You are on page 1of 50

Pág. 120 numero 4.10 ......................................................................................... 40
Pág. 121 numero 4.11 ......................................................................................... 41
ÍNDICE Pág. 121 numero 4.12 ......................................................................................... 42
CAPÍTULO 1 ....................................................................................................... 3 Pág. 121 numero 4.13 ......................................................................................... 43
Página 19 exemplo 1.1 .......................................................................................... 4 Pág. 121 numero 4.14 ......................................................................................... 44
Página 22 exemplo 1.3 .......................................................................................... 5 Pág. 121 numero 4.15 ......................................................................................... 45
Pág. 25 numero 1.11 ............................................................................................. 6 Pág. 122 numero 4.16 ......................................................................................... 46
Pág. 25 numero 1.12 ............................................................................................. 7 Pág. 122 numero 4.17 ......................................................................................... 47
Pág. 26 numero 1.13 ............................................................................................. 8 CAPÍTULO 5 ..................................................................................................... 48
Pág. 26 numero 1.14 ............................................................................................. 9 Pág. 161 numero 5.2 .............................................. Erro! Indicador não definido.
CAPÍTULO 2 ..................................................................................................... 10
Pág. 59 exemplo 2.8............................................................................................ 11
Pág. 63 numero 2.14 ........................................................................................... 12
Pág. 67 numero 2.33 ........................................................................................... 13
Pág. 67 numero 2.34 ........................................................................................... 14
Pág. 68 numero 2.35 ........................................................................................... 15
Pág. 68 numero 2.36 ........................................................................................... 16
CAPÍTULO 3 ..................................................................................................... 17
Página 85 exemplo 3.3 ........................................................................................ 18
Página 87 exemplo 3.4 ........................................................................................ 19
Pág. 88 numero 3.1 ............................................................................................. 20
Pág. 89 numero 3.4 ............................................................................................. 21
Pág. 91 numero 3.8 ............................................................................................. 23
Pág. 91 numero 3.8 (continuação) ....................................................................... 24
Pág. 92 numero 3.11 ........................................................................................... 25
Pág. 92 numero 3.13 ........................................................................................... 26
CAPÍTULO 4 ..................................................................................................... 27
Pág. 105 exemplo 4.2.......................................................................................... 29
Pág. 109 exemplo 4.3.......................................................................................... 30
Pág. 118 numero 4.2 ........................................................................................... 31
Pág. 118 numero 4.4 ........................................................................................... 33
Pág. 118 numero 4.5 ........................................................................................... 34
Pág. 119 numero 4.6 ........................................................................................... 35
Pág. 119 numero 4.6 (continuação) ..................................................................... 36
Pág. 119 numero 4.7 ........................................................................................... 37
Pág. 120 numero 4.8 ........................................................................................... 38
Pág. 120 numero 4.9 ........................................................................................... 39

2

CAPÍTULO 1
CAPÍTULO 1

Página 19 exemplo 1.1 c) Determinação da tensão de cisalhamento na parede do tubo
Numa tubulação de 300 mm de diâmetro, a água escoa em uma extensão de 300 m,
ligando um ponto A na cota topográfica de 90,0 m, no qual a pressão interna é de H = 4  L / D
275 kN/m2, a um ponto B na cota topográfica de 75,0 m, no qual a pressão interna   D/4 L = 9800. 7,86.0,30/4.300 = 19,26 kN/m2
é de 345 kN/m2. Calcule a perda de carga entre A e B, o sentido do escoamento e a
tensão de cisalhamento na parede do tubo. Se a vazão for igual a 0,14 m3/s, calcule
o fator de atrito da tubulação e a velocidade de atrito.
pA = 275 kN/m2  pA/ = 275/9,8 = 28,06 m d) Determinação da velocidade de atrito
pB = 345 kN/m2  pA/ = 345/9,8 = 35,20 m
L = 300 m ; ZA = 90 m ; ZB = 75 m ; Q = 0,14 m3/s o
u*  = (19,26 / 1000)^,5 = 0,139 m/s

a) Sentido de escoamento
O sentido de escoamento é sempre dos níveis de energia mais elevada para e) Determinação do fator de atrito para Q = 0,14 m3/s
a menos elevada.
Como o diâmetro da tubulação é constante e sendo o escoamento V = (4Q/ D2) = (4 . 0,14/.0,30^2)  V = 1,98 m/s
permanente, a carga cinética em qualquer seção será a mesma. Deste modo,
a linha de energia será paralela à linha piezométrica e a perda de carga entre fL V 2
A e B pode ser calculado pela diferença entre as cotas piezométricas das H 
seções A e B. D 2g

CPA = pA/ +ZA = 275/9,8 + 90,00 = 28,06 + 90 = 118,06 m f = 2g . D . H / (L . V^2) = 19,6 . 0,30 . 7,86 / (300 . 1,98^2)
CPB = pB/ +ZB = 345/9,8 + 75,00 = 35,20 + 75 = 110,20 m
 f = 0,039
Como a CPA = 118,06 > CPB = 110,20
o sentido do escoamento será de A para B.

b) Determinação da perda de carga entre A e B
HAB = CPA – CPB = 118,06 – 110,20 = 7,86 m

4

Página 22 exemplo 1.3 a) Determinação das energias na entrada e saída da bomba
Considere um sistema de bombeamento como o da Figura 1.7, no qual uma
bomba, com rendimento de 75%, recalca uma vazão de 15 l/s de água, do Hentrada = Zm – Hm = 150 – 0,56 = 149,44 m
reservatório de montante, com nível d’água na cota 150,00 m, para ao reservatório
de jusante, com nível d’água na cota 200,00 m. As perda de carga totais na
Hsaída = Zj – Hj = 200 + 17,92 = 217,92 m
tubulação de montante (sucção) e de jusante (recalque) são, respectivamente,
Hm= 0,56 m e Hj=17,92 m. Os diâmetros das tubulações de sucção e recalque
são, respectivamente, 0,15 m e 0,10 m. O eixo da bomba está na cota geométrica b) Determinação das velocidades na entrada e saída da bomba
151,50 m.
Determine: Ventrada = (4Q/ Ds2) = (4.0,015/3,1415 . 0,15^2) = 0,85 m/s

a) as cotas da linha de energia nas seções de entrada e saída da bomba; Vsaída = (4Q/ Dr2) = (4.0,015/3,1415 .0,10^2) = 1,91 m/s
b) as cargas de pressão disponíveis no centro dessas seções; c) Determinação das pressões na entrada e saída
c) a altura total de elevação e a potência fornecida pela bomba.
HB = pB/ +ZB + VB^2/2g (na entrada)

149,44 = pB/ + 151,50 + 0,85^2/19,6  pB/ = -2,10m
200 m

HC = pC/ +ZC + VC^2/2g (na saída)
D

217,92 = pC/ + 151,50 + 1,91^2/19,6  pC/= 66,23m

d) Determinação da altura total de elevação da bomba

H = HREC – HSUC = HC – HB = 217,92 – 149,44 = 68,48 m
150 m B C
e) Determinação da potência da bomba
A
Pot = QH/n = 9,8.0,015.68,48/0,75 = 13,42 kw ou 18,25 cv

(1kw = 1,36cv)

5

477)  H = 42.75 = 84. Dados: b) Determinação da altura manométrica Q = 0.6 = 0.75 H = (ZD – ZA) + (Hm + Hj) + (pD/ + VD^2/2g) Pc = 147 kN/m2  pC/= 147/9.5 ) + (15 + 0. entre o reservatório e o ponto alto.06 m/s m.98 m 587 m c) Determinação da potência da bomba D Pot = QH/n = 9. 25 numero 1. de um reservatório aberto cujo nível d’água mantido constante está na cota 567.477 m tubulação uma pressão disponível de 147 kN/m2.25^2) = 3.0.11 a) Determinação da energia cinética Bombeiam-se 0.15/3. a perda de carga é igual a 7. sabendo que.23 kw ou 114.00 Vc = (4Q/ D2) = (4.15 m3/s .0. 0.42.06^2/19.25 m de diâmetro.15.8  pC/= 15 m ( energia disponível em D) H = (587 – 567) + ( 7. n = 0. com rendimento de 75%.1415 .56 cv 567 m A B C 6 . Calcule a potência necessária à bomba.5 m.20 m .15 m3/s de água através de uma tubulação de 0.8. Htotal = 7.98/0. A tubulação passa por um ponto alto na cota 587.5 m D = 0.Pág. para manter no ponto alto da Vc^2/2g = 3.00 m.

encontra-se uma máquina hidráulica instalada em uma tubulação circular com área igual a 0.30/0.0 m CPB = pB/ + ZB = 7.12 a) Sentido arbitrado: de A para B Entre os dois reservatórios mantidos em níveis constantes.80 m A = 0.Pot=.00 m CPC = pC/ + ZC = 9.0 m/s  V^2/2g = 2.2.8 = 7 m 0 + 10 + 0 = 7 + 0 + 0.020 m3/s .20 = 9.766 cv 7 .30 + 0 = 9.CPc=9.80 = 0.8/9.20 m máquina HC (recalque) = pC/ + ZC + VC^2/2g = 9.HB (sucção) = 9.5 m. 25 numero 1.20 = 7. o tipo de máquina (bomba ou turbina) e a potência da máquina se o rendimento é de 80%.50 m D C B A H = HC (recalque) .0^2/19. c) Determinação da HAB Resp.020.CPb=7m.DHab=2. [AD. um manômetro colocado na seção B indica uma pressão de 68.5 m . HDC = 7. Determine o sentido do escoamento.00 + 0 = 7. b) Determinação da energia cinética Para uma vazão 20 l/s entre os reservatórios.0.80 d) Determinação da pC/ HC = HD + HCD pC/ + ZC + VC^2/2g = pD/ + ZD + VD^2/2g + HCD pC/ + 0 + 0.8.Pág. as cotas piezométricas em B e C.0 m f) Determinação da altura de elevação da bomba HB (sucção) = pB/ + ZB + VB^2/2g = 7 + 0 + 0.01 m2 .8 kN/m2  pB/ = 68.010 = 2.6 = 0.3 + 0 + 0.50 – 7.20 m a 7. a perda de carga entre as seções A e B.01 m2.30 g) Determinação da potência da bomba Pot = QH/n = 9.30 m e) Determinação das cotas piezométricas em B e C 10. Q = 0.796m.bomba.20 = 0 + 2 + 0 +   pC/ = 9.29m.563kw] HA = HB + HAB pA/ + ZA + VA^2/2g = pB/ + ZB + VB^2/2g + HAB Dados: pB = 68.563 kw ou 0.020/0.20 = 2.8 kN/m2 e a perda de carga entre as seções D e C é igual V = Q/A = 0.30 m 2.20 + HAB  HAB = 2. n = 0.

