You are on page 1of 16

As Revoluções Russas | Daniel Aarão Reis Filho - Fichamento

Compreender o panorama social, político e econômico da Russa Tzarista é fundamental
para refletir sobre as motivações, métodos e fracassos/sucessos do movimento
revolucionário que cobriu o território russo e culminou na vitória dos bolcheviques e
tomada do poder pelos mesmos.

Em fins do século XIX, o império tzarista, com seus 22,3 milhões de quilômetros
quadrados, era o maior Estado do mundo em dimensões físicas. A população estimada de
132 milhões de habitantes (censo de 1897) fazia da Rússia a principal potência
demográfica da Europa.

As populações constituíam um autentico mosaico de povos e religiões. Russos e
ucranianos – quase metade da população total – formavam o grupo mais coeso de súditos
do tzar embora houvesse contradições, sobretudo no ocidente da Ucrânia, onde era forte
o sentimento nacionalista.

Combinando-se com a questão nacional vinham as diferenças religiosas: cristãos
ortodoxos, protestantes, católicos, judeus, muçulmanos, budistas, etc.

Essa diversidade toda regida sob uma única força: a autocracia russa. O império e a seu
serviço a burocracia civil, a polícia política, as forças armadas e a Igreja Ortodoxa.

A burocracia civil reunia cerca de 500 mil funcionários em fins do século XIX, os olhos
e ouvidos do Tzar. A dimensão repressiva da burocracia era assumida pela polícia
política.

Até 1905 não havia liberdade de organização, manifestação ou de expressão. Nem
oposição reconhecida, apenas dissidências rapidamente designadas como inimigas e
perseguidas.

A polícia política encarregava-se de controlar, silenciar, desarticular, prender, exilar e
matar oposicionistas. As forças armadas, principalmente o exército, constituíam um
temível dispositivo imperial.

O mesmo acontecia com a produção de carvão. Sua força provinha de um igualitarismo básico. os kulaks. 85% da população vivia no campo. trabalhando a terra. algumas dezenas de milhares de proprietários de terras. habitando pequenas aldeias. conservavam força política e prestígio social. concretizada no trabalho comum. Embora em declínio ao longo do século XIX. A partir de todos esses pilares. conferindo identidade e coesão social. A base da sociedade. temor e confiança. No sul e no oeste já haviam grandes propriedades de terra produzindo para exportação. dominando aquela sociedade agrária. se sustentava o Império Russo. formando a principal base social da autocracia tzarista. produzia dez vezes menos ferro do que a Inglaterra. Em fins do século XIX. a imensa massa de dezenas de milhares de mujiques. controladas por capitalistas ou nobres – o celeiro da Europa. vivendo dela. subordinada ao poder tzarista. tinham pelo tzar reverência. quase todos vinculados às famílias nobres. o tzarismo contava ainda com a Igreja Ortodoxa. O Tzar era um soberano de direito divino. nas múltiplas atividades e auxílio mútuo. propiciando solidariedade. o Mir. . Os eslavos e russos em particular. o que trazia óbvias implicações nas relações entre poder e religião. Tanto o Tzar quanto a Igreja poderiam representar esse conservadorismo mas haviam diversos outros setores da sociedade russa que divergiam sobre essas rejeições. tanto o liberalismo quanto o socialismo eram vistos como “perigosos demais” para a ordem estabelecida. A figura do paizinho predominava por todos os cantos. organizados em comunas agrárias. Em 1860. De certa forma. dependendo dele. um terço a menos do que os Estados Unidos e mesmo a França e a Prússia já tinham ultrapassado a outrora potência Tsarista. Já os Mujiks usavam ferramentas rudimentares e sua produção era pequena. amor. No topo da pirâmide social. 60% eram considerados pobres. 22% medianos e 19% correspondiam aos mais elevados.Para consolidar a ordem. Era uma grande Igreja comprometida com uma religiosidade cristã conformista e resignada.

