You are on page 1of 16

©

Dengue I:
4 brincando para
descobrir novidades
Rosane M. S. Meirelles
Lucia M. Ballester
Genilton J. Vieira
Heloisa M. N. Diniz
Tania C. Araújo-Jorge
Imagem: Genilton J. Vieira

Atividade 1:
Conhecendo as diferenças entre os gêneros dos mosquitos
Culex quinquefasciatus e Aedes aegypti
Atividade 2:
Conhecendo as diferenças entre mosquitos do mesmo gênero:
Aedes aegypti e Aedes albopictus
Atividade 3:
Descobrindo o ciclo de vida do Aedes aegypti no ambiente aquático
Atividade 4:
Descobrindo o ciclo de vida completo do mosquito Aedes aegypti:
da reprodução ao nascimento

htm ! http://dtr2001.br/dengue/folder/folder_dengue_fev2004.pdf ! http://www. os resultados obtidos e as conclusões tiradas. Bacharelado e Licenciatura em Ciências Biológicas na UGF (Brasil 1975).prdu. e tais informações podem auxiliar o estudante a construir seus conhecimentos sobre o tema.br/artigos/aedes_aegypti. Pesquisador Titular Instituto Oswaldo Cruz/Fiocruz.pdf ! http://www.gov.pgr.unicamp.html ! http://www. brasileiro. Para controlar a Dengue é preciso aprofundar o conhecimento sobre o vetor da doença.who.htm ! http://www.fiocruz. para ser um verdadeiro "diário de bordo" do laboratório.prefeitura. O material é aplicável ao Ensino Fundamental.drauziovarella.saude. e/ou como auxílio no desenvolvimento de estratégias educativas e de motivação.mpf. Mestrado em Zoologia/Entomologia na UFRJ (Brasil 1983).htm ! Anthony Érico Guimarães.htm ! http://www.net/educacao_seresvivos_invertebados_artropodes.int/topics/dengue/en/ ! http://www. .br/material/entomologia/aedes.ufrgs.unicamp. O Brasil tem uma grande diversidade de mosquitos. silvestres e sob impacto ambiental. desde 1980.org/english/ad/dpc/cd/dengue. A Dengue foi escolhida por ser uma virose grave que afeta as pessoas e ainda continua sendo um dos principais problemas de saúde pública no mundo. Registrando descobertas: O registro de todo o trabalho realizado é essencial na investigação científica. mas este fascículo traz informações somente sobre pernilongos (gênero Culex) e sobre o mosquito transmissor do vírus da Dengue (gênero Aedes).htm ! http://www.gov. Fiocruz. É importante anotar o procedimento das experiências realizadas.br/ccs/glossario/dengue_vetor. mas podem ser utilizadas também em outros segmentos do ensino.htm ! http://www. contextua- lizando temas de Ciências. Os desafios e perguntas propostos em cada atividade também podem ser registrados. especialmente nos países tropicais como o Brasil. OLIVEIRA RL 1994. As atividades podem servir como guia para o professor.asp ! http://www. Doutorado em Parasitologia na UFRRJ (Brasil-1998).br/pgr/saude/doencas/dindex. O roteiro de Protocolo sugere os ítens que são desenvolvidos em todas as investigações científicas.com. Uma folha do Caderno de Protocolos acompanha os fascículos de “Com Ciência na Escola”.fmt.am.br/para-site/Imagensatlas/Athropoda/Aedes.paho.(consultor do fascículo) ! CONSOLI RGB. Rio de Janeiro. seu ciclo de vida e as condições ambientais favoráveis para sua reprodução.gov. Com Ciência na escola © 4 Apresentação Este fascículo apresenta sugestões de quatro atividades lúdicas abordando aspectos da biologia do mosquito transmissor do vírus da Dengue. a morfologia e hábitos de vida dos mosquitos. Material necessário para a realização das atividades: ! tesoura ! lápis ! caderno de protocolos Referências: ! http://www.portalbrasil. Ecologia e Taxonomia de Mosquitos (Díptera: Culicidae) vetores de patógenos em áreas urbanas. Pós- Doutorado na University of Massachusetts Medical School (USA-2004).br/prefeitura/CA/DENGUE/3dengue_unicamp.br/svs/pub/Dengue/ipcv_002. Principais mosquitos de importância sanitária no Brasil. 228p. As atividades revelam informações e imagens sobre a biologia.

