de subcontratos e os indiretos (MATTOS. mão de obra (hora ou homem-hora) e equipamento (hora de máquina). 2006. p.4. A determinação da contribuição relativa de cada uma dessas categorias é a essência do processo de estabelecimento de qualquer composição de custos. m². 2006. porque o verdadeiro custo de um empreendimento é virtualmente impossível de se fixar de antemão. m³. Insumo – É cada um dos itens de material. O custo unitário corresponde a uma unidade de serviço como: custo de 1 m³ de escavação. com seus respectivos custos unitários e totais (MATTOS. As categorias de custo envolvidas em um serviço são tipicamente: Material. p. 2. 63). Este tipo de composição é feita a partir de coeficientes técnicos de consumo extraídos de publicações especializadas ou compilados por cada empresa. um). individualizado por insumo e de acordo com certos requisitos pré-estabelecidos. embora não exatos. Unidade – É a unidade de medida do insumo. 62). 1 m² de pintura.1. p. Mão-de-obra e Equipamento (MATTOS. mão.de. 22). 87).4. em função do planejamento e do controle dos projetos por ela executados (LIMMER. pelo processo de experiência e erro.1 Composição dos Custos Unitários A composição de custos unitários é uma tabela que apresenta todos os insumos que entram diretamente na execução de uma unidade de serviço. 2006. 62).obra e equipamento. e etc. p.1 Composição dos Custos Dá-se o nome de composição de custos ao processo de estabelecimento dos custos incorridos para a execução de um serviço ou atividade. 29 informações confiáveis e bom julgamento do orçamentista. 2. 63). Material (kg. 2006. 2006 p. Índice – É a incidência de cada insumo na execução de uma unidade de serviço. (MATTOS. m. 1 m² de alvenaria. (MATTOS. 1997 p.

3 Custos Indiretos É a somatória de todos os gastos com elementos coadjuvantes necessários à correta elaboração do produto ou não.4. 21). (MATTOS. 30 Custo unitário – É o custo de aquisição ou emprego de uma unidade de insumo. 2006. materiais e. m³ de concreto) ou dado como verba (quando o serviço não pode ser traduzido em uma unidade fisicamente mensurável. 1995 apud BERWANGER. Os custos diretos são aqueles que estão diretamente ligados ao serviço que se pretende executar. Representam o custo orçado dos serviços levantados. A melhor definição de custo indireto talvez seja uma definição por exclusão: custo indireto é todo custo que não apareceu como mão-de-obra. 87). A somatória desta coluna é o custo total do serviço. 1997 p.: paisagismo. p. que são multiplicados pelas respectivas quantidades. incorporados ou não ao produto (LIMMER. 1997 p. de gastos de difícil alocação a uma determinada atividade ou serviço. ainda.ex. sinalização) (MATTOS. ou seja. 29). 87). com insumos como mão-de-obra. sendo por isso diluídos por certo grupo de atividades ou mesmo pelo projeto todo (LIMMER. É obtido na multiplicação do índice pelo custo unitário.4. 2008 apud BERWANGER. Em outras . inclui nesse custo o preço dos insumos. 2008 p.: kg de armação. sua avaliação é obtida através das quantidades previstas em projeto e outros documentos. define ainda os custos de infraestrutura necessária para execução e realização da obra (TCPO 13. então.ex. O custo direto é o resultado de todos os custos unitários para a construção da edificação obtidos pela aplicação dos consumos dos insumos sobre os preços de mercado. 2006 p. Os custos diretos são aqueles diretamente associados aos serviços de campo.2 Custos Diretos São gastos feitos. referendados a uma unidade de serviço (quando ele é mensurável. equipamentos e meios. mão-de- obra e leis sociais correspondentes (PARGA. Custo total . 2008 p.1. material ou equipamento nas composições de custos unitários do orçamento. 2. 21). 63) 2.1. A unidade básica é a composição de custos.É o custo total do insumo na composição de custos unitários. os quais podem ser unitários.

quer produza 30 m³ (MATTOS. Segundo DIAS (2001) p. fatores imprevistos e todos os demais aspectos não orçados nos itens de produção. a alimentação da equipe e o custo de vigilância do canteiro vão ser o mesmo. revestimento. prazo e complexidade com obras de elevado grau de dificuldade que tendem a uma maior supervisão de campo e suporte (MATTOS. concreto. consultoria. terá que ser tratada como custo indireto (MATTOS. Assim é que a betoneira.) (MATTOS. os custos indiretos que mais afetam são: a) Mobilização e desmobilização dos equipamentos – Em função da localização da obra b) Mobilização e desmobilização de pessoal – Deslocamento de pessoal c) Mobilização e desmobilização de ferramentas e utensílios – Manuseio no depósito da construtora. emolumentos. taxas. 2006. 2001 p. é todo custo que não entrou no custo direto da obra. principalmente. d) Administração local – Custo da administração local e) Administração central – Rateio dos custos da sede da construtora. 2006. f) Despesas financeiras – Apropriação do custo financeiro se houver. Os custos indiretos variam muito. impostos incidentes. 200). não integrando os serviços de campo orçados (escavação. Os custos indiretos são decorrentes da estrutura da obra e da empresa e não podem ser atribuídos diretamente à execução de um dado serviço. p. 142). . se não tiver sido incluída como insumo no serviço de reboco . O salário do mestre. 200). do tipo de obra. É comum o termo despesas indiretas (DI) como sinônimo do custo indireto da obra. viagens. salários. 200). Devem ser distribuídos pelos custos unitários diretos totais dos serviços na forma de percentual destes (DIAS. quer a obra produza 200 m³ de concreto em um mês. As despesas indiretas associam-se normalmente com manutenção do canteiro de obras. despesas administrativas. etc. Do ponto de vista da classificação. seguros. um custo é tido como indireto se não tiver sido considerado como custo direto. e ainda com as exigências do edital ou contrato. política da empresa. p. aterro. em função do local de execução dos serviços. p. 200).o que seria um custo direto -. 2006. 2006. O custo indireto geralmente fica na faixa entre 5 e 30% do custo total da construção e oscila em função dos aspectos de localização geográfica. p. 143. 31 palavras.

2006.4. 211) pode-se distinguir três tipos de imprevistos: 1) de força maior. econômicos e os sociopolíticos. cheias. é preciso saber também quanto de cada um deve ser feito (MATTOS. 2.4. A etapa de levantamento de quantidades (ou quantitativos) é uma das que intelectualmente mais exigem do orçamentista. 2006 p.2 Levantamentos dos Quantitativos O início da orçamentação de uma obra requer o conhecimento dos diversos serviços que a compõe. 2006 p. Na construção civil. Não basta saber quais os serviços. pois é impossível se preverem todas as casualidades da obra. 211). é sempre aproximado. Aleatórios: que são os mais difíceis de prever. acréscimo de custos diretos e indiretos. onde os cenários. De Previsibilidade relativa: que são chuvas de estação. além de poderem colocar em risco a sanidade financeira da construção (MATTOS. p. tabulação de números. . etc (MATTOS. 211). consulta a tabelas de engenharia. 46).4 Imprevistos e Contingências Um orçamento. por mais detalhado e criterioso que seja. 32 g) Benefício – Percentual a ser aplicado sobre orçamento final h) Risco ou eventuais – Correspondente aos imprevistos da obra. cálculos de áreas e volumes. 2006. os objetos de trabalho e as particularidades de metodologia variam de obra para obra.1. contudo normalmente o percentual a ser incluído no orçamento fica na faixa entre 1 e 3% dos custos diretos e indiretos. oscilações de produtividade. interrupção de trabalho etc. Segundo Mattos (2006 p. os fatores imprevistos ganham uma importância ainda maior (MATTOS. porque demanda leitura de projeto. 2) de previsibilidade relativa e os 3) aleatórios. 46). Os imprevistos acarretam atrasos de cronograma. p.atrasos de pagamentos e recebimentos. De força maior: que são os naturais. 2.

Em vista disso. sinalização horizontal de estrada. são normalmente usados formulários padronizados por cada empresa (MATTOS. A seguir. comportas Fonte: Mattos. aterro. forro. 33 A quantificação dos diversos materiais (ou levantamento de quantidades) de um determinado serviço deve ser feita com base em desenhos fornecidos pelo projetista. p. estrutura Referem-se a serviços que não são pagos por medida. fôrma. placas de sinalização. portões. alvenaria. meio-fio. escavação. 2006. onde observar-se na Tabela 6 alguns elementos de natureza diversa e na Tabela 7 a classificação dos materiais: TABELA 6: Exemplo de alguns elementos de natureza diversas.pintura. os materiais empregados em uma obra podem ser classificados em dois tipos de acordo com a Tabela 7: . impermeabilização. 44 Quanto à permanência. 2006. a fim de que as contas possam ser conferidas por outra pessoa e que uma mudança de características ou dimensões do projeto não acarrete um segundo levantamento completo. Superficiais ou de área esquadria. Lineares rodapé Limpeza e desmatamento. plantio de grama Volumétricos Concreto. serão mostradas duas tabelas. considerando-se as dimensões especificadas e suas características técnicas (MATTOS. 2006 p. mas por Adimensionais simples contagem: postes. cerca. p. O processo de levantamento das quantidades de cada material deve sempre deixar uma memória de cálculo fácil de ser manipulada. 46). bombeamento De peso Armação. dragagem. DIMENSÃO EXEMPLO Tubulação. 46).

portas. Cobertura: o levantamento de quantidades em cobertura deve se tomar em consideração a inclinação de cada água do telhado. desmondante. Armação: O serviço de armação é estimado em peso. tensores São utilizados durante a fase de Não metálicos de forma. Um exemplo é uma obra de estrada em que o agregado provém da britagem e peneiramento de blocos rochosos escavados a fogo. CLASSE CARACTERISTICAS EXEMPLO Ficam incorporados ao produto Permanentes Concreto. grades utiliza-se um fator multiplicador sobre a área frontal denominado vão luz. provisórias. Terraplanagem: Sempre que o solo ou rocha em sua posição natural é escavado sofre um aumento de volume estimado em 30% esse fenômeno é chamado empolamento. quando a área da abertura for maior que 2 m² desconta-se o excedente. 59). 34 TABELA 7: Classificação dos materiais. agua Fonte: Mattos. areia. nesse caso não há necessidade de introduzir perdas na composição de custo. 2006. aço.) com áreas menores que 2 m² despreza-se o vão na área total da parede. Nesse caso. sendo que alguns projetistas acrescem 10% na quantidade do aço devido às perdas. (MATTOS. 2006 p. tijolo final Madeiras p/forma e escoramento. Demolição: O volume a ser demolido “cresce” quando passa a ser entulho recomenda-se multiplicar o volume de demolição por 2 (dois) obtendo assim o volume de entulho. prego. . cimento. isto é.brita. seguida ventilação. Pintura: Na pintura de portas. o preço do material (seja em metro cúbico ou em tonelada) é o preço do desmonte da rocha mais seu beneficiamento. janelas. 44 O construtor pode fabricar seu próprio material. etc. Área de Alvenaria: Quando num pano de parede existirem aberturas (janelas. tina. elementos vazados. (ar comprimido. p. construção e removidos em permanents tubulações. obtendo a área real do telhado ao longo da hipotenusa.

isto é. deve-se preencher o formulário denominado planilha de serviços e quantidades. podendo ser utilizado o modelo apresentado da Figura 4 abaixo: (DIAS. todos os encargos incidentes sobre a folha de pagamento de salários. Na maioria das vezes o custo das leis sociais será embutido nos próprios salários. é de fundamental importância cada empresa avaliar periodicamente o valor de encargos sociais a ser previsto nos orçamentos das obras. Deverão ser consideradas algumas peculiaridades de cada empresa que afetam o custo das leis sociais. 2004. 39). devendo ser calculado como um percentual deste. 56). 56). p. de suma importância por seu elevado peso no preço final de qualquer empreendimento (DIAS. de modo a manter atualizado o percentual referente a este item de custo. Atualmente. p. Figura 4: Exemplo de planilha de levantamento quantitativo.3 Encargos Sociais Define-se por encargos sociais. cabe ao orçamentista acompanhar a evolução destas leis. etc (DIAS. rotatividade média da mão-de-obra. . 2. 35 Com a listagem dos serviços a serem executados e seus respectivos quantitativos. 2004. percentual de funcionários que obtém o aviso prévio indenizado. 2004. p. a maior parte dos custos dos encargos sociais decorre da nova Constituição do Brasil promulgada em outubro de 1988.4. Face ao elevado percentual sobre o salário nominal pago aos empregados. Uma vez que constantemente são alteradas algumas das leis que regem o cálculo dos encargos sociais.

pedreiro.5 SENAI 1. 2006.00 3 A. que são os operários remunerados com base na quantidade de horas trabalhadas.17 ENCARGOS SOCIAIS QUE NÃO RECEBERAM AS INCIDÊNCIAS GLOBAIS C.00 A.8 Seguro contra acidente trabalho 3. São aqueles operários que têm suas horas apropriadas por apontadores em cartões de ponto e que.2 + (A. Encargos sobre o salário mensal e Encargos sobre hora extra) (DIAS.60 A. p.2 FGTS 8. A.2 x B) 5. % DE "A" C.12 Sub total “C” 32.2 Auxílio enfermidade 0. para fins de orçamento. ENCARGOS SOCIAIS BÁSICOS % A.34 B. .6 SEBRAE 0.06 C. 79) TABELA 8: Encargos Sociais e Trabalhistas .3 Licença paternidade 0. ENCARGOS SOCIAIS QUE RECEBERAM AS INCIDENCIAIS DE "A' % B.1 INSS 20. integram a mão de obra que figura nas composições de custos unitários dos serviços diretos. 56).7 INCRA 0.4 SESI 1. (Encargos sobre hora normal. Horistas.9 SECONCI 0.2 Férias (indenizadas) 14.20 A.50 A. carpinteiro. isto é: Mensalistas. armador.3 Salário Educação 2. etc (MATTOS.5 Dias de chuva/ Faltas justificadas 4. como exemplo o Estado do Pará.75 3 Em alguns estados o SECONCI não é aplicado.00 A.1 Repouso Semanal Remunerado 22. o que pode ser atestado através da carteira de trabalho do profissional.1 Depósito por despedida injusta: 50% sobre A. São horistas: servente.57 C.00 A.00 Sub total “A” 36.79 B. 36 A taxa de leis sociais deve ser calculada em função da forma de contratação dos profissionais. A Tabela 8 mostra os encargos sociais e trabalhistas para horistas. encanador.57 B.57 Sub total “B” 39.3 Aviso prévio 13.Horistas. p.4 13 salário 10.80 B.50 A. 2004.90 B.

almoxarife. sobre B.3 (8. topógrafo. vigia. mestre. 37 D. p. administrativa e de suporte da obra.2 sobre C. 79).6 Ferramentas manuais 2. .Equipamento de Proteção Individual 5. encarregado. Vale salientar que ninguém é obrigado a utilizar o percentual de encargos apresentado a seguir ele serve apenas de orientação para o orçamentista (MATTOS.2 Refeição mínima 6. 40.08 Fonte: TISAKA.41 D. ENCARGOS COMPLEMENTARES % E. motorista.87 E. Em seguida.1 Vale-transporte 7.1 Reincidência de A.30% x 39.93 E. etc. 2006. 2006.2 Reincidência de A.0% x 13.Horistas.46 TOTAL A + B + D + C 124. A Tabela 10 mostra os encargos sociais e trabalhistas dos mensalistas.3 Refeição almoço 27. apontador. figurando prioritariamente o custo indireto da obra.4 Refeição jantar - E. 2006.18 Fonte: TISAKA. p.40 TOTAL DOS ENCARGOS SOCIAIS 176. São mensalistas: engenheiro. E. p. São aquelas pessoas que pactuam seus salários com o empregador e cuja cifra mensal é o referencial de remuneração.60 E.00 E. na Tabela 9 abaixo se apresenta os encargos complementares e a devida soma total referente aos encargos sociais dos horistas. 40.17%) 14.00 Sub total “E” 49.5 EPI . Normalmente são os integrantes das equipes técnica. secretária.12%) 1. (38. que são os funcionários remunerados numa base mensal. TAXA DE REINCIDÊNCIAS % D. TABELA 9: Encargos complementares e total dos encargos sociais .05 Sub total “D” 15.

22 C. p.45 Fonte: TISAKA. ENCARGOS SOCIAIS BÁSICOS % A.2 + (A.50 A.00 A.22 Sub total “B” 8.1 13° salário 8.87 E.50% sobre [A.Mensalista. ENCARGOS QUE NÃO RCEBEM AS INCIDÊNCIAS DE "A" % C.00 A.6 Ferramentas manuais 2.7 INCRA 0.9 SECONSI 0.60 E.82 Sub total “D” 3.20 Sub total “C” 25.3 Aviso Prévio (indenizado) 10.1 INSS 20. Em seguida na Tabela 11contem os encargos complementares e o devido total referente aos encargos sociais dos mensalistas.20 A.97 TOTAL A + B + D + C 74.2 FGTS 8.60 A.5 SENAI 1.Mensalistas. ENCARGOS COMPLEMENTARES % E.5 EPI .50 A.6 SEBRAE 0.93 E. A.1 Vale-transporte 7.80 B.33 C.3 Salário Educação 2. 41.2 x B)] 4.4 Refeição jantar - E.Equipamento de Proteção Individual 5. E.2 Refeição mínima 6. 38 TABELA 10: Encargos Sociais e Trabalhistas .2 Férias (indenizdas) 10.8 Seguro contra acidente trabalho 3.00 A.00 . TAXAS DE REINCIDÊNCIAS % D.1 Depósito por despedida injusta .4 SESI 1.00 Sub total “A” 36. ENCARGOS SOCIAIS QUE RECEBEM AS INCIDÊNCIAS DE "A" % B.93 C. TABELA 11: Encargos complementares e total dos encargos sociais .2 sobre C3 0.00 E.3 Refeição almoço 27.15 D.2 Reincidência de A.46 D.1 Reincidência de A sobre B 3. 2006.00 A.

676. ou o tempo de trabalho útil durante um ano. licenças e faltas (MATTOS.40 TOTAL DOS ENCARGOS SOCIAIS 125.enfermidade (15 dias x 7. em dias ou em horas. repouso remunerado. sem demais preocupações quanto aos salários do pessoal empregado ou quanto ao valor em reais das folhas de pagamento. somente 15% dos beneficiários do INSS recorrem a esse auxílio” TISAKA.11 h 4 “Segundo dados estatísticos constantes do Anuário Estatístico do Brasil de 1990 (IBGE). para horista. 41. para os 5 dias de afastamento.3333 h x 15% = 2.3333 h) 2. p.1 Memória de Cálculo Para calcular o impacto percentual de cada item. 39 Sub total “E” 49. conforme artigo 10º. 2006. temos. 71).33 h 4 Auxílio.40% = 0.3333 h) 381.67 Fonte: TISAKA. 74. Isso se faz subtraindo 365 todos os dias não trabalhados: férias. .4. 5 “Considerando-se incidência de indivíduos do sexo masculino no setor da construção civil da ordem de 97% e que somente 20%> desse pessoal obterá o benefício da licença-paternidade. feriados.50 h 5 Licença.97 dias) 7. 82).3333 h) 95. p. 2.paternidade (5 dias x 7.3333 horas/ dia 1 ano (365 dias x 7. 2006 p.25 dias) 16.3. Segundo o autor TISAKA.33 h Feriados (13 dias x 7. §1Io das Disposições Transitórias da Nova Constituição” TISAKA. 2006 p. 2006. Pode-se expressar a mão-de-obra produtiva. TABELA 12: Memória de cálculo de jornada de trabalho .3333 h x 19. inciso II. 74. que foi fixado provisoriamente. Jornada mensal de trabalho 220 horas/ mês Jornada diária de trabalho (220 horas/30 dias) 7. toma-se necessário definir preliminarmente a quantidade de dias efetivamente trabalhados durante um ano.Horista.65 h Descanso Semanal Remunerado (52 domingos x 7. 2006 o conceito de ano produtivo corresponde de acordo com a memória de calculo a seguir na Tabela 12. p. ou ainda quanto ao montante das "Leis Sociais" sobre eles incidentes (TISAKA. 2006.