Dinamização em todos os níveis de ensino e atribuição de mais autonomia às Universidades 6.Haviam os ocidentalistas. A mais significante foi a abolição da servidão em 1861. sofrendo controles alheios. 4. Os Mujiks permaneceram cidadãos de segunda classe. Terras começaram a ser vendidas aos mujiques através de um financiamento realizado pelo Estado com direito a ressarcimento aos nobres que estavam perdendo essas terras. Modernização da Justiça. adequando-a às necessidades modernas que ficaram claramente expostas na derrota na Guerra da Criméia. 2. uma modernidade alternativa. As pressões vinham de todos os lados e o tzar Alexandre II iniciou uma série de reformas para garantir sua sobrevivência: 1. etc. sendo agora permitido o direito de defesa 7. Criação de poderes regionais que gozavam de certa autonomia política. Sem ceder as ideais liberais do ocidente. Reforma nas forças armadas. 8. transportes públicos. hospitais. Reforma tributária 5. a intelligentsia emergente. que simpatizavam com o pensamento liberal ou revolucionário. sua religião ortodoxa e nobre. Províncias e distritos tinham relativo poder para administrar suas escolas. que rejeitavam o pensamento ocidental. Muitas revoltas no campo foram realizadas devido a dificuldade de se obter terras. . Organização das finanças públicas. A Guerra da Crimeia serviu para expor as mazelas do Império Russo porém o novo Tzar não estava disposto a abrir mão do tradicionalismo russo. criando um orçamento estatal que a partir de agora seria publicado. Tais revoltas foram reprimidas violentamente. buscou realizar reformas. mesmo com o financiamento. apegados à tradição russa. Estes travavam debates contra os eslavófilos. 3.

Como as reformas não produziram melhorias na vida dos trabalhadores. foi considerada uma farsa pelos revolucionários e em 1862 é criada a primeira organização revolucionária clandestina. é preciso relativizá-los: “gigantes de pés de barro”. os populistas sobreviveram a todos os reveses e em 1902 conseguiram fundar o Partido Socialista Revolucionário reunindo militantes históricos e jovens revolucionários desejosos de uma mudança radical na ordem vigente. aqueles que conseguiram se beneficiar com elas. liberdades civis que não eram compatíveis com o Império Tzarista.A nobreza em sua maioria entrou em decadência embora aqueles que conseguiram se adaptar aos novos tempos tenham não só sobrevivido como obtido mais riquezas.2 mil quilômetros. Queriam uma monarquia constituinte. Por mais que esses números revelam um crescimento do operariado e da indústria russa. Se em 1865 a malha ferroviária russa possuía apenas 3. A Rússia finalmente se abria para o capitalismo mesmo que sob a perspectiva de subordiná-lo aos interesses do Estado. Propagavam greves. assembleias. permitindo a compra de máquinas no mercado internacional. atentados a autoridades ao mesmo tempo que formulavam um . Pequenas cidades industriais surgiram rapidamente e a população urbana quase dobrou em menos de quarenta anos. começaram a criar uma dissidência da força conservadora imperial. contribuiu para criar um quadro positivo de crescimento industrial e exportações. O Estado controlava e estimulava a articulação de capitais nacionais e internacionais. Mesmo com as perseguições. extremamente autoritário e ortodoxo: os populistas russos. Muitos investimentos vieram das potências europeias. O crescimento era desigual. Os centros urbanos cresceram notavelmente.8 mil quilômetros. ação direta. a Terra e Liberdade se utilizando inclusive de luta armada. ainda mais para uma nação que era essencialmente agrária. principalmente da França e Bélgica. As exportações aumentaram. Os filhos da reforma. Eram os liberais. A série de medidas reformistas moderadas. no ano de 1913. A desigualdade se tornava tão desproporcional e evidente que a explosão de revoltas poderiam ter dimensões imprevisíveis. sem cunho radical ou revolucionário. o número era de 70.

