You are on page 1of 38

SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

CONTRATO ADMINISTRATIVO, VIGÊNCIA,


ALTERAÇÃO, REVISÃO ECONÔMICA E
SANÇÕES ADMINISTRATIVAS
________________________________
Ronny Charles L. de Torres
Advogado da União. Palestrante. Professor. Mestre em Direito Econômico. Pós-graduado em
Direito tributário. Pós-graduado em Ciências Jurídicas. Coordenador da Comissão
Permanente de Licitações da Consultoria Geral da União (uniformização de entendimentos).
Coordenador (junto com Jacoby Fernandes) da pós-graduação em Licitações e contratos, da
Faculdade Baiana de Direito. Professor do Centro de Ensino Renato Saraiva (CERS). Já
exerceu o cargo de Consultor Jurídico Adjunto na Consultoria Jurídica da União perante o
Ministério do Trabalho e Emprego. Autor de diversos livros jurídicos, entre eles: Leis de
licitações públicas comentadas (9ª Edição. Ed. JusPodivm); Direito Administrativo (Co-
autoria. 8ª Edição. Ed. Jus Podivm); RDC: Regime Diferenciado de Contratações (Co-autoria.
Ed. Jus Podivm); Terceiro Setor: entre a liberdade e o controle (Ed. Jus Podivm); Licitações e
contratos nas empresas estatais (Co-autoria. Ed. Jus Podivm) e Improbidade Administrativa
(Co-autoria. 3ª edição. Ed. Jus Podivm)
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

1. INTRODUÇÃO

 Contratos administrativos e desafios em sua execução

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

2. GESTÃO E FISCALIZAÇÃO CONTRATUAL

 Definindo competências: gestor do contrato ou fiscal do contrato?

FISCAL GESTOR

FORNECEDOR

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 É possível recusar o cargo de gestor ou fiscal do contrato?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Tipos de fiscalização

IN 05/2017

Art. 40. (...)


II - Fiscalização Técnica: é o acompanhamento com o objetivo de
avaliar a execução do objeto nos moldes contratados e, se for o caso,
aferir se a quantidade, qualidade, tempo e modo da prestação dos serviços
estão compatíveis com os indicadores de níveis mínimos de desempenho
estipulados no ato convocatório, para efeito de pagamento conforme o
resultado, podendo ser auxiliado pela fiscalização de que trata o inciso V
deste artigo;
III - Fiscalização Administrativa: é o acompanhamento dos aspectos
administrativos da execução dos serviços nos contratos com regime de
dedicação exclusiva de mão de obra quanto às obrigações
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

previdenciárias, fiscais e trabalhistas, bem como quanto às providências


tempestivas nos casos de inadimplemento;
IV - Fiscalização Setorial: é o acompanhamento da execução do
contrato nos aspectos técnicos ou administrativos, quando a prestação dos
serviços ocorrer concomitantemente em setores distintos ou em unidades
desconcentradas de um mesmo órgão ou entidade; e
V - Fiscalização pelo Público Usuário: é o acompanhamento da
execução contratual por pesquisa de satisfação junto ao usuário, com o
objetivo de aferir os resultados da prestação dos serviços, os recursos
materiais e os procedimentos utilizados pela contratada, quando for o
caso, ou outro fator determinante para a avaliação dos aspectos
qualitativos do objeto.

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Gestão, fiscalização e segregação de funções

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

3. GESTOR DO CONTRATO E CLÁUSULAS EXORBITANTES

 Alteração contratual
 Revisão econômica
 Rescisão contratual
 Sanções administrativas
 Ocupação temporária

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 Quais as diferenças fundamentais entre um contrato de serviço continuado COM e SEM


dedicação exclusiva de mão de obra?

