You are on page 1of 113

Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Fundamentos sobre Transitórios


Eletromagnéticos

Marcelo Lynce Ribeiro Chaves


Elise Saraiva
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ Um transitório elétrico acontece quando ocorre uma variação súbita


nas condições de regime permanente de um sistema elétrico, como:
o uma chave que abre ou fecha ou
o uma falta que ocorre em um ponto qualquer deste sistema.

¾ O período transitório é muito pequeno quando comparado com o


período de regime permanente.

¾ Mas é durante este período que os equipamentos são submetidos aos


maiores estresses elétricos devido a tensões ou correntes excessivas.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Em casos extremos, um transitório elétrico pode:


¾ Inutilizar um equipamento,
¾ Desligar um sistema elétrico
¾ Provocar um “black-out” em uma cidade ou região.

Por outro lado, os transitórios elétricos podem ser:


¾ entendidos,
¾ calculados
¾ simulados e,
¾ algumas vezes prevenidos ou pelo menos controlados, para serem
inócuos ao sistema de potência nos quais eles aparecem.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Os transitórios de chaveamentos em sistemas elétricos de potência


podem ser divididos em duas categorias normais e anormais, de acordo
com a intensidade dos picos transitórios de tensão ou corrente.

Transitórios de chaveamentos normais: São aqueles em que os picos das


correntes ou tensões envolvidas não são superiores a duas vezes o seu
valor nominal.

Exemplos:
¾ corrente de energização de reatores lineares;
¾ abertura de disjuntores interrompendo um curto-circuito;
¾ tensão sobre de bancos de capacitores durante a energização.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Transitórios de chaveamentos anormais: São aqueles para os quais os


picos de correntes ou tensões envolvidas excedem a duas vezes o seu
valor nominal.

Exemplos:
¾ corrente de energização de capacitores;
¾ corrente de energização de transformadores;
¾ tensão sobre reatores durante a desenergização.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Parâmetros do Sistema Elétrico


Qualquer circuito elétrico possui basicamente os três tipos de parâmetros
seguintes:
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Todo sistema elétrico, possui cada um desses parâmetros em maior ou menor


intensidade.

Seja, por exemplo, um REATOR:

¾ Sob condição de regime permanente, freqüentemente predomina a sua


indutância.

¾ Em regime transitório, as condições podem ser muito diferentes e, em


alguns casos, a capacitância distribuída nos enrolamentos do reator seria,
momentaneamente, o parâmetro mais importante.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ A resistência, a indutância e a capacitância são grandezas


distribuídas, isto é, cada pequena parte do circuito possui uma porção
desses parâmetros.

¾ Comumente eles podem ser tratados como elementos concentrados


em determinados ramos, sem prejuízos na precisão dos cálculos.

¾ Casos particulares como, por exemplo, as linhas de transmissão, o


tratamento desses elementos da forma distribuída é preferível.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Os parâmetros indutância (L) e capacitância (C) são caracterizados pela


capacidade de armazenar energia.

¾ A indutância armazena energia no campo magnético;


¾ A capacitância armazena energia no campo elétrico.
¾ Estas energias são funções dos valores instantâneos de corrente
(indutor) e tensão (capacitor):

1 2
E L = LI [ joule ]
2

1
E C = CV 2 [ joule ]
2
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

A resistência é dissipadora de energia:


A potência dissipada na resistência é dada por P = RI2.

Em um determinado período de tempo (τ) a energia dissipada é expressa


por: τ
ER = ∫ RI 2 dt [ joule]
0

EM RESUMO:
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ Sob condição de regime permanente, a energia armazenada nos


indutores e capacitores de um circuito em corrente contínua é
constante;

¾ Em um circuito de corrente alternada, a energia é transferida


ciclicamente entre as indutâncias, capacitâncias e fontes do circuito,
conforme a corrente e tensão crescem ou decrescem, na freqüência da
rede.

¾ Este processo de transferência de energia é acompanhado de perdas


que dependem da resistência do circuito.

¾ Estas perdas são supridas pela fonte de alimentação.


Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

O QUE OCORRE QUANDO HOUVER VARIAÇÕES SÚBITAS


NO CIRCUITO ELÉTRICO?

¾Essas variações serão acompanhadas de uma redistribuição das


parcelas de energia armazenada nos indutores e capacitores para
estabelecer uma nova condição.

¾É nesta etapa que ocorre os fenômenos transitórios e a sua natureza


depende do tipo de variação súbita ocorrida.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

NOTA IMPORTANTE:
A redistribuição de energia não pode acontecer instantaneamente e
tem uma duração finita!

MOTIVOS:

1 - A variação da energia magnética armazenada em um indutor requer


uma variação de corrente.

2 - A variação da energia elétrica armazenada em um capacitor requer


uma variação de tensão.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

1 - A variação da energia magnética armazenada em um indutor requer


uma variação de corrente.

a) A variação de corrente em um indutor é contraposta pela f.e.m.


determinada pelo produto da indutância (L) pela taxa de variação de
corrente (di/dt):
f.e.m = L.(di/dt)

b) Uma variação instantânea significa uma taxa de variação da


corrente infinita, ou seja, seria necessária uma tensão infinita para a
sua realização. Como isto é impraticável, a corrente em um indutor não
pode variar abruptamente e, conseqüentemente, a energia magnética
armazenada no indutor também não!
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

2 - A variação da energia elétrica armazenada em um capacitor requer


uma variação de tensão.

¾ A tensão através de um capacitor é dada por: V = Q/C, onde Q é a


quantidade de carga elétrica no capacitor.
¾ A variação de tensão deverá ser acompanhada pela variação da carga.
Assim, uma variação instantânea da tensão requer uma variação
instantânea da carga!

Como I = (dQ/dt), isso significa que uma corrente infinita deve fluir
pelo capacitor. Isto também é irrealizável!