pratos de plantas. Para melhor compreen. duas equipes formadas por duplas: tos. Desafio: Dica: Montar o quebra-cabeça e anotar as Você poderá plastificar as peças do principais diferenças e semelhanças quebra-cabeça com adesivo transparen- entre os mosquitos. latas. Esta atividade pode ser utilizada entre der diferenças e semelhanças entre mosqui. É o principal transmis. ! Para preparar os quebra-cabeças. A fêmea do Aedes aegypti. eclodem dando início a um novo ciclo. Quando entram em contato com a água. encontrado em vários estados do Brasil. é A espécie Culex quinquefasciatus é um preciso recortar nas linhas pontilhadas mosquito caseiro conhecido no Brasil como e separar as peças. Com Ciência na escola © 4 Atividade 1: Conhecendo as diferenças entre os gêneros dos mosquitos Culex quinquefasciatus e Aedes aegypti Características morfológicas dos mosquitos auxiliam na classificação dos diferentes Passo a passo: gêneros e espécies. sugerimos o jogo de quebra-cabeça. Vieira Imagem: Genilton J. próximo do nível da água. respostas as diferenças e semelhan- O mosquito Aedes aegypti é o principal vetor ças percebidas entre as imagens e depois relatar para o grupo suas do vírus da dengue e da febre amarela e é descobertas. para maior durabilidade. após a cópula. te. importante comparar com a imagem sor de uma doença chamada filariose. Culex quinquefasciatus Aedes aegypti Imagem: Genilton J. Vieira Mosquito Culex quinquefasciatus após sugar o Mosquito Aedes aegypti sugando sangue. se em águas paradas altamente poluídas por ! O desafio final é anotar na folha de matéria orgânica. Dengue I: brincando para descobrir novidades 3 . garrafas. próximo a vilas e casas. que suga sangue prefe. Uma fêmea mede aproximadamente 7mm. suga sangue humano e coloca ovos (ovoposição) durante o dia. caixas d'água mal vedadas e piscinas sem uso. No Brasil o Aedes aegypti tem como Imagem: Rosane Meirelles criadouros preferenciais os mais variados recipientes de água domiciliares como pneus sem uso. é rencialmente a noite. fêmea mede aproximadamente 6mm. completa que acompanha o fascículo. pernilongo comum. Uma sangue. Cria. Os ovos são colocados na parede de qualquer recipiente. ! Uma vez montado o quebra-cabeça.

não foi associado à transmissão do vírus da dengue. No Desafio: Brasil. Você percebe diferenças entre eles? gue em países da Ásia. em áreas urbanas não se mostra tão los. Com Ciência na escola © 4 Atividade 2: Conhecendo as diferenças entre mosquitos do mesmo gênero: Aedes aegypti e Aedes albopictus A dengue é uma virose que pode ser transmi- tida pelos mosquitos do Gênero Aedes. É comum encontrarmos Aedes albopictus Passo a passo: nas matas e em regiões de floresta. no Brasil. eficiente e é considerado um transmissor eventual da dengue. amarela. Por ças encontradas no caderno de protoco- isso. onde Observar as figuras e anotar as diferen- prefere sugar sangue de outros animais. A espécie Aedes albopictus transmite o vírus da den. nos centros urbanos. Aedes aegypti Aedes albopictus Imagens: Leonardo Marcus Perim 4 Dengue I: brincando para descobrir novidades . mas até o momento. o mosquito Aedes aegypti é o princi- O Aedes aegypti e o Aedes albopictus pal vetor do vírus da dengue e da febre pertencem a um mesmo gênero.

Vieira Dengue I: brincando para descobrir novidades 5 . Vieira Aedes aegypti Imagem: Genilton J. Com Ciência na escola © 4 Atividade 1: Conhecendo as diferenças entre os gêneros dos mosquitos Culex quinquefasciatus e Aedes aegypti Quebra-cabeças Culex quinquefasciatus Imagem: Genilton J.

.

