EGITO ANTIGO

Máscara funerária de Tutankhamon

Nota do Autor

Esta é uma obra onde suas informações foram retiradas de locais diferentes, sendo possível que ela apresente algumas contradições e/ou algumas palavras e nomes escritos de maneiras diferentes. Por isso, peço aos leitores que não critique o livro, e nem a mim, caso essas informações "diferentes" venha a aparecer. Espero que gostem de tudo aqui exposto.

Agradeço antecipadamente

Caio Christofolletti

Introdução
A Magia da Civilização Egípcia (Khemi) é especial e única no mundo, Seus conhecimentos sobre o mundo dos mortos e dos mistérios do céu, tornaram os egípcios os verdadeiros precursores da Era de Aquarius. Afinal, o nascimento do Egito ocorreu num signo de Ar, assim como a Era que estamos entrando agora. O Egito, junto com a Índia, é um país de cultura e história fascinantes. Aproximadamente, 3000 anos antes do nascimento de Cristo, os egípcios alcançaram um elevado estágio de civilização. Eles tinham o governo central organizado; seu comércio era voltado para as cidades que margeavam o Nilo; construíam grandes estruturas de pedra; e, o mais importante, dominavam a arte de escrever. Ao longo do Nilo podem ser vistos majestosos monumentos que revela as realizações do Antigo Egito, sendo a maioria tumbas e templo. Os antigos egípcios eram muito religiosos e acreditavam no princípio de uma vida após a morte para reis e nobres, desde que seus corpos pudessem ser preservados (esse é o principal motivo do embalsamamento).

A crença numa vida além-túmulo e a concepção da alma entre os egípcios explicam a idéia do homem possuir duas almas: Ba e Ka. . podendo decompor-se também. Para evitar o sofrimento ou a destruição do Ka. quando voltasse. algumas tumbas privadas estavam enfeitadas com pinturas. os egípcios costumavam embalsamar os cadáveres. Nas tumbas também eram colocadas estátuas e objetos da pessoa morta para que sua alma. A segunda alma era apenas um elemento de ligação co mo corpo. pudesse novamente habitar seu corpo.Nas paredes das tumbas aonde as múmias embalsamadas eram sepultadas eles esculpiam quadros e inscrições.

A característica geográfica dominante do antigo Egito era um vasto deserto dividido pelo Nilo. Alto e baixo não se referem a norte e sul. que também é o nome que os antigos egípcios usavam para se referir à sua pátria. Os antigos egípcios dividiram sua terra em duas partes. ao sul com o deserto da Núbia.essa área também está mais próxima do nível do mar do que o Alto Egito. e a terra das margens do Nilo de kemet. e. O Alto Egito é a região sul e tem esse nome porque está mais perto da nascente do Nilo.Observações geográficas O Egito antigo localizava-se ao nordeste da África. O rio entalhava uma faixa fértil em toda a extensão do território. a leste com o Mar Vermelho e a oeste com o deserto da Líbia. portanto. Limita-se ao norte com o Mar mediterrâneo. ou "terra vermelha". . esses termos relacionam-se ao curso do Nilo e a elevação da terra. e a maioria dos antigos egípcios vivia ao longo dele. Eles chamavam o deserto de deshert. ou rio acima. O Baixo Egito consiste basicamente na região do delta do Nilo e leva esse nome porque está mais distante da nascente. ou rio abaixo. em terreno mais alto. o Alto Egito e o Baixo Egito. ou "terra preta".

Mapa do Antigo Egito Mapa do Egito Atual .

por isso abaixo segue as características atuais do mesmo: y y y y y y y y y y y Capital: Cairo Superfície: 1001449 km² População: aprox. 66900000 hab IDH: 0. Por km²): 50 200 Expectativa de Vida: 55 65 anos Adultos alfabetizados: 50 75% Esses são uns dos principais fatores geográficos do Egito Atual. .623 Renda per capita (PIB): US$ 3050.Estatísticas Hoje em dia o Egito é totalmente diferente do que era a quase 2000 atrás. pastoreio y y y y Crescimento vegetativo: 3 4% Densidade Demográfica (hab.00 Mortalidade Infantil: 52 crianças por mil Moeda: Libra egípcia Principal Idioma: Árabe Clima: desértico Vegetação predominante: nenhuma Atividades Agropecuárias: agricultura primitiva de subsistência.

.

Rio Nilo
Ele tem 6.700 km (5.600 desde o lago Vitória) de extensão. Saindo do lago Vitória (com o nome de Nilo Vitória), onde se lança seu principal formador, o Kagera, o Nilo corre para o norte. Atravessando os lagos Kioga e Mobutu Sese Seko, toma o nome de Nilo Branco (Bahr el-Abiad) ao sair da região pantanosa do Sudão meridional. Em Cartum, recebe o Nilo Azul (Bahr el-Azrak) e depois o Atbara. Atravessa, em seguida, a Núbia e o Egito, que fertiliza com as suas cheias estivais, atinge o Cairo, onde começa o delta, que se abre no Mediterrâneo. A barragem de Sadd al-Ali (alta barragem de Assuã) regularizou-lhe o curso inferior e criou um vasto lago artificial, com 500 km de comprimento (que, em parte, se estende ao Sudão).

Trecho do Nilo, em Gizé

Segundo Heródoto (historiador grego), "O Egito é um dom do Nilo", sem o Nilo e a cheia, o Egito seria apenas a parte oriental do Saara. Sua cheia chega mais forte no Egito quando é verão, carregada

de aluviões pelo vento que desce dos altos planaltos da Abissínia. A cheia e suas riquezas são representadas pelo deus Hápi, de ventre repleto e seios pendentes. Antes de chegar a Assuan pela construção das barragens, o Nilo depositava nas terras cultiváveis, em média, um milímetro de lodo por ano. A prosperidade do Egito nasce da ação conjunta do Nilo e do Sol, todos os dois elevados pelos habitantes à categoria de deuses. O rio, em cheia das mais fortes do verão, impregna os campos de uma água carregada de aluviões extremamente férteis. O sol apressa a vazante, e o renascimento da vegetação. Uma cheia muito fraca não alimenta bem a terra; muito forte, devasta os campos - tanto uma quando a outra levam à fome: sem a cheia, o sol seria devastador; sem o sol, a cheia seria inútil. O importante é que o equilíbrio ( Maat) seja mantido entre os dois.

Rio Nilo, Trecho do Cairo

formaram-se culturas perto de Ábidos e vária sem Naqada.C. Por volta de 5500 a. Ao sul do Alto Egito. em particular no sul. Outra cultura formou-se no Faium. Por volta de 4000 a. quando uma segunda .C. Os costumes funerários também evoluíram para uma forma conhecida. Algumas dessas pequenas civilizações exibiram facetas do que viria a se tornar à cultura egípcia antiga. ou Alto Egito. longe dos vivos e das terras cultiváveis. ao norte do que viria a se tornar Men-Nenfer (Mênfis). No baixo Egito. Comunidades agrárias formaram-se para manter as fazendas. ou Nubt. a agricultura tornou-se a principal fonte de alimentos.C. Ferramentas e alimentos que eles teriam usado durante a vida eram enterrados junto com os corpos. Trigo e cevada eram cultivados e armazenados em celeiros de diferentes formatos e tamanhos. Várias culturas surgiram ao longo das margens férteis do Nilo durante essa época. grupos de pessoas viviam em torno de Merimda. A era anterior à subida dos faraós é chamada de Período PréDinástico. Os mortos eram enterrados em cemitérios nos subúrbios das aldeias..História Período Pré-Dinástico 5500-3000 a.

também eram usadas nos tempos pré-dinásticos. Perwadjyt (Buto) e Behdet (Apolinópolis) eram o centro do poder. e o uso de óleos côo perfume. e algumas dessas aldeias alcançaram uma posição dominante. líderes iam aparecendo. Período Arcaico (Dinástico Antigo) 1a e 2a Dinastias 3000-2649 a. a fim de reduzir o efeito do brilho do sol. usadas por todo o período da história egípcia antiga para a caça. Outras convenções praticadas pelos primeiros egípcios incluíam o uso da malaquita como maquiagem para os olhos. Conforme as comunidades agrárias se desenvolviam em aldeias mais organizadas. . As lanças de madeira. que eram ligadas a Seth.cultura havia se estabelecido em Naqada. os túmulos evoluíram para câmaras subterrâneas. destacavam-se as cidades de Tinis e Nubt (Naqada). No Baixo Egito. Deus da Destruição.C. que eram supridas com objetos da vida cotidiana. No Alto Egito.

Na tradição egípcia antiga. recebe o crédito pela façanha. embora ninguém saiba ao certo qual . Os historiadores não chegaram a um acordo sobre qual líder de fato foi o primeiro a unir o Egito. que veio de Tinis. porém. nenhum artefato encontrado do tempo em que Menés teria vivido menciona seu nome.1a Dinastia 2a Dinastia Narmer Hetepsekhemwy Aha Raned Djer Nynetjer Djet Peribsem Guarida Khasekhem Anedjib Semerknet Qaa Dentro do quadro de fortes líderes regionais é que o Antigo Egito foi unificado pela primeira vez. o faraó mítico Menés. A maioria dos historiadores concorda que Narmer foi um dos primeiros governantes do Egito.

e a capacidade de centralizar o governo foi significativamente auxiliada pela manutenção de registros. Foram escritos papiros médicos e a pedra foi usada pela primeira vez em construções e esculturas. HorAha selecionou um local no meio da região. porém. Alguns historiadores apontam essa patela como evidência clara que Narmer reinou sobre ambas as partes. Vários faraós seguiram-se a Hor-Aha. Hor-Aha também estabeleceu Ptah como o deus principal e realizou expedições militares e comerciais á Núbia. No final da Segunda Dinastia. O terreno para a capital foi criado por meio do desvio do curso do Nilo usando um grande dique. mostre Narmer usando a coroa do Alto Egito de um lado e a do Baixo Egito do outro. entre as duas terras.parte ele governou. Os historiadores estão seguros de que Hor-Aha governou o Egito unificado e fundou sua primeira capital em Men-nenfer. mantendo a união e acrescentando terras. Líbano e Sinai. Ele chamou sua capital de "Muros Brancos". O governo egípcio media as cheias do Nilo e gerenciava o trabalho nas fazendas. reivindicaram o . um artefato de pedra encontrado em Tinis. Dois homens. Persiben e Khasekhem. Papiros e hieróglifos começaram a sr utilizados. a união se desfez. porém ela seria conhecida mais tarde como Men-nefer (Mênfis). Os sucessores de Hor-Aha seguiram seu modelo de liderança e a cultura egípcia floresceu. A Patela de Narmer. A nobreza era enterrada em mastabas finamente decoradas em Abedju (Ábidos) e Sacara.

Khasekhen adotou o nome de Khasekhemy.E. o Egito estava novamente unificado sob o governo de um único líder. devido ao conflito entre Khasehkemy e Persiben. O comércio com os vizinhos trazia bens e matérias-primas nescessárias.Durante o conflito. que significa "dois poderes apareceram". O sepultamento numa grande mastaba era a prática comum para a nobreza. Além de estar intimamente associado ao Baixo Egito. Khasekhem foi forçado a recuar para o sul até Nehken (Hieracômpolis). Khasekhem manteve a prática de adotar um "nome de Hórus". A roda do oleiro havia sido inventada. é inimigo de Hórus.trono. Depois da reunificação. Seth. Afastando-se do padrão. Persiben adotou um "nome de Seth" em vez do tradicional "nome de Hórus". Antigo Império 3a a 6a Dinastias . No final do Período Arcaico. resultando em peças de cerâmica mais fortes e duradouras. mas acabou conseguindo derrotar Persiben e suas forças e reunificou o Egito. na mitologia egípcia. Hórus foi finalmente estabelecida como a divindade dos faraós.

2649-2195 a.C. 3a Dinastia 4a Dinastia 5a dinastia 6a Dinastia Sanakht Sneferu Userkaf Teti Djoser Kheops Sahura Userkara Sekhemkhet Radjedef Nefertikara Kakai Pepy I Huni Khephrem Shepseskara Isi Merenra Raneferet Pepy II Nyuserra Menkauhor Akauhor Djedkara Isesi Unas .

O Antigo Império foi um tempo de prosperidade no Egito. núbios. As expedições às essas áreas tiveram o efeito desejado: a riqueza do Egito aumentou e os faraós puderam gastar a recente fortuna conquistada em imensos monumentos. Esse local era determinante para facilitar o comércio por terra. os faraós voltaram sua atenção para as expedições ao exterior com a intenção de aumentar a riqueza da nação. os monarcas eram parentes próximos dos faraós e muito leais a eles. Com a união entre o Alto e o Baixo Egito solidificada. Os faraós uniram firmemente a terra com um governo bastante centralizado. Também estabeleceram assentamentos no oeste. apareceu pela primeira vez. O Egito olhava principalmente para o sul. em busca de ouro. e par o leste. Os egípcios fundaram assentamentos nesses locais e lutaram contra os beduínos. O Egito foi dividido em nomos. cananeus e palestinos. Mais tarde no . no oásis de Bahariya no deserto ocidental. onde havia cobre e turquesa. cada um deles administrado por um monarca. onde Aton-Rá. em especial para Serabit elKhadim. sírios. no Sinai. O Antigo Império também presenciou o surgimento do culto solar. As pirâmides têm a forma do benben*. Em geral. o deus criador no culto solar.

O ângulo das . Dsojer. conhecido por sua inteligência. o culto solar tornou-se mais dominante com a construção de templos do sol em várias cidades por todo o Egito. ainda se encontra em Dashur. e a construção das pirâmides teve início quase imediatamente. Quando Snefru concluiu o projeto. ele alisou as laterais. A pirâmide de Huni começou como a de degraus. mas alguns arqueólogos imaginam que a idéia era de que o monumento tivesse a aparência de uma escada para o céu. em essência.Antigo Império. O primeiro projeto de Snefru foi o término da pirâmide de seu pai Huni em Meidum. O segundo faraó da dinastia. Ninguém sabe muito bem o que a pirâmide pretendia representar. uma sobre a outra. a "pirâmide inclinada". porém. O Antigo Império começou com a subida ao trono da Terceira Dinastia. A pirâmide. o primeiro faraó da Quarta Dinastia. num prenúncio de estilo que as pirâmides viriam a assumir. seis mastabas. a forma desse monumento foi aperfeiçoada. O segundo. O primeiro desabou sob seu próprio peso. Várias pirâmides de degraus foram construídas para outros faraós até o tempo de Snefru. também serviu como sumo sacerdote do culto solar em On (Heliópolis). Imhotep. mandou construir a primeira pirâmide em Sacara. é. chamada de "pirâmide de degraus". seu vizir. supervisionou a construção da pirâmide e foi seu arquiteto. Snefu começou pelo menos três projetos de suas próprias pirâmides. com cada nível menor que o anterior.

por isso o ângulo foi reduzido para acelerar os trabalhos.laterais muda da metade para cima. Outra teoria é que Snefru morreu durante a construção. que as pirâmides subseqüentes iriam copiar. ela apresentava as laterais lisas características e o revestimento externo d pedra polida. Essas construções atingiram seu ápice com a pirâmide de Khufu (Kheops) em Rostja (Gizé). cerca de 50 pirâmides reais foram descobertas . O nome desse monumento se deve à cor que ele adquire ao pôr-dosol. De qualquer forma. que iriam distinguir as pirâmides verdadeiras das pirâmides de degraus. Foi inteiramente revestida de calcário de Tura. No total. Uma teoria é que os arquitetos temeram outro desabamento e reduziram o ângulo. projetado para representar um dos raios do sol. A pirâmide.Uma terceira teoria é que a pirâmide inclinada seria um gigantesco obelisco. trazido para a construção a partir de On (Heliópolis). Também localizada em Dashur. tinha originalmente cerca de 145 metros de altura com laterais de 2300000 blocos de calcário. Os arquitetos se Snefru por fim chegaram à forma da pirâmide verdadeira co ma Pirâmide Vermelha. a pirâmide inclinada exibia as laterais lisas. embora ninguém saiba ao certo por quê. a maior que ainda resiste. A construção de pirâmides continuou por todo o Antigo Império e alguns dos primeiros faraós do Médio Império também as construíram.

no Egito. Embora os faros da quarta Dinastia tenham preenchido os postos do governo com parentes próximos. A Quinta Dinastia marcou a interrupção na construção de pirâmides colossais. pois mais recursos foram dedicados a construir templos do Sol. com dezenas de outras menores construídas para a nobreza secundária. mas numa escala muito menor. sem ter . Userkaf. Elas ainda eram construídas. mas esses postos não eram mais ocupados por parentes dos faraós. Em vez disso. firmando o culto solar como a teologia central. Eles ganharam poder a partir de sua relação com o faraó. Alguns historiadores calculam que a maior parte da riqueza do Egito era destinada à construção de pirâmides. Por fim. o governo fortemente concentrado que tornou possível a construção dos monumentos começou a se esfacelar. A grandiosidade das pirâmides enfatizava a posição dos faraós como deuses sobre a terra e refletia o poder e riqueza que eles detinham durante a Terceira e Quarta Dinastias. a nobreza de outras famílias preencheu os cargos. construiu o primeiro templo do sol em Djedu (Abusir). os faraós da Quinta Dinastia não fizeram o mesmo. Seis outros faraós da Quinta Dinastia construíram templos do Sol. A extensa rede de oficiais do governo permaneceu. o primeiro faraó da Quina Dinastia.

Pepi II. da Sexta Dinastia. Sem a cheia. combinado à elevação do poder de outras famílias. Primeiro Período Intermediário 7a a 11a Dinastias . cada uma delas com um líder provincial à sua frente. A idade por fim prejudicou sua capacidade de governar. do Egito tomaram o poder. o mais longo período de governo registrado na história. Clima havia mudado e as monções anuais que ocasionavam a cheia do Nilo cessaram. A fome completou a queda do governo central. O governo central desapareceu. *A colina que foi a primeira terra a se levantar das águas. O antigo Egito despedaçou-se novamente em pequenas comunidades. as pessoas estavam passando fome e o Faraó. administrou o Egito por cerca de 94 anos. Esse enfraquecimento do poder dos faraós. ou nomos. e as famílias que haviam sido encarregadas de administrar as diferentes áreas. A base da economia se fora. um deus vivo na terra. não podia fazer nada. foi decisivo para o colapso do Antigo Império. O último governante desse período. de acordo com a mitologia egípcia antiga. as terras das fazendas tornaram-se menos férteis até que não produziram mais.necessariamente o senso de lealdade que um parente de sangue teria.