CONSEQUÊNCIA: a tensão em um capacitor não pode variar


abruptamente e nem a energia associada ao campo elétrico.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Três aspectos simples e fundamentais para o entendimento do fenômeno


transitório:

¾ a corrente em um indutor não pode variar subitamente;


¾ a tensão em um capacitor também não pode variar subitamente;
¾ o princípio da conservação de energia deve ser preservado durante
todo o tempo.

Estimar completamente as implicações destes fatores é tocar na essência


do assunto.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Interpretação Física e Formulações


Matemáticas de Transitórios
Elétricos
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Circuito RL Suprido por uma Fonte de Corrente Contínua

¾ No instante em que a chave fecha, a corrente no circuito é nula.


¾ Assim, toda tensão da fonte (V) é aplicada sobre o indutor.
¾ Com o decorrer do tempo, a corrente começa a crescer e,
simultaneamente, cresce também a queda de tensão sobre a resistência
(VR).
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ À medida que a corrente cresce, a tensão através do indutor vai


decrescendo até se anular, pois VL = V - VR.
¾ Nesse momento a queda de tensão na resistência é igual à tensão da
fonte: VR = V
¾ A corrente se manterá constante (e igual a V/R) enquanto a chave
estiver fechada.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Período transitório de interesse:

Compreende desde o instante em que a chave fecha até o momento em


que a corrente pára de crescer.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ O expoente R/L determina a rapidez com que a corrente cresce até


atingir o valor constante (V/R).

¾ Quanto maior for o parâmetro indutivo em relação ao resistivo, mais


tempo o circuito levará para estabilizar o valor da corrente,
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

V ⎛ R
− t ⎞
I( t ) = ⎜1 − e L ⎟
R ⎜ ⎟
⎝ ⎠
Define-se como constante de tempo deste circuito (T) a relação entre a
indutância e a resistência do circuito, ou seja: .

L
T=
R

V ⎛ −
t

Logo a expressão da corrente será: I ( t ) = ⎜1 − e T ⎟
R ⎜⎝ ⎟

Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Circuito RC Suprido por uma Fonte de Corrente Contínua

Neste caso, é a tensão no capacitor


que não pode variar instantaneamente.

Considerando o capacitor
inicialmente carregado com uma
tensão VCo, tão logo a chave fecha,
a diferença entre a tensão da fonte
(V) e a tensão inicial do capacitor
(VCo) é aplicada sobre a
resistência.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Assim, a corrente, que antes do fechamento


da chave era nula, a partir desse instante
assume o valor (V-VCo)/R.

A corrente no circuito agora é


determinada por:

1
⎛ V − VC o ⎞ − RC t
I =⎜ ⎟e
⎝ R ⎠

A constante de tempo no circuito capacitivo assume o valor: T = RC


Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Circuito LC Suprido por uma Fonte de Corrente Contínua

Neste circuito, as condições iniciais de tensão no capacitor e corrente


no indutor são consideradas nulas quando a chave k fecha.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ Após o fechamento da chave k, como a


tensão inicial do capacitor é nula, então,
toda a tensão da fonte é aplicada sobre o
indutor.

¾ A corrente começa então a crescer com


uma taxa dada por: di/dt =V/L

¾ À medida que a corrente vai fluindo


pelo capacitor, este vai adquirindo carga e
apresenta uma tensão VC em seus
terminais.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ O crescimento da tensão no capacitor


implica em uma redução na tensão sobre o
indutor, ou seja, na redução da taxa de
crescimento da corrente: di/dt =(V-Vc)/L

¾ Quando a tensão no capacitor atingir o


valor da tensão da fonte,

¾ A taxa de crescimento da corrente será


nula.

¾ A corrente nesse instante pára de crescer,


atingindo o seu valor máximo.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Considerações sobre o o fluxo de energia oriundo da fonte no


instante em que a corrente atinge o valor máximo (pico).

dI
I ( t ) = I m sen ω o t VL = L = Lω o I m cos ω o t
dt
V
Im =
ωo L

Como VL(o) = V, então, a energia oriunda da fonte é determinada por:

π
2
VI m
E fonte = ∫ VI m sen( ω o t )dt =
0
ωo
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

A energia armazenada no indutor no instante em que a corrente atinge o


valor de crista é:

1 2 1 V 1 VI m
E L = LI m = L Im =
2 2 ωo L 2 ωo

Logo, a metade da energia oriunda da fonte é armazenada no indutor e a


outra metade no capacitor.

1 VI m
E L = Ec =
2 ωo
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Igualando a energia armazenada no capacitor com a energia do indutor


tem-se:
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ Como o fluxo de corrente eleva a carga


do capacitor, a tensão sobre este
prossegue crescendo, ultrapassando o
valor da tensão da fonte.

¾ Isto impõe uma taxa negativa de


crescimento da corrente, ou seja, a corrente
começa a decrescer, até se anular.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ No período em que a corrente decresce


até se anular, a energia armazenada no
indutor é transferida ao capacitor juntamente
com a energia vinda da fonte.

¾ No momento em que a corrente se anula, o


capacitor estará armazenando quatro vezes a
energia máxima armazenada no indutor.

¾ Isto significa que a tensão sobre o mesmo


deverá dobrar.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ Como a tensão é igual a duas vezes à da


fonte, a taxa de variação da corrente será
negativa.

¾ Portanto, a corrente inverte o seu sentido e


o capacitor devolverá a sua energia para a fonte.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ Completa-se dessa forma o ciclo no qual,


inicialmente, a energia flui da fonte para os
elementos, sendo em um dado momento
armazenada em partes iguais nos dois elementos,
depois se concentrando totalmente no elemento
capacitivo e, a seguir, é devolvida à fonte.

