You are on page 1of 5

Anac fecha os helipontos e Kassab estabelece heliportos 24 horas em São Paulo por

Geraldo Nunes
, Seção: Geral 15:28:16.

A Anac – Agência Nacional de Aviação Civil determinou o fechamento de 16 helipontos na cidade de


São Paulo para atender a uma lei municipal.

A legislação recentemente aprovada determina a proibição do funcionamento de helipontos


durante a madrugada, determinando distância de 300 metros de escolas e hospitais, com ruído
máximo de 95 decibéis.

Maior parte dos pontos interditados fica em prédios comerciais da Avenida Luís Carlos Berrini e os
empresários que se utilizam de helicópteros para fugir do trânsito já estão reclamando.

(GN/Cmte. Anderson)

A cidade tem 272 helipontos homologados pela Anac, dos quais só 85 possuem licença do governo
municipal para operar.

Um exemplo de heliponto homologado é este que vemos nas proximidades da Avenida João Dias,
em Santo Amaro, onde um helicóptero começa a circundá-lo para pousar.

(GN/Cmte. Anderson)
As leis que regem o tráfego aéreo, assim como o terrestre, são de âmbito nacional, mas o prefeito
Gilberto Kassab sancionou a lei dos helipontos, de autoria do vereador Chico Macena (PT) aprovada
pela Câmara Municipal.

Como os vereadores não pensam muito sobre aquilo que decidem, Kassab admitiu rever a lei
propondo a liberação pelo menos de heliportos para operações 24 horas.

Existem emergências que precisam em várias situações serem atendidas por helicópteros durante
as madrugadas.
Para isso é que existem os heliportos que são apenas dois na capital paulista, um no Jaguaré e
outro no Campo de Marte.

Muita gente não sabe a diferença entre heliponto e heliporto.

Os helipontos ficam na parte mais alta dos edifícios e para pleno uso precisam estar sinalizados.
Neles os helicópteros podem pousar para embarques ou desembarques e depois seguem retomam o
voo.

(GN/Cmte. Anderson)

Alguns helipontos entram em desuso e perdem a homologação da Anac. É o que está sendo visto
na foto acima.
Este é o topo do prédio onde funcionou a Itautec, na Avenida do Estado.

A empresa mudou-se de lá e a plataforma para pousos e decolagens está abandonada.

Logo abaixo o que aparece é o prédio da Polícia Federal na Lapa, onde se pode pousar desde que
autorizado pela direção do edifício e na presença de um bombeiro. Este procedimento é válido
para todos os helipontos.
(GN/Cmte.Anderson)

Com relação aos heliportos, estes funcionam em áreas térreas.


Na sequência de fotos observe a nossa chegada heliporto do Campo de Marte.

(GN/Cmte. Anderson)

Antes de iniciar o taxiamento até o hangar de pouso e reabastecimento, o piloto precisa tocar com
a aeronave neste quadrado sinalizado.
(GN/Cmte. Anderson)

Esses quadrados menores existem porque há luzes ao redor do ponto de pouso para procedimentos
noturnos.

A sinalização informa as direções de decolagem e o número avisa que naquele local podem pousar
aeronaves pesando até quatro toneladas.

(GN/Cmte. Anderson)

Para a Associação Brasileira de Pilotos de Helicóptero a decisão de se fechar 16 helipontos em São


Paulo
irá causar mais transtornos que benefícios.

As operações ficarão restritas aos demais 272 helipontos que escaparam da penalização.
A decisão ia aumentar o número de reclamações por parte dos moradores.

Atualmente existem 550 helicópteros registrados na capital paulista. É a maior frota do mundo,
superando inclusive Nova York que possui 445 aparelhos.

Na cidade de São Paulo ocorrem diariamente cerca de 200 operações de pouso e decolagem
envolvendo helicópteros.