You are on page 1of 61

Problemas de Qualidade de Energia:

Causas, Efeitos, Medições, Soluções,


Casos Reais

Eng. Jose Starosta


Agenda
• Principais fenômenos associados à qualidade de
energia:
– Afundamentos de tensão, sobretensões, transientes,
distorções de forma de onda de corrente e tensão
(harmônicas), variação de frequência, flicker,
desbalanceamento de tensão;
– Normas aplicáveis (IEEE, IEC e modulo 8 Prodist-ANEEL)
• Medições dos fenômenos de QE: conceitos e
aplicações
• Causas e efeitos dos fenômenos / suportabilidade das
cargas e aspectos de fontes
• Soluções típicas; Projetos e Recomendações práticas
Objetivos da monitoração (medições)
da Qualidade de Energia
• Dados estatísticos da QE
• Contratos e atendimento a
especificações QE (“compliance”)
• Solução de problemas de QE
• Ações corretivas
• Perdas de processo ($$$)
Medições em instalações elétricas
• Em laboratório; inspeção e testes de
componentes da instalação, etc
• Em condição de paradas em
manutenção (trafos, disjuntores, etc)
• Em regime de operação, medições
de variáveis elétricas. Aspectos de
comportamento de fontes, cargas,
capacitores, filtros, etc.
!!!!!!!!!!
Qualidade da energia - fenômenos

• Os fenômenos de qualidade de energia


normalmente são definidos e avaliados
no domínio do tempo (distorções da
senóide).
• Alguns eventos podem ser observados
em valores eficazes desde que a
integração ocorra ciclo a ciclo.
Valores médios, integrados Análise de potência e Tensões
(D ou FP em intervalos de integradas em alguns ciclos,
15 min ou FP em 1 hora segundos,minutos, horas..

Domínio da frequência
Medição “Quantidade de Energia”
X
Medição “Qualidade de Energia”

Dominio do tempo
Afundamentos, Análise da qualidade de
transientes, FO, energia > 512-1024 amostras
harmônicas, etc por ciclo
V

-500
-400
-300
-200
-100
0
100
200
300
400
500
0,0000
0,0070
0,0140
0,0210
0,0280
0,0350

normal
0,0420
0,0490
0,0560
0,0630
0,0700
0,0770

afundamento
0,0840
0,0910
0,0980
transiente

0,1050
0,1120
0,1190
0,1260
0,1330

t-s
0,1400
0,1470
0,1540
Tensão-220V-60Hz

0,1610
0,1680
Sobretensão

0,1750
0,1820
0,1890
Interrupção

0,1960
0,2030
0,2100
0,2170
0,2240
0,2310
normal

0,2380
0,2450
0,2520
0,2590
Por que Limites? Para que servem?
• Cargas elétricas são alimentadas por diversos tipos de fontes
(concessionaria/gerador/UPS) e preveem em sua operação
normal premissas de alimentação baseadas em tolerâncias
(Ex:Tensão em regime permanente entre 190V a 240V;
THDV max 5%, tensão mínima de 180V por 1 ciclo, etc)
• Se em qualquer instante ou em qualquer ponto da instalação,
uma destas premissas mínimas de atendimento não ocorra,
pondo em risco a operação destas cargas, estará ocorrendo
um problema na qualidade da energia da planta.
• De nada adianta SÓ conhecer a tensão, mas o que teria
causado o seu (desvio de) comportamento (razões de fonte e
carga)
• E de quem é o problema? Concessionária? Planta?
• Causa? Efeitos? Como interpretar e tomar a decisão
correta?
• Por fim as ações corretivas devem atender que situação
desejável?
• Soluções corretivas devem atender o “grau máximo” de
QE? Em outras palavras, qual o custo de uma THDV=0
e 1%-2%? E afundamentos? e fator de potencia?
• Conclusão: Os limites são extremamente uteis para a
dimensão da solução (técnica e econômica)
• As soluções a serem adotadas devem sobretudo
incorporar aumento de confiabilidade e eficiência às
instalações e processos
• Normas se referenciam aos “PAC´s” ou “PCC´s” (???)
“tropicalização” : PCC/PAC = “ponto de entrega”

AT, MT
BT

“o ponto da rede de distribuição da concessionária de energia mais


próximo ao consumidor vizinho da instalação em análise” –
proposta na revisão da IEEE 519
Aspectos considerados na Qualidade do Produto
em regime permanente ou transitório
Algumas considerações do modulo 8 - PAC