¾ Este ciclo é repetitivo e como o circuito não


possui elementos resistivos, não haverá
dissipação de energia, mantendo-se essa
oscilação indefinidamente.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ A corrente será periódica, iniciando pelo valor


nulo, tendo o seu valor máximo igual à tensão da
fonte dividida pela impedância característica do
circuito (Zo), ou seja:
V
I( t ) = senω o t
Zo

¾ Onde ωo é a freqüência de oscilação do circuito:

L 1
Zo = ωo =
C LC
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ A tensão no indutor é oscilatória e é obtida pela


expressão:
VL = V cos ω0t

¾ A tensão no capacitor deverá também oscilar,


porém não assumirá valores negativos.

¾ Ela deve iniciar por zero e atingir um valor


máximo igual ao dobro da tensão da fonte:

VC = V (1 − cos ω0t )
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Circuito RL Excitado por Fonte CA

¾ No instante t = 0 a chave K fecha.

¾ O comportamento da corrente dependerá do valor instantâneo da tensão no


instante do fechamento da chave.

¾ Inicialmente, considerando desprezível o valor da resistência, ou seja, R = 0:


Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Circuito RL Excitado por Fonte CA

(a) - A chave é fechada quando a tensão passa pelo valor de nulo.


(b) - A chave é fechada quando a tensão passa pelo valor de pico.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

A seguir apresenta-se a formulação matemática do circuito considerando


uma condição qualquer de tensão no instante do fechamento da chave.
dI
V ( t ) = RI + L
dt

onde:
V(t) é a tensão da fonte: V(t) = Vm.sen(ωt +θ)
θ é o ângulo da tensão associado ao instante do fechamento da chave.
Ou seja, o valor da tensão no instante do fechamento da chave é Vm.sen(θ ).
R e L são respectivamente a resistência e a indutância do circuito.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Solução da Equação Diferencial do Circuito é dada por:

Vm ⎡ R
− t ⎤
I( t ) = ⎢ sen(ωt + θ − φ) − e L sen(θ − φ)⎥
R + (ωL )
2
2
⎣ ⎦

Onde φ é o ângulo de defasagem entre a tensão e a corrente do circuito,


ou seja, o ângulo que define o Fator de Potência do circuito:

⎛ ωL ⎞
−1
φ = tg ⎜ ⎟
⎝ R ⎠
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Curva (a): corrente no circuito I(t); Curva (b): componente CA


Curva (c): componente CC

Observa-se na expressão da corrente que, se o ângulo φ for igual ao ângulo θ,


não haverá período transitório no estabelecimento da corrente.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Transitórios de Chaveamento
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Tensão de Restabelecimento Transitória (TRT) ocasionada


pela remoção de um curto-circuito por um disjuntor

Na figura:
Sistema supridor: a fonte de tensão em série com a indutância (L) que é
determinada pelo nível de curto circuito do sistema.
Capacitância (C): capacitância de fuga de buchas, isoladores, TC’s e cabos.
Desprezam-se todas resistências elétricas que o sistema poderia apresentar.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Considera-se que a corrente de curto-circuito, no momento de sua


interrupção, já tenha atingido o seu valor de regime permanente, isto é, a
componente CC já tenha desaparecido.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Arco Elétrico

¾ Em todas as manobras feitas com um disjuntor, um arco elétrico


estará sempre presente, em vários graus de intensidade ou potência, em
função da corrente a ser interrompida.

¾ O arco elétrico nasce no instante da separação mecânica dos


contatos do disjuntor.

¾ O momento em que este arco é normalmente extinto, é quando a


corrente passa por zero.

¾ O tempo de duração do arco é denominado de tempo de arco.


Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Estágios de Abertura

Primeiro estágio: compreende o instante em que os contatos do


disjuntor estão prestes a se separarem fisicamente.

Para este estágio, tem-se que a tensão entre os contatos é nula e a


corrente que circula pelos mesmos é finita.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Segundo estágio: os contatos já estão fisicamente separados mas, no


entanto, a tensão entre os mesmos ainda é igual a zero e a corrente ainda
é finita.

Isso acontece devido à existência de um arco elétrico fechando os


contatos eletricamente.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Terceiro estágio: É quando a extinção do arco elétrico já ocorreu: A


tensão entre os contatos é finita e a corrente já não circula mais entre os
mesmos.

Neste último estágio de abertura de um disjuntor, define-se duas


grandezas mensuráveis:

¾ tensão de restabelecimento transitória(TRT);

¾ taxa de crescimento da tensão de restabelecimento (TCTR).


Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Tensão de Restabelecimento Transitória TRT (Transient Recovery


Voltage TRV): é a diferença das tensões medidas em cada lado do
disjuntor e a terra, resultante após a interrupção de corrente, qualquer que
seja a manobra.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Taxa de Crescimento da Tensão Restabelecimento - TCTR:


(Rate of Rise of the Recovery Voltage - RRRV):

¾ Fornece o grau de crescimento da magnitude da tensão até que seja


atingido o valor do primeiro pico da tensão transitória.

¾ A TCTR fornece a intensidade com que a magnitude da tensão


transitória cresce. Sua unidade de medida mais usual é kV/μs.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

A fonte de tensão considerada para o estudo tem a forma:


v(t) = Vm . cos(ω.t)
Assim, garante-se que no instante de abertura do disjuntor, instante t = 0, a
tensão esteja passando pelo valor máximo e, por conseguinte, a corrente esteja
passando pelo valor nulo.