20^2) = 2.162 m 1. tem diâmetro de 0.651 m Hrecalque = p2/ + Z2 + V2^2/2g = 7. Supondo o rendimento da bomba igual a 80%.6 kPa. 26 numero 1.80 V1s = (4Q/ Ds2) = (4.20m Q Hsucção = p1/ + Z1 + V1^2/2g = -2.651) = 11. n = 0.6.075 m3/s .0.06 m/s P2 = 68.1.22 m acima do precedente.708 + 0 + 0.291 m Q P2 c) Determinação das cotas de energia na entrada e saída da bomba Dr=0. Dado densidade do mercúrio dr = 13.0. situado 1.291 = 8. qual a potência necessária para realizar este trabalho.26m 0. Seu conduto de saída.11.06^2/19.6 = 0.0.18m 8 .30 m e possui um manômetro diferencial.6/9.075/.26 kw ou 13.95 cv Q Ds=0. horizontal.0 .38^2/19.18 .20 m e sobre seu eixo.075.d = altura x densidade sucção. um manômetro indica uma pressão de 68.511 – (-2.6 kN/m2  p2/ = 68.8 = 7 m  V1/2g = 1.13 a) Determinação da p1/ A vazão de água recalcada por uma bomba é de 4500 l/min.057 m V2r = (4Q/ Dr2) = (4. b) Determinação das velocidades nas tubulações sucções e de recalque Dados: Q = 4500 l/min = 4500/(1000.057 = . tem diâmetro de 0.075/.80 = 10.0.26.30^2) = 1.511 m Helevação = Hsucção – Hrecalque = 8.0 + 1.30m 0.6  p1/= -2.6 = 0. 13.22 m d) Determinação da potência da bomba Pot = QH/n = 9.708 m como na Figura 1.60) = 0.162/0. Seu conduto de p/h. horizontal.0. p1/= -0.22 + 0.38 m/s  V2/2g = 2.11.8.0.Pág.2.

15 m3/s . através de uma tubulação de diâmetro igual a 0. CPC = pC/ + ZC  19. e a carga de pressão logo após a bomba.0 m 29 = pE/+ 15  pE/ = 14 m B C B1 9 . determine: CPB = pB/ + ZB = 1.90 = pC/-2  pC/ = 21.90 m Dados: R1B1 = 18. 26 numero 1. pela qual pA/ + ZA + VA^2/2g = pB/ + ZB + VB^2/2g + HAB escoa uma vazão de 150 l/s com uma perda de carga unitária J=0. Com os dados da Figura 1.90 m distâncias R1B1 e B1R2 medem.0 m 15.0055  HE = 29 m D H = Hrec – Hsuc = HE – HD = 29 – 17  H = 12 m e) Determinação da potência da bomba 2 CPC=19.055 m/m.15 (29 – 17)/0. B1R2 = 1800 m .0055 x  x = 527.0055 .10 m = HB (pois energia cinética = 0) a) a que distância de B1 deverá ser instalada B2 para que a carga de pressão na b) Determinação da cota piezométrica em B entrada de B2 seja igual a 2 mH2O. A bomba B1 tem potência igual a 50 cv e rendimento de 80%. 18.0055 m/m . Pot(B1) = 50 cv .90 m = CPC b) a potência da bomba B2. Despreze. Pot = Q (Hrec – Hsuc)/n = Q (HC – HB)/n = 50/1. Q = 0.5  pB/ = 1.14 a) Determinação da cota piezométrica em B A Figura 1. se o rendimento é de 80%.40 m.10) / 0. a carga cinética da tubulação.0. nos dois itens.90 m 0.90 = 2 + 15 + 0 + 0. respectivamente.10 m D E Pot (B2) = 9.05 kw (* 1. 0.5 m e 1800 m.0 m R2 HE = Hrec = 22 + (1800 – 527.0.30) 0.80 D = 0.50 m .12.15.36 = 9. As 0 + 0 + 0 = pB/ + (-2) + 0 + 0.Pág. pD/ = 2 m c) Determinação da distância de B1 em relação a B2 HC = HD + HCD pC/ + ZC + VC^2/2g = pD/ + ZD + VD^2/2g + HCD 22. J = 0.90 – 2 = .36) ou 30cv B2 A f) Determinação da pressão após a bomba B2 HE = pE/ + ZE = R1 -2.0 m 19.40 m .8.80 = 22.80  HC = 19.30 m d) Determinação da altura de elevação da bomba 2 CPE = 29 m CPF =2 2 m F HD = Hsuc = 2 + 15 + 0  HD = 17 m HE = HF + HEF CPD= 17.(HC – 0. 18. n = 0.0 m Pot (B2) = Q (Hrec – Hsuc)/n = Q (HE – HD)/n CPA = 2m CPB = -0.12 mostra o sistema de bombeamento de água do reservatório R1 para HA = HB + HAB o reservatório R2.8 .

CAPÍTULO 2 CAPÍTULO 2 10 .

85 principal.85 .65 litros/s soldado novo (C=130).011215 .760 = 812 . inicia-se a rede de distribuição.10^4.760 4" C B 420 m pB/ = 812 .00 m. na cota 760.00 m.45 litros/s  QB = Q .65Q1. nas horas de L C D aumento de consumo. e por um J  1.71 m 11 .Pág.71 m QB pB/ = 44. 0. desprezando as cargas cinéticas nas duas tubulações.00 m. Utilize a fórmula de Hazem –Williams.00745 m3/s ou 7. No ponto B.87) 812 m  QBC = 0.29 . O material das adutoras é de aço  Q = 0. 0.QBC = 21. Para que valor particular da vazão de J = (812 – 800)/(650 + 420) = (10.15^4.0.85 4. com nível d’água na cota 800.HAB HAB = J . L pB/ CPA . com nível d’água suposto constante na cota 812.02165 m3/s ou 21.87) entrada na rede.85 .87 reservatório de sobras que complementa a vazão de entrada na rede. 650 .HAB – ZB = 760 m pB/ 812 – (812 – 800)/(650 + 420) . 59 exemplo 2.760 = 44. QB.85)/(130^1. 650 .7.45 = 14.85)/(130^1.65Q ^1.20 litros/s A 650 m 6" c) Determinação da pressão no ponto B (pB/ 800 m CPB = pB/ + ZB = CPA . a linha piezométrica no sistema é a mostrada na figura? Determine a carga de pressão disponível em B.65 – 7.8 a) Determinação da vazão (Q) O sistema de abastecimento de água de uma localidade é feito por um reservatório H 10. Q = QB + QBC Dados: b) Determinação da vazão (QB) J = (812 – 800)/(650 + 420) = (10.65QBC ^1.

0283 m3/s ou 28.65. a cota piezométrica em C é igual em B. o único fluxo que ocorre é na tubulação do trecho AB.14 a) Considerações iniciais Em relação ao esquema de tubulações do Exemplo 2.85. Na iminência do reservatório 2 abastecer o ponto B a cota de energia em C passa a ser também abastecedor.87) B 420 m QB  QAB = 0.3 litros/s 12 .87 760 m C D 4" C (812 – 800) = 10.85 4.65Q1.QAB^1.8.15^4. a partir de que vazão QB.HAB HAB = CPA – CPC Ainda tem-se que.85 . Como as cargas cinéticas Dados: C = 130 são desprezadas.Pág.650/(130^1. ou seja: 812 m CPB = CPC mas CPB = CPA . como CPC = CPB  HBC = 0  QC = 0 A Q = QAB + QBC = QAB + 0  Q = QAB 650 m 6" Logo. o reservatório secundário. (HC) é igual à cota de energia no ponto B (HB). 800 m b) Determinação da vazão em B limite para que R2 abasteça em B 10. 0. de sobras.85L H  1. 63 numero 2. solicitada pela rede de distribuição de água.

0. Despreze as perdas HB = CPB = CPA .85L QB H  1. Como as cargas cinéticas abastecido pelo reservatório 1 e que a mínima carga de pressão disponível na linha são desprezíveis.65Q1.HCB localizadas e as cargas cinéticas.85 .0710 m3/s ou 71.85L H  1.65Q1.5/48.87 Qmáx/Qmin = 92.0488 m3/s ou 48.QAB^1.30^4. 0. 554 m CPB = pB/ + ZB = (p/minm Logo: 1 HAB = CPA – CPB = 554 – 550  HAB = 4 m 12" HCB = CPC – CPB = 552 – 550  HCB = 2 m A QB = QAB + QCB C= 110 d) Determinação da QAB 85 552 m 10.QAB^1.8  Qmáx/Qmin =1. 67 numero 2.87) 549 m 2  QAB = 0. contanto que na derivação B.85 4.85 .HAB  HAB = CPA – CPC QB = QAB + QCB = 71.QCB^1.87) No 1 caso de vazão mínima o R2 está na iminência de ser abastecido mas  QCB = 0.HAB e ainda CPB = CPC .85. tem-se que: seja 1.87 m 1 Caso C D 2 Caso HAB = (554 – 550) = 10.85.0 + 21.87)  QABmin = 0.65Q1.20^4.Pág.87 C D a) Considerações para o 1 Caso HCB = (554 – 552) = 10.0 mH20.850/(110^1.450/(100^1.85 . conforme a figura. 0.33 c) Considerações para o 2 Caso Determinar a relação entre a vazão máxima e a vazão mínima que pode ser retirada No 2 caso de vazão máxima o R2 também abastece o ponto B.85.850/(110^1.65.0215 m3/s ou 21. impondo que o reservatório 2 nunca seja a pressão mínima na rede seja de (p/min = 1 m.5 litros/s b) Determinação da vazão em B limite para que R2 abasteça em B g) Relação Qmáx/Qmin 10.30^4.85 4.85 4. Como as cargas cinéticas são desprezíveis f) Determinação da vazão máxima CPB = CPC mas CPB = CPA .0 litros/s 8" C = 100 C B e) Determinação da QCB 450 m 10.8 litros/s (vazão mínima) 13 .5 litros/s ainda não abastece o ponto B a cota de energia em C (HC) é igual à cota de energia no ponto B (HB).85L 0 H  1. Utilize a fórmula de Hazen-Williams.65.5 = 92.65.89 C D (554 – 552) = 10.

28 cv b) a potência necessária à bomba para recalcar uma vazão de 0.80 . 67 numero 2.19.12^2 / (0.12 m/s de 120 m. 2.33) .30 m de diâmetro e 3. n = 0.12^2/19.30^2) = 2. 19. 19.18.34 b) Potência do sistema com bombeamento para Q = 0.33m nas condições do item anterior. com inclinação constante.62 m 135 120 m B C e) Determinação da perda de carga entre C e D depois da bomba HCD = 0. 3200 .6 + 8.80 = 34.20 e que o rendimento da bomba seja de 80%.6 = 0 + 120 + 0 + 40.0.020 .30^2 / 4 .66 m/s D 2g  pC/ = 25. L = 3200 m .135 = 5 m sen a = (150-120)/3200 = 0.8.12^2/19. 19.30 .76 H  (140– 110) = 0. de um reservatório cuja superfície livre está a uma altitude V = (4Q/ D2) = (4 .15 m D 2g A 1 140 d) Carga de pressão antes da bomba HA = HB + HAB pA/ + ZA + VA^2/2g = pB/ + ZB + VB^2/2g + HAB 0 + 150 + 0 = pB/ + 135 + 2.30.15.53 m Q = ( D^2/4)V  Q = 0.0. Q = 0.117 m3/s 14 .30m .15 m3/s.2 km de comprimento desce.92 m instala-se uma bomba na altitude 135 m a fim de produzir o aumento de vazão D 2g desejado. conectando-se aos reservatórios em ponto situados a 10 m abaixo de fL V 2 suas respectivas superfícies livres.92 = 18. c) Determinação da perda de carga entre A e B antes da bomba desprezando as perdas de carga localizadas e considerando a carga x cinética na adutora. c) as cargas de pressão imediatamente antes e depois da bomba. 1. 533. determine: H = ZJ – ZM + H = 110 – 140 + 48.020.6)  V = 1. f = 0. Pot = QH/n = 9.Pág.6) = 8.12^2 / (0. 140 .15 m3/s fL V 2 150 m H   HAB = 0.30 .020 .92/0. Dados: D = 0.15  pB/ = 6.020 .020 .15 m3/s Uma tubulação de 0.12^2/(0. 2.009375 d) desenhe as linhas de energia e piezométrica após a instalação da bomba.33 .76 m D 110 2 f) Carga de pressão depois da bomba HC = HD + HCD a) Determinação da vazão original sem bombeamento (Q) pC/ + ZC + VC^2/2g = pD/ + ZD + VD^2/2g + HAB fL V 2 pC/ + 135 + 2.30 .92 m a) a vazão original do sistema por gravidade.V^2/(0.3200. (3200-533.66  Q = 0.76 kw ou 74. 0.15/.   sen a = (140 – 135)/x  x = 533. A vazão através da linha não é satisfatória e H  H = 0.6) = 40.6)  H = 48. 2. Supondo que o fator de atrito da tubulação seja constante e igual a f = -A altura de elevação é: 0.