REGIME PERMANENTE

DESEQUILIBRIO DE TENSÃO

Ref: <=2%
HARMÔNICAS
FLUTUAÇÃO DE TENSÃO

FATOR DE POTÊNCIA
Classificação geral de eventos QE
V pu
10
Transiente osc. media frequencia
5-500kHz
Transiente osc. baixa frequencia
< 5 kHz
sobretensao
swell instantaneo swell momentaneo swel l t empor ar i o
1
sag
Transiente osc. alta Instantaneo - 0,5 a 30 ciclos sub-tensao
frequencia - 0,5-5M Hz Momentaneo - 30 ciclos a 3 segundos
Temporario -3 segundos a 1 minuto

0,1

Interrupcao
0,01

2 minutos>
1ms

48ms-3ciclos

160ms-10ciclos
0,3 ms

16ms-1ciclo
8ms-1/2ciclo

1 minuto
20us
1us

5us

30ciclos

10s

30s
50 ns

3s
1s - 60 ciclos
0

ts-5ns
ts-1us
Transientes impulsivos- ts tempo de subida ts-0,1ms
Algumas questões
• Modulo 8 e outras (IEC61000-4; IEEE 519;IEEE 1159 )
tratam do PAC
• Todos os pontos da instalação devem guardar
compatibilidade entre regime de operação da fonte e
tolerância da carga.
• Distorções de tensão são maiores quanto mais distantes
da fonte são os barramentos (maior impedância)
• Monitoração deve ser “plena” e não somente no PAC.
• Correção nos pontos de não conformidade.
Muitas vezes as coisas podem não sair como planejadas
O que aconteceu no
terceiro andar; Osmar?

P i s c o u !!!!
Disponibilidade
Acertabilidade
de conhecimento
100% To Fu!.!!!

Controladores

Medidores clássicos
Informação?

Source of Information Informação?


Sei lá!!!
0% Conhecimento
Quando O que De onde Porque O que fazer
Como entender o jogo???
Relações de dependência das
variáveis elétricas
V I Q P THDV THDI Possível
causa
Carga

Fonte

Ressonância

Efeito normal
de CR
Como analisar?
Qual instrumento?

R$ 50,00 a R$ 50.000,00
Taxa de aquisição de dados
100%
Evento em 64
Voltage

amostras por ciclo –


Afundamento?
-100%

100%
Mesmo evento com
Voltage

1,024 amostras por


cilco– Transientes!
-100%
Valores médios e Monitoração rápida

O que queremos?
Medir quantidade ou medir qualidade?
• Normas recomendam períodos médios para os
parâmetros
• O que se pode obter com as médias?:
– Poucos recursos necessários, como pouco espaço
para armazenamento de dados.
– Mais leituras
– Informações similares em todos analizadores.
• O que causam as “médias” :
– Informações importantes e vitais com aspectos de
QE ficam escondidas
– Sem condições de entendimento da rede e
propagação dos eventos
Período de
integração-
valores rms

v Média de 10 minutos =Tensão está abaixo de 207V 3.5% do tempo (nominal 230V
menos 10%)
v Média de 1 minuto = Tensão está abaixo de 207V 28% do tempo.

v Monitoração ciclo a ciclo da tensão RMS é essencial para especificar soluções


IECValores
61000-4-30
rms:em
media a cadade
sistema 10/12 Ciclos!!!!
solda
Current [A] Voltage [V]

5000 400
Voltage IEC 61000-4-30
4500 390
one voltage drop
4000 380 14v, 70 cycles
3500 370

3000 360 Sliding Window


Current
2500 350 Average
2000 340
one voltage drop
17v, 70 cycles
1500 330

1000 320

500 310 Cycle-by Cycle


0 300 5 different voltage
Cycle 1 4 7 10 13 16 19 22 25 28 31 34 37 40 43 46 49 52 55 58 61 64 67 70 73 76 79 82 85 88 91 94
drops
Fixed Average Sliding Window Average Cycle Current 17-23v, 11 cycles
Fixed Average Sliding Window Average Cycle Voltage
Análise da propagação de eventos
Voltage

100%

90%

Segundo Primeiro
Evento Evento Primeiro Segundo
80% Evento Evento
Análise Multiponto Tempo de propagação
• Time synchronization allows time delay
Voltage

100% analysis

90%

80%

First Event

0.1 Sec/Div
Case: sistema de pintura - ressonância

Capacitores fixos desligados


Case: Afundamento em
prédio comercial
CASE: Afundamento
com corte de tensão
por razões internas
274 V
em prédio comercial

