You are on page 1of 179

Guia GS + do Usuário

versão 10

+
G SS +
G e ooS Sttuma st ttsEu
t Eu c ssc ffff oorr tt hhee
E nnvvEu
r oornnm
m e nnttuma euSeuSccEu e nn
e cce ess
GAMA DESENHAR PROGRAMAS

Geoestatística acessíveis para Ciência diária


GS + •

geoestatística para

Ciências Ambientais

versão 10

Gamma Design de Software, LLC


Plainwell, Michigan 49080
gammadesign.com
direito autoral

• Copyright 1989-2015 Gamma Design de Software, LLC. Todos os Direitos Reservados número ISBN

0-9707410-0-6

As informações contidas neste documento estão sujeitas a alteração sem aviso prévio e não represen- tam um
compromisso por parte do Gamma Design de Software. O software descrito é fornecido sob um contrato de licença e
pode ser usado ou copiado apenas como especificado no contrato. Nenhuma parte deste documento pode ser
reproduzida de qualquer forma sem a permissão expressa por escrito da Gama Design de Software. Gamma
Software Design

PO Box 201
Plainwell, Michigan 49080
EUA

Citação
A citação apropriada para este documento é Robertson, GP de 2008. GS +: Geoestatística para as Ciências
Ambientais. Gamma Software Design, Plainwell, Michigan EUA.

marcas
Microsoft e Windows são marcas comerciais ou marcas comerciais registadas da Microsoft Corpo- ração. Surfer é
uma marca registrada da Software de Ouro, Inc. ArcView e Arc / Info são marcas registradas da ESRI, Inc. Outras
marcas e seus produtos são marcas comerciais ou marcas registradas de seus respectivos proprietários e devem
ser tratadas como tal. GS + é uma marca registrada da Gama Design de Software. janeiro 2015
Índice

Índice

Capítulo 1
Introdução
Visão geral................................................. .............................................. 1
Requisitos de sistema ................................................ .......................... 2
Instalação e ativação ............................................... ...................... 2
Atualizações ................................................. ............................................. 11
Licenciamento ................................................. ........................................... 12
Acordo de licença de usuário único ............................................. ........... 12

Capítulo 2 Introdução

A partir de dados para mapas: Como Proceder .......................................... ....... 14


Disposição Geral Tela ............................................... ....................... 14
Menus ................................................. ................................................ 15
Preferências de usuário ................................................ ............................... 22
Graph Settings ................................................ ................................... 28
Impressão, cópia, e Exportadores Gráficos ........................................... 34
Impressão, cópia, e Exportação planilha de dados ............................. 34
Usando Older-Version GS + Arquivos ............................................ ............... 34

Capítulo 3
Trabalhando com dados
A janela de dados Planilha .............................................. .............. 36
Atribuições coluna ................................................ ......................... 38
Valores covariável Aviso ............................................... ................... 40
Os valores em falta ................................................ ................................... 40
Filtro de Dados de diálogo ............................................... ................................. 41
Valores duplicados ................................................ ................................ 42

Capítulo 4
Importação de dados de arquivos externos
Arquivo Importar diálogo ............................................... ................................ 43
Importar arquivos de texto ............................................... ............................. 44
Texto formatos de arquivo de entrada

GS + ................................................. ............................................ 46
GeoEas ................................................. ...................................... 47
ArcView • XYZ ................................................. ............................ 48
Surfista • XYZ ................................................. ............................... 49
Planilha e banco de dados de entrada Arquivos ............................................. . 50
Formatos de arquivo de entrada (File Properties importação) ........................................ 51

Eu
Índice

Visualização de arquivos (File View janela) ........................................... .......... 52


Acrescentando dados para uma folha de cálculo existente (acréscimo de diálogo de dados) .... 52

capítulo 5
Resumo Estatísticas
Resumo Z Variável ............................................... ............................. 53
Distribuições de freqüência
Distribuição de frequência histogramas e Valores ............................ 55
Cumulativa Distribuição de frequência e de Valores ............................ 57
Probabilidade de distribuição normal e Valores ................................... 58
X, Y Coordenadas Resumo ............................................. ................... 61
Coordenar (Lotes quantil) Comentários
2-dimensionais dados .............................................. ..................... 62
1-dimensionais dados .............................................. ..................... 64
Definindo intervalos Destacamento ............................................... ........... 65
Análise de Regressão Tab ............................................... .................... 66
Cross-Variável Regressão Janela ............................................ 67
Valores de regressão ................................................ ..................... 68

Capítulo 6
Análise semivariância
Visão geral ................................................. .................................................. 68
A Janela Autocorrelação ............................................... ...................... 70
Definir Lag intervalos de classe irregulares ............................................. ..... 74
Variogramas Janela ................................................ .......................... 76
Semivariância Janela Valores ............................................... ............ 77
Isotrópicos Models variograma ............................................... ................ 78
O modelo esférico Isotrópica .............................................. ..... 81
O modelo exponencial Isotrópica .............................................. . 82
O Modelo Linear Isotrópica .............................................. .......... 83
O Modelo de Gaussian Isotrópica .............................................. ..... 84
Anisotrópica variograma Models ............................................... ........... 85
O modelo esférico anisotrópica .............................................. . 87
O modelo exponencial anisotrópica ........................................... 88
O Modelo Linear anisotrópica .............................................. ...... 89
O Modelo de Gaussian anisotrópica .............................................. . 89
Anisotrópica semivariâncias superfície (2-d Variograma Mapa) .................. 91
Cross-Autocorrelação ou cross-semivariâncias Análise ................... 94

Capítulo 7
Outras medidas de autocorrelação
Padronizados Variogramas ................................................ .................. 94
Madograms ................................................. ....................................... 96

ii
Índice

Rodograms ................................................. ........................................ 97


Deriva ................................................. .................................................. . 98
Correlogramas ................................................. ..................................... 99
Análise de covariância ................................................ ......................... 100
Geral Variogramas Relativa ............................................... ............ 101
Pairwise Variogramas Relativa ............................................... ........... 103
I Análise de Moran ............................................... ............................. 104
Análise Fractal ................................................ ................................ 106

Capítulo 8
Nuvens variância e h-scattergrams
Visão geral................................................. .......................................... 107
Variância Nuvens ................................................ ............................... 107
Pairs variância Nuvem ............................................... ........................ 111
h-scattergrams ............................................... ................................. 112
Pares h-scattergram .............................................. .......................... 115

Capítulo 9
Basics interpolação
Visão geral................................................. .......................................... 116
A Janela de interpolação ............................................... ................. 117
Limites Z Estimado ............................................... ...................... 121
Definindo uma interpolação grade regular ............................................. . 121
Definindo uma irregular interpolação Grade 123 ............................................
Polígono contornos (interpolação) Máscaras ........................................... 125
Mapa do esboço Polygon ............................................... ........................ 127
A validação cruzada e Análise Jackknife ........................................ 128
A validação cruzada e Jackknife Valores ........................................... 130

Capítulo 10
Simulação condicional
Visão geral................................................. .......................................... 131
Dados secundários para Simulações .............................................. ......... 133
Número de Simulações ............................................... ...................... 134

Capítulo 11
Kriging e cokrigagem
Kriging ................................................. ............................................. 135
Cokrigagem ................................................. ......................................... 137

Capítulo 12
Inverso da distância
Inverse (IDW) e Normal (NDW) Distância Ponderação ................... 140

iii
Índice

Capítulo 13
Interpolação Formatos de arquivo de saída
GS + (.krg) Formato ............................................ ................................ 142
ArcInfo • ou ArcView • (. asc) Formato ............................................... 143
Surfista • (. grd) Formato ............................................... ....................... 144
GSLIB (.out) Formato ............................................ ............................. 145

Capítulo 14
Mapping
A janela Mapeamento ............................................... ...................... 146
Intervalos mapa de contorno ............................................... ..................... 150
3-d Mapas .............................................. ........................................... 152
Desvio padrão ................................................ ............... 153
Rotação................................................. ................................... 154
2-d Mapas .............................................. ........................................... 155
Desvio padrão ................................................ ............... 155
Destacamento amostra ................................................ ....................... 156
Transectos (Mapas 1-d) ........................................... .......................... 157
Desvio padrão ................................................ ................. 157

Capítulo 15 Bibliografia .................................................. ........................................ 158

Capítulo 16 Glossário .................................................. ............................................... 161

Índice .................................................. .................................................. ... 169

iv
Capítulo 2 Introdução

Capítulo 1
Introdução

GS + é um g OE s programa de Análise tatistical que permite medir prontamente e IL-relações espaciais lustrate
em dados georreferenciados.

GS + analisa dados espaciais para autocorrelação e, em seguida, usa essas informações para fazer ótimas, mapas
estatisticamente rigorosos da área amostrada. Os mapas podem ser criados em GS + ou em outros programas de
mapeamento ou sistemas de informação geográfica.

Quando eu preciso de geoestatística?

Geoestatística é útil quando você precisa para fazer precisas, mapas estatisticamente rigorosos criados a partir de dados
incompletos - o que significa que sempre que você fazer um mapa para uma erty prop- que não podem ser
exaustivamente amostrados. Se você está mapeando depósitos de petróleo ou distribuições de plâncton, geoestatística
permite maior confiança nos valores interpolados para os locais não realmente amostrados.

As estatísticas fornecidas pelo GS +

GS + fornece análise de correlação espacial:

análise semivariância produz variogramas e diferentes tipos de modelos de variogramas, incluindo isotrópica

e anisotrópica variogramas; mapas de variograma anisotrópicos torná-lo fácil de reconhecer anisotropia;

h-scattergrams e variância nuvens fornecer uma maneira fácil de reconhecer valores discrepantes de dados;

Muitos outros tipos de medidas de autocorrelação, incluindo de Moran I, fractais, relograms cor-,
covariograms, madograms, rodograms, deriva, variogramas padronizado e variogramas relativa geral e em
pares.

GS + fornece interpolação rápido:

Vários tipos de kriging fornecer interpolação ideal de um ponto discreto ou uma área em torno de um local
de ponto de amostra;

simulação condicional fornece interpolações de probabilidade com base e erro de estimação;

5
Capítulo 2 Introdução

Cokrigagem fornece interpolação ideal quando você tem apenas algumas amostras para o variate primária, mas
muitas amostras para uma medida mais fácil de, covari- relacionados comeu; e

inverso da distância fornece simples interpolação vizinho mais próximo com base apenas no raio de

amostras próximas. GS + fornece estatísticas paramétricas básicos:

meios e variância da amostra;

distribuições de frequência, distribuições de probabilidade, e medidas de assimetria e curtose para


determinar desvios da normalidade; e

parcelas quantílicas ou coordenar mapas mostram a distribuição dos valores de exemplo em todo o domínio espacial;

Transformações para devolver os dados à normalidade; A análise de regressão

e por covariantes comparada variates primárias.

Requisitos de sistema
GS + requer um PC baseado em Windows com o Windows XP ou posterior.

Instalação
Para instalar GS +:

1) Se GS + está em uma mídia removível, como um CD, insira a mídia na unidade e o processo de
instalação deve iniciar automaticamente; se isso não acontecer, vá para a unidade para a mídia e clique
duas vezes em SetupGSWin10.exe.

2) Se você tiver baixado GS +, então vá para a pasta na qual você colocou o arquivo de download e
clique duas vezes no SetupGSWin10.exe.

3) O programa de instalação irá pedir-lhe através do processo de instalação. Siga as instruções na tela. Você
será solicitado para um número de série e um código de licença ou ativação. Estes números podem ser
encontrados na idade do CD embala- ou em seu e-mail de confirmação do download.

Nota: Pode ser necessário para executar o programa de instalação como administrador. Se então,
clique com o botão direito sobre SetupGSWin10.exe e escolha Executar como administrador. Para algumas

configurações também podem ser necessários para a direita clique no menu Propriedades e, na guia Compatibilidade,

selecione Executar este programa em modo de compatibilidade para o Windows XP (Service Pack 3). 6
Capítulo 2 Introdução

Ativação
GS + requer a activação antes da primeira utilização, uma vez o período de avaliação expirou. subjetivação Ac é
realizada através da internet e requer um código de licença exclusivo para cada instalação de GS +. A activação
deve ser realizada dentro de vários dias após a primeira ção insta- (tela de activação fornece o número de dias
restantes). Se você já tiver baixado e instalado uma versão de avaliação do GS +, você não precisa reinstalar GS +
uma vez que você tenha adquirido uma licença. Em vez disso, escolha “ati- vate GS + agora” da janela de ativação
do start-up (veja abaixo). Se você não ativar GS + dentro do período de tempo especificado pela tela de ativação,
GS + irá parar de funcionar. Você pode ativar após este ponto, sem ter que re-instalar o programa.

Se o computador no qual você deseja ativar GS + não está conectado à internet, você pode obter um código de
desbloqueio especial fazendo login no servidor de ativação a partir de um computador que esteja conectado à internet.
Veja opções avançadas (abaixo) para saber como fazer isso.

O código de licença necessária para a ativação seja na capa do CD ou no e-mail de confirmação pur- chase
que você recebeu.

GS ativação do nó de portas + para um computador específico. Uma vez que a sua cópia do GS + foi ativado, ele
permanecerá ativado até que você optar por desativá-lo. Você vai querer desativá-lo se você se mover GS + para um
computador diferente.

Para desativar GS + antes de mover a licença para um computador diferente, use o comando Desativar no menu
Ajuda. Você não precisa desativar GS + antes de rein- protelando Windows ou reformatar seu disco rígido. GS +
pode ser desativado e re-ativado um número ilimitado de vezes.

Quando você primeira tela de ativação o seguinte GS lançamento + será exibido:

Opções Acivation

1. Ative o GS + agora - eu tenho um número de série pronto para entrar. Escolha essa opção se você tiver
adquirido GS + e têm um número de licença de 15 dígitos (código de ativação) da capa do CD ou da
confirmação de compra

7
Capítulo 2 Introdução

email ção.

2. Avaliar GS +, eu ainda não estou pronto para ativar.


Escolha esta opção se você quiser permanecer no modo de avaliação. Você terá o número de dias
especificado na narrativa de diálogo para adquirir uma licença. Se esta opção não está disponível (se
estiver desativada como na ilustração acima), então você correr para fora de dias de avaliação e deve
comprar uma licença para continuar.

Continuar

Continue a janela Ativar GS +.

Como ativar
Se você optar por Ativar agora a partir da tela de ativação acima, a seguinte janela Activate GS + será exibido:

Nome, Organização

Digite seu nome e organização.

Número de série

Digite o número de série da sua cópia do GS +. Encontrar esse número na capa do CD, ou no e-mail de confirmação
que recebeu após a compra de uma cópia transferida do GS +. Ele vai começar com uma letra.

Número de licença (código de activação)

Insira o número de licença (também chamado de código de ativação). Este número é na capa do CD, ou no
e-mail de confirmação de compra que você recebeu.

8
Capítulo 2 Introdução

Compre agora on-line

Lançar um navegador web apontado www.gammadesign.com que lhe permite pur- perseguir uma licença.

avançado

Traga-se um diálogo de ativação avançada que permite activar através de um navegador web em outro
computador, ou para usar um servidor proxy para se conectar à internet.

Continuar

Continuar com a activação.

Activation - Opções avançadas


Este diálogo fornece a opção para fornecer o endereço de um servidor proxy para acessar a internet durante a
ativação ou para ativar a web usando este ou outro computador:

Use Proxy Server

Marque esta caixa para conectar-se à Internet usando o endereço de proxy e porta especificada. Isto é útil se suas
configurações de rede não permitem conexão direta, como é o caso de alguns servidores corporativos e outros.

Endereço

Especifique o endereço de proxy para usar. Exemplos de formatos de endereço válidos incluem
proxy.mycompany.com e 192.191.22.33. Obter o endereço correto com o administrador trabalho NETWORKS.

Porta

Especificar uma porta para usar para o servidor proxy. Obter o número de porta correto do seu administrador de
rede.
9
Capítulo 2 Introdução

Ative sobre web

Escolha esta guia para ativar sua cópia do GS + através da teia em vez de directamente através da activação de
diálogo. Isso é útil se você não pode de outra forma se conectar ao site de ativação internet:

Use o código de desbloqueio

Marque esta caixa para usar um código de desbloqueio para ativar sua cópia do GS +. Esta é ne- Essary se você não
pode acessar a internet a partir deste computador. Nesse caso:

1. ir para outro computador e abrir um navegador web para o endereço


www.internetactivation.com

2. Insira seu número de licença (código de ativação) e a ID de instalação de 12 dígitos impresso na parte
inferior da janela de diálogo (o ID de instalação é dife- rentes para cada computador). Receber um
código de desbloqueio.

3. Insira o código de desbloqueio na janela abaixo.

código de desbloqueio

Digite o código de desbloqueio fornecido pelo web site.

obter agora

Lançar um navegador web apontado www.internetactivation.com .

cópia de

Copie o ID de instalação para a área de transferência do Windows. Isto torna mais fácil para transferir na janela do

navegador com uma Editar | comando Colar. 10


Capítulo 2 Introdução

Continuar

Retornar à Janela de Ativação. Na janela de ativação você ainda deve digitar o seu número de licença (código de
ativação), mesmo com um código de desbloqueio presente; o código ing Unlock- permite GS + para ativar sem uma
conexão direta com a internet.

Desativação
Você pode transferir a sua licença GS + activado para outro computador pela primeira deactivat- ing-lo no computador
atual. Depois de transferir a sua licença, você não será capaz de abrir GS + novamente até que seja reativado (no
mesmo ou em um computador diferente) .Você deve estar conectado a internet, a fim de desativar.

Número de licença (código de activação)

Insira o número de licença (também chamado de código de ativação). Este número é na capa do CD, ou no
e-mail de confirmação de compra que você recebeu.

Use Proxy Server

Marque esta caixa para conectar-se à Internet usando o endereço de proxy e porta especificada.

Endereço

Especifique o endereço de proxy para usar. Os formatos válidos incluem (a) proxy.mycompany.com ou (b)
192.191.22.33. Obter o endereço correto com o administrador de rede.

Porta

Especificar uma porta para usar para o servidor proxy. Obter o número de porta correto do seu administrador de
rede.

11
Capítulo 2 Introdução

Desativar

Desativar a licença atual. Depois de desactivar você não pode executar GS + novamente neste computador sem
ativá-lo novamente. Não há limite no número de vezes que você pode desativar e re-activate.

atualizações

atualizações de manutenção estão disponíveis gratuitamente para usuários registrados. Os arquivos de atualização estão
disponíveis através de download somente de http://www.gammadesign.com. A versão atual do GS + pode ser verificado a partir
do menu Ajuda, conforme descrito no Capítulo 2.

licenciamento

Licenciamento do site

Se você tiver razões para instalar GS + em mais de um computador no mesmo laboratório, ou em uma rede que permite
que mais de um usuário ao mesmo tempo para acessar o programa, entre em contato Gamma Design for informações
sobre como converter sua licença de usuário único para a licença de grupo de laboratório (5-computador) ou uma
licença de site-edifício único (computadores ilimitadas no mesmo edifício físico). É uma violação do seu contrato de
licença de usuário gle pecado se o programa reside em mais de um er computa-.

Single-usuário Contrato de Licença (1-computador)


Por favor, leia atentamente; este é um Contrato de Licença do Utilizador Final legal (EULA) entre você (o usuário final) e
Gamma Design de Software, LLC ( “Gamma Software Design”). Quando você instalar este software no seu computador que
você sinalizar sua concordância em se vincular aos termos deste acordo, incluindo a Licença de Software e Garantia Limitada.
Se você não concorda em ficar vinculado pelos termos deste acordo, não instale o software e devolver o pacote em conjunto
com acompanhamento de material escrito para Gamma Design de Software, no endereço abaixo para um reembolso total.

1. Gamma Design de Software mantém a propriedade do programa GS + fechado. Gama


Software Design dá-lhe (o usuário final) o direito de usar uma única cópia do GS + em um único computador. Você
pode usar GS + em um servidor de rede ou arquivo somente se AC- cesso é limitado a um usuário por vez e você tem a
cópia original dos meios de comunicação ção e do programa de documentação.

GS + requer activação através da internet. Você pode transferir a licença de um computador para outro,
desativando a licença no computador no qual é presente- mente instalado e reativar a licença em outro
computador. Você não tem o direito de ativar ou usar GS + em mais de um computador, unidade de
disco rígido ou servidor de arquivo de cada vez.

2. GS + é de propriedade da Gamma Design de Software e são protegidos por Estados Unidos contra cópia leis de direito e
disposições de tratados internacionais. GS + deve ser tratado como qualquer outro material protegido por direitos autorais,
embora você pode ou 1) transferência de GS + a uma única unidade de disco rígido, desde que você mantenha a cópia original
para fins de backup, ou 2) fazer uma cópia do GS + para fins de backup. O material escrito que acompanha GS + não pode 12
Capítulo 2 Introdução

ser copiado.

3. GS + não pode ser alugado ou arrendado, mas podem ser transferidos permanentemente se você manter nenhuma cópia de
qualquer versão do GS + eo destinatário concorde com os termos deste acordo.

4. Você não pode descompilar, desmontar, ou GS + engenharia reversa.

5. Gamma Projeto conserva todos os direitos não concedidos expressamente aqui. Nada neste ment acordos constitui uma
renúncia dos direitos da Gamma projeto sob qualquer lei federal ou estadual.

Garantia limitada
1. mandados Gamma design de software que GS + será substancialmente em conformidade com as Nying escrita materiais
acompanhando os por um período de 1 ano a partir da data de compra, desde que GS + é usado em hardware de
computador e com o sistema operacional para o qual foi assinado de- .

2. Gamma Software Design nega todas as outras garantias, expressas ou implícitas, cluindo in- garantias de
comercialização e adequação implícita para um propósito particular. Isto aplica-se tanto o próprio software e
acompanhando materiais escritos. Esta garantia limitada lhe dá direitos legais específicos; você pode ter outros,
que variam de estado para estado.

3. Em nenhuma circunstância deve Gamma Software Design será responsável por quaisquer danos decorrentes do uso ou
da incapacidade de usar GS +, mesmo Gamma Design de Software tenha sido avisada da possibilidade de tais danos.
Tais danos clude in- mas não estão limitados a danos por perda de lucros ou receitas, perda de uso do software, perda
de dados, o custo de recuperar tais software ou dados, o custo do software substituta, ou reivindicações de terceira
festas. Em nenhum caso Gamma Design de Software é responsável por mais do que o montante da taxa de licença,
conforme descrito abaixo. Alguns estados não permitem a exclusão ou limitação de responsabilidade por damag-
conseqüentes ou incidentais es, pelo que esta limitação pode não se aplicar a você.

remédios de usuários

Toda a responsabilidade 1. Gamma Design Software e seu recurso exclusivo será, a critério Gamma Design
Software, ou (1) o reembolso do preço de compra ou (b) a substituição do software que não atende garantia
limitada Gamma Design Software. Em qualquer software caso deve ser devolvido ao Gamma Software
Design com uma cópia do recibo de venda. Esta garantia é nula se a falha for resultante de acidente, abuso
ou má aplicação. Qualquer substituição será garantido por um ano.

2. As garantias e recursos estabelecidos acima são exclusivos e substitui todas as outras, orais ou escritas,
expressas ou implícitas. Sem Gamma Software Design distribuidor ou em- ployee está autorizado a fazer
qualquer modificação ou acréscimo a esta garantia.

Direitos restritos do governo dos EUA


GS + software e documentação são fornecidos com direitos restritos e limitados. O uso, duplicação ou divulgação pelo
Governo está sujeito a restrições, conforme referido no parágrafo sub- (c) (1) (ii) dos Direitos em Dados Técnicos e
cláusula de Software de Computador em 52.227-
7013. O fabricante é Gamma Software Design, PO Box 201, Plainwell, MI 49080.

Geral
Você deve registrar a sua cópia do GS + para ser elegível para suporte ao cliente e serviço. Você pode

13
Capítulo 2 Introdução

fazê-lo on-line em www.gammadesign.com ou durante o processo de instalação. Se você tem tiver dúvidas sobre este
acordo, escreva para Gamma Software Design, PO Box 201, Plainwell, MI
49080, EUA

14
Capítulo 2 Introdução

Capítulo 2
Começando

A partir de dados para mapas: Como Proceder

Para fazer um mapa usando GS +:

• Primeiro, coletar amostras de locais conhecidos. Os locais de amostragem não precisa ser uniformemente
espaçados ou mesmo a mentir sobre uma grade, você simplesmente precisa saber sua localização em um
cartesiano (x, y) sistema de coordenadas. Note-se que latitude e longitude são coordenadas não cartesianas:
se os seus dados estão em latitude / longitude você deve primeiro convertê-los em unidades cartesianas como
UTM; há muitas calculadoras para fazer isso na web;

• Em segundo lugar, trazer os dados para o GS + dados da planilha; você pode inserir os dados diretamente para a
planilha ou importar os dados de um arquivo de texto, planilha ou outra fonte; muitas vezes a maneira mais fácil
para importar dados é cortar e colar a partir da planilha de origem ou arquivo de texto;

• Em terceiro lugar, realizar a análise semivariância para produzir um modelo de variograma da autocorrelação
presente nos dados;

• Em quarto lugar, usar Kriging, cokrigagem, ou Simulação condicional para produzir um ficheiro de interpolação
que irá conter as estimativas de valores óptimos no in- tervalos uniformemente espaçados sobre a área da
amostra; Alternativamente, você pode usar Inverse Distância de peso (IDW), mas seus interpolações não será o
ideal; e

• Finalmente, desenhe um 3-d ou 2-d Mapa da propriedade. Este mapa vai ser uma representação ideal,
imparcial da propriedade sobre a área de interesse. Você também pode produzir um mapa de confiança
para as estimativas, o que lhe permitirá as- sess o erro estatístico associado a cada intervalo de contorno
estimado.

Layout da tela Geral


A principal GS + janela tem um menu de comando no topo e detém cada uma das janelas de análise indivi- duais
que estão abertas. As janelas principais são:

• A janela de dados Planilha

• A janela de resumo de dados

• A Janela Autocorrelação

• A Janela de interpolação

• A Janela Mapa

15
Capítulo 2 Introdução

Menu principal

O Menu Principal apresenta acesso às janelas que fornecem GS + analisa. Abaixo os menus de comando são
ícones que representam atalhos para muitas dessas funções.

Comandos e botões da barra de ferramentas que são sombreadas para fora não são selecionáveis. Por exem- plo, o ícone de
impressão não está disponível quando visualizar uma janela sem uma folha de gráfico ou Work- para imprimir. Os seis ícones
covariáveis ​para as funções de co-variáveis ​não estão disponíveis un menos uma co-variável foi definido na janela de dados da
planilha.

A barra de ferramentas é personalizável através do menu Editar ou clicando com o botão direito no menu principal. Você pode
adicionar ou remover ícones de atalho para a maioria das análises. Também é móvel e reconfigurável; ele pode ser arrastado
para qualquer ponto na tela com o mouse.

O menu Arquivo
O menu Arquivo fornece comandos para salvar e recuperar arquivos de parâmetros GS +, usado para armazenar e
recuperar definições de análise, e também comandos para a impressão e definir preferências do usuário.

• Novo arquivo - Limpa os parâmetros de análise existente.

• Open File - Permite que o usuário carregar um arquivo de parâmetro existente. Para abrir um arquivo de dados de
texto, use o comando Importar na janela de planilha.

• Salvar Arquivo - Salvar o arquivo de parâmetro existente.

• Salvar arquivo como - Salve parâmetros de análise em um arquivo para ser nomeado. 16
Capítulo 2 Introdução

• Configuração da impressora - Faça alterações no formato de impressão

• Imprimir - Imprime uma planilha ou gráfico. Você também pode acessar este comando clicando com o botão direito
em um gráfico ou planilha.

• Exportação Graph - Salvar gráfico para arquivo; Você também pode acessar este comando clicando com o botão direito em
um gráfico.

• Preferências - Definir as preferências do usuário para ser salvo de sessão para sessão

• Sair - Sair GS +

O Menu Editar
O menu Editar fornece acesso aos comandos de edição-cut-copy-paste de exclusão. Estes comandos estão
disponíveis sempre que o cursor estiver em um campo editável dentro de uma janela particular.

• Cortar - remover o material seleccionado para a área de transferência

• Copiar - copiar material selecionado (ou gráfico, se a janela gráfico) para a área de transferência. Você também pode acessar
este comando clicando com o botão direito em um gráfico ou folha de cálculo.

• Colar - colar a área de transferência na área selecionada

• Excluir - exclui material selecionado

• Editar Gráfico - editar o gráfico na janela ativa. Se não houver um gráfico na janela ativa, este comando
será esmaecido. Você também pode acessar este comando clicando com o botão direito em um gráfico.

• Selecione - Escolha uma linha planilha ou coluna. Se o cursor não estiver em uma planilha este comando
será esmaecido.

• Toolbar - personalizar a barra de ferramentas para conter uma variedade de diferentes atalhos de ferramentas

17
Capítulo 2 Introdução

O menu Dados
O menu Dados fornece acesso à planilha de dados e estatísticas de resumo janelas, e fornece comandos para
importar e exportar arquivos de dados e para os dados nipulating ma- dentro da planilha.

• Ficha de trabalho - exibir a janela de planilha de dados

• Atribuir Column - atribuir uma variável a uma coluna folha de dados

• Classificar - classificar a coluna destacada; o tipo alterna entre ordem ascendente e descendente. Se o
cursor não está em uma célula da planilha o tipo mand com- será esmaecido.

• Mudança decimais - aumentar ou diminuir o número de casas decimais para mostrar em uma
determinada coluna; isso não tem efeito em cálculos, que são formas al- executadas em aritmética de
precisão dupla. O cursor deve estar em uma janela tiva planilha CA ou estes comandos serão esmaecido
..

• Inserir - para inserir uma linha ou coluna na planilha ativa

• Excluir - exclui uma linha ou coluna na planilha ativa

• Importar dados - importar um arquivo de dados para a planilha ativa

• Exportação de dados - exportar o conteúdo de qualquer planilha ativa ou as matrizes de dados ativas para um
arquivo externo. As matrizes de dados activos são os dados não ausentes na ID, coordenada X, Y-coordenadas,
Z-dados, e tração colunas de janela de da- ta folha de cálculo. Se os dados Z ter sido transformada (utilizando um
comando de trans- formação), os valores de z transformadas será impresso em adição aos valores de z originais na
folha de cálculo de dados. Os dados podem ser exportados como tabulações arquivos de texto separados (.txt),
separada por vírgulas de valor arquivos de texto (.csv), arquivos do Excel de planilhas (.xls), arquivos de texto HTML
(.htm), ou arquivos XML (.xml) . 18
Capítulo 2 Introdução

• Valores lista Gráfico - exibir os dados representados graficamente. Este comando irá ser desactivado, a menos que a
janela activa contém um gráfico. Você também pode acessar esta mand com- clicando com o botão direito em um gráfico.
mapas subjacentes dados podem ser exibidos a partir do menu Mapa somente a partir das janelas de mapa.

• Resumo Estatísticas - exibir estatísticas básicas para o variate primário (Z) e covariate (Z2) se definido.

• Distribuição de frequência - distribuições de frequências de exibição para a variá- primário comeram (Z) e
co-variável (Z2) se definido.

• Publicação de quartis - exibir uma afixação (mapa) para o variate primária (Z) e co-variável (Z2) se
definido.

O Menu Autocorrelação
O menu Autocorrelação fornece acesso a um dos vários tipos de ção autocorrela- analisa em GS +:

• variograma • Variograma Geral Relativa

• correlograma • Madogram

• Análise de covariância • Análise I de Moran

• Deriva • Variograma Relativa aos pares

• Análise fractal • padronizado Variograma

19
Capítulo 2 Introdução

Para cada análise você pode optar por analisar o Z primária variate, o Z2 covariável, ou o cross-variate Z x Z2,
embora a análise cross-variate não está disponível para todas as medidas de autocorrelação. Se Z ou Z2 são
indefinidos o comando de menu será esmaecido.

interpolar menu
O menu Interpolate fornece acesso a um dos quatro principais tipos de interpolação fornecidos pelo GS +.

Kriging - exibir a janela de interpolação com acesso a Kriging cokrigagem - exibir a janela de interpolação

com acesso a cokrigagem Inverse Distância de peso (IDW) - exibe uma janela de interpolação com acesso

a Inverse Distância Ponderação e Normal Distância interpolado Ponderação

Simulação - exibir a janela de interpolação com acesso a simulação condicional

O Menu do Mapa
O menu Mapa fornece acesso a funções de mapeamento GS +.

3-d Mapa - apresentar a janela de mapeamento com 3-d mapeamento selecionado 2-d Mapa -

apresentar a janela de mapeamento com 2-d mapeamento seleccionado

20
Capítulo 2 Introdução

1-d Transect - apresentar a janela de mapeamento com mapeamento de um-d seleccionado; Se um ficheiro de mapa
tridimensional 2- (um ter tanto um x e uma coordenada y) está actualmente seleccionada, a opção 1-d não pode ser
seleccionado

menu janela
O menu Janela permite mover rapidamente para abrir janelas em GS +.

