You are on page 1of 5

Carta às Conferências

Episcopais sobre "o Nome
de Deus"
raizesjudaicas.blogspot.com

Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos

Eminência / Excelência:

Por portaria do Santo Padre, e de acordo com a Congregação para a
Doutrina da Fé, a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos
Sacramentos, considera apropriado comunicar o seguinte para as
Conferências Episcopais, com relação à tradução e pronúncia, na
liturgia, do nome divino no sentido que traz o tetragrama sagrado,
junto com algumas orientações.

I. Exposição:

1. As palavras da Sagrada Escritura contidas no Antigo e no Novo
Testamento expressam a verdade que transcende os limites impostos
pelo tempo e lugar. É a Palavra de Deus expressa em palavras
humanas, e através destas palavras de vida, o Espírito Santo introduz
os fiéis na compreensão da verdade plena e completa, e assim, a
palavra de Cristo habita nos fiéis em toda a sua riqueza (cf. Jo 14,26,
16,12-15). Para que a Palavra de Deus, escrita nos textos sagrados,
possa ser preservada e transmitida de uma maneira integra e fiel,

"Senhor". conhecida como o Antigo Testamento apresenta uma série de denominações divina. "Jave". Através desta carta. nomen Dei omnipotentis. latine vocabulo “Dominus”. apresentamos alguns pontos-chave que fundamentam a referida norma. os tradutores devem agir com a máxima fidelidade e o maior respeito. o nome de Deus onipotente expresso pelo Tetragrama Sagrado em hebraico e em latim pela palavra "Dominus" deve ser traduzido para qualquer língua vernácula com uma palavra equivalente em significado. [iuxta traditionem ab immemorabili receptam. A prática de vocalizar ocorre tanto na leitura de textos bíblicos tirado do Lecionário como em orações e hinos. in quavis lingua populari vocabulo quodam eiusdem significationis reddatur]. como. nos últimos anos. 41): De acordo com a tradição imemorial recebida. como "Yahweh". e ocorre em diversas formas escrita e falada. tal como destacado na Instrução authenticam Liturgiam (No. sacro tetragrammate hebraice expressum. Este esforço literário requer que o texto original seja traduzido com a máxima integridade e precisão. "Jahwe". o nome próprio do Deus de Israel. Em particular. escrito com quatro consoantes do alfabeto hebraico. geralmente é pronunciado. e assim por diante. que já aparece na citada versão "dos Setenta". Quanto ao nome sagrado de Deus. sem omissões ou acréscimos em termos de conteúdo. A venerável tradição bíblica da Sagrada Escritura. conhecido como o santo ou tetragrama divino. 2. Apesar desta norma tão clara. e sem a introdução de comentários explicativos ou paráfrases que não pertencem ao texto sagrado. "Javé".traduções modernas dos livros da Bíblia tentam ser uma transposição fiel e exata dos textos originais. na prática. Como uma expressão da infinita grandeza e majestade de Deus se considerava impronunciável e por isso foi substituído . e estabelecem algumas diretrizes para serem observadas nesta área. immo in (…) versione “LXX virorum” iam perspicuam. entre os quais o sagrado nome de Deus revelado no tetragrama YHWH. YHWH.

desde o início. A atribuição deste título para o Cristo ressuscitado corresponde exatamente à proclamação da sua divindade. Na verdade. Algo semelhante aconteceu com os cristãos de língua latina. num sentido estritamente Cristológico. o título do Deus de Israel e do Messias da fé cristã se torna intercambiável. No entanto. em cuja língua foram escritos todos os livros do Novo Testamento.20: "O anjo do Senhor apareceu a José em um sonho") e se ve como uma regra na citações do Antigo Testamento no Novo Testamento (cf. cuja literatura começou a surgir a partir do segundo século. 1 Cor 2. também nessas traduções o tetragrama foi substituído pela palavra latina "Dominus". chamada Septuaginta..9) refere-se ao nome de "Senhor". que significa "Senhor".9-11. cf Is 42. "e toda o língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor" (Fl 2. este título é encontrado. traduz o tetragrama hebraico com a palavra grega Kyrios. O mesmo vale para a recente Neo-Vulgata que a Igreja emprega na Liturgia.8:. já que prossegue..durante a leitura da Sagrada Escritura pelo uso de um nome alternativo "Adonai". 8 ("não . podemos nos lembrar de Romanos 10."Eu sou o Senhor. este é o meu nome"). que data dos últimos séculos antes da era cristã. estes cristãos nunca pronunciaram o tetragrama divino.25: "A Palavra do Senhor permanece para sempre " (Is 40. A tradução grega do Antigo Testamento. e depois na Vulgata de São Jerônimo. antes que chegue o Dia do Senhor" (Joel 3. já no primeiro Evangelho canônico (cf. 1P 1. Este fato tem implicações importantes para a Cristologia do Novo Testamento. que "Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome" (Fl 2. como se observa primeiro na Vetus Latina. 8). será salvo"). 4). Atos 2. Em um sentido estritamente teológico. Mt 1. por exemplo. que significa "Senhor". mesmo quando não é um dos títulos usados para o Messias de Israel. 11. Uma vez que o texto da Septuaginta foi a Bíblia da primeira geração de cristãos de língua grega. que correspondia tanto ao hebraico Adonai como ao grego Kyrios.20: "O sol se converterá em escuridão . Quando Paulo escreve sobre o Crucificado.9 ("Se você confessar com sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos. além do texto acima de Filipenses 2.

o tetragrama sagrado nunca foi pronunciado no contexto Cristão nem traduzido em nenhuma das línguas em que foi traduzida a Bíblia. Ao traduzir. "Seigneur". Além de um motivo de natureza puramente filológica. Na tradução da Bíblia para as línguas modernas. um apos outro. no contexto litúrgico. portanto.22.8. 1 Cor 12. Adonai deve ser traduzido como "Senhor" e a palavra "Deus" se usará para o tetragrama YHWH. os textos em que estão presentes. ou seja. deve seguir o que está prescrito no n º 41 da Instrução Liturgiam authenticam. nas canções e orações. seja o termo hebraico Adonai ou o tetragrama YHWH. Arinze Prefecto . "Senhor" e assim por diante. 1 Ts 3. "Herr". 3. suas próprias bases. da mesma maneira que acontece com a tradução grega da Septuaginta e a tradução latina da Vulgata. II. para o uso litúrgico da Igreja. há também o de permanecer fiel à tradição da Igreja desde o início. 29 de junho de 2008. na forma do tetragrama YHWH não deve ser usado nem pronunciado. Francis Card. 3 ("Ninguém pode dizer 'Jesus é Senhor'.) 3. devem ser observadas as seguintes diretrizes: 1. senão com o Espírito Santo") e a fórmula frequente referente ao cristão que vive "no Senhor" (Rm 16. etc. Que a Igreja não pronuncie o tetragrama do nome de Deus tem.1 Cor 7. o Nome de Deus. Diretivas Em face do exposto. "Signore". 2. o tetragrama divino deve ser traduzido pelo equivalente de Adonai / Kyrios: "Senhor". Da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos. 2.teriam crucificado o Senhor da Glória"). Nas celebrações litúrgicas.

(Tradução do espanhol: Ivete Holthmam) . Albert Malcolm Ranjith Arzobispo Secretario.