010^1.20^4.010^4.85)/(130^1.66 litros/s Despreze as perdas de carga localizadas e as cargas cinéticas nas tubulações. 0.85 . vale C = 130.128 QDF  QDF = 39/2. 0.87 C D C D 15 .65Q1.0082 .46 + 1.32  QDE = 20.85L 10.0. 200 = 2.65. LAC = 0.128 QDE l/s de água.85L HA – HE = HDE + HCD + HAC H  1.85 4. LDE = 0.06 m B F d) Determinação das cotas piezométricas QAC = 10 l/s HA = HC + HAC = a) Determinação das vazões QAC.65Q1.63 = 10 .35  QDE = QDF (LDF/LDE)^(1/1. 68 numero 2.0082m/m 8"  HAC = JAC .85) = Na figura abaixo os pontos A e B estão conectados a um reservatório em nível  QDE = 1. 18.46 m 100 m 6" 6" 250 m Em E  JDE = (10.85L 10.32 litros/s rugosidade da fórmula de Hazen-Williams.85 4.87 = H  1.85)/(130^1.85 4.65.87) = 0.87) = 0.85L E ou F H  1.0.85) = QDF .128  QDF = 18.65Q1. 100 = 1. determinar as vazões em todas as tubulações e o desnível H entre os reservatórios.65Q1.85 4.128 .128 .039^1.0103m/m  HDE = JDE . LAC = 0.128 QDF constante e os pontos E e F conectados a outro reservatório também mantido em nível constante e mais baixo que o primeiro.0193m/m 4" 6"  HAC = JAC .Pág.63 = 29 litros/s e) Esquema do fluxo A ou E Como QCD = QAC + QBC = 10 + 29 = 39 litros/s b) Determinação das vazões QDE e QDF C Como HDE = HDF e DDE = DDF D 10. QDF = 1.85 . de todas as tubulações.0206^1. (6/4)^2. A E c) Determinação das perdas de carga Em C  JAC = (10.45 m C D C D  QBC = QAC (DBC/DAC)^2.93  H = 6. Se a vazão no trecho AC é igual a 10 Como QCD = QDE + QDF = 1.65.85 . QBC e QCD HA = (HD + HCD) + HAC Como HAC = HBC e LAC = LBC HA = (HE + HDE) + HCD + HAC 10. 0.128QDE + QDE QCD = 2. 300 = 2.0.85)/(130^1. A instalação está em um plano horizontal e o coeficiente de  39 = 2.0103 .15^4.0193 .93 m 100 m 200 m C 300 m D Em D  JCD = (10.87 H = 2.87 = H  1.  QDE = 1. (250/200)^(1/1.06 + 2.87) = 0.

905QBC = Qbomba + QBC  Qbomba = 1.63 = 2.85) 0 + 810 + 0 = pB/ + 780 + 0 + 6. e a carga de pressão no ponto B.65Q1.0065 m3/s ou 6.905 QBC 16 .63  QAB/QBC = (6/4)^2.01886 / 2.5 litros/s 1 A c) Determinação da vazão Qbomba 860 m 6" Qbomba = QAB – QBC = 18.87) = 0.85 D 4. C = 140 810 m QAB = 0.36 litros/s 800 m d) Determinação da perda de carga entre A e B  2 HAB = JAB .85.50 = 12.905 = 0.65.15^4.65Q1.0.905 = 0.85 L pA/ + ZA + VA^2/2g = pB/ + ZB + VB^2/2g + HAB H  1.86 – 6.86 litros/s QBC = QAB/2. 68 numero 2.87]^(1/1.00757 .QAB^1.36 b) Determinação da vazão QAB e QBC Determinar o valor da vazão QB. Material: aço soldado revestido com cimento (810-800)/(860 + 460) = 10. 860 = 6.87 QAB/QBC = [(DAB/DBC)^4.905  QAB = 2.85/(140^1.85 4.905 QBC Como QAB = Qbomba + QBC 2. Despreze as perdas localizadas e as cargas cinéticas.85L 10.51  pB/ = 23.01886 m3/s ou 18.51 m 780 m 4" C B 460 m e) Determinação da pressão em B (pB/ QB HA = HB + HAB a) Relação entre as vazões 10. sabendo que o JAB = HAB/L = reservatório 1 abastece o reservatório 2 e que as perdas de carga unitárias nas duas tubulações são iguais.Pág. LAB = 0.00757 centrifugado.49 m  QAB/QBC = (DAB/DBC)^2.87 = C D C 1.

CAPÍTULO 3 CAPÍTULO 3 17 .

a carga de pressão é igual a 3.30 – (0. 2 registros de gaveta abertos 2 .1 = 3.H CPCH = 3. Os joelhos são de 90 O e os registros de gaveta. soldável com 1” de diâmetro.75 0. L J =  Q1.60 Comprimento Total 17.07 m 18 . abertos.20 l/s . No ponto A.10 m Acessório Compr. 17.20 l/s de água.17 m 1.75) .07 m 3. e é percorrida por uma vazão de 0.3 = 0. 0. 57) Tê lateral 3.15.10 = 1.5 m CPCH = CPA .1202 (pág.Página 85 exemplo 3.3 mH20.50 pressão disponível imediatamente antes do chuveiro.5 = 4. a tubulação é de PVC rígido. 2.70  CPCH = 3.9 m c) Determinação Cota piezométrica antes do chuveiro 3. Equivamente (m) abaixo do chuveiro.70 b) Determinação da perda de carga total H = J .2 m d) Determinação pressão no chuveiro A CPCH = pCH/+ ZCH pCH/ = CPCH . Os tês estão fechados em uma das saídas.3 a) Determinação dos comprimentos equivalentes totais das conecções Na instalação hidráulica predial mostrada na Figura 3.60 Tê passagem direta 0. Determine a carga de 3 joelhos de 90o 3 .201.ZCH = 3.30 m Comprimento real 8.0 m pCH/ = 1. 1.1 Q = 0.1202 .17 – 2.90 Dados: PVC rígido soldável D = 1”   = 0. 0. CPA = 3.9 = 0.

0 1.88 + 2  QBC = 1. os registros de gávea são abertos e os cotovelos têm rio curto. 57 0. LBC = JBD .0 b) Determinação das cotas piezométricas Seja X a cota piezométrica imediatamente antes do tê localizado em B.175 2 cotovelos 90º 2.83 (LBD) 5. Determine a vazão que sai do reservatório A.83 + 2 2.38 . as tubulações são de aço Trecho BC Trecho BD galvanizado novo.263 Comprimento Real 6.45 litros/s 19 .3 6. LBD + 2 0.03 litros/s  QBD = 1.75 1.996 QBC ^1.0 os dois ramos da instalação. Gaveta 0.54 (LBC) Comprimento total 13.550 cinéticas. L J =  Q1. Equi. 13. Saída canalização 0.03945 (1. LBD + 2 D 1 21" H = J .30 Comprimento total 9. tem-se as seguintes perdas totais: HB = HD + HBD e HB = HC + HBC HB = HB  HD + HBD = HC + HBC 3 + HBD = 1 + HBC A HBC = HBD + 2 portanto JBC .88 .0 JBC .0 c) Determinação das vazões 1 21" B 1" C Como QBD = 1.5 pag.00 Saída canalização 1. a vazão que sai do reservatório A será a soma: QBC + QBD = 2. desprezando as cargas Reg.3044 QBC^1.Página 87 exemplo 3.38 QBC e pela tabela 2.587 novo ponto C.133 Comprimento real 7. A Acessório Comp.904 QBC^1.4 a) Determinação dos comprimentos equivalentes das conecções Na instalação hidráulica predial mostrada na figura. Para 3. 9.(m) vazão que chega ao reservatório C é 38% maior que a que escoa contra a atmosfera Te lateral (1 1/2”) 2.587 Te lateral (1 1/2”) 2.42 litros/s Logo. LBC = JBD .88 = 0.0 6. Gaveta 0.(m) Acessório Comp.775 Reg.88 . QBC)^1. Equi.54 = 0.

6  h = 3.96 litros/s.3) 1.2 = 98 ok parcial do registro.69 + kreg + 3.20+5)v^2 98 = (900 f + 8. pelo fechamento Para v = 1.0 m 2g . cotovelo 90º K = 0.26 m f) Determinação do comprimento equivalente do registro Le/D = k/f  Le = k .0334 + 8. aberto. 1^2/19.0 m 98 = 30.0 m 5.11 (m/100m) da tubulação K = 1.111 m/m) * 100 leve oxidação.1 Processo interativo (chute inicial) A instalação mostrada na Figura tem diâmetro de 50 mm em ferro fundido com J = (Z = H)/L = 5 / 45 = (0.3) 13. 203 e = 0.0 m/s d) Determinação do coeficiente de perda de carga do registro (kreg) 45. D/f = 64. 88 numero 3.05/0.0333 a) a vazão transportada: Para v = 1.0333  (900 * 0.6^2 = 98.01 e) Determinação da perda de carga do registro para Q = 1.00196 /  0.20 e registro de ângulo.0341 .05^2  v = 1.01 .30) v^2 .90.60 m/s e f = 0. Os coeficientes de perdas de carga localizadas são: entrada e saída J = 11.0334 50. 0.99 # 98 b) querendo-se reduzir a vazão párea 1.6 = [f 45/0. L/D + (kreg + k) 19.60 =  Q = 0. z/ v^2 = f .0341  Le = 93.05^2/4 .6 (50 – 45) / 1^2 = 0.3) 1.0.0334  (900 + 0. 45/0.0 2.00314 m3/s c) Determinação da velocidade para Q = 1. K = 5. Determine.0 m h = k v^2/2g = 64.0. Logo: v = 1.80 m/s e f = 0.Pág.60 m/s e f = 0.v=? e f=? 20 . 0.80 m/s e f = 0.0333 + 8.9 + 2*0.30  v = 1.05 + ((2*1 +0. 1.8^2 = 123.96 litros/s 25. 19.86 m a) Determinação da velocidade L v2 v2 Z  f  k (Darcy) D 2g 2g (50 – 45) .05 + (kreg + 3. v =  0. usando a equação de Darcy-Weisbach: Tabela 2 A2 pag.0 b) Determinação da vazão Q = (  D^2/4) . calcule qual deve ser a perda de carga localizada no registro e seu comprimento equivalente.01 . curvsa de 45º K = 0.30  kreg = 64.96 litros/s v = 4 Q /  D^2 = 4 .

