You are on page 1of 4

NÚCLEO DE CRIMINOLOGIA E DE POLÍTICA CRIMINAL

Datas das reuniões ordinárias: 18/10/17, 29/11/17, 28/02/18, 28/03, 25/04, 30/05, 27/6, 29/8,
26/9, 24/10 e 28/11, sempre na última quarta-feira do mês, às 19:00h, na sala 316.

Leituras obrigatórias para a primeira reunião (29/11, quarta-feira, às 19:00h):
BATISTA, Vera Malaguti. Introdução Crítica à Criminologia Brasileira. Rio de Janeiro:
Revan, 2011. (Mateus)
GALEANO, Eduardo. De Pernas pro Ar. A Escola do Mundo ao Avesso. Trad. Sérgio
Faraco. Porto Alegre: L&PM, 1999. (Gisele e Jaqueline)
ZAFFARONI, Eugenio Raúl. A Questão Criminal. Trad. Sérgio Lamarão. Rio de Janeiro:
Revan, 2013. (Paulo e Thiago Cota)

Linhas de pesquisa:

1) A CRIMINALIZAÇÃO DO PROTESTO SOCIAL – 04/04

Leitura obrigatória:

GARGARELLA, Roberto. El Derecho a la Protesta, el primer derecho. Buenos Aires: Ad-
Hoc, 2007. (Denise e Gisele)
BUDÓ, Marília De Nardin. Mídia e Controle Social. Da construção da criminalidade dos
movimentos sociais à reprodução da violência estrutural. Rio de Janeiro: Revan, 2013. (Ana
Júlia)

Leitura complementar:

ARTIGO 19 BRASIL. Protestos no Brasil 2013. Disponível em:
<http://www.artigo19.org/protestos/Protestos_no_Brasil_2013.pdf>.
BERTONI, Eduardo (compilador). ¿Es legítima la criminalización de la protesta social?:
Derecho Penal y libertad de expresión en América Latina. Buenos Aires: Universidad de
Palermo, 2010.
BUDÓ, Marília de Nardin et al. Violência e criminalização: o discurso das revistas época,
carta capital e veja na construção da identidade da tática black bloc. Anais do IV Seminário
Direito, Pesquisa e Movimentos Sociais. Curitiba, 2014.
BUSATO, Paulo César; et al. 29 de abril: reflexões sobre as manifestações no centro cívico
de Curitiba-PR. Disponível em:
<http://www.sistemacriminal.org/site/index.php/publicacoes/livros/433-29-de-abril>.
GOHN, Maria da Glória. Movimentos sociais e redes de mobilizações civis no Brasil
Contemporâneo.7ª ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2013.
VITA, Leticia; BEADE, Gustavo A (coord.) Criminalizacón de la protesta – La respuesta
del Estado frente a los reclamos ciudadanos. Buenos Aires: Ad-Hoc, 2015.

1999. violência. Masculino e Feminino I: o pensamento da diferença. In: CAMPOS. 191-207. Rio de Janeiro: Lumen Juris. Luís Felipe. Flávia. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo.Criminologia e feminismo. (Marcela e Thiele) SAFFIOTI. Soraia da Rosa. 12. A dominação masculina.ZAFFARONI.31-48. B. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.scribd. A Tentativa do (Im)Possível: Feminismos e Criminologias. “Criminologia e feminismo: da mulher como vítima à mulher como sujeito”. HÉRITIER. 2004. 2010. “A mulher enquanto metáfora do direito penal”. CAMPOS. Gênero. patriarcado. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo. La protesta social es un derecho que no puede ser criminalizado. 2000. Françoise. ANDRADE. Raúl Eugenio.com/doc/167933041/PitrolaZaffaronidebate>. Rio de Janeiro: Instituto Carioca de Criminologia. 9/10. In: Estudos Feministas. In: CAMPOS. 1º e 2º semestres. jan-abr/2013. Lisboa: Instituto Piaget. TIBURI. In: Discursos Sediciosos – Crime Direito e Sociedade. MIGUEL. 2015. SAFFIOTI. Heleieth I. p. Criminologia e feminismo. Alessandro. 21(1). Heleieth I. (Josiane e Eliana Faustino) SARTI.). Salo de. Porto Alegre: Sulina. Feminismo e contexto: lições do caso brasileiro. Carmen Hein de. Disponível em: <http://pt. Carla Marrone. (Camila) Leitura complementar: ALIMENA. BUGLIONE. “O paradigma de gênero: da questão criminal à questão humana”. 1999. Criminologia feminista: novos paradigmas. Rio de Janeiro: Lumen Juris. In: CAMPOS. ed. (Camila) BIROLI. Lei Maria da Penha comentada em uma perspectiva jurídico-feminista. São Paulo: Boitempo. Márcia. 2014. 2) CRIMINOLOGIA E FEMINISMO – 25/04 Leitura obrigatória: BARATTA. 143-169. “Tensões atuais entre a criminologia feminista e a criminologia crítica: a experiência brasileira”. p. CARVALHO. patriarcado. 2011. Pierre. Vera Regina Pereira de. Diadorim: Biopolítica e Gênero na Metafísica do Sertão. p. Carmen Hein de (Coord. Porto Alegre: Sulina. B.). Carmen Hein de (Org. In: Cadernos Pagu (16) 2001: pp. Palestra proferida em 1° de novembro de 2007 na UBA. Cyntia. Carmen Hein de. violência. p. São Paulo: Saraiva. Florianópolis. 105-117. . 2014. Samantha. Gênero. 203-219. Ano 5. 19-80. MENDES. 2004. Feminismo e Política – uma introdução. BOURDIEU. v.

