You are on page 1of 3

fls.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO


COMARCA DE SOROCABA
FORO DE SOROCABA
2ª VARA DE FAMÍLIA E SUCESSÕES

Rua 28 de Outubro, 691, Alto da Boa Vista - CEP 18087-082, Fone: (15) 3228- 5148,
Sorocaba SP - E-mail: sorocaba4cv@tjsp.jus.br
Horário de Atendimento ao Público: das 12h30min às 19h00min

SENTENÇA

Processo Físico nº: 28691000.200

Data da audiência 31/05/2018 às 14:00 hrs

Classe - Assunto Procedimento Especial da Lei de Alimentos – Pedido de Alimentos


Gravíticos CC Alimentos Provisórios

Requerente: Janaina

Requerido: Rafael

Justiça Gratuita

Juiz(a) de Direito: Dr (a). Gabriela Lellis

Vistos.

Trata-se de Ação de Alimentos Gravídicos com pedido de alimentos provisórios,


apresentada por Janaina de Tal em face de Rafael das Quantas.
A Autora alegou, em síntese, que o requerido manteve relacionamento do qual
resultou na sua gravidez. Por esse motivo, pleiteou a procedência do pedido para a
consequente condenação do requerido a concessão ao pagamento de alimentos gravídicos
convertidos em pensão alimentícia após o nascimento da criança (fls. 64/65).
fls.2

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO


COMARCA DE SOROCABA
FORO DE SOROCABA
2ª VARA DE FAMÍLIA E SUCESSÕES

Rua 28 de Outubro, 691, Alto da Boa Vista - CEP 18087-082, Fone: (15) 3228- 5148,
Sorocaba SP - E-mail: sorocaba4cv@tjsp.jus.br
Horário de Atendimento ao Público: das 12h30min às 19h00min

Juntou documentos (fls. 79/82).

Citado (fls.76), o requerido apresentou contestação alegando em


preliminar não haver acordo quanto ao pagamento. No mérito, impugnou a paternidade
que lhe é atribuída, alegando dúvidas e ainda exigindo exame de DNA, comprovou não
ter boas condições financeiras para arcar com o pagamento de alimentos provisórios
exigidos, e nem tão pouco pagar pensão alimentícia pleiteada pela Autora (fls. 84/88).

Juntou as cópias de fls. 89/92.

Réplica a fls. 97/99.

O Digno Representante do Ministério Público, concedeu que após o


nascimento da criança será realizado o exame de DNA (fls. 100/115).
fls.3

É o relatório.
Fundamento e decido.

O Representante do Ministério Público Acatou em partes a preliminar


suscitada pelo requerido, visto que o próprio provou tacitamente estar desprovido
financeiramente para pagar o que lhe é demandado na ação de alimentos gravídicos
cumulada com alimentos provisórios atribuída. Ademais, condenou a fixação de alimentos
gravídicos, neste patamar se justifica, uma vez que, há indícios de paternidade,
comprovado nos autos pelas testemunhas da Autora. Em seu parecer pugnou pela
procedência parcial do pedido fixando assim os alimentos gravídicos em 1/3 do salário
mínimo, e caso comprovada a paternidade haverá a fixação alimentos provisórios após o
nascimento da criança e comprovação da sua paternidade diante de exame de DNA a
importância correspondente a 1 salário mínimo. Condenou ainda o Réu a oferecer um
acompanhamento médico digno durante a gravidez da Autora, tendo que arcar com todas
as despesas extras como remédios, exames médicos caso a Autora necessite.
Em razão da sucumbência, condenou o Réu ao pagamento das custas e
despesas processuais, assim como os honorários advocatícios, que o fixo em R$ 6.000,00
(seis mil reais) nos termos do Art. 85 da Lei 13105/15.
Sorocaba. 31 de maio de 2018.
Juíz (a) de Direito Dra. Gabriela Lellis
--------------------------------------------------
Ester Ribeiro RA 2018024549 8º semestre.