You are on page 1of 52

Universidade Potiguar

Curso de Fisioterapia
Disciplina: Práticas em Fisioterapia II

TESTE DE FORÇA MUSCULAR

Profª Esp. Marcielle Aline


FORÇA MUSCULAR

• É a capacidade de um músculo ou de um grupamento muscular de


gerar torque sobre uma articulação específica.
• É considerada a valência física mais importante, estando
intimamente envolvida com a capacidade funcional.

Valência Física – aspectos físicos que


determinam as condições físicas do indivíduo:
força, velocidade, flexibilidade, coordenação e
resistência anaeróbia.
POR QUE AVALIAR A FORÇA MUSCULAR?

• A mensuração da força muscular é fundamental para a avaliação


funcional dos indivíduos, sendo utilizada na prática clínica com
diversos objetivos, dentre eles o diagnóstico funcional para
avaliação da melhora ou piora ao longo do tempo, e como
medida preditiva ou prognóstica para a ocorrência de quedas e
de limitações na realização de atividades de vida diária.
• Determinar a força funcional do músculo e os graus de fraqueza
muscular que resultam de doença, lesão ou desuso.
ELEMENTOS E FATORES QUE PODEM INFLUENCIAR
NA AVALIAÇÃO DA FORÇA MUSCULAR:
ELEMENTOS INTERNOS ELEMENTOS EXTERNOS FATORES NEURAIS

Secção transversa da fibra Número de unidades


Hora do dia
muscular motoras ativas
Número de fibras
Método de treinamento Frequência de disparos
musculares,
Velocidade de contração Coativação dos músculos
Motivação
das fibras musculares antagonistas

Tipo de fibra muscular Nutrição

Coordenação Doping

Gênero

Idade
(Eichinger, F L F et al, 2015)
FORÇA MUSCULAR

A força muscular pode ser avaliada através de:

• Dinamometria
• Teste Manual de Força
DINAMÔMETRO

• Equipamento que permite a mensuração da força aplicada em um


sistema baseado em células de carga. Servem, assim, para estabelecer
parâmetros confiáveis na mensuração da força muscular a medida que
se torna difícil identificar pequenas variações na graduação desta
durante o exame físico.

• Serve para avaliar a força muscular isométrica (estática) do indivíduo,


podendo ser realizados testes de dinamometria torácica, dorsal, dos
membros inferiores e de preensão manual
OBJETIVOS DA DINAMOMETRIA

1. Análise da técnica de movimento;

2. Análise da condição física;

3. Controle da sobrecarga;

4. Influência de fatores externos;

5. Influência de fatores internos;

6. Monitoramento de atletas;

7. Indicadores para detecção de

talentos esportivos.
TESTE DE FORÇA MUSCULAR MANUAL

• O teste manual é um instrumento importante para diagnóstico e


prognóstico de distúrbios musculoesqueléticos, exigindo a melhor
diferenciação possível das ações dos músculos, pois raramente um
músculo realiza uma ação sozinho, sendo que outros fazem a mesma
função.
• Este teste pode ser classificado em 5 graus: 0 (sem contração muscular)
5 (contração máxima).
• É uma avaliação subjetiva!
CLASSIFICAÇÃO DA FORÇA MUSCULAR:
COMO AVALIAR O TESTE DE FORÇA MUSCULAR MANUAL?

• Conhecimento anatômico, fisiológico e biomecânico das posições e


da estabilização dos músculos esqueléticos;
• Habilidade na palpação e na aplicação da resistência;
• Orientação minuciosa para cada movimento;
• Conhecimento da função de cada músculo (sinergista, antagonista);
• Observar diferenças no contorno e volume dos músculos em relação
ao lado contralateral ou a padrões normais;
• Adesão a um método padronizado para classificar a força muscular.
CRITÉRIOS PARA REALIZAR O TESTE DE FORÇA MUSCULAR

• POSIÇÃO DO PACIENTE:
Depende do músculo testado, sua força geral e a condição geral do indivíduo.