Dengue I: brincando para descobrir novidades 7 . rar com gabarito em anexo. Assim. Vieira Dica: Em caso de dúvida veja a seqüência completa na folha gabarito. ! Um grupo de 4 estudantes pode se. ! Utilize uma superfície plana para montagem da seqüência e interpreta- ção da composição das imagens. ! Depois faça o registro do relato de cada equipe sobre as imagens visuali- zadas. É através da metamorfose que os mos. Propomos podem realizar a mesma montagem e nesta atividade a construção de um jogo de marcar o tempo. onde o Coloque as cartas em uma seqüência mosquito passa por inúmeras fases até que julgue ser correta. ! Marque e compare o tempo total gasto pelas equipes para a montagem da seqüência. pode se reproduzir e permanecer durante toda a sua sua vida num ciclo que dura em média 45 dias. Descubra como é chegar à forma adulta. A primeira etapa da vida Desafio: ocorre dentro do ambiente aquático. montar a seqüência e depois compa- quitos encontram mecanismos para adapta. As anota- ções dos registros podem ser feitas em uma folha de papel. 13 e 15. ! Lendo a descrição das imagens da No ambiente aquático o mosquito passa por página 10 pode-se comparar os diferentes fases compreendidas entre fase tempos de duração de cada fase do de ovo. A segunda etapa o ciclo da vida do mosquito Aedes ocorre quando o mosquito fica adulto e voa aegypti no ambiente água. onde serão contextualiza. Os alunos e outros grupos mosquito adulto ou fase alada. Imagem: Genilton J. Solicite que os incluindo algumas curiosidades. larva e pupa até chegar a fase de ciclo. estudantes observem e realizem o registro das observações. Com Ciência na escola © 4 Atividade 3: Descobrindo o ciclo de vida do Aedes aegypti no ambiente aquático O ciclo de vida do mosquito ocorre em dois ambientes distintos. Uma discussão entre seqüência lógica. As diferentes mudanças que ocorrem no corpo Passo a passo: dos mosquitos recebe o nome de metamorfo. ! Recorte as imagens das páginas 11. gem da seqüência. grupos ajuda bastante para identificar das informações sobre o tempo de duração se ocorreram diferenças na monta- de cada fase de vida no ambiente aquático. ção e sobrevivência ao ambiente. para fora da água.

! Depois faça o registro do relato de cada equipe sobre as imagens visuali- zadas. Passo a passo: onde serão abordadas informações peculia. Com Ciência na escola © 4 Atividade 4: Descobrindo o ciclo de vida completo do mosquito Aedes aegypti: da reprodução ao nascimento Propomos nesta atividade a construção de um jogo de seqüência lógica com cartas. reprodu. serão abordadas anexo. Descubra como é e 15. montagem da seqüência e interpreta- ção da composição das imagens. 13 que julgue ser correta. ! Semelhante ao mostrado na atividade res sobre o ciclo de vida completo do mosqui. Neste material incluí. pos. Sugira que os alunos de mos também curiosidades sobre alguns outros grupos realizem a mesma montagem e marque o tempo. Vieira Imagem: Genilton J. o ciclo de vida do mosquito Aedes ! Utilize uma superfície plana para aegypti. do ciclo. informações sobre o tempo de duração de ! Proponha a leitura das cartas e compa- cada etapa de vida no ambiente aquático e re os tempos de duração de cada fase no ambiente terrestre. diferenças na montagem da seqüên- cia. As cartas contém imagens tes realize a montagem da seqüência sobre as diferentes mudanças que ocorrem com o ciclo de vida completo e depois no corpo dos mosquitos denominadas compare com a folha resposta em metamorfose. locomoção. ! Marque e compare o tempo total gasto pelas equipes para a montagem da seqüência. Coloque as cartas em uma seqüência ! Recorte as imagens das páginas 11. Vieira Dica: Em caso de dúvida veja a seqüência completa na folha gabarito. 3. As anotações dos registros podem ser feitas em uma folha de Desafio: papel. Solicite que os estudantes obser- vem e realizem o registro das observa- ções. fenômenos biológicos do mosquito relacio- Proponha uma discussão entre gru- nados a alimentação. Imagem: Genilton J. identificando se ocorreram ção e respiração. solicite que um grupo de 4 estudan- to Aedes aegypti. Além disso. 8 Dengue I: brincando para descobrir novidades .

