You are on page 1of 6

História da Grécia Antiga

ESQUEMA - RESUMO
- Povoamento da Grécia:
2000 AC: pastores e agricultores ocuparam a Península do Peloponeso
Geografia: Terreno Montanhoso
- dificultou o contato entre as cidades
- formação de cidades-estados (pólis)
- muitas ilhas: favoreceu o comércio marítimo e portos
Atenas: o berço da democracia- democracia: governo do povo
- as assembléias
- cidadãos: homens, nascidos na cidade, adultos e livres
- Escravidão: dívidas e guerras
- Atenas: desenvolvimento artístico, filosófico e cultural
Esparta: a cidade guerreira- formação de soldados para a guerra
- educação militar
- soldados: falar pouco
- mulher: deveria ser uma “boa reprodutora”
Religião Grega- Politeísta : Zeus (deus dos deuses) / Poseidon (deus dos mares) /
Hades (deus dos mortos) / Ares (deus da guerra) Afrodite ( deusa do amor)
- deuses: aparência e comportamento de humanos
Mitologia Grega- explicações e transmissão de mensagens
Arte Grega :
- imitação da realidade (esculturas e teatro grego )
A origem das Olimpíadas na Grécia
- homenagem a Zeus
- esportes ao ar livre

História da Grécia Antiga


Expansão grega, sociedade grega, mitologia grega, arte grega, economia,
civilização grega, religião, pólis,
cidades-estados, Atenas e Esparta, cultura grega, Olimpíadas, Guerra do
Peloponeso, mapa da Grécia, resumo

Introdução
A civilização grega surgiu entre os mares Egeu, Jônico e Mediterrâneo, por volta de
2000 AC. Formou-se após a migração de tribos nômades de origem indo-européia,
como, por exemplo, aqueus, jônios, eólios e dórios. As pólis (cidades-estado), forma
que caracteriza a vida política dos gregos, surgiram por volta do século VIII a.C. As duas
pólis mais importantes da Grécia foram: Esparta e Atenas.

Expansão do povo grego (diáspora)

Por volta dos séculos VII a.C e V a.C. acontecem várias migrações de povos gregos a
vários pontos do Mar Mediterrâneo, como conseqüência do grande crescimento
populacional, dos conflitos internos e da necessidade de novos territórios para a prática
da agricultura. Na região da Trácia, os gregos fundam colônias, na parte sul
da Península Itálica e na região da Ásia Menor (Turquia atual). Os conflitos e
desentendimentos entre as colônias da Ásia Menor e o Império Persa ocasiona as
famosas Guerras Médicas (492 a.C. a 448 a.C.), onde os gregos saem vitoriosos.
Esparta e Atenas envolvem-se na Guerra do Peloponeso (431 a.C. a 404 a.C.), vencida
por Esparta. No ano de 359 a.C., as pólis gregas são dominadas e controladas pelos
Macedônios.
Economia da Grécia Antiga
A economia dos gregos baseava-se no cultivo de oliveiras, trigo e vinhedos. O
artesanato grego, com destaque para a cerâmica, teve grande a aceitação no Mar
Mediterrâneo. As ânforas gregas transportavam vinhos, azeites e perfumes para os
quatro cantos da península. Com o comércio marítimo os gregos alcançaram grande
desenvolvimento, chegando até mesmo a cunhar moedas de metal. Os escravos,
devedores ou prisioneiros de guerras foram utilizados como mão-de-obra na Grécia.
Cada cidade-estado tinha sua própria forma político-administrativa, organização social
e deuses protetores.