Cascade - reorganizar todas as janelas abertas dados da planilha - Janela

de planilha de dados de exibição

Resumo de dados - janela de resumo de dados de exibição para o variate primária ou secundária

Análise de autocorrelação - janelas de exibição de autocorrelação para a Variável Primária (Z), Variável
secundária (Z2), ou Cruz Variável (Z x Z2).

Interpolação - exibição krigagem, simulação condicional, e análise IDW janela Mapa - janela de mapeamento

de exibição

O Menu Ajuda
O menu Ajuda fornece acesso a GS + funções de ajuda.

21
Capítulo 2 Introdução

GS + Ajuda - tela sensível ao contexto tópico de ajuda.

Verifique se há GS + Update - enviar uma consulta automática para www.gammadesign.com para ver se a versão
do GS + atualmente em execução foi atualizado. Se um sion ver- mais recente disponível, você será perguntado se
você gostaria de ligação à página web adequada para uma atualização.

Para que esse recurso funcione, o computador deve ter acesso à internet. A comunicação é realizada através
do seu browser. Você também pode verificar o status da atualização GS + manualmente, verificando a versão
do seu programa (disponível no GS Sobre + tela) contra a versão apresentada pelo www.gammadesign.com.

Email Gamma projeto - envie uma mensagem de e-mail para SUP-


port@GammaDesign.com usando seu programa de e-mail padrão. Para que esse recurso funcione, você deve
ter acesso à internet e um programa de e-mail padrão in- parado.

Ir para www.gammadesign.com - conectar a página inicial do Gamma projeto através de seu provedor de

internet normal usando o seu navegador padrão. Registar on-line - abrir uma página de registro para registrar

com a Gamma Design de Software.

Desativar - transferir o seu GS + licença para o servidor de ativação. Depois de transferir a sua licença, você

não será capaz de abrir GS + novamente até que seja reativada neste ou em outro computador. Você deve

estar conectado à internet para desactivar. Sobre GS + - título de exibição e tela de direitos de autor, e também

exibir o GS + número da versão atual.

22
Capítulo 2 Introdução

Right-Click (Contexto) Menus


Quando você clique direito sobre um gráfico ou folha de cálculo, um menu de contexto aparecerá que permitirá que você editar,
imprimir, exportar, ou listar os valores em um gráfico, ou impressão, ou valores da planilha de exportação. Cortar, Copiar, Colar e
Apagar funções também estão disponíveis a partir do menu do botão direito.

Preferências do usuário - Guia Geral


O diálogo Preferências permite definir valores padrão pelo usuário para algumas GS + IORS compor-. Existem três
categorias disponíveis - configurações gerais (como descrito aqui), configurações de dados do arquivo de importação e
configurações para as análises.

Restabelecer

o Restabelecer comando retorna todos os valores padrão pelo usuário dessa guia para valores padrão originais. Para redefinir
todos os valores em todas as guias, use o Repor global comando no bot-

23
Capítulo 2 Introdução tom da janela.

Faltando Indicador Valor


Especificar o valor usado por GS + em arquivos de saída e ao importar arquivos de dados para indi- cado que um valor
está em falta. Os valores em falta são ignorados durante a dados constrói e analisa sub- sequentes. Este valor pode ser
substituído por valores especificados em janelas de diálogo individuais.

cor de fundo da janela


Alterar a cor da janela principal GS + fundo. A cor padrão é a cor do seu desktop. Clique no painel de cores para
alterar a cor.

cor de fundo gráfico padrão


Alterar a cor de fundo gráfico padrão clicando no painel de cor. Os valores padrão pode ser substituído por gráficos
individuais usando a caixa de diálogo Configurações de Gráfico.

Mostre as dicas

Apresentar explicações breves de comandos e caixas de entrada quando o mouse passa sobre botões e caixas.

Coloque Z Nome no título da janela


Coloca o nome do variate Z na barra de título de janelas específicas.

Mostrar todos os avisos


mensagens de alerta exibição, mesmo que você pode ter anteriormente eleito para desligar avisos em algumas telas de
diálogo de aviso, onde há uma caixa de seleção “Não mostrar esta men- sábio novamente”; quando você optar por Mostrar
todos os avisos essas mensagens são novamente mostrado.

Lugares Passado Decimal


Para diferentes tipos de variates, permitir GS + para formatar valores automaticamente ou especificar o número exato
de lugares após o decimal para relatar em janelas e impressões. Todos os cálculos são realizados em valores de
precisão dupla, independentemente dos valores re- quested aqui. Esses valores padrão pode ser substituído por
valores nas janelas de diálogo específicos, tais como a atribuição campo de diálogo da Folha de trabalho janela de
dados.

Repor global
Define todos os valores padrão pelo usuário em todas as guias de originais (GS + - definidos) valores padrão.

Saída segura

Fechar janela e manter as alterações de preferências.

24
Capítulo 2 Introdução

Preferências do usuário - Dados de arquivo de importação Tab

Preferências - janela de diálogo Importar arquivo de dados permite definir valores padrão pelo usuário para importar
arquivos de dados para o GS + dados da planilha.

Restabelecer

o Restabelecer comando retorna todos os valores padrão pelo usuário dessa guia para valores padrão originais. Para
redefinir todos os valores em todas as guias, use o Repor global comando no tom bot- da janela.

Nome do arquivo de extensão

extensão padrão para o nome do arquivo de dados especificado durante a importação de arquivos de dados para a planilha de dados.

Colunas padrão
Ao importar arquivos de dados, estes valores indicam que colunas ou campos para atribuir inicialmente para diferentes
variates. atribuições de coluna podem ser alterados na janela Folha de Dados Work-.

Padrão Tipo de arquivo de importação

Ao importar arquivos de dados, este tipo de arquivo será o tipo padrão especificado. Consulte Importar tipos de arquivo mais tarde para
uma descrição dos tipos específicos.

25
Capítulo 2 Introdução

Lugares Passado Decimal para Mostrar


Ao importar arquivos de dados, o relatório deste muitos lugares últimos decimal nas células dados da planilha. Este
valor é substituído quando especificar lugares últimos decimal na Assignment campo (coluna) de diálogo da janela
de dados da planilha.

Reconstruir automaticamente matrizes de dados

Quando os novos dados são importados e quando as colunas são transferido (por exemplo, quando o X- Coordinate
coluna é transferido para a coluna 3 da coluna 2), a matriz de dados interna utilizada pelo GS + deve ser reconstruída.
Isso pode levar algum tempo se a matriz é grande porque duplicatas deve ser verificado, valores ausentes testado, e os
limites de autocorrelação calculado. A alternativa para o recálculo automático é pressionar o botão Reconstruir na
Planilha janela de dados. Marque ou desmarque essas caixas para desligar automatica- variedade ic reconstrói.

Repor global
Define todos os valores padrão pelo usuário em todas as guias para os valores padrão originais.

Preferências do usuário - análises Tab


As Preferências - Análises janela de diálogo permite que você defina valores padrão pelo usuário para algumas análises.

Restabelecer

o Restabelecer comando retorna todos os valores padrão pelo usuário dessa guia para valores padrão originais. Para redefinir

todos os valores em todas as guias, use o Repor global comando no bot26


Capítulo 2 Introdução

tom da janela.

Padrões de autocorrelação
• início Offset da primeira lag por ½ intervalo - com esta caixa de seleção GS + vai (ao definir automaticamente
as classes lag intervalo regular) mudar a primeira classe lag a ½ de sua distância de separação normal. Isso
pode proporcionar um melhor resolvidas vario- gramas quando existem pares suficientes de pontos em classes
de distância de separação mais curtos. A desvantagem é que, se houver alguns pares de pontos para as classes
de menor distância, quando o primeiro atraso não é compensado (um problema comum), haverá ainda menos
pares disponíveis com o primeiro atraso offset. Se este for o caso, haverá pouca ou nenhuma melhoria para o
variograma.

• lag ativa (% do máximo) - A Distância Lag Ativo especifica o intervalo no qual semivariância será
calculado. O lag ativa padrão é algum percentual da defasagem máxima especificada aqui. Isso não é
provável que seja o lag ativo mais adequado para os seus dados, mas em vez irá proporcionar um ponto
de partida para uma maior exploração.

• automaticamente fazer mapa da superfície anisotrópica - the Surface Mapa com- mand na janela
semivariância será chamado automaticamente após vario- gramas são calculados. Isso fará com que a
exploração de relacionamentos anisotrópicos mais automatizada, mas há uma penalidade de
desempenho como a criação de um mapa rosto sur- requer mais computação.

• Número de intervalos lag - A distância de atraso ativo é dividido em um número de diferentes classes
intervalos de atraso para análise. O número de classes escolhidos inicialmente (por padrão) é
especificado aqui. Durante a análise semivariância do ber nú- de intervalos lag vai mudar em função do
Active Lag dividido pelo Lag Classe Intervalo de Distância (ver Análise Autocorrelação, mais tarde).

• subamostra automaticamente grandes conjuntos de dados - grandes conjuntos de dados pode levar horas de
tempo de CPU sob certas condições. Marque esta caixa para aleatoriamente sub- provar o conjunto de dados
somente durante a análise da autocorrelação. Quando esta caixa é verificado e o conjunto de dados a ser analisada
mais do que o número especificado de subamostras, somente esse número de sub-amostras são utilizados na
análise relação autocor-.

Locais usados ​na análise são escolhidos ao acaso, e cada localização sub-amostrado é comparado com todos os
outros localização no conjunto de dados, independentemente do facto do outro local também foi seleccionado
como uma subamostra - desta forma não há nenhuma tendência contra intervalos pequenos distância devido a
subamostragem . Como exemplo das economias de tempo possíveis, 10.000 subamostras de um conjunto de
dados 160000 ponto levou 10 minutos de CPU para produzir essencialmente o mesmo modelo semivariograma
que de outra forma levou> 8 horas de CPU. Cada um dos 10.000 pontos subamostrados foi comparada com as
outras 159,999 pontos para produzir o variograma,

27
Capítulo 2 Introdução

ao contrário de quando o conjunto de dados completo foi amostrado, comparando cada um dos
160.000 pontos para 159,999 outros pontos.

• Número de subamostras - especificar o número de registros de dados para usar quando subamostragem grandes
conjuntos de dados.

Padrões IDW interpolação


• Poder de peso (0-100) - este valor fornece o poder ponderação padrão inicial para inversa distância
ponderação (IDW) interpolação. Este valor pode ser substituído a partir da janela Interpolate; consulte o
Capítulo 12, IDW e NDW, para mais informações.

• Fator de alisamento (> 0) - este valor fornece o fator de suavização padrão inicial para inversa distância
ponderação (IDW) interpolação. Este valor pode ser substituído a partir da janela Interpolate; consulte o
Capítulo 12, IDW e NDW, para mais informações.

• Padrão para Normal Distância de peso (NDW) - define polation o padrão IDW inter to Normal Distância
de peso (NDW). Este valor pode ser den overrid- da Janela Interpolate; consulte o Capítulo 12, IDW e
NDW, para mais informações.

Padrões de simulação
• Use semente diferente - se esta caixa está definido cada simulação usará um aleatória semente número
diferente por padrão. Consulte o Capítulo 10, Simulação condicional para mais detalhes.

• Use refinamentos multigrid - Marcar esta caixa força a análise a seguir um procedimento passo a passo
(quando simulando nós de interpolação) por padrão. Consulte o Capítulo 10, Simulação condicional para
mais detalhes.

• Número de simulações - especificar o número padrão de simulações a serem executadas. Consulte o Capítulo
10, Simulação condicional para mais detalhes.

saída de interpolação
• Desenhe mapa depois interpolação - marque esta caixa para desenhar automaticamente o mapa de valores
interpolados após interpolação.

• desvio relatório std (não variância) - marque esta caixa para informar valores de desvio padrão em vez
de valores de variância para termos de erro de interpolação. Esta é uma condição padrão que pode ser
alterado na janela de interpolação; consulte o Capítulo 9, interpolação Basics, para mais informações.

• Ciclo mais rápido em x de y - resultados de interpolação ordinariamente 2-dimensionais são gravados em arquivos de saída com y- os

valores de coordenadas de bicicleta mais rápido (por exemplo, no plano x, y


fim 10, 2; 10, 3; 10, 4; 10, 5; 20, 2; 20, 3; 20, 4, 20, 5); marque esta caixa para escrever resultados com X- os valores de
coordenadas de bicicleta mais rápido (por exemplo, 10, 2; 20, 2; 10, 3;
20, 3; 10, 4; 20, 4; 10, 5; 20, 5).

28
Capítulo 2 Introdução

Repor global
Define todos os valores padrão pelo utilizador em todas as abas ao original (GS +) definidos valores padrão.

Configurações Gráfico - Guia Geral


O Diálogo de Configuração de Gráficos aparece quando você editar gráficos. O diálogo vai ser ligeiramente
diferente, dependendo se está a editar um gráfico de barras, um gráfico de dispersão xy (por exemplo, um vario), ou
um mapa 2-d ou 3-d. No caso de um mapa 3-d, por exem- plo, haverá um lugar para o dimensionamento e mudar o
nome do eixo Z para além do eixo X e Y. Além da guia Geral, há também um guia para o Eixo Scaling, TLE e
etiquetas Axis Ti, e Contour Detalhes (disponível apenas para mapas).

Tab Gráfico Cores


Você pode definir as cores de fundo para três diferentes partes do gráfico. Clique na barra de cores à direita do nome
do componente para abrir uma janela de diálogo cores que lhe permitirá mudar a cor desse componente; a cor da
barra indica a cor atual.

Gráfico Tab Borders


Você pode definir estilos de borda para o gráfico e para a legenda (se mostrado). Largura refere-se à largura da borda
e impressão permite-lhe optar por imprimir ou não imprimir a fronteira durante a impressão:

29
Capítulo 2 Introdução

Tab linhas
Em gráficos com linhas (para modelos exemplo variogramas) você pode especificar padrão de linha, largura e cor:

Graph Title
Um título é o texto que aparece na parte superior central da área gráfica. Para alterar a fonte da imprensa título Mudança,
que abrirá uma janela de diálogo Font.

gráfico Legend
A lenda aparece em mapas e publicações quantílicas para indicar os intervalos de valores para diferentes símbolos ou
cores. texto da legenda aparece na parte superior da tabela de lenda. Para alterar a fonte do título da legenda e os
valores de imprensa Mudança, que abrirá uma janela de diálogo Font.

gráfico Footnote
Uma nota de rodapé é o texto que aparece no canto inferior esquerdo da área gráfica. Para alterar a fonte da imprensa nota Mudança,
que abrirá uma janela de diálogo Font. Para ter parâmetros do modelo de variograma impressos como uma nota de rodapé
para variograma gráficos, lugar neste campo a frase exata “(resultados do modelo)” [não incluem citações]. Esta notação é
colocada no campo por padrão sempre que um novo variograma e modelo são calculados; você precisará removê-lo se
você não quer que os parâmetros do modelo de variograma a aparecer como uma nota de rodapé gráfico.

Aplique agora
pressione Aplique agora aplicar quaisquer alterações feitas no gráfico e manter o Graph Set janela aberta de diálogo
inclinações em.

Sair / Cancelar
pressione Saída para fechar a janela de diálogo Configurações do Gráfico. Quaisquer alterações feitas desde o último
comando Aplicar agora será aplicado ao gráfico. pressione Cancelar para sair do diálogo Graph Settings sem aplicar
quaisquer alterações desde a última Aplique agora

30
Capítulo 2 Introdução

comando.

Graph Settings - Axis Scaling Tab


A guia Axis Scaling da janela de diálogo Configurações de Gráfico permite especificar como a escala dos eixos do
gráfico, por exemplo, quão longo ou curto de um eixo deve ser, e como as barras e símbolos devem olhar.

X intervalo do eixo e Tick Marcas


A gama Eixo X pode ser definido como automático ou definidos pelo utilizador (manual). Se o alcance é automática e o valor mais
baixo no conjunto de dados representados graficamente é maior do que zero, então o intervalo de eixo é ajustada para um valor
mínimo igual a zero e um valor máximo de 10% maior do que o valor mais elevado do conjunto de dados. Se o alcance é
automática e o valor mais baixo é inferior a zero, então o mínimo do intervalo do eixo é ajustado a 10% menos do que o valor
mais baixo.

O número de etiquetas (gráficos de barras única; não mostrado acima) refere-se ao número de valores colocados ao
longo do eixo-x.

O número de tiques (gráficos e mapas xy apenas) refere-se ao número de carraças ao longo do eixo-x. Principais carrapatos são
acompanhadas por etiquetas (valores); menores carrapatos não são la- Beled e aparecem entre as principais carrapatos.

Para definir a aparência dos rótulos (tipo de letra, precisão, etc.) ver os títulos do Eixo, guia Etiquetas.

Y intervalo do eixo e marcas de escala


A gama do eixo y é definido de forma idêntica para a gama do eixo x. Note-se que para os mapas de 1- transects
dimensionais não há eixo y; o eixo dos Z representa o sion dimen- vertical.

31
Capítulo 2 Introdução

Z intervalo do eixo e Tick Marcas


A gama de eixo-z (em mapas) está definida de forma idêntica à eixos X e Y. Note-se que um eixo Z- só está
presente em mapas e transects (1-d mapas).

bares
Para gráficos de barras que você pode especificar o número de barras a ser desenhada, sua cor e padrão. A secção de
barras não é mostrado acima.

símbolos
Para gráficos xy (por exemplo variogramas), você pode especificar o tipo de símbolo (caixa aberta, círculo fechado,
etc.), bem como o tamanho ea cor do símbolo. A secção de Símbolos não é mostrada no ecrã de exemplo acima.

Graph Settings - Eixo títulos, legendas Tab


Os Títulos do Eixo e guia da janela de diálogo Configurações Gráfico Rótulos permite que você especifique o texto
que acompanha cada eixo e para formatar os valores que acom- ny as principais marcas de escala.

Format Axis
Usar essas caixas para definir os títulos de eixo e como valores do eixo são formatadas. Decimais refere-se ao número de
lugares passado o ponto decimal para formatar os valores do eixo (por exemplo, 3,1415 tem 4 locais últimos decimal); verificar
exponencial para formatar o valor do eixo em notação científicos constituem (por exemplo 3.14E0). Para 3-d mapas, caixas
para o eixo Z, também são fornecidos como mostrado acima; para xy e gráficos de barras, não haverá caixas para o eixo Z. A
fonte para títulos dos eixos e os valores podem ser repostas com uma das mudança comandos. 32
Capítulo 2 Introdução

Graph Settings - Contour Detalhes Tab


A guia Contorno Detalhes Settings da janela de diálogo Configurações de Gráfico permite que você edite os parâmetros
mapa de contorno. Algumas dessas configurações são idênticas às que ap- pêra na Janela de Mapa e alteração de valores
aqui também vai alterar os valores lá; para outros mapas (por exemplo anisotrópica superfície Maps) esta janela é o único
lugar onde con- detalhes da excursão pode ser definido.

Projeção
3-d - exibe um mapa 3-dimensional dos dados. A altura do mapa pode ser ajustado mudando o 3-d

Proporção; a perspectiva pode ser ajustado com o comando da vocação janela 2-d Girar (mouse Ação) -

exibe um mapa plano, 2-dimensional dos dados

3-d Proporção
para projecções 3-d, define a proporção entre a altura e a largura do mapa. Por alto, mapas magras definir este valor
como 2 ou superior. Para mapas mais planas, definida para menos de 0,5. Esta definição não está disponível para 2-d
projecções. Este comando não irão afectar a relação pect como- do mapa, isto é, os eixos x e y vai permanecer
proporcionais um ao outro an-

Superfície mapa
linhas de contorno - desenha linhas entre os intervalos de contorno

33
Capítulo 2 Introdução

faixas de cores - preenche o espaço entre linhas de contorno com cores diferentes; cores pode ser especificada a
partir da janela de diálogo Definir Contorno pressionando Definir níveis de contorno, abaixo

Suavização - aplicar uma leve suavização para os dados para melhorar a visualização pedestal sólido - para um

mapa 3-d preencher a área abaixo da superfície com uma cor sólida.

Estrutura de arame - para mapas 3-d, cortinas uma grade xy através da superfície de estrutura de arame tecer - especifica a

densidade da grelha de estrutura de arame. A tecelagem de 0 coloca uma linha de grade em cada linha de dados e coluna;

uma tecelagem de uma pula uma linha / coluna, um tecido de 2 2 pula, etc.

Níveis de contorno
Número - o número de níveis de contorno para colocar no mapa

Definir - abre a janela de diálogo Mapa Contour intervalos que permite que você defina pontos de quebra para
intervalos individuais e cores para bandas de contorno (ver Chap- ter 12 para uma descrição do diálogo
Contour Intervalos)

Legenda do mapa

Mostrar legenda - exibe a legenda contorno ao lado do mapa vs. contínua Pisou - lenda de exibição como

escala contínua com valores próximos de romper pontos (por exemplo, entre faixas de cores) ou lenda exibição

como formato pisou, com valores ao lado de cores em caixa

Teto
As linhas de contorno - linhas de contorno do projecto acima da superfície sobre o tecto da trama (3-D mapas
única)

faixas de cores - faixas de cor projetar sobre o teto da parcela (apenas 3-D mapas)

Chão linhas de contorno - linhas de contorno projeto abaixo da superfície para o chão do

trama (apenas 3-d mapas)

faixas de cores - faixas de cores do projeto para o chão da trama (apenas 3-D mapas)

Linhas de grade

Eixo X - lugar uma linha de grelha vertical ao longo das paredes do fundo do 3-d trama eixo x 34
Capítulo 2 Introdução

eixo Y - lugar uma linha de grelha vertical ao longo da parede traseira do eixo y trama eixo Z 3-d - colocar linhas de

grelha horizontais ao longo das paredes traseiras dos lotes 3-d

Impressão, cópia, e gráficos Exportadores


Os gráficos podem ser impressos através do Arquivo | menu de impressão. Se a janela ativa contém um gráfico quando o comando de
impressão é executado, o gráfico em que a janela será enviado para a impressora. Você também pode clicar com o botão direito no gráfico
para acessar um comando de impressão. Uma caixa de diálogo de impressão padrão do Windows irá aparecer.

Os gráficos podem ser copiados para o clipboard do Windows através do comando de menu Editar | Cópia (ou o controlo
atalho-C). A janela que contém o gráfico tem de estar activo (ed Select-) antes de pressionar o comando de cópia para que o
gráfico a ser copiado. Você também pode copiar gráficos clicando com o botão direito no gráfico para abrir um menu de
contexto. Os gráficos podem ser exportados como arquivos gráficos através do comando menu File | Exportação Graph. Você
tem a opção de salvar gráficos como metafiles avançado (.emf), padrão ganha-Dows metafiles (.wmf), arquivos de bitmap
(.bmf), arquivos PNG (.png), ou arquivos JPEG (.jpg). Você também pode exportar gráficos clicando com o botão direito em
um gráfico para acessar um comando Export.

Impressão, cópia, e Exportação planilha de dados


dados da planilha podem ser impressas, copiadas para a área de transferência do Windows, e exportado para um arquivo
externo, da mesma forma que os gráficos podem ser. Clique com o botão direito do mouse em uma planilha para abrir um
menu de contexto com estes comandos expostas. Estas tarefas também pode ser realizada através do menu principal: a
impressão pode ser realizada através do Arquivo | menu de impressão, cópia pode ser realizada através do Editar | menu de
cópia, e exportar podem ser realizadas através dos dados | menu de exportação (desde que a janela selecionada ou ativa
contém uma planilha). Se um bloco de células é realçado quando imprimir, copiar e exportar é invocado, só isso bloco será
posta em prática. formatos de exportação disponíveis incluem arquivos de texto com qualquer valores separados por
tabulação (.txt) ou valores separados por vírgulas (.csv), planilhas do Excel (.xls), arquivos HTML (.htm) e arquivos XML
(.xml). títulos de coluna são exportados juntamente com os dados, exceto quando exportar um Gion re- da planilha (por
primeira destacando um bloco de células). Para exportar a planilha inteira sem títulos de coluna use Editar | Selecionar tudo
antes de exportar.

Usando Older-Version GS + Files: O diálogo Converter arquivo


Ao carregar um arquivo de parâmetros (.par) criado com um legado versão DOS da GS +, você será consultado para converter o
arquivo DOS para um arquivo GS + do Windows.

35
Capítulo 2 Introdução

Faça o backup
Marque esta caixa para fazer um backup do arquivo antes de converter. A cópia de segurança terá o mesmo nome
do arquivo original, mas com o .old extensão. EG um mydata.par arquivo chamado será copiado para um arquivo
chamado mydata.old antes da criação do novo mydata.par, compatível com Windows. Se ocorrer um erro durante a
conversão, o arquivo original permanecerá intacta e a cópia de segurança não será feita ..

36
Capítulo 3 Trabalhando com dados

Capítulo 3
Trabalhando com dados

A janela de dados Planilha


A folha de cálculo de dados contém os dados para análises de GS +. Os dados podem ser inseridos manualmente ou
podem ser importados através do Importar arquivo comando. Os dados inseridos pode ser editada, filtrada (limitado), e pode
ser temporariamente ou permanentemente excluído de análises sub- sequentes. atribuições de campo (atribuindo campos
ou colunas de valores de coordenadas x-, os valores de coordenada y, etc) são feitos na janela de folha de cálculo, clicando
na segunda fila.

Input File Base de Dados

O arquivo de entrada Base é o arquivo externo a partir do qual os dados da planilha primeiro foram carregados - se nenhum dos dados
foram carregados a partir de um arquivo externo, em seguida, esse campo ficará em branco. Para importar dados para a planilha de um
arquivo externo, pressione Importar para abrir uma janela de importação diálogo de arquivo. Note-se que os dados na planilha pode não
ser o mesmo que os dados no arquivo de entrada Base de dados de se os dados da planilha foram alterados após a importação.

Importar arquivo

pressione Importar arquivo para abrir um diálogo de arquivo de importação a partir do qual os arquivos de texto e binários (por
exemplo, planilha) pode ser importado para a planilha (ver Capítulo 4).

37
Capítulo 3 Trabalhando com dados

Reconstruir

o Reconstruir comando constrói as matrizes de dados em que se baseiam todas as análises geoestatística. Este
comando é ativado sempre que os registros de dados foram editadas. As matrizes de dados deve ser reconstruído
anterior para semivariâncias ou outra análise sempre que os dados tenham sido alteradas. Às vezes, isso ocorre
automaticamente, como quando UMNS COL são redesignados. Outras vezes, como quando as células individuais são
editados, você deve reconstruir as matrizes de dados você mesmo clicando neste botão. Quando reconstrução é
necessário, o Reconstruir comando será ativada e a cor da fonte muda para vermelho. Durante a reconstruir os dados
são verificados para duplicado coordenar os locais e para um número suficiente de registros válidos.

Note-se que a reconstrução só é necessária quando as atribuições de coluna mudar ou quando os dados dentro de uma
coluna atribuído a uma coordenada ou z-variada alterações. Na tela de cima, a alteração de um valor dentro da coluna de Al
não vai exigir matrizes para ser reconstruída porque nenhuma análise variates (X-coordene, Y-coordene, Z, ou ID) são
atribuídos à coluna Al.

Filtro
pressione Filtro para abrir um diálogo de filtro que permite que os dados a ser condicionada a uma gama particular; dados fora do
intervalo especificado são tratados dados ing miss- como temporárias, ou seja, excluídas das análises subsequentes. A caixa de
verificação do filtro transforma filtragem ligado e desligado.

Claro
pressione Claro para esvaziar a planilha de dados e repor todas as janelas de análise. Tem o mesmo efeito que o Arquivo
- Novo comando de menu.

Título de dados / Descrição


Qualquer informação de texto desejado pode ser inserido neste campo. Ao importar arquivos de texto, o “header” registros
no arquivo - Os registros que aparecem antes dos registros de dados - são automaticamente ler nesta caixa. Se especificado
na janela de importação o arquivo de texto, esses registros também podem conter nomes variate que aparecem como títulos
de colunas de dados. A primeira linha da descrição dos dados torna-se o título do gráfico padrão e planilha. Você pode usar
essa caixa para armazenar comentários sobre o arquivo de parâmetro ou análise.

Registros de dados

A primeira linha da planilha de dados contém os números de campo ou coluna. Você pode clicar em uma célula nessa linha para
classificar o conteúdo da coluna em ordem crescente ou decrescente; cada vez que você clica a ordem é alternado. Todos os
conteúdos de linha são classificadas quando você classificar um campo ou coluna particular.

A segunda fileira de folha de cálculo de dados especifica o Campo ou variate atribuições,


ou seja, qual o campo ou coluna contém a coordenada x de dados, dados de coordenadas Y-, Z- Variável de dados, ou a
amostra de dados de identificação. Essas atribuições podem ser alteradas clicando na linha superior, o que fará com que
uma janela de diálogo Atribuição de campo. A terceira linha de folha de cálculo de dados especifica o utilizador fornecido Campo
ou Variável Nomes para os vários campos de dados ou colunas. Para introduzir ou editar nomes, clique no 38
Capítulo 3 Trabalhando com dados

célula a ser editado. Quando os dados são importados de um arquivo de texto ou planilha externa, variá- comeu nomes podem ser

lidos a partir dos registros de cabeçalho. o área de dados da planilha contém dados para cada variável aleatória. Para introduzir ou

editar dados em qualquer célula, clique duas vezes sobre essa célula. Para inserir uma fórmula em vez de um valor, começam a

célula com um sinal “=”.

A planilha de dados tem capacidade para 2 bilhões de registros e até 64 colunas. Para ordenar a folha de dados,
clique na linha superior da coluna. Classifica alternará entre ordem ascendente e descendente. Ou usar o
comando Classificar no menu Dados.

Para alterar o número de casas decimais para mostrar para qualquer coluna dada, use os decimais diminuir ou
aumentar comandar decimais no menu Dados, ou clique no ícone da ferramenta respectivo na barra de menu. Se na
janela de Preferências que você tenha especificado um formato automático para decimais denunciar, alterando o
número de casas decimais para o X, Y, Z ou colunas irá alterar o número de casas decimais usadas em planilhas e
gráficos seguintes.

Para alterar a largura de qualquer coluna, mover o cursor para o topo da coluna e usar o rato para esticar ou contrair
as margens de coluna. Para excluir temporariamente uma célula a partir de análises, alterá-lo para um Temporária
ue Val-faltante com um clique do botão direito do mouse (a cor fica vermelha e a fonte torna-se em itálico; ver o valor
0,37 no diagrama acima). Outro clique com o botão direito restaura-lo para a planilha (sua cor vai voltar para preto ea
pia batismal ao normal). Para alterar um valor a uma Valor em falta permanente, eliminar o seu conteúdo por
destaque- ing-o e pressionando a tecla de exclusão (notar as células vazias na figura acima). Para inserir ou excluir
uma linha ou coluna na planilha usar o Editar | Insira comando ou Excluir na barra de menu.

Atribuições coluna

Na janela de dados da folha, pode especificar que campo ou coluna de se associar com a ID da Amostra,
coordenada X, Y-coordenadas, o variate Z, o variate Z2, ou deriva externa clicando sobre a segunda célula a partir
do topo, em qualquer coluna. Isto irá abrir o diálogo Coluna Assignment:

39
Capítulo 3 Trabalhando com dados

Nome da coluna
O nome do nome da coluna ou variado.

Atribuir coluna quanto


Nenhum - fazem coluna não atribuído.

ID da Amostra - a coluna especificada contém o número da amostra ou formação in-ID da amostra. Este pode ser um
texto ou de dados numéricos.

Coordenada X - a coluna especificada contém os valores para a locali- ção coordenada x. Se você escolher
uma coluna que já está atribuído, coluna do outro variate irá mudar com o original X Coordenada coluna.

Coordenada Y - a coluna especificada contém os valores para a coordenada Y ção loca. Se você escolher
uma coluna que já está atribuído, coluna do outro variate irá mudar com o Y coordenada original coluna.

Z (primária Variável) - a coluna especificada contém os valores para a Z variada. Se você escolher uma
coluna que já está atribuído, coluna do outro variate irá mudar com a coluna original Z.

Z2 (covariáveis) - a coluna especificada contém os valores para a covariável. Covariável é usado em


cokrigagem. Se você escolher uma coluna que já está atribuído a outro variate, coluna do outro variate irá
mudar com a coluna Z2 originais.

Deriva externa - a coluna especificada contém os dados de deriva externos. Se você escolher uma coluna que
já está atribuído a outro variate, coluna do outro variate irá mudar com a coluna deriva externa original.

Reconstruir automaticamente quando reatribuir


Reconstruir a planilha interna quando a janela é fechada. Isto é equivalente a premir o botão Reconstruir na janela

de dados da planilha. 40
Capítulo 3 Trabalhando com dados

Covariável Valores Aviso

Em cokrigagem há geralmente mais do que os valores de co-variáveis ​Z2 valores primários (Z). Se a sua coluna (campo)
atribuições para Z e resultado Z2 em matrizes de dados com mais valores Z do que os valores Z2, em seguida, você receberá o
aviso de alerta abaixo. Você pode continuar a análise com mais Z do que os valores Z2, mas não há nenhuma vantagem ad- a
fazê-lo - em cokrigagem valores Z sem valores Z2 correspondentes são tratados como desaparecidas. Da mesma forma, não
há nenhuma vantagem para cokrigagem quando você tem apenas tantos valores covariáveis ​Z2 como você tem valores de Z.