COM dedicação
exclusiva SEM dedicação
exclusiva
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 É possível retenção de pagamento por ausência de regularidade fiscal?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 É possível retenção de pagamento em razão de inadimplemento das obrigações


trabalhistas?
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

4. VIGÊNCIA E ALTERAÇÕES CONTRATUAIS

Da vigência e da prorrogação

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

Contrato de
Contrato de
prestação
escopo
continuada

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

RENOVAÇÃO PRORROGAÇÃO

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

 É possível negociar, quando da renovação contratual?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 Com o fim do prazo, sem renovação, quais os efeitos em um contrato de serviço contínuo?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 Quais os efeitos da não prorrogação em um contrato de escopo?

Nos contratos por escopo, inexistindo motivos para sua rescisão ou


anulação, a extinção do ajuste somente se opera com a conclusão do
objeto e o seu recebimento pela Administração, diferentemente dos
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

ajustes por tempo determinado, nos quais o prazo constitui elemento


essencial e imprescindível para a consecução ou a eficácia do objeto
avençado (Acórdão 1674/2014-Plenário)

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 Pode ocorrer a prorrogação automática?

Em regra a prorrogação do contrato administrativo deve ser efetuada antes


do término do prazo de vigência, mediante termo aditivo, para que não se
opere a extinção do ajuste. Entretanto, excepcionalmente e para evitar
prejuízo ao interesse público, nos contratos de escopo, diante da inércia do
agente em formalizar tempestivamente o devido aditamento, é possível
considerar os períodos de paralisação das obras por iniciativa da
Administração contratante como períodos de suspensão da contagem do
prazo de vigência do ajuste (Acórdão 127/2016 Plenário).

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 É possível firmar contratos com vigência indeterminada?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

Alterações contratuais

 Unilaterais
a) quando houver modificação do projeto ou das especificações, para melhor
adequação técnica aos seus objetivos;
b) quando necessária a modificação do valor contratual em decorrência de acréscimo
ou diminuição quantitativa de seu objeto, nos limites permitidos por esta Lei;
 Por acordo das partes
a) quando conveniente a substituição da garantia de execução;
b) quando necessária a modificação do regime de execução da obra ou serviço, bem
como do modo de fornecimento, em face de verificação técnica da inaplicabilidade
dos termos contratuais originários;
c) quando necessária a modificação da forma de pagamento, por imposição de
circunstâncias supervenientes, mantido o valor inicial atualizado, vedada a
antecipação do pagamento, com relação ao cronograma financeiro fixado, sem a
correspondente contraprestação de fornecimento de bens ou execução de obra ou
serviço;
d) para restabelecer a relação que as partes pactuaram inicialmente entre os
encargos do contratado e a retribuição da administração para a justa remuneração
da obra, serviço ou fornecimento, objetivando a manutenção do equilíbrio
econômico-financeiro inicial do contrato, na hipótese de sobrevirem fatos
imprevisíveis, ou previsíveis porém de consequências incalculáveis, retardadores ou
impeditivos da execução do ajustado, ou, ainda, em caso de força maior, caso
fortuito ou fato do príncipe, configurando álea econômica extraordinária e
extracontratual.

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

 Qual a diferença da alteração quantitativa para a alteração qualitativa?

Qualitativa Quantitativa

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 Em que situações a alteração qualitativa pode extrapolar os limites da Lei nº 8.666/93?

Nas hipóteses excepcionalíssimas de alterações consensuais qualitativas de


contratos de obras e serviços, é facultado à Administração ultrapassar os limites
preestabelecidos no art. 65, §§ 1º e 2º, da Lei 8.666/1993, observados os princípios
da finalidade, da razoabilidade e da proporcionalidade, além dos direitos
patrimoniais do contratante privado, desde que satisfeitos cumulativamente os
seguintes pressupostos: a) não acarretar para a Administração encargos
contratuais superiores aos oriundos de uma eventual rescisão contratual por razões
de interesse público, acrescidos aos custos da elaboração de um novo procedimento
licitatório; b) não possibilitar a inexecução contratual, à vista do nível de
capacidade técnica e econômico-financeira do contratado; c) decorrer de fatos
supervenientes que impliquem dificuldades não previstas ou imprevisíveis por
ocasião da contratação inicial; d) não ocasionar a transfiguração do objeto
originalmente contratado em outro de natureza e propósito diversos; e) ser
necessárias à completa execução do objeto original do contrato, à otimização do
cronograma de execução e à antecipação dos benefícios sociais e econômicos
decorrentes; f) demonstrar-se - na motivação do ato que autorizar o aditamento
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

