You are on page 1of 17

WHITE PAPER

Analytics e a Organização Moderna de TI


ii

Conteúdo
TI e o conceito de moderno ........................................................................2
Reinserindo moderno ao vocabulário de TI .........................................3
O que define a organização moderna de TI ..............................................3
Velocidade define a organização moderna de TI ................................3
Zonas temporais definem a organização
moderna de TI ...........................................................................................4
Antecipação define da organização moderna de TI ............................6
Tratar dados como ativos valiosos define
a organização moderna de TI .................................................................7
Ser “sem fronteiras” define a organização
moderna de TI ..........................................................................................9
Relevância define a organização moderna de TI .................................11
Desenvolvimento e suporte de produto definem
a organização moderna de TI .................................................................13
Modernidade é um alvo em constante movimento ................................14

Autor
Thornton May, Diretor Executivo e
Reitor da IT Leadership Academy
1

Todo indivíduo, todo executivo, toda organização – e, agora com a Internet


das Coisas (IoT), todo objeto na sua empresa – está em uma jornada digital.
Isso tem colocado mais pressão para que organizações de TI gerencie mais e
assumam responsabilidades maiores. Ao mesmo tempo, os profissionais da
indústria estão cada vez mais conscientes tecnologicamente e, através do uso
de ferramentas baseadas na nuvem, capazes de iniciar seus próprios
projetos de tecnologia.
Uma das necessidades mais imediatas para TI é se familiarizar com análises de
dados. Embora seja um lugar menos comum para o setor, a necessidade de
inteligência analítica está indo de um time especializado para um esforço mais
amplo, que transcende fronteiras, graças ao big data, IoT e outras iniciativas de
dados de alta visibilidade.

Está a TI preparada para essa mudança? Existe um rico ecossistema de


acadêmicos, jornalistas e pesquisadores cobrindo TI. São pessoas de TI
escrevendo para pessoas de TI. Igualmente, muito tem sido escrito sobre
análises de dados. Esse conteúdo é criado por profissionais de analytics para
profissionais de analytics.

Infelizmente, pouco tem sido escrito sobre análises de dados e TI –


especificamente como essas duas disciplinas interagem em um ambiente de
trabalho moderno. Há um vão entre esses dois grupos.
Esta pesquisa busca começar a construção de uma ponte sobre o buraco da
incompreensão mútua¹ que existe entre esses dois assuntos tão
incrivelmente importantes.

Figura 1. A intersecção entre TI e analytics é um campo de treinamento para práticas modernas


de TI.

¹ Em 1959, o romancista C. P. Snow ministrou uma palestra em Cambridge sugerindo que a vida
intelectual havia sido tão dividida entre duas culturas distintas – as ciências e as humanidades – que
a sociedade ocidental estava irremediavelmente dividida entre cientistas e poetas: “entre os dois,
um abismo de incompreensão mútua – às vezes (particularmente entre os jovens) hostilidade e
antipatia, mas, acima de tudo, falta de compreensão”. bbc.co.uk/programmes/b01phhy5
2

A Futurescapes pediu que executivos C-level descrevessem a direção na qual


suas organizações estão indo tecnologicamente; como o papel do CIO está
evoluindo; a estrutura, o pessoal e a estratégia da organização de TI do futuro,
e as atitudes, as competências e o plano de ação da empresa em relação à
análise de dados. Nós perguntamos especificamente aos executivos:

1. Em que direção você acredita que a TI moderna está seguindo?


2. Com o que se parece uma organização de TI moderna? E com o que deveria
se parecer?
3. Qual será o foco da organização de TI do futuro?
4. Quais elementos definem o CIO moderno?
5. O que diferencia um CIO moderno de um CIO tradicional?
6. Qual é e qual deveria ser o papel do CIO e da organização de TI na seleção
dos endpoints digitais?
7. Qual é e qual deveria ser o papel do CIO e da organização de TI na
preparação cultural da empresa para a jornada digital?

TI e o conceito de
moderno
Acredita-se que a palavra moderno tenha surgido no século XVI, referindo-se à
discussão entre duas escolas de pensamento – os clássicos e os modernos. Em
seu livro Palavras-chave: um vocabulário de cultura e sociedade, o estudioso da
comunicação de massa e historiador cultural Raymond Williams observa que
“durante a maior parte do pré-século XIX, o uso [da palavra
moderno] é desfavorável”.

