You are on page 1of 10

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO

CURSO:

ELETRICISTA INDUSTRIAL - PRONATEC


200 horas

ÁREA:ELETROELETRÔNICA

MODALIDADE:QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

UNIDADE(S) HABILITADA(S): CETEC – ARAGUAÍNA

CT GURUPI

Plano de Curso Simplificado FP.EP.04.08 Revisão 1 20/08/2014 Página 1 de 10


FIETO – FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO TOCANTNS

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL - SENAI

Departamento Regional do Tocantins – DR/TO

Plano de Curso Simplificado


Educação para o Trabalho, Formação Inicial e Continuada.
Referências: Itinerário Nacional de Educação Profissional da área de Eletroeletrônica
versão 3.

Elaboração: UNIDADE DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

Validação: UNIDADE DE EDUCAÇÃO, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

 Lei Federal nº 9.394/96 – estabelece as diretrizes e bases da


educação nacional.
 Lei Federal nº 11.741/08 – estabelece as diretrizes e bases
da educação nacional, para redimensionar, institucionalizar e
integrar as ações da educação profissional técnica de nível
médio, da educação de jovens e adultos e da educação
profissional e tecnológica.
 Decreto Federal nº 5.154/04 – regulamenta o § 2º do art. 36 e
os arts. 39 a 41 da lei nº 9.394 e dá outras providências.

Regulamentação:  Regimento Escolar das Unidades Operacionais do SENAI-


DR/TO.
 Diretrizes da Educação Profissional e Tecnológica do SENAI.
 Itinerários Nacionais de Educação Profissional – SENAI.
 Decreto 8268 de junho 2014, que altera o Decreto nº 5.154,
de 23 de julho de 2004, que regulamenta o § 2º do art. 36 e
os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.
 Nota Informativa 122/2015 – DIR/SETEC/MEC;
 Nota Informativa 020/2013 – PRONATEC EMPREENDEDOR;
 Guia Pronatec de Cursos FIC - 4ª Edição.

Plano de Curso Simplificado FP.EP.04.08 Revisão 1 20/08/2014 Página 2 de 10


1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

Nome do Curso: Eletricista Industrial

CBO: 9511-05 Nível de qualificação: 2

Carga horária: 200 horas

Eixo Tecnológico: Controle e Processos Industriais

Área Tecnológica: ELETROELETRÔNICA

Capacitar profissionais para executar montagem, diagnóstico e


manutenção em instalações elétricas industriais de baixa tensão e
circuitos elétricos de máquinas e equipamentos, interpretar e montar
Competência Geral:
diagramas elétricos de baixa tensão dos quadros de medição,
distribuição, comando, sistema de aterramento e de proteção contra
descargas atmosféricas.

Requisitos de  Ensino Fundamental I (1º a 5º) – Completo


Acesso  Idade mínima: 18 anos completos.

As turmas devem ser organizadas com um número máximo de alunos


em função da capacidade dos ambientes pedagógicos e com um
Número de número mínimo que garanta a autossuficiência do curso,
participantes por
considerando, prioritariamente, qualidade dos processos de ensino e
turma
de aprendizagem e o desenvolvimento das aulas dentro do enfoque
didático-pedagógico proposto.

Plano de Curso Simplificado FP.EP.04.08 Revisão 1 20/08/2014 Página 3 de 10


1.1. DESENHO CURRICULAR

Carga Carga Horária


Módulo Unidade Curricular
Horária Módulos

Eletricidade Geral 40h

Instalações Elétricas Prediais 50h

ESPECÍFICO Comandos Elétricos 50h 200h

Controladores Lógicos
40h
Programáveis
Inversores de Frequência e Soft-
20h
Starter

Carga Horária Total 200 h

ELETRICIDADE GERAL

Fundamentos técnicos e científicos

Capacidades Técnicas:
 Elaborar desenhos de circuitos elétricos;
 Analisar circuitos elétricos em série, paralelo e misto;
 Manusear ferramentas da área de eletricidade;
 Utilizar instrumentos de medição de grandezas elétricas;
 Aplicar normas e procedimentos de segurança e saúde no trabalho e de proteção ao meio
ambiente;

Capacidades sociais, organizativas e metodológicas:

 Trabalhar em equipe;
 Ter raciocínio lógico;
 Ter atenção a detalhes;
 Ser organizado.