. um grupo de governantes localizados em Henen-nesw (Heracleópolis) conseguiu reunificar o Baixo Egito. 7 Dinastia 8a Dinastia 9a Dinastia 10a Dinastia 11a Dinastia ____ ____ ____ ____ Intef I Intef II Intef III Mentuhotep I Mentuhotep II Mentuhotep III O Primeiro Período Intermediário foi um tempo de contendas.2195-2066 a. o Alto Egito e o Baixo Egito tomaram a forma de dois reinos separados outra vez.C. Os governantes de Heracleópolis eram os herdeiros legítimos ao . Por volta de 2160 a. Por fim.C. A fome não dava trégua à população e os líderes das inúmeras pequenas comunidades faziam o que podiam para alimentar seu povo.

Ao contrário dos heracleopolitanos. que significa "unificador das duas terras". Ele conquistou terras ao sul e assumiu o título de "Grande Chefe do Alto Egito". e estabeleceu uma nova capital egípcia em Waset. a família governante de Waset (Tebas) unificou o Alto Egito. o Líbano. conseguiram unir povos díspares durante um tempo difícil. começaram a dar a si mesmos o título de Faraó. fortificaram as fronteira se abriram o comércio com os Biblos. Simultaneamente. conforme seu poder aumentava. Os reis heracleopolitanos também eram famosos por sua crueldade. Expulsaram os líbios e asiáticos que haviam se instalado no delta do Nilo à procura de comida. . ele não reivindicou o título de Faraó. surgiu em cena e. um descendente de Inyotefs. Depois que os nomos do sul foram subjugados. finalmente. eles voltaram sua atenção para o norte.trono do Egito e reivindicaram plena autoridade real. Os conflitos nas fronteiras do Alto e Baixo Egito eclodiram até assumir o caráter de uma guerra civil de grandes proporções. Os sucessos de Inyotef fortaleceram a confederação do sul do Egito e. Inyotef foi o primeiro governante de Waset a começar a unir o território. Mentuhotep II. Consertaram velhos canais de irrigação. Ainda assim. embora numa confederação muito mais frouxa do que o Baixo Egito. Ele adotou o nome de Sam-towe. derrotou os heracleopolitanos.

e Amon acabaria se associando a Rá. os conceitos de julgamento final e última confissão foram introduzidos. que suplantou Rá como o principal deus do Egito. Como no caso de Rá anteriormente. O deus patrono de Waset era Amon.Os faraós. O culto a Osíris também ganhou maior proeminência.Com uma nova capital. Logo. de quem todos os outros deuses sugiram. os governantes das aldeias e regiões adotaram para si os mesmos direitos funerários que antes haviam sido reservados aos faraós e seus parentes mais próximos. veio uma mudança notável nos próprios costumes fúnebres. Amon era considerado agora o deus original. egípcios de todas as posições sociais podiam entrar na outra vida. . o que expandiu ainda mais o acesso a direitos funerários pela abertura da vida após a morte para todos. não eram julgados antes de entrar na outra vida. o Primeiro Período Intermediário introduziu outras mudanças nas práticas religiosas. como os deuses. Enquanto o Egito esteve dividido em nomos. O culto solar permanecia forte. Com essa pronunciada transformação no acesso a serviços funerários. desde que tivesse dinheiro suficiente para pagar pelo ritual. porém. Quando a outra vida foi aberta aos mortais. um novo deus patrono ganhou influência. Além da nova dominância de Amon.

os escritores sentiam-se mais livres para expressar opiniões pessoais sobre temas seculares. Nessa época.Artisticamente. porém.C. foram estabelecidas as funções para as grandes obras literárias do Médio Império. Os recursos eram limitados e a tenção estava voltada para alimentar o povo e consolidar o poder. Médio Império 11a a 14a Dinastias 2066-1650 a. Sem a força unificadora e religiosa dos faraós. 11a Dinastia 12a Dinastia 13a Dinastia 14a Dinastia Inef I Amenemhet I Wegaf _______ Inef II Sesostris I Inef IV Inef III Amenemhet II Hor Mentuhotep I Sesostris II Sobekhotep II Mentuhotep II Sesostris III Neferhotep I Mentuhotep III Amenemhet III Ay . a escultura e arquitetura sofreram durante o Primeiro Período Intermediário.

porém. entre elas o Wadi Hammamat. As condições. Depois de reunificar o Egito. haviam mudado consideravelmente em relação ao Antigo Império. Núbia e Líbia foram empreendidas para inimigos e aproveitar os recursos naturais disponíveis. o Egito reconheceu novamente o faraó como o governante supremo da terra. Palestina.Mentuhotep IV Amemhet IV NeferhotepII Sobeknefru No Médio Império. e contavam com a permissão dos faraós. A mineração na península do Sinai a na Núbia proporcionou novamente as matérias-primas necessárias para a produção de belos objetos de arte. Muitos monarcas possuíam exércitos em prontidão. o leito de rio seco que servia de ligação entre o Mar Vermelho e Kebet (Coptos). Menhuhotep II e seus sucessores formaram a Décima Primeira Dinastia e reinaram por cerca de 70 anos. desde que fornecessem tropas quando os faraós as solicitassem. O poder que os líderes regionais adquiriram no Primeiro Período Intermediário permaneceu no Médio Império e os faraós tinham a tarefa de manter seus monarcas sob controle. . A Décima Primeira Dinastia também atentou para a renovação das relações comerciais com outros países. Antigas rotas de comércio foram reabertas. O poderio militar foi marcante durante essa dinastia e expedições ao Sinai.

O líder dessa expedição de mineração foi Amenemhet. talvez ilustrando que mesmo governantes provinciais podem subir até esse posto se forem particularmente bem sucedidos. Com a entrada de matéria-prima e a revitalização dos cofres da nação. Ele escolheu um local no centro do Egito. em Abu (Elefantina).Mentuhotep III ordenou uma viagem à distante Pwenet (Punt) para adquirir mirra. mostrando que a habilidade artística considerável sobrevivera no Egito apesar de toda a convulsão anterior. a arte e a arquitetura egípcia começaram novamente a florescer. Depois de subir ao poder. vizir do Alto Egito. Os templos eram decorados com belos relevos e desenhos. Mentuhotep III construiu muitos templos em todo o sul do Egito. A última ação empreendida pela Décima Primeira Dinastia foi uma expedição a Wadi Hammamat a fim de escavar pedras para o sarcófago de Mentuhotep IV. . Amenemhet fundou uma nova capital egípcia. e chamou sua nova capital de Itjawi. Amenemhet empenhou-se numa campanha agressiva para expandir as fronteiras do Egito. Ele deu início à Décima Segunda Dinastia. ou "conquista das duas terras". entre outros locais. que governou o Egito por mais 200 anos. Abedju (Ábidos) e Waset (Tebas). Amenemhet subiu pacificamente ao trono e tornou-se faraó. Mentuhotep II construiu um grande complexo mortuário escavando num rochedo em Djeseru-Djeseru ( Deir el-Bahri). cerca de 45 quilômetros ao sul de Mênfis. Para o sul.

A mais famosa destas é o Muro do Príncipe. No décimo segundo ano de seu reinado. Artefatos egeus datados do Médio Império também foram encontrados. Os faraós dessa dinastia espalharam suas pirâmides pelo . Enquanto Amenemhet estava fora. Como resultado. Amenemhet também forçou os líbios a desocuparem o Faium e restabeleceu assentamentos egípcios na região. Com o faraó seguinte firmemente no poder desde a morte do atual. uma série de fortalezas ao longo de vias de entradas comuns do Egito. rivais tentaram usurpar o seu trono. em expedições ao exterior. os pretendentes ao trono tiveram dificuldades para usurpar o governo. Amenemhet introduziu a prática de co-regência. co-regente. A construção de monumentos na Décima Segunda Dinastia teve um retorno da pirâmide tradicional. eram construídas também novas fortificações para proteger as fronteiras. Com a expansão. mais tarde. o Líbano e a Palestina. em vez dos túmulos escavados na rocha. Foram estabelecidas parcerias com a Síria. onde Sesóstris III construiria. indicando comércio com nações egéias diretamente ou por intermédi9o do Líbano. uma impressionante fortificação. que se tornou uma das chaves de longevidade de sua dinastia. ele nomeou seu filho herdeiro. O Médio Império também presenciou a expansão das relações comerciais.ele entrou na Núbia até a terceira catarata e assentou a cidade de Heb (Senma). Os dois governaram juntos até a morte de Amenemhet. Sesóstris.

Embora o manuscrito tenha sido feito durante o Médio Império. Esses textos eram muito populares nas escolas de escribas e. com revestimento de calcário de Tura. Além da emergência de Amon. ou fragmentos de cerâmica. A maioria as construções era de tijolos de argila. todas as cópias ainda existentes datam do Novo Império. no Faium. Faz sentido que a Sátira sobre as Profissões tenha agradado aos aspirantes a escribas: é um texto de instruções que exalta as virtudes de ser escriba por meio da crítica bem-humorada a todas as outras profissões. A antiga literatura egípcia atingiu seu ápice durante a Décima Segunda Dinastia. que lhe deu sua cor escura. Uma exceção notável é a Pirâmide Negra de Amenemhet III. Por exemplo. com a inscrição da Sátira sobre as Profissões. mais tarde. duas pranchetas de desenho e cerca de 100 óstracos. outros as ergueram nos arredores de Itjawi. e Amenemhet III construiu sua segunda pirâmide em Hawara. há quatro papiros. Surgiu um novo conjunto de textos. o que atesta a popularidade do texto. que incluía os de instrução e narrativas. O conceito de julgamento antes da entrada na vida após a morte tivera início durante o Primeiro Período Intermediário e Osíris foi instituído como . construída em parte com basalto.Egito. Osíris continuou a ganhar importância como o Deus dos Mortos. Vários as construíram em Dashur. os escribas passaram a aprender a sua arte copiando os manuscritos repetidamente. A evolução da teologia egípcia teve seqüência ao longo do Médio Império.

o que evidência o túmulo que envolvia os postos mais elevados do governo. enfraqueceram o poder dos faraós. A situação não era tão calamitosa quanto no final do antigo Império. O final da Décima Segunda Dinastia marcou o início do declínio do Médio Império. Os vizires acabaram sendo mais duradouros do que os faraós dessa dinastia e vários deles serv9iram a mais de um governante e ajudaram a manter o território unido. Os faraós procuravam honrar Osíris. encurtando a estação de cultivo. o último faraó da Décima Segunda Dinastia teve um reinado excepcionalmente longo. . As cheias do Nilo foram particularmente altas e levaram muito tempo para recuar.Uma nova linhagem de faraós estabeleceu-se em Xois. Quando ele morreu. instaurouse uma confusão quanto a quem seria o legítimo sucessor. Os faraós em Xois governaram ao mesmo tempo que os da Décima Terceira Dinastia. Sem m líder forte. e o número de belos monumentos em Abedju (Ábidos).o juiz no Médio Império. A Décima Terceira Dinastia. cujos faraós haviam transferido a capital de volta para Men-nefer (Mênfis). é evidência da importância do Deus. uma das cidades de Osíris. Uma mudança climática novamente complicou a situação. mas as dificuldades agrícolas. o Egito inevitavelmente fragmentou-se outra vez. foi caracterizada por dezenas de faraós com reinados extremamente curtos. mesmo assim. localizada na parte ocidental do delta do Nilo.

Segundo Período Intermediário 15a a 18a Dinastia 1650-1550 a. 15a Dinastia 16a Dinastia 17a Dinastia 18a Dinastia Shesi Anather Sobekemsaf Ahmose Yakubher Yakobaam Intef VII Amenhotep I Khyan Tao I Thutmose I Apepi I Tao II Thutmose II Apepi II Kamose Hatshepsut Thutmose III Amenhotep II Thutmose IV Amenhotep II .Com esse pano de fundo. o Médio Império teve fim e uma vez mais houve a divisão em Alto e Baixo Egito.C.

Com o passar do tempo. As rotas de comércio para o Sinai e a Palestina permaneceram abertas e os hicsos formaram uma nova parceria comercial com os cushitas. Quando o caos dominou a situação política no final do Médio Império. Embora governassem diretamente apenas o Baixo Egito. cruzaram as fronteiras até o Egito e ofereceram seus serviços. Os hicsos dominaram o Baixo Egito e estabeleceram sua capital em Rowaty (Avaris). Os cushitas tinham uma . pagavam tributo aos hicsos. Povos da Ásia.Amenhotep IV Neferneferuaten Tutankhamon Ay Horemheb Durante o Médio império. geralmente como servos contratados. Os governadores do Alto Egito. sediados em Waset (Tebas). em particular os hicsos. eles assumiram o poder. O Baixo Egito continuou a ter boas relações comerciais sob o governo hicso. os hicsos melhoraram a posição na sociedade egípcia. a imigração aumentou. que haviam conquistado terras ao norte ate a primeira catarata em Abu (Elefntina). exerciam influência também sobre o Alto Egito.

que melhorou a indústria têxtil. fez um insulto a Tao II. É atribuído a eles o crédito de ter introduzido o tear vertical. Eles introduziram o bronze. As relações entre o Alto e o Baixo Egito continuaram bastante amistosas até que Apaphis III. um metal muito mais resistente e versátil que o cobre. iniciou uma guerra. Tão II morreu em combate. seu irmão Amosis I encerrou a guerra. expulsando os hicsos de volta para a Ásia e. o oboé e o tamborim. Novo Império 18a a 20a Dinastias . instrumentos musicais como a lira. Quando ele foi morto. Em retaliação. uma vez mais. mas seu filho Kamósis continuou a luta. unificando o Egito sob um único governante. Omo a romã e a azeitona. com a ajuda de mercenários núbios. A contribuição mais famosa dos hicsos foi o carro de guerra puxado por cavalos. Os hicsos fizeram ainda outras contribuições. Tão II invadiu o território dos hicsos e. um governante hicso.nação e uma cultura distintas e estabeleceram uma bela capital em Kerma. Esse novo metal foi usado em armas como adagas e espadas. líder de Waset (Tebas). O breve período de governo hicso teve efeitos duradouros sobre a cultura egípcia. e novos alimentos.

18a Dinastia 19a Dinastia 20a Dinastia Ahmose Ramses I Setnakht Amenhotep I Seti I Ramses III Thutmose I Ramses II Ramses VI Thutmose II Merenptah Ramses V Hatshepsut Amenmessu Ramses VI Thutmose III Seti II RamsesVII Amenhotep II Saptah Ramses VIII Thutmose IV Tausret Ramses IX Amenhotep III Ramses X Amenhotep IV Ramses XI Neferneferuaten Tutankhamon Ay Horemheb .1550-1064 a.C.

Akhenaton fechou templos dedicados a todos os outros deuses e confiscou tudo que havia . que era o Deus do Disco Solar. Quando Amenófis IV subiu ao trono. expandindo suas fronteiras para dentro da Ásia. limitando-os ao governo de cidades e aldeias. ele voltou-se para o sul a fim de tomar partes da Núbia.Amósis começou o Novo Império da mesma forma como encerrou o Segundo Período Intermediário: Com guerra. A rainha Hatshepsut. Hatshepsut manteve o império e construiu muitos templos e monumentos. mudou seu nome para Akhenaton e introduziu o monoteísmo no Egito. Com o apoio de seus militares. Mais tarde na Décima Oitava Dinastia. e estabeleceu uma nova capital chamada Akhenaton. porém. mãe de Tutmés (ou Tutmósis) III. Amosis também destituiu os monarcas locais de boa parte de seu poder. destacando-se entre eles seu templo mortuário em Deir el-Bahri. O Egito tornou-se uma força imperial. o Egito passou por uma mudança radical. usurpou o trono enquanto ele ainda era pequeno e governou o Egito assumindo todos os adereços de um faraó. Restabeleceu a capital em Waset (Tebas) e restaurou o forte na Núbia. Ele cultuava o deus Aton. A atividade militar de Amosis definiu o tom para boa parte do Novo Império. em Buhen. também enfrentou alguns problemas internos. inclusive a falsa barba cerimonial. Depois de expulsar os hicsos do Egito. Essa primeira parte da Décima Oitava Dinastia.

Per-Ramsés. Ramsés I transmitiu a capital do Egito de Tebas para uma nova cidade. perto de Rowarty (Avaris). um general do exército egípcio.dentro deles. . Horemhab restaurou a ordem dentro das fronteiras do Egito e deu início ao trabalho de reconquista das terras egípcias perdidas. indicou Ramsés I como herdeiro do trono. até mesmo o próprio faraó. Quando Akhenaton morreu. boa parte do império egípcio foi perdido durante seu governo. o antigo sistema teológico foi restaurado e a capital voltou para Waset (Tebas). Antes de sua morte. Embora o Egito tenha sofrido politicamente sob o comando de Akhenaton. conquistou novas terras e assinou tratados com potências asiáticas. o famoso Ramsés II (conhecido como "o Grande"). as artes prosperaram. O período ramessista teve início com a morte de Horemhab. em que pessoas. Horemhab. Uma nova forma de representação começou a ser usada. Ele também comissionou um grande número de projetos de construção e sua imagem era encontrada numa variedade de monumentos por todo o Egito. assumiu o trono. com isso. Após um breve reinado de vários faraós (entre eles Tutankhamon). eram mostradas de modo mais realistas. Neto de Ramsés I. com eventuais deformidades físicas plenamente à vista. Também interrompeu expedições militares a outras terras e.

O Novo Império viu outra mudança nos costumes funerários. que parecem ter sido um amálgama de várias culturas. Em desvantagem numérica e estratégica. os egípcios lutaram contra muitos inimigos. Ramsés II manteve o alto moral de suas tropas atacando agressivamente o inimigo. O Vale dos Reis é vizinho do Vale das . foi assinado um tratado dividindo a terra reclamada. A Batalha de Qadesh poderia ter sido desastrosa para o exército egípcio. Os dois lados lutaram até um impasse e. eles deram preferência a túmulos escavados em rochedos do Vale dos Reis. O exército egípcio foi poupado de uma derrota esmagadora pela chegada de reforços. a cultura doméstica continuava a prosperar. Os povos do mar.As explorações militares de Ramsés II culminaram ma batalha de Qadesh. Enquanto os faraós conduziam expedições militares. cujo relato é a primeira descrição detalhada conhecida de um grande combate. tanto conhecidos como desconhecidos. também entraram no combate. entre elas os filisteus e os minóicos. A batalha foi contra os hititas. as pirâmides foram abandonadas como sepultura dos faraós. Com o Novo Império. então. Em vez disso. Partes de ambas as cópias do tratado sobreviveram até hoje. Como eram vítimas de constantes assaltos. e essa foi a primeira vez em que o Egito enfrentou um inimigo cujo poder era comparável ao seu. os mitanos e os babilônios rivalizaram com o Egito pelo controle da Ásia ocidental. Além dos hititas.

