You are on page 1of 25

Cenário Brasileiro

de Gestão da Água

Congresso Qualidade em Metrologia e


Saneamento e Abastecimento de Água

Antônio Félix Domingues


Coordenador de Articulação e Comunicação
São Paulo, 29 de outubro de 2014
MARCOS HISTÓRICOS E LEGAIS RELATIVOS À GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS

 O Código das Águas (1934)


 O SISNAMA (1981)
 A Constituição Federal (1988)
 Conferência Internacional sobre Água e Meio Ambiente em Dublin (1992)
 Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento – Rio 92
 Lei das Águas (Lei nº 9.433, de 1997)
 Lei de Criação da ANA (Lei nº 9.984, de 2000)
 Competências da ANA relacionadas aos serviços públicos de irrigação (Lei nº
12.058, de 2009)
 Competências da ANA relativas à segurança de barragens (Lei nº 12.334, de
2010)
O Relatório da Conferência de Dublin (1992) sugere
recomendações de ação em níveis locais, nacionais e
internacionais:

• Princípio n° 1 - A água doce é um recurso finito e vulnerável, essencial


para sustentar a vida, o desenvolvimento e o meio ambiente.
• Princípio n° 2 - Gerenciamento e desenvolvimento da água deverá ser
baseado numa abordagem participativa, envolvendo usuários,
planejadores legisladores em todos os níveis.
• Princípio n° 3 - As mulheres formam papel principal na provisão,
gerenciamento e proteção da água.
• Princípio n° 4 - A água tem valor econômico em todos os usos
competitivos e deve ser reconhecida como um bem econômico.
Considerações Iniciais

DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS
Carta Magna de 1988

SINGREH
Art. 21. Compete à União: (...)
XIX - instituir sistema nacional de
gerenciamento de recursos hídricos e definir
critérios de outorga de direitos de seu uso”

Dupla Dominialidade
Domínio da União Art. 20. Bens da União
Domínio Estadual
Art. 26. Bens dos Estados
A Gestão dos Recursos Hídricos e a ANA

• a água é um bem de domínio público


• deve-se proporcionar o uso múltiplo das águas
• abastecimento humano e dessedentação animal
Lei n° 9.433/97 são prioritários
Política Nacional de Recursos Hídricos • a bacia hidrográfica é a unidade de planejamento e
gestão
• a gestão deve ser participativa

Entidade federal de implementação da PNRH


• outorga
• fiscalização
Lei n° 9.984/00 • planejamento e estudos
Agência Nacional de Águas - ANA • informações sobre recursos hídricos
• cobrança
• outros...
Diretrizes Lei das Águas (Lei nº 9.433/97)
Evolução da gestão dos recursos hídricos no Brasil

30 Política Nacional de Recursos Hídricos


Nº de estados com lei instituindo Política

Lei 9.433/1997 27 27
26 26 26
Estadual de Recursos Hídricos

25 25

20
Primeira Lei Estadual de Recursos 21
Hídricos - São Paulo
Lei Estadual 7.663/1991
18
17
15 13
14

10

7
5 5
4
1
2 2
0

1991 1993 1995 1997 1999 2001 2003 2005 2007


Planos de Recursos Hídricos de Bacias Hidrográficas

Plano Área Tema Central


(km2)
Recuperação hidroambiental,
São Francisco
636.920 alocação, enquadramento, integração
(CBH)
instrumentos

Paraíba do Sul Articulação institucional, qualidade


55.500
(CBH/Ag) águas, transposição

Navegação x hidroeletricidade,
Tocantins-Araguaia
918.822 sustentabilidade irrigação e
(Colegiado Gestor)
saneamento

Doce Qualidade águas, enchentes e


85.000
(CBH) inundações

Margem Direita – 2,55 Ocupação do território, água e


Amazônas milhões floresta, expansão hidroelétricas

PCJ Qualidade águas, novo


31.410
(CBH/Ag) enquadramento

Paranaiba Qualidade águas, demandas


222.767
(CBH) consuntivas, conflitos

Total 51% do território brasileiro está


4,3 milhões planejado em termos de seus
Planejado recursos hídricos
Pacto Nacional

Visão de futuro nacional


Harmonizando a gestão das águas no país
Pacto Nacional

Estratégia de Implementação
PROGESTÃO
• Aumento do consumo de alimentos;
• Aumento do consumo de bens e serviços;
Aumento da renda da • Melhores taxas de atendimento da população
com serviços de saneamento;
população e aumento • Maior dinamismo das atividades
da demanda por água demandantes de água (criação animal,
indústrias, irrigação, geração de energia,
transporte hidroviário, etc.)