A palavra dos mortos – Conferências de criminologia cautelar. Crime. Vol. Eugenio Raúl. p. Disponível em: <http://www. 4) SEGURANÇA PÚBLICA .ufpr. Disponível em: <http://acervodigital. (Heloísa) . 2015.pdf>. Dissertação de Mestrado PPGD-UFPR. Mal-estar de Arquivo: As polícias como Arquivistas do Soberano. Mariel. Mídia e sistema penal no Capitalismo Tardio.29/08 Leitura obrigatória: SÁ. São Paulo: CLADEM. “A mulher e o poder punitivo”.pt/pag/batista-nilo-midia-sistema-penal. violência e segurança: um estudo de caso da campanha paz sem voz é medo do Jornal Gazeta do Povo.ufpr. In: Mulheres: vigiadas e castigadas.Tese de doutorado. Mídia e sistema penal: as distorções da criminalização nos meios de comunicação. Helena Schiessl. p.(Clayton) MORETZSOHN.br/bitstream/handle/1884/30132/R%20-%20D%20- %20MARIEL%20MURARO. Rio de Janeiro: Revan. (Clayton) Leitura complementar: GOMES.br/publicacao/pesquisa-detecta-numero-surpreendente-de-violacoes-de- direitos-e-infracoes-leis-em>. Eugenio Raúl. Nilo. ZAFFARONI. Jornalismo em tempo real: o fetiche da velocidade. Marcus Alan. 2004.ufpr. ed. 2012. Disponível em:http://acervodigital. 3) CRIMINOLOGIA MIDIÁTICA – 30/05 Leitura obrigatória: CARDOSO.andi. 2013. Discurso criminológico da mídia na sociedade capitalista: necessidade de desconstrução e reconstrução da imagem do criminoso e da criminalidade no espaço público. Sylvia. Rio de Janeiro: Revan. (Capítulos 2 e 3). MURARO. 174-234.br/bitstream/handle/1884/31922/R%20-%20T%20- %20PRISCILLA%20PLACHA%20SA. Universidade Federal do Paraná. 27/06 – APRESENTAÇÃO DO RESUMO DO PROJETO DE PESQUISA PARA A BANCA.br/bitstream/handle/1884/25722/Dissertacao%20Helena%20Schie ssl%20Cardoso. Disponível em: <http://www. 1. 23-38.pdf?sequence=1>. São Paulo: Saraiva. 1995. ZAFFARONI. Priscilla Placha.pdf?sequence=1 (Jaqueline) BATISTA.bocc.ubi.1. Disponível em: <http://acervodigital.pdf?sequence=1&isAllowed=y> Violações de direitos na mídia brasileira – guia de monitoramento.org.

2014. Salo de. Rio de Janeiro: Revan. (Juliana e Thiago) Leitura complementar: ZAFFARONI. Orlando. Criminología: Aproximación desde un margen. Política criminal de drogas no Brasil. 7) EVENTO DE APRESENTAÇÃO DAS PESQUISAS REALIZADAS – 28/11 8) NCPCINE.109-295. (Capítulos III. (Apenas a parte criminológica.9-298. Ana Luiza Pinheiro. 2007. Corpo negro caído no chão. São Paulo: Saraiva. Tortura policial no Brasil contemporâneo. p. IV e V) (Jean) 5) POLÍTICA CRIMINAL DE DROGAS .GONÇALVES. Rio de Janeiro: Lumen Juris. Rio de Janeiro: Contraponto. 2008. Vanessa Chiari. Eugenio Raúl. Bogotá: 2003.fazer um por semestre. (Camila e Thiele) 6) CRIMINOLOGIA E RACISMO – 31/10 Leitura obrigatória: FLAUZINA. parte I e II) (Paulo) ZACCONE. 6ª. Acionistas do nada. em datas a serem discutidas. 2013. ed.26/09 CARVALHO. . p. em reunião extraordinária e aberta ao público.