Esculturas também foram produzidas em grande escala e vários exemplares famosos ainda permanecem. por exemplo. foi fundada a aldeia de Deir el-Medina. Os Colossos de Mêmnon. Eles moldavam o vidro para produzir recipientes e usavam a faiança para incrustações. e o Egito. Para dar suporte ao contínuo trabalho de construção nos vales. um tipo de vidro. estava invadindo cada vez mais o território . A arte continuou a prosperar e os artesãos começaram a trabalhar com faiança. Os líbios. O Nov Império também foi marcado por um grande aumento na atividade de construção. Depois do Novo Império O Novo Império com o fim da Vigésima Dinastia. que abrigava as esposas e filhos dos faraós. são estátuas de Amenófis III com 20 metros de altura. a oeste. Boa parte do que sabemos sobe a vida do povo egípcio antigo vem de artefatos recuperados em Deir el-Medina. que alojava os artesãos e operários que trabalhavam no Vale dos Reis. perdeu boa parte de suas terras. Os faraós mandaram erguer imensos exemplos por todo Egito. prejudicado por uma série de faraós fracos depois de Ramsés III. eram bem escondidos de possíveis ladrões de sepulturas. O equilíbrio do poder político na Ásia mudou.Rainhas.

Devido à turbulência contínua na Ásia. em busca de terras férteis. Alexandre III .C. Depois de governos tempestuosos de líbios e cushitas. Dinastia Macedônica 332-304 a. os assírios invadiram o Egito e assumiram o controle. os assírios não adotaram o título de faraós e consideraram o Egito uma província de seu império. os sacerdotes de Amon ganharam poder e acabaram por usurpar o trono. Internamente. que passaria outra vez para o domínio estrangeiro. eles não permaneceram no poder por muito tempo. viria a governar brevemente o Egito. Nectanebo. Um egípcio. Ao contrário dos invasores estrangeiros anteriores. Período Ptolomáico Dinastias Macedônica e Ptolomáica 332-30 a. o Egito passou por muitas mãos e foi governado em diversos momentos por babilônicos e persas.egípcio.C. No entanto.

Ptolomeu I Sóter Ptolomeu II Filadelfo Ptolomeu III Evérgeta Ptolomeu IV Filopator Ptolomeu V Epifânio Ptolomeu VI Filometor Ptolomeu VII Neos Filopator Ptolomeu VIII Evérgeta II Ptolomeu IX e Cleópatra III Ptolomeu X Alexandre I e Cleópatra III Ptolomeu IX Sóter II .C.Filipe Arrhidaeus Alexandre IV Dinastia Ptolomáica 304-32 a.

Alexandre. repartiu o império entre outros militares e ascendeu ao trono do Egito.Cleópatra Berenice Ptolomeu XI Alexandre II Ptolomeu XII Neos Ptolomeu XII Auletes Cleópatra VII Filopator Ptolomeu XIII Ptolomeu XIV Ptolomeu XV Caesarion Em 332 a. que nos próximos cem anos tornar-se-ia a maior e mais opulenta cidade do mundo. Ptolomeu nomeou-se faraó e declarou a . Após a morte prematura de Alexandre. além do mais rico e movimentado porto. o Grande.C. iniciou a construção de Alexandria. Durante sua breve estada. um de seus generais. com um farol que faz parte das sete Maravilhas do Mundo Antigo e uma biblioteca que reunia a maior coleção de manuscritos do mundo. tomou posse do Egito sem luta. com um grande centro de aprendizagem da cultura clássica. Ptolomeu.

anexando novos territórios ao Egito (coisa que não era feita há séculos). em que os assassinatos eram constantes. Ptolomeu II era chamado de Filadelfo ("amante da irmã"). pois só gostava de tocar flauta e evitava os deveres como rei do Egito. Ptolomeu III conquistou a Babilônia e a Pérsia. para ele não era tão importante seu monumento na ilha de Philae que mandou esculpir seu nome em grego para que seus amigos o pudessem ler.independ6encia egípcia. Durante os 250 anos seguintes. Passou a predominar na família real uma brutalidade singular. . o Egito foi governado como país independente. cortou o corpo em pedaços e o enviou para a mãe do garoto como presente de aniversário. esses gregos tornaram-se inescrupulosos a ponto de perder a maioria das possessões egípcias. Mas. Ele matou seu próprio filho. decorou seu quiosque em Philae com cenas de banquetes e dos deuses tocando instrumentos. Surgiu então um novo período de florescimento para o país do Nilo. Ptolomeu XII era chamado de Auletes ("o tocador de flauta"). Ptolomeu VIII só pensava em festa. Os primeiros Ptolomeus foram bons regentes. Ptolomeu V conseguiu perder todos os territórios estrangeiros. pois casou-se com a irmã Arsione. mesmo que esses não fossem o da população local. com o passar do tempo. com seus próprios interesses. trazendo grandes tesouros ao Nilo.

sob o controle dos lágidas há três séculos. 395 d. No entanto. O reino. seus ideais de conquistas e ambições provocaram a ira do influente Império Romano em ascensão.Este último era o pai de Cleópatra VII. foi transformado em província romana e submetido aos decretos do Senado de Roma. Governantes Romanos (Apenas os nomes daqueles que foram registrados em hieróglifos) Augusto Geta Tibério Caio (Calígola) Macrino Cláudio Diadúmeno Nero Severo Alexandre . Ela foi à única ptolomáica que se identificou com os egípcios e tinha a ambição de restaurar o poder faraônico e a influência de seu país sobre o resto do Mediterrâneo.C. Com a morte de Cleópatra. a mais famosa mulher da história e uma excelente governante.C. Período Romano 30 a. o Egito faraônico deixou de existir.

C. o Egito faraônico morreu.Galba Gordiano III Oto Filipe Vespasiano Décio Tito Galo e Volusiano Domiciniano Valeriano Nerva Galieno Trajano Macriano e Quieto Adriano Aureliano Antonino Pio Probo Marco Aurélio Diocleciano Lúcio Vero Maximiano Cómodo Galério Sétimo Severo Caracala Com a morte de Cleópatra VII. o imperador romano Augusto transformou o país em mera província romana. Em 30 a. Embora tenha permitido que a cultura local fosse .

o povo já não adorava seus governantes como deuses. através da Pedra de Roseta.C. Templos foram destruídos. os Árabes conquistaram o Egito e.desde então. mais precisamente o culto à deusa Ísis. Seus sacerdotes (os remanescentes conhecedores da língua hieroglífica) foram mortos ou silenciados. e a língua egípcia com eles. esse único elo restante foi finalmente apagado. o Egito foi considerado uma província pagã.mantida. ele se encontra como conhecemos hoje. Cidades Egípcias . Após a queda do Império Romano. O único elo entre a cultura egípcia original e o Egito romano era a religião. Em 395 d. Assim. com a tradução das linguagens hieroglíficas e demótica por Jean-François Champollion. O imperador Constantino impôs o Cristianismo como a religião oficial do Estado. encontrada pelas tropas de Napoleão. imagens de deuses apagadas e esquecidas. O conhecimento profundo sobre o Egito Antigo só seria novamente revelado em 1922.

Hoje.C. o Grande. trens.A seguir têm-se os nomes das principais cidades do Antigo Egito mais importantes desde o começo até o fim de todo o "Império".C. conquistou e fundou Alexandria em 322 a. Estradas. os generais deles dividiram o Egito em três dinastias principais. em 323 a. Alexandria é o porto marítimo mais avançado do Egito e sua segunda maior cidade. foi ultrapassada pela cidade do Cairo em tamanho e importância. .. entretanto. . Depois da morte de Alexandre. e linhas aéreas conectam esta cidade com o Cairo.Alexandria Mais de 2000 anos atrás Alexandria era a capital e a maior cidade do Egito. Alexandre. A cidade litorânea foi projetada para controlar o comércio no Mediterrâneo entre a Grécia. que era o centro do império de Alexandre e a nova província egípcia capturada.

casa das Musas) guardou meio milhão de manuscritos. Um farol foi construído na entrada do porto. tinha uma altura aproximada de 120 metros e foi considerado uma das Sete Maravilhas do Mundo. isto é. A biblioteca da antiga Universidade (chamado de Museu. A cidade era um centro renomado de ensino. ficando conhecida como geometria euclidiana. . Alexandria era um porto muito movimentado e um centro difusor da cultura grega.Farol de Alexandria: Uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo Ptolomeu assumiu o governo do Egito com Alexandria como sua capital. Sob a Dinastia Ptolomaica. a maior coleção de escritos clássicos da antigüidade. Euclídes escreveu seu texto sobre geometria em Alexandria.

juntamente com a ilha de Rodes e com o Cairo. . A sudoeste da cidade encontram-se as três grandes pirâmides dos faraós: Khufu. Alexandria. O Islã substituiu o Cristianismo como a religião principal. depois. A grandeza da Alexandria antiga terminou com a conquista árabe em 624 d.C. pirâmides menores. . aproximadamente 2613 a 2494 a. Giza era parte de uma linha de defesa do império. Durante o domínio muçulmano.Na era Cristã. Os árabes construíram uma capital nova. As indústrias de Giza são diversas. Outros monumentos incluem a Esfinge.C. Cairo. Khafre e Menkaure que datam da 4ª Dinastia. estes homens se uniram para formar comunidades monásticas poderosas.Giza É um subúrbio da capital egípcia.Tanis . tumbas e templos. e negligenciaram a cidade mais velha. Muitos cristãos se mudaram para o deserto para viver como ermitões. Alexandria logo desfrutou de proeminência no mundo romano como o centro difusor do Cristianismo.

Amon. Apesar dos reis da 12ª Dinastia morarem em Menphis. . e tornou-se novamente a capital do Império Egípcio durante as 17ª e 18ª Dinastias.C Em 1866 o egiptologista alemão Karl Lepsius achou. mesmo assim. que era controlada por sacerdotes militaristas. mas. continuavam a honrar o deus de Tebas. em Tanis. A cidade permaneceu importante até que a inundação do Lago Tanis (agora lago Mazala) acarretou seu abandono gradual durante o 4º século d. foi escrito em hieroglífico e em grego. uma inscrição conhecida como o Decreto de Canopus. recuou e agora consiste nas aldeias de Luxor e Karnak. Os reis da 19ª e 20ª Dinastias viveram mais ao norte mas.Cidade do Egito Antigo localizada no delta oriental do Nilo. Tebas.C. .Tebas Capital do Egito Antigo. depois disso. foi dominada pelos assírios em 661 d. era o principal porto marítimo e a capital do Egito na 21ª Dinastia. Tebas continuou sendo um centro importante até o domínio grego. Como o império começou a enfraquecer (1200 a. continuaram a dedicar sua atenção à Tebas.). como a Pedra de Rosetta.C. Tebas aumentou sua importância quando serviu como lar para várias famílias reais da 11ª Dinastia.

a sociedade se dividia em algumas camadas. cada uma com suas funções bem definidas. . e as tumbas finamente enfeitadas de altos funcionários do Egito Antigo. Sociedade No Egito. é o maior. Nessa sociedade a mulher tinha grande prestígio e autoridade. cobrindo cerca de 133 acres e representando quase 2000 anos de construção egípcia.Em Luxor localizam-se o famoso Colosso de Amenhotep III. O Templo de Amon. o Vale dos Reis e Rainhas. em Karnak. o Ramesseum e outros templos do necrotério real. Alguns monumentos de Tebas são muito bem preservados.

e aceito como filho de deus ou como o próprio dês. divina. o gado e todos os animais tudo lhe pertencia. tesoureiro. O faraó era um rei todo-poderoso. os desertos. Era ele que decidia e dirigia tudo. Os campos. não podendo estar em todos os lugares. sacerdote. as mulheres. mas. juiz. A sagrada figura do faraó era elemento . as minas. Isso porque ele era visto como uma pessoa sagrada. isto é. os canais. governo em nome de deus.Pirâmide social do Egito Antigo Os Faraós eram Reis e Deuses No topo da pirâmide vem o faraó. distribuía encargos para centenas de funcionários eu o auxiliavam na administração do Egito. com poderes ilimitados. É o que se chama de governo teocrático. os homens. general. s rios. Ele era ao mesmo tempo rei. proprietário do país inteiro.

guardadores dos segredos das ciências e dos mistérios religiosos relacionados com seus inúmeros deuses.básico para a unidade de todo o Egito. . pois administravam as riquezas e os bens dos grandes e ricos templos. Eram também sábios do Egito. O povo via no faraó a sua própria sobrevivência e esperança de sua felicidade. Os Sacerdotes Os sacerdotes tinham enorme prestígio e poder. tanto espiritual quanto material. altos funcionários e ricos senhores de terras. A Nobreza A nobreza era formada por parentes do faraó.

fenícios. O comércio forçou a construção de grandes barcos cargueiros. aprendiam a ler e a escrever e se dedicavam a registrar. . Faziam belas peças de adorno. Já os comerciantes se dedicavam ao comércio em nome dos reis e nobres ou em nome próprio. máscaras funerárias Trabalhavam muito bem com madeira. ferro. como cretenses. bronze.Os Escribas Os escribas. povos da Somália. da Núbia. utensílios. Os artesãos e Comerciantes Os artesãos trabalhavam especialmente para os reis. vendendo ou trocando produtos com outros povos. para a nobreza e para os templos. cobre. estatuetas. documentar e contabilizar documentos e atividades da vida do Egito. provenientes das famílias ricas e poderosas. comprando. ouro e marfim. etc. da Síria.

Faziam pão. . cerveja e vinho. O Egito ra essencialmente agrícola. Os camponeses prestavam serviço também nas terras dos nobres e nos templos. O Nilo oferecia peixes em abundância. colheita e armazenamento dos grãos. lentilhas. os trabalhos de irrigação.Os Camponeses Os camponeses formavam a maior parte da população. pois não sobrava terra e vegetação suficiente para criar muitos rebanhos. Viviam em cabanas humildes e vestiam-se de maneira muito simples. O pagamento geralmente era feito com uma pequena parte dos produtos colhidos e apenas o suficiente para sobreviverem. As cheias do Nilo. pois todas as terras eram do governo. À custa da pobreza dos camponeses era cultivado trigo. semeadura. obrigavam os camponeses a trabalhos pesados e mal remunerados. Os trabalhadores dos campos eram organizados e controlados pelos funcionários do faraó. árvores frutíferas e videiras.

na maioria. Faraós O Antigo Egito era governado por faraós que. capturados entre os vencidos nas guerras. surgindo assim dois faraós) e de toda a produção agrícola. no delta do Nilo. eram considerados deuses. por exemplo. os mandatários do Baixo . além de monarcas. Eles eram donos de todas as terras do Egito que eles governassem (isso se deu devido à separação do Alto e do Baixo Egito. O Egito era dividido em dois: o Baixo Egito.Os Escravos Os escravos eram. mais poderoso e ligado ao comércio. como nas pir6amides. Esses reis são divididos em dinastias que se sucederam nas várias épocas da história egípcia. essencialmente agrícola. Foram duramente forçados ao trabalho nas grandes construções. e o Alto Egito. Durante as primeiras dinastias.

Egito usavam uma coroa vermelha e os do Alto Egito uma coroa branca. A coroa azul era usada como escudo de guerra. Coroa vermelha do Baixo Egito Coroa branca do Alto Egito Coroa da unificação do Alto e Baixo Egito Coroa azul usada durante a guerra Um dos primeiros faraós a ser desvelado para o mundo atual foi Menes (sua tumba foi descoberta em 1897). Os monarcas casavam-se com membros da própria família real porque não queriam dividir o poder com outros clãs. Thutmose II .

politeísmo voltou a tona. Entretanto. quando Thutmose II morreu o filho dele. Eles construíram grandes estátuas a Aton e ordenaram que estátuas que honrassem qualquer outro deus fossem destruídas. com uma outra esposa. Sob o domínio dos romanos. Porém. Tutankhamon só tinha nove anos quando se casou com a filha de Akhenaton e Nefertiti. provavelmente. Ahkenaton e a sua rainha Nefertiti implantaram o monoteísmo no Egito. Hatshepsut foi designada regente por causa da pouca idade do menino (o regente governava para o faro caso lê ainda não tivesse idade para ocupar o cargo). Hatshepsut administrou os negócios da nação. matando Hatshepsut destruindo todos os santuários e estátuas que homenageavam a antiga governanta. Thutmose III se tornou faraó. o deus Sol. O "rei menino" nunca se tornou um "rei adulto" porque morreu devido a uma pancada na cabeça provocada.casou-se com sua meia-irmã Hatshepsut. Thutmose III revoltou-se e tomou trono à força. Hatshepsut e Thutmose III governaram juntos até que Hatshepsut se declarou faraó. cabe ressaltar a mais famosa . o faraó teve um filho. Thutmose III. Após a morte do casal real. Vestida em trajes masculinos. por disputas pelo trono real. obrigando a adoração a Aton.

ele se deparou com um excessivo poder clerical. Os sacerdotes de Heliópolis desejavam que Rá fosse o deus-supremo de seu reinado.Reis Egípcios Abaixo segue uma lista com os nomes dos principais regentes do Antigo Egito. . desejavam Ptah e os de Tebas. não escolheu nenhum dos deuses sugeridos. Aton ("Raios do Sol"). Amon. um deus até então secundário. os hierofantes de Mênfis. O conflito com os sacerdotes de Amon foi tão grande que Amenófis IV muda a capital do Egito e confisca todos os bens dos . mas sim.Akhenaton Quando Amenófis IV (Akhenaton) recebeu a coroa. tentando neutralizar o poder religioso dos sacerdotes. Amenófis IV. por sua vez. que deixaram suas marcas permanentes na história.

foi uma forma de pressionar o povo a abandonar o politeísmo. em substituição ao panteão de deuses até então existentes. Ele próprio muda seu nome. provocou o enfraquecimento de seu reinado. retirando Amon (Amenófis IV) e colocando Aton (Akhenaton). uma desintegração do Egito como império. combinado com a oposição dos sacerdotes politeístas. e suas duas filhas prestando homenagem a Aton (Deus-Sol) As reformas propostas por Akhenaton visavam a implantação do monoteísmo no Egito.templos de Amon e repassa-os para Aton. a transferência da capital do país de Tebas para Akhetaton. Todo o tempo dele era dedicado à implantação das mudanças religiosas ocorrendo. Nefertiti. Isto. . além do mais. As reformas de Akhenaton não sobreviveram por muito tempo. Imagens e inscrições de outros deuses foram todas destruídas. Akhenaton. daí.

