You are on page 1of 14

Teoria da Empresa

Profa. Luciana Vasconcelos Lima

 Locação comercial. Estabelecimento empresarial  Aviamento e clientela. .  Ação renovatória.  Conceito. natureza e elementos.  Alienação do estabelecimento - Trespasse.

fundo de empresa. CCB/2202 • Todo complexo de bens organizado.142).  Outros termos usados: • Fundo de comércio. fundos mercantis. 1. 1. por empresário. Estabelecimento empresarial  Conceito: Art.159. para exercício da empresa. ou por sociedade empresária (art. . azienda. • Atenção: não é apenas o imóvel usado para o exercício da atividade.142-1. negócio comercial.

destinados a uma finalidade comum. já que este se trata do conjunto de bens. Estabelecimento empresarial  Natureza jurídica: Universalidade de fato (doutrina majoritária). tendo destinação comum (art. . 90). agrupadas pela vontade da pessoa. ligados pela vontade do empresário. • Conceito de universalidade de fato se identifica com a noção de estabelecimento empresarial. que é o exercício da empresa. • Conjunto de coisas singulares.

• A unidade do estabelecimento se encontra na destinação comum de seus vários componentes.143). . Estabelecimento empresarial  Natureza jurídica: Universalidade de fato (doutrina majoritária). • Código Civil de 2002 permite expressamente que o estabelecimento seja tratado como um todo objeto unitário de direitos e negócios jurídicos (art. proibir a negociação isolada dos bens integrantes do estabelecimento. • O estabelecimento não é pessoa. nem atividade empresarial. contudo. é uma universalidade de fato que integra o patrimônio do empresário. 1. sem.

Estabelecimento empresarial  Elementos: conjunto dos bens que representam o estabelecimento. mobiliário. ponto empresarial. equipamentos. título do estabelecimento. marcas registradas. máquinas. . • Materiais: mercadorias do estoque. nome empresarial. • Imateriais: patentes de invenção.

este não integra o estabelecimento. Estabelecimento empresarial  Elementos: • Estabelecimento não se confunde com o local do exercício da atividade. quando pertencente ao empresário.  Nos casos de locação ou outros usos do imóvel.1: Imóvel  É elemento integrante do estabelecimento. • OBS. mas apenas o direito de uso sobre aquele imóvel. .

Estabelecimento empresarial  Elementos: • OBS. surgindo o ponto empresarial como bem incorpóreo integrante do estabelecimento. que pertence ao empresário.2: Ponto empresarial  É elemento incorpóreo do estabelecimento.  O local assume papel preponderante. . e se destaca da própria propriedade do imóvel.  Não se confunde com o imóvel.

• Recebe proteção especial quando for alugado. . uma vez preenchidos certos requisitos. • Possibilidade de o empresário locatário permanecer no imóvel mesmo contra a vontade do locador. Proteção ao ponto de negócio/empresarial  Ponto de negócio: • Local onde o empresário exerce sua atividade e encontra sua clientela. • Compõe o estabelecimento empresarial.

 o locatário esteja explorando a mesma atividade nos últimos 3 anos ininterruptamente.245 de 1991 (lei de locações). • Requisitos cumulativos (art. Proteção ao ponto de negócio/empresarial  Direito de renovação. 51):  o contrato a renovar tenha sido celebrado por escrito e com prazo determinado.  o prazo mínimo do contrato a renovar ou a soma dos prazos ininterruptos dos contratos escritos seja de 5 anos. direito de inerência: • Garantido pela Lei nº 8. .

Proteção ao ponto de negócio/empresarial  Direito de renovação. contudo. • Prazo decadencial: ação deve ser proposta nos primeiros seis meses do último ano do contrato de locação (§5º). protege-se o interesse do empresário que já conquistou clientela em função daquele ponto empresarial. ferir o direito constitucional de propriedade do locador. direito de inerência: • Exercido por meio de ação renovatória de locação. . • A proteção não pode. • Com isso.

ou relatório pormenorizado das obras a serem realizadas e da estimativa de valorização. §3º). ou para fazer modificações que aumentem o valor do negócio ou de sua propriedade (art. Proteção ao ponto de negócio/empresarial  Exceção de retomada: • Situações que justificam a não renovação do contrato de locação. o Locador deve fazer prova em contestação da determinação do poder público. . por determinação do poder público. 52. Locador não está obrigado a renovar:  Se tiver que fazer obras no imóvel que impliquem sua radical transformação. 72. I). assinado por engenheiro habilitado (art.

1ª parte). o imóvel não poderá ser utilizado para o mesmo ramo do locatário. cujo titular seja seu cônjuge. o Nas locações de espaço em shopping center. salvo se a locação envolvia as instalações e pertences (§1º). II. seu cônjuge. ascendente ou descendente.  Para sociedade cuja maioria do capital social pertença ao locador. 52. o locador não pode negar renovação com fundamento nessas situações (§2º). . II. Proteção ao ponto de negócio/empresarial  Exceção de retomada: • Locador não está obrigado a renovar:  Quando o locador retomar para fazer uso próprio (art. parte final) o Nesses casos. 52.  Retomada do imóvel para instalação de estabelecimento existente há mais de um ano. ascendente ou descendente (art.

o A proposta não pode ser para atuação no mesmo ramo do locatário. Proteção ao ponto de negócio/empresarial  Exceção de retomada: • Locador não está obrigado a renovar:  Se a proposta do locatário não atender ao valor locativo real do imóvel. . o Locador deverá apresentar contraproposta com condições que considere compatíveis (72. e este tem o direito de igualar a proposta para obter a renovação (52. 72. §1º).  Se houver proposta de terceiro para locação em condições melhores. descontada a valorização decorrente da atividade do locatário (art. II). §3º).

Related Interests