Os valores em falta

Dados na planilha que são marcados como ausentes são ignorados durante a análise. valores em falta permanentes
aparecem como células em branco e os valores em falta temporária aparecem a vermelho. Você pode usar o botão direito
do mouse para fazer as células temporariamente ausente e vice-versa.

Ao importar ou exportar arquivos de espaços reservados especiais (valores ou símbolos) pode ser usado para indicar os
valores em falta no arquivo de dados de entrada ou saída. Estes suportes place- são especificados pelo usuário na janela de
Preferências, ou durante a importação de ficheiros por um valor ou símbolo especificado na janela de Importação de
propriedades do arquivo. Em GS +, o indicador de valor em falta padrão é o valor -99,0 numérico, mas isso pode ser alterado
na janela de Preferências do usuário (Capítulo 2).

Os valores em falta aparecem nos arquivos de saída quando um valor não pode ser interpolada, porque o local aparece
em um polígono exclusivo ou porque limitações numéricas disal- baixo seu cálculo (por exemplo, quando um modelo de
variograma é inadequadamente utilizado durante krigagem).

41
Capítulo 3 Trabalhando com dados

Diálogo Filtrar dados

Os dados dentro de uma planilha pode ser coletivamente filtrada ou limitado utilizando o comando Filtro na janela
de dados da planilha. Com esse comando todos os registros são digitalizados e se um registro está fora do
intervalo especificado de usar, o variate fora da sua gama será tratado como valores ausentes durante a
compilação de dados.

Variam de Usar
Nestes campos, especifique como restringir os dados na planilha para um determinado intervalo. No exemplo
mostrado, somente os registros para o qual o campo de direção X está dentro da gama de 0,60-40,00 será incluído
nas análises, embora existam registros em toda a gama de 0,60-79,90 na planilha. Embora os valores de folha de
cálculo são tratados como dados em falta durante constrói, eles não são marcados como estando em falta na folha
de cálculo.

Reset e Reset All

Repor Faixa de usar para o intervalo de dados reais para um determinado coordenar ou variate. intervalos de dados pode ser ajustado
individualmente ou (com a Reiniciar tudo de comando) de uma só vez.

Está bem

Pressione OK para aceitar os limites especificados. Note-se que para o filtro tenha efeito você deve verificar a caixa
de filtro na janela da folha. Pressione Cancelar para sair do diálogo sem salvar as alterações.

42
Capítulo 3 Trabalhando com dados

Valores duplicados

Quando os dados da planilha são reconstruídos em matrizes de dados, GS + verifica cada registro contra qualquer outro
registro para verificar se há coordenadas duplicados estão presentes. Se um ou mais registros são encontrados para ser
duplicatas, uma tela de aviso aparecerá e você será solicitado como resolver o duplicado:

Use primeiro valor (fazer outros valores em falta)


Esta opção inclui o primeiro registro encontrado (ficha 1 no caso descrito) na análise e marca outros duplicatas na
planilha (registros de 8, 25 e 26) como valores temporariamente ausentes. Enquanto estes valores permanecem
marcado como ausente, na planilha posterior reconstrói este aviso Duplicate consulta não irá ocorrer.

Use último valor (fazer outros valores em falta)


Esta opção é a mesma que a primeira opção acima, excepto que o último registo encoun- tered é utilizado na
análise (ficha 26 no caso descrito) em vez do que a primeira.

Use valor médio (fazer nada falta)


Esta opção direciona GS + usar a média dos registros duplicados. Ele não marca quaisquer valores na planilha
faltando, o que significa que a próxima vez que a planilha é reconstruído este aviso Duplicate consulta irá ocorrer
novamente.

Pare de construção de dados e examinar planilha


Especificar esta opção fará com que os dados construir para deter e irá exibir o primeiro registro em duplicado da planilha
de dados. Quaisquer outras cópias já foram encontrados durante a compilação de dados será redefinido para não-ausente
será devolvido ao seu estado pré-construir.

Também levar essa ação para outras duplicatas desta compilação


Se assinalar esta opção faz com que outras duplicatas encontradas a ser tratados da mesma forma este conjunto de duplicatas.
Para conjuntos de dados com muitos valores duplicados, essa opção economiza tempo, mantendo esta janela de diálogo seja
exibida novamente durante a presente compilação.

Cancelar
Anular a compilação de dados. Todas as duplicatas definidas para valores em falta durante esta compilação será redefinido para nonmissing.

43
Capítulo 4 Importação de dados de arquivos externos

Capítulo 4
Importação de dados de arquivos externos
Arquivo Importar diálogo

Um número de diferentes tipos de arquivos podem ser importados para GS +. Estes incluem folhas de cálculo (por exemplo,
formatos do Microsoft Excel), bancos de dados (por exemplo, formatos Microsoft Access), HTML (Web) páginas e arquivos de
texto. Os arquivos são importados através do comando Import dentro da planilha janela de dados, que traz a caixa de diálogo
abaixo. A partir deste dia- logar você escolher o arquivo e o formato (como ilustrado na caixa de lista suspensa na parte
inferior do menu).

Aberto
Prima Abrir para abrir o arquivo identificado. A janela que será visto a seguir vai depender do tipo de arquivo a ser
aberto. Um arquivo de texto irá abrir o diálogo Importar arquivo de texto enquanto planilha, banco de dados e
formatos HTML irá abrir o diálogo folha Import Spreadsheets.

44
Capítulo 4 Importação de dados de arquivos externos

Arquivos de Importação de texto

Escolhendo para importar arquivos de texto do arquivo de importação de diálogo abre a janela ser- baixa. O conteúdo do
arquivo é exibido na área de visualização grande. Quando o botão OK for pressionado o conteúdo do arquivo são lidos
no GS + Planilha de acordo com as regras especificadas pelo formato de arquivo escolhido. Estas normas definem o
número de linhas de dados de cabeçalho preceder as linhas de dados (2, no exemplo a seguir), como valores em falta
são identificados (com o número -99 no exemplo a seguir), como os nomes de coluna são separadas (com vírgulas,
abaixo) , e como campos de dados (colunas) estão separados um do outro dentro de registos de dados (com espaços
neste exemplo). Uma janela de diálogo diferente está disponível para importação de planilha, banco de dados e arquivos
HTML (descritas mais adiante).

Formato de arquivo

Uma variedade de tipos de arquivos de texto podem ser importados para GS +, incluindo formatos definidos pelo usuário. Cada tipo
tem sua própria maneira para separar campos dentro de registros de dados, para a manipulação de valores em falta, por permitir
registros de cabeçalho, e para especificar nomes de campos (títulos coluna) dentro do arquivo. tipos de formato de entrada
predefinidos incluem o se- guinte; exemplos de arquivos aparecem na seção seguinte:

• formato GS + , Em que os campos são separados por espaços (formato livre) ou abas, miss- valores ing são
indicados com o marcador de posição -99, o número de registos de cabeçalho é detectado automaticamente, e
títulos de coluna (nomes variate) aparecem no 2 nd

ficha separados por vírgulas. Um exemplo é exibido na próxima seção.

• GeoEas formato, nos quais os campos são separados por vírgulas ou espaços, não existem indicadores de valor
em falta, o número de registos de cabeçalho é especificado no 2 nd

registro do arquivo, e coluna títulos aparecem como registros individuais seguindo este segundo registro.
Um exemplo é exibido na próxima seção.

45
Capítulo 4 Importação de dados de arquivos externos

• Surfista ® formato XYZ, em que os campos são separados por espaços (formato livre), valores ing miss- são indicados por
campos em branco, e o primeiro registo no ficheiro é um registo de cabeçalho em que os títulos de coluna (nomes variate)
aparecem como campos separados por espaços . Note-se que o formato do surfista XYZ também permite que os campos
que ser separados por vírgulas, que devem ser especificadas separadamente como descrito abaixo. Note que este formato
não é o mesmo que o formato de arquivo do surfista grade que pode ser usado para arquivos de saída krig ou mapa
arquivos de entrada. Um exemplo é exibido na próxima seção.

• ArcView ® formato XYZ, em que os campos são separados por vírgulas, faltando va- lores são indicadas por
vírgulas de espaço reservado, não há um único registro de cabeçalho, e dentro dos nomes variate registro de
cabeçalho estão separados por aspas e vírgulas. Um exemplo é exibido na próxima seção.

• Personalizado, em que qualquer uma destas especificações de formato pode ser alterado ou custom- ized conforme especificado no
arquivo de propriedades de importação, conforme descrito na próxima seção.

propriedades
O Propriedades do comando abre uma janela de diálogo (a descrita abaixo) arquivo de propriedades de importação dentro do
qual você pode especificar as regras para + importações de arquivo GS.

Alterar as atribuições de coluna


O comando Alterar abre uma janela Campo ou coluna de atribuição a partir do qual você pode atribuir variates (por
exemplo coordenada X) para colunas ou campos no arquivo de dados (veja abaixo). Colunas também podem ser
atribuídos mais tarde a partir da janela dos dados da folha.

46
Capítulo 4 Importação de dados de arquivos externos

Texto formatos de arquivo de entrada: GS + Format

O formato GS + arquivo de entrada padrão é composto de registros de cabeçalho e registros de dados:

• registros de dados são delimitados por espaço ou dados de tipo XYZ delimitados por tabulação. Isto significa que cada
registo de dados contém, pelo menos, 3 domínios: uma localização de coordenadas x, y um coordenadas de
localização, e o valor para pelo menos um z variate medido no que transects localização XY (unidimensionais terá
apenas coordenada x e da- variate z ta valores). Campos adicionais podem conter um valor de amostra ID e múltiplas
z-variates para um local xy particular.

• registros de cabeçalho preceder os registros de dados e contêm qualquer informação de texto sobre o arquivo que o
usuário sente é útil. Não pode haver qualquer número de registros de cabeçalho; Para este formato de GS + determina o
número de registos de cabeçalho camente automatica-, o que significa que os registos de dados começam com a primeira
ficha totalmente numérica. O último registo de cabeçalho pode conter títulos das colunas (nomes variate), separados por
vírgulas.

• Os valores em falta são indicados pelo número -99.

• Qualquer destes parâmetros (delimitadores de campo, número de registros de cabeçalho, indicadores de valor em falta, etc.)
pode ser alterado para um formato personalizado a partir da Data Import janela de arquivo.

• A listagem que se segue é os primeiros 11 registos de um ficheiro de entrada padrão GS + que tenha campos para
identificação da amostra, coordenada x, y coordenada, e duas variates z. Observe os nomes variate no segundo
disco, e dois valores ausentes na última coluna:

Arquivo Demo2-d.dat;
amostra, m leste, M North, Pb, al
1 4,5 11,9 0,42 0,42
2 2,7 29,4 0,6 0,45
3 1,6 32,6 0,6 0,08
4 4.1 44,5 0,43 -99,00
5 0,6 64 0,51 0,14
6 2.4 71,8 0,34 0,32
7 7,8 3,5 0,37 0,12
8 6,7 10.2 0,61 -99,00
9 6,7 16,3 0,46 0,49

47
Capítulo 4 Importação de dados de arquivos externos

Entrada de texto formatos de arquivo: GeoEas Format

O formato de arquivo de entrada padrão GeoEas é composto de registros de cabeçalho e registros de dados:

• registros de dados são por virgula ou espaço delimitado dados de tipo XYZ. Isto significa que cada registo de dados
contém, pelo menos, 3 domínios: uma localização de coordenadas x, y um coordenadas de localização, e o valor
para pelo menos um z variate medido no que transects localização XY (unidimensionais terá apenas coordenada x
e valores variate z). Campos adicionais podem conter um valor de amostra ID e múltiplas z-variates para um local
xy particular.

• registros de cabeçalho preceder os registros de dados e conter informações específicas sobre os registros de dados:

Ficha 1 contém texto de escolha do usuário, geralmente um título conjunto de dados ou


nome do arquivo.

A ficha 2 contém o número de campos (valores) em cada registo de dados. Ficha 3 contém o

nome do primeiro campo.

Registros 4+ conter os nomes dos campos de segunda, terceira, etc. (um


nomear por registro)

• Não há indicadores de valor em falta no formato GeoEas padrão

• Qualquer destes parâmetros (delimitadores de campo, número de registros de cabeçalho, indicadores de valor em falta, etc.) pode
ser alterado para um formato personalizado a partir da janela do arquivo de importação de texto.

• A listagem que se segue é os primeiros 11 registos de um ficheiro de entrada GeoEas padrão que tenha campos para identificação
da amostra, coordenada x, coordenada y, e uma variável aleatória z. Observe os quatro nomes variate em registros 3-6:

Arquivo por campo 55 4


metros ID X metros y z (mm)

13, -14036, -3097,11


14, -13621, -1266,25
22, -12384, -911,79
23, -121276,978,91
24, -12674,190,14

48
Capítulo 4 Importação de dados de arquivos externos

Texto formatos de arquivo de entrada: ArcView ® Formato XYZ

o ArcView • formato de arquivo de entrada é composto de registros de cabeçalho e registros de dados:

• registros de dados são dados delimitado por vírgula tipo XYZ. Isto significa que cada registo de dados contém,
pelo menos, 3 campos: localização, uma localização coordenada y, e o valor para pelo menos um z variate
medido nessa localização XY coordenada x (transects dimensão single- terá apenas coordenada x e z variate
valores de dados). Ad- campos cional pode conter outros variates para esse local, por exemplo, ID de amostra,
outras z-variates medidos. O formato de entrada ArcView XYZ não é o mesmo que o ArcInfo Ascii Raster File
Format, que é um formato de saída Kriging que pode ser lido diretamente pelo Arcinfo • ou Arcview • software
GIS.

• Um único registro de cabeçalho antecede os registros de dados e contém nomes (variate) de campo para os campos
de registro de dados. Os nomes são dentro de aspas e vírgulas delimitado.

• Os valores em falta estão indicados por campos em branco.

• Qualquer destes parâmetros (delimitadores de campo, número de registros de cabeçalho, indicadores de valor em falta, etc.)
pode ser alterado para um formato personalizado a partir da janela Import Propriedades do Arquivo.

• A listagem a seguir é os primeiros 9 registros de um ArcView padrão • ficheiro de entrada que tem campos de
uma coordenada x, y coordenada, e uma variável aleatória z. Observe os três nomes variate em ficha 1 e os
valores em falta nos registros 5 e 9:

“Dados X”,”Y dados”,”dados Z”


4.5,11.9,0.42
2.7,29.4,0.45
1.6,32.6,0.08
4.1, 0.65
0,6, 64,0.14
2,4, 71.8,0.32
7,8, 3.5,0.12
6.7,10.2,
6.7,16.3, 0,49

49
Capítulo 4 Importação de dados de arquivos externos

Texto formatos de arquivo de entrada: Surfista ® Formato XYZ

O surfista padrão ® formato de arquivo de entrada é composto de registros de cabeçalho e registros de dados:

• registros de dados são dados delimitados por espaço tipo XYZ. Isto significa que cada registo de dados contém,
pelo menos, 3 domínios: uma localização de coordenadas x, uma localização coordenada y, e o valor para pelo
menos um z variate medido nessa localização XY (sin- transects gle-dimensão só terá coordenada x e valores de
dados z variate). Campos adicionais pode conter outros variates para esse local, por exemplo, ID de amostra,
outras z-variates medidos.

• Um único registro de cabeçalho antecede os registros de dados e contém nomes (variate) de campo ou títulos de coluna
para os campos de registro de dados. Nomes são para que eles devem ser palavras isoladas (por exemplo, "mEast mNorth
Nitrate"), a fim de que eles sejam devidamente atribuído a suas colunas delimitado por espaço. Você pode permitir que os
nomes sejam delimitados por vírgulas ou outros caracteres, alterando a um formato personalizado no arquivo janela Im-
porta Properties (por exemplo, "metros Leste, a poucos metros do Norte, nitrato (ug / L)").

• Os valores em falta estão indicados por campos em branco. Para ficheiros, onde há mais do que um Z-variada por
ficha, um valor em falta para qualquer campo no registo significa que todo o registo vai ser tratado como ausente.
(Para evitar esse consumo problemático de vírgula delimitado registros de dados.)

• Qualquer destes parâmetros (delimitadores de campo, número de registros de cabeçalho, indicadores de valor em falta, etc.) pode
ser alterado para um formato personalizado a partir da janela do arquivo de importação de texto. Note-se que alguns Surfer • arquivos
são, em vez de delimitado por espaço delimitado por vírgulas.

• A listagem a seguir é os primeiros 9 registros de um surfista padrão • ficheiro de entrada que tem campos de uma
coordenada x, uma coordenada y, e uma variável aleatória z. Observe os três VaR nomes IATE em ficha 1 e os
valores em falta nos registros 5 e 9:

Xdata Ydata ZDATA


4,5 11,9 0,42
2,7 29,4 0,45
1,6 32,6 0,08
4.1 44,5
0,6 64 0,14
2.4 71,8 0,32
7,8 3,5 0,12
6,7 10.2
6,7 16,3 0,49

50
Capítulo 4 Importação de dados de arquivos externos

Arquivos de planilha e banco de dados de entrada

Escolhendo para importar um arquivos de planilha, banco de dados, ou HTML de log Import Dia- o arquivo abre uma
janela semelhante à de planilhas do Excel abaixo. Várias planilhas ou tabelas dentro da pasta de trabalho planilha
maior ou banco de dados Estão disponíveis capazes através de uma caixa de listagem suspensa. O conteúdo da
tabela a planilha ou dados são exibidos na área de visualização grande. Quando o botão OK for pressionado o
conteúdo do arquivo são lidos no GS + Planilha de acordo com as regras especificadas pelo proprie- dades comando.
Uma caixa de diálogo diferente é usado para importar arquivos de texto, como descrito anteriormente. Ao importar
planilhas, a primeira linha da planilha importada deve manter os nomes variate que aparecem nos títulos das colunas
GS + ( “Dia” na coluna 1, ser- baixo). Se a primeira linha da planilha contém valores, eles serão ignorados.

planilhas disponíveis
As planilhas ou tabelas dentro de arquivos de planilha ou banco de dados individuais estão listadas aqui e pode ser
escolhido através da listagem pull-down.

propriedades
O Propriedades do comando abre uma janela de diálogo Propriedades de importação de arquivo no qual você pode especificar
como GS + deve identificar os valores em falta. Ao importar planilhas e bases de dados, outras propriedades importação
arquivo estão limitados a única escolhas pré-definidas - por exemplo, colunas de folha de cálculo são utilizados para denotar
GS + diferentes campos folha Work.

Alterar as atribuições de coluna


O comando Alterar abre uma janela Campo ou coluna de atribuição a partir do qual você pode atribuir variates (por
exemplo coordenada X) para colunas ou campos no arquivo de dados. col-

51
Capítulo 4 Importação de dados de arquivos externos

UMNS também podem ser atribuídos mais tarde a partir da janela dos dados da folha.

Formatos de arquivo de entrada (File Properties importação)

Escolhendo para importar arquivos do arquivo de importação de texto ou diálogos importação de planilha traz a importar
propriedades janela abaixo arquivo.

Registros de dados

O campo (coluna) delimitador especifica como os valores individuais dentro dos registros de dados são formatadas. Para
valores de arquivos de texto podem ser separados por vírgula, guia separada, espaço separado (formato livre), caráter
separado, ou dados binários. Quando planilhas são importadas, as colunas são delimitados apenas por células de tabela. o Faltando
Indicador Valor especifica o valor ou o caráter dentro do arquivo que informa sinala que um valor está em falta e que o
registro deve ser ignorado durante ing de importações. Um valor em falta que é importado torna-se uma célula em branco
na folha de GS + Dados Work. O indicador pode estar ausente, um ponto decimal, um valor numérico, ou um personagem.

cabeçalho registros
o Número de cabeçalho registros indica se os primeiros registros nos registros de cabeçalho Tain con- arquivos - texto
descritivo que devem ser ignorados como o arquivo é lido na planilha de dados. Para arquivos de texto escolha
Nenhum, Varia, ou número fixo. registros de cabeçalho será lido nos dados campo Descrição da planilha janela de
dados. ficheiros de folhas de cálculo são assumidos para conter uma única linha de cabeçalho contendo nomes de
coluna. o Coluna Título Separator refere-se ao facto de títulos das colunas (nomes variate) aparecem no segundo
registro do arquivo, e em caso afirmativo, como os nomes são separados um er anoth- dentro do registro. Para arquivos
de texto Escolha Não nomes de campo, o mesmo que para ords Dados REC, citações, suportes, Vírgula, Tab, Espaço,
ou Character. Quando planilhas são importados, colunas títulos aparecem em diferentes células da primeira linha da
planilha

OK / Cancelar
pressione Está bem para aceitar as configurações mostradas e voltar para o arquivo de importação de texto ou importar 52
Capítulo 4 Importação de dados de arquivos externos

de diálogo planilha. Se as configurações são diferentes das configurações padrão para o formato originalmente definidas, o
formato será alterado para Personalizado com as novas configurações de- multar o novo formato personalizado. Pressione
Cancelar para fechar sem importar.

Visualização de arquivos (File View janela)

A janela de visualização do arquivo é usado para exibir o conteúdo dos arquivos selecionados. Ele está disponível a
partir de janelas em que os arquivos de entrada e saída são especificados. No topo da janela é o nome eo tamanho
do arquivo. O conteúdo da janela pode ser destacada e copiados para o clipboard do Windows usando o Edit -
comando de menu Copiar, mas não pode ser alterado. O exemplo abaixo foi criado a partir do comando File View
saída na janela de interpolação.

Anexar diálogo Dados

Quando importar dados para a planilha de dados, se a planilha já contém dados, então você vai perguntou como
importar os novos dados - se os dados importados deve Substituir os dados existentes, ser colocados nas colunas
à direita dos dados existentes ( Anexar ao lado), ou ser colocado na parte inferior da folha de cálculo ( Anexar ao
final). Cancelar irá cancelar a importação sem alterações para a planilha.

53
Capítulo 5 Resumo Estatísticas

capítulo 5
Resumo Estatísticas

Resumo de dados Janela - Z Tab


A janela Resumo de dados fornece estatísticas descritivas padrão para as variates definidos na janela de dados da
planilha. A informação é fornecido, tanto para a variate Z- (como abaixo), para o variates coordenar numa X separada,
separador Y Coordenadas, e quando uma covariável está a ser analisada, para a regressão de Z versus a covariável
Z2 em um separador de regressão separados .

Para o Z-variada, também é possível especificar uma lognormal (base e) ou transformação de raiz quadrada, a fim
de normalizar melhor distribuição da variável aleatória antes da análise geostatis- tical. Se você fizer transformar o
variate, você pode optar por ter GS + relatar os valores interpolados (kriged), quer na forma transformada ou
backtransformed ao domínio medição original. O backtransformation ocorre após todas as análises foram realizadas,
e ela não é aplicada aos resultados de autocorrelação. Também a partir de janela Resumo de dados você pode
acessar uma distribuição full-janela de frequência, uma distribuição de probabilidade cumulativa, ou uma distribuição
de probabilidade normal, clicando na imagem distribuição de frequência pequeno.

Transformação
Muitas vezes, é útil para aplicar um lognormal ou uma transformação de raiz quadrada para um Z variate a fim de normalizar a
distribuição de freqüências distorcidas. Ele também pode ser útil para dimensionar os dados para um intervalo de 0-1, se os
valores são extremamente grandes. A transformação 54
Capítulo 5 Resumo Estatísticas

especificada é aplicada a cada valor de Z no conjunto de dados antes da análise geoestatística; os valores na
planilha de dados não são transformadas. Ver a eficácia da transformação, exibindo a distribuição de frequência ou a
distribuição de probabilidade e os valores de assimetria e curtose no resumo de dados.

compensar

Se o seu z-variates abrangem a gama de <1 a> 1 (por exemplo 0,3-20,1) e você decide ap- ply um lognormal ou raiz
quadrada transformar, você deve fazer todos os valores> 1 antes da transformação, adicionando um valor de
deslocamento, tais como um (por exemplo, ln [Z + 1]). Isto é por causa da natureza descontínua da transformação
lognormal em toda a gama <1 a> 1.

Backtransformation
Quando uma transformação é escolhido, após a análise dos dados transformados os dados de saída são habitualmente
(mas não necessariamente) re-transformado para os dados originais fazer- principal quando relatado. Você pode
escolher entre três possíveis escolhas backtransformation: Nenhum, Padrão ou ponderado. O backtransformation
padrão é simplesmente o inverso da transformação: valores escalonados são redimensionadas para o intervalo original,
log n- valores transformados são levantadas para o expoente naturais e, e os valores de quadrados são levantadas para a
0,5 (raiz quadrada). valores de desvio são subtraídos dos valores backtrans- formado.

O backtransformation ponderada é uma backtransformation complexo que mais ly close- aproxima verdadeiras
estatísticas populacionais do que backtransformations simples. Veja Haan (1977) e Krige (1981) para mais detalhes.

Backtransformations são aplicadas apenas para dados finais. Estes incluem as estatísticas sobre a tela de Resumo de
Dados (, média ± desvio padrão, etc), e todos os resultados krigagem. valores semivariâncias indivi- duais não são
backtransformed antes de exibir (como foi observado por rótulos do eixo semivariograma).

Distribuição de frequência
Clique na imagem uma distribuição de frequência para ver uma versão ampliada da distribuição de frequência. Na
janela de Distribuição da Frequência você também será capaz de ver uma distribuição de probabilidade normal ou uma
distribuição de frequência cumulativa dos dados (ver abaixo).

Resumo Estatísticas
estatística descritiva aparecer na caixa observou. Note-se que n se refere ao número de itens de dados activos
actualmente em análise (128 no ecrã acima); n faltando fers re- para o número de registos de folha de cálculo que
foram excluídos da análise porque continham um x, y, ou z valor em falta ou porque eles foram excluídos da análise
pelo comando do filtro (4 valores, no exemplo acima). Se valores duplicados foram em média (ver caixa de diálogo
valores duplicados), então todas as duplicatas para um determinado local conta como um único registro, e as
duplicatas não serão contadas como desaparecidas.

55
Capítulo 5 Resumo Estatísticas

Os números entre parênteses seguintes assimetria e curtose são erros padrão desses termos.

Ao analisar conjuntos de dados com uma covariável (Z2) presente, as seguintes regras se aplicam:

• Somente os registros com um Z válido e um valor Z2 válido será incluído no ysis anal- de Z;

• Todos os registros com um valor Z2 válida serão incluídos na análise de Z2; Isto é porque a análise de
covariância espera que todos os pontos de amostragem em Z para ser acompanhada por um Z2 covariável, que também
será amostrado a excepção em que Z é amostrado lugares. A análise estatística de síntese e de autocorrelação para Z
será, assim, per- formado apenas para esses valores de Z, acompanhados por uma Z2. Os resumos estatísticos e análise
de autocorrelação para Z2, por outro lado, vai ser realizada para todos os valores de Z 2, independentemente de um valor
correspondente Z está presente.

Histograma de distribuição de frequência


A janela de frequência de distribuição contém um gráfico de barras da distribui- ção de frequência para o Z variada. Se
os dados são transformados, dois gráficos aparece, com a distribuição para os dados transformados para a direita da
distribuição para os dados formados nontrans- (como abaixo). Se os dados não são transformados, apenas o gráfico do
lado esquerdo aparecerá. Os dados podem ser transformados no na janela Resumo de dados. O número de classes de
frequência (barras) pode ser alterada utilizando o Editar gráfico

comando. Além de um gráfico de barras que a distribuição de frequência, pode também escolher para ver uma distribuição
de frequência cumulativa ou uma curva de probabilidade normal (descrito abaixo).

56
Capítulo 5 Resumo Estatísticas

Enredo

Tipo de gráfico para gráfico. Escolha quer Frequência (como apresentado acima), Frequência cumulativa, ou curvas de
probabilidade normais (mostrados mais tarde).

Ações
Você pode Impressão, Copiar, Editar, Exportação, ou valores gráfico lista para qualquer gráfico usando os comandos de menu da
janela principal GS +, ou através de um menu do botão direito.

Valores distribuição de frequência


A janela de frequência Listagem fornece uma listagem dos valores usados ​para criar o gráfico de distribuição de
frequência. O número de classes é definido a partir da janela ção distribuições de freqüência usando o comando Editar
gráfico. Esta é uma planilha somente leitura, AC- cessed com os valores lista de comandos a partir do menu do botão
direito (ou os dados | valores gráfico lista de comandos a partir do menu de comando + GS principal).

Ações
Você pode Impressão, cópia, ou Exportar o conteúdo da planilha usando os comandos de menu da janela principal
GS +, ou através de um menu do botão direito. Você também pode alterar a Casas decimais relatados, destacando
uma coluna e pressionando o aumento ou diminuição Decimals ícone (ou utilizar os dados | comando de menu
Mudança decimais). Clicando no topo de uma coluna Ordenar a folha de cálculo com base no ed coluna Select- em
alternando ordem crescente ou decrescente. Você também pode mudar larguras de coluna colocando o cursor sobre
a linha entre duas colunas e arrastando para uma nova localização.

57
Capítulo 5 Resumo Estatísticas

Distribuição de frequência cumulativa

A janela de distribuição de frequência cumulativa contém um gráfico da distribuição de frequência cumulativa para
o Z variada. Se os dados são transformados, dois gráficos aparece, com a distribuição para os dados
transformados para a direita da distribuição para os dados não transformadas (como abaixo). Se os dados não são
transformados, apenas o gráfico do lado esquerdo aparecerá. Transformações são realizadas na janela Resumo
dos Dados.

Se os dados são normalmente distribuídos, a curva vai descrever uma distribuição de frequência em forma de S.
EG no gráfico abaixo, transformando os dados age para normalizar a distribuição.

Enredo

Tipo de gráfico para gráfico. Escolha quer Frequência, Frequência Cumulativa (como apresentado acima), ou
curvas de probabilidade normais (indicadas abaixo).

Ações
Você pode Impressão, Copiar, Editar, Exportação, ou valores gráfico lista para qualquer gráfico usando os comandos de menu da
janela principal GS +, ou através de um menu do botão direito.

Valores frequência acumulada

A Frequência cumulativa Listagem janela fornece uma lista dos valores usados ​para criar o gráfico Distribuição de
frequência cumulativa. Todos os valores do conjunto de dados são classificados por valor (ordem crescente); qualquer
dada linha é a frequência do valor dessa linha mais todas as frequências anteriores (expressa como percentagem); o
valor final de frequência cumulativa é de 100%. Por exemplo, o primeiro valor na tabela representa o valor mais baixo no
conjunto de dados e tem uma frequência cumulativa de 100 × ( 1 / n).

58
Capítulo 5 Resumo Estatísticas

Ações
Você pode Impressão, cópia, ou Exportar o conteúdo da planilha usando os comandos de menu da janela principal
GS +, ou através de um menu do botão direito. Você também pode alterar a Casas decimais relatados, destacando
uma coluna e pressionando o aumento ou diminuição Decimals ícone (ou utilizar os dados | comando de menu
Mudança decimais). Clicando no topo de uma coluna Ordenar a folha de cálculo com base no ed coluna Select- em
alternando ordem crescente ou decrescente. Você também pode mudar larguras de coluna colocando o cursor sobre
a linha entre duas colunas e arrastando para uma nova localização.

Distribuição de probabilidade normal

A janela probabilidade de distribuição normal contém uma curva de probabilidade normal para o Z variada. Se os
dados são transformados, dois gráficos aparece, com a distribuição para os dados transformados para a direita da
distribuição para os dados não transformadas (como abaixo). Se os dados não são transformados, apenas o
gráfico do lado esquerdo vai ap- pêra. Transformações são realizadas na janela Resumo dos Dados. A curva de
probabilidade normal é a mesma que uma distribuição de frequência cumulativa com o log n-eixo y transformada.
Se os dados são normalmente distribuídos, a curva vai descrever uma linha recta. EG no gráfico abaixo,
transformando os dados age para nor- Malize a distribuição.

59
Capítulo 5 Resumo Estatísticas

Enredo

Tipo de gráfico para gráfico. Escolha quer Frequência, Frequência cumulativa, ou de probabilidade normal (como
apresentadas acima) curvas.

Ações
Você pode Impressão, Copiar, Editar, Exportação, ou valores gráfico lista para qualquer gráfico usando os comandos de menu da
janela principal GS +, ou através de um menu do botão direito.

Os valores de probabilidade normal

A janela Listagem de probabilidade normal fornece uma listagem dos valores usados ​para criar
a distribuição de probabilidade normal. Todos os valores do conjunto de dados são classificados por valor (ordem
crescente); qualquer linha é a freqüência do valor dessa linha mais todos
frequências anteriores (expressos como percentagem de transformada lognormal).

60
Capítulo 5 Resumo Estatísticas

Ações
Você pode Impressão, cópia, ou Exportar o conteúdo da planilha usando os comandos de menu da janela principal
GS +, ou através de um menu do botão direito. Você também pode alterar a Casas decimais relatados, destacando
uma coluna e pressionando o aumento ou diminuição Decimals ícone (ou utilizar os dados | comando de menu
Mudança decimais). Clicando no topo de uma coluna Ordenar a folha de cálculo com base no ed coluna Select- em
alternando ordem crescente ou decrescente. Você também pode mudar larguras de coluna colocando o cursor sobre
a linha entre duas colunas e arrastando para uma nova localização.