• FIXAÇÃO DO PACIENTE
Firmeza ou estabilidade do corpo são necessárias para assegurar uma prova
precisa de qualquer músculo ou grupo muscular. O peso corporal pode
fornecer a fixação necessária. O fisioterapeuta pode estabilizar a parte
proximal do segmento nas provas dos músculos dos dedos, punho, artelhos e
pé, nas outras provas o peso corporal deve ajudar a estabilizar a parte
proximal.
CRITÉRIOS PARA REALIZAR O TESTE DE FORÇA MUSCULAR

• POSIÇÃO DA PROVA
É a posição na qual o segmento a ser testado é colocado pelo fisioterapeuta e
mantida (se possível) pelo paciente. O movimento da prova é um movimento da
parte do segmento em uma direção especificada e através de um arco de
movimentação especificado.

• RESISTÊNCIA DA PROVA
É uma força utilizada pelo fisioterapeuta para determinar a força do músculo
mantendo-se em posição de prova. A pressão é aplicada próximo à extremidade
distal da parte da qual o músculo está inserido. A quantidade de pressão varia de
acordo com o tamanho do paciente, à parte a ser testada, e a alavancagem.
CRITÉRIOS PARA REALIZAR O TESTE DE FORÇA MUSCULAR

• SUBSTITUIÇÃO
 Quando um grupo muscular tenta compensar a falta de função de
um músculo fraco ou paralisado. Músculos que atuam juntos em
determinados movimentos podem atuar em substituição. Para
anular a substituição, existe a posição correta para o
posicionamento do músculo para anular a ação do outro.
 Estes músculos incluem músculos de fixação, agonistas e
antagonistas.
 Para provas musculares manuais não devem ser permitidas
substituições.
TESTE DE FORÇA MUSCULAR

COLUNA VERTEBRAL
EXTENSÃO CERVICAL

Posição do paciente: decúbito ventral,


com a cabeça fora da maca.

Posição do Fisioterapeuta: lateral do


paciente.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar extensão da cervical (movimento
ativo).
2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a
extensão de cervical aplicando uma
resistência contra o movimento.
FLEXÃO CERVICAL

Posição do paciente: decúbito dorsal.

Posição do Fisioterapeuta: lateral do


paciente.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar flexão da cervical (movimento
ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a


flexão da cervical aplicando uma resistência
contra o movimento.
EXTENSÃO DE TRONCO

Posição do paciente: decúbito ventral,


com as mãos apoiadas na cabeça.

Posição do Fisioterapeuta: lateral do


paciente.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar extensão do tronco (movimento
ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a


extensão do tronco aplicando uma
resistência contra o movimento.
FLEXÃO DE TRONCO

Posição do paciente: decúbito dorsal, com


os membros superiores ao longo do corpo.

Posição do Fisioterapeuta: lateral do


paciente.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar flexão do tronco (movimento
ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a


flexão do tronco aplicando uma resistência
contra o movimento.
FLEXÃO LATERAL DO TRONCO

Posição do paciente: decúbito dorsal, com


as mãos apoiadas na cabeça ou cruzadas
sobre o tórax.

Posição do Fisioterapeuta: lateral do


paciente.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar flexão lateral de tronco
(movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a


flexão lateral de tronco aplicando uma
resistência contra o movimento.
TESTE DE FORÇA MUSCULAR

MEMBROS SUPERIORES
FLEXÃO DO OMBRO
(Deltóide anterior, Supra-espinhoso, Coracobraquial)

Posição do paciente: sentado, eleva o membro superior até altura do


ombro

Posição do Fisioterapeuta: lateral do paciente, uma mão aplica uma


resistência no úmero, acima do cotovelo e a outra mão estabiliza o ombro.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar flexão do ombro (movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente,


a flexão do ombro aplicando uma resistência
contra o movimento.
EXTENSÃO DO OMBRO
(Grande dorsal, Redondo maior, Deltóide posterior)

Posição do paciente: em decúbito ventral ou sentado.

Posição do Fisioterapeuta: lateral do paciente, uma mão


aplica uma resistência no úmero, acima do cotovelo.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para realizar


extensão do ombro (movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a


extensão do ombro aplicando uma resistência
contra o movimento.
ABDUÇÃO DO OMBRO
(Deltóide médio e Supra-espinhoso)

Posição do paciente: sentado.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, por trás do


paciente, uma mão aplica uma resistência no
úmero, acima do cotovelo e a outra mão
estabiliza o ombro.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar abdução do ombro (movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a


abdução do ombro aplicando uma resistência
contra o movimento.
ABDUÇÃO HORIZONTAL DO OMBRO
(Deltóide posterior)

Posição do paciente: decúbito ventral.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do


paciente, uma mão aplica uma resistência no
úmero, acima do cotovelo e a outra mão
estabiliza a escápula.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar abdução horizontal do ombro
(movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a


abdução horizontal do ombro aplicando uma
resistência contra o movimento.
c
ADUÇÃO HORIZONTAL DO OMBRO
(Peitoral maior)

Posição do paciente: decúbito dorsal.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do


paciente, uma mão aplica uma resistência no
punho e a outra mão é posicionada no peitoral
maior .