Cultura e religião

Foi na Grécia Antiga, na cidade de Olímpia, que surgiram os Jogos Olímpicos em


homenagem aos deuses. Os gregos também desenvolveram uma rica mitologia. Até os
dias de hoje a mitologia grega é referência para estudos e livros. A filosofia também
atingiu um desenvolvimento surpreendente, principalmente em Atenas, no século V (
Período Clássico da Grécia). Platão eSócrates são os filósofos mais conhecidos deste
período.
A dramaturgia grega também pode ser destacada. Quase todas as cidades gregas
possuíam anfiteatros, onde os atores apresentavam peças dramáticas ou comédias,
usando máscaras. Poesia, a história , artes plásticas e a arquitetura foram muito
importantes na cultura grega.
A religião politeísta grega era marcada por uma forte marca humanista. Os deuses
possuíam características humanas e de deuses. Os heróis gregos (semi-deuses) eram
os filhos de deuses com mortais. Zeus, deus dos deuses, comandava todos os demais
do topo do monte Olimpo. Podemos destacar outros deuses gregos : Atena (deusa das
artes), Apolo (deus do Sol), Ártemis (deusa da caça e protetora das
cidades), Afrodite (deusa do amor, do sexo e da beleza corporal), Démeter (deusa das
colheitas), Hermes (mensageiro dos deuses) entre outros. A mitologia grega também
era muito importante na vida desta civilização, pois através dos mitos e lendas os
gregos transmitiam mensagens e ensinamentos importantes.
Os gregos costumavam também consultar os deuses no oráculo de Delfos. Acreditavam
que neste local sagrado, os deuses ficavam orientando sobre questões importantes da
vida cotidiana e desvendando os fatos que poderiam acontecer no futuro

Na arquitetura, os gregos ergueram palácios, templos e acrópoles de mármore no topo de


montanhas. As decisões políticas, principalmente em Atenas, cidade onde surgiu
a democraciagrega, eram tomadas na Ágora (espaço público de debate político).

QUESTÕES
1. "Os deuses, quaisquer que tenham sido as suas origens longínquas, nada mais são do
que seres humanos, maiores, mais fortes, mais belos, eternamente jovens; adquiriram não
só a forma humana, mas também os sentimentos, as paixões, os defeitos e até os vícios
dos homens; o mundo divino apresenta, portanto, uma imagem engrandecida, mas não
depurada da humanidade."
(A. Jardé, A GRÉCIA ANTIGA E A VIDA GREGA, 1977)

Usando as informações contidas no texto e outras que você dispõe sobre o assunto, cite
cinco características da religião na Grécia Antiga.

2. "Usamos a riqueza mais como uma oportunidade para agir que como um motivo de
vanglória; entre nós não há vergonha na pobreza, mas a maior vergonha é não fazer o
possível para evitá-la... olhamos o homem alheio às atividades públicas não como alguém
que cuida apenas de seus próprios interesses, mas como um inútil... decidimos as questões
públicas por nós mesmos, ou pelo menos nos esforçamos por compreendê-las claramente,
na crença de que não é o debate que é o empecilho à ação, e sim o fato de não se estar
esclarecido pelo debate antes de chegar a hora da ação".

Esta passagem de um discurso de Péricles, reproduzido por Tucídides, expressa:


a) os valores ético-políticos que caracterizam a democracia ateniense no período clássico.
b) os valores ético-militares que caracterizaram a vida política espartana em toda a sua
história.
c) a admiração pela frugalidade e pela pobreza que caracterizou Atenas durante a fase
democrática.
d) o desprezo que a aristocracia espartana devotou ao luxo e à riqueza ao longo de toda a
sua história.
e) os valores ético-políticos de todas as cidades gregas, independentemente de sua forma
de governo.

3. "O escravo torna possível o jogo social, não porque garanta a totalidade do trabalho
material (isso jamais será verdade), mas porque seu estatuto de anticidadão, de estrangeiro
absoluto, permite que o estatuto do cidadão se desenvolva; porque o comércio de escravos
e o comércio simplesmente, a economia monetária, permitem que um número bem
excepcional de atenienses sejam cidadãos."
(Pierre Vidal-Naquet, TRABALHO E ESCRAVIDÃO NA GRÉCIA ANTIGA.)

Esse desenvolvimento paralelo da escravidão e da cidadania obrigou os atenienses a


realizarem sucessivas reformas políticas.
Discorra sobre o papel de Clístenes nesse processo.