2. TABELA 13: Memória de cálculo de ano trabalhado – Mensalista. 40 Dias de chuva/ Faltas justificadas/ Acidentes de trabalho/ Greves/ Faltas ou Atrasos na entrega de materiais ou serviços na obra/ Outras dificuldades (12.4.00 (hora-base) + R$ 3.676. 79.4 Custo do Homem Hora Tendo visto que o custo da hora de um empregado não se confunde com o custo de seu salário base. Calcular a hora com os encargos (em sentido estrito). 2006 p.3074 = R$ 6. Seja a hora-base do pedreiro R$ 3. deve-se somar à hora-base os encargos sociais e trabalhistas.92 .82 dias 7.33 h +16. A hora base (ou nominal) devem-se somar os encargos: Pedreiro: R$ 3. para fins de orçamentação.5 h +7.676. p. Jornada mensal de trabalho 220 h/ mês Jornada diária de trabalho (220 horas/30 dias) 7. 79).04 h))]/ 283.00 e do servente R$ 1. 2006 p.3333 horas/ dia 1 ano (365 dias x 7.00 x 2. 2006. mostrada abaixo.3074 (encargos) = R$ 3.65 h Fonte: TISAKA.04 h dias x 7. sem demais preocupações quanto aos salários do pessoal empregado ou quanto ao valor em reais das folhas de pagamento. A hora com encargos é a que será utilizada no orçamento (MATTOS. 2006.3333 h) Dias úteis [(2.3333 h) 2. Exemplo.33 h + 95. 93).65 h – ( 381.96 95. 71. é intuitivo perceber que. O mesmo autor conceitua ano de trabalho produtivo para mensalista conforme a Tabela 13.3333 h/dia Fonte: TISAKA. ou ainda quanto ao montante das "Leis Sociais" sobre eles incidentes (TISAKA.00 x 1.11 h + 95. p. Pode-se expressar as horas trabalhadas durante um ano em dias ou em horas.81.

41

Servente: R$ 1,81 (hora-base) + R$ 1,81 x 1,3074 (encargos) = R$ 1,81 x
2,3074 = R$ 4,18

Portanto a formula é:
Custo do homem-hora = hora-base x (1 + % encargos).

2.4.5 Cálculo do BDI para o Orçamento

Segundo Dias, 2004 p. 141, BDI ou BONIFICAÇÃO é a parcela do custo
do serviço independente, do que se denomina custo direto, ou seja, o que
efetivamente fica incorporado ao produto. Desta maneira o BDI é afetado entre
outros, pela localização, pelo tipo de administração local exigido, pelos impostos
gerais sobre o faturamento, exceto leis sociais sobre a mão de obra aplicada no
custo direto, e ainda deve constar desta parcela o resultado ou lucro esperado pelo
construtor. Assim, o BDI é composto de duas parcelas distintas:

B - denominado BENEFÍCIO, que corresponde ao resultado estimado do
contrato;
DI - abreviação de DESPESAS INDIRETAS, que corresponde aos custos
considerados indiretos.

O BDI nada mais é do que o percentual relativo às despesas indiretas que
incidirá sobre os custos diretos, uma vez que, de maneira geral, é exigido que os
preços unitários de venda incorporem todos os encargos que oneram os serviços a
serem executados. Qualquer empreendimento de engenharia apresenta custo
indireto, o valor encontrado é que depende da localização, exigências do edital e do
porte da obra. Por princípio cada empresa deve encontrar um custo diferente das
demais em função da sua estrutura administrativa e do planejamento do
empreendimento (DIAS, 2004 p. 55).
Tanto o termo benefícios quanto bonificação querem dizer lucro. Em
termos práticos, o BDI é o percentual que deve ser aplicado sobre o custo direto dos
itens da planilha da obra para se chegar ao preço de venda. Por exemplo, se o custo
direto de uma determinada obra foi orçado em 100, o custo indireto em 20 e o lucro

42

em 10, o BDI é igual ao quociente (20+10)/100 =30%. a preço final (preço de venda)
será 100 x 1,30 = 130 (MATTOS, 2006, p. 235).
O BDI é a majoração percentual que o preço de venda representa sobre
o custo direto. Este percentual representa a diluição da administração central, custo
financeiro, imprevistos e contingências, lucro e impostos sobre o custo direto do
serviço (MATTOS, 2006, p. 235).

A sequencia de cálculo dos preços de venda é: (MATTOS, 2006 p. 240)

1. Calcular CD (custo direto)
2. Calcular CI (custo indireto)
3. Fazer a soma CD+CI
4. Calcular AC (administração central) sobre CD+CI
5. Calcular CF (custo financeiro) sobre CD+CI
6. Calcular IC (imprevistos e contingências) sobre CD+CI
7. Totalizar CUSTO = CD+CI+AC+CF+IC
8. Somar as alíquotas de COFINS, PIS, CPMF, ISS = IMP%
9. Somar IMP% + Lucro = i% (incidências sobre o preço de venda)
10. Calcular PV = CUSTO / (1-1%)
11. Calcular BDI% = PV/CD - 1
12. Aplicar o BDI sobre os custos unitários para obter os preços unitários

43

CAPÍTULO 3 – METODOLOGIA DA PESQUISA

A presente pesquisa visa comparar custos, e para isso, emprega duas
metodologias orçamentárias - Orçamento Paramétrico e Analítico - bastante
utilizadas na construção civil. Pretende-se fazer a comparação através dos
resultados obtidos com os dois orçamentos.
A primeira metodologia se deu através do Orçamento Paramétrico, onde
se fundamentou em duas premissas, o custo por metro quadrado (R$/m²) e a área
equivalente de construção (m²) que foi seguida de acordo com a NBR 12721/06,
esse tipo de estimativa de custo é um dos métodos mais utilizados na prática da
construção civil devido a sua facilidade de aplicação e rapidez para se determinar os
resultados.
O segundo método empregado foi o Orçamento Analítico, que conta com
a aplicação de um programa que realiza orçamentos, chamado SIENGE, e que
trabalha integrado a outro software – o Excel. Esta metodologia orçamentária leva
em consideração informações que foram obtidas a partir de coleta de dados dos
insumos para composição de planilhas orçamentárias, contendo as quantidades de
materiais e custos unitários dos serviços e mão-de-obra.
A comparação dos dois métodos se deu inicialmente com uma pesquisa
exploratória, onde se permitiu adquirir familiaridade com o assunto através de livros,
artigos técnicos e normas e em seguida realizou-se uma pesquisa aplicada na forma
de um estudo de caso comparativo para verificar as diferenças de percentual entre
os dois procedimentos orçamentários.

com total de 25 pavimentos contendo 175 conjuntos comerciais. O memorial descritivo possibilitou determinar que essa obra se destina a um empreendimento comercial com serviços de padrão de construção alto. conforme a NBR 12721/06. mas sem acabamento. que é um índice da construção civil largamente utilizado para equalização de valores. Que é uma empresa de porte médio na cidade de Belém. 44 CAPÍTULO 4 – ESTUDO DE CASO 4. É importante mencionar que os orçamentos paramétrico e analítico sofreram atualizações de seus valores com base no INCC6. Os pavimentos estão dispostos de acordo com a TABELA 14 apresentada abaixo: Tabela 14: Distribuição dos pavimentos por ambiente. orçamentos paramétrico e analítico e o cronograma físico- financeiro tendo sido todo esse material fornecido pela empresa. 41vagas de garagens. distribuídos em 24 pavimentos e mais o pavimento subsolo.1DESCRIÇÃO DO EMPREENDIMENTO Na elaboração deste estudo de caso buscou-se observar a forma como se realiza um orçamento na WC Construções e Incorporações Ltda. 6 Índice de Custo da Construção Civil . E para compor este estudo utilizou-se o memorial descritivo.84 m². Este empreendimento tem área total construída de 12. com 3 elevadores sociais de 1 de emergência.921. PAVIMENTO DIVISÃO POR AMBIENTE Sala Pressurização. Subsolo QGBT.

05 m² a 38. Área para split. Jardins. Sala de funcionários com vestiários.97 m²). 4 Conjuntos (43. Pavimentos Tipo B Circulação. Área coberta.63 m²). 2° Nível Jardins. 17 pavimentos com 8 Conjuntos com lavabos (24. Estacionamento com 29 vagas de garagens.53 m² a 83. Circulação.71 m² a 222. Depósitos. Estacionamento com 27 vagas de garagens. Zeladoria com copa e banheiros. Acima do Pavimento de 02 Reservatórios de água com capacidade de Cobertura 29. 45 5 Conjuntos (23. Lavabos. Estacionamento com 27 vagas de garagens.62 m²). Administração com banheiro. . Pavimento Térreo Sala para motorista com banheiro.60 m² a 35. Galeria. 6 Conjuntos com lavabos (25.83 m²). Almoxarifado. Circulação. Copa. 1° Nível Box de serviços. Acima do último Casa de bombas Pavimento Tipo Casa de Máquinas dos elevadores.63 m²).94 m² a 32. Estacionamento para motos e bicicletas.00l Fonte: Memorial descritivo – Obra Concourd One. 4 pavimentos com 6 Conjuntos com lavabos Pavimentos Tipo A (25. Lavabos. Portaria.

Posteriormente fazendo os devidos cálculos encontrou-se o total geral da obra de R$ 9.47 m². E com auxílio da NBR 12. casa de máquinas 0. que o efetivamente estimado para área real correspondente. a caixa d’água. 46 4. Área de loja sem acabamento 0.240.50 a 0. 3. que os coeficientes de equivalência estão de acordo com a norma anteriormente citada nos devidos ambientes. tenha o mesmo valor.” pag.75. No entanto.60. Barrilete. com base no banco de dados fornecido pela empresa estudada. (ver TABELA 15) 7 Segundo a Norma 12. optou-se por atualizar seus valores com base no INCC.924.721/06. e por esta razão.2 DESCRIÇÃO DO ORÇAMENTO PARAMÉTRICO Este orçamento foi baseado na Norma NBR 12. fictícia. descoberta ou coberta de padrão diferente. obteve-se o custo por metro quadrado de construção de (R$/m²) R$ 1. que determina os procedimentos necessários para obtenção da área equivalente de construção7 (m²).50 a 0. dar continuidade com as análises referentes ao estudo de caso. que em função da somatória dos produtos das áreas com os seus respectivos coeficientes de equivalência encontrou-se a área equivalente de construção de 5.721/06 determinou-se área equivalente de construção. no início das análises dos dados dos orçamentos notou-se que o orçamento paramétrico constava com valores desatualizados. para. Vale a pena ressaltar. em reais.23.40 a 0. o período de atualização do orçamento paramétrico foi a partir maio de 2007 à abril de 2011. Alguns dos coeficientes de equivalência são: Garagem (subsolo) 0.721/06 – “Área estimada. que é um Índice Nacional da Construção Civil que é atualizado mensalmente no Brasil. ao custo unitário básico adiante definido. Vale ressaltar que. essa informação teve como fundamentação os gastos com empreendimentos executados anteriormente pela mesma. custo por metro quadrado (R$/m²). custo total/global (R$) e outros itens referentes à construção de orçamentos.75.843. que. desta maneira.41. .581.

O SIENGE é um sistema de gestão corporativo. mas que aos poucos vem ganhando notoriedade e espaço no mercado desta cidade.581. possuindo a versatilidade de poder integrá-lo a outros sistemas. .924. que é um software específico para a indústria da construção civil que busca auxiliar o construtor na elaboração de orçamentos. o pacote da Microsoft Office. pressurização. tendo em vista que serão utilizados como base para o orçamento analítico. para que houvesse maior precisão nestes levantamentos. Pois nesta fase é necessária muita atenção por parte de quem executa esses levantamentos. Neste processo de levantamentos de quantitativos foram observadas as dimensões específicas e características técnicas dos seus referentes projetos.raio. acompanhamento de obra e controle da mão-de-obra. ORÇAMENTO PARAMÉTRICO Área equivalente de construção (m²) 5. em especial. planejamentos.47 m² Custo por metro quadrado de construção (R$/m²) R$ 1. o Excel. Quando necessário foram considerados alguns índices de perda ou acréscimo em materiais e serviços executados em seus levantamentos. hidráulico. Esta ferramenta é conhecida como SIENGE.843. O programa utiliza a tecnologia ERP (Enterprise Resource Planning) e foi desenvolvido pela Softplan/Poligraph.23 4. tomando como base as especificações dos projetos arquitetônicos. estruturais. rede estruturada e split. desenvolvido para integrar diversos departamentos de uma empresa. sanitário.3 DESCRIÇÃO DO ORÇAMENTO ANALÍTICO Na elaboração deste orçamento utilizou-se uma ferramenta pouco conhecida na região de Belém.240. como por exemplo. Tanto que. na execução do orçamento analítico o levantamento quantitativo foi desenvolvido em planilhas no Excel. elétrico. 47 TABELA 15: Resumo dos cálculos do orçamento paramétrico.41 Total geral da obra (R$) R$ 9. para.

18 Fonte: Orçamento analítico – Obra Concourd One. pois a empresa não informou em seu orçamento analítico que consta como não especificado. sua própria base de índices de consumo para insumos. mas no mesmo no orçamento analítico consta como não especificado.27 Servente R$ 5. pois com os valores corrigidos pode-se emitir um julgamento mais adequado acerca do assunto. PISO SALARIAL (homem/hora) Oficial R$ 3. Para melhor análise dos resultados esse orçamento também sofreu atualização de seus preços com base no INCC no período de 01/01/2008 à 01/04/2011. Para compor o custo de insumos – serviços. . no orçamento analítico pode-se observar que os encargos sociais já estão embutidos no custo da mão-de-obra (ver TABELA 17). unidade e preço unitário . 48 Importante a ser ressaltado. Tratando-se de custo da mão-de-obra (ver TABELA 16). sempre levando em consideração os materiais especificados nos projetos. fez uso do TCPO8 de acordo com sua necessidade. a empresa utiliza o convencionado pelo Sindicato da Construção Civil do Pará. é a questão do BDI. Outro ponto a ser apontado neste trabalho e que não foi fornecido pela empresa. PISO SALARIAL (homem/hora) Oficial R$ 7. TABELA 16: Salário base dos trabalhadores (h/h). Entretanto.a empresa consultou os preços em fornecedores e lojas especializadas na cidade de Belém no período de 01/01/2008 à 28/09/2009. quantidades. TABELA 17: Salário base dos trabalhadores (h/h).63 Servente R$ 2. é que a empresa possui um vasto e confiável banco de dados que utiliza em suas composições.59 Fonte: Sinduscon/PA agosto 2010/2011. formando assim. onde estão apontadas as normas de pagamentos de salários e os benefícios dos trabalhadores. Visto que. aplicado pela empresa. 8 TCPO – Tabela de Composições para Orçamento.

neste caso. ORÇAMENTO ANALÍTICO Área equivalente de construção (m²) 5.772. 49 Para finalizar o orçamento analítico relacionou-se todas as quantidades com seus devidos preços unitários para. já leva em consideração uma porcentagem de erro. Total geral da obra.528. Logo a seguir. mesmo sabendo que o orçamento paramétrico não considera margem de erros. posteriormente.843. não houve grandes diferenças entre os dois resultados e que apesar do orçamento paramétrico não ser tão detalhado e específico como o orçamento analítico.931. Este orçamento também é seguro de ser executado. o mesmo pode ser utilizado como um método confiável para definir o custo total de um empreendimento. (ver TABELA 18).47 m² Custo por metro quadrado de construção (R$/m²) R$ 1.24.931. analisando os resultados encontrados pode-se observar que comparando as duas formas de realizar orçamentos para a construção civil.772. 4. e desta forma aproximasse mais do custo definitivo do empreendimento. Entretanto.4 ANÁLISE DOS RESULTADOS Finalmente. onde mostra-se os resultados do custo por metro quadrado. TABELA 18: Resumo dos cálculos do orçamento analítico.24 Fonte: Orçamento analítico – Obra Concourd One. encontrar o Total geral da obra de R$ 8. o outro orçamento que considera as especificidades do empreendimento e tem sua composição bem detalhada. será apresentado para melhor entendimento visual um Gráfico 1 onde o mesmo apresenta um comparativo entre os dois custos totais. . como se pode visualizar na TABELA 19 abaixo. a diferença entre os custos totais e a variação em percentual entre os dois orçamentos. com a somatória total.50 Total geral da obra (R$) R$ 8.

772.528.240.000. .00 R$ 9.3457 % Fonte:: Orçamento paramétrico e analítico – Obra Concourd One.000.23 R$ 8.000.000.528.000.00 $3. $10.151.41 R$ 1.00 $- Fonte:: Orçamento paramétrico e analítico – Obra Concourd One.000. Um detalhe importante de ser observado é com relação ao custo por metro quadrado (R$/m²) que a empresa utiliza como parâmetro em seu orçamento paramétrico (R$ 1.000.24 Diferença (R$) R$ 309.000.000.000.772.50) não há h tanta diferença.3.240. GRÁFICO 1:: Comparativo do Total Geral G entre os dois orçamentos.581.23 R$ 8.931.581.00 $8.000.41) e que comparado com o analítico (R$ 1.000.00 $7.00 $1.924.00 $6. 50 TABELA 19: Tabela comparativa entre o orçamento paramétrico e o analítico.99 Variação em % .00 Paramétrico $5.000.000.000.000.00 $2. ORÇAMENTO ORÇAMENTO PARAMÉTRICO ANALÍTICO Custo por metro quadrado de R$ 1.000.50 construção (R$/m²) Total geral da obra (R$) R$ 9.24 $9.924.000.00 Analítico $4.000.931.000.

custos administrativos e comercialização para a partir. Instalações Gerais e outros.08.50% 1.931. a seguir. e em outros itens como Alvenaria e Piso. publicidade. determina-se o valor de R$ 26.24). Fundações 7.78% ALVENARIA 3. Dando prosseguimento ao estudo. daí estimar-se o provável lucro da empresa. houve uma variação considerável entre os percentuais. buscou-se também analisar alguns destes pontos para verificar se ocorreu variação entre estes valores nos dois orçamentos.83% PISO 1. .60% .90% 2. sabendo-se que esse valor deverá ser subtraído dos custos com corretagem.186.276.00. Estrutura. e a empresa em questão trabalha com custo de R$ 6. diminuindo-se esse valor do Total geral encontrado no orçamento analítico (R$ 8.00% 19.09 por metro quadrado.00 a R$ 6. ORÇAMENTO ORÇAMENTO SERVIÇOS PARAMÉTRICO ANALÍTICO FUNDAÇÕES 7. Multiplicando-se o custo (R$/m²) que a empresa utiliza pela área equivalente de construção encontra-se o valor de R$ 35. por exemplo.38% GERAIS ELEVADORES 6.desta forma. como se pode observar na TABELA 20. A mesma tabela mostra que em alguns itens como Fundações. O que se observou foi que em alguns serviços houve sim variação entre os percentuais.517. TABELA 20: Comparação entre os percentuais dos orçamentos paramétrico e analítico.500.50% 10. 51 Em uma pesquisa realizada no mercado paraense se observou que o custo por metro quadrado (R$/m²) operado por corretores de imóveis no bairro estudado girou em torno de R$ 4.078.50% 9. atentou-se que na composição da planilha do orçamento paramétrico consta um percentual destinado para cada serviço. a variação foi insignificante.60% 2.57% Fonte: Orçamento paramétrico e analítico – Obra Concourd One. – exemplo.772.84.86% INSTALAÇÕES 7.07% ESTRUTURA 30.413.585.

