You are on page 1of 5

Vozes do Verbo

Você sabia que os verbos têm voz? As vozes verbais são identificadas através da
análise do comportamento do sujeito na oração.

Dá-se o nome de voz à forma assumida pelo verbo para indicar se o sujeito
gramatical é agente ou paciente da ação.

São três as vozes verbais:

a) Ativa: quando o sujeito é agente, isto é, pratica a ação expressa pelo verbo. Por
exemplo:

Estrutura da voz ativa: Sujeito Agente + Verbo + Complemento verbal (objeto


direto)

Exemplos:
Aspiramos a casa toda.
Sujeito da ativa: Nós (oculto)
Verbo: Aspiramos (transitivo direto)
Objeto direto: a casa toda.

André comeu o brigadeiro.


Sujeito: André
Verbo: comeu
Objeto direto: o brigadeiro

b) Passiva: Na voz passiva o sujeito é paciente e, assim, não pratica, mas recebe
a ação. A voz passiva pode ser analítica ou sintética.

Formação da voz passiva analítica (porque usa locução verbal)


A voz passiva analítica é formada pela estrutura: Sujeito paciente + verbo
auxiliar (ser, estar, ficar, entre outros) + verbo principal da ação conjugado no
particípio + agente da passiva.

Exemplos:
A casa toda foi aspirada por nós.
Sujeito: A casa toda
Verbo auxiliar: foi
Verbo principal: aspirada
Agente da passiva: por nós.
Agente da passiva = é o termo que age na oração passiva

O brigadeiro foi comido pelo André

Sujeito: O brigadeiro
Verbo auxiliar: foi
Verbo principal: comido
Agente da passiva: pelo André
Formação da voz passiva sintética (geralmente não usa o agente da passiva,
usa um verbo só + pronome apassivador “se” – apassivador porque está me
ajudando a deixar o sujeito passivo)
A voz passiva sintética, também chamada de voz passiva pronominal (devido ao
uso do pronome se) é formada pela estrutura: Verbo conjugado na 3.ª pessoa
(no singular ou no plural) + pronome apassivador "se" + sujeito paciente.

Exemplos:
Aspirou-se a casa toda.
Verbo 3ª pessoa singular: aspirou
Pronome apassivador: se
Sujeito paciente : a casa toda

c) Reflexiva: Quando a ação é feita pelo sujeito sobre ele mesmo, quando o sujeito
é ao mesmo tempo agente e paciente, isto é, pratica e recebe a ação. É um sujeito
que faz a ação sobre ele mesmo. Ação recai sobre o próprio sujeito, reflete sobre
ele sobre ele mesmo. E para isso preciso usar um pronome reflexivo que me auxilia
na reflexão dessa ação. Por exemplo:

O menino feriu-se.

Eu tenho aqui uma ação que sai do sujeito, passa pelo verbo, passa pelo
pronome e retorna ao próprio sujeito. Então um sujeito faz e sofre a ação.

Dentro da voz reflexiva eu tenho uma voz chamada voz reciproca (uma
ramificação da voz reflexiva) que é uma relação mutua interna ao sujeito. A voz
reciproca acontece quando eu tiver um sujeito que seja plural ou ou sujeito
composto.

Exemplos:

Sujeito plural: As crianças machucaram-se.

Elas podem ter machucado umas as outras. Tem uma mutua ação.

André e Diego abraçaram-se.

Temos aqui uma ação mútua, reciproca entre eles. Então apesar de ser uma
estrutura igual a da voz reflexiva, ela chama-se voz recíproca porque é uma
relação interna ao sujeito.

Obs.: não confundir o emprego reflexivo do verbo com a noção de reciprocidade.


Por exemplo:

Os lutadores feriram-se. (um ao outro)


Exercícios de vozes verbais

Teste seus conhecimentos em vozes verbais e confira se já sabe tudo sobre esse
tema. Para que não haja mais dúvidas, as respostas são comentadas no fim de
cada exercício.
1. (TRT – RJ) “Tudo isso pode ser comprovado por qualquer cidadão”. A forma
ativa dessa mesma frase é:
a) Qualquer cidadão pode comprovar tudo isso.
b) Tudo pode comprovar-se.
c) Qualquer cidadão se pode comprovar tudo isso.
d) Pode comprovar-se tudo isso.
e) Qualquer cidadão pode ter tudo isso comprovado.

Alternativa a: Qualquer cidadão pode comprovar tudo isso.


Na oração acima, o sujeito é "qualquer cidadão". É ele o agente e, logo, é quem
pratica a ação.
2. (PUC-PR) Assinale o período em que a colocação do pronome átono pode ser
alterada.
a) Passe-me o livro, por favor!
b) Foi este o artigo que vocês leram e me recomendaram?
c) A criancinha veio, mal se equilibrando nos pezinhos.
d) Ter-se-ão retirado, quando você chegar.
e) Não lhe quero falar sobre o caso.

Alternativa b: Foi este o artigo que vocês leram e me recomendaram?


A próclise é usada em orações interrogativas. Neste caso, pelo fato de iniciar uma
oração ela pode ser alterada para o seu fim, ou seja: Foi este o artigo que vocês
leram e recomendaram-me?
3. (FUVEST) “Os meninos de rua que procuram emprego são repelidos pela
população.”
I) Reescreva a frase, alterando-lhe o sentido apenas com o emprego de vírgulas.
II) Explique a alteração de sentido ocorrida.

