You are on page 1of 11

FACULDADE PITÁGORAS DE LINHARES

CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL

FABRICIA BORGES DE JESUS

JÉSSICA BREDA DE PAULA

BIOMASSA

LINHARES

2014

Professora: XXXXXXXX LINHARES 2014 .FABRICIA BORGES DE JESUS JÉSSICA BREDA DE PAULA BIOMASSA Atividade parcial apresentada ao curso de graduação em Engenharia Ambiental – 10º período da Faculdade Pitágoras de Linhares para a matéria de XXXXXXXXX.

..................................................... SOBRE A EMPRESA ............... JUSTIFICATIVA ..........15 .......................................................................... INTRODUÇÃO.........................................................4 2.................................. Objetivo geral .....................................................................................................................................................................11 6.............................................2...................6 3.............. OBJETIVO........... CONCLUSÃO ...............................................................................................................................................14 7. RELATO DA VISITA NA PLANTA INDUSTRIAL DA EMPRESA E NO VIVEIRO DE MUDAS.........................5 3.......................7 5.. Objetivos específicos.............. SUMÁRIO 1................6 3.............. REFEFERÊNCIA BIBLIOGRAFICAS......6 4..................................................................................1.....................................................

madeira e plantas como a cana-de-açúcar. principalmente em sistemas de cogeração e no fornecimento de energia elétrica para demandas isoladas da rede elétrica. Os combustíveis mais comuns da biomassa são os resíduos agrícolas. sendo 14% proveniente de biomassa e 6% de fonte hídrica. Uma das vantagens da biomassa é que seu aproveitamento pode ser feito de forma direta. também pode ser convertido em combustível para o transporte. Somente assim toda a biomassa potencialmente disponível (recurso) pode assumir o conceito de reserva. por exemplo.são usadas para produzir energia usando este processo e são chamadas de biomassa. Quando se busca determinada disponibilidade de biomassa energética em um país ou região. No Brasil. Entretanto. por meio da combustão. a proporção da energia total consumida é cerca de 35% de origem hídrica e 25% de origem em biomassa. Os recursos renováveis representam cerca de 20% do suprimento total de energia no mundo. é importante considerar suas restrições de ordem ecológica. estão sendo desenvolvidas e aperfeiçoadas tecnologias de conversão mais eficientes como a gaseificação e a pirólise. indústrias e mesmo residências. Outra importante vantagem é que com o aumento na sua utilização há como consequência a redução no consumo de combustíveis fósseis. econômica (incluindo a social e a política) e tecnológica. 4 1. isso significa que os recursos renováveis suprem algo em torno de 2/3 dos requisitos energéticos do País. como o petróleo e seus derivados. que não são matérias-primas renováveis e que poluem o meio ambiente com a produção dos gases do efeito estufa. que são colhidos com o objetivo de produzir energia. É comum nos dias de hoje a biomassa ser utilizada na geração de eletricidade. As . O lixo municipal. as plantas capturam energia do sol pelas suas folhas e a transformam em energia química. Diversas outras fontes renováveis de origem orgânica – animais ou vegetais. Esta energia pode ser convertida em eletricidade. INTRODUÇÃO Através do processo de fotossíntese. combustível ou calor. As restrições ecológicas estão associadas à preservação do meio ambiente e à qualidade de vida. a partir do qual se determina o potencial anual de produção. com o objetivo de aumentar a eficiência e reduzir os impactos socioambientais no processo de sua produção.