Dizer que as coisas eram modernas – atualizadas, que rompiam com a


tradição – era, até certo ponto, visto como algo ruim e uma ideia perigosa que
necessitava de justificativa. Somente no século XIX, e “marcadamente no século
XX”, é que vemos um movimento forte na direção contrária, “até moderno se
tornar virtualmente equivalente a aprimorado.”²

Hoje, quase todas as disciplinas (como arte, economia, literatura, teatro,


política, marketing e finanças) utilizam intensa e extensivamente a palavra
moderno. O único lugar em que ela está incessantemente ausente é em TI.

² Stuart Hall, David Held, Don Hubert e Kenneth Thompson (editores). Modernidade: uma Introdução
às Sociedades Modernas. Cambridge: Polity Press, 1995.
3

Reinserindo moderno ao
vocabulário de TI
Talvez seja paradoxal que a TI, disciplina responsável por criar, gerenciar e
implementar a grande variedade de tecnologias que formam o plano de
fundo do mundo moderno não seja, em grande parte, considerada moderna.
De fato, profissionais e empresas de TI são frequentemente considerados
vergonhosamente ultrapassados.
Para vários trabalhadores com conhecimentos de próxima geração, entrar
no mercado de trabalho parece como entrar em um museu de ciência da
computação. 61% dos CIOs do Global 2000 não são vistos por executivos e
funcionários como estando à frente da curva.

O que define a organização


moderna de TI
Então a maioria dos grandes CIOs são vistos como dinossauros. Como eles
podem se salvar da extinção? A resposta está nas coisas que definem uma
organização de TI como moderna.

Há algumas maneiras de assim fazê-lo – e como essas empresas estão


estabelecendo processos que irão mantê-las relevantes no futuro. Esses
elementos são comuns entre grupos de TI que aprenderam a responder
problemas corporativos com soluções rápidas, significativas e visionárias.

Velocidade define a organização


moderna de TI
Velocidade define a era moderna. No livro Choque do futuro (1970), o escritor
futurista Alvin Toffler resumiu a ideia generalizada de que o mundo estava
mudando tão rápido que muitos de nós – na verdade, a maioria de nós – não
poderia acompanhar confortavelmente essas transformações. Parte de ser
moderno significa dominar a aceleração em vez de ser vítima dela.

A TI está sendo pressionada por prazos cada vez menores. Ela está sendo
requisitada a entregar resultados muito mais rápido. A organização moderna
de TI não pode ser vista como lenta ou atrasada. A TI precisa se posicionar e não
ser a âncora do passado – mas o acelerador para o futuro.
4

O ritmo da vida acelerou. No setor comercial, o tempo médio que uma


empresa passa no índice S&P 500® diminuiu em 80%, de 75 anos no final da
década de 1930 para 15 anos em 2000. O ciclo de ‘campeão’ (isto é, o melhor,
aquele que é elogiado por Wall Street e que tem cobertura favorável da
imprensa) ao ‘pateta’ (o fundo do poço, aquele que enfrenta ações judiciais de
acionistas e cobertura midiática muito desfavorável) foi comprimida. Para lidar
com isso, muitas empresas buscam criar capacidades analíticas diferenciadas.

As organizações estão utilizando previsões com mais frequência, de olho em


capturar diferentes versões do futuro. O aumento na frequência de geração de
previsões tem levado muitas empresas a automatizar os processos de
previsão e planejamento.

O McDonald’s executa um dos mais bem-gerenciados programas de inovação


ponta-a-ponta do mundo. Isso inclui cozinhas de teste, laboratórios alfa,
testes beta, testes de campo, simulações e pesquisas etnográficas. Com essas
habilidades, a equipe de gestão sênior continua a diminuir a janela estratégica
que vai da ideia à implementação. Em 2007, por exemplo, inovadores eram
encarregados de criar alternativas dentro de um período de três anos. Em
2012, esse tempo diminuiu para 18 meses.