contratual - que as consequências da outra alternativa (a rescisão contratual,


seguida de nova licitação e contratação) importam sacrifício insuportável ao
interesse público primário (interesse coletivo) a ser atendido pela obra ou serviço,
ou sejam gravíssimas a esse interesse, inclusive quanto à sua urgência e emergência
(Acórdão 1826/2016 Plenário)

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 É possível compensar subpreço na planilha contratual original com sobrepreços,


mediante termo aditivo?

É incabível a compensação de eventual subpreço na planilha


contratual original com sobrepreços verificados em termos aditivos,
uma vez que isso implica a redução da vantajosidade inicial da avença
e, portanto, a alteração do equilíbrio econômico-financeiro em
desfavor da Administração. (Acórdão 349/2014-Plenário)

________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

 Eventuais supressões influenciam no cômputo do limite para aditamento contratual?

ACRÉSCIMOS

LIMITE
SUPRESSÕES

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

5. REVISÃO ECONÔMICA DO CONTRATO ADMINISTRATIVO

Fundamento constitucional

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

_________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

Espécies

EQUILÍBRIO
ECONÔMICO

Álea
Álea ordinária
extraordinária

Reajuste Reequilíbrio
Repactuação
estrito econômico

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Nuances dos instrumentos de revisão econômica

REVISÃO ECONÔMICA NUANCES

• Fundamento econômico
• a) Reajuste estrito • Fato gerador
• Anualidade
• b) Repactuação • Previsão editalícia
• Instrumento
• c) Reequilíbrio econômico • Forma de cálculo
• Revisões subsequentes
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Questões práticas

 Sem previsão no edital, é possível reconhecer o direito ao reequilíbrio econômico? E


ao reajuste?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

 É possível a concessão de reajuste em contrato com vigência inferior a um ano?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 É possível a concessão de repactuação e reajuste no mesmo contrato?

Repactuação

Reajuste

Reequilíbrio
econômico

CONTRATO

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

 Como se dá a contagem da anualidade na repactuação?

Orçamento Contrato

Proposta Fato
gerador

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Como se dá a contagem da anualidade em contratos de serviço com diversas categorias


profissionais?

Categoria
CONTRATO 2 Materiais

Categoria Categoria
1 3

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

 O aumento voluntário, dado pelo empregador, gera direito à repactuação?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 Pode ser concedido reajuste ou repactuação, em contratos que, sem previsão no edital,
suplantem a anualidade, por culpa da Administração?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

O que fazer quando o salário mínimo nacional é aumentado para valor superior ao piso salarial da
categoria?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 É possível indicar valor de salários superiores ao piso salarial da categoria?