Programas nacionais e mundiais começaram a ser desenvolvidos visando o incremento da eficiência de sistemas para a combustão. e o coque vegetal também no Brasil. o aproveitamento do bagaço de cana nas Ilhas Maurício e atualmente no Brasil. 5 limitações econômicas são analisadas em dois níveis. é necessário saber se a biomassa a ser explorada energeticamente não tem outros usos mais econômicos (industrial ou alimentício). e que ainda tem um interessante crescimento pela frente. Em primeiro lugar. O álcool combustível da cana-de-açúcar no Brasil é o principal exemplo da produção em grande escala de energia da biomassa. as restrições tecnológicas se devem à existência ou não de processos confiáveis e operações para conversão da biomassa em combustíveis de uso mais geral. se todos os custos da biomassa explorada são compatíveis com os benefícios energéticos e comparáveis com os demais combustíveis. Outros exemplos são o aproveitamento do biogás na China. . Em segundo lugar. Finalmente. gaseificação e pirólise da biomassa.

O bagaço de cana tem um grande potencial como fonte renovável de energia. sendo que cerca de 1/3 dessa energia está armazenada quimicamente no caldo (açúcares) e o restante na biomassa de cana: metade no bagaço e metade na palha. O bagaço e a palha da cana são matérias-primas de destaque como fontes energéticas nesse novo processo. TIPOS DE BIOMASSA 2. a cana-de-açúcar passa a se destacar na condição de importante fonte energética. na geração de excedentes de energia elétrica que podem ser comercializados.2 barril de petróleo. Esta tecnologia possibilita o aproveitamento integral da cana-de-açúcar. a partir da biomassa é impulsionada pelo Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica – PROINFA. O processo gaseifica o bagaço e o gás produzido alimenta a câmara de combustão de uma turbina a gás. O que diferencia seu uso é a eficiência com que o potencial do bagaço é aproveitado. No estado de São Paulo existem 146 usinas de cogeração em operação.700MW.822 MW. Afirma-se que em pouco tempo as usinas não serão mais somente indústrias de açúcar e álcool. como a Integrated Gasification Combined Cicle (IGCC). o que corresponde a 70% da cogeração no . A forma mais eficiente e limpa de gerar energia elétrica com bagaço é através de tecnologias modernas. mas também.1 BIOMASSA USANDO CANA DE AÇÚCAR Além da importância na fabricação de etanol. que colocou o setor sucroalcooleiro em novo patamar de importância. em mais de 250 usinas. O desenvolvimento da cogeração de energia. A produção elétrica nas usinas de açúcar e álcool funcionam em sistemas de cogeração que usam o bagaço de cana como combustível. representando aproximadamente 14% da capacidade termelétrica atual do País segunda a revista Opiniões (2008). Uma tonelada de cana contém a energia equivalente a 1. pelo grande potencial de produção de energia elétrica a partir do aproveitamento da biomassa. aproximadamente. podendo ser utilizado não somente em caldeiras para geração de calor e eletricidade no processo industrial de fabricação de álcool e açúcar. mas biorefinarias. 6 2. com potência instalada total de 1. A capacidade instalada no Brasil para produção de eletricidade a partir da biomassa da cana-de-açúcar é de 2.

Enquanto a produção media no Brasil é de sete mil frutos por hectare no Espírito Santo a produção média gira em torno de 14 mil. Sua biomassa residual é composta de sabugo. poderão ser coletados e transformados em briquetes. Porém.3 MW no Espírito Santo. 2. para seu melhor aproveitamento deve ser revistas suas formas de colheita. No ano de 2010. A parte seca do milho maduro é aproveitada como fertilizante nas lavouras onde é debulhado. 2. . 7 Brasil.76 milhões de cachos com ramos florais.3 BIOMASSA USANDO OU COCO. Pesquisas comprovam que o aproveitamento adequado das cascas de coco. Considerando o aproveitamento de apenas 1% dos 2.29 bilhões deste resíduo.79 milhões de folhas e 469. A diferença é produzida através de pequenos produtores e seu aproveitamento está condicionado à logística de suprimentos para a geração de energia.3 de matéria-prima.29 bilhões de cascas de coco. palha e ponta. Dele pode-se obter o biocombustível etanol produzido a partir da fermentação e destilação de açucares. distribuídos praticamente em quase todo o território nacional. verifica-se que é suficiente para se produzir cerca de 80 mil toneladas/mês de briquetes. Os Estados Unidos é um dos maiores produtores de milho. com produção anual de 2. com o processo de queima de resíduos provenientes da cana-de-açúcar foi gerando cerca de uma potencia de 7. fornos e lareiras. que detêm um alto potencial energético e podem ser utilizados principalmente na indústria para a alimentação de caldeiras.35 MW. Por já ser utilizado como fertilizante há pouco incentivo de investimento para exploração de seu potencial energético. folhas e cachos de coqueiro que são descartados nas áreas urbanas e rurais. 469. 2. A estimativa do potencial total desse insumo é de 22 MW.2 BIOMASSA USANDO MILHO Os resíduos provenientes de milho possui uma estimativa potencial 1. Parte dessa energia é utilizada para atender a necessidade das usinas e o resto é vendido no mercado. O Brasil possui cerca de 290 mil hectares cultivados com coqueiros. pois para produção de uma tonelada de briquetes será necessário. que caem naturalmente da planta e também devido à poda.