Esse fato se deu por ser a primeira obra comercial sem acabamento executada pela empresa. no GRÁFICO 2 será mostrado os serviços em que mais aconteceu essa diferença.46.72. última a diferença entre orçamentos é menor sendo apenas de 1. Finalizando com os estudos.60% 7. observa-se que nesta última.07% 1.00% 3.57% 9. GRÁFICO 2: Variação entre os serviços nos dois orçamentos. 52 Em especial alguns itens de serviços onde houve uma variação variaç muito grande comparando os seus percentuais.50% 5. com o orçamento Expedito e com a outra metodologia logia foi de R$ 517.00% FUNDAÇÕES ESTRUTURA CONTRA-PISO INSTALAÇÕES ELEVADORES GERAIS Fonte:: Orçamento paramétrico e analítico – Obra Concourd One.78% 20.00% 10. atentando para o fato do estudo ser uma edificação residencial multifamiliar. e confrontando os resultados encontrados nesta pesquisa com outra realizada por Knolseisen.00% PARAMETRICO 30. 35.Custo Unitário Básico e o Método Expedito -.00% 15. . na cidade de Santa Catarina. 2000.62%.00% 7.73% 2. a pesquisa realizada por Knolseisen encontrou como resultados o custo usto por metro quadrado de construção (R$/m²) de R$ 509.00% 30.38% 10.00% ANALITICO 25.17% 0. utilizando-se se outras metodologias orçamentárias – o CUB . pois estes percentuais são atribuídos normalmente a edificações residenciais multifamiliares e com base em estudos realizados na área de construção civil.50% 6.00% 19.

no comparativo entre os dois orçamentos é compatível. pois ficou em 3. A diferença desta pesquisa. . 53 lembrando que foram utilizados insumos diferentes do utilizado no presente trabalho e em outra região do país.3457 %. sendo um empreendimento comercial sem acabamento na cidade de Belém.

É obvio que alguns erros são cometidos no decorrer do orçamento. como se pôde constatar com a presente pesquisa.41 -. tendo-se em vista que Orçamento Analítico tem maior precisão e menor margem de erros em sua elaboração. tanto que a variação final foi apenas de 3. isso demonstra que a maneira como esse procedimento é realizado por esta construtora em Belém é correto. menor que o valor operado pela construtora. determinam o preço final de venda adquirindo assim maior lucro com a venda de seus imóveis. finaliza-se esta pesquisa recomendando o uso dos dois métodos orçamentários. mas que infelizmente as construtoras se utilizam do Orçamento Paramétrico com estimativa final. a experiência e a base de dados que a mesma utiliza mostrou-se eficaz em determinar o seus custos totais. é necessário se ter em mente que este foi o primeiro empreendimento comercial executado por esta construtora. Vale a pena ressaltar que esta comparação é de extrema importância.3457% para menos. 54 CAPÍTULO 5 – CONSIDERAÇÕES FINAIS Após concluir a comparação entre os dois orçamentos e atestar que não houve grandes disparidades em seus custos finais e o custo projetado pela empresa – custo por metro quadrado (R$/m²) de R$ 1.581. principalmente no que tange com os percentuais atribuídos a cada serviço. primeiramente com o orçamento paramétrico para compor . o resultado final foi satisfatório.50. e que o custo por metro quadrado (R$/m²) foi de R$ 1. e que o método. Desta forma. e com isso. mas também é notório que os pontos positivos sobressaltam os negativos. de modo geral.528. Apesar de se verificar que alguns pontos podem e devem ser melhorados. sem prejuízos.

. 55 estimativas de custos e análises de viabilidade econômica de um empreendimento. e desta maneira. e posteriormente. com o orçamento analítico para o melhor gerenciamento dos custos. requerer transparência para futuramente confrontar seus custos ou prejuízos com o planejado.

projeto e execução.ufsc. São Paulo: Editora Pini. Acesso em: 10 out 2011. TISAKA. Orçamento na construção civil: consultoria. 2004. 2006. CARDOSO. Antonio Victorino. Rio de Janeiro. Orçamento de Obras: Construção civil. Paulo Roberto Vilela.ecv. estudo de caso. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos Editoras S. Roberto Sales. NBR 12721:2005. São Paulo: Editora Pini.br/site/downloads/apoio_did%E1tico/ECV5307-%20Or%E7 amento. Planejamento. exemplos. Engenharia de Custos: Estimativa de Custo de Obras e Serviços de Engenharia. Maçahiko. 1° Edição. 2003. Liziane Ilha. 2009. Disponível em: <http://pet. Orçamento de obras em foco – Um novo olhar sobre a engenharia de custos. Avaliação de custos de construção para incorporação imobiliária e outras disposições para condomínios edilícios. 1997. Florianópolis. 56 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Carl Vicente. 1° Edição. Rio de Janeiro .pdf>. 2006. Como preparar orçamentos de obras: dicas para orçamentistas. Orcamentação e Controle de Projetos e Obras.A. 2005. São Paulo: Pini. Oscar Ciro. DIAS. LIBRELOTTO. . LOPES. MATTOS. RJ. Aldo Dórea. 1º ed. AVILA. LIMMER.

2007.br/site/ arquivos/cub/cartilha_cub.br/arquivos/Planejamento/Nocoesdeorcamentoeplanejam entodeobras. programação.pdf>. Palhoça. Acesso em: 27 nov 11. SANTOS. Marco Aurélio Stumpf. 57 BERWANGER.UMA SOLUÇÃO METODOLÓGICA PARA ATENDER A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL E A LEI DE LICITAÇÕES.org. nº 60 .sindusconpa. 2008. Débora de Gois. GONZÁLEZ. Cleofas. 59f. 2008. São Paulo.org.crea-pr. Análise Comparativa entre Orçamento Expedito e Estimativa de Custos através do Custo Unitário Básico: Um Estudo de Caso.br/WebCrea/biblioteca _virtual/downloads/9_Cleofas%20-%20TFG%20R21 . BELO HORIZONTE: Sinduscon.pdf>. 2008. 43f. engenhariaconcursos. ORÇAMENTAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA CIVIL . Trabalho de Conclusão de Curso – Graduação em Engenharia Civil .br/arquivos/File/conv-cct-sindusconxsintrapavpa-2010- 2011. KNOLSEISEN. Universidade do Sul de Santa Catarina. Agosto 2010: Disponível em: <http://www. org. Patricia. 47f. Acesso em: 15 dez 2011. Acesso em: 10 out 2011. Disponível em: <http://creaweb.pdf>.org. Foz do Iguaçu. DOMINGUES.pdf>. CUSTO UNITÁRIO BÁSICO (CUB/m²): PRINCIPAIS ASPECTOS. Planejamento. Acesso em: 02 dez 2011. 2000. Acesso em: 02 dez 2011. Noções de Orçamento e Planejamento de Obras.br/ biblioteca/enegep2001_tr19_0386. São Leopoldo – RS. 247p. Disponível em: <http://www. 112f. São Cristóvão. Disponível em: <http://www.eng. Sergipe.domingues. Disponível em: <http://www.pdf. 2002. SC.abepro.MG. Acesso em: 10 out 2011. Marco Antônio. acompanhamento e controle de obras. Disponível em: .sinduscon- mg.pdf>. Disponível em: http://www.br/mestrado/disser tacao_mestrado_madomingues_2002-02. Estudo sobre controle de custos em obra utilizando orçamento paramétrico e orçamento analítico para residência tipo padrão normal na cidade de FOZ DO IGUAÇU – PR.com. Boletim Informativo Ano 7 .Faculdade União Dinâmica das Cataratas.

br/content/ABAAAA0ZgAH/gerenciamento-obras>. QUEIROZ. Disponível em: http://www.pdf. Erick Fialho de. Acesso em: 07 dez 11. 2003.ufba. Proposta de rotina de controle e gerenciamento de custo para execução de obras imobiliárias. SAURIN.ebah.ebah. 42 f. Disponível em: <http:// www. 2006.gerenciamento.br/content/ABAAABkVIAE/planejamento-canteiro-obras>. com. Tarcisio Abreu. Planejamento de Canteiros de Obra e Gestão de Processos.com.br/Monografias%202002-004/Controle%20e%20Ger enciamento%20de%20Custo. SALVADOR-BAHIA. 58 <http://www. Porto Alegre: ANTAC. . Acesso em: 02 dez 2011. Acesso em: 02 dez 2011. 112 p.

59 Anexo I .

0 TAXAS.48 1.029.4 Projetos de Fundações Vb 1.752. CUSTO % DO CUSTO ITEM DISCRIMINAÇÃO UND CUSTO TOTAL DE SERVIÇO UNITÁRIO TOTAL 1.9 Base para guinchos Vb . alojamentos. de Obras e etc.05% 2.3 Habite-se (Bombeiros.660.5 Registro para Terrenos Vb 3.) Vb 2.6 Sinalização de segurança Vb 4. Secr.0 IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO Vb R$ 124.5 Manual do Proprietário Vb 1.475.1 IPTU e ITB do Terreno Vb 2. 4.2 Projetos de Estrutura convencional Vb 1. LICENÇAS E ALVARÁS Vb R$ 97.70 1.2 Tapume em estrutura metálica Vb 4. áreas de produção e acessos.7 Fornecimento e execução de bandeja salva vidas fixa no térreo Vb 4.4 Alvará Vb 2. almoxarifado.35% Montagem do canteiro de obras: escritórios.3 Projetos de Instalações Vb 1.8 Fornecimento e execução de bandeja salva vidas a cada 3 andares Vb 4. ORÇAMENTO PARAMÉTRICO QUANT.65% 1.4 Instalação provisória de água Vb 4.50% 4.6 Maquete Eletrônica Vb 2.5 Instalação provisória de energia Vb 4.PESSOAL PERMANENTE (C/ ENCARGOS) Vb R$ 600.25 1.1 Vb sanitários.0 ADMINISTRAÇÃO DA OBRA .2 Laudos e ART'S de equipamentos Vb 2.07 6.0 PROJETOS Vb R$ 152.1 Projetos de Arquitetura Vb 1.3 Placa de obra Vb 4. vestiários e 4.

722.310.11 Proteção periférica de laje .1 Limpeza permanente Vb 7.tela laranja Vb 5.25% 7.102.5 Consumo de energia elétrica Vb 6.10 Retro escavadeira para apoio Vb 6.13 Fretes e Transportes Vb 7.2 Consumo de materiais de escritório Vb 6.31 0.08% 6.24 7.9 Proteção coletiva e individual (EPI) Vb 6.722.60% .2 Escavação e compactação mecanica Vb 8.1 Limpeza do Terreno Vb 8.3 Consumo de materiais de limpeza / básicos Vb 6.0 EQUIPAMENTOS .30% 8.6 Consumo de telefone Vb 6.2 Retirada de Entulho Vb 8.30% 6.0 OPERAÇÃO DO CANTEIRO Vb R$ 192.77 0.8 Instalação de Internet Modem e Hub Vb 6.0 TRANSPORTES Vb R$ 23.22 2.0 PREPARO DO TERRENO Vb R$ 27.10 Entelamento de segurança Vb 4. CUSTO % DO CUSTO ITEM DISCRIMINAÇÃO UND CUSTO TOTAL DE SERVIÇO UNITÁRIO TOTAL 4.7 Compra de linha telefônica Vb 6. ORÇAMENTO PARAMÉTRICO QUANT.3 Locação da obra / gabarito Vb 9.1 Fundo fixo de obra Vb 6.4 Consumo de água Vb 6.77 0.FERRAMENTAS MANUAIS E EQUIPAMENTOS Vb R$ 27.12 Aluguel de Balancim Vb 6.11 Aluguel de Guinchos para transporte vertical de materiais Vb 6.0 FUNDAÇÕES Vb R$ 702.211.

854.1 PISO CIMENTADO LISO Vb 17.2 PISO EM CERÂMICA ESMALTADA (RODAPÉ) Vb 17.79 1.564. ORÇAMENTO PARAMÉTRICO QUANT.277.0 ESQUADRIAS METÁLICAS E VIDRO Vb R$ 334.396.60% 26.00% 13.TELHADO Vb R$ 184.46 3.10 0.990.0 PINTURA Vb R$ 203.33 2.683.0 IMPERMEABILIZAÇÃO Vb R$ 69.0 ALVENARIA Vb R$ 360.118.0 REVESTIMENTO INTERNO DE ARGAMASSA Vb R$ 443.80% 15.950.21% 27.3 PISO EM PORCELANATO (RODAPÉ) Vb 17.4 PISO EM GRANITO (RODAPÉ) Vb 18.0 PISOS Vb R$ 138.0 SOLEIRAS EM GRANITO Vb R$ 16.00% 11.27 30.818.0 FORRO DE GESSO Vb R$ 60.306.27% 29.0 BANCADAS E RODOBANCAS Vb R$ 27.521.62% 29.0 REVESTIMENTO CERÂMICO PAREDE Vb R$ 170.0 REVESTIMENTO EXTERNO (ARGAMASSA e PASTILHA) Vb R$ 551.30% 22.613.97% 17.50% 17.18 5.85% 21.0 PORTAS EM MADEIRA Vb R$ 147.2 ESCADAS DE FERRO Vb .77 0.81 1.90% 12.17% 16.0 ESTRUTURA Vb R$ 2.04 3.93 0.722.50 0.20% 25.0 PORTAS CORTA-FOGO Vb R$ 19.48 2.36 4.0 ACESSÓRIOS METÁLICOS Vb R$ 24.94 0.772.18% 23.1 CORRIMÃO Vb 29. CUSTO % DO CUSTO ITEM DISCRIMINAÇÃO UND CUSTO TOTAL DE SERVIÇO UNITÁRIO TOTAL 10.957.405.75% 14.633.66% 24.66 0.300.0 CONTRA-PISO Vb R$ 108.10 1.0 COBERTURA .86 1.

07 6.8 BOMBAS E EQUIPAMENTOS Vb R$ 10.00% .686.50% 34.70% 35.5 INSTALAÇÕES DE ÁGUA-FRIA Vb R$ 55.240.778.59 0.20% 30.2 ALUCOBOND Vb 31.15% 33.55 0.4 INSTALAÇÕES DE COMBATE À INCÊNDIO E PRESSURIZAÇÃO Vb R$ 110.(COM CUSTO DO TERRENO): R$ 9.6 INSTALAÇÕES DE ESGOTO E DRENAGEM Vb R$ 103.891.165.11% 31.270.851.35 1.63 1. CUSTO % DO CUSTO ITEM DISCRIMINAÇÃO UND CUSTO TOTAL DE SERVIÇO UNITÁRIO TOTAL 29.0 INSTALAÇÕES GERAIS Vb R$ 693.102.92 0.88 1.843. ORÇAMENTO PARAMÉTRICO QUANT.44 0.0 ELEMENTOS DE COMPOSIÇÃO DA FACHADA Vb R$ 148.60% 30.581.47 0.02 0.924.47 CUSTO POR M² CONSTRUÍDO ( R$ / m² ): R$ 1.28% 30.25% 30.61% 31.0 LIMPEZA FINAL Vb R$ 44.660.31 0.0 LOUÇAS E METAIS Vb R$ 106.41 TOTAL GERAL .50% 30.10% 30.32 7.3 INSTALAÇÕES DE SPDA Vb R$ 9.84% 30.09 1.240.3 GRELHAS DE FERRO Vb 30.445.48% ÁREA EQUIVALENTE DE CONSTRUÇÃO (m²): 5.23 100.498.49 3.2 INSTALAÇÕES DE TELEFONE E LÓGICA Vb R$ 23.1 INSTALAÇÕES ELÉTRICA Vb R$ 354.1 PELE DE VIDRO Vb 31.069.12% 30.3 PINTURA Vb 32.356.0 PAISAGISMO Vb R$ 64.874.0 ELEVADORES Vb R$ 600.7 INSTALAÇÕES SPLITS Vb R$ 25.

ANEXO II .

258.00 R$ 5. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 1 AQUISIÇÃO DO TERRENO 1.00 960.00 R$ 1.500.396.888.664.1 Engenheiro Civil mês 24.00 01/01/2008 R$ 6.40 28/09/2009 R$ 29.00 R$ 19. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 3.694.00 5.1 Valor de Compra do Terreno vb 1.10 Servente de apoio (Limpeza) mês 24.810.60 2.00 01/01/2008 R$ 15.000.050.51 2.000.8 Encarregado Acabamento mês 8.640.179.400.480.00 7.040.00 266.258.00 01/01/2008 R$ 24.57 2.2 Projeto Eletrico vb 1.000.090.00 01/01/2008 R$ 25.16 3.00 7.000.00 R$ 14.00 28/09/2009 R$ 15.622.00 01/01/2008 R$ 3.770.82 5.00 R$ 1.12 Estagiário de Segurança mês 6.72 3.192.69 2.93 2.47 2.6 Projeto Hidro-Sanitario vb 1.922.00 R$ 14.20 28/09/2009 R$ 133. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.00 R$ 20.45% PROJETOS % do Custo 3 Un.000.00 2.2 Mestre Geral mês 24.000.35 R$ 26.000.753.00 28/09/2009 R$ 184.00 01/01/2008 R$ 1.00 5.00 R$ 23.000.00 2.00 28/09/2009 R$ 1.400.200.787.000.680. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado CANTEIRO Total 2.00 110.000.12 .500.677.50 R$ 6.260.32 2.00 TOTAL R$ 1.00 4.00 R$ 12.500.955.5 Consumo de Energia mês 24.12 TOTAL R$ 437.00 28/09/2009 R$ 21.500.120.93 2.00 R$ 7.000.60 R$ 486.000.540.00 800.400.11 Estágiario de Engenharia Civil mês 24.173.000.00 01/01/2008 R$ 8.76 2.00 01/01/2008 R$ 5.00 R$ 4.91 2.9 Técnico de Segurança mês 24.80 R$ 122.322.00 20.000.74 3.00 R$ 19.00 820.00 R$ 2.00 R$ 80.00 28/09/2009 R$ 15.1 Projeto Arquitetonico vb 1.00 14.00 1.3 Projeto Estrutura vb 1.400.05 3.000.54 3.00 01/01/2008 R$ 100.00 28/09/2009 R$ 7.012.104.00 28/09/2009 R$ 25.00 R$ 19.4 Despesas com Telefone mês 24.01 2.7 Encarregado Hidraulica mês 6.09% PESSOAL PERMANENTE E OPERAÇÃO DO % do Custo 2 Un.50 R$ 1.3 Consumo de Agua mês 24.00 01/01/2008 R$ 24.166.00 1.599.00 2.4 Projeto Agua Combate Incendio vb 1.400.677.6 Encarregado Eletricista mês 6.5 Projeto Telecomunicacoes e On Line vb 1.00 266.00 R$ 168.00 80.200.000.787.00 12.