61
Capítulo 5 Resumo Estatísticas

Resumo de Dados Janela - X, Y Tab Coordenadas


O Sumário de dados fornece a estatística descritiva simples para os variates definidos na janela de dados da planilha. A
informação é fornecida para ambos os eixos X, Y Coordenadas (como abaixo), para o Z variate num separador Z-variada
separado (descrito anteriormente), e num separador de regressão, quando um co-variável é atribuído (descrito mais tarde).

Coordenadas Gama e Nome


Este é o intervalo durante o qual os dados variar na direcção X e na direcção Y, e o nome dos variates como
definidos na folha de cálculo de dados.

postagem
A publicação é um mapa do local de cada uma coordenada x, y ponto dentro da gama de coordenadas X e Y valores.
Para transectos 1-dimensionais da postagem aparece como pontos ao longo de uma linha reta. pressione Expandir ou
clique na imagem do mapa para abrir uma janela maior de covariáveis ​Contribuição (Plots quantil) que fornece acesso a
lendas e diferentes formas de agrupamento de dados quantílicas (veja abaixo). postagens de dados de dados kriged
também estão disponíveis a partir da janela do Mapa.

62
Capítulo 5 Resumo Estatísticas

Coordenar Contribuição (Lotes quantil) 2-d


scattergrams
O destacamento de coordenadas fornece um mapa de locais de amostragem que podem ser codificados para mostrar os
valores da amostra nesse local. Os valores são agrupados em até 10 aulas bol sym-.

Os dados podem ser agrupados em uma de três distribuições:

quantis - Z na qual os dados são colocados em grupos de igual frequência, ou seja, para grupos que têm o
mesmo número de valores de amostra. distribuições dos quartis são divididos em 4 grupos, percentis em 100
grupos, etc.

intervalos - Z na qual os dados são colocados em grupos com base em intervalos do intervalo de dados, sem ter em
conta a forma como muitos valores de amostra são colocados em cada grupo.

personalizadas - em que você pode definir como os grupos são formados.

Note-se que este anúncio coordenar é diferente da postagem disponível a partir da janela do mapa. A postagem
Mapa Janela usa os dados salvos com o arquivo de interpolação; desta postagem usa dados nonmissing na planilha
de dados atual.

63
Capítulo 5 Resumo Estatísticas

níveis
Colocou o Número de níveis ( correspondendo a diferentes símbolos) com qualquer valor ser- interpolação de 1 e

10. Para valores de 1, a legenda será suprimida. Colocou o Tipo de nível para corresponder à forma como símbolos

são atribuídos aos locais.


quantis dividir o domínio em igual número de valores ordenados por nível. No exemplo acima (quartis), existem
tantos valores maiores do que a mediana de
0,34, pois há menos de 0,34. Escolher intervalos para dividir a gama em intervalos regulares, por exemplo, no
exemplo acima, em que os valores entre 0 e 1,25, escolhendo Intervalos seria dividir o intervalo de dados de 0-1,25
em 4 níveis: <0,3125, <0,625, <0,9375, e <1,25 .

Definir oferece a oportunidade de definir intervalos personalizados, conforme descrito abaixo.

Ação do mouse
Off - retorna o mouse para a operação normal.

Move - permite que o gráfico a ser movido dentro da janela clicando no botão esquerdo do mouse e
arrastando o cursor.

Escala - encolhe a imagem do gráfico com o botão esquerdo do mouse. Zoom - permite aumentar o zoom em

uma área de determinado gráfico usando o botão esquerdo do mouse para definir uma área de zoom

retangular. Dentro da área ampliada a localização do cursor é anotado no painel de Rato Localização. Reset -

redefine a imagem para o ângulo de rotação padrão e escala.

Outras ações
Você pode Impressão, Copiar, Editar, Exportação, ou valores gráfico lista para qualquer gráfico usando os comandos de menu da
janela principal GS +, ou através de um menu do botão direito.

64
Capítulo 5 Resumo Estatísticas

1-d scattergrams

A janela 1-d Coordinate Publicação de fornece um mapa de locais de coordenadas para a 1- dados dimensionais. A
localização de cada ponto de dados no conjunto de dados activa é marcada por um símbolo correspondente ao seu valor
relativo. Tanto o número de níveis indicadas, bem como o intervalo para cada nível é definido pelo utilizador. Uma janela
semelhante fornece ings pós para os dados de dois-d, como descrito acima.

Comandos nesta janela são os mesmos que para o 2-d diagramas de dispersão, acima.

65
Capítulo 5 Resumo Estatísticas

Definindo intervalos Destacamento

A janela Definir Publicação de intervalos permite postar intervalos a custom-definidos, e oferece a oportunidade de
definir o tamanho do símbolo, cor, formas e nomes de legenda. Esta janela é acessada a partir da janela de
coordenadas Publicação.

Faixa de valor
Especificar o limite superior de cada faixa de valor. Mudando um percentual ou valor Intervalos irá alterar o tipo de
Nível (definida na janela coordenadas Publicação) para Personalizado. O número de valores exibidos é baseada no
número de níveis escolhidos na janela de coordenadas Publicação.

Símbolo

Escolha um símbolo da lista drop-down para o intervalo especificado.

Nome

Escolha um nome para aparecer na legenda do gráfico.

Cor

Escolha uma cor para o símbolo especificado clicando no caixa colorida.

Tamanho

Escolha um tamanho para o símbolo especificado

título da legenda

Especificar o título para aparecer no topo das lendas. Nenhuma legenda aparecerá se apenas 1 nível de intervalo é
escolhido.

Publicação de detalhes Amostra

A janela de detalhes da amostra aparece quando você clica em um ponto na janela ordenada postar o 1-d ou 2-d
Co-.

66
Capítulo 5 Resumo Estatísticas

Resumo de dados Janela - Análise de Regressão Tab


O Resumo de Dados Janela Regressão Tab está disponível quando uma co-variável é as- assinado na planilha Janela
de dados através da Atribuição campo de diálogo. Informação para o variate Z ou covariáveis ​é fornecida em um
separador Z-variada separada, e para o co-ordenadas variates numa X separada, Y guia Coordenadas, como descrito
anteriormente. A trama scat- TER é um gráfico da regressão cruz-variada (ver abaixo).

Prolongar
Prima Ampliar para ver uma versão maior da regressão scatterplot Cruz-variada. A partir da janela de Regressão
você será capaz de editar e imprimir o gráfico, bem como valores de dados da lista graficamente, conforme descrito
abaixo.

67
Capítulo 5 Resumo Estatísticas

Cross-Variável Regressão

O melhor teste para saber se uma co-variável está relacionada com a variate principal - um pré-requisito para
cokrigagem - é a realização de uma análise de regressão. Em GS + os resultados da de regressão do Z variate
primário vs. covariável Z2 é apresentado no separador Regressão Resumo de Dados. Clicando no Prolongar comando
em que a janela abre a janela de Cross Variável de regressão:

Note-se que quando o cursor estiver posicionado sobre um ponto (o segundo ponto da direita no gráfico de cima), os
valores de dados para esse ponto são identificados na parte inferior da janela.

Ações
Você pode Impressão, Copiar, Editar, Exportação, ou valores gráfico lista para qualquer gráfico usando os comandos de menu da
janela principal GS +, ou através de um menu do botão direito.

68
Capítulo 5 Resumo Estatísticas

Valores de regressão cross-variate

A janela de Regressão lista fornece uma lista dos valores usados ​para criar o regressões. estatísticas de
regressão aparecem na guia Regressão Resumo de Dados.

Ações
Você pode Impressão, cópia, ou Exportar o conteúdo da planilha usando os comandos de menu da janela principal
GS +, ou através de um menu do botão direito. Você também pode alterar a Casas decimais relatados, destacando
uma coluna e pressionando o aumento ou diminuição Decimals ícone (ou utilizar os dados | comando de menu
Mudança decimais). Clicando no topo de uma coluna Ordenar a folha de cálculo com base no ed coluna Select- em
alternando ordem crescente ou decrescente. Você também pode mudar larguras de coluna colocando o cursor sobre
a linha entre duas colunas e arrastando para uma nova localização.

69
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Capítulo 6
Análise semivariância - Overview

Semivariância é uma estatística autocorrelação definido como

γ ( h) = [ 1 / 2N ( h)] Σ [ z Eu - z i + H] 2

Onde γ ( h) = Semivariância para a classe distância intervalo h;

z i = valor de amostra medido no ponto Eu;


z i + H = valor de amostra medido no ponto i + h; e n( h) = número total de casais de
amostra para o intervalo lag h.

Semivariância é avaliada em GS + calculando γ ( h) para todos os pares possíveis de pontos no conjunto de dados e
atribuindo a cada par a uma classe h de intervalo. Para ses Clas- de intervalo regulares, GS + faz uma designação de
classe de intervalo para um dado par de pontos utilizando a seguinte fórmula:

classe = INT (D / DI) + 1 onde D = distância separando o

par
DI = lag classe intervalo de distância INT
função = Integer

Quando a primeira defasagem é compensada por ½ intervalo, a fim de melhores valores resolver perto da origem, a
fórmula é:

classe = INT ([D / DI] 0,5) + 1

Esta opção está disponível marcando uma caixa em Preferências - diálogo análises. Ele pode proporcionar um melhor
resolvidas variogramas quando existem pares suficientes de pontos a distâncias de separação mais curtos. A
desvantagem é que, se houver alguns pares de pontos para as classes de menor distância, quando o primeiro atraso
não é compensado (um problema comum), haverá ainda menos pares disponíveis com o primeiro atraso offset. Se este
for o caso, haverá pouca ou nenhuma melhoria para o variograma. Para intervalos de classe lag individualmente
especificados, pares de pontos são atribuídos ao intervalo de 70
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

aulas de atraso com base em valores na janela de Definir Lag Classe intervalos. GS + calcula uma estatística semivariância
para cada classe de intervalo; o gráfico de todos os h de contra todas semivariâncias para cada classe de intervalo na
análise constitui o variograma (mais propriamente chamado de semivariograma).

Para cokrigagem, análise semivariância deve ser realizado para o variate primária (Z), para a co-variável (Z2), e
para o variate cruz (x Z2 Z) situação.

Janela autocorrelação
A Janela Autocorrelação é onde várias opções para cálculos de variogramas e os resultados finais aparecem; ver o
resumo Análise semivariância para uma definição de semivariância e fórmulas para intervalos de distância de classe
lag.

Distância Lag ativa


A distância de atraso ativo especifica o intervalo no qual semivariância vai ser calculada. A distância mínima para
este campo é a distância mínima entre os pontos adjacentes no conjunto de dados, enquanto que a distância máxima
é a distância máxima entre os pontos. Especificando um valor muito grande ou muito pequeno irá atribuir,
respectivamente, as maiores ou menores valores possíveis para esta distância.

Por exemplo, um 1200 m corte transversal terá um atraso máximo de 1,200 m; especificando uma retardação activa de
300 m irá limitar o variograma a ficar intervalos inferiores ou iguais a 300 m ao longo de todo o comprimento 1200 m da
transecção.

O lag ativa padrão é especificado na guia Análise da caixa de diálogo Preferências do usuário

71
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

janela (ver Capítulo 2). Isso não é provável que seja o lag ativo mais adequado para os seus dados, mas em vez irá
proporcionar um ponto de partida. Variogramas normalmente se decompõem em intervalos grandes lag por causa da
diminuição do número de casais por classe lag como o intervalo máximo de lag é abordado.

GS + permite que 1 milhão de aulas lag para ser especificado com até 1 bilhão de pares por classe.

Lag Classe Intervalo de Distância


O Lag Classe Intervalo de Distância define como pares de pontos serão agrupados em classes lag. Cada ponto num
variograma representa o semivariância médio para uma única classe de atraso, o que é um grupo de pares separados por
um certo desfasamento classe de distância Inter-val, por vezes, chamado de tamanho do passo. Este intervalo pode ser
calculado por GS +, caso em que serão distribuídos regularmente em toda a distância de atraso activo, ou pode ser
ajustado manualmente pelo utilizador:

• Use pontos individualmente especificados


Com esta opção, você pode usar o Definir comando para abrir uma janela para definir Lag intervalos de
classe, ou seja, para especificar break points individuais para os intervalos de lag (descritos abaixo).

• Use um intervalo regular


Com esta opção, o valor especificado é o tamanho do intervalo, aplicada regular- mente através da distância
lag ativo. Por exemplo, um intervalo de 2 unidades, com uma distância de atraso activo de 10 unidades vai criar
5 classes lag, cada 2 unidades de largura. O intervalo mínimo permitido é a menor distância que separa
quaisquer dois locais de ponto de ple SAM- no conjunto de dados. O intervalo máximo é o maior tância dis-
separar quaisquer dois locais de ponto de amostra. O valor padrão é de 10% do lag ativa ou, se 10% do lag
ativo é menor que o mínimo permitido, o mínimo permitido. Este padrão pode não ser apropriado para qualquer
conjunto de dados; você deve tentar etapas diferentes para cada conjunto. O número de classes lag (e, por
conseguinte, representados graficamente pontos) num variograma é uma função de valores para o
desfasamento activo e o passo activo; um desfasamento de 300 m activa com um passo activo de 15 m terá
ca. 20 aulas de lag. Note, no entanto, que a distância de atraso para uma determinada classe serão os pontos
de média distância que separa dentro da classe e não necessariamente o ponto médio para a classe. Para uma
classe atraso de 10-20 m, por exemplo, a distância média atraso pode ser de 12,3 m, em vez de 15 m se mais
pares de pontos são separados por intervalos de 10-15 m por 15-20 m intervalos.

Alterar o intervalo de distância irá limpar resultados na tela a partir de análises anteriores calculados com
uma etapa diferente. Resultados com base na nova etapa deve ser re-gerado com o comando Calcular.

72
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Orientação anisotrópica Axis


Anisotropia refere-se a uma tendência dependente da direcção nas dados. Considere dados recolhidos a partir de uma rede
bidimensional na encosta de uma montanha: elevação será autocorrelacionados de forma diferente em direcção upslope-curva
descendente do que numa direcção transversal à inclinação, e, assim, uma isotrópica (todo-sentido) análise pode ocultar a maior
parte da autocorrelação que na verdade está presente. análise anisotrópica permite que você veja se os seus dados têm um
componente direcional que pode surgir a partir de uma variedade de fatores imprevistos. Anisotrópica aná- lise é irrelevante para os
dados de dimensão única, tal como um corte transversal.

GS + avalia anisotropia geométrico, ou seja, anisotropia que é expressa como gramas vario- com diferentes
intervalos em diferentes direcções. O principal anisotrópica eixo (o eixo principal do modelo anisotrópica) é a
direcção com o intervalo mais longo, ou seja, a direcção de continuidade espacial principal.

A melhor maneira de avaliar a anisotropia é para visualizar a superfície anisotrópica semivariâncias (Variograma
Mapa), e utilizar a função do azimute para definir e, em seguida, definir o anisotrópica Eixo principal para a direcção
alinhada com os valores semivariâncias mais baixas (o sentido de continuidade espacial máxima, ou eixo principal do
modelo variograma anisotrópica). O mapa é acessado por prensagem a Superfície comando na parte inferior da janela
de Análise semivariância.

Eixo principal (graus N)


O eixo principal é o sentido de continuidade espacial máxima, ou eixo de base a partir do qual são calculados os ângulos
de compensação para análises anisotrópicos. Deslocamento ângulos são 0º, 45º, 90º e 135º no sentido horário a partir
do eixo de base; pontos alinhados suficientemente perto de um ou outro destes ângulos (ver offset Tolerância abaixo)
são incluídos na análise sotropic ani- para esse ângulo.

A orientação do eixo deve coincidir com o eixo de continuidade espacial máxima, isto é, o eixo principal anisotrópica.
O eixo padrão é 0º a partir do eixo norte-sul (y). Escolha o valor do eixo apropriado usando o comando de superfície
para abrir a janela de superfície do anisotrópica Variograma.

Deslocamento de tolerância (graus)


Em análises anisotrópicos, a tolerância offset determina quão perto do alinhamento entre quaisquer dois pontos

precisa ser para os pontos de ser incluído na análise para um dado ângulo de desvio. Dois pontos serão incluídos na

análise para um determinado ângulo de deslocamento, se o ângulo entre eles está dentro da tolerância deslocamento

a partir do ângulo de deslocamento. Por exemplo, se o ângulo entre dois pontos é 59.3º e a tolerância é compensado

73
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

15.0º, os pontos serão incluídos apenas na classe ângulo de 45º, que incluiria todos os ângulos entre 30º e 60º. A
tolerância padrão é 22,5º.

Opções variograma Mostrar

variância da amostra
Marque esta opção para mostrar a variância de exemplo para os dados como uma linha tracejada nos gráficos variograma.

Mostrar Modelo Variograma


Marque esta opção para mostrar um modelo para os pontos de variograma. Se o modelo tem al- pronto sido definido,
automaticamente ou manualmente, o variogramas será redesenhado com o modelo agora graficamente. Se um
modelo ainda não foi definido, ou mediante execut- ing o Calcular comando, um modelo de melhor ajuste será
calculado e gráficos. Para ver os parâmetros do modelo e para alterar o modelo, use o Modelo comando na parte
inferior da imagem variograma.

Expandir
o Expandir comando abre uma janela variograma separado, a partir do qual o variograma pode ser impresso ou
formatado. Análise de variância Nuvem, a capacidade de visualizar os valores semivariância individuais, eo número de
pares por intervalo de classe variograma também estão disponíveis a partir dessas janelas.

Modelo
o Modelo comando abre uma janela Modelo de diálogo na qual você pode alterar o modelo de variograma. o Modelo comando
é somente quando o habilitado Mostrar Modelo Opção Variograma é seleccionado.

Superfície
o Superfície comando mostra a janela de superfície Mapa anisotrópica Variograma. O mapa de superfície é útil
para a visualização de autocorrelação anisotrópica quando presente, como descrito abaixo.

Calcular
o Calcular comando faz com que o semivariograma a ser calculado.

74
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Definir Lag Irregular intervalos de classe


Use esta janela de diálogo para especificar as classes lag individuais que não são necessariamente REG ular. Nas
células da planilha você pode especificar o limite superior das classes intervalo de distância desejados. Zero é sempre o
menor limite eo Lag tância Dis- activo é sempre o limite superior, independentemente de valores inseridos neste diálogo.
No exemplo abaixo, a nota que as classes são separados pela primeira vez por 3 unidades de distância, então por 5,

10, e 20 unidades.

Claro
Desmarque a planilha.

Importar
Importar um arquivo de texto que contém a classe lag limites de intervalo. A extensão padrão para intervalo de classe lag (ou
passo) arquivos é STP. O formato do arquivo a ser importado é nu- registros somente de Meric seguintes um número variável
de registros de cabeçalho alfanuméricos. Por exemplo:

linha 1: registro de cabeçalho opcional 1


linha 2: registro de cabeçalho opcional 2
linha 3: 2,0
linha 4: 4.0
linha 5: 8
linha 6: 12,0
linha 7: 30,0
linha 8: 100.0

75
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Este arquivo descreve 8 classes GAL:

0 a <2,0,
2,0 a <4,0,
4,0 a <8,0,
8,0 a <12,0,
12,0 para <30,0,
30,0 a <100,0,
100,0 a distância máxima lag.

Você pode ajustar o atraso ativo para ser qualquer valor até e incluindo os pontos de distância que separa o máximo
no arquivo de entrada, ou seja, a distância máxima lag.

Ações
Você pode Impressão, Cópia de, ou Exportar o conteúdo da planilha usando os comandos de menu da janela
principal GS +, ou através de um menu do botão direito. Você também pode alterar a Casas decimais relatados,
destacando uma coluna e pressionando o aumento ou diminuição Decimals ícone (ou utilizar os dados | comando de
menu Mudança decimais). Clicando no topo de uma coluna Ordenar a folha de cálculo com base no ed coluna Select-
em alternando ordem crescente ou decrescente. Você também pode mudar larguras de coluna colocando o cursor
sobre a linha entre duas colunas e arrastando para uma nova localização.

76
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

variogramas Janela
A janela Variogramas apresenta um variograma full-janela que pode ser editado e impresso. Guias diferentes segurar
variogramas para as diferentes direções anisotrópicos. Adi- cionalmente, os valores semivariância que foram usados
​para produzir o variograma podem ser listados, e análise de variância Nuvem pode ser realizada. Variância Nuvens
proporcionar um meio para detectar os pares outlier de pontos que podem ser artificialmente enviesando a grama
vario-.

É possível utilizar o cursor do rato para identificar o número de pares de classes específicas de retardação (relatados na parte
inferior da janela, no exemplo abaixo, o cursor estava sobre a dois nd símbolo no variograma), e para começar a análise de
variância nuvem. Note-se também que os parâmetros para o modelo variograma (se presente) são apresentados no gráfico de
uma nota de rodapé. Se você não quer que os parâmetros para aparecer como uma nota de rodapé que você deve usar o
comando Editar gráfico para abrir o diálogo Configurações do Gráfico e no campo Nota de rodapé re- mover a notação
“(resultados do modelo)”.

Ações
Você pode Impressão, Copiar, Editar, Exportação, ou valores gráfico lista para qualquer gráfico usando os comandos de menu da
janela principal GS +, ou através de um menu do botão direito.

Nuvem / Scatter
Criar uma nuvem de desvio ou gráfico Diagrama de dispersão para um intervalo de atraso particular numa janela taxa sepa-
(descrito em maior detalhe mais tarde).

77
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Valores semivariância
Nesta planilha estão listados para cada classe lag a distância média de separação para pares de pontos em que
a classe, a semivariância médio desses pontos, e o número de pares de pontos sobre os quais a distância média
e semivariância se baseiam. Esta é uma planilha somente leitura.

Ações
Você pode Impressão, Cópia de, ou Exportar o conteúdo da planilha usando os comandos de menu da janela
principal GS +, ou através de um menu do botão direito. Você também pode alterar a Casas decimais relatados,
destacando uma coluna e pressionando o aumento ou diminuição Decimals ícone (ou utilizar os dados | comando de
menu Mudança decimais). Clicando no topo de uma coluna Ordenar a folha de cálculo com base no ed coluna Select-
em alternando ordem crescente ou decrescente. Você também pode mudar larguras de coluna colocando o cursor
sobre a linha entre duas colunas e arrastando para uma nova localização.

78
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Modelos variograma isotrópicos


O variograma é um gráfico de semivariância versus distância de separação. Onde autocor- relação está presente,
semivariância é inferior a distâncias de separação de menores (autocorre- mento é maior). Isto normalmente produz
uma curva, tal como descrito abaixo, que pode ser modelado utilizando três termos - um variância pepita, uma soleira,
e uma gama. GS + fornece quatro tipos de modelos isotrópicos, cada um dos quais pode ser descritas com base em
três parâmetros:

Nugget Variância ou C 0 - a y-intercept do modelo Sill ou C 0+ C - o modelo

assíntota

Faixa ou A - a distância de separação sobre os quais a dependência espacial é ent appar-. Às vezes isso é
chamado o alcance efetivo para distinguir intervalo (A) a partir do parâmetro intervalo de um modelo (A 0). Em
GS + Gama (A) é calculado a partir de um 0 como descrito nas fórmulas para os diferentes modelos, mais
tarde neste ter chap-.

Generalized Variograma Modelo

0,24 = 0,21

0,19

Nugget (C 0) = 0,04 peitoril (C + C 0)


semivariância

0,12 C

0,06
Gama (A) = 13,3
C0
0.00 0
20 40 60 80

Distância de separação (h)

79
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

GS + calcula valores padrão para cada parâmetro dos cinco modelos. Você pode alterar qualquer uma dessas três
parâmetros do modelo a partir da janela de diálogo Isotrópica Variograma Modelo:

Tipo variograma Modelo


Escolha um dos quatro modelos isotrópicos (Linear, esférico, exponencial e de Gauss). Como modelo é escolhido os
gráficos variogramas será atualizado para denotar a mudança.

modelo Termos
Qualquer um dos três parâmetros do modelo para cada modelo pode ser alterada dentro das es rang- permitidos para os
parâmetros individuais. Para alterar um valor, quer mover o controle deslizante ser- neath ou digite um novo valor diretamente
na caixa de texto:

Nugget Variância ou C 0 - a y-intercept do modelo; a variância pepita nunca pode ser maior do que o peitoril.

Peitoril ou C 0+ C - o modelo assíntota; peitoril nunca pode ser menor do que a variância pepita.

Range (A) - a distância de separação sobre os quais a dependência espacial é ent appar-. Isso às vezes é
chamado de Escala eficaz, a fim de distingui-gama (A) a partir do parâmetro intervalo de um modelo (A 0). O
Range A é calculado de A 0 como a descrita nas fórmulas para os diferentes modelos, abaixo. A faixa não pode
ser inferior a 0.

Estatísticas - Este Fit


GS + fornece três estatísticas para auxiliar a interpretação dos resultados do modelo:

80
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Soma de quadrados residuais - fornece uma medida exata de quão bem o el mo- se ajusta aos dados
variograma; o mais baixo dos montantes reduzidos de praças, melhor o modelo se encaixa. Quando GS +
autofits o modelo, ele usa RSS para escolher parâmetros para cada um dos modelos de variograma
determinando uma combinação de ues parâmetros val- que minimiza RSS para qualquer modelo. O SS
residual que aparecem na caixa do Fit é calculado para o modelo atualmente definido.

r 2 - fornece uma indicação de quão bem o modelo se ajusta aos dados variograma; este valor não é tão
sensível ou robusta como o valor SS residual para cálculos de melhor ajuste; usar RSS para julgar o efeito de
alterações nos parâmetros do modelo.

Proporção C / (C 0+ C) - Esta estatística proporciona uma medida da proporção de variância da amostra (C 0+ C)


que é explicado por espacialmente estruturado variância C. Este valor será de 1,0 para um vario sem
variância pepita (onde a curva passa através da origem); Por outro lado, será 0, onde não há nenhuma
variação espacialmente dependente no intervalo especificado, isto é, onde há uma pepita puro EF- fect.

Estatísticas - AutoFit
Estatísticas para o modelo Autofit (o modelo mais recentemente calculado pela GS +) aparecem nesta caixa. Desta
forma, você pode comparar as alterações para modelar termos contra a calculada automaticamente.

autofit
recolocar automaticamente o modelo utilizando como condições iniciais dos parâmetros nesta janela de log dia-.
Modelo encaixe em GS + é um pouco dependente condições iniciais (como- sumed parâmetros do modelo antes de
iterações). Às vezes você pode caber um modelo melhor à mão, caso em que Montagem irá refinar ainda mais
parâmetros para minimizar RSS. Para voltar aos parâmetros do modelo originais você pode precisar para sair desta
janela de definição de modelo e recalcular o variograma.

OK / Cancelar
Pressione OK para fechar a janela de diálogo e aplicar quaisquer alterações feitas aos modelos individuais. Pressione
Cancelar para sair da janela de diálogo sem aplicar as alterações.

81
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Modelo Isotrópica esférica


O modelo esférico isotrópica é uma função quadrática modificado para que em algum dis- tância Um 0 pares de
pontos não serão mais autocorrelacionados eo semivariograma atinge uma assíntota. A fórmula utilizada para este
modelo é:

γ ( h) = C 0 + C [1,5 ( h / UMA 0) - 0,5 (H / A 0) 3] para h ≤ UMA 0

γ ( h) = C 0 + C para h > UMA 0

Onde γ ( h) = semivariâncias por classe de distância intervalo h, h = o intervalo de atraso


distância, C 0 = variância pepita ≥ 0, C = variância estrutural ≥ C 0, e A 0 = parâmetro

gama. No caso do modelo esférico,

a gama eficaz A = A 0.

82
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Modelo Isotrópica exponencial


O modelo exponencial isotrópica é semelhante ao esférica em que ele se aproxima da soleira gradualmente, mas
diferente da parte esférica na velocidade à qual a soleira é proached AP- e no facto do modelo e o peitoril nunca
realmente convergem. A fórmula utilizada para este modelo é:

γ ( h) = C 0 + C [1 - exp (- h / UMA 0)]

Onde γ ( h) = semivariâncias por classe de distância intervalo h, h = intervalo de atraso, C 0 = variância


pepita ≥ 0, C = variância estrutural ≥ C 0, e A 0 = parâmetro gama. No caso do modelo

exponencial,

a gama eficaz A = 3A 0, que é a distância em que o peitoril (C + C 0) está


dentro de 5% da assíntota (o peitoril nunca se reúne a assíntota nos
modelos exponenciais ou de Gauss).

83
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Linear Isotrópica Modelo


O modelo isotrópico linear descreve um variograma linha reta. Note-se que não há peitoril neste modelo; Uma gama
a 0 é definido arbitrariamente como observado abaixo. A fórmula utilizada é:

γ ( h) = C 0 + [ h ( C / A 0)]

Onde γ ( h) = semivariâncias por classe de distância intervalo h, h = intervalo de atraso,


C 0 = variância pepita ≥ 0, C = variância estrutural ≥ C 0, e A 0 = parâmetro gama.

No caso do modelo linear,

não há nenhuma gama eficaz A - correlação espacial auto ocorre


em toda a gama amostrado; no GS janelas + modelo A é definido
inicialmente para a distância de separação ( h) para a última aula
lag graficamente; no variograma abaixo, isso seria 77,4.

84
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Modelo Isotrópica Gaussian


O modelo gaussiano isotrópico ou hiperbólica é semelhante ao modelo exponencial mas assume um aumento
gradual para a intercepção y. A fórmula utilizada para este modelo é:

γ ( h) = C 0 + C [1 - exp (- h 2 / UMA 0 2)]

Onde γ ( h) = semivariâncias por classe de distância intervalo h, h = intervalo de atraso, C 0 = variância


pepita ≥ 0, C = variância estrutural ≥ C 0, e A 0 = parâmetro gama. No caso do

modelo de Gaussian,

a gama eficaz A = 3 0,5 UMA 0, que é a distância em que o peitoril (C + C 0) está


dentro de 5% da assíntota (o peitoril nunca se reúne a assíntota no
Gaussiana ou modelos exponenciais).

85
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Anisotrópica variograma Models


modelos de variograma anisotrópicos são semelhantes àquelas para variogramas isotrópicos mas a informação
direcional clude in- no parâmetro gama. GS + calcula sotropy ani- geométrico, no qual as mudanças de intervalo com
sentido, mas o peitoril permanece constante. Consequentemente, o modelo anisotrópica inclui uma componente
direccional apenas para o termo gama abaixo.

Quatro tipos de modelos de variograma anisotrópicos são fornecidos em GS +: Linear, esférico, exponencial e
gaussiano. Cada modelo pode ser descrito usando os seguintes termos:

• Nugget Variância ou C 0 - a y-intercept do modelo; este valor é o mesmo para todas as direções.

• Peitoril ou C 0+ C - o modelo assíntota; este valor é o mesmo para todas as direções.

• Um intervalo ou - a distância de separação ao longo do qual a dependência espacial é pai AP- para a
direcção examinado. É a soma de:

• UMA 1 - o parâmetro intervalo para o eixo maior variação φ e

• UMA 2 - o parâmetro de gama para o eixo menor ( φ + 90), ajustado para o ângulo entre os pares θ como

observado nas fórmulas para modelos indivi- duais.

Às vezes Gama ou A é chamado o alcance efetivo, a fim de distin- gama Guish a partir de
parâmetros de intervalo de um modelo (A 1 ou A 2). Em GS + o Mi- nem Ranges e faixas principais
são calculados a partir A 1 e A 2, respectivamente, como descrito nas fórmulas para os diferentes
modelos posteriores neste capítulo.

GS + calcula valores padrão para cada parâmetro dos cinco modelos. Você pode alterar qualquer uma dessas quatro
parâmetros do modelo a partir da janela de diálogo anisotrópica Variograma Modelo:

86
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Tipo variograma Modelo


Escolha um dos quatro modelos isotrópicos (Linear, esférico, exponencial, ou Gauss). Como modelo é escolhido os
gráficos variogramas será atualizado para denotar a mudança.

modelo Termos
Qualquer um dos três parâmetros para cada modelo pode ser alterada dentro das gamas al- lowed para os parâmetros
individuais. Para alterar um valor, quer mover o controle deslizante abaixo dela ou digite um novo valor diretamente na caixa
de texto:

Nugget Variância ou C 0 - a y-intercept do modelo; a variância pepita nunca pode ser maior do que o peitoril.

Peitoril ou C 0+ C - o modelo assíntota; peitoril nunca pode ser menor do que a variância pepita.

Faixa Minor - a distância de separação sobre os quais a dependência espacial é pai AP. Isso às vezes é
chamado de Escala eficaz, a fim de distinguir gama de parâmetro intervalo de um modelo (A 2). A faixa menor é
calculado de A 2 como descrito nas fórmulas para os diferentes modelos, abaixo. A gama menor nunca pode
ser mais do que a grande gama.

Faixa major - a distância de separação sobre os quais a dependência espacial é pai AP. Em alguns textos
isso é chamado o alcance efetivo para distinguir gama de principal parâmetro para a gama do modelo (A 1). O
intervalo menor é calcularam de A 1 como descrito nas fórmulas para os diferentes modelos, abaixo. A maior
gama nunca pode ser inferior ao intervalo menor.