Os marxistas por sua vez viam os populistas como utópicos e incapazes de compreender as circunstâncias históricas que proporcionaram uma revolução de fato. Nesse contexto. as correlações de forças foram mudando pois muitos militantes se retiraram e/ou mudaram de posição. até que os debates ganharam conotação de cisão. em 1905 aqueles que tanto haviam esperado e se preparado para ela se encontravam divididos e consequentemente enfraquecidos para participar com sucesso dos acontecimentos. Tendo os marxistas preservado sua organização. os mencheviques. deveriam fomentar a luta de classes. Posteriormente. Essa proposta de revolução em duas etapas seria o cerne principal de divisão entre os populistas e os marxistas. Assim. A social-democracia Russa crescia ao mesmo tempo que se dividia em duas forças. Derrubar a autocracia Tzarista e construir uma república democrática onde o capitalismo. Lenin e seus correligionários. . 2. Do exílio.programa comprometido com as liberdades civis e políticas e com a criação de uma assembleia constituinte. Nessa rede uma liderança foi ganhando destaque e se tornaria mundial e historicamente reconhecida: Vladimir Lenin. De um lado. A tese da Revolução em duas etapas consistia em: 1. o jornal Faísca seria porta-voz da articulação social-democrata para tornar possível a recriação do Partido. onde o socialismo seria constituído como a via final da revolução em uma luta entre proletariado x burguesia. Acreditavam que era preciso instigar a consciência política a longo prazo. a burguesia e o operariado poderiam se desenvolver livremente. a social-democracia se consolidaria como uma outra vertente revolucionária. enxergam as ações diretas de vanguarda bastante espetaculares porém pouco eficazes. Durante os anos 1890 diversos grupos social-democratas foram se constituindo até que em 1898. Dissidentes do primeiro movimento revolucionária. Os primeiros discordavam veementemente dessa tese e viam os marxistas como adeptos da ocidentalização e conformismo histórico. foi fundado oficialmente um Partido Social-Democrata Russo que estabeleceu um marco apesar de ter sido rapidamente reprimido e desmantelado pela polícia política do Tzar. os bolcheviques e do outro Martov.

Os social-democratas sofreriam pesadas perdas no período da contra-revolução. Representando quase metade da população do Império.. tendo as tropas do Tzar incontáveis vezes massacrado grevistas e manifestantes. o Tzar fez fortes concessões.. principalmente porque os efeitos colaterais da Guerra na qualidade de vida russa (que já não era aceitável) se tornavam insuportáveis. etc.A revolução de 1905 começou em um domingo de inverno. salário mínimo. tenderam a um processo de fragmentação. Os movimentos sociais sofreram as mais violentas repressões. Os sovietes cresceram de forma tão arrebatadora que em algumas regiões se constituem em poderes paralelos. saúde pública. assembleia representativa. manifestações ocorreram assim como as greves. Moderados aceitaram as propostas. Uma manifestação gigantesca foi reunida para levar ao Tzar reinvindicações. muitos grupos radicais continuaram revoltosos. que resultou em diversas resistências. se espalhariam pelo Império. Pôs fim a guerra. chamados Sovietes. As reivindicações eram modernas: jornadas de trabalho de oito horas. mais uma conferência de grupos políticos do que um partido propriamente dito. Diante disso. tais nações sofreriam intensa “russificação”. Nesse quadro de repressão generalizada. procedeu-se à . fazendo a revolta e a indignação crescerem. fornecendo abastecimento. concedeu liberdade de expressão e de organização partidária e sindical além de convocar uma assembleia representativa. eleições. Pela pressão conjugada das bases partidárias e da Internacional Socialista. Ao longo do ano. As nações não-russas também sofreram forte repressão. A manifestação foi recebida com tiros de metralhadora pelas tropas do Tzar. iniciada em 1904. as margens de ação dos grupos e partidos revolucionários foram drasticamente reduzidas. como o de São Petersburgo que convocou os trabalhadores para uma nova greve geral e os orientou a não pagar os impostos. Organizados por conselhos. Alguns sovietes decidiram optar pelo confronto. Os socialistas revolucionários. mas. Outro fator seria importantíssimo para propiciar uma revolução: a mal fadada guerra contra o Japão.