Depois da morte de Akhenaton, a capital do país voltou a ser Tebas, bem como, os deuses anteriores restabelecidos. Cabe ressaltar que Aton, idealizado por Akhenaton, foi o primeiro deus verdadeiramente ecumênico, não apenas dos egípcios, mas de todos os homens. Em última análise, Akhenaton tinha uma visão mais holística que Moisés, que pregava um deus único pertencente aos hebreus somente. Akhenaton é considerado o fundador da Ordem Rosa-Cruz.

- Cleópatra VII

Cleópatra VII, rainha do Egito, foi uma das mulheres mais fascinantes de todos os tempos. Ela tinha grande inteligência e beleza, usando-as politicamente em favor do Egito. Cleópatra assumiu o trono em 51 a.C. Em 48 a.C César desembarcou no Egito em perseguição ao seu rival, Pompeu. Quando Cleópatra soube que César estava em seu palácio em Alexandria, ofereceu um tapete como um presente. Cleópatra teve com César um filho chamado Cesário, que significa "pequeno César". Quando César voltou a Roma, ela o seguiu com o bebê e morou na vila de César fora de Roma onde ele constantemente a visitava.

Cleópatra voltou ao Egito, em 44 a.C., após o assassinato de César. Cleópatra nomeia seu filho Cesário como novo faraó após a morte do regente egípcio, provavelmente envenenado por ela. O Império Romano foi tomado pela guerra civil que se seguiu após a morte de César. Marco Antônio, sucessor no trono romano, chamou Cleópatra para responder sobre um suposto auxílio que ela estava dando aos seus inimigos. A rainha chegou, vestida como Ísis, numa barcaça magnífica; ela deu boas-vindas a Marco Antônio com festas e entretenimentos. Fascinado por ela, ele a seguiu até Alexandria. Depois de um inverno festivo com Cleópatra, Marco Antônio voltou a Roma. Ele se casou com Octávia, irmã de Otaviano (depois chamado de Augustus), contudo, ele ainda amava Cleópatra. Otaviano descobriu a relação entre Marco Antônio e Cleópatra e declarou guerra aos dois. Marco Antônio e Cleópatra juntaram 500 navios, que ficaram bloqueados por Otaviano ao largo da costa oeste da Grécia, em 31 a.C., fato este, conhecido como Batalha de Actium. Cleópatra escapou do bloqueio e Marco Antônio a seguiu, mas a frota deles se rendeu. No ano seguinte, Otaviano atacou Alexandria e novamente derrotou os dois. Marco Antônio morreu nos braços de Cleópatra e ela, após, cometeu suicídio através da picada de uma serpente venenosa.

y

Tutankhamon

Ele só tinha 18 anos quando morreu. Tutankhamon (originalmente Tutankhaton) deve sua fama principalmente ao fato da descoberta de sua tumba completamente intacta em 1922. Os artefatos notáveis da tumba, inclusive a sua máscara funerária, estão à mostra no Museu Egípcio do Cairo.

Máscara funerária de Tutankhamon

Tutankhamon era possivelmente o filho de Amenófis IV e de sua esposa Nefertiti. Tutankhamon se tornou faraó após a morte do pai (1362 a.C.) e se casou com sua meia-irmã Ankhesenamon, para solidificar a sua ascensão ao poder. A morte de Tutankhamon foi súbita e surpreendente, ao deixando nenhum herdeiro. Ele foi enterrado no Vele dos Reis, em Luxor.

Jamais me sujeitarei a desposar um dos meus servos e tenho medo dos demais " Zannanza. Das 60 tumbas do Vale dos Reis só a de Tutankhamon não foi descoberta e seus tesouros roubados. foi enviado para casar com Ankhesenamon. viúva de Tutankhamon. Ele será o meu esposo e o Rei do Egito. provavelmente responsável pela morte do príncipe hitita e de Tuthankhamon. filho do rei hitita. . manda uma carta ao rei hitita Suppiluliuma onde relata suas preocupações: " o meu consorte morreu sem deixar herdeiros. Como o prazo de setenta dias necessários para o sepultamento de Tutankhamon tinham se passado e não havia nenhum herdeiro legal.Ankhesenamon. Ay. mas foi morto ao ingressar em terras egípcias. o vizir de Tutankhamon casou-se com Ankhesenamon. junto com o de outros faraós da mesma dinastia. em sua ambição de chegar ao poder do Egito. tem muitos filhos. sendo ele. Não foi descoberto mais cedo em parte porque o nome dele. Tu. Se aceitas enviar-me um dos Teus filhos. pelo que se diz. estavam ausentes das listas reais da 19a Dinastia.

. Assim que o templo ficou pronto.Djoser Era o segundo rei da 3a Dinastia. seu Sumo-Sacerdote sugeriu que ele erguesse um templo ao deus Khnum em Elefantino. onde retrata ele e sua mulher Ankhsenamon sendo atingidos pelos raios solares.Foto do encosto do trono real de Thutankhamon. filho de Khasekhem (Khasekhemwy). ele regeu durante quase duas décadas e construiu a pirâmide de Saqqara. Durante o seu reinado. . e Djoser e Imhotep foram imortalizados por esse ato de fé. Também conhecido como Netjerykhet. o Egito enfrentou sete anos de escassez de água e Djoser pediu ajuda a Imhotep para solucionar o problema. milagrosamente. a escassez de água terminou. projetada pelo seu vizir Imhotep.

Quatro anos após Ramses II ter sucedido seu pai. é bastante conhecido. Ela parece ter morrido comparativamente cedo. e marchou para a faixa de Gaza para enfrentar um exército hitita com quase o dobro de soldados. mostra o afeto que existiu entre eles. pediu um tratado de paz. o mais pequeno lhe ter sido dedicado. Outra função dos faraós era travar batalhas constantes contra os invasores do Alto e do Baixo Egito. invadiram o Baixo Egito pelo norte. em Tebas. e à Deusa do Amor. A sua primeira e favorita rainha foi Nefertari. os inimigos de sempre dos egípcios. O fato de. Seti I. Depois de muitas mais escaramuças. aos 25 anos. igual. e o seu belo túmulo. quase nada se sabe. os Hititas. em Abu Simbel. O inexperiente faraó juntou rapidamente um exército de 20000 homens. em termos territoriais. No entanto foi muito ajudado pelo se casamento com Maat-Hor-Neferure em 1246 . que o Egito aceitou.Ramses II Da sua vida pessoal. Este tratado durou o resto da vida de Ramses. no Vale das Rainhas. no reinado. A batalha acabou. o sucessor de Muwatalli. Hatuusilis III. durante cerca de quinze anos..

Numa época em que a expectativa de vida era. o faraó casou com outra filha do rei Hitita cujo nome se desconhece. Múmia de Ramses II . idade em que. Ramses deve ter parecido quase imortal ao viver até os 92 anos. finalmente e faraó vai para o "Mundo de Osíris". em média. mais tarde..a. casamento este que por pouco não se realizava por causa de divergências quanto ao dote.C. de 40 anos. Sabe-se também que.

o deus do Ar. no qual se destacam: Ptah. Num A religião foi uma instituição dominante em todos os aspectos da vida egípcia.Estátua de Ramses II Religião Segundo a gênese egípcia. Ísis e Néftis. a deusa da Umidade. iluminou todo o Caos inicial e originou seus dois filhos divinos: Shu. foi acentuadamente politeísta. . e Tefnet. deusa do Céu. o mundo primordial era composto de um oceano primitivo (Num) e um botão de lótus. Deles nasceram Gheb. que continha Rá (deus sol). deus da Terra. Rá ao se libertar. representado pelo boi Ápis. Gheb e Nut tiveram quatro filhos: Osíris. cada localidade possuía seus próprios deuses. Seth. A princípio. A unificação política do país reduziu os inúmeros deuses locais a um conjunto de grandes deuses nacionais. e Nut.

Hórus. Recuperando a vida. o próprio Nilo e seu nome estava ligado a uma lenda na qual seu irmão Seth o assassinara. Com morte prematura de Amenófis IV. deus do vale dos mortos e da mumificação. filho do casal Osíris e Ísis. Anúbis. onde julgava os mortais de acordo co suas ações na terra. muitas vezes. deus da escrita e do tempo. sendo que o sucessor de Amenófis IV trocou o nome de Tutankhaton para Tutankhamon. divindade celeste. Ikutaton "horizontes de Aton". Maat. A tentativa de implantação do monoteísmo na religião egípcia foi feita por Amenófis IV. graças a sua esposa Ísis. Nut. . deus do céu e tronco da monarquia faraônica. Aton. thoth. a fim de dominar completamente o poderoso clero tebano devotado ao antigo culto de Amon-Rá. representado pelo disco solar. Hathor. criando um novo culto que personificava todos os deuses em um único. Simboliza. passou a habitar a morada dos deuses. deusa da justiça. no Tribunal de Osíris. Foi restaurado o culto a Amon-Rá. a reação sacerdotal contra a nova concepção religiosa fez-se sentir bem forte. deusa da magia. A divindade mais popular era Osíris. entre outros. Amenófis IV chegou a mudar a capital (Tebas) para uma nova cidade. reduzindo-lhe o corpo em pedaços.

Deuses Anúbis: o deus-chacal. protetor do embalsamamento. É considerado que Anúbis é o grande deus-necrópole. Anúbis era uma deidade com a cabeça de chacal. Anúbis . e cirurgiões. Anúbis era a deidade protetora que preparava o morto e curava o vivo. o preparador do caminho para o outro mundo". Anúbis colocava os corações deles em um lado de uma balança e uma pena (representando Maat) no outro. Quando os reis estavam sendo julgados por Osíris. curandeiros. que presidiu em cima do processo de embalsamamento e acompanhava reis mortos no pósmundo. na cura e em cerimônias de mumificação. Ele era o "senhor da Terra do Silêncio de Ocidente. O deus Thoth registrava os resultados que indicaram se o re poderia entrar no pós-mundo. a Terra dos Mortos.

teve sua cabeça decepada pela ira do . assassino de seu pai. luz. Quando se encontram. pediu que Hórus poupasse a vida de seu tio mas. a morte. Osíris é rei. céu. Ísis.Osíris: a história de Osíris pode ser interpretada de várias maneiras: primeiramente. terra. destruído e ressuscitado evoca o retorno da cheia todos os anos. ele é o deus dos mortos e do renascimento. Ísis tenta restituir-lhe a vida abanando suas asas sobre o marido. Derrotado. que era irmã de Seth. esposo e pai: ele representa a existência das estruturas normais da sociedade humana. a deusa é fecundada divinamente e fica grávida de Hórus. Outra versão: Osíris morto. o renascimento da vegetação e dos seres humanos. sua geração é a ultima a nascer e não representa mais elementos materiais do mundo (espaço. como resposta. Osíris Hórus: após encontrar o corpo de Osíris. Por essa razão.. Na maioridade. Hórus reúne os fiéis súditos de seu pai e sai à procura de seu tio Seth. nos relatos da criação do mundo. lutam por três dias e três noites.. Seth arranca o olho esquerdo de Hórus e a Lua deixou de brilhar no Egito. Nesta tentativa.).

estava relacionado ao juízo das almas no mundo inferior. No solstício de inverno. a imagem de Hórus. Osíris". apresentando as almas ao Juiz Divino. bem como. O conflito é resolvido num tribunal presidido por Thoth que durou oitenta anos. Thoth deu o Baixo Egito para Hórus e o Alto Egito para Seth. Thoth intervém no conflito curando Ísis e Seth. era retirada do santuário para ser exposta à adoração da multidão. não possuindo uma contrapartida feminina. Hórus é uma divindade solitária. sob forma de menino recém-nascido. Era considerado id6entico e feito "da mesma substância de seu pai. restituiu o olho perdido de Hórus. Assim como seu pai. Hórus . Escaravelho de Hórus Como sentença final.filho.

como uma vaca ou uma mulher. freqüentemente. Doce é seu amor em nós". Produz abundância e a distribui pela Terra. identificada. O céu e a Terra encontram-se sob sua presença imediata. mulheres. . era cultuada em Mênfis. a deusa do amor. com Afrodite. fertilidade. Há muitos mitos que cercam a deusa Hathor. Fora enviada por Rá para limpar a terra. e também a protetora. Governa todos os seres humanos. é a deidade protetora da região mineira do Sinai. ela pediu para descansar e se tornou o equivalente à forma grega de Afrodite. pelos gregos. Cusae. Dendera.Uma antiga oração para Hórus: "Por ele o mundo é julgado naquilo que contém. Todos adoram sua beleza. Depois matar todos que são opositores de rá. Olho de Hórus Hathor: deusa de muitas funções e atributos. o "Um Dourado". ou como uma mulher com cabeça-vestido cornudo. O Sol dá volta segundo sua vontade. representada. Guebelein.

É Maat. Maat é a deusa da verdade e da justiça. direito e conduta em ordem. É dito que no julgamento do morto.Hathor Maat: deusa da verdade. ela segura as balanças que pesam o coração humano. representada como uma mulher com uma pena de avestruz na cabeça. a nós será feito". que protege os tribunais. Maat nos lembra que o que fizermos aos outros. Maat .

Anúbis.Néftis: irmã de Ísis. ela ajuda e protege os mortos. representada como uma mulher. agiu como lamentadora para Osíris e conseqüentemente para outras pessoas mortas. Ísis. Mênfis. Quando seth descobriu quem era o pai. com Ísis. uma das quatro deusas protetoras que defendiam os caixões e o Canopus. É venerado pelos trabalhadores manuais. particularmente pelos ourives. Ela é representada como uma fêmea com um hieróglifo do nome dela em sua cabeça. Junto com a irmã dela. Néftis Ptah: era o deus protetor da antiga capital do Egito. sendo o criador das artes. Néftis é a filha de Nut. o deus da desordem. ele assassinou Osíris. Tem como esposa a deusa guerreira . e Néftis uniu-se a Ísis na procura do corpo de Osíris. com quem ela teve uma criança. Porém. as lealdades dela se fez inválidas. irmã de Ísis e esposa de Seth. pois deitou-se com Osíris.

portanto. ele emergiu da escuridão numa flor de lótus. Criou a bondade no mundo em contrapartida ao mal produzido por . Amon produziu-se a si mesmo. Esta flor ao abrir-se. iluminando tudo que existia. Amon e considerado o Sol espiritual do mundo. "incriado". sendo. criado a partir do cós inicial (Num).Sekmet e por filho o deus Nefertum. cheio de mistérios e senhor do Universo. Ptah criou o mundo pela sua palavra após concebe-lo em pensamento. o deus Sol. Ptah Rá: o primeiro dos deuses. Foi um os deuses mais cultuados no antigo Egito. Também era conhecido como Amon-Rá. liberou toda a luminosidade de Rá.

.. da saúde e da força! Adoramos teu espírito. Senhor da existência. o único que nos criou. Criador do Homem. Senhor da verdade. que não teve a mesma capacidade de governar do pai. Todos os corações se abrandam ao contemplá-lo. Iluminador da Terra. Chu não tem um papel de destaque na mitologia egípcia. deixou a coroa do Egito para seu filho Chu.Seth. Pai dos deuses.. que navega tranqüilamente nos céus. Criador dos animais. . Soberano da vida. Este deus criou o mundo e o mantém vivo com a cama ardente de seu calor solar." Rá teve dois filhos: Chu e Tefnet. Rá Oração para Rá: "Senhor dos tronos da Terra.. Depois que Rá ficou muito velho.

somente a esperteza de Thoth faz com que ela volte aos céus. era uma pálida sombra de seu marido e. Seth e Néftis). Lá. Nut e Gheb (pais de Osíris.Chu casou-se com sua irmã Tefnet. ela encanta a terra e bebe profundamente o sangue das pessoas. Tefnet se torna um leopardo e deixa sua casa divina nos céus e dirige-se para o Egito. um dos poucos onde ela é caracterizada. A irmã-esposa de Chu. freqüentemente. O povo do Egito celebrava este dia em um grande festival. Tefnet. Ísis. Tefnet Em um mito. era representada como uma mulher com a cabeça de um leopardo. Rá costuma ser representado por um disco solar entre duas serpentes ou entre as asas de um falcão. Eles tiveram um casal de filhos que estavam predestinados a se apaixonarem. .

Dessa forma. a população fugiu para o deserto. Num transforma a deusa Nut numa vaca que. brilhava no reino das trevas (Duat). sustentada pelo deus do ar Chu. Sekhmet ficou fora de controle de Rá. desgostoso de reinar. o soberano chamou à sua presença a deusa Hathor e transformou-a em Sekhmet. temeroso de que ela iria eliminar toda a humanidade. deusa da guerra com cabeça de Leão. à noite. ele ficou cada vez mais velho e sua popularidade entre seus súditos começou a declinar. Rá. ele triunfava sempre.Uma lenda relata que Rá reinava num esplendido palácio no Egito iluminando a todos com seus raios solares e. A deusa da guerra pensando que fosse sangue bebeu este líquido e embreagou-se. resolve subir aos céus e chama Num para ajudá-lo. resolveu punir a todos e convocou uma reunião na qual estavam presentes todos os deuses de seu panteão. . Rá devia combater todos os dias a serpente do mal Apópis. Com medo da ira de Rá. Rá salvou a humanidade das mãos da terrível Sekhmet. que iniciou uma matança geral no Egito. não reconhecendo mais os homens. Rá indignado com os egípcios. leva Rá para a morada dos deuses. mandou que suas escravas preparassem uma cerveja com grãos vermelhos. que representava as trevas e as tempestades. Mas com o passar dos anos.