Duas ressalvas surgem até mesmo da observação mais superficial do


ambiente moderno:

1. As coisas estão acelerando;


2. A aceleração não é uniforme.

Zonas temporais definem a


organização moderna de TI
O CIO de uma empresa manufatureira está gerenciando uma transição em
uma parte significativa de seu produto-base, de objetos físicos passivos para
produtos informativos conectados. Isso pode ser feito através de sensores
utilizados para coletar, analisar e agir a partir de informações. O executivo
compartilhou os desafios de tentar inserir zonas temporais em uma cultura
muito operacional.
5

Assim como a maioria dos CIOs, ele está tentando


colocar em prática a TI clássica, que centra quase “Eu tento falar com meus
todos os esforços na zona temporal do AGORA. E é funcionários sobre coisas
preciso cuidar do AGORA. Isso só não pode tomar
todo o seu tempo. de daqui a dois anos. Eles
me olham com surpresa e
Quando uma CIO moderna – como Ina Kamenz, atual respondem ‘eu estou tentando
CIO e Vice-Presidente da Eli Lilly and Co., depois de
atuar com TI estratégica na Thermo Fisher Scientific,
fechar o trimestre aqui! Queria
Tyco e Marriott – é inserida em uma nova organização ter o seu emprego, em que
e com carta branca, o que ela deveria fazer? eu posso sentar e sonhar com
Ela provavelmente faria o que fez quando foi levada
à Tyco para transformar a empresa ou quando
coisas que podem acontecer
foi contratada para “consertar” a TI da Marriott. daqui a um ou dois anos. Eu
Ela embarcaria em um programa de vários anos, preciso bater as minhas metas’.
projetado para estabilizar o núcleo, gerenciar os
dados e se conectar com clientes e fornecedores.
É muito difícil engajar – com a
exceção de pequenos grupos
Na Thermo Fisher Scientific, uma organização
multinacional de US$ 10 bilhões, Kamenz levou oito
de P&D. Ninguém na empresa
semanas trabalhando com três treinadores externos pensa tão a longo prazo.”
para responder a três perguntas essenciais:

• Quais são os processos-chave da empresa?


• Quão importante era cada processo para o sucesso geral da empresa?
• Quão íntegras eram as aplicações de TI na base desses processos?

Com essas informações, Kamenz e sua equipe puderam iniciar diálogos


produtivos com as linhas de negócios sobre quais dos principais problemas
enfrentados pela empresa poderiam ser resolvidos. Seis apareceram. A equipe,
então, se dedicou a encontrar soluções criativas para lidar com essas opções:

• Construir um novo sistema;


• Comprar um pacote;
• Terceirizar;
• Outros.

Uma vez que você tenha as respostas, você pode começar a determinar quais
são seus objetivos para cada área e qual velocidade cada iniciativa terá. Haverá
projetos de “agora” e projetos que te preparam para o futuro. Um diálogo
constante com acionistas entre as unidades de negócio serve como medidor
de velocidade para esses esforços.
6

Antecipação define da
organização moderna de TI
O CIO de uma companhia de bens de consumo
duráveis explica sua estratégia para se manter “Eu me mantendo moderno
moderno e escapar da força gravitacional do “agora”: olhando para muito além da
Para ser verdadeiramente moderno, não é suficiente
minha função ou da minha
ser atual. Ser uma organização moderna de TI indústria. Eu estou montando
significa estar à frente de seu tempo. uma casa inteligente. Estou
Glenn Wegryn, Diretor na Analytic Impact LLC, fazendo eu mesmo o trabalho.
liderou uma organização analítica focada em Estou brincando com coisas
operações na P&G, o que trouxe abordagens
diferentes. Quando penso
avançadas e rigorosas a centenas de projetos
pelo mundo, influenciando bilhões de dólares em ‘como eu posso contribuir
decisões. A organização foi reconhecida por suas com avanços tecnológicos
conquistas tendo sido finalista por três vezes ao
Prêmio Franz Edelman.
em nossos produtos?’ não é
porque estou estudando outras
Wegryn acredita que ambos os grupos de analytics e
TI em uma organização compartilham esse objetivo.
empresas de bens de consumo.
Nenhum deles quer ficar para trás. Como ele destaca, Eu estou estudando para onde
a análise dados moderna é sobre “ser capaz de se os investimentos estão indo.
antecipar e se manter à frente dos negócios”.
Que tipos de startups? Onde
Thomas Friedman, colunista do New York Times, está a próxima empreitada
escreveu ao final da conferência de Davos em 2009
tipo Google ou Apple? Como
que “todos estão procurando o cara – o cara que
pode te dizer [...] exatamente como nós podemos podemos entendê-la?”
sair dessa confusão e exatamente o que você
deveria estar fazendo.

