You are on page 1of 9

Nº 193, quinta-feira, 8 de outubro de 2015 1 ISSN 1677-7042 31

I - fatos relacionados às atividades das sociedades segu- b) aquisição de bens de massas liquidandas em leilões, por PORTARIA N o- 259, DE 7 DE OUTUBRO DE 2015
radoras e de capitalização; entidades abertas de previdência com- valores ou condições não usualmente praticados no mercado ou por
plementar; sociedades cooperativas, nas condições estabelecidas pelo pessoas ligadas às massas. O DIRETOR DE AUTORIZAÇÕES DA SUPERINTEN-
parágrafo 3 o do art. 2o da Lei Complementar n.º 126, de 15 de CAPÍTULO IV - DOS PROCEDIMENTOS
janeiro de 2007; suas subsidiárias e assemelhadas no exterior, além DÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - SUSEP, no uso das atri-
Art. 4.º Os servidores que identificarem as situações ou ope-
das filiais de empresas estrangeiras atuantes em atividades análogas; rações relacionadas no artigo 3o desta Instrução devem relatá-las à buições que lhe confere o art. 44 do Regimento Interno de que trata
dos resseguradores e dos corretores, no que couber: chefia imediata, por meio de CI - Comunicação Interna, para análise a Resolução CNSP Nº 327, de 30 de julho de 2015, publicada no
a) variação patrimonial relevante; e posterior encaminhamento ao Coordenador-Geral. Diário Oficial da União de 10 de agosto de 2015, o art. 19 do Decreto
b) mudança relevante na forma de movimentação de recursos § 1.º Toda situação ou operação, mesmo se não relacionada
ou nos tipos de transação utilizados; Nº 7.049, de 23 de dezembro de 2009, os artigos 11 e 12 do Decreto-
no artigo 3o desta Instrução, que possa estar relacionada com lavagem
c) operação financeira ou comercial não usual com pessoa de dinheiro ou financiamento do terrorismo, deve ser relatada na Lei Nº 200, de 25 de fevereiro de 1967, considerando o disposto no
domiciliada em "países não cooperantes", assim definidos pelas Re- forma estabelecida no caput. art. 3º da Portaria SUSEP Nº 5.961, de 24 de julho de 2014, pu-
comendações do Grupo de Ação Financeira sobre Lavagem de Di- § 2.º Toda documentação comprobatória utilizada para ca- blicada no Diário Oficial da União de 30 de julho de 2014 e o
nheiro - GAFI/FATF publicadas pelo COAF; racterizar as situações ou operações relatadas deve ser anexada à CI
d) operação financeira ou comercial com pessoa, entidade ou disposto no art. 1º da Portaria nº 6.360, de 2 de outubro de 2015,
de que trata o caput. publicada no Diário Oficial da União de 5 de outubro de 2015,
país relacionados ao Taliban e à Al-Qaeda ou qualquer outra or- Art. 5.º O Coordenador-Geral encaminhará a CI ao CPLD.
ganização classificada como terrorista pela ONU; resolve:
Art. 6.º O CPLD deverá oficiar ao COAF, mantendo registro
e) operação financeira ou comercial não usual com país ou Art. 1º Fica subdelegada competência ao Coordenador-Geral
dependência com tributação favorecida ou que oponha sigilo relativo de todas as comunicações enviadas pelo prazo de vinte anos, contados
à composição societária de pessoas jurídicas; da data do protocolo no COAF. de Autorizações - CGRAT para praticar os seguintes atos:
f) comercialização de produtos, negociações privadas, ope- Art. 7.º O Secretário do CPLD deverá, no início de cada I- homologar nomes indicados para exercer cargos de ad-
rações de compra e venda de ativos e demais práticas operacionais exercício, abrir processo administrativo com a documentação de todas
as operações que serão reportadas ao COAF. ministração em sociedades e entidades supervisionadas, bem como
realizadas por preços ou condições não usualmente praticados no integrar órgãos consultivos, fiscais e assemelhados dessas socieda-
mercado; Parágrafo único. O processo de que trata o caput deve ser
g) pagamento por serviços ou ativos não realizados ou não aberto com os seguintes dados: des;
entregues na sua totalidade; interessado: SUSEP; II- autorizar os pedidos de ingresso no Consórcio DPVAT de
h) ausência de registro de operação realizada; assunto: COMUNICAÇÕES AO COAF; sociedades e entidades supervisionadas;
i) renovação de contrato à revelia do conhecimento e/ou do outros dados: EXERCÍCIO DE 20XX.
CAPÍTULO V - DO SIGILO DAS INFORMAÇÕES III- cadastrar resseguradores admitidos e eventuais;
consentimento do cliente;
j) omissão de comunicação de fato ao COAF, nos casos em Art. 8.º A Comunicação Interna - CI, e seus anexos, men- IV- determinar o arquivamento dos autos relativos aos as-
que tal comunicação é obrigatória por lei ou ato normativo; e cionada no artigo 4o, devem ser movimentados em envelopes la- suntos indicados nos itens anteriores;
k) resistência em fornecer informações de filiais, subsidiá- crados com a indicação "COMUNICAÇÃO COAF - SIGILOSO". V- autorizar alterações dos estatutos das sociedades e en-
rias, controladas e coligadas de qualquer natureza; Art. 9.º As comunicações referidas nesta Instrução devem ser
II - fatos relacionados às atividades das sociedades segu- realizadas, sem que seja dada ciência aos envolvidos. tidades supervisionadas, nos termos do art. 77 do Decreto-Lei nº 73,
radoras e dos resseguradores: Art. 10 Os processos administrativos de que trata o artigo 7.º de 21 de novembro de 1966, e do art. 38, inciso I, da Lei Com-
a) avaliação, a maior, do valor a ser pago como indenização desta Instrução são classificados como sigilosos, conforme disposto plementar nº 109, de 29 de maio de 2001, salvo quando houver
de sinistro; no artigo 25 da Instrução SUSEP n.º 61, de 4 de julho de 2012. extensão ou cancelamento de atividades ou transformações de so-
b) emissão de apólice com limite máximo de garantia su- CAPÍTULO VI - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
perior ao valor do bem segurado; ciedades que impliquem o cancelamento de autorização para operar;
Art. 11 Os casos omissos serão resolvidos pelo CPLD -
c) pagamento de sinistro sem comprovação da ocorrência do Comitê Permanente de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e Coibição e
evento que lhe deu causa; ao Financiamento do Terrorismo nos Mercados de Seguros, Res- VI- deliberar sobre as operações de distribuição gratuita de
d) Assunção de riscos já decorridos; seguros, Capitalização e Previdência Privada Aberta. prêmios vinculados à cessão de direitos inerentes a título de ca-
e) emissão de apólice para cobertura de bens ou pessoas Art. 12 Fica revogada a Instrução SUSEP n.º 50 de 14 de
inexistentes; pitalização de que trata o art. 10 da Circular SUSEP nº 376, de
setembro de 2010.
f) emissão de apólice que tenha como segurada pessoa fa- Art. 13 Esta Instrução entra em vigor na data de sua pu- 2008.
lecida; blicação. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua pu-
g) lançamento de sinistro efetuado anteriormente a sua ocor- blicação.
rência; ROBERTO WESTENBERGER
h) pagamento de resgate, comissão, indenização ou prêmio
desvinculados da cobertura de seguro ou resseguros contratada; FLÁVIO GIRÃO GUIMARÃES
DELIBERAÇÃO N o- 173, DE 29 DE SETEMBRO DE 2015
i) pagamento de indenização a terceiros não indicados como
beneficiários pelo segurado ou por decisão judicial, ou que não os- Aprova alterações no Plano Diretor de Tec-
tentem a situação de herdeiro nos termos da lei;
j) pagamento de indenização em valor superior ao valor nologia da Informação da Superintendência Ministério da Justiça
de Seguros Privados (PDTI/SUSEP), para o .
máximo de garantia da apólice;
k) pagamento ou recebimento de "pro-labore" desvinculado período 2015-2016.
do prêmio comercial fixado pela sociedade seguradora; e
GABINETE DO MINISTRO
l) sinistralidade anormal; O SUPERINTENDENTE DA SUPERINTENDÊNCIA DE
III - fatos relacionados às atividades das sociedades de ca- SEGUROS PRIVADOS - SUSEP torna público que o Conselho Di- PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 1.677,
pitalização: retor da Autarquia, em reunião ordinária realizada em 18 de setembro DE 7 DE OUTUBRO DE 2015
a) sorteio direcionado a determinado titular; de 2015, com fundamento no art. 10.º do Regimento Interno, apro-
b) transferência de propriedade de título sorteado; vado pela Resolução CNSP n.º 327/2015, e considerando o que cons- Define os procedimentos gerais para o de-
c) comercialização de séries fechadas, exceto para empresas ta do Processo Susep n.º 15414.002548/2014-11, deliberou: senvolvimento das atividades de protocolo
que adquiram títulos com a finalidade de cessão de direito de sorteio, Art. 1.° Aprovar alterações no Plano Diretor de Tecnologia no âmbito dos órgãos e entidades da Ad-
com fins promocionais, conforme previsto em acordo comercial; da Informação (PDTI/SUSEP), para o período 2015-2016, validado ministração Pública Federal.
d) pagamento de resgate, comissão ou sorteio desvinculados pelo Comitê de Tecnologia da Informação e Comunicação, instituído
da emissão de título de capitalização; e pela Deliberação SUSEP n.º 140, de 13 de dezembro de 2010. OS MINISTROS DE ESTADO DA JUSTIÇA E DO PLA-
e) guarda da arrecadação obtida com a venda ou colocação Art. 2.º A íntegra da nova versão do PDTI 2015-2016 será NEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso da atribuição que
de títulos em carros-fortes, ou fora da rede bancária; publicada no sítio da SUSEP, no endereço http://www.susep.gov.br. lhes conferem o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição, o
IV - fatos relacionados às atividades das entidades abertas de Art. 3.º Esta Deliberação entra em vigor na data de sua
Decreto nº 6.061, de 15 de março de 2007, e o Decreto nº 8.189, de
previdência complementar: publicação.
a) concessão de empréstimo a participante inexistente ou 21 de janeiro de 2014, e tendo em vista o disposto nos arts. 1º, 4º e
falecido; ROBERTO WESTENBERGER 18 da Lei nº 8.159, de 8 de janeiro de 1991, no Decreto nº 1.094, de
b) plano de previdência em nome de pessoa inexistente ou 23 de março de 1994, e no Decreto nº 4.915, de 12 de dezembro de
falecida; DIRETORIA DE AUTORIZAÇÕES 2003, resolvem:
c) concessão habitual de empréstimos, sem a contrapartida Art. 1º Ficam definidos os procedimentos gerais para o de-
do pagamento; e PORTARIA N o- 258, DE 6 DE OUTUBRO DE 2015 senvolvimento das atividades de protocolo, de observância obriga-
d) pagamento de resgate, benefício, comissão ou contribui- tória, no âmbito dos órgãos e entidades da Administração Pública
ção desvinculados de plano contratado; O DIRETOR DE AUTORIZAÇÕES DA SUPERINTEN- Federal, na forma do Anexo.
V - fatos relacionados às atividades de sociedades corretoras DÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - SUSEP, no uso da com- §1º Para fins desta Portaria Interministerial, consideram-se
e de corretores de seguros, de capitalização e de previdência com- atividades de protocolo o recebimento, a classificação, o registro, a
plementar: petência delegada pelo Superintendente da Susep, por meio da Por-
a) proposta apresentada pelo intermediário diversa da ini- taria n° 5.961, de 24 de julho de 2014, considerando o disposto no distribuição, o controle da tramitação, a expedição e a autuação de
cialmente acordada com cliente; e artigo 3º da Resolução CNSP n. 53, de 3 de setembro de 2001 e o que documentos avulsos para formação de processos, e os respectivos
b) propostas discrepantes das condições normais de mer- consta dos Processos Susep 15414.000173/2013-28 e procedimentos decorrentes.
cado; 15414.001337/2015-34, resolve: §2º As atividades de protocolo são aplicáveis a todos os
VI - fatos relacionados a acionistas ou administradores: Art. 1º Aprovar as seguintes deliberações tomadas pelos con- documentos, avulsos ou processos, independentemente do suporte.
a) subscrição de ações, aumentos de capital, concessão de selheiros de ARC PREVIDÊNCIA PRIVADA, CNPJ n° §3º É facultativo às empresas estatais federais adotarem, no
mútuos ou doações realizados por pessoa sem patrimônio compatível 33.642.497/0001-09, com sede na cidade do Rio de Janeiro - RJ, nas que couber, o disposto no Anexo.
ou sem comprovação da origem dos recursos; e reuniões extraordinárias do conselho deliberativo realizadas em 21 de Art. 2º Os casos omissos serão dirimidos, em conjunto, pelo
b) designação de administradores residentes em países ou janeiro de 2015 e 15 de abril de 2015.
I - Mudança do endereço da sede social para a Rua da Arquivo Nacional do Ministério da Justiça e pela Secretaria de Lo-
dependências com tributação favorecida, que oponham sigilo rela- gística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento,
tivamente à composição societária de pessoas jurídicas ou "países não Candelária, 79 - sala 403 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, CEP 20.091-
cooperantes", definidos pelas Recomendações do GAFI/FATF publi- 020; e Orçamento e Gestão.
cadas pelo COAF; II - Reforma do artigo 1º do estatuto social. Art. 3º O Arquivo Nacional do Ministério da Justiça e a
VII - outros fatos: Art. 2º Esta portaria entra em vigor na data de sua pu- Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do
a) aquisição de créditos de pessoas habilitadas nos quadros blicação. Planejamento, Orçamento e Gestão poderão, em conjunto, expedir
de credores de massas liquidandas, por valores ou condições não orientações complementares aos dispositivos desta Portaria Intermi-
usualmente praticados no mercado; e FLÁVIO GIRÃO GUIMARÃES nisterial e promover atualizações do Anexo.

Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www.in.gov.br/autenticidade.html, Documento assinado digitalmente conforme MP n o- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a
pelo código 00012015100800031 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil.
32 ISSN 1677-7042 1 Nº 193, quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Parágrafo único. As atualizações do Anexo serão publicadas .o remetente/interessado/representante legal; e 2) O ambiente para armazenamento do documento digital
nos sítios eletrônicos www.siga.arquivonacional.gov.br e www.com- .o destinatário. pode ser no sistema informatizado em uso ou uma área controlada na
prasgovernamentais.com.br. 2.1.2 - Quanto aos documentos digitais: rede corporativa do órgão ou entidade. Após a operação a mídia
Art. 4º Esta Portaria entra em vigor 180 (cento e oitenta) dias Documentos digitais, avulsos ou processos, devem ser re- removível poderá ser eliminada, a critério do órgão ou entidade.
após a data de sua publicação. cebidos por meio de transmissão entre sistemas integrados, que pode 2.1.3 - Quanto à conversão de documentos não digitais em
ser realizada de duas maneiras, a critério do órgão ou entidade: digitais e vice-versa
JOSÉ EDUARDO CARDOZO .centralizada em uma unidade de protocolo/protocolizadora, O contexto tecnológico adotado no órgão ou entidade de-
Ministro de Estado da Justiça que procederá o registro e encaminhará o(s) documento(s) para o termina o procedimento a ser adotado com os documentos avulsos
destinatário; ou recebidos a fim de possibilitar a inclusão em processos ou para
NELSON BARBOSA .diretamente para o destinatário. integração em fluxo de trabalho informatizado. Desta forma, do-
Ministro de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão Excepcionalmente, documentos avulsos digitais também po- cumentos avulsos não digitais poderão ser digitalizados e documentos
dem ser recebidos por meio de correio eletrônico (centralizado em avulsos digitais poderão ser impressos, de acordo com as recomen-
ANEXO uma unidade de protocolo/protocolizadora ou diretamente para o des- dações descritas a seguir.
tinatário) ou em mídias removíveis (centralizado em uma unidade de Para a digitalização de documentos avulsos recebidos ob-
PROCEDIMENTOS GERAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS protocolo/protocolizadora), desde que o órgão ou entidade possua servar-se-ão as seguintes possibilidades:
ATIVIDADES DE PROTOCOLO NO ÂMBITO DOS ÓRGÃOS E capacidade tecnológica para o recebimento e leitura, empregando apresentação pelo interessado do documento avulso ori-
ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FEDERAL recursos para apoiar a confiabilidade, autenticidade e acessibilidade ginal ou cópia autenticada administrativamente ou cópia autenticada
1 - OBJETIVO desses documentos. em cartório para digitalização imediata, devolvendo-o no ato. O do-
Padronizar os procedimentos gerais para o desenvolvimento Observação: cumento resultante da digitalização será anexado ao processo digital
das atividades de protocolo no âmbito dos órgãos e entidades da É obrigatória a capacidade de leitura de documentos digitais ou integrado em fluxo de trabalho informatizado. Neste caso, há a
Administração Pública Federal. nos formatos definidos nos Padrões de Interoperabilidade de Governo formação de um processo totalmente digital;
2 - ATIVIDADES DE PROTOCOLO Eletrônico - ePING, no que diz respeito a arquivos do tipo documento apresentação pelo interessado do documento avulso ori-
Consideram-se atividades de protocolo o recebimento, a clas- (texto estruturado), planilha, apresentação, imagens estáticas, áudio e ginal e sua cópia simples para autenticação administrativa e posterior
sificação, o registro, a distribuição, o controle da tramitação, a ex- vídeo. Outros formatos digitais poderão ser utilizados pelos órgãos e digitalização. Neste caso, a unidade de protocolo fará a conferência
pedição e a autuação de documentos avulsos para formação de pro- entidades, desde que previamente acordado pelas partes. da cópia com o documento original, efetuando autenticação admi-
cessos, e os respectivos procedimentos decorrentes. 2.1.2.1 - Transmissão centralizada em uma unidade de pro- nistrativa da cópia, conforme Figura 30, registrando também a hora
Os órgãos e entidades da Administração Pública Federal, tocolo/protocolizadora do recebimento no protocolo e devolvendo o documento original de
conforme normativa específica, deverão atribuir um Número Único No caso de transmissão centralizada em uma unidade de imediato ao interessado. Depois de realizada a digitalização, as cópias
de Protocolo - NUP para todos os processos, bem como para os protocolo/protocolizadora, por meio de sistemas integrados ou correio simples autenticadas administrativamente poderão ser descartadas ou
documentos avulsos que se enquadrem nos seguintes casos: eletrônico, devem ser seguidos os procedimentos abaixo: disponibilizadas para devolução ao interessado, a critério do órgão ou
.documento avulso produzido no âmbito do órgão ou en- a) verificar se o documento, avulso ou processo, destina-se entidade. O documento resultante da digitalização será anexado ao
tidade e que demande análise, informação, despacho, parecer ou de- ao órgão ou entidade, independentemente de o destinatário ser ou não processo digital ou integrado em fluxo de trabalho informatizado
cisão administrativa e que necessite de tramitação; ou ocupante do cargo indicado. Havendo solicitação de confirmação de Neste caso, há a formação de um processo totalmente digital; ou
.documento avulso produzido no âmbito de outro órgão ou recebimento, esta deverá ser feita por meio do sistema de trans- recebimento e retenção de documento avulso original ou
entidade e que não tenha recebido NUP na origem. missão, com registro da data e do responsável pelo recebimento. Caso cópia autenticada administrativamente ou de cópia autenticada em
Os órgãos e entidades da Administração Pública Federal que o mesmo não se destine ao órgão ou entidade, comunicar o equívoco cartório para posterior digitalização e anexação a processo digital ou
utilizarem sistema informatizado para o desenvolvimento das ati- ao remetente; integração em fluxo de trabalho informatizado. Os documentos avul-
vidades de protocolo deverão observar os requisitos apresentados no b) separar os documentos avulsos de caráter oficial daqueles sos originais ou as cópias autenticadas retidos devem ser classi-
Modelo de Requisitos para Sistemas Informatizados de Gestão Ar- de caráter particular. Os de caráter particular seguirão os procedi- ficados; arquivados e mantido(s) nos termos da temporalidade e des-
quivística de Documentos - e-ARQ Brasil. mentos determinados pelo órgão ou entidade; tinação de documentos de arquivo aprovados pelo CONARQ ou pelo
2.1 - Recebimento, classificação e registro c) separar os documentos, avulsos ou processos, de caráter Arquivo Nacional para uso no órgão ou entidade. Neste caso há a
Nas hipóteses de sigilo da informação, o tratamento dos oficial em ostensivos ou sigilosos. Os documentos, avulsos ou pro-
cessos, de caráter oficial sigiloso receberão tratamento de acordo com formação de um processo totalmente digital ou um processo híbrido,
documentos digitais e não digitais, avulsos ou processos, deve ob- à critério do órgão ou entidade.
servar o disposto na legislação específica em vigor. o estabelecido pela legislação em vigor;
d) identificar o documento, avulso ou processo, caracterizado Para a impressão de documentos avulsos digitais recebidos, a
2.1.1 - Quanto aos documentos não digitais: serem anexados em processos não digitais, tais como mensagens de
a) verificar se o documento, avulso ou processo, destina-se como "Urgente", que precisa ser priorizado para fins de classificação,
registro e distribuição; correio eletrônico e seus anexos e documentos avulsos recebidos em
ao órgão ou entidade, independentemente de o destinatário ser ou não mídias removíveis, observar-se-ão as seguintes orientações:
ocupante do cargo indicado. Havendo comprovante de recebimento, e) verificar se o documento, avulso ou processo, está acom-
panhado do(s) respectivo(s) anexo(s) e verificar a integridade dos as cópias produzidas deverão ter, de forma explícita, as in-
este deverá ser datado, assinado ou emitido por sistema informatizado formações de que se trata de cópia impressa, serem autenticadas
e devolvido. Caso o mesmo não se destine ao órgão ou entidade, arquivos recebidos. Havendo perda ou corrupção de dados, comunicar
ao remetente para que seja providenciado novo envio; administrativamente, datadas e ter elementos de identificação do do-
providenciar a sua devolução; f) verificar se o documento avulso será objeto de autuação cumento original digital, a critério do órgão ou entidade, tais como: o
b) verificar se o invólucro do documento, avulso ou pro- ou não, conforme regulamentação interna do órgão ou entidade. Em identificador do documento, localização, nome do arquivo digital.
cesso, encontra-se íntegro. Havendo danos no invólucro, registrar o caso afirmativo, proceder conforme o item 2.6; Estas informações devem ser impressas na cópia, ou apostas na forma
fato no ato do recebimento e comunicar imediatamente à autoridade g) classificar o documento, avulso ou processo, relativo às de etiqueta ou carimbo, em tamanho a ser definido pelo órgão ou
competente; atividades-meio de acordo com as classes aprovadas pelo CONARQ, entidade, sem prejuízo da informação registrada, conforme Figura
c) separar os documentos avulsos de caráter oficial daqueles e o relativo às atividades-fim de acordo com as classes elaboradas por 2:
de caráter particular. Os de caráter particular seguirão os procedi- cada órgão ou entidade e aprovadas pelo Arquivo Nacional; e
mentos determinados pelo órgão ou entidade; h) registrar o documento, avulso ou processo, em sistema Nome do órgão ou entidade
d) separar os documentos, avulsos ou processos, de caráter informatizado ou excepcionalmente em formulário, no qual constarão
oficial em ostensivos ou sigilosos. Os documentos, avulsos ou pro- IMPRESSO A PARTIR DO DOCUMENTO DIGITAL (identificação
os seguintes dados identificadores: do documento) ......................................
cessos, de caráter oficial sigiloso receberão tratamento de acordo com .a espécie/tipo do documento;
o estabelecido pela legislação em vigor; Data: ...../...../..........
.o número e a data de produção do documento; Assinatura do servidor: ..................................................
e) identificar o documento, avulso ou processo, caracterizado .a data de recebimento do documento; Matrícula: .......................................................................
como "Urgente", que precisa ser priorizado para fins de classificação, .o identificador de que o documento é avulso ou processo;
registro e distribuição; .o Número Único de Protocolo - NUP; Figura 2
f) verificar se o documento, avulso ou processo, está acom- .o número de anexo(s); .os originais digitais deverão ser arquivados e mantidos nos
panhado do(s) respectivo(s) anexo(s) e/ou se consta(m) o(s) volu- .o número de volume(s); termos da tabela de temporalidade e destinação de documentos de
me(s) indicado(s) e, caso não conste(m), comunicar ao remetente para .o código de classificação e seu respectivo descritor ou o arquivo aprovada pelo CONARQ ou pelo Arquivo Nacional para uso
que seja providenciado o envio dos itens não enviados anteriormen- assunto a que se refere o documento; no órgão ou entidade; e
te; .o remetente/interessado/representante legal; e .nem todo documento digital é passível de impressão em
g) verificar se o documento avulso será objeto de autuação .o destinatário. razão de funcionalidades que não são recuperadas em um documento
ou não, conforme regulamentação interna do órgão ou entidade. Em 2.1.2.2 - Transmissão diretamente para o destinatário impresso. Sendo assim, deve-se optar pela formação de processo(s)
caso afirmativo, proceder conforme o item 2.6. Caso não seja objeto No caso de transmissão diretamente para o destinatário, por híbrido(s), evitando-se a impressão dos documentos originais digi-
de autuação nem tenha sido atribuído NUP, apor, na margem superior meio de sistemas integrados ou correio eletrônico, deverão ser se- tais.
da primeira folha do documento avulso, etiqueta ou carimbo, em guidas as alíneas a, c, d, e, f, g, h acima descritas pelo próprio Observação:
tamanho a ser definido pelo órgão ou entidade, sem prejuízo da destinatário, que em seguida deverá realizar o registro diretamente no Processos não digitais podem ser digitalizados no recebi-
informação registrada, conforme Figura 1: sistema informatizado em uso no órgão ou entidade ou solicitar pro- mento a fim de facilitar seu acesso dentro do órgão ou entidade, caso
vidências junto à unidade de protocolo/protocolizadora. Na trans- este faça uso de sistemas informatizados. A anexação de documentos
Nome do órgão ou entidade missão, deve-se observar o emprego de recursos para apoiar a con- e despachos necessários será realizada no processo originalmente
NUP: ............................................. Data: ...../...../.......... recebido, que será devolvido ao órgão ou entidade de origem no seu
Assinatura do servidor: ........................................................ fiabilidade, autenticidade e acessibilidade dos documentos transmi-
Matrícula: ............................................................................ tidos. formato original.
2.1.2.3 - Recebimento em mídias removíveis 2.2 - Distribuição
Figura 1 No caso de recebimento em mídias removíveis, o órgão ou Os procedimentos de distribuição para os documentos di-
h) classificar o documento, avulso ou processo, relativo às entidade deverá registrar o documento avulso que encaminha a mídia gitais são os mesmos adotados para os documentos não digitais.
atividades-meio de acordo com as classes aprovadas pelo Conselho removível, de acordo com os passos descritos no item 2.1.1. Quanto A distribuição dos documentos, avulsos ou processos, aos
Nacional de Arquivos - CONARQ, e o relativo às atividades-fim de à mídia removível, deverá ser seguido um dos seguintes procedi- seus destinatários deverá ser registrada em sistema informatizado ou
acordo com as classes elaboradas por cada órgão ou entidade e apro- mentos: excepcionalmente em formulário.
vadas pelo Arquivo Nacional; e .manter a mídia removível junto ao documento para envio ao Este registro deverá contemplar as seguintes informações:
i) registrar o documento, avulso ou processo, em sistema destinatário; ou .identificação do documento por meio do NUP;
informatizado ou excepcionalmente em formulário, no qual constarão .caso o órgão ou entidade adote sistema informatizado, in- .remetente/interessado/representante legal;
os seguintes dados identificadores: serir os documentos digitais no sistema para envio ao destinatário por .destinatário;
.a espécie/tipo do documento; meio deste. .especificações do documento, avulso ou processo, encami-
.o número e a data de produção do documento; Observações: nhado: espécie/tipo, número e data de produção; identificador de que
.a data de recebimento do documento; 1) Os documentos digitais encaminhados por meio de mídias o documento é avulso ou processo; número de anexos e número de
.o identificador de que o documento é avulso ou processo; removíveis deverão, por motivo de preservação e controle de au- volumes; código de classificação e o respectivo descritor ou o assunto
.o Número Único de Protocolo - NUP; tenticidade, ser salvos em ambiente estável e controlado, passando a que se refere o documento;
.o número de anexo(s); este a ser o documento mantido e utilizado pelo órgão ou entidade. .data do encaminhamento;
.o número de volume(s); Essa operação deverá ser realizada pela unidade de pro- .identificação do responsável pelo encaminhamento;
.o código de classificação e o respectivo descritor, ou o tocolo/protocolizadora ou pela unidade destinatária, a critério do ór- .data do recebimento;
assunto a que se refere o documento; gão ou entidade. .identificação do responsável pelo recebimento; e

Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www.in.gov.br/autenticidade.html, Documento assinado digitalmente conforme MP n o- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a
pelo código 00012015100800032 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil.
Nº 193, quinta-feira, 8 de outubro de 2015 1 ISSN 1677-7042 33
.providências a serem implementadas, quando couber. Observação: f) identificar, na capa do processo, no campo referente ao
2.3 - Controle da tramitação Os documentos de caráter particular, digitais e não digitais, registro da tramitação, a unidade administrativa para a qual o pro-
Os procedimentos de controle da tramitação para os do- não serão expedidos pelo órgão ou entidade. cesso será distribuído. O preenchimento deste campo é obrigatório
cumentos digitais são os mesmos adotados para os documentos não 2.5 - Exigência
digitais. É o pedido de esclarecimento acerca dos documentos, avul- para cada distribuição/movimentação/tramitação do processo, obser-
É vedada a tramitação de documento, avulso ou processo, sos ou processos, e/ou informações, recebidas pelo órgão ou entidade, vando-se o disposto na letra e do item 2.15;
sem o respectivo registro no instrumento de encaminhamento e de que estejam incompletas ou equivocadas ou apresentem inconsis- g) registrar a operação em sistema informatizado ou ex-
controle da tramitação, disponíveis em sistema informatizado ou ex- tências ou falhas. cepcionalmente em formulário; e
cepcionalmente em formulário. Deverão ser adotados os mesmos procedimentos para os do- h) enviar o processo para a unidade administrativa desti-
Este registro deverá contemplar as seguintes informações: cumentos digitais e para os documentos não digitais, quando os do-
cumentos, avulsos ou processos, recebidos pelo órgão ou entidade, natária com o envelope que encaminhou o documento avulso que foi
.identificação do documento por meio do NUP;
.remetente/interessado/representante legal; caírem em exigência. Poderá ser promovida diligência, visando o autuado. Caberá à unidade administrativa destinatária a decisão sobre
.destinatário; esclarecimento da situação e a indicação das providências neces- a necessidade da anexação do envelope ao processo. Neste caso, o
.especificações do documento, avulso ou processo, encami- sárias. envelope constituirá uma folha e deverá ser numerado.
nhado: espécie/tipo, número e data de produção; identificador de que Os documentos, avulsos ou processos, que caírem em exi- Observação:
o documento é avulso ou processo; número de anexos e número de gência deverão ser devolvidos à unidade administrativa responsável
pelas informações incompletas ou equivocadas e/ou pelas inconsis- Os carimbos ou etiquetas retratados nas Figuras 6 e 7 de-
volumes; código de classificação e o respectivo descritor ou o assunto limitam o âmbito de atuação da unidade protocolizadora, isto é, in-
a que se refere o documento; tências ou falhas para que essas sejam sanadas, seja no âmbito do
.data do encaminhamento; próprio órgão ou entidade, seja em outro órgão ou entidade. dicam o(s) documento(s) avulso(s) que foi(ram) autuado(s) e que
.identificação do responsável pelo encaminhamento; No caso de processos, digitais e não digitais, relativos à deu(ram) origem ao processo.
.data do recebimento; pessoa física ou jurídica, não pertencentes à Administração Pública 2.6.2 - Quanto aos processos digitais:
.identificação do responsável pelo recebimento; e Federal, esta pessoa deverá ser convocada pela unidade administrativa
interessada por meio de correspondência registrada, com aviso de a) criar e registrar um processo no sistema informatizado,
.providências a serem implementadas, quando couber. recebimento (AR), ou por meio eletrônico que garanta o efetivo constando as seguintes informações de identificação:
2.4 - Expedição recebimento pela parte interessada para que seja(m) cumprida(s) a(s)
2.4.1 - Quanto aos documentos não digitais: .nome do ministério ou órgão equivalente;
exigência(s). A cópia da convocação expedida será anexada ao pro- .nome do órgão ou entidade, quando couber;
a) classificar o documento, avulso ou processo, relativo às cesso, juntamente com o respectivo aviso/confirmação de recebimen-
atividades-meio de acordo com as classes aprovadas pelo CONARQ, to. .nome da unidade administrativa;
e o relativo às atividades-fim de acordo com as classes elaboradas por 2.6 - Autuação de documento avulso para formação de pro- .número do processo (NUP);
cada órgão ou entidade e aprovadas pelo Arquivo Nacional; cesso .data de autuação;
b) registrar o documento, avulso ou processo, em sistema A autuação de documentos avulsos para formação de pro- .nome do interessado; e
informatizado ou excepcionalmente em formulário, conforme dispõe cessos é obrigatória quando o assunto, tema ou solicitação requerer
a letra i do item 2.1.1; .código de classificação e o respectivo descritor ou o assunto
análises, informações, despachos, pareceres ou decisões administra-
c) encaminhar o documento, avulso ou processo, para ser tivas dos órgãos e entidades da Administração Pública Federal. a que se refere o documento.
expedido pela unidade de protocolo/protocolizadora, que verificará se O processo pode ser iniciado pela unidade protocolizadora, b) associar os documentos digitais de forma que os do-
o mesmo foi registrado, bem como se está classificado e acom- quando existir regulamentação interna do órgão ou entidade, por cumentos integrantes do processo sejam apresentados sempre na mes-
panhado do(s) respectivo(s) anexo(s) e/ou se consta(m) o(s) volu- solicitação da unidade administrativa, por meio de despacho da au- ma sequência;
me(s) indicado(s). Caso seja verificada alguma inconsistência, o do- toridade competente, ou por requerimento do interessado.
cumento, avulso ou processo, deverá ser devolvido para a unidade c) registrar no sistema informatizado a unidade adminis-
A autuação de processos não digitais somente poderá ser
administrativa para que a inconsistência seja resolvida; efetuada pela unidade protocolizadora. Nos processos digitais a au- trativa na qual o processo será instruído. Essa informação é obri-
d) registrar a expedição do documento, avulso ou processo, tuação poderá ser realizada por usuário autorizado, diretamente no gatória para cada distribuição/movimentação/tramitação do processo.
em sistema informatizado ou excepcionalmente em formulário; e sistema informatizado, desde que o procedimento seja monitorado As informações de trâmites deverão ser apresentadas sempre junto
e) efetuar a expedição do documento, avulso ou processo, pela unidade protocolizadora. com as demais informações de identificação do processo digital; e
adotando medidas quanto à segurança, de modo que o mesmo não O processo deve ser formado, sempre que possível, por do- d) quando a autuação ocorrer na unidade protocolizadora, o
corra riscos de perda ou extravio. Todo documento, avulso ou pro- cumento avulso original, não digital ou digital. No caso da neces-
cesso, expedido será acondicionado em invólucro específico, apondo- sidade de uso de cópia, não digital ou digital, devem ser observadas processo deverá ser encaminhado para a unidade administrativa na
se etiqueta com os dados identificadores, conforme Figuras 3 e 4. as orientações do item 2.1.3. qual será instruído, por meio de sistema informatizado.
Observação: No caso da expedição de documentos, avulsos Procedimentos adotados para a formação de processo: 2.7 - Numeração de folhas
ou processos, de caráter oficial sigiloso deverá ser observado o es- 2.6.1 - Quanto aos processos não digitais: 2.7.1 - Quanto aos processos não digitais:
tabelecido pela legislação em vigor. a) prender o(s) documento(s) avulso(s) na capa do processo, A numeração das folhas do processo será iniciada pela uni-
padronizada, com grampo trilho plástico para duzentas folhas, na
Destinatário - Frente margem esquerda, com distância de 3 cm, obedecendo a ordem cro- dade protocolizadora. As folhas subsequentes serão numeradas, em
Pronome de tratamento: nológica do documento mais antigo para o mais recente; ordem crescente, pelas unidades administrativas que as adicionarem,
Nome completo do destinatário: b) apor, na capa do processo, etiqueta, em tamanho a ser mediante carimbo específico, que deverá ser aposto no canto superior
Cargo ou função: definido pelo órgão ou entidade, contendo as seguintes informações,
Nome da unidade administrativa: direito na frente da folha, em tamanho a ser definido pelo órgão ou
Nome do órgão ou entidade: conforme Figura 5: entidade, sem prejuízo da informação registrada.
Endereço: .nome do ministério ou órgão equivalente;
Cidade/UF: .nome do órgão ou entidade, quando couber; O carimbo específico para numeração de folhas deverá con-
CEP: .nome da unidade protocolizadora; ter os seguintes dados, conforme Figuras 8 e 9:
.número do processo (NUP); .a sigla da unidade protocolizadora/unidade administrativa;
Indicar a espécie/tipo, o nº e o ano do documento, avulso ou pro- .data de autuação; .o nome do órgão ou entidade, podendo ser adotada sigla ou
cesso, e o NUP: .nome do interessado; e nome abreviado, desde que garanta a inequívoca identificação do
.código de classificação e o respectivo descritor ou o assunto
Figura 3 a que se refere o documento. órgão ou entidade;
.espaço para apor o número da folha; e
Remetente - Verso Nome do ministério ou órgão equivalente .espaço para apor a rubrica do servidor que estiver nume-
Nome do órgão ou entidade
Nome da unidade administrativa: Nome da unidade protocolizadora rando a folha.
Nome do órgão ou entidade: Nº do processo (NUP): ............................................................. Autuado em: ...../...../......... .
Endereço: Interessado: ................................................................
Cidade/UF: Código de classificação e descritor / resumo do assunto: ..................
CEP:
Figura 5
Figura 4 c) apor, no canto superior direito, na frente da primeira folha
2.4.2 - Quanto aos documentos digitais: do processo, etiqueta ou carimbo em tamanho a ser definido pelo
Documentos digitais, avulsos ou processos, devem ser trans- órgão ou entidade, sem prejuízo da informação registrada, conforme
mitidos (expedidos) por meio de sistemas integrados. Excepcional- Figura 6:
mente, documentos avulsos digitais também podem ser expedidos por
meio de correio eletrônico ou em mídias removíveis. Nome do ministério ou órgão equivalente
Na expedição deverão ser seguidos os seguintes procedi- Nome do órgão ou entidade
Nome da unidade protocolizadora
mentos: Nº do processo (NUP): ...................... Autuado em: ...../...../.........
a) classificar o documento, avulso ou processo, relativo às Assinatura do servidor: ....................................................................
atividades-meio de acordo com as classes aprovadas pelo CONARQ, Matrícula: .........................................................................................
e o relativo às atividades-fim de acordo com as classes elaboradas por
cada órgão ou entidade e aprovadas pelo Arquivo Nacional; Figura 6
b) registrar o documento, avulso ou processo, conforme dis- d) numerar as folhas, apondo o carimbo específico para nu-
põe a letra h do item 2.1.2.1; meração de folhas, de acordo com o disposto no item 2.7.1;
e) apor, no canto superior direito, na frente da última folha
c) verificar se o documento está acompanhado do respectivo autuada pela unidade protocolizadora, o carimbo ou etiqueta, em
anexo; tamanho a ser definido pelo órgão ou entidade, sem prejuízo da
d) registrar a expedição do documento; e informação registrada, conforme Figura 7:
e) transmitir o documento adotando medidas quanto à se-
gurança, de modo que o mesmo não corra riscos de perda ou cor- Nome da unidade protocolizadora
rupção de dados.
No caso de expedição de documentos avulsos digitais em Autuado em: ...../...../.......... Folha nº: …...................
mídia removível, o órgão ou entidade deverá proceder de acordo com
os passos descritos no item 2.4.1 (expedição de documentos não Nº do processo (NUP): ..................................................
digitais). O(s) documento(s) digital(is), contido(s) na mídia remo- Assinatura do servidor: ...................................................
vível, será(ão) encaminhado(s) ao destinatário como anexo(s) a um
documento não digital. Nesse caso deverão ser empregados recursos Matrícula: .......................................................................
para apoiar a confiabilidade, autenticidade e acessibilidade dos do-
cumentos expedidos. Figura 7

Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www.in.gov.br/autenticidade.html, Documento assinado digitalmente conforme MP n o- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a
pelo código 00012015100800033 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil.
34 ISSN 1677-7042 1 Nº 193, quinta-feira, 8 de outubro de 2015

