You are on page 1of 2

Espiral construtivista: uma metodologia ativa de ensino-aprendizagem

Valéria Vernaschi Lima

Pode-se entender que metodologia ativa engloba um conjunto de estratégias


que visam uma aprendizagem mais eficiente por parte do estudante, sendo
como alvo principal conduzir o estudante como centro do processo de ensino-
aprendizagem, de modo a considerar seus conhecimentos preexistentes e
proporcionar a interação entre os próprios estudantes, relação entre estudante
e professor e entre o próprio educando e o conhecimento, tal que ele aprenda a
desenvolver uma capacidade critica e reflexiva sobre o mundo e seus
acontecimentos.

Jerome Bruner considera que "é possível ensinar qualquer assunto, de uma
maneira intelectualmente honesta, a qualquer criança em qualquer estágio de
desenvolvimento" (1969,73, 76), desde que se levassem em conta as diversas
etapas do desenvolvimento intelectual. Portanto, para se ensinar determinado
assunto é necessário que se represente a estrutura deste de acordo com a
visualização que a crianças tem das coisas, sendo então a estrutura um ponto
relevante.

A psicogênese estuda a maneira como nasce e se desenvolve o conhecimento


no ser humano. De modo a ressaltar que o desenvolvimento não tem fim na
vida de cada pessoa. ”O sistema das estruturas mentais e de conhecimento
não é comparável a uma pirâmide, mas o é a uma espiral que se amplia
infinitamente em altura.” (Piaget, A epistemologia genética,p.75).

Ao ensinar, Jerome Bruner ressalta o processo da descoberta, através da


exploração de possibilidades, e o currículo em forma de espiral, capaz de
permitir ao estudante rever os tópicos de diferentes níveis de profundidade.
Segundo ele “o ambiente ou conteúdos de ensino têm que ser percebidos pelo
aprendiz em termos de problemas, relações e lacunas que ele deve preencher,
a fim de que a aprendizagem seja considerada significante e relevante”.

A espiral construtivista – EC é uma metodologia


problematizadora, concebida a partir de experiências que
desenvolvi como docente, em currículos que utilizavam
tecnologias educacionais ativas. A primeira formulação foi
intuitiva e originada na interpretação dos achados de uma
pesquisa que realizei sobre ABP, num currículo de medicina.
Essa pesquisa, desenvolvida junto a um programa de
mestrado, revelou que, a partir do processamento de
problemas, as questões de aprendizagem elaboradas pelos
estudantes apresentavam maior articulação disciplinar do que o
guia do tutor produzido pelos professores. (LIMA VV p. 424)
A espiral construtivista (EC) demonstra a relevância das diferentes etapas no
processo da educação, ela é formada por movimentos que são desencadeados
de acordo com as necessidades de aprendizagem de cada individuo, ela une a
abordagem construtivista, metodologia cientifica e aprendizagem baseada em
problemas.

Fonte: Traduzido e adaptado de Lima

Identificando problemas e formulando explicações – nessas etapas são


consideradas todas as percepções e conhecimentos prévios de cada educando
sendo esse o ponto de partida do ensino-aprendizagem. A partir da
identificação das fronteiras da aprendizagem no processo de explicação do
problema orienta a preparação das questões de aprendizagem que visam
excedê-las.

Elaborando questões - As questões de aprendizagem orientam a busca e sede


de novas informações e conhecimento. De forma as questões devem ser
investigadas coletivamente, para que todos possam exibir suas hipóteses.

Buscando novas informações – A busca pelo conhecimento deve sempre ser


estimulada pelo facilitador, mas sempre olhando a necessidade de seus
educandos.

Construindo novos significados – Esse será o resultado da mistura entre os


conhecimentos prévios e a formação de novos saberes a partir das etapas
anteriores, de modo que não seja somente provisório, mas possa perpassar e
fixar-se como novos conceitos.

Avaliando processos e produtos – Essa