1 2 3 4 5 6 7 8 A B 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 Dengue I: brincando para descobrir novidades 9 . Com Ciência na escola © 4 FOLHA GABARITO: Seqüência das imagens relacionadas ao ciclo completo do Aedes aegypti.

imersão do mosquito no meio aquático.O acúmulo de água no da exúvia (imagem 10 A). Com Ciência na escola © 4 FOLHA GABARITO: Legenda das imagens Imagem 1. Essa fase dura cerca de 7 a para fecundar todos os ovos da fêmea 10 dias. fungos para a maturação dos ovos.A pupa não se alimenta. Imagem 6.Sequência mostrando a do a chance de sobrevivência dos imersão do mosquito no meio aquático. mosquito macho e fêmea alimentam-se de néctar e sulcos vegetais.As larvas movimentam-se Imagem 20. me da fêmea no momento da saída dos Imagem 13. Os imersão do mosquito no meio aquático. Imagem 15.Sequência mostrando a rapidamente uma cor negra brilhante. A fêmea coloca aproximadamente imersão do mosquito no meio aquático.Vasos de planta que acumu. que sobra após a metamorfose é chama- Imagem 2.Sequência mostrando a Imagem 5. Imagem 9. bactérias. Imagem 11. Imagem 14.Sequência mostrando a ovos. 10 Dengue I: brincando para descobrir novidades . Imagem 10. a fêmea procura um local úmido a metamorfose do estágio pupal para o para depositar seus ovos próximo à mosquito adulto.A larva passa por metamor- lam água podem ser criadouros para os fose para fase de pupa.Sequência mostrando a Imagem 4.Os ovos eclodem em contato Imagem 18. filhotes. A sequência de imagens enumeradas de 6 a 17 correspondem ao ciclo de vida do Aedes aegypti no ambiente aquático. Imagem 12. imersão do mosquito no meio aquático.Acasalamento entre macho superfície da água.Mosquito adulto na superfí- com a água em 48 horas dando origem a cie da água. por toda a vida. ovos podem resistir cerca de 1 ano fora Imagem 17. medem cerca de 1mm de comprimento e se estiverem fecundados adquirem Imagem 16. Imagem 3. a bastante na água e alimentam-se de fêmea fecundada necessita de sangue substância orgânicas.Após o acasalamento. mento dos ovos. A “casca” externa mosquitos depositarem seus ovos.Após alimentar-se com apenas respira e é nesta fase que ocorre sangue. A fase e outros microrganismos. onde ocorre o endurecimen- larvas. 450 ovos em locais diferentes aumentan. as larvas do mosquito respiram oxigênio na Imagem 19.Os ovos do Aedes aegypti imersão do mosquito no meio aquático. Uma única cópula é suficiente ou tubo de ar. os das asas.Sequência mostrando a da água e depois eclodem normalmente. Imagem 8.Imagem da região do abdo. adulta do mosquito dura em média 45 dias.Embora aquáticas.Através da metamorfose. água. A fase pupal pratinho do vaso e a temperatura ao (imagem 10B) em condições favoráveis redor de 20º C favorecem o desenvolvi. Antes do acasalamento o ovos se transformam em larvas. através de um sifão e fêmea. to do exoesqueleto (esqueleto externo) e Imagem 7. dura de 2 a 3 dias.

Com Ciência na escola © 4 Dengue I: brincando para descobrir novidades 11 .

.

Com Ciência na escola © 4 A B Dengue I: brincando para descobrir novidades 13 .

.

Expediente: Editoras: Tania C. porém. Projeto gráfico: Heloisa Diniz . Impressão: Gráfica Walprint.Laboratório de Produção e Tratamento de Imagem/IOC. Os fascículos poderão servir como guia para atividades. Fale conosco: e-mail: comciencia@ioc. Claudia M L Coutinho e Rosane M. Com Ciência na escola © 4 A série de fascículos “Com Ciência na Escola”© é uma publicação do Setor de Inovações Educacionais do Laboratório de Biologia Celular.LBC/IOC/Fiocruz. para introduzir a construção de conceitos básicos de biologia com alunos.br Ultra-estrutura e Biologia Celular Esse material poderá ser reproduzido para fins educativos assegurando-se a citação: Com Ciência na Escola© . com observação e experimentação. Araújo-Jorge. . mais importante que segui-los à risca é criar condições para que a investigação científica aconteça de maneira agradável. Convidamos aluno e professor a participar ativamente da investigação científica e compreender. vinculado ao Departamento de Ultra-estrutura e Biologia Celular do Instituto Oswaldo Cruz. Apresentamos sugestões de atividades práticas.fiocruz. de maneira simples. diversas questões que envolvem fenômenos biológicos. livre e criativa. Os diversos fascículos se dispõem a auxiliar técnica e cientificamente o desenvolvimento de experimentos participativos em salas e laboratórios nas escolas. Fundação Oswaldo Cruz. Tiragem: 1000 exemplares. Meirelles.S.