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar adução horizontal do ombro
(movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a adução


horizontal do ombro aplicando uma resistência
contra o movimento.
ROTAÇÃO EXTERNA DO OMBRO
(Infra-espinhoso e Redondo menor)

Posição do paciente: sentado ou em decúbito


dorsal, com ombro abduzido a 90º e cotovelo
fletido a 90º

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do


paciente, uma mão aplica uma resistência no
punho e a outra mão é posicionada para
estabilizar o cotovelo.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar rotação externa do ombro (movimento
ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a rotação


externa do ombro, aplicando uma resistência
contra o movimento.
ROTAÇÃO INTERNA DO OMBRO
(Subescapular)

Posição do paciente: sentado ou em decúbito


dorsal, com ombro abduzido a 90º e cotovelo
fletido a 90º

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do


paciente, uma mão aplica uma resistência no
punho e a outra mão é posicionada para
estabilizar o cotovelo.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar rotação interna do ombro (movimento
ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a rotação


interna do ombro, aplicando uma resistência
contra o movimento.c
FLEXÃO DE COTOVELO
(Bíceps, Braquial e Braquiorradial)

Posição do paciente: sentado ou em decúbito


dorsal, com os braços ao longo do corpo.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do


paciente, uma mão aplica uma resistência no
punho e a outra mão é posicionada para
estabilizar o ombro.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar flexão de cotovelo (movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a flexão de


cotovelo, aplicando uma resistência contra o
movimento.
EXTENSÃO DE COTOVELO
(Tríceps braquial)

Posição do paciente: sentado, ombro abduzido


horizontalmente a 90º e cotovelo fletido a 90º .

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do


paciente, uma mão aplica uma resistência acima
do cotovelo e a outra mão acompanha o
movimento do antebraço, estabilizando o punho.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar extensão de cotovelo (movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a extensão


de cotovelo, aplicando uma resistência contra o
movimento.
SUPINAÇÃO DO ANTEBRAÇO
(Supinador e Bíceps braquial)

Posição do paciente: sentado, braço ao longo do


corpo com cotovelo fletido a 90º e antebraço
pronado.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do


paciente, estabiliza o cotovelo e a outra mão
aplica uma resistência, segurando o antebraço
pela superfície palmar ao nível de punho.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar supinação do antebraço(movimento
ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a


supinação do antebraço, aplicando uma
resistência contra o movimento.
PRONAÇÃO DO ANTEBRAÇO
(Pronador redondo e Pronador quadrado)

Posição do paciente: sentado, braço ao longo do


corpo com cotovelo fletido a 90º e antebraço
supinado.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do


paciente, estabiliza o cotovelo e a outra mão
aplica uma resistência, segurando o antebraço
pela superfície palmar ao nível de punho.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar pronação do antebraço(movimento
ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a pronação


do antebraço, aplicando uma resistência contra o
movimento.
FLEXÃO DE PUNHO
(Flexor radial do carpo e Flexor ulnar do carpo)

Posição do paciente: sentado ou em decúbito


dorsal, braço ao longo do corpo com a mão em
supinação.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do


paciente, estabiliza o punho e a outra mão aplica
uma resistência na região palmar e dedos.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar flexão de punho (movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a flexão de


punho, aplicando uma resistência contra o
movimento.
EXTENSÃO DE PUNHO
(Extensor longo e curto radial do carpo e Extensor ulnar do carpo)

Posição do paciente: sentado ou em decúbito dorsal, braço ao longo do corpo com a mão em
pronação.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do paciente, estabiliza o punho e a outra mão


aplica uma resistência na região dorsal da mão.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para realizar extensão de punho (movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a extensão de punho, aplicando uma resistência


contra o movimento.
FLEXÃO DE DEDOS
(Lumbricais e Interósseos)