Conhecimentos

 Segurança e Normalização: Cores em eletricidade; Sinalização elétrica; Símbolos de


advertência; Procedimentos de rotinas no trabalho; Mapa de risco e rota de fuga.
 Fundamentos da Eletricidade: Matéria; Fundamentos da eletrostática; Grandezas Elétricas;
Conversão de energia, mecânica, química e luminosa em elétrica; Fontes de energia.
 Ferramentas e equipamentos para operações em eletricidade:
 Multímetro, Amperímetro, Voltímetro, Volt/amperímetro alicate, Wattímetro e Megohmetro:
Características gerais, Seletor de função, Seleção e indicação de escala, Recomendações
de uso e de segurança; Ferramentas aplicáveis em eletricidade; EPI’s e EPC’s típicos do
eletricista.
 Algarismos significativos: Múltiplos; Submúltiplos; Notações: Engenharia, Cientifica.
 Circuitos de corrente contínua: Simbologia e representação; Componentes, Diagramas;
Circuito elementar; Circuito aberto, fechado e curto circuito; Corrente, tensão e resistência
elétrica.

Plano de Curso Simplificado FP.EP.04.08 Revisão 1 20/08/2014 Página 4 de 10


 Leis de Ohm: 1º Lei de Ohm, 2º Lei de Ohm; Leis de Kirchhoff; 1º Lei de Kirchhoff, 2º Lei de
Kirchhoff; Energia e Potência Elétrica.
 Circuitos em corrente alternada: Geração de Tensões senoidais; Circuitos resistivos;
Circuitos reativos.
 Sistemas de distribuição: Circuitos monofásicos; Tensão; Corrente.
 Circuitos Trifásicos: Estrela com neutro; Delta com neutro; Delta aberto.
 Potência em corrente alternada: Ativa; Aparente; Reativa; Fator de potência.
 Ensaios: Montar circuitos elétricos em série, em paralelo e misto; Medir grandezas elétricas
(tensão, corrente, resistência elétrica); Levantar parâmetros do motor elétrico.

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS

Fundamentos técnicos e científicos

Capacidades Técnicas

 Especificar condutores e dispositivos de segurança de redes elétricas;


 Instalar componentes e circuitos de rede elétrica;
 Esboçar diagramas elétricos;
 Interpretar desenhos de planta baixa, incluindo padrões de entrada e quadros de
distribuição de acordo com as normas vigentes;
 Inspecionar instalações eletricas;
 Manusear instrumentos e ferramentas típicas da área de instalações elétricas;
 Utilizar instrumentos de medição de grandezas elétricas;
 Aplicar normas e procedimentos de segurança e saúde no trabalho e de proteção ao meio
ambiente;

Capacidades sociais, organizativas e metodológicas

 Trabalhar em equipe;
 Prever conseqüências;
 Manter-se atualizado tecnicamente;
 Ter atenção a detalhes;
 Ser organizado.

Conhecimentos

 Diagramas elétricos: Simbologia e representação; Norma Regulamentadora Brasileira –


NBR5444.
 Tipos: Unifilar, Multifilar, Funcional.
 Normalização: Norma Regulamentadora Brasileira – NBR5410: Lógica de circuito referente
a comutação e às operações com segurança, Características dos elementos de comando e
proteção na recepção de energia, Interruptores simples, bipolares, tripolares, paralelos e
intermediários, Tomadas e plugues simples, bipolares e universais com terra e neutro.
 Descartes de materiais: Reutilização de materiais; Reciclagem; Sucatas de cobre, ferro e
PVC; Lâmpadas fluorescentes.
 Sistemas de aterramento: Tipos; O que deve ser aterrado; Eletrodo de aterramento;
Condutores de aterramento.
 Dispositivos de proteção: Fusíveis; Disjuntores; Interruptor diferencial residual (IDR);
Dispositivo de proteção contra surto (DPS); Aplicações.
 Planta baixa elétrica residencial: Conceitos envolvidos no dimensionamento de usos;
Dados de cargas da instalação (TUG’s, TUE’s,...); Circuito auxiliares; Redes de segurança;
Representação da escala da planta baixa; Especificação de material para execução.
 Instalações elétricas: Dimensões mínimas normalizadas de bitolas de condutores; Redes
de eletrodutos para residências; Dimensionamento de condutores: Pela corrente máxima
admissível, Pela queda de tensão máxima admissível; Proteção elétrica das redes;
Quadros de distribuição; Componentes, Separação de circuitos. Fator de demanda;
Potência máxima por circuitos.