REPRESENTAÇÃO. DISPENSA DE LICITAÇÃO. SELEÇÃO DA EMPRESA


A SER CONTRATADA MEDIANTE PROCEDIMENTO CONCORRENCIAL.
FIXAÇÃO DE SALÁRIOS MÍNIMOS A SEREM PRATICADOS NA
CONTRATAÇÃO. FALTA NO DEVER LEGAL DE COMUNICAR AOS
INTERESSADOS O RESULTADO DO JULGAMENTO DO PROCEDIMENTO
LICITATÓRIO. FALTA AO DEVER DE COMUNICAR DIRETAMENTE À
EMPRESA INTERESSADA A DESCLASSIFICAÇÃO DE SUA PROPOSTA.
REPRESENTAÇÃO PARCIALMENTE PROCEDENTE. DETERMINAÇÕES
AO ÓRGÃO PUBLICO. COMUNICAÇÃO E ARQUIVAMENTO.
1. Na realização de licitações visando à contratação de serviços de TI
mediante alocação de postos de trabalho ou por outra modalidade
assemelhada à simples terceirização de pessoal, a administração pública
deverá observar, em regra, a proibição de não fixar, no edital, valores mínimos
para os salários do pessoal, conforme estabelecido no art. 40, inciso X, da Lei
8.666/1993, facultando-se ao gestor, excepcionalmente, na hipótese de não
estar sujeito ao art. 6º, II, da IN SLTI/MPOG 4/2008, estabelecer, em face de
comprovado risco de aviltamento salarial, limitante inferior para o custo da
mão de obra, justificando-se o parâmetro mínimo escolhido no processo
administrativo pertinente, assim como a estrutura remuneratória que serviu de
base à elaboração do orçamento básico da licitação, que deverá mostrar-se
compatível com a qualidade esperada dos serviços pretendidos. (...)
(Acórdão 332/2010 – Plenário).
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 A divergência entre os salários estipulados na proposta de preços e os efetivamente pagos


aos profissionais configura irregularidade?

O pagamento de salários inferiores aos constantes da proposta somente configura


descumprimento contratual caso exista cláusula expressa no edital e no contrato
exigindo a identidade entre esses valores. (Acórdão 2438/2013-Plenário)
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 Pode ser concedida repactuação, de ofício? Há preclusão ao direito de repactuação?

Ocorre preclusão lógica do direito à repactuação de preços decorrente de


majorações salariais da categoria profissional quando a contratada firma
termo aditivo de prorrogação contratual sem suscitar os novos valores
pactuados no acordo coletivo, ratificando os preços até então acordados.
Acórdão 1601/2014-Plenário

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

 Cabe preclusão lógica parcial?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 Quais os fatos geradores do reequilíbrio econômico?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 Cabe reequilíbrio econômico em razão de variação da taxa cambial?


___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 Se, durante a execução do contrato, a microempresa ultrapassa o limite de receita


bruta, saindo da tributação SIMPLES, há direito ao reequilíbrio econômico?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

 Se, com a matriz de risco, ocorrer determinado fato caracterizado como álea
extraordinária, mas indicado como de responsabilidade do contratado, há direito ao
reequilíbrio econômico?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 Cabe preclusão lógica no reequilíbrio econômico?

A contratada, ao iniciar, tardiamente, a execução dos serviços sem


condicioná-la a revisão de preços, implicitamente reconhece a adequação e
a exequibilidade dos valores propostos na licitação, o que configura renúncia
ao reequilíbrio econômico-financeiro das condições iniciais contratadas,
dando ensejo à preclusão lógica. Acórdão 4365/2014-Primeira Câmara

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 Cabe revisão econômica (reajuste, repactuação ou reequilíbrio) do preço registrado na ata


de registro de preços?

Negociação da Ata Revisão econômica

Natureza jurídica Natureza jurídica

Competência Competência

Instrumento Instrumento
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

6. SANÇÕES ADMINISTRATIVAS

Sanção administrativa
Prerrogativa administrativa de aplicar medida restritiva de direitos, respeitando o
contraditório e a ampla defesa, como consequência de um comportamento ilícito e exercitada
nos limites estabelecidos pela Lei.

Fundamentos das sanções administrativa nas licitações

 Constituição da República de 1988


 Lei n. 8.666/1993
 Lei n. 10.520/02
 Lei 12.462/2011
 Lei 12.846/2013
 Lei n. 9.784/99*

Aspectos do sancionamento administrativo


• Dever-poder do agente público
• Caráter repressivo / pedagógico
• Consequência de um processo

A aplicação de penalidades decorrentes de irregularidades contratuais, no âmbito das licitações e


contratos administrativos, tem se demonstrado uma exceção, causada não pelo bom comportamento
das empresas licitantes, mas pela má técnica na elaboração legislativa e pela dificuldade de
capacitação dos responsáveis por tal atividade.
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

É indispensável que haja a abertura de um processo administrativo sancionador?