Posição do paciente: sentado ou em decúbito


dorsal, braço ao longo do corpo com a mão em
supinação.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do


paciente, estabiliza o punho e a outra mão aplica
uma resistência sobre a superfície da região
palmar, nas articulações metacarpofalangeanas.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar flexão de dedos (movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a flexão de


dedos, aplicando uma resistência contra o
movimento.
EXTENSÃO DE DEDOS
(Extensor dos dedos, do indicador e do dedo mínimo)

Posição do paciente: sentado ou em decúbito dorsal, braço ao longo do corpo com a mão em
pronação.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do paciente, estabiliza o punho e a outra mão


aplica uma resistência sobre a superfície da região dorsal, nas falanges proximais
imediatamente distais as articulações metacarpofalangeanas.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para realizar extensão de dedos (movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a extensão de dedos, aplicando uma resistência contra
o movimento.
ABDUÇÃO DOS DEDOS
(Interósseos dorsais)

Posição do paciente: sentado ou em decúbito


dorsal, braço ao longo do corpo com a mão em
pronação.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do


paciente, estabiliza o punho e a outra mão aplica
uma resistência sobre a superfície lateral dos
dedos.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar abdução dos dedos (movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a abdução


dos dedos, aplicando uma resistência contra o
movimento.
ADUÇÃO DOS DEDOS
(Interósseos palmares)

Posição do paciente: sentado ou em decúbito


dorsal, braço ao longo do corpo com a mão em
pronação e dedos aduzidos.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do


paciente, aplica uma resistência sobre a superfície
lateral de dois dedos contíguos, na direção da
abdução para cada dedo testado.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar adução dos dedos (movimento ativo),
parte de uma abdução de dedos;

2º) Fisioterapeuta solicita, a abdução dos dedos, e


aplica uma resistência contra o movimento, isto é,
o paciente terá que aduzir os dedos e não deixar o
Fisioterapeuta vencer a resistência aplicada.
TESTE DE FORÇA MUSCULAR

MEMBROS INFERIORES
FLEXÃO DO QUADRIL
(Psoas maior e ilíaco)

Posição do paciente: sentado, com joelho fletido


a 90º.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do


paciente, aplica uma resistência sobre a superfície
anterior da coxa, acima da articulação do joelho.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar flexão de quadril (movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a flexão de


quadril, aplicando uma resistência contra o
movimento.
FLEXÃO, ABDUÇÃO E ROTAÇÃO EXTERNA DO QUADRIL COM FLEXÃO DE JOELHO
(Sartório)

Posição do paciente: sentado, com joelho fletido a 90º.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do paciente, uma mão aplica uma resistência
sobre a superfície lateral do joelho e a outra mão apoia a superfície medial anterior do terço
distal da perna.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para realizar


flexão, abdução e rotação externa do quadril
(movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a flexão, abdução e


rotação externa do quadril, aplicando uma resistência
contra o movimento.
EXTENSÃO DO QUADRIL
(Glúteo máximo e Músculos posteriores da
coxa)

Posição do paciente: decúbito ventral.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral do


paciente, aplica uma resistência sobre a
superfície posterior da coxa, acima da
articulação do joelho e a outra mão estabiliza o
quadril do lado avaliado.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar extensão do quadril (movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a


extensão do quadril, aplicando uma resistência
contra o movimento.
ABDUÇÃO DO QUADRIL
(Glúteo médio e mínimo)

Posição do paciente: decúbito lateral, parte de


uma adução de quadril.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, por trás do


paciente, aplica uma resistência sobre a
superfície lateral da coxa, acima da articulação
do joelho e a outra mão estabiliza o quadril do
lado avaliado.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar abdução o do quadril (movimento
ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a


abdução do quadril, aplicando uma resistência
contra o movimento.
ADUÇÃO DO QUADRIL
(Adutores magno, curto e longo, Pectíneo e Grácil)

Posição do paciente: decúbito dorsal, parte de uma


abdução.

Posição do Fisioterapeuta: de pé, na lateral paciente,


uma mão estabiliza a coxa e a outra mão apoia o
tornozelo, aplicando uma resistência medial,
impedindo o movimento.
.
Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para realizar


adução o do quadril (movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a adução do


quadril, aplicando uma resistência contra o
movimento.
ROTAÇÃO EXTERNA DO QUADRIL
(Obturadores interno e externo, Gêmeos
superior e inferior, Piriforme, Quadrado
femoral, Glúteo máximo [posterior]).