Possui menor custo e menor manutenção das grelhas e fornalhas. além de produzirem gases como o metano (CH4). cinza e fuligem devido à baixa umidade e a temperatura se eleva rapidamente. considerados pelos geradores como inúteis. Já no que se refere à tecnologia .4 BIOMASSA USANDO RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Resíduos urbanos são aqueles resíduos sólidos gerados nos ambientes doméstico e comercial. englobam domicílios. mas não serão levados em conta neste texto por sua impossibilidade de reutilização. escritórios. bem como material inorgânico – embalagens. Pode-se definir como resíduo urbano ou lixo: os restos das atividades humanas. 8 Estudos realizados mostram que a produção de briquetes utilizando cascas de coco tem muitas vantagens além do alto poder calorífico na geração de energia de biomassa. por isso. Normalmente. no mínimo. O potencial de geração com a tecnologia de digestão anaeróbica é menor. indesejáveis ou descartáveis. têm-se biogás disponível para utilização energética em curto prazo (14 a 28 dias). Os resíduos hospitalares e outros resíduos especiais também são classificados como urbanos. Esse tipo de resíduo é constituído por matéria orgânica. hotéis. O briquete de cascas de coco é um produto ecologicamente correto. Sendo assim. semissólido ou semilíquido (com conteúdo líquido insuficiente para que este líquido possa fluir livremente). restaurantes. A avaliação do potencial energético dos RSU requer a cenarização de sua produção assim como de sua composição. 10 anos. que são causadores do efeito estufa e sua decomposição leva. 2. reduz o acúmulo de resíduos nos aterros sanitários. todos eliminados no cotidiano. pois produz menos fumaça. entre outros. galhos e folhas de árvores. que por sua vez. há um grande interesse em viabilizar o seu aproveitamento energético. e óxido nitroso (N2O). escolas. A produção de energia elétrica a partir desses materiais já apresenta alternativas tecnológicas maduras. proporcionam a proliferação dos vetores causadores de doenças e epidemias. O aproveitamento dos resíduos sólidos urbanos (RSU) apresenta diversas vantagens socioambientais e econômicas e. atendendo a todas as normas nacionais e internacionais quanto ao controle de órgãos ligados ao meio ambiente. apresentam-se sob estado sólido. Sendo uma inovação para o mercado. dióxido de carbono (CO2). varredura e podas urbanas. vasilhames e entulhos. como restos de alimentos. Entretanto.