Os contatos do disjuntor são designados pelos números 1 e 2, conforme


apresentado na figura acima. Dessa forma, a TRT será dada por:

V12 ( t ) = V1 − V2 = V1 − 0 = V1 = VC ( t )
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Portanto, a tensão transitória de restabelecimento (TRT) após a eliminação do


curto-circuito é igual à tensão sobre a capacitância VC(t):

Aplicando-se a lei das tensões de Kirchhoff no circuito, obtém-se:

dI dVc
V ( t ) = L + VC Sabe-se que: I =C
dt dt
d 2Vc 1 1
2
+ VC = Vm cos ωt
dt LC LC
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Lembrando-se que antes do instante de abertura do disjuntor, não existe tensão


entre os seus contatos e a corrente é nula, então, tem-se VC(0) = 0 e V’(0) = 0. A
solução da equação diferencial é dada por:
2
ω0
VC ( t ) = 2 2
Vm [cos ωt − cos ω0 t ]
ω0 − ω
1
Como já visto anteriormente: ω 0 =
LC
Em geral, ωo >> ω, por isto, durante o período de interesse que corresponde ao
intervalo durante o qual a freqüência natural de oscilação (ωo) persiste, o termo
relacionado com a freqüência do sistema (ω) varia muito pouco e para esta
região é justificável a aproximação:

V ( t ) = Vm .( 1 − cos ω0 .t )
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

V ( t ) = Vm .( 1 − cos ω0 .t )

Esta é a Tensão de Restabelecimento Transitória – TRT (Transient Recovery


Voltage - TRV).
Com base na curva superior, que representa a tensão entre os contatos do
disjuntor, tem-se que o pico atingido é duas vezes o pico de tensão nominal.
Assim: TRT = 2.Vm
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Observando-se o triângulo representado na figura acima, tem-se que a TCTR


(taxa de crescimento da tensão transitória, também denominada RRRV- Rate of
Rise of the Recovery Voltage) do disjuntor é dada por ΔV12/Δt.
Dessa forma, analisando-se as curvas, verifica-se que:
ΔV12 = 2.VM e Δt = To/2.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Portanto, a equação para a RRRV do disjuntor, pode ser escrita como:


ΔV12 2.VM 2.π. f 0
TCTR = = = 4.VM . f 0 = 4.VM .
Δt T0 2.π
2

4.VM
Ainda pode ser escrito que: TCTR = .ω0
2.π

2.VM
Resultando-se, finalmente, em: TCTR =
π. LC

Para disjuntores de média tensão, geralmente, a TCTR não deve ultrapassar


1,2kV/μs.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Exemplo 1

Um determinado disjuntor classe 15 kV, apresenta um limite para sua TCTR


(taxa de crescimento de tensão de restabelecimento) de 1,2 kV/μs. Deseja-se:

a) Verificar se a ação de abertura do curto-circuito indicado na figura, não


ultrapassa este limite.
b) Caso este limite seja ultrapassado, dimensionar um cabo a ser inserido em
série, à montante do disjuntor, que reduza o limite do RRRV para 1,2 kV/μs.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Solução
Inicialmente, calculam-se os parâmetros referentes ao sistema em estudo.
Dessa maneira, tem-se:
2
Vm = 13800. = 11267 ,65 Volts
3

onde Vm é a tensão de pico da fonte de suprimento.

Tem-se ainda que:


U 2 13, 8 2
XS = = = 3, 81Ω
Scc 50

A partir da reatância do sistema, tem-se a indutância do sistema:

XS 3, 81
LS = = = 10, 1mH ⇒ LS = 10, 1mH
ω 377
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

A capacitância de fuga equivalente para os elementos adjacentes ao disjuntor,


assim como do próprio disjuntor, é de 500pF.

Assim, de posse de todos os dados pertinentes ao problema, calcula-se a TCTR


do disjuntor.

2.VM
Da equação TCTR = tem-se que:
π. LC

2.Vm 2.11267,65
TCTR= = = 3,19 kV / μs
π. L.C π. 10,1.10−3.500.10−12
Observa-se, então, que na abertura do curto-circuito indicado, a TCTR do
disjuntor é superior a 1,2 kV/μs, o que certamente provocará a reignição do
arco elétrico!
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Exemplo 2

Considerando um reator de núcleo de ar limitador de corrente de curto-circuito,


possuindo uma indutância de 1 mH e uma capacitância de fuga de 400 pF,
interligando um barramento infinito de 13,8 kV a um disjuntor, o qual é
solicitado a interromper uma falta na sua saída. Determinar a TCTR no
momento da abertura do disjuntor.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

ΔV 2Vm 2Vm
TCTR = = = = 4Vm f 0 [ kV / μ s ]
Δt T0 π LC
2
ΔV12 2.VM 2. π. f 0
RRRV = = = 4.VM . f 0 = 4.VM .
Δt T0 2. π
2

ωo =
1
= 1,581 × 10 6 rd / s ω0
fo = = 251,6 kHz
10 −3 × 400 × 10 −12 2π

4 × 2 × 13,8
TCTR = × 251,6 × 10 3 = 11,34 kV / μs
3
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Exemplo

Fazer uma simulação do sistema elétrico a seguir, objetivando analisar os


transitórios de tensão na subestação e na carga sob diferentes
possibilidades de chaveamentos dos bancos de capacitores.

Será considerando que o sistema está sem perdas, sendo desprezada a


impedância do sistema de distribuição que liga a subestação à carga.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Exemplo

Este sistema consiste de uma SE de 69/13,8 kV e um nível de curto-circuito de


1000 MVA suprindo uma carga industrial através de um transformador de
225 kVA e 13,8/0,38 kV.
Para correção do fator de potência, a subestação possui um banco de
capacitores de 6 MVAr e a carga industrial um de 40 kVAr.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Deseja-se analisar os transitórios de tensão sob as seguintes situações de


chaveamentos:
1) A chave k1 é fechada quando a chave k2 está aberta;
2) A chave k2 é fechada quando a chave k1 está aberta;
3) A chave k1 é fechada quando a chave k2 está fechada;
4) A chave k2 é fechada quando a chave k1 está fechada;
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Para solução deste exercício, consideram-se os parâmetros do circuito


equivalente referidos à tensão de 13,8kV. Dessa forma, as sobretensões
transitórias na S.E. e na carga podem ser diretamente comparadas.