Antes de tudo. recusasse subir ao palco. o abastecimento aproximava-se do caos. Em maio do ano seguinte. particularmente na Alemanha. Começou então um processo de auto-organização da sociedade. reconhecendo-se a plena liberdade de expressão e de organização. escassez de gêneros essenciais nos grandes centros urbanos. a burguesia. cinco dias consecutivos de movimentos sociais em Petrogrado bastariam para derrubar uma autocracia antiga de três séculos. havia uma ênfase clara no papel de vanguarda do proletariado industrial. com maioria menchevique. a liderança histórica do processo. mas salvar a revolução. As perdas humanas. Em Trotski.reunificação das tendências bolcheviques e mencheviques. a revolução russa só poderia ser pensada como prólogo de uma revolução internacional. a ditadura do proletariado. uma sensibilidade mais apurada ao papel histórico do campesinato No começo da Primeira Guerra Mundial. dessa vez em Londres. Em qualquer caso. Algo falhara na concepção da primeira etapa da revolução. foi marcado pelo fato de os bolcheviques. os últimos dias de fevereiro. nobre liberal. conseguirem maioria. a inflação disparava. aliados aos socialistas poloneses e letões. nos países capitalistas mais avançados da Europa. era preciso ganhar a guerra. encabeçado pelo príncipe Lvov. O desespero provocado pela escassez e pela inflação conduziu à reativação do movimento grevista. a união sagrada. Como alternativa. Lenin sustentava a hipótese da Revolução Ininterrupta. Depois de alguma . efetuada no IV congresso de Estolcomo. a Duma formou um governo provisório. alcançando sem mediações temporais longas. porque agora defender a pátria não era mais sustentar o regime abominável do tsarismo. Ainda antes da abdicação do tsar. Decretou-se a anistia geral para os presos políticos e exilados. Mas isso não duraria muito. em 1906. passando do regime tzarista para uma ditadura operário-camponesa. Uma revolução anônima sem líderes ou partidos dirigentes. Troski propôs o conceito de revolução permanente em que se defendia uma transição sem solução de continuidade da primeira à segunda etapa da revolução. Depois da abdicação do Tzar. a defesa da Pátria. Em Lenin. como se um ator social decisivo. um novo congresso. formara-se em Petrogrado um soviete de operários e soldados. a Rússia foi tomada por uma fúria fanática.

o programa da social- democracia na Europa ocidental: salário-minimo. Foi então que o governo resolveu tentar uma “última ofensiva” contra os alemães. Os bolcheviques. ainda muito minoritários. Propunha que. a revolução passasse à hegemonia da frente política e popular que controlava as organizações soviéticas.hesitação. decidira. Os bolcheviques fizeram uma conferência decisiva. Os camponeses queriam a terra. organizavam-se. agiam. Os primeiros reafirmaram as teses igualitaristas e distributivas já enunciadas em 1905. e mais do que isso. As nações não-russas exigiam autonomia política e cultural. condicionando as reformas desejadas ao fim da guerra e à convocação da Assembleia Constituinte. não ingressar no governo provisório. A tradução prática de sua reflexão teórica a propósito da inapetência revolucionária dos liberais. exigindo todo poder aos sovietes. era visível o descontentamento com o não-atendimento das reivindicações formuladas. uma referência alternativa para todos os deserdados da sorte. afinal. toda a terra. melhores condições de vida e de trabalho. desde a primeira etapa. críticas e reinvindicações. como instituição. vigiando e fiscalizando o curso dos acontecimentos. Entre os segundos. jornada de trabalho de oito horas. embora cedo os mais radicais começassem igualmente a falar em independência. descentralizada. Permaneceria como órgão autônomo do poder popular.. que fosse nacionalizada e distribuída segundo as possibilidades e as necessidades de cada família. Em toda a parte. horizontal. denunciavam as hesitações do governo. respeito pela dignidade de cada um. Desfechada em junho. mostravam audácia. os cadernos de queixas da sociedade russa. Falavam mas não apenas. Os trabalhadores urbanos queriam ver realizado. aprovando a tese de Lenin que já vinha sendo defendida pelos anarquistas: todo poder aos sovietes. autônoma. e apesar de alguns . Realizaram-se importantes congressos pan-russos de camponeses e de operários e soldados.. embora predominassem as correntes socialistas moderadas(mencheviques e socialistas revolucionárias). fazendo uso da liberdade conquistada. que recusavam a transferência de poder aos sovietes. Essa onda de insatisfação só encontrava estímulo com a insensibilidade do governo provisório. Começou a tomar forma uma imensa rede de conselhos(sovietes). passaram a formular queixas. previdência social.