4. Com o advento da democracia na pólis grega durante o período clássico, foram:


a) abandonados completamente os ideais de autarquia da pólis, de glorificação da guerra e
a visão aristocrática da sociedade e da política, que haviam caracterizado os períodos
anteriores.
b) introduzidos novos ideais baseados na economia de mercado, na condenação da guerra
e na valorização da democracia, mais condizentes com a igualdade vigente.
c) preservados os antigos ideais de autarquia, da guerra, da propriedade da terra, do ócio,
como valores positivos.
d) recuperadas antigas práticas do período homérico - abandonadas no período arcaico -
como a escravidão em grande escala e o imperialismo econômico.
e) adaptados aos antigos ideais aristocráticos e de autarquia (do período homérico e
arcaico) os novos ideais de economia de mercado do período clássico.

5. "Há muitas maravilhas mas nenhuma é tão maravilhosa quanto o homem. ...homem de
engenho e artes inesgotáveis... soube aprender sozinho a usar a fala e o pensamento mais
veloz que o vento... sagaz de certo modo na inventiva além do que seria de esperar e na
destreza, que o desvia às vezes para a maldade, às vezes para o bem...."
(ANTÍGONA, Sófocles, 497 - 406, a.C.)

"Este animal previdente, sagaz, complexo, penetrante, dotado de memória, capaz de


raciocinar e de refletir, ao qual damos o nome de homem... Único entre todos os vivos e
entre todas as naturezas animais, só ele raciocina e pensa. Ora, o que há... de mais divino
que a razão, que chegada à maturidade e à sua perfeição é justamente chamada de
sabedoria?"
(SOBRE AS LEIS, Cícero, 106 - 43, a.C.)

"Eu não te dei, Adão, nem um lugar predeterminado, nem quaisquer prerrogativas.... Tu
mesmo fixarás as tuas leis sem estar constrangido por nenhum entrave, segundo teu livre
arbítrio, a cujo domínio te confiei.... Poderás degenerar à maneira das coisas inferiores, que
são os brutos, ou poderás, segundo tua vontade, te regenerar à maneira das superiores,
que são as divinas."
(SOBRE A DIGNIDADE DO HOMEM, Pico della Mirandola, 1463 - 1494)

a) Qual o assunto dos textos e como é denominada a concepção neles presente?


b) Qual a relação existente entre o universo cultural de Pico della Mirandola e o de Sófocles
e Cícero?

6. Para a historiadora francesa J. Romillys, a Guerra do Peloponeso foi o "suicídio profundo


da Grécia das Cidades".
a) O que foi a Guerra do Peloponeso?
b) Por que a autora afirma que a guerra foi o "suicídio" das cidades-Estado gregas?

7. As agitações sociais e políticas vivenciadas pelos atenienses no Século VI a.C. colocaram


em evidência certos legisladores e tiranos. Indique duas contribuições de Sólon para atenuar
os conflitos.

8.As cidades-Estados, base da organização política que caracterizou o povo grego,


a) mantinham política comum.
b) eram politicamente autônomas.
c) possuíam princípios religiosos antagônicos.
d) possuíam uma organização econômica solidária.
e) estavam unidas na política de organização do Mediterrâneo.

9."Então Alexandre aproximou-se ainda mais dos costumes bárbaros que ele também se
esforçou em modificar mediante a introdução de hábitos gregos, com a idéia de que essa
mistura e essa comunicação recíproca de costumes dos dois povos... contribuiria mais do
que a força para solidificar seu poder..."
(Plutarco, VIDAS PARALELAS)
O texto trata da política de conquista de Alexandre o Grande.
a) Quem eram os bárbaros?
b) No que consistiu a sua política de conquista?

10. A civilização grega atingiu extraordinário desenvolvimento. Os ideais gregos de liberdade


e a crença na capacidade criadora do homem têm permanente significado. Acerca do
imenso e diversificado legado cultural grego, é correto afirmar que:
a) a importância dos jogos olímpicos limitava-se aos esportes.
b) a democracia espartana era representativa.
c) a escultura helênica, embora desligada da religião, valorizava o corpo humano.
d) os atenienses valorizavam o ócio e desprezavam os negócios.
e) poemas, com narrações sobre aventuras épicas, são importantes para a compreensão
do período homérico.