A serpente mordeu Rá e Ísis só poderia cura-lo se soubesse o verdadeiro nome de Rá. Ela é também conhecida como a Rainha do Céu (semelhante a Astarde) e regimenta em cima de todos os assuntos relativos a vida. Durante este tempo. Ísis é a irmã de Néftis com quem ela agiu como um Mourner divino para o morto e é divinamente representado pelo Ankh. Neste mito. Outros dos mitos relacionam Ísis. Ísis vai achar estes pedaços enquanto ela está agüentando hórus. Hórus nasceu e foi vingar a morte de seu pai matando seth. foi escrito que ela descobriu o nome de Rá encantando uma serpente venenosa para morde-lo. Ísis: Ísis é conhecida como a mãe divina e como esposa de Osíris e mãe de Hórus. . No Novo Império. Osíris se tornou o senhor dos mortos. No mito da origem de Rá e o mundo. Filae era a principal região para o seu culto. determinado todo o poder mágico dela e era conhecida como a feiticeira divina. então.entretanto. Osíris e Hórus. Seth mata Osíris e difunde o corpo dele em dezesseis pedaços ao redor do mundo. e Hathor). Ísis viveu dali em diante como uma lamentadora divina na terra e no céu. Ísis é uma das quatro grandes deusas da proteção (Bastet. acontecia o eclipse solar (domínio de Apópis). guardando caixões e Canopus. ela teve poder igual ao dele e era. Néftis. nos dias que vacilava na luta. maternidade e feitiçaria. Sabendo o nome de Rá.

Seth é uma deidade animal com uma conversa curvada. ele era responsável por matar o irmão dele. Seth é o descendente de Gheb e Nut. representado como um animal do tipo não identificado. No dualístico conceito egípcio do cosmo. Seth é colocado em justaposição com Hórus. Como o deus da desordem.Ísis Seth: o deus das tempestades e violências. o rival de Hórus. orelhas altas e uma cauda ereta com uma seta na ponta. e hipopótamo. asno. inclusive o porco. identificado com muitos animais. o irmão de Osíris e assassino do mesmo. O animal que ele representa não foi identificado. Osíris. o deus que regeu a terra com a ordem e estabilidade. semelhante em aparecimento com o deus Thoth. comparado pelos gregos com Tifon. . Ele às vezes é retratado com um corpo humano e uma cabeça de pássaro comprida.

palavras e ações dos homens durante a sua vida e as pesa na balança da justiça divina (carma). Ele anota todos os pensamentos. o juiz. cuja sabedoria e autoridade é marcante sobre todos os outros deuses. Thoth . ao contrário dos outros deuses que sofreram alterações no decorrer das dinastias egípcias. Permanece imutável desde a sua origem. É o deus escrevente.Seth Thoth: é o deus da sabedoria e do mistério.

. um sistrum. Ele que leva. e proteção. no Novo império. Bes é um protetor da família e é associado com sexualidade e parto. facas ou hieróglifos representando proteção. freqüentemente. Protetor contra serpentes e vários terrores. ela é vista segurando. comparada com a agressiva deusa-leão Sekhmet. de mulheres. freqüentemente. instrumentos musicais. Bastet Bes: uma deidade-anã com características leoninas. era considerada uma deidade beneficente. .Bastet: uma deusa-gato cujo o culto a ela era feito em Bubastis no Delta. Ela foi vista como a protetora dos gatos. Bastet representa os aspectos mais protetores da maternidade. Este Deus-anão tem uma grotesca face máscara-igual e lábios protraídos. Com um corpo de uma mulher e a cabeça de um gato. Apesar do aparecimento dele. Uma Deusa-gato. o ajudante de mulheres nos nascimentos de crianças. Visto como um deus doméstico.

Bes Apedemak: deus sudanês da guerra. Néftis e Neith. identificada com o calor abrasador do Sol. às vezes é mostrada como mulher com um escorpião na cabeça. . Ela era ajudada por Ísis. Apedemak Selkhet: uma deusa-escorpião. uma das quatro "deusas-protetoras" guardando caixões e Canopus. Descrito com cabeça de um leão e corpo de humano. O elefante e o gado eram sagrados para ele. Ela é a protetora do Canopus com figura de falcão.

pensou ter moldado o homem na roda de um oleiro. Ela é descrita. representada como uma mulher que usa a coroa vermelha. Neith Khnum: deus-carneiro de Elefantino.Selkhet Neith: deusa de Sais. o emblema dela é um escudo com setas cruzadas. Um cornudo- . junto com Ísis. deus da região-catarata. normalmente. Uma deusa com a guerra e suavidade. usando uma coroa vermelha do Baixo Egito. Neith é uma personagem importante do culto funerário. umas das quatro "deusas-protetoras" no qual defendia os caixões e Canopus. identificada pelos gregos como Atenas. Néftis e Selknet.

Khnum Sobek: deus-crocodilo. os humanos na roda.forte. Ele era o deus da Primavera Catarata do Nilo no Alto Egito e controlava a fertilidade enviando para a metade das águas do rio para o sul e outra para o norte. Sobek . que é descrito criando. freqüentemente. Khnum emergiu de duas cavernas no mundo subterrâneo no oceano de Num. Deus-carneiro. muito venerado no Baixo Egito. nos nomos próximos às margens do Nilo.

a esposa de Ptah. Sekhmet é . Nekhbet Ureu: Deusa-serpente venerada no Baixo Egito. ela leva a destruição aos inimigos de Rá.Nekhbet: deusa-abutre protegia com suas asas os soberanos do Alto Egito. Ureu Sekhmet: uma deusa-leão adorada na região de Mênfis.

e como tal.descrita como uma mulher com a cabeça de leão que usa um disco do Sol e um uraeus (naja). O nome dela significa "ela que é poderosa". Tauret . Ela era uma deusa importante na capital Tebana durante o Novo Império. Sekhmet Tauret: deusa-hipopótamo que protegia os nascimentos nesta e na vida além-túmulo. ela personifica os aspectos agressivos de deidades fêmeas.

a deusa da umidade. representado como um homem com a cabeça vestida com uma flor de Lótus. adorado em Mênfis como filho de Ptah e Sekhmet. Heqet Nefertum: o deus do loto e conseqüentemente de ungüentos. Tefnet simboliza o ar úmido ou corrosivo que provoca mudanças e cria conceitos de tempo. Shu e Tefnet são os . Seu marido deu forma aos homens a partir da argila. Nefertum Tefnet.Heqet: deusa cabeça de rã ligada ao parto e à ressurreição. com Shu que forma o primeiro par Heliopolitano.

uma forma do deus-sol). terra e humanos foram criados do caos dos quais a ordem foi criada. Num também foi visto como a água primordial da qual os deuses. um deus cósmico primordial. Num .descendentes de Rá (ou Atum. progenitor dos elementos do universo. Tefnet Num: deus do caos primordial.

após a união do deus Amon com Rá. mas não se tornou uma deidade estatal. Ele era associado com o deus Rá e venerado como deus Amon-Rá. os animais sagrados deles eram o carneiro e o ganso. é identificado com Rá. representado como um homem. a esposa dele. representaram a Tríade Tébana. Amon subiu em proeminência. Amon-rá Amon: chefe dos deuses durante o Novo Império. a família sagrada de Tebas. e o filho deles. Amon . Amon foi descrito como um homem com duas plumagens altas que sobem sobre sua cabeça. Mut. Khonsu. Ele. ou como um carneiro ou um ganso.Amon-Rá: o grande deus de Tebas de origem incerta. o sol.

Ammit Anat: deusa de origem Síria. possui caráter bélico. quando o coração deles forem mais pesados no pós-mundo. à frente de um leão e a cabeça de um crocodilo. é representada como uma mulher que segura um escudo e um machado. Ammit "devorava" os corações dos que foram julgados culpaos. Anat .Ammit: descrito como sr que possui o "traseiro" de um hipopótamo.

Ela também é freqüentemente conhecida como a Rainha do Céu e o culto dela em tempos se sobrepuseram aos adoradores de Ísis. . introduzida no Egito durante a 18a Dinastia. Anukis Arsaphes: deus-carneiro de Heracleópolis. a esposa de Khnum. Arsaphes Astarte: deusa de origem Síria.Anukis: deusa da região-catarata em Aswan. representada como uma mulher com uma pena alta vestindo a cabeça.

Ele é o Senhor do Universo.Astarte Aton: deus do disco solar. . depois identificado com Rá. ele representa o rei do Egito que usa a Coroa Dupla do Egito. é representado como um homem. adorado como o grande deus criador por Akhenatom. Na forma humana dele. Atum é o deus sol como criador. Aton Atum: o deus-sol original de Heliópolis. Um deus cósmico primordial. a substância da qual toda a criação desfraldou.

Estes dois deuses encarnam os opostos. que fertiliza as suas margens. representado como um homem de peitos cheios. controlava a inundação anual do Nilo. que representa a terra seca. pesados. o sócio de Heliópolis. representado como um homem. uma aglomeração de papiros em sua cabeça e segurando mesas de oferendas. Gheb Hapi: deus do Nilo em época de inundação.Atum Gheb: o deus-terra. é o marido de Nut. uma imagem espelho das águas do mar. o que traz abundância. marido de Nut. Esta deidade é descrita como um homem que tem plantas na cabeça e que segura uma mesa de oferendas com produtos providos da terra. Hapi. O deus da terra. a deusa do céu e que representa o céu. . Gheb.

representado como uma criança desnuda usando a fechadura de mocidade e segurando um dedo em sua boca. identificado como o deus falcão e particularmente o protetor do Faraó. Harpócrates . Haroeris Harpócrates: uma forma recente de Hórus no aspecto de filho de Ísis e Osíris.Hapi Haroeris: uma forma de Hórus. o "Hórus mais velho".

Harsiesis: Uma forma de Hórus, especificamente designado "o
filho de Ísis".

Harsiesis

Hat-mehit: deusa-peixe da região de Mendes no Delta; às
vezes é representada como uma mulher com um peixe na cabeça.

Imhotep: o principal ministro divinizado de Dsojer e arquiteto
da pirâmide do Passo; no Novo império, fora venerado como o deus da aprendizagem e medicamento; representado como um homem sentado que segura um papiro aberto; comparado pelos gregos com Asclépios.

Imhotep

Khepri: o deus escaravelho-besouro, identificado com Rá como
um deus-criador, freqüentemente representado por um besouro dentro do disco solar.

Khepri

Khonsu: o deus-lua, representado como um homem; com
Amon e Mut como pai e mãe, eles formam a Tríade Tébana. Ele é freqüentemente descrito com a cabeça de um falcão sobrepujada com uma lua crescente e um disco lunar. Khonsu também é visto como uma mocidade com uma fechadura lateral no cabelo e uma lua crescente e um disco lunar em sua cabeça.

Khosu

Min: o deus primordial de Coptos; depois venerado como um
deus da fertilidade e aproximadamente associado com Amon; representado como uma estátua humana. Um humano ou um deus mumificador, Min é descrito com um falo ereto. Ele leva um mangual na mão direita, que se encontra elevada, e usa uma coroa com duas plumagens. Ele é o protetor da fertilidade e das viagens no deserto.

Month: originalmente a deidade local de Hermontis, sul de
Tebas; depois deusa da guerra do Faraó, representada com uma cabeça de falcão.

Mut: a esposa divina de Amon; o deu culto era feito na região
de Asheru, sul do templo principal de Amon-Rá em Karnak; originalmente uma deusa-abutre, depois normalmente representada como uma mulher. Mut, Amon, e seu filho, Khonsu, representavam a Tríade Tébana, a família sagrada de Tebas.

Mut

Neheb-kau: uma deidade serpente do submundo. Neheb-kau Nut: a deusa-céu esposa de Gheb. representada como uma mulher. o corpo desnudo dela é curvado para formar o arco dos céus. Nut é retratada como uma mulher de corpo curvado coberto com estrelas. o deus-terra. Nut . Ela é filha de Shu e Tefnet. às vezes representado com o corpo de um homem segurando o olho de Hórus.

representado como Osíris mumificado. morte e o pós-vida. . representado como um homem. incorporando os deuses principais da criação. encarnando as características de Rá e Hórus. Rá-harakhty Ptah-seker-osíris: deidade composta. Onuris Rá-harakhty: Um deus na forma de falcão.Onuris: deus do Isto no Alto Egito. o caçador divino.

de origem síria. Qadesh Reshef: deus da guerra e trovão.Path-seker-osíris Qadesh: deusa de origem síria. Reshef . freqüentemente representada como uma mulher que se levanta em um leão.

Sarapis Satis: uma deusa da Ilha de Siheil na região-catarata. representada como uma mulher que usa uma coroa branca com um chifre de antílope. Seshat: a deusa da escritura. representado como um homem barbudo que na cabeça um vestido de modius. a guardiã divina dos anéis reais. representada como uma mulher. a filha de Khnum e Anukis.Sarapis: um deus introduzido no Egito no período Ptolomaico que tem as características do deus egípcio (Osíris) e o grego (Zeus). Seshat .

progenitor dos elementos do universo. Shu simboliza ar seco e a força da preservação. a região de seu culto é em Mênfis. formou o primeiro par de deuses Heliopolitanos. Shu e Tefnut são os descentes de Rá (ou Atum. Tefnet. Juntos eles representam os dois princípios fundamentais da existência humana. um deus cósmico primordial. uma forma do deus-sol). Shu Sokaris: um deus com cabeça de falcão de necrópole.Shu: o deus do ar. Shu é um deus masculino que é emparelhado com a irmã dele. mostrado freqüentemente como um homem que separa Nut (céu) de Gheb (terra). Sokaris . com Tefnet.

protetor da fronteira oriental.Sopdu: o antigo deus-falcão deel-hena de Saft no Delta. depois foi identificado com Ptah. mostrada como uma mulher com uma estrela em sua cabeça. um deus-guerreiro. Sopdu Sothis: a estrela-cachorro Sírius. Sothis Tatjenen: o deus-terra primordial de Mênfis. representado freqüentemente como um guerreiro asiático. . defendida como uma deusa.

Unnefer: um nome que significa "aquele que é continuamente
feliz", dado a Osíris após sua ressurreição.

Unnefer

Wepwawet: o deus-chacal de Asyut no Médio Império; um
deus da necrópole e um vingador de Osíris.

Wepwawet

Magia
A crença dos egípcios na magia desempenhava um importante papel na maneira como concebiam e praticavam a religião. De fato, o

rigor com que realizavam as inúmeras cerimônias religiosas ou a forma como obedeciam às regras dos cultos religiosos, tanto quanto a devoção que punham na magia, emprestaram-lhes a reputação de ser, a um só tempo, os mais religiosos e os mais supersticiosos dos homens. A "magia" dos egípcios pertencia a duas espécies:

y

A que se empregava com propósitos legítimos e

com a idéia de fazer o bem aos vivos ou aos mortos.
y

A que se utilizava na promoção de planos e projetos

nefários, e se destinava a acarretar calamidades para aqueles contra os quais se dirigia.

É perceptível nos textos religiosos que a magia era utilizada a serviço da religião. Não havendo dúvida de que o principal destino dos livros de cerimônias mágicas era fortalecer os que, por um meio qualquer, obtinham conhecimentos suficientes para fazer uso delas. Os grandes resultados seriam logrados pelo uso de certas palavras, que, para serem eficazes, precisavam ser pronunciadas em tom de voz apropriado, por homem devidamente qualificado; tais palavras eram gravadas em alguma substância, como o papiro, as pedras preciosas e coisas assim, usadas pela pessoa, quando o seu

efeito se transmitia a qualquer distância. É como se quase todo homem, mulher ou criança no Egito, que estivesse em condição de faze-lo, trouxesse consigo um desses sortilégios ou talismãs, não é de se admirar que os egípcios, em um período muito primitivo, fossem havidos por uma nação de "mágicos e bruxos". Muitas vezes nos perguntamos o por quê de se preservar o corpo físico da decomposição, e na maioria das vezes, nossas respostas não se encaixam em uma época considerada tão "primitiva". Os egípcios acreditavam que a alma se eleva ao reino dos céus e se juntava aos deuses. Contudo, é certo que a conservação do corpo, de alguma forma, ou por alguma razão, se fazia absolutamente necessária, pois a arte da mumificação floresceu por milhares de anos e, a menos de haver uma boa razão, além do costume, e do uso tradicional, para que assim fosse, faros e sacerdotes, fidalgos e peões, ricos e pobres, nunca teriam inumado seus parentes e herdeiros com dispendiosas cerimônias fúnebres e a celebração de ritos inúteis. À primeira vista também nos parece estranho encontrar egípcios estudando co cuidado, a melhor maneira de fornecer aos mortos um suplemento regular de oferendas sepulcrais pois, quando refletimos no assunto, percebemos que me se tratando de bem-estar dos mortos, nada era deixado ao acaso.

já pela omissão das palavras de poder que deveriam ser ditas diante dele. mediante a execução de cerimônias mágicas e a recitação de palavras de poder. já pela execução negligente de alguma cerimônia. Acreditava que se alimentaria de comida celestial e imperecível como que se alimentavam os deuses. conterá várias orações e gravuras com fórmulas apropriadas. todos achavam melhor tornar a segurança duplamente segura. De maneira semelhante.Um papiro. em forma de oferendas de bois. . bolos. viesse a decair e perecer. em intervalos fixos durante o ano. pão e coisas assim. a fim de evitar que um deles viesse a ser acidentalmente esquecido e. não poupavam esforços nem despesas para que seu túmulo fosse abastecido. mas. cada uma das quais tem como objetivo. tentava. bichos de penas. fornecer ao falecido comida e bebida. ao mesmo tempo. tende naturalmente a se decompor. tomava-se o máximo cuidado ao mumificar-lhe os vários membros. fazer que o seu corpo corrutível durasse para sempre. como o corpo após a morte. de provisões perecíveis. sem embargo disso. por exemplo. lhe era acrescido. O egípcio declarava-se imortal e acreditava que gozaria a vida eterna em um corpo espiritual. qualquer uma delas teria sido mais do que suficiente para este fim. um ou mais da mesma classe. entretanto. pois se houvesse a menor dúvida acerca da eficácia de um capítulo.

todas as provas que agora estão prestes a ser exibidas. na inumação e na ressurreição de Osíris. Com efeito. deixassem de ser tão eficazes quanto o poder real do próprio Deus. procurava devolver-lhes aos membros a força para comer. e movimentar-se à vontade. pois acreditavam que estes também possuíam vida após a morte. na morte. em que ele confiava de maneira tão implícita. falar. e os mumificando. ou que as gravuras ou representações das cenas ocorridas na vida.Mumificava os seus mortos e enrolava-os em ataduras de linho e. em seguida. beber. Os egípcios também costumavam mumificar animas domésticos. poderiam servir os seus donos até mesmo neste noutro plano. pensar. pela execução de cerimônias mágicas e palavras de poder. popularmente conhecido como "Mundo dos Mortos". . hinos e orações que pretendiam afiançar a passagem segura e curta do falecido ao outro mundo. Livro dos Mortos O Livro dos Mortos era uma coleção de feitiços. parecem confirmar que nunca lhe foi possível persuadir-se de que os deuses pudessem arranjar-se se sua ajuda.

