You are on page 1of 42

VIVENCIA CRISTA

AUTOATIVIDADE DO CAPITULO 01

1- Vivencia cristã é ter como padrão de vida ou referencia vida de Cristo, buscando se aprimorar para
Agradá-lo, estabelecendo como alvo o crescimento espiritual.

2- Personalidade é tudo aquilo que distingue um indivíduo de outros indivíduos, ou seja, o conjunto de
características psicológicas que determinam a sua individualidade pessoal e social. A formação da
personalidade é processo gradual, complexo e único a cada indivíduo. Já o caráter é a maneira de agir de
cada individuo, é formado a partir das escolhas, atitudes, decisões, ou seja, é aquilo que o endividou é.
Lembrando que Deus vê o caráter do homem e é nele que Ele trabalha.

3. A Palavra de Deus é fundamental para vida cristã, pois , é Ela que capacita o homem para a vida cristã,
é Ela que orienta o crente pois ensina como devemos agir em todas as áreas de nossa vida.Quando
necessário nos repreende,nos corrige e nos instrui a justiça,nos preparando para o exercício de boas obras.

4- É o Espírito Santo que faz todo o processo de conversão do homem. Revelando a


Verdade as pessoas; capacitando a fazer a vontade de Deus, dando poder para realizar o
ministério de cada um e ajuda a vê,saber e ser o que Deus deseja.

5- Conhecimento no sentido literal quer dizer ato o efeito de conhecer, faculdade de conhecer. No sentido
bíblico conhecimento, significa relacionamento íntimo entre o homem e Deus, conhecendo
profundamente e não apenas acumulando informações sobre Ele.

6- Conseguimos um conhecimento de Deus a partir do momento que fazemos investimento de tempo em


buscá-lo, sendo que esse tempo tem de ser com qualidade.Devemos ter essa atitude de querer crescer no
conhecimento porque foi Ele que tomou a iniciativa de restaurar o relacionamento com o homem;porque
é vantajoso
esse conhecimento,quando O conhecemos Ele reparte conosco Seus planos para nossa vida e porque o
resultado do conhecimento de Deus é a vida eterna ao Seu lado.

7- Só através da Palavra que o homem adquiri conhecimento intimo com Deus, a partir desse
conhecimento ficamos sabendo o plano para nossa vidas e tudo que foi feito pelo Seu filho o Senhor Jesus
para que o plano de salvação fosse cumprido em cada um de nós.

8- As quatro formas são:


Reservar um tempo semanal para o estudo da Palavra;
Adquirir dicionários bíblicos e da língua portuguesa;
Adquiri livros de apoios e comentários bíblicos;
Escolher um lugar reservado para que possa meditar na Palavra.
A meditação permite experimentar a profundidade de um relacionamento mais íntimo com Deus.

9- Oração é uma conversa, um dialogo com Próprio Deus.Essa prática gera um conhecimento maior de
Deus ,pois,na oração nos rendemos a Ele,nos colocando em Suas mãos,nos colocamos sob a Sua vontade
e prestamos a Ele adoração.
10- Estabelecendo uma vida devocional com Deus, que deve ser praticado com simplicidade e
espontaneidade. Aplicando-nos na meditação da Sua Palavra e na fidelidade à oração.

AUTOATIVIDADE DO CAPITULO 02
1- A prática verdadeira da vida cristã e não apenas as palavras de um discurso. O crente tem que se
esforçar para ser o que prega e está de acordo com a Bíblia.

2-Espírito de crítica, intolerância, sofisticação, suspeita, cinismo, preconceitos, reações rancorosas,


orgulho, atitudes de rejeição e atitude fechada, inacessível.
O espírito de crítica - pode se manifestar com olhares de censura; quando sempre existe reprovação ao
que se recebe;

Reações rancorosas- guardar mágoa de alguém ou agir com raiva diante de uma determinada situação;

Orgulho – distorce a percepção do que é real e o homem é levado a pensar que é um ser superior aos
demais.

3- A família tem sido alvo de ataque sistematizado pelas forças das trevas. A falta de comunhão,
intercessão, cooperação, confiança e respeito, são algumas das diversas formas que descaracterizam a
família, segundo os padrões bíblicos, nos dias de hoje.

4- Os requisitos foram divididos em 03 grupos: qualificação moral. Qualificação espiritual e qualificação


familiar, nesse texto a administração do lar é dado ênfase para que os lideres da Igreja possa ter sucesso
no desenvolver do seu ministério, como lemos em I Tm3.2.... “marido de uma só mulher... que governe
bem a sua própria casa e seus filhos...”

5- As semelhanças são: tanto autoridade civil como a espiritual proporciona cobertura,estabelece direitos
e deveres e estabelece aos cidadãos bem estar físico no caso de autoridade civil e no caso da autoridade
espiritual estabelece cobertura espiritual e segurança.
As diferenças são: nenhuma autoridade humana pode sobrepor à autoridade divina, a civil descreve os
direitos e deveres para com a sociedade, enquanto a espiritual nossos direitos e deveres são para com
Deus e as autoridades eclesiásticas.

6-Cumprir com os deveres de cidadão, como exemplo pagar impostos, cumprir a lei, prestar obediência as
autoridades estabelecidas. Além do dever da oração pelas autoridades, já que toda autoridade é
constituída por Deus.

7- Através da vida profissional, somos capazes de proporcionar alimentação e o bem estar de nossa
família, no âmbito da Igreja tendo condições de contribuir com dízimos e ofertas dessa forma ajudando no
crescimento da obra, a na vida pessoal através de um bom testemunho, proporcionar um bom
relacionamento com todos que nos cercam, aproveitando as oportunidades para levar o Evangelho e até
mesmo ganhando almas sem pronunciar uma única palavra, simplesmente pelo bom testemunho.

8- Direitos dos empregadores: receber do trabalhador os serviços por todo o período de tempo para o qual
foi contratado, usufruir das habilidades que o trabalhador disse possuir. Os deveres dos empregadores
são: tratar com humanidade seus empregados,esses não devem ser oprimidos; pagar os salários sem
defraudar os valores.
Direitos dos empregados: conceder seus serviços no período de tempo para o qual foi contratado;as
habilidades devem ser usadas na íntegra para execução dos objetivos da função.Os deveres são: respeitar
os empregadores e fazer jus ao salário que ganha.

AUTOATIVIDADE DO CAPITULO 03
1-R: diabo= Tentações.
Espírito Santo= Consciência que nos defende fortalecendo e ajudando na vitoria.
diabo e Espírito Santo= Ambos influenciam corpo e alma.
Desejo da carne= Tentações pecaminosas.
Coisas do Espírito= É que nos aproxima de Deus.
Obras da carne= Todo que é imoral e impuro.
Fruto do Espírito= Domínio própria bondade e fidelidade.

2- Os frutos do Espírito e as obras da carne são dois grupos que devem ser estudados pelos cristãos, sendo
que os frutos do espírito devem ser buscados incessantemente por cada cristão e as obras da carne devem
ser estudadas para assim conseguirmos combater e nos afastar desse grupo.

3- As obras da carne são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, contenda,
ciúmes, iras, facções, dissenções, heresias (partidos), inveja, bebedices, orgia e coisas semelhantes a estas.
Das obras da carne que estão ligadas a vida sexual são a prostituição e orgias.

4- Enquanto as obras da carne se originam no nível humano e carnal,os frutos do Espírito são o resultado
de uma ação divina,onde o homem não tem nenhuma participação a não ser submeter-se ao Poder de
Deus e permitir Sua ação em sua vida.

5- As características do fruto do Espírito são:


amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio.
Mansidão – apensar de atualmente essa característica ter uma conotação de fraqueza e inércia, na
realidade é uma demonstração superior de um controle consciente das explosões de ira, visando manter
sempre a calma e tranquilidade em momentos difíceis.
Domínio Próprio – está relacionado a mansidão, onde o cristão consegue ter autocontrole ,autodisciplina
,temperança e moderação.Consegue em momentos de conflitos controlar a ira ,uma das Brás da carne.
Alegria – é a sensação de está bem, feliz independente das circunstancias, isto só pó de vim do Senhor.
Longanimidade – um ânimo que não se altera face às dificuldades. Permite suportar as tribulações de
forma quieta e sossegada confiando na providencia de Deus.

6- As áreas que o cristão deve ter autocontrole são: R: Controle da língua, controle da mente e controle
dos hábitos cotidianos.
Devemos sempre estar revestidos pelo Espírito Santo de Deus, deixando que Ele opere em nos para que
nos purifique, renovando e mantendo o controle.

7- As características do caráter abordado por Pedro são: virtude, conhecimento, perseverança, piedade,
fraternidade, crescimento em amor.

8. Pela força humana qualquer tentativa de desenvolver esse caráter será frustrante, a única forma é deixar
que o Espírito Santo desenvolvesse em nós essas qualidades.
AUTOATIVIDADE DO CAPITULO 04
1-A santificação é separação para Deus, é a posição da salvação em Jesus Cristo livre do pecado, sendo o
efeito da obediência à Palavra de Deus na vida de alguém.

2-Sempre fazendo a vontade de Deus, obedecendo e praticando a verdade. Ela deve atingir até os lugares
mais altos onde Deus está que sua Gloria.

3- É Soberano, são ordens de Deus sobre todas as coisas existentes até mesmo sobre nossas vidas.

4- O Reino de Deus é algo é espiritual e invisível é o próprio Deus reinando dirigindo todas as coisas e
nossas vidas, já Reino dos Céus se refere a algo físico e visível é o reino prometido por Deus na terra
através de Jesus. Mas ambos representam o governo de Deus.

5-Amar a Deus de todo coração e também ao próximo como a mim mesmo. Esse é o maior mandamento.
Marcos 12: 30-31

6-Sim, cumprindo o ide de pregar o evangelho e batizando em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

7-O dever é buscar primeiramente o Reino de Deus e o direto é Deus sendo Fiel, acrescentando todas as
coisas.

8- Como plano da salvação, por Seu grande amor nos redimindo através de Jesus.

9-. Quando nascemos de novo através do batismo, tomando posse completa de todos das promessas de
Deus.

10- Atentar a respeito da justiça de Deus, obedecendo aos mandamentos, e cuidando para sempre estar
praticando a verdade.

AUTOATIVIDADE DO CAPITULO 05

1- O dever básico de todo cristão é temer a Deus e guardar seus mandamentos. A principal razão para que
nem só todo cristão mais todo homem cumpra isto é um dia todos (crentes e não crentes) estarão diante do
juízo de Deus dando conta de todas suas ações, onde suas obras serão avaliadas.

2- Uma das principais questões que o temor do Senhor leva os cristãos é a questão do compromisso para
com Ele e para com Seu reino.Deus deve estar em primeiro lugar em nossas vidas,ou seja, acima de
qualquer coisa ou pessoa.Quando a seriedade não ocorre isto é considerado negligencia e as
consequências na vida do home é muito grave.Quem tem compromisso com o Senhor tem duas
características predominantes a responsabilidade e a fidelidade.Temos que fazer sempre o melhor para
Deus com absoluta fidelidade.
Quando desobedecemos à vontade de Deus sofremos as consequências. Sem compromisso sério com
Deus não existe intimidade com Ele.

3- Falta de Temor ao Senhor: Quando os filisteus roubam a Arca de Deus. (1 Sm. 4:16). E sofreram as
consequências por esse motivo Deus os afligiu. (1 Sm. 5:1-12). Temor ao Senhor: Após a saída do povo
de Israel do Egito, Deus ordenou a Moisés que construísse o Tabernáculo e todos os seus utensílios. Deus
entregou a Moisés um modelo exato de tudo que seria construído. (Hb. 8.5).

4- As áreas nas quais o temor do Senhor deve ser evidenciado, são: nos pensamentos,nas palavras,nas
ações,nos sentidos corporais (ouvidos,tato,olfato,visão,paladar),na vida financeira,no uso do tempo,no
trajar,no
relacionamento com sexo oposto,nas atitudes com autoridades.

5- Para entendermos os tempos pós-modernos precisamos dá uma pincelada sobre o que ocorreu no
modernismo. Esse período foi marcado pela crença na razão e no progresso, onde tirou Deus do centro do
universo e colocou o homem. Os valores deixaram de vir do plano transcendental e passaram a ser ditados
pela vida terrena.
Mas no século XX aparece colocando em xeque esse pensamento, pois a razão começava a perder o
sentido, a ordem mostrava caos e o progresso que prometia uma viagem tranquila para a felicidade
parecia ser a trilha para o fim do mundo. O homem passou a questionar-se sobre as virtudes quase divinas
que ele tinha de si mesmo e a euforia no progresso dá lugar às incertezas do futuro.
O pós-modernismo está marcado por uma atmosfera de vazio, do tédio. Nesse clima a Igreja se vê diante
de um enorme desafio. Viver o evangelho, sobreviver ou assimilar as mudanças. Ou seja, assimilar no
sentido de adaptar-se as mudanças para não por empecilhos ao crescimento, ao convívio a sociedade ou
assimilar no sentido de compreender e responder.