13,8 2 0 ,19
X SE = = 0 ,19 Ω ⇒ LSE = = 0.50 mH
1000 0 ,377

13,8 2 10 3
X C1 = = 31,74 Ω ⇒ C1 = = 83,57 μF
6 31,74 × 0 ,377

0.045 × 13,82 5,11


XT = = 1,93 Ω ⇒ LT = = 13,57 mH
0,225 0,377

13,82 103
XC2 = = 4.761,00 Ω ⇒ C2 = = 0,56 μF
0,04 4761 × 0,377
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Os resultados obtidos através de simulação são apresentados nas figuras a


seguir:

Caso (1) - A chave k1 é fechada quando a chave k2 está aberta.


25,00
[kV]
18,75

12,50

6,25

0,00

-6,25

-12,50

-18,75

-25,00
0 10 20 30 40 [ms] 50
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Caso (2) - A chave k2 é fechada quando a chave k1 está aberta

25,00
[kV]
18,75

12,50

6,25

0,00

-6,25

-12,50

-18,75

-25,00
0 10 20 30 40 [ms] 50
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Caso (3) - A chave k1 é fechada quando a chave k2 está fechada

70,0
[kV]
52,5

35,0

17,5

0,0

-17,5

-35,0

-52,5

-70,0
0 10 20 30 40 [ms] 50
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Caso (4) - A chave k2 é fechada quando a chave k1 está fechada.

25,00
[kV]
18,75

12,50

6,25

0,00

-6,25

-12,50

-18,75

-25,00
0 10 20 30 40 [ms] 50
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Amortecimento de Transitórios
Elétricos
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Amortecimento em circuitos elétricos


Considere o circuito RLC série, no qual deseja-se determinar a expressão da corrente
i(t).

V R = R .I
dI
V = V R + V L + VC VL = L
dt
1
VC = ∫ Idt
C

dI 1
V = RI + L + ∫ Idt
dt C
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Derivando em relação ao tempo, tem-se a equação diferencial:

dI d I 1 2 d 2 I R dI 1
R +L 2 + I =0 ou : 2
+ + I =0
dt dt C dt L dt LC

fazendo :
L 1 1
Ts = ; ω0 = ⇒T =
R LC ω0

2
d I 1 dI 1
2
+ + 2 I =0
dt Ts dt T
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

A solução para essa equação a equação diferencial apresenta três


possibilidades distintas

⎛ −1+ 1 4
− 2 −
1

1 4
− 2 ⎞
⎜ Ts 2
Ts T Ts 2
Ts T ⎟
V ⎜e
t t

I (t ) = 2
−e 2
1 4 ⎜ ⎟
L 2− 2 ⎜ ⎟
Ts T ⎝ ⎠

a) raízes reais e diferentes: 1/Ts2 > 4/T2 ⇒ R/Z0 > 2


I(t) ⇒ superamortecido
b) raízes reais iguais: 1/Ts2 = 4/T2 ⇒ R/Z0 = 2
I(t) ⇒ amortecimento crítico
c) raízes reais imaginárias: 1/Ts2 < 4/T2 ⇒ R/Z0 < 2
I(t) ⇒ oscilatório
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

−1
t
Ve Ts
⎛1 1 4 ⎞
a ) I( t ) = senh⎜ − 2 ⎟.t
1 4 ⎜2 T 2
T ⎟
L 2 − 2 ⎝ s ⎠
Ts T

−1
V Ts
t
b ) I ( t ) = .t .e
L

−1
t
Ve ⎛1 1
Ts
4 ⎞
c ) I( t ) = sen⎜ − 2 ⎟.t
1 4 ⎜2 T 2
T ⎟
L 2 − 2 ⎝ s ⎠
Ts T
Circuito
Transitórios R L C Paralelo
Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Considere o circuito RLC paralelo, no qual deseja-se determinar a tensão no


capacitor V(t), sabe-se que:.

V
IR =
R
1
I R + I L + IC = 0 IL =
L ∫ Vdt

dV
IC = C
dt

V 1 dV
+ ∫ Vdt + C =0
R L dt
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Derivando em relação ao tempo, tem-se a equação diferencial:

d 2V 1 dV 1
2
+ + V =0
dt RC dt LC

Observa-se com relação ao circuito série, que houve somente uma mudança de
variável de corrente para tensão

fazendo T p = RC e T = LC

2
d V 1 dV 1
2
+ + 2V =0
dt TP dt T
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

A solução em tensão V(t) será semelhante à da corrente no circuito RLC série


com as devidas substituições das constantes de tempos série (TS) pela paralela
(TP) e, quando necessário, nas condições iniciais, assim, tem-se:

a) raízes reais e diferentes: 1/Tp2 > 4/T2 ⇒R/Z0 < 1/2


V(t) ⇒ superamortecido
b) raízes reais iguais: 1/Tp2 = 4/T2 ⇒ R/Z0 = 1/2
V(t) ⇒ amortecimento crítico
c) raízes reais imaginárias: 1/Tp2 < 4/T2 ⇒ R/Z0 > 1/2
V(t) ⇒ oscilatório
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Da análise desses dois circuitos (série e paralelo) pode-se tirar seguinte


conclusão:

¾ No circuito série a corrente é amortecida pela exponencial (e-t/Ts);

¾ No circuito paralelo a tensão é amortecida pela exponencial (e-t/Tp).

Esta conclusão é importante para o estudo de linhas de transmissão.


Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Exercício
Fazer a simulação de um circuito RLC série e paralelo para verificar as
condições de amortecimento.
Dados: U = 100 V; L = 100 mH; C = 10 μF e resistência variável de acordo
com o amortecimento desejado.