Mas eis o que é realmente assustador: o cara não está aqui”. A pessoa
que pode dizer às organizações não apenas como sair da confusão atual,
mas também como evitar entrar na próxima, não é uma pessoa ou um
departamento. Esse tipo de previsão surge quando TI e analytics
funcionam bem juntas.
7

Tratar dados como ativos


valiosos define a organização
moderna de TI
Cada executivo participante da entrevista foi perguntado se havia um endpoint
oficial e explicitamente designado para a jornada digital da sua organização.
57% tinham um endpoint digital para o qual todos na empresa conseguiam
apontar e afirmar “é, é para lá que estamos indo”.

Das organizações que disseram ter um endpoint bem definido para a jornada
digital, 84,8% tinham um que envolvia o domínio analítico. A figura 2 mostra a
divisão entre indústrias.

John Kessler, CIO da Motorists Insurance Group, compartilhou com colegas a


abordagem simples, direta e ajustada aos riscos que sua organização assumiu
para criar um domínio analítico. O grupo de TI frequentemente ouvia que não
poderia tomar decisões de negócios devido a dados com baixa qualidade
ou inconsistentes.

“O que nós acabamos fazendo


foi – parar. Eu reuni líderes de
todas as áreas funcionais de
todo tipo de empresa. Eu os
reuni e disse: ‘nós queremos
que cada um de vocês escreva
uma história de usuário – uma
questão de negócios simples
e fundamental que eles não
podem responder ou um
problema de negócios simples
e fundamental que eles não
podem resolver. Textos curtos.
Não tente abraçar o mundo.
Figura 2. O endpoint para a jornada digital de uma
organização pode variar de indústria para indústria. Não tente ferver o oceano.
Talvez duas ou três frases’.
8

Uma vez que eles entenderam que havia alguns


problemas em comum, Kessler e seu time voltaram Todos esses líderes voltaram
com uma solução. Era baseada em promover o valor
dos dados como ativos valiosos, o que se tornou um e escreveram suas histórias.
ponto inicial para a ação. Eles foram, então, capazes Nós os reunimos novamente
de procurar e contratar um diretor de analytics que como um time integrado. Nós
tinha um time de programadores ETL, analistas,
consultores e outros funcionários que representavam compartilhamos toda santa
todas as áreas funcionais. história. Conforme fazíamos
isso, entendemos o valor de
O que esse CIO compreendeu foi a importância de
mostrar que os dados por si só – não a plataforma termos um grupo integrado.
nem a solução – têm o poder transformação. Ao Nós obtivemos o valor de
desacoplar o valor dos dados de seus receptáculos,
você pode focar em quais dados podem levar a
termos o entendimento
análises melhores. E quais regras você precisa aplicar compartilhado sobre os
para melhorar as coisas. problemas de todo mundo.
Nós conseguimos uma
compreensão mútua de
que a história do outro não
é totalmente diferente da
minha e que talvez os dados
necessários para resolver os
problemas deles não sejam
tão diferentes dos dados
necessários para resolver o
meu.”
9

Ser sem fronteiras define a


organização moderna de TI
Gary Beach, autor do livro The US technology skills gap: what every technology
executive must know to save America’s future, trabalhou na IDG, editora do
Computerworld, Network World e CIO Magazine. Com essa experiência, ele
observou que, para que a TI seja realmente moderna,

Muitas organizações têm problemas com o conceito


de ser sem fronteiras. Um CIO notou que muitas “Não pode haver fronteiras.
organizações de TI tinham um obstáculo importante
que os impediam de ser realmente modernos. É o
Nós crescemos em uma era na
‘território’, em que diferentes unidades de negócio qual a TI começa aqui e termina
enxergam aplicações, dados e outros ativos de TI ali. Esse mundo não existe
como deles e não como um recurso compartilhado.
mais. Não é mais limitado. A TI
Esse “territorialismo” pode levar a um campo moderna não tem fronteiras.”
minado. Como Gary Beach observou, isso pode
incluir “relações pessoais, mudanças de gestão e
dinâmica organizacional. Nós focamos externamente
em aprimorar a vida de uma pessoa ao proporcionar
noites de sono melhores, e não com problemas
sem importância como ‘isso é trabalho do meu
departamento, não do seu.”