. com participação reforçada de deputados dos sovietes. Lenin concitava o Comitê central a tomar a iniciativa. asseguravam um arremedo de ordem e de controle. No clima febril que estão se instaurara. o governo. todas as forças tentavam organizar-se para um enfrentamento decisivo. de modo autônomo e descentralizado. A bolchevização dos sovietes de Petrogrado de Moscou e de algumas frentes militares cruciais. que se estenderam por semanas. O país em guerra. Foi nessa atmosfera que ocorreu a insurreição de outubro e sua vitória só pode ser compreendida no contexto desses acontecimentos extraordinariamente turbulentos que aproximavam a sociedade da mais completa desagregação. Fez desabrochar uma corrente que já vinha amadurecendo. na prática já não governava mais. Nos campos e nas cidades. Após acalorados debates. O fenômeno combinou-se com um crescente movimento de ocupação de terras. O galo vermelho cantava nos campos. Tornava-se muito claro que sem eles não haveria ordem. ocupavam e demarcavam as terras. quase silenciosa. os socialistas revolucionários. a desorientação e a dispersão. os diversos tipos de organizações populares. Depois de marchas e contra-marchas. favorável à ofensiva de ocupação de terras: os socialistas revolucionários de esquerda. Entre os setores mais radicais. Bolchevizaram-se pois aderiam obviamente à proposta bolchevique de todo poder aos sovietes. só . Os bolcheviques estavam acuados porém um processo fulminante de radicalização dos sovietes de soldados e operários ocorreu. O governo provisório renunciava. Os mujiks. Lenin conseguiu fazer aprovar sua proposta: a insurreição deveria ser preparada e desencadeada antes mesmo da abertura do II congresso soviético e sem obter seu prévio acordo. afinal. reconstituiu-se. tomando o destino nas mãos. A onda provocou um terremoto no partido político mais enraizado nos campos. e faziam a revolução agrária. De forma metódica. as tropas aquarteladas na cidade tomaram a capital da Rússia. O governo provisório. No estado-maior Bolchevique.primeiros sucessos. Deslocava-se a Grande Rússia e disso se aproveitavam também a nações oprimidas. Abriu-se mais uma crise. a ofensiva enredou-se e descambou para um fracasso lamentável. acéfalo. conferia ao partido uma situação favorável nos centros político-administrativos mais importantes do país. exigindo autodeterminação e independência. parecendo suspenso no ar.

grupos anarquistas. Controle operário sobre a produção. A política dos fatos consumados. A primeira dificuldade maior foi o enfretamento com a Assembleia Constituinte. conferindo maioria aos socialistas moderados. sem prévia autorização do governo legal. Revolução nos decretos. integrando os SRs de esquerda. onde o que restava do governo foi preso. Boa parte da crítica social-democrata europeia e dos próprios socialistas moderaos denunciou o caráter golpista da insurreição e apontou aí as raízes de uma ditadura política que tenderia a perdurar no tempo. Direito de secessão. Formou-se uma frente social e política de apoio ao novo governo. síntese do que havia de mais avançado no programa social-democrata da época. como queriam os soldados e todas as populações russas. Convocada em setembro. Tendo todas reinvindicações aceitas pelo governo revolucionário. a ser distribuída pelos comitês agrários. e até mesmo setores dos socialistas moderados que. o intérprete e a garantia das reinvindicações populares. Golpe ou revolução? Ambos. Toda a terra para os camponeses. pelo menos em termos imediatos. que passaram imediatamente a ver no novo governo. Os resultados. beneficiaram exatamente as forças que vinham de ser derrotadas em outubro. nem sequer das organizações soviéticas. um funesto precedente. Golpe na maquinação. depois.  Paz imediata. embora críticos ao novo governo. No plano internacional. portanto. encontrando resistência digna deste nome no Palácio de Inverno. decisão e realização da insurreição. as eleições realizaram-se em novembro. os camponeses ratificaram o golpe revolucionário de outubro. reconhecendo e consagrando juridicamente as aspirações dos movimentos sociais. hesitavam em combate-lo abertamente. aprovados pelos sovietes. Os bolcheviques não tiveram alternativa senão deixar que o pleito transcorresse normalmente. como propunham os não-russos. como exigiam os mujiks. Internamente. da insurreição. empreendia por uma vanguarda que se arroga o direito de agir em nome das maiorias. os bolcheviques beneficariam-se com armistício assinado com os alemães. . A insurreição desdobrou-se como uma operação militar. a revolução foi ganhando força. Ampliou-se então conselho dos comissários do povo com o ingresso dos socialistas revolucionários de esquerda. neutralizando os inimigos com surpreendente facilidade. no entanto.