Dz = 19.14 . 0.50 . 202  f = 0.14 . D^2/4 = 2. A2  pág.25 . nas seguintes condições: a) desprezando as perdas de carga localizadas na entrada e na saída da c) Det. Z  f  k D 2g 2g 68. 214  2.10 e D = 500 mm TAB.2^2 = 65.0076 m/m Ou 0.Pág. 3. 3. 3. Determine a capacidade de vazão da adutora quando o desnível entre os reservatórios for de 3.46  ok convergiu 21 . 460 m de comprimento.5^2/4 = 0.420 m3/s a) Determinação da velocidade L v2 v2 Z  f  k  2g.442 m3/s constantes.5^2/4 = 0. em aço soldado revestido de cimento centrifugado.20 m/s TAB.50 Ks = 1. vazão considerando perdas de cargas localizadas tubulação.25^2 =68.6 = 920 .25 m/s  f = 0.6 ≠ 920 .5 + (1+0. observando a L v2 v2 relação entre o comprimento e o diâmetro da adutora.6 = (0.3 b) Determinação da vazão Uma adutora de 500 mm de diâmetro. 2.761 m/100m e e = 0. 3.0.5 . 0.50 m.5))v^2  v = 2. A1 pag.14 .0 Faça comentários pertinentes sobre os resultados encontrados. D^2/4 = 2. f + 0) v^2 D 2g 2g  68. 3. Ke = 0.45  não convergiu Para v = 2. b) considerando tais perdas de carga localizadas. v^2 Interação inicial  J = Dz=Dh/L = 3.14 .5/400 = 0.0147 .0147 .14 m/s Q = v . liga dois reservatórios mantidos em níveis Q = v .5 e Ks = 1.0147 68. adotando os seguintes coeficientes de perdas Ke = 0. 0.6 = 920 f.0147*460/0.0147  68.14 . 89 numero 3.5= (460/0. 2. 0.20 m/s v = 2.

90 litros/s c) Determinação da perda de carga até o trecho horizontal L v2 v2 HAB  f  k = (0.2.0 + 2*0.8 = (96 * 0. um sifão de 2” de diâmetro possui as dimensões L v2 v2 indicadas na figura e é colocado sobre um dique.46^2 = 9.2 m Logo v = 1.50/4.83 m 22 .50*919.80 = 0.216 m d) Determinação da pressão no trecho horizontal HA = HB + HAB pA/ + ZA + VA^2/2g = pB/ + ZB + VB^2/2g + HAB 0 + 50 + 0 = pB/ + 50.0281 + 1.15 mm carga hidráulica de 0.3/0.8 ok 50.50 m e a carga de pressão disponível no ponto médio do D 2g 2g trecho horizontal do sifão.90^2 = 16. J = Dz/L = 0.46 m/s e f = 0.49 # 9.46 m/s e f = 0. Material da tubulação ferro fundido com revestimento asfáltico.050^2/4 * 1.7) * 1.8 = 9.5 9.0 1.2) v^2 localizada: entrada Ke = 0.1042 m/m ou 10.8 Para v = 1.42 m/100m Material: ferro fundido com revestimento asfáltico  e = 0.Pág.5.5 + 1.9) 1.8 m 1.0281 50.46^2/19. curva de 45º K = 0. Adote os seguintes coeficientes de perda de carga 0. Utilize a equação de Darcy – Tentativa inicial Weisbach.6 D 2g 2g HAB = 0.5 + 1.50 Q = ( D^2/4) v =  0.00286 m3/s ou Q = 2.0278 9.6 +   pB/ = 0.0281 49.0278 + 1. saída Ks = 1. Estime a vazão esperada sob uma Z  f  k para D = 50 mm e  = 0.90) * 1.4 a) Determinação da velocidade Em um distrito de irrigação.46 = 0.05 + (0.0281 * 2.46^2/19.6 = [ f 480/0.0.8 = (96 * 0.8 m 0.15 mm Pela Tabela A2  v = 1.5 b) Determinação da vazão 1. 89 numero 3.05 + 0.90 m/s e f = 0.

adotando C = 145. c) a máxima e a mínima carga de pressão na linha. (10 + 20) / [145^1.87]  pB/ (D) (E) (A) d) Descrição das pressões extremas no caso do registro no ponto A 1. de PVC rígido. 0. 91 numero 3.85 (10+20)/[145^1.25 m NA Em B HC = HB + HCB (C) pC/ + ZC + VC^2/2g = pB/ + ZB + VB^2/2g + HCB 0 + 4 + 0 = pB/ +0+2. 0.65 .87 = HCH -1.65Q1.65. pC/ + ZC + VC^2/2g = pE/ + ZE + VE^2/2g + HCE 0 + 4 + 0 = pE/ +3+2.75m pC/ + ZC + VC^2/2g = pH/ + ZH + VH^2/2g + HCH 0 + 4 + 0 = 0 + 1 + 0 + HCH (D) (E) 10. e usando a fórmula de Hazen- Williams. a carga cinética na tubulação. Em E HC = HE + HCE d) Desenhe em escala as linhas piezométrica e de energia. Admitindo que a única perda de carga c) Determinação das pressões na linha (Registro no ponto A) localizada seja devido à presença de um registro de gaveta parcialmente fechado. como mostra o esquema da figura.0 m.25m C D 0.0 m (pD/  -1.05^2) = 2. em ambos os casos. em mH2O.65. 0 + 4 + 0 = pD/ + 3 + 2.05^4.0 m 3.Pág.6 + 0  pD/ b) Idem.22^2/19.0 m NA 0.85 .37 litros/s = QB (F) (G) 23 .75m  (4 – 1) = 10.87] Considerem.22^2/19.Q^1.22^2/19.85 .22 m/s através de uma tubulação de 10 m de comprimento e diâmetro D = 50 mm. são interligados em linha reta v = 4 Q/ D^2 = 4 .00437 / (3. Q^1.1.6+10.85L (A) H  1. nos casos a e b.87] (B)  QA = 0. Em D HC = HD + HCD cujo comprimento equivalente é Le = 20.  pE/ . determine: pC/ + ZC + VC^2/2g = pD/ + ZD + VD^2/2g + HCD a) a vazão na canalização supondo que o registro esteja colocado no ponto A.00437 m3/s ou 4.85 .85 .6+10. mantidos em níveis constantes. supondo o registro colocado no ponto B. 20)/[145^1.Q^1.25 m (B) (F) (G) e) Esquema de distribuição de pressão na linha a) Determinação da vazão (C) HC = HH + HCH ( = H distribuída + H localizada) 0.14 .85 4.05^4. 0.8 b) Determinação da velocidade na canalização Dois reservatórios.85. 0. 1.05^4.

65.87]  pE/ .85 . 0.87]  pG/ NA (C) h) Determinação das pressões extremas no caso do registro no ponto B (pF/ (pE/ 1.8 (continuação) Em G HC = HG + HCG pC/ + ZC + VC^2/2g = pG/ + ZG + VG^2/2g + HCG f) Esquema do caso do registro no ponto B 0 + 4 + 0 = pG/ +0+2.87]  pF/ 24 .85 . 0.75m 1.6 + 0  pA/ (F) (G) Em E HC = HE + HCE pC/ + ZC + VC^2/2g = pE/ + ZE + VE^2/2g + HCE 0 + 4 + 0 = pE/ +3+2.Q^1.6+10.85 (10+20)/[145^1.0 m NA (D) (E) (A) i) Esquema de distribuição de pressão na linha 1.0 m 0. 0.0 m (C) (B) (F) (G) 1.75m Em A HC = HA + HCA 0.Q^1.05^4.05^4.05^4.85.65.Q^1.Pág.65.1. 20)/[145^1.22^2/19.22^2/19.22^2/19.6+10.75m (D) (E) (A) g) Determinação das pressões na linha (Registro no ponto B) 2.85.0 m pC/ + ZC + VC^2/2g = pAD/ + ZA + VA^2/2g + HCA (B) 0 + 4 + 0 = pA/ + 3 + 2.6+10. 91 numero 3.0 m 3.22^2/19.25 m Em F HC = HF + HCF pC/ + ZC + VC^2/2g = pF/ + ZF + VF^2/2g + HCF 0 + 4 + 0 = pF/ +0+2.85 (10)/[145^1.

121 + 0.50 + 1.50m .025 .77 .9/9. prismático de área igual a 1.0170 = 0.0 m2.70 .6 = 24.6 m 0.025^2  v = 1. até encher a cota B em 1. 0.2 + 1) v^2/2g = 0. Qual deve ser a cota do nível d’água no reserva tório A.64 ft.70 m/s h (localizada) = k v^2/2g = (1 + 6 . Dados: AB = 1 m2 . b) Determinação da vazão e velocidade Q = volume/tempo = (1 . dt = 10 min = 600s  f = 0.54 m 0.90 kPa = 4. pB = 4. quando este acusar este acusar uma pressão h (distribuída) = f(L/D) v^2/2g = f .0 m 0.421 = 1.8 = 0. 105 diâmetro e os joelhos de 90º .388 v^2 = 0.50) / 600 = 0. 4.70^2/19. No tempo t = 0.20.00001/0.388 .5 m  1.000833 m3/s v = 4Q/ D^2 = 4 . 0. 0. para que o orifício do reservatório B seja e/D = 0. Considere a carga cinética.000833/0. conforme a figura.20/0.421 m A d) Determinação da perda de carga total H = h (localizada) + h (distribuída) 0.11 c) Determinação da perda de carga distribuída O reservatório B.0 m 0 + ZA + 0 = 0 + 0.2 m e) Determinação da altura do NA do reservatório A 1.0170 ? h (distribuída) = f(L/D) v^2/2g = 24.9 + 0. 1. 92 numero 3.025 = 0. 1.70 = 1.121 m 25 .025/10-6 = 4.Pág. mantido em nível constante.70^2/19. 0. possui um orifício no fundo que abre comandado pelo manômetro.54  a) Idealização Para que a válvula do reservatório B seja aberta em 10 min.0 m B pA/ + ZA + VA^2/2g = pB/ + ZB + VB^2/2g 1. f = 24.6 + 1.9 kPa.00040 e aberto 10 min após a abertura do registro de gaveta da canalização de 1” de Rey = V .0 m H = 1.77 f de 4. D/v = 1. 0.5 m HA = HB + HAB + HAB 0.77 . o reservatório B está vazio.

90 + 400 sen 2o = [(400 + X) . assentada com uma inclinação de 2º em relação a horizontal. conforme figura. D/f A 2o 0.79 m a) Determinação da energia cinética na tubulação HA = HB + HAB pA/ + ZA + VA^2/2g = pB/ + ZB + VB^2/2g + HAB Como pA/ = pB/ HAB = ZA – ZB = f L/D . D/f 26 .96)/sen 2o] – 400  X = 25. 92 numero 3.pD/ ) + (ZA – ZD) = [f/D (L+X(REG))] . 200/D v^2/2g  v^2/2g = sen 2o . sen2o = f .Pág. v^2/2g 200 m 200 m 0. pA/ + ZA + VA^2/2g = pD/ + ZD + VD^2/2g + HAD Como pA/ . f/D] .90 + 13. determine o HA = HD + HAD comprimento equivalente do registro colocado na tubulação de diâmetro único.pD/ (pA/ .96 = [400 + X] sen 2o B C D X = [(0. sen 2o .9 mH2O. v^/2g 200 .90 + 13.13 b) Determinação do comprimento equivalente do registro Sabendo-se que as cargas de pressão disponíveis em A e B são iguais e que a diferença entre as cargas de pressão em A e D é igual a 0.