1 1
ωo = = −3 −6
= 103 s −1
LC 100 ⋅10 ⋅10 ⋅10
L 100 ⋅10 −3
Zo = = −6
= 100 Ω
C 10 ⋅10 1
T= = 10 −3 s ⇒ DeltaT ≤ 10 − 4
ωo
T max = 10 −3
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Circuito RLC série


Tensão no Capacitor
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Circuito RLC série


Corrente no Capacitor
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Amortecimento da Taxa de Crescimento da Tensão de


Restabelecimento com Resistores em Paralelo

¾ Em alguns tipos de disjuntores, os contatos principais possuem resistores


em paralelo que têm duas funções:em disjuntores com várias câmaras de
extinção de arco, os resistores ajudam a distribuir a tensão de
restabelecimento mais uniformemente entre as várias unidades de
interrupção;

¾ Para tal, usa-se uma resistência relativamente alta; com a restrição de que a
mesma fosse baixa quando comparada com a reatância capacitiva em
paralelo com os interruptores à freqüência do transitório de recuperação
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Amortecimento da Taxa de Crescimento da Tensão de


Restabelecimento com Resistores em Paralelo

¾ Os resistores reduzem a taxa de crescimento da tensão de recuperação no


instante da interrupção, introduzindo amortecimento no fenômeno transitório.
Para satisfazer este item, é necessário um resistor de valor bem mais baixo.

¾ Também é possível reduzir a TCTR aumentando a freqüência de oscilação da


TRT, o que pode ser conseguido aumentando a capacitância de fuga do sistema.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ No circuito:
o L: representa a indutância limitadora de curto-circuito do sistema;
o C: representa a capacitância de fuga nos terminais do disjuntor;
o R: representa a resistência de amortecimento da TCTR.

¾ Quando a corrente de falta for interrompida, uma corrente residual poderá


fluir pelo resistor R. Esta corrente será interrompida subseqüentemente à
corrente de falta através dos contatos auxiliares representados pela chave S.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ Seja Vp o valor desejável do primeiro pico da tensão de restabelecimento e


Vm o valor de pico da tensão da fonte.

¾ Através dos equacionamentos obtidos para circuitos amortecidos, chega-se à


expressão que determina o valor do resistor a ser colocado em paralelo com os
contatos principais do disjuntor:

2
⎛ ⎞
⎜ ⎟
Z0 ⎜ π ⎟ L
R= × ⎜ ⎟ +1 onde Z0 =
2 ⎜ ln⎛⎜ V p − 1⎞⎟ ⎟
C
⎜ ⎜V ⎟⎟
⎝ ⎝ m ⎠⎠
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Exemplo 3
Um disjuntor deve ser instalado em um barramento de 345 kV e nível de curto-
circuito 25.000 MVA.
A capacitância de fuga do barramento incluindo a do disjuntor é 25.000pF.
Deseja-se utilizar um resistor em paralelo com os contatos principais do
disjuntor para limitar a TCTR (ou RRRV) em 7 kV/ms.
Determinar o valor da resistência R a ser utilizada e comprovar através de
simulação a eficiência do valor calculado.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

ΔV12 2.VM 2.π. f0


RRRV= = = 4.VM . f0 = 4.VM .
Δt T0 2.π
2

SOLUÇÃO:
1) Cálculo da indutância do sistema:

=
(kV )
=
2
345 2
= 4 ,761 Ω
4 ,761 × 10 3
X Lcc Lcc = = 12,63 mH
MVA 25.000 2 × π × 60

2) Cálculo da impedância característica Zo e freqüência de oscilação do circuito


ω0 após a interrupção da corrente de curto-circuito:

12 ,63 × 10 −3 1
Z0 = −9
= 710 ,74 Ω ω0 = −12
= 56 ,28 × 10 3
rd / s
25 × 10 12 ,63 × 25 × 10
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

ΔV12 2.VM 2. π. f 0
RRRV = = = 4.VM . f 0 = 4.VM .
Δt T0 2. π
2
ω 0 4 × 2 × 345 56,28 × 10 3
TCTR = RRRV = 4V m f 0 = 4V m = × = 10,09 kV / μs
2π 3 2π × 10 6

A redução da TCTR de 10,09 kV/μs para 7,0 kV/μs significa reduzir o primeiro
pico da tensão de recuperação na mesma proporção, quando se considera que os
picos de tensão, nas situações de amortecimento e sem amortecimento,
acontecem no mesmo instante, o que não é 100% verdadeiro. Para tal, o valor
de R deverá ser:
2 Vp 2×7 12 ,63 × 10 −3
⎛ ⎞ = = 1,3875 Z0 = = 710 ,74 Ω
⎜ ⎟ Vm 10 ,09 25 × 10 −9

Z0 ⎜ π ⎟
R= × ⎜ ⎟ +1
2 ⎜ ln⎛⎜ V p − 1⎞⎟ ⎟
2
710 ,74 ⎡ π ⎤
⎜ ⎜V ⎟⎟ R= × ⎢ ⎥ + 1 = 1.230 ,11 Ω
⎝ ⎝ m ⎠⎠ 2 ⎣ ln(1,3875 − 1) ⎦
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Oscilograma da Tensão de Recuperação


Tensão de recuperação sem a
utilização do resistor de
amortecimento
Tensão de recuperação com o resistor
calculado (1.230,11 Ω).