a)lavrar o "Termo de Encerramento de Volume", conforme


Figura 13, em folha a ser anexada após a última folha do processo,
numerando-a sequencialmente;
Nome do órgão ou entidade
Nome da unidade protocolizadora
TERMO DE ENCERRAMENTO DE VOLUME
Ao(s) ......... dia(s) do mês de ............................................. do ano de
................, procedemos ao encerramento do volume nº.............. do
processo nº......................................, das folhas .......... a ......, abrindo-
se em seguida o volume nº.............
Assinatura do servidor: .......................................
Matrícula: ...................................................
Figura 13
b) lavrar o "Termo de Abertura de Volume", conforme Figura
14, o qual será a primeira folha do novo volume, numerando-a e
observando que a numeração das folhas obedecerá à sequência do
volume anterior;
Nome do órgão ou entidade
Nome da unidade protocolizadora
TERMO DE ABERTURA DE VOLUME
Ao(s) ........ dia(s) do mês de.......................................... do ano de
.........., procedemos a abertura do volume nº...................do processo
nº........................................, que se inicia com a folha nº.............
Assinatura do servidor: ....................................................................
Matrícula: .........................................................................................
Figura 14
Para este procedimento, observar que: f) é vedada a repetição de números para as folhas do pro- c) apor, na capa do(s) volume(s) do processo, etiqueta em
cesso, bem como a rasura, o uso de líquido corretivo e a dife- tamanho a ser definido pelo órgão ou entidade, sem prejuízo da
a) a capa do processo não será numerada; renciação utilizando-se letras e números; informação registrada, conforme Figura 15, contendo as informações
g) nos processos originados em outro órgão ou entidade da abaixo:
Administração Pública Federal, deve-se, quando da anexação de fo- .nome do ministério ou órgão equivalente;
b) a primeira folha do processo não receberá o carimbo lhas, prosseguir com a numeração existente, apondo o carimbo da .nome do órgão ou entidade, quando couber;
unidade administrativa responsável pela operação; .nome da unidade protocolizadora;
específico para numeração de folhas, devendo ser aposto o carimbo h) no caso de se detectar erro na numeração cometido por .número do processo (NUP);
terceiros, e se não houver registro do ocorrido, deve-se registrar o .data de autuação;
conforme Figura 6; fato, por meio de despacho, e prosseguir normalmente com a nu- .número do volume (utilizar numeração ordinal);
meração. Na impossibilidade de dar continuidade à matéria tratada, o .data de abertura do volume;
c) apor na segunda folha do processo o carimbo conforme processo deverá ser devolvido ao destinatário, por meio de despacho, .nome do interessado; e
informando a ocorrência; .código de classificação e o respectivo descritor ou o assunto
i) qualquer correção de numeração deverá ser registrada e a que se refere o documento.
Figura 8, específico para a numeração de folhas na unidade pro- justificada, por meio de despacho no referido processo;
j) no caso da existência de espaço em branco na frente e no Nome do ministério ou órgão equivalente
tocolizadora, devendo ser registrado no campo fl. o número 2; verso da folha, o espaço deverá ser inutilizado com um traço diagonal Nome do órgão ou entidade
Nome da unidade protocolizadora
para evitar a inclusão indevida de informações; e Nº do processo (NUP): ............... Autuado em: ...../...../.........
d) o verso da folha não será numerado. Quando for ne- k) apor o carimbo "Em Branco", conforme Figura 12, no ........... volume, aberto em ...../...../..........
verso das folhas que não contenham informações registradas: Interessado: .................................................................
Código de classificação e descritor / resumo do assunto: .............
cessária a sua citação, terá como referência a letra "v", da palavra
EM BRANCO Figura 15
verso, seguida da indicação do número da folha; d) registrar as operações de encerramento e de abertura do
Figura 12 novo volume em sistema informatizado ou excepcionalmente em for-
Observação: mulário; e
e) no caso do servidor que estiver numerando a folha co- As folhas com o verso em branco de processos constituídos e) registrar a operação em sistema informatizado ou ex-
anteriormente à vigência desta Portaria poderão ter o verso carim- cepcionalmente em formulário.
meter erro de numeração, será utilizado um "X" para inutilizar a bado, conforme Figura 12, sempre que for exigido. A ocorrência Observação:
deverá ser justificada mediante despacho, que indicará a autoridade Os volumes do processo tramitarão juntos.
numeração incorreta e será aposto o carimbo específico, sem prejuízo competente solicitante, o motivo e a data da solicitação e as folhas a 2.8.2 - Quanto aos processos digitais:
serem carimbadas. A partir da vigência desta Portaria os versos das Para os processos digitais não é necessária a existência de
da informação registrada, com o número correto da folha, conforme folhas que forem inseridas e não contiverem informações deverão ser volumes, ficando essa decisão a critério do órgão ou entidade, de
obrigatoriamente carimbados.
2.7.2 - Quanto aos processos digitais: acordo com sua conveniência. No caso da adoção de volumes, de-
Figuras 10 e 11: Nos processos digitais não há necessidade de numeração de verão ser observados os seguintes procedimentos:
folha/página. No entanto, tem-se que garantir que os documentos a) registrar o encerramento do volume em sistema infor-
integrantes do processo digital recebam numeração sequencial sem matizado, com as seguintes informações:
falhas, não se admitindo que documentos diferentes recebam a mesma .data e hora de encerramento;
numeração. .responsável pelo encerramento; e
A inserção de novos documentos deve ser feita sempre após .número de documentos do volume;
o último, não sendo permitida alteração da numeração sequencial do b) abrir e registrar o novo volume em sistema informatizado,
documento no processo quando da anexação de documento avulso a com as seguintes informações:
processo. .data e hora de abertura;
Para os documentos que possuem paginação fixa, deve-se .responsável pela abertura; e
registrar o total de páginas deste documento. Considera-se paginação .identificador do número sequencial do primeiro documento
fixa quando um documento se apresenta com a mesma configuração a ser inserido.
de páginas sempre que é visualizado. Observações:
2.8 - Encerramento e abertura de volumes 1) As seguintes informações de identificação devem ser exi-
2.8.1 - Quanto aos processos não digitais: bidas quando o volume for apresentado:
Cada volume de um processo deverá conter, no máximo, .nome do ministério ou órgão equivalente;
duzentas folhas, incluindo o "Termo de Encerramento de Volume". .nome do órgão ou entidade, quando couber;
Quando da inclusão de folhas em um processo for verificado .nome da unidade administrativa;
que serão ultrapassadas as duzentas folhas permitidas por volume, a .número do processo (NUP);
autoridade competente do órgão ou entidade em que estiver tra- .data de autuação;
mitando o processo, deverá solicitar à unidade protocolizadora, por .número do volume (utilizar numeração ordinal);
meio de despacho, a abertura de um novo volume. O volume anterior .data de abertura do volume;
será encerrado com as folhas que contiver. Exemplo: Havendo um .nome do interessado; e
processo contendo 180 folhas, ao qual será incluído um documento .código de classificação e o respectivo descritor ou o assunto
avulso contendo cinquenta folhas, encerrar-se-á o volume com 180 a que se refere o documento.
folhas e abrir-se-á novo volume com o referido documento de cin- 2) A numeração sequencial dos documentos seguirá a do
quenta folhas. volume anterior.
Será permitida a inclusão de documento avulso, ultrapas- 3) Os volumes do processo tramitarão juntos.
sando as duzentas folhas do volume, somente se este for dar con- 2.9 - Despacho
clusão ao processo e, desde que o documento não contenha mais de Despacho é a forma por meio da qual a autoridade com-
vinte folhas. petente dá continuidade a uma ação administrativa ou firma decisões
Documento avulso que contenha, originalmente, mais de du- em documentos, avulsos ou processos.
zentas folhas, deverá ser dividido. Os despachos podem ser informativos ou decisórios. Os des-
Procedimentos para o encerramento e a abertura de um novo pachos informativos, ou despachos de mero expediente, objetivam dar
volume: prosseguimento ao documento, avulso ou processo, enquanto que os

Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www.in.gov.br/autenticidade.html, Documento assinado digitalmente conforme MP n o- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a
pelo código 00012015100800034 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil.
Nº 193, quinta-feira, 8 de outubro de 2015 1 ISSN 1677-7042 35
despachos decisórios envolvem uma decisão administrativa sobre ma- .se houver a possibilidade de fixação de mais de um do- .registro, nos dados do(s) processo(s) acessório(s), das se-
térias e assuntos submetidos à apreciação da autoridade competente. cumento avulso na mesma folha, seguir as orientações previstas nos guintes informações:
2.9.1 - Quanto aos processos não digitais: dois itens acima. data e hora da anexação;
Qualquer solicitação ou informação inerente ao processo será Informar, por meio de despacho, qual(is) documento(s) avul- responsável pela anexação; e
feita por intermédio de despacho na última folha do processo ou so(s) foi(ram) colado(s). A(s) folha(s) com o(s) documento(s) co- NUP do processo principal.
mediante a utilização de folha de despacho, sendo que poderão ser lado(s) deverá(ão) ser numerada(s), obedecendo a sequência. 2) O NUP do(s) processo(s) anexado(s) deve ser exibido
anexadas ao processo tantas folhas de despacho quantas forem ne- 2.10.1.1.2 - Quanto aos processos digitais: junto com as informações de identificação do processo principal.
cessárias. As folhas de despacho deverão ser carimbadas, numeradas a) reunir o(s) documento(s) avulso(s) a ser(em) anexado(s); 2.10.2 - Juntada por apensação de processo(s) a processo
e rubricadas, de acordo com o disposto no item 2.7.1. b) informar, por meio de despacho, qual(is) documento(s) A juntada por apensação de processo(s) a processo ocorre em
Para os despachos deverão, sempre que possível, ser uti- avulso(s) será(ão) anexado(s) ao processo; caráter temporário e tem como objetivo o estudo, a instrução e a
lizados a frente e o verso da folha do processo, não sendo permitida c) caso o(s) documento(s) avulso(s) não tenha(m), ainda, uniformidade de tratamento em matérias semelhantes, pertencentes a
a inclusão de novas folhas até o seu total aproveitamento. sido registrado(s) no sistema informatizado, realizar o registro; e um mesmo interessado ou não. Cada processo conserva sua iden-
Nos casos de despacho com impressão em frente e verso, por d) anexar o(s) documento(s) avulso(s) ao processo, por meio tidade e independência.
meio de equipamento informatizado, a margem lateral esquerda da do sistema informatizado. Esta juntada se caracteriza pela junção de um ou mais pro-
frente da folha e a margem lateral direita do verso da folha deverão Observação: cessos (processos acessórios) a outro processo (processo principal).
ter 3 cm, visando preservar as informações contidas quando a folha A fim de apoiar a autenticidade do processo digital, o pro- Neste procedimento, considera-se como processo principal o que con-
for perfurada. cedimento de juntada por anexação deverá ser finalizado pelo sistema tiver o pedido da juntada por apensação, observando-se que este não
Dos despachos podem constar o destinatário, a providência a informatizado, por meio das seguintes ações: será, necessariamente, o processo mais antigo.
ser implementada, a data, a assinatura e matrícula do remetente e, .registro, nos dados do(s) documento(s) avulso(s), do número Sempre que ocorre uma juntada por apensação, os processos
quando couber, a matéria tratada. identificador do processo ao qual está(ão) sendo anexado(s); e passam a tramitar juntos e o acréscimo de novas folhas deverá ocorrer
Caso haja necessidade de cancelar um despacho, a auto- .atribuição da numeração sequencial do(s) documento(s) somente no processo principal.
ridade deverá fazer dois traços em diagonal e escrever "SEM EFEI- avulso(s) no processo. A apensação de processo(s) não digital(is) somente poderá
TO". Datar, assinar e apor carimbo. 2.10.1.2 - Juntada por anexação de processo(s) a processo ser executada pela unidade protocolizadora. Nos processos digitais, a
2.9.2 - Quanto aos processos digitais: Esta juntada se caracteriza pela união de um ou mais pro- apensação poderá ser realizada diretamente no sistema informatizado
Nos processos digitais o despacho pode ser realizado por cessos (processos acessórios) a outro processo (processo principal), por usuário autorizado, de maneira que se possa garantir o mo-
meio de inserção de documento digital no processo ou por meio de desde que referentes a um mesmo interessado e assunto, prevalecendo nitoramento desta operação pela unidade protocolizadora.
registro em campo apropriado do sistema informatizado. No caso do o número do processo mais antigo, ou seja, o processo principal. Nos processos digitais, é possível associar ou vincular dois
despacho ser registrado em campo do sistema informatizado, toda vez A anexação de processo(s) a processo(s) não digital(is) so-
mente poderá ser executada pela unidade protocolizadora. Nos pro- ou mais processos com matérias semelhantes de maneira que o trâ-
que o processo for visualizado, os documentos e os respectivos des- mite de cada um siga independentemente e o acréscimo de novos
pachos tem que ser apresentados na ordem em que foram inseridos no cessos digitais, essa anexação poderá ser realizada diretamente no
processo. sistema informatizado por usuário autorizado, de maneira que se documentos possa ser realizado em todos eles. No entanto, este pro-
Caso haja necessidade de cancelar um despacho, a auto- possa garantir o monitoramento desta operação pela unidade pro- cedimento não se caracteriza por juntada. Quando se optar pela rea-
ridade deverá informar a ação no sistema, que irá registrar a in- tocolizadora. lização de uma juntada por apensação, os processos necessariamente
formação de que o despacho foi cancelado, a data e o nome da 2.10.1.2.1 - Quanto aos processos não digitais: passarão a tramitar juntos.
autoridade responsável pelo cancelamento. Mesmo após seu cance- a) manter a capa e o conteúdo do processo principal que, 2.10.2.1 - Quanto aos processos não digitais:
lamento, o despacho deve continuar integrando o processo digital, e obrigatoriamente, será o processo mais antigo; a) manter sobreposto um processo ao outro, presos por ca-
deve sempre ser apresentado de tal maneira que a informação de que b) lavrar o "Termo de Juntada por Anexação", em folha a ser darço ou similar de algodão cru com no mínimo 30 mm de largura,
foi cancelado, o nome e a data do responsável estejam explícitos. anexada após a última folha do processo principal, conforme Figura ficando o processo principal, isto é, o que contiver o pedido da
2.10 - Juntada 17: juntada por apensação, em primeiro lugar;
Juntada é a união de processo(s) a processo ou de docu- b) manter a numeração original das folhas de cada pro-
mento(s) avulso(s) a processo, realizando-se por anexação ou apen- Nome do órgão ou entidade cesso;
sação. Nome da unidade protocolizadora c) lavrar o "Termo de Juntada por Apensação", em folha a
A juntada de processo(s) a processo somente poderá ser ser anexada após a última folha do processo principal, conforme
TERMO DE JUNTADA POR ANEXAÇÃO Figura 18:
executada pela unidade protocolizadora, enquanto que a juntada de Em ......../......../........., atendendo ao despacho constante à(s) folha(s)
documento(s) avulso(s) a processo poderá ser executada pela unidade nº(s)........................................., faço anexar ao presente processo
administrativa onde o processo estiver sendo instruído. nº........................................................................... o(s) Nome do órgão ou entidade
processo(s) nº(s)................................................. Nome da unidade protocolizadora
Nos processos digitais, a juntada poderá ser registrada por
usuário autorizado diretamente no sistema informatizado, desde que o Assinatura do servidor: ........................................................
Matrícula: .................................................................. TERMO DE JUNTADA POR APENSAÇÃO
procedimento seja monitorado pela unidade protocolizadora. Os pro- Em ......../......../........., atendendo ao despacho constante à(s) folha(s)
cedimentos de juntada são efetivados automaticamente pelo sistema Figura 17 nº(s)............................, faço apensar ao presente processo
informatizado após o registro da operação. c) o processo a ser anexado (processo acessório) deverá ser nº.................. o(s) processo(s) nº(s) .............................................
2.10.1 - Juntada por anexação Assinatura do servidor: ................................................
colocado logo após o Termo de Juntada por Anexação, sendo preso Matrícula: .......................................................................
A juntada por anexação visa à continuidade da ação ad- com o trilho plástico. A capa do processo acessório será dobrada
ministrativa e ocorre em caráter definitivo. Após o procedimento de verticalmente e não deverá ser numerada. Quando da anexação de Figura 18
juntada por anexação, seja de documento(s) avulso(s) a processo, seja mais de um processo deverá ser obedecida a ordem cronológica, ou d) apor, na capa do processo principal, no campo "Obser-
de processo(s) a processo, é vedada a retirada de documento(s) do seja, do mais antigo para o mais recente; vações", a seguinte informação: "Processo(s) apensado(s) número(s)
processo, ressalvadas as hipóteses de desentranhamento e desmem- d) anular com um "X" a numeração das folhas do processo __________";
bramento. que está sendo anexado (processo acessório), conforme Figura 10, e e) registrar a operação de apensação em sistema informa-
2.10.1.1 - Juntada por anexação de documento(s) avulso(s) a apor o carimbo específico para numeração de folhas, conforme Figura tizado ou excepcionalmente em formulário; e
processo 11, renumerando-as e rubricando-as, seguindo com a numeração do f) providenciar a devolução do(s) processo(s) apensado(s) à
Esta juntada se caracteriza pela inclusão de documento(s) processo principal;
avulso(s) a processo, desde que referentes a um mesmo interessado e unidade administrativa que solicitou a apensação para que sejam
e) nos casos em que as folhas do processo principal somadas tomadas as providências informadas no despacho.
assunto, sendo que o(s) documento(s) avulso(s) anexado(s) passa(m) ao processo acessório ultrapassarem as duzentas folhas, além dos
a compor o processo. 2.10.2.2 - Quanto aos processos digitais:
procedimentos descritos acima, deverão ser seguidos também os des- a) apensar o(s) processo(s) acessório(s) ao processo prin-
No caso de processo não digital, deve-se obedecer sequen- critos no item 2.8, referente ao encerramento e abertura de volu-
cialmente a numeração das folhas. Quanto ao processo digital, deve- cipal, por meio de sistema informatizado; e
mes; b) verificar no sistema informatizado se o(s) processo(s)
se garantir o sequenciamento sem falhas dos documentos que o in- f) apor, na capa do processo principal, no campo "Obser-
tegram. acessório(s) foi(ram) corretamente apensado(s) ao processo princi-
vações", a seguinte informação: "Processo(s) anexado(s) número(s) pal.
2.10.1.1.1 - Quanto aos processos não digitais: __________";
a) informar, por meio de despacho, qual(is) documento(s) Observações:
g) registrar a operação de anexação em sistema informa- 1) A fim de apoiar a autenticidade do processo digital, o
avulso(s) será(ão) anexado(s) ao processo. O despacho deve ser feito tizado ou excepcionalmente em formulário; e
na última folha do processo ou mediante a utilização de folha de procedimento de juntada por apensação deverá ser finalizado pelo
h) providenciar a devolução do processo à unidade admi- sistema informatizado, por meio das seguintes ações:
despacho e deverá anteceder o(s) documento(s) avulso(s) anexa- nistrativa que solicitou a anexação para que sejam tomadas as pro-
do(s); vidências informadas no despacho. .registro do evento de apensação de processo(s) a processo;
b) reunir o(s) documento(s) avulso(s) a ser(em) anexado(s); Observação: .manutenção do controle da numeração sequencial dos do-
c) anexar o(s) documento(s) avulso(s) em questão; Quando do ato de anexação de processo(s) a processo for cumentos em cada um dos processos;
d) numerar a(s) folha(s) do(s) documento(s) avulso(s) ane- constatada a ausência de folhas, anexos e/ou volumes, a unidade .registro, nos dados do processo principal, das seguintes in-
xado(s) ao processo; e protocolizadora deverá registrar o fato por meio de despacho a ser formações para cada processo apensado:
e) registrar a operação em sistema informatizado, no caso de anexado como último documento do processo principal. data e hora da apensação;
documento(s) avulso(s) que já receberam NUP. Deverá ser informada 2.10.1.2.2 - Quanto aos processos digitais: responsável pela apensação;
sua anexação com a indicação do número do processo - NUP. a) inserir o(s) processo(s) acessório(s) após o último do- identificador do(s) processo(s) apensado(s); e
Observação: cumento do processo principal, por meio de sistema informatizado; número de documentos que integram o(s) processo(s)
1) Documento(s) avulso(s) encadernado(s), cartaz(es), bro- e apensado(s) no momento da apensação;
chura(s) não deverá(ão) ser inseridos(s) no processo, mas se cons- b) verificar no sistema informatizado se o(s) processo(s) .registro, nos dados do(s) processo(s) acessórios(s), das se-
tituirá(ão) em anexo(s), devendo este procedimento ser registrado por acessório(s) foi(ram) corretamente anexado(s) ao processo principal. guintes informações:
meio de despacho. Nestes casos, apor etiqueta ou carimbo de iden- Observações: data e hora da apensação;
tificação, em tamanho a ser definido pelo órgão ou entidade, sem 1) A fim de apoiar a autenticidade do processo digital, o responsável pela apensação; e
prejuízo da informação registrada, conforme Figura 16: procedimento de juntada por anexação deverá ser finalizado pelo NUP do processo principal.
sistema informatizado, por meio das seguintes ações: 2) O acréscimo de novos documentos deverá ocorrer no
Nome do órgão ou entidade .registro do evento de anexação de processo(s) a processo; processo principal.
Nome da unidade protocolizadora 3) O NUP do(s) processo(s) apensado(s) deve ser exibido
Nº do processo (NUP): ......................................... .atualização do controle da numeração sequencial dos do-
Nº do anexo: ........................................................ cumentos no processo; junto com as informações de identificação do processo principal.
.registro, nos dados do processo principal, das seguintes in- 2.11 - Desapensação de processo(s)
Figura 16 formações referentes a cada processo anexado: Ocorre quando há a necessidade de separar processo(s), an-
2) Na anexação de documento(s) avulso(s) em tamanho re- data e hora da anexação; teriormente, juntado(s) por apensação.
duzido, observar: responsável pela anexação; A desapensação de processo(s) não digital (is) somente po-
.se o documento avulso apresenta informação apenas na fren- identificador do(s) processo(s) acessório(s); derá ser executada pela unidade protocolizadora. Nos processos di-
te, deverá ser colado em folha de papel branco, tamanho A4; identificador do último documento do processo principal gitais, a desapensação poderá ser realizada diretamente no sistema
.se o documento avulso apresenta informação na frente e no antes da anexação; e informatizado por usuário autorizado, de maneira que se possa ga-
verso, deverá ser colado de maneira a não prejudicar a leitura das número de documentos que integram o(s) processo(s) aces- rantir o monitoramento desta operação pela unidade protocolizado-
informações registradas tanto na frente como no verso; e sório(s) no momento da anexação; ra.

Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www.in.gov.br/autenticidade.html, Documento assinado digitalmente conforme MP n o- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a
pelo código 00012015100800035 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil.
36 ISSN 1677-7042 1 Nº 193, quinta-feira, 8 de outubro de 2015

A desapensação deverá ocorrer antes do arquivamento do(s) g) providenciar a devolução da(s) folhas(s) desentranhada(s) constituição, encaminhando à unidade protocolizadora, para autuação,
processo(s). e do(s) processo(s) à unidade administrativa que solicitou o desen- sendo atribuído ao processo formado um novo número (NUP), man-
2.11.1 - Quanto aos processos não digitais: tranhamento. tendo-se o número (NUP) anterior como referência;
a) informar, por meio de despacho, qual(is) processo(s) aces- 2.12.2 - Quanto aos processos digitais: c) lavrar o "Termo de Reconstituição de Processo", o qual
sório (s) será(ão) desapensado(s) do processo principal. O despacho a) indicar no sistema informatizado o(s) documentos(s) a será a primeira folha do processo reconstituído, devendo ser nu-
deverá constar da última folha do processo principal ou mediante a ser(em) desentranhados(s); e merada, conforme Figura 22;
utilização de folha de despacho; b) registrar justificativa no ato da operação em despacho
b) separar fisicamente o(s) processo(s) acessório(s) do pro- próprio. Nome do órgão ou entidade
cesso principal; Observações: Nome da unidade protocolizadora
c) lavrar o "Termo de Desapensação", em folha a ser anexada 1) A fim de apoiar a autenticidade do processo digital, o
após a última folha do processo principal, conforme Figura 19: procedimento de desentranhamento deverá ser finalizado pelo sistema TERMO DE RECONSTITUIÇÃO DE PROCESSO
informatizado, por meio do registro das seguintes informações sobre Ao(s) ............ dia(s) do mês de ................................... do ano de
Nome do órgão ou entidade o evento de desentranhamento: ..................., procedemos à reconstituição do processo nº
Nome da unidade protocolizadora .data e hora do desentranhamento; ............................................., que receberá o nº ................................
Órgão ou entidade produtor(a) do processo: ......................
.responsável pelo desentranhamento; Interessado:......................................................................
TERMO DE DESAPENSAÇÃO .identificador do(s) documento(s) retirado(s); e
Em ......../......../........., atendendo ao despacho constante à(s) folha(s) Código de classificação / descritor / resumo do assunto:
nº(s)............................................., faço desapensar do .motivo do desentranhamento. ..................................................................................
presente processo nº .............................................................. o(s) pro- 2) O sequenciamento dos documentos no processo não pode Número de folhas: ....................
cesso(s) nº(s)................................................................................., ser alterado, de forma a se registrar que um ou mais documentos Motivo da reconstituição: ...................................................
que passam a tramitar em separado. foram retirados. Assinatura do servidor: .......................................................
Assinatura do servidor: .................................................. 2.13 - Desmembramento Matrícula: ...............................................................
Desmembramento consiste na retirada de folhas/documentos
Matrícula: ................................................................ do processo de forma definitiva, mediante justificativa, que ocorrerá Figura 22
Figura 19 quando houver interesse do órgão ou entidade ou a pedido do in-
teressado, para a formação de um novo processo. d) registrar a operação de reconstituição de processo em
d) apor, na capa do processo principal, no campo "Obser- sistema informatizado ou excepcionalmente em formulário; e
vações", a seguinte informação: "Processo(s) desapensado(s) núme- O desmembramento só poderá ser executado pela unidade
protocolizadora, mediante solicitação, por despacho, da autoridade e) encaminhar o processo à autoridade competente que de-
ro(s) __________"; terminou a reconstituição, para que siga seu trâmite.
e) registrar a operação de desapensação em sistema infor- competente, justificando a operação.
matizado ou excepcionalmente em formulário; e Nos processos digitais, o desmembramento poderá ser rea- No caso de perda ou extravio de volume de um processo,
f) providenciar a devolução do(s) processo(s) desapensado(s) lizado diretamente no sistema informatizado por usuário autorizado. deverão ser seguidos os mesmos procedimentos anteriormente des-
à unidade administrativa que solicitou a desapensação para que sejam O sistema informatizado tem que permitir o monitoramento da ope- critos, mantendo-se a numeração original do processo, bem como
tomadas as providências informadas no despacho. ração pela unidade protocolizadora. lavrado o "Termo de Reconstituição de Volume" o qual será a pri-
2.11.2 - Quanto aos processos digitais: É vedada a retirada do documento avulso e, quando for o meira folha do volume reconstituído, devendo ser numerada, con-
a) informar, por meio de despacho, qual(is) processo(s) aces- caso, de seu(s) anexo(s), que deu(ram) origem ao processo. forme Figura 23:
sório(s) será(ão) desapensado(s) do processo principal; 2.13.1 - Quanto aos processos não digitais:
b) indicar no sistema informatizado o(s) processo(s) aces- a) informar qual(is) folha(s) do processo será(ão) desmem- Nome do órgão ou entidade
sório(s) a ser(em) desapensado(s) do processo principal; e bradas(s), mediante despacho da autoridade competente; Nome da unidade protocolizadora
c) verificar no sistema informatizado se a desapensação foi b) separar fisicamente a(s) folha(s) do processo que será(ao)
realizada corretamente. desmembrada(s), de acordo com o que consta no despacho da au- TERMO DE RECONSTITUIÇÃO DE VOLUME
Observação: toridade competente; Ao(s) ............ dia(s) do mês de ................................... do ano de
c) conservar a numeração original do processo que teve fo- ................., procedemos à reconstituição do volume do processo
A fim de apoiar a autenticidade do processo digital, o pro- nº.........................................
cedimento de desapensação deverá ser realizado pelo sistema in- lha(s) desmembrada(s), não renumerando-as; Órgão ou entidade produtor(a) do processo: ........................
formatizado, por meio das seguintes ações: d) lavrar o "Termo de Desmembramento", em folha a ser ......................................................................................
.registro do evento de desapensação de processo(s); anexada no lugar das folhas desmembradas, observando-se que esta Interessado:..............................................................................
folha não será numerada, conforme Figura 21: Código de classificação / descritor / resumo do assunto:
.registro, nos dados do processo principal, das seguintes in- ..................................................
formações: Nome do órgão ou entidade Número de folhas: .....................
data e hora da desapensação; Nome da unidade protocolizadora Motivo da reconstituição: ...............................................
responsável pela desapensação; e Assinatura do servidor: ..........................................................
identificador do(s) processo(s) desapensado(s); TERMO DE DESMEMBRAMENTO Matrícula: ........................................
.registro, nos dados do(s) processo(s) acessórios(s), das se- Em ..../...../.........., atendendo ao despacho constante à(s) folha(s)
guintes informações: nº(s) ........................................................, faço o desmembramento do Figura 23
presente processo nº................................... da(s) folha(s) nº(s)
data e hora da desapensação; ............................, para formação do processo nº Observações:
responsável pela desapensação; e ..................................................................... 1) No caso da localização do processo ou volume(s), de-
NUP do processo principal. Assinatura do servidor: ................................................. saparecido(s) ou extraviado(s), este(s) deverá(ão) prosseguir sua tra-
2.12 - Desentranhamento Matrícula: .................................................................. mitação, depois de anexado(s) a ele o processo ou volume(s) re-
Desentranhamento consiste na retirada de folhas/documentos constituído(s), conforme os procedimentos adotados para a juntada
do processo de forma definitiva, mediante justificativa, que ocorrerá Figura 21
e) apor, na capa do processo principal, no campo "Obser- por anexação que se encontram descritos no item 2.10.1.
quando houver interesse do órgão ou entidade ou a pedido do in-
teressado. O desentranhamento ocorre, também, quando se constata a vações", a seguinte informação: "Folha(s) desmembrada(s) número(s) 2) Para os processos digitais aplicam-se todos os proce-
anexação indevida ou duplicada de documentos, bem como quando __________"; dimentos acima descritos. Os Termos de Reconstituição de Processo e
há necessidade de utilizar o original de um documento junto a ter- f) registrar a operação em sistema informatizado ou excep- de Reconstituição de Volume serão documentos digitais a serem in-
ceiros (pessoa física, pessoa jurídica, órgãos ou entidades públicos, cionalmente em formulário; seridos neste processo.
entre outros) ou em outro processo já existente. g) proceder a autuação da(s) folha(s) desmembrada(s), de 2.15 - Capa do processo
O desentranhamento só poderá ser executado pela unidade acordo com os passos descritos no item 2.6; e A capa do processo deverá contemplar as seguintes infor-
protocolizadora, mediante solicitação, por despacho, da autoridade h) providenciar a devolução dos processos à unidade ad-
ministrativa que solicitou o desmembramento. mações e medidas:
competente, justificando a operação. a) possuir as dimensões abaixo, dispostas conforme as Fi-
Nos processos digitais, o desentranhamento poderá ser rea- 2.13.2 - Quanto aos processos digitais:
a) indicar no sistema informatizado o(s) documentos(s) a guras 24, 25 e 26;
lizado diretamente no sistema informatizado por usuário autorizado. ser(em) desmembrados(s) para a formação de um novo processo di- - medida da capa fechada (frente): 23 cm x 33 cm;
O sistema informatizado tem que permitir o monitoramento da ope- gital; e - medida da capa aberta: 52cm x 33 cm
ração pela unidade protocolizadora. b) registrar justificativa no ato da operação em despacho
É vedada a retirada do documento avulso e, quando for o - medida da lombada: 6 cm; e
apropriado. - os furos deverão seguir o padrão universal de distância
caso, de seu(s) anexo(s), que deu(ram) origem ao processo. Observações:
2.12.1 - Quanto aos processos não digitais: entre eles de 80 mm.
1) A fim de apoiar a autenticidade do processo digital, o
a) informar qual(is) folha(s) do processo será(ão) desentra- procedimento de desmembramento deverá ser finalizado pelo sistema
nhada(s), mediante despacho da autoridade competente; informatizado, por meio do registro das seguintes informações sobre
b) separar fisicamente a(s) folha(s) do processo que será(ão) o evento de desmembramento:
desentranhada(s), de acordo com o que consta no despacho da au- .data e hora do desmembramento;
toridade competente; .responsável pelo desmembramento;
c) conservar a numeração original do processo que teve fo- .identificador do(s) documento(s) retirado(s);
lha(s) desentranhada(s), não renumerando-as; .identificador do novo processo formado com o(s) documen-
d) lavrar o "Termo de Desentranhamento", em folha a ser to(s) retirado(s); e
anexada no lugar das folhas desentranhadas, observando-se que esta .motivo do desmembramento;
folha não será numerada, conforme Figura 20: 2) O sequenciamento sem falhas dos documentos no pro-
Nome do órgão ou entidade cesso não pode ser alterado, de forma a se registrar que um ou mais
Nome da unidade protocolizadora documentos foram retirados.
2.14 - Reconstituição de processo
TERMO DE DESENTRANHAMENTO Os procedimentos para a reconstituição de processos digitais
Em ..../...../.........., atendendo ao despacho constante à(s) folha(s) são os mesmos adotados para os processos não digitais.
nº(s) ........................................................, faço o desentranhamento do Ao ocorrer a perda ou extravio de processo, a autoridade
presente processo nº................................... da(s) folha(s) nº(s) competente do órgão ou entidade deverá ser comunicada, cabendo a
............................, por motivo de …...............................................
Assinatura do servidor: ................................................. ela promover a apuração dos fatos, por meio de sindicância ou pro-
Matrícula: ..................................................................... cesso administrativo, e designar, formalmente, um servidor ou uma
comissão para proceder à reconstituição do processo, conforme des-
Figura 20 crito abaixo:
e) apor, na capa do processo principal, no campo "Obser- a) resgatar as informações e os documentos que integravam
vações", a seguinte informação: "Folha(s) desentranhada(s) número(s) o processo perdido ou extraviado, solicitando, quando necessário, às
__________"; unidades administrativas por onde o processo tramitou, a disponi-
f) registrar a operação em sistema informatizado ou excep- bilização de informações e/ou de cópias dos documentos;
cionalmente em formulário; e b) reunir os documentos obtidos durante a operação de re-

Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www.in.gov.br/autenticidade.html, Documento assinado digitalmente conforme MP n o- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a
pelo código 00012015100800036 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil.
Nº 193, quinta-feira, 8 de outubro de 2015 1 ISSN 1677-7042 37
c) na confecção das capas deverão ser observadas as se- O documento, avulso ou processo, será arquivado mediante
guintes especificações técnicas: despacho da autoridade competente. O despacho deverá ser feito na
.material: cartão monolúcido, alcalino, na cor branca, de gra- última folha do documento, avulso ou processo, ou mediante a uti-
matura de 300 g/m2 fabricado apenas com fibras de celulose primárias lização de folha de despacho, indicando "Arquive-se".
A operação de arquivamento deverá ser registrada em sis-
oriundas de processo químico Kraft, alvejadas até alvura em torno de
tema informatizado ou excepcionalmente em formulário.
90 ISO, possuindo no mínimo 2,0% de carga de carbonato de cálcio 2.16.2 - Quanto aos documentos digitais:
e pH entre 7,5 - 10,0; e O documento, avulso ou processo, será arquivado mediante
.impressão: tinta utilizada no processo de impressão gráfica despacho da autoridade competente, por meio de operação no sistema
na cor preta, com pigmento a base de negro de fumo (partículas de informatizado com o respectivo registro.
carbono finamente divididas). 2.17 - Desarquivamento
d) as capas deverão conter quatro furos para colocação de Os procedimentos para o desarquivamento de documento(s),
grampo trilho plástico, a um centímetro do vinco, sendo dois em cada avulsos(s) ou processo(s), digitais são os mesmos adotados para os
não digitais.
lado da dobra, centralizados verticalmente, conforme Figura 24; O documento, avulso ou processo, será desarquivado por
expressa solicitação da autoridade competente quando houver ne-
cessidade de continuidade da ação administrativa. Após o desarqui-
e) em cada campo destinado à tramitação, deve-se informar a vamento, o documento, avulso ou processo, poderá ser tramitado ou a
data de movimentação do processo e a sigla da unidade adminis- ele ser(em) anexado(s) ou apensado(s) novo(s) documento(s), avul-
trativa para a qual foi encaminhado; e
f) preencher o campo destinado às Observações com in- so(s) ou processo(s).
formações relativas à anexação, apensação ou desapensação de um A operação de desarquivamento deverá ser registrada em
processo a outro, indicando o número do(s) processo(s) que foi(ram) sistema informatizado ou excepcionalmente em formulário.
anexado(s), apensado(s) ou desapensado(s), e ao desentranhamento e 2.18 - Empréstimo
desmembramento de folha(s) de um processo, indicando o número O empréstimo de documentos, avulsos ou processos, não se
da(s) folha(s) que foi(ram) desentranhada(s) ou desmembrada(s). Este caracteriza como desarquivamento, pois ocorre para fins de refe-
campo, também, deverá ser preenchido com informações referentes à rência, consulta, reprodução, pesquisa ou exposição, não significando
troca da capa do processo. a retomada e a consequente continuidade da ação do documento.
Cabe ressaltar que os processos digitais não possuem capa. O empréstimo de documentos, avulsos ou processos, deverá
No entanto, as informações de identificação, conforme o item 2.6.2, ser registrado em sistema informatizado ou excepcionalmente em
devem ser visualizadas quando um processo digital for apresentado formulário.
pelo sistema informatizado, embora não seja necessário reproduzir a Quando do empréstimo, se for constatada a necessidade de
forma da capa do processo digital. continuidade de análise da matéria e, consequentemente, de retomada
Observações:
1) Na capa do 1º volume do processo deverá ser afixada da tramitação, a unidade administrativa que solicitou o empréstimo
etiqueta com os dados relativos a sua autuação, conforme Figura 5. deverá solicitar o desarquivamento do documento, avulso ou pro-
Nas capas dos demais volumes do processo deverão ser afixadas cesso. Este procedimento deverá ser registrado em sistema infor-
etiquetas conforme Figura 15. matizado ou excepcionalmente em formulário.
2) As capas já impressas no modelo antigo poderão ser 3 - Orientações gerais
utilizadas até que o estoque do órgão ou entidade atinja o esgo- 3.1 - Os órgãos e entidades da Administração Pública Fe-
tamento. deral deverão:
3) Os processos de caráter oficial sigiloso receberão tra- a) respeitar princípios éticos para o tratamento dos docu-
tamento de acordo com o estabelecido pela legislação em vigor. mentos, mantendo absoluta discrição com relação às informações
2.15.1 - Troca da capa do processo neles contidas e observar a legislação em vigor no que se refere ao
Este procedimento não se aplica aos processos digitais. tratamento técnico de documentos classificados como sigilosos;
A capa do processo só poderá ser trocada caso tenha sido b) desenvolver seus procedimentos internos, visando à im-
seriamente danificada, por desgaste natural, sinistro ou acidente, di-
ficultando o seu manuseio e a leitura das informações. plementação do disposto nesta Portaria Interministerial;
A troca será executada pela unidade protocolizadora do ór- c) instituir, manter e organizar unidades administrativas des-
gão ou entidade responsável pela autuação do processo, mediante tinadas à execução das atividades de protocolo;
solicitação, por despacho, da autoridade competente, com a respectiva d) instalar no recinto de entrada, preferencialmente no pa-
justificativa. vimento térreo de sua(s) instalação(ões) física(s), a unidade admi-
Todas as informações contidas na capa anterior deverão ser nistrativa destinada ao recebimento de documentos, conforme legis-
copiadas para a nova capa, descartando-se a capa anterior. Havendo lação em vigor;
informações que não possam ser lidas, escrever "Ilegível" no campo e) definir sobre a centralização ou descentralização das ati-
que a mesma ocuparia, mantendo a sequência original. Deve-se lavrar vidades de protocolo e das unidades protocolizadoras; e
b) exibir os elementos dispostos nos modelos de formato de o "Termo de Substituição de Capa", o qual será a próxima folha do f) definir se, no caso dos documentos digitais, avulsos e
volume, devendo ser numerada, conforme Figura 29: processos, a própria unidade administrativa que os recebe, elabora e
capa e verso da capa, conforme Figuras 27 e 28, respectivamente; Nome do órgão ou entidade expede realizará as atividades de protocolo, sendo que o sistema
Nome da unidade protocolizadora informatizado se comporta como unidade protocolizadora. Neste caso,
a unidade protocolizadora deverá monitorar todos os procedimentos
TERMO DE SUBSTITUIÇÃO DE CAPA realizados por meio do sistema informatizado.
Ao(s) ............ dia(s) do mês de ................................... do ano de 3.2 - Em atenção às questões relativas à sustentabilidade,
..................., procedemos à substituição da capa deste volume,
do processo nº................................................................, devido a capa recomenda-se que, sempre que possível, sejam utilizadas a frente e o
anterior estar danificada. As informações originais foram verso das folhas até o seu total aproveitamento, não sendo acon-
copiadas em sua totalidade para a nova capa. selhável a inclusão de novas folhas antes disso. Recomenda-se, ainda,
Assinatura do servidor: ............................................................... que os documentos sejam impressos utilizando-se a frente e o verso
Matrícula: .................................................................................... das folhas.
3.3 - Nos casos de impressão em frente e verso de do-
Figura 29 cumentos, por meio de equipamento informatizado, a margem lateral
2.16 - Arquivamento esquerda da frente da folha e a margem lateral direita do verso da
Arquivamento significa a guarda do documento, avulso ou folha deverão ter 3 cm, visando preservar as informações contidas
processo, cuja tramitação cessou, e se caracteriza pelo fim da ação quando a folha for perfurada.
administrativa que determinou a produção do documento. 3.4 - O arquivamento, o desarquivamento e o empréstimo de
O arquivamento de documento(s), avulso(s) ou processo(s), documentos, avulsos ou processos, não são atividades de respon-
ocorrerá diante das seguintes condições:
a) por deferimento ou indeferimento do pleito; sabilidade das unidades de protocolo/protocolizadoras. As áreas de
b) pela expressa desistência ou renúncia do interessado; ou arquivo dos órgãos e entidades da Administração Pública Federal são
c) por decisão motivada de autoridade competente. responsáveis pela execução dessas atividades.
Observação: 3.5 - Para os documentos não digitais, cada anexo deverá
Após a digitalização de documentos avulsos recebidos e manter sua própria numeração de folhas.
mantidos, para juntada em processo digital, conforme alínea III do 3.6 - Termos, etiquetas e carimbos:
item 2.1.3, observar os seguintes procedimentos para arquivamento: a) Para os documentos digitais não se aplicam os proce-
a) se o órgão ou entidade considerar que as cópias digitais dimentos de aposição de etiquetas e carimbos. As informações serão
possuem valor de original para fins do processo há formação de um registradas em sistema informatizado;
processo totalmente digital. Nesse caso, os documentos recebidos b) Todas as informações necessárias à confecção dos termos,
serão classificados e cumprirão a temporalidade e destinação nos etiquetas e carimbos constam dos modelos previstos nesta Portaria
termos previstos na Tabela de Temporalidade e Destinação. Interministerial e poderão ser reproduzidas manualmente ou emitidas
b) se o órgão ou entidade considerar as cópias digitais tão por meios informatizados, desde que contemplem todos os dados
somente como apoio, há formação de um processo híbrido, com uma
parte digital e outra não digital. A parte não digital do processo exigidos;
híbrido que se forma será enviada ao arquivo para guarda até a c) As medidas das etiquetas e dos carimbos descritos nesta
finalização da ação e o consequente arquivamento do processo hí- Portaria Interministerial servem como referência, podendo ser de-
brido como um todo. A parte em papel e a digital cumprirão a mesma finidas pela conveniência de cada órgão ou entidade. No entanto, os
temporalidade e destinação. É imprescindível se registrar a relação órgãos e entidades, ao utilizarem as etiquetas e/ou os carimbos, de-
entre as duas partes (digital e não digital) do processo híbrido. verão, necessariamente, aplicá-los sem prejuízo da informação re-
2.16.1 - Quanto aos documentos não digitais: gistrada nos documentos, avulsos ou processos; e

Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www.in.gov.br/autenticidade.html, Documento assinado digitalmente conforme MP n o- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a
pelo código 00012015100800037 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil.
38 ISSN 1677-7042 1 Nº 193, quinta-feira, 8 de outubro de 2015

d) O carimbo "Confere com Original", conforme Figura 30, EXIGÊNCIA - Pedido de esclarecimento acerca dos docu- TERMO DE ENCERRAMENTO DE VOLUME - Conjunto
será utilizado quando do fornecimento de cópias de documentos não mentos, avulsos ou processos, e/ou informações, recebidas pelo órgão de informações registradas no final de um volume do processo, re-
digitais, aposto, preferencialmente na frente da folha, em tamanho a ou entidade, que estejam incompletas ou equivocadas ou apresentem gistradas com o objetivo de validar o encerramento do volume do
ser definido pelo órgão ou entidade, sem prejuízo da informação inconsistências ou falhas. processo.
registrada. FOLHA DO PROCESSO - Superfície laminar de papel com TERMO DE JUNTADA POR ANEXAÇÃO - Conjunto de
formato definido, composto de duas faces (frente e verso), cuja nu- informações registradas com o objetivo de validar a união definitiva
Nome do órgão ou entidade meração, se efetuada, ocorre em ordem crescente. Esta definição de processo(s) a processo.
Nome da unidade protocolizadora/unidade administrativa
CONFERE COM ORIGINAL aplica-se, exclusivamente, para documentos, avulsos ou processo, não TERMO DE JUNTADA POR APENSAÇÃO - Conjunto de
Data: ...../...../.......... digitais. informações registradas com o objetivo de validar a junção provisória
Assinatura do servidor: .................................................. FORMATO - Conjunto de características físicas de apre-
Matrícula: ....................................................................... de processo(s) a processo.
sentação, das técnicas de registro e da estrutura da informação e TERMO DE RECONSTITUIÇÃO DE PROCESSO - Con-
Figura 30 conteúdo de um documento. junto de informações registradas com o objetivo de validar a re-
4 - GLOSSÁRIO FORMATO DE ARQUIVO - Especificação de regras e pa- constituição de um processo que tenha sido perdido ou extraviado.
Para fins desta Portaria Interministerial, consideram-se, as drões descritos, formalmente, para interpretação dos bits constituintes TERMO DE RECONSTITUIÇÃO DE VOLUME - Conjunto
seguintes definições: de um arquivo digital. São exemplos: PDF, GIF, ODT, JPEG. de informações registradas com o objetivo de validar a reconstituição
GÊNERO DOCUMENTAL - Reunião de espécies documen- do volume de um processo que tenha sido perdido ou extraviado.
ANEXAÇÃO Ver JUNTADA POR ANEXAÇÃO
tais que se assemelham por seus caracteres essenciais, particularmente TERMO DE SUBSTITUIÇÃO DE CAPA - Conjunto de
ANEXO - Documento, avulso ou processo, juntado em ca-
o suporte e o formato, e que exigem processamento técnico específico informações registradas com o objetivo de validar a troca da capa do
ráter definitivo a outro processo, para dar continuidade a uma ação
e, por vezes, mediação técnica para acesso. São exemplos de gêneros processo que tenha sido seriamente danificada, por desgaste natural,
administrativa.
documentais: textual, cartográfico, audiovisual (iconográfico, filmo- sinistro ou acidente.
APENSAÇÃO Ver JUNTADA POR APENSAÇÃO
gráfico, sonoro) e micrográfico. TIPO DOCUMENTAL - Divisão de espécie documental, que
APENSO - Processo juntado em caráter temporário a outro
INTERESSADO - Pessoa física ou jurídica diretamente afe- reúne documentos por suas características comuns no que diz respeito
processo, para subsidiar uma ação administrativa.
tada pelas decisões tomadas em relação ao objeto de análise do à formula diplomática, natureza de conteúdo ou técnica do registro.
ARQUIVAMENTO - Guarda do documento, avulso ou pro-
documento, avulso ou processo. São exemplos de tipos documentais: planilha contábil, planta ar-
cesso, uma vez cessada a sua tramitação e findada a ação admi-
JUNTADA - União de processo(s) a processo ou de do-
nistrativa que determinou a produção do documento. quitetônica, termo de convênio, instrução normativa, portaria de de-
cumento(s) avulso(s) a processo. Realiza-se por Anexação ou Apen-
AUTORIDADE COMPETENTE - Qualquer agente público signação, carta patente, decreto sem número, decreto-lei, decreto le-
sação.
que tenha a competência para executar a ação a ele atribuída por meio gislativos.
JUNTADA POR ANEXAÇÃO - União em caráter definitivo
de ato administrativo ou por exigência do cargo ou função. TRAMITAÇÃO - Curso do documento, avulso ou processo,
e irreversível de documento(s), avulso(s) ou processo(s), a outro pro-
AUTUAÇÃO DE DOCUMENTOS AVULSOS PARA FOR- desde a sua produção ou recepção, até o cumprimento de sua função
cesso, desde que referentes a um mesmo interessado ou assunto,
MAÇÃO DE PROCESSO - Ato de reunir e ordenar os documentos administrativa. Também referido como MOVIMENTAÇÃO.
visando à continuidade da ação administrativa.
avulsos recebidos em unidade protocolizadora, visando à formação de UNIDADE ADMINISTRATIVA - Unidade formal, integran-
JUNTADA POR APENSAÇÃO - União em caráter tem-
processo. te de um órgão ou entidade, criada por instrumento normativo.
porário de processo(s) a outro processo, destinada ao estudo, ins-
CLASSIFICAÇÃO - Atribuição de um descritor e/ou um trução e à uniformidade de tratamento em matérias semelhantes e UNIDADE DE PROTOCOLO - Unidade administrativa en-
código a documentos, avulsos ou processos, resultantes de uma mes- servir de documento elucidativo para a instrução deste, pertencente a carregada do recebimento, classificação, registro, distribuição, con-
ma função ou atividade, como forma de agilizar sua recuperação e um mesmo interessado ou não. trole da tramitação e expedição de documentos, avulsos ou pro-
facilitar as tarefas arquivísticas relacionadas com a avaliação, seleção, MOVIMENTAÇÃO Ver TRAMITAÇÃO. cessos.
eliminação, transferência, recolhimento e acesso aos documentos. MENSAGEM DE CORREIO ELETRÔNICO - Documento UNIDADE PROTOCOLIZADORA - Unidade administrativa
CÓPIA - Resultado da reprodução de um documento. digital criado ou recebido via um sistema de correio eletrônico, in- encarregada do recebimento, classificação, registro, distribuição, con-
DESAPENSAÇÃO - Separação de processo(s) anteriormente cluindo anexos que possam ser transmitidos com a mensagem. trole da tramitação e expedição de documentos, avulsos ou processos,
juntado(s) a outro processo por apensação. NUMERAÇÃO DE FOLHAS - Numeração atribuída às fo- bem como responsável pela autuação de documentos avulsos para
DESARQUIVAMENTO - Retorno de documento, avulso ou lhas do processo não digital. formação de processos e pela atribuição de Número Único de Pro-
processo, à tramitação quando houver necessidade de continuidade da ORIGINAL - 1) Primeiro documento completo e efetivo. 2) tocolo - NUP aos documentos, avulsos ou processos.
ação administrativa. Documento produzido pela primeira vez ou em primeiro lugar. VOLUME - Subdivisão de um processo.
DESENTRANHAMENTO - Retirada de folhas/documentos PROCESSO - Conjunto de documentos avulsos, oficialmente VOLUME RECONSTITUÍDO Ver RECONSTITUIÇÃO DE
de um processo de forma definitiva, mediante justificativa. reunidos e ordenados no decurso de uma ação administrativa, que VOLUME
DESMEMBRAMENTO - Retirada de folhas/documentos de constitui uma unidade de arquivamento.
um processo de forma definitiva, mediante justificativa, com o ob- PROCESSO HÍBRIDO - Processo constituído de documen- PORTARIA N o- 1.666, DE 6 DE OUTUBRO DE 2015
jetivo de formar um novo processo. tos digitais e não digitais reunidos oficialmente no decurso de uma
DESPACHO - Forma por meio da qual a autoridade com- O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas
ação administrativa e que formam uma unidade conceitualmente in-
petente dá continuidade a uma ação administrativa ou firma decisões atribuições legais, com fulcro no artigo 8º do Ato das Disposições
divisível.
em documentos, avulsos ou processos. Constitucionais Transitórias da Constituição, regulamentado pela Lei
PROCESSO ACESSÓRIO - Processo que, no procedimento
DILIGÊNCIA - Ato investigatório ou de pesquisa, que visa nº 10.559, de 13 de novembro de 2002, publicada no Diário Oficial
de juntada, apresenta matéria indispensável à instrução de outro pro-
esclarecer, averiguar ou complementar uma informação equivocada de 14 de novembro de 2002, e considerando o resultado do jul-
cesso, denominado processo principal.
ou incompleta em um processo. gamento proferido pela Comissão de Anistia, na 3ª Sessão Plenária,
PROCESSO PRINCIPAL - Processo que, pela natureza de
DISTRIBUIÇÃO - Primeira tramitação do documento, avul- realizada no dia 07 de maio de 2015, no Requerimento de Anistia nº.
sua matéria, assume o caráter de principal, quando exigir a juntada de
so ou processo, para o destinatário, que ocorre dentro do órgão ou 2003.01.28737, resolve:
um ou mais processos como apoio à sua decisão.
entidade. Desprover o Recurso interposto por GUIOMAR ASSUMP-
PROCESSO RECONSTITUÍDO Ver RECONSTITUIÇÃO
DOCUMENTO - Informação registrada, qualquer que seja o ÇÃO, portadora do CPF nº 043.594.377-49, e ratificar a condição de
DE PROCESSO
suporte ou formato. anistiada política, nos termos do artigo 1º, inciso I, da Lei nº 10.559,
PROTOCOLO Ver UNIDADE DE PROTOCOLO
DOCUMENTO AVULSO - Informação registrada, qualquer de 13 de novembro de 2002.
RECONSTITUIÇÃO DE PROCESSO - Reunião de docu-
que seja o suporte ou formato, que não está reunida e ordenada em mentos avulsos com o objetivo de remontar processo que tenha sido
processo. JOSÉ EDUARDO CARDOZO
perdido ou extraviado.
DOCUMENTO DIGITAL - Informação registrada, codifi- RECONSTITUIÇÃO DE VOLUME - Reunião de documen- PORTARIA N o- 1.667, DE 6 DE OUTUBRO DE 2015
cada em dígitos binários, acessível e interpretável por meio de sis- tos avulsos com o objetivo de remontar o volume de um processo que
tema computacional. tenha sido perdido ou extraviado. O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas
DOCUMENTO HÍBRIDO - Documento constituído de parte REGISTRO - Cadastramento das informações com o ob- atribuições legais, com fulcro no artigo 8º do Ato das Disposições
digital e parte não digital. jetivo de controlar a tramitação dos documentos, avulsos ou pro- Constitucionais Transitórias da Constituição, regulamentado pela Lei
DOCUMENTO OSTENSIVO - Documento, avulso ou pro- cessos, produzidos e recebidos em um órgão ou entidade. nº 10.559, de 13 de novembro de 2002, publicada no Diário Oficial
cesso, sem qualquer restrição de acesso. SISTEMA INFORMATIZADO - Ambiente digital que pro- de 14 de novembro de 2002, e considerando o resultado do jul-
DOCUMENTO SIGILOSO - Documento, avulso ou pro- cessa eletronicamente um conjunto de elementos/dados intelectual- gamento proferido pela Comissão de Anistia, na 8ª Sessão de Turma
cesso, que pela natureza de seu conteúdo sofre restrição de acesso, mente organizados. da Caravana da Anistia, realizada na cidade de Ronda Alta/RS, no dia
conforme legislação em vigor. SUPORTE - Base física sobre a qual a informação é re- 13 de junho de 2014, no Requerimento de Anistia nº 2014.01.73524,
e-ARQ BRASIL - Modelo de requisitos a serem cumpridos gistrada. resolve:
pela organização produtora/recebedora de documentos, pelo sistema TERMO DE ABERTURA DE VOLUME - Conjunto de in- Declarar anistiado político ZOLMIR ANTONIO CALEGA-
de gestão arquivística e pelos próprios documentos, a fim de garantir formações registradas no início de um volume do processo, com o RI, portador do CPF nº 275.774.140-34, reconhecer, por parte do
sua confiabilidade e autenticidade, assim como sua acessibilidade. objetivo de validar o novo volume do processo. Estado, como ato de exceção, a intervenção militar no acampamento
EMPRÉSTIMO - Cessão temporária de documentos, avulsos TERMO DE DESAPENSAÇÃO - Conjunto de informações Encruzilhada Natalino (entre 30 de julho de 1981 e 12 de março de
ou processos, para fins de referência, consulta, reprodução, pesquisa registradas com o objetivo de validar a separação de processo(s) 1982) e a sua transformação em área de segurança nacional (entre 30
ou exposição. apensado(s) a processo. de julho e 31 de agosto de 1981), e considerar como tempo de
ESPÉCIE DOCUMENTAL - Divisão do gênero documental TERMO DE DESENTRANHAMENTO - Conjunto de in- perseguição política, o período de permanência no acampamento En-
que reúne tipos documentais por seu formato. As espécies docu- formações registradas com o objetivo de validar a retirada de folha(s) cruzilhada Natalino, de julho de 1981 a março de 1982, nos termos
mentais são definidas tanto em razão da natureza dos atos que lhes de um processo que foram anexadas indevidamente ao mesmo. do artigo 1º, inciso I, da Lei nº 10.559, de 13 de novembro de
deram origem, quanto à forma do registro de fatos. São exemplos de TERMO DE DESMEMBRAMENTO - Conjunto de infor- 2002.
espécies documentais: ata, carta, decreto, disco, filme, folheto, fo- mações registradas com o objetivo de validar a retirada de folha(s) do
tografia, memorando, ofício, planta, relatório. processo, para formar outro. JOSÉ EDUARDO CARDOZO

Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www.in.gov.br/autenticidade.html, Documento assinado digitalmente conforme MP n o- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a
pelo código 00012015100800038 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil.
Nº 193, quinta-feira, 8 de outubro de 2015 1 ISSN 1677-7042 39
PORTARIA N o- 1.668, DE 6 DE OUTUBRO DE 2015 PORTARIA N o- 1.672, DE 6 DE OUTUBRO DE 2015 § 3º. O Grupo de Trabalho poderá convidar representantes de
outros órgãos e entidades, públicas, bem como especialistas em as-
O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas suntos ligados ao tema, cuja participação seja considerada necessária
atribuições legais, com fulcro no artigo 8º do Ato das Disposições atribuições legais, com fulcro no artigo 8º do Ato das Disposições ao cumprimento de disposto nesta portaria.
Constitucionais Transitórias da Constituição, regulamentado pela Lei Constitucionais Transitórias da Constituição, regulamentado pela Lei § 4º. A Secretaria-Executiva indicará representante para
nº 10.559, de 13 de novembro de 2002, publicada no Diário Oficial nº 10.559, de 13 de novembro de 2002, publicada no Diário Oficial acompanhar as atividades do Grupo de Trabalho.
de 14 de novembro de 2002, e considerando o resultado do jul- de 14 de novembro de 2002, e considerando o resultado do jul- Art. 4° O Grupo de Trabalho terá duração de 45 (quarenta e
gamento proferido pela Comissão de Anistia, na 8ª Sessão de Turma gamento proferido pela Comissão de Anistia, na 8ª Sessão de Turma cinco) dias, contados da data de publicação desta portaria, para fi-
da Caravana da Anistia, realizada na cidade de Ronda Alta/RS, no dia da Caravana da Anistia, realizada na cidade de Ronda Alta/RS, no dia
nalização de suas atividades.
13 de junho de 2014, no Requerimento de Anistia nº 2014.01.73529, 13 de junho de 2014, no Requerimento de Anistia nº 2013.01.73027,
resolve: Art. 5º. As funções dos representantes do Grupo de Trabalho
resolve: serão consideradas prestação de serviço publico relevante, não re-
Declarar anistiado político ANGELIM ANTONIO CAMPI-
Declarar anistiado político MIGUEL GONÇALVES VIEI- munerado;
GOTTO, portador do CPF nº 247.510.300-00, reconhecer, por parte
RA, portador do CPF nº 346.998.050-00, reconhecer, por parte do do Estado, como ato de exceção, a intervenção militar no acam- Art. 6º. O DEPEN fornecerá o apoio administrativo neces-
Estado, como ato de exceção, a intervenção militar no acampamento pamento Encruzilhada Natalino (entre 30 de julho de 1981 e 12 de sário ao funcionamento do Grupo de Trabalho.
Encruzilhada Natalino (entre 30 de julho de 1981 e 12 de março de março de 1982) e sua transformação em área de segurança nacional Art. 7º. Esta portaria entra em vigor na data de sua pu-
1982) e sua transformação em área de segurança nacional (entre 30 (entre 30 de julho e 31 de agosto de 1981), e considerar, com base no blicação.
de julho e 31 de agosto de 1981), e considerar como tempo de monitoramento ostensivo, o período de perseguição política dos anos
perseguição política, o período de permanência no acampamento En- de 1980 a 1984, o que perfaz o total de quatro anos, nos termos do JOSÉ EDUARDO CARDOZO
cruzilhada Natalino, de julho de 1981 a março de 1982, nos termos artigo 1º, inciso I, da Lei nº 10.559, de 13 de novembro de 2002.
do artigo 1º, inciso I, da Lei nº 10.559, de 13 de novembro de CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA
2002. JOSÉ EDUARDO CARDOZO
ECONÔMICA
JOSÉ EDUARDO CARDOZO PORTARIA N o- 1.673, DE 6 DE OUTUBRO DE 2015
PAUTA DA 74ª SESSÃO ORDINÁRIA DE JULGAMENTO
PORTARIA N o- 1.669, DE 6 DE OUTUBRO DE 2015 O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas
atribuições legais, com fulcro no artigo 8º do Ato das Disposições Dia: 14.10.2015
O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas Constitucionais Transitórias da Constituição, regulamentado pela Lei Início: 10h
atribuições legais, com fulcro no artigo 8º do Ato das Disposições nº 10.559, de 13 de novembro de 2002, publicada no Diário Oficial Processo Administrativo nº 08012.012217/2007-10
Constitucionais Transitórias da Constituição, regulamentado pela Lei de 14 de novembro de 2002, e considerando o resultado do jul- Representante: SDE Ex Officio
nº 10.559, de 13 de novembro de 2002, publicada no Diário Oficial gamento proferido pela Comissão de Anistia, na 14ª Sessão de Tur- Representados: Sociedade de Oftalmologia do Ceará (SOC) e
de 14 de novembro de 2002, e considerando o resultado do jul- ma, realizada no dia 23 de julho de 2015, no Requerimento de Anistia Cooperativa de Oftalmologistas do Ceará (COFTALCE)
gamento proferido pela Comissão de Anistia, na 8ª Sessão de Turma nº 2006.01.53285, resolve: Advogados: Rosana Valéria de Souza Mello, André Pinto
da Caravana da Anistia, realizada na cidade de Ronda Alta/RS, no dia Declarar anistiado político TERCIO JOSÉ VIOLA, portador Peixoto, Mário dos Martins Coelho Bessa, Robertson George Fon-
13 de junho de 2014, no Requerimento de Anistia nº 2014.01.73531, do CPF nº 791.272.668-34, conceder reparação econômica, de caráter tenelle Vieira, Juliana de Abreu Teixeira, Gilmara Maria de Oliveira
resolve: indenizatório, em prestação mensal, permanente e continuada, no va- Barbosa, Marcos Pimentel de Viveiros, João Bosco Silva Júnior
lor de R$ 2.000,00 (dois mil reais), com efeitos financeiros retroa- Relator: Conselheiro Márcio de Oliveira Júnior
Declarar anistiada política IVETE MARIA VIEIRA, por- tivos da data do julgamento em 23.07.2015 a 17.01.2001, perfazendo
tadora do CPF nº 000.929.580-10, reconhecer por parte do Estado um total retroativo de R$ 377.400,00 (trezentos e setenta e sete mil e Processo Administrativo nº 08012.009264/2002-71
como ato de exceção a intervenção militar no acampamento En- quatrocentos reais), e contagem de tempo, para todos os efeitos, do Representante: Secretaria de Acompanhamento Econômico
cruzilhada Natalino (entre 30 de julho de 1981 e 12 de março de período compreendido de 30.07.1979 a 11.11.1981, nos termos do do Ministério da Fazenda
1982) e sua transformação em área de segurança nacional (entre 30 artigo 1º, incisos I, II e III, da Lei nº 10.559, de 13 de novembro de Representadas: Graftech Brasil Ltda., Graftech International
de julho e 31 de agosto de 1981), e considerar como tempo de 2002. Ltd., Mitsubishi Corporation, Tokai Carbon Co. Ltd., SEC Carbon
perseguição política, o período de permanência no acampamento En- Limited, SGL Carbon SE, Showa Denko K.K., Nippon Carbon Co.
cruzilhada Natalino, de julho de 1981 a março de 1982, nos termos JOSÉ EDUARDO CARDOZO Ltd.
do artigo 1º, inciso I, da Lei nº 10.559, de 13 de novembro de Advogados: Mário Roberto Villanova Nogueira, Bruno de
2002. PORTARIA N o- 1.674, DE 7 DE OUTUBRO DE 2015 Luca Drago, Marco Antônio Fonseca Júnior, Stefanie Christine Sch-
mitt, Fabianna Vieira Barbosa Morselli, Paulo Cezar Aragão, Antenor
JOSÉ EDUARDO CARDOZO Institui Grupo de Trabalho com a finalidade Pereira Madruga Filho, José Carlos da Matta Berardo, Mariana Duar-
de elaborar documentação técnica apta à te Garcia de Lacerda, Marcos Antônio Tadeu Exposto Júnior, Daniela
PORTARIA N o- 1.670, DE 6 DE OUTUBRO DE 2015 aquisição de equipamentos de segurança Coelho Araujo Fernandes de Vasconcellos, Antonio Bender Mammi,
eletrônica que serão utilizados pelos pro- Vivian Terng, Gabriel Vasconcelos Rabello, Carlos Roberto de Si-
O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas fissionais que atuarão nas ações de segu- queira Castro, Antonio Garbelini Júnior, Heitor Faro de Castro, Maria
atribuições legais, com fulcro no artigo 8º do Ato das Disposições rança para o controle de acesso de pessoas Cibele Crepaldi Affonso dos Santos, José Augusto Caleiro Regazzini,
Constitucionais Transitórias da Constituição, regulamentado pela Lei aos locais de competição dos Jogos
Rio2016, vislumbrando posterior doação Marcelo Procópio Calliari, Daniel Oliveira Andreoli, Joana Temudo
nº 10.559, de 13 de novembro de 2002, publicada no Diário Oficial Cianfarani, Vivian Anne Fraga do Nascimento Arruda, Patrícia Ban-
de 14 de novembro de 2002, e considerando o resultado do jul- aos estabelecimentos prisionais brasileiros.
douk Carvalho, Maria Fernanda Caporale Madi, Nathalie Teysson-
gamento proferido pela Comissão de Anistia, na 8ª Sessão de Turma neyre, Rodrigo Almeida Edington, Elisabeth Mendes da Costa, Luiz
da Caravana da Anistia, realizada na cidade de Ronda Alta/RS, no dia O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas
atribuições que lhe conferem o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Fernando Leifer Nunes, Peter Fischer, Leonardo Peres da Rocha e
13 de junho de 2014, no Requerimento de Anistia nº 2014.01.73532, Silva, José Alexandre Buaiz Neto, Vicente Coelho Araújo, Tulio
Constituição, e o art. 1°, inciso VII, do Anexo I do Decreto n° 6.061,
resolve: de 15 de março de 2007, resolve: Freitas do Egito Coelho, Francisco Ribeiro Todorov, Adriana Franco
Declarar anistiada política MARIA SALETE CAMPIGOT- Art. 1º. Fica instituído Grupo de Trabalho com a finalidade Giannini, Cristiane Romano Farhat Ferraz, Tito Amaral de Andrade,
TO, portadora do CPF nº 275.825.660-68, reconhecer, por parte do de elaborar documentação técnica apta à contratação de equipamentos Maria Eugênia Novis de Oliveira e outros
Estado, como ato de exceção, a intervenção militar no acampamento de segurança eletrônica que serão utilizados pelos profissionais que Relator: Conselheiro Gilvandro Vasconcelos Coelho de
Encruzilhada Natalino (entre 30 de julho de 1981 e 12 de março de atuarão nas ações de segurança para o controle de acesso de pessoas Araujo
1982) e a sua transformação em área de segurança nacional (entre 30 aos locais de competição dos Jogos Rio 2016, vislumbrando posterior Processo Administrativo nº 08700.007247/2014-85
de julho e 31 de agosto de 1981), e considerar como tempo de doação aos estabelecimentos prisionais brasileiros. Representante: CADE Ex Officio
perseguição política, o período de permanência no acampamento En- Parágrafo único. Para os fins deste caput, entende-se por Representados: Hydro Aluminium Deutschland GmbH (su-
cruzilhada Natalino, de julho de 1981 a março de 1982, nos termos equipamentos de segurança eletrônica que serão utilizados pelos pro- cessora legal da Vaw Aluminium AG)
do artigo 1º, inciso I, da Lei nº 10.559, de 13 de novembro de fissionais que atuarão nas ações de segurança para o controle de Advogados: Leonardo Maniglia Duarte, Olavo Zago Chi-
2002. acesso de pessoas aos locais de competição dos Jogos Rio 2016 o
sistema de inspeção por raios-X, detectores de metal pórticos e ma- naglia e outros
JOSÉ EDUARDO CARDOZO nuais. Relator: Conselheiro Alexandre Cordeiro Macedo
Art. 2º. O grupo de trabalho produzirá documentos que con- Processo Administrativo nº 08012.006504/2005-29
o-
PORTARIA N 1.671, DE 6 DE OUTUBRO DE 2015 templarão elementos suficientes à instauração do procedimento li- Representantes: Sindicato dos Estivadores nos Portos do Es-
citatório respectivo, tais como: tado de Pernambuco, Sindicato dos Conferentes de Carga e Descarga
O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas I - estudo de demanda, com avaliação de tecnologias, de nos Portos do Estado de Pernambuco, Sindicato dos Trabalhadores
atribuições legais, com fulcro no artigo 8º do Ato das Disposições metodologias de utilização e quantidades necessárias; em Serviços de Bloco nos Portos do Estado de Pernambuco, Sin-
Constitucionais Transitórias da Constituição, regulamentado pela Lei II - estudo de destinação dos equipamentos para estabe- dicato dos Trabalhadores nos Serviços Portuários nos Portos do Es-
nº 10.559, de 13 de novembro de 2002, publicada no Diário Oficial lecimentos prisionais, devendo, desde já, serem observadas as regras tado de Pernambuco e Sindicato dos Consertadores de Carga e Des-
de 14 de novembro de 2002, e considerando o resultado do jul- pertinentes à doação de bens públicos; carga nos Portos no Estado do Pernambuco
gamento proferido pela Comissão de Anistia, na 8ª Sessão de Turma III - esboço do termo de referência para o procedimento Representado: Tecon Suape S.A. e Suape - Complexo In-
da Caravana da Anistia, realizada na cidade de Ronda Alta/RS, no dia licitatório; dustrial Portuário Governador Eraldo Gueiros
13 de junho de 2014, no Requerimento de Anistia nº 2013.01.72600, IV - cronograma detalhado de ações futuras. Advogados: João Humberto Martorelli, Vicente Cavalcanti
Art. 3º. O grupo de trabalho será composto por represen- de Gouveia Filho, Fernanda Caldas Menezes, Miguel José de Moura,
resolve: tantes:
Declarar anistiado político ARNILDO AFONSO FRITZEN, Danielle César Duca de Carvalho, Raquel Muniz Campos e outros
I - do Departamento Penitenciário Nacional - DEPEN; Relator: Conselheiro João Paulo de Resende
portador do CPF nº 135.224.930-87, reconhecer por parte do Estado II - da Secretaria Nacional de Segurança Pública - SENASP;
como ato de exceção a intervenção militar no acampamento En- e Processo Administrativo nº 08700.011276/2013-60
cruzilhada Natalino (entre 30 de julho de 1981 e 12 de março de III - da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Representante: CADE ex officio
1982) e sua transformação em área de segurança nacional (entre 30 Eventos - SESGE. Representado: Walter Marzagão Beringhs e Amilton Bento
de julho e 31 de agosto de 1981), e considerar, com base no mo- § 1°. A coordenação dos trabalhos ficará a cargo de re- Advogados: Roberto Alexandre Carmes
nitoramento ostensivo, o período de perseguição política dos anos de presentante do DEPEN. Relator: Conselheiro João Paulo de Resende
1980 a 1989, o que perfaz o total de nove anos, nos termos do artigo § 2º. Os representantes do grupo de trabalho serão indicados Requerimento nº 08700.006777/2015-97
1º, inciso I, da Lei nº 10.559, de 13 de novembro de 2002. pelo DEPEN, SENASP e pela SESGE, nos autos do Processo nº Requerente: Acesso Restrito
08131.002025/2015-59 constante do Sistema Eletrônico de Informa- Advogados: Vinicius Figueiredo Teixeira, Guilherme Gomes
JOSÉ EDUARDO CARDOZO ções - SEI. Krueger e outros

Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www.in.gov.br/autenticidade.html, Documento assinado digitalmente conforme MP n o- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a
pelo código 00012015100800039 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil.