You are on page 1of 7

trovadorismo

• Lírica da Baixa Idade Média [ XII – XIII]


• Lírica cortesã e popular
• Bucolismo, amor, heroísmo | Cotidiano
• Galego-português [Neolatinas]
• Tipos:
Cantiga de Amor
Cantiga de Amigo
Cantiga de Escárnio e Maldizer
• Rima, Refrão e Intersemióse
• Instrumento: Corda, percussão, sopro
• Escrita e Iluminuras
trovadorismo
Professor: Edson Silva
PRÉ-ENEM 2018
D. Dinis [1261 / 1325]

Abandono do Latim
Universidade de Coimbra
Solidificação da Reconquista
Identidade nacional
Fundação da marinha [1312]
Alfabetizado
Cantigas de AMOR Cantigas de AMIGO Cantiga de ESCÁRNIO e MALDIZER QUESTÕES

Assí me trax coitado E faço mui guisado,


e aficad'Amor pois sõo servidor Canção de Amor
e tan atormentado da que mi non dá grado,
que, se Nostro Senhor querendo-lh'eu melhor • Amor cortês
a ma senhor non met'en cor ca min nen al, por én conort'eu • Gaia Ciência
que se de mi doia, da mort'haverei non hei ja senón da mort'ende • Idealização da mulher
prazer e sabor sõo desejador. • Amada distante

Ca viv'en tal cuidado,


come ben sofredor
é de mal aficado
que non pode maior,
se mi non val a que en forte
ponto vi, ca ja de mort'hei
prazer e nen un pavor
Cantigas de AMOR Cantigas de AMIGO Cantiga de ESCÁRNIO e MALDIZER QUESTÕES

- Ai flores, ai flores do verde pino, - Vós me perguntardes polo voss'amigo,


se sabedes novas do meu amigo! e eu bem vos digo que é san'vivo. Canção de Amor
Ai Deus, e u é? Ai Deus, e u é?
• Amor distante
- Ai flores, ai flores do verde ramo, Vós me perguntardes polo voss'amado, • Bucolismo
se sabedes novas do meu amado! e eu bem vos digo que é viv'e sano. • Eu-lírico feminino
Ai Deus, e u é? Ai Deus, e u é?

Se sabedes novas do meu amigo, E eu bem vos digo que é san'vivo


aquel que mentiu do que pôs comigo! e seera vosc'ant'o prazo saído.
Ai Deus, e u é? Ai Deus, e u é?

Se sabedes novas do meu amado, E eu bem vos digo que é viv' e sano
aquel que mentiu do qui mi á jurado! e seera vosc'ant'o prazo passado
Ai Deus, e u é? Ai Deus, e u é?
Cantigas de AMOR Cantigas de AMIGO Cantiga de ESCÁRNIO e MALDIZER QUESTÕES

Disse-m'hoj'un cavaleiro que el muitas vezes disse;


que jazía feramente e jaz ora o astroso Cantiga de ESCÁRNIO e MALDIZER
un seu amigo doente, mui doent'e mui nojoso
e buscava-lhi lorbaga. e, con medo, per si caga; • Teor satírico
Dixi-lh'eu: «Seguramente ca, come lobo ravioso, • Tema cotidiano
come-o praga por praga», come-o praga por praga. • Uso de palavrões
• Moralismo
que el muitas vezes disse
per essa per que a come,
quantas én nunca diss'home;
e o que disse ben o paga,
ca, come can que ha fome,
come-o praga por praga,
Cantigas de AMOR Cantigas de AMIGO Cantiga de ESCÁRNIO e MALDIZER QUESTÕES

O amor cortês foi um gênero praticado desde os trovadores medievais


europeus. Nele a devoção masculina por uma figura feminina inacessível foi
uma atitude constante. A opção cujos versos confirmam o exposto é:

a) Eras na vida a pomba predileta


(...) Eras o idílio de um amor sublime.
Eras a glória, - a inspiração, - a pátria,
O porvir de teu pai!

b) Carnais, sejam carnais tantos desejos,


Carnais sejam carnais tantos anseios, ESPM 2014/1
Palpitações e frêmitos e enleios
Das harpas da emoção tantos arpejos...

c) Quando em meu peito rebentar-se a fibra,


Que o espírito enlaça à dor vivente,
Não derramem por mim nenhuma lágrima
Em pálpebra demente.

d) Em teu louvor, Senhora, estes meus versos


E a minha Alma aos teus pés para cantar-te,
E os meus olhos mortais, em dor imersos,
Para seguir-lhe o vulto em toda a parte.

e) Que pode uma criatura senão, entre criaturas, amar? amar e esquecer amar e malamar, amar,
desamar, amar?