as aves sagradas de Amon. Então A alma é introduzida no tribunal de Osíris. Tribunal de Osíris O papiro de Nes-min mostra o que acontece com a alma após entrar no Tribunal de Osíris. O deus-chacal. ambas vestidas de vermelho. que determina o mérito do defunto para entrar na próxima vida. Após Anúbis receber o ataúde. Ísis está próxima à cabeça e Néftis dos pés da múmia. dá . O coração do defunto está sendo pesado na balança da deusa Maat. e os canopus. avaliando suas ações no plano terrestre. que contém a múmia do defunto. a alma se ergue e começa a adorar os quatro gênios do Oriente. Anúbis. o deus do mortos.O pergaminho de Nevolem relata o transporte da alma até Osíris: um barco leva o esquife negro. que representa a verdade e a justiça.

e a ti me apresento para contemplar as Tuas perfeições. Porque Te conheço. o da voz justa: Duplo Espírito. o deus-falcão. o secretário dos deuses. O defunto eleva as suas mãos em jubilo. dando o veredicto favorável ao morto. olha para o deus-íbis Thoth. restabelecendo o equilíbrio. Em sua frente está Ammit. Ammit A alma do morto.um voto a favor do defunto. conheço Teu nome e os nomes das quarenta e duas divinda des que estão contigo na sala da Verdade e da Justiça. Senhor da Verdade e da Justiça! A ti vim. deveria recitar a seguinte oração para cada um dos quarenta e dois deuses presentes no tribunal: "Glória a Ti. Grande Deus. vivendo dos despojos dos pecadores e fartando -se de seu sangue. acompanhado pela deusa Maat. Senhor da Verdade e da Justiça! Glória a ti. meu Senhor. um monstro com partes de hipopótamo. ao comparecer ao tribunal de Osíris. Senhor da Verdade e da Justiça é o Teu nome. no dia em que pesam as palavras perante Osíris. Hórus. crocodilo e leão. que o teria aniquilado caso o julgamento fosse desfavorável. Em verdade e u . enquanto isso.

não prejudiquei o escravo perante o seu senhor. hierofantes. senhores da Verdade e da Justiça. não subtrai as oferendas aos deuses. nobres. não fiz padecer de fome. O Ka. não cacei com rede as aves divinas. não pesquei os peixes sagrados em seus tanques. nada fiz de proibido. trouxe -vos a verdade e destruí. não menti em tribunal. todo ser humano possuía várias almas (Ba. não tirei leite da boca de meninos. não atormentei as viúvas. não apaguei o fogo sagrado. não violei o divino céu nas suas oferendas escolhidas. não fiz chorar. não tirei os pães do templo.conheço-vos. não estive ocioso. não roubei nem as provisões nem as ligaduras dos mortos. nada fiz de abominável aos deuses. etc) acreditava-se que as almas viravam as estrelas do céu. Akh. etc) e um Ka. não fraudei ninguém. A idéia da mumificação está . não afastei qualquer deus ao passar. não tive ganhos ilegítimos por meio de pesos do prato da balança. não obriguei o c apataz de trabalhadores a fazer diariamente mais que o trabalho devido. Quando um homem morria as suas várias almas libertavam-se e assumiam a forma de um pássaro com cabeça humana. uma espécie de corpo estéreo. por vós. seu Ka também seria. a mentira. não cortei a água em sua passagem. visitando-o regularmente nas tumbas mortuárias. Se o corpo fosse destruído pela decomposição. não fui negligente. Sou puro! Sou puro! Sou puro!" Para os egípcios. ficava próximo ao corpo. entretanto. Não cometi qualquer fraude contra os homens. não sei o que é má fé.não escorracei os bois das propriedades divina s. não ordene i morte à traição. não matei. Para os eleitos (faraós.

não fazendo uso. eram colocadas estátuas de madeira simbolizando o morto. y O mais luxuoso: primeiramente. extraiam o cérebro pelas narinas. limpava-os cuidadosamente e banhava-os com vinho de palmeira e óleos aromáticos. canela e essências variadas. de roupas e de tudo o que pudesse servir-lhe para continuar vivendo. do incenso. parte com um ferro recurvo. Faziam. era preciso mantê-lo com oferendas de alimentos. o . uma incisão no flanco com pedra cortante da Etiópia e retiravam. ao voltar a sepultura. Conta também que havia três tipos de mumificação com preços diferentes conforme o processo fosse mais ou menos complexo e descreve todos os procedimentos. Mumificação O historiador Herótodo conta que havia no antigo Egito pessoas encarregadas por lei de realizar os embalsamamentos e que faziam disso profissão. porém. ou seja. parte por meio de drogas introduzidas na cabeça. os intestinos.ligada a essa crença. Feito isso. Além disso. Para que o Ka. em seguida. O ventre era enchido com mirra pura moída. conservar o corpo do morto para que seu Ka continuasse intacto. pela abertura. não ficasse sem o corpo.

Esse líquido era tão forte que dissolvia as entranhas. Introduziam-no igualmente pelo orifício posterior e arrolhavam-no. entregavam o corpo aos parentes. para impedir que o líquido saia. deixando-o assim durante determinado prazo. Decorridos os setenta dias. envolviam inteiramente com faixas de tela de algodão embebidas em cola. Concluído o trabalho. sem fazer nenhuma incisão e sem retirar os intestinos. que o encerram em uma urna de madeira feita sob medida. e do corpo só sobrava pele e osso. arrastando-as consigo a sair. Era geralmente como se embalsamava os faraós. O processo era o seguinte: os embalsamadores enchiam as seringas de um licor untuoso tirado do cérebro e injetava-o no ventre do morto. sendo deixando assim durante setenta dias. sem mais nada a ser feito. o corpo era entregue aos parentes. y O intermediário (médio): Ele era usado por quem queria evitar despesas. ao final eles faziam escorrer do ventre o licor injetado. colocando-a na sala destinada a esse fim. Em seguida. .corpo era salgado e coberto com natrão. Terminado o processo. salgavam o corpo. O natrão consumia a carne.

e eles o sepultavam com as próprias mãos. um deles foi descoberto em flagrante com o cadáver de uma mulher recémfalecida. a cidade em cujo território foi encontrado o corpo era obrigada a embalsama-lo. só os sacerdotes do Nilo tinham esse privilégio. . o cadáver só era levado para ser embalsamado depois de três ou quatro dias após o seu falecimento. Não era permitido a nenhum dos parentes ou dos amigos tocar no cadáver. atando-se de alguém atacado por crocodilos ou afogado no rio. devolvendo-o depois aos parentes. Se era encontrado um cadáver abandonado. Sabe-se que. Tomava-se essa precaução pelo receio de que os embalsamadores violariam o corpo. como se tratasse de algo mais precioso do que o simples cadáver de um homem. Injetava-se no corpo o licor denominado surmaia e envolvia o cadáver no natrão durante setenta dias. e se esta fosse bonita ou de destaque.y O mais pobre: esse tipo de embalsamamento era destinado aos menos afortunados. por denúncia de um dos colegas. seja o morto Egípcio ou mesmo estrangeiro. Quando se tratava de uma mulher. a prepara-lo da melhor maneira possível e sepulta-lo em túmulo sagrado.

foi possível acumular conhecimentos sobe anatomia humana. . Isso foi conseguido. Os progressos da medicina sempre estiveram relacionados à anatomia humana. que dois médicos.. Fato que atrapalhou muito o estudo da anatomia. Mas. pelo costume religioso de embalsamar os mortos. no século III a. Mas foi um grande centro médico criado em Alexandria.C. reconhecendo a importância do coração em relação aos outros órgãos do corpo. no Egito. para observar o interior do organismo. dos quais se retiravam as vísceras. realizando pequenas cirurgias e saturar cortes profundos. Ao longo da história. A partir das técnicas de mumificação. próximo ao corpo. que eram guardadas nos Canopus. o homem sempre manteve respeito em relação ao corpo das pessoas mortas.C. No Antigo Egito. Há mais ou menos 3000 anos a. os médicos já tinham uma noção interna do corpo humano.Medicina O homem se interessou pelo funcionamento do próprio corpo. desenvolvendo técnicas para tratar de fraturas. Herófilo e Erasístrato. era necessário dissecar o cadáver. movido pela curiosidade e necessidade de combater doenças que o atacavam.

sêmen junto de fezes dissolvidas em urina. magos e sunus. O médico mandava o paciente beber tr6es vezes ao dia. Mas para isso havia uma receita infalível. O que você acha dessa receita? (particularmente eu ficaria com dor de cabeça) O médico no antigo Egito era chamado de sunu. eram indicados remédios que variam desde sangue de lagarto. Ainda na medicina. dos pulmões e do coração. Médicos As dores de cabeça incomodavam desde os tempos dos Antigos Egípcios. Para combate-las. . elaboraram listas de remédios. os egípcios afirmaram que as doenças possuíam causas naturais. até livro velho fervido e azeite. Conforme a doença. formando a primeira farmacopéia de que se tem notícia. Sendo divididos em três grupos de terapeutas: sacerdotes de Sekhmet. Essas atividades ajudaram os médicos a entender algumas funções do cérebro.fizera as primeiras dissecações para estudar e ensinar anatomia. e ainda excremento de crocodilo. uma mistura de gordura de crocodilo. ou leite de mulher que tinha dado a luz.

Sacerdote de Sekhmet .Sunus: eram sacerdotes que recebiam instrução médica da Per Ankh ou "Casa da Vida". Eles mantinham um bom contato com ela. induzindo a deusa à não castigar certa pessoa com doenças.Sacerdotes de Sekhmet: eles acreditavam que a deusa Sekhmet era a causadora de todas as doenças. Os sunus trabalhavam junto dos uts. O sunu também podia ser ao mesmo tempo um sacerdote de Sekhmet ou mago. Sua função era de exorciza-los. .Magos: para estes as causas das doenças eram os maus espíritos que atacavam as pessoas. . primeiros enfermeiros de que se tem notícia. Fato comprovado pelos papiros encontrados .

O curioso é que antes mesmo de terminar seus estudos em certa área do corpo humano eles já saiam exercendo suas funções de médicos. que eram muito encontrados em múmias. e que o papel da mulher era o de recebe-lo. podendo produzir ele mesmo o medicamento quando necessário. Cada sunu tinha seu próprio consultório. ânus e abdome. Nesta época surgiram novos médicos e novas especialidades como: nariz. pois eles temiam os vermes. Os egípcios não sabiam como se dava a fecundação. que viveu no ano 3000 a. olhos. a mulher estava grávida. e só cuidava de dentes. . acreditavam que só o esperma tinha o poder de gerar um indivíduo. O médico mais antigo do Egito foi Hesy-Rá. arquiteto ou escriba). Os sunus acreditavam que o organismo humano era o medicamento mais potente contra qualquer doença.relatando até esses sunus exerciam funções paralelas (administrador. pois cada faraó possuía um medico nessa área. se aparecerem muitas vezes era anúncio de diarréia fatal. A maior preocupação mesmo era o 6anus. Os sunus se impressionavam com a possibilidade de o sangue coagular e as artérias endurecerem. Para saber se estava grávida o segredo era urinar sobre um punhado de grãos. Se dali a alguns dias eles crescessem. sendo considerados por eles legítimos mensageiros da morte.C.

Imhotep: O verdadeiro pai da medicina Imhotep. . Desde muito cedo ele dedicou-se aos ideais da nação até tornar-se Vizir e Sumo-Sacerdote do culto de Ptah. Imhotep tornou-se uma divindade e foi considerado pelos egípcios do Novo Império como o deus dos medicamentos. mais precisamente na Terceira Dinastia.. bebam e sejam alegres. seu templo pode ser considerado como o primeiro hospital da humanidade. astrônomo mágico. Este formidável conselheiro do faraó Djoser também era poeta. comam. o filho de Ptah. arquiteto e médico (atribui-se a ele os primeiros tratados médicos escritos). Ele cunhou a declaração: ". Logo. viveu durante o Antigo Império.. pois amanhã todos nós morreremos".

cálculos biliares. cabelo. artrites e fez algumas cirurgias. 29 dos olhos e 18 da pele. Apesar de sua genialidade na área médica. bem como. da circulação sangüínea. ele ficou mais conhecido como idealizador da primeira pirâmide construída pelos egípcios: Saqqara.Imhotep Imhotep diagnosticou e tratou mais de 200 doenças: 15 doenças de abdômen. 11 da bexiga. Também era de seu conhecimento a posição e a função dos órgãos vitais do corpo humano. gota. Filosofia . apendicites. unhas e língua. Ele também tratou da tuberculose. 10 do reto.

as facas estão afiadas para quem forçar a passagem. abrindo-te o teu coração. Não vislumbramos. tal qual a Phoenix. aperfeiçoa o teu coração. Se queres ser um homem perfeito. Existe uma tendência que felizmente está degenerando-se no círculo acadêmico. em classificar as Civilizações Antigas como "primitivas". O teu silêncio é mais útil que a abundância de palavras.Ptah-Hotep. vizir do faraó Djedkara Isesi (da 5a Dinastia). quase dois mil anos antes do esplendor da civilização Helênica. mas domina a tua palavra. . Mas. É necessária uma visão mais profunda e menos dogmática a respeito do pensamento e comportamento de um povo evoluído e não compreendido na sua proposta de entendimento da vida da morte e do renascimento das cinzas materiais que nos cercam no plano físico. escreveu: "Jamais reveles a outrem o que alguém te confiou. em vez daquilo que não é. Se algo for contestável. É vasta a influência do homem agradável ao falar. pois esta Só é permitida no devido tempo. dos magníficos papiros e dor relevos instalados na terra de Khan. A Amon aborrece o excesso de palavras. não o digas." Atribuem à civilização egípcia um cunho sombrio e por diversas vezes associam a temática de seus escritos a respeito dos rituais e filosofia do seu povo a necrofilia. nem sequer enxergamos o que está por detrás dos suntuosos monumentos. Deixa o teu coração sofrer. Diz aquilo que é. O segredo mais íntimo revela-se no silêncio. a qual foi herdeira de muitos conhecimentos egípcios.

Uma mudança de "estado" e de "ambiente". estão ainda de pé! As Pirâmides. o Egito era Monoteísta!). indagamos estupefados: Como? Porquê? A resposta encontramos na dedicação dos antigos egípcios à vida! Não a vida mundana e materialista a qual o ocidente tanto se apega. Partindo deste princípio. contrastando com monumentos erigidos para desafiar o tempo e às intempéries. Quando nos damos conta que não existe uma pedra sequer remanescente de suas moradias. suas moradias e outros locais referentes à "passageira" vida mundana. as Esfinges. um fluxo contínuo onde o desenlace é apenas uma transição. não compreendemos a razão de estruturas tão grandiosas. Ensino e Ritos Iniciáticos (Casa da Vida) cujo objetivo final era Deus (sim. eram construídos basicamente com adobe para que durassem justamente o fugaz pe rodo de uma existência. os grandiosos Templos e outras tantas estruturas de Culto. podemos notar que mais de noventa por cento das construções que tinham por finalidade a reverência e exaltação da Divindade. uma vez terminadas. . e valoriza (embora esta fosse celebrada constantemente).Numa primeira observação. ainda resistem solenemente! Eles tinham de ser como o Criador: Incólumes e Eternos! Portanto. cujo objetivo final era Rá (algo semelhante as mandalas tiberianas feitas com areia colorida que. os Obeliscos. Faziam isso para lembrarem-se da temporaneidade e transitoriedade da vida. Mas a Vida como um todo. depois de longo e exaustivo trabalho. "lojas" e estabelecimentos. são destruídas com um simples "esfregar de mãos" de um Lama).

Uns dos mais belos poemas da literatura egípcia foi redigido e criado por Akhenaton. abundante às margens do Nilo. Abaixo está escrito um trecho do mesmo: . "Diálogo de um Misantropo com sua Alma". como o "Hino ao Sol". o mais longo e mais belo. a maioria de temas religiosos como o famoso "Livro dos Mortos".Literatura A literatura egípcia floresceu nos diversos gêneros. formando rolos de papiros que eram inclusive exportados para povos vizinhos. e nas obras religiosas. que era feito de uma planta chamada junco. compôs numerosos cantos apaixonados em honra de Aton. dos quais o "Hino de Aton". O miolo do junco era cortado em partes e as mesmas eram ligadas umas às outras e prensadas. Os egípcios escreviam principalmente num tipo de papel chamado papiro. tais como: "Máximas de Ptahhotep". Os egípcios deixaram vários livros escritos. "Canção do Harpista". inspirando-se em velhos hinos egípcios em honra ao Deus-Sol. destacandose os escritos filosóficos. de Amenófis IV.

alto acima da terra. Uniste todos pelo seu amor Embora esteja longe. Ó Aton vivo. Embora sejas alto. . És Rá e os tem todos cativos. És belo. As pessoas dormem em seus quartos. brilhante. teus raios estão sobre a terá. Tudo o que lhes está sob a cabeça pode ser roubado. iniciador da vida! Quanto te ergues no Oriente Enches o universo de tua beleza. os rastros de teus passos são o dia. Teus raios envolvem a terra e tudo que criaste. Envolvem a cabeça. A terra está na obscuridade como a morte. grande. Suas narinas param de funcionar Ninguém vê seu vizinho."Como é bela tua aurora no horizonte do céu. Quando repousas no horizonte ocidental do céu.