CAPÍTULO 4 CAPÍTULO 4 27 .

022 . pA = 166.LCD) 82 m 39 m 1. a pressão em A vale 166.0827 .1 DHAD = EA – ED = JAB.6 kN/m2 pA/ = 166.02/3. tem-se.14.367 = 718.0.015)/120  q = 4.10^-5 m3/s/m ED = zD + pD/g + vD^2/2g = 2 + 14.15^5 .6 Ou EA – ED = DHAB + DHBC + DHCD = DHAD q = 0.115 m .775 . Despreze as perdas localizadas.383 + 2875.8 = 17.0417 litros/s/m 28 .54QD^2 = 23.020 + 0.02 + Qj)^2 + 2176.75 – 4QD/(3.17.13 m/s c) Determinação de Qf Qf = (Qm + Qj)/2 = (0. Qf^2 + 2176.06 – 16.31 m 1.Qj^2) D Mas QD = Qj 20 l/s A 2m 2m 120 m 1.2 kN/m2.015)/2  Qf = 0.8 = 14.11.020 + 0.Qf^2 + 84. 40 + 120.6 = 16. QAB = 20 l/s .0.022. f = 0.13^2/19.10 .015 m3/s ou pD/= 140. = 0.31 m v = 4.022/0.Qj^2) B C 1.Lab + JBC.31 + vD^2/2g = 1.54Qj^2 = 0.Qj^2  Qj = 0.14.6 = 18.31 + vD^2/19.10^3/9. (0. pD = 140. 0.LBC + JCD.LCD Na tubulação mostrada na figura.10^3 = 14.14.LBC + QCD^2.367 = 2875. sabendo que a tubulação está no plano vertical e que a vazão no trecho AB é de 20 l/s. 100 exemplo 4. Qj^2 (I) q =? b) Determinação da vazão Qj Qf = (Qm + Qj)/2 = (0.8. (QAB^2.11 .15^2 = 1.96(0.2 kN/m2 pD/ = 140. Q = ? .Q/3.75 – 163. Determine a = 18.LAB + QBC^2.0175 m3/s a) Determinação da energia específica d) Determinação da distribuição em marcha (q) EA = zA + pA/g + vA^2/2g = 1 + 17 + 1.D^2 = 4.2.75 – 163.0.6/9.00 m De (I).02^2 .10.15^2) = vazão unitária de distribuição em marcha q.06 m q = Qd/L = (Qm – Qj)/L = (0.2/9. com 6” de diâmetro e coeficiente de atrito f = 0.6 kN/m2 e D vale 140.31 + vD^2/19.020 + Qj)/2 Dados: D = 0.Q^2 + 2012.Pág.57.

20 A 6" B e) Determinação da vazão na tubulação de D = 6” 750 m 8" 573.5 = (4^5/600)^0.3 litros/s 29 .0827 . CPB = 573 + 0.0827 . Q^2/0.2 c) Determinação da cota piezométrica em B (CPB) A ligação de dois reservatórios mantidos em níveis constantes é feita pelo sistema CPB = pB/ + ZB ou de tubulações mostrado na figura. 0. Q4^2/0. 0.80 kN/m2 b) Determinação da vazão fLQ 2 H  0.0114 m3/s R1 544.020 .0280 m3/s a) Determinação do comprimento equivalente do trecho AB f) Determinação da pressão no ponto B (pB/) DE5 Di5 CPB = pB/ + ZB Tubulação em paralelo   f E .10^5  Q4 = 0.20 (8^5/Lê)^0. 2500 .20^5  CPB = 580.15^5  Q6 = 0.020.20 m 593. 0.20 + 0.Pág. 0. Assumindo um coeficiente de atrito constante CPB = CPA – HAB ou para todas as tubulações é igual a f = 0.0827 .20 + 0.0393^2/0.0280 m3/s C ou Q = 0.5  Lê = 1600 m pB/ = 36 metros ou 352.0827 D5 H = 20 = 0. desprezando as perdas localizadas e as CPB = CPC + HBC cargas cinéticas. determine a vazão que chega ao reservatório R2. 105 exemplo 4.00 CPA = CPB + HAB 900 m R2 593 = 580.020 . 600 . 900 .0827 .20^5  Q = 0.00 d) Determinação da vazão na tubulação de D = 4” CPA = CPB + HAB 4" 600 m 593 = 580.0393 m3/S Ou Q = 39. as vazões nos trechos d 4” e 6” e a pressão disponível no ponto B. 750 .Li pB/ = CPB – ZB  pB/ = 580.0393 = 0.20 – 544.LE f i .020 . 0. Q4^2/0.5 + (6^5/750)^0.020 .0114 + Q6  Q6 = 0.

22 m 0 20 810 m 20 0.85 .22-24.HAB com taxa (vazão unitária de distribuição) q = 0.65 .m).85 . Despreze as perdas localizadas e a carga HAB = 5. está instalada uma bomba com rendimento igual a 75%.130 36.85 4. L = 0.20^4.22 = 24.87) = Pot = 13. problema dos três reservatórios e bombeamento.78 também a potência necessária à bomba.00015 m3/(s.13 m3/s Q( H Re calque  H sucção) Pot   Pot = (9.225 – 0.22 m fundido novo. 200/(130^1. e um sistema de tubulações de ferro CPB = (pC/ + ZC) + HBC = (0 + 20) + 4. 109 exemplo 4.85 .85 .87) = HREC = 36 + 4.65Q1.065^1. C=130.78 = 10. (40.75 = n b) Determinação da perda de carga HBC 10. 0.00  QBD = 0. Como visto no item anterior. 400/(130^1.Pág.22)/0. QAB = QBC + QBD  QBD = QAB – QBC = 0. No conduto BD.48 cv C D  HBC = 4.30 m C HREC = 36 + 10.00015 . 400  QmBC = 0.224 m3/s Trata-se de uma aplicação conjunta dos conceitos de distribuição em marcha.22 m a) Determinação da vazão fictícia no trecho BC QmBC = QjBC + q .0 HM = HREC – HSUC .13^1. com saída livre para a atmosfera em C.16)/2  QfBC = 0. Determine HAB = CPA – CPB = 30 – 24.8 .65 . 0.85 .22 = 5.30^4. CPB = CPC + HBC abertos e mantidos em níveis constantes.10 + 0.40 m Bomba D CPD = ZD + HDB = HREC 20. 0.10 m3/s e ter uma distribuição de vazão em marcha CPB = CPA .3 c) Determinação da cota piezométrica em B (CPB) Uma instalação de transporte de água compreende dois reservatórios A e D. = A 3 D1 = 0. d) Determinação da vazão no trecho AB (QAB) Determine a vazão bombeada para o reservatório D quando o conduto BC deixa sair livremente uma vazão de 0. ponto B.85 .10 + 0. a questão importante para a resolução do problema é a determinação da cota piezométrica no ponto de e) Determinação da vazão no trecho BD (QBD) bifurcação.16 m3/s g) Determinação da potência da bomba QfBC = (QmBC + QjBC)/2 = (0. 0.87 = 10.58 kw ou 18. 810/(130^1. como v^2/2g = 0  H = CP D m m HSUC = CPB = 24. QAB = 0.22 = 40.40^4.85L H  1. 0.00 400 m B D2 = 0.87) = cinética nas tubulações.065 . QAB^1. e logo a jusante de B.65 . 0.065 m3/s f) Determinação da altura manométrica 30.22 m 30 .

31 .025 m3/s e toda água é distribuída com uma taxa uniforme por unidade de comprimento que (vazão de distribuição unitária) nos dois trechos. A vazão total que entra no sistema é 0. ambos como mesmo fator de atrito f = 0.1 Um sistema de distribuição de água é feito por uma adutora com um trecho de 1500 m de comprimento e 150 mm de diâmetro. Determine a perda de carta total na adutora.028.Pág. desprezando as perdas localizadas ao longo da adutora. de modo que a vazão na extremidade de jusante seja nula. 117 numero 4.

toda a vazão que entra na DHBC = DHBD extremidade de montante é distribuída ao longo da tubulação. 0. L) Q^2/D^5 = 0.605 + 2.73  HAD = 4. 2) QjBD = QmBD/2 Dados: QAB = 0.0827 . QmBD)/2 18"  0. 0.024 .73 m D5 HAB = (f .12 m3/s 3000 m QAB 1500 m B  QAB = 0.28 m3/s . f .28 = QmBC + QmBD  QmBC/ 3 = (QmBD + QmBD/2)/2  0. descarregando D5 livremente na atmosfera.28^2/0. QjBC = 0 . 1500 . com uma vazão por 0.0827 trechos iguais de 18” de diâmetro. 3/4 .024 .16 m3/s 18" 30 c) Determinação das vazões fictícias QfBC e QfBD 00 m QfBC = QmBC/ 3 = 0.16 / 3 = 0. 0. determine a diferença de carga entre as seções de entrada e a saída.68^5 e) Determinação da perda de carga total HAB = 1.L.28 – QmBD = 3 (3/2 .28 m3/s de água. Despreze as perdas singulares. QmBD  QmBD = 0.0827 .024 e supondo que todo o sistema está em um plano 1) QfBC = QfBD  QmBC/ 3 = (QmBD + QjBD)/2 horizontal.Pág. Em um destes trechos. f . passa uma vazão f .34 m 32 . no outro.L.605 m HAD = HAB + HBD = 1. L QfBD^2/D^5  QfBC = QfBD unidade de comprimento uniforme e.Q 2 de 0. 3000 m de comprimento.28 = QmBC + QmBD 27" 0.Q 2 a) Determinação da perda de carga no trecho AB HBD  0. 118 numero 4.45^5  HBD = 2. metade da vazão que entra é distribuída uniformemente ao longo do trecho. f = 0. L QfBC^2/D^5 = 0.28 – QmBD = 3 . 0.0827 . 3000 . Em uma determinada seção.2 b) Determinação das vazões a montante em cada ramo do trecho em paralelo Por uma tubulação de 27” de diâmetro e 1500 m de comprimento.120  QmBC = 0.0827 . LAB = 1500 m C 3) QAB = 0. Adotando para todas as tubulações Relações: um fator de atrito f = 0.L.Q 2 D5 H  0. a tubulação divide-se em dois H  0.0827 f .092^2/0.024 .092 m3/s = QfBD (pela relação (1)) D d) Determinação da perda de carga no trecho BD f .0827 HBD = 0.28 = QmBC + 0.

determine a queda de c) Determinação das relações entre os parâmetros das tubulações pressão que ocorre quando 0.0827 .0827 D5 H = 1.Q 2 H = 0. QB^2  QB = 0.10 m e QB = 0.0767 m3/s 33 . 9800 = 13.93) .93 m D5 Trecho A b) Determinação da perda de carga total da tubulação em série f .0934 m3/s D5 H = 0.0827 6. caso  calcule as vazões em cada tubulação.L.QB^2/DB^5) = Trecho B H = 0.LE) = 0.0827 .0232 + 0.12 m  fA .L. (1/0.0827 a) Determinação das relações entre os parâmetros das tubulações D5 f .00179 1ºCaso: d) Determinação da perda de carga total TUBULAÇÃO EM SÉRIE  Q = QA = QB e H = HA + HB f .0827 (1850. Use a fórmula de Darcy-Weisbach.8) . QA^2 = H  0.0423^2 pB = 50 kN/m2 = 50/9. 118 numero 4. (fB. LA . (2741.LE)^1/2]^2 = 0.09 kN/m2 HA = 0.93)^1/2 = 0.LA/DA^5) .15 m3/s (DE^5/fE.20^2/DA^5 = 6.Q 2 HA = 0.LE f i .LB/DB^5) .17^2  H = 1.20 TUBULAÇÃO EM PARALELO  Q = QA + QB e DH = DHA = DHB m3/s.8  pB/ = 5. com uma vazão de 0.LA.Pág.12 = 0. LB . 0.4 2ºCaso: Quando água é bombeada através de uma tubulação A.8 + 2741.0827 .12 m e QA = 0.0827 fB . LB/DB^5 = 2741.0827 .00179) .10 = 0. se elas são conectadas a0 em série.0191= Dados: pA = 60 kN/m2 = 60/9.20 m3/s [(DE^5/fE.Li (DE^5/fE.336 .8)^1/2 + (1/2741. Neste último.80 m e) Determinação das vazões em cada trecho em paralelo HB = 0. 9800 = 107. b) em paralelo. (fA. e através de uma tubulação B.LE)^1/2 = (1/1850.336 m ou H  0.10 m f .L.0827 .L. LA/DA^5 = 1850. f E . 0.0827  fB .8  pA/ = 6. com uma vazão de 0. (1850.0827 (fA. QB^2 = 5.98 m ou H = 10.15 m3/s.98 .LB.57 kN/m2 HB = 0.Q 2 H  0. 0.17^2 = 10.Q 2 H  0. a queda de pressão é de 50 kN/m2.93) .QA^2/DA^5 + fB.20^2/DB^5 = 5. a queda de pressão é de 60 kN/m2. QA^2  QA = 0.17 m3/s de água são bombeados através das duas DE5 Di5 tubulações. 0.0827 fA .