Stuart Scott é SVP e CIO na Tempur Sealy “enxergar dados compartilhados


International Inc. Anteriormente, ele foi Chief como um ativo valioso é um
Information Officer na Microsoft Corporation, onde
era responsável pelas organizações de TI, Qualidade elemento importante para se
e Gestão de Risco. Ele concorda que o obstáculo tornar uma organização de TI
que impede muitas organizações de TI de serem
realmente modernas é o que ele chama de
sem fronteiras. Ao focar nos
territorialismo. elementos que são comuns
pela organização, a TI pode dar
atenção à infraestrutura por trás
das aplicações e trabalhar com
analistas na automação
e no mapeamento de
processos corporativos.”
10

John Deane teve cargos sênior pela Abercrombie & Fitch, Wendy’s
International e Caremark Rx. Sua perspectiva, em mais de 30 anos em TI,
mostrou a ele que grupos de tecnologia estão sempre em uma jornada
digital. Ele agrupa essas jornadas em três migrações épicas:

1. Geração Computação 2.0 para Geração Computação 3.0. O bloqueio e


o ataque associados à automação dos processos de negócio principais:
“implementação de redes de distribuição, gestão de pedidos, sistemas
financeiros. Itens essenciais da rede”.

2. Descobrir que a empreitada de TI não precisava construir todos os


sistemas do zero. Compreender as coisas vastas e díspares que ocorrem
quando alguém está construindo sistemas customizados. Perguntar “por
que estamos construindo mais um sistema de contas?”.

3. Advanced analytics (em andamento). O entendimento de que nós


tivemos de 7 a 12 anos de dados passeando passivamente por aí levou
à obtenção de algum valor, o que levou a melhores retrospectos, o que
levou a previsões e mais previsões, o que finalmente culminou na etapa
transformativa de hoje: análises de dados avançadas/prescritivas.
11

Relevância define a organização


moderna de TI
CIOs modernos se concentram no porquê as pessoas compram a tecnologia
em primeiro lugar, e não no que Daniel Barchi, CIO e Vice-Presidente Sênior
na Yale-New Haven Health Services Corp. e CIO na Yale University School of
Medicine, chama de “síndrome do objeto brilhante”. Verdade seja dita, uma
vez que as pessoas superam a novidade, elas não se importam mais com os
computadores. Elas se importam com o que os computadores podem
fazer por elas.

Barchi diz repetidamente aos executivos de TI que


querem ser CIO um dia que:

“Eu não fico deslumbrado com


Em um artigo inspirador da Harvard Business
Review³, Ted Levitt salientou que as pessoas, na
luzinhas piscando e discos
verdade, não compram produtos; elas compram girando. Eu tenho nove data
os benefícios que esses produtos oferecem. centers. O que realmente me
Assim, as pessoas que compram pás, não estão
realmente comprando pás; elas estão no mercado
anima, onde eu quero passar a
pelos buracos ou pelo deslocamento de terra que maior parte do meu tempo, é
o equipamento lhes permite conseguir. Alguém fazendo executivos pensarem
comprando cosméticos não está comprando
produtos químicos; está comprando esperança. além do computador e/ou
dispositivo, e realmente focar
Isso parece óbvio, mas a causa número 1 da em como nós estamos usando
destruição de valores e o erro mais frequentemente
cometido pelos responsáveis por criar estratégias esse tipo de dado. Eu fico feliz
para encontrar as tecnologias do futuro é focar em dizer que nós estamos
demais nas características e funções da tecnologia começando a fazer as coisas
em questão, e não o suficiente em como a tecnologia
atende aos requisitos da missão. do jeito certo.”

Pesquisas empíricas indicam que a maioria das organizações mapeia a


tecnologia da maneira errada. Elas começam com a tecnologia, mas é no
objetivo humano que o mapa deveria começar. Mapas deveriam começar com
o viajante – onde a empresa quer chegar e se o veículo atual (ex., tecnologia-
base existente) é suficiente para alcançar o destino.

³ Marketing Myopia, 1960.