os revolucionários decretaram a imediata dissolução da Assembleia. os SRs de esquerda chamaram a luta aberta contra os Bolcheviques.. Apenas um ano e meio depois. Diante da recusa dos deputados eleitos. atraindo para o apoio do governo os camponeses pobres e sem terra. consideradas descabidas pela maioria dos próprios bolcheviques e dos SRs de esquerda. Alguns bolcheviques mas principalmente os SRs de esquerda. oferecendo a estes recompensas. o improvável tornou a acontecer. As dificuldades de abastecimento das cidades e do exército vermelho. Falar em burguês rural depois da revolução era um atentado à aliança com os camponeses e com os SRs de esquerda.SRs de direita e mencheviques. um decreto atribuiu ao Comissariado do Povo para o Abastecimento poderes extraordinários com vista à luta contra a burguesia rural que estaria açambarcando cereais e especulando com gêneros essenciais à alimentação do povo. japonesas. Entretanto. sem falar dos liberais. Os brancos eram apoiados pelo desembarque de várias tropas estrangeiras: inglesas. Em maio de 1918. Depois de muitos debates. francesas. Não houve praticamente resistência ao ato ditatorial. A assinatura de paz com os alemães constituiu uma segunda difícil opção.. os tratados. Os revolucionários procuraram ganhar tempo. postergando as negociações. Seguiram-se atentados. isolados no controle do Estado. deixando os bolcheviques como únicos responsáveis pelo tratado de paz. Em resposta. Para salvar a revolução. motins e outros ataques que coincidiram com o movimento de rearticulação das forças contra-revolucionárias: o exército branco. Mais tarde. . meras tiras de papel. abandonaram então o governo. em terras e cereais. em razão de um conjunto de fatores e condições. por denúncias concretas contra os especuladores. Os alemães exigiam indenizações e anexações reais ou disfarçadas. no aguardo de um revolução na Alemanha. poucos dias depois de instalada. Os bolcheviques pareciam tomar um novo rumo: quebrar a unidade camponesa. gradativamente. todas as concessões deveriam ser feitas. O governo bolchevique então formulou a Declaração dos Direitos do Povo Trabalhador e Explorado e exigiu que os constituintes aprovassem como condição prévia ao inicio de seus trabalhos. conduziram o governo a enviar para o campo destacamentos armados com o objetivo de expropriar os camponeses acusados de especulação. estadunidenses. prevaleceu mais uma vez a posição de Lenin. os kulaks. a correlação de forças havia se alterado de forma radical em favor dos bolcheviques. poderiam ser denunciados e revogados.

Em relação ao campo.. apareciam como vencedores da Guerra Civil. contrariando as previsões dos bolcheviques. Atitude idêntica tomada em relação à questão nacional: foi reiterado o respeito ao direito à secessão. os brancos pareciam nada ter compreendido. Assim como a produção do petróleo. O produto industrial registrava forte declínio. o comércio externo e a produção agrícola.. como o exército Negro na Ucrânia. Medidas consideradas inevitáveis no contexto de guerra civil . Onde suas forças chegavam a tomar pé e até mesmo em sua propaganda. O comunismo de Marx como a sociedade da abundancia concretizava-se como a organização e socialização da escassez. revogando a política de maio de 1918. retomaram a política de união com todos os camponeses. A Rússia estava isolada. os brancos dividiam-se em intermináveis querelas. No plano internacional. sozinhos no comando do Estado. instituíra-se o mais completo igualitarismo. embora tenham constituído. a revolução socialista internacional não ocorreu. Em meados de 1920. açúcar.  Os revolucionários recuperaram e se comprometeram com o programa político da insurreição de outubro: reconhecimento irrestrito das reinvindicações populares. ferro. energia elétrica. Durante a guerra civil. Enquanto os bolcheviques conseguiram formar um poderoso exército e uma administração minimamente eficiente e centralizada. Dados e estatísticas econômicas desfavoráveis somados às epidemias. A polarização vermelhos e brancos acabou predominando. defendiam abertamente a velha ordem que a revolução derrubara. mas não criou bases sociais duradouras. a sociedade se revoltou. Os mujiks perceberam que a contra-revolução já não ameaçava e tornou-se cada vez mais difícil fazê-los aceitar requisições. Além disso. aço. foi formulado o estranho conceito de comunismo de guerra. os bolcheviques. forças político-militares apreciáveis. carvão. Mesmo exaustas. Uma terceira margem chegou a ser ensaiada pelos socialistas revolucionários e por grupos anarquistas. em certas regiões. O país estava arrasado. crueldade típicas dos processos de guerra civil. Numa situação de carência total.