9 de recuperação do metano em aterros sanitários (biogás de aterro). Porém. No Espírito Santo há o projeto Espirito Santo sem lixões.5 BIOMASSA USANDO EFLUENTES: ANIMAIS. onde junto deles se propõe a instalação de aproveitamento do metano gerado como fonte de biogás para a produção de energia. DOMÉSTICOS OU COMERCIAIS. Uma das alternativas que vem despertando grande interesse é a tecnologia de biodigestão anaeróbia de resíduos animais. O potencial de aproveitamento de resíduos sólidos urbanos é grande. com alta produção inicial e subsequente decaimento acentuado. com a capacidade de 20MW que utiliza até 12 mil m3/h coletado no Aterro Bandeirantes. a curva de produção deste gás indica disponibilidade deste combustível por um período longo (entre 30 e 40 anos). em que serão eliminados 100% dos lixões e serão construídos aterros sanitários. pela implantação de biodigestores. principalmente sobre o solo e a água. de incineração e ciclo combinado otimizado. As outras tecnologias. No caso do ciclo combinado. O setor é considerado altamente poluidor devido à geração de grandes quantidades de biomassa residual. A atividade agropecuária apresenta um intenso dinamismo na economia brasileira. incluindo a definição de competências e responsabilidades nos sistemas de gerenciamento dos resíduos. apresentam potencial maior. Existem hoje diversas alternativas tecnológicas de aproveitamento da biomassa para geração de energia. No Brasil já existem um aterro sanitário associado a uma usina termoelétrica a biogás – UTE Bandeirantes. mas enfrenta desafios importantes a serem vencidos principalmente relacionados a questões técnicas. na cidade de São Paulo. sendo os bovinos os que mais contribuem. os efluentes líquidos dos animais são os tipos de biomassa mais abundantes. são grandes. há ainda uma complementação com gás natural. regulatórias e institucionais. 2. No estado. na medida em que as criações tradicionais têm negligenciado a aplicação de boas práticas de conservação ambiental que a atividade requer. porém consomem parte dos recicláveis juntamente à fração orgânica dos RSU para geração elétrica. sendo à base de sustentação econômica do país. Entretanto. os impactos da criação de animais sobre os recursos ambientais. . estimando 278MW.

considerando 100% dos empreendimentos com efluentes tratados. As atividades comerciais e domesticas resultam além de resíduos sólidos. não podendo assim esse potencial ser considerado totalmente. os resíduos líquidos. O Estado de Espirito Santo ainda precisa de instalar algumas ETEs para a universalização do saneamento e para isto esta prevista a instalação de estações mais compactas e de custo operacional mais baixo e com boa eficiencia e que ainda produza o biogás. 10 esse tipo de criação ocorre de maneira extensiva. Estima-se que o potencial de produção seja de 18. Em contrapartida. o potencial dos efluentes líquidos das aves no Estado entre 2000 e 2009 chegou a 57MW e para os suínos.5 MW de energia caso 60% dos efluentes domésticos e comerciais fossem coletados e tratados por sistemas anaeróbicos. . 17MW. com os animais soltos.. A energia produzido pelo biogás poderá ser utilizada na produção de energia elétrica para a própria ETE ou mesmo para disponibilizá-la na localidade.

devido a diversos fatores. o que falta é investir de verdade nessas possibilidades. evitando assim crises futuras e possibilitando um maior destaque entre os países em desenvolvimento. a vasta extensão territorial. possibilitando melhores rendimentos. propícia à agricultura alimentícia e passível de (re)florestamento. 11 3. as condições bioclimáticas e a experiência atingida quanto ao trato e exploração florestal a permitirem a obtenção de produtividade quatro a cinco vezes superiores às obtidas nos países de clima temperado. o aprimoramento das tecnologias de transformação e o surgimento de novas. sobretudo a biomassa. assim como também melhor aplicar as legislações e aperfeiçoá-las para o melhor aproveitamento energético do Estado e do País. como por exemplo. O Estado do Espírito Santo não foge dessa realidade. CONCLUSÃO O Brasil apresenta condições favoráveis para se tornar uma grande potência no que diz respeito a fontes renováveis de energia. . a existência de grande quantidade de biomassa disponível pela expansão da fronteira agrícola e implantação de grandes projetos. São conhecidas as grandes vantagens do uso dessas fontes de energias renováveis tanto para o seu humano quanto para o meio ambiente.