114V

10.081.950 10.082.090

10.081.950 10.082.090
Vínculo entre as variáveis elétricas:
Q FP

THDV
Pf
THDI

UI
Ações corretivas:
• Medições adequadas do comportamento das variáveis
elétricas
• Diagnóstico e análises dos registros; análise de não
conformidades no suprimento (PAC)
• Avaliação da instalação e incompatibilidade de componentes
(capacitores e harmônicas, sobrecargas, circuitos (neutro)
inadequados, proteções e configuração
• Substituição e inserção de equipamentos (geradores back-
up, UPS, filtros, capacitores antirressonantes e tempo de
manobra adequada, DPS)
Aplicação de filtro ativo de harmônicas 360 A
O filtro de harmônicas é um “gerador de correntes harmônicas”
podendo equilibrar inclusive as correntes fundamentais nas
fases
THDV Filtro
ligado
Filtro
ligado

Filtro
desligado

THDI

Filtro Filtro
ligado ligado

Filtro
desligado
Filtro
ligado
THDV Filtro
ligado

Filtro
desligado

THDI
Filtro Filtro
ligado ligado
Filtro
desligado

Filtro
desligado

FP
Filtro Filtro
ligado ligado
corrente fundamental

harmônica de corrente de 5º ordem


Filtro ligado
Filtro
ligado
Filtro
desligado

harmônica de corrente de 7º ordem


Filtro ligado
Filtro ligado

Filtro
desligado
harmônica de corrente de 11º ordem

Filtro ligado Filtro ligado

Filtro
desligado
Corrente fundamental

harmônica de corrente de 13º ordem

Filtro ligado
Filtro ligado

Filtro
desligado

harmônica de corrente de 17º ordem

Filtro ligado
Filtro ligado

Filtro
desligado

harmônica de corrente de 19º ordem

Filtro ligado Filtro ligado

Filtro
desligado
Harmônica de tensão
fundamental

Filtro ligado
Filtro ligado Harmônica de tensão de 5º ordem

Filtro
desligado

Filtro ligado Filtro desligado Filtro ligado Harmônica de tensão de 7º ordem

Harmônica de tensão de 11º ordem

Filtro ligado
Filtro ligado

Filtro desligado
tensão fundamental

Filtro desligado
Harmônica de tensão de 13º ordem
Filtro ligado

Filtro ligado

Harmônica de tensão de 1 7º
ordem
Filtro
Filtro
ligado
ligado
Filtro
desligado

Harmônica de tensão de 19º


ordem
Filtro
Filtro
ligado
ligado

Filtro
desligado
O que acontece com as harmônicas em instalações de UPS?

Em operação normal: A rede “enxerga” o retificador e o inversor a carga


Em operação por BP ou por chave estática, a rede “enxerga” a carga
A INSTALAÇÃO DEVE ESTAR PREPARADA PARA AS DUAS SITUAÇÕES
Simulação de UPS com trafo secundário -fonte: transformador

Ztrafo 0,00722 ohm


13,2 % A Ztrafo V
380
13,2 kV rms 338
1000
380 V
I1 100% 316 0,007220 3,946002
5
1000 kVA
I5 30% 95 0,036100 5,919003
5%
I7 20% 63 0,050540 5,524403
I11 10% 32 0,079420 4,340602
I13 7% 22 0,093860 3,590862

UPS 380
380 V Irms/I 1,07
300 kVA
300
6 pulsos 789 Arms
THD 38% 2,6%
789
6 pulsos
6

380 V
Ztrafo 0,008067 ohm
220 V
380
300 kVA % A Ztrafo V
220
5% rms 525
300 I1 100% 448 0,008067 6,254821
5
I3 50,0% 224 0,024200 9,382231
I5 30,0% 134 0,040333 9,382231
90 %
200 kVA I7 14,3% 64 0,056467 6,254821

Carga I11 9,1% 41 0,088733 6,254821


90 I13 7,7% 34 0,104867 6,254821
200 Irms/I 1,172429
THD 61% 7,8%
Simulação de UPS com trafo secundário -fonte: gerador
380
380 V
G 1000
1000 kVA
Zger 0,020216 ohm
14 % A Ztrafo V
14 %
rms 338
I1 100% 316 0,020216 11,04881
I5 30% 95 0,101080 16,57321
I7 20% 63 0,141512 15,46833
380 I11 10% 32 0,222376 12,15369
UPS 380 V I13 7% 22 0,262808 10,05441
6 pulsos 300
300 kVA Irms/I 1,07
789
789 Arms THD 38% 7,3%
66 pulsos
Ztrafo 0,008067 ohm
% A Ztrafo V
380
380 V rms 525
220
220 V I1 100% 448 0,008067 6,254821
300
300 kVA I3 50,0% 224 0,024200 9,382231
55 % I5 30,0% 134 0,040333 9,382231
I7 14,3% 64 0,056467 6,254821
I11 9,1% 41 0,088733 6,254821
Carga I13 7,7% 34 0,104867 6,254821
9090 % Irms/I 1,172429
200
200 kVA THD 61% 7,8%
APLICAÇÕES EM CARGAS NERVOSAS
• Sistemas de Soldas
• Prensas
• Pontes Rolantes
• Compressores/bombas
• Papel, plástico, borracha
• Guindastes/Elevadores
• ... E tudo aquilo que afunda e/ou distorce a onda da
tensão de alimentação incluindo fontes com baixa
capacidade
L ib r a T er m in a is - S ta r t u p - P T 0 2
A ç ã o E n g e n h a r i a e I n st a l a ç õ e s L t d a

