You are on page 1of 3

1.

INTRODUÇÃO

A liberdade de expressão é um direito de todos assim diz a constituição de 1988,


que assegura que o indivíduo possa manifestar os seus anseios de diversas
formas, respeitando os diretos humanos e a liberdade de expressão do seu
semelhante, com isso podemos observar com um contexto histórico atual o
preconceito referente as pessoas que possuem tatuagens, manifestados de
diversas formas, promovendo a separação das pessoas na hora de prestarem
um concurso público, não por suas competências e qualidades, mas sim por
suas escolhas de manifestarem seus anseios pessoais através das tatuagens.

Neste contexto polêmico em que se insere o Direito, a igualdade de expressão


que é tido como o lócus, para que as pessoas vivam em harmonia em uma dada
sociedade, que deve respeitar as diferenças e promovendo assim paz,
segurança e respeito,

Observa-se atualmente, que as pessoas não estão respeitando esses princípios


básicos para que todos possam viver de forma harmônica e igualitária numa
dada sociedade e restringido para que uma pequena parcela das pessoas possa
satisfazer seus egos pessoais não respeitando assim a liberdade do próximo,
propagando um desrespeito institucionalizado de diversas formas sendo um
deles a restrição da tatuagem em concursos públicos.

2. OBJETIVOS

Analisar como o Estado materializa o direito à liberdade de expressão em


concursos públicos, e como são tomadas as devidas providencias cabíveis
referente a projetos de leis de atos inconstitucionais.

Verificar como a sociedade se comporta referente a manifestação da vontade do


indivíduo em realizar no seu próprio corpo uma pigmentação permanente,
conhecido atualmente como tatuagem, analisando como são assegurados os
direitos fundamentais da liberdade de expressão e de igualde através da
constituição.
3. METODOLOGIA

Neste trabalho foi realizada uma pesquisa de através de uma jurisprudência,


segundo André Rodigheri (2004), ela é a fonte mais geral e extensa de exegese,
indica soluções adequadas às necessidades sociais, evita que uma questão
doutrinária fique eternamente aberta e dê margem a novas demandas. Através
da jurisprudência que o grupo irá discutir as relações que informam o tema
abordado e assim julga-lo a um debate aberto. Foram elaboradas também
pesquisas bibliográficas de autores renomados, no qual busca entender e
aperfeiçoar o comportamento social perante a discursiva. A pesquisa é de forma
social, que segundo Rummel (1972:3), quando busca melhorar a compreensão
de ordem, de grupos, de instituições sociais e éticas.

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A restrição da tatuagem em editais é um ato inconstitucional, pois não há existe


uma lei material ou formal que determina a restrição de tatuagem em concursos
públicos. Além disso todo indivíduo possui sua liberdade de expressão e têm
esta garantia, dentro da Constituição Federal, art. 5°, IV e IX. Com isso o
Supremo Tribunal Federal determinou que, o recorrente poderá exercer o cargo
público e os demais indivíduos que possuem tatuagens também poderão exercer
funções públicas, desde que as suas tatuagens não representam obscenidades,
ideologias terroristas, discriminatórias, que pregam a violência e a criminalidade,
discriminação de raça, credo, sexo ou origem.
6. REFERENCIAS

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível


em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/costitui%C3%A7ao.htm>.
Acesso em: 04 nov. 2017

MARCONI, Marina de Andrade: LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de Pesquisa


(Página 20, 5° edição). Disponível em: <httos://pt.scribd.com/doc/237629448/te
cnicas-de-pesquisa-marconi-lakatos-pdf>. Acesso em: 04 nov. 2017

RODIGHERI, André. Jurisprudência como fonte do direito. Disponível em:


<http://www.ambito-juridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura
&artigo_id=3965. Acesso em: 04 nov. 2017

Informativo STF. Disponível em: <http://www.stf.jus.br/arquivo/informativo/docu


mento/informativo835.htm>. Acesso em: 04 nov. 2017