eleições imediatas para a renovação de todos os sovietes existentes na base do voto universal e secreto. como subproduto de uma conspiração contra- . os marinheiros da base naval de Kronstadt declararam- se em estado de rebelião. sob a forma de greves. Em 2 de março de 1921. anarquistas e bolcheviques controlavam o soviete local. Mas os marinheiros queriam a realização integral de seu programa e se mantiveram armados e mobilizados. liberdade de manifestação. independentes do Estado. conscientes ou inconscientes. chamada de revolução esquecida por Daniel Aarão Reis Filho. os marinheiros foram bombardeados. ao longo do processo revolucionário. passou a explodir na forma de revoltas locais. Na historiografia soviética. e desmoralizada. desempenhado sempre um papel de primeira linha. Foi nesse quadro que explodiu a revolução de Kronstadt. a revolução foi Kronsdadt foi apresentada. atenderam às reinvindicações dos trabalhadores em greve. Os bolcheviques formularam um ultimato: rendição ou aniquilamento. esboçou-se um programa: solidariedade às reinvindicações dos operários grevistas. Nos primeiros manifestos publicados. O descontentamento cresceu. conseguindo o refluxo do movimento. Os bolcheviques denunciaram o processo como contra-revolucionário Prenunciando processos futuros. entre os trabalhadores que reivindicavam melhores condições de vida e de trabalho. Como não se renderam. libertação de todos os presos políticos. em solidariedade a greves operárias que estavam em curso em Petrogrado. acusados de instaurarem um capitalismo de Estado. durante décadas. A mesma oposição manifestou-se nas cidades. os marinheiros não passariam de agentes.passaram a ser intoleráveis nas novas condições. da contra-revolução internacional. Não gratuitamente. Surgiam também protestos e propostas pelo fim das restrições às liberdades. controladas por instituições pluripartidárias. Os bolcheviques. contra a burguesia e contra o regime do Partido Comunista e sua polícia política. Haviam sido. inquietando o governo. de imediato. Abrigavam dezenas de milhares de marinheiros que detinham considerável tradição política. Estes anunciaram o inicio de uma terceira revolução. formação de uma comissão independente para investigar denuncias sobre a existência de campos de trabalho forçado e mais importante.

7% da população economicamente ativa trabalhava na agricultura. parecia a realização da utopia populista russa. quase sempre de inspiração anarquista. matou cerca de cinco milhões de pessoas. Era preciso formular politicas que obtivessem o acordo da sociedade. quanto e como quisessem os excedentes disponíveis. A primeira medida de impacto foi a substituição das requisições à mão armada pela fixação de um imposto em gêneros. Com a consolidação de sua vitória. Tinham justificado sua ação em nome de uma revolução internacional que não ocorrera. a terra nacionalizada. 86. não acontecia em relação à indústria. a Rússia revolucionária conheceria afinal uma certa estabilidade. com as epidemias. o reforçamento de uma instituição ancestral. repuseram-se ao trabalho. Com o aniquilamento de Kronstardt. onde rondava o espectro da fome. Dependente . dando inicio à recuperação econômica pelo que havia de mais essencial: a produção de alimentos. só mais tarde ganharia um nome: Nova Política Econômica. O processo tomou corpo aos poucos. onde vivia a imensa maioria da população. Na contra-corrente. mas para matar a fome do povo. partilhada e parcelada entre as famílias dos mujiks. Com suas foices e arados de madeira.revolucionária branca. No campo. os camponeses seriam livres para comercializar quando. Naquela altura. No inverno de 1921-1922. a comuna agrária. outros decretos permitiram o reestabelecimento da pequena propriedade privada na indústria e nos serviços. entretanto. afastava-se de forma radical a hipótese da modernidade capitalista. Abriu-se a porta para a liberdade do comércio. Quitado o imposto. lutou para resgatar a ideia de que ali se tentara – e se perdera – um outro futuro paras revoluções russas. um projeto de modernidade hostil à utopia vitoriosa nos campos. a NEP. pelos comitê agrários. onde eles não tinham quase nenhuma representatividade. uma pequena e impertinente literatura. Apoiavam-se socialmente num proletariado industrial. pago in natura. A nacionalização da terra e sua posse pelos mujiks foram reconhecidas mais uma vez. O mesmo. houve uma grande fome que. Nas cidades. que se encontrava desintegrado e em cidades esvaziadas de população. Não para construir o socialismo. Os bolcheviques reivindicavam o socialismo marxista.