• Eventos extremos mais agudos: cheias e


secas;
• Necessidade de amortecimento de
Mudanças do clima e enchentes;
• Necessidade de maiores reservas para
consequentes eventos períodos mais longos de estiagem;
hidrológicos críticos • Necessidade de reservatórios com
capacidade de regularização e
armazenamento de água para garantir maior
segurança hídrica
Austrália e Etiópia têm igual variabilidade
climática

Ethiopia

Armazenamento per capita:


45 m3

Australia
Armazenamento per capita:
5.000 m3
Impactos Econômicos
15.0 3.0

2.0

Variability in Rainfall (Meter)


10.0

Real GDP growth (%)


1.0

5.0
0.0

-1.0
0.0

1979

1980

1981

1982

1983

1984

1985

1986

1987

1988

1989

1990

1991

1992

1993
-2.0
-5.0
Real GDP grow th (%) -3.0
Variability in Rainfall (Meter)
-10.0 -4.0

Chuva & PIB: Zimbábue 1978-1993


Years

80 25
20
60
15
40
percentage

10
20 5
0
0
-5
1992

1998
1986
1987
1988
1989
1990
1991

1993

1995
1996
1997

1999
2000
1982
1983
1984
1985

1994

-20 -10
-15
-40
rainfall variation around the mean -20
-60 GDP growth
-25
-80 -30
year

Chuva e PIB: Etiópia 1982-2000


Australia GDP & Rainfall

8
200.0
6
150.0
4
100.0
Rainfall variation (mm)

GDP variation (%)


50.0
0.0 0
-50.01955 1960 1965 1970 1975 1980 1985 1990 1995 2000 2005
-2
-100.0
-4
-150.0
-6
-200.0
-8
-250.0
-300.0 -10

-350.0 -12

Rainfall GDP
Reservatórios no Brasil
Reservatórios: objetivam estocar água no período de chuvas para melhorar a garantia de água no
período de estiagem / controle de cheias / suprimento de demandas.

Volume armazenado no País (Conjuntura 2013)


- realizado levantamento de 456 reservatórios na análise de volume reservado per capita.
- volume armazenado de 3.607 m3/hab (obs.: na maioria são reservatórios de geração de energia).

Capacidade de armazenamento no Brasil = 3.607 (m³/ habitante)


Áreas irrigáveis e irrigadas no Mundo

Área Irrigável Área Irrigada


País % País %
(x1000 ha) (x1000 ha)
1º Índia 139.500 35% 1º Índia 66.334 21%
2º China 70.000 18% 2º China 62.938 20%
3º Brasil 29.350 7% 3º EUA 26.644 9%
4º Rússia 29.000 7% 4º Paquistão 19.990 6%


Área
Irã
Irrigável
Paquistão
15.000 4%
21.300 5% 5º

Área
Irã
Indonésia
Irrigada
8.700
6.722
3%
2%
no Mundo
7º Tailândia 12.245 3% 7º no Mundo
México 6.460 2%
8º Indonésia 10.886 3% 8º Tailândia 6.415 2%
9º Myanmar 10.500 3% 9º Brasil 5.798 2%
10° México 9.766 2% 10° Turquia 5.340 2%
Outros 52.453 13% Outros 95.571 31%
Total 400.000 100% Total 310.912 100%
Fonte: FAO, 2013
Fonte: FAO, 2013 e ANA, 2013
*Não existem dados disponíveis sobre os EUA.
A agricultura irrigada e os alimentos
Produção: Energia e Alimentos
Uso das Terras no Brasil
Área Total = 851 milhões de hectares Culturas Anuais
e Permanentes
Pastagens 70.3
70.3mi Ha
M ha
172.3
172.3mi Ha
M ha (8.3%)
8,3%
(20.2%)
20,2%
Cana-de-Açucar
para Etanol
Terras não 4.2 mihaHa
4.2 M (0.5%)
(0,5%)
cultivadas
502.2
502.2 mi
M haHa
(59%)
59%
Oleaginosas p/
Biodiesel B3
2.2
2.2 Mmi
ha Ha (0.3%)
(0,3%)

Disponível para
Expansão
Não-Agricultáveis:
99.8
99.8 mi
M haHa
- Cidades, rios e lagos (11.7%)
(11,7%)
- Áreas não apropriadas para cultivo
- Áreas preservadas (florestas, áreas indígenas etc) Fonte: MAPA e IBGE. Elaboração MME.
CONJUNTURA GLOBAL
Reflexos sobre os recursos hídricos

Demanda por água (2000-2050)

53,4% (Mundial)

78,6% (BRIICS)

BRIICS (2050):
• 60% da demanda mundial por
água

Fonte: The Environmental Outlook Baseline (OCDE, 2012)


Usos consuntivos de água no Brasil

Vazão retirada em 2010


(2.373 m3/s)

Vazão consumida em 2010


(1.161 m3/s)
17% 22%
1% 1%
6%
54% 7% 9%
11%

72%

urbano rural animal irrigação industrial

urbano rural animal irrigação industrial

Fonte: Conjuntura de Recursos Hídricos, 2013


CARACTERIZAÇÃO E DESAFIOS REGIONAIS

Vazão de retirada total: 2.373m3/s


54% Irrigação
22% Urbano
17% Indústrias
Expansão da Geração
Área Irrigada: 5,8 milhões de ha Hidrelétrica
Déficit
Coleta de esgotos: 45,7% Hídrico
Expansão da
Fronteira Agrícola
Tratamento de esgotos: 29,9%
Poluição
Hidroeletricidade: 84.294 MW Hídrica
(potencial instalado)

Qualidade das águas (IQA): Déficit


Hídrico
82% ótima ou boa
18% regular, ruim ou péssima
Exemplo: em construção Monitor de Secas no Nordeste. Governo Federal, Estados, apoio: Banco
Mundial
Obrigado!

Antônio Félix Domingues


felix@ana.gov.br
(61) 2109 5212

www.twitter.com/anagovbr www.facebook.com/anagovbr www.youtube.com/anagovbr