Os meninos de rua, que procuram emprego, são repelidos pela população.

As vírgulas fazem com que a oração se transforme em oração subordinada adjetiva


explicativa. Sem vírgulas, estávamos diante de uma oração subordinada adjetiva
restritiva.
4. (TRT) É exemplo de construção na voz passiva o segmento destacado na
seguinte frase:
a) Ainda ontem fui tomado de risos ao ler um trechinho de crônica.
b) A Solange toma especial cuidado com a escolha dos vocábulos.
c) Glorinha e sua filha não partilham do mesmo gosto pelo requinte verbal.
d) O enrubescimento da mãe revelou seu desconforto diante da observação da
filha.
e) Lembro-me de uma visita que recebemos em casa, há muito tempo.

Alternativa a: Ainda ontem fui tomado de risos ao ler um trechinho de crônica.


5. (UFV-MG) Todas as frases estão corretas quanto à colocação dos pronomes
oblíquos átonos, exceto:
a) Logo que me formar, colocar-me-ei à disposição da empresa.
b) No portão de entrada da cidade lia-se, em letras garrafais numa placa de bronze:
ESTRANHOS, AFASTEM-SE!
c) Se o tivesse encontrado, eu lhe teria dito tudo.
d) Em se tratando de caso urgente, nada o retinha em casa.
e) Os alunos tinham preparado-se para a grande prova.

Alternativa b.

O correto seria dizer: No portão de entrada da cidade se lia, em letras garrafais


numa placa de bronze: ESTRANHOS, AFASTEM-SE!

6. (UPM – SP) Assinale a alternativa em que há agente da passiva.


a) Nós seremos julgados pelos nossos atos.
b) Olha esta terra toda que se habita dessa gente sem lei, quase infinita.
c) Agradeço-lhe pelo livro.
d) Ouvi a notícia pelo rádio.
e) Por mim, você pode ficar.

Alternativa a: Nós seremos julgados pelos nossos atos.

"Pelos nossos atos" é o agente da passiva. Isso porque são os nossos atos que
praticam a ação de julgar, o qual está expresso pelo verbo na voz passiva, ou seja,
"julgados".

7. (TST) Transpondo-se para a voz passiva a construção "Os ateus despertariam a


ira de qualquer fanático", a forma verbal obtida será:
a) seria despertada.
b) teria sido despertada.
c) despertar-se-á.
d) fora despertada.
e) teriam despertado.

Alternativa a: seria despertada.

Assim, temos: A ira de qualquer fanático seria despertada pelos ateus.


Isso porque a voz passiva analítica é formada da seguinte forma:
Sujeito paciente + verbo auxiliar (ser, estar, ficar, entre outros) + verbo principal da
ação conjugado no particípio + agente da passiva.
8. (Fundação Carlos Chagas) Transpondo para a voz passiva a oração “O faro dos
cães guiava os caçadores”, obtém-se a forma verbal:
a) guiava-se
b) ia guiando
c) guiavam
d) eram guiados
e) foram guiados
Alternativa d) eram guiados.

Assim, temos: Os caçadores eram guiados pelo faro dos cães.


O sujeito da voz ativa (o faro dos cães) corresponde ao agente da passiva. O
objeto direto da voz ativa (os caçadores) torna-se o sujeito da voz passiva.
9. (ENG. ITAJUBÁ) Transforme as frases a e b segundo o seguinte modelo:
– Foi socorrido por amigos.
– Amigos socorreram-no.
a) Foste ajudado por muitos.
b) Fomos aconselhados por mestres.
I) Muitos ajudaram-te.
II) Mestres aconselharam-vos.
I) Muitos ajudaram-te.
II) Mestres aconselharam-nos.
I) Muitos ajudaram-lhe.
II) Mestres aconselharam-nos.
I) Muitos ajudaram-lhe.
II) Mestres aconselharam-vos.

I) Muitos ajustaram-te.
II) Mestres aconselharam-nos.
Foste indica 2.ª pessoa do singular, logo, somente poderá ser usada a forma
ajudaram-te.
Fomos indica 1.ª pessoa do plural, logo, somente poderá ser usada a forma
aconselharam-nos.
10. (TRT) Em outubro de 1967, quando Gilberto Gil e Caetano Veloso
apresentaram as canções Domingo no parque e Alegria, Alegria, no Festival da TV
Record, logo houve quem percebesse que as duas canções eram influenciadas
pela narrativa cinematográfica ...
Transpondo-se a primeira das frases em itálico acima para a voz passiva e a
segunda para a voz ativa, as formas verbais resultantes serão, respectivamente:
a) se apresentaram − influencia.
b) foi apresentado − se influenciaram.
c) eram apresentadas − influenciou.
d) foram apresentadas − influenciava.
e) são apresentadas − influenciou.

Alternativa d: foram apresentadas − influenciava.

Assim, temos: Em outubro de 1967, quando foram apresentadas as canções


Domingo no parque e Alegria, Alegria, no Festival da TV Record, por Gilberto Gil e
Caetano Veloso, logo houve quem percebesse que a narrativa cinematográfica
influenciava as duas canções ...