00 09/04/2011 R$ 8.000.000.00 4.000.71 TOTAL R$ 12.83 4.586.00 01/01/2008 R$ 6.00 01/01/2008 R$ 10.00 R$ 9.104.000.00 R$ 5.00 01/01/2008 R$ 32.883.00 R$ 26.000.000.00 R$ 6.00 01/01/2008 R$ 20.00 R$ 10. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado TERRA Total 8.00 R$ 15.000. LICENÇAS E ALVARÁS % do Custo 4 Un.000.00 8.17% LIMPEZA DO TERRENO E MOVIMENTAÇÃO DE % do Custo 8 Un.11% SONDAGEM E LOCAÇÃO DA OBRA % do Custo 7 Un.1 DESMATAMENTO E RETIRADA DE ENTULHO vb 1.552.00 R$ 8.500.000.000.7 Projeto Ar Condicionado vb 1.000.17 TOTAL R$ 9.00 7.77 TOTAL R$ 73.00 01/01/2008 R$ 5.17 0.09% EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL E % do Custo 6 Un.00 R$ 8.1 Ferramentas Manuais e Equipamentos vb 1.00 R$ 15.000.00 R$ 8.000.662.00 15.411.000. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 3.00 01/01/2008 R$ 18.138.000.000.000.00 8.42 7.00 01/01/2008 R$ 12. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 7.000.1 Levantamento Topografico vb 1.42 0. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado COLETIVA Total 6.5 Outras Despesas Diretas vb 1.3 Despesas Gerais vb 1.000.00 9.16 4.00 5.00 R$ 16.000.00 R$ 4.1 Alvara Habite-se vb 1.500.00 R$ 91.2 Sondagem de Percussao vb 1.00 01/01/2008 R$ 7.00 16.00 R$ 9.411.1 Equipamentos de Proteção Individual e Coletiva vb 1.000.42 TOTAL R$ 7.89% TAXAS.000.60 4.4 Iptu vb 1.880.00 R$ 8.00 6.00 R$ 168. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 5.00 R$ 7.72 1.000.888.00 30/07/2009 R$ 9.000.293.000.12 0.000.09% .2 Despesas de Escritura vb 1.000.06 4.00 0.00 26.725. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.42 1.00 TOTAL R$ 8.00 11/02/2009 R$ 8.034.500.03% FERRAMENTAS MANUAIS E EQUIPAMENTOS % do Custo 5 Un.00 10. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 4.069.39 TOTAL R$ 134.888.

82 10.927.54 17/02/2009 R$ 10.866.82 4.946.40 5.00 R$ 49.1/2X11" kg 2.92 10.13 Aco CA-60 Diametro 5.571.466.00 2.667.00 R$ 6.47 R$ 9.20 45.57 5.457.717. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total FUNDAÇÃO .00 09/04/2011 R$ 5.80 R$ 39.18 R$ 148.79 3.72 2.63 28/09/2009 R$ 44. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un. 18 (1.00 R$ 5.22 10.93 10.00 09/04/2011 R$ 180.265.283.997.255.07 10.41 4.272.06 01/01/2008 R$ 50.00 R$ 11.52 07/04/2009 R$ 55.00 .0mm kg 2.4 Alimentacao vb 5.033.18 R$ 40.032.07% ESTRUTURA EM CONCRETO ARMADO .708.70 R$ 9.719.610.00 R$ 23.39 2.532.14 10.48 10.16 PERNAMANCA MANDIOQUEIRA 3" X 2" X 4 METROS dz 585.5 Vale Transporte vb 11.225.83 28/09/2009 R$ 10.19 PREGO 2.762.47 R$ 44.81 16/02/2009 R$ 59.249.63 3.44 3.83 10.1 vb 1.32 R$ 13.46 28/09/2009 R$ 812.672.18 R$ 107.054.8 Arame Recozido no.532.559.711.91 10.3 Carpinteiro h 24.12 Aco CA-50 Diametro 16.44 01/01/2008 R$ 29.65 90.380.51 01/01/2008 R$ 17.773.00 EQUIPAMENTO PARA ESTACAS DE HÉLICE CONFECÇÃO E CRAVAMENTO DE ESTACAS TIPO 9.76 16/02/2009 R$ 12.00 R$ 52.02 R$ 741.22m 10.225.766.TORRE % do Custo 10 Un.68 10.97 4.11 Aco CA-50 Diametro 12.2 Pedreiro h 534.64 R$ 30.00 HÉLICE CONTÍNUA TOTAL R$ 185.000.15 R$ 2.93 10.62 10.00 R$ 185.0mm kg 8.32 7.00 180.64 10.18 TABUA BRANCA PARA LAJE dz 462.884.44m x 1.039.48 6.5mm kg 12.745.32 R$ 49.285.534.951.54 Chapa de Compensado 12mm Plastificado / Detalhe: 10.000.52 4.62 28/09/2009 R$ 54.211.172.2 vb 1.892.022.114.17 16/02/2009 R$ 6.70 28/09/2009 R$ 2.225.225. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total MOBILIZAÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DE 9.00 R$ 2.7 Aco CA-50 Diametro 6.27 R$ 3.91 10.00mm kg 184.51 28/09/2009 R$ 4.46 47.08 6.69 10.87 12/02/2009 R$ 2.00 5.00mm kg 3.78 4.ESTACAS DE HÉLICE CONTÍNUA % do Custo 9 Un.30mm kg 11.625.861.557.10 Aco CA-50 Diametro 8.86 28/09/2009 R$ 162.24 mm) kg 541.10 10.258.15 Prego 1 1/2 x 13 kg 534.000.554.525.1 Servente h 20.6 Aco CA-50 Diametro 10.17 TABUA FORTE dz 134.14 Ferreiro h 6.451.06 28/09/2009 R$ 117.31 6.958.45 28/09/2009 R$ 32.00 R$ 180.25 28/09/2009 R$ 49.9 fl 1.225.19 25. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 10.

458.14 Ferreiro h 3.338.47 R$ 1.69 CONCRETO USINADO / Detalhe: FCK = 35 MPA .726.487.923.426.61 4.17 TABUA FORTE dz 26.27 R$ 819.64 R$ 18.68 11.43 3.039.20mm kg 2.06 11.53 01/01/2008 R$ 8.622.83 28/09/2009 R$ 898.00mm kg 4.41 11.24 Aco CA-50 Diametro 20. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 11.634.32 6.31 3.7 Aco CA-50 Diametro 6.32 bombeamento 10.9 Arame Recozido no.11 Aco CA-50 Diametro 8.29 28/09/2009 R$ 19.118.099.749.0mm kg 5.177.20 10.779.22 COMPENSADO PLASTIFICADO 15 MM 2. 735.744.99 12/02/2009 R$ 741.53 15.542.644.841.13 11.953.00 R$ 660. 18 (1.025.963.18 R$ 30.43 350.30mm kg 4.00 R$ 1.00 R$ 10.69 4.65 11.20 5.63 840.22m 11.272.305.15 R$ 1.25 28/09/2009 R$ 21.57 10.24 mm) kg 328.04 35.365.40 4.382.20 PREGO 2X12 kg 1.6 Aco CA-50 Diametro 10.18 R$ 34.84 28/09/2009 R$ 1.88 28/09/2009 R$ 49.917.22 M Un.13 Chapa de Compensado 12mm Plastificado / Detalhe: 11.77 7.97 11.51 28/09/2009 R$ 20.005.34 28/09/2009 R$ 38.06 07/04/2009 R$ 9.413.32 11.65 11.15 Prego 1 1/2 x 13 kg 132.5 Vale Transporte vb 3.87 4.82 11.497.44 X 1.2 Pedreiro h 112.21 BOTATOP DM tambor 1.852.41 3. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 10.45 R$ 1.582.358.02 R$ 18.193.30 R$ 6.8 Aco CA-60 Diametro 4.313.084.12 Aco CA-50 Diametro 12.47 R$ 44.115.84 28/09/2009 R$ 25.29 3.65 28/09/2009 R$ 570.26 11.44m x 1.03 6.48 28/09/2009 R$ 7.3 Carpinteiro h 4.474.601.034.00 R$ 8.60 .13 Aco CA-50 Diametro 16.4 Alimentacao vb 1.79 28/09/2009 R$ 8.63 11.52 28/09/2009 R$ 1.526.435.185.163.03 90.199.00 R$ 520.779.923.61 3.5mm kg 2.915.82 2.23 m³ 1.0mm kg 467.00 R$ 1.32 R$ 19.80 R$ 13.14 16/02/2009 R$ 12.47 R$ 7.803.26 2.52 45.088.695.245.76 6.PERIFERIA % do Custo 11 Un.com 10.09 28/09/2009 R$ 33.47 R$ 6.56 16/02/2009 R$ 1.938.16 PERNAMANCA MANDIOQUEIRA 3" X 2" X 4 METROS dz 120.826.00 R$ 25.92 TOTAL R$ 1.366.332.84 11.01 17/02/2009 R$ 7.35 17/02/2009 R$ 28.10 fl 185.39 01/01/2008 R$ 16.532.47% ESTRUTURA EM CONCRETO ARMADO .00 R$ 7.51 17/02/2009 R$ 1.85 5.00 47.0mm kg 12.924.85 11.47 11.18 R$ 23.1 Servente h 6. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.

269.953.00 R$ 2.74 6.93 28/09/2009 R$ 913.00 R$ 25.199.08 .463.60 12.48 13.1 Servente h 160.337.752.68 01/01/2008 R$ 6.00 R$ 4.68 29.051.27 R$ 49.22 M Un.54 0.00 R$ 218.362.249.7 Vale Transporte vb 109.98 11.810.88 28/09/2009 R$ 54.06 25.97 17/02/2009 R$ 313.80 R$ 379.01 17/02/2009 R$ 7.47 R$ 20.21 12.291.22 COMPENSADO PLASTIFICADO 15 MM 2.03 24.075.31% CHAPISCO INTERNO % do Custo 12 Un.75 29.13 TOTAL R$ 347.563.207.18 R$ 832.26 01/01/2008 R$ 10.873.33 840.23 m³ 313.90 17/02/2009 R$ 2.186.84 2.00 R$ 109.01 3.75 13.408.00 R$ 6.19 3.942.53 12.24 Aco CA-50 Diametro 20. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 13.80 5.92 350.74 28/09/2009 R$ 1.21 BOTATOP DM tambor 3.43 5.805.99 11.630.59 7.27 R$ 2.25 TOTAL R$ 9.18 TABUA BRANCA PARA LAJE dz 89.4 Areia m³ 288.810.423.40 13.440.44 X 1.68 4.1 Servente h 4.619.00 R$ 1.496.18 R$ 20.447.29 R$ 384.958.10 12.196.34 2.5 Alimentacao vb 1.95 11.19 28/09/2009 R$ 120.6 Alimentacao vb 55.80 R$ 8.99 11.236.476.579.28 4.6 Vale Transporte vb 2.804.30 R$ 1.76 28/09/2009 R$ 2.51 6.5 Aditivo (Bianco) l 643.3 Cimento Portland sc 60.68 01/01/2008 R$ 275.79 4.84 28/09/2009 R$ 9.12% ALVENARIA % do Custo 13 Un.52 12.4 Areia m³ 70.235.81 7.66 28/09/2009 R$ 22.84 01/01/2008 R$ 2.016.00 R$ 279.2 Pedreiro h 6.29 13.com 11.99 R$ 10.441.12 28/09/2009 R$ 22.14 CONCRETO USINADO / Detalhe: FCK = 35 MPA .20 PREGO 2X12 kg 295.28 13.371.135.0mm kg 5.05 01/01/2008 R$ 477.19 PREGO 2.33 12.18 24.21 bombeamento 11. 181.800.40 R$ 2.1/2X11" kg 416.70 R$ 1.00 R$ 2.77 35. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 11.776.42 16/02/2009 R$ 2. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 12.35 28/09/2009 R$ 28.69 17/02/2009 R$ 1.226.178. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.583.00 R$ 8.99 28/09/2009 R$ 2.3 Cimento Portland sc 1.2 Pedreiro h 321.

2 Pedreiro h 4.27 R$ 9.626.77 TOTAL R$ 226.01 28/09/2009 R$ 982.37 2.37 01/01/2008 R$ 5.11 7.72 TOTAL R$ 72.761.501.08 3.81 15.605.4 Areia m³ 30.27 R$ 29.397.69 29.00 R$ 745.429.934.42 14.16 7.5 Alimentacao vb 695.00 R$ 18.06 5.03 16.18 R$ 49.1 Servente h 2. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 14.45 R$ 333.93 28/09/2009 R$ 6.73% MESTRAMENTO INTERNO % do Custo 15 Un.046.18 28/09/2009 R$ 53.602.1 Servente h 662.1 Servente h 9.74 7.75 R$ 15.53 14.85 28/09/2009 R$ 20.193. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 15.83% CONTRA-PISO % do Custo 14 Un.54 0.152.793.218.46 28/09/2009 R$ 3.80 28/09/2009 R$ 11.527.80 17/02/2009 R$ 115.30 10/08/2009 R$ 16.21 13.00 R$ 102.06 14.80 R$ 1.094.99 2.08 15.248.18 R$ 10.83 R$ 253.94 6.58 24.00 R$ 896.80 27/04/2009 R$ 120.96 780.421. 185.00 R$ 2.13 15.962.00 R$ 5.630.9 Aditivo Plastificante l 4.80 R$ 4.85 15.956.24% REBOCO INTERNO DE PAREDE % do Custo 16 Un.13 2.2 Pedreiro h 1.500.4 Areia m³ 204.3 Cimento Portland sc 121.58 R$ 107.37 15.64 3.69 6.38 0.554.6 Vale Transporte vb 441.935.3 Cimento Portland sc 767.111.00 R$ 2.66 01/01/2008 R$ 1.97 28/09/2009 R$ 151.2 Pedreiro h 19.60 17/02/2009 R$ 836. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 13.508.468.31 28/09/2009 R$ 10.624.00 R$ 882.516.851.7 Tijolo Cerâmico Furado 23x23x11 cm Un.888.02 R$ 21.5 Alimentacao vb 220.05 14.093.396.003.58 5.29 TOTAL R$ 19.732.13 780.74 01/01/2008 R$ 1.951.197.8 BOTAMIX ALVENARIA tambor 0.52 28/09/2009 R$ 32.913.6 Vale Transporte vb 1.98 01/01/2008 R$ 3.7 BOTAMIX ALVENARIA tambor 0.01 15.74 14. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 16.324.351.87 5.18 R$ 3.27 R$ 138.04 28/09/2009 R$ 3.90 29.87 13.38 24.760.71 .

3 Cimento Portland sc 3.55 24.43 5.10 Classic 4 mm Mao de Obra e Materiais Impermeabilizacao Tela de 17.998.ÁREAS MOLHADAS % do Custo 17 Un.95 R$ 3.110.660.696.038.865.549.144.32 11.4 Areia m³ 838.98 63.4 Areia m³ 184.44 01/01/2008 R$ 4.7 Granito 2cm Aplicado m² 143.86 .567.17 03/08/2009 R$ 4.969.11 03/08/2009 R$ 594.32 0.366.00 R$ 16.316.6 Vale Transporte vb 1.07% IMPERMEABILIZAÇÃO .565.465.2 m² 33.637.22 28/09/2009 R$ 41.2 Pedreiro h 5.467.00 R$ 79.14 780.00 R$ 5.40 R$ 6.00 R$ 3.49 6.90 R$ 27.458.65 18.011.324.69 TOTAL R$ 25.18 16.30 01/01/2008 R$ 8.37 130.(Saco = 25kg) sc 22.31% PISOS % do Custo 18 Un.00 R$ 24.488. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 16.5 Cimento Asfáltico NBR III .67 16.27 28/09/2009 R$ 87.558.660.59 18.65 01/01/2008 R$ 27.00 R$ 12.72 7.398.04 TOTAL R$ 326.65 28/09/2009 R$ 18.342.22 4.3 m² 47.66 01/01/2008 R$ 16.91 28/09/2009 R$ 26.07 28/09/2009 R$ 767.32 16.857.269.484.54 6.11 17.3 Cimento Portland sc 685.99 16.203.226.14 11.8 Manta Asfaltica Viapol Classic 4mm m² 388.263.70 R$ 700.098.64 20. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 18.50 R$ 4.68 28/09/2009 R$ 4.20 R$ 1.230.26 03/08/2009 R$ 7.50 14.4 m² 266.00 EL 4mm / Detalhe: CAIXA DÁGUA 17.40 782.5 Alimentacao vb 3.71 01/01/2008 R$ 23.07 18.896.98 18.13 03/08/2009 R$ 1.1 Servente h 3.24 R$ 363.64 18.984.7 Manta Asfaltica Torodin EL 4mm m² 313.82 20.865.71 R$ 6.80 R$ 6.18 R$ 16.55 Poliéster Mao de Obra Impermeabilizacao Manta Asfaltica Torodin 17.50 R$ 542.00 R$ 110.6 Vale Transporte vb 6.935.325.88 R$ 1.23 29.650.51 29.6 Solução Asfáltica Adeflex (Primer) tambor 1.06 EL 4mm Mao de Obra Impermeabilizacao Manta Asfaltica Torodin 17.83 03/08/2009 R$ 7.61 16. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total Mao de Obra Impermeabilizacao Manta Asfaltica Viapol 17.72 2.5 Alimentacao vb 965.44 17.80 R$ 21.609.60 17/02/2009 R$ 124.967.505.932.51 24.83 2.452.1 m² 388.813. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.7 BOTAMIX ALVENARIA tambor 0.00 R$ 18.37 17.34 18.27 R$ 37.33 28/09/2009 R$ 18.65 28/09/2009 R$ 1.70 28/09/2009 R$ 5.

128.61 19.CERAMICA 18.034.13 Ceramica esmaltada m² 55.28 PARA PAREDE ELIANE .45 .461.725.63 28/09/2009 R$ 8.50 01/01/2008 R$ 2.2 Pedreiro h 15.871.27 R$ 11.86 Ceramica esmaltada / Detalhe: 25x33 .498.50 R$ 340.69 12. 857.20 19.922.4 Vale Transporte vb 694.400.FORMA SLIM BRANCO TOTAL R$ 56.18 R$ 7.608.10 ARGAMASSA COLANTE kg 10.43 6.86% REVESTIMENTO CERAMICO DE PAREDE % do Custo 19 Un.820.20 0.80 0.91 17/02/2009 R$ 509.71% SOLEIRAS EM GRANITO % do Custo 20 Un.624.95 1.32 R$ 3.509.12 5.49 28/09/2009 R$ 12.85 R$ 31.50 R$ 386.059.1 Servente h 13.944.05 R$ 1.50 01/04/2009 R$ 775.813.389.CERAMICA 18.10 18.9 ESTOPA gr 189.00 0.46 7.187. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.00 R$ 1.94 28/09/2009 R$ 74.399.00 0.73 18.693.12 Argamassa para Rejuntamento kg 226.749.51 0.35 1.05 0.12 1.73 15.60 R$ 453.76 18.54 R$ 63.1 Servente h 1.07 18.08 TOTAL R$ 145.11 PALHA DE ACO N° 2 Un.60 R$ 514. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 18.50 R$ 691.71 01/01/2008 R$ 1.447.48 47.06 01/04/2009 R$ 21.71 17/02/2009 R$ 577.93 16/02/2009 R$ 3.605.00 R$ 2.973.973.181.97 01/04/2009 R$ 2.202.09 PARA PISO GYOTOKU 18.62 19.74 05/06/2009 R$ 12.2 Pedreiro h 1.971.14 m² 1.74 7. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 20.00 R$ 11.89 1.7 PALHA DE ACO N° 2 Un.9 m² 2.43 01/04/2009 R$ 381.18 R$ 67.80 R$ 2.005 R$ 1. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 19.112.03 01/04/2009 R$ 432.88 01/01/2008 R$ 1.26 19.84 13.060.44 19.61 5.56 18.005 R$ 945.56 19.30 16/02/2009 R$ 1.38 Ceramica esmaltada / Detalhe: 45X45 .50 R$ 18.32 12.18 16/02/2009 R$ 85.85 2.99 01/04/2009 R$ 34.072.42 28/09/2009 R$ 125.38 19.23 PARA PISO GYOTOKU Ceramica esmaltada / Detalhe: 40X40 .6 ARGAMASSA COLANTE kg 238.41 R$ 165.8 Rodape Granito 2cm Aplicado m 1.5 ESTOPA gr 214.32 R$ 76.221.160.15 m² 173. 756.84 0.3 Alimentacao vb 347.27 R$ 114.CERÂMICA 19.8 Argamassa para Rejuntamento kg 257.362.251.64 16/02/2009 R$ 1.708.49 20.16 Porcelanato m² 249.