006411^2)]  LA = 701. D4 = 175 mm.225^5  H0A = 6.0827 .022. Q^2/D^5 H0A = 0.43 m 34 .0827 .225^5 L3. 0.80 m [0.0.225^5 = 0. L4 = 100 m.Li [0.0 m L2. do comprimento equivalente do trecho em paralelo (2 e 3) CPA = (pA/ + ZA) + HAB DE5 Di5  CPA = 0 + 0 +8. f (LA + L) QB^2/D^5 HAB = 0. f .L/0.435 + 527) . 118 numero 4.020.LA)]^1/2=[0.225^5/(0. é descarregada na atmosfera QB = 50 l/s. D4 B QB d) Determinação da cota piezométrica no ponto A QA a) Det. L2 = 150 m.22 m HAB = 0.003716 = 0.Pág. f2 = 0. Dados: f1. 0.100/0. D3 HAB = 8.5 b) Det.006411 LA = [0.80 m H L1.020 .002695 + 0.L4/D4^5  0. 300 (0. f4 = 0. f1 = 0. D1 A DH (total) = 6. L . H = H0A + HAB b) a cota piezométrica no ponto A.225^5/(0.020 (701.050^2/0.LA)]^1/2 = 0. Despreze as perdas localizadas e a carga cinética.LE f i .050)^2/0.150^5/(250.80 f E .028. D3 = 150 mm.028)]^1/2+[0.022)]^1/2  CPA = 8. D2 L4.22 + 8.175^5 L1 = 300 m. c) Determinação da perda de carga Calcular: a) o valor de H para satisfazer as condições anteriores. 0.020 .030.0827 . H0A = 0.125^5/(150.020.020. f3 = 0. do comprimento equivalente do trecho em série (1 e 4) No sistema mostrado da figura.  L = 527 m L3 = 250 m. 0.225^5/(0.020. D2 = 125 mm.035+0.030. do ponto A é derivada uma vazão QA = 35 l/s e em B.0.80 = 15. D1 = 225 mm.L1/D1^5 = f4.0827 .

do sistema CPA = CPD . 0.QDA^1.10 m h) Explicitando QCA QCA^1.30.85–509.87) 240.5 = 240.85 . QDA^1.85)/(130^1. DCA^4. 1725)/(130^1.87/10. CPA = 0 + 159.130^1.012^1. 0. 0.Pág.85.20^4.30.HDA de adutoras mostrado na figura.85 – 509.85 (II) m f) Determinação da cota piezométrica em D 25 509 m 17 CPD = CPA + HDA = CPA + (10.30  CPA = 193. QDA^1.65 . As máximas vazões nas adutoras CA e DA são de 193.10^4. 0.QDA^1.00081 35 .85. d) Determinação da cota piezométrica em A Todas as tubulações são de ferro fundido novo.2 D = 0. sendo a carga de Determinação das vazões nos trechos CA e DA para ocorrer um pressão disponível em B igual a 30 mH2O.87) C CPD = CPA + 167. para vazão máxima de 20.85.415 = 1725.85 (III) 159.20^4.8.65 .HCA CPA = 30 + 159.87)  DCA = 0. 0.20^4. 119 numero 4.65 .389.65 .85 193.1803)/(130^1.20 + (10.85 .85 (I) e) Determinação da cota piezométrica em C 200 CPC = CPA + HCA = CPA + (10.QDA^1.87) D CPC = CPA + 49. C = 130. QCA^1.(1725.HCA = CPD .QCA^1.20 m A g) RELAÇÕES ENTRE AS EQUAÇÕES II E III 1803 m B CPA = CPA a) Determinação da cota piezométrica em A (CPA) CPC .10 m a) os diâmetros dos trechos CA e DA.QCA^1.2 + 5. QCA^1.10^4.65 . 0.241.85.85 – 509. Determine:  DDA = 0. de diâmetro igual a 0.65.85 = 3.QCA^1.20^4.70 .85 . Despreze as cargas CPA = CPB + HAB = (pB/ + ZB) + HAB cinéticas nas tubulações.65 .85 .20 – (10.509)/(130^1.87) b) Determinação do diâmetro do trecho CA (DCA)  40.85 CPA = CPC . 509)/(130^1.2 CPA = 0 + 159.85.20 + (10.6 c) Determinação do diâmetro do trecho DA (DDA) Uma localidade é abastecida de água a partir dos reservatórios C e D.QDA^1.1725)/(130^1.65 = 1725.87) 8 l/s e 12 l/s. rompimento em B ( pB/ = patm/ = 0) b) a vazão que afluiria de cada reservatório ao se produzir uma ruptura na extremidade B. 0.85 .020^1.2 .50 m (240. 0. (QCA + QDA)^1.85.2–200)=10.85 – 0.20 + 4. respectivamente. 0.85 .85.87) CPA = 30 + 159.348.0 l/s na extremidade B do ramal AB.85 . 1803)/(130^1.008^1.20 m.HCA  0. (QCA + QDA)^1. DDA^4.5 = 200 – (10.977.HDA CPA = CPB + HAB = (pB/ + ZB) + HAB CPD – CPC = HDA .

85 – 0.54 QCA = 0.QDA^1.015^1.85 = 159.3 .00081)^(1/1.241.QDA^1.00081)^(1/1.241.389. [(3.Pág.2 + 5.70 . 119 numero 4.389 .389.0184 m3/s ou 18 litros/s 36 .00081)^0.85) + QDA]^1. [(3.85) Como CPD = CPA + 16.85 Solving  QDA = 0. QDA^1.6 (continuação) i) Utilizando todas as equações para resolver o sistema para QDA CPA = 159.Q^1.3. QDA^1.241.015 m3/s ou 15 litros/s j) Determinação de QCA QCA = (3.QDA^1. QDA^1.85 = 240.2 – 16.977.70 .389.85 Como CPA = CPA 240.85  81 – 5.2 + 5.54 = 167.7 .241.2 – 16.000815)^0.3. 0.85 – 0.977.85 – 0.3 .85) + QDA]^(1. [(3.54 + QDA]^0.977.2  CPA = 240.85 – 0.

0 Qj = Qm – q .15^5 = 4. 41 6" b) a carga de pressão disponível no ponto C. 0.7 O sistema de distribuição de água mostrado na figura tem todas as tubulações do mesmo material.0827 .44 tubulações f = 0.0 determine: a) a cota piezométrica no ponto B. existe uma distribuição em marcha com vazão por metro linear uniforme e igual a q = 0.0827 D5 f . LE)]^1/2=[0.0827 . 410.70. Q4”^2/0.58  CPB = 586.15^5/(f . 0.LE f i .HAB = H  0.020 e desprezando as perdas localizadas e a carga cinética. 590. 119 numero 4. 1000.L. 750]^1/2 CPC = (pC/ + ZC)  pC/ = CPC .015^2/0.m) A 580. 1000 = 10 litros/(s.10^5/(f .0827 . 0.70m f) Determinação da vazão na tubulação de 4” b) Determinação da cota piezométrica em B (CPB) f . se a cota geométrica deste ponto 0.m) ou 4" 15 litros/(s.ZC = 581. 0.90 m CPC = CPB .Li e) Determinação da carga de pressão no ponto C [0.42 m Q4” = 0. Entre os pontos I B e C.Q 2 CPB = CPA .42 – 4.L.00520 m3/s ou Q4” = 5.010 .15^5/(f .7 0 1000 m C 6" m B II é de 576.58 m D5 CPB = CPA .52 m  LE = 410. A vazão total que sai do reservatório I é de 20 l/s.L.Q 2 B C 6" II H  0. 800.020^2/0.020 .0 d) Determinação da cota piezométrica em C (CPC) CPC = CPB .015 m3/(s. Assumindo um fator de atrito constante para todas as A 580.0 Pág. 500 m D c) a vazão na tubulação de 4” de diâmetro.HAB = 590 – 3.HBC = 586.m) I Qf = (Qm + Qj)/2 = (0.020 .HBC = 75 6" 0m 1000 m f .52 m DE5 Di5  f E . do comprimento equivalente do trecho em paralelo HBC = 0. L = 20 – 0. c) Determinação da vazão fictícia no trecho BC 590. 0.Q 2 HAB = 0.58 m H  0.15^5 = 3.010)/2  Qf = 0. 800)]^1/2+[0.90  CPC = 581.10^5 = 3.00 m.44 80 6" 0m 576.020 .0827 = 0.01 litros/(s.020 + 0.0827 500 m D D5 a) Det.20 litros/s 37 .m).52 – 576  pC/ = 5. 6" 576.