11. As agitações sociais e políticas vivenciadas pelos atenienses no Século VI a.C.


colocaram em evidência certos legisladores e tiranos. Indique duas contribuições de Sólon
para atenuar os conflitos.
12. "A Constituição que nos rege nada tem de invejar à dos outros povos; não imita
nenhuma; ao contrário serve-lhes de modelo. Seu nome é democracia, porque não funciona
no interesse de uma minoria mas em benefício do maior número. Tem por princípio
fundamental a igualdade. Na vida privada, a lei não faz diferença alguma entre os cidadãos.
Na vida pública a consideração não se ganha pelo nascimento ou pela fortuna, mas,
unicamente, pelo mérito; e não são as distinções sociais, mas a competência e o talento que
abrem o caminho das honrarias. Em Atenas, todos entendem de política e se preocupam
com ela; e aquele que se mantém afastado dos negócios públicos é considerado um ser
inútil. Reunidos em Assembléia; os cidadãos sabem julgar corretamente quais são as
melhores soluções, porque não acreditam que a palavra prejudique a ação e, pelo contrário,
desejam que a luz surja da discussão."
(De um discurso de Péricles, apud Tucídites, HISTÓRIA DA GUERRA DO PELOPONESO,
século V a.C.)

Este trecho do discurso de Péricles, que define a democracia ateniense, reflete intensa
atualidade em relação aos estados democráticos contemporâneos. Explique porquê.

13. Sobre a religião grega, é correto afirmar que:

(01) Baseava-se em dogmas rigorosos e seus fiéis deveriam crer em verdades absolutas.
(02) Cada cidade-Estado tinha sua divindade protetora.
(04) Heróis como Perseu, Jasão, Édipo e Hércules eram divinizados.
(08) As orações dirigidas aos deuses imploravam principalmente a salvação da alma dos
homens.
(16) As aventuras dos deuses e heróis são narradas em um conjunto de mitos, o qual se
denomina "Mitologia Grega".

Soma = ( )

14. A sociedade ateniense dos séculos V e IV a.C. e a sociedade romana do século II a.C.
ao século II d.C. caracterizaram-se, do ponto de vista socio-econômico, pela utilização
maciça e generalizada da mão-de-obra escrava. Um aspecto que APROXIMAVA o
escravismo ateniense do escravismo romano era
a) a concessão aos escravos de personalidade jurídica, o que lhes garantia, mesmo privados
de liberdade, a capacidade legal de herdar, testar, iniciar processo criminal, testemunhar em
juízo e contrair matrimônio com pessoa livre.
b) a crescente especialização dos ofícios entre os escravos e os trabalhadores livres,
reservando-se aos primeiros as atividades relacionadas à agricultura, à mineração e ao
pastoreio, enquanto que os últimos se incumbiam do comércio e do artesanato urbanos.
c) a extrema concentração territorial de escravos possuindo a mesma origem étnica, o que
possibilitou o desenvolvimento de uma consciência de classe, expressa nas revoltas em prol
do fim da escravidão, dentre as quais se destaca a liderada por Espartaco, em 73 a.C.
d) o aviltamento do trabalho escravo, com a conversão de seres humanos em meios inertes
de produção, privados de todo direito social, assimilados a bestas de carga e reduzidos a
objetos padronizados de compra e venda nos mercados urbanos.
e) o estímulo à concorrência entre trabalho livre e trabalho escravo, o que resultou nos
violentos protestos sustentados por cidadãos e estrangeiros com o intuito de defender os
interesses dos assalariados urbanos e rurais, ameaçados de desemprego.

15. "A cidade-estado era um objeto mais digno de devoção do que os deuses do Olimpo,
feitos à imagem de bárbaros humanos. A personalidade humana, quando emancipada, sofre
se não encontra um objeto mais ou menos digno de sua devoção, fora de si mesma."
(Toynbee, Arnold J. HELENISMO, HISTÓRIA DE UMA CIVILIZAÇÃO)

Na antigüidade clássica, as cidades-estados representavam


a) uma forma de garantir territorialmente a participação ampla da população na vida política
grega.
b) um recurso de expansão das colônias gregas.
c) uma forma de assegurar a independência política das cidades gregas entre si.
d) uma característica da civilização helenística no sistema político grego.
e) uma instituição política helenística no sistema político grego.

GABARITO
2-A, 4-C, 8-B, 10-E, 13: 2+16=18, 14-D, 15-C,