Plano de Curso Simplificado FP.EP.04.08 Revisão 1 20/08/2014 Página 5 de 10


 Operações manuais: Tecnologia das conexões elétricas e tipos; Emendas de fios e cabos,
Soldagem de emendas, Isolação de emendas; Conectores.
 Eletrodutos e acessórios: Tipos, Corte, dobra e rosca, Arruelas, buchas e conectores.
Sistemas de fixação; Caixas de derivação e de passagem.
 Ensaios: Instalar lâmpada incandescente/fluorescente com tomada e interruptores simples,
paralelo e intermediário; Instalar sensor de presença, interruptor automático e temporizado
de presença; Instalar lâmpada vapor de mercúrio com relê fotoelétrico; Montar quadro de
distribuição de força e luz; Montar circuitos elétricos simulando uma residência; Interpretar
ligação de um padrão de entrada residencial, incluindo lista de material.

COMANDOS ELÉTRICOS

Fundamentos técnicos e científicos

Capacidades Técnicas:

 Utilizar dispositivos de comandos, sinalização;


 Testar a continuidade, a isolação e o funcionamento de componentes elétricos;
 Realizar manutenções preventiva e corretiva de sistemas de comandos elétricos;
 Esboçar circuitos elétricos de comando;
 Implementar sistemas de comandos elétricos;
 Aplicar normas e procedimentos de segurança e saúde no trabalho e de proteção ao meio
ambiente.

Capacidades sociais, organizativas e metodológicas:

 Trabalhar em equipe;
 Prever conseqüências;
 Manter-se atualizado tecnicamente;
 Ter atenção a detalhes;
 Ser organizado.

Conhecimentos

 Motores de indução: Princípio de funcionamento; Motor trifásico síncrono e assíncrono;


Potência, torque, rendimento, escorregamento, corrente de linha e corrente de fase; Motor
trifásico de rotor bobinado, controle de corrente de partida e velocidade; Norma para
instalação e regime de serviço de máquinas; Motor monofásico de fase auxiliar; Motor
universal.
 Segurança e proteção para comandos elétricos: Segurança diazed e NH; Características
das seguranças; Aplicação e componentes; Seletividade e proteção; Dimensionamento;
Seccionadoras; Relés térmicos; Disjuntores industriais; Relê de seqüência e falta de fase.
 Elementos de comandos e controle e equipamentos auxiliares: Cabos; flexíveis,
extraflexíveis, malhas.
 Conectores: de pressão, aparafusados.
 Contatores: de potência, auxiliares, blocos aditivos; Dimensionamento de contatores e
características.
 Botoeiras: tipos, normalização geral, disposições de localização.
 Interruptores de posição: características técnicas, recomendações de ajuste.
 Sinalizadores: características, norma de utilização.
 Sensores: capacitivos, indutivos, ópticos.
 Relés temporizadores: eletrônicos, pneumáticos; Relés de sobrecarga; Relés de
subtensão; Relés de sobretensão.
 Transformadores para comando: Isolação, TP e TC; Técnicas de teste, continuidade,
isolação e funcionamento.
 Sistemas de partidas e frenagem de motores de indução: Direta; Estrela-triângulo; Com
autotransformador; Dahlander; Rotor bobinado; Frenagem por contracorrente; Frenagem
por aplicação de CC; Soft-Starter; Inversor de frequência.
 Simbologia e diagramas de comandos elétricos: Simbologias normalizadas.
 Tipos de diagramas: Unifilar, Multifilar, Funcional, Comando, Principal.