QBJ^2 20 300 .5  QJB = 0.1764 . B e C são conectados por três tubulações que se juntam no HJ = HB + HJB ponto J. QAJ^2 + r . 0.42 + 0.QJB 60 = 23. 0. a vazão em m3/s.92 + 150 .620 / 0.42^2 b) Determinação da energia específica entre A e J 60 = 23.14 m3/s J 0 f) Determinação da vazão QAJ QAJ = 3 . Os valores de r para as três tubulações são: r AJ = 150. Uma válvula de controle de vazão é instalada na tubulação CPJ + VJ^2/2g = 0 + 20 + 0 + 200 .42^2 + r . QJB^2 = 20 0 QJB = (20/100)^0. 120 numero 4. rBJ = 200 e rCJ = 300. QBJ^2 AJ. QJB)^2 = 20 + 200 . QJB = 3 .8 c) Determinação da energia específica entre B e J Três reservatórios A. r HA = HJ + HAJ r = 9. 0. O nível do reservatório B está 20 m acima do nível de C e o nível de A pJ/ + ZJ + VJ^2/2g = pB/ + ZB + VB^2/2g + HJBdist está 40 m acima de B. Q^2 g) Determinação da constante r a) Relações entre as vazões Como: QAJ = QJB + QJC = QJB + 2.1764 r = 54. QBJ^2 tubulações e da válvula é dada por.53 pA/ + ZA + VA^2/2g = pJ/ + ZJ + VJ^2/2g + HAJdist + HAJvalv 60 + 0 + 0 = (CPJ + VJ^2/2g) + 150 QAJ^2 + r .92 m C H = r . QJC^2 = 20 + 200 . em que r é o coeficiente de resistência e Q. imediatamente a montante de J. QJC^2 = HJC B 300 .42 m3/s EJ = 20 + 200 . A equação de resistência de todas as EJ = 20 + 200 . QAJ^2 EJ 38 . 0. QAJ^2 QAJ = 3.14^2  EJ = 23. (2 . Determine o valor do coeficiente r de resistência da d) Determinação da energia específica entre C e J válvula Hv (m) = rQ2 para que a vazão que chega ao reservatório C seja o dobro HJ = HC + HJC da que chega ao reservatório B.92 + 26. pJ/ + ZJ + VJ^2/2g = pC/ + ZC + VC^2/2g + HJCdist 60 CPJ + VJ^2/2g = 0 + HJCdist 20 EJ = HJCdist 40 e) Determinação da vazão QJB HJC = EJ A rCJ .QJB 60 = EJ + 150 .14  QAJ = 0. QBJ^2 válvula (1200 – 200) .Pág. H (m) = rQ2.

determine a vazão no trecho AB e verifique se o reservatório II é abastecido ou abastecedor. Nessa situação. 0. QAB^1. disponível no ponto B for de 20.01494 m3/s ou QBC = 14.0  QBC = 0. Despreze as perdas localizadas e as CPB = CPC + HBC cargas cinéticas e utilize a fórmula de Hazen-Williams.20^4.15^4.85 .0 mH2O.85 .0429 m3/s ou QAB = 42.0 m CPB ≤ CPC B 6" C ZB + pB/ ≤ ZC + pC/ 650 m 720 + pB/ ≤ 735  QB pB/ ≤ 735 – 720  pB/ ≤ 15 m a) Determinação da vazão no trecho AB (QAB) CPA = 754 m .95 litros/s 1050 m 735. 0.0 8" e) A partir de qual pressão em B o R2 passa também a abastecer o ponto B.90 – 14.85 . 650)/(110^1.94 litros/s d) Determinação da vazão em B (QB) A QAB = QB + QBC  QB = QAB – QBC = 42.95  QB = 27. CPC = 735 m CPB = ZB + pB/ = 720 + 20 = 740 m CPA = CPB + HAB 754 = 740 + (10. qual a c) Determinação da vazão no trecho BC (QBC) vazão QB que está indo para a rede de distribuição? A partir de qual valor da carga de pressão em B a rede é abastecida somente pelo reservatório I? Material das tubulações: aço rebitado novo (C = 110).90 litros/s 39 .9 b) Situação do Reservatório 2 O esquema de adutoras mostrado na figura faz parte de um sistema de distribuição Como CPC = 735m < CPB = 740m então o Reservatório 1 abastece o de água em uma cidade. QBC^1. 720.85 .87)  QAB = 0. 1050)/(110^1.65 .Pág. 120 numero 4.65 . Quando a carga de pressão Reservatório 2. 740 = 735 + (10. cuja rede se inicia no ponto B.87) 754.

021 . 0.14 m (8^5/Leq)^0.LE f i .021 .10 b) Determinação da pressão no ponto A (pA/) No sistema de abastecimento d’água mostrada na figura.5  Q8” = 0. determine a carga de pressão (4.0827 .5 + (6^5/810)^0.88 Tubulação em paralelo   f E .20 m I c) Determinação das vazões dos trechos em paralelo f .5 = 6.20^5 795.021 .030^2/0. 0.021 e.22 = 0.0827 .87 litros/s A 0m 1000 m 81 1. 790 Q8”^2/0.0827 79 C D5 795. todas as tubulações têm CPA = CPC + HAJ fator de atrito f = 0.4 = 810. Desprezando as pA/ + ZA = pC/ + ZC + HACdist (= 0. 0.15^5 5 l/s 810.14 m 30 l/s 8" B A 1000 m 5 l/s e) Determinação da cota piezométrica no ponto B (CPB) a) Determinação do comprimento equivalente no trecho em paralelo CPA – CPB = DHAB = 0.13 0. 120 numero 4.14 – CPB = 4.5 = (8^5/790)^0. 1000 .4 6" 1.64 3 m 0. há uma derivação de 5. 360. 0.Li  CPB = 812.1 36  CPA = 817.025^2/0.20^5 8" 30 l/s 8" B  Q8” = 0. no ponto B.L.5 (1.Q 2 0m H  0.22 m) 0. pA/ + 795.021 .13 litros/s I d) Determinação da cota piezométrica no ponto A (CPA) C CPA – CPC = DHAC = 0.0827 .021 .22 = 0.20^5 + 810.0827 .0827 .01687 m3/s ou Q8” = 16.030^2/0.13 . 1360.13 m 40 . 0.0827 f LQ^2/D^5) perdas de carga localizadas e as cargas cinéticas. 790 Q6”^2/0.Pág.5  Leq = 360. 0. 1000 .4 8" CPA – 810.0 l/s.20^5 DE5 Di5 817.030^2/0. 0. 0.20^5  pA/ = 21.021 .5 + 0.00813 m3/s ou Q8” = 8. 0.88 m) disponível no ponto A e as vazões nos trechos em paralelo.0827 .

0 mH20.60 m traçado impõe a passagem da tubulação pelo ponto B de cota geométrica 514.87) CPC = 507.19 m = 10.15 m 495 D e) Determinação do diâmetro do trecho CE (DCE) CPC = CPE + DHCE  HCE = CPC – CPE = 506. 0.2 + 2. DAB^4.60/800 = 10. 0.85 .85 . QAB = QBC = QCD + QCE = 26 l/s c) Determinação da cota piezométrica em C (CPC) QCD = QCE = 26/2 = 13 l/s CPD = CPC + HCD CPC = CPD – HCD = 520 CPC = 507.40 m . DAB = 0. 0.11 a) Determinação do diâmetro do trecho AB (DAB) No sistema adutor mostrado na figura.85 .21 m = 10. O 520 = (514.20 – 1. coeficiente de rugosidade da equação de Hazen-Williams C = 120.026^1. Despreze as perdas de carga localizadas e as cargas cinéticas.2 – (10.65 .01  CPC = 506.19 A 26 l/s HBC = 10. 360/(120^1.65 .19 m 800 m 507. b) Determinação da cota piezométrica em B (CPB) CPB= pB/ + ZB = 514. 121 numero 4.40 m Dados: C = 120 .85 .85/(120^1.0) + HAB  HAB = 3.19 – 495 HBC = 11. ZB = 514. DBC^4.013^1.0  CPB = 516. todas as tubulações são de aço soldado com CPA = CPB + HAB algum uso.87) 0m 6" 20 DCE = 0.4 + 2.40 – 506.013^1.87) a) a carga de pressão mínima no sistema deve ser de 2. 0. O diâmetro do trecho CD é de 6” e a vazão descarregada pelo reservatório superior é de 26 l/s.10 m C E 360 m 41 . DCE^4.Pág.15^4.85 .20 m b) as vazões que chegam aos reservatórios E e D devem ser iguais. 0. (p/)min = 2 m . Dimensione os outros trechos.65 .87) 450 m DBC = 0.2 d) Determinação do diâmetro do trecho CD (DBC) B CPB = CPC + HBC  HBC = CPB – CPC = 516.026^1.85 .85 .65 . sujeito a: J = HAB/L = 3. 200/(120^1.40 m. 450/(120^1.

4) + 1. Neste caso.0099422.50 m L = 750 m pab/g =< 1.026 . 0.L.5 + 5.40 m f = 0.106/ 3.LBC h LBC = 2.20 + 5. qual deve ser o máximo comprimento do tramo ascendente do sifão para que ele escoe a seção plena. 0.14 . b) Determinação da velocidade na tubulação v = 4Q/(3. qual é a vazão.0827.40 + 0.5 = 16.Pág.5 = 0.026.5m.106 m3/s está 5.30^5 0. D^2) = 4 .6 + 0.Q^2/0. 750 .115 + 0.0099422 = A LBC = 275 m B Z Adicional d) Determinação das cotas piezométricas CPA = 9.4 m acima do nível do reservatório superior.026 DZ = 7.5 + 0 = 1.3^5 C 9.8 . seu comprimento. 0.5^2/19. 121 numero 4.0827 .2 D5 mH2O.14 . 750 . sem quebra na coluna de líquido.Q^2/0.65 . se o ponto mais alto z = 7.Q 2 diâmetro do sifão é 0.0. 10^3 / 9.735/0.0827 = 0.106^2/0.50 m/s Dados: D = 0.10 m D 42 .45 + 7.0827 .026 .95 m CPC = 1. O f .45 = 1.45 m = pA/g HA = HC + HAC pA/ + ZA + VA^2/2g = pC/ + ZC + VC^2/2g + HBC 9.12 a) Determinação da vazão A diferença de nível entre dois reservatórios conectados por um sifão é 7.20 +(7.30 m.20 m  pc/g c) Determinação do comprimento LBC patm/g = 92.LBC.30^5  Q = 0. 0.65 kN/m2.45 + 7.5 + 5.40) = 14.026.30 m h = 5. Se ar é liberado da água quando a carga pressão absoluta é menor que 1. Pressão atmosférica local igual a 92.0. 750 m e coeficiente de atrito f = H  0. 10^3 = 9.20 + (7.30^2  v = 1.

diâmetro de 0. tem-se: Z = 15 m DHAB/DHBC = (LAB.DAB) .0. LAB +LBC = 3000 m .562.20 DAB .Pág.15^2/4 .14 .562 .(LAB/DAB). na qual o ponto mais alto B está 2 m abaixo do nível d’água D 2g do reservatório superior A. pB/ = -2 m (abaixo da pressão atmosférica) LAB = 1.20 m e o trecho BC.537 C 2.20). 0. LAB = ? .DBC/LBC.Dividindo (1) por (2).364 = LAB/(3000-LAB) .vBC  vAB = 0.v^2/2g = 4 (1) comprimento total da tubulação é 3000 m. E ainda Q = 3.14. vAB^2/vBC^2 4/11 = (LAB/(3000-LAB)). Determine o maior valor do comprimento AB para que a carga de pressão em B não seja maior que 2 mH20 DHBC = f. vBC A h=2 m vAB = (0. O DHAB = f. vAB = 3. 121 numero 4.817. (0. 0.13 L v2 Dois reservatórios têm uma diferença de nível igual a 15 m e são conectados por H  f uma tubulação ABC.vBC)^2/vBC^2 DB C =0 0.15 m.v^2/2g = 11 (2) abaixo da pressão atmosférica.15 m LAB/(3000-LAB) = 1.609.537.15/0.20^2/4 . e o fator de atrito é o mesmo para os dois trechos.LAB = 4.316 .15/0. O trecho AB tem diâmetro de 0.75 .87 DADOS: Q = ? .0.20 . 0.(LBC/DBC).05 m a) Determinação da perda de carga CPA = CPB + DHAB  2 = -2 + DHAB  DHAB = 4 m 43 . vBC m B y=-2 m = 0.