6-As filosofias mais marcantes são: pluralismo, relativismo, consumismo, erotismo.

7- Hedonismo é uma doutrina que busca sem limites o que proporciona prazer, onde o prazer individual e
imediato é considerado a finalidade da vida.
Infelizmente essa doutrina é acolhida por muitos cristãos que tem como principal consequência o grau
elevado de descomprometi mento que é observado na igreja atual.Muitos tem dedicado seu tempo livre
somente para o prazer em detrimento da obra de Deus,onde a igreja tem uma prioridade muito baixa nas
vidas dos crentes.Uma forma de hedonismo na igreja é a Teologia da Prosperidade,onde a honra devida a
Deus esta sendo transferida para o homem.Essa teologia apresenta Deus como promotor da felicidade que
está a nosso serviço.

8- Relativismo é uma linha de pensamento que nega que possa haver uma verdade absoluta e
permanente, ficando cada individuo definir a sua verdade. Nessa ótica tudo é relativo ao local, a época ou
a outras circunstancias.
O relativismo atinge a igreja no sentido que perdem a capacidade de influenciar, pois no relativismo todas
as religiões são vistas como caminhos para a vida com Deus e ninguém aceita a ideia de um exclusivismo.
Os conceitos de certo e errados deixa de existir sendo justificado a partir da cultura e do bem estar do
homem, que agora ocupa o centro de todas as coisas.

9- A mordomia cristã é um estilo de vida. É o estilo de vida de uma pessoa que conhece e aceita o
senhorio de Jesus Cristo e trabalha em sociedade com Deus atuando como Seu agente na administração
de Seus negócios na terra.

10- As principais áreas da mordomia cristã são: mordomia no tempo, mordomia dos bens e recursos
financeiros (dizimo),mordomia do corpo,mordomia da alma.mordomia do espírito,mordomia dos
pensamentos e das palavras.

AUTOATIVIDADE DO CAPITULO 06
1- O perdão é de suma importância na vida cristã devido às implicações na vida pessoal, espiritual e
ministerial, ou seja, é considerado essencial na vida do crente....se perdoarmos alguém o Pai no céu
também nos perdoa.
Logo toda a obra redentora de Jesus se baseia no perdão, pois com o perdão dos nossos pecados Jesus
Cristo nos reconcilia com Deus.

2- O cristão obtêm uma boa consciência diante de Deus e dos homens quando ele entende que foi
perdoada sua grande divida para com Deus e que agora seu coração é purificado pelo sangue de
Cristo.essa consciência tem que ser prioridade na vida de qualquer um que se aproximar de Deus através
da Pessoa de Jesus Cristo.

3- O perdão é o cancelamento de uma divida porque além de literalmente a palavra grega traduzida em
perdão significa cancelar ou remir , na própria Palavra em Colossenses ,capitulo 2 versos 12 ao 14 o que
Cristo fez pelo homem nada mais é que riscar nossa divida para com Deus através do perdão dos nossos
pecados.
12 Sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela fé no poder de Deus, que o
ressuscitou dentre os mortos.
13 E,quando vós estáveis mortos nos pecados, e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente
com ele, perdoando-vos todas as ofensas, 14 Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas
ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.

4-O perdão é um ato de fé pois é um mandamento de Deus e não um sentimento que depende da vontade
do homem ou emoção peculiar de cada um.Logo visto como mandamento só pode ser exercido pela fé
como tudo na vida do crente.

5- Perdoar é muito mais que esquecer pois como não somos máquinas ou escrita onde algo digitado ou
escrito pode ser deletado ou apagado, o perdão é algo que só com a direção de Deus nos faz agir de forma
elevada, onde as ofensas que sofremos não desaparece de nossa mente ,mais o poder de Deus nos leva a
superar e perdoar o causador do sofrimento.

6- Quando não perdoamos existe uma quebra de relacionamento ,onde o ofendido precisa abrir mão dos
seus direitos ,caso contrario o problema nunca se resolverá.Além de que aquele que não sabe perdoar
compromete sua vida espiritual pois ele também é um devedor de Deus......se pararmos para pensar vemos
que se não conseguimos perdoar um delito humano que de certa forma é irrelevante como queremos
merecer o
perdão do Senhor já que nossa dívida é infinitamente maior?

7- Quando perdoamos começamos a receber os benefícios do Calvário,inclusive, na área da saúde.Temos


direito a viver a vida e vida em abundancia falada pelo Senhor Jesus além de receber a saúde de Deus
comprada palas pisaduras feitas no corpo do Senhor.
Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o
reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.
Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo
que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Isaías 53:4-5

8- Deus prometeu abençoar o Seu povo, dar-lhes a terra de Canaã como possessão, tornar-lhes conhecida
a Sua vontade, enviar-lhes o Messias e fazer deles o Seu instrumento escolhido para a conversão do
mundo. A parte a ser cumprida pelo povo era prestar implícita obediência a Deus e cooperar com todos os
Seus requisitos. Após a
vinda de Jesus essa aliança passa para sua igreja, ou seja, todos aqueles que aceitaram Jesus como Único
e suficiente Salvador e resolver viver pela fé Nele passam a ter direito a vida abençoada e no por vir a
vida eterna.

9- Esse pacto ou nova aliança afeta a vida dos seguidores de Cristo na medida que temos que levar Esse
Jesus, Poderoso,Majestoso a todos que nos cercam, seja através da pregação da Sua Palavra ou através do
nosso testemunho como cartas vivas e embaixadores de Cristo aqui na terra.
BIBLIOLOGIA
AUTOATIVIDA DE DO CAPITULO 1

1. A automanifestação de Deus é a comunicação que Ele faz de si mesmo a todas as pessoas em todos os
lugares. O objetivo relacional é porque, Deus nos dá sua revelação não apenas para sabermos as coisas
que dizem respeito a Ele, mais sim para que o conhecimento levasse o homem a uma relação pessoal com
Ele de forma que o homem pudesse ser redimido através dessa relação.

2-Categoria teológica da Revelação:


a) Revelação Geral - É Deus se comunicando com os seres humanos através da natureza, fazendo-se
conhecido a todas as pessoas em todos os tempos e lugares.
b) Revelação Especial - Deus se comunicando através da sua palavra e de seu Filho Jesus Cristo.
Esta Revelação diz respeito às comunicações particulares e manifestações de Deus para certas pessoas,
assim como: profetas e escritores sagrados, em tempos, lugares e épocas específicas. A Revelação
Especial teve como objetivo principal promover um relacionamento redentor para o homem. A Revelação
Especial é a revelação particular de Deus.
c) Revelação Sobrenatural - que são os sinais, milagres, prodígios e o próprio manifestar da Voz Pessoal
de Deus.

3- A natureza antrópica diz respeito que apesar da grandiosidade, excelência, majestade de Deus, Ele se
manifesta ao homem de forma simples, utilizando uma linguagem comum do cotidiano do homem. A
maior manifestação dessa natureza de Deus é a vinda do Senhor Jesus na forma de homem.
A natureza analógica diz respeito quando Deus para fazer sua Revelação faz uma analogia dos fatos, ou
seja, uma comparação.Claro que Deus sempre está em um grau .maior do que os seres humanos.Exemplo
,Deus ama como ama o homem, mais a Sua capacidade de amar é infinitamente maior e mais intensa do
que qualquer homem na terra.

4- A manifestação do Senhor Jesus em carne, como homem foi considerado o meio mais sublime de
todos, ultrapassando, inclusive, todas as falas dos profetas, sacerdotes, apóstolos. Pois quando um profeta
falava transmitia a mensagem de Deus, quando o Senhor Jesus falava era o Próprio Deus falando para os
homens.

5. Deus determinou que a verdade sobre Si mesmo fosse registrada na forma escrita porque sabia da
imperfeição e falta de confiabilidade da tradição oral. Ele também sabia que os sonhos e visões dos
homens poderiam ser mal interpretados e as lembranças desses sonhos distorcidas. Por isso Deus decidiu
revelar através da Bíblia tudo que a humanidade precisava saber sobre Ele, o que Ele quer e o que tem
feito por nós. Ele também tem prometido sustentá-la e preservá-la por todos os tempos, explicando assim
a importância da Bíblia para a humanidade.

6-Porque Deus se revela com pessoas, nos da a conhecer o seu caráter e a sua personalidade. As suas
escrituras não foram escritas para que conhecêssemos sobre as coisas de Deus. Mais sim para que nos
levasse o conhecimento Dele. A Bíblia é de necessária para a humanidade, pois ela é a mensagem de
Deus ao coração do
homem. A Bíblia atende os anseios do homem integral. O objetivo da escrita é fazer
com que o homem conheça a Deus.
AUTOATIVIDADE DO CAPITULO 02

1-Revelação diz respeito ao fato de Deus fazer-se conhecido e comunicar-se com o homem, já a
Inspiração é a forma como isto acontece,ou seja, como Deus se comunicou,revelou-se.

2- A palavra inspirada vem do grego theopneustos, esse vocábulo é dividido em 02 partes ....Theo
significa Deus e Pneustos que significa soprou , ou seja, quando dizemos que a Bíblia foi Inspirada
queremos dizer que foi soprada por Deus. Deus transmitiu sua mensagem ao homem com autoridade
divina para que andássemos pela fé e para que pudéssemos andar segundo essa Inspiração.

3- A Inspiração Planária é a posição teológica mais completa porque ela afirma que a Bíblia é toda
inspirada por Deus, apesar de conter palavras humanas.O próprio Senhor Jesus deixa claro isto quando
cita trechos do Velho Testamento.Vale ressaltar que não só Jesus como outros autores do Novo
Testamento também se posicionam crendo no que está escrito no Velho Testamento.

4-Iluminação é a influencia do Espírito Santo na vida dos cristãos para entender as coisas de Deus.Todos
os crentes recebem essa iluminação do Espírito Santo quando estão lendo,meditando,estudando ou
ministrando a Palavra de Deus.

5- A unidade da Bíblia se revela através de :


Apesar de a Bíblia ser escrita por vários autores (cerca de 40) ao longo de 1600 anos o tema central é o
mesmo, a Redenção dos homens, o assunto é o mesmo, ou seja, o plano de salvação do homem através da
obra redentora do Messias (VT) e do Filho de Deus, JESUS(NT).Além de que o Velho Testamento é
cumprido no Novo Testamento.Tudo isto revela a MENTE ÚNICA que providenciou esses fatos , a
MENTE de DEUS.

AUTOATIVIDADE DO CAPITULO 03

1- A inerrância das Escrituras significa que a Bíblia não contem erros,ou seja, a Bíblia é totalmente
verdadeira.Com base no conceito da inerrância plena podemos afirmar que mesmo não tendo o foco
principal as informações cientificas e históricas, as declarações sobre esses assuntos contidas na Bíblia
são completamente verdadeiras.

2- A Bíblia é infalível porque a própria Escritura afirma ser inspirada por Deus, onde não há falhas. Os
grandes questionamentos do homem (o que sou de onde vim, para onde vou etc...) só são respondidos
através da Bíblia e mesmo que muitos só crêem na ciência, com o passar dos anos ela sofreu mudanças o
que não ocorreu com as verdades contidas na Bíblia. Além de que a Bíblia tem produzido resultados
práticos, no que diz respeito nas transformações de vidas,trazido conforto,inspiração e influenciado
civilizações.

3- O principio da Sola Escriptura é fundamental para a Igreja Evangélica porque significa que somente as
Escrituras são autoridade de fé e prática do cristão. A Bíblia é completa, dotada de autoridade e verdades.
A Igreja Católica Romana colocou suas tradições em posição de autoridade superior à Bíblia. Tal fato
resultou em muitas práticas que foram contraditórias à Bíblia. As tradições que são baseadas e estão em
concordância com a Palavra de Deus podem ser mantidas. As tradições que não estão baseadas e/ou estão
em desacordo com a Palavra de Deus devem ser rejeitadas. Sola Escriptura resgata o que Deus nos
revelou em Sua Palavra, definitivamente, nos mostra Deus que sempre fala a verdade, nunca Se contradiz
e sempre demonstra ser de
confiança.

4- Cânon significa, os livros das Sagradas Escrituras aceitos pela Igreja Cristã que contem a regra
autoritária da Fé e da prática. Os cristãos devem nortear suas vidas com base nesses livros, servindo para
edificação espiritual e entendimento do plano de salvação que Deus tem para a humanidade.

5-Apócrifo significa os escritos que não foram inspirados por Deus e que foram inseridos no Cânon pela
igreja católica. A Igreja Evangélica não aceita esses livros, pois:
Os livros foram escritos no período interbiblico;
A Inspiração desses livros foi negada pelos judeus e protestantes;
Cristo nem os apóstolos citaram esses livros;
Os autores desses livros algumas vezes declaram que não foram inspirados por Deus ao
escrevê-los;
Esses livros não trazem acréscimo ao conhecimento das verdades messiânicas ao povo
de Deus.

AUTOATIVIDADE DO CAPITULO 04

1- Período interbiblico significa o período de 400 anos de pausa entre os testamentos.