Art. 5º ...
LIV - ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal;
LV - aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são
assegurados o contraditório e ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes;

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

7. SANÇÕES NAS LICITAÇÕES PÚBLICAS

Sanções na Lei nº 8.666/93


Art. 87. Pela inexecução total ou parcial do contrato a Administração poderá,
garantida a prévia defesa, aplicar ao contratado as seguintes sanções:
I - advertência;
II - multa, na forma prevista no instrumento convocatório ou no contrato;
III - suspensão temporária de participação em licitação e impedimento de
contratar com a Administração, por prazo não superior a 2 (dois) anos;
IV - declaração de inidoneidade para licitar ou contratar com a Administração
Pública enquanto perdurarem os motivos determinantes da punição ou até
que seja promovida a reabilitação perante a própria autoridade que aplicou
a penalidade, que será concedida sempre que o contratado ressarcir a
Administração pelos prejuízos resultantes e após decorrido o prazo da sanção
aplicada com base no inciso anterior.

* O regramento sobre o sancionamento administrativo disposto pela Lei nº 8.666/93 se manteve


assemelhado ao outrora disposto pelo Decreto-Lei nº 2.300/86. Já naquele diploma, a advertência, a
multa, a suspensão temporária e a declaração de inidoneidade eram apresentadas como as sanções
aplicáveis às situações de inexecução total ou parcial do contrato.
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

* O modelo tradicional da Lei nº 8.666/93 também se caracteriza por uma falta de tipicidade
específica, inexistindo minuciosa descrição legal do fato indicado para a imputação da respectiva
sanção. Isso permite que a aplicação da pena seja relegada ao juízo de valor do administrador, de
acordo com a prescrição editalícia.

 Advertência
 Multa
 Suspensão
 Declaração de inidoneidade
* Claramente, existe certa gradação implícita entre as sanções previstas pela Lei nº 8.666/93, já
que os efeitos das sanções são materialmente diferentes ou possuem amplitudes diferentes. Nada
obstante, a Lei não estabelece um enquadramento específico de cada sanção para determinado ilícito
administrativo, permitindo que a autoridade competente decida pela aplicação da sanção e sua
respectiva dosagem. No caso da multa, tal aferição deve estar prevista no próprio edital ou contrato.

ADVERTÊNCIA. A advertência se apresenta como uma punição mais leve. Deve ser dirigida,
proporcionalmente, aos acontecimentos contratuais de menor importância, que se apresentarem
como fato isolado. Diante da necessária garantia de contraditório e ampla defesa, resguardados pelo
inciso LV do artigo 5º da Constituição Federal, a opção do legislador de tratar a advertência como
sanção, em nossa opinião, foi um erro que gerou empecilho burocrático à sua efetiva utilização (como
sanção), no ambiente dos contratos administrativos.
► Atenção. Na prática, a advertência não vem sendo adotada como sanção precedente à
aplicação de sanções mais rigorosas, já que a demora na finalização do respectivo
procedimento (para que se tenha, ao final, o efeito já firmado com a comunicação inicial),
demonstra o despropósito gerado pela tentativa de transformar um processo de comunicação
em sanção.

MULTA. Têm-se entendido que a ausência da previsão de multa no edital (ou contrato apresentado
como seu anexo), com o regramento de sua incidência, impede sua imposição. O efeito material da
Multa é pecuniário ou financeiro, gerando um crédito em favor do sancionador.
► Atenção. Enquanto sanção, a multa pode ser aplicada cumulativamente às demais sanções
descritas por esse artigo.
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

SUSPENSÃO. Sua aplicação restringe temporariamente o direito constitucional de uma pessoa (jurídica
ou física) de participar de licitações ou mesmo de ser contratado pelo Poder Público (reflexo do
aspecto subjetivo ou democrático do princípio da obrigatoriedade de licitar), nos limites estabelecidos
pelo legislador.