e descarregando na atmosfera.0.785.5 ( k  f .05))^0.14 a) Determinação das áreas Um tanque cilíndrico aberto de 1.14.L / D)   = 2.14. Reservatório: AR = 3.5)/(2.14.723 .0.5 – (1)^0.((2)^0.14.366 k = 0.0 m de diâmetro está sendo esvaziado por um tubo de 50 mm de diâmetro e 4.4/0.025.0 m para 1.5.6/(1+0.5 L = 4 f= m c) Tempo necessário para o abaixamento de z = 2m a 1 m D=1m 0. 0. 05 m t = 2.5+0. com entrada em aresta viva.0 m. 02 a=2m 5 Z=1m 2 A1[ Ho  H ] t  .785 m2 K = 0.DR^2/4 = 3. 121 numero 4.(1  A1 / A2 ) D = 0.Pág.05^2/4 = 0. Determine o tempo necessário para que a diferença entre o nível d’água no tanque e o nível da saída do Tubulação: AT = 3.002) = t = 331.0 m de comprimento.025. para o qual f = 0. b) Perda de carga localizada e distribuída t=0 2g  = (19.0. At .1^2/4 = 0.366.DT^2/4 = 3.002 m2 tubo caia de 2.414 t = 137 ~ 140 segundos 44 .

com fator de atrito f = 0. 121 numero 4.98/0.40 m2  k = 0.506.5 – 2.14*0.4 m2 e outro de área igual a 2g 3. se a diferença de nível inicial entre eles é de 1.0019625.50 m = 2 A1[ Ho  H ] 12 t f= 5 m  . na  = 0.7 = 0.5 diâmetro.5 m.7) = 0.4 / 3.5 e na saída K = 1.030.050 m f = 0.50m D = 0. At .5 + 0.05))^0. um de área igual a 7.030 A1 = 7.4 – 2. 05 m t = 6.6 segundos DADOS: t ~ 39 minutos Ho = 1.3 m3 de água seja transferido do tanque maior para o menor.15 a) Determinação dos parâmetros Dois reservatórios prismáticos.5 A2 = 3.567 m b) Tempo necessário para o abaixamento de z = 2m a 1 m k = 0.7 m2 L = 125 m 45 . Coeficientes de perda de carga.5 + 1.5  0.Pág.030*125/0.L / D) volume de 2.0 = 1.506 entrada K = 0.(1  A1 / A2 ) 0.6/(1.05^2/4 = 0.567 ] t D 0. t=0 At = 3.14*D^2/4 = 3. Determine o tempo necessário para que um ( k  f .00297 k = 1.0.3/3.4[ 1.3/7.5 L Ho = 1.7 m2.0 t = 2343.0. estão ligados por uma tubulação de 125 m de comprimento e 50 mm de  = (19.0019625 m2 H = Ho – volume/Áreas = 1.(1  7. 03 0 2 * 7.

LBD = LBC = 150 m 46 .024) A  QAB = (7.557. As extremidades QBDfic = QBC = (Qm + Qj)/2 = (Qm + Qm/2)/2 dos dois trechos estão na mesma cota geométrica e 15 m abaixo do nível d’água do reservatório.311.0827.0.2^5 + 150(3/7. QBC elemento de comprimento dL e depois fazendo a integração de 0 a L (de B até D): b) Determinação da vazão no trecho AB (QAB) DHAB + DHBC = 15 m 0.076 Z = 15 m B QBC = 0. 122 numero 4.f.QBC^2/D^5  Qf = QBC uniformemente distribuídas ao longo de seu comprimento.0827.300. segundo determinando a perda de carga distribuída em um QAB = QBC + Qm = QBC + 4/3.024.16 a) Determinação das relações entre as vazões nos trechos Um reservatório alimenta uma tubulação de 200 mm de diâmetro e 300 m de QAB = QBC + QBDfictícia comprimento.15^5] = 15 937.QBC  QAB = 7/3 .436/1.024 LAB = 300 m . a qual se divide em duas tubulações de 150 mm de diâmetro e 150 m de comprimento.5  QAB = 0. como o da figura abaixo. QBC  QBC = 3/7 .Qf^2/D^5 = 0. Calcule a vazão em cada trecho adotando f = 0.f.033 m3/s d) Determinação da vazão no trecho BD (QBD) Qf = QBD = 4/3 .024[300QAB^2/0.L. f = 0.500.20 m . Qf = QBC = ¾ . Qm e como: Resolva o problema de duas maneiras: primeiro.L.79)^0. desprezando as perdas localizadas e a carga cinética nas tubulações.043 m3//s Dados: DAB = 0.15 m .076 m3/s c) Determinação da vazão no trecho BC (QBC) QAB = 7/3 . Ambos os trechos estão totalmente DHBD = DHBC abertos para a atmosfera nas suas extremidades. DBC = DBD = 0.033 C D QBD = 0. O trecho BD possui saídas 0.Pág.0. usando no trecho BD o conceito de vazão fictícia e. 0.811.QAB)^2/0. QBC = 4/3 .QAB^2 + 362.0827. de maneira que metade da água que entra é descarregada ao longo de seu comprimento. 0.0827.QAB^2 = 15/(0.79.

Resolva o problema A = 3. At .42 e observando que. abre-se o registro colocado em A.0 m e A a área do reservatório.(1  A1 / A2 ) cima para baixo a partir da cota 5.5 = 0. Despreze as perdas de carga localizadas na tubulação. a vazão que entra no reservatório é 2 A1[ Ho  H t .20))^0. b) Determinação do tempo de enchimento do reservatório b) Utilizando a Equação 2.39 observando que.626 Estando inicialmente vazio e reservatório. no caso. 122 numero 4.0314.0 t = 37.0 5.14 .626.L / D) Calcular o tempo necessário para o enchimento completo do reservatório o fator de atrito da tubulação seja constante. pela equação da continuidade.17 a) Determinação dos parâmetros De uma represa mantida em nível constante sai uma tubulação de ferro fundido novo.D^2/4 = 3.10.14. em que h é uma ordenada marcada positiva de  .6/(0+0. conforme a figura. ( k  f . 0.((5)^0. que termina no fundo de 2g um reservatório prismático de 10 m2 de área e 5 m de altura.  = (19.020. tem-se A1>>>A2 = 10 m2.Pág. com valor médio f = 0.0.(1+0)) = 2274.0 00 m D= 200 A mm 47 .5 – (0)^0.20^2/4 = 0.A dh/dt. de 200 mm de diâmetro e 500 m de comprimento.80 s 5. t = 2.90 minutos ou t = 38 minutos L=5 0.0314 m2 de duas maneiras distintas: a) utilizando a Equação 4. A1 >>>A2 = 10 m2 dada por Q = .5)/((0.500/0.020. em um tempo qualquer t.

CAPÍTULO 5 CAPÍTULO 5 48 .

00 y = -0. Conclusão: Uma pesquisa de preço de tubos. 20.0022 49.936.34 0. Determine o diâmetro econômico de recalque.146.52 11. para 150 < D < 500 mm levou à seguinte relação entre diâmetro e custo: Custo (R$/m) = 0. d) material da tubulação ferro fundido classe K7.522.77 0.761.042.95 11.000.034.00 e) número de horas de funcionamento diário T = 16 h. Hg (m)= 48 n= 0.022. f) número de dias de funcionamento no ano N = 365.a. 131 exemplo 5.958. 30.00 h) rendimento adotado para a bomba  = 70%.11 13.75 53.0003 48.63 500 203. 40.724.08 27.30 11.081. por unidade de comprimento.0041x 3 + 4. rugosidade  = 0.1 60.69 16. 150 200 250 300 350 400 450 500 i) rendimento adotado para o motor  = 85%.6802x 2 .0048 52.56 0.677.136.00 Custo total anual (R$) O projeto de um sistema de elevatório para abastecimento urbano de água deverá ser feito a partir dos seguintes dados: 50.636.068.70 26.031 (A) (B) © (D) (E) (F) (G) Diâmetro Rey J H=Hg+JL Custo anual Custo Custo (mm) (m/m) (m) bombeamento anual tub total 150 679.448.0011 48.90 400 254. coluna E + coluna F.84 0.983.0124 58.166.37 0.4 mm.56 19.21 24.84 19. indicando que o valor mínimo da soma (custo total).360. D (mm) j) preço do quilowatt-hora A = R$ 0.85 T (h) = 16 preço (kwh)= 0.483.000.0396 82.655. D(mm)^1.557.90 450 226.87 14.158.80 10.1790 205.489.540.455.7 L rec (m) = 880 nm = 0.50 49.27 350 291.97 200 509.Pág.14 38.000.83 49 . g) taxa de interesse e amortização do capital 12% a.042 As colunas G e A da tabela anterior foram postas em forma gráfica.0006 48.01 300 339.42 22.00 c) comprimento da linha de recalque L = 880 m.82 7.166.310.927 a) vazão necessária Q = 80 l/s. e (mm) = 0.902.574.000.34 31.093.67 0.4.90 11.16 25.22 28.22 4.21 12.90 250 407.12 0.5x + 207628 R2 = 0.4 N= 365 ocorre para um diâmetro de 250 mm que deverá ser adotado para o Q (l/s) = 80 i (%) = 12 diâmetro econômico das instalações de recalque.1648.21 34.031.42 0.385. b) altura geométrica a ser vencida Hg = 48 m.028.000.

146 exemplo 5.2 Uma bomba KSB-MEGANORM.Pág. independentes da vazão. Uma bomba centrifuga.015 está ligada ao em paralelo com a bomba original. está conectada a um sistema de elevação de água que consta b) Sendo necessário aumentar a vazão pela adição de uma segunda bomba de duas tubulações em paralelo e dois reservatórios. b) as vazões em cada tubulação da associação.020. na rotação de 1750 rpm. está ligada ao reservatório com associações. b) Trace a curva característica adimensional da bomba.030.10 m de diâmetro. c) a potência necessária à bomba. Assumindo que os fatores de atrito sejam constantes. com rotor de diâmetro igual a 162 mm (R=81 mm). com rotação igual 1750 rpm e curva característica dada a) Determine a vazão recalcada e a potência consumida pela bomba.5 m. 142 exemplo 5. f).000 m. determine: a) o ponto de funcionamento do sistema.4 As características de uma bomba centrífuga. em uma certa rotação constante. modelo 32-160. de 0. c) Qual o ponto de funcionamento (homólogo de A) de uma bomba geometricamente semelhante a esta.25 m. H = 9. O reservatório inferior tem nível d’água na cota 780. do acréscimo de vazão e a potência consumida por ambas as bombas nas comprimento de 900 m e fator de atrito f = 0. trabalha no ponto A recalcando uma vazão Q = 10 m3/h com altura de elevação H = 10.5 m (ver figura). por meio de uma tubulação de 0. com uma rotação igual e diâmetro do rotor igual a 172 mm.10 m de idêntica à outra. Dados: D = 162 mm. comprimento de 360 m e fator de atrito f = 0.0 m. Pág.15 m de diâmetro. 65 m de Pág. são dadas na tabela abaixo: a) Determinação do tipo da bomba O tipo da bomba pode ser calculado pela determinação da rotação específica A bomba é usada para elevar água vencendo uma altura geométrica de 6. e a outra. 138 exemplo 5.525 .00 m. Uma tubulação de 0. n = 0. investigue se a nova bomba deve ser instalada em série ou diâmetro. 50 . Justifique a resposta pela determinação reservatório com nível d’água na cota 800. Q = 14 m3/h. nível d’água na cota 810.3 comprimento e fator de atrito f = 0. a) Classifique o tipo da bomba. pela tabela a seguir.