Estatísticas - Este Fit


GS + fornece três estatísticas para auxiliar a interpretação dos resultados do modelo:

87
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Soma de quadrados residuais - fornece uma medida exata de quão bem o el mo- se ajusta aos dados
variograma; o mais baixo dos montantes reduzidos de praças, melhor o modelo se encaixa. Quando GS +
autofits o modelo, ele usa RSS para escolher parâmetros para cada um dos modelos de variograma pela
determinação da combinação de ues parâmetros val- que minimiza RSS para qualquer modelo. O SS residual
que aparecem na caixa do Fit é calculado para o modelo atualmente definido.

r 2 - fornece uma indicação de quão bem o modelo se ajusta aos dados variograma; este valor não é tão
sensível ou robusta como o valor SS residual para cálculos de melhor ajuste; usar RSS para julgar o efeito de
alterações nos parâmetros do modelo.

Proporção C / (Co + C) - Esta estatística proporciona uma medida da proporção de variância da amostra (C 0+ C)
que é explicado por espacialmente estruturado variância C. Este valor será de 1,0 para um vario sem
variância pepita (onde a curva passa através da origem); Por outro lado, será 0, onde não há nenhuma
variação espacialmente dependente no intervalo especificado, isto é, onde há uma pepita puro EF- fect.

Estatísticas - AutoFit
Estatísticas para o modelo Autofit (o modelo mais recentemente calculado pela GS +) aparecem nesta caixa. Desta
forma, você pode comparar as alterações para modelar termos contra a calculada automaticamente.

autofit
recolocar automaticamente o modelo utilizando como condições iniciais dos parâmetros nesta janela de log dia-.
Modelo encaixe em GS + é um pouco dependente condições iniciais (como- sumed parâmetros do modelo antes de
iterações). Às vezes você pode caber um modelo melhor à mão, caso em que Montagem irá refinar ainda mais
parâmetros para minimizar RSS. Para voltar aos parâmetros do modelo originais você pode precisar para sair desta
janela de definição de modelo e recalcular o variograma.

OK / Cancelar
Pressione OK para fechar a janela de diálogo e aplicar quaisquer alterações feitas aos modelos individuais. Pressione
Cancelar para sair da janela de diálogo sem aplicar as alterações.

Modelo anisotrópica esférica


O modelo anisotrópica esférica é uma função quadrática modificado em que a uma certa distância um 1 ao longo do
eixo maior e A 2 ao longo do eixo menor, pares de pontos não são autocorrelacionados e o variograma atinge uma
assimptota. A fórmula utilizada para este modelo é:

γ ( h) = C 0 + C [1,5 ( h / A) - 0,5 ( h / A) 3] para h ≤ UMA

88
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

γ ( h) = C 0 + C para h > UMA

Onde γ ( h) = semivariâncias por classe de distância intervalo h, h = intervalo de


atraso, C 0 = variância pepita ≥ 0, C = variância estrutural ≥ C 0, e A = √ { UMA
12 [ cos 2 ( θ - φ)] + UMA 22 [ pecado 2 ( θ - φ)]}

UMA 1 = parâmetro gama para o eixo maior ( φ). No caso


do modelo esférico, o intervalo (ou intervalo eficaz)
para o eixo maior = A 1.
UMA 2 = parâmetro gama para o eixo menor ( φ + 90). No caso do modelo
esférico, o intervalo (ou intervalo eficaz) para o eixo menor = A 2.

φ = ângulo de variação máxima


θ = ângulo entre pares

Modelo anisotrópica exponencial


O modelo exponencial anisotrópica é semelhante ao esférica em que o peitoril aproximarem es gradualmente,
mas diferente da parte esférica na velocidade à qual a soleira é abordado e no facto do modelo e o peitoril
nunca realmente convergem. A fórmula utilizada para este modelo é:

γ ( h) = C 0 + C [1 - exp (- h / A)] onde γ ( h) = semivariâncias por classe de distância


intervalo h, h = intervalo de atraso, C 0 = variância pepita ≥ 0, C = variância

estrutural ≥ C 0, e A = √ { UMA 12 [ cos 2 ( θ - φ)] + UMA 22 [ pecado 2 ( θ - φ)]}

UMA 1 = parâmetro gama para o eixo maior ( φ). No caso


do modelo exponencial, o intervalo (ou intervalo eficaz)
para o eixo maior = 3A 1.
UMA 2 = parâmetro gama para o eixo menor ( φ + 90). No caso do modelo
exponencial, o intervalo (ou intervalo eficaz) para o eixo menor =
3A 2.
φ = ângulo de variação máxima
θ = ângulo entre pares
89
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Linear anisotrópica Modelo


O modelo anisotrópica linear descreve um variograma linear. Note-se que não há peitoril neste modelo; os intervalos
para os eixos maior e menor são definidos em termos de intervalo de distância para a última aula lag no variograma.
A fórmula utilizada é:

γ ( h) = C 0 + h (C / A), onde γ ( h) = semivariâncias por classe de distância intervalo h,


h = intervalo de atraso, C 0 = variância pepita ≥ 0, C = variância estrutural ≥ C 0,

eA=√ { UMA 12 [ cos 2 ( θ - φ)] + UMA 22 [ pecado 2 ( θ - φ)]}

UMA 1 = parâmetro gama para o eixo maior ( φ). No


caso do modelo linear, não há grande gama eficaz - autocorrelação
espacial ocorre em toda a gama amostrado; em janelas modelo GS + A 1 é
definido inicialmente para a distância de separação ( h) para a última aula
lag gráfico. UMA 2 = parâmetro gama para o eixo menor ( φ + 90). No caso
do modelo linear, não existe qualquer intervalo menor eficaz -
autocorrelação espacial ocorre em toda a gama amostrado; em janelas
modelo GS + A 2 é definido inicialmente para a distância de separação ( h) para
a última aula lag gráfico.

φ = ângulo de variação máxima


θ = ângulo entre pares

Modelo anisotrópica Gaussian


O modelo anisotrópica Gaussiana ou hipérbole é semelhante ao modelo exponencial mas assume um aumento
gradual do intercepto-y. A fórmula utilizada é:

γ ( h) C = 0 + C [1 - exp (-h 2 / UMA 2)]

Onde γ ( h) = semivariâncias por classe de distância intervalo h, h = intervalo de

atraso, C 0 = variância pepita ≥ 0,

90
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

C = variância estrutural ≥ C 0, e A = √ { UMA 12 [ cos 2 ( θ - φ)] + UMA


22 [ pecado 2 ( θ - φ)]}
UMA 1 = parâmetro gama para o eixo maior ( φ). No caso
do modelo gaussiano, o intervalo (ou intervalo eficaz) para
o eixo maior = 3 0,5 UMA 1.
UMA 2 = parâmetro gama para o eixo menor ( φ + 90). No caso do modelo
gaussiano, o intervalo (ou intervalo eficaz) para o eixo menor = 3 0,5
UMA 2.
φ = ângulo de variação máxima
θ = ângulo entre pares

91
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Anisotrópica semivariâncias superfície (2-d Variograma Mapa)


A superfície anisotrópica semivariância ou Variograma Mapa fornece uma imagem visual de semivariância em todas
as direções da bússola. Isto permite que se encontrar mais facilmente os eixos principais apropriadas para definir o
modelo anisotrópica variograma. Um corte transversal em qualquer direcção única (por exemplo, 10 graus Norte) é
equivalente ao variograma nesse sentido: a superfície (eixo z) é semivariância; os eixos x e y são separação dis-
tâncias em EW e NS direcções, respectivamente. O centro do mapa corresponde à origem do variograma γ ( h) = 0
para todas as direções. Ver Isaaks e Srivastava (1989; página 150) e Goovaerts (1997; página 98).

Um mapa aparece (células de xadrez, como abaixo) incompletos quando não há pelo menos 3 pares de pontos para
fornecer um semivariância média para uma classe especial de atraso e direcção. Células com menos de 3 pares
parecerá estar faltando. tamanho da célula é pendente de- no intervalo lag classe de distância.

Ações
Você pode Impressão, Copiar, Editar, Exportação, ou valores gráfico lista para qualquer gráfico usando os comandos de menu da
janela principal GS +, ou através de um menu do botão direito.

3-d
Mudar a projecção gráfico a 3-d a partir de 2-d ou 2-d a partir de 3-d.

92
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Azimute
Quando a caixa de seleção é marcada, um transecto na superfície do mapa ilustra o ângulo de azimute. O ângulo é
especificado na caixa de texto (por exemplo, 348º na janela acima), e também apresentados graficamente na área
sob o ângulo de azimute. A variação semi-médio para o transecto é exibido como A: nnn sob o comando Set. Note-se
que não há diferença entre um ângulo e esse ângulo mais 180º.

Conjunto

Faça o ângulo de azimute exibido nesta janela Principal anisotrópica Axis na janela de Análise semivariância.
premente Conjunto irá repor o anisotrópica Eixo Principal; para a consistência, o ângulo na janela Análise
semivariâncias irá apresentar um valor entre 0º e 180º, de modo que um valor> 180º aparece como valor que menos
de 180 ° (por exemplo 225º será reposto a 90º na janela de Análise semivariâncias). Conjunto irá forçar uma
reconstrução da anisotrópica variogramas (e modelos, se seleccionado) na janela de semivariância. O principal
anisotrópica eixo (o eixo principal do modelo anisotrópica) deve ser a direcção da maior continuidade espacial (ou
eixo principal do modelo variograma anisotrópica), que corresponde à direcção, com o intervalo mais longo.
correspondentemente, UMA deve ser menor na direcção principal (inferior Aliança semivar- média) e maior na menor
(90º-offset) direcção.

UMA A semivariância média para o transecto azimute é exibido como A: nnn sob o comando Set, onde nnn é a

semivariância média. UMA deve ser menor na direcção principal (inferior semivariância média) e maior na menor

(90º- offset) direcção

Ação do mouse
Off - retorna o mouse para a operação normal.

Girar - transforma o cursor em um manguito rotador quando o botão esquerdo do mouse é pressionado, permitindo que a
imagem a ser rodada como desejado. Esta opção é ly on- disponível para 3-d mapa projecções.

Move - permite que o gráfico a ser movido dentro da janela clicando no botão esquerdo do mouse e
arrastando o cursor.

Escala - encolhe a imagem do gráfico com o botão esquerdo do mouse. Zoom - permite aumentar o zoom em

uma área de determinado gráfico usando o botão esquerdo do mouse para definir uma área de zoom

retangular. Dentro da área ampliada a localização do cursor é anotado no painel de Rato Localização. Reset -

redefine a imagem para o ângulo de rotação padrão e escala.

93
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

rato Localização
Fornece informações sobre a localização atual do cursor quando está no mapa sur- face. As unidades são unidades de
mapa como especificado pelos eixos. Z é semivariância.

Anisotrópica semivariâncias superfície (3-d Variograma Mapa)


O 3-d anisotrópica semivariâncias superfície ou Variograma Mapa é um 3-d projecção do mapa 2-d. Use o
comando Editar gráfico para alterar os formatos de gráficos 3-D.

Os comandos para o 3-d mapa de projecção são o mesmo que aqueles para o 2-d projecção, acima.

94
Capítulo 6 Análise semivariância - Overview

Cross-Autocorrelação ou Análise de Cross-semivariância


A Análise Janela Cross-Autocorrelação é idêntica à janela de análise de autocorrelação, excepto que a análise
cruzada semivariância (Z x Z2), em vez de análise semivariância (Z ou Z2) é realizada. análise cruzada
semivariância deve ser per- formado antes da cokrigagem. Para uma descrição dos comandos e opções fornecidas
nesta janela, consulte a descrição da Análise Janela semivariância, acima.

Comandos na janela de Cross-Autocorrelação são os mesmos que na janela de Autocorrelação, anteriormente neste
capítulo.

95
Capítulo 7 Outras medidas de autocorrelação

Capítulo 7
Outras medidas de autocorrelação

padronizados Variogramas
Na análise variograma padronizado variograma é calculado como uma proporção da variância da amostra:

γ ( h) = ([ 1 / 2N ( h)] Σ [ z Eu - z i + H] 2 ) / s 2

Onde γ ( h) = Semivariância para a classe distância intervalo h;

z i = valor de amostra medido no ponto Eu;


z i + H = valor de amostra medido no ponto i + h;
N ( h) = número total de casais de amostra para o intervalo lag h; e s 2 = variância da amostra
para todos z do.

variogramas padronizados (tanto isotrópicos e anisotrópicos) aparecem na janela ção Autocorrela-, na guia
Padronizado Variograma. Pressionando o botão Expandir nesta guia abre a janela de Padronizado Variogramas;
observe a linha de variância da amostra a 1,0 ao longo do eixo dos y:

A Nuvem / Scatter, menu do botão direito, e outros comandos funcionam aqui como eles fazem para a janela
Variogramas. 96
Capítulo 7 Outras medidas de autocorrelação

Madograms
Madograms são semelhantes aos variogramas tradicional (ver Análise semivariâncias), CEPT ex que a diferença
absoluta entre z Eu e Z i + h é usado em vez do quadrado da diferença como para semivariância tradicional. A fórmula
torna-se assim

γ Μ ( h) = [ 1 / 2N ( h)] Σ | z Eu - z i + h |

Onde γ Μ ( h) = semivariância (M) para a classe de distância intervalo h,

z i = valor de amostra medido no ponto Eu,


z i + H = valor de amostra medido no ponto i + H, e n( h) = número total de casais de
amostra para o intervalo lag h.

Madograms (tanto isotrópicos e anisotrópicos) aparecem na janela de Autocorrelação, na guia Madogram.


Pressione o botão Expandir desta guia para traz a janela Madograms:

A Nuvem / Scatter, menu do botão direito, e outros comandos funcionam aqui como eles fazem para a janela
Variogramas.

97
Capítulo 7 Outras medidas de autocorrelação

Rodograms
Rodograms são semelhantes aos variogramas tradicional (ver Análise semivariâncias), excepto que a raiz quadrada
da diferença entre z Eu e Z i + h é calculado em vez do quadrado da diferença. A fórmula torna-se assim

γ R ( h) = [ 1 / 2N (H)] Σ [| ( z Eu - z i + h) | ] 0,5

Onde γ R ( h) = semivariância (R) para a classe de distância intervalo h,

z i = valor de amostra medido no ponto Eu,


z i + H = valor de amostra medido no ponto i + H, e n( h) = número total de casais de
amostra para o intervalo lag h.

Rodograms (tanto isotrópicos e anisotrópicos) aparecem na janela de Autocorrelação, na guia Rodogram.


Pressione o botão Expandir sobre isso para guia abrir a janela gramas a Rodo-:

A Nuvem / Scatter, menu do botão direito, e outros comandos funcionam aqui como eles fazem para a janela
Variogramas.

98
Capítulo 7 Outras medidas de autocorrelação

Deriva

Deriva (também chamado de tendência) é calculado como

F ( h) = [ 1 / N ( h)] Σ [( z Eu - z i + H)]

em que F ( h) = deriva para a classe de distância intervalo h,

z i = valor de amostra medido no ponto Eu,


z i + H = valor de amostra medido no ponto i + H, e n( h) = número total de casais de
amostra para o intervalo lag h.

Deriva gráficos (tanto isotrópicos e anisotrópicos) aparecem na janela de Autocorrelação, na guia Deriva.
Pressione o botão Expandir nesta guia para abrir a janela de Vento:

A Nuvem / Scatter, menu do botão direito, e outros comandos funcionam aqui como eles fazem para a janela
Variogramas.

99
Capítulo 7 Outras medidas de autocorrelação

correlogramas
Correlogramas são calculados utilizando a fórmula

ρ ( h) = C ( h) / ( σ- h σ + h)

Onde ρ ( h) = correlação de classe de distância intervalo h,

σ + h = desvio padrão de todos os valores de cabeça (z Eu) para lag h, e


σ- h = desvio padrão de todos os valores de cauda (z i + h) para lag h.

Correlogramas (tanto isotrópicos e anisotrópicos) aparecem na janela de Autocorrelação, na guia correlograma.


Pressione o botão Expandir nesta guia para abrir a janela Logram pondente:

A Nuvem / Scatter, menu do botão direito, e outros comandos funcionam aqui como eles fazem para a janela
Variogramas.

100
Capítulo 7 Outras medidas de autocorrelação

Análise de covariância
Covariance em GS + é calculado como:

C ( h) = [ 1 / N ( h)] Σ z Eu z i + h - m- h m + h

em que C ( h) = covariância para classe de distância intervalo h,

N ( h) = número total de casais de amostra para o intervalo lag h,


z i = valor de amostra medido no ponto Eu,
z i + H = valor de amostra medido no ponto i + H,
m- h = média de todos os valores de cabeça para lag h, ou [1 / N ( h)] Σ z Eu, e m + h = média de todos os
valores da cauda para a lag h, ou [1 / N ( h)] Σ z i + h.

Cross-covariância é calculada da mesma maneira mas z Eu e Z i + h representam dois variates di- ferentes, Z e Z2,
respectivamente.

O gráfico covariância aparece na janela Autocorrelação, no separador de covariância. Pressione o botão


Expandir para abrir a janela de Covariance:

A Nuvem / Scatter, menu do botão direito, e outros comandos funcionam aqui como eles fazem para a janela
Variogramas.

101
Capítulo 7 Outras medidas de autocorrelação

Variogramas Relativa Geral


O variograma relativa geral é um gráfico de semivariância padronizado pela média quadrática dos dados
utilizados para cada intervalo de distância h:

γ GR (h) = γ ( h) / ( m- h + m + h) 2

Onde γ GR ( h) = semivariância relativo geral para a classe intervalo h,

γ ( h) = semivariâncias por classe de distância intervalo h,


m- h = média de todos os valores de cabeça para lag h, ou [1 / N ( h)] Σ z Eu, e m + h = média de todos os

valores da cauda para a lag h, ou [1 / N ( h)] Σ z i + h.

variogramas relativas podem ser calculados apenas para os conjuntos de dados para o qual todos os valores de Z estão
positivo (de outra forma o denominador acima poderia igual a zero). Se o UE mínimo Z Val- na dados activo é <0, então
o variograma relativa não será desenhada. Para evitar esse problema, você pode primeira escala ou não transformar os
dados na mary Janela Dados Sum-.

variogramas relativa Geral (ambos isotrópica e anisotrópica) aparecem no Regulamento Janela Autocorre-, na guia
Geral Variograma Relativa. variogramas relativos gerais não estão disponíveis se o valor mínimo Z é menor que
zero. Pressione o botão Expandir nesta guia para abrir a janela Geral Variogramas Relativa:

102
Capítulo 7 Outras medidas de autocorrelação

A Nuvem / Scatter, menu do botão direito, e outros comandos funcionam aqui como eles fazem para a janela
Variogramas.

103
Capítulo 7 Outras medidas de autocorrelação

Pairwise Variogramas Relativa


O variograma relativa aos pares é um gráfico de semivariância normalizado pela média quadrado de valores
de cauda e da cabeça:

γ PR ( h) = [ 1 / 2N ( h)] Σ [( z Eu - z i + h) 2 / [ 0,5 (z Eu + z i + H)] 2

Onde γ PR ( h) = semivariância em relação aos pares para a classe intervalo h,

N ( h) = número total de casais de amostra para o intervalo lag h,


z i = valor de amostra medido no ponto Eu, e Z i + H = valor de
amostra medido no ponto i + h.

variogramas relativas podem ser calculados apenas para os conjuntos de dados para o qual todos os valores de Z estão
positivo (de outra forma o denominador acima poderia igual a zero). Se o UE mínimo Z Val- na dados activo é <0, então
o variograma relativa não será desenhada. Para evitar esse problema, você pode primeira escala ou não transformar os
dados na mary Janela Dados Sum-.

variogramas relativos aos pares (tanto isotrópicas e anisotrópicas) aparecem na relação Janela Autocor-, na guia
Variograma Relativa aos pares. Pares gramas vario- relativos não estão disponíveis se o valor mínimo Z é menor
que zero. Pressione o botão Expandir nesta guia para abrir o Pairwise janela Variogramas Relativa:

A Nuvem / Scatter, menu do botão direito, e outros comandos funcionam aqui como eles fazem para a janela

Variogramas. 104
Capítulo 7 Outras medidas de autocorrelação

Análise I de Moran
estatística I de Moran é uma medida convencional de autocorrelação, semelhante na interpretação estatística de
correlação produto-momento de Pearson para amostras independentes em que ambas as estatísticas variar entre
-1,0 e 1,0, dependendo do grau e direcção de correlação. A estatística é definida como:

EU( h) = N ( h) Σ Σ z Eu z i + h / Σ z i + h 2

onde eu( h) = autocorrelação para a classe distância intervalo h,

z i = o valor de amostra medido no ponto Eu, e Z i + H = o valor de


amostra medido no ponto i + h.

Note-se que nesta análise de todos os pesos da matriz de adjacência (Sokal e Oden
1978) são ajustados para um, ou seja, que é ponderado pela distância ( h) entre pontos de amostragem em vez de simples
adjacência. Calculando essa estatística para uma variedade de distâncias lag produz I autocorrelogram do Moran.

I correlogramas de Moran (tanto isotrópicos e anisotrópicos) aparecem na janela de Autocorrelação, na guia I de


Moran. Pressione o botão Expandir nesta guia para abrir a janela I das Morans:

A Nuvem / Scatter, menu do botão direito, e outros comandos funcionam aqui como eles fazem para a janela
Variogramas.

105
Capítulo 7 Outras medidas de autocorrelação

Análise fractal
A janela Análise Fractal é usado para configurar os parâmetros para a análise fractal e depois calcular a dimensão
fractal D para o conjunto de dados definido no Menu ção de dados Defini-. GS + calcula a dimensão fractal D como
uma função da inclinação de uma trama variograma registo log-(Burrough 1981, 1986):

D = 2 - m / 2 onde D = a estatística Hausdorff-Besicovitch, e

m = à inclinação de um vario de log-log

Porque D é baseado em uma análise de semivariância, é sensível aos mesmos parâmetros de análise que afetam
análise semivariância.

variogramas Fractal (tanto isotrópicos e anisotrópicos) aparecem na janela de Autocorrelação, na guia Fractal.
Pressione o botão Expandir nesta guia para abrir a janela do Fractal:

A Nuvem / Scatter, menu do botão direito, e outros comandos funcionam aqui como eles fazem para a janela
Variogramas.

106
Capítulo 8 variância Nuvens e h-scattergrams

Capítulo 8
Nuvens variância e h-scattergrams

Variogramas podem ser sensíveis aos valores discrepantes em um conjunto de dados, e às vezes um variograma aparência ic errat-
pode ser atribuída a um único valor extremo que infla γ ( h) quando- sempre eles são comparados com outros valores. Uma forma de
localizar tais valores extremos é o de desenhar uma nuvem de variância para cada intervalo de distância de separação (ou lag
classe) h; Outra maneira é a desenhar um h-Diagrama de dispersão para cada intervalo.

Variância nuvens e h-scattergrams são medidas de variância pares em gráficos de relações autocor-. Em um
variograma cada ponto no gráfico representa a semivariância média para todos os pares de pontos em uma classe
lag particular. h-scattergrams e VaR Aliança nuvens deixá-lo ver os pares individuais de pontos que são usados ​para
calcular a semivariância média para essa classe.

variância Nuvens
A fórmula para calcular a variação para um determinado par de pontos na posição i e j podem ser reduzidos para a
diferen da mia quadrica entre os pontos:

var ij = [ z Eu - z j] 2

Onde

var ij = variância para o par ( eu j),


z i = valor de amostra medido no ponto Eu, e Z j = valor de
amostra medido no ponto j.

Qualquer dado par (i, j) são separados por uma distância específica; esta distância é traçado ao longo do eixo x do gráfico
variância nuvem. Todos os pares em um gráfico específico estão na mesma classe de distância de separação (lag).

Note-se que uma nuvem variância é específico para ambos os sentidos (isotrópico ou uma direção específica trópico
aniso-) e uma classe lag particular. No variograma abaixo, o cursor está no ponto que representa classe lag 7 do
variograma isotrópico, que se poderia sus- Pect contém um outlier, porque é tão diferente dos outros pontos:

107
Capítulo 8 variância Nuvens e h-scattergrams

Ao clicar neste ponto variograma ou o botão Nuvem traz a nuvem variância para a classe lag 7 abaixo, e torna-se
evidente que um número de pares são muito diferentes dos outros - colocando o cursor sobre cada um dos pontos
mais distantes revela que todos eles conter ficha 4 como um membro do par. O cursor é abaixo sobre o ponto
representado por fichas 4 e 98 a uma distância de separação de 53.79, tal como referido na parte inferior da janela:

Ao clicar neste ponto variância nuvem traz a janela Detalhes da amostra, que 108
Capítulo 8 variância Nuvens e h-scattergrams

nos dá a opção para mascarar temporariamente (remover a partir do conjunto de dados ativo) um dos registros de dados para este
par:

Desde ficha 4 é membro de todos esses pares de outlier, podemos escolher para mascarar ficha 4, que tem um
valor de 6,0 (isto pode ser confirmado na planilha de dados, alt- Hough se os dados são transformados o valor
transformado não corresponderá ao valor patrimonial Work). Isso nos dá uma variograma mais razoável:

Re-exame da nuvem de variância para a classe de atraso 7 (abaixo) revela que os valores do eixo y mais altas são
substancialmente mais baixos do que antes (1,21 vs. 167,4) e, mais importante ainda, todos os principais pares outlier são
ido. Isto foi conseguido através da remoção de um único registo de dados a partir da análise:

109
Capítulo 8 variância Nuvens e h-scattergrams

O menu do botão direito e outros comandos funcionam aqui como eles fazem para a janela Variogramas.

110
Capítulo 8 variância Nuvens e h-scattergrams

Pairs variância nuvem


Esta leitura única janela contém uma lista de todos os pares de pontos dentro de uma classe lag específica, incluindo
para cada par da variância, distância de separação, e a identidade (da- ta número recorde) de cada membro do par.
Estes pares são representados graficamente na janela de variá- ance Cloud.

Note-se que no exemplo a seguir, classificados por variância (com pares de maior variância listada em primeiro
lugar), ficha 4 mostra-se como um membro da cada um dos 14 pares de alta variância. Isto confirma ficha 4 como
um outlier, que foi determinado no gráfico nuvem variância, acima:

Ações
Você pode Impressão, cópia, ou Exportar o conteúdo da planilha usando os comandos de menu da janela principal
GS +, ou através de um menu do botão direito. Você também pode alterar a Casas decimais relatados, destacando
uma coluna e pressionando o aumento ou diminuição Decimals ícone (ou utilizar os dados | comando de menu
Mudança decimais). Clicando no topo de uma coluna Ordenar a folha de cálculo com base no ed coluna Select- em
alternando ordem crescente ou decrescente. Você também pode mudar larguras de coluna colocando o cursor sobre
a linha entre duas colunas e arrastando para uma nova localização.

111
Capítulo 8 variância Nuvens e h-scattergrams

h-scattergrams
Numa h-Diagrama de dispersão cada valor z cabeça Eu é representada graficamente contra cada valor z cauda j para uma giv- en
lag classe h. A fórmula para calcular essa diferença para um dado par de pontos na posição i e j é

D ij = z Eu - z j

Onde

D ij = diferença para o par ( eu j),


z i = valor de amostra medido no ponto EU, e Z j = valor de
amostra medido no ponto j.

Note-se que um h-Diagrama de dispersão é específico para ambos os sentidos (isotrópico ou numa direcção específica trópico
aniso-) e para uma classe especial de atraso. No variograma abaixo, exibido Lier orelha longos, o cursor está no ponto que
representa classe lag 7 do variograma isotrópico que parece estranho:

Ao clicar neste ponto variograma ou pressionando o botão Scatter traz o Diagrama de dispersão h- para a classe lag
7 abaixo, e torna-se evidente que um número de pares são muito diferentes dos outros. Colocar o cursor sobre cada
ponto revela que todos os pontos mais distante da linha de 45 graus conter ficha 4 como um membro do par (o
cursor abaixo está sobre o ponto representado por fichas 4 e 92 com uma distância de 52,28 sepa- ração ): 112
Capítulo 8 variância Nuvens e h-scattergrams

Ao clicar neste ponto h-Diagrama de dispersão abre a janela Detalhes da amostra, o que nos dá a opção para mascarar
temporariamente (remover a partir do conjunto de dados ativo) um dos registros de dados para este par:

Desde ficha 4 é membro de todos esses pares de outlier, podemos escolher para mascarar ficha 4, que tem um
valor de 6,0 (isto pode ser confirmado na planilha de dados, alt- Hough se os dados são transformados o valor
transformado não corresponderá ao valor patrimonial Work). Isso nos dá uma variograma mais razoável:

113
Capítulo 8 variância Nuvens e h-scattergrams

Re-exame da nuvem de variância para a classe de atraso 7 (abaixo) revela que os valores do eixo y mais altas são
substancialmente mais baixos do que antes (1,31 vs. 13,65) e, mais importante ainda, todos os principais pares outlier são
ido. Isto foi conseguido através da remoção de um único registo de dados a partir da análise:

O menu do botão direito e outros comandos funcionam aqui como eles fazem para a janela Variogramas. 114
Capítulo 8 variância Nuvens e h-scattergrams

Pares h-scattergram
Esta leitura única janela contém uma lista de todos os pares de pontos dentro de uma classe lag específica, incluindo para
cada par a diferença, distância de separação, e a identidade (número de registro de dados) de cada membro do par. Estes
pares são representados graficamente na janela Diagrama de dispersão h-.

Note-se que no exemplo a seguir, classificados por diferença (com pares de maior diferença listada em primeiro lugar),
ficha 4 mostra-se como um membro de 14 pares de alta diferença. Isto confirma a ficha como outlier, como foi
encontrado na H-Diagrama de dispersão acima:

Ações
Você pode Impressão, cópia, ou Exportar o conteúdo da planilha usando os comandos de menu da janela principal
GS +, ou através de um menu do botão direito. Você também pode alterar a Casas decimais relatados, destacando
uma coluna e pressionando o aumento ou diminuição Decimals ícone (ou utilizar os dados | comando de menu
Mudança decimais). Clicando no topo de uma coluna Ordenar a folha de cálculo com base no ed coluna Select- em
alternando ordem crescente ou decrescente. Você também pode mudar larguras de coluna colocando o cursor sobre
a linha entre duas colunas e arrastando para uma nova localização.

115
Capítulo 9 interpolação Basics

Capítulo 9
Basics interpolação
Interpolação é a estimativa de valores em uma área para pontos não realmente amostrados. Existem muitas
técnicas de interpolação diferentes, que vão desde as técnicas lineares simples que a média dos valores dos pontos
próximos da amostra, a técnicas mais complexas como kriging que utilizam nos pesos médios com base na
distância de pontos de amostragem próximas e o grau de auto-correlação para essas distâncias. GS + fornece
quatro tipos gerais de interpolação. Todos estão técnicas de vizinho mais próximo em que os valores em locais
próximos ao ponto de interpolação são utilizados para estimar o valor do ponto de interpolação. Eles diferem na
maneira que locais próximos são ponderados e interpolações calculado. As quatro técnicas são:

kriging, em que as estimativas de interpolação são baseados em valores na vizinha cátions LO- mais
conhecimento sobre as relações espaciais subjacentes em um conjunto de dados. Semivariogramas fornecer
conhecimentos sobre as relações subjacentes. O valor timated es- em um determinado local é uma média
móvel ponderada das melhores estima- tivas calculados para minimizar variância área local. Há um número de
tipos dife- rentes de kriging, descritos abaixo.

cokrigagem, em que interpolações krigagem incluir um co-variável que está relacionada com a variate
primário e é medido em locais mais do que a variação primário. Em cokrigagem existe um vario para o variate
primária, para a co-variável, e para a cruz-variada.

Simulação condicional, em que interpolações são baseados em uma forma de simulação chastic armazenamento em local em
que os valores dados são homenageados nas suas localizações. Isto significa que os detalhes locais não são obscurecidos por
suavização como eles estão em krigagem.

Inverse Ponderação Distância (IDW) e Normal Distância de peso (NDW),


em que as estimativas de interpolação são feitos com base nos valores em locais próximos ponderados apenas
pela distância do local de interpolação. Nem IDW nem NDW fazer suposições sobre relações espaciais, exceto
a suposição básica de que pontos próximos devem ser mais estreitamente relacionados do que pontos
distantes para o valor na localização interpolate. IDW aplica pesos mais fortes para pontos próximos do que faz
NDW.

Todas estas técnicas são descritas em maior detalhe nas páginas seguintes.

116
Capítulo 9 interpolação Basics

A Janela de interpolação
A Janela de interpolação fornece acesso a Kriging, cokrigagem, ção simulações condicional e técnicas Inverse Distância
de ponderação para estimar valores para pontos não amostrados. Interpolação produz um arquivo de saída que é usado
por GS + para o mapeamento. O arquivo de saída também pode ser lido por outros programas de mapeamento.

interpolação Gama
Define onde colocar estimativas de interpolação - em uma grade regularmente espaçados em toda uma área retangular ou
em locais especificados pelo usuário, em qualquer caso, com ou sem máscaras que podem definir áreas para incluir ou
excluir.

grade xy normal (intervalos especificados)

Uma grade é definida por um rectângulo que tem um comprimento na direcção X, um comprimento na direcção Y, e para
cada sentido, os intervalos entre os cruzamentos da grelha. interpolação

117
Capítulo 9 interpolação Basics

locais lação estão em cada interseção da grade.