02 130.90 02/04/2009 R$ 8.712.00 10.3 Cimento Portland sc 3.544.25% LOUÇAS E METAIS % do Custo 22 Un.2 Chuveiro Un.170.32 R$ 41.065.00 R$ 2.983. 175.00 26.740.452. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 22.00 R$ 17.97 16/02/2009 R$ 47.28 .50 01/01/2008 R$ 5.00 01/01/2008 R$ 113.7 ARGAMASSA COLANTE kg 80.00 20/02/2009 R$ 796.07 20.90 TOTAL R$ 20.71 7.00 30.5 Alimentacao vb 58.30 01/01/2008 R$ 28.011.437.6 Vale Transporte vb 116.420.00 R$ 90.37 21.28 22.771.73 20.19 21.00 5.11 17/02/2009 R$ 2.52 22.512.31 0.49 21.324. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 21.77 22.8 BOTAMIX ALVENARIA tambor 0.00 R$ 13.15 0.00 01/01/2008 R$ 256.79 21.93 21.38 R$ 22.038.00 08/06/2009 R$ 5.00 R$ 8.05% BANCADAS EM GRANITO % do Custo 21 Un.1 Servente h 255. 355. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.00 R$ 3.00 R$ 5.18 R$ 1.00 51.0027 780.87 16/02/2009 R$ 29.58 2.62 29.5 Soleira Granito Polido m² 27.00 R$ 3.87 28/09/2009 R$ 19.56 2.58 28/09/2009 R$ 1.81 13.63 130. 9.12 01/01/2008 R$ 16.3 Torneira Para Pia Un.00 R$ 204.20 01/01/2008 R$ 4. 4.99 0.4 Areia m³ 0.10 RODABANCA EM GRANITO m 235.08 24.29 6. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 20.00 R$ 710.85 0.28 6. 172.80 R$ 22.00 R$ 233.17 01/01/2008 R$ 293.18 R$ 1.9 BANCADA EM GRANITO m² 61.80 R$ 396.25 21.95 R$ 4.76 28/09/2009 R$ 1.00 R$ 73.1 Servente h 332.4 Vale Transporte vb 6.01 21.885.06 R$ 4.859.00 2.01 28/09/2009 R$ 2.96 28/09/2009 R$ 81.6 ARGAMASSA COLANTE kg 131.160.719.51 20.5 ENGATE FLEXÍVEL PVC .20 22.32 R$ 25.27 R$ 1.4 Torneira Para Lavatorio 1/2" Un.3 Alimentacao vb 3.39 01/01/2008 R$ 498.30cmx1/2" Un.71 5.52 02/04/2009 R$ 3.708.07 TOTAL R$ 3.11 FURO BANCADA Un.2 Pedreiro h 255.09 21.560.39 21.59 21.

40 03/07/2009 R$ 125. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.45 20/02/2009 R$ 13.6 Parafuso de fixação para lavatório par 5. 175. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 24.70 28/09/2009 R$ 3.002.366.00 03/07/2009 R$ 2.00 61.00 2.29 5.78 19/02/2009 R$ 1.96 22.00 7. 4.997.7 Válvula para Pia Un.44 23.029.855.18 R$ 1.50 PARAFUSO DE FIXAÇÃO) TOTAL R$ 28.18 R$ 2.81 23.71 17/02/2009 R$ 886.83 R$ 32.392.36% FORRO EM PLACAS DE GESSO % do Custo 23 Un.25 22.619.499.13 Encanador h 684.00 28.83 0.9 Sifão para Pia Un.494. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 23. 4.11 Acabamento para Registro Un.49 28/09/2009 R$ 2.62 23.00 R$ 468.44 R$ 2.227.17 0.28 5.16 03/07/2009 R$ 2.8 Válvula para Lavatório Un.58 .84 0.83 R$ 46.380.00 R$ 480.00 03/07/2009 R$ 527.194.44 28/09/2009 R$ 1. 4.10 Sifão para Lavatório Un.204.392.12 CUBA DE ACO INOX Un. 187.634.8 Gesseiro h 585.00 10.60 R$ 114.1 Servente h 439.50 03/07/2009 R$ 11.29 23.57 01/01/2008 R$ 1.18 R$ 3.067.52% CORREÇÃO DE GESSO % do Custo 24 Un.10 R$ 439.3 Vale Transporte vb 234.11 R$ 264.1 Servente h 240.58 23.5 GESSO EM PÓ sc 73.00 11.55 KIT PARA VASO SANITÁRIO (ANEL DE VEDAÇÃO + 22.162.99 TOTAL R$ 41.69 22.57 12.00 66.21 13.199.246.4 FINCAPINO CAL.18 R$ 4.7 ARAME GALVANIZADO ENCAPADO Nº 18 kg 263.28 20/02/2009 R$ 492.013.37 22. 22 ND VM P5 Un.00 R$ 3.968.12 28/09/2009 R$ 4. 4.18 R$ 790.50 16/07/2009 R$ 1.553.43 02/04/2009 R$ 164.00 R$ 951.790.2 Alimentacao vb 117.275. 175.46 19/05/2009 R$ 32.18 R$ 1.63 5.36 22.00 6.84 16/06/2009 R$ 3. 175.54 22.00 120.80 23.66 23.44 03/07/2009 R$ 290. 4.196.71 6.66 R$ 10.10 PLACA DE GESSO 60X60cm Un.9 Fibra para Forro em palcas de gesso kg 29.00 R$ 146.57 22.57 01/01/2008 R$ 589.28 2.002.392. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 22.19 23.428.80 R$ 796. 4.14 Un.256.84 6.68 R$ 1.50 R$ 28.78 23.49 R$ 12.84 0.14 6.6 PINO COM FURO DE 1/4" PARA GESSO Un.

Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 25.80 R$ 744.995.OURO FINO - 24.743.41 17/02/2009 R$ 2.59 01/01/2008 R$ 11.715.33 25.53 01/01/2008 R$ 763.13 TINTA NOVOPISO gl 70.799.863. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 24.068.53 28/09/2009 R$ 2.43 25.13 25.31 24.320.89 92.7 Tinta Acrilica lt 5.341.4 Cal kg 3.20 25.11 Tinta PVA lt 80.891.522.1 Servente h 5.111.01 7.14 MASSA CORRIDA LATEX PVA lt 458.10 Fixador Pintura Cal Globo Fix 150ml l 753.986.269.49 TOTAL R$ 119.51 R$ 10.12% PINTURA % do Custo 25 Un.66 01/01/2008 R$ 5.99 55.79 R$ 4.27 R$ 2.18 R$ 29.77 28.5 Alimentacao vb 1.83 0.322.50 01/01/2008 R$ 720.88 6.24 46.936.43 01/01/2008 R$ 6.00 R$ 2.86 19/03/2009 R$ 2.608.4 Vale Transporte vb 218.00 R$ 5.48 25.463.842.59 25.773.18 TOTAL R$ 9.78 R$ 136.766.32 01/01/2008 R$ 936.5 sc 194.46 6.258.77 28/09/2009 R$ 40.80 R$ 9.3 Alimentacao vb 109.3 Pintor h 5.523.03 01/01/2008 R$ 5.35 28/09/2009 R$ 32.731.09 25.11 R$ 1.37 6.04 01/01/2008 R$ 5.690.649.12 25.44 02/04/2009 R$ 5.76 R$ 572.76 25.07 13.370.53 01/01/2008 R$ 1.6 Vale Transporte vb 2.243.561.53 R$ 606.766.373.013.512.9 Selador Acrilico lt 79.734.00 R$ 437.41 01/01/2008 R$ 369.50 22.381.821.462.18 R$ 36.90 5.15 LIXA PARA MASSA N° 100 fl 7.46 0.92 2. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.29 0.75 105.40 25.82 25.2 Pedreiro h 385.05 R$ 10.45 R$ 2.50 R$ 4.75 0.83 SACO DE PAPEL 24.19 28/09/2009 R$ 4.86 24.83 01/01/2008 R$ 551.57 25.67 R$ 2.6 Gesseiro h 721.04 28/09/2009 R$ 3.93 02/04/2009 R$ 11.8 Fundo Preparador de Paredes lt 15.18 R$ 4.11 25.32 53.71 R$ 4.53% .679.12 Massa Acrilica lt 91.92 25.40 R$ 293.44 1.71 2.2 Aditivo (Bianco) l 86.97 6.30 3.572.65 R$ 5.706.461.09 GESSO EM PO PARA REVESTIMENTO .

Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total PORTAS DE MADEIRA % do Custo 26 Un.00 R$ 0.10 bisn 138.00 R$ 900.10 M Un.885.55 Tubo de espuma de poliuretano / Detalhe: Bisnaga de 26.7 Portas de Madeira / Detalhe: 0.27 R$ 632.00 R$ 54.1 Servente h 364.32 19.6 Vale Transporte vb 39.00 300.FOGO % do Custo 27 Un.20 X 2.66 28/09/2009 R$ 494.11 01/01/2008 R$ 99.00 R$ 2.00 5.00 R$ 10.132. 178.57 27.00 01/01/2008 R$ 67.52 28/09/2009 R$ 2.00 300.2 Pedreiro h 87.8 Alimentacao vb 83.43 TOTAL R$ 11.80 X 2.123.00 R$ 600.02 750 Ml TOTAL R$ 116.00 01/01/2008 R$ 755.35 26. 29.10 M Un. 2.00 01/01/2008 R$ 1. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 27.49 28/09/2009 R$ 693.48 6.68 27.919.6 Portas de Madeira / Detalhe: 0.81 26.249.49 01/01/2008 R$ 169.17 02/04/2009 R$ 3.3 Portas de Madeira / Detalhe: 0.90 X 2.00 27/04/2009 R$ 11. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.00 360.10 M Un.09 27.34 26.00 R$ 9.25 26.41 24.00 7.01 R$ 146.00 01/01/2008 R$ 67.42 R$ 2.60 X 2.37 0.1 Servente h 87.00 5.00 300.5 Alimentacao vb 19.3 Cimento Portland sc 0.9 Vale Transporte vb 165.52 28/09/2009 R$ 2.00 X 2.18 R$ 1.15 01/01/2008 R$ 415.00 R$ 330. 180.80 R$ 567.21 26.78 6.440.00 R$ 79.7 BOTAMIX ALVENARIA tambor 0.49 26.09 R$ 13.4 Portas de Madeira / Detalhe: 1.968.18 1.56 2.176.00 300.466.213.10 M Un.00 R$ 53.00 300.07 2.067.8 PORTA CORTA FOGO Un.4 Areia m³ 0.45 27.10 M Un.0870 29.64% PORTAS CORTA .2 Carpinteiro h 364. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 26.00 6.18 R$ 2.686. 1.52 28/09/2009 R$ 2.18 R$ 450.76 27.08 17/02/2009 R$ 0.15% .00 R$ 300.5 Portas de Madeira / Detalhe: 1.65 01/01/2008 R$ 714.74 28/09/2009 R$ 10.706.10 27.012.0001 780.000.749.400.60 26.28 27.56 26.80 R$ 134.00 01/01/2008 R$ 377. 3.

4 Tubo Soldável 32mm 6m 38.86 13/05/2009 R$ 638.90 13/05/2009 R$ 1.8 Bucha Reducao Curta Soldavel 40x32mm Un.76 .16 Joelho 90 Soldavel 32mm Un.01 29. 175.04 13/05/2009 R$ 20.38 R$ 6.13 5.3 Tubo Soldável 25mm 6m 775.152.00 0.35 13/05/2009 R$ 1.80 R$ 659.00 R$ 100.52 13/05/2009 R$ 0.00 12/06/2009 R$ 344.997.00 5.00 14.00 0.FRIA % do Custo 29 Un.60 20/02/2009 R$ 739. 1.05 R$ 4.00 R$ 454.250. 2. 1.76 13/05/2009 R$ 7.250.83 R$ 2. 49.18 R$ 1.00 12/06/2009 R$ 110.2 Tubo Soldável 20mm 6m 104.06 R$ 525.00 5.60 TOTAL R$ 411.64 29.28 29.17 Joelho 90 Soldavel 40mm Un.52 vr 29.000.15 29.15 Joelho 90 Soldavel 25mm Un.73 vr 29.19 Joelho 90 Soldavel 75mm Un.11 Bucha Reducao Longa Soldavel 32x20mm Un.00 3.03 R$ 157.38 R$ 2.22 28/09/2009 R$ 2.45 R$ 0.44 vr 29.11 R$ 61.156.9 Bucha Reducao Curta Soldavel 50x40mm Un. 2.00 1. 3.20 R$ 233.00 0.14 Joelho 90 Soldavel 20mm Un.09% INSTALAÇÕES DE ÁGUA .00 100.75 27/04/2009 R$ 5.35 29.13 R$ 55.72 13/05/2009 R$ 589.06 29.73 20/02/2009 R$ 176. 17.00 0.00 38.00 0.56 29.00 0.56 R$ 18.00 6.10 R$ 17.15 08/06/2009 R$ 67.257. 32.68 08/06/2009 R$ 19. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO E VIDRO E PELE DE % do Custo 28 Un. 546.51 22/06/2009 R$ 258. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 29. 17.36 13/05/2009 R$ 48.637.77 09/06/2009 R$ 3.23 R$ 1.50 13/05/2009 R$ 2. 7.52 R$ 0.19 R$ 43. 6.00 311.51 29. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado VIDRO Total Materiais e Mao de Obra Colocacao Esquadrias de 28.13 Joelho 45 Soldavel 25mm Un.359. 2.65 29.00 R$ 311.1 vb 1. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.18 Joelho 90 Soldavel 60mm Un.5 Tubo Soldavel 40mm 6m 7.50 21.2 Materiais e Mao de Obra Colocacao Vidros vb 1.00 1.24 29.10 Bucha Reducao Curta Soldavel 60x50mm Un.000.80 29.250.7 Bucha Reducao Curta Soldavel 32x25mm Un.49 13/05/2009 R$ 7.00 0.97 R$ 568.6 Bucha Reducao Curta Soldavel 25x20mm Un.00 0.38 R$ 6.58 29.27 04/06/2009 R$ 61.90 29.58 29.00 6.53 Alumínio 28.00 0.12 Curva 90 Soldavel 50mm Un.1 Servente h 379.963.688.12 vr 29.

1/4" Un.33 Adaptador Soldavel Roscavel Curto 32x1" Un.42 Luva Roscavel 2" Un. 510.24 R$ 39. 4.40 29.26 13/05/2009 R$ 3.26 Te Reducao 90 Soldavel 40x32mm Un.20 R$ 2.44 Nipel Roscavel 3/4" Un.01 29.90 R$ 0.00 1.70 09/06/2009 R$ 164.31 Adaptador Soldavel Roscavel Curto 20x1/2" Un.29 Registro Gaveta Bruto 3/4" Un.70 R$ 38.69 22/06/2009 R$ 123.50 20/02/2009 R$ 279. 5.84 R$ 148. 5.50 01/01/2008 R$ 48.65 29.28 Registro Gaveta Bruto 1/2" Un.05 29.63 29.60 01/01/2008 R$ 82.00 0. 160.00 0.39 29.19 01/01/2008 R$ 2.00 65. 2.00 20/02/2009 R$ 437.64 13/05/2009 R$ 4.08 29.00 3.31 29.06 R$ 2. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.23 Te 90 Soldavel 32mm Un.00 0.30 Registro Gaveta Bruto 1.67 R$ 2.35 Adaptador Soldavel Roscavel Curto 60x2" Un.00 2. 5.79 R$ 2.62 29.059.12 20/02/2009 R$ 2.66 29.00 0. 168.00 0.86 29.47 R$ 40.20 Joelho Reducao 90 Soldavel 25x20mm Un.82 29.32 Adaptador Soldavel Roscavel Curto 25x3/4" Un.94 13/05/2009 R$ 1.36 Adaptador Soldavel Roscavel Curto 75x2.22 R$ 111.80 13/05/2009 R$ 44. 8.90 R$ 249. 1.00 0.39 Luva Reducao Soldavel Roscavel 32x1" Un.00 0.64 29.00 01/01/2008 R$ 90.00 01/01/2008 R$ 60. 160.73 R$ 3. 3. 1.00 0.46 R$ 4. 5.00 0. 9.591.12 29.80 R$ 64.42 .57 29.67 13/05/2009 R$ 4. 6.25 13/05/2009 R$ 45.37 Adaptador Soldavel Roscavel Flange Fixo 32x1" Un.14 R$ 2. 161.43 Nipel Roscavel 1/2" Un.00 12.41 R$ 65. 160.00 0.57 29.46 29.00 2.00 1.97 29. 1.00 7.22 Te 90 Soldavel 25mm Un. 4.40 Luva Roscavel 3/4" Un.00 0. 15.00 0.82 R$ 8.27 Registro Gaveta Bruto 2" Un.90 13/05/2009 R$ 1.15 29.91 13/05/2009 R$ 6.34 Adaptador Soldavel Roscavel Curto 40x1.48 29.24 29.00 0.45 13/05/2009 R$ 9.00 R$ 390.00 4.1/2" Un.00 49.34 22/06/2009 R$ 16.14 14/05/2009 R$ 2. 5.56 29.18 R$ 5.30 R$ 48.38 29.27 R$ 3.92 R$ 15.1/2" Un.00 1. 176.24 Te Reducao 90 Soldavel 25x20mm Un.52 29.00 13/05/2009 R$ 2.00 12. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 29.99 22/06/2009 R$ 3.38 Luva Reducao Soldavel Roscavel 25x3/4" Un.24 R$ 0.41 Luva Roscavel 1" Un.21 Te 90 Soldavel 20mm Un. 3.45 R$ 72.91 R$ 3.00 01/01/2008 R$ 80.14 13/05/2009 R$ 4. 9.25 Te Reducao 90 Soldavel 32x25mm Un.