Posição do paciente: sentado.

Posição do Fisioterapeuta: sentado ou


ajoelhado do lado a ser avaliado. Uma mão
aplica resistência no tornozelo, acima do
maléolo medial e a outra estabiliza o joelho
lateralmente, evitando o movimento contrário.
.
Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar rotação externa do quadril (movimento
ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a rotação


externa do quadril, aplicando uma resistência
contra o movimento.
ROTAÇÃO INTERNA DO QUADRIL
(Glúteos mínimo e médio, Tensor da fáscia lata)

Posição do paciente: sentado.

Posição do Fisioterapeuta: sentado ou ajoelhado do


lado a ser avaliado. Uma mão aplica resistência no
tornozelo, acima do maléolo lateral e a outra estabiliza
o joelho medialmente, evitando o movimento
contrário.
.
Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para realizar


rotação interna do quadril (movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a rotação


interna do quadril, aplicando uma resistência contra o
movimento.
FLEXÃO DE JOELHO
(Músculos posteriores da coxa)

Posição do paciente: em decúbito ventral, pode


começar a partir de 45º de flexão de joelho.

Posição do Fisioterapeuta: em pé, na lateral do


paciente. Uma mão aplica resistência no
tornozelo e a outra mão estabiliza a coxa
posteriormente.
.
Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar flexão de joelho (movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a flexão


de joelho, aplicando uma resistência contra o
movimento.
EXTENSÃO DE JOELHO
(Quadríceps femoral)

Posição do paciente: sentado.

Posição do Fisioterapeuta: em pé, na lateral do


paciente. Uma mão aplica resistência na
superfície anterior da perna distal, acima da
articulação do tornozelo e a outra mão estabiliza
a coxa posteriormente, acima da linha poplítea.
.
Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar extensão de joelho (movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a


extensão de joelho, aplicando uma resistência
contra o movimento.
DORSIFLEXÃO E INVERSÃO DO PÉ
(Tibial anterior e Tibial posterior)

Posição do paciente: sentado.

Posição do Fisioterapeuta: sentado, na


lateral do membro avaliado. Uma mão
estabiliza a superfície medial da perna distal,
acima da articulação do tornozelo e a outra
mão aplica resistência no pé medialmente.
.
Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar dorsiflexão e inversão do pé
(movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a


dorsiflexão e inversão do pé, aplicando uma
resistência contra o movimento.
FLEXÃO PLANTAR E EVERSÃO DO PÉ
(Fibulares longos e curtos)

Posição do paciente: sentado.

Posição do Fisioterapeuta: sentado, na lateral


ou na frente do membro a ser avaliado. Uma
mão aplica resistência na superfície medial da
perna distal, acima da articulação do tornozelo
e a outra mão estabiliza o pé lateralmente.
.
Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar flexão plantar e eversão do pé
(movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a flexão


plantar e eversão do pé, aplicando uma
resistência contra o movimento.
FLEXÃO DO HÁLUX E DOS ARTELHOS
(Flexores longo e curto dos dedos e Flexor
longo do hálux)

Posição do paciente: sentado ou em decúbito


dorsal.

Posição do Fisioterapeuta: sentado, na lateral


ou na frente do membro a ser avaliado. Os
polegares aplica resistência na região plantar,
na base dos metatarsos e os outros dedos
estabiliza o pé, na região do dorso.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar flexão do hálux e dos artelhos
(movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a flexão


do hálux e dos artelhos , aplicando uma
resistência contra o movimento.
EXTENSÃO DO HÁLUX E DOS ARTELHOS
(Extensores longo e curto dos dedos e
Extensor longo do hálux)

Posição do paciente: sentado ou em decúbito


dorsal.

Posição do Fisioterapeuta: sentado, na lateral


ou na frente do membro a ser avaliado. Os
polegares aplica resistência na região do dorso,
na base dos metatarsos e os outros dedos
estabiliza o pé, na região plantar.

Teste de Força Muscular:

1º) Fisioterapeuta solicita ao paciente para


realizar extensão do hálux e dos artelhos
(movimento ativo);

2º) Fisioterapeuta solicita, novamente, a


extensão do hálux e dos artelhos , aplicando
uma resistência contra o movimento.