12

Gary Cantrell, ex-CIO na Textron e atual CIO na


Jabil, explica o foco corporativo intenso que ele
incorporou ao seu time:

“Nós falamos sobre uma


maneira diferente de fazer
negócios. Nós falamos sobre
as expectativas do cliente
quanto à velocidade, eficiência
e resultados. Nós falamos
muito mais sobre os possíveis
resultados corporativos.
Quando nosso time interno
começa a falar ‘aqui está o meu
código. Este bloqueio está feito’,
nós mudamos completamente
o ritmo e dizemos: ‘olha, o
fato de que você fez o seu
trabalho é muito bom, mas
completamente irrelevante. Até
que consigamos o resultado
que precisamos, ninguém liga’.
Nós ainda dizemos a eles que
é ótimo que tenham entregado
suas partes, mas que nós
precisamos chegar no resultado
antes de poder declarar o
sucesso da tarefa.”
13

Desenvolvimento e suporte de
produto definem a organização
moderna de TI
CIOs têm sido categorizados erroneamente como licitadores de máquinas ou
vendedores de “grandes aplicativos”. A TI é capaz de fazer muito mais que isso.

John Deane lamenta que “muito pouco crédito é dado pelo alto escalão
à capacidade de TI em criar conceitos”. Deane busca banir a mentalidade
decididamente não moderna de que “a TI está lá para seguir ordens e
depois voltar para o seu buraco”. Tudo isso está mudando. A TI moderna está
desempenhando um papel animador e crescente no desenvolvimento de
novos produtos – graças à inteligência analítica.

Stuart Scott está muito animado com o que o futuro reserva: “eu acredito que
o maior investimento à frente se concentrará no aprimoramento dos recursos e
do conjunto de habilidades de TI para melhorar o sono de mais pessoas toda
noite, pelo mundo inteiro”.

Ele continuou, traçando uma analogia sobre como a


tecnologia está melhorando uma das necessidades
humanas mais básicas: dormir.

“O colchão tem sido melhorado por mais de um século através de


engenharia mecânica, elétrica e química. Bases ajustáveis podem levantar sua
cabeça e pés, e alguns podem ter, ainda, massageadores. O desafio é que
uma boa noite de sono pode ser tão única e pessoal quanto uma impressão
digital. Ao adicionar engenharia computacional às tecnologias de sono
atuais e futuras, sua plataforma de sono poderia se ajustar automaticamente
durante a noite para se adaptar às necessidades individuais. Sensores
digitais combinados com algoritmos de aprendizagem podem transformar
seus dados em informação e a informação em ações para entregar
consistentemente o melhor sono da sua vida”.
14

Modernidade é um alvo
em constante movimento
Quando Don Giovanni, de Mozart, estreou em Praga, em 1787, ela foi vista
como música moderna. Quando Don Giovanni foi tocada em Toledo, OH,
em 2013, foi considerada clássica. O moderno é um alvo em movimento.
A ciência moderna é mais precisa e válida do que a ciência Vitoriana. Hoje,
qualquer um praticando ciência Vitoriana seria incompetente e qualquer um
praticando medicina Vitoriana estaria sujeito a processos por negligência. Isso
também pode ser dito sobre TI, apenas com um cronograma muito mais curto.
Qualquer organização de TI praticando TI da maneira que era feita cinco anos
atrás está beirando a má conduta.

Marv Adams, ex-CIO na Ford Motor Co., Fidelity Investments, Citigroup e atual
Chief Operating Officer na TD Ameritrade, acredita que a TI, agora que toca
tudo e todos, não pode mais ser pensada como apenas uma coisa. Tarefas
como a de manter um sistema ERP global, corrigir softwares de produtividade,
estabelecer comunicação máquina-a-máquina entre sensores, negociar
políticas de gestão de dados com governos europeus, incorporar ética no
código que rege veículos autônomos, e infinitas outras tarefas poderiam ser
incluídas no escopo de TI.
To contact your local SAS office, please visit: sas.com/offices

SAS and all other SAS Institute Inc. product or service names are registered trademarks or trademarks of SAS
Institute Inc. in the USA and other countries. ® indicates USA registration. Other brand and product names are
trademarks of their respective companies. Copyright © 2015, SAS Institute Inc. All rights reserved.