750
]

500
I [A

250

0
r ]

150
A

100
V

50
[k

0
Q

-5 0

1 3 :2 3 :0 1 1 3 :2 3 :5 6 1 3 :2 6 :0 7 1 3 :2 8 :1 8 1 3 :3 0 :2 3 1 3 :3 2 :2 5 1 3 :3 4 :3 5 1 3 :3 6 :4 6 1 3 :3 8 :5 1 1 3 :4 0 :5 6 1 3 :4 3 :0 2 1 3 :4 5 :0 4 1 3 :4 7 :0 6 1 3 :4 9 :1 9 1 3 :5 1 :2 3 1 3 :5 3 :2 7
T im e [H H :M M :S S ]
L ib r a T er m in a is - S t a r t u p - P T 0 2
A ç ã o E n g e n h a r i a e I n st a l a ç õ e s L t d a

1 7 ,5
THDV de 8/10% para
tp

1 5 ,0
5%
p
] V

1 2 ,5
[%

1 0 ,0
D
H

7 ,5
T

5 ,0

2 ,5

1 3 :3 2 :5 0 1 3 :3 3 :2 5 1 3 :3 4 :0 0 1 3 :3 4 :3 5 1 3 :3 5 :1 1 1 3 :3 5 :4 9 1 3 :3 6 :2 3 1 3 :3 6 :5 5 1 3 :3 7 :3 0 1 3 :3 8 :0 3 1 3 :3 8 :3 7 1 3 :3 9 :1 0 1 3 :3 9 :4 2 1 3 :4 0 :1 6 1 3 :4 0 :5 1 1 3 :4 1 :2 6
T im e [H H :M M :S S ]
L ib r a T er m in a is - S ta r t u p - P T 0 2
A ç ã o E n g e n h a r i a e I n st a l a ç õ e s L t d a

175
Atenuação da 5ª harmônica na
150 rede aprox. 50%
]

125
[A
5

100
I:H

75

50

25

0
1 3 :2 3 :0 1 1 3 :2 3 :5 6 1 3 :2 6 :0 7 1 3 :2 8 :1 8 1 3 :3 0 :2 3 1 3 :3 2 :2 5 1 3 :3 4 :3 5 1 3 :3 6 :4 6 1 3 :3 8 :5 1 1 3 :4 0 :5 6 1 3 :4 3 :0 2 1 3 :4 5 :0 4 1 3 :4 7 :0 6 1 3 :4 9 :1 9 1 3 :5 1 :2 3 1 3 :5 3 :2 7
T im e [H H :M M :S S ]
L ib r a T er m in a is - S t a r t u p - P T 0 2
]

A ç ã o E n g e n h a r i a e I n st a l a ç õ e s L t d a
[V
tp

440
p

420
V

750
]

500
A I r [ ]A

250
0
200
V
p[ k t p

0
]Q V

-2 0 0
15
[%

10
D

5
H
T

1 3 :3 0 :0 4 1 3 :3 1 :0 9 1 3 :3 2 :1 5 1 3 :3 3 :2 5 1 3 :3 4 :3 5 1 3 :3 5 :4 9 1 3 :3 6 :5 5 1 3 :3 8 :0 3 1 3 :3 9 :1 0 1 3 :4 0 :1 6 1 3 :4 1 :2 6 1 3 :4 2 :3 2 1 3 :4 3 :3 9 1 3 :4 4 :4 5 1 3 :4 5 :5 2 1 3 :4 6 :5 7
T im e [H H :M M :S S ]
Disponibilidade
Acertabilidade
de conhecimento
100%

Fontes de informação:
Controllers
Medições contínuas das informações
disponíveis o tempo todo em 1024
Power meters
amostras/ciclo com tecnologia de
compressão deEducated guess
arquivos
Source of Information Educated guess
0% Conhecimento
Quando O que De onde Porque O que fazer
Agora sim; Osmar!
OBRIGADO
Eng. Jose Starosta, MSc
jstarosta@acaoenge.com.br
www.acaoenge.com.br