14 27/07/2009 R$ 765.00 1.65 Un.10 27/07/2009 R$ 134. 1. 5.00 52.90 29.00 13. 1.00 R$ 91.93 R$ 582.048.58 29.00 2.58 ADAPTADOR TRANSICAO PPR 75 X 2 1/2" Un. 13.00 2.1/2" .00 5.41 13/05/2009 R$ 90.63 13/05/2009 R$ 6.87 20/02/2009 R$ 14.03 R$ 235.94 29.1/2" .56 TUBO FERRO GALVANIZADO 3/4" .99 R$ 12.55 ADAPTADOR TRANSICAO PPR 50X1.00 167.1/2" Un.62 JOELHO C/ BUCHA DE LATÃO 20X1/2" Un.80 R$ 137.00 11.81 27/07/2009 R$ 58.00 23.43 29.23 27/07/2009 R$ 639.00 2.04 22/06/2009 R$ 18.49 29. 2.TUPY Un.00 1. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 29.00 27/07/2009 R$ 265.08 29.40 13/05/2009 R$ 8.00 52. 1/2" APOLO vr 1. 4.40 13/05/2009 R$ 264. 11. 2.38 R$ 167.APOLO m 18.47 R$ 7.47 Te 90 Soldavel 40mm Un.53 R$ 2.06 29.06 29.50 Te 90 Soldavel 60mm 4.TUPY Un.320.00 20/02/2009 R$ 134.71 R$ 27.TUPY Un.40 vr 29.57 TUBO PPR PN 25 75 MM X 4 METRO vr 26.49 Bucha Reducao Longa Soldavel 60x40mm 3.00 25.00 R$ 32.48 Curva 90 Soldavel 40mm Un. 34.54 29.45 Nipel Roscavel 1" Un. 7.52 Tubo Soldavel 75mm 6m vr 15. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.00 09/06/2009 R$ 35.69 UNIAO DE FERRO GALVANIZADO 2" .00 8.67 R$ 93. 116. 22.99 29.13 CURVA 90º FERRO GALVANIZADO 2" TIPO FEMEA - 29.70 29. 10.00 25.00 2.51 Tubo Soldavel 60mm 6m 3.61 Joelho 90 soldavel 85 mm Un.80 04/03/2009 R$ 154. 22.37 R$ 80. 4.93 13/05/2009 R$ 106.81 01/01/2008 R$ 227.00 27.81 R$ 52.32 m 29.46 R$ 767.38 27/07/2009 R$ 183.55 R$ 122.00 R$ 650.73 R$ 697.71 16/02/2009 R$ 31.00 46.50 43.60 TEE DE REDUÇÃO 40X25MM Un.65 13/05/2009 R$ 2.00 0.00 20/02/2009 R$ 728.20 29.97 29.53 Tubo Soldavel 50mm 6m vr 7.73 R$ 94.64 TUBO DE FERRO GALVANIZADO 1.02 29.00 137.70 R$ 17.34 27/07/2009 R$ 102.82 R$ 5.55 TUPI 29.59 JOELHO 90° F/F PPR 75 MM Un.15 29.50 67.00 0.54 Tubo Ferro Galvanizado 2.46 Registro Gaveta Bruto 1" Un.APOLO Un.66 LUVA C/ BUCHA DE LATAO 20X1/2" Un.85 29.68 NIPLE DE FERRO GALVANIZADO 1.69 .14 13/05/2009 R$ 860.67 NIPLE DE FERRO GALVANIZADO 2" .00 30.20 29.00 38.00 20/02/2009 R$ 102.58 29. 524.71 01/01/2008 R$ 189.06 R$ 150.67 R$ 1.00 R$ 242.88 29.30 m 29.83 R$ 180.88 01/01/2008 R$ 1.00 R$ 120.63 TUBO DE FERRO GALVANIZADO 2" APOLO vr 1.

4.00 49. 1.88 UNIAO DE FERRO GALVANIZADO 2 1/2" .00 185.00 13/03/2009 R$ 46.51 13/05/2009 R$ 97.58 CURVA 90º FERRO GALVANIZADO 2 1/2" TIPO 29.98 BUCHA DE REDUCAO 3/4 x1/2 DE FERRO 29.24 27/07/2009 R$ 547. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 29.60 29.79 Bucha Reducao Longa Soldavel 60x32mm Un.90 Un.68 29. 8.82 27/07/2009 R$ 6.65 R$ 19.88 27/07/2009 R$ 6.20 R$ 8.00 3.00 27/04/2009 R$ 829.90 R$ 16.1/2" . 32. 2.57 29.00 4.79 R$ 248.1/2X1 DE FERRO 29.16 27/07/2009 R$ 149.85 R$ 13. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un. 1.00 2.23 GALVANIZADO .33 13/05/2009 R$ 2. 4.10 29.88 R$ 5.26 R$ 21.00 27/07/2009 R$ 17.59 TUPY BUCHA DE REDUCAO 1.00 80.89 UNIAO DE FERRO GALVANIZADO 3/4" .36 TEE DE REDUCAO 2X1" DE FERRO GALVANIZADO 29.00 60.92 Un.83 Te 90 Soldavel 85mm Un.91 R$ 5. 1.00 R$ 540.94 JOELHO 90 FERRO GALVANIZADO TUPY 3/4" Un.70 UNIAO DE FERRO GALVANIZADO 1.00 1.TUPY 29.73 13/05/2009 R$ 33. 12. 1.72 Registro Gaveta Bruto 3 Un. 4.61 29.82 Adaptador Soldavel Roscavel Curto 85x3 Un.75 BUCHA DE REDUCAO SOLDAVEL 40X25MM Un.85 Un. 11. 1.TUPY 29.77 Uniao Soldavel 85mm Un.00 R$ 740.46 GALVANIZADO .77 29.TUPY Un.10 R$ 56.00 88.00 R$ 960.00 5. 5.00 38.00 16.01 GALVANIZADO .00 R$ 16.85 13/05/2009 R$ 15.85 FEMEA .054.73 MANOMETRO Un.10 R$ 348.00 27/07/2009 R$ 1.92 09/03/2009 R$ 45.50 R$ 307. 8.00 20/02/2009 R$ 605.93 Un.94 13/05/2009 R$ 279.00 R$ 418.30 09/03/2009 R$ 389.1/4X3/4" DE FERRO 29.04 R$ 136.74 29.00 116.96 29. 2.26 27/07/2009 R$ 23.25 BUCHA DE REDUCAO 1.00 27/07/2009 R$ 459.00 0.57 R$ 498.83 27/07/2009 R$ 2. 1.TUPY Un.74 05/05/2009 R$ 298.TUPY 29.00 15.39 .33 R$ 2.35 29.74 TUBO PPR 63 MM X 4 METRO vr 9.78 Uniao Soldavel 60mm Un. 2. 44.62 29.91 TEE DE FERRO GALVANIZADO DE 2" TUPY Un.00 34.TUPY Un.72 R$ 29.77 29.00 R$ 42.83 R$ 1.65 27/07/2009 R$ 21.63 R$ 86.TUPY Un.00 7.00 16.40 27/07/2009 R$ 9.00 21.00 13.00 19.00 2.58 R$ 265.76 Te 90 Soldavel 75mm Un.TUPY 29.87 NIPLE DE FERRO GALVANIZADO 2 1/2" .90 13/05/2009 R$ 18. 5.86 Te Reducao 90 Soldavel 50x40mm Un.54 29. 3. 1.00 61.25 29.41 29.80 TE 90° FERRO GALVANIZADO TUPY 2 1/2" Un.77 13/05/2009 R$ 63.50 27/07/2009 R$ 337.71 Un.04 29.84 ADAPTADOR TRANSICAO PPR 63X2 Un.93 R$ 40.00 21.00 21.81 Tubo Soldavel 85mm 6m vr 3. 1.

1/2 Un.114 BASE PARA REGISTRO DE GAVETA 3/4 Un.40 R$ 12.102 NIPLE DE FERRO GALVANIZADO 3/4 .97 JOELHO 90° F/F PPR 63 MM Un.TUPY Un.60 R$ 4.00 34.41 16/04/2009 R$ 26.24 GALVANIZADO .00 48.1/2 Un.00 913.88 GALVANIZADO .578.40 29.80 07/07/2009 R$ 1.00 6.30 08/07/2009 R$ 883.67 29.00 11/08/2009 R$ 283.00 14.176.00 304.25 .34 R$ 2. 5.22 29.1/2 Un.670.00 1. 1.396.56 16/04/2009 R$ 146.118 VALVULA REDUTORA DE PRESSAO 1.00 24.761. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 29.65 22/06/2009 R$ 387.115 Un.28 R$ 130.92 R$ 3. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.82 29.10 R$ 628.99 24/04/2009 R$ 49.41 R$ 23.25 29.00 70.68 11/08/2009 R$ 2.84 27/07/2009 R$ 4.62 TEE DE REDUCAO 1.67 29.00 402. 5.TUPY 29.00 1. 4.00 BUCHA DE REDUCAO 1.117 Un.1/2" Un.035.113 HIDROMETRO 1" Un.u Un.TUPY 29.85 29.88 29.00 R$ 312.80 29.00 23. 175. 4.13 R$ 350. 1.00 314.99 R$ 43.00 20/02/2009 R$ 349.00 7.104 VALVULA DE RETENCAO VERTICAL 2.98 16/04/2009 R$ 1.024.116 TEE DE FERRO GALVANIZADO DE 1 1/2 . 2.74 13/05/2009 R$ 35.1/2X1. 1.352.107 Uniao Soldavel 75mm Un.53 27/07/2009 R$ 3.100 Un.04 R$ 70.81 .22 MODELO: MA-754 - CURVA 45º FERRO GALVANIZADO 2 1/2 TIPO FEMEA 29.00 R$ 259.67 29.103 VALVULA DE PE DE CRIVO 2.36 13/05/2009 R$ 11.00 259.TUPY Un.20 16/04/2009 R$ 704.30 28/09/2009 R$ 7.110 BASE PARA REGISTRO DE PRESSÃO 1/2' Un.TUPY 29.05 R$ 12. 2.20 24/06/2009 R$ 77. 2.96 Adaptador Soldavel Roscavel Flange Fixo 85x3 Un.1/4X 1" DE FERRO 29. 1.00 14.111 Encanador h 1.00 2.40 29.00 43.106 FILTRO DE ENCANAMENTO 2" Un. 1.00 07/07/2009 R$ 2. 1.53 R$ 3.TUPY .05 08/07/2009 R$ 13.217. 5.012.112 Luva Roscavel 2.TUPY TEE DE REDUCAO 2.18 R$ 6.23 GALVANIZADO .15 27/07/2009 R$ 112.00 3.105 VALVULA DE ALÍVIO (BERMAD) 2 Un. 2.99 Un.00 37. 2.00 3.33 29.93 R$ 31.1/4 DE FERRO 29.520.98 Un. 2.00 12. 3.60 06/07/2009 R$ 7.119 FILTRO DE ENCANAMENTO 1.1/2X 3/4 DE FERRO 29.40 08/07/2009 R$ 13.98 R$ 913. 2. 13.95 29. 1.36 R$ 2.85 R$ 48.62 29.108 VALVULA REDUTORA DE PRESSÃO 2" Un.00 12.46 08/07/2009 R$ 81.23 R$ 74.435.59 R$ 10.101 TEE 45º DE FERRO GALVANIZADO DE 2 1/2 .92 29.20 08/04/2009 R$ 4.15 29.1/2 Un.85 27/07/2009 R$ 53.00 65.15 R$ 804. 2.95 Registro Gaveta Bruto 2. 1.05 R$ 102.513.16 R$ 1.00 2.109 TE SOLDAVEL C/ BUCHA DE LATAO 25X1/2" Un.60 BOMBA HIDRAULICA / Detalhe: MARCA KSB/ 29.973.30 R$ 6. 1/2 Un.

97 30.00 0.11 Curva 90 Curta Esgoto 50mm Un.462.6 Tubo Esgoto 6m 40mm / Detalhe: Tipo : Ponta e Bolsa 67. 271.4 Tubo Esgoto 6m 150mm / Detalhe: Tipo: Leve 12.14 Joelho 45 Esgoto 40mm Un.748.44 TOTAL R$ 60.34 08/07/2009 R$ 112.70 R$ 759.06 . Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 29.124 Bucha Reducao Curta Soldavel 85x75 mm Un.09 01/01/2008 R$ 552. 1/2 X 2 DE FERRO 29.21 R$ 15.704.00 6.85 30.232.084.40 01/01/2008 R$ 1.38 30.122 Un.08 30.05 01/01/2008 R$ 2.69 R$ 236.00 99.00 7.83 GALVANIZADO TUPY TEE DE REDUCAO 1.10 27/07/2009 R$ 74.73 R$ 5.00 3.123 Un.85 R$ 1.9 Tubo Esgoto 6m 100mm / Detalhe: Tipo: Virola 112.00 5. 2. 1/2 X 1.5 Tubo Esgoto 6m 200mm / Detalhe: Tipo: Leve 35.75% INSTALAÇÕES DE ESGOTO % do Custo 30 Un.440.53 R$ 67.17 R$ 102.8 Tubo Esgoto 6m 75mm / Detalhe: Tipo: Virola 61.97 vr 30.99 m 30.35 R$ 1.67 vr 30.551.014.66 27/07/2009 R$ 79.86 30.31 R$ 39.04 20/02/2009 R$ 1.126 Adaptador Soldavel Roscavel Flange Fixo 75x2.57 20/02/2009 R$ 3.121 Un.00 34. 2.00 36. 1.50 01/01/2008 R$ 955.20 R$ 1. 2.00 0.20 23.30 19.873.05 29.um 29. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 30.33 R$ 72.10 08/06/2009 R$ 7. 1.76 R$ 15.09 TEE DE REDUCAO 2.559.144.55 R$ 7. 9.00 4.54 R$ 348. 2.125 Bucha Reducao Longa Soldavel 85x60mm Un.58 28/09/2009 R$ 1.73 08/06/2009 R$ 385.00 51.15 R$ 50. 4.10 5.76 30.1/2" Un. 160.13 Curva 90 Curta Esgoto 100mm Un.00 2.28 20/02/2009 R$ 264.21 R$ 3.3 Joelho 45 Soldavel 60mm Un.83 30.31 08/07/2009 R$ 43.19 GALVANIZADO .85 R$ 103.00 0.25 28.00 vr 30.12 Curva 90 Curta Esgoto 75mm Un.639.28 01/01/2008 R$ 33.09 08/06/2009 R$ 114.TUPY .00 21. 7.69 R$ 439.10 Anel de Borracha Esgoto 50mm Un. 2.18 R$ 1.82 GALVANIZADO TUPY TEE DE REDUCAO 2.92 R$ 26.120 HIDROMETRO 3/4 Un. 122.29 R$ 1.00 39.30 23.33 0.1/4 DE FERRO 29.1 Servente h 217. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.05 01/01/2008 R$ 63.50 vr 30.71 30.73 08/07/2009 R$ 6. 647.1/2X 1.1/2 DE FERRO 29.00 7.91 R$ 319.7 Tubo Esgoto 6m 50mm / Detalhe: Tipo: Virola 22.60 08/07/2009 R$ 17.15 Joelho 45 Esgoto 50mm Un.00 19.67 vr 30.124.52 08/07/2009 R$ 17.2 Bucha Reducao Curta Soldavel 75x60mm Un.30 29.166.05 R$ 68.00 20/02/2009 R$ 1. 65.15 01/01/2008 R$ 401.

34 01/01/2008 R$ 4.73 R$ 1.28 08/06/2009 R$ 4. 84.00 3.64 30.24 Juncao Simples Esgoto 100x100mm Un.87 R$ 1.20 30.00 5. 1.00 2.29 Reducao Excentrica Esgoto 150x100mm Un. 6.38 Un.49 30. 2.90 30.00 4.27 13/05/2009 R$ 12.49 30.642.21 30.40 Adaptador Soldavel Roscavel Curto 60x2" Un.02 02/04/2009 R$ 4.00 7.52 01/01/2008 R$ 267. 384.22 Juncao Simples Esgoto 50x50mm Un.57 30.00 2. 10.45 30.34 Te 90 Curto Esgoto 100x100mm Un.22 30.24 30.67 30.50 30.30 Reducao Excentrica Esgoto 75x50mm Un.00 4.23 Juncao Simples Esgoto 75x75mm Un.34 R$ 3.60 R$ 103. 15.53 R$ 91.00 19.26 Juncao Simples Reducao Esgoto 100x50mm Un.00 6.25 Juncao Simples Reducao Esgoto 75x50mm Un. 9.841. 9.20 01/01/2008 R$ 1. 15.048.00 4.325.51 30.00 9.75 01/01/2008 R$ 91. 22.20 30.00 2.52 R$ 75.00 2.16 Joelho 45 Esgoto 75mm Un.20 Joelho 90 Esgoto 100mm Un.00 2.00 7.668.66 01/01/2008 R$ 56.00 2.48 R$ 630.00 0.28 Juncao Simples Reducao Esgoto 150x100mm Un.68 01/01/2008 R$ 1.89 R$ 238.49 30.14 R$ 4.00 5.66 R$ 1. 2.01 R$ 4.00 20/02/2009 R$ 145.22 30.10 01/01/2008 R$ 89.11 R$ 14.42 30.35 Te Reducao 90 Curto Esgoto 100x75mm Un.08 R$ 4.90 30.53 R$ 212. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.00 9.37 Registro Gaveta Bruto 2" Un.31 Reducao Excentrica Esgoto 100x50mm Un.19 Joelho 90 Esgoto 75mm Un.06 R$ 900. 172. 2. 144.91 01/01/2008 R$ 1.32 Reducao Excentrica Esgoto 100x75mm Un. 36.36 Te Reducao 90 Curto Esgoto 150x100mm Un. 170.375. 178.17 Joelho 45 Esgoto 100mm Un.82 R$ 11.00 2.60 02/04/2009 R$ 24.74 30. 4.21 Joelho 90 Esgoto 40mm Un.10 01/01/2008 R$ 89. 2.77 com grelha e porta grelha de PVC 30.40 R$ 21.68 01/01/2008 R$ 300.133. 2.27 Juncao Simples Reducao Esgoto 100x75mm Un.00 65.90 R$ 71. 115. 12.22 01/01/2008 R$ 17.00 0.48 30.20 01/01/2008 R$ 129.18 Joelho 90 Esgoto 50mm Un.80 Caixa Sifonada 150x150x50mm PVC / Detalhe: montada 30.85 R$ 72.319.08 01/01/2008 R$ 114. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 30. 1.67 R$ 4.00 7.33 Te 90 Curto Esgoto 75x75mm Un.64 .03 R$ 44.00 R$ 130.20 09/06/2009 R$ 83.02 08/06/2009 R$ 4.55 R$ 1.35 R$ 4.16 01/01/2008 R$ 5.32 01/01/2008 R$ 1.35 01/01/2008 R$ 5. 193.93 30.74 R$ 71.00 2.39 Caixa Sifonada 150x150x50mm PVC Un.20 01/01/2008 R$ 793.89 30.730.20 20/02/2009 R$ 1.00 2.

00 25.55 R$ 910.65 TUBO PVC ROSCAVEL 2" 1.011.61 R$ 179. 7.50 12/03/2009 R$ 11.72 01/01/2008 R$ 650.12 R$ 24.53 13/05/2009 R$ 7. 3.54 Juncao Simples Esgoto 200x200mm Un.21 12/03/2009 R$ 57.18 R$ 4. 6.00 16.00 8. 1.83 30.64 Encanador h 649.32 30.90 R$ 67.46 R$ 251. 3.68 17/03/2009 R$ 66.07 R$ 295.84 R$ 38.60 .51 Un.24 30.49 Joelho 45 Esgoto SR 75mm Un.46 Joelho 45 Esgoto 200mm Un.44 30.99 30.00 43.00 0.398.53 Reducao Excentrica Esgoto 200x150mm Un.25 R$ 198.52 Te de Inspecao Esgoto SR 150X100 Un.00 20.75 13/03/2009 R$ 222.73 30.00 17.25 R$ 10.55 R$ 744.33 30. 6.84 R$ 59.63 Te 90 Esgoto 200x200mm Un.75 12/03/2009 R$ 833. 2. 2.94 R$ 71.29 R$ 56.27 12/03/2009 R$ 200.68 R$ 8.36 15/04/2009 R$ 22.86 20/02/2009 R$ 7.00 3.45 CAP ESGOTO 150MM Un.89 R$ 47.00 14. 1.00 11.69 vr 30.28 Joelho 45 Esgoto SR 100mm 30.20 30.00 5.41 Luva Roscavel 2" Un.28 12/03/2009 R$ 79.00 12.47 Joelho 45 Esgoto 150mm Un.61 JOELHO 90 BR C/ ANEL LABIAL DN40X38 Un.04 12/03/2009 R$ 8. 45.51 30.47 16/04/2009 R$ 331.30 R$ 547. 172.40 R$ 7. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.08 30.00 3.50 21/05/2009 R$ 25.56 17/03/2009 R$ 53.27 R$ 6.38 30.08 vr 30.57 Joelho 45 Esgoto SR 150mm Un.06 R$ 516.00 67.06 17/03/2009 R$ 4.31 30. 2.018.54 30.74 Caixa Sifonada 150x185x75mm PVC / Detalhe: C/ 30.00 28.80 16/04/2009 R$ 614. 7.59 CURVA 87° 30 ESGOTO SR 100MM Un.00 1.00 4.48 Un.52 12/03/2009 R$ 43.00 66.06 R$ 4.44 CAP ESGOTO 100MM Un. 3.58 15/04/2009 R$ 63.40 21/05/2009 R$ 8. 1.44 28/09/2009 R$ 4.00 16.98 R$ 6.43 Tubo Soldavel 60mm 6m 12.50 Un.07 R$ 51.75 R$ 22.25 12/03/2009 R$ 1.00 5.25 30.36 16/04/2009 R$ 27.00 2.00 91.60 CURVA 87° 30 ESGOTO SR 150MM Un.58 CURVA 87° 30 ESGOTO SR 75MM Un.12 PORTA GRELHA E GRELHA Caixa Sifonada 150x185x75mm PVC / Detalhe: 30.10 6. 12.30 30. 21.62 Nipel Roscavel 2" Un.36 R$ 20. 55.75 30.90 13/07/2009 R$ 74.01 montada com grelha e porta grelha de Ferro 30. 3.00 7.55 Te de Inspecao Simples 100x75mm Un.42 Curva 90 Soldavel 60mm Un. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 30.12 11/05/2009 R$ 281.30 30. 4.56 Te 90 Curto Esgoto 150x150mm Un.00 29.70 30. 2. 3.