Nesse período Deus não inspira nenhum profeta para registrar a revelação. As características desse
período foram: Deus usou os domínios imperiais /políticos que se seguiram sobre Israel para preparação
do mundo para o nascimento de Jesus; os persas contribuíram com a liberação dos judeus do cativeiro; os
gregos contribuíram para a disseminação da língua grega como universal; os romanos conquistaram
Jerusalém, o mundo ficou sob governo único, foram construídas novas estradas, ligando Roma a todas as
partes do império o que contribuiu para a evangelização; quanto ao povo judeu contribuiu nessa época,
mantendo viva a esperança da vinda do Messias, o oferecimento da lei judaica, prepararam o caminho
para vinda do Messias, forneceram as Escrituras
Sagradas do Antigo Testamento.

2- Porque ao contarem as histórias da criação e do começo do judaísmo, os contadores não ousavam


distanciar-se do ponto principal, nem de alterar a verdade ; se fizessem isto ,seriam condenados pelo
povo, pois o povo conhecia bem os relatos para saberem julgar os contadores.

3- A vinda da escrita foi importante para a Bíblia, porque possibilitou o conhecimento das Escrituras;
reconheceu o aspecto canônico(sagrados) dos textos e o próprio registro dos textos inspirados por Deus.

4- As línguas utilizadas para escrever a Bíblia foram o hebraico e o aramaico.


Esdras estabeleceu o culto em Jerusalém e a leitura do Antigo Testamento. Ele reuniu copistas (escribas)
que eram homens que copiavam os textos, conferiam e descartavam se algum texto tinha alguma
imperfeição. A partir desse trabalho que houve transmissão e disseminação da Palavra, já que poderiam
encomendar e comprar porções dos livros bíblicos.
5- A critica textual estuda os textos antigos e a sua preservação (ou corrupção) ao longo do tempo,
visando reconstituí-los com base na documentação disponível. A crítica textual tem como função apurar a
verdadeira redação e a sacralidade dos textos bíblicos.
Fica dividida em: Baixa Critica – que se dedica ao trabalho de verificação da forma do texto e na
antiguidade. Ela se volta para a questão da confiabilidade do texto sagrado se debruçando para restaurar o
texto original; já a Alta Critica – estuda as questões de julgamento quanto à autoria, data dos textos, sua
estrutura. A alta critica é a própria essência da introdução à Bíblia e do próprio estudo da Escritura.

6- A interpretação atual é importante para que a Palavra de Deus se mantenha sem nenhuma interferência
humana, por isso ao longo dos anos Deus tem levantado e chamado pessoas para cuidar da transmissão
segura de Sua Palavra.

AUTOATIVIDADE DO CAPITULO 05

1- As traduções são necessárias por 03 razões:


A – Nem todos os povos falam a mesma língua;
B – As línguas estão sempre se modificando;
C – A Palavra de Deus está espalhada em toda a terra, por isso é importantíssimo tê-la traduzida na língua
de cada povo onde é pregada.

2- Tradução – é a transposição de uma língua para a outra;


Tradução Liberal – é quando o tradutor se esforça ao máximo para traduzir com maior exatidão e
fidelidade o sentido das palavras originais;
Transliteração – é quando a cultura do povo cuja língua será traduzida é levada em consideração para que
este mesmo povo não ache estranho (esquisito) aquele texto;
Versão – é a tradução de uma língua para a outra, envolvendo a língua original de determinado
manuscrito;
Revisão – os textos são vistos e corrigidos de forma critica para assim eliminar erros ou inserir emendas
ou fazer substituição;
Paráfrase e Comentário – é uma tradução livre que tem como objetivo fazer uma tradução do texto
original.

3- As traduções mais antigas são:


Pentateuco Samaritano, originário do período de Neemias em Jerusalém;
Targuns Aramaicos são originários da época de Esdras;
Septuaginta é a mais famosa, considerada a mais antiga, é uma tradução livre, feita em 285 a.C., feita por
470 redatores lideres do judaísmo em Alexandria, no Egito.
Vulgata Latina também é uma das traduções mais famosas, como o latim estava sendo falado em todo o
Império Romano Jerônimo foi convidado pelo Papa Damaso para corrigir e melhorar a versão da tradução
do latim, isto ocorreu em 383 d.C.. Essa tradução ficou sendo a base de todas as traduções por mil anos. A
Vulgata Latina é seguida pelos católicos romanos em todas suas traduções.

4- A tradução da Bíblia para o inglês é importante porque existem mais traduções modernas da Bíblia
nesta língua do que em outros idiomas.
5- A tradução e versão protestante foi necessária devido às melhorias entre os estudiosos no século 19, as
descobertas arqueológicas , as mudanças na sociedade inglesa e na sua língua.

6- João ferreira de Almeida foi ministro e pregador do evangelho da Igreja Reformada da Batávia
(hoje,Jacarta ilha de Java Indonésia).Ele traduziu a Bíblia para o português quando tinha dezessete anos
usando manuscritos hebraico e grego ,pois dominava essas línguas. A tradução do Novo Testamento foi
concluída em 1676, ele começou a traduzir também o Antigo Testamento, mais não conseguiu concluir,
pois faleceu em 1691 seu
trabalho chegou até Ezequiel 41.21.

7- Foram os dirigentes de classes religiosas que de quando em quando falavam sobre a Palavra de Deus,
em uma dessas reuniões eles estabeleceram que iriam pedir 20 grandes Bíblias para a introdução do uso
de cada um.A primeira versão do Novo Testamento foi no ano de 1879. O papel importante das
Sociedades Bíblicas americanas foi fundamental para as traduções e versões em português, pois enviaram
diversas Bíblias
para missionários no país.

8- No século 20 a Bíblia no país tem grande disseminação, varias versões são feitas , inclusive como a
Bíblia na Linguagem deHoje(1988),onde foi traduzida com a finalidade de oferecer o texto numa
linguagem comum e corrente.
INTRODUÇÃO DA TEOLOGIA

AUTOATIVIDADE CAPITULO 01
1-
A) ( ) Deus, Jesus, o homem, salvação.
B) ( ) Jesus, o homem, o mundo, a escatologia.
C) ( ) Jesus, o homem, o mundo, a salvação.
D) ( X ) Deus, o homem, o mundo, a salvação, a escatologia.
2-
A) ( X ) Criticidade, Sistematicidade, Dinamicidade.
B) ( ) Criticidade, Dinamicidade, Sustentabilidade.
C) ( ) Sistematicidade, Sustentabilidade, Dinamicidade.
D) ( ) Sustentabilidade, Dinamicidade, Praticidade.
3-
A) ( ) O Mediador do concerto, os herdeiros do concerto e o opositor do concerto.
B) ( X ) O Mediador do concerto, a base do concerto, os herdeiros do concerto.
C) ( ) O Mediador do concerto, o opositor do concerto, a base do concerto.
D) ( ) O Mediador do concerto, o detentor do concerto, o opositor do concerto.
4-
A) ( X ) Judaísmo, Cristianismo, Islamismo.
B) ( ) Cristianismo, Islamismo, Budismo.
C) ( ) Judaísmo, Islamismo, Budismo.
D) ( ) Cristianismo,Judaísmo, Budismo.

5-Conscientizando que devo buscar conhecimento e crescimento da parte de Deus para um viver em
santidade.

AUTOATIVIDADE CAPITULO 02
1-
A) ( ) Tipos são figuras que Deus utilizou ao longo da Bíblia para revelar acontecimento
futuros.
B) ( ) Antítipo é o cumprimento da vinda do messias.
C) ( X ) As alternativas A e B estão correta.
D) ( ) Nenhuma alternativa está correta.
2-
A) ( ) José do Egito.
B) ( ) Isaque.
C) ( X ) Melquisedeque.
D) ( ) Noé.
3-
A) ( X ) A Arca da Aliança.
B) ( ) O Candelabro.
C) ( ) O Altar de Incenso.
D) ( ) A Mesa do Pães.
4-
A) ( ) Holocausto, oferta pelo pecado.
B) ( ) Oferta pelo pecado e oferta pela culpa.
C) ( X ) Oferta de manjares e holocausto.
D) ( ) Sacrifício pacifico e oferta pela culpa.

5- Seguindo a Cristo para que nosso exemplo ensine outros a imitar o salvador.

AUTOATIVIDADE CAPITULO 03
1-
A) ( ) Sua palavras.
B) ( ) Suas atitudes.
C) ( X ) Quem Jesus provou ser.
D) ( ) Nenhuma das alternativas está correta.
2-
A) ( ) Os ensinos éticos de Jesus.
B) ( X ) O próprio Jesus Cristo Salvador.
C) ( ) Arrependimento dos pecados.
D) ( ) A responsabilidade do chamado.
3-
A) ( X ) Filho de Deus e Sumo Sacerdote
B) ( ) Servo de Deus e Sombra do Altíssimo.
C) ( ) Filho e Servo do Altíssimo.
D) ( ) O próprio Deus
4-
A) ( ) Epistolas Missionárias, Epistolas Doutrinarias, Epistolas Pastorais.
B) ( X ) Epistolas Missionárias, Epistolas da Prisão, Epistolas Pastorais.
C) ( ) Epistolas Missionárias, Epistolas da Prisão, Epistolas Universais.
D) ( ) Epistolas Missionárias, Epistolas Universais, Epistolas Pastorais.
5- Deve ser humilde, sabendo que somos servos e nem nos achar superiores às demais pessoas, pois tal
comportamento demonstra falta de conhecimento de princípios bíblicos básicos como humildade.

AUTOATIVIDADE CAPITULO 04
1-
A) ( ) Ambrosio de Milão.
B) (X) Lutero.
C) ( ) Agostinho de Hipona.
D) ( ) São Jerônimo.
2-
A) (X ) O gosto pelo debate e o dogmatismo.
B) ( ) O gosto pelo debate e o antidogmatismo.
C) ( ) O gosto pelo debate e a reflexão.
D) ( ) O gosto pela reflexão.
3-
A) ( ) Oferecer apoio a burguesia.
B) ( ) Salientar questões disciplinares.
C) ( X ) Criticar ou condenar os abusos do sistema das indulgencias.
D) ( ) Envergonha o clero.
4- O que foi a contrarreforma?
A) ( ) Uma tentativa de avanço do protestantismo.
B) ( ) Uma tentativa de avanço do protestantismo.
C) ( ) Um incentivo ao protestantismo.
D) ( X ) Uma resposta da igreja católica romana a reforma protestante.

5- A escolástica tentou resolver, a partir do dogma religioso e mediante um método especulativo,


problemas como a relação entre fé e razão, desejo e pensamento; a oposição entre realismo e
nominalismo; e a probabilidade da existência de Deus.

AUTOATIVIDADE CAPITULO 05
1-
A) ( ) A mensagem divina estaria dada, por meio da pessoa, vida e palavras de Cristo.
B) (X ) Com a infalibilidade papal.
C) ( ) Com a infalibilidade do concílios.
D) ( ) Com a negação das igrejas protestantes.
2-
A) ( ) Os rolos do mar morto.
B) ( ) O Novo Testamento.
C) ( ) Os pais da igreja.
D) (X ) Os livros apócrifos.
3-
A) ( ) Provinciais e regionais.
B) ( ) Plenários e ecumênicos.
C) ( X ) As alternativas A e B estão corretas.
D) ( ) Nenhuma das alternativas está corretas.
4-
A) ( ) Tudo o que foi transmitido pelo passado.
B) ( ) A qualquer forma de tradição.
C) ( X ) As alternativas A e B estão corretas.
D) ( ) Nenhuma das alternativas está correta.

5-Nos primeiros concílios provinciais e ecumênicos, realizados com o propósito unificador, não havia a
instituição eclesiástica do dogma. Porem, ao longo da idade media, a igreja elaborou a distinção de
diversos graus de autoridades por questão de doutrina, desde simples explicações da palavra de Deus,
passando por orientações gerais, ate à plena formulação de uma verdade revelada e absoluta. E esse o
grau mais
forte de autoridade que Tomas de Aquino entendia como próprio do principio do dogma e foi a partir de
então que ele se consolidou.

AUTOATIVIDADE CAPITULO 06
1-
A) ( ) a reformulação do velhos textos bíblicos.
B) ( X ) a somatória das interpretações novas dos velhos textos bíblicos, com idéias
modernas.
C) ( ) a somatória das revelações tanto dos velhos como dos novos textos bíblicos.
D) ( ) a negação dos velhos testos bíblicos.
2-
A) ( X ) As exigências da razão.
B) ( ) A busca pela verdade.
C) ( ) A busca do verdadeiros valores cristãos.
D) ( ) O homem como centro de tudo.
3.
A) ( X ) A figura do Cristo o Libertador.
B) ( ) A figura de Cristo o Salvador.
C) ( ) A figura de Cristo.
D) ( ) Nenhuma das alternativas está corretas.
4.
A) ( ) Teologia do Mito.
B) ( ) A teologia da Esperança.
C) ( ) A teologia do Evolucionista.
D) ( X ) A teologia do Cristianismo sem religião.

5- Karl Barth. Porque sua teologia e profunda inspiração bíblica e ilimitada abertura para todos os
problemas do homem moderno.
METODOLOGIA DO TRABALHO ACADEMICO
AUTOATIVIDADE CAPITULO 01

1- Ciência significa conhecimento, saber, mas não um conhecimento qualquer e sim um conhecimento
baseado em método cientifico de forma organizada.

2- Conhecimento popular: é opiniões de pessoas, o que elas acham e pensam em suas experiências de
vida. É um conhecimento que não pode ser comprovado. Porque não estão ligados a estudos
metodológicos. Conhecimento cientifico: é resultado de uma investigação metódica e sistemática dos
fatos, analisando causas através de pratica e demonstração ou experimentação, trazendo clareza e
precisão, resultados em leis gerais
valida universalmente. Conhecimento religioso: é o conhecimento teológico, partindo de verdades
infalíveis, pois são revelações divinas.

3- Porque não distorce os fatos, respeita a verdade, cultiva a honestidade e evita o plagio, assegurando
que ninguém seja prejudicado devido às atividades da pesquisa.

4-. Dedutiva, ele procura confirmar a hipótese, utilizando um método de explicar e defender a
investigação cientifica.

AUTOATIVIDADE CAPITULO 02

1- A pesquisa básica se aplica ao desenvolvimento científico buscando conhecimentos gerais sobre um


tema e sem objetivos previstos, já pesquisa aplicada visa o desenvolvimento de conhecimento específico
sobre um assunto definido e, geralmente, associado ao desenvolvimento mediante aplicação para obter
resultado econômico ou social.

2- qualquer classificação de pesquisa se faz mediante a algum critério estabelecido com base em objetivos
gerais, assim é possível classificá-las em três grupos: exploratórias, descritivas e explicativas.

3- A classificação das pesquisas em exploratórias, descritivas e explicativas deve ser analisada com os
dados da realidade torna-se necessário traçar um plano de ação, como o planejamento da pesquisa e coleta
de dados.

4- O planejamento de pesquisa é colocar no papel o que se quer pesquisar, o porquê da pesquisa e quais
serão os procedimentos a ser tomados. E deve ser realizado antes de qualquer pesquisa.

5-R:
TEMA:
Teologia
PROBLEMATIZAÇÃO:
1 - Porque estudar teologia?
R: Porque teologia não é apenas para um professor e sim para todos nós que cremos nas coisas sobre
Deus. Portanto temos à nossa própria maneira pensar a respeito das coisas de Deus. Mas o que precisa ser
questionado dentro de si é se o que pensamos é correto, e o estudo da teologia pode ajudar a responder
essas perguntas que nos surgem na caminhada com Deus.
2 - O que a teologia pode nos ajudar em nossa vida?
R: A teologia nos ajuda a crescer no discernimento da verdade e do conhecimento de Deus, em nosso
compromisso pessoal e eclesial com a espiritualidade e com a missão que Deus nos confiou. O saber
teológico é importante para todo cristão, e isso abrange todas as áreas da sua vida: pessoal, profissional e
ministerial.
3 - Como podemos aplicar a teologia em nossa vida?
R: É tornar a teologia uma prática diária, revendo sempre as maneiras de como interagimos com Deus, em
nossas atitudes, para a realização dos propósitos Dele para a nossa vida. Sempre buscando a vontade de
Deus e direção do Espírito Santo.
4 - Como vemos a teologia sendo utilizada nas igrejas?
R: A teologia vem sendo utilizada para comprovar as razões do porque Deus nos criou e trazer o
discernimento da verdade para a sociedade, influenciando vidas a tomarem a decisão de viver no
propósito de Deus.
5 - Qual é o objetivo da teologia?
R: O Verdadeiro objetivo da Teologia é o conhecimento de Deus, seus atributos imutáveis e sua revelação
ao homem, em Jesus Cristo.
DELIMITAÇÃO:
A importância da teologia na vida do cristão Todos nos temos à nossa própria maneira de pensar a
respeito das coisas de Deus. Mas o que Deus acha dos nossos conceitos a respeito disso? Será o que
achamos é o que
realmente Deus nos ensina?
Com todas essas perguntas o estudo da teologia pode nos ajudar a responder. Ela nos ajuda a crescer no
discernimento da verdade e do conhecimento de Deus, em nosso compromisso pessoal e eclesial com a
espiritualidade e com a missão que Deus nos confiou, de sermos servos dele. Tornando-a uma prática
diária, desenvolvendo sempre o caráter que Jesus nos deixou de exemplo, para que a realização de Deus
sejam presentes em nossas vidas. E assim a teologia vem sendo utilizada para comprovar as razões do
porque Deus nos criou e trazer o discernimento da verdade para a sociedade, influenciando vidas a
tomarem a decisão de viver no propósito de Deus. Sempre buscando a vontade de Deus e direção do
Espírito Santo. Assim vemos que o verdadeiro objetivo da teologia é que o homem conheça a respeito das
coisas de Deus, de sua justiça e a sua revelação ao homem, em Jesus Cristo.
HIPÓTESE:
Deus realmente nos deixou comprovado que devemos sempre buscar o conhecimento verdadeiro, de
saber as razões do porque Ele nos criou. E de fazermos sempre a Sua vontade para que sejamos sempre
vitoriosos.

6- Anotações é apontar por escrito algo que é importante para uma tarefa. Ao iniciar as anotações o
pesquisador deve indicar o dia, a hora, o local da observação e o seu período de duração. Também é
necessária a organização dos dados, em termos visuais as informações descritas, as falas, as citações e as
observações pessoais do pesquisador, mudando de parágrafo a cada nova situação observada.

AUTOATIVIDADE CAPITULO 03

1- O trabalho científico tem por finalidade comunicar pessoas em saber o resultado do aprendizado
adquirido no desenvolvimento do estudo, devendo informar sobre os temas abordados, divulgar os
resultados da pesquisa, ser bem estruturado de acordo com os padrões estabelecidos e a linguagem deve
ser clara e precisa.

2- O artigo científico é a uma publicação com autoria declarada, que apresenta e discutem ideias,
métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento, já o paper é destinado
inicialmente à comunicação oral em cursos, congressos, simpósios, reuniões e outros meios científicos.

3- Quando as resenhas não contem a avaliação do autor, ela é chamada de resenha bibliográfica, pois o
resenhista apenas descreve sua obra sem fazer considerações pessoais. A resenha bibliográfica é
estruturada somente em conclusões.

4-A resenha critica não é apenas um concordar ou discordar com a obra, por isso a opinião do resenhista
deve ser dada de forma consistente, com argumentos positivos ou negativos feitos, e por isso é bastante
importante que se busque outras obras para aprofundar-se no assunto.

5- O livro de Tito foi escrito pelo apóstolo Paulo a cerca de 64 a.C. com quatro capítulos e quatro páginas
segundo a Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. Foi escrito provavelmente na Macedônia durante viagens
que o apóstolo fez entre os períodos em que esteve preso pelos romanos.
O vazio produzido pela partida de um líder forte pode arruinar um movimento, organização ou instituição.
Tendo sido dependentes da habilidade, estilo, e personalidade desse líder, associados e subordinados
passam a se debater ou competir pelo controle. Logo a eficiência e a vitalidade são perdidas, e o declínio
e o desaparecimento surgem no horizonte. Este padrão se repete frequentemente nas igrejas.
Grandes oradores e ensina dores reúnem discípulos, e logo floresce uma igreja viva, vigorosa e efetiva.
Vidas são transformadas e pessoas são conduzidas ao Reino de Deus.
Mas quando este líder parte ou morre, leva consigo o vigor e o ânimo de organização.
Muitas pessoas se reuniram para ouvir o ensino de Paulo. Educado, articulado, motivado, e cheio do
Espírito Santos, este homem de Deus proclamou fielmente as Boas Novas por todo o Império Romano;
vidas foram transformadas e igrejas iniciadas. Mas Paulo sabia que a seguida, Paulo enfatiza a
importância das boas obras na vida do cristão, dizendo a Tito como se relacionar com pessoas de variadas
faixas etárias na igreja. Ele exorta Tito a ser um bom exemplo de um crente maduro e a ensinar com
coragem e convicção. Discute então as responsabilidades gerais dos cristãos na sociedade: Tito deveria
evitar discussões que trouxessem divisão. Paulo conclui com questões relacionadas a itinerários e
saudações pessoais. A carta de Paulo a Tito é breve, porém é um vínculo importante no processo de
discipulado, ajudando um jovem a tornar-se um líder da igreja. O livro foi escrito a cerca de 66 d.C., na
mesma época em que a primeira carta a Timóteo foi escrita; provavelmente foi escrita na Macedônia,
durante as viagens que Paulo fez entre os períodos que esteve preso pelos romanos.
*Creta é a maior ilha e uma das treze periferias da Grécia. Está no sul do mar Egeu e é a segunda maior
ilha do mar Mediterrâneo oriental e a quinta maior de todo aquele mar.
Segundo um mito, era naquela ilha que vivia o minotauro. A capital da ilha é a cidade de Heráclito.

AUTOATIVIDADE CAPITULO 04
1- CAPA = Elemento obrigatório, para proteção externa do trabalho e identificação do autor.
FOLHA DE ROSTO = A folha de rosto contém os elementos essenciais à natureza e à destinação do
trabalho.
SUMÁRIO = Sua função é identificar e organizar os títulos e subtítulos na ordem da apresentação do
trabalho. O objetivo do sumário é fornecer ao leitor um geral da obracom os principais conteúdos, e seu
objetivo e a obra em si como um todo.

2- Elementos textuais são aqueles que compreendem a parte do trabalho que se refere ao conteúdo
pesquisado do trabalho acadêmico. Ex: introdução, desenvolvimento e conclusões.

3- Referência, Glossário, Apêndice e Anexo. Servem para fundamentar, comprovar e ilustrar são esses
elementos que documentam o trabalho acadêmico.

4-Os elementos de apoio são estratégias e recursos que o autor pode utilizar para dirigir o leitor com
clareza e objetividade no texto.

AUTOATIVIDADE CAPITULO 05
1- A motivação está relacionada ao sistema de cognição de cada um, onde este sistema inclui os valores
pessoais, e é influenciado pelo ambiente físico e social. Chiavenato (2000, p. 302) afirma:
A motivação representa a ação de forças ativas e impulsionadoras: as necessidades humanas. As pessoas
são diferentes entre si no que tange à motivação. As necessidades humanas que motivam o
comportamento humano produzem padrões de comportamento que variam de indivíduo para indivíduo.
Confirma-se, mais uma vez que a motivação é diferente para cada indivíduo.
Devido a isto, muitas organizações preocupam-se em descobrir como motivar seus funcionários para,
desta forma, melhorar os serviços oferecidos.

2- Segundo Russel (1994, p. 44), o método do fator unitário é o mais aperfeiçoado para cálculos
numéricos.

3- Ferreira ABH. Aurélio, século XXI: o dicionário da língua portuguesa. 3ª ed. rev. ampl. Rio de Janeiro:
Nova Fronteira; 1999. Colono; p. 504.

4 - GOMES, L. Novela e sociedade no Brasil. Niterói: EdUFF, 1998.

5 - Chason KW, Sallustio S. Hospital preparedness for bioterrorism [videocassette]. Secaucus: Network
for Continuing Medical Education; 2002.
DONS E MINISTÉRIOS
AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 1

1- É uma capacidade espiritual, sobrenatural e uma habilidade especial, não natural, concedida pelo
Espírito Santo a cada membro do corpo de Cristo, de acordo com a graça de Deus, com o propósito de
edificar a igreja de Deus e ganhar novos convertidos, através da instrumentalização destes membros.

2- Pois nós não o merecemos mas é necessário para a edificação da igreja.

3- Dons Pessoais: Dados por Deus, são permanentes na vida do Cristão.


Dons Ministeriais: Dados por Deus para o serviço, são transitórios.
Dons Espirituais: Concedidos por Deus, são eventuais.
Talentos: Habilidades do homem que podem ser natas ou aprendidas.

4- Pois Deus não faz acepção de pessoas, então quando nascemos de novo Ele nos concede
um dom pessoal para ser usado para a edificação da igreja.

5- O fruto do Espírito é o caráter espiritual da pessoa, já o dom é uma dádiva de Deus concedida e pode
manifestar independente da pessoa possuir os frutos ou não, ele é imerecido.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 2

1 - Dom de ensino.

2- Concordo com o resultado do teste, pois há quase um ano Deus tem me direcionado a dar aulas, como
trabalho, situação a qual eu nunca imaginaria passar. Desde então eu tenho pegado gosto por ensinar e
tenho me realizado nisto. Em relação a palavra de Deus, não tive a oportunidade de lecionar, mas gosto
do estudo, de saber os motivos históricos envolvidos nos acontecimentos.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 3

1- O dom de Mestre.

2- É possível que seja, mas não tenho absoluta certeza para o que Deus me chamou. Se for me basear
pelo dom pessoal está correto, mas fico em dúvida em relação a minha personalidade e ao fato de ensinar
outras pessoas.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 4
1-1: Capacitar a igreja para cumprir a sua missão integral: para com Deus, para consigo mesma e para
com o mundo de Deus.2: Edificar a igreja. 3: Abençoar a igreja com o propósito de cada dom.

2- Podemos concordar que o fruto do Espírito tem influencia no uso dos dons pois uma pessoa sem o
fruto do Espírito pode administrar de maneira errônea o uso do dom espiritual.

3- Energemata significa “Operar” (ICo 12.11) da a ideia de “Poder” ou “Dar energia”, diz respeito a
maneira como o Espírito Santo trabalha para realizar as manifestações dos Charismatas (dons espirituais),
ele opera dando poder, dando a energia sobrenatural que torna manifesto o dom.
4- Didomi significa concedida, dado por Deus. Define a concessão momentânea do dom, ou seja, o
Espírito Santo derrama a energemata e o dom é concedido para aquela manifestação, ou seja, emprestado
num sentido bem simples para explicar. E após a manifestação, o dom é levantado, a energemata volta
para o Senhor.

5-1ª Dons de Revelação: Palavra de Sabedoria; Palavra de Conhecimento (Ciência). Espirituais;


Discernimento de espíritos.
2ª Dons de Poder: Dom da Fé; Dons de Curar; Operações de Milagres (Maravilhas);
3ª Dons Vocais ou de Inspiração: Profecia; Variedade de Línguas; Interpretação de Línguas.

6- Com orações (falar com o Pai), meditações (ouvir o Pai), estudos bíblicos (aprender com o Pai),
devemos sempre reservar um tempo para Deus. Devemos reservar ao Senhor, na orientação do Espírito
Santo, para que possamos agir de acordo com a vontade de Deus e não entre nossa vontade.

AUTOATIVIDADE DOCAPÍTULO 5

1.
1.Sim
2. Sim
3. Sim
4. Sim
5. Sim
6. Sim
7. Sim
8. Não
10. Sim
11. Não
12. Sim
13. Sim
14. Não
15. Não
16. Sim
17. Sim
18. Não
19. Sim
20. Sim

2 -O da palavra de conhecimento, pois hoje em dia há muitas pessoas deixando se levar por ideologias
erradas, sinto a obrigação de mostrar a elas o caminho correto, com respaldo cientifico e teológico.
3- O da palavra de conhecimento, Ensino
4- A palavra de sabedoria é aquela dada por Deus em uma situação, para animar ou resgatar uma vida,
palavra esta que irá penetrar na alma desta pessoa. Já a palavra de conhecimento é uma fagulha do
conhecimento de Deus que ele proporciona para que possamos entender e compreender os princípios
da doutrina cristã.
5- Não, vejo que o maior dom é o amor e o dom fundamental para realização dos demais dons é o dom
da fé·.
AUTOATIVIDADE DOCAPÍTULO 6

1 - 1°: Liderança; 2°: Imagem; 3°: Administração.

2- Assumir o seu talento para realizar a obra de Deus.

3- O talento é dado por Deus no dia em você nasce e o dom é dado a partir do novo nascimento.

4- Quando um talento é realizado para a glória de Deus ele pode gerar frutos eternos, pela transformação
de vidas através do posicionamento dos cristãos que assumiram seus dons.
METODO DE ESTUDO BÍBLICO

Autoatividade 1

1-Ler e ouvir, anotar, estudar, meditar e memorizar.

2- O fato mais conhecido da bíblia referente à aquisição da sabedoria se encontra nos livros de Reis e em
crônicas, onde encontramos um personagem Bíblico que pediu a Deus algo maior que as riquezas da
Terra: Salomão. O rei Salomão teve a oportunidade de pedir o que quisesse a Deus, porém, pediu
sabedoria. Deus se
agradou de tal forma com seu pedido que lhe concedeu muitas outras bênçãos.

3- A palavra de deus é que ilumina os nossos passos e nos mostra o caminho que devo seguir.

4- Eficácia: Quando conhecemos e aceitamos a Palavra de Deus ela se torna eficaz na nossa vida,
operando milagrosamente.
Libertação: O conhecimento de Deus leva-nos a Ele, o que proporciona o seu poder libertador.
Purificação: Quando lemos a Bíblia, encontramos as leis de Deus e as coisas que Ele deseja que façamos.
A Palavra de Deus mostra onde erramos e os pecados que cometemos e nos apresenta o caminho da
redenção
Santificação: O Espírito usa a doutrina Bíblica para santificar os remidos e tem papel fundamental na
transformação da alma do Cristão. Essa santificação acontece porque se trata de uma mensagem viva.
Edificação: A Palavra de Deus nos orienta em como podemos ter uma vida aprovada or Deus, na qual,
direcionada pelo Espírito Santo age de forma eficaz, transformando a nossa alma, nos libertando de tudo
o que nos aprisiona a satanás, nos purificando de todo pecado, santificando nossas atitudes, palavras e
pensamentos para que possamos ter uma vida edificada naquele que nos chamou para a divina luz

Autoatividade 2

1- Precisamos manter um relacionamento permanente com Deus, e a leitura da Palavra nos proporciona
um momento exclusivo com o Pai.

2- 1º passo: A escolha do lugar certo e horário são essenciais para se ter um estudo Bíblico com êxito.
2º passo: Coração voltado a conhecer e aprender mais sobre Deus, , fazer uma oração e pedir
discernimento para entender cada palavra e fazer uso do ensinamentos e das bênçãos que a Bíblia contém.
3º passo: Há dois tipos de leitura. Geral do texto da Bíblia a fim de conhecer a mensagem bíblica como
um todo. Específica é uma leitura mais cuidadosa detalhada de textos específicos, utilizando um dos
métodos de estudo da Palavra.

3- O mais importante é bíblia, porém, há outros recursos que podem ser uteis, como:
Várias versões e traduções da bíblia, uma bíblia de estudo, chave bíblica ou concordância, um dicionário
comum e/ou um dicionário bíblico, e ainda há várias formas de comentários bíblicos. Mas, ao buscar os
comentários bíblicos devemos lembrar que estes são feitos por homens e todo o ser humano é falível e
que todo o ensinamento deve ser examinado nas escrituras.

4- Com o surgimento de várias religiões, o inimigo também usou homens para escreverem falsas
doutrinas e escrituras para tentar convencer a humanidade de que a Bíblia pode ser substituída por outra
“parecida” Jesus em Mt 24:24 nos alerta que viriam os falsos profetas e enganariam a muitos inclusive até
os eleitos.

Autoatividade 3
Observação
Jesus vai para a região de Tiro e Sidônia e logo aparece uma mulher “Cananéia”.
Considerada pagã. Certamente ouviu falar bem de Jesus e não quer perder a ocasião para conseguir um
sinal prodigioso em favor de sua filha. Chegando diante dele, pede ajuda para a filha “atormentada por
um demônio”. Apesar da atitude de indisponibilidade de Jesus, ela não desiste em gritar por ajuda. Sua
insistência
provoca a intervenção dos discípulos. Aquela mulher não se dá por vencida, e pede pela segunda:
“Senhor, socorre-me!”. E Jesus responde: “Não fica bem tirar o pão dos filhos para jogá-lo aos
cachorrinhos!”. Com o apelido “cachorrinhos”, na tradição bíblica, retomada pelos textos judaicos, se
aludia aos adversários, aos pecadores e aos povos pagãos idólatras.
Mas a mulher aproveita a deixa que Jesus lhe dá e diz “Senhor! De fato até os cachorrinhos comem as
migalhas que caem da mesa de seus donos!” Também os cachorros, os excluídos, ficam satisfeitos com as
migalhas que lhe são jogadas.
E por isso Jesus responde, por fim: esta é “grande fé”, não “pouca fé”. O mesmo elogio Jesus o fez ao
centurião, e ambos eram pagãos. Mais uma vez o Evangelho nos propõe a essencialidade da confiança em
Deus que liberta da angústia de confiar só em si mesmos e nos homens. A fé desta mulher convence Jesus
a realizar a cura.

Interpretação
Jesus confrontou essa mulher, não porque não desejava curar ou porque fazia acepção de pessoas, ao
contrário Ele queria ver até onde iria a sua fé, ele não pensou em nada, deixou seu orgulho de lado e
humilhou diante de Jesus pois sabia que só Ele teria a solução/cura para a sua filha.

Aplicação

Diante das dificuldades, muitas vezes ouvimos dos outros para termos fé! Qual o tamanho da fé que
temos depositado em Deus? Sou alguém de “pouca” ou de “grande fé”? No lugar dessa mulher como
seria a nossa posição? Tenho desanimado facilmente diante de qualquer obstáculo ou tenho depositado
em Deus toda a minha confiança? Aquela mulher, não desanimou. Temos que ter esta mesma persistência
em confiar sem desanimar em Deus.

Autoatividade 4

1- Símile é comparação de duas coisas que são diferentes da outra, porém similares na qualidade, já a
metáfora é uma comparação subentendida, aquilo que está na mente, mas não foi expresso, na metáfora o
uso das palavras semelhantes ou como são dispensados o que diferencia da símile.

2- A personificação se refere a coisas inanimadas, lhe atribuindo os feitos de pessoas como ação, vida,
voz e movimento, já o apóstrofe é quando se quer fazer uma interrupção e dirigir a palavra a pessoas
mortas ou vivas, presentes ou ausentes e coisas reais ou fictícias.

3- É o estudo bíblico que busca amplitude e globalidade de um livro da Bíblia.

4- Leia o capítulo pelo menos três vezes, divida o capítulo em tópicos, anote as palavras-chaves e
descubra a ideia central, faça um resumo da interpretação que obteve do capítulo, correlacione com outros
capítulos ou passagens, aplicação pessoal.

5- As obras literárias são compostas de partes que formam o todo, partes estas que são utilizadas na
metodologia indutiva.
6- Sabedoria e entendimento. A sabedoria divina é a sua revelação pessoal ao ser humano. O Senhor faz
uso da Sua Palavra para se comunicar, e nada do que Ele nos revelar irá contra ao que á foi revelado nas
Sagradas Escrituras.

Autoatividade 5

1- Porque estudá-lo isoladamente pode causar uma interpretação errada.

2- Para que possamos entender as verdades transmitidas por Deus a nós.

3- Que a obediência é o caminho mais seguro para se obter as mais ricas bênçãos de DEUS. Que a
obediência requerida pelo evangelho só é possível pela fé. E que a Palavra obedecer significa “dar
ouvidos a” ou ouvir debaixo autoridade ou influência de quem fala. E o principal que devemos obedecer a
DEUS incondicionalmente.

4- Dispor de tempo para estudar o personagem, principalmente os personagens mais complexos, obter
intimidade com o personagem durante o estudo, ficar atento para não confundir personagens e evitar
buscar informações em comentários bíblicos.
DISCIPULADO
AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 1

1. Por dois motivos fundamentais: 1º para que a nossa geração confie em Deus e mantenha em mente o
seu projeto divino e 2º para que não sejam cometidos erros que aconteceram no passado e para isso os
pais.

2. Ele perde a principal lição que é aprender com as histórias de DEUS, que é o principal legado
espiritual, a fé num único DEUS vivo e verdadeiro presente na história, nesta perspectiva todo cristão
precisa ter uma visão da história, tendo seu olhar no passado para aprender a vivenciar o futuro.

3. Assim como o salmista DAVI, temos que treinar a geração futura de tal maneira que venhamos manter
o coração firme em DEUS, para não esqueçamos as suas obras. É uma boa prática levar o jovem a
guardar em sua memória as palavras das escrituras, visto que, no futuro eles poderão recordá-las muitas
vezes em momento de
tentação e tristeza. Os ensinos e feitos do SENHOR devem ser expressos normalmente explicando o que
aconteceu no passado, para que ele se torne uma lição para o presente e o futuro.

4. Sim, pois é o melhor que DEUS tem reservado neste momento, contudo tenho de me empenhar o
máximo no sentido que DEUS possa me usar de uma forma sobrenatural para o seu melhor continue
operando em mim e que o nome do nosso SENHOR JESUS CRISTO seja glorificado.

5.Sim e não, posso mudar seguindo os métodos de discipulado de Jesus, de certa forma há uma exigência
de Deus em que se seguisse o seu modelo e não outro qualquer. Creio que minha maior negligência é a
oração e jejum com intercessão profunda, pois tenho que plantar no coração dos meus filhos de que
quando a família
ora unida, Deus move os céus em nosso favor, ou seja, que devemos tomar a causa um do outro.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 2

1. Na verdade não tenho dúvidas, porém, acho que está na hora de a Igreja de Jesus abandonar a
concepção de que discipulado é um ministério da igreja que se preocupa com novos convertidos, pois
discipulado não é apenas um encontro semanal para estudar a Bíblia, cantar e passar alguns momentos de
comunhão e oração,
discipulado vai, além disso. O discipulado praticado por Jesus forjou homens e mulheres que mudaram a
história de suas próprias vidas assim como a história de sua região. Alguns chegaram a influenciar as
personalidades das grandes potências da época. O discipulado de Jesus também produziu líderes, que por
sua vez geraram outros líderes.

2.
( x ) d. Outro: Pelo não cumprimento das razões indispensáveis para que a igreja comprometa-se a ver o
discipulado como o principal trabalho de nossa vida, que são:
1. O amor de Deus a seus propósitos para conosco só podem ser comunicados por meio de uma relação
comprometida e pessoal. 2. O discipulado é um mandamento de cristo. 3. Pela quantidade de resultados.
4. Pela qualidade de resultados.

3.
Nota: 5 (cinco) Justifique essa nota. R.: Estamos a mais ou menos uns 10 anos na visão do discipulado 1 a
1, porém, ainda está faltando muitos discipuladores ser tornarem verdadeiros discipuladores do tipo “dar a
vida pelo teu irmão”.
4.
(x ) b. Ser discipulado por alguém para ter um referencial.

5.
R.: Já iniciei a um bom tempo, e quando iniciei o discipulado tive como base a visão que para ser um bom
discipulador seria preciso ser um cristão que segue a Cristo como seu Senhor e salvador e que deseja
agradar a Deus, ensinando e também aprendendo a importância de levar a sua cruz e negar a si mesmo,
aperfeiçoando em
cada discípulo a importância da obediência e submissão a Jesus Cristo.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 3

1. Precisa ser uma igreja com servos comprometidos com o evangelho de Jesus, sendo conhecidos pelo
mundo como seus imitadores e discípulos submetidos a seguir e conhecer a Jesus de maneira crescente,
contribuindo efetivamente em prol do Reino de Deus.

2.
1º – Amar: com base na palavra de Deus em Lc. 14.26 vemos declaração de Jesus, a qual exige do
discípulo uma condição, ou seja, se não aborrecer a família e a vida, não pode ser seu discípulo; se não
tomar a cruz e carregá-la não pode ser seu discípulo e se não renunciar a tudo quanto tem também não
pode ser discípulo de Jesus.
2º – Abrir mão:seguindo o texto bíblico Lc. 14.27 e em Mt. 10.38 Jesus nos fala que se redefinirmos este
verso “E qualquer que não tomar a sua cruz e vier após mim não pode ser meu discípulo” podemos chegar
a conclusão de que assim como Ele assumiu a cruz para nos salvar, devemos assumir a cruz para salvar a
outros.
3º – Se doar: Jesus exige do seu discípulo o direito de dispor de seus recursos e bens pessoais, e isto quer
dizer que não somos os donos daquilo que nos pertence, mas somos administradores do que Deus nos
concede.

3.
R.: A idéia básica é do termo “exemplo” é que um líder cristão deve ser antes de qualquer coisa o
“exemplo dos fiéis, isto é, sua vida cristã e sua perseverança na fé podem ser mencionadas perante a
congregação como digna de imitação, o discipulador deve ser alguém cuja fidelidade a Cristo pode ser
tomada como padrão ou exemplo.

4.
Discipulado por meio de observação. Implica num compromisso com os princípios básicos da fé.
Discipulado por meio da continuidade. Quando discípulo participa mais ativamente nos trabalhos do
mestre
Discipulado por meio da experiência. Ter um aprendizado com mais exatidão.
Discipulado por meio da imitação. O discípulo escolhe conscientemente reproduzir.
Discipulado por meio da Transformação. Implica na vida adulta mais desenvolvida, na qual os discípulos
se tornam aqueles que serão imitados.

5. Significa que nós precisamos ser discipulado por que temos pontos obscuros, e que só as pessoas que
andam conosco mais de perto conseguem enxergar, daí elas podem ajudar a corrigir os mesmos.

AUTOATIVIDADE DOCAPÍTULO 4

1. 1º A Certeza da salvação: devemos atentar a veracidade da entrega de vida feita pelo novo discípulo.
2º A promessa de fazermos parte da família de Deus: temos que examinar com o novo convertido a
promessa de fazermos parte da família de Deus. 3º O perdão dos pecados: precisamos comunicar ao novo
crente a promessa do perdão dos pecados, que temos em Cristo, o que retira do pecador aquele fardo de
culpa e desespero. 4º Vida transformada: O último ponto a ser ensinado, é focalizar a sua atenção sobre as
inexplicáveis mudanças que estão ocorrendo em sua vida, tanto nos seus atos como em suas atitudes.

2.
a) Visão: eu vos farei pescadores de homens
b) Crescente compromisso: No mesmo instante eles deixaram as suas redes
c) Ritmo de vida juntos: e o seguiram

3. Para se conseguir excelência no discipulado há uma exigência de renúncia, autonegação e disposição


completa, pois para ser discípulo de Jesus é necessário abandonar tudo e renunciar as riquezas, tudo que
possui, tem que estar disposto a perder a vida, e viver em função do amor de Cristo e do seu evangelho.

4. Hoje como estou à frente do trabalho da rede de crianças da minha igreja, os tenho como meus
discípulos por atenderem minha voz, tanto que tenho que tomar muito cuidado com minhas atitudes, pois
me considero um ‘padrão’ que eles estão adotando, e é claro que nesse meio existe uma autoridade da
minha parte que reconhecida por eles.

5. Eles não se desenvolverão e nem se tornarão futuros discipuladores, pois terão seus ministérios caídos
e o verdadeiro arrependimento através da fé não será alcançado. E o mais grave, eles serão apenas
membros sentados em bancos, ou talvez irmão cegos conduzindo outros cegos.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 5
1.
R.: Não totalmente, porém acredito que tenho alguns pontos que possa se assemelhar a Barnabé, pois sou
uma pessoa que gosta de motivar as outras, dando sugestões, idéias e animo, além disso, da mesma forma
que Barnabé também o crescimento pessoal, em detrimento do crescimento do meu próximo. Dando a
mão, a ajuda necessária, sem medo de perder a posição, o destaque e até mesmo a popularidade.

2. Sim, tenho procurado ser comprometida e demonstrando a confiança e esperança em sua nova vida
com Cristo, procurando sempre manter vínculo íntimo de amizade e estando próximo de sua rotina diária,
cultivando uma atitude mais forte mediante as dificuldades enfrentadas no inicio de uma vida dirigida por
Deus e dando-lhe oportunidades, trabalhos e missões dentro da Igreja.

3.Sim, devemos dar uma segunda chance ou até mesmo uma terceira chance, a prioridade em resgatar
uma alma tem que ser firme em nosso coração. Tenho procurado dar o melhor tratamento através do
próprio exemplo de Cristo, creio que nada é por força e violência e com certeza é mais fácil chegarmos ao
sucesso de termos um discípulo como João Marcos através da mansidão, paciência, ou seja, com um novo
voto de confiança

4. Talvez hoje ainda não conhecêssemos o Evangelho.

5. Teríamos perdido uns dos sucessores de Paulo, pois assim como descreve a bíblia que quatorze anos
depois da separação entre Paulo e Barnabé, Paulo se refere a Marcos como um de seus companheiros,
como membro de sua equipe ministerial. Já nos últimos dias da vida de Paulo, vemos que quando seu
tempo se esgotava, quando se sentiu abandonado e quando possivelmente se deixava abater pelo
desanimo, Paulo queria ter duas pessoas ao seu lado: Timóteo, seu filho amado e João Marcos.

6. Posso dizer que deixou uma grande lição de praticar o discipulado para aqueles que são rejeitados pela
sociedade e até mesmo pelos membros das igrejas, precisamos entender que o discipulador é um guia ou
orientador espiritual comprometido pessoalmente com seus discípulos e que não temos que nos relacionar
somente nas horas mais difíceis, por isso precisamos ser também amigos.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 6

1. Abnegação (esforço) motivada pelo amor, pois o amor ágape tem aqui uma conotação de amorcristão e
muito trabalho, esse amor se resume em atitude onde há este amor existe: doação, participação efetiva e
edificação mútua, também pelas obras e na verdade.
2.A Igreja de Tessalonicenses tinha como pontos fortes: Crentes dedicados à oração e pacientes,
dedicados a ouvir e obedecer à palavra de Deus, zelosa, igreja ativa, não descuidou do evangelismo,
divulgação em todos os lugares da fé para com Deus, e enfrentou a morte, possuíam como principal ponto
forte um constante estado de alertae prontidão. Seu ponto fraco foi que os crentes em Tessalônica tinham
ficado abalados porque ouviram (falsamente) que o Dia do Senhor já havia chegado. Na Minha Igreja
considero como pontos fortes: As dificuldades fazem crescer a fé, o amor, a esperança, o testemunho, a
paciência e como pontos fracos: é que precisa crescer e se consolidar de maneira exemplar, que chegue
até ser reconhecida por todas as outras comunidades vizinhas, e estarem aptos a serem perseguidos e
atribulados pelo amor do evangelho de Cristo.

3-O líder tem dificuldade de entender que nenhum trabalho é feito sozinho, Deus “ordena a benção” onde
há união e concordância, o princípio da ajuda mútua é justamente ajudar seu companheiro ao invés de
depreciá-lo, não devemos ficar irritado com nosso irmão só porque ele não possui as mesmas habilidades
que as nossas,
pois ninguém sabe tudo, não elogiam seus discípulos, não apoiam, e nem ajudam.

4- Trabalho, esforço dispendioso. Liderança, estar a frente conduzindo e Aconselhamento, orientações


sobre assuntos espirituais (disciplina espiritual e moral).

5-Os insubmissos: confrontar com amor/mostrar o perigo/indicar o caminho certo. Os desanimados:


fortalecer o coração/ressaltar pontos positivos/ajudar a recuperar sonhos. Os fracos: carregar no
colo/apoiar ternamente/abraçar/não desprezar.

6- Com o insubmisso. Vou me esforçar para praticar o que estou aprendendo.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 7

1- CONSOLIDAÇÃO DO DISCIPULADO.
1. Gravar em seus corações que eles precisam ter um tempo a sós com Deus.
2. O valor da oração.
3. Ensinar a tratar com o pecado.
4. A importância do perdão.

2- suas folhas, partindo deste principio continuaria potencializando suas vidas através dos princípios
bíblicos, experiências práticas e acompanhando sua evolução pessoal contínua, por fim cultivando e
regando, para os mesmos produzirem frutos.

3- Já iniciei e tenho utilizado como plano de ação as seguintes estratégias para os meus discipulados.
• Ajudando cada discípulo a conhecer seus dons e talentos nas diversas áreas
ministeriais.
• Uso filmes, livros, apostilas, hinos, brincadeiras didáticas, encorajando no primeiro
ano a liderar seus próprios grupos no ano seguinte.
ADMINISTRAÇÃO ECLESIÁSTICA

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 1

1 – Ao acrescentar o termo “Eclesiástico” na disciplina Administração, apenas quer se trazer o foco do


estudo para as atividades da igreja, porém, a administração das Organizações Religiosas segue os mesmos
princípios da administrações seculares, regendo-se pelas mesmas leis. Lc. 16.2; Gn. 41.34; Sl.9.8

2 – Congregacional; Presbiterial e Episcopal na qual o Governo é centralizado na figura de um dirigente,


responsável pelas decisões e destinos da igreja, mas que possui um grupo de subalternos, o Colégio
Episcopal, responsáveis pela administração da gestão do sistema. Este é o modelo de governo da Igreja do
Evangelho Quadrangular.

3 –Artigo 150 - Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, é vedada à União, aos
Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:

Inciso vi – instituir impostos sobre:

a) Patrimônio, renda ou serviço, uns dos outros;

b) Templo de qualquer culto;

c) Patrimônio, renda ou serviços dos partidos, inclusive suas fundações, das entidades sindicais dos
trabalhadores, das instituições de educação e de assistência social, sem fins lucrativos atendidos aos
requisitos da lei.

4 –Administração Superior e Geral – exercida pelo Conselho Nacional de Diretores.

Administração Intermediária – exercida pelo Conselho Estadual de Diretores;

Administração de Base – exercida pelo Conselho Diretor Local

5 – É órgão superior de unidade da Igreja Quadrangular, com funções legislativa, deliberativas e


administrativa, nos limites do Estatuto e sua conduta se estriba nos princípios de legalidade, moralidade e
impessoalidade, sendo constituído por 10 membros: Presidente; 1 Vice Presidente; 2 Vice Presidente; 3
Vice Presidente; 1 Secretário; 2 Secretário; 3 Secretário; 1 Tesoureiro; 2 Tesoureiro e 3 Tesoureiro.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 2

1 – A Igreja Local forma-se sob jurisdição da Igreja do Evangelho Quadrangular desde que haja um grupo
de cristãos convertidos, batizados nas águas por imersão, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo,
adotando a Declaração de Fé da instituição.

2 –Igreja Sede Regional são aquelas nas quais se centraliza a Administração Regional.

Igrejas com CNPJ são personalidades jurídicas vinculadas diretamente à Matriz e que devem
cumprir todos os preceitos legais, tributários e administrativos cabíveis.
Obras Novas que são as Congregações ou filiais não possuem um status mais elevado que as
anteriores mas tem as mesmas obrigações das Igrejas com CNPJ.

3 - Campos Missionários são constituídos de 1 a 10 Igrejas ou Obras Novas, sendo administrado por um
Diretor de Campo e as Regiões Eclesiásticas são Constituídas por mais de 10 Igrejas organizadas, O
campo Missionário, por meio de seu Diretor, requererá ao Conselho Estadual e este, ato contínuo, ao
Conselho Nacional, a elevação do Campo Missionário à categoria de Região Eclesiástica.

As Regiões Eclesiásticas e Campos Missionários são órgãos internos da IEQ, não possuindo
personalidade jurídica como é o caso das Igrejas Locais que possuem CNPJ. Seus atos administrativos
são centralizados nas Igrejas Sedes Regionais.

4 - Os Conselhos e Supervisões Estaduais são órgãos internos da IEQ, possuindo personalidade jurídica
idônea às igrejas Locais que possuem CNPJ. Subordinados à Convenção Estadual e, nos limites
estabelecidos pelo Estatuto, ao Conselho Nacional de Diretores.

5 –Secretaria Geral de Administração e Finanças - SGAF, Secretaria Geral de Ação Social - SGAS;
Secretaria Geral de Educação e Cultura – SGEC; Secretaria Geral de Comunicação – SGC; Secretaria
Geral de Disciplina Eclesiásticas – SGDE; Secretaria Geral de Coordenadorias e Diaconato – SGCD, e
Secretaria Nacional de Cidadania – CNC. Sendo a Secretaria de Administ ração e Finanças a responsável
pela administração nacional.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 3

1 – Porque ali os líderes, obreiros e pastores, iniciam a carreira ministerial e ali é onde se desenvolvem a
maior parte das rotinas administrativas da instituição.

2 – São classificadas basicamente em dois tipos: Dízimos e Ofertas, e são classificadas no lançamento
financeiro como receitas. Relatório Estatístico e Financeiro de Culto, Relatório de Culto das
Congregações, Relatório Mensal de entradas e saídas do DEBQ, Extrato de Poupança e Recibo de Venda
de Imóveis.

3 –Contratos, notas fiscais, recibos e outros documentos obrigatoriamente devem ser lavrados em nome
da Igreja do Evangelho Quadrangular, que são regulamentados pelos órgãos Públicos e não por órgãos
internos.

4 – Entradas sujeitas às taxas devidas aos órgãos superiores da Administração Regional e Nacional;
Entradas de departamento sujeitas às taxas estatutárias devidas aos respectivos órgãos superiores;
entradas repassadas integralmente aos órgãos e departamentos superiores.

5 – Taxa 4% ao Conselho Nacional de Diretores; Taxa 4% ao Conselho Estadual de Diretores; Taxa de


4% às Regiões/Campo Missionários; e Taxa de 1% ao Fundo Social.

6 –Ofertas obtidas na Escola Bíblica, 10% devem ser remetidos à Diretoria Regional do DEBQ
mensalmente; Ofertas dos Grupos Missionários 15% devem ser remetidos à Coordenadoria do grupo
correspondente mensalmente acompanhado do relatório específico de cada departamento. Ofertas
CHOMNEQ – 4% devem ser remetidos à Coordenadoria Regional, 3% devem ser remetidos à
Coordenadoria Estadual 3 3% devem ser remetidos à Coordenadoria Nacional todos acompanhados do
relatório mensal.

7 – Ofertas de Missões do 3º domingo, sem 50% para a Secretaria Estadual de Missões e 50% para a
Secretaria Geral de Missões.

8 - Canais de Comunicação( Endereço, CNPJ , Fone e E-mail)

Dados Estatísticos ( Membros Ativos, possui Templo Próprio?, Cultos realizados por mês,
Frequência Média da Igreja Local, Membros Batizados, Departamentos ativos que possui.

Dados Patrimoniais – Diretor de Patrimônio ( Registro físico na Igreja Local( os bens devem ser
arrolados no Livro do Patrimônio. Registro Virtual no sistema Geral de Gestão de Igreja Local – A
Secrataria Geral de Administração Finanças mantém ferramenta que pode ser acessada pelo Diretor de
Patrimônio para a realização deste trabalho Contador – Registro na Contabilidade – bens cujos valores
estejam acima do valor básico de atividade patrimonial devem ser contabilizado no Ativo Fixo de Igreja
Local. Agências de Evangelização (Congregações, Pontos de Pregação, Células, Santuários e outros.
Ministério Oficial ( Ministros, Aspirantes ao Ministérios e Obreiros Credenciados. Liderança Local
(Informação sobre cargo específico de cada membro)

9 –Aquisição e Alienação de Bens Imóveis da Igreja

10 –O Diretor de Patrimônio – Os bens devem ser escriturados no Livro do Patrimônio.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 4

1 – Ministro, Aspirante ao Ministério e Obreiros Credenciados são as pessoas nomeadas para


participarem diretamente do Ministério da Igreja do Evangelho Quadrangular , enquanto que os
voluntários realizam suas atividades por livre espontânea vontade sem nenhum vínculo com a instituição,
salvo nas questões espirituais e de embreais.

2 – Livro Caixa; Livro de Registro de Patrimônio; Livro de Rol de Membros; Livro de Registro de
Casamento; Livro de Apresentação de Crianças e Livro de Atas.

3 –Livro Diário e Livro Razão.

4 –Ata é o registro, por escrito, dos fatos e das decisões de uma reunião, realizada para uma finalidade
determinada.

5 – Os Ministros, Aspirantes e Obreiros Credenciados Titulares, Coordenadores e Secretários Estaduais e


Diretores do ITQ e MQCC. A Convenção Nocional é importante por que através da mesma são
escolhidos as pessoas que irão representar a IEQ no âmbito nacional nas funções legislativa e
deliberativas, seus membros natos são: Ministros, Aspirantes e Obreiros Credenciados Titulares, estes
últimos somente quando devidamente nomeados como Pastores Titulares pelo Nacional de Diretores.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 5

1 – Obreiros, Aspirante ao Ministério . O postulante inicia na categoria de Obreiro.


2 –São as Comissões de Relação Ministerial que tem como sua principal função gerir o processo de
admissão, readmissão e ascensão na carreira ministerial.

3 –Documentos pessoais em ordem (RG, CPF, Certidão de casamento ) Certidões forenses ou seja
Certidões judiciais e criminais.

4 - Estatuto é um conjunto de normas jurídicas acordadas pelos sócios ou fundadores, que regulamenta o
funcionamento de uma pessoa jurídica, seja esta uma sociedade, uma associação ou uma fundação.
Regimento Interno è uma norma interna, não aplicável a pessoas não pertencentes a essa organização,
pois não tem o caráter de lei de cumprimento de obrigações de todos. O regimento Interno do Evangelho
Quadrangular regulamenta e disciplina as matérias deliberadas no Estatuto.

5 – É que o sistema geral de administração e finanças está relacionado ao fato de ser um software que
opera no ambiente WEB(internet). Isto permite acesso ás informações contábeis em tempo real.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 6

1 -Evangelismo acontece quando levamos o Evangelho a indivíduos. No Plantio de Igrejas apresentamos


“...Cristo a indivíduos em uma área definida de relacionamento que se fortalecerão em uma comunidade a
qual deve ser capaz de prover ensino da Palavra, ambiente para a oração e comunhão, e leva-los a
apresentar Jesus a outros.”

Plantio de Igrejas deve ser definido pelo poder e desejo de Deus em salvar vidas; pela fidelidade às
Sagradas Escrituras, pela sua proclamação do Evangelho

2 – As nossas igrejas produzem muitas coisas, porém, a maioria das coisas que produzimos, são feitas
para quem está dentro e não para quem está fora.

3 - Contextualização é a sensibilidade e capacidade do comunicador do Evangelho em aproveitar os


elementos culturais e raciais dos ouvintes para pregar-lhes uma mensagem inteligível e que traga
resultados espirituais na vida deles. O perigo Político (impor a sua forma de pensar); Perigo Pragmático (
o que é Bíblico e teologicamente evidente se torna menos importante do que aquilo que é funcional e
pragmaticamente efetivo; Perigo Sociológico (soluções para as necessidades humanas, em uma
abordagem puramente humanística.

4 – Modelo é um conjunto de conceitos com os quais uma igreja, qualquer igreja, alcançou sucesso.
Princípio é válido para todas as igrejas, universalmente. Adotar um modelo significa imitar. Adotar
princípios significa deduzir e aplicar respeitando cada caso.

5 – Liderança capacitada transmite segurança em todos os aspectos da igreja; Ministério orientados pelos
dons - quanto aos dons distribuídos através do Espírito Santo e quando são identificados pela igreja tudo
passa a fluir pois o que Ele atribui a cada um é para crescimento do Reino de Deus.
HERMENÊUTICA

AUTOATIVIDADE CAPÍTULO 1:

1. Hermenêutica tem origem no termo grego Hermeneutikós, que significa interpretação. Trata-se de uma
referência ao deus grego Hermes considerado mensageiro ou porta voz dos deuses olímpicos e tido como
o deus da retórica e eloqüência. Como disciplina é tida como a ciência da interpretação.

2. Do grego eksegesis (explicar, interpretar, relatar) e eksegeomai (extrair, tiro para fora, exteriorizo etc.)
exegese pode ser definida como a extração das idéias do escritor presentes no texto analisado. Trata-se da
interpretação em si. O objetivo da exegese é possibilitar a compreensão do conteúdo do texto na forma
como seu autor pretendeu comunicar.

3. A eisegese consiste na adaptação do texto às idéias e opiniões do intérprete. Na eisegese , o intéprete


introduz no texto idéias e elementos que pretende atribuir ao escritor. A eisegese é o resultado da
caminhada na contramão da hermenêutica, pois se caracteriza por violações grosseiras das regras de
interpretação.

4. Anacronismo semântico, ocorre quando um significado mais recente de certa palavra é transportado
para a literatura antiga. Desambiguação.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 2:

A- 1. A principal regra da hermenêutica é a de que a Bíblia é explicada pela própria Bíblia, ou seja, a
Escritura é sua própria intérprete. Para se evitar que erros sejam cometidos na interpretação de um livro
bíblico é necessário estudá-lo a fundo, com humildade e já sabendo o texto escolhido e seu assunto em
interesse.

2. Perícope é o extrato de um livro usado para sustentar uma tese ou para uma finalidade similar. Trata-se
do processo pelo qual o texto a ser investigado é selecionado e para a exegese bíblica em particular, trata-
se do texto bíblico escolhido para literatura litúrgica ou para a pregação ou estudo.

3. As funções básicas da linguagem são divididas em três categorias: FUNÇÃO INFORMATIVA: É a


linguagem da informação, da descrição, da notícia e do ensino. Ocorre quando o interlocutor pretende
transmitir alguma informação. O processo se da mediante a afirmação ou negação de uma proposição.
FUNÇÃO EXPRESSIVA: O uso expressivo se da quando a necessidade é de exprimir emoções ou
sentimentos. FUNÇÃO DIRETIVA: é empregada sempre que se pretende causar uma ação ou impedi-la.
Ordens e pedidos estão entre os exemplos mais habituais. Os dez mandamentos constituem exemplos
clássicos do uso diretivo da linguagem.

B- 1.a)( x ) Diretiva

b)( ) Expressiva

c)( ) Informativa

2. a) ( ) Serve para ensinar


b)( x) Serve para exprimir emoções e sentimentos

c)( ) Serve para causar ou impedir um ação

3. a)( ) Informativa

b)( x) Expressiva

c)( ) Diretiva

4. a)( ) Análise dos termos pelo contexto geral

b)( x) Análise dos objetivos

c)( ) Análise de um termo pelo contexto imediato

5.a)( ) Assumir a responsabilidade sobre a própria conduta

b)( ) Assumir a responsabilidade pelo procedimento alheio

c)( x) Tolerar a fraqueza alheia

6. a)( x) Assumir a responsabilidade sobre a própria conduta

b)( ) Assumir a responsabilidade pelo procedimento alheio

c)( ) Tolerar a fraqueza alheia

7. a)( ) Analisar o conteúdo teológico do texto

b)( ) Identificar o significado de cada símbolo

c)( x) buscar o sentido literal do texto

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 3:

1. A) O livro relata várias experiências de Jesus, mas todas com o mesmo fundamento, a ideia de
algo velho sendo substituído pelo novo. Como foi o caso da água sendo substituída pelo vinho
novo, o templo antigo é demolido e por Cristo edificado um novo. O mesmo acontece na
conversa entre Nicodemos e Jesus, onde Ele fala do novo nascimento, que temos que morrer
para a carne e nascer para o Espírito.
B) Em João 3:1-7 Jesus fala a Nicodemos sobre o nascimento no Espírito, o batismo com e no
Espírito Santo, que precisamos morrer para a carne para podermos ter a vida eterna com Cristo,
e em alguns versículos bíblicos vemos essa relação, que só em Cristo realmente viveremos e
teremos a vida Eterna, como em : Gálatas 2:20, Efésios 2:5, I João 5:1, I João 5:18, João 1:13.

