You are on page 1of 41

O corpo contemporâneo 

AULA 04
DA IMAGEM DO CORPO AO CORPO DA IMAGEM
O QUE É CONTEMPORÂNEO?
QUAIS OS ENFRENTAMENTOS DAS
IMAGENS/CORPOS
CONTEMPORÂNEOS?
A BUSCA DO SELF(IE)
LAPSO
JESSICA MANGABA - 2012
Lapso é uma pesquisa sobre rupturas na imagem
fotográfica a partir de rupturas emocionais e afetivas.
Tendo como ponto de partida o término de um
relacionamento – fortemente ligado à fotografia –, o
trabalho traça um caminho de possibilidades dentro da
imagem fotográfica a partir da apropriação de imagens nas
quais estou presente visualmente como referente e
também no processo de criação. Assumindo uma postura
autoral enquanto referente, proponho discutir aqui a
possibilidade de ação e deslocamento dentro da imagem
fotográfica na qual eu, como punctum, me retiro da
imagem em um processo de apagamento e ressignificação.
Transformando o que poderiam ser retratos subjetivos em
paisagens esvaziadas.
DANIEL
MALVA
O TEMPO REEDITADO
DENISE GADELHA
LOGO ALI, NO PASSADO (2011)
ELISABETE FINGER
LA VIE EN CLOSE - 2009
HTTPS://VIMEO.COM/23782903
La vie en close é uma pequena coleção de imagens em
movimento. são coisas que nascem, abrem, inflam, passam,
fecham, morrem. são presenças construídas por uma
hiperproximidade. são corpos em plano próximo, em close. Uma
projeção no velho estilo slide.uma ação. ferir, furar, dourar, amar.
e por que durar seria melhor do que queimar? seria um susto.
um suspiro, uma sombra, uma sobra. um oferecimento, um
lamento, uma carta de agradecimento. uma conta, uma planta,
uma placa. um cabo, um gato, uma boca, uma bolha, uma
borboleta. um gato com uma borboleta na boca. uma baba, uma
bomba, e uma brigite bardot.
FECO HAMBURGER
NEUTRINO (2009)
HTTPS://VIMEO.COM/47672792
GALERIA EXPERIÊNCIA
UM DOIS TRÊS E JÁ (2008) HTTPS://VIMEO.COM/88157526
“No projeto ‘Um Dois Três e Já’ a Galeria Experiência propõem
aos entrevistados que relembrem passagens da infância,
estratégia certeira para que eles adentrem num mundo
particular, afetivo e por vezes conflituoso. Os entrevistados, no
canal da memória infantil, são tomados por uma emoção
genuína que fazem da articulação do discurso uma ponte direta
à subjetividade. Cria-se então uma atmosfera propicia para que
a câmera perca em objetividade e gere imagens que no limite
entre o estático da fotografia e o movimento do vídeo, surgem
difusas e reveladoras. Personagem e seu ambiente habitam um
tempo que parece em suspensão. Tempo da memória.”
-Eder Chiodetto
GARAPA
MULHERES CENTRAIS (2010) HTTP://GARAPA.ORG/
MULHERESCENTRAIS/
PIO FIGUEIROA
ESTÁDIO (2012)
HTTPS://VIMEO.COM/46197224
Estádio se deu quando acompanhamos a ação de um fotógrafo
durante uma partida de futebol. Sobre o acervo de fotos ali gerado,
extraímos esse documentário com duração em torno de 90 minutos,
o tempo de jogo, a ser exibido no formato de vídeo-instalação. Isso
aconteceu no Estádio do Pacaembú, em São Paulo, no dia 23 de
maio de 2012, na disputa entre Vasco da Gama e Corinthians pela
ascensão na Libertadores. 1X0 Corinthians, gol marcado nos
minutos que decidiam o final da partida. Um fotógrafo especializado
na cobertura desse tipo de evento, a nosso pedido, registrou o jogo,
fazendo uso de sua prática de disparar sua máquina em sequência,
sempre a dez frames por segundo. Simultaneamente, captamos um
audio em seis diferentes pontos do estádio, e assim foi composta
uma paisagem sonora integral do espaço. Através do som, é
possível a impressão de se estar presente em campo. Já à imagem,
deixamos à ela, somente o que se mostra do jogo pelo movimento
do obturador da câmera. A experiência de ver em um regime
imposto pelo dispositivo fotográfico.