You are on page 1of 3

Informativo Técnico

Dimensionamento e Seleção de Válvulas de Retenção


Dimensionamento da tensão da mola ou do torque do contra- menor diâmetro. Isto, entretanto, não será
Válvulas de retenção são geralmente peso, da posição de instalação e do diâ- possível se a perda de carga na vazão
dimensionadas com base no diâmetro da metro da válvula de retenção. máxima se tornar muito alta. Há outra pos-
tubulação, diâmetro da saida da bomba ou sibilidade para solucionar este problema,
qualquer outra conexão existente. Entre- Dependendo da vazão volumétrica, a vál- em particular se o ruído somente aparecer
tanto, na maioria dos casos, não são con- vula de retenção abre total ou apenas par- durante a partida ou desligamento da uni-
sideradas as condições de operação e as cialmente. Trepidação somente ocorrerá dade, ou sob cargas parciais. Isto é feito
possíveis consequencias, isto é, se existe durante aberturas parciais, ou seja, com pela redução da força de fechamento, por
uma vazão volumétrica suficiente para baixas vazões. exemplo, por meio da utilização de uma
garantir ou não a abertura total da válvula. Na partida da planta, por exemplo, inicial- mola mais fraca ou da redução do contra-
mente há um acúmulo da pressão estáti- peso.
Como o angulo de abertura de uma válvu- ca entre o gerador da pressão e a válvula
la de retenção depende da vazão de retenção. Assim que a pressão de aber- Se a válvula de retenção está instalada em
volumétrica, problemas podem surgir se tura seja minimamente excedida, o fluxo uma linha vertical com fluxo ascendente,
este aspecto for negligenciado. Assim, por se estabelece. Devido ao fluxo volumétrico também é possível usar a válvula sem a
exemplo, uma válvula de retenção que, durante esta fase, a pressão à montante mola, sendo o fechamento feito pelo pró-
devido à pequena vazão volumétrica não da válvula diminui um pouco, de forma que prio peso do disco ou portinhola.
consiga alcançar uma posição estável a força de fechamento supera a força de
completamente aberta, poderá trepidar abertura. A válvula fecha. Se as válvulas forem usadas sem mola em
durante a operação e mesmo estar sujeita sistemas maiores, existe o perigo da
a um maior desgaste. Este processo irá repetir-se até que a va- ocorrencia do golpe de aríete.
zão volumétrica devida a pressão diferen-
A causa da trepidação e as possibilidades cial dinâmica adicional seja suficientemen- Em caso de dúvidas, consulte nosso de-
de evitá-la serão tratadas em maiores de- te grande para superar a força de fecha- partamento técnico.
talhes a seguir. mento. A válvula, então, abre.
O gráfico de perda de carga da Figura 1
Uma válvula de retenção com contrapeso A trepidação é produzida pelo impacto do mostra que uma válvula de retenção não
ou carregada por mola começa a abrir as- disco ou portinhola contra a sede, retentor está totalmente aberta a não ser que a
sim que uma certa pressão diferencial fixa da mola ou batente. Algumas vezes a vazão volumétrica cruze a curva da perda
(pressão de entrada menos a pressão de sequencia é tão rápida que não é mais de carga em sua porção linear. Abaixo do
saída da válvula) seja estabelecida. Isto possível identificar a trepidação, mas ape- ponto de abertura total (3), a trepidação é
produz uma força de abertura (pressão di- nas ouve-se um zumbido. Este tipo de dis- possível.
ferencial x área da secção transversal da túrbio não pode ser atribuido à válvula em
válvula) que age contra a força de fecha- si pois é sempre o resultado de um
mento gerada pela mola ou contrapeso. dimensionamento incorreto.
Quando a força de abertura supera a for- Há diversas possibilidades para eliminar o
ça de fechamento, a válvula abre. Esta ruído:
pressão diferencial é também conhecida O mais seguro, mas também o mais caro,
como pressão de abertura. Ela depende é a substituição da válvula por outra de
Vazão volumétrica

(3)

(2)

(1) =
(1)

Perda de carga

Figura 1 - Grau de abertura de uma válvula de retenção carregada por mola em função da vazão volumétrica

1
Informativo Técnico

Instalação Válvulas de retenção RK Desta forma, elas podem ser instaladas


Sabemos por experiência que além do Válvulas desta configuração wafer (Figu- diretamente na saída de bombas (Figura
dimensionamento a correta instalação da ras 2 e 3) podem ser instaladas sem quais- 4) ou após um pequeno trecho de exten-
válvula de retenção tem um papel impor- quer problemas onde quer que sejam ne- são.
tante. Dependendo do tipo de válvula (dis- cessárias.
co, portinhola simples ou dupla) há confi- As válvulas podem ser instaladas em qual-
gurações de montagem mais ou menos Desde que estejam completamente aber- quer plano se dotadas de mola de retorno.
favoráveis com relação ao local e posição tas, não são afetadas por turbulências que Para instalações sem mola, somente é
de instalação que descremos na podem ocorrer, por exemplo, na descarga possível a sua montagem em linhas verti-
sequencia. de bombas. cais com fluxo ascendente.

RK

Ainda fechada

Figura 4 - Montagem de uma válvula RK


diretamente na saída de uma bomba.

Válvulas de retenção
Nossa linha de produtos inclui as válvulas
de retenção de simples e dupla portinhola

Figura 2 - Válvula com anel de centraliza-


ção DN 15 - DN 100 Ligeiramente aberta

Completamente aberta

Figura 6 - Válvula de retenção de dupla


portinhola GESTRA BB
Figura 3 - Válvula com corpo auto-
centrável DN 15 - DN 100

2
Informativo Técnico

DN
BB L = 4 (5) x DN

Tubo estabilizador

Figura 6 - Exemplo de instalação BB

Válvulas de retenção de dupla portinhola (Figura


5) podem ser instaladas em linhas horizontais com
o olhal de içamento no topo de forma a garantir
que as dobradição estejam na vertical, ou em li-
nhas verticais com fluxo ascendente. A instala-
ção em linhas verticais com fluxo descendente
somente é possível com molas mais fortes.

Se uma válvula de dupla portinhola é instalada


imediatamente após uma bomba, recomenda-se
a utilização de um trecho de tubulação
estabilizador entre a saida da bomba e a válvula
com um comprimento de 4 a 5 vezes o diâmetro Figura 7 - Válvula de retenção GESTRA CB Figura 8 - Válvula de retenção GESTRA CB
nominal da válvula (Figura 6).
A válvula de retenção CB (Figura 7) pode ser ins- Quando instalar estas válvulas diretamente à
Desta forma, a válvula não fica sujeita a um fluxo talada em linhas horizontais (olhal de içamento jusante de uma bomba, a orientação da válvula é
turbulento significativo na descarga da bomba, no topo) ou em linhas verticais com fluxo ascen- de suma importância para se obter uma opera-
evitando o desgaste prematuro. Este modo de dente. ção livre de problemas (Figura 11).
instalação normalmente posiciona a válvula den-
tro de um trecho aumentado de tubulação com a
vantagem conseguente de uma menor perda de
carga quando comparado com uma válvula de
menor diâmetro dimensionado pelo diâmetro de
saída da bomba.

CB

L = 4 (5) x DN

CB CB

Bomba Bomba
centrífuga centrífuga

Figura 9 - Posição correta da válvula Figura 10 - Posição favorável à válvula Figura 11 - Posição de montagem desfavorável

Testes de vazão provam que a posição ótima de A posição de montagem mostrada na Figura 11 Como o fluxo de saída de uma bomba é
instalação é obtida quando o fluxo é direcionado é a mais desfavorável porque o fluxo é direcionado bastante turbulento, recomenda-se o uso de um
à portinhola (Figura 9) ou principalmente naque- contra o eixo da portinhola. trecho de tubo estabilizador de comprimento L =
la direção (Figura 10). Neste caso, a portinhola 4 (5) x DN entre a bomba e a válvula (Figura
fica sempre posicionada calmamente no fluxo a 10).
alcança a posição completamente aberta mes-
mo em baixas vazões.