DECLARAÇÃO DE INIDONEIDADE. Ela possui o mesmo efeito material da suspensão temporária,


restringindo o direito constitucional de uma pessoa (jurídica ou física) em participar de licitações ou
mesmo de ser contratada pelo Poder Público. Contudo, a amplitude desses efeitos restritivos é maior,
abrangendo toda a Administração Pública (e não apenas o órgão contratante).
► Atenção. Com relação a ela, a Lei estabeleceu, expressamente, competência exclusiva para
autoridades do alto escalão.

 A declaração de inidoneidade possui efeito ‘ex-nunc’, cabendo às


entidades administrativas medidas com vistas à rescisão de contrato que
possuam com a empresa julgada inidônea, caso entendam necessário.
Contudo, no caso do certame que levou à aplicação da sanção, a instituição
pública deve adotar as providências necessárias, com vistas à pronta rescisão
do contrato decorrente.
(TCU, Acórdão n.º 1.340/2011-Plenário, 25.05.2011. Informativo nº 64)

Efeitos

Competência Amplitude
SANÇÕES
LEI Nº 8.666/93

Sujeito passivo Prazo


SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Existe uma regra que deve ser seguida para a aplicação das sanções? Primeiro advertência,
depois multa, etc..?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Aplicação de sanções e motivação. A aplicação da penalidade deve ser justificada por parâmetros
baseados nos princípios constitucionais pertinentes, como: proporcionalidade, razoabilidade,
isonomia, motivação, ampla defesa e impessoalidade.

 Qual a amplitude da sanção suspensão do direito de licitar?

Em primeira análise, tanto a suspensão quanto a inidoneidade restringem o direito de licitar


ou de firmar novos contratos com o Poder Público. Contudo, com relação à suspensão, há uma situação
curiosa, decorrente de diferentes interpretações acerca do espectro de incidência do dispositivo.
O STJ já vinha declarando seu entendimento acerca da incidência geral da penalidade
suspensão, que impediria a participação em qualquer outro certame, e vem reiterando esse raciocínio
(STJ. RMS 32628/SP, Segunda Turma, DJe 14/09/2011).
O TCU, desde o início, adotou o entendimento de incidência mais amena, tanto que
determinava aos órgãos públicos que se abstivessem de incluir em seus editais a vedação à
participação, nas licitações promovidas, de empresas que tivessem sido apenadas com a suspensão do
direito de licitar (inc. III, art. 87 da Lei nº 8.666/93), exceto nos casos em que a suspensão tivesse sido
imposta pelo próprio ente realizador do certame.
Contudo, em meados de 2011, a 1ª Câmara do TCU sugeriu a revisão de entendimento pelo
TCU, para firmar o raciocínio que: “a vedação à participação em licitações e à contratação de particular
incurso na sanção prevista no inciso III do art. 87 da Lei 8.666/1993 estende-se a toda a Administração
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

direta e indireta” (TCU, Acórdão n.º 2218/2011, 1ª Câmara, TC-025.430/2009-5). Esse entendimento
isolado foi criticado por parte da doutrina, por não se adequar ao evidente tratamento legal dado à
sanção.
Posteriormente, a questão foi levada ao Plenário do TCU, que pacificou o seu entendimento
(atual) sobre o tema, firmando o raciocínio de que a restrição gerada pela sanção “suspensão
temporária de participação em licitação e impedimento de contratar com a Administração”, prevista
no inciso III do artigo 87, da Lei 8.666/1993, alcança apenas o órgão ou a entidade que a aplicou.
NOTAS
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Caso uma empresa tenha sido “Suspensa” pela unidade da PRF, em Porto Alegre, poderá
participar de uma licitação da unidade da PRF, localizada em São Paulo?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

A ausência de precisão, no edital, sob os limites da sanção suspensão de licitar, pode


prejudicar a licitação?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Qual a amplitude da sanção “declaração de inidoneidade?


___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Pode ser delegada ao gestor do contrato a competência para aplicar a sanção “declaração
de inidoneidade”?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

Quem detém competência para aplicar a sanção “declaração de inidoneidade”, em relação


à ilícitos praticados em contratos firmados junto ao Tribunal de Justiça do Maranhão?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

* Artigo 88 e ampliação do sujeito passivo.


Art. 88. As sanções previstas nos incisos III e IV do artigo anterior
poderão também ser aplicadas às empresas ou aos profissionais que, em
razão dos contratos regidos por esta Lei:
I - tenham sofrido condenação definitiva por praticarem, por meios
dolosos, fraude fiscal no recolhimento de quaisquer tributos;
II - tenham praticado atos ilícitos visando a frustrar os objetivos da
licitação;
III - demonstrem não possuir idoneidade para contratar com a
Administração em virtude de atos ilícitos praticados.
O artigo 88 encerra uma interessante disposição da Lei, que permite a aplicação das sanções
a terceiros (empresas ou profissionais) que não o contratado. Obviamente, deve existir algum liame
entre a atividade praticada pelo terceiro e o contrato firmado com a Administração.
A utilização desse dispositivo pode servir para afastar do ambiente licitatório as empresas,
os profissionais e os empresários que, através de pessoas jurídicas “de fachada”, conspurcam a
legalidade e a moralidade, através de conluios e fraudes, em detrimento do erário e da
competitividade.
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

Quais os sujeitos passivos para aplicação das sanções previstas pelo artigo 88 da Lei nº
8.666/93?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Sanções na Lei nº 10.520/2002

Art. 7º. Quem, convocado dentro do prazo de validade da sua proposta,


não celebrar o contrato, deixar de entregar ou apresentar
documentação falsa exigida para o certame, ensejar o retardamento da
execução de seu objeto, não mantiver a proposta, falhar ou fraudar na
execução do contrato, comportar-se de modo inidôneo ou cometer
fraude fiscal, ficará impedido de licitar e contratar com a União, Estados,
Distrito Federal ou Municípios e, será descredenciado no Sicaf, ou nos
sistemas de cadastramento de fornecedores a que se refere o inciso XIV
do art. 4º desta Lei, pelo prazo de até 5 (cinco) anos, sem prejuízo das
multas previstas em edital e no contrato e das demais cominações
legais.

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Importante perceber que a Lei do Pregão criou uma nova espécie de sanção administrativa.
Há consenso de que a sanção “impedimento de licitar e contratar” é uma sanção diversa das previstas
pela Lei nº 8.666/93
Em vez de se reportar à declaração de inidoneidade e à suspensão temporária, ela
estabeleceu que determinados comportamentos, descritos em seu artigo 7º, gerariam o
“impedimento de licitar e contratar” com a União, Estados, Distrito Federal ou Municípios, pelo prazo
de até 5 (cinco) anos, além do consequente descredenciamento do fornecedor, sem prejuízo das
multas previstas em edital e no contrato, além das demais cominações legais.
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

A sanção impedimento de licitar e contratar, da Lei do Pregão, possui o mesmo efeito


restritivo das sanções “suspensão” e “declaração de inidoneidade”, da Lei nº 8.666/93. Há, contudo,
uma amplitude específica para esses efeitos, que restringem o direito do particular de participar de
licitações ou de ser contratado, na esfera federativa onde foi aplicada a sanção.