Adiar a decisão só poderia significar ter de toma-la em condições mais adversas. no ritmo possível. Lenin. Para agravar ainda mais o quadro. depois de algumas hesitações. sob a forma de um tributo. começavam. os bolcheviques perdem seu grande líder. mendigos e a presença de todo tipo de tráfico.de investimentos e tecnologias estrangeiros. inclusive a hipótese de uma eventual cruzada internacional contra a URSS. Entretanto. Entre as várias questões em jogo.Preobrazhensky. A cooperação poderia ser a vida pela qual os camponeses iriam. na sua argumentação. a arrendar terras e assalariar braços. considerando as ameaças do cerco capitalista. sofria agora o impacto da diminuição brutal do comércio internacional. respeitar os interesses dos camponeses e fazê-los avançar gradualmente. Apesar das expectativas. para níveis mais complexos de coletivização. mesmo que lento se fosse o caso. crianças na rua. As Preobrazhensky mobilizavam . A URSS fora proclamada em 1922 mas como seria possível romper com o atraso multissecular que asfixiava a sociedade? Nas cidades. Alcançada uma recuperação básica no setor agrícola. duas alternativas globais se apresentaram para o desenvolvimento econômico e social da sociedade soviética. rompendo o pacto igualitarista da revolução agrária. enfatizava a necessidade de um esforço concentrado na criação de uma indústria pesada autônoma. passou a defender a NEP como uma aliança a longo prazo entre operários e camponeses. Foram defendidas. não havia alternativa. De qualquer forma. Nas áreas rurais havia denuncias de que camponeses mais empreendedores. ao arrepio da lei. por N. sobretudo os setores de ponta. tendo vencido a fome. Bukharin e E. promover avanços graduais e seguros. restava o grande desafio de como seguir adiante. a revolução internacional não ocorrera. principalmente dos comerciantes. contribuiriam para a decolagem da economia e modernidade soviética: era acumulação socialista primitiva. Era essencial. na base da persuasão. de forma mais consistente. na prática. Bukharin. As teses de Bukharin tinham uma orientação reformista: consolidar os ganhos. um desemprego relativamente alto. Os recursos para tanto não poderiam vir senão dos camponeses que. ingressar no futuro socialista. Preobrazhensky não rejeitava em tese a aliança com o campesinato.

Este sustentava o a ideia de revolução internacional a qualquer custo. A luta pelo poder. apoiada sobretudo em determinados polos: máquinas e equipamentos pesados.expectativas heroicas. é aprovado o Plano Quinquenal. produção de armamentos e extração mineral. com metas ousadas. tenderiam a predominar as concepções de Bukharin apesar das ambiguidades do processo. identificadas com a tradição revolucionária socialista. . hostis ao camponês. Em 1929. importantes dirigentes. considerado superior e única alternativa a longo prazo do ponto e vista da construção da modernidade socialista. com a classe operária e o sistema fabril. Cada vez mais. A coletivização das terras é ultimada. responsabilizados pelos problemas da sociedade soviética e também declarações favoráveis ao processo forçado de coletivização da terra. visto como historicamente reacionário. Stálin a construção do socialismo num só país. Ao longo dos anos 20. inclusive Stalin. Nem mesmo os animais escapariam da coletivização. transportes e energia. Assim o processo iria se desenvolver em duas direções princiáis: a coletivização do campo e a industrialização acelerada. Defendiam o fortalecimento da hegemonia da indústria socialista sobre o conjunto da economia e a ideia de alcançar e superar os países capitalistas avançados num prazo curto. Multiplicavam-se as atitudes hostis aos supostos especuladores e comerciantes do mercado negro. gradativamente se polarizou em torno de Stálin e Trostki. insistiriam sobre a importância decisiva das cidades e do processo de industrialização.