Em outras culturas que também utilizaram sinais pictográficos em suas escritas. Em geral. Muitas dessas imagens são derivadas do meio-ambiente africano. O universo está em silêncio. (... No Egito isso não ocorreu e o sistema manteve-se pictográfico até o final da história faraônica. Entretanto. Existem cerca de 6 mil hieróglifos conhecidos. Então os leões saem do seu covil. As serpentes picam. ou seja.E não sentem. o sistema evoluiu para formas abstratas. cerca de 700 foram de uso corrente em todas as épocas da história egípcia. a maioria deles foi desenvolvida por razões religiosas durante o período greco-romano.)" Hieróglifos Os hieróglifos são um sistema de escrita pictográfico. Aquele que o fez repousa no horizonte.C. o que prova tratar-se de uma criação original e não de um empréstimo. que surgiu por volta de 4000 a. se considerarmos todo o período durante o qual essa escrita foi empregada. baseia-se em imagens que formam a escrita... .

algumas dificuldades. A primeira: como saber se uma figura representava o . decompondo-a em sons que tivessem desenhos correspondentes aproximadamente com a mesma pronúncia e que pudessem representar tais sons. O primeiro se pronunciava s(e). as palavras homófonas eram relativamente poucas e. os escribas estenderam esse princípio para a junção de palavras. O princípio da homofonia é fácil de entender. Entretanto. Com esse sistema era possível escrever qualquer palavra. que significava estabelecer ou fundar. cuja pronúncia também era mer. men. Para escrever as palavras arpão ou peixe. porém. As palavras correr ou nadar nada mais eram do que o desenho d uma pessoa correndo ou nadando. para representar termos abstratos como amar ou lembrar. O problema foi resolvido través do uso de dois outros princípios: a homofonia e a ideografia. Por exemplo: o verbo estabelecer era pronunciado semen e para representa-lo eram empregados dois desenhos: um pedaço de tecido dobrado e um tabuleiro de xadrez. O sistema não se prestava. A junção de ambos resultava em s(e)+men=semen. por exemplo. Ações também podiam ser representadas através de desenhos. entretanto. Por exemplo: o signo de enxada era pronunciado mer e podia ser usado também para representar o verbo amar. então. desenhava-se à imagem correspondente.Qualquer objeto ou ser vivo que pudesse ser desenhado era empregado como um sinal na escrita egípcia. o segundo. ainda que complexa. Havia.

três linhas horizontais . bote. na prática. Como os egípcios não escreviam as vogais. Outro exemplo: o substantivo bacia era acompanhado pelo ideograma água. o papel de letras e eram um embrião para a invenção do alfabeto. Colocavam tais sinais no final das palavras. esses 24 símbolos que representavam todas as consoantes da língua egípcia desempenhavam. como deveria ser lido: barco. cada um deles com apenas uma consoante. Nesse estágio. pronunciado p. classificando-as em determinadas categorias. eles nunca deram o passo final nessa direção. pronunciado t. eram seguidos por um desenho que representava um braço humano empunhando arma. por exemplo. Outra dificuldade: o desenho de um barco. navio ou embarcação? Gradualmente foram criados 24 sinais. Esses dois desenhos indicavam ao leitor que a pronúncia da figura deveria ser hetep.objeto em si ou um som? Os escribas passaram a acrescentar uma linha vertical depois de cada desenho que designava o próprio objeto. além de ao terem passado para a escrita alfabética. desenhos de objetos concretos que representavam idéias. Um exemplo: verbos que designavam uma ação física. ou seja. os egípcios complicaram um pouco as coisas criando sinais puramente ideográficos. Para esclarecer o leitor. e assento. Entretanto. como atingir e matar. passou-se a utilizar duas outras figuras logo a seguir: pão. e os escribas passaram a utiliza-los para indicar a leitura fonética das figuras. Por exemplo: uma figura que representa um pão sobre uma esteira era pronunciado hetep.

As palavras não se encontram separadas e não há sinais de pontuação para separar frases. sem que seus princípios essenciais sofressem grandes alterações. etc. Alguns hieróglifos: .. porém estreitos. que se encontram voltados para o início do texto.onduladas. outros ainda são largos e achatados. E todo esse complexo sistema foi empregado durante mais três mil anos. círculos ou cruzes. Daí em diante seu significado ficou obscurecido até que Chapol-lion os decifrou em 1822. serpentes. A direção do texto é indicada pelos sinais animados.C. já que a última inscrição conhecida data de 394 d. outros são altos. A escrita hieroglífica pode ocorrer da direita para a esquerda ou vice-versa e tanto pode estar disposta em linhas quanto em colunas. finalmente há os que ocupam apenas um minúsculo espaço no texto. geralmente em forma de vasos. Alguns são grandes e preenchem toda a largura e altura do espaço a eles destinado. Nem todos os sinais são do mesmo tamanho. geralmente aves. Os últimos homens que realmente usaram esses sinais foram sacerdotes egípcios do século IV da era cristã.

os ideogramas são caracteres dotados de sentido: logogramas. Assim.Ideogramas Os ideogramas representam palavras e conceitos (não apenas letras). Ex : .

Agricultura .

Até mesmo os nobres e ouros grupos mais abastados tinham prazer em se fazer representar a si próprios nas tumbas. relacionadas o ciclo do Nilo: Akhit a inundação.A base econômica do Egito faraônico era a agricultura. às altas camadas sociais e aos templos. realizada entre fins de março e início de junho. Viviam em aldeias e executavam os trabalhos agrícolas nas terras que pertenciam ao Estado. principalmente o cultivo de cereais. tornando-as bastante produtivas. Um camponês nos tempos do Novo Império cultivava uma área cerca de 5 "aruras" (1. Shemu a colheita. como trigo e cevada. O trabalho no campo era regulado em função das três estações do ano. que acontecia de março a junho. entregando a seus proprietários excedentes de produção em geral menos da metade como imposto.25 hectares). e considerando-se que a colheita. e mesmo templos. vinhas. envolvidos na vida do campo. terras ou na avaliação dos produtos. Os camponeses constituíam a maioria absoluta da população. de julho a novembro. que fertilizavam as margens de terra. no trabalho de jardins. Peret a chamada "saída" ou reaparecimento da terra cultivável do seio das águas época de semeadura que acontecia de novembro a março. suficiente para uma família com cerca de 5 ou 6 indivíduos. típicas do país. O trabalho nos campos era facilitado pelas cheias anuais do rio Nilo. terminava bem antes . junto de inúmeros funcionários. Analisada a paralisação das atividades durante a inundação.

quando praticamente cessavam os trabalhos agrícolas. Uma vez o rio Nilo voltando ao leito normal . São conhecidos de diversas épocas decretos reais isentando certos grupos de camponeses desse trabalho forçado. como a construção de pirâmides ou templos. até a região de Núbia.de ocorrer à nova cheia do rio Nilo. os camponeses eram requisitados pelo estado para a prestação de corvéias ou trabalhos na sobras públicas. ao norte. Os camponeses de trigo e de cevada cultivos básicos sucediam-se desde os pântanos do Delta. Camponeses semeando a terra no "Peret" Note-se que no período das inundações do Nilo. constata-se que o ciclo da agricultura básica durava pouco mais de meio ano. no extremo sul.

os talos de trigo e de cevada eram cortados pelo meio utilizando-se uma pequena foice de madeira com dentes de sílex. etc. Esses dois afazeres ocorriam no mesmo momento. iniciava-se o trabalho de cultivo da terra. Os talos eram depositados no chão. agrimensores. Era nesse momento que chegavam aos campos os proprietários ou seus representantes. Certas tumbas do Antigo Império mostram relevos onde se aplicam punições aos camponeses que tentavam ludibriar as autoridades no pagamento dos excedentes agrícolas como imposto. Feito isso. sendo transportadas à extremidade do campo. Situação curiosa é a que informam alguns registros: muitas vezes camponeses compactuavam com funcionários das propriedades em . em seguida peneirado.) de modo a penetrarem no solo. medir os campos de modo a determinar a percentagem do cereal que o camponês deveria entregar. À época da colheita. empregados e soldados. os quais iriam.após a cheia. O cereal era então pisoteado por bois de modo a separar o grão da casca. abras. A primeira tarefa dos camponeses era a aragem e semeadura da terra antes mesmo das águas da inundação se retirarem totalmente. acompanhados de contingente de escribas. Camponeses que revolviam a terra com arados e enxadas eram seguidos de imediato por outros camponeses que lançavam as sementes dos cereais. pisoteadas por animais (ovelhas. Os grãos eram acondicionados em sacas denominadas de khar. recolhiam-se às espigas em cestos. com 73 l. antes de tudo.

Um caso bem conhecido é do tempo do faraó Ramsés V. envolvendo o capitão de um barco encarregado de transportar grãos para um templo no Alto Egito o do deus Khnum em Esna. Mas em nove anos o capitão Khnum-nakht e seus cúmplices desviaram a maior parte da produção: dos 6300 sacos no total. O templo deveria receber por ano 700 sacos de grãos provenientes de uma propriedade no Delta.que trabalhavam em esquemas de corrupção mais precisamente o desvio dos grãos. os escribas do templo só deram entrada em 576! O papiro que documenta o caso explica que o capitão não agia sozinho: auxiliavam-no muitos camponeses e agrimensores. Além de representações de . Camponeses colhendo o trigo no "Shemu" A construção de celeiros para o armazenamento dos cereais colhidos pelos camponeses constituía uma grande preocupação dos proprietários das terras no Antigo Egito.

como se rezasse.celeiros em tumbas. No tempo do faraó Ramsés III em Mediet-habu. conhecemos esse elemento particular através dos modelos de madeira e cerâmica depositados em tumbas verdadeiras maquetes além daqueles encontrados em antias cidades e templos. construídos em tijolos de barro revestidos de gesso. na margem oeste do Nilo em frente à moderna cidade de Luxor. . para eles. enquanto lágrimas lhe corriam lentamente dos olhos. Escadarias davam acesso á parte superior. a cebola era uma verdadeira religião. foram encontrados celeiros de 8 a 9 metros de diâmetro e de 7 a 8 metros de altura.5m de diâmetro e de 3 a 5 metros de altura.5m a 2. Alimentos Os antigos egípcios já temperavam seus alimentos com cebola e salsa e. nas quais haviam aberturas por onde se depositavam os grãos. Séries de celeiros poderiam também ser encontradas. No novo Império os celeiros mais comuns eram cilíndricos. Um sacerdote. medindo de 1. e também a antiga cidade de Akhenaton hoje Tell-el-Amarna no Médio Egito. à frente de seus devotos comia cebolas devagar. bem como pequenos celeiros no interior de jardins e casas.

O cardápio deles era variadíssimo para a época: três mil anos antes de Cristo. cultivavam fermento e vinhas e faziam pão. eles comiam carne de caça. um cogumelo subterrâneo ainda hoje muito apreciado. hidromel e um tipo de cerveja. peixes. romãs. favas e lentilhas. dirigiam o serviço e presidiam a mesa. Os banquetes dos faraós eram reuniões animadas. vinho. os egípcios já plantavam cevada. Eles achavam que a maioria das doenças era provida da má alimentação. ostras e ovos. Havia até mesmo um tipo especial que pesava mais de trinta quilos! No Egito. figos. eram as mulheres que organizavam os banquetes. Mil anos depois. Matemática .No Egito Antigo. tâmaras maçãs. costumava haver rufas. música e danças. Em suas mesas havia também legumes como ervilhas. abricós e amêndoas. e frutas como azeitonas. Na mesa deles. com jogos. entre outros pratos deliciosos. aves. a culinária era muito cuidada.

sobretudo ao desenvolvimento do comércio. o número concreto não era nada prático. A vida ia ficando cada vez mais complexa. tornando-se artesãos. para fazer os projetos de construção das pirâmides e dos templos.Por volta do ano 4000 a. Como efetuar cálculos rápidos e precisos com pedras. sacerdotes. Aldeias situadas às margens de rios transformaram-se em cidades. nós ou riscos em um osso? Foi partindo dessa necessidade imediata que estudiosos do Antigo Egito passaram a representar a quantidade de objetos de . Ele também não ajudava muito na resolução dos difíceis problemas criados pelo desenvolvimento da indústria e do comércio. Você certamente já ouviu falar nas pirâmides egípcias.Pois é. Novas atividades iam surgindo. comerciantes. Como conseqüência desse desenvolvimento surgiu a escrita..C. Os grandes progressos que marcaram o fim da Pré-História verificaram-se com muita intensidade e rapidez no Egito. Os agricultores passaram a produzir alimentos em quantidades superiores às suas necessidades. administradores. Era o fim da Pré-História e o começo da História. graças. algumas comunidades primitivas aprenderam a usar ferramentas e armas de bronze. Com isso algumas pessoas puderam se dedicar a outras atividades.

uma coleção através de desenhos . ele é chamado de Ahmes.os símbolos. como o preço do pão. Mas isso não importa: a operação pode ser feita da mesma maneira. o homem juntava 3 bastões com 5 bastões para obter 8 bastões. Mas como eram os símbolos que os egípcios criaram para representar os números? Há mais ou menos 3600 anos. Contém 80 problemas. o faraó do Egito tinha um súdito chamado Aahmesu. Hoje Aahmesu é mais conhecido do que muitos faraós e reis do Antigo Egito. Foi ele que escreveu o Papiro Ahmes. A criação dos símbolos foi um passo muito importante para o desenvolvimento da matemática. a alimentação do gado. O Papiro Ahmes é um antigo manual de Matemática. todos resolvidos. a armazenagem de grãos de trigo. cujo nome significa "Filho da Lua". Na Pré-História. Muitas vezes não sabemos nem que objetos estamos somando. A maioria envolvendo assuntos do dia-a-dia. Aahmesu ocupava na sociedade egípcia uma posição muito mais humilde que a do faraó: provavelmente era um escriba. Hoje sabemos representar esta operação por meio de símbolos: 3 + 5 = 8. Entre os cientistas. .

Na escrita dos números que usamos atualmente. Além disso.10 100 1000 10000 100000 1000000. as tumbas egípcias tinham a forma de pequenas caixas. a decifração dos hieróglifos (inscrições sagradas das tumbas e monumentos do Egito) no século XVIII também foi muito útil. Mas os egípcios não se preocupavam com a ordem dos símbolos. A primeira pirâmide foi criada durante a 3 a Dinastia. O sistema de numeração egípcio baseava-se em sete números-chave: 1 . não foi difícil aos cientistas compreender o sistema de numeração egípcio. e essa magnífica obra lhe valeu a divinização. eram feitas de barro. a ordem dos algarismos é muito importante. recebendo o nome . No início. Arquitetura As pirâmides são sem duvida o paradigma da arquitetura egípcia. pelo arquiteto Imhotep. Suas técnicas de construção continuam sendo objeto de estudo para engenheiros e historiadores.Observando e estudando como eram efetuados os cálculos no Papiro Ahmes.

Foi desse arquiteto a idéia de superpor a mastabas. dedicados a várias divindades ou a uma . A regularidade de certas pirâmides deve-se aparentemente à utilização de um número áureo. Quéfren e Menkaure). As mais célebres do mundo pertencem com certeza à 4a Dinastia e encontram-se em Gize (Khufu. templos escavados nas rochas. que muito poucos arquitetos conheciam. Outro tipo de construção foram os hipogeus. o que sem dúvida era mais apropriado. As primeiras pirâmides foram do rei Dsojer e eram escalonadas. e assim criando uma pirâmide. Desenho interno da pirâmide de Khufu Também se deve a Imhotep a substituição do barro pela pedra. cujas faces são completamente lisas. tendo em vista a conservação do corpo do morto.de mastabas (branco).

Depois de enterrar os seus mortos em buracos feitos na areia. Monumentos As pirâmides de Gizé não foram as primeiras construídas no Egito. Estruturas deste tipo apareceram durante o século que precedeu o reinado de Khufu. A entrada para estes templos era protegida por galerias de estátuas de grande porte e esfinges. Com a exceção de partes do mausoléu e do templo . a segunda para faraós e os nobres e a terceira para o sumo sacerdote. Depois o sacerdote Imhotep. uma estrutura retangular sólida de tijolo ou pedra. em cima da sepultura para impedir que a areia fosse soprada para fora.C. ass grandes pirâmides foram construídas entre 2650 e 2500 a. as ruínas existentes não permitem uma informação a esse respeito. Quanto à arquitetura civil e palaciana.particular. Oficialmente. os egípcios colocavam uma mastaba. Normalmente eram divididos em duas ou três câmaras: a primeira para profanos. projetou uma estrutura piramidal que simplesmente era uma pilha de seis mastabas. Esta estrutura é considerada o protótipo da verdadeira pirâmide. uma menor que a outra.

quando uns 10 ou 12 reis escolheram o local para construção de seus monumentos funerários. eles são as únicas das sete maravilhas antigas que ficaram intactas. . Sua popularidade como cemitério real parece estar ligada a importância política da cidade de Mênfis.de Artemis. a região continuou sendo usada até o período greco-romano. Pirâmides: como foram feitas? Região de Saqqara Embora o período áureo de Saqqara tenha ocorrido no Antigo Império.

representando o deus Ápis. A construção representou um avanço tecnológico e arquitetônico muito grande no Antigo Egito. Obra de Imhotep A mando de Djoser em Saqqara A capital do Egito durante o Novo Império era Tebas. Anúbis e Bastet. babuínos representando Thoth. vacas . A maioria dos reis desta época escolheram um vale no lado ocidental do Nilo para construir suas tumbas. . filho de Ramses II. no reinado de Ramses II. essa pirâmide transformouse no maior prédio construído até então no mundo.Pirâmide de degraus. Durante a 3ª Dinastia o faraó Djoser construiu em Saqqara um formidável monumento funerário: a Pirâmide de Degraus. Acredit-se que a obra foi supervisionada por seu arquiteto pessoal. construída pelo príncipe Khaemwaset. Nela enterrados touros. localizada a 800 quilômetros ao sul de Mênfis. Saqqara era usada para o enterro de vários animais sagradosem grandes catacumbas. local este conhecido hoje como Vale dos Reis. na 19ª Dinastia. tanto que.cachorros e gatos representando respectivamente Hathor. o Vizir e Sumo-Sacerdote Imhotep. Contudo. A maior destas foi o Serapeo.