97 R$ 1.498.25 30.78 Un.71 R$ 775.69 JUNÇÃO 45 ROSCAVEL 2" Un.00 0.5mm2 / Detalhe: Tensão 750 v .52 R$ 8.5mm2 / Detalhe: Cabo Isolado Branco- 31.00 TOTAL R$ 33.74 JUNCAO SIMPLES DE REDUCAO SR 150X100MM Un.685.590.82 26/02/2009 R$ 30.07 R$ 40.50 Caixa em Alvenaria e Reboco .459.14 30.78 R$ 55. 2.6 m 77.3 Caixa Embutir PVC 4x2 Un.795.700.300.00 142.39 R$ 779.914.00 R$ 42.Cabo 31.015.524.45 13/07/2009 R$ 45.00 13.52 0.100.64 13/07/2009 R$ 129.20 R$ 35. 1.68 JOELHO 45 ROSCAVEL 2" Un.00 0.52 26/02/2009 R$ 3.14 28/09/2009 R$ 10.56 13/07/2009 R$ 44.48 26/02/2009 R$ 20.43% INSTALAÇÕES ELÉTRICAS % do Custo 31 Un.00 101.50 13/07/2009 R$ 44.5mm2 / Detalhe: Tensão 750 v .203.35 R$ 8.53 FlexívelPreto Cabo Isolado 2.54 30.25 R$ 40.43 31.72 Tubo Esgoto SR 75MM vr 4. 2. 768.71 Tubo Esgoto SR 100MM vr 16.04 30.90 R$ 1.00 13/07/2009 R$ 46.25 47. 1.35 R$ 18.354.8 m 25.00 5.66 UNIAO ROSCAVEL 2" Un.80x0.Cabo 31.56 30.836.56 30.00 20.70 VALVULA DE RETENCAO HORIZONTAL 2 Un.998.Cabo 31.76 TE DE INSPEÇÃO SR 100X75MM Un. 1.5 m 14.195.20 13/07/2009 R$ 38.00 13/07/2009 R$ 35.56 13/07/2009 R$ 61.800.00 0.00 13/07/2009 R$ 75.1 Servente h 1.00 186.5mm2 / Detalhe: Tensão 750 v .50 13/07/2009 R$ 156.33 30.66 26/02/2009 R$ 9.119.000.00 0.29 13/07/2009 R$ 851.120.00 35.73 Tubo Esgoto SR 150MM vr 10.00 1. 5.67 JOELHO 90 ROSCAVEL 2" Un.Esgoto e Drenagem - 30.7 m 52.16 30.84 R$ 3.00 27. 8.20 5.550.18 R$ 9.80x1.92 31.41 R$ 117.756.15 flexível .81 30.50 R$ 142.9 m 17.44 0.33 01/01/2008 R$ 980.00 42.00 R$ 32. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.76 R$ 38.699.978.67 30.00 32. 1.36 R$ 3.77 JUNCAO SIMPLES SR 100X100MM Un.335.00 0.67 31.2 Eletroduto Corrugado 3/4" m 3.930.299.45 R$ 41.80 R$ 69.75 JUNCAO SIMPLES SR 150X150MM Un.41 Flexível Azul Cabo Isolado 2. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 31.20 01/01/2008 R$ 1.00 29.795.70 13/07/2009 R$ 1.484.87 Flexível Verde Cabo Isolado 4mm2 / Detalhe: Preto -Tensão 750 v - 31. 1. 1.00 41.80 26/02/2009 R$ 9.Flexível Cabo Isolado 2.80 30.61 750 v .48 28/07/2009 R$ 3.35 R$ 26.00 0.00 0.019.66 Cabo Isolado 1. 18.4 Caixa Embutir PVC 4x4 Quadrada Un.21 R$ 3. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 30.60 01/01/2008 R$ 3.

12 m 4.Cabo 31.056.65 R$ 942.31 Luva Eletroduto Roscavel 3/4" Un.55 31.23 R$ 4.02 flexível Cabo Isolado 4mm2 / Detalhe: Verde -Tensão 750 v - 31.400.77 31.Cabo 31.693.545.04 R$ 1.Cor azul - 31.00 2.06 R$ 1.27 .29 Curva 90 Eletroduto Roscavel 1" Un.472.21 m 450.04 R$ 571.11 m 400.378.935.290.1/2" Un.36 R$ 2.16 26/02/2009 R$ 823.12 01/01/2008 R$ 3.Cabo 31.26 Flexível Verde Cabo Isolado 10mm2 / Detalhe: Tensão 750 v .33 Curva 90 Eletroduto Roscavel 1/2" Un.19 m 840. 20.14 m 400.86 31.78 R$ 469.35 26/02/2009 R$ 1.10 m 1. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.00 2.18 m 280.00 0.21 01/01/2008 R$ 1.94 31.26 Fita Isolante / Detalhe: COMUM 19MM .04 26/02/2009 R$ 980.470.12 31.183.01 26/02/2009 R$ 1.50 01/01/2008 R$ 157.73 Flexível Preto Cabo Isolado 10mm2 / Detalhe: Tensão 750 v .300.15 R$ 43.13 m 600.34 Curva 90 Eletroduto Roscavel 3/4" Un.52 R$ 209.39 Flexível verde Cabo Isolado 25mm2 / Detalhe: Tensão 750 v .15 R$ 874.04 R$ 571. 764. 1.14 26/02/2009 R$ 526.Cabo 31.15 Flexível Verde Cabo Isolado 6mm2 / Detalhe: Tensão 750 v .00 2.24 Interruptor Externo 2 Teclas Un.80 01/01/2008 R$ 160.Cabo 31.00 0.10 01/01/2008 R$ 5. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total Cabo Isolado 4mm2 / Detalhe: Azul -Tensão 750 v - 31.85 Flexível Verde Cabo Isolado 35mm2 / Detalhe: Tensão 750 v .00 3. 1. 25.00 1.00 2.16 m 645.77 R$ 1.00 01/01/2008 R$ 54.40 Flexível Preto Cabo Isolado 16mm2 / Detalhe: Tensão 750V .00 1.629.00 0.20 M m 668. 3.Cabo 31.00 1.00 1.93 31.76 01/01/2008 R$ 264.23 Conector Split-Bolt / Detalhe: 50 mm² Un.76 04/08/2009 R$ 342.20 m 280.28 01/01/2008 R$ 5.97 R$ 4.678.29 R$ 471.Cabo 31.511.74 01/01/2008 R$ 593.95 R$ 2.636. 570.04 Flexível Preto 31.00 2. 60.25 Interruptor Universal 1 Tecla Un.185.28 Curva 90 Eletroduto Roscavel 1.38 flexível Cabo Isolado 4mm2 / Detalhe: Amarelo -Tensão 750 v - 31.60 20/02/2009 R$ 3.Cabo 31.04 26/02/2009 R$ 980.15 m 645.52 R$ 734.10 R$ 4.30 01/01/2008 R$ 5.Cabo 31.70 Flexível Cabo Isolado 16mm2 / Detalhe: Tensão 750 v .02 R$ 125.101.10 26/02/2009 R$ 6.38 01/01/2008 R$ 626.00 1.300.00 0. 206.27 Fita Isolante / Detalhe: ALTA FUSÃO 19MM .36 R$ 874.00 1.00 5.00 1.36 R$ 874.00 2.00 01/01/2008 R$ 718.327.52 R$ 2. 2.30 Curva 90 Eletroduto Roscavel 1.521.200.04 31.16 31.1/4" Un.16 31.00 0.00 26/02/2009 R$ 640.020.00 4.00 4.13 R$ 127.47 R$ 497.00 1.713.70 20/02/2009 R$ 1.192.25 R$ 5.00 0.32 Luva Eletroduto Roscavel 1" Un.202.18 Flexível Preto Cabo Isolado 16mm2 / Detalhe: Tensão 750 v .07 31.17 m 1.48 26/02/2009 R$ 2.622.10 M m 208.22 m 1.13 flexível Cabo Isolado 6mm2 / Detalhe: Tensão 750 v .78 01/01/2008 R$ 1.921.00 12.26 Flexível Azul Cabo Isolado 10mm2 / Detalhe: Tensão 750 v .78 R$ 312.96 31.

ORÇAMENTO ANALÍTICO

% do Custo
ITEM DISCRIMINAÇÃO Un. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado
Total
31.35 Luva Eletroduto Roscavel 1.1/4" Un. 624,00 0,76 R$ 476,74 01/01/2008 R$ 600,06

31.36 Luva Eletroduto Roscavel 1.1/2" Un. 12,00 0,94 R$ 11,32 01/01/2008 R$ 14,25

31.37 CAIXA OCTOGONAL 4X4" Un. 987,00 1,88 R$ 1.855,56 17/02/2009 R$ 2.081,05

31.38 ARAME GALVANIZADO ENCAPADO Nº 18 kg 153,00 12,00 R$ 1.836,00 16/06/2009 R$ 2.031,31
QUADRO PARA 12 DISJUNTORES COM
31.39 Un. 44,00 212,84 R$ 9.364,96 27/02/2009 R$ 10.503,02
BARRAMENTO / Detalhe
QUADRO PARA 12 DISJUNTORES COM
31.40 Un. 1,00 209,52 R$ 209,52 27/02/2009 R$ 234,98
BARRAMENTO / Detalhe
QUADRO PARA 12 DISJUNTORES COM
31.41 Un. 1,00 224,54 R$ 224,54 27/02/2009 R$ 251,83
BARRAMENTO / Detalhe
QUADRO PARA 12 DISJUNTORES COM
31.42 Un. 112,00 212,74 R$ 23.826,88 27/02/2009 R$ 26.722,39
BARRAMENTO / Detalhe
QUADRO PARA 12 DISJUNTORES COM
31.43 Un. 4,00 206,76 R$ 827,04 27/02/2009 R$ 927,54
BARRAMENTO / Detalhe
QUADRO PARA 12 DISJUNTORES COM
31.44 Un. 4,00 203,77 R$ 815,08 27/02/2009 R$ 914,13
BARRAMENTO / Detalhe
QUADRO PARA 12 DISJUNTORES COM
31.45 Un. 2,00 216,06 R$ 432,12 27/02/2009 R$ 484,63
BARRAMENTO / Detalhe
QUADRO PARA 12 DISJUNTORES COM
31.46 Un. 1,00 203,54 R$ 203,54 27/02/2009 R$ 228,27
BARRAMENTO / Detalhe
QUADRO PARA 24 DISJUNTORES COM
31.47 Un. 1,00 320,22 R$ 320,22 27/02/2009 R$ 359,13
BARRAMENTO / Detalhe: COM BARRAMENTO
QUADRO PARA 24 DISJUNTORES COM
31.48 Un. 1,00 297,47 R$ 297,47 27/02/2009 R$ 333,62
BARRAMENTO / Detalhe: COM BARRAMENTO
QUADRO PARA 24 DISJUNTORES COM
31.49 Un. 1,00 282,84 R$ 282,84 27/02/2009 R$ 317,21
BARRAMENTO / Detalhe: COM BARRAMENTO
31.50 Eletroduto Roscavel 3m 1.1/4" vr 624,00 6,56 R$ 4.095,31 18/03/2009 R$ 4.580,62

31.51 Eletroduto Roscavel 3m 3/4" vr 3.780,00 3,23 R$ 12.198,06 18/03/2009 R$ 13.643,57

31.52 Interruptor Three Way - 1 Tecla Un. 90,00 3,00 R$ 270,00 23/03/2009 R$ 302,00

31.53 Eletroduto Roscavel 3m 1 " vr 1.104,00 9,01 R$ 9.947,04 06/05/2009 R$ 11.158,14

31.54 TOMADA UNIVERSAL / Detalhe: 2 POLOS - 4X2 Un. 3,00 2,50 R$ 7,50 14/05/2009 R$ 8,41
TOMADA UNIVERSAL / Detalhe: 2P+T - 4X2 - Linha
31.55 Un. 1.752,00 1,32 R$ 2.312,64 14/05/2009 R$ 2.594,22
Lux2
QUADRO PARA 32 DISJUNTORES COM
31.56 Un. 1,00 326,28 R$ 326,28 08/06/2009 R$ 360,99
BARRAMENTO / Detalhe
QUADRO PARA 18 DISJUNTORES COM
31.57 Un. 1,00 203,54 R$ 203,54 08/06/2009 R$ 225,19
BARRAMENTO / Detalhe
QUADRO PARA 18 DISJUNTORES COM
31.58 Un. 1,00 209,52 R$ 209,52 08/06/2009 R$ 231,81
BARRAMENTO / Detalhe
31.59 BUCHA E ARRUELA 3/4 par 510,00 0,63 R$ 321,30 23/07/2009 R$ 353,01

ORÇAMENTO ANALÍTICO

% do Custo
ITEM DISCRIMINAÇÃO Un. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado
Total
31.60 BUCHA E ARRUELA 1" par 205,00 0,93 R$ 190,65 23/07/2009 R$ 209,46

31.61 BUCHA E ARRUELA 3" par 12,00 4,31 R$ 51,72 23/07/2009 R$ 56,82

31.62 CHAVE BÓIA ELÉTRICA Un. 8,00 68,00 R$ 544,00 23/07/2009 R$ 597,68

31.63 BUCHA E ARRUELA 1/2 par 365,00 0,50 R$ 182,50 23/07/2009 R$ 200,51

31.64 BUCHA E ARRUELA 1.1/2 par 7,00 1,45 R$ 10,15 23/07/2009 R$ 11,15

31.65 BUCHA E ARRUELA 1.1/4 par 120,00 1,43 R$ 171,60 23/07/2009 R$ 188,53

31.66 INTERRUPTOR TIPO SENSOR DE PRESENÇA Un. 2,00 3,97 R$ 7,94 23/07/2009 R$ 8,72

31.67 CHAVE BLINDADA 3P-16A / Detalhe: C/ 3NH-100A Un. 2,00 293,25 R$ 586,50 23/07/2009 R$ 644,38
CAIXA DE FERRO 15x15x8cm DE EMBUTIR COM
31.68 Un. 25,00 8,60 R$ 215,00 23/07/2009 R$ 236,22
TAMPA
31.69 ABRAÇADEIRA PLÁSTICA 30 cm Un. 2.000,00 0,35 R$ 700,00 24/07/2009 R$ 769,08

31.70 CANTONEIRA TIPO U Un. 25,00 3,25 R$ 81,25 24/07/2009 R$ 89,27

31.71 Eletricista h 1.477,60 6,18 R$ 9.131,57 28/09/2009 R$ 10.011,71
CAIXA DE EMBUTIR PARA QUADRO DE
31.72 Un. 1,00 11,67 R$ 11,67 05/08/2009 R$ 12,79
DISTRIBUIÇÃO / Detalhe: QUADRO 18 DISJUNTORES -
CAIXA DE EMBUTIR PARA QUADRO DE
31.73 Un. 1,00 49,98 R$ 49,98 05/08/2009 R$ 54,77
DISTRIBUIÇÃO / Detalhe: QUADRO 32 DISJUNTORES -
CAIXA DE EMBUTIR PARA QUADRO DE
31.74 Un. 3,00 21,91 R$ 65,73 05/08/2009 R$ 72,03
DISTRIBUIÇÃO / Detalhe: QUADRO 24 DISJUNTORES -
CAIXA DE EMBUTIR PARA QUADRO DE
31.75 Un. 169,00 11,67 R$ 1.972,23 05/08/2009 R$ 2.161,24
DISTRIBUIÇÃO / Detalhe: QUADRO 12 DISJUNTORES-
TOTAL R$ 199.366,41 R$ 225.822,33 2,53%

SPDA % do Custo
32 Un. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado
Total
32.1 Servente h 24,00 5,18 R$ 124,32 28/09/2009 R$ 136,30

32.2 Cabo de Cobre NU 50mm2 m 90,00 14,18 R$ 1.276,20 01/01/2008 R$ 1.606,32

32.3 Cabo de Cobre NU 35mm2 m 350,00 9,93 R$ 3.475,50 01/01/2008 R$ 4.374,53

32.4 Captor Franklin / Detalhe: 300 mm com duas descidas Un. 1,00 71,42 R$ 71,42 01/01/2008 R$ 89,89

32.5 Sinalizador de Obstaculos Un. 1,00 59,81 R$ 59,81 01/01/2008 R$ 75,28

32.6 Conector Split-Bolt / Detalhe: 50 mm² Un. 10,00 5,02 R$ 50,20 01/01/2008 R$ 63,19

ORÇAMENTO ANALÍTICO

% do Custo
ITEM DISCRIMINAÇÃO Un. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado
Total
32.7 Conector Split-Bolt / Detalhe: 35 mm² Un. 10,00 4,09 R$ 40,90 01/01/2008 R$ 51,48

32.8 Haste Terra 2,40 m 9,00 17,10 R$ 153,90 01/01/2008 R$ 193,71

32.9 AÇO CA25 LISO 16MM kg 950,00 5,56 R$ 5.282,00 17/02/2009 R$ 5.923,88

32.10 TUBO ELETRODUTO ROSC 1" X 3 METROS vr 2,00 5,47 R$ 10,94 27/02/2009 R$ 12,27

32.11 BUCHA E ARRUELA 1" par 4,00 0,93 R$ 3,72 23/07/2009 R$ 4,09
MASTRO DE DESCIDA GALVANIZADO / Detalhe:
32.12 Un. 1,00 139,23 R$ 139,23 24/07/2009 R$ 152,97
1.1/2"x3000mm
BASE PARA MASTRO DE DESCIDA GALVANIZADO /
32.13 Un. 1,00 23,83 R$ 23,83 24/07/2009 R$ 26,18
Detalhe: MASTRO 1.1/2"x3000mm
32.14 CONTRA-VENTAGEM PARA MASTRO 1.1/2" Un. 1,00 113,93 R$ 113,93 24/07/2009 R$ 125,17