Plano de Curso Simplificado FP.EP.04.08 Revisão 1 20/08/2014 Página 6 de 10


 Quadros e condutores para comandos elétrico: Tipos de quadros; Características e
aplicações; Normalização IP.
 Cabos: circuito de força, comandos, proteção de terra (pe).
 Tipos de conexões elétricas: terminação crimpada, soquete de pressão; Canaletas simples
e múltiplas; Norma de cores; Anilhas, etiquetas, cintas e placas de identificação.
 Técnicas de manutenção: Técnicas de teste, continuidade, isolação e funcionamento,
Preventiva, corretiva e preditiva.
 Ensaios: Verificar o funcionamento de chaves de partida,Verificar o funcionamento de
sistema de partida direta, com motor trifásico; Verificar o funcionamento de sistemas de
partida de motor trifásico com reversão (utilizando botoeiras e chaves fim de curso);
Verificar o funcionamento de sistema de partida estrela-triângulo; Verificar o funcionamento
de sistemade partida de motor Dahlander com reversão; Testar o funcionamento de
componentes usados em comandos elétricos; Implementar e testar comando elétrico para
automação seqüencial de 4 motores de indução; Verificar o funcionamento de inversor de
frequência; Realizar manutenção corretiva em circuitos de comandos elétricos.

CONTROLADORES LÓGICOS PROGRAMÁVEIS

Fundamentos técnicos e científicos

Capacidades Técnicas:

 Configurar controladores lógicos programáveis em funções de suas caracterísiticas e


estrutura;
 Programar controladores lógicos programáveis para aplicação em processos;
 Diagnosticar erros de programação

Capacidades sociais, organizativas e metodológicas:

 Ser organizado;
 Ter raciocinio lógico;
 Ter iniciativa;
 Ter responsabilidade;
 Ter atenção a detalhes;
 Trabalhar em equipe;
 Manter-se atualizado tecnicamente;
 Ter visão sistêmica.

Conhecimentos

 Controladores Programáveis: Fundamentos; características; Evolução;


 Estrutura e Características: Processador; Sistema de Memórias; Módulos de Entrada e
Saída; Fonte de Alimentação; Diferença entre controladores programáveis; Especificação e
seleção de controladores programáveis.
 Princípio de Funcionamento e Operação: Programa do usuário; Ciclo de Varredura; Tempo
de Varredura.
 Linguagem de Programação: Norma IEC61131; Classificação; Tipos; Características;
Normalização.
 Configuração do Hardware: CPU; Modelo; Características.
 Fonte de Alimentação: Sinalizações; Proteções.
 Módulos de Entrada: Digitais; Analógicos; Especiais.
 Módulos de Saída: Digitais; Analógicos; Especiais.
 Software Aplicativo de Programação: Configuração; Janela de trabalho; Pasta de Projeto;
Barra de ferramentas;
 Comandos Operacionais: Edição de uma lógica; Conexão com o controlador programável;
Monitoração do programa.
 Condições de segurança: Emergência (externo); Intertravamento (externo).

Plano de Curso Simplificado FP.EP.04.08 Revisão 1 20/08/2014 Página 7 de 10


 Conjunto de instruções: Relés; Sinais Digitais; Temporizadores; Contadores;
Comparadores; Funções Aritméticas; Sinais analógicos; Funções de movimentação de
dados; Funções de operações com bits.
 Ensaios: Elaborar programa para partida direta de um motor com comando simples;
Elaborar programa para sinalização intermitente (pisca-pisca); Elaborar programa para
partida de motor estrela-triângulo; Elaborar programa de controle de tráfego (semáforo);
Elaborar programa para carimbadeira; Elaborar programa para automatizar uma furadeira;
Elaborar programa para automatizar uma estufa.

INVERSORES DE FREQUÊNCIA E SOFT-STARTER

Fundamentos técnicos e científicos

Capacidades Técnicas:

 Instalar equipamentos Inversores e Conversores


 Aplicar normas e procedimentos de segurança e saúde no trabalho e de proteção ao meio
ambiente.
 Interpretar manuais técnicos;
 Parametrizar/configurar inversores de frequência e soft-starters.

Capacidades sociais, organizativas e metodológicas:

 Ser organizado;
 Ter raciocinio lógico;
 Ter iniciativa;
 Ter responsabilidade;
 Manter-se atualizado tecnicamente;
 Trabalhar em equipe.