Mastabas .Pirâmide de Degraus de Saqqara O complexo funerário de Djoser foi construído com uma combinação de pedra calcária e tijolos de lama. 274m de largura e 9. de forma notável. Ao contrário das Pirâmides de Gizé. os blocos de pedras usados em sua construção eram pequenos. como possa ser pensado prematuramente. O Sumo-Sacerdote e Arquiteto Imhotep foi adorado como deus após a conclusão do complexo pois conseguiu. traduzir em pedra o que antes era feito em tijolo de lama e madeira. As paredes desse muro são tão meticulosamente projetadas que imagina-se que o propósito dele seja de natureza simbólica/religiosa e não de proteção militar. O complexo inteiro era cercado por um muro cujas dimensões eram: 549m de comprimento.1 de altura.

respectivamente. para o norte. fazem lembrar os bancos baixos construídos na parte externa das casas egípcias atuais e nos quais os moradores sentam-se e tomam café com os amigos. ou seja. Interior de uma mastaba Tais monumentos eram orientados. Isso porque. leste. quando rodeadas por dunas de areia quase até a sua altura total. as suas quatro faces estavam voltadas. A partir da cobertura da mastaba um poço em ângulo reto (1) permitia descer através da construção até o subsolo rochoso. sul e oeste. que a ela descia por meio do poço. Aí era escavada a câmara funerária (2).O nome mastaba foi dado a estes sepulcros em tempos modernos. era obstruído com pedras para preservar a integridade do sepulcro e sua entrada era disfarçada para que se confundisse com o resto do teto. A palavra é de origem árabe e significa banco. Este. na qual acomodava-se o sarcófago (3). . após o funeral.

exatamente acima do sarcófago. o seu mobiliário comportava. a capela (4) do culto dirigido ao defunto. colocada ao pé de uma estela. não se comunicavam entre si. de maneira que desse a impressão de uma porta donde seu nome de estela falsa-porta e. destacava-se uma estátua: era o morto. onde eram colocadas as estátuas do morto (7). a mesa para as oferendas (5). então. antes de tudo. na sua moldura. por vezes. então.Na face oriental da mastaba abria-se um primeiro compartimento. outro cômodo penetrava na mastaba: era o "corredor" (sernab em árabe) (6). havia uma trapeira. Ou. A estela marcava. o limite de dois mundos. Essa escultura revive o morto ou guarda a mastaba? . que voltava para o meio dos vivos. que se abria por cima das folhas da porta e por onde despontava um busto: por ela estava o morto espiando o visitante. salvo por uma estreita fenda da altura de um homem. A estela era esculpida. o dos vivos e o dos motos.

depósito de estátuas. As mastabas dos ricos tornavam-se mais complexas pela existência de compartimentos anexos.Sepultura. tinham sempre paredes revestidas de baixos-relevos e pintadas com cenas da vida cotidiana e dos ritos funerários. capela: eis as três partes essenciais constitutivas de um túmulo. como na . A complicação era ainda maior. naturalmente. nas tumbas dos reis. Ora o defunto aparecia sentado à mesa saboreando as oferendas. Cena da mastaba de Hezyre As capelas. nas quais os parentes dos mortos depositavam suas oferendas. mais ou menos numerosos.

eram colocadas não apenas estátuas do morto. mais raramente. os objetos necessários à existência material do ka. em pedra calcária e. No serdab. ora lá estava ele com sua mulher. confeccionadas em madeira pintada. mas também de seus familiares.cena da mastaba de Hezyre. Tudo isso são importantes fontes de conhecimento dos hábitos dos antigos egípcios. destinadas aos oficiais de sua confiança. Também aí se colocavam. passaram a ser construídas em pedra. geralmente seus parentes próximos. Em determinadas épocas tais capelas. compartimento quase sempre muito simples que não se comunicava com o exterior. mas algumas também podem ser encontradas em Dahshur e outras em Gizé. os criados. Nesta ultima localidade os faraós da IV dinastia mandaram construir grandes mastabas ao redor de suas pirâmides. Não faltavam também inscrições com formulas religiosas e mágicas que auxiliariam o defunto em sua longa viagem até o mundo dos mortos. quarta e quinta dinastias. os filhos. o burro e todos os seus outros bens. muitas vezes de grandes dimensões. o boi. A região de Saqqara é a que apresenta a maior concentração de mastabas. em granito. chefe dos escribas reais da III dinastia. As crenças funerárias faziam supor que tais cenas lhe permitiam usufruir após a morte tudo o que tinha possuído em vida. construídas principalmente no decorrer das terceira. . às vezes.

instrumentos para caça e outros objetos do cotidiano. Seu desenho é bastante simples. ao nível do solo e abrangendo uma área consideravelmente maior. Abaixo do nível do solo existe uma cova rasa retangular coberta por madeirame e dividida por paredes transversais em cinco compartimentos separados. Supõe-se que o compartimento central fosse destinado a abrigar o ataúde de madeira contendo o corpo.Mastabas construídas pelos faraós da IV Dinastia Uma das mais antigas mastabas encontradas pelos arqueólogos é da época de Aha. Havia uma estrutura de tijolo cujo interior estava dividido em 27 cubículos destinados ao armazenamento de jarras de vinho. As paredes da estrutura inclinavam-se para dentro no sentido da base para o topo e eram formadas por painéis alternados de saliências e reentrâncias. vasilhames com alimentos. enquanto que os bens pessoais do morto seriam colocados nas câmaras adjacentes. segundo faraó da I dinastia. Acima desses compartimentos. Toda a construção era rodeada por dois muros paralelos de tijolo e tanto estes quanto aquela eram decorados com padrões geométricos coloridos pintados .

aceito voluntariamente como parte dos deveres para com o patrão. No decorrer da II e da III dinastias. mas não vivos como se poderia supor. às vezes. Os historiadores dizem que mastabas desse tipo eram quase certamente cópias das casas dos nobres e dos palácios reais. que teriam enfraquecido a construção. A uma distância de mais ou menos 36 metros do muro norte da mastaba havia no solo uma cavidade em forma de barco revestida de tijolos. A capela do culto permaneceu algumas vezes dentro da . mas eles devem ter representado os vários cômodos da residência. Sem dúvida a disposição dos cubículos na estrutura foi adaptada para ajustar-se às necessidades particulares da tumba. Criados que haviam servido ao dono do túmulo eram. Eram sepultados ao mesmo tempo que seus amos. demonstrando assim que o túmulo era encarado como o lugar onde se acreditava que o morto habitaria. a mastaba transformou-se numa massa sólida de cascalho coberta por um revestimento externo de tijolos. Corredores. eram desnecessários. pois pensava-se que o espírito do morto podia passar livremente através de barreiras materiais.sobre fundo branco. Muito provavelmente a morte era provocada por ingestão de veneno. enterrados em pequenas mastabas dispostas em fileiras fora dos muros que rodeavam a tumba principal. Servia para abrigar uma embarcação de madeira destinada ao uso do defunto além túmulo. na crença de que pudessem continuar a servir a seus senhores após a morte.

a uma profundidade de seis metros e quarenta centímetros. O subsolo passou a conter freqüentemente uma espécie de vestíbulo central. acabaram por ser transferidos para o subsolo. ladeado por câmaras destinadas. provavelmente para dificultar a ação dos assaltantes.estrutura e outras o lado de fora. construiu sua mastaba em Abido e embora . em sua maioria. Arqueólogos encontraram em Saqqara. era baixada. Khasekhemwy. a armazenar objetos que antes eram colocados ao nível do solo. O poço e as escadas ou rampa eram então preenchidos com areia ou com cascalho e cobertos com uma camada externa de tijolos. uma vasta tumba subterrânea com cerca de 118 metros de comprimento. É formada por mais de 70 câmaras cavadas na rocha de cada lado de um corredor central e deve ter pertencido a um dos dois primeiros faraós da II dinastia: Hetepsekhemwy ou Reneb. O acesso ao vestíbulo era feito através de uma porta aberta na base de um profundo poço vertical que se iniciava no nível do solo. encaixando-se em duas canaletas existentes nas laterais da abertura. constituída por uma pesada laje de pedra e que ficava por meio de suportes. Também encontraram um túmulo de estrutura semelhante pertencente a Ninetjer. Um lance de escadas ou uma rampa partia do lado norte da mastaba e atingia tal poço em um ponto vários metros acima de sua base. terceiro faraó da II dinastia. Era por essa rampa ou escada que o corpo e alguns pertences pessoais do morto eram transportados para a tumba. uma porta levadiça. Os compartimentos que ficavam anteriormente acima do solo. Depois que tudo havia sido colocado em seus lugares.

Tanto em Saqqara quanto em Abido. construída inteiramente de pedra calcária. mede 100 metros de . aproximadamente. Aproximadamente no centro de seu eixo principal existe uma câmara medindo cerca de 3 por 5 metros.tenha projeto semelhante àquelas de Saqqara. O túmulo de Peribsen. reinou. com exceção da câmara central de Khasekhemwy. Dessa época é o túmulo do faraó Shepseskaf. Mesmo nesta última. No decorrer da IV dinastia. Tem o formato de um enorme sarcófago retangular assentado sobre uma plataforma baixa. destinado a receber o ataúde feito de pedra ou madeira. tem apenas 68 metros de comprimento.C. rodeada por um corredor em cujo lado esterno existia uma série de pequenos compartimentos. sendo que hoje é conhecida pelo nome de Mastabet elFaraum. a capela do culto e as câmaras subterrâneas eram freqüentemente revestidas de pedras. muitas mastabas passaram a ser construídas de pedra e não mais de tijolos. penúltimo rei da II dinastia. foi erguido também em Abido e era formado por uma câmara retangular de cerca de 3 por 7 metros. Em seus subterrâneos passaram a contar com uma única câmara dotada de um profundo recuo em uma de suas paredes. e embora tenha completado o complexo piramidal que abrigava o corpo de seu pai. não construiu uma pirâmide para si próprio. Filho e sucessor de Miquerinos. Essas estruturas de Abido são feitas com tijolos de barro. nada restou da parte das estruturas que ficavam acima do solo. entre 2472 e 2467 a. Sua sepultura situa-se em Saqqara e ele a denominou de Pirâmide Purificada.

era revestida com pedra calcária proveniente de Tura e apresentava uma borda de granito. provavelmente sua esposa e mãe dos primeiros faraós da V dinastia. Existe uma outra mastaba semelhante à de Shepseskaf que pertenceu a uma rainha de nome Khentkaus. A leste há um pequeno templo mortuário e dele parte uma longa calçada com paredes de tijolo cru que leva ao templo do vale. suas paredes frontal e traseira são inclinadas para dentro num ângulo de 65º e nas laterais elas se elevam verticalmente acima do teto abobadado. e que foi erguida num espaço aberto entre as calçadas de Kéfren e Miquerinos. Construída com a pedra comum encontrada naquele local. A Pirâmide Purificada mudou com o tempo.comprimento por 73. Ela .5 metros de largura e 18 metros de altura.

Pirâmides de Gizé Em sua forma mais comum. processos de manufatura. cenas de colheita. Entre as cenas mais comumente esculpidas nas paredes estavam aquelas que mostravam criados trazendo oferendas de comida e bebida para seus aos mortos. Acalcada toma inicialmente o rumo leste e depois forma um ângulo reto desviandose para o sul. Durante a V e VI dinastias.também imita um grande sarcófago montado em um pódio quadrado e alto. e uma larga variedade de outros episódios intimamente associados com suas ocupações durante a vida. o dono da tumba inspecionando suas propriedades ou caçando. sendo que todas as salas tinham suas paredes cobertas com relevos. terminando no templo do vale. Seu templo mortuário foi cavado na rocha que compõe o próprio pódio e é formado por três recintos apenas. a parte das mastabas que ficava acima do solo passou a ser enriquecida com várias câmaras e vestíbulos com colunas. a pirâmide é uma pedra volumosa ou estrutura de tijolos com uma base quadrada e quatro lados . Uma famosa Mastaba da VI dinastia continha mais de 30 câmaras assim decoradas.

Pirâmides de Gizé No 26º século a. . o seu filho Khafre. de tal forma que..triangulares se inclinando. Quéfren (Khafre) e Miquerinos (Menkure).C. as pirâmides mais conhecidas são as do Egito. como a civilização egípcia estava alcançando seu apogeu. As pirâmides foram construídas por povos diferentes no decorrer da história humana. três reis Khufu. Os três reis são mais conhecidos pelos seus nomes gregos: Quéops (Khufu). ordenaram a construção de três pirâmides enormes que serviriam como tumbas. e o seu neto Menkure. eles se encontram em um ponto no topo da estrutura. Contudo.

eles escolheram um local no lado Ocidental do Rio Nilo porque eles acreditavam que a casa dos mortos estava no pôr-do-sol. cada lateral mede 230 metros e a estrutura total atinge 143 metros de altura. A pirâmide de Khafre é três metros mais baixa que a tumba do pai. O historiador grego Herótodo. Também perto estão vários templos e tumbas retangulares construídas para outros parentes e cortesões.Miquerinos e sua mulher A pirâmide real de Khufu descansa em uma base de 5. Três pirâmides pequenas construídas para as rainhas de Khufu estavam próximas a pirâmide dele. calculou que 100000 homens trabalharam durante 20 anos para completa construção da Grande Pirâmide. As câmaras aonde seriam colocados os faraós. escrevendo 2400 anos atrás. estavam debaixo dos centros exatos das pirâmides. Também é calculado que . Para a construção.3 hectares.

Muitas autoridades acreditam que os blocos foram levados para cima numa rampa circular construída ao redor da pirâmide.3milhões de blocos de pedra para construí-la. asseguram que os blocos eram cortados nas pedreiras de calcário que existiam próximas de Gizé.5 toneladas. Outra teoria sugere que os blocos foram construídos no local. Esfinge de Gizé . usando moldes de madeira. Esquema interno da pirâmide de Khufu As mais recentes teorias acerca da construção das pirâmides.foram usados 2. cada qual pesando 2.

por volta de 1550 a. assim sendo. a areia foi tirada para expor a magnitude e a beleza da totalidade da Esfinge. "Hórus na Horizontal" ou Bw-Hol. enquanto o comprimento inteiro da esfinge é de 45 metros.. Esculpia nas rochas do planalto de Gizé. . em 1905. Embora comum Esfinge é uma palavra grega. o corpo de um touro (Signo Touro-Terra). devido ao terreno variável do deserto. As patas possuem 15metros de comprimento. o corpo da Esfinge foi enterrado durante os últimos mil anos. "Lugar de Hórus".A Esfinge de Gizé é um símbolo que representou a essência do Egito Antigo por milhares de anos. e não foi usada originalmente pelos egípcios. as asas de uma águia (Signo de Escorpião-Água) e a cabeça de um humano (Signo Gêmeos/Aquário-Ar).C. A cabeça é pequena em proporção ao corpo. Ela é composta de quatro partes: o peito e as patas são de um leão (Signo de Leão-Fogo). a Esfinge é uma misteriosa maravilha dos períodos áureos do Egito Antigo. era conhecida como Hor-em-akht. Recentemente. A cabeça possui 10 metros de altura e 4 metros de largura.

um monumento castigado pelo tempo Acredita-se que o construtor da Esfinge seja Khafre (Quéfren.A areia do deserto esconde maravilhas Como as camadas de pedra que revestem a Esfinge são mais macias que as outras. há um alto grau de erosão que tirou o detalhe original d figura esculpida. o construtor da Grande Pirâmide.C. é estranho que um faraó construa um . Contudo. filho de Khufu (Quéops).). não há nenhuma inscrição na Esfinge que identifique seu construtor. 2555-2532 a. Esfinge.

O interessante é que as tais marcas de erosão só foram encontradas na Esfinge. Em 1989.monumento desse porte e não coloque nele seu nome para a posteridade. criaram um holograma terrestre das três estrelas do Cinturão de Órion. um egiptologista americano propôs que as três Grandes Pirâmides e sua posição relativa ao Nilo. ao contrário dos outros monumentos existentes em Gizé. o vento e a areia do deserto provocam marcas horizontais de erosão e. típicas daquelas provocadas pela água. Outro mistério da Esfinge está em pesquisas recentes que sugerem erosão da água em seu corpo. Pirâmides de Gizé Cinturão de Órion . na Esfinge. foram encontradas marcas erosivas verticais.

Exatamente em 10500 a. no limitar da transição Virgem/Leão. a Esfinge marcou a transição da Era de Virgem para a Era de Leão exatamente os signos opostos à transição atual Era de Peixes e Era de Aquário. a Esfinge (parte leão) foi feita para olhar a sua própria imagem no horizonte.C. exatamente quando acontece a transição Peixes/Aquário. muitos acreditam que a Esfinge seria um alerta para as mudanças que estão por vir. ascendia ao céu a Constelação de Leão. em outras palavras. Logo. A última configuração similar deste vindouro alinhamento correspondeu por volta de 10500 a. a Terra e o Sol estarão alinhados com o centro da Via Láctea em algum momento neste final de século.O Cinturão de Órion (Osíris) enquadrou-se no padrão mostrado na imagem acima no período de 10500 a. portanto. conhecido como eclíptico. Este alinhamento ocorre somente quatro vezes durante a precessão dos equinócios. O plano equatorial da Terra.C. similares àquelas produzidas com a destruição de Atlântida.C. Logo.. se alinha com a eclíptica do sol. as Pirâmides de Gizé e a Esfinge podem ser mais velhas do que o imaginado. alo mesmo tempo em que ambos se alinham com a eclíptica do núcleo galáctico. Assim como na transição Virgem/Leão. .

a Esfinge era pintada com um colorido muito marcante. originalmente. o que acabou realmente acontecendo. Recentemente. se ele a livrasse da areia. Thutmosis teve um sonho aonde a Esfinge prometeu.Embora a cabeça da Esfinge esteja danificada em alguns lugares. no período em que dominavam o Egito. Erroneamente. o trono do Egito. Durante a 18a Dinastia. . Entre as patas da Esfinge está uma inscrição que conta uma história. o que necessitou um esforço muito grande do povo egípcio. revelaram que o nariz já estava perdido muito tempo da chegada dos franceses. O nariz e a barba foram quebrados pelos turcos durante exercícios de tiro ao alvo. atribuiu-se tal fato aos soldados de Napoleão mas desenhos. Acredita-se que. a Esfinge sofreu uma restauração. Thutmosis IV dormiu debaixo da Esfinge que estava coberta até ao pescoço com areia. feitos no período pré-napoleônico. ainda podem ser vistos rastros da pintura original próxima de uma das orelhas.

aqueles que foram escolhidos como guardiões não permitirão a entrada até que se tenha transcorrido um prazo de regeneração na montanha ou que se tenha iniciado a Quinta Raça Raiz. que conduz à entrada de uma tumba dos Arquivos.Na verdade. já que. Não se pode acessar estes Arquivos sem discernimento. Uma profecia famosa de Edgard Cayce relata " existe uma câmara debaixo da pata direita da Esfinge de Gizé. a Esfinge sempre esteve envolta por mistérios e enigmas." Bibliografia Básica .

kit.geocites. Editora Ática.net . Geoatlas.br · Simielli.com · horus.com.khemi.net · www.edu. 2000 · www.hpg.· www.egito.pesquisando.com. Maria Elena Ramos.br · www.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful