You are on page 1of 85
(VJ Estratégia CONCURSOS Aula 04 Oe ese U nme ee Seren tee) Leake) o) pa aU EIU aT} feoria Aula 04 - Prof. P: Auta 04 SOCIEDADE ANONIMA. Sumario 1 - Consideragées Iniciais. 2 - Sociedade Anénima.. 2.1, Antecedentes histéricos e aspectos introdutérios 2.2. Legislacao aplicavel 2.3. Principais caracteristicas 2.4, Mercado de capitais... 2.5. Criac&o da sociedade anénima 3 - Questées . 3.1, Questées sem Comentérios . 3.2. Gabarito ... 3.3. Questées comentadas .. 4 - Resumo da Aula 5 - Jurisprudéncia Aplicavel 6 - Consideragées Finais .... AULA 04 — SOCIEDADE ANONIMA. perce | Old, futuro magistrado! Seja bem vindo a mais uma aula de Direito Empresarial. Hoje vocé vai aprender tudo que é necessdrio sobre a sociedade anénima, que, na minha modesta opiniao, é 0 tipo societario mais complexo do nosso ordenamento. Esse tipo societério também 6 amplamente utilizado na realidade brasileira, principalmente para grandes empreendimentos. Aquelas grandes empresas das quais ouvimos falar, cujas agées e outros titulos sdo negociados em bolsa, sao as sociedades anénimas! Vamos l4!? Bons estudos! 2 - Sociedade Anénima 2.1. Antecedentes histéricos e aspectos introdutérios A doutrina aponta duas origens histéricas diferentes para a sociedade anénima: as associacdes de credores da Idade Média (a exemplo do Officium Procuratorum Sancti Georgio, uma interessante instituigéo financeira que funcionou por séculos em Génova), e as companhias das indias (patrocinadas pelos Estados Nacionais da Idade Moderna). Adotando uma ou outra orientacéio, o que fica claro é que essas sociedades sempre se dedicaram a grandes empreendimentos, e esta é uma caracteristica marcante das sociedades anénimas. Justamente por isso as sociedades anénimas surgiram como espécie de delegagéo do poder estatal. Somente a partir do Cédigo Comercial francés de 1808 passou a ser permitida a constituig&o de sociedades anénimas independentemente de outorga estatal, mas ainda sendo necessdria autorizacéo. A partir de meados do século XIX os requisitos passaram a ser ainda mais flexiveis, permitindo-se que qualquer pessoa constituisse uma SA, sendo necessdrio somente registro prévio e a submisséio a um regime legal especifico. No ordenamento brasileiro também passamos por essas fases. Inicialmente era necesséria uma outorga imperial para criar uma SA, como ocorreu com o Banco do Brasil, criado por alvaré de D. Jodo VI em 1808. A partir de 1849 as sociedades anénimas passaram a ser constituidas mediante autorizacéo governamental, regime adotado pelo Cédigo Comercial de 1850 Posteriormente, © ordenamento nacional adotou o regime da regulamentacao.