A gama padrão é definida pelo mínimo e máximo coordenada X e valores, e um intervalo com base num

determinado número de pontos em cada direcção coordenada Y. Para 1-dimensionais conjuntos de dados,

não há nenhuma direcção y. A grade pode ser alterado com o Definir comando, que exibirá uma janela de

diálogo Inter- polation Grid. grade xy irregular (pontos especificados)

Uma grade irregular é composta somente de locais de interpolação especificados pelo usuário. Imprensa

Definir para abrir uma planilha Interpolate dentro dos quais locais podem ser definidos ou importados de um

arquivo de texto externo. Incluem formas (polígonos)

formas específicas podem ser interpolados ou excluídos de serem interpolados pelo de- multar polígonos
inclusivos ou exclusivos antes de krigagem. Imprensa Definir para abrir uma planilha Polígono esboços no qual
definir polígonos. Veja Definir Poly- gon esboços mais tarde neste capítulo.

• Em polígonos inclusive, a área no interior do polígono é interpolado (ou mapeado);

• Em polígonos exclusivos, a área dentro do polígono não é interpolada (ou mapeado).

Restringir estimativas Z

Os valores estimados (Z) interpola pode ser restringida a uma gama específica. Por exemplo, se valores
menores que zero são inadequadas, você pode especificar que Z estima menor que zero ser relatado como
zero. Imprensa Definir para abrir uma caixa de diálogo para especificar limites Estimativa Z, descrito
posteriormente neste capítulo.

Output File Name


pressione selecionar para selecionar um arquivo existente ou novo para o qual será escrito estimativas de krigagem. Para
examinar o conteúdo de um arquivo existente de imprensa Visão.

Formato de saída
O formato com o qual GS + vai escrever estimativas para o arquivo pode ser um dos vários tipos. 118
Capítulo 9 interpolação Basics

GS + formato (.krg) - neste formato uma área de cabeçalho define a grade de interpolação, nomes variate e
outras informações sobre o arquivo necessário para iniciar o mapeamento mais tarde, e os registros de dados
incluem para cada X e Y coordenadas local que é kriged a interpolação ou Z-estimativa, o desvio padrão do
Z-estimativa, e o número de vizinhos que foram utilizados para fazer a estimativa. Veja de- exemplo cauda
abaixo. Surfista ® formato de grelha (.GRD) - neste formato de uma área de cabeçalho curto define informa- ções
necessárias para mapeamento, e os dados são gravados como um fluxo contínuo de Z-estimativas começando
a partir do canto NW da grelha de interpolação. O desvio ard stand da estimativa eo número de vizinhos usados
​para interpolação não estão incluídos neste formato. Este formato é compatível com programa de mapeamento
Surfista do Golden Soft ware. Note que este formato não é o mesmo que o formato de arquivo de entrada do
surfista XYZ. Veja exemplo detalhado abaixo. ArcView ® Format (.asc) - este é semelhante ao formato do surfista,
mas a área de cabeçalho é formatado de forma diferente e os Z-estimativas são escritos em um padrão que
começa a partir do canto NW da grade de interpolação. O desvio padrão do companheiro esti- eo número de
vizinhos usados ​para interpolação não estão incluídos neste formato. Também para este formato, os
intervalos de interpolação x e y deve ser o mesmo ( você pode configurá-los para ser o mesmo a partir do
diálogo de interpolação de grade ganha-dow). Este formato é compatível com ArcInfo da ESRI ® Sistema de
Informações Geográficas. Veja exemplo detalhado abaixo.

GSLIB Format (.out) - este formato é semelhante ao formato de entrada GeoEas. Um primeiro registro longo
contém coordenar as informações intervalo que é lido por GS + ao mapear arquivos GSLIB. O segundo registro
do arquivo especifica três cabeçalho reco- ords chamado “estimar”, “variância estimativa” (ou “desvio padrão”),
e “vizinhos.” Os registros que se seguem são na mesma ordem como para Surfer ®, mas há três campos por
registro (estimativa, erro de estimação, e número de vizinhos), em vez de apenas um campo (o Z-estimativa).
Veja exemplo detalhado abaixo.

Variação de saída
Você pode optar por relatar o erro de estimação como variância estimativa ou como estimativa de desvio padrão.

pesquisa Bairro
GS + interpola valores para um local específico usando valores vizinho mais próximo ponderados pela distância. Apenas um
certo número de vizinhos mais próximos são usados ​para calcular a estimativa de interpolação, e os vizinhos podem ser
obrigados a estar dentro de uma área geográfica específica ao redor do local que está sendo estimado.

O valor padrão de 16 vizinhos mais próximos é geralmente suficiente, e também por padrão não
119
Capítulo 9 interpolação Basics

restrições são colocados sobre o raio vizinhança (em Kriging, vizinhos fora da gama variograma são ponderadas de
forma idêntica e, se significativa cia depen- estrutural está presente, ponderada minimamente). Especificando mais
de 16 vizinhos podem retardar substancialmente interpolação, embora até 64 vizinhos são permitidos. A área
geográfica a ser pesquisado pode ser redonda ou elíptica; se elíptica, o ângulo do lipsoid el- em adição à sua largura
e comprimento deve ser especificada - o ângulo padrão é o mesmo que o eixo de orientação anisotrópica utilizada
para análise semivariância. Além disso, você pode especificar uma pesquisa octant, em que o capô neighbor-
geográfica é dividido em 8ths, e apenas um número limitado de vizinhos dentro do octant são usados ​para
interpolação. Isso é útil quando há muitos mais vizinhos de um lado de um local de estimativa do que em outra, e há
um perigo de usar um número desproporcional de vizinhos de que lado. Uma pesquisa octant limita o número de
vizinhos que podem ser usados ​a partir de qualquer dado octant.

Quando cokrigagem, você pode especificar um conjunto separado de critérios de pesquisa para a covariável (Z2). Estes critérios são
definidos no separador de covariáveis ​da caixa de pesquisa.

Tipo de interpolação - Krig, Cokrig, Simulador, ou IDW


Você pode optar por interpolação usando Kriging, cokrigagem, ção simulações condicional, ou IDW (Inverse
Distância Ponderação) escolhendo um ou os outros guias no lado direito da janela; as opções em cada guia são
descritas na próxima ção se-.

Calcular
Realizar análise de interpolação. Durante a análise de valores são escritos para o arquivo de saída no formato
especificado. Você pode parar a análise, pressionando a tecla <Escape> ou o botão Cancelar na barra de progresso.

Validação
Dois tipos de validação são fornecidos pela GS +: Validação cruzada e Canivete ysis anal-. Na análise de validação
cruzada cada ponto medido no domínio espacial é individualmente removido do domínio e o seu valor estimado
como se fosse não existe. Em seguida, o ponto é substituído e o próximo ponto é removido e avaliado, e assim por
diante. Desta forma, um gráfico pode ser construído de estimativa versus os valores reais de cada local de
amostragem no domínio.

Na análise Jackknife, as estimativas são comparados contra valores de medição para um conjunto de locais diferentes
daqueles usados ​como dados de entrada. Os dados jackknife são especificados em uma planilha que aparece quando o
comando “Definir” é pressionado. Cada uma destas análises de validação são descritas mais completamente abaixo.

120
Capítulo 9 interpolação Basics

Definir os limites Z Estimado


A janela Limites Z Estimado é usada para restringir os valores estimados (Z lates interpolação) a uma gama
específica. Ele é acessado a partir da janela de interpolação.

Faixa usar para Z estimado


Digite o menor valor permitido para Z estimado na caixa à esquerda, e o valor mais alto permitido na caixa à
direita. Neste exemplo, se o sistema de interpolação foram estimar um valor de -0,45 para um determinado ponto,
o valor será re- portado como 0.

Restabelecer

Redefinir valores para os valores de dados mais baixas e mais altas, respectivamente.

OK / Cancelar
Pressione OK para salvar as alterações e fechar a janela; pressione Cancelar para fechar a janela sem salvar as
alterações.

Definindo uma interpolação grade regular


Com a janela de diálogo regular interpolação de grade que você pode definir a região a ser kriged ou interpolados,
bem como a intensidade com que a interpolação está a ter lugar. Este método para especificar locais Interpolar é
apropriado para ções interpolação em intervalos regulares através de uma área; se as interpolações estão a ser
realizados em locais estranhos, use o xy Irregular interpolação Grid. Se o contorno da área é um polígono complexo
você ainda deve usar este diálogo (grade de interpolação regular), mas, em seguida, especificar a forma do polígono
da janela de interpolação (ver polígonos, ser- baixo). Note-se que para 1-dimensional conjuntos de dados (por
exemplo, transects ou séries de tempo), apenas na direcção X é exibido na janela de diálogo.

121
Capítulo 9 interpolação Basics

interpolação Gama
Especifique o valores iniciais e finais para a região a ser interpolado. A re gião pode exceder o intervalo de dados, que
é conhecida no lado direito da janela de Dow-ganha. áreas de forma irregular dentro dos limites da gama de
interpolação podem ser interpolados especificando máscaras de polígonos a partir da janela Krig. O número de casas
decimais utilizados para definir o intervalo está limitado ao número de casas decimais especificados para o campo de
dados de coordenadas na dados da folha Win- Dow. Mudando o número de casas decimais para uma coordenada na
planilha Janela Dados altera o número de casas decimais aqui relatados. Mudar o intervalo vai mudar o Número de
valor pontos.

Note-se que a interpolação começará no Y valores mínimo e X, mas podem não alcançar os valores máximos se a
distância total (por exemplo, o máximo valor de X menos o valor mínimo X) não é divisível pelo intervalo de distância.
Por exemplo, de interpolação de um intervalo de X 0-105 com um intervalo de distância de 10 parará interpolando a X
= 100, antes de exceder o alcance máximo de 105.

Intervalo de dados

Esta é a gama abrangida pelo conjunto de dados reais; Estes são valores somente leitura, eles não podem ser alterados
pelo usuário a partir desta janela de diálogo.

Intervalo de Distância
Especifique o intervalo de distância entre locais dentro do intervalo de interpolação. Um intervalo tância dis- de 2,0 ao
longo de um intervalo de 0-10,0 significa que interpolações irá ser feita nos pontos 0.0, 2.0, 4.0, 6.0, 8.0, 10.0 e.
Alterar o intervalo de distância mudará o valor para o número de pontos.

Número de pontos
Para qualquer dado intervalo a ser interpolado, o número de pontos será o divid- gama ed pelo intervalo distância
mais 1. Para obter uma gama de 0 a 10,0 com um intervalo de distância
2.0, o número de pontos será [(10,0-0) /2.0] + 1 = 6 pontos em posições 0,0, 2,0,
4.0, 6.0, 8.0 e 10.0.

otimizar
O comando Optimizar define o número de pontos a 61 para ambos os X e Y direc122
Capítulo 9 interpolação Basics

ções (101 pontos para um corte transversal de dimensão única) e calcula o apropriado Dis- tância de intervalo. O
Range interpolação não é afetado.

Definindo uma Irregular interpolação de grade


Especifique neste planilha as localizações dos pontos individuais a serem kriged. Este método de especificar locais
Interpolar é apropriado quando os locais não são espaçadas regularmente em toda a área da interpolação. Se locais
Interpolar são regularmente espaçadas, independentemente de se a área é retangular ou um polígono complexo, é
geralmente mais eficiente usar uma interpolação grade regular. Observe que, com tanto este Irregular Grade ou na
grade regular, polígonos pode ser usado para excluir ou incluir formas complexas com- específicos; especificar a
forma do polígono a partir da janela Krig (consulte Definir Polígono esboços mais adiante neste capítulo).

Tamanho do bloco

Para Bloquear Kriging, este é o tamanho do bloco em torno de cada ponto que será kriged. O (discretização) grid local é
colocado dentro deste bloco. Para grades regulares, tamanho do bloco é definido pelo tamanho da grade de interpolação.
Para grades irregulares, ele deve ser especificado aqui. Para Ponto ou Pontual Kriging e para IDW interpolação, tamanho
do bloco é irrelevante e é ignorada durante a análise.

Claro
Limpa a planilha.

123
Capítulo 9 interpolação Basics

Importar
o Importar comando traz para a planilha de um arquivo contendo os locais Interpolar. Consulte o Capítulo 4 (Importar
dados de arquivos externos) para obter instruções sobre ing de importações.

Outras ações
Você pode Impressão, Cópia de, ou Exportar o conteúdo da planilha usando os comandos de menu da janela
principal GS +, ou através de um menu do botão direito. Você também pode alterar a Casas decimais relatados,
destacando uma coluna e pressionando o aumento ou diminuição Decimals ícone (ou utilizar os dados | comando de
menu Mudança decimais). Clicando no topo de uma coluna Ordenar a folha de cálculo com base no ed coluna Select-
em alternando ordem crescente ou decrescente. Você também pode mudar larguras de coluna colocando o cursor
sobre a linha entre duas colunas e arrastando para uma nova localização.

124
Capítulo 9 interpolação Basics

Polígono Outlines (máscaras interpolação)


formas irregulares pode ser interpolada ou excluídos da interpolação definindo polígonos sivos ou exclusivos
inclusões antes da interpolação. Nesta janela, você pode definir esses polígonos inserindo coordenadas de vértices
de polígonos, ou seja, pontos xy que delineiam o polígono.

Polígonos deve ser fechada, assim eles devem ter pelo menos 3 vértices (3 vértices descre- ver um triângulo). Você
pode especificar quantos vértices por polígono como você gosta (até vários milhões), e polígonos podem ser
aninhadas uma dentro da outra, como no exemplo abaixo. No entanto, os vértices de cada polígono tem de definir um
único polígono fechado,
ou seja, não há segmentos do polígono pode atravessar um outro segmento. Além disso, o primeiro eo último vértice
especificado deve conectar um ao outro. Você pode verificar a forma do poli- gon enquanto ele está sendo definido com o Mapa
comando.

Existem dois tipos de polígonos, definidos pela palavra-chave “Incluir” e “Excluir”:

• Em polígonos inclusive, a área dentro do polígono é interpolada.

• Em polígonos exclusivos, a área dentro do polígono não é interpolada. O exemplo a seguir define dois
polígonos: a primeira é uma área de 6 lados que é excluída de interpolação, a segunda define uma área incluído
quatro lados (rectângulo) no interior da área de 6 lados. Você pode usar o Mapa comando para produzir uma imagem
dessas ygons polí- (veja abaixo). A primeira linha neste exemplo ( “polígono”) é desnecessária. Cada conjunto de
vértices do polígono deve ser precedida por “Excluir” ou “Incluir”:

Claro
Desmarque a planilha.

125
Capítulo 9 interpolação Basics

Importar
o Importar comando traz na planilha um arquivo de texto contendo ções vértice loca. O arquivo de texto pode ser
formatado em uma variedade de maneiras com campos separados por vírgulas ou espaços. A extensão do nome de
arquivo padrão para arquivos esboço polígono de interpolação é .int.

Mapa
Produz um mapa do esboço de cada polígono dentro da área da grade de interpolação maior. polígonos exclusivos
aparecem em vermelho, inclusive em azul. Desenhar um mapa é uma maneira útil para testar suas coordenadas de
polígonos. Veja o exemplo na próxima seção.

Outras ações
Você pode Impressão, Cópia de, ou Exportar o conteúdo da planilha usando os comandos de menu da janela
principal GS +, ou através de um menu do botão direito. Você também pode alterar a Casas decimais relatados,
destacando uma coluna e pressionando o aumento ou diminuição Decimals ícone (ou utilizar os dados | comando de
menu Mudança decimais). Clicando no topo de uma coluna Ordenar a folha de cálculo com base no ed coluna Select-
em alternando ordem crescente ou decrescente. Você também pode mudar larguras de coluna colocando o cursor
sobre a linha entre duas colunas e arrastando para uma nova localização.

126
Capítulo 9 interpolação Basics

Polygon Mapa Esboço


Esta janela contém um mapa do esboço dos polígonos utilizados para incluir e excluir áreas de interpolação. Ele é
acessado a partir da janela Definir Polygon esboços, que faz parte da análise de interpolação.

A área total é a área de interpolação especificado na janela de interpolação. gons poli- são definidos no Definir
Polygon Esboços planilha. polígonos exclusivos ap- pêra em vermelho, inclusive em azul:

ações Gráfico
Você pode Impressão, Copiar, Editar, Exportação, ou valores gráfico lista para qualquer gráfico usando os comandos de menu da
janela principal GS +, ou através de um menu do botão direito.

127
Capítulo 9 interpolação Basics

Cross-validação e análise Jackknife


análise de validação cruzada é um meio de avaliação dos parâmetros eficazes para krigagem e interpolações IDW.
Dois tipos de validação são fornecidos pela GS +: validação cruzada e Jackknife analisa. Na análise de validação
cruzada cada ponto medido no domínio espacial é removido individualmente a partir do domínio e o seu valor estimat-
ed como se fosse não existe. Em seguida, o ponto é substituído e o próximo ponto é removido e avaliado, e assim por
diante. Desta forma, um gráfico pode ser construído de estimada valores reais comparada para cada local de
amostragem no domínio. Na análise Jackknife, as estimativas são comparados contra valores de medição para um
conjunto de locais diferentes daqueles usados ​como dados de entrada. Antes de executar canivete anal- ysis você
deve especificar os dados jackknife em uma planilha que aparece quando você pressiona o comando Define.

validação cruzada e análise de canivete não estão disponíveis para simulação condicional.

Cada ponto no gráfico de validação cruzada e de canivete representa um local no conjunto de dados de entrada para o
qual um valor actual e estimado estão disponíveis. Informações sobre pontos individuais é fornecido na parte inferior da
tela; pontos são exibidos, colocando o cursor sobre eles. No caso acima, o cursor foi colocado no ponto que representa
ficha 100, como indicado na parte inferior da janela. Clicando com o botão direito do mouse sobre o gráfico você pode
listar os dados para todos os pontos (veja abaixo).

O coeficiente de regressão descrito na parte inferior do gráfico representa um ure medi- da qualidade do ajustamento
do modelo de mínimos quadrados que descreve a equação de regressão linear. Um perfeito 1: 1 em forma teria um
coeficiente de regressão (inclinação) de 1,00 e a linha de melhor ajuste (linha a cheio no gráfico de cima) iria coincidir
com a linha pontilhada de 45 graus sobre o gráfico. O erro padrão (SE = 0,162, acima) refere-se à 128
Capítulo 9 interpolação Basics

erro padrão do coeficiente de regressão; o valor r2 é a proporção da variância explicada pela linha de melhor ajuste
(neste caso de 37,9%, que é o quadrado do coeficiente de correlação); e também é proporcionada a intercepção y da
linha de melhor ajustamento. O termo Predição SE é definido como SD x (1 - r 2) 0,5 , onde SD = desvio padrão dos dados
reais (os dados representados graficamente no eixo dos Y).

Se você tiver escolhido para transformar os dados de entrada sem um backtransformation (ver janela Resumo de
Dados), então os valores estimados Z vai aparecer muito diferentes dos valores reais Z independentemente da
integridade do sistema de interpolação.

129
Capítulo 9 interpolação Basics

Cross-Validação e Valores Jackknife


Na análise de validação cruzada cada ponto medido em um domínio espacial é removido individualmente a partir do domínio e o
seu valor estimado através de kriging como se fosse não existe. Na análise Jackknife, as estimativas são comparados contra
valores de medição para um conjunto de locais diferentes daqueles usados ​como dados de entrada. Os resultados podem ser
representados graficamente (veja acima), bem como listados nesta somente leitura mesa de planilha.

Note que os valores estimados Z pode ou não ser backtransformed dependendo das configurações na planilha
Resumo de Dados. Se você tiver escolhido para transformar os dados de entrada sem backtransforming, então os
valores estimados Z vai aparecer muito diferentes dos valores reais Z independentemente da integridade do sistema
de interpolação.

Mesa
O número de registo refere-se ao registo atual na folha de cálculo de dados. Para cada ord reco- kriged com sucesso
o valor real Z é apresentado na coluna do meio e o valor estimado Z é fornecido para a sua direita.

Outras ações
Você pode Impressão, Cópia de, ou Exportar o conteúdo da planilha usando os comandos de menu da janela
principal GS +, ou através de um menu do botão direito. Você também pode alterar a Casas decimais relatados,
destacando uma coluna e pressionando o aumento ou diminuição Decimals ícone (ou utilizar os dados | comando de
menu Mudança decimais). Clicando no topo de uma coluna Ordenar a folha de cálculo com base no ed coluna Select-
em alternando ordem crescente ou decrescente. Você também pode mudar larguras de coluna colocando o cursor
sobre a linha entre duas colunas e arrastando para uma nova localização. 130
Capítulo 10 Simulação condicional

Capítulo 10
Simulação condicional
simulação condicional é uma técnica de interpolação avançada em que as estimativas Z baseiam-se numa forma de
simulação estocástica em que os dados medidos valores são respeitadas nas suas localizações. Outros métodos de
interpolação, incluindo krigagem e IDW, irá suavizar detalhes locais de variação espacial, especialmente como locais
interpolados tornam-se mais distante de locais medidos. Isso pode ser um problema quando você está tentando
mapear descontinuidades espaciais pontiagudos, como hotspots contaminação ou falhas. GS + utiliza um método de
simulação de Gauss sequencial. A Janela de interpolação contém a guia Simulate:

variograma Modelo
modelos de variogramas para isotrópicos e anisotrópicos variogramas são escolhidos com o comando Modelo na
janela de análise da autocorrelação. Aqui no Simulate ganha-dow você pode especificar se deseja usar o modelo
isotrópica ou anisotrópica para a grama vario- usado no sistema de krigagem.

Saída
Dois tipos de saída estão disponíveis com simulação condicional: ou a) o valor estimado Z e sua variância (ou
variância de estimativa ou desvio padrão), ou b) a probabilidade de que o valor estimado para aquele local é maior
do que algum valor limiar t.

131
Capítulo 10 Simulação condicional

• Uma estimativa Z individual e o seu desvio padrão é a média e o desvio padrão de n simulações para
um local específico. Assim, o número de simulações irá afectar ambos estes valores.

• A probabilidade é a proporção de simulações para uma localização específica para a qual o valor
estimado é maior do que t. Assim, esse valor também será afetado pelo número de simulações.

guia análise
Número de simulações. Você pode escolher qualquer número de simulações> 0. Tenha em mente que a escolha
muito poucas simulações irá produzir um mapa que é muito difícil, embora um grande número de simulações podem
requerer tempo de CPU substancial. Veja mais adiante neste capítulo para exemplos. O número padrão de
simulações é especificado na caixa de diálogo Preferências.

Use semente diferente. Se esta caixa estiver marcada cada simulação vai usar um diferente número aleatório.
Isto irá retardar a análise um pouco e fazer cada simulação única de uma corrida específica. O padrão é
especificado na caixa de diálogo Preferências. Em ambos os casos um caminho aleatório diferente é usado
para cada simulação.

refinamentos multigrid. Se assinalar esta opção obriga a análise a seguir um procedimento sábio passo- ao
simular nós de interpolação. No primeiro passo uma malha grossa é usado para permitir que a influência da
estrutura variograma em grande escala; na subsequente passos dos bairros de busca são menores. Isso evita a
necessidade de tensive condicionado ex. O padrão é especificado na caixa de diálogo Preferências.

Dados secundários
dados secundários colocado pode ser usado para refinar as estimativas. Collocated significa que um valor de dados
secundário está disponível para cada nó da rede a ser estimado ( não simplesmente para cada valor de dados primários,
como é o caso de cokrigagem regular).

Residuais. Este é o mesmo krigagem tão simples com uma média variando localmente. aperte o Definir botão
para definir os resíduos a ser utilizado.

deriva externa. aperte o Definir botão para definir os valores de deriva.

cokrigagem colocado. aperte o Definir botão para definir os valores covariável.

132
Capítulo 10 Simulação condicional

Dados secundários para Simulações


dados secundários para a simulação condicional são definidos na janela Dados Secundários Simulation. dados
secundários devem estar disponíveis para cada nó da rede a ser estimado.
Esta janela é acessada a partir da guia Dados secundários da guia Simulate:

Claro
Limpar dados existentes de planilha.

Encha X, Y

Encha o X e Y coordenadas colunas com valores calculados com base na grade de interpolação regular definida na
janela de interpolação. Se uma grade regular não é definido na janela de interpolação este botão não está
disponível.

Importar
valores de importação de um arquivo de texto externo. Cada registo do ficheiro deve conter uma taxa x sepa-, y, e o valor de
dados secundários separados por vírgulas, abas, ou espaços. Consulte o Capítulo 4 (Importar dados de arquivos externos)
para obter instruções sobre a importação.

Outras ações
Você pode Impressão, cópia, ou Exportar o conteúdo da planilha usando os comandos de menu da janela principal
GS +, ou o menu do botão direito. Você também pode alterar a Casas decimais relatados, destacando uma coluna e
pressionando o aumento ou diminuição Decimals ícone (ou os dados | comando de menu Mudança decimais).
Clique no topo de uma coluna de Ordenar a folha de cálculo com base na coluna seleccionada de forma ascendente
ing alternando ou descendente. Você também pode mudar larguras de coluna por plac- ing o cursor sobre a linha
entre duas colunas e arrastando para uma nova localização.

133
Capítulo 10 Simulação condicional

Número de Simulações
Na simulação condicional o número de simulações usadas para produzir estimativas de Z pode afetar fortemente o
resultado da interpolação. Estes são mapas de uma grelha de 80 x 80 m interpolados a uma densidade de 0,5 m, com
diferentes números de simulações. Abaixo, à esquerda é um mapa de dados de bloco kriged; no lado direito são os
mesmos dados interpolados por simulação condicionais (n = 1 simulação).

Simulações adicionais melhorar a clareza; o mapa abaixo, esquerda representa N = 10 simulações, abaixo direita
n = 100 simulações:

E ainda mais simulações resolver mais detalhes. O mapa abaixo esquerda representa n =
1.000 simulações; abaixo direita n = 10.000 simulações:

Você pode querer definir o número de simulações altos o suficiente para que as simulações adicionais revelam pouco
mais resolução.

134
Capítulo 11 Kriging e cokrigagem

Capítulo 11
Kriging e cokrigagem
Kriging fornece um meio de interpolação valores para pontos não fisicamente amostrados usando o conhecimento sobre
as relações espaciais subjacentes em um conjunto de dados para fazê-lo. Variogramas fornecer esse conhecimento.
Kriging baseia-se na teoria variável regionalizada e fornece uma estimativa interpolação ideal para uma dada localização
de coordenadas. GS + executa vários tipos de kriging.

A Janela de interpolação contém o guia Krig:

Tipo kriging
GS + proporciona tanto krigagem ordinária e simples. krigagem ordinária, o tipo mais comum- ly usado de krigagem,
assume uma média constante, mas desconhecida que pode oscilar entre os bairros locais dentro de uma área de
estudo. Em krigagem ordinária a soma dos pesos de krigagem é igual a um.

krigagem ordinária pode ser realizada com deriva externa ou com uma tendência polinomial. Krigagem com tendência
(também chamado krigagem universal) emprega um modelo de tendência anterior, que é definido como uma função
determinista que varia suavemente. Cinco termos de tendência polyno- mial diferentes podem ser incluídos no modelo: X
linear, Y linear, quadrática X, Y quadrática, e XY quadrática; use o comando Definir para especificar quais termos de in-
cluir:

135
Capítulo 11 Kriging e cokrigagem

Krigagem com deriva externa é uma extensão da krigagem com tendência. O modelo de tendência é limitado a dois
mandatos m (u) = a0 + a 1 f 1 ( você) Onde m é o valor médio para o bairro estimativa você e f 1 ( você) é definida como o (deriva
externa) variável secundário. Use o comando Definir para atribuir um termo deriva a cada ponto da grade de interpolação.
krigagem simples assume a expectativa do campo aleatório a ser conhecido, e se baseia em uma função covariância.
Estacionário kriging simples tem uma média constante, que em GS + é calculada como a média dos dados de entrada Z.
Em kriging simples não-estacionária, uma média variando localmente é especificado para cada ponto da grelha
interpolação utilizando o comando Define.

Para variáveis ​contínuas, indicador de krigagem estima a probabilidade de que o ponto de interpolação é maior do
que um valor de corte particular, especificado pelo usuário.

variograma
modelos de variogramas para variogramas isotrópicos e anisotrópicos são definidos e escolhido usando o comando
Modelo na janela de análise da autocorrelação. Aqui na janela de Kriging, você pode especificar se deseja usar o
modelo isotrópica ou anisotrópica. Você também pode optar por usar um variograma relativa, em que a pepita e
componentes estruturais são rescaled 0-1,0.

grade de discretização
Escolha qualquer ponto ou Bloquear krigagem nesta seção. Sua escolha deve ser feita com base em amostragem
características de concepção e variada. Se as amostras foram tomadas para representar uma área em torno do ponto de
amostra real (por exemplo, se as amostras a partir de uma área em torno da amostra de coordenadas foram compostas antes
da análise), então o bloco kriging pode ser mais apropriado do que pontual. Se as amostras foram tomadas para representar
os valores de ponto, em seguida, kriging pontual será mais apropriada.

Para bloco krigagem, você deve definir a grelha de discretização (também chamado de grid local), que é colocado ao
redor do ponto de interpolação quando krigagem. O companheiro de interpolação esti- para esse ponto é baseado no
valor médio das estimativas para cada um dos pontos da grade zação discreti-. Você pode especificar o número de
pontos de grade de discretização para usar em caixas X e Y; 2 aponta na direcção X e 2 pontos na direcção Y significa
que 4 pontos de discretização vai ser usado.

O tamanho da grade de discretização depende da grade de interpolação. Para uma grade regular, o tamanho é
equivalente para os intervalos de distância direcção X e Y, respectivamente (ver definição de uma interpolação
grade regular no Capítulo 9). Para uma grade irregular, o tamanho é especificado no Definir planilha interpolação
Grid (ver tamanho do bloco sob 136
Capítulo 11 Kriging e cokrigagem

Definindo uma irregular interpolação de grade no Capítulo 9).

cokrigagem
Cokrigagem é uma técnica de interpolação que permite uma melhor para estimar os valores do mapa, se a distribuição de
uma variável secundário é conhecida. O variate secundária (também chamado uma covariável ou Z2) é amostrado a partir
dos mesmos locais que o Z variate primário, e também a partir de um número de locais adicionais. Se o variate primária é
difícil ou ex pensativo para medir, então cokrigagem pode extremamente melhorar as estimativas de interpolação com-
sem ter que provar mais intensamente a variate primário.

Considere o seguinte exemplo hipotético. Depois de um derramamento radioactivos, plutónio foi amostrado através de
uma área de 80 m x 80 a uma densidade de amostra indicada pela trama quartil abaixo. Bloco kriging (seguindo
variografia) resultou no mapa adjacente:

O carbono do solo, mais fácil de medir do que o urânio, foi amostrada nos mesmos locais que o urânio e,
adicionalmente, em mais 60 locais como notado no mapa quartil inferior esquerda. Regressão de carbono contra
plutónio mostrou que os variates eram altamente correlacionados (à direita), sugerindo que cokrigagem pode
melhorar o mapa de plutónio.

Usando carbono como uma co-variável para produzir um mapa cokriged de resultados de plutônio no mapa
abaixo-direita, plotados ao lado do mapa kriged originais. Observe o lhoria im- substancial na definição do
contorno diferenças (isolinhas), especialmente no quadrante superior direito do mapa onde o urânio foi amostrado
mais escassamente:

137
Capítulo 11 Kriging e cokrigagem

A estimativa kriging é baseada não apenas no raio de localizações das amostras próximas para Z e o variograma
para Z, mas também a distância para localizações das amostras próximas para Z2, o variograma por Z2, e a
cruz-variograma para Z x Z2. Isto pode fornecer uma estimativa mais busto RO- de Z em locais sem amostragem se Z
e Z2 são suficientemente correlacionados. Antes de cokrigagem é necessário a) definir uma covariável na caixa de
diálogo signment dados da folha campo As-, b) realizar a análise semivariância (incluindo modelagem variograma)
para o Z variate primário, para o Z2 covariável, e c) para a cruz variate Z x Z2. Você também vai querer verificar que a
co-variável é de fato correlacionados com a variate primário no Sumário de Dados - Janela covariável.

Uma vez que os três variogramas são modelados, você pode escolher o separador CoKrig na janela terpolation In-:

cokrigagem Tipo
GS + oferece três tipos de cokrigagem: simples, comum, e padronizados Ordinária. 138
Capítulo 11 Kriging e cokrigagem

Simples cokrigagem não coloca restrições sobre os pesos aplicados aos UEs va- medidos durante a interpolação.

cokrigagem comum define a soma de pesos aplicados ao variate primário para um, e a soma de pesos aplicados ao
co-variável a zero. Isto limita a influência da co-variável em relação a outros tipos cokrigagem, por isso, não podem
ser preferidos. Normalizado ordinário cokrigagem recalcula o co-variável a ter a mesma média como o variate
primário, e restringe todos os pesos para resumir a um. Este é frequentemente o método cokrigagem preferido e é do
tipo padrão cokrigagem em GS +.