Zoom do oscilograma acima (focado


no primeiro pico da tensão):
Valores do primeiro pico da tensão
amortecida: 390,81 kV
Instante em que ele ocorre: 58,19 μs.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

A TCTR pode ser obtida pela relação determinada por estes 2 números:

390,81
TCTR = = 6,72 kV / μs
58,19

Vale lembrar que o valor de projeto, neste exercício, foi de 7,0 kV/μs e o
resultado obtido é um pouco menor, o que satisfaz a exigência.
Estes resultados comprovam a eficiência da técnica.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

A TCTR (RRRV) calculada no primeiro exemplo (3,19 kV/μs) pode ser


reduzida para o valor desejado (1,2 kV /μs) com um incremento da capacitância
de fuga pela a adição de um cabo fazendo a interligação dos terminais do
disjuntor, como mostra a figura abaixo

SOLUÇÃO: sabe-se que a TCTR do disjuntor em questão não deve ser superior
a 1,2kV/μs.
2.V 4.V
Isolando-se T0’ na equação TCTR = T m = T m
0 0
2

4Vm 4.Vm
Pode-se escrever: TCTR' = = 1,2kV / μs ⇒ T0' =
T0' 1,2[ kV / μs ]
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

4Vm 4.Vm
TCTR' = = 1,2kV / μs ⇒ T0' =
T0' 1,2[ kV / μs ]

4 × 11,26765
Sabendo-se que: Vm = 11.267,65 V. Então: To' = = 37 ,55μs ⇒ T0' = 37 ,55μs
1,2

1
Por conseguinte: f 0' = = 26.631,16 Hz ⇒ f 0' = 26.631,16 Hz
T0'
A frequência angular ωo é expressa por:
ω0' = 2π × f 0' = 2π × 26.631,16 ⇒ ω0' = 167.328,51 rd / s
1
Como ω0' = , a nova capacitância equivalente será dada por:
L ⋅ C' 1 1
C' = 2
= −3 2
= 3.536,2 pF ⇒ C' = 3.536,2 pF
L ⋅ ω′0 10,1⋅10 ⋅(167.328,51)
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

1 1
C' = 2
= −3 2
= 3.536,2 pF ⇒ C' = 3.536,2 pF
L ⋅ ω′0 10,1⋅10 ⋅(167.328,51)

Considerando-se que já existe uma capacitância C= 500 pF, então a


capacitância do cabo a ser inserido (ΔC), será tirada da expressão:
C ' = ΔC + C ⇒ ΔC = C ' − C
3.536,2 – 500 = 3.036,2
ΔC = 3.036 ,2 pF

CONCLUSÃO: Para um cabo com, por exemplo, 350pF/m, seriam necessários


8,67 metros deste mesmo cabo (3.036,2pF)/(350pF/m)) para que a RRRV do
disjuntor não excedesse valores que possivelmente resultariam no
restabelecimento do curto-circuito.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Transitórios Devido a Chaveamentos

¾ Se um circuito não tem energia armazenada quando se inicia um transitório,


então este transitório será normal.

¾ Por outro lado, sabe-se que as condições iniciais de tensão nos capacitores e
corrente nos indutores influenciam nos transitórios.

¾ Essas condições descrevem a condição de energia do sistema antes do


transitório. Quando uma destas condições iniciais for diferente de zero, existe a
possibilidade de se desenvolver um transitório considerado anormal.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Corte de Corrente Indutiva

¾ Quando uma corrente relativamente pequena for interrompida por um


disjuntor, a ação dos dispositivos de supressão de arco pode fazer com que a
corrente seja levada a zero de forma abrupta, antes da mesma passar pelo zero
normal.

¾ Isto é chamado de corte de corrente (“current chopping”) e é uma forma de


supressão de corrente que pode dar origem a um transitório anormal, em virtude
da energia magnética associada à corrente que fica armazenada no circuito.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

O fenômeno do corte de corrente indutiva é freqüentemente observado


quando a corrente de um transformador a vazio (corrente de
magnetização) é interrompida.

EL = EC
1 1
L ⋅ I = C ⋅V 2
2

2 2
L
V= ⋅I
C
V = Z0 ⋅ I
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Exemplo
Um banco de transformadores trifásicos, ligação estrela aterrada-estrela
aterrada de 3 MVA, 13,8 kV 60 Hz, é composto por três unidades monofásicas
de 1 MVA cada. O valor eficaz da corrente de magnetização é 0,87 A, sendo o
valor de pico 1,44 A. A capacitância de fuga do sistema do lado do primário do
transformador é 5.000 pF.
Determinar o valor de pico da sobretensão transitória se a corrente for
interrompida quando estiver passando pelo seu valor de pico.
SOLUÇÃO:
Do enunciado sabe-se que: VC(0) = 0 e I(0) = 1,44 A
O valor de pico da tensão transitória pode ser determinada por:

Lm 13800 24,29
V = I0 = Z0I0 Então Lm = = 24 ,29 H e Z0 = = 69,70 kΩ
3 × 0 ,87 × 377 5000 ×10 −12
C
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Lm
V = I0 = Z0I0 V = 1,44 × 69 ,70 = 100 ,37 kV
C

Considerando o valor de pico da tensão nominal do enrolamento (11,27 kV),


então o valor da sobretensão calculada é muito acima dos valores considerados
normais para os transitórios (10,37/11,27= 8,91 pu.).

Na prática, a tensão não atingiria o valor encontrado acima. Isto é devido, em


parte, ao amortecimento, provocado pelas perdas e, principalmente, porque uma
fração da energia armazenada é perdida no ciclo de histerese. Considerando que
40% da energia não é dissipada, a sobretensão será:

V = 0,40 ⋅ Z 0 I 0 = 63,48kV

Portanto, os enrolamentos do transformador deverão suportar tal nível de


sobretensão.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Chaveamento de Capacitores

Situação Ideal

Situações Reais

¾ Quando um capacitor é conectado à uma fonte de tensão CA, uma corrente


transitória de carga é estabelecida, a qual apresenta como principais
características uma elevada magnitude e curta duração.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Chaveamento de Capacitores

Situações Reais

¾ A parcela mais importante desta corrente transitória de alta freqüência inicia


e termina em uma pequena fração de um ciclo da freqüência da rede.