Efeitos

Competência Amplitude
SANÇÕES
LEI Nº 10.520/02

Sujeito passivo
Prazo

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Há aparente antinomia entre a sanção da Lei do Pregão e as previstas pela Lei nº 8.666/93?
Elas podem ser aplicadas cumuladamente?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

Qual a amplitude da sanção “Impedimento de licitar”?


___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Há diferença entre os sujeitos passivos do sancionamento previsto na Lei n. 8.666/93 e


aquele previsto na Lei n. 10.520/2002?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 Problemas típicos da modalidade pregão


A consagração da modalidade pregão (com suas características, como: “inversão de fases”,
forma eletrônica, simplificação do procedimento, entre outros) e o avanço do processo de
democratização das contratações públicas, onde se identifica o aumento do controle externo (inclusive
social) e também a ampliação da participação de empresas e da competitividade (alimentada pela
transparência e diminuição de custos do certame eletrônico, além da vertiginosa ampliação das
contratações públicas junto ao setor privado) tornam imprescindível o exercício eficiente do “Dever-
Poder” administrativo (disciplinar/sancionatório), tanto em virtude de ilícitos praticados no contrato,
como em virtude de ilícitos praticados no certame.
Na prática, peculiaridades do pregão têm suscitado novas espécies de ilícitos, notadamente
aqueles ocorridos no certame, pela não manutenção da proposta, ou na execução contratual, pela
questionável exequibilidade da proposta outrora formulada.
NOTAS
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

As falhas no certame (não manutenção da proposta) ou na execução contratual permitem a


aplicação de sanções? E o licitante “coelho”?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Pode-se aplicar sanções ao licitante que não entrega a documentação de habilitação exigida
pelo edital?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

Quem é responsável pela abertura do processo sancionatório, em razão de irregularidades


praticadas na licitação?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Desconsideração da personalidade jurídica

 Fundamentos
O tema envolve discussão que exige uma análise aprofundada, sobretudo em relação à
temática das sociedades no ordenamento pátrio e sua submissão à desconsideração da personalidade
jurídica.
É importante que os administradores estejam sempre atentos aos embustes praticados por
empresários que, tendo em vista inadimplências fiscais ou problemas que causem inabilitação em
certames públicos, abrem formalmente nova pessoa jurídica (muitas vezes, constituída total ou
parcialmente pelos mesmos sócios), a qual, por sua recente criação, resta despida de impedimentos
fiscais e jurídicos que impeçam a participação no certame, não obstante sua “empresa irmã” continue
irregular perante as exigências licitatórias.
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

 Desconsideração da personalidade jurídica para o STJ e o TCU

Há precedente do Superior Tribunal de Justiça, em que aquele


pretório permite a desconsideração da personalidade jurídica, para
extensão dos efeitos da declaração de inidoneidade aplicada à
empresa, atingindo sociedade diversa.
O TCU também tem admitido a desconsideração da
personalidade jurídica quando há abuso na utilização da
personalidade jurídica, que pode ser evidenciada por fatos como:
identidade de sócios-proprietários entre empresa sucedida e
sucessora; atuação no mesmo ramo de atividades e transferência
integral do acervo técnico e humano.

 Desconsideração da personalidade jurídica na Lei 12.846/13

Art. 14. A personalidade jurídica poderá ser desconsiderada


sempre que utilizada com abuso do direito para facilitar,
encobrir ou dissimular a prática dos atos ilícitos previstos nesta
Lei ou para provocar confusão patrimonial, sendo estendidos
todos os efeitos das sanções aplicadas à pessoa jurídica aos seus
administradores e sócios com poderes de administração,
observados o contraditório e a ampla defesa.

 Como aplicar a desconsideração administrativa da personalidade jurídica e quais os


efeitos do instituto?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
SEMINÁRIO MARANHENSE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

O que fazer quando se identifica que a empresa vencedora de licitação possui identidade de
sócios, com uma sancionada por outro órgão? Só há irregularidade se a constituição for
posterior? Desconsidera-se a personalidade jurídica? Aplica-se outra sanção?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________