Tipo variograma Modelo


modelos de variogramas para isotrópicos e anisotrópicos variogramas são definidos e escolhido usando o comando
Modelo na Autocorrelação Análises janelas. Há uma janela arate autocorrelação septo para o Z variate primário,
para o secundário variate Z2, e para o variate transversal Z x Z2. Aqui na janela de cokrigagem, você pode
especificar se deseja usar o modelo isotrópica ou anisotrópica para cada um desses variogramas. Você também
pode optar por usar um variograma relativa, em que a pepita e componentes estruturais são rescaled 0-1,0 para
cada um dos três modelos.

grade de discretização
Escolha qualquer ponto ou Bloquear cokrigagem nesta seção. As opções nesta seção são as mesmas que para
Kriging, acima.

Pesquisa de Vizinhança - covariáveis


A estratégia de busca de valores Z2 covariáveis ​em cokrigagem pode ser diferente do que para os valores de Z
variate primário. Na guia Pesquisar Bairro covariáveis ​você pode especificar se os parâmetros de pesquisa deve ser o
mesmo que para o Z variate primária ou diferente. Veja Estratégia de Pesquisa no Capítulo 9 para obter mais
informações sobre as ções op- disponíveis:

139
Capítulo 12 Inverse e Normal Distância Ponderação

Capítulo 12
Inverse (IDW) e Normal (NDW) Distância Ponderação

Inverse Distância de peso (IDW) e Normal Distância de peso (NDW) são técnicas de interpolação em que
interpolados estimativas são feitas com base em valores em locais próximos ponderados apenas pela distância do
local de interpolação. Nem IDW nem NDW fazer suposições sobre relações espaciais, exceto o Sumption básica as-
que pontos próximos devem ser mais estreitamente relacionados do que pontos distantes para o valor na
localização interpolate. IDW aplica pesos mais fortes para pontos próximos do que faz NDW. A fórmula utilizada
para Inversa Distância de ponderação é a seguinte:

Entusiasmo j = Σ [ z Eu / ( h eu j + s) p] / Σ [ 1 / ( h eu j + s) p]

Onde

Entusiasmo j = valor estimado para localização j


z i = valor de amostra medido no ponto i, h ij = distância
entre Raspa j e Z Eu;
s = factor de alisamento; e
p = poder de ponderação.

A fórmula utilizada para a distância normal de peso é o mesmo que o descrito para IQD excepto que o denominador
[distância mais factor de alisamento], em vez de [inversa da distância mais factor de alisamento].

A potência de ponderação P define a velocidade a que os pesos caem com h eu j, a distância entre os locais

interpolados e de amostra. Um valor de 1-5 é típico. O fator de suavização s reduz a probabilidade de que qualquer

valor de uma amostra irá influenciar excessivamente um valor estimado para uma dada localização de interpolação.

IDW é um terpolator in- exata, então onde um local de interpolação j coincide com um local de amostragem Eu,

Entusiasmo j = z Eu e um “pico” ou “vale” sharp pode resultar; ajuste s> 0 reduz este Peak efeito ing quando ele
ocorre.

A Janela de interpolação contém o guia IDW:

140
Capítulo 12 Inverse e Normal Distância Ponderação

Inverse vs. normal Distância Ponderação


Escolha qualquer inverso da distância ou ponderação distância normal. ponderação inversa aplica pesos mais
fortes com pontos próximos do que faz normal Distância Ponderação.

Poder ponderação
A potência de ponderação define a velocidade a que os pesos caem com a distância entre os locais interpolados e
de amostras. Um valor de 1-5 é típico.

Fator de alisamento
O factor de alisamento s reduz a probabilidade de que qualquer valor de uma amostra irá influenciar excessivamente um valor
estimado para uma dada localização de interpolação.

Restabelecer

Restaurar valores padrão para o método IDW.

141
Capítulo 13 de interpolação Formatos de arquivo de saída

Capítulo 13
Interpolação Formatos de arquivo de saída

GS + Output Format arquivos


O formato GS + para Krig (.krg), IDW, e arquivos de saída Simulação condicional (que é também o GS + formato para
arquivos de entrada Mapa) contém uma série de registros de cabeçalho con- tenção informações sobre o arquivo,
seguido por registros XYZ-estilo para cada pontos interpolados. Cada registo de dados contém os campos para um
valor de coordenada X, um valor de coordenada y (excepto transects 1-dimensional não contêm um valor para a
coordenada y), um valor de z calculado para essa localização XY, um desvio padrão de estimativa para o z-valor
estimado (exceto os arquivos IDW) e o número de pares utilizados na ção interpolação para esse local xy. Os valores
em falta são indicados por qualquer valor que é especificado na janela de Preferências. Note que este formato é
diferente do GS + Input formato de arquivo.

• A listagem a seguir é para os primeiros 6 coordenadas para um + arquivo de saída krig padrão GS. Um
arquivo de saída GS + IDW ficaria idênticas, exceto que não haveria campo para o desvio padrão estimado
nos registros de dados.

GS + Saída: Bloco de krigagem Set v7.0 arquivo: Campo 54,


segundo nível
Dimensões: 2; fonte intervalo: intervalo de interpolação
Calculado (x, y): 1,3333; 1,3333 X-COOR: m gama
leste: 0,00-80,00 Y-COOR: m gama norte: 0,00-80,00
Z-est: Pb

intervalo: 0,151-0,813 Z-sd:

intervalo: 0,0000-,3655 média Z-estimativa


(sd): 0,391 (0,0186)
N válido: 3721; Faltando N: 0; Faltando Indicador Valor: -99 coordenada x
Y-Coordinate Z-Estimado EstStdDev n
0.00 0.00 0,431 0,3608 16
0.00 1.33 0,458 0,3486 16
0.00 2,67 0,462 0,3329 16
0.00 4.00 0,466 0,3178 16
0.00 5.33 0,470 0,3034 16
0.00 6,67 0,474 0,2900 16

142
Capítulo 13 de interpolação Formatos de arquivo de saída

ArcView • e ArcInfo • Formato


o ArcView • ASCII (.asc) para arquivos de saída krig (que também é o Arc / Info •
formato para arquivos de entrada Mapa) contém uma série de registros de cabeçalho contendo informa- ções sobre o
arquivo, seguido por uma seqüência de valores de z para cada linha da grelha interpolado a partir de um canto particular.
Ao contrário de arquivos de formato GS +, o desvio padrão da estimativa eo número de vizinhos usados ​para
interpolação não estão incluídos neste formato. Também para este formato, os intervalos de interpolação x e y deve ser
o mesmo (você pode configurá-los para ser o mesmo a partir da janela de diálogo interpolação Grid). Este formato é
compatível com a ESRI ' s ArcInfo Sistema de Informação Geográfica. Dados neste formato pode ser importado
diretamente da ESRI ArcInfo ™ ou ArcView ™. Note que este formato é diferente do formato de arquivo de entrada do
ArcView XYZ descrito anteriormente, que é um formato de saída ArcView que pode ser lido por GS +.

• A listagem a seguir é para o primeiro 200 ou coordenadas de um padrão Arc / Info assim • ou ArcView • arquivo
de saída krig formato:

ncols 376
nrows 253
xllcorner - 185556.375
yllcorner - 127261.5234375
tamanho da célula 1009.975
NODATA_value -999
354 314 309 301 286 264 305 306 285 285 268 314 339 306 266 248 252 240 256 282 277
289 269 285 277 258 256 282 268 246 250 249 245 266 262 287 295 335 325 323 359 369
361 357 394 450 407 409 382 409 394 486 510 502 516 546 531 542 572 579 586 594 522
654 550 615 678 709 616 533 430 576 507 638 778 769 456 432 576 635 778 721 769 869
563 589 640 588 770 833 874 1019 965 933 621 795 1131 1044 899 1072 1112 880 910
1069 1088 1071 965 975 800 543 350 902 330 376 310 384 418 352 263 205 202 200 200
201 200 198 201 201 201 201 201 201 694 695

Para converter este arquivo para um arquivo de grade ArcGIS ™, utilize ArcToolbox ™, a versão luz que vem
com ArvView ™ ou a versão completa que vem com ArcInfo ™:

uma. Abrir ArcToolbox ™

b. Escolha a importação de ferramenta Raster

c. Especifique o GS + nome de arquivo de saída, o tipo de grade (inteiro ou ponto flutuante), o nome do arquivo
de saída da rede e pressione OK.

d. Agora você pode abrir o arquivo no ArcMap ™.

143
Capítulo 13 de interpolação Formatos de arquivo de saída

Surfista • Grid (.GRD) Format


o surfista • Grid (.GRD) Formato de saída Krig (ou mapa Formato de entrada) tem uma área de cabeçalho curto que
fornece as informações necessárias para o mapeamento, e os dados são, em seguida, escrito como um fluxo contínuo
de Z-estimativas começando a partir de um canto específico do ção interpolação grade. O desvio padrão da estimativa
eo número de vizinhos usados ​para interpolação não estão incluídos neste formato. Este formato é compatível com
Software Dourado ' s Surfer • programa de mapeamento. Note que o surfista • formato de grade é diferente do surfista • formato
XYZ usado para arquivos de entrada (ver Capítulo 4).

• A listagem a seguir é para o primeiro 100 ou coordena num er Surf- padrão de modo • arquivo de formato de
grade. O primeiro registro é uma linha necessária de letras de código que identifica o arquivo como um
surfista • arquivo de grade. Ficha duas contém o número de linhas da grade ao longo do eixo x e do eixo y,
respectivamente. Ficha 3 contém os valores mínimos e máximos da coordenada x. Ficha 4 contém os
valores mínimos e máximos da coordenada y. A ficha 5 contém os valores máximo e mínimo para a
z-variada. Registos 6+ conter os valores de z organizados em ordem de linha. Dentro de cada linha a
coordenada y é constante, ea linha de grade 1 corresponde ao menor valor y-coordenar e a última linha
corresponde ao maior coordenada y. Dentro de cada fila os valores de z-variada são ordenados de baixa
coordenada x a maior coordenada x.

DSAA 376
253
- 185556.375 194194.225
- 127261.523 128262.152
81.000 4469.000
578 746 1097 1251 581 312 229 229 235 278 292 357 490 997 1411 1397 1373 1373 1370
1061 942 1003 1288 1014 785 963 934 797 703 924 1035 1071 1257 1775 1800 1520 1460
1520 1278 1098 915 645 495 450 378 339 342 425 613 1084 1292 1701 1682 1996 2280
2107 1662 1553 1418 1162 1225 1266 1735 1674 1550 1800 2015 2240 2158 2328 2262
2173 2046 1688 1849 1880 2023 2320 2029 2140 2240 2650 2465 2369 2180

144
Capítulo 13 de interpolação Formatos de arquivo de saída

GSLIB saída (.out) Format


O formato de saída interpolação GSLIB (.out) tem uma área de cabeçalho curta que fornece informação para o
mapeamento. O primeiro registo de cabeçalho (mostrado em 2 linhas abaixo devido a limitações de largura da página)
contém X e Y coordenar a informação necessária para o mapeamento. O segundo registro indica o número de campos
por registro de dados, e os próximos registros contêm os nomes dos campos. Seguindo os registos de cabeçalho são
registos que con- ter um valor para o Z-estimativa da variância e estimativa para esse ponto (ou estimativa de desvio
padrão, se especificado na janela de interpolação). registros de dados começa no canto noroeste do grid.

• A listagem a seguir é para as primeiras coordenadas em um arquivo mat for- padrão GSLIB. O primeiro
registo (mostrado em 2 linhas porque é demasiado longo para exibir numa linha) identifica o arquivo como
um arquivo de saída GSLIB e fornece informações coordenadas espaçamento. Grave dois estados que
existem 3 campos por registro e registros 3-5 fornecer os nomes dos campos.

GS + saída: Pontual krigagem v9.0 Arquivo; formato GSLIB: nx = 3; Xmin = 5,0000; xsiz =
10,0000; ny = 6; Ymin = 5,0000; ysiz = 10.0000 3 Z-Estimado Vizinhos EstimationVariance

3,98 6,7825 8
0,34 5,1996 8
1,45 4,5482 8
3,14 5,2250 8
7,67 4,8409 8
0,61 6,2536 8
1,05 4,8234 8
0,86 5,1885 8
3,41 3,9369 8
1,03 5,7149 8
1,44 5,7889 8
2.14 6,2928 8
1,53 6,2740 8
1.15 4,7431 8
0,98 7,2801 8
2,29 9,9600 8
2,28 9,9919 8
2.10 9,9002 8

145
Capítulo 14 Mapping

Capítulo 14
Mapping
GS + produz 2-D e 3-d mapas de dados espaciais seguintes interpolação. Os dados a serem mapeados vêm de krigagem
ou análise IDW, e são, portanto, contidas nos arquivos de saída ção interpolação. Os mapas podem ser exibidos em uma
variedade de maneiras, com uma variedade de esquemas de contorno dife- rentes, mapas 3-dimensionais podem ser
giradas na mosca, e ambos os 2- mapas tridimensionais e 3-dimensional pode ser ampliado para ver mais de perto a
transição ção ou outro recurso de mapa. Além disso, postagens de amostras (locais dados originais) podem ser exibidos, e
os erros padrão de estimativa podem ser mapeados para arquivos de entrada que foram guardados nas GS padrão +
formato.

Mapa Input File


• Selecione - permite que você escolha o arquivo com os dados a serem mapeados. A extensão do ficheiro falha de- irá
corresponder ao formato de ficheiro seleccionado (por exemplo .krg, .blk, e .pun para formato GS +), embora um ficheiro
com qualquer extensão pode ser seleccionado.

• Ver - visualizar o arquivo selecionado na janela de exibição de arquivos.

• Formato - especifique o formato a utilizar para ler o arquivo de entrada. Arquivos com uma .krg,
. idw, .blk, ou extensão .pun estão a ser assumida em formato GS +. O formato especificado neste campo
irá substituir qualquer formato assumido:

146
Capítulo 14 Mapping

• formato GS + Krig (.krg) - neste formato uma área de cabeçalho define a grade de interpolação
lamento, nomes variate e outras informações sobre o arquivo necessário para iniciar o mapeamento
mais tarde, e os registros de dados incluem para cada X e Y coordenadas local que é kriged a
interpolação ou Z-estimativa, o desvio padrão do Z-estimativa, e o número de vizinhos que foram
utilizados para fazer a estimativa. Veja exemplo detalhado no Capítulo 11.

• Surfista ® formato de grade (.GRD) - neste formato uma área de cabeçalho curto define as informações
necessárias para o mapeamento e os dados são gravados como um fluxo contínuo de Z-estimativas
iniciais de um canto específico da grade ção interpolação. O desvio padrão da estimativa eo número
de vizinhos usados ​para interpolação não estão incluídos neste formato. Este formato é compatível
com programa de mapeamento Surfista do Golden Software. Note que este formato não é o mesmo
que o formato de arquivo de entrada do surfista XYZ. Veja exemplo detalhado no Capítulo 11.

• ArcView ® Format (.asc) - este é semelhante ao formato do surfista, mas a área de cabeçalho é
formatado de forma diferente e os Z-estimativas são escritos em um padrão que começa a partir de
um canto diferente da grade de interpolação. O desvio padrão da estimativa eo número de vizinhos
usados ​para interpolação não estão incluídos neste formato. Também para este formato, os
intervalos de interpolação x e y deve ser o mesmo (você pode configurá-los para ser o mesmo a
partir da janela de diálogo interpolação Grid). Este formato é compatível com Arc-Info Sistema de
Informação Geográfica da ESRI. Veja exemplo detalhado no Capítulo 11.

• GSLIB Format (.out) (.out) - este formato é semelhante ao formato de entrada GeoEas. Um primeiro
registro longo contém coordenar as informações intervalo que é lido por GS + ao mapear arquivos
GSLIB. O segundo registro do arquivo especifica três registros de cabeçalho com o nome “estimar”,
“variância estimativa” (ou “desvio padrão”), e “vizinhos.” Os registros que se seguem são na mesma
ordem como para Surfer ®, mas há três campos por registro (estimativa, erro de estimação, e número
de vizinhos), em vez de apenas um campo (o Z-estimativa). Veja um exemplo detalhado no Capítulo
11.

mapa da grade

X direcção - a gama dentro do ficheiro para valores na direcção x (horizontal). direcção Y - a gama dentro do

ficheiro para valores na direcção y (vertical); para 1- conjuntos de dados dimensionais este campo está em

branco.

Z valores - a gama de valores de Z estimados no arquivo de entrada.

147
Capítulo 14 Mapping

valores SD Z - a gama de estimativa Z valores de desvio padrão no ficheiro de entrada; somente quando os
arquivos de entrada estão em um formato GS + que contêm ambos os valores de Z e desvio padrão Z vai essa
caixa ser selecionável;

N (ausente N) - o número de registros válidos no arquivo e (entre parênteses) o número de valores em falta. O
indicador de valor em falta padrão (. Eg -999) é especificado nas Preferências - diálogo Geral; o indicador de
valor em falta ativo para os arquivos do mapa é indicado na janela Intervalos o mapa de contorno. Os valores
em falta são mapeados como regiões transparentes. polígonos exclusivos são mapeados como valores ing
miss-, como é qualquer localização interpolate para o qual não há solução kriging.

Variate para mapear

• valores de Z - mapeia os valores estimados Z no arquivo

• Z desvios-padrão ou variância Z estimativa - mapeia a variância estimativa Z ou desvios-padrão no


arquivo; apenas ficheiros no formato GS + conter ambos os valores de Z e Z desvio padrão (ou Z
variância estimativa) valores.

• Amostra Posting - mapa apenas os locais de amostragem originais. Requer a presença de um arquivo de
postagem, que tem o mesmo nome que o arquivo de entrada, mas um
. extensão pos. Este arquivo é criado durante a interpolação; se ele não estiver presente, você não será capaz
de mapear uma postagem amostra. Coordenar Contribuição (Lotes quantil) dos dados activos são vistas
através da Resumo de Dados - X, Y janela dinates Tab Coor-, descrito anteriormente.

Tipo de gráfico
• 2-d - mostra um mapa plano, 2-dimensional de dados

• 3-d - exibe um mapa 3-dimensional dos dados. A altura do mapa pode ser ajustado com o comando
Editar gráfico da janela do Mapa; a pers- pectiva pode ser ajustado com o comando Girar da janela do
Mapa.

• 1-D - apresenta um-dimensional de dados (por exemplo, um corte transversal geográfica ou um tempo de se- ries) como um
gráfico xy. Esta escolha não está disponível para dados 2-dimensionais.

• Mostrar legenda - exibe a legenda contorno ao lado do mapa.

Superfície

• linhas de contorno - desenha linhas entre os intervalos de contorno

• faixas de cores - preenche o espaço entre linhas de contorno com cores diferentes; ors COL- pode ser
especificado a partir da janela de diálogo Definir Contorno pressionando Definir níveis de contorno, abaixo.

• Suavização - aplicar uma leve suavização para os dados para melhorar a visualização.

• pedestal sólido - para um mapa 3-d preencher a área abaixo da superfície com uma cor sólida. 148
Capítulo 14 Mapping

• Wireframe - para mapas 3-D, cortinas uma grade xy sobre a superfície.

• Wireframe Weave - especifica a densidade do grid wireframe. A tecelagem de 0 coloca uma linha de grade em
cada linha de dados e coluna; uma tecelagem de uma pula uma linha / coluna, um tecido de 2 2 pula, etc.

Níveis de contorno
• Número - o número de níveis de contorno para colocar no mapa.

• Definir - abre a janela Mapa Contour Intervalos de diálogo (descritas em maior detalhe abaixo) que
permite que você defina pontos de quebra para vals inter-individuais e cores para bandas de contorno.

Legenda do mapa

Mostrar legenda - exibe a legenda contorno ao lado do mapa. vs contínua pisada - exibição legenda como escala

contínua com valores próximos de quebrar pontos (por exemplo, entre as bandas de cores) ou lenda exibição como

formato em degraus, com valores próximos de cores encaixotados.

Teto
• As linhas de contorno - linhas de contorno do projecto acima da superfície do terreno (apenas 3-d mapas).

• faixas de cores - faixas de cor projetar sobre o teto da parcela (apenas 3-D mapas).

Chão
• As linhas de contorno - linhas de contorno do projecto sob a superfície da trama (apenas 3-d mapas).

• faixas de cores - faixas de cores do projeto para o chão da trama (apenas 3-D mapas).

Linhas de grade

• Eixo X - lugar uma linha de grelha vertical ao longo das paredes do fundo do 3-d trama eixo x.

• eixo Y - lugar uma linha de grelha vertical ao longo da parede de trás da 3-d trama eixo y.

• eixo Z - lugar horizontal linhas de grade ao longo das paredes traseiras dos lotes 3-d.

Desenhar

Criar o mapa em uma janela de mapa de imagem.

149
Capítulo 14 Mapping

Mapa Intervalos de contorno

Essa janela de diálogo permite especificar os pontos de quebra e cores para os intervalos de contorno utilizados
para o mapeamento. O número de intervalos de contorno é especificado na janela Mapa, onde o acesso a esta
janela Níveis Mapa Contour é fornecido.

Intervalos de contorno
• Botões coloridos - mude a cor de um intervalo especificado, clicando no botão de cor cento adja-.

• Quebrar pontos - alterar o ponto de ruptura entre intervalos de contorno adjacentes, fornecendo um novo
valor no espaço fornecido. Note-se que o novo ponto de ruptura deve ser maior do que o ponto anterior e
menos do que o que se segue.

• valor em falta - especificar o indicador de valor em falta para o arquivo de dados. Este ue val- geralmente é
incorporado no arquivo de entrada como parte da informação do cabeçalho, e

150
Capítulo 14 Mapping

é extraído automaticamente por GS +. Este valor substitui o valor em falta in- dicator especificado nas
Preferências - diálogo Geral ou o arquivo de entrada mapa.

intervalos
• Obter - leia intervalos de contorno de um arquivo de texto; o primeiro valor de cada registro de linha do arquivo se
presume ser um intervalo separado. A exten- são de arquivo padrão para arquivos intervalo é .lvl.

• Guardar - para guardar os intervalos de contorno existentes para um arquivo de texto.

• Redefinir - recalcular intervalos com base em uma distribuição regular (intervalos) entre o valor mais
baixo e mais alto no arquivo.

Fonte colorida
• Standard - especifica um padrão de cores padrão de vermelho-amarelo-laranja ... .. violeta.

• Azul - especifica um padrão de cor padrão de diferentes tons de azul.

• Personalizado - especifica um padrão de cor personalizado definido abaixo.

• Red - especifica um padrão de cor padrão de diferentes tons de vermelho.

• Green - especifica um padrão de cor padrão de diferentes tons de verde.

• Gray - especifica um padrão de cor padrão de diferentes tons de cinza.

Custom Color Fonte


• Obter - obter um padrão de cor personalizado salvo anteriormente. A cor personalizada inicial é o mesmo que a
fonte de cor padrão, acima.

• Gravar - para gravar o padrão de cor existente como o padrão cor personalizada.

• Reset - redefinir o padrão de cor personalizada para o padrão padrão padrão.

Cor Dinâmico Fonte


Expande ou contrai a gama de cores quando existem menos de 15 intervalos especifi- cados. Por exemplo, se 10
intervalos são especificados ea caixa de dinâmica não está marcada, as cores para os intervalos são as mesmas
que seriam se intervalos de 15 foram verificados. Se, por outro lado, a caixa de dinâmica é marcada, as cores para
os intervalos que são ajustados de modo que o intervalo 10 se torna a cor do intervalo de originais 15. Se assinalar
esta opção proporciona maior contraste de cores em mapas.

Invertido

Inverte a gama de cores. Isso permite que você associe os mais altos valores do intervalo com as cores mais escuras
ou vice-versa.

Cancelar
Saia da janela de diálogo sem salvar as alterações.

151
Capítulo 14 Mapping

Mapa de Imagem - 3-d

A imagem do mapa 3-d é produzido pela Desenhar comando da janela de mapeamento.

Ação do mouse
• Off - retorna o mouse para a operação normal.

• Girar - transforma o cursor em um manguito rotador quando o botão esquerdo do mouse é pressionado, permitindo
que a imagem a ser rodada como desejado.

• Move - permite que o gráfico a ser movido dentro da janela clicando no botão esquerdo do mouse e
arrastando o cursor.

• Escala - encolhe a imagem do gráfico com o botão esquerdo do mouse.

• Zoom - permite aumentar o zoom em uma área do gráfico usando o botão esquerdo do mouse para definir
uma área de zoom retangular. Dentro da área ampliada a localização do cursor é anotado no painel de Rato
Localização.

• Reset - redefine a imagem para o ângulo de rotação padrão e escala.

rato Localização
A localização atual do cursor quando na superfície do mapa. As unidades são unidades do mapa.

ações Gráfico
Você pode Impressão, Copiar, Editar, Exportação, ou valores gráfico lista para qualquer gráfico usando os comandos de menu da
janela principal GS +, ou através de um menu do botão direito.

152
Capítulo 14 Mapping

Mapa de Imagem - 3-d desvios padrão


Um mapa de desvios padrão podem ser produzidos por arquivos de interpolação que contêm valores de variância de
desvio ou de estimativa normalizadas - Krig ou interpolações Simulação condicionais que são salvos no formato GS +.
Use o Desenhar comando a partir da janela de ping a MAP.

Comandos nesta janela são as mesmas que para os gráficos anteriores.

153
Capítulo 14 Mapping

Mapa de Imagem - 3-d Rotação


imagens de mapas tridimensionais pode ser girada para qualquer ângulo de visão. Para rodar, escolha Girar no
painel de Ação do mouse e mantenha pressionado o botão esquerdo do mouse enquanto move o mouse sobre o
gráfico. O cursor será substituída por uma caixa 3-d (como abaixo) do ângulo de visão. Solte o mouse eo mapa
serão sorteados:

154
Capítulo 14 Mapping

Mapa de Imagem - 2-d

A imagem do mapa 2-d é produzido quando o tipo de gráfico é definido como 2-d.

Mapa de Imagem - 2-d desvios padrão


Um mapa 2-d de desvios-padrão pode ser criado a partir da janela do mapa.

155
Capítulo 14 Mapping

Mapa de Imagem - 2-d Amostra Posting


A amostra destacamento 2-d é produzido pela Desenhar comando a partir da janela Mapeamento quando o Tipo de
Gráfico dentro dessa janela é definido como 2-d e caixa ao destacamento está marcada. Cada símbolo “X” na
imagem abaixo marca um local amostra real, conforme definido pelo original X, Y coordenar posições na janela de
dados da planilha. Comentários ordenadas CO- (Lotes quantil) do ativo dados (que podem ou não ser o mesmo que
os dados mapeados) são vistas através da Resumo de Dados - X, Y janela Concer- nádegas Tab, descrito
anteriormente.

Comandos nesta janela são as mesmas que para os gráficos anteriores.

156
Capítulo 14 Mapping

Transectos (1-d Mapas)


A imagem transecção 1-d com ou sem lançamentos de amostra é produzido através da janela de mapeamento, quando a variável
aleatória para ser mapeada tem apenas uma dimensão (X):

Transecto Imagem com Desvio Padrão


Um transecto com desvios-padrão pode ser tirada se os arquivos de interpolação conter desvios-padrão - Krig ou
arquivos de simulação condicional em formato GS +.

Comandos nesta janela são as mesmas que para os gráficos anteriores.

157
Capítulo 15 Bibliografia

Capítulo 15
Bibliografia
As referências a seguir pode ser útil para aqueles que procuram ainda mais fundo sobre geoestatística e seu uso
nas ciências ambientais.

Burrough, PA 1981. dimensões Fractal de paisagens e outros dados Tal am-. Natureza 294: 240-242.

Burrough, PA 1986. Princípios de Sistemas de Informação Geográfica para Resources Land Assessment.

Oxford University Press, Oxford. Burgess, TM e R. Webster. 1980a. interpolação ideal e mapeamento

isarithmic de propriedades do solo. I. O semivariograma e krigagem pontual. Jornal de Ciência do Solo 31:

315-331.

Burgess, TM e R. Webster. 1980a. interpolação ideal e mapeamento isarithmic de propriedades do solo. II.

Bloco de krigagem. Jornal de Ciência do Solo 31: 333-341. Cressie, N. 1985. modelos de variograma montagem

por mínimos quadrados ponderados. Geologia matical Mathe- 17: 563-586. Cressie, NAC 1991. Estatísticas de

Dados Espaciais. John Wiley, New York, EUA. David, M. 1977. Geoestatística Ore Reserve Estimação. Elsevier,

a Ciência Pub- institui Co., Amsterdam, The Netherlands.

Deutsch, CV e AG Journel 1992. GSLIB geoestatística Software Library. Oxford University Press, New
York.

Goovaerts, P. 1997. Geoestatística para Natural Avaliação de Recursos. Oxford University Press, New York.

Griffith, 1987 DA. Autocorrelação espacial: A Primer. Associação de Geógrafos Americanos, Washington, DC 86

p. Haan, CT 1977. Métodos Estatísticos em Hidrologia. Iowa State University Press, Ames, Iowa.

Isaaks, EH e RM Srivastava. 1989. An Introduction to tiques Geostatis- Aplicada. Oxford University Press,
NY.

158
Capítulo 15 Bibliografia

Journel, AG e CJ Huijbregts. 1978. Geoestatística mineração. Academic Press, New York.

Krige, DG 1966. Dois móveis superfícies de tendência dimensões médias ponderadas para o
minério-avaliação. Jornal do Instituto de Mineração e Metalurgia Sul-Africano
66: 13-38.

Krige, DG 1981. geoestatística Lognormal-de Wijsian para avaliação minério. Instituto Sul-Africano de
Mineração e Metalurgia Series Monografia. Geoestatística I.
Instituto Sul Africano das Minas e Metalurgia, Johannesburg, África do Sul. Mandelbrot, o BB 1982. A

geometria fractal da natureza. WH Freeman, Lon- don.

Matheron, G. 1971. A teoria das variáveis ​regionalizadas e suas aplicações.


Cahiers du Centre de Morphologie Matemática, Fontainebleau, No. 5. Nielsen, DR e O. Wendroth. 2003. Espaciais

e temporais Estatísticas: SAM- Pling Solos de campo e sua vegetação. Castena Verlag, Reiskirchen,

Alemanha. Robertson, GP 1987. Geoestatística em ecologia: interpolação com variância conhecido. Ecologia 68:

744-748.

Robertson, GP, e KL Gross. 1994. Avaliando a heterogeneidade de recursos abaixo do solo: Quantificar
padrão e escala. Páginas 237-253 no MM Caldwell e RW Pearcy, eds. Planta Exploração de hetero- Ambiental
neidade. Academic Press, New York, New York, EUA.

Rossi, RE, DJ Mulla, AG Journel, e EH Franz. 1992. ferramentas Geostatistical modelar e interpretar a
dependência espacial ecológico. Monografias ecológica 62: 277-314.

Sokal, RR e NL Oden. 1978. autocorrelação espacial na biologia. 1. ology metodolo-. 2. Algumas implicações
biológicas e quatro aplicações de interesse evolutivo e ecológico. Jornal biológica da Linnean Society 10:
199-228. Trangmar, BB, RS Yost e G. Uehara. 1985. Aplicações da geoestatística para estudos espaciais de
propriedades do solo. páginas 45-94 dentro NC Brady, editor. Avanços em Agronomia Volume 38. Academic
Press, New York.

Vieira, SR, JL Hatfield, DR Nielsen, e JW Biggar. 1983. teoria Geostatistical e aplicação à variabilidade de
algumas propriedades agronómicas. Hilgardia
51: 1-75.

159
Capítulo 15 Bibliografia

Webster, R. 1985. análise espacial quantitativa do solo no campo. páginas 1-70


dentro BA Stewart, editor. Avanços no solo Volume Ciência 3. Springer-Verlag, New York.

Webster, R. e MA Oliver. De 2007. Geostatística para cientistas ambientais (tendências de comportamento


organizacional). John Wiley and Sons, Nova Iorque. 304 pp.

160
Capítulo 16 Glossário

Capítulo 16
Glossário

UMA 0

parâmetro gama em modelos de variograma. A relação de A 0 para variar Um (intervalo eficaz) depende do modelo.
Ver definições de modelo específicos para mais informações.

UMA 1

parâmetro intervalo para o eixo maior em modelos de variograma anisotrópicos. A relação existente de A 1 a grande
gama depende do modelo. Ver definições de modelo específicos para mais informações.

UMA 2

parâmetro intervalo para o eixo menor em modelos de variograma anisotrópicos. A relação existente de A 2 a grande
gama depende do modelo. Ver definições de modelo específicos para mais informações.

Formato binário Data Record


dados binários de muitos programas de planilhas e bancos de dados podem ser importados ly direct-; se o arquivo
pode ser visto usando o comando de exibição, então ele pode ser importado. arquivos Eligi- ble incluem Excel e
planilhas Lotus 1-2-3, dBase, Paradox, Access, etc.