¾ A magnitude atingida por este transitório é maior se a tensão passa pelo valor
de pico quando o chaveamento ocorre.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ Neste curso, os estudos de transitórios de chaveamento de bancos de


capacitores serão realizados considerando apenas uma fase.
¾ Como a freqüência de oscilação do transitório é muito maior que a
freqüência da rede, as formulações serão baseadas na aplicação de tensão
contínua com valor igual ao valor de pico da tensão alternada.
¾ Se a resistência R for nula, a
corrente transitória teria uma
forma de onda senoidal oscilando
em alta freqüência.
¾ A expressão da corrente será:
Vm 1
I( t ) = sen t = I tm sen ω 0 t
L LC
C
Onde:
Itm – é o valor de pico da corrente transitória;
ωo – é a freqüência angular de oscilação da corrente.,
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ A corrente pode ser expressa de forma mais prática como um múltiplo do


valor de pico da corrente nominal do banco de capacitor, ou seja, a corrente de
regime permanente.

¾ As reatâncias em 60 Hz (XL e XC) são empregadas em substituição a L e C.

¾ Estas reatâncias serão expressas em valores por unidade ou porcentuais na


base de potência e tensão do banco de capacitores. Sob tais condições tem-se:

1
I tm ( pu ) =
X L ( pu )
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Exemplo

Seja um banco de capacitores de 2520 kVAr conectado a uma linha de 13,8 kV.
A reatância total da fonte é de 7,55 Ω por linha.
Qual o valor de pico da corrente transitória de energização do banco?

13,82 ×1000 7 ,55


Z base = XC = = 75,57 Ω X L ( pu ) = = 0,10 pu
2520 75,57
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

1 1
I tm ( pu ) = I tm ( pu ) = = 3,16 pu
X L ( pu ) 0,10

2520
In = = 105,43 A
3 × 13,8

I tm = 2 × 105,43 × 3,16 = 471,16 A


Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Chaveamento de Capacitores em Paralelo


Quando um capacitor já se encontra energizado e um segundo capacitor é
chaveado, dois distintos transitórios ocorrem:

1) O primeiro transitório envolve a fonte e o capacitor chaveado (C2),


2) O segundo envolve o capacitor que se encontrava energizado (C2) e o que
está sendo chaveado (C1).
O segundo efeito é muito mais relevante que o primeiro: É usual tratar o
transitório considerando apenas o fenômeno entre os dois capacitores
conforme a seguir ilustrado.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Na figura admite-se que a tensão do


capacitor já energizado (C2) é igual à da
fonte, ou seja, despreza-se a queda de
tensão entre a fonte e o capacitor C2
quando a chave se encontrava aberta.

Os dois valores de capacitores podem ser assim combinados:

O valor aproximado do pico da corrente transitória será:


Vm ( pu )
I tm ( pu ) =
X L ( pu ) × X C( pu )
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Desligamento de Banco de Capacitores

¾ A operação de desligamento de capacitores pode apresentar condições


drásticas de operação e tem sido tradicionalmente um desafio para os
engenheiros envolvidos com as técnicas de chaveamentos.

¾ Será apresentado eventos que ocorrem antes e após a operação de


desligamento do capacitor:
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Desligamento sem Transitórios


Neste caso, a diferença do ângulo de fase entre a corrente e a tensão é de 90
graus. O capacitor encontra-se carregado com a tensão de pico da fonte no
momento da interrupção da corrente.

O capacitor, agora isolado da fonte,


mantém sua carga (figura (b)).
Com este armazenamento de tensão,
(figura(c)), depois de transcorrido
meio ciclo, a tensão através dos
contatos da chave atinge um valor
igual a 2 vezes o valor de pico da
fonte, valor este, potencialmente
perigoso.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

¾ Muitos disjuntores quando solicitados a interromper uma carga ou corrente


de falta, não conseguem extinguir o arco na primeira vez em que a corrente se
anula; ao invés disso, esperam até que se tenha estabelecido um “gap”
suficientemente grande para melhorar a possibilidade de êxito na operação.

¾ No caso de chaveamento de capacitância, a corrente é, em geral, pequena,


de forma que é comum que o disjuntor interrompa a corrente no seu primeiro
valor zero. Se isto ocorre logo depois da separação dos contatos, aparecerá
uma tensão de 2Vm entre eles enquanto a sua separação é pequena. Deste
modo há a possibilidade de reignição do arco.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Com base no circuito abaixo, pode-se determinar a expressão de I(t) após a


ocorrência da reignição:

dI
L + VC ( t ) = Vm cos ωt
dt

Vm − VC ( 0 ) Vm − VC ( 0 )
I( t ) = sen ω0 t = sen ω0 t
ω0 L Z0

Onde “Vm – VC(0)” é a tensão entre os terminais do disjuntor quando este


retornar a conduzir.

VEJAMOS ALGUNS EXEMPLOS NUMÉRICOS


Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br

Exemplo
Determinar o pico de corrente após a primeira reignição que poderá ocorrer
quando do desligamento de um banco de capacitores trifásico de 5000 kVAr,
15kV, 60 Hz. Sabe-se que a indutância do sistema de alimentação é 1 mH.

5000 5000 × 10 −3
In = = 192 ,45 A C= = 58,94 μF
3 × 15 377 × 15 2

Vm − VC ( 0 ) 2 × 2 × 15
I max = = = 5946,76 A
Z0 1 × 10−3

58,94 × 10 −6

Este resultado é cerca de 31 vezes a corrente nominal do banco de capacitores.


Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP
A seguir apresenta-se uma operação
conprove@conprove.com.br
imprópria de uma chave seccionadora em
uma SE de alta tensão.
Transitórios Eletromagnéticos Usando o Software ATP

conprove@conprove.com.br