32.15 TERMINAL AÉREO / Detalhe: Tipo DR-013 600mm Un. 30,00 6,41 R$ 192,30 24/07/2009 R$ 211,28

32.16 ABRAÇADEIRA METÁLICA TIPO U 1/2" Un. 150,00 9,38 R$ 1.407,00 24/07/2009 R$ 1.545,85

32.17 CHUMBADOR DE EXPANSÃO TIPO UR 3/8" Un. 4,00 2,90 R$ 11,60 24/07/2009 R$ 12,74
PARAFUSO DE CABEÇA SEXTAVADA / Detalhe: COM
32.18 Un. 300,00 0,50 R$ 150,00 24/07/2009 R$ 164,80
BUCHA
PARAFUSO DE CABEÇA SEXTAVADA / Detalhe:
32.19 Un. 4,00 0,60 R$ 2,40 24/07/2009 R$ 2,64
ROSCA NC 3/
32.20 PORCA SEXTAVADA / Detalhe: NC 3/8" Un. 4,00 0,09 R$ 0,36 24/07/2009 R$ 0,40

32.21 ARRUELA LISA AÇO / Detalhe: 3/8" Un. 4,00 0,05 R$ 0,20 24/07/2009 R$ 0,22

32.22 Eletricista h 48,00 6,18 R$ 296,64 28/09/2009 R$ 325,23
SUPORTE ISOLADOR PARA MASTRO 1.1/2" PARA
32.23 Un. 3,00 8,96 R$ 26,88 29/07/2009 R$ 29,53
DUAS DESCIDAS
TOTAL R$ 12.913,28 R$ 15.127,97 0,17%

SUBESTAÇÃO % do Custo
33 Un. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado
Total
33.1 Servente h 16,00 5,18 R$ 82,88 28/09/2009 R$ 90,87

33.2 Eletricista h 48,00 6,18 R$ 296,64 28/09/2009 R$ 325,23

33.3 CHAVE FUSÍVEL UNIPOLAR 100A - 13,8 KV Un. 1,00 178,69 R$ 178,69 03/08/2009 R$ 195,81

33.4 MUFLA 15KV Un. 2,00 288,29 R$ 576,58 03/08/2009 R$ 631,84

33.5 TRANSFORMADOR 500KVA 220/127 V Un. 1,00 17.475,00 R$ 17.475,00 03/08/2009 R$ 19.149,73

23 35.9 TUBO DE COBRE FLEXIVEL .00 03/08/2009 R$ 29.65 33.208.134.699.78 11/05/2009 R$ 31.38 m 2.00 R$ 35.00 4. 330.77 33.00 874.720.79 .60 16/02/2009 R$ 12.00 979.31 35.952.40 21/05/2009 R$ 4.7 X 0. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado CFTV Total Mao de Obra e Materiais Instalacao Lógica. 1.84 08/07/2009 R$ 16. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 33.11 35.00 03/08/2009 R$ 41.54 35.92 35.02 35. 2.700.406. ANTENA E % do Custo 34 Un.658.4 CORTA LUZ LAMINADO DUPLO 0.225.46 28/07/2009 R$ 25.6 GRUPO GERADOR 120 KVA .00 70.00 R$ 60.337.700.00 0.00 20/03/2009 R$ 17.28 03/08/2009 R$ 958.79 .60HZ 220/127 V Un.940.769.95 R$ 841.00 20/02/2009 R$ 171. 180.700.95 TOTAL R$ 130.79 35.59 35.00 R$ 14.00 R$ 1.134.77 0.5 FITA ISOLANTE rol 58.151.40 1.66 17/02/2009 R$ 115. 1.50 R$ 15.00 43.09 35.62 R$ 32.50 R$ 153.1 Parafuso / Detalhe: D = 8 MM COM BUCHA DE 8MM Un.60 R$ 14.3/4 m 1.35 R$ 28.934.40 7.80 7.00 R$ 38.50 MM m 7.2 ABRACADEIRA METALICA TIPO "U" 1 1/4" Un. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 35.00 01/01/2008 R$ 44.40 4.50% INSTALAÇÕES FRIGORÍGENAS % do Custo 35 Un.50 R$ 27. Telefone.379. 20.11 TUBO DE COBRE FLEXIVEL 6.00 03/08/2009 R$ 2.317.7 Disjuntor Trifasico 300 Amperes Un.99 .77 Antena e TOTAL R$ 35.9 QUADRO DE MEDIDORES Un.15 R$ 23. 1.50 R$ 10.5/8 m 2.907.40 10. TELEFONE.00 0.1 vb 1.07 33.106.14 R$ 4.40 16.14 35.20/1.00 11/03/2009 R$ 67.00 7.8 CHAVE SECCIONADORA TRIPOLAR 400A Un.52 X 0.59 R$ 143.00 16/02/2009 R$ 141.79 MM 1/4 m 170.21 R$ 69.934.00 13.002.23 35.136.12 TUBO DE COBRE FLEXIVEL 12.80 13.940.01 35.460. 34.8 TUBO DE COBRE FLEXIVEL 9.60 33.QGBT Un.50 08/07/2009 R$ 924.585.641.066.960.550.00 1.30 01/01/2008 R$ 87. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.213.958.60% INSTALAÇÃO DE LÓGIA.934.52 1.00 16/02/2009 R$ 16.13 CABO PP 4 X 2.00 3.125.10 Fita de Polietileno 48mmx25m rol 60.28 R$ 874. 2.00 R$ 44.912.68 35.70 R$ 126.35 X 0.93 28/07/2009 R$ 36.3/8 m 2.52 R$ 43.10 QUADRO GERAL DE BAIXA TENSÃO .501.52 03/08/2009 R$ 48.77 R$ 102.3 TUBO ESPONJOSO 3/4" X 10 MM PRETO m 7.145.6 SOLDA GROSSA kg 20.00 35.7 SERRA ESTARRET Un.000.14 TUBO DE COBRE FLEXIVEL .00 38.1/2 m 1.000.701.

220.14 BOMBA HIDRAULICA / Detalhe: MARCA KSB/ 36.353.64 36.602.00 11/05/2009 R$ 2.20 21/07/2009 R$ 146.22 27/07/2009 R$ 2.107.200.12 36.3 Alimentacao vb 8.34 GALVANIZADO TUPY 36.19 TIRANTE 1/4 X1 .09 35.72 36.1/2 Un.45 28/09/2009 R$ 1.00 28.00 28.411.15 UNIÃO ASSENTO CONICO 2. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un. 20.27 R$ 2.00 259.18 R$ 1.2 Pedreiro h 169.9 Un.18 PORCA PARA TIRANTE 1/4 Un.818.00 6.10 R$ 232.00 R$ 600.80 7.00 R$ 9.159. 2.47 35.80 28/07/2009 R$ 2.21 Mao de Obra Instalacao Frigorigena vb 23.55 28/09/2009 R$ 1.04 R$ 1.21 36.00 7. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 35.20 CANTONEIRA L 5/8 X 1/8 Un.00 R$ 259.1/2" .11 35.82 36.27 R$ 1.55 01/01/2008 R$ 42.14 VALVULA GLOBO 2.16 BROCA SDS PLUS 6 MM x 16 cm Un.84 35. 3.29 27/07/2009 R$ 12.00 R$ 369.50 5.00 123.00 106.368. 1.00 1.5 Tubo Ferro Galvanizado 2.13 Un.00 28/07/2009 R$ 157.15 BROCA DE ACO RAPIDO 5x16 Un.00 6.8 JOELHO FERRO GALVANIZADO TUPY 2 1/2" Un.50 R$ 1.1/2" Un.120.38 36.6 MANOMETRO Un.00 R$ 33. 4.43 36.089.671.00 21/07/2009 R$ 659.80 R$ 57. 20.00 28/07/2009 R$ 439.120.00% INSTALAÇÕES DE COMBATE À INCÊNDIO % do Custo 36 Un.00 R$ 1.00 33.00 21/07/2009 R$ 405.23 36.70 TEE DE REDUCAO 2.00 0. 1/2"X 1 DE FERRO 36.APOLO m 299.18 R$ 2.431.41 .78 2.330.147. 1.57 35.234.50 08/04/2009 R$ 1.15 R$ 143. 400.00 150.30 R$ 120.1 Servente h 272.58 R$ 2.80 28/07/2009 R$ 2.11 VALVULA REDUTORA DE PRESSÃO 2.93 38.00 400. 4.616. 1.39 6.08 28/09/2009 R$ 3.73 R$ 11.00 28/07/2009 R$ 10.17 PARABOLT 4" ESPESSURA 1/2" Un.762.00 116.04 R$ 2.00 34.12 Encanador h 456.023.66 MODELO: MEGABLOC 32-125.7 TE 90° FERRO GALVANIZADO TUPY 2 1/2" Un.890.4 Vale Transporte vb 16. 86.547.04 01/01/2008 R$ 71. 400.023. 360.45 35.00 R$ 400.0M Un.790. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 36.00 11/08/2009 R$ 283.10 VALVULA DE RETENCAO VERTICAL 2.1/2" Un.00 28/07/2009 R$ 628.90 TOTAL R$ 161.1/2' Un.890.00 28/07/2009 R$ 131.30 R$ 133.00 1.00 1.60 36. 20.09 2.1- 36.07 R$ 178.20 09/03/2009 R$ 259.24 27/07/2009 R$ 1.60 R$ 572.055.79 36. 31.

49 Pressurização de TOTAL R$ 52.41 20 MSG .86 36. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 36. 1/2" X 2.68 R$ 657. 23.56 R$ 219.duração 36.08 TOTAL R$ 40.00 42.000.08 0. 58.68 22/07/2009 R$ 825.56% . 2A 20B:C Un.00 22/07/2009 R$ 922.21 Un. 24.24 Valvula Angular Indireta 45° 2.93 Acionamento Manual do Sistema de Alarme (Botoeira 36.31 Adaptador STORZ 2.35 R$ 52.25 22/07/2009 R$ 2.73 R$ 771.61 TOTAL R$ 60.00 R$ 840.00 72.49 0.00 133.727.00 22/07/2009 R$ 99.542.96 22/07/2009 R$ 2.00 R$ 40.ER Un.30 Chave Dupla 1.347.00 35.56 Internamente D = 36.29 Tampa de Ferro Fundido .000.00 R$ 7.1/2" Un.00 R$ 91.00 R$ 506.35 R$ 7.91 36.58 R$ 654.542.800.37 36. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 38.30 36. 10B:C Un.60x40x8cm c/ 20kg Un.1/2" Requinte de 13 mm Un. 29.00 52.00 50.90 36.00 7.40 R$ 66.00 R$ 5.00 91.00 R$ 50.00 24.1/2" X2. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total Mão de Obra. 1/2" .405.98 R$ 2. 1.75 22/07/2009 R$ 847.00 22/07/2009 R$ 6. 246. 29.66 de 120 min. 31.16 R$ 2. 30. 1.17 Extintor de Pó ABC .542.00 22.16 PLACA DE SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA Un.27 Adaptador STORZ 1.00 22/07/2009 R$ 555.88 36.23 Un. Materiais e Equipamentos para 37.439.22 Acionamento Manual da Bomba de Incêndio Un. 29.00 31.189.727.64 36.486.904. 36.4Kg .497.671.4Kg .476. 2.00 62.50 R$ 31.00 83.19 Sirene de Alarme Un. 29.68 22/07/2009 R$ 719.1 Urbanizacao de Jardins vb 1.CAP.98 36.74% INSTALAÇÕES DE PRESSURIZAÇÃO % do Custo 37 Un.72 22/07/2009 R$ 722.00 22/07/2009 R$ 5.18 Extintor de PQS .100. 1/2" x 2.00 22.00 22/07/2009 R$ 92. 12.40 0.1/2" X 5F Un. 142.25 Esguicho Cônico Ø 1.90 Tipo Quebre o Luminária de Emergência .00 22.000.162.29 36.00 25.CAP.00 01/01/2008 R$ 50.30 22/07/2009 R$ 8.00 R$ 5.35 R$ 57.832.64 R$ 751. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.Bloco autônomo .24 22/07/2009 R$ 240.65% PAISAGISMO % do Custo 38 Un.29 Abrigo para Mangueira Tipo Embutir em chapa Dobrada 36.00 178.734.00 R$ 84.1 vb 1.50 22/07/2009 R$ 34. 1/2" STORZ LATÃO Un.577. 30.63 Mangueira de Fibra Sitética ou Vegetal emborracha 36.00 40.20 Un.347.00 22/07/2009 R$ 7.28 Tampão Engate Rápido / Detalhe: 1.26 Un.35 28/07/2009 R$ 57. 1/2" Un.

50 R$ 201.40 R$ 4.73 R$ 743.74 01/01/2008 R$ 2.065.40 39.9 BOTAMIX ALVENARIA tambor 1.781.079. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total REVESTIMENTO EXTERNO % do Custo 39 Un.80 R$ 28.925.382.19 Servente de Jáu h 18. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.14 PASTILHA PORCELANIZADA PRETA m² 1.157. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 40.60 28/09/2009 R$ 815.50 R$ 343.027.02 39.00 R$ 81.41 39.06 10. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 39.205.99 67.42 53.37 01/01/2008 R$ 21.27 TOTAL R$ 648.63 50.307.05 R$ 4.07 04/03/2009 R$ 1.67 24.29 39.42 R$ 22.65 39.77 28/09/2009 R$ 109.95 43.45 16/02/2009 R$ 49.17 8.291.64 03/04/2009 R$ 2.40 39. 2.80 17/02/2009 R$ 226.348.23 5.5 Vale Transporte vb 8.975.77 17/02/2009 R$ 1.148.00 R$ 83.197.752.18 Pedreiro de Jaú h 18.73 R$ 141.015.44 28/09/2009 R$ 154.610.94 57.18 2.7 Selador Acrilico lt 6.00 R$ 1.15 PASTILHA PORCELANIZADA CINZA m² 420.041.14 6.20 Pintor de Fachadas h 96.914.752.33 ARGAMASSA QUARTZOLIT XAPISCOFIX CHAPISCO 39.81 1.20 39.CINZA GRAFITE lt 12.95 COLANTE 39.76 R$ 727.59 AC II para pastilha cor branca 39.17 PASTILHA PORCELANIZADA BRANCA m² 3.14 39.18 .00 R$ 18.46 39.082.90 28/09/2009 R$ 14.32 39.4 Alimentacao vb 4.764.00 39.00 R$ 1.696.877.00 R$ 44.34 39.305.26 7.54 780.83 39.519.02 28/09/2009 R$ 49.58 03/04/2009 R$ 93.00 R$ 1.79 39.69 43.12 SIKAFLEX bisn 66.63 39.00 R$ 142.14 ARGAMASSA COLANTE / Detalhe: argamassa colante 39.11 TARUCEL cx 2.343.39 01/01/2008 R$ 28.6 Tinta Acrilica / Detalhe: FOSCO .296.38 9.933.388.320.097.8 kg 38.3 Aditivo (Bianco) l 1.88 03/04/2009 R$ 20.2 Areia m³ 442.82 29.929.97 7.177.39 17/02/2009 R$ 4.14% CORRIMÃO METÁLICO % do Custo 40 Un.86 21.570.1 Rolo de La Un.17 R$ 44.235.10 sc 436.16 PASTILHA PORCELANIZADA COR PLUTAO m² 32.54 16/03/2009 R$ 91.100.54 01/01/2008 R$ 35.79 01/01/2008 R$ 5.00 R$ 12.841.14 03/04/2009 R$ 160.404.864.46 R$ 100.23 3.33 01/01/2008 R$ 432.00 R$ 16.13 SIKATOP 107 balde 1.50 R$ 1.050.10 43.404.1 Cimento Portland sc 1.83 125.105.

567.95 40.90MM .90 R$ 6.9 DISCO DE CORTE DE 7" Un.60 2.105.14 TUBO PRETO 1.98 40.50 R$ 30. 4.30 0.63 22/06/2009 R$ 146.17 R$ 90.90 40.180. 1. 1.13% COBERTURA EM ESTRUTURA METÁLICA % do Custo 41 Un.00 R$ 9.01 R$ 28.25 R$ 107.74 Metálica com Cobertura Leve Execução de Cobertura em telhas metálicas e 41.50 28/07/2009 R$ 3.896.62 R$ 2.65 11/03/2009 R$ 332.7 PINCEL 2" Un.00 R$ 3.74 40.1/2 PAREDE 0.14 40. 1.31 40.80 40.11 28/09/2009 R$ 10.44 BUCHA D-10 40.04 28/09/2009 R$ 7.17 Mão-de-Obra para Confecção de Corrimão Metálico m 388.298.00 R$ 38.de .1 vb 1.78 R$ 297.Telha Ondulada 41.248.92 kg 40.00 13. 4.701.12 R$ 132.26 11/03/2009 R$ 100.00 R$ 114. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.88 04/05/2009 R$ 175.5 SIKADUR 32 kg 2.197.674.15 6.65 28/07/2009 R$ 6.8 DISCO DE DEBASTE DE 7" Un.6 ELETRODO 3.57 30.38 12.98 28/09/2009 R$ 3.86 em Arco Fabricação e Mão .43 R$ 78.19 25.32 18/02/2009 R$ 59.70 PARAFUSO CABEÇA SEXTAVADA 6.75 3.790.000.20 R$ 13.85 16/02/2009 R$ 120.26 0.00 28/07/2009 R$ 419.16 Un.6m Un.88% .3 TINTA ANTI-CORROSIVA CINZA gl 3.43 R$ 7.59 TOTAL R$ 10.12 ELETRODO 13 . 71. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 40.48 18/02/2009 R$ 3.10 SERRA ESTARRET Un.4 m² 192.obra para Cobertura Metálica 41. 2.10 28/09/2009 R$ 42.890.33 R$ 20.2 m² 549.32 6.50MM 26.11 BARRA CHATA 2 X 1/8 Un.95 acessórios de montagem Telha Metálica / Detalhe: Telha .182.2.19 2.32 45.83 17.75 4.73 Zincalume . Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total Fabricação e Mão .58 11/03/2009 R$ 23.26 11/03/2009 R$ 15.02 TOTAL R$ 71.de .00 R$ 156.Face externa Pré-Pintada na cor branca 41.97 40.66 R$ 11. 41.14 36.105.83 70.612.2 Solvente gl 1.10 17/02/2009 R$ 127.obra para Telhado em Estrtura 41.0 PARA 40.347.55 17/02/2009 R$ 32.41 R$ 53.02 40.02 40.5 Telha Metálica m² 549. 8.25 MM kg 8.13 BUCHA PLASTICA Nº 10 Un.30 01/01/2008 R$ 38.567.3X65.26 28/07/2009 R$ 291.3 m² 549.616.15 VERGALHAO MECANICO 3/8 vr 8.93 R$ 3.92 R$ 382.4 BROCA SDS PLUS 10 MM x 26 cm Un.96 40.34 40.83 6.874.26 0.488.00 R$ 14.24 R$ 265.796.96 40.72 15.38 48.20 15/09/2009 R$ 14.59 0.32 35.

48 TOTAL R$ 14.000.00 R$ 158.00 R$ 944.24 100.75 10.75 TOTAL R$ 750.20% TOTAL DA OBRA R$ 7. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total ELEVADORES % do Custo 42 Un.78% LIMPEZA FINAL % do Custo 44 Un.00 01/01/2008 R$ 944.931.1 Sistema de Paletização de Garagem vb 1.48 0.00 145.00 15/09/2009 R$ 158. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 43.007.57% PALETIZAÇÃO DE ESTACIONAMENTO % do Custo 43 Un.750.000.1 Mobilizacao Pessoal/Equipamentos vb 1.000.000.00 R$ 14.772.00 R$ 750.975.000.007.00 14.000.68 TOTAL R$ 145. ORÇAMENTO ANALÍTICO % do Custo ITEM DISCRIMINAÇÃO Un.1 Material de Limpeza vb 1.00 R$ 17.00 750.00 R$ 145.68 1.000. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 44.00% .00 01/01/2008 R$ 17.975.88 R$ 8.000.529.621. Quantidade Preço unitário Preço total Data do preço Preço Atualizado Total 42.000.621.