Um personagem como falta Indicador Valor


Especifique o caractere a ser usado como um indicador de valor em falta no campo que vai ap- pêra quando um
valor de caracteres é especificado na caixa de lista. O exemplo abaixo sumes pré que% foi especificado o indicador
de valor em falta, e, assim, o terceiro valor deste registro será lido na planilha como um valor em falta:

13,2, 34,5,%, 0,15

Autocorrelação
Autocorrelação é o grau em que um propriedade está relacionada à própria no tempo ou no espaço.
Por exemplo, em um domínio espacial valores para as amostras colhidas perto um do outro são mais propensos a ser
semelhantes do que são amostras colhidas mais distantes - autocorrelação é uma medida formal desta auto-similaridade.

Backtransformation
Quando os valores de dados são transformados, de modo a realizar as suas distribuições mais normalmente distribuída,
após a análise dos dados transformados os dados de saída são habitualmente (mas não necessariamente)
re-transformado para o domínio de dados original para os relatórios finais. Por exemplo, o backtransformation para um ln
(z) transformar é exp (z-transformada); para az 2 transformar o backtransformation é a raiz quadrada do valor
transformado.
161
Capítulo 16 Glossário

Valores de deslocamento (se aplicados) são subtraídos dos valores backtransformed.

Formato binário Data Record


dados binários de muitos programas de planilhas e bancos de dados podem ser importados direct- ly. arquivos
elegíveis incluem Excel e planilhas Lotus 1-2-3, dBase, Paradox, Access e FoxPro.

bloco Kriging
Kriging fornece um meio de interpolação valores para pontos não fisicamente amostrados usando o conhecimento sobre
as relações espaciais subjacentes em um conjunto de dados para fazê-lo. Bloco krigagem fornece uma estimativa para
uma área distinta em torno de um ponto de interpolação. Pontual ou ponto kriging fornece uma estimativa para um ponto
preciso. Em krigagem bloco trabalho ambiental é geralmente mais apropriado. O bloco é definido como a área rectan-
gular em torno de um ponto que não está incluído em um bloco adjacente.

Suportes como a coluna Título Separadores


Os nomes das colunas ou variate estão separados por colchetes, por exemplo:

<M leste> <M norte> <Pb (ug / g)> <pH>

C ou desvio estrutural
C do modelo de variograma representa variância espacialmente estruturada. Compare com C 0
ou variância pepita, que é a porção da variância não espacialmente estruturado.

C 0 ou Nugget Variance
C 0 ou Nugget variância é a intercepção y da vario modelo. variância Nugget representa variação não
espacialmente dependente ao longo da gama examinada.

Personagens como a coluna Título Separadores


Os nomes das colunas ou variate são separadas por um caractere especificado no campo que ap- peras quando essa opção
for selecionada. Por exemplo, se "#" foram especificados como o ed separat-:

M East # m # norte Pb (ug / g) # pH

Valores de caracteres Separado


Os valores dentro registos de dados são separados por um carácter específico, definido no campo abaixo da caixa na lista; por
exemplo, se o caractere “#” é o delimitador:

13.2 # 34.5 # 35.6 # 0,15

cokrigagem
Uma técnica de interpolação que permite usar um covari- mais intensamente amostrada comeu na estimativa de

valores para uma variável relacionado. Se o variate primário é difícil 162


Capítulo 16 Glossário

ou caro para medir e está correlacionada com uma covariável mais disponível, cokrigagem pode melhorar
significativamente as estimativas de interpolação. Veja Análise cokrigagem para mais informações.

Vírgulas como coluna título Separadores


Os nomes das colunas ou variate são separados por vírgulas, por exemplo:

m leste, M North, Pb (ug / g), pH

Valores Separados Por Virgula


Os valores dentro registos de dados separados por vírgulas:

13,2, 34,5, 35,6, 0,15

Simulação condicional
Uma técnica de interpolação avançada em que as estimativas Z baseiam-se numa forma de simulação estocástica
no qual os valores medidos são dados honra nas suas localizações.

covariável
Covariável é uma segunda Z-variada que covaries com o Z-variada primário. Ele é usado em cokrigagem.

dados Constrói
Os dados do GS + Planilha é lido nas matrizes reais que são analisados ​durante dados constrói. Dados constrói ocorrer
sempre que um novo conjunto de dados é lido na GS + (via o comando Importar) ou sempre que uma atribuição de campo
ou valor de dados é alterado e no botão Reconstruir (dados da planilha janela) for pressionado. Durante dados constrói
valores ausentes são ignorados e filtros e transformações são aplicadas. A maioria dos dados Constrói são automáticas;
você vai precisar para forçar uma compilação de dados sempre que a reconstruir Button é vermelho (A janela de resumo de
dados também estará vazia).

Campos de dados

Um campo de dados é um item individual no registro de dados. No GS + Planilha, registros aparecem como linhas e
campos aparecem como colunas. Antes da análise deve identificar um campo de coordenada X, um campo
coordenada Y (para análises 2-dimensional), e o campo (coluna) que corresponde ao Z-variada. Para cokrigagem você
também vai precisar de as- assinar um campo para manter os valores covariáveis ​(Z2). atribuições de campo são
realizadas clicando na linha superior da planilha para abrir um diálogo Atribuição de campo ganha-dow.

Registros de dados

Registros de dados são registros em arquivos de texto que contêm valores de dados. registros de dados siga registros de
cabeçalho que contêm informações descritivas sobre o arquivo. registros de dados são importados para o GS + Planilha;
registros de cabeçalho são importados para o De- Dados

163
Capítulo 16 Glossário

porção crição da Janela folha de cálculo.

Ponto Decimal Faltando Indicador Valor


No registro abaixo do terceiro valor aparece como um ponto decimal e será lido na planilha como um valor em falta:

13,2, 34,5,. , 0,15

discretização da grade
A grade de discretização descreve o tamanho da grelha colocado em torno do ponto de interpolação quando o bloco
de kriging. A estimativa para o bloco interpolados é baseado no valor médio das estimativas para cada um dos pontos
da grade de discretização. Um único ponto zação discreti- descreve kriging pontual. A 2x2 médias grade 4 pontos de
grelha. Maiores redes de discretização levar mais tempo para interpolar.

Alcance efetivo
Veja Range.

Geo-referenciada Dados
Geo-referenciada dados são dados que foram recolhidos de um local específico, ou seja, todos os dados para o qual existe
uma espaciais x, y de coordenadas associado com cada valor de dados.

cabeçalho registros
Registros no topo de um arquivo de dados que precedem os registros de dados e que contêm formação in- sobre os
registros de dados.

Interpolar
Um interpolate valor é uma estimativa para um local em um domínio com base em valores de locais próximos
medidos. Em GS + interpolação é realizada pela krigagem ou por métodos de ponderação verso distância in-. Mapas
são baseados em interpolações em pontos de grade em todo o domínio.

kriging
Um método de interpolação com base na teoria variável regionalizada que fornece uma estimativa Timal interpolação op-
para uma dada localização de coordenadas.

Lag Classe Intervalo de Distância


Cada ponto num variograma corresponde ao semivariância média de todos os valores no domínio espacial que estão
separados por uma dada distância intervalo h. Este intervalo (também chamada de classe de distância lag) é uma
faixa cuja largura é especificada pelo usuário na janela de Análise semivariância. A definição correspondente também
é relevante para I de Moran, Fractal, Cross-semivariância e Madogram análises.

164
Capítulo 16 Glossário

valor em falta
Um valor não está presente em um registro. Um registo de dados pode conter campos de coordenadas (por exemplo,
X, Y) e para múltiplos variates Z. Se qualquer um dos campos usados ​para uma análise é ing miss-, a ficha é ignorada durante as
análises, ou seja, quando o conjunto de dados activa é construída. No GS + Planilha um valor é considerado falta se a célula estiver
em branco (um valor em falta permanente) ou se o conteúdo da célula aparecer texto em itálico como o vermelho (um valor ausente
temporariamente). As células podem ser atribuídos temporariamente em falta clicando com o botão direito sobre elas; um se- gundo
clique com o botão direito retorna para não faltar. Em arquivos de entrada e saída de valores em falta são indicados por caracteres
ou valores (por exemplo, -99) definidos na janela de Preferências.

Os parâmetros do modelo

Veja variograma parâmetros do modelo.

Nenhum cabeçalho registros

O primeiro registro do arquivo contém registros numéricos que devem ser tratados como dados.

Número de cabeçalho registros são fixos


Um campo de entrada abaixo da caixa de lista aparece quando essa escolha é feita, e este campo especifica o
número de registros no topo do arquivo de considerar o texto descritivo ao ler o arquivo; o primeiro registro de
dados é o próximo registro.

Número de cabeçalho Registros Varia


será assumido o número de registos de cabeçalho de ser todos os registos anteriores para o primeiro registo numérico todos-.
Se todos os registros contêm um campo de ID da amostra alfanumérico, em seguida, será assumido todos os registros a serem
cabeçalho registros e há registros de dados serão lidos. No exemplo abaixo, há registos de cabeçalho 2:

Arquivo GMD Test Site


<M east> <M norte> <Pb> <pH>
34,5 45,6 5,8 0,231
36,7 46,5 0,241 5,9.

Valor numérico como um indicador de valor em falta


O valor do indicador que aparecerá quando um valor numérico é especificado na caixa de lista. O exemplo abaixo
presume que -99 foi especificado o valor em falta indica- dor e, assim, o terceiro valor deste registro será lido na
planilha como um valor em falta:

13,2, 34,5, -99,0, 0,15

parâmetro Arquivo
Arquivos que armazenam os parâmetros de análise e dados para um conjunto de dados em particular. GS + arquivos Ter parâme-
normalmente têm uma extensão .par.

165
Capítulo 16 Glossário

polígonos
Os polígonos são formas irregulares que podem ser interpolados ou excluídos ção interpolação durante krigagem. Polígonos são
definidos por pelo menos 3 pares de coordenadas (vértices) que definem o contorno de polígono. Polígonos pode ser tão
complexo como continente contornos ou tão simples como a construção de contornos.

postagem
Um destacamento de coordenadas é um mapa de coordenadas locais. A localização de cada ponto de dados no conjunto de
dados activa pode ser marcado por um símbolo correspondente ao seu valor relativo.

Kriging pontual
Um tipo de kriging que fornece uma estimativa para um ponto preciso. Bloco krigagem fornece uma estimativa para uma área
distinta em torno de um ponto de interpolação específico.

Citações como coluna título Separadores


Os nomes das colunas ou variate estão separados por aspas. POR EXEMPLO:

“M leste” “m norte” “Pb (ug / g)” “pH”

Alcance
O intervalo (também chamado intervalo eficaz) é a distância de separação ao longo do qual os locais de amostra são
autocorrelação, isto é, sobre a qual existe dependência espacial entre os locais de amostragem. Em modelos de
variograma a gama é calculada a partir da faixa de pa- Uma rameter 0 ( modelos isotrópicos) ou um 1 e A 2 ( modelos
anisotrópicos). Veja definiço~es modelo para mais informações.

Mesmo que para registros de dados


O delimitador para títulos das colunas ou variate é a mesma especificada para os registos de dados.
Por exemplo, se os registros de dados em um arquivo com quatro colunas de dados são formatados com "#" como um delimitador:

M East # m # norte Pb (ug / g) # pH

amostra ID
A ID da Amostra é texto ou um valor numérico que identifica um registro de dados particular. É opcional. Para especificar
uma coluna de ID da amostra, clique na linha superior da planilha de dados.

Peitoril ou C 0+ C
O peitoril do modelo variograma (C 0 + C) representa variância espacialmente independente. locais de dados
separados por uma distância além da qual semivariância não muda - ou seja, após a assíntota modelo ou peitoril -
são espacialmente independentes uma da outra. Teoricamente, o peitoril é equivalente a variância da amostra.

166
Capítulo 16 Glossário

Espaço Separado (formato livre) Valores


Os valores dentro registos de dados são separadas por espaços, por exemplo:

13,2 34,5 35,6 0,15

Espaços como coluna título Separadores


Os nomes das colunas ou variate são separados por espaços; note que esta opção limita col- títulos UMN para palavras isoladas.
por exemplo:

leste norte Pb pH

Tab Separated Values


Os valores dentro registos de dados são separados por caracteres de tabulação (indicado por “[separador]”, no exemplo abaixo, o formato é

frequentemente chamado de saída delimitado por separador de folha de cálculo por pro- gramas, por exemplo:

13,2 [separador] 34,5 [separador] 35,6 [separador] 0,15

Tabs como coluna título Separadores


Os nomes das colunas ou variate são separados por caracteres de tabulação, por exemplo:

m leste [separador] M North [separador] Pb (ug / g) <guia> pH

Transformação
A transformação é uma fórmula aplicado a todos os valores de Z ou Z2 num conjunto de dados, geralmente para uma melhor
normalizar a sua distribuição. O sucesso de uma transformação pode ser julgado por observar a sua distribuição de frequência
antes e depois da transformação. Os valores podem ser backtransformed antes de resultados de relatórios.

Lag regular classes de intervalos


O Lag Classe Intervalo de Distância define como pares de pontos serão agrupados em classes lag. Cada ponto em
um variograma ou autocorrelogram representa o ivariance SEM- média ou I de Moran para uma única classe lag, que
é um grupo de pares separados por um certo Lag Classe Distância Interval, às vezes chamado de tamanho do passo.
Este intervalo pode ser calculado por GS +, caso em que serão distribuídos regularmente em toda a distância de
atraso activo, ou pode ser ajustado manualmente pelo utilizador

Variograma Parâmetros modelo


Os parâmetros do modelo para variogramas isotrópicas incluem termos de variância (C pepita 0),
a pepita combinado mais variação estrutural (C 0 + C, também chamado de modelo peitoril), eo parâmetro de gama A 0 ou
no caso de anisotrópica variogramas, A (a função de A 1
e A 2). O parâmetro intervalo pode ser diferente da gama eficaz, que deve ser usado para comparar intervalos
entre os modelos.

167
Capítulo 16 Glossário

O que é um registro válido


Uma ficha é válido qualquer ficha que contém valores não ausentes para os os locais de coordenadas (tanto um valor de
coordenada x e um valor de coordenada Y para alimentação do- 2-dimensional) e um valor diferente de falta para o Z-variada .
Faltando valores aparecem como células em branco ou como texto de cor vermelha; utilize o botão direito do mouse para
transformar células com valores em células com valores em falta e vice-versa.

X, Y Coordenadas
Coordenadas X, Y descrever um local físico em que uma variável Z é medido. As coordenadas são presumivelmente
no espaço Cartesiano, ou seja, com uma origem 0,0 que esta aumenta para x em direcção leste e diminuição em
direcção oeste, e para aumento Y na direcção norte e diminuição em um sul (nota que valores pode ser inferior ou
superior a 0). Assim, um valor de 10,20 significa 10 unidades leste da origem e 20 unidades norte.

Em GS +, se uma coluna coordenada Y não for especificado os dados estão a ser assumida 1- dimensional, isto é, recolhidas
ao longo de um corte transversal ou ao longo do tempo. Para especificar (ou remover) uma coordenada Y coluna, clique na
linha superior da planilha.

Note também que a latitude e longitude não são parte de um sistema de coordenadas cartesianas porque distâncias
coordenadas (medidos em graus) representam diferentes distâncias físicas (medida em metros) em diferentes
lugares do globo. Para uma versão con- aproximada de latitude e longitude para metros, considere que um segundo
de latitude é igual a 30,92 metros no terreno; para longitude, calcular o co-seno da latitude depois multiplique por
30,92.

Dados Z-variada (Z)


O Z-variada é o variate a ser analisado e mapeado, por exemplo, elevação de um mapa topográfico gráfico, de pH para obter
um mapa de acidez do solo, o teor de clorofila para obter um mapa de produtividade lago, a densidade de população para obter
um mapa de crescimento da população rural, etc. uma folha Work pode conter muitos variates mas apenas um pode ser
analisados ​ao mesmo tempo, portanto, apenas uma coluna pode conter os dados Z-variada. A Coluna Z-variada deve ser
definida antes da análise espacial. Para especificar uma coluna, clique na linha superior da planilha.

Z2 Variável de dados (Z2 ou covariáveis)


O Z2 Variável ou covariáveis ​é uma segunda Z-variada que covaries com o variate Z- primário. Ele é usado em
cokrigagem.

168
Índice

Índice

1-d transects, mapas 158 2-D, Autocorrelação


33, 147, 156 mapas 3-d, 33, padrão lag activa, 27 janela de
147, 153 autocorrelação, 71 correlogramas, 100
teto, 34 andar, 34 linhas de grade, análise de covariância, 101 defaults, 27
34 mapa proporção, 33 definição, 162 deriva, 99 Análise fractal, 107
desvios-padrão, 154 A 0, 79, 80, 82, variogramas relativa geral, 102 madograms,
83, 84, 85, 167 A 1, UMA 2, 86, 87, 89, 97 de menu, análise eu 19 de Moran, 106
90, 91, 168 Activação, 7 número de intervalos de retardação, 27
offset, 27

ativado pela web, 10 código de


ativação, 7, a janela de ativação 8, 8
opções avançadas, 9 desativação,
7, 11 modo de avaliação, 8 ID de
instalação, 10 número de licença, 8 variogramas relativos aos pares, 104 rodograms,
servidor proxy, 9 número de série, 7 98, 70 semivariâncias Variogramas padronizados,
número de série, 8 de desbloqueio 96 de dados de sub-amostra, 27 Eixo
código, 10 servidor de ativação, 22
Ativo distância de atraso, 27, 71
matriz de Adjacência, 106
Anisotropy formatos, 32 de orientação, 73 de azimute, 93

Backtransformations, 55, 162 ficheiro de base de

dados de entrada, 37 Bibliografia, 159 formato de

gravação de dados binários, 163 Bloco

orientação do eixo, 73, 92, 94 superfície


semivariância, 73, 74, 94 semivariâncias
superfície, 92 da superfície, mapa 27 de cokrigagem, 140 kriging, 124,
vario, 92, 94 137, 163 de tamanho, C 124 0, 79,
163
modelos de variograma, 86
dados Anexar, 53 ArcView ® Cartesiano (x, y) do sistema, 15 de coordenadas,

169 Tecto, 34, 150 Os valores dos caracteres


formato de arquivo de entrada, separados (CSV), 163 claras, 38 cokrigagem, 41, 71,
arquivos de 46 mapa de entrada, 121, 138 tipo cokrigagem, 139
formato de arquivo 148 de saída, 120

arquivos de saída, 144 campo de

atribuição, 40

169
Índice

Coluna, 38 gráfico, 55, 58, 58


atribuições de campo, 37, 39 títulos, 47, valores de dados
163, 164, 167, 168, 39 larguras
diálogo, 53 delimitadora, 42 constrói,

Vírgulas como separadores título da coluna, 52 164 de cópia, 35 exportador, 35


simulação condicional, 117, 121, 132 campos, 39, 164 arquivo de
cokrigagem co-localizado, 133 deriva importação, 44, 52 do filtro, 38, formato
externa, 133 padrões de interpolação, 28 de ficheiro de entrada 42, 45, 47 de
multigrade refinamentos, 28 número de menu, 18 anexar
simulações, 28, 135, 133 resíduos

dados secondray, 133, 134 valor de


semente, 28 menu de contexto, 23 registos, 38, 47, 48, 49, 50, 52, 164 Resumo
da janela, 62, 67
níveis de contorno, 34, 150, 151 Converter guia análise de regressão, 67
ficheiro GS + DOS, 35 coordenadas coordenadas x, y separador, 62

postagens, 62 Resumo do guia da janela Z, 54 em epígrafe,

1-d diagramas de dispersão, 65 38 de folha de cálculo, a importação de arquivo

definição, 167 de dados de mapas, 37 de dados, os ficheiros da base de dados de

149, 157, intervalos de lançamento entrada 25, 44, 51 Desactivar, 22 Desactivação,

66 Coordenadas 7, 11

atribuição, 39
cartesiano, 169 código de ativação, 11 número de licença, 11
latitude, longitude, 169 Copiar servidor proxy, 11 casas decimais, 18, 24, 26, 39
dados e gráficos, 35, 100 Definir intervalos de postagem, 66, 18 estatística
correlogramas de análise de descritiva apagar, grade 55 Discretization, 124, 137,
covariância, 101 covariáveis ​(Z2) 140, 165 intervalo de distância, 123 DOS GS +
ficheiros, 35 deriva, 39, 99 valores duplicados, 43, 55
atribuição, 40 definição, edição de menu, 17 gama efectiva, 79, 167, 168
164, 169 ícones, 16 de e-mail, 22 Estimativa variância, mapa variância 120
regressão, aviso 67 Estimativa, 154 ficheiros de Excel, 51
valores, 41

análise, 20, 95, 139 A validação cruzada transversal


semivariância
análise, 121, 129, 131
valores
regressão, 67, 68, 69 transversal variogramas, 20,
95, arquivos CSV 139, 18, 35, 52 cruz-variada

distribuição de frequência cumulativa polígonos exclusivos, 119, 126, 128

170
Índice

modelo anisotrópica exponencial, 89 gráficos


exponencial modelo isotrópico, 83 Export cópia, 35 de dados, 19, 35 exportador

de impressão, as linhas de grade 35, 34,

dados, 18, 35 150 GS + arquivo de entrada de formato,

gráficos, 17, 35 deriva 45 GS + arquivos de saída, 143 GSLIB

externa, 39
atribuição de, 40
campo (coluna)
atribuições, 37, 38, 39
atribuições padrão, 25 ficheiros de saída, 120, 148 registos de cabeçalho, 47,
delimitador, 52 nomes, 38 48, 49, 50, 52, 165,
arquivo 166 menu Ajuda, 21 barras de
histograma, 32, 56 H-scattergrams, 108,
extensões, 35, 75, 120, 143, 144, 145, 113, 116 ficheiros HTML, 18, 35 IDW, 141
146, 148, 166
comando de importação, 37 de diálogo de

importação, propriedades 44 de importação,

51, 52 janela de visualização, 53 menu do padrões de interpolação, 28 ficheiros de


ficheiro, a janela de visualização 16 do saída, 143, 144, 145, 146 de alisamento factor
ficheiro, os dados de filtragem 53, 38, 42 de de, 28, 141, 142 poder ponderação, 28, 141,
piso, 34, 150 142 A importação

dados, tipo de arquivo 18 default, 25 de nome de

Fórmulas em planilhas, 39 análise arquivo padrão, diálogo de importação de 25 arquivo,

Fractal, distribuição 107 Frequency comando file 44 importação, 37 planilhas, 51

arquivos de texto, 45 polígonos Inclusive, 119, 126,

gráfico, 55, 56, 57 128 Indicador krigagem, 137 formato de arquivo de

valores entrada, 45

modelo anisotrópica Gaussian, 90 modelo de


Gaussian isotrópico, 85 variogramas relativos
Gerais, 102 GeoEas formato de arquivo de
entrada, 45, 48 anisotropia geométrica, 73 de
dados Geo-referenciadas, 165 configurações ArcView • XYZ, 46 ArcView ® XYZ,
Gráfico 49 personalizado, 46
​Excel, 51 GeoEas, 45, 48
eixo de escala, 31 títulos de GS +, 45, 47
eixos e rótulos, 32 cores, 29

detalhes de contorno, 33 planilha e banco de dados formatos, 51 Surfer ® XYZ,


notas de rodapé, 30 geral, 29 46, 50 Inserir, 18 Inserir linhas ou colunas, 39, 6
Legend, 30 títulos, 30 Instalação

171
Índice

Interpolar, 165 bairro pesquisa, 120 cokrigagem simples, 140


interpolação, 117 simples kriging, 137 formas específicas, 119
cokrigagem bloco, bloco 140 desvio-padrão, 28 padronizado cokrigagem
kriging, 137 cokrigagem, ordinário, 140 tipo, 121 kriging universal, 136
117, 138 validação, 121, 129 de desvio, 28, 120 modelo
simulação condicional, 117, 132 valores vario, 132, 137, 140 janela, 118 Z limites de
force, 119 estimativa, 122 Intervalo classe, 70
análise, 121, 129 grelha discretização, 137, 140
intervalo de distância, 123 validação cruzada

desenhar mapa depois interpolação, 28 grid,


119
krigagem indicador, 137
localizações Interpolar, 125 menu
de interpolate, 20 distância inversa de ponderação, 117, 121, 141 grelha
distância inversa de ponderação, 117, 141 malha interpolação irregular, 119, 124 modelos variogramas
irregular, 119, 124 análise de canivete, 121, 129 isotrópicos, 79 Jackknife
kriging, 117, 136
análise, 121, 129, 131
kriging com deriva externa, 137 kriging com valores de folha de cálculo,
tendência, 136 máscaras, 119, Vejo polígonos 121 Kriging, 117, 121, 136

menus, 20 ouput desvio padrão, 120 variância ouput,


vizinhos mais próximos, 120 raio 120 ficheiros de saída, 143, 144, 145, 146
de vizinhança, 121 tipo, com 136 deriva externa, 137 com
ponderação distância normal, 117, 141 número de tendência, 136
pontos, 123 pesquisa octante, 121 gama optimizar,
123 a fim de saída, 28 cokrigagem ordinário, 140
kriging ordinário, 136 padrões de saída, formatos de Lag classe intervalo de distância, 27, 70, 71, 72,
arquivo 28 de saída, 119 ficheiros de saída, 119 75, 165
Latitude, 15, 169 título Legend, 66
número de licença, 8 Linear modelo
anisotrópica, 90 Linear modelo
isotrópico, 84 grade local, 137
Longitude, 15, 169 Madograms, 97
desvio padrão de saída, 120 variância menu principal, 16 eixo Major, 86, 93
de saída, 120 polígonos, 119, 126 Mapa
cokrigagem pontual, 140 kriging
pontual, 137 gama, 118, 123 grade
regular, 118, 122 variograma parente,
137, 140
imagem 2-d, 156 2-d lançamentos de

amostra, 157

172
Índice

imagem 3-d, 153 valores ausentes


imagem desvio padrão de 3-d, 154 ArcView ® arquivos contar, 149
de entrada, 144, 148 teto, 34, 150 definição, 166
faltando indicador de valor, 24, 41, 45, 47,
níveis de contorno, 34, 150, 151 variância 49, 50, 51, 52, 143, 149, 151
estimativa, 149 chão, 34, 150 grade (intervalo), permanente valores, 39, 41 preferências, 23
148 linhas de grade, 34, 150 GS + formato de valores ausentes temporários, 39, 41, parâmetros 43
arquivo de entrada, 143 GS + arquivos de modelo, 80, 87 Resultados do modelo faltando, 77
entrada, 148 arquivos de entrada GSLIB, análise I de Moran, 106 Rato ação, 64, 93, 153
formatos de arquivo 146 de entrada, 143 , 147 refinamentos Multigrid, 28 NDW, 28, 141 vizinhos
individualidades, 34, 150 mapeamento em GS mais próximos, 120 raio de vizinhança, 121 normal
+, 147 de menu, 20 de ponderação distância (NDW), 28,

acção rato, 153 gráfico de


rotação, 153 de rotação, 141
155 escala, 153 distribuição de probabilidade normal
grafo, 55, 59 valores, 60 Nugget variância,
desvio padrão, 149 superfície, 79, 80, 87, 163 Octant Pesquisa, 121
149 deslocada tolerância, 73 ordinário cokrigagem,
propriedades de superfície, 33 surfista • arquivos 140 kriging ordinário, 136 formatos de arquivo
de entrada, 145, 148 zoom, 153 Mapping OUPUT, 119 outliers, 108 Contorno mapa, 128
ficheiros de saída

desenhar mapa depois interpolação, a janela 28


de interpolação, 118 máscaras, 119 Menus

autocorrelação, 19 contexto, ArcView • formato, 144 ArcView ® formato,


23 dados, 18 editar, 17 120 GS + formato, 120, 143 formato GSLIB,
arquivo, 16 ajuda, 21 120, 146, 148 interpolação, 119 surfista • formato,
interpolate, 20 krig, 20 145 Surfer ® formato, 120 variogramas
principais, 16 mapa, 20 botão relativos pareadas, 104 arquivos de
direito do mouse, 23 janela, parâmetros, 16, 166 polígonos
21 de eixo menor, 86

definição, 167 exclusivo, 119,


126, 128 como criar, 119

173
Índice

Inclusive, 119, 126, 128 mapa, A análise de regressão, 67, 68 coeficiente de regressão,
128 81, 88 valores de regressão, 69 grade regular de
janela definição polígono, 126 vértices, interpolação, 118, 122 lag classes de intervalos regulares,
intervalos de lançamento 126, 66 envios. Vejo coordenar 168 variograma Relativa, 137, 140 somas dos quadrados
postagens dos resíduos, 81, 88 menu do botão direito, 23 Rodograms ,
98 gráfico Rodar, 153, 155 ID da amostra, 39, 167
preferências lançamentos de exemplo. Veja Coordenar postagens
analisa, 26
superfície anisotropia, 27
autocorrelação Ativo lag padrão, 27 padrões de
autocorrelação, intervalos lag 27 autocorrelação,
arquivo de importação de 27 dados, 25 casas
decimais, 24 geral, 23 variância da amostra, 74 de dados
dimensionamento, 54 layout de tela,
bairro 15 Pesquisa, 120
IDW fator de alisamento, 28 IDW vs. NDW, 28 IDW
poder ponderação, atribuições de campo 28 vizinhos mais próximos, 120 buscas
importação, tipo de arquivo 25 importação, 25 import octant, 121 raio, 121 variate
filename, 25 saída de interpolação, 28 indicador de secundária (Z2), 138 valor de
valor em falta, 24 número de sub-amostras, 28 semente, 28 semivariância
simulação refinamentos multigrid, 28 simulação
número, 28 valor de simulação de sementes, 28 de
dados sub-amostra, 27 de deslocamento vario, 27 capacidade, 72
variate primária, 138 eixo anisotrópicos Principais, 93 visão geral, 70
Impressão janela de anise semivariância, 71 semivariância
offset, 70 valores, 78 variogramas janela, 77
número de série, 7, 8 Sill, 79, 80, 86, 87, 167
Simples cokrigagem, 140 Simples kriging, 137
contrato de licença de utilizador único, 12
licenciamento do sítio , 12 factor de alisamento,
28, 141, 142 Ordenar, 18

gráficos, 35 adicionais, 17 folhas de trabalho, 35


cokrigagem pontual, 140 kriging pontual, 137, 167
Cotações como separadores título da coluna, 52
Gama, 79, 80, 86, 87, 167, 168, 38 reconstruir
comando Records. Vejo registros de dados Separadas por espaço livre (formato), valores de 52 espaços
como separadores título da coluna, 52 formas específicas,
119 anisotrópica modelo esférico, 88 modelo esférico
isotrópico, os ficheiros de entrada 82 da folha de cálculo, 44,
51, 52 Os desvios padrão mapa, 154
Regressão
validação cruzada, 129

174
Índice

Padronizada cokrigagem ordinário, 140 variograma superfície anisotropia, 27 C 0, 79,


padronizada, 96 variância estrutural, 79, 163, 167 de 80, 86, 87 de capacidade, 72
dados subamostrados, 27 Resumo estatístico, 54 da padrões, 27
superfície, 149 surfista ®

eficaz gama, 79, 80, 86, 87, 167 modelos


isotrópicos, 79, 80 mapa, 73, 92, comando 94
modelo, os parâmetros 74 modelo, 80, tipo 168
formato de arquivo de saída da rede, 120 arquivos de modelo para kriging, 137, 140 variância pepita,
entrada do mapa, 50, 145 Mapa arquivos de entrada, 148 79, 80, 86, 87 número de intervalos de
Surfer ® formato de ficheiro de entrada XYZ, 46 símbolos, retardação, 27 de deslocamento, 27 opções, 74
32, 66 valores separados, 52 Abas como separadores alcance, 79, 80, 86, 87, 167 peitoril, 79, 80, 86,
título da coluna, 52 ficheiros de texto, 44, 45 marcas de 87, 167 variação estrutural, 79, 167 de dados
escala, 31 Título, barra 38 de ferramentas 16, sub-amostra, 27 valores, 78 variogramas janela,
77 Variografia, 70 vértices, 126 Avisos, 24 de
garantia, 13 de potência de ponderação, 28, 141,
142 menu janela, 21 planilhas

imagem Transect, licença de


transferência 158, 22
Transformações
atribuir, 54
backtransformations, 55, 162 definição,
168 lognormal, 54 deslocamentos, 55 de
escala 0-1, 54 raiz quadrada, 54 Tendência,
99

capacidade, 39, 39 fórmulas


de dados Jackknife, 121
kriging universal, 136 limites, 39 de impressão, 35
Actualizações, 12, 22 análise de de triagem, 39 de janela,
validação, 121 gama eixo X 37, 31
análise de validação cruzada, 129 análise X-coordenar
de canivete, 129 Variância

análise nuvem, 77 pares de


nuvem, 112 atribuições variate, atribuição de, 39, 40
38 defintion, arquivos 169 XLS,
Variate nomes, 38, 47, 163, 164, 167, 168 Variograma 18, ficheiros XML 35, 18, 35
intervalo do eixo Y, 31
UMA 0, 79, 80, 86, 87, 167 activa Y-coordenar
padrão lag, 27 modelos
anisotrópicos, 86 atribuição, 39, 40

175
Índice

defintion, 169 Z atribuição, 39, 40


(variate primário) definição, 164, 169
atribuição de, 39, 40 ícones, 16 de regressão,
intervalo do eixo, 32 aviso 67 valores, 41
definição, 169 Zoom, 153
limites de estimativa, 122 Z2
(covariável)

176