Conhecimentos

 Acionamento de motor CA: Partida e frenagem; Controle pela tensão aplicada ao estator;
Controle em freqüência variável; Acionamento de motores de indução.
 Inversores: Definição; Características; Configuração de entradas e saídas; Controle de
tensão e frequência em inversores; Controle PWM da tensão de saída; Controle escalar;
Controle vetorial; Inversores monofásicos e trifásicos; Parametrização; Aplicações; Análise
de códigos de erros.
 Chave de partida suave– Soft-starter: Definição; Princípio de funcionamento; Principais
características; Configuração de entradas e saídas; Parametrização; Aplicação.
 Ensaios: Instalação de sistema de partida de motor com rampa de aceleração e
desaceleração; Local; Remota; Sistema by-pass.
 Instalação de sistema de controle de velocidade de motores: Analógico; Digital (multi-
speed).

2. PERFIL DO DOCENTE
O quadro de docentes para o Curso Eletricista Industrial - PRONATEC deve ser composto,
preferencialmente, por profissionais com formação técnica de nível médio e experiência
profissional condizente com o curso.

Plano de Curso Simplificado FP.EP.04.08 Revisão 1 20/08/2014 Página 8 de 10


3. METODOLOGIA DE ENSINO

A metodologia de ensino adotada é a Metodologia SENAI de Educação Profissional.


Os princípios norteadores dessa metodologia: a aprendizagem mediada, a
interdisciplinaridade, a contextualização, o desenvolvimento de capacidades que
sustentam competências, a ênfase no aprender a aprender, a aproximação da
formação ao mundo real, ao trabalho e às práticas sociais, a integração entre teoria e
prática, a avaliação da aprendizagem com função diagnóstica e formativa, e a
afetividade como condição para a aprendizagem significativa.

Os princípios norteadores se concretizam por meio de Situações de Aprendizagem,


atividades desafiadoras propostas aos alunos, que devem solucionar problemas,
tomar decisões, testar hipóteses ou aplicar o que aprenderam a outros contextos.

As Situações de Aprendizagem são o fio condutor do curso e oportunizam o "aprender


fazendo" por meio de estratégias como estudo de caso, projeto, situação-problema e
pesquisa. Podem ser realizadas individualmente, em pequenos grupos ou com toda a
turma, sempre com a orientação de um docente e desenvolvidas em ambientes
pedagógicos apropriados com todas as condições de higiene e segurança,
possibilitando ao aluno o desenvolvimento das competências e habilidades
necessárias para o desempenho eficiente e eficaz da sua profissão.

4. AVALIAÇÃODA APRENDIZAGEM

A avaliação da aprendizagem será feita de forma processual, diagnóstica e formativa,


ao longo de todo o processo de formação, visando permitir o diagnóstico dos avanços
e das dificuldades do aluno para que sejam feitas as intervenções pedagógicas
necessárias.

Para avaliar a aprendizagem do aluno (conhecimentos, habilidades e atitudes), serão


utilizados estratégias e instrumentos de avaliação múltiplos e diversificados,
preservando a integração das Unidades Curriculares e buscando desenvolver nos
alunos o hábito da pesquisa, atitudes de reflexão, iniciativa e criatividade. Poderão ser
utilizados estudos de casos, situações problemas, projetos interdisciplinares,
simulações e demonstrações, testes, entre outros instrumentos de avaliação.

Plano de Curso Simplificado FP.EP.04.08 Revisão 1 20/08/2014 Página 9 de 10


5. CERTIFICAÇÃO

Para certificação o aluno precisa:

 Ser considerado Promovido nas avaliações realizadas durante o decorrer do curso;


 Obter frequência igual ou superior a 75%, durante o curso e, sobretudo o
desenvolvimento das competências e habilidades específicas inerentes à
ocupação.

6. CONTROLE DE REVISÕES

REV. DATA NATUREZA DA REVISÃO

0 15/07/2015 Atualização: Item 1 – Identificação: Carga horária


Competência Geral e Requisitos de Acesso, 2 – Conteúdo
Formativo, Desenho Curricular/ carga horária das Unidades
Curriculares para atendimento à Nota Informativa
nº122/2015 e Guia FIC 4ª Edição.

Plano de Curso Simplificado FP.EP.04.08 Revisão 1 20/08/2014 Página 10 de 10