You are on page 1of 2

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA

PLANO DE ENSINO

COMPONENTE CURRICULAR CARGA HORÁRIA PERÍODO:


Farmacotécnica I Teórica Prática Total 6°
34 34 68
PROFESSOR RESPONSÁVEL: Jaise Silva Ferreira

EMENTA:
Posição da Farmacotécnica nas ciências. Cálculos aplicados à farmacotécnica.
Conceitos e definições na farmacotécnica. Implantação de procedimentos
operacionais padrões na farmácia. Concepção e produção de um medicamento.
Excipientes. Operações farmacêuticas: conceito, divisões e exemplos. Operações
farmacêuticas de ordem química: conceito, divisões e exemplos. Formas
farmacêuticas líquidas: xaropes, solução medicamentosa, elixir, hidrolatos,
pseudohidrolatos, alcoolaturas, decoctos, infusos, digestos: conceitos, divisões e
exemplos. Formas Farmacêuticas sólidas: pós, granulados, saches, shakes,
comprimidos, drágeas e cápsulas: conceitos, divisões e exemplos.

OBJETIVOS:
Reconhecer as diferentes formas farmacêuticas, tendo capacidade para
desenvolver e produzir cada uma delas através do desenvolvimento de
conhecimentos, específicos sobre a escolha adequada de matérias-primas e
processos de produção visando torná-lo apto a atuar como farmacêutico no
desenvolvimento, produção e solução de problemas relacionados à manipulação de
medicamentos em Farmácia.
Dominar todos os aspectos matemáticos ligados à manipulação de cada forma
farmacêutica. Se capaz de estabelecer protocolos operacionais.

UNIDADES DE ENSINO:
Unidade I
Introdução a Farmacotécnica: Farmacotécnica e as ciências e as Ciências
Farmacêuticas, Formas Farmacêuticas, Cálculo aplicado à Farmacotécnica: fator
de equivalência e fator de correção de medicamentos, unidades padrão de
medicamentos, revisão de milequivalentes, desvio padrão, GMP, excipientes,
elaborações de POP’S para a produção de fármacos.

Unidade II
Operações Farmacêuticas: Conceito, divisão e exemplo.
Operações Farmacêuticas de ordem física: conceito, divisão e exemplo.
Operações Farmacêuticas de ordem mecânica: conceito, divisão e exemplo.
Operações Farmacêuticas de ordem química: conceito, divisão e exemplo.

Unidade III
Formas Farmacêuticas líquidas obtidas por dissolução simples, por destilação, por
dissolução extrativa.

Unidade IV
Formas Farmacêuticas sólidas obtidas por divisão mecânica: Pós, granulados,
cápsulas, comprimidos, drágeas. Formas farmacêuticas de ação prolongada.
METODOLOGIA DE ENSINO:
Aulas expositivas com recursos áudio visuais como: data show, retroprojetor.
Aulas práticas no Laboratório de Ciências Farmacêuticas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
ANSEL, Howard C.; POPOVICH, Nicholas G.; ALLEN, Loyd V. Farmacotécnica:
formas farmacêuticas & sistemas de liberação de fármacos. 6. ed. São Paulo:
Premier, 2000. 568 p.

FERREIRA, Anderson de Oliveira. Guia prático da farmácia magistral, v. 1. 3. ed.


São Paulo: Pharmabooks, 2008. 409 p.

FERREIRA, Anderson de Oliveira; BRANDÃO, Marcos. Guia prático da farmácia


magistral, v. 2. 3. ed. São Paulo: Pharmabooks, 2008. 829 p.

LE HIR, A. Noções de farmácia galênica. 6. ed. rev. e ampl São Paulo:


Organização Andrei Ed., 1997. 444 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
AULTON, Michael E. Delineamento de formas farmacêuticas. 2. ed. Porto
Alegre: Artes Médicas, 2005. 677 p.

DESTRUTI, Ana Beatriz C. B. Noções básicas de farmacotécnica. 3. ed. São


Paulo: SENAC, 2004. 68 p.

GIL, Eric de Souza. Farmacotécnica compacta. São Paulo: Pharmabooks,


2006. 100p.

LACHMAN, Leon et al. Teoria e prática na indústria farmacêutica. Lisboa:


Fundação Calouste Gulbenkian, 2001. 2 v.

FARMACOPÉIA brasileira. 4. ed. São Paulo: Atheneu, 1988-1996. 7 v.

FARMACOPÉIA brasileira, volume 1. 5.ed. Brasília, DF: ANVISA, 2010. Disponível


em:
<http://www.anvisa.gov.br/hotsite/cd_farmacopeia/pdf/volume1.pdf>.

FARMACOPÉIA brasileira, volume 2. 5.ed. Brasília, DF: ANVISA, 2010. Disponível


em:
<http://www.anvisa.gov.br/hotsite/cd_farmacopeia/pdf/volume2.pdf >.

Aprovado pelo Colegiado de Curso

Prof Carlos Eduardo Faria Ferreira


Coordenador de Curso de Graduação em Farmácia da FMC