C) Bem sabemos que é mestre vindo de Deus: Nessa frase vemos que Nicodemos reconhece a
soberania de Jesus, como filho de Deus. Analisamos que na afirmação de Nicodemos ‘sabemos’
ele diz com total dependência e confiança de que Jesus era filho do Senhor. Mas para termos
salvação, devemos nos entregar para Cristo. E então Jesus disse ‘Aquele que não nascer de novo,
não pode ver o reino de Deus’, mas o que entendemos da palavra ‘nascer’? Seria voltar ao
ventre? Não, aqui Jesus nos instrui a morrermos para a nossa carne, nossos desejos carnais,
nossas fraquezas, pois somos pecadores e só o perdão e a misericórdia de Jesus pode nos
redimir e nos tornar puros para viver eternamente na Glória, que foi preparada para aqueles que
serão salvos.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 4:

1. A Hermenêutica é baseada na interpretação, e sabemos que os livros bíblicos foram inspirados por
Deus e escritos há muitos anos, palavras que perduram até os dias de hoje. Mesmo a Palavra de hoje
sendo viva, verdadeira e tendo o mesmo significado para nós, que aplicamos nos dias de hoje, mesmo
depois de séculos, é importante que haja uma análise histórica e geográfica do que formos estudar ou
pregar. A Bíblia têm muitas histórias de conflitos, parábolas, e atos simbólicos. Para podermos pregar,
explicar com veemência devemos saber o que se passava naquela época, qual era o símbolo de
determinadas atitudes, o que aquilo representava para o povo, devemos saber a história hierárquica de
cada época, o porque existiam determinados costumes e rituais. Talvez nós lemos algo mas não
entendemos a fundo, mas temos que saber o porque os povos guerreavam, e as tradições religiosas de seu
povo, e que naquela época não havia diferença entre lei civil e religião. No trabalho de interpretação é
preciso considerar que o texto bíblico foi escrito dentro de um contexto histórico, o que significa, por
exemplo, que, quando o autor de Apocalipse fala sobre Roma, refere-se ao império dos Césares e não ao
catolicismo romano como pretendem muitos pregadores. E muitas vezes não fazemos idéia das sérias
implicações por trás de um assunto. Quanto à geografia, a exigência é a mesma, caso contrário fica difícil,
por exemplo, compreendermos as razões por que a água possui tanta importância na Bíblia como símbolo
de verdades espirituais. Ou como exemplo, a pomba que é tão citada como símbolo da paz. Aprendemos
que devemos pesquisar a fundo não só os livros bíblicos mas também todo o contexto histórico e
geográfico para que possamos entender e tirar muitas dúvidas.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 5:

1- A análise sociocultural do texto bíblico é o estudo dos aspectos e valores da sociedade como:
organização política, a cultura, religião e etc. que compõem o pano de fundo dos textos sagrados. É
importante que o intérprete conheça a estrutura social e os valores da sociedade a quem os profetas
falaram e em cujo meio Jesus exerceu seu ministério.

2- Nesse texto bíblico conta a história do nascimento de Jesus, onde o Espírito Santo visitou Maria e ela
ficou grávida, mesmo sendo uma mulher pura. Naquela época e ainda nos dias de hoje, faz parte da nossa
cultura e do mandamento bíblico, que o sexo foi feito para depois do casamento, Deus abençoou o casal
com o dom de ter filhos, mas isso só depois de se tornarem um só em Cristo. E naquela época era uma
desonra para a família que a mulher engravidasse antes do casamento, mas José, sendo um homem justo e
de Deus, não quis difamá-la, nem desonrá-la, casou com Maria e honrou sua esposa que foi uma mulher
bendita que Deus usou pra gerar o Seu Filho amado.

AUTOATIVIDADE DO CAPÍTULO 6:

A) 1- Metáfora: Forma de linguagem em que, por analogia, dois objetos ou fatos trazem em si as mesmas
propriedades. Assim quando Jesus se compara com a videira , está comunicando que, por analogia, possui
as mesmas propriedades da planta. É próprio da videira, servir os galhos com a seiva vitalizante para que
produzam frutos. 2- Hipérbole: É o exagero, seja no engrandecimento ou diminuição na descrição de uma
ou alguma coisa. 3 – Hebraísmos: São expressões de natureza idiomática que representam, de maneira
específica e com singularidade, a maneira dos judeus se comunicarem. Ocorrem abundantemente em
todas as passagens das Escrituras.

B) 1- Metáfora 2- Hebraísmo 3 – Hipérbole 4- Metáfora.


CIDADANIA

AUTOATIVIDADE CAPITULO 01

1. Política: é a arte de bem governar o estado. Como ramo da filosofia, a política trata da relação entre
poder, mando e obediência e todas as suas implicações morais.
Civismo: É a devoção à coisa publica. Conjunto de atitudes e valores patrióticos que se espera encontrar
no indivíduo componente da cidade, estado.

2. a) A teologia política investiga a conexão entre a política e religião e o resultado desta interatividade.
b) Favorecia tanto o estabelecimento como a manutenção dos sistemas imperiais.
c) É o direito de se exercer o poder.
3.As dispensações:
( )a. são concessões dadas ao homem para governar.
( )b. são períodos probatório em que Deus puniria o homem por suas transgressões.
(x )c. são períodos probatório em que Deus exerceria seu governo com base na revelação dada.
( )d. são elementos probatórios constituintes do direito dispensional.

4. A Teologia política se fundamenta no teísmo, crença de que Deus se interessa pelos homens e tudo o
que se relaciona a vida destes.

AUTOATIVIDADE CAPITULO 02

1. No cap. 28 de Ezequiel descreve a existência de um sistema político; termos como príncipe, cadeira de
Deus, rei ungido, te estabeleci, comercio, etc; dão evidencia de que o oráculo de se refere a um estado
político que sofre uma intervenção de Deus, o soberano. Jó fala sobre o exercício da soberania de Deus
desde os primórdios do universo.

2. Produziu uma sociedade perversa que Deus destruiu com o dilúvio.

3. O governante tinha a responsabilidade de representar a comum idade, promover a paz e a justiça e


gerenciar as atividades de interesse coletivo.

4. Querendo uma política mais consistente e eficaz que desse para Israel segurança e unidade nacional.

5. Salomão.
AUTOATIVIDADE CAPITULO 03
1. Tema: AIGREJA
CONTEMPORANEA E A POLITICA.
“O Exemplo de Israel para a Igreja Contemporânea” Desde o período da pré-criação pode-se
compreender que havia um sistema político organizado, pelas citações dos profetas Ezequiel e Isaías
nas,pelas expressões descritas por eles. Depois disso os acontecimentos com a civilização durante as
primeiras dispensações revelam a importância da organização e da boa administração governamental. Na
formação de Israel como nação, a organização política sempre foi algo importante e os relatos mostram
que quando a nação tinha bons governantes o povo ia bem quando tinha governantes maus, sem temor a
Deus todos pereciam e a nação perdia muito, inclusive batalhas. As alianças políticas muitas vezes
levaram a mistura religiosa o que causava a apostasia do povo judeu, atraindo o juízo de Deus para a
nação. Em relação à Igreja o processo político sempre fez parte do contexto, tendo feito parte do cenário
de preparação para o evento do nascimento do Salvador e consequentemente do nascimento da igreja e
propagação do evangelho. No período que antecedeu a vinda de Jesus Cristo ao mundo o cenário político
foi marcado pelas conquistas de Alexandre que além da expansão militar levava a expansão cultural
fixando nas regiões conquistadas a cultura grega, dando assim uma contribuição intelectual no mundo que
iria receber a Cristo. Tornou o grego uma língua universal nos tempos de Jesus, uma linguagem comum
que propiciou a expansão do evangelho. Já os romanos deram uma contribuição política, servindo para
concretizar o propósito de Deus; através de sua legislação, o período sem guerras, a prosperidade e as
muitas estradas construídas. Para a igreja contemporânea tudo isso é um grande exemplo do agir de Deus
propiciando as condições necessárias para seus filhos aproveitarem a oportunidade de expansão do reino e
preparação para a volta de Jesus. A igreja de Cristo não pode perder o foco principal que alcançar o
perdido e manter alvas suas vestes. Porém também não pode ser apático em relação ao processo político e
as oportunidades em para suprir necessidades essências da população e a difusão do evangelho através do
processo político com representantes comprometidos com os princípios bíblicos.

CIDADANIA
AUTOATIVIDADE CAPITULO 04
Tema: “Os cristãos e a Igreja devem tomar seus lugares no cenário político brasileiro”.
A arte de conquistar, manter e exercer o poder, o governo,chama-se política. Portanto a administração, a
organização, a direção de nações ou estados; é guiar e influenciar o modo de governo pela organização de
um partido político, pela influencia da opinião publica da aliciação de eleitores. No Brasil o sistema
governamental é uma republica federativa presidencialista, de regime democrático representativo.
Antigamente sacerdotes e profetas ligados à política, utilizavam a influencia política para o bem da
sociedade, e muitas vezes devido ao cargo que possuíam puderam preservar seu povo. Na atualidade, da
mesma maneira os parlamentares evangélicos representam o povo de Deus, visam além de trabalhar por
políticas publicas de melhorias para a sociedade, defendem e garantem a continuidade dos ideais de
Cristo através da Igreja.
Por isso a igreja deve tomar seu lugar no cenário político brasileiro primeiramente ensinando a
importância da cidadania na vida do cristão e da igreja, renovando a mentalidade de seus membros de
forma a compreender o processo político brasileiro e como a igreja deve estar atuante. Também preparar
o povo como eleitores conscientes de seu valor e da importância da representatividade cristã e agir
preparando pessoas para serem representantes do povo no pleito; lideres com afinidade e habilidades
administrativas, atuam na sociedade e principalmente de bom testemunho e tementes a Deus.
A igreja agindo em união no processo poderá cada vez mais enviar seus representantes tanto nas esferas
municipal, estadual quanto federal. Pessoas comprometidas com os princípios bíblicos que se oponham ao
que a igreja de Cristo é contrária e defenda o que a igreja é a favor, garantindo assim o direito a liberdade
de expressão e pregação do evangelho em nossa nação.

CIDADANIA AUTOATIVIDADE CAPITULO 05


Sabemos que o poder do maligno opera no mundo usando todas as ferramentas possíveis para isso. A
igreja de Cristo para cumprir com os propósitos estabelecidos na Palavra também precisa estar atenta às
ferramentas disponíveis agindo com discernimento e entendo o mover do Espírito Santo e o tempo em
que estamos vivendo. No passado por ignorância a igreja de um modo geral rotulou e amaldiçoou o
avanço tecnológico e algumas áreas na sociedade dentre elas a política, o que acarretou a perda de muitas
oportunidades e muitas dessas áreas perdidas hoje demanda um investimento muito alto para se ter o
acesso, o que muitas vezes torna inviável para a igreja de Cristo. Porém na atualidade isso não poderá
mais acontecer à igreja e principalmente sua liderança precisará estar unida e ocupando as oportunidades
que surgem na sociedade para alcançar através disso o alvo estabelecido por Cristo para sua noiva, seja na
atuação social ou espiritual, e isso só se consegue com unidade dos cristãos para que a nação possa ser
transformada e abençoada.

AUTOATIVIDADE CAPITULO 06
O cristão não pode mais ser um alienado político. Tudo na sociedade depende da política abertura e
manutenção de uma rua, a criação de um bairro ou uma cidade; uma escola ou uma creche, a qualidade de
ensino, a segurança publica, as taxas de impostos e também os direitos e deveres da igreja como
instituição. Historicamente a igreja perdeu muito; oportunidades e espaço em muitas áreas da sociedade
inclusive na política e por isso quando alguns anos a necessidade de representatividade ficou mais
aparente a igreja descobriu o longo Caminho a percorrer começando com a conscientização dos cristãos
brasileiro que se mostraram na grande maioria contrários a política devido aos ensinamentos e
posicionamentos da igreja no passado. Política não é pecado e a Bíblia deixa isso claro em muitas
passagens, situações e historias de personagens importantes na formação da nação de Israel e nos
propósitos de Deus. Muitos dos servos de Deus foram políticos importantes e a Bíblia Sagrada relata isso.
Alguns cristãos justificam um posicionamento contrario a participação da igreja na política, dizendo que a
política é corrupta, mas na verdade assim como outras atividades a política reflete o caráter das pessoas
que dela fazem parte. Quando o povo elege pessoas corruptas e sem temor a Deus a política terá essa
face; e no Brasil é o que tem acontecido por séculos. A política em si não é pecado, mas as praticas
desonestas e corruptas para se chegar a uma posição isso sim é pecado. A igreja de Cristo no Brasil esteve
inerte por muitos anos, sem posicionamento e sem representatividade. Quando o povo de Deus começou a
adquirir consciência de seu direito não apenas de eleitor, mas também de concorrer e assumir cargos
públicos descobriu uma igreja preconceituosa e decepcionada com a cidadania. Faz-se necessário aos
lideres cristãos brasileiros a união em favor desse tema tão importante também a conscientização dos
membros e lideres leigos, o preparo de lideres chamados comissionados e preparados para que concorram
a cargos na política, pessoas de caráter e comprometidas com a Palavra de Deus, para que a igreja possa
confiar e defender seus lideres diante de uma sociedade corrompida, assim além de saber que política não
é pecado o igreja poderá usar como meio de evangelismo através de uma legislação mais justa a
população brasileira.